Vous êtes sur la page 1sur 30

A DITADURA MILITAR NO BRASIL

(1964 – 1985)

Profª. – Fatima Ap. de Freitas


O GOLPE MILITAR
• Na manhã do dia 1º. De abril de 1964, os cidadãos brasileiros
acordaram ao som do movimento de tropas do exército.
• Era um golpe militar que contou com o apoio de parte da
sociedade civil, e depôs o presidente João Goulart, sob a
justificativa de garantir a ordem e a segurança nacional, e conter
as ações dos que queriam transformar o Brasil em um país
socialista.
• João Goulart contava com o apoio dos governadores Miguel
Arraes (PE), João Dória (SE) e o ex-governador Leonel Brizola
(RS).
• O presidente deposto refugiou-se no Rio Grande do Sul e em
seguida exilou-se no Uruguai, procurando evitar uma guerra civil.
• Ranieri Mazzili presidente da Câmara dos Deputados, assume
provisoriamente a presidência.
OS GOLPISTAS
• Entre os personagens que
participaram do golpe estavam
os militares:
• Humberto de Alencar Castelo
Branco, Ernesto Geisel,
Orlando Geisel, Arthur da Costa
e Silva, Olímpio Mourão Filho e
Golbery do Couto e Silva.
• Contou ainda com o apoio dos
governadores:
• Magalhães Pinto (MG), Carlos
Lacerda (Guanabara), Adhemar
de Barros (SP), Ildo Meneghetti
(RS) e Ney Braga (PR).
O ATO INSTITUCIONAL Nº. 1

 No dia 09 de abril de 1964, foi instituído o AI-1


com poderes para:
 Demitir funcionários públicos (civis ou militares) leais ao
antigo governo.
 Cassações de mandatos de opositores do golpe por um
período de dez anos.
 Prisões de opositores.
 Eleições indiretas para presidente.
 Limitações da sociedade civil na vida política do país.
OS MILITARES E A PERSEGUIÇÃO POLÍTICA
• Ações militares ao assumirem o poder:
• Cassaram o mandato de muitos políticos de oposição entre os
quais destacamos: Luiz Carlos Prestes, João Goulart, JK, Miguel
Arraes, Jânio Quadros, Leonel Brizola, Darcy Ribeiro, etc.
• Alguns artistas foram acusados de serem comunistas e
perderam o emprego como Herivelto Martins, Mário Lago, Dias
Gomes, Paulo Gracindo, etc.
• O líder comunista Gregório bezerra foi preso, espancado e
arrastado pelas ruas do Recife.
• Alguns políticos conservadores que haviam apoiado o golpe
esperando receber benefícios políticos foram abandonados ao
ostracismo ou cassados, como Carlos Lacerda governador da
Guanabara.
• No dia 15 de abril, o congresso Nacional elegeu indiretamente o
marechal Humberto de Alencar Castelo Branco como presidente
da República.
OS PRESIDENTES MILITARES:

MÉDICI GEISEL

FIGUEIREDO
COSTA E SILVA

CASTELLO BRANCO
MARECHAL HUMBERTO DE ALENCAR CASTELO BRANCO
(1964-67)
 Eleito de forma indireta através  Fim da Lei de Remessa de
da votação da Câmara. Lucros (1962).
 Instituição do PAEG (Plano de Ação  Desvalorização monetária
Econômica do Governo): (cruzeiro novo).
 Corte de gastos.  Compra de empresas
 Aumento de tarifas e impostos. nacionais por estrangeiras.
 Fim da Lei da Estabilidade.  Renegociação da dívida
 Criação do FGTS (Fundo de Garantia externa.
por
 Novos empréstimos.
Tempo de Serviço).
 Aproximação cada vez maior
 Aumento salarial (1X ao ano) abaixo
da inflação. com EUA.
 Restrição de crédito.

 Arrocho salarial, recessão e


desemprego.
 Jul/64 – prorrogação do mandato presidencial até mar/67.
 1965: eleições em 11 Estados.
 Candidatos governistas perdem em vários.

 Out/65 : instituição do AI - nº 2.
 Extinção dos antigos partidos e criação de dois novos:

 ARENA (Aliança Renovadora Nacional) – partido do governo.

 MDB (Movimento Democrático Brasileiro) – oposição ao governo.

 Autorização para fechar órgãos legislativos.


 Em fevereiro de 1966 instituiu-se o AI - nº. 3 que estabelecia:
 Eleições indiretas para governadores que seriam submetidos à
aprovação das Assembléias Legislativas;
 indicação de prefeitos de capitais e cidades estratégicas.
 indicação de prefeitos pelos governadores.
 Com o AI – nº. 4, o governo adquiriu poderes para produzir uma nova
Constituição em 1967, que tinha como pontos principais:
 Fortalecimento do Executivo.
 Emendas constitucionais a cargo exclusivo do presidente.
 Incorporação de Atos Institucionais.
 LSN (Lei de Segurança Nacional) – defesa da pátria contra o “perigo
comunista” (repressão consentida).
MARECHAL COSTA E SILVA
(1967 – 1969)

 Governo marcado pelos protestos e movimentos sociais contrários à ditadura


estudantes saíram em passeatas;
 operários organizaram greves contra o arrocho salarial,
 políticos de oposição faziam pronunciamentos contra a ditadura e organizaram
uma “frente ampla” composto por padres progressistas que discursaram sobre
a fome do povo e a tortura praticada pelos órgãos de segurança.
 Esses eventos levaram à criação do AI-5, que restringiu os direitos civis dos
brasileiros.
 O deputado Marcio Moreira Alves (PMDB) propôs à população um boicote à
parada militar de 7 de setembro.
 Em dezembro de 1968, houve o fechamento do Congresso, a cassação do
mandato de Márcio e de outros parlamentares e decretaram o AI – nº. 5
decretando o aumento da repressão.
O Ato Institucional nº 5
 O Ato autorizava o presidente da República, em caráter excepcional e, portanto,
sem apreciação judicial, a:
 decretar o recesso do Congresso Nacional;
 intervir nos estados e municípios;
 cassar mandatos de centenas de parlamentares;
 suspender, por dez anos, os direitos políticos de qualquer cidadão;
 e suspender a garantia do habeas-corpus
 Em 1969 afastou-se do governo alegando problemas de saúde e uma junta
militar composta dos ministros do exército, marinha e aeronáutica governou o
país durante dois meses (31/08-22/10 de 1969).
 Reconhecendo a impossibilidade de Costa e Silva a junta indicou e a ARENA
referendou como sucessor o general Emílio Garrastazu Médici.
Estudante Édson Luís Missa de 7º dia de Édson Luís Greve em Contagem -
MG

Manifestação Passeata dos


estudantil 100 mil
O GOVERNO MÉDICI (1969-1974)
 Período conhecido como “Anos de Chumbo” devido ao
grande poder ditatorial e a violência repressiva contra as
oposições acentuaram.
 Os direitos dos cidadãos foram suspensos;
 Qualquer um que se opusesse ao governo poderia ser
preso;
 O governo utilizou a TV para divulgar seus projetos para o
país;
 Início da ação armada contra o governo:
 Guerrilha urbana (seqüestros de embaixadores e
diplomatas estrangeiros, assaltos a bancos);
 Guerrilha rural (Araguaia – PA)
O MILAGRE ECONÔMICO (1969 – 1974):
 Delfim Netto (Ministro da economia).
 Crescimento de 10% ao ano.
 Facilidades de crédito (bens de consumo duráveis).
 Arrocho salarial (trabalhadores e sindicatos não podiam reagir
à repressão política).
 Investimentos externos (favorecimento do governo).
 Grandes empréstimos.
 Crise do petróleo e aumento da dívida externa.
 O governo foi perdendo seus argumentos de prosperidade e
mostrou que a ditadura não garantia desenvolvimento.
 As oposições foram lentamente se reorganizando e passaram
a exigir a volta da democracia.
 Consequencias do milagre: aumento da dívida externa e
desvalorização salarial.
A REPRESSÃO MILITAR

Pau de arara
Popularidade: censura, propaganda e Slogans otimistas:
Valorização de conquistas esportivas:
futebol (associação de vitórias com o
sucesso do governo).

Carlos Alberto, Presidente


Médici e Zagallo
GOVERNO GEISEL (1974-1979)
 O governo de Geisel iniciou a abertura do
processo político.
 De acordo com o presidente o processo seria
“lento, gradual e seguro”.
• Instituiu o Programa PROÁLCOOL.
 Diminuição da tortura e censura dos meios de comunicação.
 Em 1974 garantiu eleições livres para senadores, deputados e
vereadores e o MDB conseguiu uma vitória significativa sobre a
ARENA .
 Os aparelhos repressivos recorreram à violência perseguindo
jornalistas, sindicalistas e acusando militantes comunistas de
serem os responsáveis pela expressiva votação do MDB.
 Foram mortos o jornalista Vladimir Herzog em 1975, o
metalúrgico Manoel Fiel em 1976 nas dependências do DOI-
CODI.
 Reação da “Linha Dura” do exército à abertura política:

 Atentados terroristas em bancas de revistas, contra a OAB


(Ordem dos Advogados do Brasil).
 Atentado do Riocentro (30/04/1981).
 Desmoralização da “Linha Dura”
 Em 1976, o governo decretou a Lei Falcão que limitava a
propaganda eleitoral dos candidatos no rádio e na TV,
mostrando apenas os retratos dos candidatos e um breve
resumo de suas atividades políticas.
 Em 1977 decretou-se que 1/3 do senado seria escolhido
diretamente pelo presidente, eram os “senadores
biônicos”, pois estes votariam sempre a favor do governo.
 Elaboração do II Plano Nacional de Desenvolvimento que
previa novos empréstimos para investimentos na expansão
das indústrias de bens de produção (máquinas,
equipamentos pesados, aço, cobre, energia elétrica, etc.)
 Devido a crise do, petróleo metade das receitas das
exportações era utilizada para importação do produto.
 Tentativa de substituir importações.
OBRAS FARAÔNICAS

 Rodovia
Transamazônica
(jamais
concluída).

Usina de Itaipu

Ponte Rio-Niterói
Usina Nuclear –
Ponte Colombo-
Angra I
Salles
GENERAL JOÃO FIGUEIREDO
(1979-1985)

 Figueiredo foi eleito com 335 votos contra 266


Votos do general Euler Monteiro.
 Seu governo enfrentou críticas ao autoritarismo, sindicatos
de trabalhadores, grupos de empresários, Igreja,
associações artísticas e científicas, universidades e
imprensa reivindicavam a redemocratização do país.
 Figueiredo assumiu o compromisso de realizar a abertura
política e reinstalar a democracia no Brasil.
 Durante o ano de 1979 em todo o país mais de 3 milhões
de trabalhadores fizeram greve (ABC paulista sob o
comando de Lula).
 Concedeu anistia a todos que foram punidos pela ditadura,
onde muitos brasileiros regressaram do exílio.
 Fim do bipartidarismo – surgiram vários partidos: PDS no
lugar da ARENA, PMDB (MDB), PT, PDT, PP, PTB.
 Foram estabelecidas eleições diretas para governadores.
 No plano econômico o ministro Delfim neto não conseguiu
equacionar os problemas da dívida externa com o FMI.
 A inflação bateu recordes históricos, 200% ao ano, e os
trabalhadores tinham seus salários corroídos dia a dia pela
elevação do custo de vida.
 Desemprego crônico devido a falta de investimentos no setor
produtivo, o que reduziu o crescimento econômico, em
1983, os níveis de desemprego eram altíssimos chegando a
ocorrer uma série de saques a lojas e supermercados.
 Devido ao agravamento da crise, aumentou a insatisfação
popular contra o governo, e a resposta veio nas eleições de
1982, onde um grande nº. De candidatos de oposição mais
populosos foram eleitos.
O FIM DO REGIME MILITAR
 A insatisfação popular foi canalizada pelas lideranças
políticas de oposição para uma campanha em favor das
eleições diretas para presidente.
 O objetivo era fazer com que o Congresso Nacional
aprovasse a emenda constitucional proposta pelo deputado
Dante de Oliveira (PMDB_MT) que estabelecia eleições
diretas para presidente acabando com o Colégio Eleitoral
criado pelo regime militar.
 A campanha pelas Diretas Já reuniu milhões de pessoas
em manifestações populares realizando comícios em
praças, ruas exigindo eleições diretas.
 Uma série de manobras de políticas aliados dos militares
derrotou a emenda e impediu a realização de eleições
diretas, o deputado federal Paulo Maluf liderou o grupo,
pois pretendia eleger-se através do Colégio Eleitoral.
 Concorreram à presidência Paulo Maluf (PDS - governo) e
Tancredo Neves (Aliança Democrática – composta de ex-
integrantes do PDS na chamada Frente Liberal e membros
do MDB).

Tancredo Neves
Paulo Maluf
 Tancredo não chegou a tomar posse do cargo foi internado,
submetido a várias cirurgias vindo a falecer no dia 21 de
abril de 1985.
 José Sarney assumiu a presidência da República.

Funeral de Tancredo Neves


Presidente José Sarney
SUGESTÕES DE FILMES
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 História Global – Gilberto Cotrim


 Coleção História Novo Olhar – Marco Pellegrini

 www.portalsaofrancisco

 Imagens google