Vous êtes sur la page 1sur 5

Universidade Estadual do Piauí – UESPI

Campus Dra Josefina Demes – Floriano


Licenciatura Plena em Pedagogia Bloco VI
Acadêmica: Olympia Maria Silva Silvestre

RESUMO

Floriano-PI 2010
O Pedagogo na Educação não – formal

O pedagogo dispõe de uma ampla área para sua atuação, mas para que se
concretize de fato sua atuação, mas para que se concretize de fato sua atuação esse
profissional da área de educação não basta simplesmente ser formado em pedagogia, é
necessário buscar outros conhecimentos que dêem condições de desenvolver seu
trabalho em qualquer instância da sociedade.
Somos parte de uma sociedade capitalista e desestabilizadora que está em
constante mudança e em competição pelo seu principal recurso: pessoas qualificadas,
bem informadas e dedicadas em sua auto- aprendizagem, dessa forma o trabalhador
deve adquirir polivalência de saberes que acontecem através da qualificação e
requalificação.
Para atender toda essa exigência do mercado de trabalho é necessário formar e
investir em competências, o que não é uma tarefa fácil. Dessa forma, essa área vai exigir
mais do pedagogo, porque uma realidade profissional de uma empresa é complexa de
diversificada.
Na instituição não escolar a avaliação de habilidades e competências não se
restringe apenas ao conhecimento, mas especificamente as relações interpessoais.
O pedagogo para atuar no âmbito não formal deve ser capaz de articular com
valores humanos, com sistema de comunicações, com relações interpessoais, currículos,
avaliação e planejamento em contextos diversos. É importante ressaltar que nesse tipo
de atividade o pedagogo precisa refletir constantemente sobre seu trabalho buscando
estar sempre atualizado, tanto em conhecimentos específicos da área educacional,
quanto pesquisando na área que estar atuando.
Todos esses conceitos vêm confirmar que a educação ocorre em muitos lugares e
sob várias modalidades, o que vem diversificando as atividades educativas, sejam ela
formais, informais ou não-formais. São as mudanças tecnológicas do mercado
econômico, que acarretam o aumento da demanda de pedagogos para desenvolver
trabalhos que envolvem o processo de ensino aprendizagem, diante dessa realidade
mutável da nossa sociedade e da informação, nos questionamentos os cursos de
pedagogia estão formando pedagogos capazes de enfrentar e corresponder a esses
desafios.
É fato então perceber que para o pedagogo desenvolver atividades educacionais
nesse âmbito, é necessário redimensionar para a formação desse profissional desde a sua
graduação.

A contribuição do pedagogo em espaços não – formais

Diversos autores destacam a importância do pedagogo junto ao campo


investigativo de fenômeno educacional.
O campo das práticas pedagógicas não-escolar é amplo e essas práticas estão
ligadas a processo de transmissão e assimilação de conhecimentos definidos de visão e
formação humana no seu contexto social e funcional.
A mentalidade do mercado econômico e profissional já percebe que uma
sociedade bem sucedida tem consciência da importância de investir na educação.
Sendo assim é válido dizer que o trabalho pedagógico é toda ação educativa e
essa permeia todos os campos da sociedade.
As atividades que esse profissional pode desenvolver nos contextos da educação
não-escolar, são ao mesmo tempo investigativas, quando buscam um diagnóstico do
campo e da realidade em que se dará o processo ensino aprendizagem.
Universidade Estadual do Piauí – UESPI
Campus Dra Josefina Demes – Floriano
Licenciatura Plena em Pedagogia Bloco VI
Acadêmica: Olympia Maria Silva Silvestre

RESUMO

Floriano-PI 2010
Paralelo

No decorrer de nossa disciplina aprendemos e descobrimos a relevância do


pedagogo na atual sociedade e no então disputado mercado de trabalho.
Ao longo de nossas pesquisas constatamos que para atender as atuais exigências
profissionais, devemos estar capacitados e desenvolver assim diversas habilidades que
são necessárias a nossa classe.
É importante ressaltar que ao longo da nossa licenciatura nesta acadêmica
aprendemos de forma resumida e superficial termos que não são o bastante para a
atuação profissional desejada no âmbito empresarial e que para nos tornar hábeis
precisamos de uma especialização nessa área, que apresenta um leque de opções mas
que ao mesmo tempo exige bastante do profissional.
É necessário lembrar aqui de forma oportuna o clássico de Chaplin ao qual
assistimos “Tempos Modernos” que atualmente pouca coisa mudou os empregadores
buscam pessoas tão eficientes quantas máquinas e que a busca pelo funcionário
completo é cada dia maior.
O filme retrata ainda o que tanto discutimos em sala de aula; a questão
relacionamento patrão empregados entre si, e é sem da nossa competência que saibamos
medicer, solucionar problema, devemos ainda dentro de nossas habilidades criarem em
clima harmonioso aonde todos desempenham suas tarefas de forma competente.
Apesar da época do filme é retratada o quanto um profissional falho não e bem
sucedido e dificilmente se colocara ou se destacará dentro deste mercado de trabalho.
Dessa forma cabe a nós futuros pedagogos refletirmos e nos preparar bem para
esse novo desafio da educação não formal.