Vous êtes sur la page 1sur 95
MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II 1 . (Enem 2014) No centro da imagem, o

MONITORIA FILOSOFIA PLATÃO II

1. (Enem 2014)

MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II 1 . (Enem 2014) No centro da imagem, o filósofo
MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II 1 . (Enem 2014) No centro da imagem, o filósofo

No centro da imagem, o filósofo Platão é retratado apontando para o alto. Esse gesto significa que o conhecimento se encontra em uma instância na qual o homem descobre a

a)

suspensão do juízo como reveladora da verdade.

b)

realidade inteligível por meio do método dialético.

c)

salvação da condição mortal pelo poder de Deus.

d)

essência das coisas sensíveis no intelecto divino.

e)

ordem intrínseca ao mundo por meio da sensibilidade.

2.

(Uem 2013) Uma das obras de Platão (428-347 a.C.) mais conhecidas é A República, na qual se encontra

o mito da caverna “Platão imagina uma caverna onde pessoas estão acorrentadas desde a infância, de tal forma que, não podendo ver a entrada dela, apenas enxergam o seu fundo, no qual são projetadas as sombras das coisas que passam às suas costas, onde há uma fogueira. Se um desses indivíduos conseguisse se soltar das correntes para contemplar, à luz do dia, os verdadeiros objetos, ao regressar, relatando o que viu aos seus antigos companheiros, esses o tomariam por louco e não acreditariam em suas palavras.”

(ARANHA, M.L.A. e MARTINS, M.H. Filosofando: introdução à filosofia. 3.ª ed. revista. São Paulo: Moderna, 2003, p.121).

Sobre a citação acima e o alcance epistemológico do mito da caverna, assinale o que for correto. 01) As imagens produzidas na caverna são sombras que podem ser confundidas com a realidade. 02) A todo aquele que sai da caverna é vetada a possibilidade de retorno. 04) A imagem da fogueira se contrapõe, fora da caverna, à presença do sol, responsável pela verdadeira luz. 08) Tal qual o mito da Esfinge, decifrado por Édipo, Platão descreve três estados da humanidade: infância, juventude e maturidade. 16) Tal qual o mundo sensível, ilusório e efêmero, as imagens da caverna possuem um grau ontológico deficitário ou duvidoso.

possuem um grau ontológico deficitário ou duvidoso. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II 3 . (Uem-pas 2012) No livro VII, do diálogo

MONITORIA FILOSOFIA PLATÃO II

3. (Uem-pas 2012) No livro VII, do diálogo intitulado A República, do filósofo grego Platão (428-347 a.C.),

a personagem Sócrates constrói uma narrativa, que ficou conhecida como a alegoria da caverna, sobre a

situação do homem no que diz respeito à educação e à ausência de educação. Nessa alegoria, a passagem do interior para o exterior da caverna simboliza a educação do filósofo que uma vez liberto das amarras que o prendiam às sombras no interior da caverna, isto é, ao mundo sensível, enganador e ilusório

descobre a luz da verdade, representada pelo sol no exterior da caverna, ou seja, o mundo inteligível. A respeito da filosofia de Platão, assinale o que for correto.

01) Para Platão, o exercício da filosofia é um problema moral, evidenciado pela conexão apresentada na alegoria da caverna entre a liberdade do homem e o conhecimento da verdade. 02) O método dialético, seguido por Platão em seus diálogos, é uma disputa de opiniões particulares em que prevalecem os interlocutores mais persuasivos. 04) Platão critica a pedagogia tradicional de seu tempo, baseada no estudo das tradições poéticas de Homero e Hesíodo, pois a arte, sendo imitação da realidade, não é capaz de conduzir ao conhecimento das coisas verdadeiras. 08) Na teoria política de Platão, cabe ao filósofo o governo da cidade, pois aquele que se dedica à busca do conhecimento verdadeiro é capaz de agir e de julgar de forma verdadeiramente justa. 16) A alegoria da caverna mostra como o saber é ensinado pelo filósofo àqueles que, por si mesmos, não possuem o poder de conhecer as coisas verdadeiras.

4. (Uel 2011) Leia o texto a seguir.

Para esclarecer o que seja a imitação, na relação entre poesia e o Ser, no Livro X de A República, Platão parte da hipótese das ideias, as quais designam a unidade na pluralidade, operada pelo pensamento. Ele toma como exemplo o carpinteiro que, por sua arte, cria uma mesa, tendo presente a

ideia de mesa, como modelo. Entretanto, o que ele produz é a mesa e não a sua ideia. O poeta pertence

à mesma categoria: cria um mundo de mera aparência.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a teoria das ideias de Platão, é correto afirmar:

a)

Deus é o criador último da ideia, e o artífice, enquanto co-participante da criação divina, alcança a verdadeira causa das coistas a partir do reflexo da ideia ou do simulacro que produz.

b)

A participação das coisas às ideias permite admitir as realidades sensíveis como as causas verdadeiras acessíveis à razão.

c)

Os poetas são imitadores de simulacros e por intermédio da imitação não alcançam o conhecimento das ideias como verdadeiras causas de todas as coisas.

d)

As coisas belas se explicam por seus elementos físicos, como a cor e a figura, e na materialidade deles encontram sua verdade: a beleza em si e por si.

e)

A alma humana possui a mesma natureza das coisas sensíveis, razão pela qual se torna capaz de conhecê-las como tais na percepção de sua aparência.

5.

(Uenp 2010)

Conosco homens, aí se diz, se passa o mesmo que com prisioneiros, que se achassem numa caverna subterrânea, encadeados, desde o nascimento, a um banco, de modo a nunca poderem voltar-se, e assim só poderem ver a parede oposta à entrada. Por detrás deles, na entrada da caverna, corre por toda a largura dela, um muro da altura de um homem, e por trás deste, arde uma fogueira. Se entre esta e o muro passarem homens transportando imagens, estátuas, figuras de animais, utensílios etc., que ultrapassem a altura do muro, então as sombras desses objetos, que o fogo faz aparecerem, se projetam

desses objetos, que o fogo faz aparecerem, se projetam proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II na parede da caverna, e os prisioneiros também percebem,

MONITORIA FILOSOFIA PLATÃO II

na parede da caverna, e os prisioneiros também percebem, além da sombra, o eco das palavras pronunciadas pelos homens que passam. Como esses prisioneiros nunca perceberam outra coisa senão as sombras e o eco, têm eles essas imagens pela verdadeira realidade. Se eles pudessem, por uma vez, voltar-se e contemplar, a luz do fogo, os próprios objetos, cujas sombras foram apenas o que até agora viram; e se pudessem ouvir diretamente os sons, além dos ecos até então ouvidos, sem dúvida ficariam atônitos com essa nova realidade. Mas se além disso pudessem, fora da caverna e à luz do sol, contemplar os próprios homens vivos, bem como os animais e as coisas reais, de que as figuras projetadas na caverna eram apenas cópias, então ficariam de todo fascinados com essa realidade de forma tão diversa.

PLATÃO, 7.º livro da República, p.514 ss

diversa. PLATÃO, 7.º livro da República, p. 514 ss Relacionando o fragmento de texto de Platão
diversa. PLATÃO, 7.º livro da República, p. 514 ss Relacionando o fragmento de texto de Platão

Relacionando o fragmento de texto de Platão e a tirinha da Turma da Mônica, de Maurício de Souza, com os seus conhecimentos sobre o Mito da Caverna, assinale a alternativa incorreta.

a) Os homens acorrentados no fundo da caverna são aqueles que passam a vida contemplando sombras, acreditando que elas correspondem à realidade e à verdade.

b) Para Platão existem três níveis de conhecimento: o primeiro é chamado de agnosis, que significa ignorância, e corresponde ao estágio dos homens no interior da caverna; o segundo é denominado de doxa, ou opinião, e é o primeiro estágio de conhecimento, que se forma logo após os homens saírem da caverna e contemplarem a realidade; o terceiro é designado pela palavra grega epistheme, que significa ciência, ou o conhecimento em sua integralidade.

c) Para Platão existe um único mundo sensível e inteligível, de forma que os homens devem aprender com a experiência a distinguir o conhecimento verdadeiro de impressões falsas dos sentidos.

d) O visível, para Platão, corresponde ao império dos sentidos captado pelo olhar e dominado pela subjetividade. É o reino do homem comum preso, às coisas do cotidiano.

e) O inteligível, para Platão, diz respeito à razão. É o reino do homem sábio, que desconfia das primeiras impressões e busca um conhecimento das causas da realidade.

impressões e busca um conhecimento das causas da realidade. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II 6 . (Uel 2009) Leia o texto a seguir

MONITORIA FILOSOFIA PLATÃO II

6. (Uel 2009) Leia o texto a seguir e responda à questão.

- Considera pois continuei o que aconteceria se eles fossem soltos das cadeias e curados da sua

ignorância, a ver se, regressados à sua natureza, as coisas se passavam deste modo. Logo que alguém soltasse um deles, e o forçasse a endireitar-se de repente, a voltar o pescoço, a andar e a olhar para a luz,

a fazer tudo isso, sentiria dor, e o deslumbramento impedi-lo-ia de fixar os objetos cujas sombras via

outrora. Que julgas tu que ele diria, se alguém lhe afirmasse que até então ele só vira coisas vãs, ao passo

que agora estava mais perto da realidade e via de verdade, voltado para objetos mais reais? E se ainda, mostrando-lhe cada um desses objetos que passavam, o forçassem com perguntas a dizer o que era? Não te parece que ele se veria em dificuldade e suporia que os objetos vistos outrora eram mais reais do que os que agora lhe mostravam?

(PLATÃO. A República 7. ed. Lisboa: Caiouste &Ibenkian, I993. p. 3I8-3I9.)

O

texto é parte do livro VII da República, obra na qual Platão desenvolve o célebre Mito da Caverna. Sobre

o

Mito da Caverna, é correto afirmar.

I. A caverna iluminada pelo Sol, cuja luz se projeta dentro dela, corresponde ao mundo inteligível, o do conhecimento do verdadeiro ser. II. Explicita como Platão concebe e estrutura o conhecimento.

III. Manifesta a forma como Platão pensa a política, na medida em que, ao voltar à caverna, aquele que contemplou o bem quer libertar da contemplação das sombras os antigos companheiros.

IV. Apresenta uma concepção de conhecimento estruturada unicamente em fatores circunstanciais e relativistas.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e IV são corretas.

b) Somente as afirmativas II e III são corretas.

c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.

d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.

e) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.

7. (Ufu 2007) O trecho a seguir, do diálogo platônico Fédon, concerne ao modo de aquisição do

conhecimento.

“É preciso, portanto, que tenhamos conhecido a igualdade antes do tempo em que, vendo pela primeira vez objetos iguais, observamos que todos eles se esforçavam por alcançá-la, porém lhe eram inferiores.”

PLATÃO. Fédon. Trad. de Carlos Alberto Nunes. Belém: EDUFPA, 2002, p. 275, 75a.

A partir do fragmento apresentado, marque a alternativa que expressa corretamente o pensamento de Platão sobre o conhecimento.

corretamente o pensamento de Platão sobre o conhecimento. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II a) Platão não distingue a realidade inteligível de outra

MONITORIA FILOSOFIA PLATÃO II

a)

Platão não distingue a realidade inteligível de outra sensível. O conhecimento é o produto das sensações. O conhecimento nada mais é do que a reminiscência dessas sensações.

b)

Platão distingue uma realidade inteligível de outra sensível. O conhecimento de todas as coisas só é possível porque as percepções advindas dos sentidos desencadeiam a reminiscência das Formas inteligíveis, apreendidas pela razão antes do nascimento.

c)

Platão distingue duas ordens de realidade: o mundo sensível e a alma. O conhecimento de todas as coisas só é possível porque as sensações informam a alma sobre o mundo sensível e, a partir disso, formam a reminiscência.

d)

Platão distingue duas ordens de realidade: o mundo sensível e o mundo dos deuses. O conhecimento só é possível porque a alma recebe uma informação divina antes que tenha percebido os objetos sensíveis, pois todo conhecimento vem dos deuses.

8.

(Uel 2006) “Quando é, pois, que a alma atinge a verdade? Temos de um lado que, quando ela deseja

investigar com a ajuda do corpo qualquer questão que seja, o corpo, é claro, a engana radicalmente.

- Dizes uma verdade.

- Não é, por conseguinte, no ato de raciocinar, e não de outro modo, que a alma apreende, em parte, a realidade de um ser?

- Sim.

- E é este então o pensamento que nos guia: durante todo o tempo em que tivermos o corpo, e nossa alma estiver misturada com essa coisa má, jamais possuiremos completamente o objeto de nossos desejos! Ora, esse objeto é, como dizíamos, a verdade.”

[

]

(PLATÃO. Fédon. Trad. Jorge Paleikat e João Cruz Costa. São Paulo: Nova Cultural, 1987. p. 66-67.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a concepção de verdade em Platão, é correto afirmar:

a)

O conhecimento inteligível, compreendido como verdade, está contido nas ideias que a alma possui.

b)

A verdade reside na contemplação das sombras, refletidas pela luz exterior e projetadas no mundo sensível.

c)

A verdade consiste na fidelidade, e como Deus é o único verdadeiramente fiel, então a verdade reside em Deus.

d)

A principal tarefa da filosofia está em aproximar o máximo possível a alma do corpo para, dessa forma, obter a verdade.

e)

A verdade encontra-se na correspondência entre um enunciado e os fatos que ele aponta no mundo sensível.

9.

(Ufsj 2005) Entende-se que, para Platão, na “Alegoria da Caverna”

I. aponta-se para o sentido da entrada do homem no mundo inteligível e o retorno ao mundo sensível.

II. aponta-se para o sentido da natureza da educação apropriada ao filósofo.

III. o mundo da opinião está presente nas imagens que projetam as sombras e as próprias sombras.

IV. a educação deve conduzir para as essências, para a ciência que a alma possui no seu interior.

V. a educação deve conduzir para questões que afastem o homem das especulações intelectuais.

Estão CORRETAS as afirmações contidas na alternativa

a) I, II, IV, V

b) II, III, IV, V

c) I, III, IV, V

d) I, II, III, IV

IV, V b) II, III, IV, V c) I, III, IV, V d) I, II, III,

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II 10 . (Ufu 2003) “(…) Que pensamentos então que

MONITORIA FILOSOFIA PLATÃO II

10. (Ufu 2003) “(…) Que pensamentos então que aconteceria, disse ela, se a alguém ocorresse contemplar

o próprio belo, nítido, puro, simples, e não repleto de carnes, humanas, de cores e outras muitas ninharias mortais, mas o próprio divino belo pudesse em sua forma única contemplar? Porventura pensas, disse, que é vida vã a de um homem olhar naquela direção e aquele objeto, com aquilo [a alma] com que deve, quando o contempla e com ele convive? Ou não consideras, disse ela, que somente então, quando vir o belo com aquilo com que este pode ser visto, ocorrer-lhe-á produzir não sombras de virtude, porque não é em sombras que estará tocando, mas reais virtudes, porque é no real que estará tocando?”

Platão. O Banquete. Trad. José Cavalcante de Souza. São Paulo: Abril Cultural, 1979, pp.42-43.

A partir do trecho de Platão, analise as assertivas abaixo:

I. O belo verdadeiro para Platão encontra-se no conhecimento obtido pela observação das coisas humanas.

II. A contemplação do belo puro e simples é atingida por meio da alma.

III. Cores e sombras são virtudes reais, visto que se possa, ao tocar nelas, tocar no próprio real. IV. Há, como na Alegoria da Caverna, uma relação direta para Platão entre o conhecimento e a virtude.

Assinale a alternativa que contém as assertivas corretas.

a) I e II são corretas.

b) II e IV são corretas.

c) III e IV são corretas.

d) I, II e III são corretas.

c) III e IV são corretas. d) I, II e III são corretas. proenem.com.br Este conteúdo

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – PLATÃO II GABARITO 1. B 2. 01+04+16=21 3. 01+04+08=13 4. C

MONITORIA FILOSOFIA PLATÃO II

GABARITO

1.

B

2. 01+04+16=21

3. 01+04+08=13

4.

C

5. C

6.

B

7. B

8. A

9.

D

10. B

C 5. C 6. B 7. B 8. A 9. D 10. B proenem.com.br Este conteúdo

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – CULTURA E IDEOLOGIA 1 . (Enem 2016) Hoje, a indústria cultural

MONITORIA SOCIOLOGIA CULTURA E IDEOLOGIA

1. (Enem 2016) Hoje, a indústria cultural assumiu a herança civilizatória da democracia de pioneiros e

empresários, que tampouco desenvolvera uma fineza de sentido para os desvios espirituais. Todos são livres para dançar e para se divertir, do mesmo modo que, desde a neutralização histórica da religião, são livres para entrar em qualquer uma das inúmeras seitas. Mas a liberdade de escolha da ideologia, que reflete sempre a coerção econômica, revela-se em todos os setores como a liberdade de escolher o que

é

sempre a mesma coisa.

ADORNO, T HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

A

liberdade de escolha na civilização ocidental, de acordo com a análise do texto, é um(a)

a)

legado social.

b)

patrimônio político.

c)

produto da moralidade.

d)

conquista da humanidade.

e)

ilusão da contemporaneidade.

2.

(Uem 2017) “Ver TV é um dos principais deveres do sociólogo. É ali, no mundo tal como ele é visto na

TV, que a maioria das pessoas passa boa parte de suas vidas e adquire grande parcela de seu conhecimento do mundo. O Lebenswelt [mundo em que vivemos], o principal objeto de nosso estudo e o principal alvo de nossas mensagens, estaria dolorosamente incompleto hoje se fosse privado dos ingredientes fornecidos pela TV on-line. Recusar-se a ver TV equivale a dar as costas a uma parte considerável, e ainda em crescimento, da experiência humana contemporânea. Essa é uma consideração que deveria orientar e ditar a seleção daquilo que os sociólogos devem ver, e não, lamentavelmente, sua estética ou outras preferências voltadas para a busca do prazer. Mas quem disse que o trabalho dos sociólogos deve ser está fadado a ser – invariavelmente prazeroso?”.

BAUMAN, Z. P. Para que serve a sociologia? Diálogos com Michael Hviid Jacobsen e Keith Tester. Rio de Janeiro: Zahar, 2015, p. 129 e 130.

A partir do texto acima e de teorias sociológicas sobre mídias, publicidade e consumo, assinale o que for

correto.

01) A televisão, em nossa sociedade, está relacionada ao entretenimento, o que anula o interesse de qualquer pesquisa objetiva sobre a sociedade a partir de sua observação. 02) A análise sociológica de telejornais, telenovelas, programação infantil, pode enfocar, por exemplo, concepções sobre natureza, educação, feminino, velhice e outros temas comunicados a milhares de pessoas. 04) Pesquisar programas televisivos é algo irrelevante para a sociologia contemporânea devido à baixa qualidade da programação. 08) Considerando o caráter subjetivo da pesquisa sociológica, seus praticantes devem se ocupar apenas daquilo que lhes seja agradável. 16) O papel social da TV como meio de expressão, canal midiático e mediador de publicidade e consumo, a torna um fenômeno sociologicamente relevante.

3. (Uem-pas 2017) Os filósofos Theodor W. Adorno (1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973), no

ensaio intitulado “A indústria cultural: o esclarecimento como mistificação das massas”, publicado em 1947, argumentaram que uma das características mais marcantes das sociedades capitalistas foi a

mais marcantes das sociedades capitalistas foi a proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – CULTURA E IDEOLOGIA transformação das manifestações culturais em mercadorias da

MONITORIA SOCIOLOGIA CULTURA E IDEOLOGIA

transformação das manifestações culturais em mercadorias da indústria cultural, cujos conteúdos são padronizados com o intuito de valorizar o consumo passivo e prazeroso desses produtos culturais, ao mesmo tempo em que atrofiam a imaginação, o pensamento crítico e reflexivo dos consumidores.

De acordo com o ponto de vista dos autores, é correto afirmar:

01) As manifestações culturais da indústria cultural não contribuem para a formação de consciências críticas quanto aos problemas das sociedades capitalistas. 02) A indústria cultural produz no consumidor uma percepção abrangente e crítica através dos bens culturais que lança no mercado. 04) Os produtos da indústria cultural, como o cinema, a música e a literatura de autoajuda, por exemplo, apresentam conteúdos com mensagens padronizadas. 08) Ao invés de contribuir para o esclarecimento, a indústria cultural gera uma consciência mistificadora nos indivíduos. 16) A produção cultural deixa de ser livremente produzida pelos criadores e passa a sujeitar-se aos interesses do mercado e ao controle dos proprietários da indústria de entretenimento e de seus representantes.

4. (Enem PPL 2016)

e de seus representantes. 4 . (Enem PPL 2016) A tirinha compara dois veículos de comunicação,
e de seus representantes. 4 . (Enem PPL 2016) A tirinha compara dois veículos de comunicação,

A tirinha compara dois veículos de comunicação, atribuindo destaque à

a)

resistência do campo virtual à adulteração de dados.

b)

interatividade dos programas de entretenimento abertos.

c)

confiança do telespectador nas notícias veiculadas.

d)

credibilidade das fontes na esfera computacional.

e)

autonomia do internauta na busca de informações.

5.

(Uem 2015) “Tanto técnica quanto economicamente, a publicidade e a indústria cultural se confundem.

Tanto lá como cá, a mesma coisa aparece em inúmeros lugares, e a repetição mecânica do mesmo produto cultural já é a repetição do mesmo slogan propagandístico.”

(ADORNO, T. e HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro:

Zahar, 1985, p. 153).

Considerando a citação e a perspectiva de Adorno e Horkheimer sobre o processo de industrialização da cultura, assinale o que for correto:

industrialização da cultura, assinale o que for correto : proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – CULTURA E IDEOLOGIA 01) O conceito de indústria cultural, formulado por

MONITORIA SOCIOLOGIA CULTURA E IDEOLOGIA

01) O conceito de indústria cultural, formulado por Adorno e Horkheimer, se refere ao processo de expansão das relações mercantis sobre as mais diversas formas de produção dos bens culturais. 02) Como observam Adorno e Horkheimer, o progresso da publicidade ajuda as pessoas a se informarem sobre os melhores produtos culturais e a escolherem livremente o que querem comprar. 04) Para Adorno e Horkheimer, o desenvolvimento da indústria cultural fez com que os valores culturais passassem a ser gerados pelo mercado e pelas técnicas publicitárias. 08) Segundo Adorno e Horkheimer, o único ramo da indústria cultural que não se corrompeu com a lógica capitalista de produção foi o jornalismo, pois não há como manipular uma notícia. 16) O conceito de indústria cultural define, para Adorno e Horkheimer, o conjunto de práticas capitalistas de produção e consumo que se expressam no modo como as pessoas se relacionam com a cultura.

6. (Unesp 2014) Não somente os tipos das canções de sucesso, os astros, as novelas ressurgem

ciclicamente como invariantes fixos, mas o conteúdo específico do espetáculo só varia na aparência. O fracasso temporário do herói, que ele sabe suportar como bom esportista que é; a boa palmada que a namorada recebe da mão forte do astro, são, como todos os detalhes, clichês prontos para serem empregados arbitrariamente aqui e ali e completamente definidos pela finalidade que lhes cabe no esquema. Desde o começo do filme já se sabe como ele termina, quem é recompensado, e, ao escutar a música ligeira, o ouvido treinado é perfeitamente capaz, desde os primeiros compassos, de adivinhar o desenvolvimento do tema e sente-se feliz quando ele tem lugar como previsto. O número médio de palavras é algo em que não se pode mexer. Sua produção é administrada por especialistas, e sua pequena diversidade permite reparti-las facilmente no escritório.

(Theodor W. Adorno e Max Horkheimer. “A indústria cultural como mistificação das massas”. In: Dialética do esclarecimento, 1947. Adaptado.)

O tema abordado pelo texto refere-se

a)

ao conteúdo intelectualmente complexo das produções culturais de massa.

b)

à hegemonia da cultura americana nos meios de comunicação de massa.

c)

ao monopólio da informação e da cultura por ministérios estatais.

d)

ao aspecto positivo da democratização da cultura na sociedade de consumo.

e)

aos procedimentos de transformação da cultura em meio de entretenimento.

7.

(Ufu 2006) De acordo com Adorno e Horkheimer, assinale a alternativa que caracteriza a indústria

cultural.

a) É um instrumento privilegiado no combate à alienação das massas.

b) Democratiza a cultura ao se servir de tecnologia avançada.

c) Desempenha, contemporaneamente, função semelhante à do Estado fascista.

d) Revela, como indústria cultural, as significações do mundo para um número maior de pessoas.

8. (Uel 2007)Os pensadores da Escola de Frankfurt, especialmente Theodor Adorno e Max Horkheimer, são críticos da mentalidade que identifica o progresso técnico-científico com o progresso da humanidade. Para eles, a ideologia da ‘indústria cultural’ submete as artes à servidão das regras do mercado capitalista.

as artes à servidão das regras do mercado capitalista. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – CULTURA E IDEOLOGIA Com base nos conhecimentos sobre as críticas de

MONITORIA SOCIOLOGIA CULTURA E IDEOLOGIA

Com base nos conhecimentos sobre as críticas de Adorno e Horkheimer à ‘Indústria Cultural’, assinale a afirmativa correta:

a) A ‘indústria cultural’ proporcionou a democratização das artes eruditas, tornando as obras raras e caras acessíveis à maioria das pessoas.

b) Sob os efeitos da massificação pela indústria e consumo culturais, as artes tendem a ganhar força simbólica e expressividade.

c) A ‘indústria cultural’ fomentou os aspectos críticos, inovadores e polêmicos das artes.

d) O progresso técnico-científico pode ser entendido como um meio que a ‘indústria cultural’ usa para formar indivíduos críticos.

e) A expressão ‘indústria cultural’ indica uma cultura baseada na ideia e na prática do consumo de produtos culturais fabricados em série.

9. (Uel 2008) Segundo Adorno e Horkheimer, “a indústria cultural pode se ufanar de ter levado a cabo com energia e de ter erigido em princípio a transferência muitas vezes desejada da arte para a esfera do consumo, de ter despido a diversão de suas ingenuidades inoportunas e de ter aperfeiçoado o feitio das mercadorias”.

(ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar, 1985. p. 126.)

Com base nessa passagem e nos conhecimentos sobre indústria cultural em Adorno e Horkheimer, é correto afirmar:

a) A indústria cultural excita nossos desejos com nomes e imagens cheios de brilho a fim de que possamos, por contraste, criticar nosso cinzento cotidiano.

b) A fusão entre cultura e entretenimento é uma forma de valorizar a cultura e espiritualizar

espontaneamente a diversão.

c) A diversão permite aos indivíduos um momento de ruptura com as condições do trabalho sob o capitalismo tardio.

d) Os consumidores têm suas necessidades produzidas, dirigidas e disciplinadas mais firmemente quanto

mais se consolida a indústria cultural.

e) A indústria cultural procura evitar que a arte séria seja absorvida pela arte leve.

10. (Uel 2009) De acordo com a crítica à “indústria cultural”, na sociedade capitalista avançada, a produção e a reprodução da cultura se realizam sob a égide da padronização e da racionalidade técnica. No contexto dessa crítica, considerando o fast food como produto cultural, é correto afirmar:

a) A padronização dos hábitos e valores alimentares obedece aos ditames da lógica material da sociedade industrializada.

b) O consumo dos produtos da indústria do fast food e a satisfação dos novos hábitos alimentares contribuem com a emancipação humana.

c) A homogeneização dos hábitos alimentares reflete a inserção crítica dos indivíduos na cultura de massa.

d) A racionalidade técnica e a padronização dos valores alimentares permitem ampliar as condições de liberdade e de autonomia dos cidadãos.

e) A massificação dos produtos alimentares sob os ditames do mercado corresponde à efetiva democratização da sociedade.

corresponde à efetiva democratização da sociedade. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – CULTURA E IDEOLOGIA GABARITO 1. E 2. 02+16=18 3. 01 +

MONITORIA SOCIOLOGIA CULTURA E IDEOLOGIA

GABARITO

1.

E

2. 02+16=18

3. 01 + 04 + 08 + 16 = 29.

4. E

5. 01 + 04 + 16 =

 

21

6.

E

7. C

8. E

9.

D

10. A

  21 6. E 7. C 8. E 9. D 10. A proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR 1 . (Unesp 2018) Em meados da

MONITORIA GEOGRAFIA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR

1. (Unesp 2018) Em meados da década de 1970, as condições externas que haviam sustentado o sucesso

econômico do regime militar sofreram alterações profundas.

(Tania Regina de Luca. Indústria e trabalho na história do Brasil, 2001.)

As condições externas que embasaram o sucesso econômico do regime militar e as alterações que sofreram em meados da década de 1970 podem ser exemplificadas, respectivamente

a)

pelos investimentos oriundos dos países do Leste europeu e pelo aumento gradual dos preços em dólar das mercadorias importadas.

b)

pela ampla disponibilidade de capitais para empréstimos a juros baixos e pelo aumento súbito do custo de importação do petróleo.

c)

pelos esforços norte-americanos de ampliar sua intervenção econômica na América Latina e pela redução acelerada da dívida externa brasileira.

d)

pela ampliação da capacidade industrial dos demais países latino-americanos e pelo crescimento das taxas internacionais de juros.

e)

pela exportação de tecnologia brasileira de informática e pela recessão econômica enfrentada pelas principais potências do Ocidente.

2.

(Uem-pas 2015) O período chamado de “Milagre Econômico Brasileiro”, que se estendeu de 1968 a

1973, foi de grande crescimento econômico. O PIB (Produto Interno Bruto), nesse período, cresceu em

média 11% ao ano. Com relação à afirmação supracitada, é correto afirmar que:

01) O crescimento da economia brasileira, nesse período, foi sustentado por grandes investimentos governamentais em infraestrutura de transportes e de energia, que asseguraram o fluxo de matérias- primas. Esse processo foi beneficiado pela situação econômica mundial caracterizada pela ampla disponibilidade de recursos financeiros. 02) O setor de bens de consumo se tornou o mais dinâmico da economia. Este fato deveu-se à revisão das normas de produção e à ampliação do crédito ao consumidor. As empresas privadas brasileiras concentraram-se no setor de indústrias que tem pouca demanda de capital e forte demanda de mão de obra (labour intensive). 04) Os conglomerados transnacionais investiram, principalmente, nos setores automobilístico e de eletrodomésticos, aproveitando condições favoráveis como a intervenção do Estado indexando salários, concedendo créditos e isenção de tributos à produção e à exportação. 08) O Estado investiu pesado no setor de bens de produção e nas empresas estatais que, graças à política de capitalizações, se tornaram hegemônicas nos setores de siderurgia, da indústria química, da petroquímica e da mineração, setores fundamentais para a modernização econômica. 16) Durante o “Milagre Econômico”, com o intuito de romper a estagnação e incentivar a integração nacional e o crescimento econômico, o governo militar impôs várias medidas para diminuir os níveis de desemprego, para elevar o salário dos trabalhadores e, consequentemente, melhorar o poder de compra, favorecendo, assim, a distribuição de renda mais equilibrada e eliminando, de forma significativa, as desigualdades sociais.

3. (Unesp 2010) É possível afirmar através de uma visão de síntese do processo histórico da industrialização no Brasil entre 1880 a 1980, que esta foi retardatária cerca de 100 anos em relação aos centros mundiais do capitalismo. Podemos identificar cinco fases que definem o panorama brasileiro de seu desenvolvimento industrial: 1880 a 1930, 1930 a 1955, 1956 a 1961, 1962 a 1964 e 1964 a 1980.

a 1930, 1930 a 1955, 1956 a 1961, 1962 a 1964 e 1964 a 1980. proenem.com.br

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR Leia com atenção as afirmações a

MONITORIA GEOGRAFIA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR

Leia com atenção as afirmações a seguir, identificando-as com a sua fase de desenvolvimento industrial.

I. Modelo de desenvolvimento associado ao capital estrangeiro, sem descentralizar a indústria do Sudeste de forma significativa em direção a outras regiões brasileiras; corresponde ao período de Juscelino Kubitschek, com incremento da indústria de bens de consumo duráveis e de setores básicos. II. Modelo de política nacionalista da Era Vargas, com o desenvolvimento autônomo da base industrial demonstrado através da construção da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Ressalta-se que, neste período, a Segunda Guerra Mundial impulsionou a industrialização.

III. Período de desaceleração da economia e do processo industrial motivados pela instabilidade e tensão

política no Brasil.

IV. Implantação dos principais setores da indústria de bens de consumo não duráveis ou indústria leve,

mantendo-se a dependência brasileira em relação aos países mais industrializados. O Brasil não possuía

indústrias de bens de capital ou de produção.

V. Período em que o Brasil esteve submetido a constrangimentos econômicos, financeiros e sociais devido

a seu endividamento no exterior com o objetivo de atingir o crescimento econômico de 10% ao ano. Mesmo assim, não houve muitos avanços na área social. Modernização conservadora com o Governo

Militar.

(Secretaria da Educação. Geografia, Ensino Médio. São Paulo, 2008. Adaptado.)

A

sequência das fases do desenvolvimento industrial brasileiro descritas nas afirmações é

a)

IV, II, I, III, V.

b)

I, II, V, IV, III.

c)

III, IV, V, I, II.

d)

I, III, II, V, IV.

e)

III, IV, II, V, I.

4.

(Upf 2017) A partir da Segunda Guerra Mundial, a indústria ganhou importância no processo econômico

brasileiro. O Plano de Metas, elaborado no governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961), impulsionou o

crescimento econômico a partir da adoção de diversas medidas. Foi/Foram destaque nesse período:

a)

Privatização de indústrias estatais de base, como a Companhia Siderúrgica Nacional.

b)

Criação de polos industriais, com a finalidade de dispersão, como a Zona Franca de Manaus.

c)

Adoção de inovações tecnológicas, como a indústria aeroespacial no Sudeste.

d)

Abertura ao capital estrangeiro e estímulo à indústria, como a automobilística.

e)

Políticas nacionalistas e de intervenção estatal, como a criação da Petrobrás.

5.

(G1 - cftmg 2008) NÃO se relaciona ao processo de industrialização no Brasil

a)

os grandes investimentos estatais em infraestrutura no período conhecido como "milagre econômico".

b)

a oferta de elevadas margens de lucro no mercado interno para os capitais estrangeiros, após a década de 1960.

c)

a excelente condição do baixo custo da mão de obra para instalação de novas empresas transnacionais no país.

d)

o aumento da participação do Estado no setor produtivo, através do controle da economia nacional nos anos de1990.

através do controle da economia nacional nos anos de1990. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR 6. Durante o governo Médici, o Brasil

MONITORIA GEOGRAFIA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR

6. Durante o governo Médici, o Brasil assistiu a um vigoroso desenvolvimento que as manifestações

ufanistas patrocinadas pelo governo batizaram de “milagre econômico”. A esse respeito, pode-se afirmar que:

a) O sucesso das cifras econômicas deveu-se à criação do Plano de Metas, idealizado pelo então ministro

Antonio Delfim Neto.

b) Enquanto o PIB subia a taxas em torno de 10% ao ano, ocorreu, paradoxalmente, um aumento da

concentração de renda e da pobreza.

c) O “milagre” foi decorrência direta da transformação da economia brasileira, que então abandonava suas bases rurais e passava a se concentrar na produção urbano industrial.

d) A arrancada econômica foi fruto do abandono da indústria de base e da adoção de uma política de

substituição de importações que tornou o Brasil menos dependente do mercado mundial.

e) Favorecido pela política de recuperação salarial da classe média posta em prática nos anos sessenta,

o “milagre” chega ao fim com o arrocho salarial imposto pelo governo Geisel.

7. (UFF) Uma das características da economia brasileira posterior aos anos 1950 foi a consolidação da

chamada sociedade de consumo, acompanhada pelo desenvolvimento da propaganda. Apesar de a crise econômica ter marcado o período 1962-1967, o aumento do consumo de eletrodomésticos nos domicílios de trabalhadores de baixa renda mostrou-se constante, até, pelo menos, a crise do “milagre” brasileiro, na década de 1970.

Uma das explicações para esse aumento do consumo envolveu:

a) o favorecimento, pelo então Ministro Roberto Campos, das empresas industriais estatais, que

puderam baratear o custo dos bens de consumo duráveis que produziam.

b) o aumento do salário real das classes trabalhadoras, beneficiadas pela nova política salarial do

governo Castelo Branco, voltada para a desconcentração da renda no país.

c) o fortalecimento das pequenas e médias empresas industriais nacionais, as maiores produtoras de

bens de consumo duráveis, favorecidas pela criação do Imposto sobre a Produção Industrial, nos anos

1960.

d) as facilidades do crédito concedidas ao consumidor, após 1964, de modo a preservar a rentabilidade

das indústrias produtoras de bens de consumo duráveis, alvos da política econômica, então inaugurada.

e) os constrangimentos tributários impostos pelo governo às multinacionais produtoras de bens de

consumo duráveis, que perderam a concorrência para as estatais desse mesmo setor.

8. Entre as décadas de 50 e 70, as ações governamentais que tinham, entre seus objetivos, a integração

do território nacional, promoveram uma pequena redução nas fortes desigualdades econômicas existentes no Brasil. Entre as razões que permitiram a redução das desigualdades regionais, encontram-se as relacionadas abaixo, EXCETO:

a) a criação de pólos de crescimento regional, como a Zona Franca de Manaus.

b) a concessão para a exploração da infra-estrutura energética e de telecomunicações.

c) a política fiscal que oferecia incentivos aos investimentos feitos nas áreas de fronteira.

d) a construção, pelo Estado, de rodovias de integração inter-regional, como a Belém-Brasília.

e) a atuação das superintendências de desenvolvimento regional, como a SUDENE.

de desenvolvimento regional, como a SUDENE. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR 9. “Vai minha tristeza/ E diz a

MONITORIA GEOGRAFIA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR

9. “Vai minha tristeza/ E diz a ela que sem ela não pode ser/ Diz-lhe numa prece/ Que ela regresse/ Porque não posso mais sofrer/ Chega de saudade/ A realidade é que sem ela/ Não há paz/ Não há beleza/ É só tristeza e a melancolia/ Que não sai de mim/ Não sai de mim/ Não sai.” Chega de Saudade, Tom Jobim e Vinícius de Moraes

Esse é o trecho de uma das principais canções da bossa nova, gênero que renovou a música brasileira. Nessa época, vivia-se uma fase de otimismo no país. Altos índices anuais de crescimento econômico, grandes obras públicas, estabelecimento de empresas estrangeiras, manutenção da estabilidade política pelo presidente eleito e significativas conquistas esportivas em competições internacionais eram características:

a)

do governo do Garrastazu Médici e do chamado “Milagre Brasileiro”;

b)

do governo de João Goulart e da implementação das “Reformas de Base”;

c)

do governo de Getúlio Vargas e da política de substituição de importações;

d)

do governo de Jânio Quadros e da desnacionalização da economia;

e)

do governo de Juscelino Kubitschek e do chamado “Nacional Desenvolvimentismo”.

10. A respeito do “milagre econômico” do governo Médici (1969-1974), são feitas as afirmações seguintes. I. O “milagre” representou um período de altas taxas de crescimento do PIB (de até 14%), com avanços extraordinários na indústria, na agricultura e no comércio. II. A política econômica baseou-se, simultaneamente, na concessão de subsídios e incentivos fiscais às indústrias e na imposição do arrocho salarial aos trabalhadores. III. Os avanços econômicos conduziram o Brasil à situação de oitava economia mundial, condição amplamente utilizada como propaganda pelo regime militar.

Assinale:

a) se apenas I é correta.

b) se apenas II é correta.

c) se apenas III é correta.

d) se apenas I e II são corretas.

e) se I, II e III são corretas.

I e II são corretas. e) se I, II e III são corretas. proenem.com.br Este conteúdo

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR GABARITO 1. B 2. 01+04+08=13 3.

MONITORIA GEOGRAFIA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA: GOVERNO MILITAR

GABARITO

1.

B

2. 01+04+08=13

3.

A

4.

D

5. D

6.

B

7. D

8.

B

9.

E

10. E

D 5. D 6. B 7. D 8. B 9. E 10. E proenem.com.br Este conteúdo

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – REVOLUÇÃO VERDE 1 . (Enem PPL 2017) A utilização dos métodos

MONITORIA GEOGRAFIA REVOLUÇÃO VERDE

1. (Enem PPL 2017) A utilização dos métodos da Revolução Verde (RV) fez com que aumentasse dramaticamente a produção mundial de alimentos nas quatro últimas décadas, tanto assim que agora se produz comida suficiente para alimentar todas as pessoas do mundo. Mas o fundamental é que, apesar de todo esse avanço, a fome continua a assolar vastas regiões do planeta.

LACEY, H.; OLIVEIRA, M. B. Prefácio. In: SHIVA, V. Biopirataria: a pilhagem da natureza e do conhecimento. Petrópolis: Vozes, 2001.

O texto considera que para erradicar a fome é necessário

a) distribuir a renda.

b) expandir a lavoura.

c) estimular a migração.

d) aumentar a produtividade.

e) desenvolver a infraestrutura.

2. (Uern 2013) Observe a charge a seguir.

infraestrutura. 2 . (Uern 2013) Observe a charge a seguir. No campo, em áreas com modernização
infraestrutura. 2 . (Uern 2013) Observe a charge a seguir. No campo, em áreas com modernização

No campo, em áreas com modernização agrícola, mecanização e introdução de técnicas inovadoras, como

o uso de agrotóxicos e adubos químicos, surgem alguns problemas ambientais que transformam o

ecossistema. São fatores que constituem alteração ecológica provocada pelo uso intenso de agrotóxico e adubos químicos, EXCETO:

a) Derrubada da vegetação original da área.

b) Poluição das águas subterrâneas e rios vizinhos.

c) Aumento e resistência das pragas ao longo do uso intensivo do produto.

d) Eliminação de micro-organismos e minhocas, importantes para a fertilidade do solo.

3. (Enem PPL 2012) A necessidade de se especializar, de forma talvez indireta, aproximou significativamente o campo e a cidade, na medida em que vários aparatos tecnológicos advindos do espaço urbano foram incorporados às práticas agrícolas. Maquinários altamente modernos, insumos industrializados na lavoura são fatores que contribuíram para uma nova forma de produzir no campo, cada vez com maior rapidez e especialização.

OLIVEIRA, E B S. “Nova relação campo-cidade: tendências do novo rural brasileiro”. Revista Geografia. (São Paulo: Escala Educacional, maio 2011 adaptado)

. (São Paulo: Escala Educacional, maio 2011 – adaptado) proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – REVOLUÇÃO VERDE Com base na aproximação indicada no texto, uma consequência

MONITORIA GEOGRAFIA REVOLUÇÃO VERDE

Com base na aproximação indicada no texto, uma consequência da modernização técnica para os sistemas produtivos dos espaços rurais encontra-se em:

a)

Exigência de mão de obra com qualificação.

b)

Implementação da atividade do ecoturismo.

c)

Aumento do número de famílias assentadas.

d)

Demarcação de terras para povos indígenas.

e)

Ampliação do crédito à agricultura familiar.

4.

(Uepa 2012) Ao longo do tempo a humanidade foi aperfeiçoando as formas de explorar a natureza e

de intervir no meio ambiente por meio das relações econômicas e culturais. Estas transformações, atreladas ao desenvolvimento tecnológico, por vezes tem provocado problemas fundiários e ambientais. Nesse sentido é verdadeiro afirmar que:

a)

dada as condições econômicas e ambientais, a produção agrícola mundial é obtida de forma bastante homogênea, isto é, livre de problemas fundiários e repletos de conflitos de cunho ambiental.

b)

o uso de técnicas tradicionais na cultura de irrigação no Sudeste asiático região das monções a exemplo da rizicultura, alia produção para o consumo externo e baixos impactos socioambientais.

c)

ao mesmo passo que o Brasil se dinamiza economicamente, destacando-se pelo seu desenvolvimento tecnológico agrícola, em particular na produção de commodities, mantém em sua estrutura social, características arcaicas, como concentração fundiária e violência no campo.

d)

duas grandes paisagens agrícolas da Europa apresentam reduzidos problemas ambientais em decorrência do seu restrito uso de tecnologia e modernização agrária, combinando por sua vez, a agricultura de seca com a rotação de cultivos.

e)

a política de subsídios agrícolas implementada pelos Estados Unidos da América tem como objetivo evitar a concorrência de produtos de importação e viabilizar um novo modelo agrário nacional assentado em pequenas propriedades de uso coletivo da terra.

5.

(G1 - ifsp 2012) Leia o texto a seguir.

O fato é que a produção focada na exportação pode reduzir a oferta doméstica de alimentos por dois caminhos simultâneos: a) substituição ao nível da composição da produção (cultivando-se mais soja ao invés de arroz e feijão); e b) alterações tecnológicas que privilegiam o uso intensivo da terra e equipamento, reduzindo o emprego de moradores residentes e com eles as culturas de subsistência, cujos excedentes eventuais formavam uma importante parcela da oferta que chega aos centros urbanos.

(http://www.portaldoagronegocio.com.br)

Do conteúdo do texto, pode-se concluir que

a) modernização do campo, com a utilização de máquinas agrícolas, só ocorre nas culturas voltadas para

a

a

exportação, como a soja.

b) agricultura voltada para a exportação, como a soja, absorve a maior parte da mão de obra existente

a

no campo.

c) os pequenos produtores têm preferido cultivar soja, ao invés de arroz e feijão, pois é uma cultura que não exige grandes investimentos.

d) o aumento das exportações de produtos agrícolas pode reduzir a produção de alimentos para o

mercado interno.

e) exportação de alimentos, em países de agricultura tradicional, só é possível pela redução da produção voltada para o mercado interno.

a

redução da produção voltada para o mercado interno. a proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – REVOLUÇÃO VERDE 6. “ Podemos dizer que a agropecuária moderna nasceu

MONITORIA GEOGRAFIA REVOLUÇÃO VERDE

6. Podemos dizer que a agropecuária moderna nasceu com a Revolução Industrial ou seja, com a sociedade moderna e a aplicação gradativa dos métodos industriais, em especial a mecanização e a produção em grande escala, no campo. Mas foi após a Segunda Guerra Mundial, especialmente nos anos 1960, que esse conceito de “agricultura moderna” passou a ser empregado com mais frequência. Ele se popularizou com a chamada revolução verde, aplicada a partir de 1966-1967 em diversos países […]”.

VESENTINI, J. W. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Editora Ática, 2012. p.114

Assinale a alternativa que melhor define o conceito em destaque no texto:

a) trata-se de um processo revolucionário manifesto no meio agrário e que teve como consequência a

hegemonia da classe camponesa em países desenvolvidos.

b) é o processo de modernização do campo, com a implantação de novas técnicas produtivas e científicas

da produção agropecuária.

c) relaciona-se com a dinâmica industrial, proporcionando a diminuição da agricultura para as atividades

relacionadas com o setor secundário da economia.

d) é a caracterização das novas estratégias de produção agrícola, marcadas pelo predomínio da mão de

obra assalariada e pelo cultivo de produtos exclusivamente orgânicos.

7.

e pelo cultivo de produtos exclusivamente orgânicos. 7. Charge sobre os alimentos transgênicos Na charge, faz-se

Charge sobre os alimentos transgênicos

Na charge, faz-se referência a uma modificação produtiva ocorrida na agricultura. Uma contradição presente no espaço rural brasileiro derivada dessa modificação produtiva está presente em:

a) Expansão das terras agricultáveis, com manutenção de desigualdades sociais.

b) Modernização técnica do território, com redução do nível de emprego formal.

c) Valorização de atividades de subsistência, com redução da produtividade da terra.

d) Desenvolvimento de núcleos policultores, com ampliação da concentração fundiária.

e) Melhora da qualidade dos produtos, com retração na exportação de produtos primários.

8. A partir da segunda metade do século XX, vários países do mundo, inclusive o Brasil, implantaram um pacote de medidas que recebeu o nome de revolução verde. Assinale a alternativa que indica duas características desse momento.

alternativa que indica duas características desse momento. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – REVOLUÇÃO VERDE a) Uso intensivo de agrotóxico; aplicação de adubos e

MONITORIA GEOGRAFIA REVOLUÇÃO VERDE

a) Uso intensivo de agrotóxico; aplicação de adubos e fertilizantes.

b) Introdução de espécies vegetais nas florestas; uso de adubação orgânica.

c) Revitalização de biomas degradados; retorno da população urbana para o campo.

d) Surgimento de movimentos sociais no campo; aumento da produtividade e o fim da fome.

e) Uso de sementes selecionadas; uso de sementes transgênicas.

9. A revolução verde, depois de manifestar a sua ocorrência no mundo desenvolvido, passou também a se disseminar nos países do Sul, provocando profundas alterações no espaço geográfico dos territórios de economias periféricas. No caso do Brasil, um dos efeitos dessa modernização do campo foi:

a) a implantação de novos sistemas de cooperativas familiares, que se disseminaram por todo o território.

b) o gerenciamento da questão fundiária por parte do poder público, que implantou reformas de controle

da expansão dos maquinários no espaço rural.

c) o avanço da fronteira agrícola e a ocupação massiva das áreas do bioma Cerrado.

d) a desestruturação dos latifúndios, que se extinguiram na incapacidade de se competir com os pequenos

produtores dotados de novas tecnologias.

10. A revolução verde caracteriza-se, principalmente, pela industrialização e modernização tecnológica das atividades agropecuárias. Esse fenômeno possui como características:

I. Uso de técnicas agrícolas avançadas;

II. Emprego de agrotóxicos;

III. Predomínio de latifúndios monocultores;

IV. Alteração genética de grãos e plantas;

V. Utilização de mão de obra abundante;

São corretas as afirmativas:

a) I, e II

b) III e IV

c) II, IV e V

d) I, III e V

e) I, II, III e IV

b) III e IV c) II, IV e V d) I, III e V e) I,

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – REVOLUÇÃO VERDE GABARITO 1. A 2. A 3. A 4. C

MONITORIA GEOGRAFIA REVOLUÇÃO VERDE

GABARITO

1.

A

2.

A

3.

A

4.

C

5. D

6.

B

7.

A

8.

A

9.

C

10. E

5. D 6. B 7. A 8. A 9. C 10. E proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – MINERAÇÃO – O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO 1

MONITORIA HISTÓRIA MINERAÇÃO O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO

1. (Acafe 2016) A mineração durante o período colonial brasileiro foi uma das frentes que contribuíram

para a interiorização da economia e para o surgimento de vilas e cidades no interior.

Acerca desse contexto e sobre o ciclo do ouro é correto afirmar, exceto:

a)

Intensificação das bandeiras de apresamento e escravização dos indígenas que eram a principal mão de obra na exploração do ouro de aluvião e das lavras.

b)

A ação dos tropeiros contribuiu para o surgimento de um mercado interno. A região mineradora era abastecida por esta atividade com charque e outros derivados da pecuária.

c)

A Guerra dos Emboabas foi um conflito que resultou das tentativas de controle das minas de ouro descobertas pelos colonos e bandeirantes que desejavam o monopólio da exploração e eram contrários à presença de portugueses e exploradores de outras regiões.

d)

As casas de fundição exerciam a função de controlar a cobrança do quinto, um imposto sobre o ouro extraído pelos mineradores. O ouro “quintado” era transformado em barras com o selo real português.

2.

(G1 - cftrj 2017) “Em 1750, D. José I sucede seu pai, D. João V, no trono de Portugal. (

)

Com a mudança

do monarca entra em cena Sebastião José de Carvalho e Melo (1699-1782), que recebe o título de Conde

de Oeiras em 1759 e, dez anos mais tarde, o de Marquês de Pombal. ( fez-se embaixador em Londres e depois em Viena

O futuro Marquês de Pombal

)

(ENDERS, Armelle, História do Rio de Janeiro, Editora Gryphus, p. 69)

Estão entre as reformas promovidas pelo Marquês de Pombal, exceto:

a) Fomento das capitanias do Grão-Pará e do Maranhão através da introdução de escravos e exploração das chamadas “drogas do sertão”.

b) Apoio às atividades dos jesuítas no interior da colônia através do pacto régio que previa o pagamento

de impostos sobre os lucros obtidos pela ordem religiosa. c) Transferência da capital da colônia portuguesa na América, de Salvador para o Rio de Janeiro, em 1763, como forma de fortalecer militarmente o centro da colônia, por sua posição estratégica de ligação do sul com o norte da colônia.

d)

Retomada do controle dos mecanismos comerciais e fiscais do mundo colonial com o fim das capitanias hereditárias e reformas nas cobranças de impostos.

3.

(Uem 2016) Ao longo do século XVIII, a mineração se tornou uma das atividades econômicas mais

importantes no Brasil. A mineração impactou não apenas o mundo americano, mas também Portugal e mesmo a Europa. A esse respeito, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 01) Comparada à sociedade que se construiu no Nordeste do Brasil, a sociedade mineradora era mais urbana, mais complexa que aquela e apresentava uma maior mobilidade social. 02) A região das minas gerais tornou-se, com o tempo, um grande mercado consumidor e de trabalho para pedreiros, carpinteiros, marceneiros e demais profissionais necessários em áreas urbanas. 04) Um dos grandes problemas da mineração foi o contrabando realizado pelos jesuítas em seus “santos do pau oco”. A persistência desta atividade ilícita levou o Marques de Pombal a expulsar os jesuítas do Brasil em meados do século XVIII. 08) As características da mineração no Brasil possibilitavam a ação de mineradores de poucos recursos, que trabalhavam isoladamente ou com alguns escravos nas “faisqueiras”. 16) O contínuo crescimento do número de escravos nas minas ao longo de todo o século XVIII alimentou o sentimento antiescravista no Brasil e se tornou o principal motivador da Inconfidência Mineira.

e se tornou o principal motivador da Inconfidência Mineira. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – MINERAÇÃO – O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO 4

MONITORIA HISTÓRIA MINERAÇÃO O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO

4. (Uece 2015) Assinale a opção que apresenta corretamente ações atribuídas ao Marquês de Pombal na

Colônia Brasileira.

a)

Extinção do sistema de capitanias hereditárias e transferência da sede do governo colonial de Salvador

para o Rio de Janeiro.

b)

Criação das Companhias Comerciais do Grão Pará e do Maranhão, e a organização da Universidade de Coimbra.

c)

Extinção da Mesa de Inspeção dos Portos e da cobrança do quinto na região das minas.

d)

Expulsão dos Jesuítas do Brasil e incentivo à criação das indústrias de manufaturas.

5.

(Ufu 2015) A partir de 1750-60, a produção mineradora começou a declinar. Tal mudança, articulada a

outros elementos, determinou uma revisão da política mercantilista durante a administração do Marquês de Pombal, secretário de Estado de D. José I.

ALBUQUERQUE, Manuel Maurício de. Pequena História da Formação Social Brasileira. 2.ed. Rio de Janeiro:

Graal, 1981, p.100. (Adaptado).

A crise econômica da segunda metade do século XVIII abriu caminho para as reformas pombalinas, vistas

como inevitáveis para a recuperação econômica do reino de Portugal e que se caracterizavam, entre outras medidas,

a)

pelo estreitamento das relações comerciais com a Inglaterra, país que era visto como mercado seguro dos produtos primários das colônias portuguesas.

b)

pelo estreitamento das relações com a Igreja, com o aumento da presença dos jesuítas, vistos como agentes importantes da modernização educacional.

c)

pelo incentivo à produção manufatureira na colônia, com o objetivo de diminuir a dependência econômica em relação aos produtos primários.

d)

pelo surgimento dos primeiros projetos de abolição de escravos, com o objetivo de formar um mercado consumidor para as indústrias da colônia.

6.

(Fgv 2006) Antunes voltou ao capão e transmitiu a seus companheiros as promessas de Bento. Os

paulistas saíram dos matos aos poucos, depondo as armas. Muitos não passavam de meninos; outros eram bastante velhos. Sujos, magros, cambaleavam, apoiavam-se em seus companheiros. Estendiam a mão, ajoelhados, suplicando por água e comida. Bento fez com que os paulistas se reunissem numa clareira para receber água e comida. Os emboabas saíram da circunvalação, formando-se em torno dos prisioneiros. Bento deu ordem de fogo. Os paulistas que não morreram pelos tiros foram sacrificados a golpes de espada.

(Ana Miranda, O retrato do rei)

O texto trata do chamado Capão da Traição, episódio que faz parte da Guerra dos Emboabas, que se

constituiu

a) em um conflito opondo paulistas e forasteiros pelo controle das áreas de mineração e tensões

relacionadas com o comércio e a especulação de artigos de consumo como a carne de gado, controlada pelos forasteiros.

b) em uma rebelião envolvendo senhores de minas de regiões distantes dos maiores centros - como Vila Rica - que não aceitavam a legislação portuguesa referente à distribuição das datas e a cobrança do dízimo.

à distribuição das datas e a cobrança do dízimo. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – MINERAÇÃO – O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO c)

MONITORIA HISTÓRIA MINERAÇÃO O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO

c)

no primeiro movimento colonial organizado que tinha como principal objetivo separar a região das Minas Gerais do domínio do Rio de Janeiro, assim como da metrópole portuguesa, e que teve a participação de escravos.

d)

no mais importante movimento nativista da segunda metade do século XVIII, que envolveu índios cativos, escravos africanos e pequenos mineradores e faiscadores contra a criação das Casas de

Fundição.

e)

na primeira rebelião ligada aos princípios do liberalismo, pois defendia reformas nas práticas coloniais

exigia que qualquer aumento nos tributos tivesse a garantia de representação política para os colonos.

e

7.

(Ufrn 2000) A Guerra dos Emboabas, a dos Mascates e a Revolta de Vila Rica, verificadas nas primeiras

décadas do século XVIII, podem ser caracterizadas como

a) movimentos isolados em defesa de ideias liberais, nas diversas capitanias, com a intenção de se criarem governos republicanos.

b) movimentos de defesa das terras brasileiras, que resultaram num sentimento nacionalista, visando à independência política.

c) manifestações de rebeldia localizadas, que contestavam aspectos da política econômica de dominação do governo português.

d) manifestações das camadas populares das regiões envolvidas, contra as elites locais, negando a autoridade do governo metropolitano.

8. (Espm 2012)

Em 1720, a Coroa portuguesa decidiu proibir definitivamente a circulação de ouro em pó, instalando a Casa de Fundição em Vila Rica, onde todo o metal extraído das minas deveria ser transformado em barras para depois ser transportado ao litoral.

A medida pretendia acabar com o contrabando e incrementar a arrecadação de impostos, prejudicando os interesses dos proprietários de lavras auríferas, comerciantes e profissionais liberais que recebiam ouro em pó pelos seus serviços, além dos tropeiros que escoavam a produção.

As novas diretrizes foram intensamente discutidas nos bares, nas tavernas, e críticas ferozes eram lançadas, nas rodas de conversa, contra a administração local. Uma revolta se levantaria contra as medidas de controle da Coroa.

(Fábio Pestana Ramos e Marcus Vinicius de Morais. Eles formaram o Brasil)

A revolta ocorrida contra as medidas de controle da Coroa portuguesa foi:

a) Guerra dos Emboabas;

b) Revolta de Felipe dos Santos;

c) a Inconfidência Mineira;

d) Guerra dos Mascates;

e) Revolta de Beckman.

a

a

a

a

d) Guerra dos Mascates; e) Revolta de Beckman. a a a a proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – MINERAÇÃO – O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO 9.

MONITORIA HISTÓRIA MINERAÇÃO O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO

9. (Upf 2013) Durante o período colonial, o governo português explorava violentamente os habitantes da colônia chamada Brasil.

violentamente os habitantes da colônia chamada Brasil. A charge faz referência à chamada Derrama, instituída
violentamente os habitantes da colônia chamada Brasil. A charge faz referência à chamada Derrama, instituída

A charge faz referência à chamada Derrama, instituída pelo Marquês de Pombal em 1765. Podemos afirmar que a Derrama era:

a) um recurso instituído para cobrar os impostos atrasados. A região das minas deveria entregar a Portugal anualmente 100 arrobas (1500 kg) de ouro; caso essa quantia não fosse entregue, o valor restante seria cobrado de toda a população, que teria que completar em dinheiro o equivalente as 100 arrobas.

b) uma cobrança decorrente do fato que os senhores de engenho estavam entregando o açúcar produzido aos holandeses, assim, teriam que pagar a Portugal como imposto o equivalente ao quinto (20%) de todo o valor comercializado com holandeses.

c) a incidência de uma taxa de 20% sobre o valor de cada índio escravizado. Como os holandeses estavam dominando, além do Nordeste brasileiro, as regiões da África que forneciam escravos, os bandeirantes paulistas começaram a aprisionar indígenas para vender como escravos aos produtores de açúcar.

d) um imposto de 20% sobre cada animal vendido aos mineradores. Os tropeiros levavam o gado existente no território do atual Rio Grande do Sul para vender nas regiões das minas.

e) uma penalização sobre os mineradores, que, para não pagar impostos, contrabandeavam o ouro. O governo português decreta que todo o ouro deveria ser entregue às Casas de Fundição e o minerador que desobedecesse a essa ordem, além de perder todo o ouro que tivesse extraído, seria preso.

10. (G1 - ifce 2016) A modernidade europeia trouxe consigo uma nova configuração de valores ditados, no sentido da produção e da difusão cultural, por movimentos denominados Renascimento Cultural e Reforma Religiosa. O que se entendia por saber científico passa a ser estimulado e divulgado. Esse novo padrão nos costumes, elementos característicos da nova mentalidade burguesa, foi apoiado diretamente pelo(a)

a) chegada ao novo mundo.

b) circulação de moedas.

c) aparecimento da imprensa.

d) renascimento comercial.

e) abolição do modo de produção escravista.

comercial. e) abolição do modo de produção escravista. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – MINERAÇÃO – O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO GABARITO

MONITORIA HISTÓRIA MINERAÇÃO O CICLO DO OURO E O PERÍODO POMBALINO

GABARITO

1.

A

2.

B

3. 01+02+08=11

4.

A

5. C

6.

A

7.

C

8. B

9.

A

10. C

A 5. C 6. A 7. C 8. B 9. A 10. C proenem.com.br Este conteúdo

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO

MONITORIA HISTÓRIA O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO TEMPO

1. (Cps 2015) A pintura do teto da Capela Sistina, obra do mestre Michelangelo Buonarroti, foi realizada

no início do século XVI. Veja uma pequena parte dessa obra.

início do século XVI. Veja uma pequena parte dessa obra. Analisando as características da pintura apresentada,
início do século XVI. Veja uma pequena parte dessa obra. Analisando as características da pintura apresentada,

Analisando as características da pintura apresentada, é correto concluir que se trata de uma obra

a)

medieval e cavalheiresca.

b)

medieval e teocêntrica.

c)

classicista e modernista.

d)

renascentista e antropocêntrica.

e)

renascentista e ateísta.

2.

(Pucrj 2014)

e) renascentista e ateísta. 2 . (Pucrj 2014) A imagem acima, “A Escola de Atenas”, é
e) renascentista e ateísta. 2 . (Pucrj 2014) A imagem acima, “A Escola de Atenas”, é

A imagem acima, “A Escola de Atenas”, é considerada uma das maiores obras de arte renascentista. Foi elaborada sob a forma de afresco, realizado entre os anos de 1506-1510, sob encomenda do Vaticano para ornar um dos aposentos do palácio principal. Rafael Sanzio soube representar de modo magistral o espírito de sua época. No centro do afresco, as figuras dos filósofos Platão e Aristóteles bem como de outros sábios da Antiguidade.

Considerando o contexto histórico retratado na obra e as proposições que se seguem, marque a alternativa CORRETA.

proposições que se seguem, marque a alternativa CORRETA . proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO

MONITORIA HISTÓRIA O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO TEMPO

I. A realização da grandiosa obra foi em parte possível pela prática do mecenato, que propiciava ao artista as condições materiais para a produção de obras de arte e de inventos científicos. II. A técnica da perspectiva, a valorização do volume dos corpos pelo contraste claro-escuro, e a utilização, no original, de cores vivas revelam a preocupação em representar as pinturas da forma mais realista possível. III. Apesar da crença em um conhecimento racional do mundo, os intelectuais desse contexto acreditavam na existência de Deus, que dotou o homem de raciocínio para desvendar as leis do universo. IV. Os intelectuais renascentistas buscaram inspiração nos padrões estéticos e nos conhecimentos produzidos pelos clássicos greco-romanos da Antiguidade.

a)

I, II, III e IV.

b)

I e IV, apenas.

c)

II e III, apenas.

d)

II e IV, apenas.

e)

I e III, apenas.

3.

(Ucs 2014) Sobre as características do Renascimento, movimento artístico, cultural e intelectual que

atingiu seu apogeu nos séculos XV e XVI, é correto afirmar que

a) defendia ser Deus o centro de tudo e que a fé se sobrepunha à razão.

b) pregava a democratização do saber letrado como uma forma de diminuir a distância entre os

moradores do campo e da cidade.

c)

se contrapôs ao modelo medieval, procurando enaltecer o individualismo, o nacionalismo e a fé.

d)

tinha como fundamentos a retomada dos valores clássicos (greco-romanos), o antropocentrismo e o racionalismo.

e)

defendia a crença inabalável na fé e se contrapunha à existência de leis naturais regendo a dinâmica do progresso.

4.

(Uepb 2014) Das universidades medievais italianas surgiram duas práticas culturais que teriam impacto

na formação de estudiosos: o estudo vernacular, a língua própria de um lugar, e a prática da retórica ( Os letrados italianos, como Petrarca e Leonardo Bruni, defendiam o uso do próprio idioma para se expressar, e não a língua oficial da cristandade, o latim. A utilização de uma língua própria estimulava a adoção de expressões da particularidade de cada local, criando um estilo próprio e negando a

padronização feita por outros (

A retórica tinha a função de educar e persuadir. O ato de estudar e

debater levava à reformulação dos pensamentos e à capacidade de expressar ideias publicamente.”

).

(José A. de Freitas Neto e Célio Ricardo Tasinafo. História Geral e do Brasil. SP. Editora Habra. p. 168)

O texto oferece subsídios para compreensão:

a) Do liberalismo

b) Do medievalismo

c) Do catolicismo

d) Do culturalismo

e) Do humanismo

c) Do catolicismo d) Do culturalismo e) Do humanismo proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO

MONITORIA HISTÓRIA O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO TEMPO

5. (Upe 2013) Analise a imagem a seguir:

DE UM NOVO TEMPO 5 . (Upe 2013) Analise a imagem a seguir: O quadro O
DE UM NOVO TEMPO 5 . (Upe 2013) Analise a imagem a seguir: O quadro O

O quadro O nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli, é uma das grandes realizações da arte renascentista. Sobre essa obra e seu contexto histórico, assinale a alternativa CORRETA.

a) A temática pagã da obra, baseada na mitologia greco-romana, constituiu-se numa ousadia que destoava do restante da produção artística do Renascimento.

b) A nudez representada no quadro também aparece em obras de outros artistas da época, como Michelangelo.

c) Botticelli, personagem símbolo do ideal humanista, também foi arquiteto, engenheiro, músico e poeta.

d) O nascimento de Vênus, assim como a Última Ceia de Da Vinci, é uma pintura de temática bíblica.

e) Botticelli destacou-se por sua produção em escultura.

6. (Upf 2016) A charge a seguir satiriza o padrão de beleza durante o Renascimento Cultural.

o padrão de beleza durante o Renascimento Cultural. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está
o padrão de beleza durante o Renascimento Cultural. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está
o padrão de beleza durante o Renascimento Cultural. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO

MONITORIA HISTÓRIA O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO TEMPO

Sobre o conjunto de ideias e concepções que marcaram o Renascimento, é correto afirmar:

a) As ideias dos filósofos renascentistas tornaram-se populares, influenciando movimentos revolucionários. Esses ideais seriam retomados no século XIX pelos pensadores socialistas.

b) Os pensadores do Renascimento recuperaram ideias da Antiguidade clássica, agindo de acordo com as orientações religiosas da Igreja Católica Romana.

c) A Igreja Católica, como principal compradora das obras dos artistas, se tornou uma defensora das ideias renascentistas.

d) O Renascimento contribuiu para o reforço de valores humanistas em toda a Europa.

e) O Renascimento como movimento intelectual provocou uma ruptura na Igreja, dividindo-a a partir de então em Igreja Ortodoxa e Igreja Romana.

7. (Upe 2014) Que obra de arte é o homem! Que nobre na razão, que infinito nas faculdades, na expressão e nos movimentos, que determinado e admirável nas ações; que parecido a um anjo de inteligência, que semelhante a um deus!

(SHAKESPEARE, William. Hamlet. São Paulo: Abril Cultural, 1976. p. 87.)

Partindo da análise da fala da personagem shakespeariana, assinale a alternativa que a associa às características do Renascimento Cultural.

a) A fala de Hamlet ilustra o teor teocêntrico do Renascimento ao associar o homem a anjos e deuses.

b) O texto apresenta Deus como centro do universo ao explorar a semelhança entre o homem e o divino.

c) Hamlet apresenta o homem como uma obra-prima nata, dialogando com a perspectiva filosófica do empirismo.

d) O texto explora o hedonismo ao destacar o homem como “infinito nas faculdades, na expressão e nos movimentos”.

e) Hamlet apresenta uma elegia ao homem, ilustrando o antropocentrismo característico do Renascimento Cultural.

8. (ifsp 2011) Entre os séculos XIV e XVI, ricas cidades dedicavam-se ao comércio internacional (principalmente de especiarias).Exemplos disso são as cidades europeias de Florença e Roma (sede do

Papado),que atraíram dezenas de artistas e homens cultos em busca da antiguidade clássica como fonte

de inspiração. Trata-se do período do Renascimento Cultural.

Assinale a alternativa que contém os elementos por meio dos quais podemos identificar o Renascimento:

a) Antropocentrismo- Otimismo- Razão-Espírito investigativo- Leonardo da Vinci.

b) Teocentrismo Igreja- Hedonismo- Pessimismo- Michelângelo.

c) Mecenato-Fé-Inquisição-Antropocentrismo- Aristóteles.

d) Medievalismo- Vassalos-Racionalismo-Espírito dedutivo-Camões.

e) Classicismo- Mecenas- Teologia- Espírito científico- Galileu.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Para as artes visuais florescerem no Renascimento era preciso um ambiente urbano. Nos séculos

XV e XVI, as regiões mais altamente urbanizadas da Europa Ocidental localizavam-se na Itália e nos Países

Baixos, e essas foram as regiões de onde veio grande parte dos artistas.

(Adaptado de Peter Burke, O Renascimento Italiano. São Paulo: Nova Alexandria, 1999, p. 64.)

Italiano . São Paulo: Nova Alexandria, 1999, p. 64.) proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO

MONITORIA HISTÓRIA O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO TEMPO

9. (Unicamp simulado 2011) A relação entre o Renascimento cultural e o ambiente urbano na Europa dos séculos XV e XVI justifica-se porque.

a) as cidades eram centros comerciais e favoreciam o contato com a cultura árabe, cujo domínio das técnicas do retrato e da perspectiva sobrepôs-se à arte europeia, dando origem ao Renascimento.

b) a presença de artistas nas cidades atraía os investimentos de ricos burgueses em busca de prestígio social, fazendo com que as regiões que concentravam os artistas, como a Itália e os Países Baixos, se urbanizassem mais que as outras.

c) nas cidades podia-se estudar a cultura artística em universidades, dedicadas ao cultivo da tradição clássica e ao ensino de novas técnicas, como o uso do estilo gótico na arquitetura e da perspectiva na pintura.

d) a riqueza concentrada nas cidades permitia a prática do mecenato, enquanto o crescimento do comércio estimulava o encontro entre as culturas europeia e bizantina, possibilitando a redescoberta dos valores da antiguidade clássica.

10. (Pucsp 2007) A reflexão sobre os significados da religião e seu papel nas sociedades esteve presente no Renascimento cultural e em outros movimentos, entre o século XVI e o XIX. Entre eles, podemos destacar

a) as Reformas protestantes, que permitiram a tradução e a leitura direta dos textos sagrados e reforçaram, dessa maneira, o controle dos religiosos sobre os fiéis.

b) o Classicismo, que recuperou a tradição politeísta da antiguidade clássica e defendeu a supremacia dos cultos pagãos sobre o monoteísmo cristão.

c) as Cruzadas católicas, que contaram com ampla participação popular e nobre, na tentativa de reconquistar cidades sagradas ocupadas pelos mouros.

d) a conquista da América por espanhóis, portugueses e ingleses, que se consideravam missionários da evangelização e difusão de preceitos do catolicismo.

e) o Iluminismo, que reiterou o caráter racional do homem e refutou a influência religiosa sobre os Estados nacionais e sobre os indivíduos.

religiosa sobre os Estados nacionais e sobre os indivíduos. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO

MONITORIA HISTÓRIA O RENASCIMENTO CULTURAL - A ARTE COMO SÍMBOLO DE UM NOVO TEMPO

GABARITO

1.

D

2.

A

3.

D

4.

E

5. B

6.

D

7.

E

8.

A

9.

D

10. E

5. B 6. D 7. E 8. A 9. D 10. E proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LANÇAMENTO HORIZONTAL 1 . (Cps 2018) Um avião, com a finalidade

MONITORIA FÍSICA LANÇAMENTO HORIZONTAL

1. (Cps 2018) Um avião, com a finalidade de abastecer uma região que se encontra isolada, voa em linha

reta horizontalmente, com velocidade constante em relação ao solo, quando abandona uma caixa com

alimentos, conforme a imagem.

quando abandona uma caixa com alimentos, conforme a imagem. Desprezando a resistência do ar, a trajetória
quando abandona uma caixa com alimentos, conforme a imagem. Desprezando a resistência do ar, a trajetória

Desprezando a resistência do ar, a trajetória descrita pela caixa de alimentos terá a forma de uma

a)

parábola, do ponto de vista de um observador que estiver no avião.

b)

linha reta vertical, do ponto de vista de um observador que estiver no avião.

c)

linha reta vertical, do ponto de vista de um observador que estiver na Terra.

d)

linha reta horizontal, do ponto de vista de um observador que estiver no avião.

e)

mesma figura para qualquer observador, pois a trajetória independe do referencial.

2.

(Enem 2ª aplicação 2016) Para um salto no Grand Canyon usando motos, dois paraquedistas vão utilizar

uma moto cada, sendo que uma delas possui massa três vezes maior. Foram construídas duas pistas

idênticas até a beira do precipício, de forma que no momento do salto as motos deixem a pista horizontalmente e ao mesmo tempo. No instante em que saltam, os paraquedistas abandonam suas motos e elas caem praticamente sem resistência do ar.

As motos atingem o solo simultaneamente porque

a)

possuem a mesma inércia.

b)

estão sujeitas à mesma força resultante.

c)

têm a mesma quantidade de movimento inicial.

d)

adquirem a mesma aceleração durante a queda.

e)

são lançadas com a mesma velocidade horizontal.

3.

(Acafe 2015) O puma é um animal que alcança velocidade de até 18 m / s e pode caçar desde roedores

e coelhos até animais maiores como alces e veados. Considere um desses animais que deseja saltar sobre sua presa, neste caso um pequeno coelho, conforme a figura.

sua presa, neste caso um pequeno coelho, conforme a figura. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LANÇAMENTO HORIZONTAL O puma chega ao ponto A com velocidade horizontal

MONITORIA FÍSICA LANÇAMENTO HORIZONTAL

MONITORIA – FÍSICA – LANÇAMENTO HORIZONTAL O puma chega ao ponto A com velocidade horizontal de

O puma chega ao ponto A com velocidade horizontal de 5 m / s e se lança para chegar à presa que

permanece imóvel no ponto B. Desconsiderando a resistência do ar e adotando

correta é:

a alternativa

g

10 m / s

2

,

a)

O puma não vai cair sobre a presa, pois vai tocar o solo a 20 cm antes da posição do coelho.

b)

O puma cairá exatamente sobre o coelho, alcançando sua presa.

c)

O puma vai chegar ao solo, no nível do coelho, após 0,5 s do início de seu salto.

d)

O puma vai cair 30 cm a frente do coelho, dando possibilidade da presa escapar.

4.

(Uerj 2015) Em uma área onde ocorreu uma catástrofe natural, um helicóptero em movimento

retilíneo, a uma altura fixa do chão, deixa cair pacotes contendo alimentos. Cada pacote lançado atinge o solo em um ponto exatamente embaixo do helicóptero.

Desprezando forças de atrito e de resistência, pode-se afirmar que as grandezas velocidade e aceleração dessa aeronave são classificadas, respectivamente, como:

a)

variável − nula

b)

nula − constante

c)

constante − nula

d)

variável − variável

5.

(Ufsm 2013) Um trem de passageiros passa em frente a uma estação, com velocidade constante em

relação a um referencial fixo no solo. Nesse instante, um passageiro deixa cair sua câmera fotográfica, que segurava próxima a uma janela aberta. Desprezando a resistência do ar, a trajetória da câmera no

referencial fixo do trem é

tempo de queda no outro

referencial.

O tempo de queda da câmera no primeiro referencial é

, enquanto, no referencial fixo do solo, a trajetória é

Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas.

a) parabólica retilínea menor que o

b) parabólica parabólica menor que o

c) retilínea retilínea igual ao

d) retilínea parabólica igual ao

e) parabólica retilínea igual ao

— igual ao e) parabólica — retilínea — igual ao proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LANÇAMENTO HORIZONTAL 6 . (ifce 2016) Considere a figura abaixo, na

MONITORIA FÍSICA LANÇAMENTO HORIZONTAL

6. (ifce 2016) Considere a figura abaixo, na qual Michele utiliza uma bola de tênis para brincar com seu

cãozinho, Nonô.

uma bola de tênis para brincar com seu cãozinho, Nonô. Nesta situação, Michele arremessa a bola

Nesta situação, Michele arremessa a bola na direção horizontal para que Nonô corra em sua direção e a pegue. Ao ser arremessada, a bola sai da mão de Michele a uma velocidade de 14,4 km h e uma altura de 1,80 m do chão. Nesse instante, Nonô encontra-se junto aos pés de sua dona.

instante, Nonô encontra-se junto aos pés de sua dona. Dadas estas condições, o tempo máximo que

Dadas estas condições, o tempo máximo que Nonô terá para pegar a bola, antes que a mesma toque o chão pela primeira vez, é

(Despreze o atrito da bola com o ar e considere a aceleração da gravidade com o valor

com o ar e considere a aceleração da gravidade com o valor 2 g  10

2

g 10 m s . )

a)

b)

c)

d)

e)

0,75 0,375 0,6 s. s. s. 1,0 0,25 s. s.

7.

penhasco, em direção ao mar. O objeto leva 3,0 s para cair na água. Calcule, em metros, a altura, acima do nível do mar, a partir da qual o objeto foi lançado.

(Pucrj 2016) Um objeto é atirado, horizontalmente, com velocidade de 35 m s, da borda de um

horizontalmente, com velocidade de 35 m s, da borda de um Considere g  10 m

Considere

com velocidade de 35 m s, da borda de um Considere g  10 m s

g 10 m s

2 e despreze a resistência do ar.

a)

b)

c)

d)

e)

60 30 45

150 105

8.

está sobre o solo. Veja na tabela abaixo algumas características dessas bolas.

(Uerj 2016) Quatro bolas são lançadas horizontalmente no espaço, a partir da borda de uma mesa que

Bolas

Material

Velocidade inicial

1

(m s )

Tempo de queda (s)

1

chumbo

4,0

 

t1

2

vidro

4,0

t

2

3

madeira

2,0

t

3

4

plástico

2,0

t

4

madeira 2,0 t 3 4 plástico 2,0 t 4 proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LANÇAMENTO HORIZONTAL A relação entre os tempos de queda de cada

MONITORIA FÍSICA LANÇAMENTO HORIZONTAL

A relação entre os tempos de queda de cada bola pode ser expressa como:

a) t1 t 2 t 3 t 4

b)

c)

d)

t1 t 2 t 3 t t 4 4

t1 t 2

t

3

t1 t 2

t

3

t 4

9. (Unesp 2015) A fotografia mostra um avião bombardeiro norte-americano B52 despejando bombas sobre determinada cidade no Vietnã do Norte, em dezembro de 1972.

determinada cidade no Vietnã do Norte, em dezembro de 1972. Durante essa operação, o avião bombardeiro
determinada cidade no Vietnã do Norte, em dezembro de 1972. Durante essa operação, o avião bombardeiro

Durante essa operação, o avião bombardeiro sobrevoou, horizontalmente e com velocidade vetorial constante, a região atacada, enquanto abandonava as bombas que, na fotografia tirada de outro avião em repouso em relação ao bombardeiro, aparecem alinhadas verticalmente sob ele, durante a queda. Desprezando a resistência do ar e a atuação de forças horizontais sobre as bombas, é correto afirmar que:

a) no referencial em repouso sobre a superfície da Terra, cada bomba percorreu uma trajetória parabólica diferente.

b) no referencial em repouso sobre a superfície da Terra, as bombas estavam em movimento retilíneo acelerado.

c) no referencial do avião bombardeiro, a trajetória de cada bomba é representada por um arco de parábola.

d) enquanto caíam, as bombas estavam todas em repouso, uma em relação às outras.

e) as bombas atingiram um mesmo ponto sobre a superfície da Terra, uma vez que caíram verticalmente.

10. (G1 - ifce 2014) Da parte superior de um caminhão, a 5,0 metros do solo, o funcionário 1 arremessa, horizontalmente, caixas para o funcionário 2, que se encontra no solo para pegá-las. Se cada caixa é arremessada a uma velocidade de 8,0 m/s, da base do caminhão, deve ficar o funcionário 2, a uma distância de

caminhão, deve ficar o funcionário 2, a uma distância de proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.
caminhão, deve ficar o funcionário 2, a uma distância de proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.
caminhão, deve ficar o funcionário 2, a uma distância de proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.
caminhão, deve ficar o funcionário 2, a uma distância de proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.
caminhão, deve ficar o funcionário 2, a uma distância de proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.
caminhão, deve ficar o funcionário 2, a uma distância de proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LANÇAMENTO HORIZONTAL Considere a aceleração da gravidade 10,0 m/s 2 e

MONITORIA FÍSICA LANÇAMENTO HORIZONTAL

Considere a aceleração da gravidade 10,0 m/s 2 e despreze as dimensões da caixa e dos dois funcionários.

a) 4,0 m.

b) 5,0 m.

c) 6,0 m.

d) 7,0 m.

e) 8,0 m.

a) 4,0 m. b) 5,0 m. c) 6,0 m. d) 7,0 m. e) 8,0 m. proenem.com.br

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LANÇAMENTO HORIZONTAL GABARITO 1. B 2. D 3. A 4. C

MONITORIA FÍSICA LANÇAMENTO HORIZONTAL

GABARITO

1.

B

2.

D

3.

A

4.

C

5. D

6.

B

7.

B

8.

D

9.

A

10. E

5. D 6. B 7. B 8. D 9. A 10. E proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – TERMODINÂMICA - 1ª LEI 1 . (Upe-ssa 2 2017) Um estudo

MONITORIA FÍSICA TERMODINÂMICA - 1ª LEI

1. (Upe-ssa 2 2017) Um estudo do ciclo termodinâmico sobre um gás que está sendo testado para uso em um motor a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir.

a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir. Se  E int representa a
a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir. Se  E int representa a
a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir. Se  E int representa a
a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir. Se  E int representa a

Se Eint representa a variação de energia interna do gás, e Q é o calor associado ao ciclo, analise as

alternativas e assinale a CORRETA.

b) a) Eint Eint   0, 0, Q Q    0 0 0 e) d) Eint Eint   0, 0, Q Q   0 0

c) Eint 0, Q

2. (Epcar (Afa) 2017) Um sistema termodinâmico constituído de n mols de um gás perfeito monoatômico

desenvolve uma transformação cíclica ABCDA representada no diagrama a seguir.

cíclica ABCDA representada no diagrama a seguir. De acordo com o apresentado pode-se afirmar que a)

De acordo com o apresentado pode-se afirmar que

a) o trabalho em cada ciclo é de 800 J e é realizado pelo sistema.

b) o sistema termodinâmico não pode representar o ciclo de uma máquina frigorífica uma vez que o mesmo está orientado no sentido anti-horário.

c) a energia interna do sistema é máxima no ponto D e mínima no ponto B.

d) em cada ciclo o sistema libera 800 J de calor para o meio ambiente.

o sistema libera 800 J de calor para o meio ambiente. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – TERMODINÂMICA - 1ª LEI 3 . (Pucrs 2016) Ondas sonoras se

MONITORIA FÍSICA TERMODINÂMICA - 1ª LEI

3. (Pucrs 2016) Ondas sonoras se propagam longitudinalmente no interior dos gases a partir de sucessivas

e rápidas compressões e expansões do fluido. No ar, esses processos podem ser considerados como transformações adiabáticas, principalmente devido à rapidez com que ocorrem e também à baixa condutividade térmica deste meio. Por aproximação, considerando-se que o ar se comporte como um gás

ideal, a energia interna de uma determinada massa de ar sofrendo compressão adiabática

;

portanto, o

trocado com as vizinhanças da massa de ar seria responsável pela transferência

de energia.

a)

diminuiria calor

b)

diminuiria trabalho

c)

não variaria trabalho

d)

aumentaria calor

e)

aumentaria trabalho

4.

(Uefs 2016)

e) aumentaria – trabalho 4 . (Uefs 2016) Um fluido se expande do estado A para
e) aumentaria – trabalho 4 . (Uefs 2016) Um fluido se expande do estado A para
e) aumentaria – trabalho 4 . (Uefs 2016) Um fluido se expande do estado A para
e) aumentaria – trabalho 4 . (Uefs 2016) Um fluido se expande do estado A para
e) aumentaria – trabalho 4 . (Uefs 2016) Um fluido se expande do estado A para
e) aumentaria – trabalho 4 . (Uefs 2016) Um fluido se expande do estado A para
e) aumentaria – trabalho 4 . (Uefs 2016) Um fluido se expande do estado A para
e) aumentaria – trabalho 4 . (Uefs 2016) Um fluido se expande do estado A para

Um fluido se expande do estado A para o estado B, como indicado no diagrama da figura.

Analisando-se essas informações, é correto afirmar que o trabalho realizado nessa expansão, em kJ, é igual a

a) 2,3

d) b) 2,0 2,2

c) 2,1

e) 1,9

em kJ, é igual a a) 2,3 d) b) 2,0 2,2 c) 2,1 e) 1,9 proenem.com.br

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – TERMODINÂMICA - 1ª LEI 5 . (Udesc 2015) Em um laboratório

MONITORIA FÍSICA TERMODINÂMICA - 1ª LEI

5. (Udesc 2015) Em um laboratório de física são realizados experimentos com um gás que, para fins de

análises termodinâmicas, pode ser considerado um gás ideal. Da análise de um dos experimentos, em que

o gás foi submetido a um processo termodinâmico, concluiu-se que todo calor fornecido ao gás foi convertido em trabalho.

Assinale a alternativa que representa corretamente o processo termodinâmico realizado no experimento.

a)

processo isovolumétrico

b)

processo isotérmico

c)

processo isobárico

d)

processo adiabático

e)

processo composto: isobárico e isovolumétrico

6.

(Ufrgs 2017) Observe a figura abaixo.

6 . (Ufrgs 2017) Observe a figura abaixo. A figura mostra dois processos, I e II,
6 . (Ufrgs 2017) Observe a figura abaixo. A figura mostra dois processos, I e II,
6 . (Ufrgs 2017) Observe a figura abaixo. A figura mostra dois processos, I e II,
6 . (Ufrgs 2017) Observe a figura abaixo. A figura mostra dois processos, I e II,

A figura mostra dois processos, I e II, em um diagrama pressão (P) volume (V) ao longo dos quais um gás ideal pode ser levado do estado inicial i para o estado final f.

Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que aparecem.

De acordo com a 1ª Lei da Termodinâmica, a variação da energia interna é

O trabalho WI realizado no processo I é

nos dois processos.

que o trabalho WII realizado no processo II.

a) igual − maior

b) igual − menor

c) igual − igual

d) diferente − maior

e) diferente − menor

− igual d) diferente − maior e) diferente − menor proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – TERMODINÂMICA - 1ª LEI 7 . (Upe-ssa 2 2017) Um estudo

MONITORIA FÍSICA TERMODINÂMICA - 1ª LEI

7. (Upe-ssa 2 2017) Um estudo do ciclo termodinâmico sobre um gás que está sendo testado para uso em

um motor a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir.

a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir. Se  E int representa a

Se Eint representa a variação de energia interna do gás, e Q é o calor associado ao ciclo, analise as alternativas e assinale a CORRETA.

a)

b)

c)

d)

e)

Eint Eint Eint Eint Eint      0, 0, 0, 0, 0, Q Q Q Q Q      0 0 0 0 0

8.

e rápidas compressões e expansões do fluido. No ar, esses processos podem ser considerados como transformações adiabáticas, principalmente devido à rapidez com que ocorrem e também à baixa condutividade térmica deste meio. Por aproximação, considerando-se que o ar se comporte como um gás

ideal, a energia interna de uma determinada massa de ar sofrendo compressão adiabática

(Pucrs 2016) Ondas sonoras se propagam longitudinalmente no interior dos gases a partir de sucessivas

;

portanto, o

trocado com as vizinhanças da massa de ar seria responsável pela transferência

de energia.

a)

diminuiria calor

b)

diminuiria trabalho

c)

não variaria trabalho

d)

aumentaria calor

e)

aumentaria trabalho

9.

(Uece 2016) O processo de expansão ou compressão de um gás em um curto intervalo de tempo pode

representar um processo termodinâmico que se aproxima de um processo adiabático. Como exemplo, pode-se mencionar a expansão de gases de combustão em um cilindro de motor de automóvel em alta

rotação.

É correto afirmar que, em um processo adiabático no sistema,

a) a temperatura é constante e o trabalho realizado pelo sistema é nulo.

b) não há transferência de calor.

c) a pressão e o volume são constantes.

d) a energia interna é variável e a pressão é constante.

d) a energia interna é variável e a pressão é constante. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – TERMODINÂMICA - 1ª LEI 10 . (Uern 2015) Num sistema termodinâmico

MONITORIA FÍSICA TERMODINÂMICA - 1ª LEI

10. (Uern 2015) Num sistema termodinâmico um gás ideal, ao receber 300J do meio externo, realiza um trabalho de 200J. É correto afirmar que

a) a transformação é adiabática.

b) a temperatura do sistema aumentou.

c) o volume do gás permanece constante.

d) a variação de energia interna é negativa.

constante. d) a variação de energia interna é negativa. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – TERMODINÂMICA - 1ª LEI GABARITO 1. B 2. D 3. E

MONITORIA FÍSICA TERMODINÂMICA - 1ª LEI

GABARITO

1.

B

2.

D

3.

E

4.

C

5. B

6.

B

7.

B

8.

E

9.

B

10. B

5. B 6. B 7. B 8. E 9. B 10. B proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA,

MONITORIA QUÍMICA TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA, ELETROPOSITIVIDADE)

1. (Ufg 2013) Para estimular um estudante a se familiarizar com os números atômicos de alguns

elementos químicos, um professor cobriu as teclas numéricas de uma calculadora com os símbolos dos

elementos químicos de número atômico correspondente, como mostra a figura a seguir.

atômico correspondente, como mostra a figura a seguir. Nessa calculadora, se o estudante adicionar o elemento

Nessa calculadora, se o estudante adicionar o elemento de menor número atômico com o de maior eletronegatividade, elevar a soma ao elemento cujo número atômico seja um número primo par e, em seguida, calcular o logaritmo do resultado, acionando a tecla log, o resultado final será um dígito, cuja tecla corresponde ao símbolo

a)

de um gás nobre.

b)

do elemento mais eletronegativo.

c)

do elemento de menor número atômico.

d)

de um halogênio.

e)

do elemento menos eletronegativo.

2.

(Upf 2017) Em 1869, Mendeleev ordenou os elementos em função de suas massas atômicas

crescentes, respeitando suas propriedades químicas. O trabalho foi tão importante que ele chegou a prever a existência de elementos que ainda não haviam sido descobertos. Em um comunicado à imprensa no dia 30 de dezembro de 2015, a União Internacional de Química Pura e Aplicada (Iupac) e a União Internacional de Física Pura e Aplicada (Iupap) reconheceram oficialmente a existência de quatro elementos químicos descobertos nos últimos anos. Os quatro novos elementos da Tabela Periódica

foram produzidos artificialmente e denominados Nihonium (símbolo Nh e elemento 113), Moscovium (símbolo Mc e elemento 115), Tennessine (símbolo Ts e elemento 117) e Oganesson (símbolo Og e elemento 118). Com base na tabela periódica atual, é correto afirmar que:

a) A maior ou menor facilidade com que o átomo de um elemento perde elétrons é importante para determinar seu comportamento. A energia de ionização de um elemento é a energia necessária para remover um elétron do átomo desse elemento no estado gasoso, passando, assim, o átomo, para um estado de estabilidade.

b) A maioria dos elementos de transição possui características semelhantes às dos outros metais, como condutibilidade térmica e elétrica e brilho, além de apresentarem ampla variação de dureza e de temperatura de fusão e ebulição. Os átomos dos elementos de transição geralmente formam compostos coloridos e apresentam o elétron de maior energia no subnível f.

e apresentam o elétron de maior energia no subnível f. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA,

MONITORIA QUÍMICA TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA, ELETROPOSITIVIDADE)

c) As propriedades periódicas estão relacionadas com a possibilidade de os átomos de um elemento interagirem com os átomos de outros elementos, causando modificações em suas eletrosferas, o que significa que a eletrosfera define o comportamento químico dos átomos.

d) Quando dois átomos estão ligados, há interação elétrica de atração entre os núcleos dos átomos e os elétrons da última camada de ambos. A eletropositividade está associada à energia gerada a partir da saída de um elétron num átomo do elemento no estado gasoso.

e) Os constituintes dos blocos s e p são conhecidos, também, como elementos representativos, em função da similaridade entre muitas propriedades decorrentes do caráter regular das suas configurações eletrônicas. Os elementos representativos são os elementos cujo subnível de menor energia da distribuição eletrônica de seus átomos é s ou p.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Segundo o Centro de Tecnologia Mineral, cerca de 70% dos metais pesados e demais elementos potencialmente tóxicos encontrados em lixões e aterros sanitários são provenientes de equipamentos eletrônicos, entre eles, computadores, celulares e baterias descartados, que contaminam o solo e os lençóis freáticos, colocando em risco a saúde pública, pois causam muitas doenças graves e a grande maioria também é cancerígeno.

A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos.

A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os
A tabela a seguir apresenta alguns destes elementos. 3 . (G1 - ifsul 2017) Dentre os

3. (G1 - ifsul 2017) Dentre os elementos mencionados na tabela acima, apresentam, respectivamente,

maior eletroafinidade e maior raio eletrônico

a)

b)

c)

d)

Se A Be Li e e Te. Se.

e Pt.

e Bi.

a) b) c) d) Se A Be L i e e Te. Se. e Pt. e

4.

Química. Por meio da tabela é possível prever as propriedades químicas dos elementos e dos compostos

formados por eles. Com relação aos elementos C, O e Si, analise as proposições.

(Udesc 2016) A tabela periódica dos elementos químicos é uma das ferramentas mais úteis na

I. O átomo de oxigênio apresenta maior energia de ionização.

II. O átomo de carbono apresenta o maior raio atômico.

III. O átomo de silício é mais eletronegativo que o átomo de carbono.

IV. O átomo de silício apresenta maior energia de ionização.

V. O átomo de oxigênio apresenta o maior raio atômico.

V. O átomo de oxigênio apresenta o maior raio atômico. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA,

MONITORIA QUÍMICA TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA, ELETROPOSITIVIDADE)

Assinale a alternativa correta.

a)

Somente a afirmativa V é verdadeira.

b)

Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.

c)

Somente as afirmativas IV e V são verdadeiras.

d)

Somente a afirmativa I é verdadeira.

e)

Somente a afirmativa III é verdadeira.

5.

(Uema 2016) Leia a notícia abaixo divulgada em jornal maranhense.

“Furto de fiação elétrica, telefônica, de internet e de TV causa prejuízos em São Luís”. São cabos de cobre e de alumínio, levados por bandidos que furtam não apenas as redes de telefonia, mas principalmente a rede elétrica. Esses materiais são visados por criminosos por causa do alto valor de venda no mercado.

Jornal o Estado do Maranhão. Adaptado.

Pode-se afirmar em relação às propriedades dos metais citados que

a)

ambos possuem alta eletronegatividade.

b)

o

cobre forma cátion e o alumínio forma ânion.

c)

ambos têm dificuldade de doar seus elétrons mais externos.

d)

ambos possuem alta eletropositividade.

e)

o

cobre forma ânion e o alumínio forma cátion.

6.

(Ufla 2010) Com relação às propriedades periódicas dos elementos, assinale a alternativa cujos termos

preenchem CORRETAMENTE os espaços na ordem apresentada:

I Os raios II A primeira III A primeira

dos elementos do Grupo 17 são menores que seus respectivos raios de um átomo é sempre um processo de um átomo geralmente é um processo

a)

I atômicos, iônicos. II afinidade eletrônica, endotérmico. III energia de ionização, exotérmico.

b)

I

iônicos, atômicos. II energia de ionização, exotérmico. III afinidade eletrônica, endotérmico.

c)

I iônicos, atômicos. II afinidade eletrônica, exotérmico. III energia de ionização, endotérmico.

d)

I

atômicos, iônicos. II energia de ionização, endotérmico. III afinidade eletrônica, exotérmico.

7.

(Uern 2013) De acordo com as propriedades da tabela periódica, marque a alternativa INCORRETA.

a)

Quanto maior um átomo, menor é a energia de ionização.

b)

O sódio apresenta um raio atômico maior do que o magnésio.

c)

Eletroafinidade é a energia absorvida quando um elétron é adicionado a um átomo neutro.

d)

A eletronegatividade aumenta de baixo para cima nas famílias da tabela periódica e, da esquerda para

a direita, nos períodos.

periódica e, da esquerda para a direita, nos períodos. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA,

MONITORIA QUÍMICA TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA, ELETROPOSITIVIDADE)

8. (Pucrs 2013) Analise o texto a seguir:

Na montagem de um automóvel, geralmente são usados vários metais e ligas metálicas, como, por exemplo, ferro, na forma de aço, na lataria; cobre, nos fios elétricos; ligas de alumínio, magnésio e outros metais, nas rodas; chumbo, na bateria; níquel, nos adornos e acabamentos metálicos, entre outros.

Em relação aos metais citados, é correto afirmar que

a) magnésio e alumínio estão no mesmo grupo da tabela periódica.

b) ferro, cobre e níquel são elementos representativos e estão no mesmo período da tabela periódica.

c) o chumbo tem maior ponto de fusão do que os demais elementos.

d) o cobre é menos denso do que o alumínio.

e) o magnésio tem símbolo Mg e é o mais eletropositivo.

9. (Ufrgs 2014) A usina nuclear de Fukushima continua apresentando problemas de vazamento de materiais radioativos. Estima-se que grandes quantidades de césio e estrôncio radioativo teriam chegado ao Oceano Pacífico, através da água subterrânea acumulada no subsolo da usina. Os isótopos radioativos mais significativos nesses vazamentos seriam césio-134, césio-137 e estrôncio-90.

Sobre os átomos de césio e estrôncio, considere as afirmações abaixo.

I. Césio é o mais eletropositivo e o de menor potencial de ionização entre todos os elementos químicos, à exceção do frâncio que tecnicamente tem sua abundância considerada como zero em termos práticos. II. O isótopo radioativo estrôncio-90 representa um sério risco, tendo em vista que pode substituir com facilidade o cálcio dos ossos, pois ambos formam cátions com carga 2+ e apresentam raios iônicos com valores relativamente próximos. III. Os átomos dos isótopos de césio-134, de césio-137 e de estrôncio-90 emitem radiações altamente ionizantes devido à grande eletronegatividade desses isótopos.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas III.

c) Apenas I e II.

d) Apenas II e III.

e) I, II e III.

10. (Pucmg 2015) Sobre a afinidade eletrônica, é INCORRETO afirmar:

a) Os metais são os elementos químicos que apresentam as menores afinidades eletrônicas.

b) Os ametais são os elementos químicos que apresentam as maiores afinidades eletrônicas.

c) Ela aumenta de baixo para cima na tabela periódica.

d) Ela aumenta da direita para a esquerda na tabela periódica.

Ela aumenta da direita para a esquerda na tabela periódica. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA,

MONITORIA QUÍMICA TABELA PERIÓDICA (PROPRIEDADES DA TABELA - ELETRONEGATIVIDADE, AFINIDADE ELETRÔNICA, ELETROPOSITIVIDADE)

GABARITO

1.

A

2.

C

3.

A

4.

D

5. D

6.

D