Vous êtes sur la page 1sur 44

Guia Prático

Criar um negócio na internet


Guia Prático: Criar um negócio na internet
1

Guia Prático
Criar um negócio na internet
Guia Prático: Criar um negócio na internet
3

Conteúdo
Criar um negócio na internet ................................................................................... 5
10 Razões para Empreender um negócio na Internet ....................................... 5
A Internet – facts and figures ................................................................................... 6
Empreendedorismo Digital ...................................................................................... 8
Porquê? ............................................................................................................................. 8
O quê? ............................................................................................................................... 8
Como? ............................................................................................................................... 9
Quando? ........................................................................................................................... 9
Visão, Missão e Valores .................................................................................................... 9

MODELOS DE NEGÓCIO ........................................................................................... 10


1. Segmentação de Mercado – quem são os seus clientes? ............................................. 12
2. Proposta de Valor – o que propõe vender aos seus clientes? .................................... 13
3. Canais de Comunicação e Distribuição – como chega aos seus clientes? .................. 14
4. Relação com o Cliente – como comunica como o seu cliente? .................................. 15
5. Receita – como capturar valor? .................................................................................. 16
6. Recursos e Competências – sobre que activos pode ser criado o seu negócio? ........ 16
7. Operacionalidade - que actividades definem o seu negócio? .................................... 17
8. Parceiros – que rede de parcerias pode beneficiar o seu negócio? ........................... 17
9. Estrutura de Custos – quais são os seus custos mais significativos? .........................18

MODELOS DE NEGÓCIO NA INTERNET ............................................................ 19


1. Segmentação de Mercado na Internet ........................................................................ 20
2. Proposta de Valor na Internet .....................................................................................21
3. Canais de Comunicação e Distribuição na Internet ....................................................22
4. Receita na Internet ......................................................................................................24
5. Recursos e Competências na Internet ........................................................................ 27
6. Operacionalidade na Internet .....................................................................................28
7. Parceiros na Internet ...................................................................................................29
8. Estrutura de Custos na Internet .................................................................................29
Guia Prático: Criar um negócio na internet
4

IMPLEMENTAÇÃO .................................................................................................... 30
Plano de Negócios .......................................................................................................... 30
Financiamento ............................................................................................................... 31
Propriedade intelectual .................................................................................................. 31
Desenvolvimento e implementação técnica ...................................................................32

WORKBOOK ............................................................................................................... 35
exercício A. ...................................................................................................................... 35

ANEXO I. Processo de formalização da empresa e outros aspectos legais ................... 35

CONTACTOS ÚTEIS .................................................................................................. 37


Guia Prático: Criar um negócio na internet
5

Criar um negócio na internet

Esta manual pretende ser inspirador e prático, oferecendo assim ideias e pensamento
crítico para empreender o seu negócio na Internet. Pretende-se também que seja de fácil
leitura como um todo ou como referencia. Não existe no entanto empreendedorismo
sem risco, e por isso aprender com os próprios erros é, em última instância a melhor
forma de desenvolver o seu negócio.
Certamente já terá ouvido falar por diversas vezes em modelo de negócio, inovação,
diferenciação, vantagem competitiva. Estes termos, apesar de muito comuns no meio
empresarial e de gestão, raramente são apresentados de forma simples e acessível no
que diz respeito à sua prática. Este manual pretende preencher essa lacuna no sector de
empreendedorismo na internet através da explicação deste conceitos por forma a tornar
o processo mais competitivo.
Através da leitura desta manual, desenvolverá competências que lhe permitirão:
1. entender o modelo do seu negócio como um todo bem como as partes que o compõem
se articulam entre si
2. argumentar e discutir as suas ideias de negócio numa linguagem comum com profissionais
de gestão e negócios
3. reflectir sobre as estruturas que suportam o seu modelo de negocio
É impossível tornar-se um empreendedor se apenas o imaginar. Para se tornar como tal
terá de passar à acção e pôr os seus sonhos em prática.

10 Razões para Empreender


um negócio na Internet
1. Baixo investimento os custos de investimento de concretizar uma ideia de negócio
através da construção de um website é provavelmente a forma mais acessível de
começar um negócio. Apesar de poder, se quiser, investir montantes mais elevados
para a sua ideia, há um historial vastíssimo de websites de “baixo orçamento” que se
consolidaram como negócios de sucesso.
2. Redução drástica de custos administrativos Gerir encomendas por telefone ou por cor-
reio exigem recursos significativos e portanto, dos custos administrativos. Um website
comercial apresenta-se indiscutivelmente como o processo de gestão de encomendas
mais eficiente, rápido, preciso, e que permite uma redução de custos administrativos.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
6

3. O seu catálogo de produtos mantém-se sempre actualizado Um catálogo impresso pode


facilmente chegar a preços proibitivos, e não apresenta a opção de reimpressão para
actualizar um produto ou um preço. Um catálogo online pode ser actualizado em minutos.
4. Custos de impressão e correio são eliminados Os seus cliente podem fazer o download
de toda e qualquer informação que queiram do seu website.
5. Baixos custos de recursos humanos Um website, ao contrário de uma empresa com
instalações físicas, pode ser gerido operacionalmente de forma optimizada.
6. Aberto 24 horas por dia
7. O seu mercado é global. Os seus potenciais clientes são toda a população mundial que
acede à internet. Com o acesso a uma ferramenta de análise de tráfego do seu website
poderá ver de que países vêm os visitantes do seu website.
8. Pode criar a sua empresa online sem burocracias Na sua generalidade, os pequenos
negócios de internet pode ser geridos sem grande interferência e envolvimento das
autoridades económicas. No caso de crescimento do negócio e contratação de colab-
oradores há que considerar os decretos de lei e normas relevantes.
9. Não há situações cara-a-cara com clientes insatisfeitos Não há como evitar ou ignorar
clientes insatisfeitos em qualquer negócio, no entanto, de facto, no caso dos negócios
na internet, a sua qualidade de serviço determinará a sua relação com o seu cliente.
10. É fácil fazer-se ouvir usando o seu website e o seu email, terá total controlo sobre
quando e como a sua mensagem é transmitida ao mercado.

A Internet – facts and figures

O crescimento e penetração da internet na sociedade têm mudado as regras de jogo. Hoje


em dia milhares de empresas em todo mundo foram criadas no ambiente digital no sentido
de competir com as grandes multinacionais, e de facto, muito do seu sucesso deve-se ao
facto de que a nova conjuntura digital favorece pequenas empresas que apostam na sua
flexibilidade, astúcia, resiliência e rapidez de resposta a alterações de mercado.
Em seguida apresentam-se os resultados e as previsões dos mercados de comercio elec-
trónico e também de publicidade na Internet para três contextos distintos: Nacional,
Europeu e Mundial.

Comércio electrónico
Nacional – Em Portugal, como no resto do mundo, o sector do comércio electrónico
tem demonstrado uma subida continuada1, sendo que 65% dos sites analisados afirmaram
Guia Prático: Criar um negócio na internet
7

que o número de clientes subiu até 20%, sendo que as expectativas são de crescimento
continuado, demonstrando assim uma capacidade de resistência do comércio electrónico
ao ambiente económico recessivo sendo que 84% dos consumidores estão satisfeitos
com compras na internet. As principais categorias de produtos e serviços transaccionados
através do comércio electrónico continuam a ser produtos de informática, electrónica/
telemóveis e alimentação/bebidas, tabacaria/charutos.

Europeu – O mercado de comércio electrónico na Europa regista uma forte contribuição


e importância no segmento da Europa Ocidental. Este mercado deverá crescer de 11%
por ano nos próximos quatro anos. Os produtos mais populares para comprar on-line
são livros, bilhetes para eventos e vestuário.

Mundial – prevê-se que o mercado de comércio electrónico global atinja o valor de 680
mil milhões de dólares até o final de 2011, um aumento de 18,9 por cento em comparação
com 2010 2. Prevê-se ainda um crescimento de 19,4% entre 2010 e 2013.

Publicidade na Internet
Nacional – Em Portugal, nos próximos anos prevê-se que o investimento em publicidade
nos segmentos de Internet e televisão mantenham a tendência de crescimento 3. O mercado
da publicidade online tem apresentado uma maturidade e reflecte o crescimento de todo
o universo digital, dos sites aos motores de busca, mas também nas redes sociais e mobile.
O investimento publicitário global em Portugal, deverá situar-se nos 673,5 milhões de
euros este ano. Desse valor, 5,8 por cento serão destinados à publicidade em canais de
televisão por cabo e 5,2 por cento à Internet.
Europeu – em 2010, o mercado europeu viu o seu o valor total de investimento em pub-
licidade online corresponder a 27,7% do valor global, ou seja, 17,1 mil milhões de dólares.

Prevê-se um crescimento sustentando de um dígito até 2014 para o mercado europeu de


publicidade online que, nesse apresentará valores na ordem dos 24,3 mil milhões de dólares4.
A Itália e a Espanha ainda estão atrás da França e na Alemanha na percentagem da
publicidade que vai para a Internet, mas enquanto estes mercados menos desenvolvidos
numa perspectiva online têm contudo demonstrado crescimentos rápidos.

1 Relatório da ACEPI/Netsonda, 3º trimestre do ano de 2010


2 JP Morgan Relatório “US, global e-commerce industry set for significant growth – report” Janeiro 2011
3 Correio da Manhã 10 Janeiro 2011
Guia Prático: Criar um negócio na internet
8

Mundial – As previsões para o mercado global de publicidade on-line apontam para


uma dimensão de 72,76 mil milhões de dólares em 2015, impulsionado pela base crescente
de utilizadores tanto nos países desenvolvidos como emergentes. Apesar do abranda-
mento temporário do crescimento deste sector em 2009 devido à recessão, o mercado
assistiu a uma rápida recuperação no início de 2010 que tem vindo a consolidar-se ao
longo do ano de 2010 inicio de 2011, indiciando assim um crescimento robusto do mercado
de publicidade online5.

Empreendedorismo Digital

Porquê?
Para todos nós que nos decidimos a passar de uma ideia a um negócio real, a primeira
questão será: Porquê faze-lo? Certamente aparecerão vários obstáculos por ultrapassar,
situações de solução de compromisso, e muitas decisões difíceis. Por isso, vale a pena
primeiramente reflectir porquê o queremos fazer.
exemplo:
tenho uma ideia de negócio com grande potencial; quero aplicar as minhas competências de liderança

O quê?
Em que sector de negocio se enquadra? A resposta vem dos seus clientes. Por exemplo,
pode pensar que está na área da criação de website mas os seus clientes podem vêem-no
como consultor de marketing. Ouça o que os seus clientes pensam de si. Não se coíba
de se pôr do lado do cliente e pensar “ Porquê que eu preciso deste serviço/produto?”
para assim entender melhor como os seus clientes valorizam o seu negócio e quais a suas
expectativas.

4 eMarketer Relatório Junho 2010


5 Global Industry Analysts, “A Global Strategic Business Report” Fevereiro 2011
Guia Prático: Criar um negócio na internet
9

exemplo:
e-loja de produtos tradicionais; venda de serviços B2B

Como?
Como se vai posicionar o seu negócio, quais são os seus valores e qual é a sua missão. Por
vezes, factores tão simples como a capacidade de fazer o seu cliente ouvido e respeitado
podem dotar o seu negócio de uma vantagem competitiva real.
exemplo:
produtos baratos e de qualidade; produtos personalizados e alta qualidade de serviço ao cliente

Quando?
Será a altura certa para faze-lo? Estará preparado para começar o seu negócio? Quando
tiver respondido às questões acima, reflicta sobre se é o momento certo para concretizar
um modelo de negócio realista e tangível.
exemplo:
agora, a conjuntura de mercado é excelente!; talvez esperar por um mercado mais favorável

Visão, Missão e Valores


A “Visão” descreve o que se propõe alcançar, o seu “sonho” descrito em palavras e números
e de forma apelativa tanto para os seus colaboradores como para os seus clientes.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
10

A “Missão” descreve o que se propõe fazer para alcançar a sua “Visão” através de uma
conduta profissional e pessoal, os seus “Valores”.

● Articule as suas ideias com as perguntas “Porquê, O quê, Como, Quando” para
começar o seu negócio com mais confiança e preparação
● É imperativo construir um modelo de negócio robusto e realista para dar seguimento
à sua ideia
● Clarifique a sua definição de sucesso – a sua “Visão”
● Clarifique a definição de “Missão” para o seu negócio
● Reconheça e mantenha-se fiel aos seus “Valores”
● Reflicta se será a altura certa para arrancar

MODELOS DE NEGÓCIO

Os modelos de negócio na Internet continuam a ser um tema pouco consolidado apesar


da maturidade já atingida pelas tecnologias digitais. Não só para os empreendedores
pessoais, como também para o mundo empresarial, existe actualmente a necessidade
real de estabelecer um procedimento de criação de negócio no mundo digital que minimize
os riscos de insucesso, e defina dentro de um quadro geral as orientações estratégicas
para a avaliação de requisitos tecnológicos e legais, bem como a viabilidade económico-
financeira do projecto.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
11

Algumas perguntas considerar:


• Será que eu tenho perfil e condições para montar um negócio na Internet e ser um
empreendedor de sucesso?
• Será que o produto que pretendo vender é um bom produto para vendas on-line?
• Quais as características que fazem um produto ser bem-sucedido na Internet?
• Quais os produtos e modelos de negócios que vêm tendo sucesso online?
• Como estimar o número de visitantes do site, necessário para viabilizar um negócio
na Internet?
• Onde posso obter mais informações preciosas e gratuitas sobre cada uma das
oportunidades de negócios apresentadas?

O manual proposto propõe, para além de abordar outros tópicos de análise, responder
às questões acima mencionadas.
A internet é simultaneamente um canal de distribuição e uma plataforma comercial.
Não se esqueça de considerar estas duas vertentes em todas as suas iniciativas.
A capacidade de conhecer bem e inovar o seu modelo de negócio é crucial para o seu sucesso.

É cada vez mais fundamental analisar e melhorar o seu modelo de negócio num pan-
orama de mercada global e competitivo. No passado, cada sector de negócio era so-
bretudo caracterizado pelo seu modelo de negócio, dando assim primazia à eficiência
de processos. Hoje em dia o cenário é outro. Cada empresa, em qualquer sector, deve
apresentar modelos de negócio híbridos ou co-existentes, sendo que a sua vantagem
competitiva é alcançada através da inovação do seu modelo de negócio. Esta perspectiva
é corroborada pela maioria dos quadros administrativos que, segundo os dados actuais,
têm a convicção que a inovação do modelo de negócio se tem tornado o factor estratégico
diferenciador, e que portanto, é algo a investir seriamente.
Isto não significa que as ferramentas tradicionais de análise de negocio tais como a melhoria de
processos não sejam questionados, mas sim que devem ser complementados com a inovação
do modelo de negocio por forma a melhor adaptarem-se a mercado actual.

Este manual permite entender o conceito de modelo de negócio de uma forma simples,
lógica e articulada.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
12

O que é o Modelo de Negócio?


O modelo de negócio da sua empresa é uma forma simplificada de representar a sua
lógica de negócio. Descreve o que a empresa vende ao seus clientes, como comunica e
posiciona o seu produto, através de que recursos e/ou parceiros, e por fim quais os seus
fluxos financeiros.

Descreva o seu modelo de negócio


Descrever e inovar o seu modelo de negócio é um trabalho de equipa, sendo que exige
uma visão por inteiro da lógica de negócio e organização da empresa considerando todos
os elementos possíveis. Poderá começar por desenhar em forma de diagrama como vê o
modelo de negócio que lhe parece mais indicado para a sua ideia. É essencial considerar
todas a perspectivas dos diferentes membros da equipa.
Poderá descrever o seu modelo de negócio através dos 9 elementos que o compõem:

Canais de
Segmentação de Proposta Relação Receita
mercado de Valor
comunicação com o Cliente
e distribuição

Estrutura de Custo Parceiros Operacionalidade Recursos

1. Segmentação de Mercado – quem são os seus clientes?

Segmentar o mercado é o resultado da divisão de um mercado em pequenos grupos


de características semelhantes. Este processo é derivado do reconhecimento de que o
mercado total representa o conjunto de grupos com características distintas, que são
chamados segmentos. Em função das semelhanças entre si, os consumidores podem ser
caracterizados por grupos, ou segmentos, sendo que dentro de cada segmento os con-
sumidores tendem a responder de forma similar à uma proposta de valor, apresentado
por isso sentimentos e percepções semelhantes sobre um determinado produto ou acção
de comunicação.

Segmentação dos seus clientes pode incluir várias características como por exemplo in-
formação demográfica ou geográfica, necessidades e ambições. Poderá ainda determinar
Guia Prático: Criar um negócio na internet
13

elementos estatísticos úteis sobre cada segmento, tal como a rentabilidade, potencial de
crescimento, etc. A definição clara do segmento de mercado que uma empresa pretende
abordar é uma parte integral do seu modelo de negócio.

Objectivo
Segmentação de Mercado

Descrição
Dividir os seus potenciais clientes por grupos de características semelhantes

Questões
● Para quem pretende criar valor?
● A diferença entre cada segmento é porque:
- Tem uma proposta de valor diferente para cada um?
- A comunicação e distribuição são feitas de forma diferente?
- Apresentam rentabilidades diferentes?

2. Proposta de Valor – o que propõe vender aos seus clientes?

A proposta de valor é o resultado tangível que seus clientes terão ao adquirir o seu produto
ou serviço. Quanto mais específica for a sua proposta de valor, focando-se sobretudo
nos benefícios dos produtos/serviços e não tanto nas características e capacidades dos
mesmos, mais possibilidade terá de atingir o sucesso.

A sua proposta é o que atrairá os seus clientes, e representa o valor que eles estão dis-
postos a pgar pelo seu produto / serviço. Uma boa proposta de valor deve geralmente
corresponder a uma vantagem para o cliente, ou seja, ao fazer um investimento (comprando
o seu produto ou serviço), o seu cliente percepciona como resultado da compra uma
equação positiva - que ele terá um retorno maior, quantitativo ou qualitativo, do que
gastou nessa compra.

Poderá, se lhe parecer apropriado, criar uma proposta de valor para cada segmento de
mercado que definiu previamente, apresentando portanto uma gama de produtos ou
serviços diferenciados.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
14

Para tal, faça uma análise de mercado, investigando e compilando o maior volume de
informação relevante sobre o mercado consumidor do produto/serviço: como está seg-
mentado, as características do consumidor, análise da concorrência, a participação de
mercado do empreendimento e a dos principais concorrentes, os riscos do negócio etc.
A análise do mercado envolve pelo menos três dimensões: o mercado consumidor actual
e potencial, os fornecedores e os concorrentes actuais e potenciais.

O desafio para um empreendedor é não confiar plenamente na primeira ideia que se teve
e reflectir antes de investir. Como tal, submeta as suas ideias de negócio a uma analise de
viabilidade e avance com a que para a qual foi demonstrada maior potencial de negócio.

Objectivo
Proposta de Valor

Descrição
Identificar qual o valor criado e a oferta para os segmentos de mercado definidos que o
seu produto / serviço

Questões
● O que pretende acrescentar ao mercado existente?
● Justifica-se segmentar a sua oferta tendo em conta os segmentos de mercado que definiu?
● Haverá pontos onde poderá colaborar com os seus concorrentes?
● Quais são os resultados tangíveis que seus clientes terão ao comprar o seu produto ou serviço?
● Qual a percepção dos seus clientes do seu negocio em relação aos seus concorrentes?

3. Canais de Comunicação e Distribuição


– como chega aos seus clientes?

Os canais de comunicação e distribuição representam os meios através dos quais a sua


empresa chega aos seus clientes ou potenciais compradores, sendo portanto uma interface
entre a sua empresa, a proposta de valor e o cliente final. Poderá tomar a forma de
publicidade, venda e posicionamento de produto em lojas ou online, representantes
comerciais, etc. A importância deste elemento no modelo de negócio actual tem-se
mostrado cada vez maior, e como tal, a oferta de opções para actuações de comunicação e
distribuição tem crescido significativamente nos últimos anos. A determinação de uma
Guia Prático: Criar um negócio na internet
15

estratégia integrada dos canais de comunicação e distribuição pode revelar-se um me-


canismo de diferenciação e como tal, uma vantagem competitiva.

Objectivo
Canais de comunicação e distribuição

Descrição
Determinação e análise dos canais através dos quais a sua proposta de valor chega aos
seus clientes ou potenciais compradores

Questões
● Através de que canais de chega aos seus clientes?
● Qual a rentabilidade de cada um desses canais?
● Através de que

4. Relação com o Cliente – como comunica como o seu cliente?

A sua gestão da relação com o seu cliente, e a não decepção de expectativas, é crucial para
a maioria dos modelos de negócios actuais inseridos num mercado altamente competitivo. Essa
gestão pode e deve ser coerente com os segmentos de mercado que definiu como seus
potenciais clientes. De forma geral, um cliente comprador de um produto caro espera
uma relação de confiança e personalização, ao contrário de um cliente comprador de um
produto de preço baixo.

Objectivo
Relação com Cliente

Descrição
Que tipo de relação pretende construir com o seu cliente

Questões
● Pretende adoptar diferentes tipos de relação consoante o seu segmento de mercado?
● Que recursos exigem cada um desses tipos de relação?
Guia Prático: Criar um negócio na internet
16

5. Receita – como capturar valor?

A receita é a entrada monetária que ocorre na empresa, em geral sob a forma de dinheiro
ou de créditos, e corresponderá normalmente à venda, aluguer, licenciamento, comis-
sionamento, entre outras actividades, de um produto ou serviços.
A sustentabilidade do seu modelo de negócio depende em grande parte de como a sua
empresa demonstra capacidade de capturar valor aos seus clientes, seja por meio de
receitas operacionais provenientes do objecto de exploração da empresa) e não-opera-
cionais ou extraordinárias (rendimentos complementares).

Objectivo
Estrutura de Receitas

Descrição
Como pretende capturar receita dos seus (segmentos de) clientes

Questões
● Quais são os canais de receita?
● Em termos de segmentação, quais são os canais de receita? E que fracção significam
no total da receita?

6. Recursos e Competências
– sobre que activos pode ser criado o seu negócio?

Os recursos e competências chave necessárias para começar a sua empresa é um aspecto


essencial no sentido de perceber como poderá criar valor com base nos recursos que
possui. Podem ser activos tangíveis, como aspectos da parte técnica e de conhecimento
de negócio, ou também activos intangíveis como por exemplo o valor percepcionado da
marca no caso de parcerias.

Objectivo
Recursos e competências que possui
Guia Prático: Criar um negócio na internet
17

Descrição
Definir os activos tangíveis e intangíveis que possui na sua equipa

Questões
● Quais são os recursos e competências chave sobre o qual vai ser construído o seu
negócio?
● Como é que eles se relacionam com os segmentos de produto e de mercado previamente
definidos?

7. Operacionalidade - que actividades definem o seu negócio?

A implementação de um modelo de negócio assenta numa operacionalidade que se pretende


que represente uma capacidade de funcionamento adequada aos padrões previamente
definidos com qualidade, simplicidade e agilidade.

Objectivo
Operacionalidade

Descrição
Identificar quais as operações / actividades fundamentais do seu modelo de negócio

Questões
● Quais as operações / actividades fundamentais do seu modelo de negócio?
● A operacionalidade proposta é definida consoante os segmentos de produto e de mercado
previamente definidos?

8. Parceiros – que rede de parcerias pode beneficiar o seu negócio?

A integração com parceiros de negócio forma ética, ágil e transparente é cada vez mais
crítica para o sucesso das empresas. No actual clima económico a maioria das empresas
são o resultado de uma rede de parcerias, no sentido de complementar a sua proposta de
valor, através de redução de custos, aumento de receitas e eficiência.

Deve questionar-se sobre o que pode fazer melhor do que os meus concorrentes, e encontrar
Guia Prático: Criar um negócio na internet
18

a vantagem competitiva no factor que o diferencia pela positiva dos seus concorrentes. No
entanto, pode e deve também questionar-se sobre se haverá espaço para uma colaboração
estratégica com outras empresas que completem a sua proposta de valor, ou até mesmo,
outras empresas concorrentes.

Objectivo
Rede Parceiros

Descrição
Determinar quais as empresas que poderão complementar a sua proposta de valor sob
a forma de parceria

Questões
● Quais os parceiros possíveis?
● Como poderão eles complementar a sua proposta de valor?
● Quais parceiros se enquadram nos diferentes segmentos de produto ou mercado?

9. Estrutura de Custos
– quais são os seus custos mais significativos?

A análise da estrutura de custos baseia-se, fundamentalmente, na identificação dos custos


e despesas gerados pelos processos da organização, e resulta directamente do conjunto
dos elementos de modelo de negócio acima descritos. Nomeadamente, a análise de es-
trutura de custos permite determinar os custos fixos e variáveis da empresa (despesas e
receitas da organização salários, amortizações e outros recursos), bem como identificar
a margem de contribuição de cada produto, e assim determinar a viabilidade dos produtos
e serviços oferecidos pela empresa.

Objectivo
Estrutura de Custos

Descrição
Determinação de custos fixos e variáveis da empresa
Guia Prático: Criar um negócio na internet
19

Questões
● Que elementos da sua empresa pesa mais na estrutura de custos?
● Poderão os custos ser articular consoante o segmento de produto ou mercado?

Nesta secção foram apresentados os aspectos principais sobre os quais assenta a criação
e desenvolvimento de um modelo de negócio, bem como as questões essenciais para a
clarificação das suas forças, fraquezas, o seu potencial de criação de oportunidades, e a
determinação de ameaças da parte do mercado.

Na seguinte secção pretende-se descrever, especificamente para o mercado da Internet,


os mesmos 9 blocos que compõem o modelo de negócio.

MODELOS DE NEGÓCIO NA INTERNET

Existem milhares de milhões de websites na internet, e cerca de 200 milhões de domínios


registados6, no entanto, entre todos estes apenas uma ínfima percentagem apresenta de
facto um modelo de negócio sustentável. Independentemente da sua ideia de negócio o
seu website precisa de gerar receitas e sustentabilidade a prazo.

Os modelos de negócio na internet são provavelmente o aspecto mais discutido e menos


entendido no meio da ciber-comunidade. Simplesmente, não existe até hoje, informação
que possa corroborar um modelo de negócio como o mais indicado na generalidade do
mundo virtual, e como tal muito empreendedores questionam-se sobre o verdadeiro
pay-off da criação de um negócio online. Se desenvolvimento e implementado de forma
articulada utilização da Internet como plataforma comercial permite a sistematização
e automatização dos processos ao nível transaccional a custos controlados. É possível
colaborar com fornecedores, prestadores de serviços e clientes na mesma plataforma a
custos menores do que os suportados através dos métodos tradicionais (tempo de compilação
da informação e meios de comunicação associados - telefone, email, etc…).

6 The Next Web, 2010


Guia Prático: Criar um negócio na internet
20

1. Segmentação de Mercado na Internet

Decidir quis os segmentos de mercado onde que pretender abordar é igualmente impor-
tante para estratégia de criação de negócio na Internet como numa estratégia de negócio
convencional.
O processo de segmentação exige o conhecimento do mercado por forma a poder aferir
as necessidades e potencial de rentabilidade de cada seguemento de mercado. Apesar de
várias semelhanças, os consumidores do mundo online têm muitas vezes características
demográfica, necessidade e um padrão de comportamento diferentes dos consumidores
tradicionais. E por isso, a segmentação de mercado para o seu negócio na Internet implica
uma abordagem específica onde poderão ser analisados diferentes elementos, tais como:
● Segmentação demográfica - por faixa etária, sexo, habilitações ou classe sociocultural;
● Segmentação geográfica - por país, ou região;
● Segmentação profissional – considerar o nível profissional dos seus potenciais clientes
permite-lhe, por exemplo, segmentar uma estratégia apenas para chefias;
● Segmentação de nichos - determinar quais os nichos de mercado que demonstram
necessidade ou interesses semelhantes;

Estes segmentos de utilizadores podem ser abordados de formas diferentes consoante a


proposta de valor que lhes quiser apresentar. Este procedimento, facilmente concretizado
nos websites é usado amplamente por marcas que apresentam, por exemplo, diferentes
produtos de acordo com a proveniência geográfica dos visitantes do seu website.

Para além disso, depois de conseguir que os seus visitantes se registem no seu website,
tem a partir de aí uma base de informação essencial - através da análise de tráfego do
website, histórico de compra de cada utilizador registado, etc - para desenvolver um
pouco mais a segmentação que definiu previamente para a sua proposta de valor ou
estratégia de marketing.

O poder da Internet é que inclui todo o mercado global, mas também por isso será melhor
definir qual o segmento de mercado, ou mesmo nicho, para o qual pretende enfocar a
sua proposta de valor e a estratégia marketing.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
21

2. Proposta de Valor na Internet

A sua proposta de valor online será o que transmite a diferenciação da sua presença online.
Demasiadas vezes empresas tradicionais simplesmente transportam a sua proposta de
valor para a Internet, o que resulta numa estratégia difusa e representa um desconhe-
cimento da área de negócio na Internet, já que não tira partido das propriedade únicas
dos meios digitais, tais como o seu imediatismo, interactividade, e vastidão de conteúdo.
O mundo virtual está cheio de oportunidades de facto, mas também com desafios com-
petitivos muito altos. Imagine-se numa rua onde a sua loja é igual a todas, vende os mesmos
produtos, e apenas tem poucos segundos para captar um cliente… isto é a Internet!

O que é uma proposta de valor online?


A sua proposta de valor online deve ser uma forma sucinta de captar o interesse do
utilizador para o seu website ou marca. Desta forma deve transmitir o benefício que o
utilizador usufruirá do conteúdo, serviço ou funcionalidade que lhe apresenta. Uma boa
proposta de valor contribui também para o uso continuado do seu serviço, ou fidelidade,
pelo cliente.

Alguns aspectos a ponderar para formular uma proposta de valor online:


● Identificar claramente a vantagem competitiva entre a sua proposta de valor online e
as propostas de valor convencionais
● Identificar claramente a vantagem competitiva entre a sua proposta de valor online
e as propostas de valor dos seus concorrentes, seja pelo preço, inovação de produto,
qualidade de serviço
● Enfoque-se no segmento de mercado que definiu
● Como será essa proposta de valor transmitida no seu website?
● Como é que a sua proposta de valor inclui outras fases do processo de compra como a
pré-venda e pós-venda?

Concluindo, ter uma proposta de valor online bem conseguida trazer-lhe-á benefícios
tais como:
● permite diferenciar o seu website do seus concorrentes;
● funciona como referência da sua estratégia de comunicação não só para o mercado
como também para a sua equipa;
● se for suficientemente clara e com impacto poderá funcionar também como um slogan;
Guia Prático: Criar um negócio na internet
22

● sobretudo para utilizadores que não conheçam a sua marca, será a principal razão para
não saírem do seu website nos poucos segundos em que pensam “O que é que este
website me pode oferecer?”

Referência de uma proposta de valor para Comércio Electrónico


Para plataformas de comércio electrónico, a proposta de valor necessita de cativar o
potencial cliente a ultrapassar a sua inércia de compra. Como referência siga o seguinte
raciocínio:
1. Proposta de produto – quais são as características do produto (cor, tamanho, etc),
imagens do produto, qual a disponibilidade do produto (há em stock, esgotado, breve-
mente em stock)?
2. Proposta de preço – quanto custa, com ou sem IVA, custos de envio ou entrega,
descontos?
3. Proposta de entrega ao cliente – como será entregue, quais são as opções disponíveis
(grátis, rápida, barato), quais são as condições de entrega, política de reembolso ou
troca, garantia?
4. Proposta de pagamento – como poderá ser feito o pagamento, que informação é apre-
sentada no processo de compra (privacidade, segurança, protecção de dados), como
poderá o vendedor ser contactado?
5. Proposta de registo – é preciso registo no website, que elementos pessoais são pedido,
quais os benefícios e condições de ser registado?"

3. Canais de Comunicação e Distribuição na Internet

Ao contrário do que se possa pensar, um negócio na internet não se resume apenas ao


produto e à eficiência da tecnologia Internet. De facto, há uma máxima que diz “Os cli-
entes podem ser virtuais, mas os euros são reais”

A importância de ter um serviço ao cliente eficaz e de atenção não deve ser menospreza-
da para alcanças um negócio de sucesso.

Como poderá ter um bom serviço ao cliente?


• Antecipe-se às dúvidas dos seus clientes Vários websites antecipam as questões dos
seus clientes e listam as respostas na página de Perguntas Frequentes (FAQs). Este
ponto poupará tempo aos seus clientes e também a si visto que diminuirá em grande
Guia Prático: Criar um negócio na internet
23

parte os emails com as dúvidas ou queixas mais frequentes.


• Mantenha o contacto com os seus clientes At Faça-o por email, newsletter, por telefone….
como entender. Por vezes, apenas o facto de manter o contacto com os seus ex-clientes
é o suficiente para os ganhar de volta.
• Responda de forma célere A internet é um meio de informação instantâneo, ambicione
responder aos seus clientes num prazo de 24 horas. Organize os seus recurso por forma
a atingir a maior eficiência possível.
• Faça da usabilidade um trunfo do seu website Nem todos os clientes têm a capacidade
de navegar na internet como os jovens, e como tal, ajude-os a comprar. Todos os dias,
milhares de pessoas se tornam cibernautas pela primeira vez, e portanto, a usabilidade
de um website, para além de se tornar uma competitiva perante o seus concorrentes, é
fulcral para direccionar o utilizador para a compra.
• Apresente diferentes opções de contacto É também importante que o seu website ofereça
diferentes opções para os seus utilizadores poderem entrar em contacto com a sua
empresa, seja por e-mail ou telefone.

Seguir estes passos é apenas uma parte de todas a incitativas que deve tomar no sentido
de garantir um serviço ao cliente à altura da sua ideia. Uma boa atitude e o enfoque no
cliente são também regras fulcrais que deve ser aplicadas por si e pela sua equipa. Um
serviço de cliente de grande qualidade é uma excelente premissa para o crescimento do
seu negócio.

Comunicação
Igualmente importante, será a sua estratégia de marketing apropriada à captação de
clientes e construção de visibilidade da sua marca? O que poderá atrair utilizadores ao
seu website? Para competir com empresas de outra dimensão, que apresentam uma ca-
pacidade de investimento em marketing e publicidade digital, há que fazer marketing
criativo e ser persistente.

O seu website já está online mas ninguém sabe que ele existe, nem conseguir concretizar
vendas. Seguem-se algumas sugestões do que poderá fazer, com investimento zero, para
superar este desafio.

• Frequentemente a maioria dos visitantes de um website é direccionado através de um


motor de busca. Para que um motor de busca possa indexar o seu website, terá que o
registar.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
24

• Para vários negócios online, a ferramenta de e-mail direccionado pode ser o meio mais
barato e eficaz de fazer crescer os valores de tráfego no seu website. De facto, ninguém
lê um email de spam, no entanto, um email direccionado ao seu cliente é informativo
e pessoal despertando facilmente o interesse do seu leitor.
• Ponha sempre a morada do seu website (URL) no seu cartão de apresentação
• Uma simples assinatura de email pode ter um impacto surpreendente, e é uma ferra-
menta completamente gratuita. Crie uma assinatura com um link directo para o seu
website e configure a sua caixa postal por forma a que a assinatura seja adicionada por
defeito em todos os emails que enviar.
• Envolva-se nas conversas online, chats ou grupos de discussão, e sempre que se pro-
porcione partilhe o URL do seu website. Se procurar grupos com afinidades com o
sector do seu negócio encontrará aí a pertinência que necessita para partilhar o seu
URL de forma natural. É o passa-palavra do mundo virtual.
• Publicidade digital oferece várias possibilidades para a geração de tráfego no seu website,
não necessitando ainda assim de montantes significativos de investimento. Serviços como
o GoogleAdWords ou a publicidade na Yahoo oferecem processos simples de registo
do seu negócio. O retorno sobre o investimento do modelo de publicidade digital nos
motores de buscar é certamente das opções mais acertadas que pode tomar no sentido
de fazer crescer o número de visitantes do seu website.
• Especificamente para os vendedores online de produtos de consumo, existe também a
opção de pôr à venda alguns dos seus produtos todos os meses em portais de venda de
segunda mão, por exemplo o OLX.pt ou o miau.pt. Estes sites devem permitir que se
identifique como vendedor, e deste modo, ainda que não lucre directamente através
destes artigos de bom rácio qualidade preço, conseguirá despertar interesse nos po-
tenciais compradores, e assim atrair mais visitas ao seu website.

Por fim, a maior parte da informação que precisa de se inteirar para criar o seu negócio
online não está em livros, nem mesmo nos média. A indústria da internet é um meio de-
masiado rápido, e por isso, a única forma de acompanhar os últimos desenvolvimento,
as melhores soluções, é na própria internet. Através de alguma procura e investigação, a
informação que precisa de saber está à distância de apenas alguns cliques.

4. Receita na Internet

De uma certa forma, pode dizer-se que o maior factor de potencial de sucesso para em-
preendedores online é a capacidade de captar receita. Escolha o sector ou nicho de mercado
Guia Prático: Criar um negócio na internet
25

para o qual lhe pareça não haver oferta à altura da procura, e desenvolva o seu negócio
com entusiasmo.

A seguinte lista apresenta de forma não exaustiva os principais modelos de negócio presentes
na internet que podem ser agrupados em três categorias distintas:
• Comércio Electrónico
• Publicidade
• Subscrição

Comércio Electrónico
Modelos de negócios que envolvem a comercialização de serviços ou produtos tangíveis/
digitais. Pode ser um negócio totalmente baseado na Internet ou com reforço de uma
loja tradicional.

Tipo de Comércio Electrónico


Comercio Misto
Modelo de Negócio tradicional baseado em instalações físicas e que utiliza a rede como
mais um canal de comercialização para os seus produtos

Comercio Virtual
Comercialização de produtos/serviços exclusivamente pela Internet

Comercio Virtual Puro


Comercialização de produtos digitais ou serviços cuja entrega seja realizada pela própria
Internet. É a forma mais pura de Comércio Electrónico uma vez que todo o processo do
negócio é realizado on-line. Empresas que vendem software, musica ou cursos on-line
são exemplo

Mercantil
Empresas que vendem produtos ou serviços para outras empresas utilizando-se a Internet
como canal de comercialização
Facilitadores
Modelos de negócios dos chamados facilitadores de negócios na Internet. São sites que
facilitam e estimulam a realização de transacções, através da manutenção de um ambiente
Guia Prático: Criar um negócio na internet
26

virtual, que coloca em contrato e aproxima os fornecedores e os potenciais compradores.


exemplo: leiloes online

Publicidade
A captação de receitas através da publicidade depende em grande parte do tráfego que
o seu website gera na Internet. Este critério de escala, no caso de o ser website ser visi-
tante milhares de vezes por dia, resulta no interesse de outras empresas ou agências de
publicidade em introduzir conteúdo publicitário no seu website.

Tipo de Publicidade
Publicidade CPM
CPM significa “custo por milhar”. Os websites institucionais de grande tráfego cobrem
a presença publicitária no seu website com base no seu visionamento por mil visitantes.

Publicidade CPC
CPC significa ‘Custo Per Click’. A publicidade é cobrada de acordo com o número de
vezes que é clicada. Este tipo de publicidade é em geral significativamente mais caro do
que o tipo CPM.

Patrocínio de uma secção do website


Uma empresa poderá estar interessada em patrocinar especificamente uma secção do
seu website por um período de tempo.

Subscrição
O modelo de subscrição tem como base a captação de receita através de subscrição de
utilizadores no seu website. Normalmente, a subscrição paga de um utilizador permite-lhe,
entre outros benefícios, acesso ilimitado ao conteúdo do website, ou a outras formas de
comunicação tais como acesso, partilha e transferência de ficheiros, durante o período
de subscrição.

A versão mais usual da aplicação deste modelo de receitas é o modelo “Freemium” (Free
+ Premium) que pressupõe um equilíbrio entre a relevância do conteúdo aberto e grátis
a todos os utilizadores de forma a captar a maior quantidade de tráfego possível no seu
website, e a necessidade de acesso ao conteúdo pago. Sendo que em média de conversão
(utilizadores que subscrevem um website no modelo Freemium) é de aproximadamente
Guia Prático: Criar um negócio na internet
27

10%, o seu website necessita provavelmente de gerar um valor de tráfego significativo no


sentido de captar o pressuposto de receitas que o seu modelo de negócio exige.

Todos os modelos de negócio acima mencionados são implementados de formas dis-


tintas, e cabe a cada empresa encontrar a combinação de modelos que melhor se aplique
ao seu negócio.
“pense em todas as formas que a atenção um publico presta ao seu website pode ser
capitalizada por empresas ou pessoas que querem parte dessa atenção” - Fred Wilson

5. Recursos e Competências na Internet

A pergunta mais frequente será "Como posso ganhar dinheiro na Internet?" , no entanto
a pergunta deveria ser "Em que é que eu sou bom?". Ou seja, quais são as suas com-
petências, ou da sua equipa? Como podemos converter essas competências num negócio
viável online?

Avalie portanto os seus interesses, habilidades e pontos fortes. As competências essenciais


são as capacidades necessárias para a sua empresa alcançar uma vantagem competitiva.

Por exemplo, para um fabricante de equipamentos electrónicos, as principais áreas de


especialização pode ser no projecto de componentes e circuitos electrónicos. Para uma
empresa de software das competências chave pode estar no total simplicidade e utilidade
do programa para os usuários ou, em alternativa, a alta qualidade do código de software de
gravação que eles conquistaram. Para um negócio online será oferecer uma navegação
agradável e estimulante ao utilizador, acompanhada por uma proposta de valor sólida
e apelativa.

Para ter sucesso, precisa identificar o conjunto de competências essenciais. Determine


que tipos de competências de seus concorrentes online trazem para a Internet e envolva-os
na construção de seu modelo de negócio na Internet. Por último, as competências não
devem ser vistas como algo fixo, muito pelo contrário, devem mudar em resposta a mu-
danças no ambiente da empresa. Deverão ser flexíveis e evolutivas ao longo de novas
circunstâncias e oportunidades.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
28

6. Operacionalidade na Internet

A operação de uma actividade de negócio na Internet é definida como a aplicação de


ferramentas de Tecnologia de Informação e Comunicação (TICs) como suporte de base
para actividades comerciais na Internet. A operacionalidade um negócio na Internet envolve
vários processos de actividade comercial ao longo da cadeia de valor: gestão da cadeia de
fornecimento, processamento de encomendas por via electrónica, atendimento ao cliente,
e colaboração com parceiros de negócio.

Não é no entanto obrigatório que todas as actividades acima mencionadas sejam pro-
cessadas através da Internet. De facto, existem soluções informáticas que permitem a
integração de processos de negócios intra e inter-empresa utilizando também intranets,
extranets ou alguma combinação destas.

Apesar da necessidade de definir com a maior clareza possível qual ou quais as principais
fontes de receita da empresa, existem vários tipos de negócios que pode empreender na
Internet.

1. website corporativo - não é por definição um negócio online. Na verdade, é presença de


uma empresa na Internet normalmente criada para fins comunicacionais (percepção de
merca, captação de novos clientes, etc). Estrutura de receitas: vendas offline
2. Serviços: alojamento Web ou de e-mail, pagamento online, e outros serviços on-line
como web design, internet marketing. Estrutura de receitas: subscrição por mensalidades.
N caso de serviços gratuitos os sites são capitalizados através de anúncios incorporados.
3. Loja on-line: Venda de produtos a outras empresas ou ao consumidor final. Estrutura
de receitas: Vendas online.
4. Afiliada de loja. O mesmo que uma loja on-line real, no entanto, neste caso não é da
sua responsabilidade vender os seus produtos nem as questões de pagamento e entrega.
É uma forma simples de começar um negócio online sendo que à partida não exige um
investimento inicial significativo. Estrutura de receitas: comissão do valor de vendas.
5. websites informativos. Blogs, fóruns, notícias online, e-revistas, enciclopédias on-line,
sites especializados, etc. Estrutura de receitas: Geralmente, a informação neste tipo de
websites é gratuita, e portanto o principal canal de receita para estes websites provem
da venda de espaço publicitário.

A fim de maximizar a sua receita poderá combinar diferentes tipos de negócio e várias
Guia Prático: Criar um negócio na internet
29

fontes de receita.

7. Parceiros na Internet

Por forma a divulgar o seu website à comunidade, procure possíveis parcerias com outros
website, com empresas fora da Internet, ou mesmo com alguns concorrentes seus. En-
contrar o parceiro certo é, provavelmente, a decisão de negócios mais importantes que
pode fazer.
Eis alguns aspectos a ter em consideração na avaliação de um potencial parceiro:
● Deverá possuir forte experiencia na respectiva área de especialização
● deverá ter com um ele uma comunicação e resolução de conflitos clara e eficiente
● observe o seu comportamento online com outros clientes
● procure referencias sobre o seu potencial parceiro
● entregue as questões legais e contratuais a um advogado. Os acordos devem ser imple-
mentados para proteger os dois.

8. Estrutura de Custos na Internet

Começar um negócio on-line poderá ser mais barato do que começar um negócio tradicional
em grande parte das situações. No entanto, vai seguramente precisar de um orçamento.
Tipicamente, os tipos de custos da criação de uma empresa online são diferentes
daqueles experimentados por um negócio tradicionais.

Alojamento Web e Design


O seu website é a sua localização. Não precisa de se preocupar com a visibilidade quando
iniciar seu site, isso é algo a ser trabalhado ao longo do tempo com a comercialização e a
inserção no motor de busca. Concentre os seus esforços no que é essencial para começar, ou
seja, encontrar um servidor de alojamento totalmente seguro e um web designer profissional.

Equipamento
Invista algum tempo para encontrar o melhor equipamento electrónico, para que mesmo
que o seu negócio comece apenas por si a trabalhar de casa, possa competir com grandes
concorrentes em termos de profissionalismo, qualidade de produto e de serviço.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
30

Estratégia de Marketing
Implementar uma estratégia de marketing para um negócio online tem vários benefícios
únicos ao ambiente Web marketing, sendo um deles os baixos custos e as maiores capaci-
dades para a distribuição da informação para o mercado global. Para além disso permite
também uma avaliação praticamente imediata e personalização das acções tomadas.

Se tiver um orçamento disponível para implementar uma estratégia de marketing


poderá recorrer a agências e empresas de Web marketing no sentido de estabelecer um
road map de acções nas várias componentes da Internet – redes sociais, bases de dados
de emails, visibilidade nos motores de busca SEO, etc.

Para mais informação sobre “Estratégia de Marketing” a custo zero veja o ponto 3 - Canais
de Comunicação e Distribuição na Internet.

IMPLEMENTAÇÃO

Plano de Negócios

O Plano de Negócios é o principal documento de estruturação de um projecto empre-


sarial, e a base de apresentação do projecto a interlocutores externos, com destaque para
investidores.

Nomeadamente para os empreendedores, o Plano de Negócios é também um instrumento


de trabalho fundamental, que agrega e sistematiza informação prática para a concretização
do projecto, a sua viabilidade, e para a antecipação e resolução de problemas.

Um plano de negócios robusto contém mistura informações sobre os processos do negócio


em si (características, partes envolvidas, oportunidades, ameaças, pontos fortes e fra-
cos), previsões e projecções financeiras, análise do negócio, do mercado, fornecedores,
concorrentes, parceiros, previsão do fluxo de caixa, necessidades de capital. Este docu-
mento poderá também ser utilizado como ferramenta de marketing interno e de planea-
mento estratégico sendo um processo dinâmico, sistémico, participativo e contínuo para
a determinação dos objectivos, estratégias e acções da empresa.

Acrescenta-se a descrição dos produtos e serviços, como são produzidos, ciclo de vida,
Guia Prático: Criar um negócio na internet
31

factores tecnológicos envolvidos, pesquisa e desenvolvimento, principais clientes actuais,


se exige marca e/ou patente de algum produto, etc.

Financiamento

Para saber como financiar a sua ideia, efectue primeiramente um levantamento de todos os
meios de financiamento existentes, desde créditos bancários, leasings, capital de risco,
etc. É importante conhecer cada uma das modalidades de financiamento para saber o
cálculo da rentabilidade do seu negócio, pois parte das receitas têm como destino remunerar
os capitais alheios.

Duas das principais razões que levam ao não financiamento das empresas online são
a fraca exigência e robustez do estudo financeiro ou a existência de modelo de negócio
insuficiente.

Propriedade intelectual

As questões do foro jurídico, nomeadamente de propriedade intelectual no desenvolvi-


mento do seu website são normalmente negligenciadas, mas nem por isso deixam de ser
um aspecto de muita importância para o sucesso do seu negócio.

Deve assegurar a permissão para o uso de todo material gráfico ou de outra natureza
inserido no seu website. De igual forma, o conhecimento de alguns aspectos sobre este
tema pode ser de interesse no caso de verificar que conteúdo desenvolvido por si, ou sobre
o qual detenha os direito de uso, está a ser ilegalmente explorado por outros utilizadores.

Familiarize-se com as leis de Propriedade Intelectual (PI) O seu trabalho está protegido
a partir do momento que seja divulgado em seu nome. Mesmo não o registando, ele é
propriedade sua e não poderá ser reproduzidos por outros utilizadores sem o seu con-
sentimento. Contudo, legalmente apenas a “expressão” da sua ideia está protegida, e não
a ideia em si.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
32

Desenvolvimento e implementação técnica

Depois de ter definido qual o produto ou serviço que pretender vender electronicamente,
pode dar início ao desenvolvimento e implementação do website.

Website
Uma das maiores vantagens competitivas no mercado do comércio electrónico é ter um
website de qualidade e aspecto profissional. O seu website é a primeira, e provavelmente
a única impressão que o seu potencial cliente terá do seu negócio.

Um website com um desenvolvimento profissional de qualidade pode significar a diferença


entre a imagem deixada de um negócio de “vão de escada” ou de uma organização ro-
busta. De facto, não precisa de ser um programador informático para criar o seu website.
Existem para isso várias empresas que vendem pacotes que incluem a concepção e de-
senvolvimento ou apenas um “templates”. Os orçamentos são também por isso muito
variáveis dependendo da complexidade exigida. Será possível encomendar o desenvolvimento
do seu website a um profissional desde 500 a 5000 euros.

Domínio
Depois de desenvolvido o website, há que registar o seu domínio.

O domínio é como a morada da sua empresa na Internet, o URL. Escolha algo curto, fácil
de memorizar, e de preferência que se relacione com o seu sector de negócio, porque
antes de mais o domínio que escolher vai funcionar como a sua marca no mundo virtual. Não
subestime por isso a importância desta escolha para o seu negócio. Apesar de outras in-
úmeras possibilidades, em Portugal o mais aconselhado são os domínios terminados em .pt
e .com por uma questão de imagem de profissionalismo. A escolha do seu domínio está
no entanto dependente da sua disponibilidade.

Os preços para o registo de um domínio escolhido serão anualmente entre 10 e 20€ para
domínios .com, sendo que na maior parte dos casos a empresa/instituição que fornece
os serviços de alojamento oferece também o serviço do pedido de compra do domínio.

Para o Registo de Nomes de Domínio de .PT, entrou recentemente em vigor o Regulamento


de com Depósito legal n.º311422/10, com uma redução dos preços entre outras alterações.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
33

Os novos valores são:

1 ano 3 anos 5 anos


.PT e Outras 22,00€ 45,00 € 65,00€
.ORG.PT 15,00€ 35,00€ 50,00€
.COM.PT 15,00 € 35,00€ 50,00€

Estes pedidos devem ser endereçados à FCCN (ver contactos)

Alojamento Web
Para finalizar o processo de lançamento online do seu website precisará de alojar os
ficheiros que compõem toda a informação do seu website num servidor de alojamento.
Existem no mercado várias empresas que oferecem este serviço pago. Deve contudo certi-
ficar-se que a modalidade escolhida para o seu alojamento é compatível com a actividade
de comércio electrónico. Os preços de alojamento variam na sua maioria conforme as
funcionalidades técnicas oferecidas, espaço no disco, e tipo de ligação à rede, sendo que
os valores serão entre 20 a 100€ por mês.

A opção de utilização de uma máquina sua como o seu próprio servidor é altamente
desaconselhável por razoes de segurança e ligação à rede.

Visibilidade nos motores de busca


A sua indexação (ordem por ordem aparece o seu website) nos motores de busca como o
Google é uma condição essencial para a captação de novos clientes e visibilidade da marca.

Praticamente todos os motores de buscar facultam a possibilidade de adicionar o seu site


através de um registo simples. Procure em "Add URL" or "Add Site" e siga a instruções
pedidas. Existem centenas de motores de busca na internet, e portanto os serviços pro-
fissionais de registo de websites submetem o seu “URL” para mais de cem motores de
busca. No entanto, para praticamente todos os negócios online não acrescentará um
valor real estar indexado em motores de busca pouco usados. Dedique-se por isso ao
registo do website nos motores de busca que apresentam resultados de tráfego significativos.
De acordo com a empresa Piper Jaffray Inc., os motores de busca Google, Yahoo!, MSN
Guia Prático: Criar um negócio na internet
34

e AOL perfazem mais de 80% do mercado.

É de extrema importância também para uma indexação com sucesso o uso de palavras-
chave “keywords” que representem o seu negócio para que assim os visitantes que pro-
curem conteúdo relacionado com os serviços/produtos possam ser direccionados para
o seu website através do motor de busca. As palavras-chave são extraídas pelo motor de
busca atráves de um algoritmo que rastreia os seus artigos, páginas com descrições de
produtos, comentários, etc.

A análise de tráfego do seu website, apesar de ser uma área ainda em franco desenvolvi-
mento, é também uma excelente ferramenta para se informar das características do seu
visitante. Através de ferramentas como o Google Analytics pode saber de que país são
os utilizadores, que motores de busca e que palavras usaram para serem direccionados
para os seu site, que páginas internas do seu site foram mais visitadas, entre outros.

Plataforma de comércio electrónico


Nenhum website de comércio electrónico está operacional sem uma plataforma de comércio
electrónico seguro. Existem nesta área também diversas opções.

Muitos websites utilizam a ferramenta Pay Pal para aceitar pagamentos, no entanto,
esta funcionalidade está muitas vezes associada a pequenas empresas não dando por
isso uma imagem totalmente profissional.

Uma boa alternativa ao Pay Pal é o “shopping cart” remoto. Esta funcionalidade evita
todo um conjunto de questões de segurança, sendo que essa responsabilidade é transferida
para a empresa que providencia esse serviço. A funcionalidade do “shopping cart” remoto
pode ser personalizada ao estilo do seu website fazendo assim com que os seus cliente
não se apercebam que estão a fazer o pagamento inseridos os seus dados e detalhes de
pagamento fora do seu website. Para além disso, o prestador de serviços de “shopping
cart” remoto oferecerá possivelmente também uma ligação de secure socket layer (SSL)
no qual todos os pagamentos efectuados digitalmente no seu negócio sejam transmitidos
de forma encriptada, e por isso, com toda a segurança para os seus clientes.

O “shopping cart” é um elemento crucial no processo de criação de um website de comér-


cio electrónico. De salientar também, que apesar de no mundo virtual a grande maioria
das transacções é feita através de cartão de crédito, existem também outras formas de
Guia Prático: Criar um negócio na internet
35

pagamento, tais como cheques, vales digitais, compras por telefone, entre outras.

WORKBOOK
exercício A.

ANEXO I.

Processo de formalização da empresa e outros aspectos legais

Os seguintes documentos servem de base para as referências legais que devem ser consideradas:
Comércio Electrónico - Legislação

• Decreto-Lei nº 82/2008

Altera o Decreto-Lei nº 143/2001, de 26 de Abril, relativo à protecção dos consumidores


em contratos celebrados a distância.

• Decreto-Lei nº 95/2006

Estabelece o regime jurídico aplicável aos contratos à distância relativos a serviços fi-
nanceiros celebrados com consumidores, transpondo para a ordem jurídica nacional a
Directiva n.º 2002/65/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de Setembro,
relativa à comercialização à distância de serviços financeiros prestados a consumidores.

• Decreto-Lei nº 7/2004

Transpõe a Directiva nº 2000/31/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 8 de


Junho de 2000, relativa a serviços da sociedade de informação, em especial do comércio
electrónico e o artigo 13º da Directiva nº 2002/58/CE, de 12 de Julho de 2002, relativa
ao tratamento de dados pessoais e a protecção da privacidade no sector das comunicações
electrónicas.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
36

• Directiva 2000/31/CE do Parlamento Europeu e do Conselho

Relativa a aspectos legais dos serviços da sociedade de informação, em especial do comércio


electrónico, no mercado interno («Directiva sobre comércio electrónico»).
• Resolução de Conselho de Ministros nº 94/1999

Aprova o documento orientador da Iniciativa Nacional para o Comércio Electrónico

• Resolução de Conselho de Ministros nº 115/1998

Cria a Iniciativa Nacional para o Comércio Electrónico.


Factura Electrónica - Legislação

• Decreto-Lei nº 196/2007

• Regula as condições técnicas para a emissão, conservação e arquivamento das facturas


ou documentos equivalentes emitidos por via electrónica, nos termos do Código do
Imposto sobre o Valor Acrescentado, aprovado pelo Decreto-Lei nº 394-B/84, de 26
de Dezembro.

• Decreto-Lei nº 256/2003

Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva 2001/115/CE do Conselho Europeu,


de 20 de Dezembro, relativa ao sistema comum do imposto sobre o valor acrescentado
(IVA).

• Decreto regulamentar nº 16/2000

Estabelece as condições e os requisitos de utilização da factura ou documento equiva-


lente transmitidos por via electrónica.
Guia Prático: Criar um negócio na internet
37

CONTACTOS ÚTEIS

APEITE
Associação para a Promoção da Inovação e das Empresas Tecnológicas
Rua Paulo da Gama nº629
4169-006– Porto
Tel: 00351220108012/79 | Fax: 00351220108013
E-mail: jproempreendedor@apeite.pt
http://www.jovemproempreendedor.com

INOVAGAIA
Centro de Incubação de Base Tecnológica de V.N.Gaia
Avenida Manuel Violas nº 476
4410 - 136 S. Félix da Marinha
t. 227 334 141
E-mail: jproempreendedor@apeite.pt
http://www.jovemproempreendedor.com

INESC Porto
Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto (Laboratório Associado)
Rua Dr. Roberto Frias, 378
4200 - 465 Porto
Tel: + 351 22 2094 000 Fax: + 351 22 2094 050
E-mail: jproempreendedor@apeite.pt
http://www.jovemproempreendedor.com

ANJE
Associação Nacional de Jovens Empresários
URL:http://www.anje.pt
Sede -Porto
Tel:220108000 Fax: 220108010
E-mail:suzanaalipio@anje.pt

ALGARVE
ANJE- Associação Nacional de Jovens Empresários
Guia Prático: Criar um negócio na internet
38

Estrada da Penha, 8000-489 Faro


Tel: 00351 289 862902
E-mail:rodrigobeja@anje.pt

COIMBRA
ANJE- Associação Nacional de Jovens Empresários
Parque de Exposições da ACIC,
Alto da Relvinha 3020-365 Coimbra
Tel: 00 351 239 496 374
E-mail:nunogaspar@anje.pt

LISBOA
ANJE- Associação Nacional de Jovens Empresários
Quinta de Santa Marta,
Estrada da Circunvalação, 1495 Algés
Tel: 00351 21 413 46 60
E-mail: anacristina@anje.pt

ALENTEJO
ANJE- Associação Nacional de Jovens Empresários
Rua Frei José Maria nº5, Vila Lusitano
7005-495 Évora
Tel: 00 351 266 70 70 07
E-mail: ccatarino@anje.pt

Alexandra Castro | Nicola Natali


Arquitectos
Rua Cândido dos Reis 46-1º sala 5
4050-151 Porto
Tel: 220926849 | 914413918 | 912852306
E-mail: info@castro-natali.com
Site: www.castro-natali.com
(consultores da Loja do Empreendedor-ANJE na área da arquitectura;
contacto útil para licenciamentos e projectos de arquitectura)
Guia Prático: Criar um negócio na internet
39

UPTEC-PINC :: UPTEC - PARQUE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA da U.PORTO - Pólo


das Industrias Criativas
http://www.uptec.up.pt/

ACEPI – Associação da Comércio Electrónico e da Publicidade Interactiva em Portugal


http://www.acepi.pt

IAPMEI - Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação


www.iapmei.pt

UMIC – Agência para a Sociedade do Conhecimento


http://www.umic.pt

ANACOM - Autoridade Nacional de Comunicações


http://www.anacom.pt

FCCN
Centro de arbitragem para a propriedade intelectual, nomes de domínio, firmas e
denominações
http://www.arbitrare.pt

Ficha Técnica
Título:Criar um negócio na internet
Colecção: Manuais do Empreendedor
Autor: Projecto Jovem Pro-Empreendedor
Impressão:1.000 exemplares|Abril de 2011
Produção Gráfica e Paginação:Booking the Best Agency, S.A.
Promotor:INESC-Porto