Vous êtes sur la page 1sur 3

1) Em relação à posse, considere os enunciados seguintes:

I. O atual Código Civil adotou o conceito de posse de lhering, segundo o qual a posse
e a detenção distinguem-se em razão da proteção jurídica conferida à primeira e
expressamente excluída para a segunda.

II. Mesmo nos bens do patrimônio disponível do Estado (dominicais), despojados de


destinação pública, não se permite a proteção possessória aos ocupantes particulares
que venham a lhe dar função social, porque perdem a destinação mas não a natureza
de terras públicas.

III. O critério para aferir se há posse ou detenção em um caso concreto é o estrutural e


não o funcional, ou seja, é a afetação do bem a uma finalidade pública que dirá se
pode ou não ser objeto de atos possessórios por um particular.

IV. É possível o manejo de interditos possessórios em litígio entre particulares sobre


bem público dominical, pois entre ambos a disputa será relativa à posse.

V. À luz do texto constitucional e da inteligência do novo Código Civil, a função social


é base normativa para a solução dos conflitos atinentes à posse, dando-se efetividade
ao bem comum, com escopo nos princípios da igualdade e da dignidade humana.

Está correto o que se afirma APENAS em



a) II, III, IV e V.

b) I, IV e V.

c) I, II, III e IV.

Xd) III, IV e V.

e) I, II e III.
2) Acerca dos institutos da posse, da propriedade e dos direitos reais, assinale a opção
correta.

a) A composse se dá quando incidem posses de naturezas diversas sobre a
mesma coisa, a exemplo do desdobramento da posse em direta e indireta.

b) A aquisição da propriedade imobiliária em decorrência do direito hereditário
se dá com o registro do título na serventia extrajudicial competente.

c) A servidão predial é considerada um ônus real imposto por lei.

d) Em relação ao direito de superfície, o Código Civil não contempla a
possibilidade da sobrelevação ou da superfície em segundo grau, que consiste na
concessão feita a terceiro, pelo superficiário, do direito de construir sobre a sua
propriedade superficiária.

e) A posse ad interdicta é aquela que conduz à usucapião e que, quando
molestada, pode ser defendida pelas ações possessórias.
3) Com relação a posse, assinale a opção correta.

a) Nas ações possessórias, é indispensável a outorga uxória no polo ativo, assim
como o litisconsórcio é necessário no polo passivo da demanda.

b) As teorias sociológicas da posse conferem primazia aos valores sociais nela
impregnados, como um poder fático de ingerência socioeconômica concreta
sobre a coisa, com autonomia em relação à propriedade e aos direitos reais.

c) Tanto na teoria subjetiva quanto na objetiva, a posse é caracterizada como a
conjugação do elemento corpus com o elemento animus, caracterizando-se
o animus, na primeira, como a vontade de ser dono, o animus domini, e, na
segunda, referindo-se à própria coisa, o animus rem sibi habendi.

Xd) A natureza jurídica da posse é a de direito real, haja vista que uma de suas
características é a oponibilidade erga omnes, inclusive contra o proprietário.

e) O direito de sequela do possuidor é absoluto, cedendo apenas ante o direito de
propriedade por meio da ação reivindicatória, bem como ante a boa fé de
terceiros, o que se justifica pelo fato de não ser conferida à posse a mesma
publicidade conferida à propriedade pelo registro ou tradição.
4) Nos termos do Código Civil, possuidor é todo aquele que exerce de fato alguns
poderes inerentes à propriedade. A esse respeito, assinale a alternativa correta.


a) A posse é considerada, ainda que clandestina, desde que não seja violenta nem
precária.

b) Por ser personalíssima, a posse não pode ser transmitida pela sucessão.

c) A posse do imóvel não admite, em qualquer hipótese, a posse das coisas móveis
que nele estiverem.

Xd) A posse pode ser adquirida por terceiro que represente a pessoa que a pretenda.

e) O possuidor, ainda que de boa-fé e mesmo que não tenha dado causa, responde
pela perda ou deterioração da coisa.
om relação à posse, assinale a alternativa correta.

Xa) A posse direta, de pessoa que tem a coisa em seu poder, temporariamente,
em virtude de direito pessoal, ou real, não anula a indireta, de quem aquela foi
havida, podendo o possuidor direto defender a sua posse contra o possuidor
indireto.

b) Tendo em vista que a posse somente é defendida por ser um indício de
propriedade, obsta à manutenção ou reintegração na posse a alegação de
propriedade, ou de outro direito sobre a coisa.

c) Não autorizam a aquisição da posse justa os atos violentos, senão depois de
cessar a violência; entretanto, se a coisa obtida por violência for transferida, o
adquirente terá posse justa e de boa-fé, mesmo ciente da violência anteriormente
praticada.

d) É de boa-fé a posse, se o possuidor ignora o vício,ou o obstáculo que impede
a aquisição da coisa. O possuidor com justo título tem por si a presunção de boa-
fé, mesmo após a ciência inequívoca que possui indevidamente.

e) O possuidor turbado, ou esbulhado, poderá manter- se ou restituir-se por sua
própria força, a qualquer tempo; os atos de defesa, ou de desforço, não podem ir
além do indispensável à manutenção, ou restituição da posse.