Vous êtes sur la page 1sur 100

Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

ISBN: 978-85-921158-1-4. Todos os direitos reservados.

Este material é de uso pessoal. É vedada a comercialização, impressão e


disponibilização do conteúdo para terceiros sem a autorização de seus autores.

Autores:

Rodrigo Trassi Polisel e Marina Malta Letro Kizys

Contato e Mais informações:

- Portal eFlora: www.eflora.com.br


- Brasil Bioma: www.brasilbioma.com.br
- E-mail: contato@brasilbioma.com.br
- Página no Facebook: Rodrigo Polisel (https://www.facebook.com/brasil.bioma/)
- Curso Online de Identificação de Plantas: www.taxonomiavegetal.com.br

Índice Analítico
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

I – Apresentação ........................................................................................................................... 5
II - Introdução aos estudos dos caracteres vegetativos úteis para a identificação de plantas arbustivo-
arbóreas ........................................................................................................................................ 7
II.1 - Casca..................................................................................................................................................... 12
II.2 - Folha ..................................................................................................................................................... 13
II.2.1 - Partes constituintes das folhas, morfologia e aplicação taxonômica ................... 14
II. 2.1.1 - Divisão do limbo (tipo) .......................................................................................................... 18
II.2.1.2 - Partes constituintes da folha composta ................................................................................ 19
II.2.2 - Estudo do Limbo ................................................................................................ 21
II.2.2.1 - Nervação ................................................................................................................................. 21
II.2.2.2 – Consistência das folhas .......................................................................................................... 22
II.2.2.3 – Superfície ................................................................................................................................ 22
II.2.2.4 - Aspecto da pilosidade............................................................................................................. 22
II.2.3 – Forma ............................................................................................................... 23
II.2.4 – Bordo da Folha (margem) .................................................................................. 28
II.2.5 - Ápice ................................................................................................................. 31
II.2.6 -Base ................................................................................................................... 33
II.2.7 - Filotaxia............................................................................................................. 35
II.2.8 - Resumo das ilustrações ...................................................................................... 37
III - Caracteres vegetativos úteis aplicados ao reconhecimento das famílias botânicas de ampla distribuição
do Brasil......................................................................................................................................... 44
IV. Análise comentada dos caracteres vegetativos citados .......................................................... 48
IV.1 - Plantas com Látex, Resina, Goma ou Seiva ....................................................................................... 48
IV.1.1 - Com látex ......................................................................................................... 48
IV.1.2 - Com resina, goma ou seiva ............................................................................... 50
IV.2 - Plantas Com Glândulas Ou Canais Resiníferos Nas Folhas ............................................................... 51
IV.2.1 - Glândulas translúcidas em toda lâmina foliar (pontuações): .............................. 51
IV.2.2 - Glândulas translúcidas em toda lâmina foliar (forma alongada) ........................ 52
IV.2.3 - Canais resiníferos ............................................................................................. 52
IV.2.4 - Glândulas na base da lâmina foliar ou no pecíolo .............................................. 52
IV.2.5 Glândulas na raque (entre folíolos, entre pinas) ou no pecíolo ............................ 53
IV.3 - Plantas com cheiros típicos nas folhas e nos troncos ....................................................................... 54
IV.4 - Famílas com estípulas, estipelas, ócreas ou cicatrizes de estípulas ................................................. 54
Folha simples, alterna .................................................................................................. 55
IV.5 - Famílas e seus Padrões de Venação .................................................................................................. 55
IV.6 - Famílas com domáceas (em tufos de pêlos, bolsas ou criptas) nas folhas ...................................... 57
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

IV.7- Famílas com pulvino e/ou pulvínulo .................................................................................................. 57


Folha simples, alterna: ................................................................................................. 57
IV.8 - Famílias armadas (com espinhos ou acúleos) ................................................................................... 58
IV.9 - Famílias que possuem embira no caule ............................................................................................ 62
IV.10 - Plantas que formam principalmente trepadeiras lenhosas (lianas ou cipós) ................................ 62
IV.11 - Plantas que formam trepadeiras herbáceas (vinhas) ..................................................................... 68
IV.12 - Listagem de algumas famílias com características vegetativas parecidas ..................................... 69
IV.13 - Outras características vegetativas importantes na identificação .................................................. 72
IV.13.1 - CAULE............................................................................................................. 72
IV.14 - Caracteres vegetativos e reprodutivos importantes para identificação das famílias citadas acima
e de ampla distribuição no Brasil ................................................................................................................ 73
V - Referências Bibliográficas ........................................................................................................ 99
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

I - Apresentação

A Brasil Bioma oferece as boas-vindas a você, interessado por plantas, seja por conta de sua
ocupação profissional ou gosto pessoal. Biólogo(a), Ecólogo(a), Engenheiro(a), Arquiteto(a),
Economista, não importa a sua formação.

Este livro irá instigar sua curiosidade e impulsionar seu aprendizado.

Bem vindo(a) ao “time” dos apaixados por plantas!

Desde 2008, treinamos mais de 1.000 profissionais e estudantes de dezenas de instituições


em nossa base de campo em Juquitiba/SP e em treinamentos in company para renomadas
instituições brasileiras, como a CETESB, IBAMA e entre outras.

De 2015 até o momento em que escrevo este livro, mais de 20.000 profissionais e
estudantes nos acompanham pela internet através de nossos vídeos, cursos e treinamentos
on-line na área ambiental.

Este livro é resultado de um trabalho de mais de dez anos com taxonomia vegetal, é parte
do material de apoio aos nossos treinamentos presenciais e on-line e foi revisado para ser
oferecido na forma de um livro digital como um instrumento independente de consulta e
estudo direcionado à identificação dos caracteres morfológicos mais importantes no
reconhecimento das plantas em campo.

No treinamento completo que oferecemos, você irá aprender a reconhecer e classificar os


domínios de vegetação da América do Sul, além de obter informações mais específicas
sobre aqueles que ocorrem no Brasil.

5
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Aprenderá a terminologia botânica básica e terá noções avançadas sobre Morfologia e


Taxonomia Vegetal através de videoaulas em alta resolução.

Você receberá ainda a Chave de Identificação de Plantas inédita e atualizada para


reconhecer famílias e/ou gêneros de plantas arbóreas de todos os domínios de vegetação
do Brasil. O aluno terá, ainda, o “passaporte” para receber toda e qualquer atualização que
essa chave possa ter a partir do momento de sua compra.

De 2008 até hoje, estes materiais passaram por várias transformações e revisões até
alcançar na versão on-line do curso “O Segredo da Identificação de Plantas” a maturidade
necessária para que a chave de identificação pudesse ser utilizada em todas as
fitofisionomias do Brasil com foco nas plantas arbóreas.

Este é o projeto de uma vida!

Nossos cursos e materiais didáticos visam lhe oferecer outro jeito de enxergar as plantas,
através de uma análise prática e direta.

Ao invés de te “dar o peixe” (dizendo qual o nome científico da planta que deseja
identificar), nós te daremos a “vara da pesca” para que você, com o tempo, possa caminhar
sozinho nesse processo de reconhecimento de plantas de forma autônoma,
complementando a sua formação.

Bons estudos!

Rodrigo Trassi Polisel – Biólogo, Doutor em Botânica (UNICAMP)


Marina Malta Letro Kizys – Bióloga, Doutora em Ciências (UNIFESP)

6
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

II - Introdução aos estudos dos caracteres vegetativos úteis para a


identificação de plantas arbustivo-arbóreas

Nessa seção, serão apresentados os principais caracteres úteis na identificação de espécies


arbustivo-arbóreas baseado em caracteres morfológicos e vegetativos.

Tal parte objetiva-se em apresentar a nomenclatura botânica utilizada na morfologia de


forma simplificada e didática, associada a uma visualização esquemática dos termos
descritos.

Abaixo, uma sucinta descrição dos hábitos de vida que compõem a estrutura geral da
floresta e seus componentes (sinúsias) principais (ver Figura 1).

 ÁRVORES: são plantas lenhosas com fuste bem definido. Podem ser subdivididos em
árvores de grande porte, médio porte e pequeno porte (arvoretas).

No entanto, na mata fica difícil caracterizar se o espécime é uma arvoreta ou uma


árvore de grande porte, mas em estado juvenil. Uma arvoreta é aquela que se
reproduz no interior da floresta onde atinge seu estágio adulto. Para diferenciar, é
necessário saber reconhecer as espécies e, assim, seu padrão de crescimento.

De modo prático, caracteriza-se pelo indivíduo que atinge pelo menos 5 cm de DAP
(diâmetro à altura do peito).

 ARBUSTOS: são plantas lenhosas, pelo menos na parte basal, ramificada desde a
base.
7
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Podem ser subdivididos em subarbustos e apresentarem variações na forma de vida:


arbusto cespitoso, arbusto escandente (neste caso, é confundida com lianas).

 ERVAS: são geralmente plantas herbáceas, de porte pequeno.

Podem ser subdivididas inicialmente quanto ao habitat em terrestres e aquáticas. No


entanto, há grande variação quanto à forma de vida: eretas, prostradas, escandentes,
epífitas, rupícolas, parasitas, saprófitas, entre outras.

No dia a dia, enfrentamos alguns problemas, tal como classificar como ervas,
algumas Gramineae que alcançam 1,5 m de altura.

As ervas escandentes e epífitas serão tratadas em categoria à parte (trepadeiras e


epífitas).

 TREPADEIRAS: são plantas escandentes, podem ser herbáceas (vinhas) ou lenhosas


(lianas ou cipós).

As lianas são plantas que nascem no chão e ascendem apoiadas num suporte, através
de várias estratégias (ganchos, espinhos, gavinhas, caule volúvel), geralmente só
lançam folhas no dossel.

Algumas lianas jovens podem parecer arbustos ou arvoretas. Neste caso, elas se
tornam lianas depois de um certo tempo de seu ciclo de vida.

8
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

 HEMIEPÍFITAS: são plantas lenhosas (mata-paus) ou herbáceas, geralmente nascem


no dossel e emitem raízes ao solo (Ficus) (hemiepífitas primárias). Podem parecer
com cipós, mas não têm caule único e são sempre mais grossos mais ao alto do que
em relação à base.

Outras podem germinar no chão e subir como cipó (Araceae), perdendo o contato
com o solo depois de adultas (hemiepífitas secundárias) (algumas Araceae).

 EPÍFITAS: são plantas geralmente herbáceas, nascem sob as árvores do dossel e não
resguardam comunicação com o solo. Não são parasitas.

Ex. Orchidaceae, Bromeliaceae, Araceae.

 PALMEIRAS: são plantas geralmente de porte arbóreo, caule monopodial do tipo


estipe, com uma coroa de folhas na gema apical (palmito). Ex. Arecaceae

9
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Fonte: Ricardo Rodrigues, ESALQ – USP.

10
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 1: Hábitos de vida (A) e componentes (estratificação) (B) que compõem a estrutura
florestal em tipologias de Floresta Ombrófila no Brasil.

11
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

II.1 - Casca

Tabela 1: principais aspectos morfológicos da Casca (ritidoma):

Casca Estriada Casca Fendilhada Casca Fendida ou Sulcada

Apresenta faixas longitudinais Apresenta fendas longitudinais e Apresenta sulcos longitudinais de

de textura e ou coloração transversais, dando a impressão largura e profundidade variáveis

variáveis. de formar quadradinhos


pequenos ou retângulos grossos.

Casca Suberosa Casca Rugosa Casca Lisa


Apresenta ritidoma espesso, Apresenta protuberâncias em Não apresenta saliências ou
macio e leve (consistência de forma de rugas transversais. reentrâncias.
cortiça).

12
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Casca Tuberculosa
Apresenta nódulos de forma e
tamanhos variáveis

II.2 - Folha

Uma folha típica compõe-se de um limbo (lâmina) com uma rede de nervuras e pecíolo
(haste da folha).

As folhas podem ser simples, cuja lâmina é única, ou compostas, cujo limbo é dividido em
folíolos separados.

As folhas também são classificadas principalmente pelo formato de seu limbo ou folíolo,
ápice, base, margem (bordo), pela sua venação, textura, indumento e coloração (Figura 2).

13
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 2: Principais componentes da folha

II.2.1 - Partes constituintes das folhas, morfologia e aplicação taxonômica

Bainha: Parte basal e achatada da folha, que prende a folha ao caule envolvendo-a total ou
parcialmente. Muito comum em espécies da família Arecaceae (palmeiras).

Canais oleíferos: Estruturas que liberam açúcares, óleos e outras substâncias nos vegetais.
Estão localizadas em diferentes locais, como se seguem:

 Glândulas translúcidas
Ao longo do limbo, na forma de pontos translúcidos. Ocorrem em Myrtaceae, Rutaceae e
vários gêneros de Fabaceae.

 Glândulas peciolares (“nectários extra-florais”)


Ao longo do pecíolo ou ráqui das folhas compostas.

 Glândulas imersas no limbo


Localizadas em pontos específicos da lâmina foliar, como no caso de Prunus myrtifolia, que
possui duas glândulas opacas na base da lâmina.

 Canais resiníferos
14
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ao longo do limbo, na forma de pontos ou traços escuros e imersos ao longo de toda a


lâmina foliar (parte abaxial). Ex. Myrsine spp. (capororoca).

Estípula: Cada um dos apêndices, geralmente laminares e em número de dois, que em


certas plantas se formam de cada lado da inserção da folha no ramo. Destacam-se os
diferentes tipos:

1) Inter-peciolar (“entre os pecíolos”): Característico de Rubiaceae, a estípula está


presente entre os pecíolos, cobrindo o ramo (Figura 3).

Figura 3: Estipula Interpeciolar

2) Intra-peciolar (“dentro dos pecíolos”): Característico de muitas Malpighiaceae, a


estípula está entre o pecíolo e a gema na axila da folha (Figura 4).

Figura 4: Estipula Intrapeciolar

15
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

3) Terminal: Característico de muitas Moraceae, a estípula se apresenta cobrindo a


gema apical e/ou lateral.

4) Peciolar bipartida: Estípulas divididas em dois filamentos em cada parte da


inserção da folha (geralmente oposta) no ramo. Ocorre em muitas Rubiaceae,
principalmente do gênero Psychotria, e Quiina (Quiinaceae).

5) Peciolar fimbriada (filiforme): Estípulas formadas por aglomerados de filamentos


mais grossos que pêlos ou tricomas, geralmente caducas sem deixar cicatrizes nos
ramos maduros. Ex.: Sloanea (Elaeocarpaceae).

6) Ramenta: Estípula persistente, típica de Erythroxylaceae, que recobre os ramos,


formando estruturas semelhante a escamas.

7) Ócrea: Formação com aspecto de bainha que envolve o caule, em certas plantas,
resultado do concrescimento de estípulas axilares (Figura 5). É uma característica
diagnóstica importante da família Polygonaceae (Ex.: Triplaris americana – pau-
formiga).

Figura 5: Folhas com ócrea.

Estipela: São as estípulas dos folíolos das folhas compostas (Ex.: Ormosia arborea – olho-
de-cabra).
16
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Indumento: (do latim indumentum, derivado de induere, vestir) conjunto de pelos ou


escamas, que recobre a superfície dos diversos órgãos da planta.

Limbo: Parte expandida da folha; o mesmo que lâmina.

Nervuras: Conjunto de elementos condutores mecânicos, em geral com grande nitidez nas
folhas, em especial na sua face inferior. O mesmo que veia.

Pecíolo: Parte da folha que prende o limbo (lâmina) ao caule, muitas vezes em forma de
haste (Figura 6). A folha pode ser longo ou curto peciolada. Além disso, pode não possuir
pecíolo, sendo considerada como folha séssil.

Longo Curto Séssil Alado

Figura 6: Tipos de Pecíolos.

Pecíolo alado: Pecíolo com expansões aliformes foliáceas.

Peciólulo: É o pecíolo dos folíolos das folhas compostas.

Pulvino ou pulvínulo: É uma porção espessada da base foliar ou foliolar que provoca, nas
folhas, movimentos de curvaturas (nastias).

17
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Venação: Distribuição das nervuras, o mesmo que inervação e nervação.

II. 2.1.1 - Divisão do limbo (tipo)

Simples: Quando o limbo apresenta-se inteiro ou recortado, mas não subdividido.


É constituída por: a) lâmina: parte expandida da folha, o mesmo que limbo e b) pecíolo:
parte da folha que prende o limbo (lâmina) ao caule (Figura 7).

Unilobar (inteira) Multilobada Acicular Escamiforme

Figura 7: Classificação dos Limbos Simples

Composto: Limbo dividido em folíolos, sustentados pelos peciólulos (pecíolo dos folíolos)
(Figura 8).

Imparipinada Paripinada Trifoliada Digitada

Palmiforme palmada Palmiforme pinada Bipinada

Figura 8: Classificação dos Limbos compostos.

18
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

II.2.1.2 - Partes constituintes da folha composta

Folíolo: Cada uma das partes laminares de uma folha composta pinada

Foliólulo: Cada uma das partes de uma folha composta bipinada

Juga: Par de folíolos opostos

Pina: Segmento de uma folha composta, formado por um eixo secundário, com folíolos ou
foliólulos ao longo

Ráquis: Eixo principal de uma folha composta ou de uma inflorescência

Pinada: Folíolos saindo dos dois lados, em toda a extensão do pecíolo principal ou ráquis.
Com os subtipos (Figura 9):

 Paripinada: Terminando por um par de folíolos

 Imparipinada: Com um folíolo terminal

(a) (b)

Figura 9: Subtipos de folhas Pinada. a) Paripinada, b) Imparipinada

19
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Bipinada: Presença de folíolos compostos, isto é, são folhas duplamente compostas


(Figura 10).

Figura 10: Folhas Bipinadas

Tripinada: Presença de folíolos compostos, triplamente compostos, com a possibilidade de


se contar três ráquis

Digitada: Com três ou mais folíolos saindo do ápice do pecíolo principal ou ráquis (Figura
11).

(a) (b)

Figura 11: Folhas Digitadas: (a) Com peciólulo e (b) sem peciólulo

Bifoliolada ou Trifoliolada: Dois ou Três folíolos, respectivamente, partindo do ápice do


pecíolo principal.

20
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

II.2.2 - Estudo do Limbo

II.2.2.1 - Nervação

Paralelinérvia (paralelódroma): Com nervuras secundárias paralelas à principal, quando


existentes. Comum em Monocotiledôneas (Cyperaceae, Poaceae e entre outras).

Palminérvia (actinódroma): Com nervuras que saem todas do mesmo ponto, divergindo
em várias posições. Comum em Urticaceae (Cecropia).

Peninérvia (cladódroma e broquidódroma): Com nervuras secundárias ao longo da


principal. A maioria das angiospermas.

Ascendente: Sub-tipo da nervura peninérvia, geralmente apresentando ângulo agudo com


a nervura principal e com menos pares de nervuras. Comum em muitas espécies da família
Lauraceae.

Curvinérvia (acródroma): Com nervuras secundárias curvas em relação à principal, que


partem da base e se encontram no ápice. Comum na maioria dos gêneros de
Melastomataceae e Strychnos (Loganiaceae).

Arqueada (eucamptódroma): Com nervuras secundárias se arqueando para o ápice, mas


não se tocando por arcos conspícuos. Característica diagnóstica de Ouratea (Ochnaceae).

21
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Marginal coletora: Com presença de nervura próxima à borda da folha e, geralmente,


“recebendo” terminações das nervuras secundárias. Presente na maioria das espécies de
Myrtaceae.

II.2.2.2 – Consistência das folhas

Herbácea: Consistência de ervas.

Membranácea: Consistência de membrana, sutil e flexível.

Cartácea: Consistência de papel do tipo cartolina.

Coriácea: Rígida, lembra couro.

II.2.2.3 – Superfície

Glabra: Desprovida de pêlos


Glabrescente: Com poucos pêlos, quase glabra. Ou também, presença de pilosidade nos
ramos jovens, perdendo-os quando madura.
Pilosa: Revestida de pêlos. Com os sub-tipos:
Pêlo (ou tricoma) radiado: Adpresso a superfície foliar.
Pêlo estrelado: Em forma de uma estrela.
Pêlo simples: Presença de um filamento.

II.2.2.4 - Aspecto da pilosidade

Furfurácea: Com minúsculas escamas (aspecto pulverulento)

22
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Hirsuta: Diz-se da planta revestida por pêlos rígidos

Lustrosa: Com brilho

Opaca: Sem brilho

Puberula: Ligeiramente coberta com pêlos finos e curtos

Serícea: Quando a superfície do órgão é revestida de muitos pêlos retos e deitados,


formando um aspecto sedoso.

Tomentosa: Quando o órgão é revestido de muitos pêlos macios e entrelaçados.

Velutina: Textura semelhante ao veludo

Vilosa: Coberta de pêlos longos, macios e flexuosos

II.2.3 – Forma
Acicular: Forma de agulha longa fina, rígida e pontiaguda.

(a) (b) (c)

Figura 12: Tipos de folhas aciculares: (a) Agulhas agrupadas, (b) Inserção em duas direções e (c)
Verticiladas em grupo de três.
23
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Assimétrica: Aplica-se à folha assimétrica, dividida pela nervura principal em duas partes de
forma ou tamanho desiguais (Figura 13).

Figura 13: Folha Assimétrica

Cordiforme: Forma de coração, base mais larga, reentrante, com lobos arredondados, pode
ser denominada de triangular ou simplesmente cordada (Figura 14).

Figura 14: Folha Cordiforme

Elíptica: Forma de elipse, mais larga no meio, comprimento duas vezes a largura (Figura
15).

Figura 15: Folha Eliptica

Espatulada: Forma de espátula, longa, ápice mais largo, comprimento maior que duas vezes
a largura (Figura 16).

24
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 16: Folha Espatulada

Falciforme: Formato de uma lança, semelhante a uma foice (falcada) (Figura 17).

Figura 17: Folha Falciforme

Lanceolada: Forma de lança, mais larga no meio ou perto da base, geralmente estreitando-
se nas extremidades, comprimento maior que duas vezes a largura (Figura 18).

Figura 18: Folha Lanceolada

Linear: Forma estreita e comprida, bordos paralelos ou quase, comprimento acima de


quatro vezes a largura (Figura 19).

25
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 19: Folha Linear

Lobada: Limbo inteiro, porém partido em vários lobos (Figura 20).

Figura 20: Folha Lobada

Oblonga: Forma mais longa que larga, bordos quase paralelos, comprimento três a quatro
vezes maiores que a largura (Figura 21).

Figura 21: Folha Oblonga

Obovada: Forma ovada com a parte mais larga no ápice, isto é, ovada invertida (Figura 22).

Figura 22: Folha Obovada

Orbicular: Forma mais ou menos circular (Figura 23).

Figura 23: Folha Orbicular

26
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ovada: Forma de ovo, mais larga perto da base, comprimento de uma a duas vezes maior
que a largura (Figura 24).

(a) (b) (c)


Figura 24: Folha Ovada: (a) Oval, (b) Oval-lanceolada e (c) Oval

Peltada: Forma de escudo, com o pecíolo inserido no meio ou próximo, na face dorsal do
limbo, à maneira de um cabo (Figura 25).

Figura 25: Folha Peltada

Sagitada: Forma de seta, base reentrante, com os lobos pontiagudos voltados para baixo
(Figura 26).

Figura 26: Folha Sagitada

27
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

II.2.4 – Bordo da Folha (margem)


Aculeado: Com pontas agudas e rígidas na margem do limbo (Figura 27).

Figura 27: Bordo Aculeado

Ciliado: Presença de tricomas ao longo da borda (Figura 28)

Figura 28: Bordo Ciliado

Crenado: Com dentes obtusos ou arredondados (Figura 29).

Figura 29: Bordo Crenado

Dentado: Com dentes regulares não inclinados (Figura 30).

28
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 30: Bordo Dentado

Inteiro: Liso, sem deformação ou divisão (Figura 31).

Figura 31: Bordo Inteiro

Ondulado: Com ligeiras ondulações (Figura 32).

Figura 32: Bordo Ondulado

Revoluto: Margem virada para baixo ou enrolada sobre si mesma, como um pergaminho
(Figura 33).

Figura 33: Bordo Revoluto

29
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Serrado ou serreado: Dentes como os da serra, inclinados para o ápice (Figura 34).

Figura 34: Bordo Serrado

Serrilhado ou serrulado: Serrado, porém com dentes diminutos (Figura 35).

Figura 35: Bordo Serrilhado

Lobado: Limbo dividido em lobos mais ou menos arredondados. Tais folhas podem ser
chamadas de pinatilobadas ou palmatilobadas (Figura 36)

Figura 36: Bordo Lobado

Fendido: Recortes que chegam próximo ou até a metade do semilimbo (folhas peninérvias)
ou do limbo (folhas palminérvias), podem ser classificadas como pinatifídas ou palmatífidas
(Figura 37).

30
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 37: Bordo Fendido

II.2.5 - Ápice

Acuminado: Limbo estreitando-se gradualmente para o ápice e terminando em ponta,


excessivamente agudo (Figura 38).

Figura 38: Ápice Acuminado

Agudo: Terminando em ângulo agudo (Figura 39).

Figura 39: Ápice Agudo

Arredondado: Margens formando um arco regular através do ápice (Figura 40).

Figura 40: Ápice Arredondado

Cuspidado: Terminando subitamente em ponta fina (Figura 41).

31
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 41: Ápice Cuspidado

Emarginado: Terminando com uma reentrância pouco profunda (Figura 42).

Figura 42: Ápice Emarginado

Mucronado: Terminando subitamente em ponta curta, dura e isolada (Figura 43)..

Figura 43: Ápice Mucronado

Obtuso: Terminando em ângulo obtuso (Figura 44).

Figura 44: Ápice Obtuso

Retuso: Ápice truncado e ligeiramente emarginado, às vezes com um apículo central


(Figura 45).

Figura 45: Ápice Retuso

Truncado: Ápice parecendo ter sido cortado transversalmente (Figura 46).

32
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 46: Ápice Truncado

II.2.6 -Base

Arredondada ou orbicular: Quando a margem da base da folha forma um arco (Figura 47).

Figura 47: Base Arredondada

Atenuada ou cuneada: Em forma de cunha, base de bordos retos e convergentes,


estreitando-se gradualmente (Figura 48).

Figura 48: Base Atenuada

Cordada: Base reentrante, com lobos arredondados (Figura 49).

Figura 49: Base Cordada

33
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Hastada: Base reentrante, com os lobos agudos e voltados para o ápice (Figura 50).

Figura 50: Base Hastada

Decorrente no pecíolo: (Figura 51)

Figura 51: Base Decorrente no pecíolo

Decorrente no ramo: Margem estendendo-se ao longo do ramo (Figura 52).

Figura 52: Base Decorrente no ramo

Oblíqua: Base foliar terminando em lados desiguais e assimétricos (Figura 53).

Figura 53: Base Oblíqua

Obtusa: Terminando em ângulo obtuso (Figura 54).

34
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 54: Base Obtusa

Sagitada: Base reentrante, com lobos pontiagudos voltados para baixo (Figura 55).

Figura 55: Base Sagitada

Truncada: Base parecendo ter sido cortada em plano transversal (Figura 56).

Figura 56: Base Truncada

II.2.7 - Filotaxia

Alterna: Quando só há uma folha em cada nó. Subdivide-se em:

 Alterna dística: Quando a inserção das folhas se dá em um único plano, alternando-se


nos dois lados do caule.

 Alterna espiralada: Quando a inserção das folhas se dá em vários planos ao longo do


caule, formando um espiral.

35
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Figura 57: Filotaxia Alternada

Oposta: Com um par de folhas em cada nó, uma em frente da outra, com os subtipos:

Figura 58: Filotaxia Oposta

 Dística: Pares alternadamente superpostos em apenas um plano.

 Cruzada: Cada par está organizado em ângulo reto com o par seguinte.

 Verticilada: Com três ou mais folhas em cada nó, formando um verticilo foliar.

Figura 59: Filotaxia Oposta Verticilada

 Congestas: Diz-se da disposição das folhas cujo espaçamento é pequeno, formando


densos conjuntos. Na maioria das vezes, são folhas alternas espiraladas com a
disposição de folhas apenas no ápice caulinar.

 Laxas: Diz-se da distribuição de órgãos cujo espaçamento é grande e com distribuição


esparsa.

36
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

II.2.8 - Resumo das ilustrações


Filotaxia

Opostas Alternas Verticiladas

Tipos de folhas

Folhas simples

Peninérvia Palminérvia Acicular Escamiforme

Folhas compostas

Digitada (s/
Imparipinada Paripinada Trifoliada
peciólulo)

Palmiforme palmada Palmiforme pinulada Bipinada Digitada

37
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Forma do limbo

Folhas simples peninérvias

Orbicular Linear Lanceolada Falciforme Oval

Oval-lanceolada Oblonga Eliptica Triangular Rômbica

Espatulada Oboval Lobada Assimétrica Peltada

Sagitada

38
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Folhas simples palmadas

7 lóbulos 5 lóbulos 3 lóbulos

Margem do limbo

Inteira Ciliada Dentado Crenada Serrada

Serrilhada Lobada Lobada dupla Ondulada Revoluta

Aculeada

39
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ápice do limbo

Aguda Acuminada Arredondada Chanfrada ou emarginada

Cuspidada Mucronada Obtusa Retusa Truncada

Base do limbo

Atenuada Cordada Orbicular Assimétrica

Largamente cordada Obtusa Truncada Decorrente no pecíolo

Decorrente no ramo Hastada

40
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Pecíolo

Longo Curto Séssil Alado

41
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Exemplos de disposição das folhas nos ramos como subsídio para a identificação desses
padrões no reconhecimento das principais famílias de plantas arbóreas do Brasil (Obs.:
Nem todas as famílias foram citadas aqui)
Esquema de aplicação

Alternas compostas
Alternas compostas Opostas compostas
imparipinadas inteiras Opostas compostas
palmadas palmadas
Anacardiaceae imparipinadas inteiras
Araliaceae Bignoniaceae
Fabaceae Bignoniaceae
Malvaceae Cunoniaceae
Meliaceae Fabaceae
Caricaceae Lamiaceae (Vitex)
Sapindaceae

Opostas compostas Alternas compostas


Alternas compostas
imparipinadas dentadas Alternas compostas trifoliadas inteiras
imparipinadas dentadas
Cunoniaceae bipinadas Cunoniaceae
Proteaceae
(Weinmannia) Fabaceae Rutaceae
Sapindaceae
Fabaceae (Platymiscium) Sapindaceae

Alternas simples lineares Alternas simples Alternas simples Alternas simples


inteiras lanceoladas inteiras falciformes inteiras triangulares inteiras

42
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Alternas simples rômbicas Alternas simples oblongas Alternas simples oval- Alternas simples elípticas
inteiras inteiras lanceoladas inteiras inteiras

Alternas simples Opostas simples palmadas Opostas simples Opostas simples


espatuladas inteiras pentalobuladas palmadas trilobuladas palmadas pentalobadas

Alternas simples ovais


Opostas simples palmadas Alternas simples ovais Alternas simples
dentadas
heptalobuladas inteiras orbiculares inteiras

Grande grupo de famílias que possuem folhas simples e alternas (vide próxima seção),
difícil de serem separadas apenas pela análise dessas características isoladas.

43
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

III - Caracteres vegetativos úteis aplicados ao reconhecimento das


famílias botânicas de ampla distribuição do Brasil

Listagem dos caracteres (ÍNDICE ANALÍTICO):

I. PLANTAS COM LÁTEX, RESINA, GOMA OU SEIVA

I.1. Com látex

I.2. Com resina, goma ou seiva

II. PLANTAS COM GLÂNDULAS OU CANAIS RESINÍFEROS NAS FOLHAS

II.1. Glândulas. translúcidas em toda lâmina foliar (pontuações)

II.2.Glândulas translúcidas em toda lâmina foliar (forma alongada)

II.3.Canais resiníferos

II.4.Glândulas na base da lâmina foliar ou no pecíolo

II.5. Glândulas na raque (entre folíolos, entre pinas) ou no pecíolo

III. PLANTAS COM CHEIROS TÍPICOS NAS FOLHAS E NOS TRONCOS

IV. FAMÍLAS COM ESTÍPULAS, ESTIPELAS, ÓCREAS OU CICATRIZES DE ESTÍPULAS

44
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

IV.1. Folha simples, oposta

IV2. Folha simples, alterna

IV.3. Folha composta, oposta

IV.4. Folha composta, alterna

V. FAMÍLAS E SEUS PADRÕES DE VENAÇÃO:

V.1 Palminérvias ou palmadas (3- 5- 7 nérvias)

V.2 Peninérvias (a maioria das famílias)

V.2.1 Tipos especiais de venação peninérvea

VI. FAMÍLAS COM DOMÁCEAS (EM TUFOS DE PÊLOS, BOLSAS OU CRIPTAS) NAS FOLHAS

VII. FAMÍLAS COM PULVINO E/OU PULVÍNULO

VII.1 Folha simples, alterna

VII.2 Folha composta, alterna

VIII. FAMÍLIAS ARMADAS (COM ESPINHOS OU ACÚLEOS)

IX. FAMÍLIAS COM EMBIRA NO CAULE

45
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

X. PLANTAS QUE FORMAM PRINCIPALMENTE TREPADEIRAS LENHOSAS (LIANAS OU


CIPÓS)

X.1 - Folha composta, oposta, com gavinhas (folíolo terminal ou raque transformadas em
gavinhas)

X.2 - Folha composta, alterna, com gavinha (ramos e inflorescências transformados em


gavinhas)

X.3 - Folha composta, alterna, sem gavinha

X.4 - Folha simples, oposta, sem gavinha

X.5.- Folha simples, alterna, com gavinha

X.6 - Folha simples, alterna, sem gavinha

XI. LISTAGEM DE ALGUMAS FAMÍLIAS COM CARACTERÍSTICAS VEGETATIVAS PARECIDAS:

XI.1 - Folha simples, oposta, suboposta ou verticilada

XI.2 - Folha simples, alternas (dísticas), a subopostas

XI.3 - Folha simples, alternas espiraladas

XI.4 - Folha compostas, opostas

XI.5 - Folha compostas, alternas


46
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

XII. CARACTERÍSTICAS VEGETATIVAS IMPORTANTES NA IDENTIFICAÇÃO

XII.1- HÁBITO E FORMAS DE VIDA


XII.2.- CAULE
XII.2.1- Fuste
XII.2.2 - Ramificação do caule:
XII.2.3 - Forma da copa:
XII.2.4 - Forma dos ramos:
XII.2.5 - Indumento

XIII. CARACTERES VEGETATIVOS E REPRODUTIVOS IMPORTANTES PARA IDENTIFICAÇÃO


DAS FAMÍLIAS CITADAS

O princípio da identificação vegetal geralmente tem por base a morfologia das flores e dos
frutos, no entanto, torna-se necessário buscar alternativas para o reconhecimento das
espécies sem depender tanto das estruturas reprodutivas, uma vez que na maior parte do
tempo, as espécies estão em estado vegetativo.

É importante que os pesquisadores se habituem a observar com maior interesse as


estruturas vegetativas que podem fornecer subsídios para identificação das espécies em
várias áreas de atuação (taxonomia, fitoquímica, biologia floral, etc.).

Para a confecção do guia foram selecionadas características vegetativas da maioria das


famílias botânicas de plantas arbóreas que ocorrem ao longo do território Brasileiro.

47
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

IV. Análise comentada dos caracteres vegetativos citados

IV.1 - Plantas com Látex, Resina, Goma ou Seiva

IV.1.1 - Com látex

Apocynaceae (incluindo Asclepiadaceae) – látex branco e leitoso:

Ervas, trepadeiras, árvores, folha simples, oposta, verticilada, (raro altena, característica
encontrada em Aspidosperma).

Ex. Aspidosperma olivaceum (guatambú).

Caricaceae – látex leitoso:

Arbórea, armadas ou não, caule monopodial, folhas grandes longo pecioladas, simples e
multilobadas, alternas.

Ex: Jacaratia heptaphylla (mamão-do-mato).

Clusiaceae – látex amarelado até alaranjado, espesso, não abundante:

Folhas simples, opostas, alternas ou verticiladas, geralmente coriáceas, nervuras


secundárias paralelas bem típicas (tipo Clusia).

Ex. Clusia criuva (clusia), Rheedia gardneriana (bacupari-míudo).

48
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Euphorbiaceae – látex leitoso, transparente ou creme (presença de cristais de oxalato de


cálcio):

Herbáceas ou arbóreas, armadas ou não. Folhas inteiras ou partidas, alternas (raro opostas
ou verticiladas), com estípula e glândulas.

Ex: Pera glabrata (coração-de-bugre): pouco látex, transparente.


Sapium glandulatum (leiteira): látex abundante, leitoso.

Moraceae – látex leitoso, transparente ou “café com leite”:

Ervas, árvores, f.simples, alterna, com 2 estípulas protegendo a gema apical, folhas com
cistólito.

Ex. Ficus luschnatiana (figueira-mata-pau), Fícus insipida, Sorocea bonplandii (cega-olho).

Olacaceae - látex branco, escorre lentamente:

Árvores, arbustos ou trepadeiras lenhosas, folhas simples, alternas, margem inteira,


tornam-se oliva ou negras depois de secas, (infl. peq. axilares), fr drupa ou núcula com
cálice expandido.

Ex. Heisteria silvianii (chupeta-de-macaco).

Sapotaceae – Látex leitoso, escorre lentamente:

Árvores, folhas simples, alterna, aglomeradas no ápice dos ramos.

49
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex. Manilkara subsericea, Pouteria caimito (abiu), Pouteria bullata (guapeva).

IV.1.2 - Com resina, goma ou seiva

Anacardiaceae – resina incolor:

Arbóreas, folhas alternas, simples ou compostas imparipinadas, casca viva resinosa (torna-
se sólido escuro quando seca) e cheiro suave de terebintina (lembra o cheiro de “manga”).

Ex. Schinus terebinthifolius (aroeira), com cheiro.

Tapirina guianensis (fruta-pomba), sem cheiro.

Burseraceae – resina incolor:

Árbóreas, armadas ou não, casca e folhas com forte cheiro de terebentina ou cânfora (
torna-se um sólido esbranquiçado, quando seco).

Folhas alternas, compostas imparipinadas, folíolos inteiros ou denteados, raque com nós
proeminentes, com o engrossamento na base dos pecíolos ou pecíolos (pulvino, pulvínulo).

Ex: Protium heptaphyllum (breu-branco ou amescla-cheirosa).

Obs: As famílias Anacardiaceae e Burseraceae são muito parecidas vegetativamente e


ambas com cheiro de terebentina.

Myristicaceae – seiva avermelhada:

50
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Arbóreas, ramos horizontais típicamente verticilados nos nós do tronco principal (padrão
miristicáceo de ramificação), folhas simples e alterna dística.

Ex. Virola bicuhyba (sangue-drago).

Fabaceae - Papilinoideae - seiva ou resina avermelha (nem todas):

Ervas, trepadeiras lenhosas, árvores, folhas geralmente trifolioladas, alternas, com pulvino,
cheiro de “vagem verde”.

Ex: Machaerium nyctitans (jacarandá-bico-de-pato), Pterocarpus rohrii (aldrago), algumas


Dalbergia (jacarandás).

IV.2 - Plantas Com Glândulas Ou Canais Resiníferos Nas Folhas

IV.2.1 - Glândulas translúcidas em toda lâmina foliar (pontuações):

Myrtaceae
Arbóreas, casca esfoliante, folha simples, oposta, nervura marginal e intramarginal, ramos
com odor de “goiaba”.

Ex: Eugenia uniflora (pitanga), Psidium cattleyanum (araça).

Rutaceae
Arbóreas, armadas, folhas compostas ou simples, alternas, com glândulas oleíferas, cheiro
“de pimenta” ou “cítrico”.

Ex: Zanthoxyllum rhoifolium (mamica-de-porca) - folha composta,

51
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Esenbeckia grandiflora (pau-de-cutia) - folha simples.

IV.2.2 - Glândulas translúcidas em toda lâmina foliar (forma alongada)

Primulaceae
Arbóreas, folhas simples, alternas, margem inteira, fruto baga (diferente de Rutaceae que
possui frutos tipo cápsula). Nesta família, a presença de pontoações translúcidas é rara.

Ex.: Ardisia guianensis (capororocão).

Salicaceae
Arbóreas, armadas ou não, folha simples, alterna dística, margens serrilhadas, pontuacões
lineares translúcidas, com estípulas inconspícuas. Nem todas as Salicaceae possuem
pontoações translúcidas.

Ex: Casearia decandra (cambroé).

IV.2.3 - Canais resiníferos

Primulaceae
Arbóreas, com ou sem caulifloria, folhas simples, alternas, nervuras finas divergentes
típicas, estrias vermelhas ou enegrescidas (canais ou bolsas resiníferas), pecíolos
avermelhados nas folhas jovens.

Ex: Myrsine umbellata (capororoca).

IV.2.4 - Glândulas na base da lâmina foliar ou no pecíolo

52
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Euphorbiaceae
Herbáceas ou arbóreas, látex leitoso ou incolor, armadas ou não, folhas simples (inteiras ou
partidas), alternas, com estípula.

Ex. Croton (pêlos estrelados), Alchornea e Maprounea (glabras).

Passifloraceae
Trepadeiras herbáceas ou lenhosas, folha simples (recortadas), com gavinhas axilares,
estípulas e nectários extraflorais (glândulas), alternas.

Ex: Passiflora mucronata (maracujá-do-mato).

Vochysiaceae
Folha simples, oposta a verticilada, 2 estípulas interpeciolares pequenas, com ou sem
glândulas no pecíolo, com ou sem nervação tipo “clusia”. Flor calcarada, quando apresenta
uma espora ou calcar que pode estar situada no cálice, na corola ou em ambos.

Ex: Vochysia bifalcata (tucaneiro)

IV.2.5 Glândulas na raque (entre folíolos, entre pinas) ou no pecíolo

Fabaceae - Mimosoideae
A maioria das espécies. Herbáceas a arbóreas, folhas bipinadas, com glândulas no pecíolo,
entre as pinas ou entre os folíolos.

Ex. Inga laurina (ingá-mirim), Inga sessilis (ingá-feijão).

Fabaceae-Caesalpinoideae
53
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Alguns gêneros possuem folhas geralmente pinadas ou bipinadas, alguns gêneros com
nectários extraflorais (Senna, Chamaecrista).

Ex. Senna macranthera (fedegoso, aleluia), Senna multijuga (pau-cigarra).

IV.3 - Plantas com cheiros típicos nas folhas e nos troncos

 Alho - Phyttolacaeae (Gallesia integrifolia).


 Aromáticos (ou primitivo) - Annonaceae, Lauraceae.
 Aroma de eucalipto ou de goiaba verde, de cravo - Myrtaceae (Leptospermoideae:
Eucaliptus; Myrtoideae: espécies neotropicais).
 Canela - Lauraceae.
 Carne assada - Proteaceae (Roupala).
 Cítrico - Rutaceae (principalmente Citrus), Monimiaceae (Siparuna), Lauraceae
(Endlicheria).
 Fruta fermentada - Annonaceae.
 Linhaça - Lecythidaceae.
 Peixe - Lauraceae (Licaria).
 Pimenta, ardido - Piperaceae, Rutaceae.
 Terebentina, cânfora - Anacardiaceae, Burseraceae.
 Vagem verde – Fabaceae-faboideae.
 “Vick” - Umbelliferae (Hidrocotile umbellata).

IV.4 - Famílas com estípulas, estipelas, ócreas ou cicatrizes de estípulas

Folha simples, oposta


 Malpighiaceae - estípulas intrapeciolares, pêlos em T.
 Quinaceae - estípulas peciolares, pecíolo apresentando engrossamento na base.
54
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

 Rubiaceae - estípulas interpeciolares, cicatriz evidente.


 Vochysiaceae - estípulas intrapeciolares, inconpícuas, caducas, base da lâmina foliar
levemente revoluta.

Folha simples, alterna

 Erythroxylaceae - estípulas interpeciolares triangulares (ramentas), que se


acumulam principalmente na base dos ramos.
 Euphorbiaceae - estipelas na base da lâmina foliar ou no ápice do pecíolo.
 Magnoliaceae - estípula terminal, com cicatriz linear no pecíolo.
 Malvaceae - estípulas grandes e caducas.
 Ochnaceae - estípulas pouco conspícuas, nervuras secundárias arqueadas.
 Polygonaceae - ócrea (2 estípulas soldadas).
 Urticaceae e Moraceae - estípulas terminais cônicas (capuz), caducas, deixam cicatriz
evidente.

Folha composta, oposta


 Cunoniaceae - estípulas interpeciolares foliáceas

Folha composta, alterna


 Araliaceae - estípulas grandes, foliáceas e persistentes, folhas longo-pecioladas,
digitadas.
 Fabaceae - estípulas e estipelas (nos folíolos), folha com pulvino.

IV.5 - Famílas e seus Padrões de Venação

Não-peninérvias:

55
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

 Melastomataceae e Smilacaceae: Folhas simples, opostas (curvinérvea ou


acródroma).

 Menispermaceae, Rhamnaceae e Ordem Malvales, incluindo as famílias


Elaeocarpaceae, Malvaceae, Bombacaeae e Malvaceae: folhas simples, alternas
(nervuras divergentes ou actinódroma).

 Aristolochiaceae e Dioscoriaceae: trepadeiras de folhas simples, alternas (várias


nervuras, formando curvas ascendentes - campilódroma).

Peninérvias (a maioria das famílias):

 Cannabaceae: Nervuras secundárias terminando na margem (craspedródroma).

 Annonaceae, Apocynaceae, Myrtaceae, Sapotaceae e Vochysiaceae: Nervuras


secundárias fechando em arcos, antes da margem (camptódromo/broquidódroma.

Tipos especiais de venação peninérvea:

 Clusiaceae, Myrtaceae, Sapotaceae e Vochysiaceae: Tipo “clusia” (nervuras


secundárias finas, paralelas).

 Nervação marginal e/ou intramarginal:


Apocynaceae: marginal, com látex leitoso, folha oposta.
Myrtaceae: marginal e intramarginal, glândulas translúcidas, folha oposta.
Sapotaceae: marginal, com látex leitoso, folha alterna.

56
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Vochysiaceae: marginal, folha oposta-verticilada, estípula pequena interpeciolar com ou


sem glândulas no pecíolo.

Paralelinérveas

 Podocarpaceae: Nervuras secundárias paralelas à nervura principal.

Ex.: Podocarpus sellowii (pinheiro-bravo).

Peniparalelinérveas

 Calophyllaceae (Calophyllum brasiliense): Nervuras secundárias finamente paralelas


entre si, mas que formam ângulo agudo com a principal.

Ex.: Calophyllum brasiliense (pinheiro-bravo).

IV.6 - Famílas com domáceas (em tufos de pêlos, bolsas ou criptas) nas folhas

Annonaceae, Apocynaceae, Boraginaceae, Chrysobalanaceae, Euphorbiaceae, Lauraceae,


Fabaceae-Caesalpinoideae, Marcgraviaceae, Melastomataceae, Oleaceae, Rubiaceae,
Sapindaceae.

IV.7- Famílas com pulvino e/ou pulvínulo

Folha simples, alterna:

 Malvales (Elaeocarpaceae e Malvaceae senso lato): Dilatação no ápice do pecíolo.

57
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

 Menispermaceae: dilatação no ápice do pecíolo.

Folha composta, alterna:

 Connaraceae: Dilatação em todo pecíolo.

 Burseraceae: Dilatação na base e no ápice do pecíolo, composta imparipinada.

 Sapindales: Dilatação na base do pecíolo (incluindo as famílias: Sapindaceae,


Meliaceae, Anacardiaceae e Rutaceae).

 Fabaceae – Dilatação na base do pecíolo.

IV.8 - Famílias armadas (com espinhos ou acúleos)

Obs.: Esta característica não está presente em todas as espécies da família, mas ocorre nos
grupos citados nos exemplos, os quais são bem registrados em diferentes regiões do Brasil.

Arecaceae

Palmeiras, armadas ou não, com estipe, folhas com limbo, pecíolo e bainha, “pinadas” ou
“palmadas”, nervuras secundárias paralelas.

Ex: Astrocaryum aculeatissimum (brejaúba), Attalea dubia (Indaiá), Bactris setosa (tucum).

Anacardiaceae. Algumas espécies do gênero Schinopsis e Schinus.

58
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Arbóreas, armadas ou não, folhas simples ou compostas (imparipinadas), alternas, casca


viva resinosa (cheiro de terebintina –“manga”).

Ex.: Schinus polygama (restingas e florestas nebulares da região sul e das altitudes elevadas
do Sudeste do Brasil).

Cactaceae

Plantas com folhas modificadas em espinhos (exceção: Pereskia spp.), caule verde,
suculento (cladódio), com espinhos, de formatos variados (globosos, cilíndricos, achatados,
angulosos, etc.).

Ex. Pereskia aculeata, Cereus pernambucensis.

Caricaceae
Arbórea, armadas ou não, caule monopodial látex leitoso abundante, folhas grandes longo
pecioladas, simples (partidas), alternas.

Ex Jaracatia dodecaphylla (mamão-do-mato).

Fabaceae-Mimosoideae. A maioria dos gêneros.

Herbáceas a arbóreas, folhas bipinadas, com glândulas no pecíolo, entre as pinas ou entre
os folíolos.

Ex.: Piptadenia gonoacantha (pau-jacaré), Piptadenia paniculata (Serra-de-jacare).

Fabaceae-Caesalpinioideae.
59
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Arbóreo, trepadeiras lenhosas. Folhas geralmente pinadas (Senna, Cassia) ou bipinadas


(Caesalpinia), alguns gêneros com nectários extraflorais (Senna, Chamaecrista).

Ex. Caesalpinia echinata (pau-brasil), Senna macranthera (fedegoso, aleluia), Bauhinia


forficata (pata-de-vaca).

Fabaceae-Papilionoideae

Ervas, trepadeiras lenhosas, árvores.

Folhas geralmente trifolioladas, alternas, com pulvino, cheiro de “vagem verde”.

Ex: Machaerium nyctitans (jacarandá-bico-de-pato)

Malvaceae. Algumas espécies.

Arbóreas, armadas ou não, caule geralmente dilatado base, folhas simples ou compostas
(digitadas), estípula caduca.

Ex.: Ceiba speciosa (paineira-espinho)

Phytollacaceae

Arbóreas, folhas simples, alternas, com cheiro forte.

Ex. Seguieria langsdorffii (limão-bravo).

60
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Rubiaceae

Arbórea, folhas simples, opostas-cruzadas ou verticilada, estípula interpeciolar, com ou sem


domácias.

Ex. Randia armata (espinho-de-agulha), Chomelia catharinae (balsamo-de-espinho).

Rutaceae.

Arbóreas, armadas, folhas simples (Esenbeckia) ou compostas (unifoliolada, digitada ou


pinada (Zanthoxyllum)), alternas, com glândulas translúcidas oleíferas.

Ex. Zanthoxyllum rhoifolium (mamica-de-porca).

Salicaceae.

Arbóreas, armadas ou não, folhas simples, alterna dística, margem serrilhadas, pontuacões
lineares translúcidas (Casearia), com estípulas pequenas.

Ex. Xylosma pseudosalzmanii (espinho-de-judeu).

Solanaceae

Ervas, trepadeiras lenhosas, arbustos ou árvores, folhas simples, alternas, inteiras ou


recortadas (lobadas,fendidas), cheiro forte enjoativo (de fumo), pêlos simples e/ou
estrelados.

Ex. Solanum lycocarpum (fruta-do-lobo).


61
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Smilacaceae

Trepadeiras lenhosas (lianas) ou herbáceas, (raro arbusto), com rizóforos, ramos aculeados
ou não, folhas simples, alternas, (raro opostas ou verticiladas), 3-5-7 nérvias.

As espécies do Smilax são trepadeiras com ramos cilíndricos ou angulosos, alados ou não,
ásperos, verrucosos ou lisos, aculeados ou não; folhas simples, alterna, bainha bilabiada,
pecíolo articulado com 1 par de gavinhas, 3-5-7 nérvias.

Ex: Smilax quinquenervia (salsaparrilha).

IV.9 - Famílias que possuem embira no caule

Thymelaeaceae – Folhas simples, alternas, lanceoladas, borda lisa, sem glândulas e


estípulas.

Para verificar a presença da embira no caule, basta cortar um ramo com a mão.

IV.10 - Plantas que formam principalmente trepadeiras lenhosas (lianas ou


cipós)

Folha composta, oposta, com gavinhas (folíolo terminal ou raque transformadas em


gavinhas).

 Bignoniaceae
Lenhosas (arbóreas ou trepadeiras). As lianas exibem caule cilíndríco ou quadrangular
(fistuloso ou não), com 4 (ou 8) grupos de floema em cruz (cipós-cruz); folhas compostas,
opostas.
62
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

As lianas sempre com gavinhas (gavinhas simples, trífidas, com ou sem unhas).

Tipos de gavinhas:

Gavinha simples: Arrabidae, Adenocalyma, Lundia

Gavinha trífida, com ou sem unha: Macfadyena, Pyrostegia, Pithecoctenium

Gavinhas simples ou trífidas: Anemopaegna

Exemplos gerais: Macfadyenaa unguis-cati (unha-de-gato), com gavinhas trífidas.


Arrabidaea leucopogon (cipó-camarão-branco), gavinha simples.

Folha composta, alterna, com gavinha:

 Fabaceae-Caesalpinoideae

Folhas pinadas ou bipinadas, alternas, com pulvino.

Único exemplo: Bauhinia.

Apresenta caule cilíndrico ou achatado (escadas-de-macaco), folhas unifolioladas bilobadas,


com 2 gavinhas.

Ex.: Bauhinia microstachya (escada-de-macaco ou unha-de-vaca)

Folha composta, alterna, sem gavinha:


63
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

 Fabaceae-Papilionoideae

Folhas geralmente trifolioladas, alternas, com pulvino.

Macherium: lenhoso, legume samaróide;

Vicia: herbáceo, legume comestível;

Ex: Macherium lanceolatum (jacarandá-bico-de-pato), Vicia faba (fava)

Folha simples, oposta, sem gavinha:

 Celastraceae
Lenhosas, ramos jovens se enroscam como gavinhas, seção transversal dos ramos com raios
nítidos, folhas simples, opostas (raro alterna), com ou sem estípula, com ou sem látex.

Ex: Salacia cognata.

 Malpighiaceae

Ervas a árvores, geralmente trepadeiras, ramos jovens se enroscam como gavinhas folhas
simples, opostas, (raro alternas), pêlos em T, (cálice com 10 glândulas basais).

3 frutículos samaróides, semente presa na base da sâmara. Ex: Heteropterys, Tetrapterys.

 Sapindaceae

64
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Trepadeiras herbáceas ou lenhosas (lianas), geralmente apresentam caule composto


(anômalo), com ou sem látex, com gavinhas axilares (bífidas), folha composta (geralmente
pinada), alterna.

Obs.: Folíolo terminal reduzido a um apículo (nas plantas arbóreas)

Ex.: Paullinia meliifolia (cipó-quina),


Serjania ichthyoctona (timbó), com caule composto (anômalo)

Folha simples, alterna, com gavinha

 Cucurbitaceae
Trepadeiras, geralmente herbáceas, feixes bicolaterais, folhas simples (inteiras ou
recortadas), alternas, gavinhas elásticas, 2-3-furcadas, formando ângulo 90º com o pecíolo.

Ex: Gurania tricuspidata.

 Passifloraceae

Trepadeiras herbáceas ou lenhosas, folha simples (recortadas), com gavinhas axilares,


estípulas e nectários extraflorais (glândulas), alternas.

Ex: Passiflora racemosa e Passiflora rhamnifolia.

 Polygonaceae

65
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ervas, trepadeiras, raro árvores (Coccoloba).

As lianas exibem ramos jovens que se enroscam como gavinhas, folhas simples, alterna-
espilaradas (oposta cruzadas), presença de ócrea, gavinha (no ápice dos ramos, na axila das
folhas), caule geralmente articulado e oco por dentro.

Ex. Coccoloba sp., Ruprechtia laxiflora.

 Rhamnaceae

Lenhosas (trepadeiras, árvores), folhas simples, alternas ou subopostas, 3-5 nervuras,


armadas (só as espécies da caatinga), gavinhas ou não.

Ex: Gouania blanchetiana ( com gavinhas)

 Smilacaceae

Trepadeiras lenhosas (lianas) ou herbáceas, (raro arbusto), com rizóforos, ramos aculeados
ou não, folhas simples, alternas, raro opostas ou verticiladas, 3-5 a 7 nérvias.

Ex: Smilax quinquenervia (salsaparrilha)

 Vitaceae

Trepadeiras lenhosas, folhas simples (inteiras ou partidas), alternas, 1 gavinha oposta a


folha. Fruto baga.

66
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex: Cissus spp.

Folha simples, alterna, sem gavinha:

 Combretaceae

Lenhosas (árvores, trepadeiras), ramos geralmente suberosos, folhas simples, alternas


(opostas), com estípula, folhas geralmente agrupadas no final dos ramos.

Ex: Buchenavia kleinii (capitão do campo) e Combretum discolor (mufumbo).

 Dilleniaceae

Árvores, lianas (tronco geralmente rosado ou alaranjado, secções transversais exibem anéis
concêntricos, com estrias alaranjadas), folhas simples, alternas, com nervuras secundárias
bem frisadas, geralmente com pêlos ásperos, fruto cápsula ou baga, sementes com arilo.

Ex: Davilla rugosa (cipó-cabloco, cipó-lixa), Dolicocarpus sessiflorus.

 Marcgraviaceae

Arbusto escandentes e/ou trepadeiras, folhas simples, alternas, com ou sem heterofilia.
Fruto cápsula.

Ex. Norantea brasiliensis.

 Menispermaceae

67
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Trepadeiras lenhosas ou subarbustos, caule às vezes anômalo, com vários anéis


concêntricos e parênquima radial bem marcado.

Fruto seco.

Ex: Abuta selloana (abuta)

 Rhamnaceae

Lenhosas (trepadeiras, árvores), folhas simples, alternas ou subopostas, 3-5 nervuras “,


armadas (só as da caatinga), com estípulas.

Fruto baga ou seco.

Ex: Reisseckia cordifolia (cipó-lavadeira)

IV.11 - Plantas que formam trepadeiras herbáceas (vinhas)

 Amaranthaceae

Trepadeiras herbáceas, folhas opostas, sem estípulas, geralmente suculentas.


Ex.: Hebanthe paniculata.

 Apocynaceae

Trepadeiras herbáceas ou lenhosas, folhas simples, opostas ou verticiladas, com látex, sem
gavinhas.
68
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

A família Asclepiadaceae é reconhecida nos estudos recentes em filogenia como integrante


da Família Apocynaceae.

Ex.: Orthosia urceolata, Condylocarpon isthimicum.

 Menispermaceae

Trepadeiras lenhosas ou herbáceas, folhas alternas, simples, peltadas ou não, comumente


ovais.

Ex.: Cissampelos andromorpha.

 Passifloraceae

Trepadeiras herbáceas ou lenhosas, folha simples (recortadas), com gavinhas axilares,


estípulas e nectários extraflorais (glândulas), alternas.

IV.12 - Listagem de algumas famílias com características vegetativas parecidas

Obs.: consultar itens anteriores para a diferenciação. Em parênteses as características que


as diferenciam.

Folha simples, oposta, suboposta ou verticilada:

 Apocynaceae e Clusiaceae (nervaçao tipo Clusia).

69
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

 Clusiaceae (nervação), Myrtaceae (nervura coletora), Vochysiaceae (estípulas


interpeciolares) e Sapotaceae (látex).

 Malpighiaceae (estípula intrapeciolar), Rubiaceae (estípula interpeciolar) e


Lamiaceae (Aegiphila, Citharexylum e outros) (ramos jovens quadrangulares).

 Trigoniaceae e Vochysiaceae (presença de nervura marginal).

 Monimiaceae (bordo serreado) e Myrtaceae.

Folhas simples, alternas (dísticas) a subopostas:

 Annonaceae e Lauraceae (pecíolo escuro depois de seco. Lauraceae possui


domáceas e ramos aromáticos) e Myristicaceae (resina avermelhada).

 Celastraceae (ramos jovens achatados) e Erytroxylaceae (presença de ramentas).

 Rhamnaceae (bordo liso) e Cannabaceae (bordo serreado).

Folhas simples, alternas espiraladas:

 Apocynaceae e Sapotaceae (Diferem quanto à pesença de lenticelas em


Apocynaceae).

 Malvaceae, Elaeocarpaceae, Malvaceae s.l. (Malvales): (palminérvias, pêlos


estrelados, margem da lâmina foliar serreada e mucilagem).

70
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

 Boraginaceae, Chrysobalanaceae, Euphorbiaceae, Humiriaceae, Lecythidaceae,


Moraceae, Olacaceae, Sabiaceae e Solanaceae (observa os seguintes atributos:
látex, estípulas, bordo foliar e tamanho relativo do limbo em relação ao do
pecíolo).

Folha simples, alterna, margem serrilhada, base assimétrica e pequenas inflorescências


axilares.

 Celastraceae, Elaeocarpaceae (Sloanea), Erytroxylaceae, Salicaceae, Lacistemaceae,


Rhamnaceae, Cannabaceae e Clethraceae.

Folhas compostas, opostas:

 Bignoniaceae (folhas digitadas ou pinadas, sem estípula).

 Cunnoniaceae (folhas trifolioladas, digitadas, pinadas, com estípulas interpeciolares


foliáceas).

Folhas compostas, alternas:

 Anacardiaceae (folha imparipinada, cheiro suave terebentina), Burseraceae


(folha imparipinada, cheiro forte terebentina).

 Araliaceae (folha digitada, estípulas grandes, persistentes, pecíolo amplexicaule).

 Burseraceae (ramos aromáticos e resina)

 Connaraceae (folha composta, fruto apocárpico).


71
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

 Fabaceae (folha composta, legume).

 Malvaceae (folhas digitadas, ausência de látex).

 Meliaceae (folha pinada, crescimento indefinido - Guarea).

 Rutaceae (armadas ou não, imparipinada, glândulas translúcidas).

 Sapindaceae (imparipinada, cicatriz de folíolo – no caso das arbóreas).

 Urticaceae (folha simples, palmada, látex leitoso ou amarelado).

IV.13 - Outras características vegetativas importantes na identificação

IV.13.1 - CAULE

Fuste
 Base do fuste: reta, dilatada, com raízes adventícias ( sapopemas ou raízes tabulares,
raízes escoras, raízes superficiais, raízes finas que não chegam ao solo).

Ramificação do caule:
 Sistema de crescimento: monopodial, simpodial (dicotômico).

 Posição dos ramos: horizontais, verticais e pendentes.

Ex. horizontais e verticilados (Virola - Myristicaceae) dicotômico (Calyptranthes e


Marlierea– Myrtaceae)

72
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Forma da copa: Arredondada ou globosa, achatada, cônica ou piramidal, umbeliforme,


irregular. Caractere essencialmente importante no reconhecimento de espécies arbóreas
presentes isoladas em pastos e campos abertos.

Tipos de ramos: cilíndrico, angular, com nós dilatados (joelhos), estriados, aristados ou
alados, com cicatrizes, com lenticelas, com pêlos.

Indumento: espinhos, acúleos, pêlos ou tricomas tectores e glandulares.

Pêlos tectores: simples ou ramificados (em “ T “ = malpiguiáceos; estrelados, escamosos,


peltados).

tipos: escabroso = simples, ereto, rígido, curto, esparso


pubescente = simples, deitado, macio, curto, esparso
tomentoso = simples, deitado, macio, longo, denso
velutino = simples, deitado, macio, curto, denso
lanoso = simples, ereto, áspero, longo, denso

IV.14 - Caracteres vegetativos e reprodutivos importantes para identificação


das famílias citadas acima e de ampla distribuição no Brasil

Anacardiaceae – Plantas lenhosas, folhas simples ou imparipinadas, alternas, casca viva


resinosa (cheiro suave de terebentina ou manga, torna-se um sólido escuro), fruto drupa,
noz, baciforme ou pseudofruto.

Ex: Schinus - folha imparipinada, cheiro de terebentina (cheiro de manga).


Schinus terebentifolius (aroeira pimenteira).

73
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Tapirira – folha imparipinada, sem cheiro.


Tapirira guinensis (peito-de-pombo).

São vegetativamente parecidas com a família Burseraceae (folha imparipinada, cheiro forte
de terebentina), Meliaceae (folha pinada, crescimento indefinido - Guarea), Rutaceae
(armadas, imparipinada e glândulas translúcidas) e Sapindaceae (imparipinada, com apículo
terminal – no caso das arbóreas).

Annonaceae - Plantas lenhosas, ramo com marcas de chama em corte transversal, folha
simples, alterna dística, (lâmina às vezes verde-azulado ou verde-amarelado), pecíolo
escurecido depois de seco, ramos compridos, frutos apocárpicos, endosperma ruminado.

Exemplos:

Annona – flores dialipétalas, fr. estrobiliformes grandes.


Anaxagorea - flores dialipétalas, fr com carpídeos livres, deiscentes.
Duguetia - flores. dialipétalas, fr.com carpídios livres, sésseis.
Guatteria - flores. dialipétalas s, fr. com carpídeos livres, estipitados, indeiscentes.
Rollinia - flores. gamopétalas, 3-lobos, fr. estrobiliformes peqs.
Xylopia - flores. dialipétalas, fusiformes, fr. com carpídeos livres.

Apocynaceae - ervas, trepadeiras, árvores, f. simples, opostas ou verticiladas, alternas,


látex leitoso, abundante, ramos com lenticelas, fr. capsula, folículo, baga, sementes aladas
ou pilosas.

As espécies de folhas opostas podem ser confundidas com Clusiaceae (esta c/látex
amarelado, nerv. tipo Clusia) e as espécies de folhas alternas podem ser confundidas com
Sapotaceae (folhas agrupadas no ápice dos ramos e peciolo dilatado na base).
74
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Aspidosperma = árvores, folha alterna espiralada, látex escasso.


Himatanthus = árvores, folha alterna-espiraladas, agrupadas no áp/ramos, látex abundante.
Tabernaemontana = folhas opostas, látex abundante.
Ditassa (Asclepiad.) = trepadeira herbácea, folhas opostas, látex abundante.

Aquifoliaceae - Arbustos ou árvores, folhas alternas, simples, espiraladas, margem


geralmente serreada ou crenada, sem esípulas e látex. Inflorescências axilares cimosas.

Ex.: Ilex amara (congonheiro) e Ilex paraguariensis (erva-mate).

Araliaceae – Arbóreas, hemiepífitas, epífitas, folhas alternas espiraladas, digitadas, com


estípulas grandes, persistentes, flores pequenas, fruto drupa lateralmente comprimido e
enegrescente.

Ex: Dendropanax cuneatus (cuvantã)

Arecaceae - Palmeiras, armadas ou não, com estipe, folhas com limbo, pecíolo e bainha,
“pinadas” ou “palmadas”, nervuras secundárias paralelas.

Ex: Astrocaryum aculeatissimum (brejaúba), Allagoptera arenaria (buriri), Bactris setosa


(tucum)

Aristolochiaceae - trepadeiras, folhas simples, alternas, base cordada (Aristolochia), ovário


ínfero, fruto cápsula, 4 – 6 lóculos, sementes geralmente aladas.

Asteraceae - herbáceas, trepadeiras ou arbóreas, folhas simples, geralmente de limbo fino,


quase sempre alternas, (infl. capítulos), fr. aquênio com papus.
75
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Eupatorium - Folha oposta, ervas, arbusto.


Vernonanthura - Folha alternas, arbusto, árvores.
Piptocarpha - Folha oposta ou alterna, ramos quadrangulares, pêlos estrelados na folha./
árvores ou lianas.

Bixaceae – Ervas, arbustos e árvores.

Folhas simples, geralmente multilobadas, com estípulas, margem inteira ou serreada.


Inflorescência paniculada ou racemosa e fruto cápsula.

Ex.: Cochlospermum regium – Muito comum no Cerrado.

Begoniaceae - Ervas, geralmente carnosas, escandentes ou epífitas, raramente arbustos.


Folhas alternas, dísticas, raramente opostas ou verticiladas, comumente lobadas,
palminérvias e assimétricas, com estípulas.

Ex.: Begonia incisoserrata (begônia).

Bignoniaceae - lenhosas (arbóreas, trepad.), nós largos, folhas compostas, opostas, com ou
sem gavinhas, fruto cápsula, síliqua, bacáceo, sementes sempre aladas. As lianas exibem
caule cilíndríco ou quadrangular (oco ou não), com 4 (ou 8) grupos de floema em cruz
(cipós-cruz), gavinhas simples ou trífidas, com ou sem unhas.

Exemplos:

Arrabidaea e Anemopaegma (2 folíolos+ 1 gavinha simples ou 3 folíolos, s/gavinha) - lianas.


Bignonia (2 folíolos + 1 gavinha com 3 unhas) - lianas.
76
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Crescentia - Folha simples, fruto indeiscente, semente não alada. Arbustos.


Tecoma- Folha pinada, fruto síliqua - arbórea.
Tabebuia- Folha digitada ou simples, fruto siliqua - arbórea.

Boraginaceae - herbáceas ou arbóreas, folha simples, alterna, presença de domáceas,


(inflorescência escorpiódes, ginobásico, 4 estigmas), fruto esquizocarpo ou drupáceo.

Cordia = arbóreas. Característica importante: Uma folha, inflorescência ou infrutescência na


bifurcação dos ramos.

Burseraceae - arbóreas, armadas ou não, casca com forte cheiro de terebintina, cânfora ou
manga (substância balsâmica), torna-se esbranquiçado depois de sólido, folhas compostas
imparipinadas, alternas, folíolos inteiros ou denteados, raque com nós proeminentes
(engrossamento nas regiões proximal e distal do pecíolo ou peciólulo (pulvino, pulvínulo)),
fruto drupáceo.

Ex Protium heptaphyllum (breu-branco ou amescla-cheirosa).

Obs: As famílias Anacardiaceae e Burseraceae são muito parecidas vegetativamente,


ambas com cheiro de terebentina.
São também vegetativamente parecidas com Meliaceae (folhas pinadas, crescimento
indefinido - Guarea), Rutaceae (armadas, imparipinadas, glândulas translúcidas),
Sapindaceae (imparipinadas com cicatriz de folíolo abortado no ápice da raqui – no caso
das arbóreas).

Cactaceae – ervas, arbustos, epífitas, folhas transformadas em espinhos (exceção:


Pereskia), caule verde, suculento e com espinhos (cladódio), de formatos variados
77
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

(globosos, cilíndricos, achatados, angulosos e entre outros), fruto baciforme, grande,


colorido, procurado por pássaros.

Ex. Pereskia aculeata, Cereus pernambucensis.

Cannabaceae - árvores, arbustos ou trepadeiras, folhas simples, alternas dísticas, margem


inteira ou serreada, peninérvias ou palminérvias, base assimétrica, inflorescência pequena
e axilar (glomérulos), fruto drupa (amarelada) ou sâmara.

Ex.: Trema - Folha simples, alternas com limbo áspero, serreadas, báse inequilátera.

Cardiopteridaceae - Arbustos e árvores, folhas alternas, simples, sem estípulas, margem


geralmente inteira. Citronela, gênero comum das florestas do sudeste, antiga família
Icacinaceae em Cronquist (1988).

Ex.: Citronela paniculata (congonheiro).

Caryocaraceae – Árvores, raramente arbustos. Folhas compostas, trifolioladas, alternas


(Anthodiscus) ou opostas (Caryocar), margem serreada, com ou sem estípulas. Flores
vistosas, bissexuadas e fruto drupa.

Ex.: Caryocar brasiliense – Conhecido como pequi. É considerada uma das espécies mais
características do Cerrado. Folhas compostas trifolioladas, opostas e com margem serreada.

Caricaceae - arbórea, armadas ou não, látex leitoso, abundante, folhas grandes, longo
pecioladas, simples (partidas), alternas, fruto baga, sementes com mucilagem.

Ex Jaracatia dodecaphylla (mamão-do-mato).


78
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Celastraceae - arbórea, folhas simples, alterna (oposta), fruto cápsula e baciforme. As lianas
exibem ramos que se enroscam como gavinhas, folhas simples, opostas (raro alterna), com
ou sem estípula interpeciolar, com ou sem látex, cápsula 3-lobada, baga, sementes aladas/
frutos deiscentes. Inclui a família Hippocrateaceae no novo sistema de classificação do APG
IV.

Ex.: Salacia eliptica.


Ex. Maytenus robusta (erva-de-lagarto).

Chrysobalanaceae - arbórea, casca viva siliciosa, folhas simples, alternas, esclerófilas, com
domáceas, estípulas serreadas, às vezes soldadas ao pecíolo. Uma característica comum da
família é a possibilidade de retirar a pilosidade da parte abaxial com a mão, como se
houvesse um “algodão em baixo da folha”. Fruto drupa.

Ex.: Chrysobalanus sp.


Licania = par de glândulas na base da lâmina ou pecíolo.

Clethraceae - arvores e arbustos, folhas simples, alternas espiraladas e congestas. Borda


serriada com a nervura secundária culminando nas serras foliares. Casca avermelhada.

Ex.: Clethra scabra (guaperê).

Clusiaceae - árvores, folhas simples, opostas, (alternas até verticiladas), geralmente


coriáceas, nervuras secundárias paralelas (nervação peniparalelinérvias) bem típicas, látex
esbranquiçado ou amarelado, alaranjado, não abundante, fruto capsula, drupa ou
baciforme.

79
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex: Callophyllum brasiliensis (guanandi).

Esta família tem passado por atualizações taxonômicas complexas. Os gêneros Calophyllum
e Kielmeyera, por exemplo, estão circunscritos na família Calophyllaceae.

As espécies de folhas alternas podem parecer com Sapotaceae (látex é leitoso, escorre
lentamente).

Combretaceae - lenhosas (árvores, trepadeiras), folhas simples, alternas (opostas), com


estípulas, folhas geralmente agrupadas no ápice dos ramos (congestas), fruto drupa ou
sâmara (3 alas).

As árvores geralmente têm sapopemas, folhas agrupadas no ápice dos ramos, glândulas e
domáceas nas folhas.

Ex. Buchenavia kleinii

Connaraceae - lenhosas (árvores, trepadeiras), folhas compostas (imparipinadas,


trifolioladas), alternas, com estípula, frutos polifolículos, semente com arilo vistoso.
Vegetativamente, muito semelhantes à Fabaceae-faboideae.

Ex. Rourea ou Connarus.

Cunoniaceae - arbóreas, folhas opostas, verticiladas, digitadas (Lamanonea), pinadas


(Weimannia), com duas estípulas muitas vezes soldadas, fruto capsular.

Parece uma Bignoniaceae, mas difere por apresentar estípulas interpeciolares.

80
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex. Lamanonia ternata (trifoliolada ou digitada).

Cucurbitaceae - trepadeiras, geralmente herbáceas, feixes bicolaterais, folhas simples


(inteiras ou recortadas), alternas, gavinhas c/ ângulo 90º com pecíolo, fruto baga ou
cápsula.

Ex: Gurania = folha inteira ou 3-5 folíolos, gavinha simples.

Cayaponia = folha 3-5 palmatilobada, gavinha 2-5 partidas.

Dioscoriaceae - trepadeiras herbáceas, rizoma tuberoso, folhas simples, alternas (raro


opostas), geralmente cordiformes, palminérvias, flores sexo separado, fruto cápsula – 3
alas (baciforme), sementes aladas ou não.

Dilleniaceae - árvores, lianas (tronco geralmente rosado ou alaranjado, secções transversais


exibem anéis concêntricos, com estrias alaranjadas), folhas simples, alternas, com nervuras
secundárias bem frisadas, fruto apocárpico (polifolículos), envolvido com sépalas, cápsula
ou baga, sementes com arilo.

Ex: Davilla rugosa (cipó-cabloco, cipó-lixa), Dolicocarpus sessiflorus


Ex:.Abuta selloana (abuta).

Ebenaceae – Arbustos ou árvores. Folhas simples, alternas, margem inteira e sem estípulas.
Flores pouco vistosas e fruto baga, geralmente com cálice persistente.

Ex.: Diospyros hispida: Comum no cerrado. Diospyros inconstans: Frequente na Mata


Atlântica.

81
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Elaeocarpaceae - árboreas, folhas simples, alternas (ou opostas), estípulas caducas, fruto
cápsula (raro drupa). No Brasil ocorrem os gêneros Sloanea e Muntigia.

Sloanea = flores tetrâmeras, anteras com poros laterais, frutos cápsula, sementes às vezes
arilada.
Muntigia= Flores pentâmeras, anteras rimosas.

Ericaceae – Arbustos ou árvores. Folhas simples, alternas (raro opostas), sem estípulas.
Comum em áreas de altitude no Brasil. Flores vistosas e bissexuadas. Fruto cápsula
loculicida ou septícida.

Ex.: Gaylussacia brasiliensis

Erythroxylaceae - Folhas simples, alternas, com estipulas interpeciolares triangulares, que


se acumulam (ramentas), inflorescências axilares, fruto tipo bagas vermelhas.

Ex. Erytroxyllum pulchrum (arco-de-pipa).

Escalloniaceae - Folhas simples, alternas, sem estípulas e margem geralmente glanduloso-


serreado.

Ex.: Escallonia bifida

Euphorbiaceae - de herbáceas às arbóreas, látex leitoso ou incolor, armadas ou não, folhas


simples (inteiras ou partidas), raro composta (Hevea), alternas, opostas ou verticiladas, com
estípulas ou cicatrizes nítidas, com glândulas na base da lâmina ou nopecíolo, fruto tricoca.

82
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Alchornea – folhas inteiras, 3-nérvias, glândulas e pêlos na axila de todas as nervuras


secundárias, fruto dicoca.
Aparisthmium – folhas inteiras, 3-nérvias, um par de estipelas no ápice do pecíolo e
glândulas esparsas no limbo.
Croton - folhas inteiras, trinérvias, pouco látex incolor, um par glândulas na base da lâmina
ou no ápice do pecíolo, fruto tricoca.
Pera – folhas inteiras, peninérvias, sem látex leitoso, pêlos estrelados ou escamas, fruto
tricoca.
Sapium – folha inteira, peninérvia, muito látex leitoso, um par de glândulas na base da
lâmina ou no pecíolo, fruto tricoca.

Fabaceae - folhas alternas, compostas e com pulvino.

Fabaceae - Caesalpinoideae - Arbóreo, trepadeiras lenhosas. Folhas geralmente pinadas ou


bipinadas, alguns gêneros com nectários extraflorais (Senna, Chamaecrista).

Ex. Caesalpinia echinata (pau-brasil), Senna macranthera (aleluia), Bauhinia forficata.


Caesalpinia – folhas bipinadas
Senna e Cassia- folhas pinadas
Bauhinia – folhas unifolioladas a bilobadas

Fabaceae - Faboideae - Ervas, trepadeiras lenhosas, árvores. Folhas geralmente


trifolioladas, alternas, com pulvino, cheiro de “vagem verde”.

Ex: Machaerium nyctitans (jacarandá-bico-de-pato), legume samaróide.

Fabaceae - Mimosoideae - Herbáceas a arbóreas, folhas bipinadas, com glândulas no


pecíolo, entre as pinas ou entre os folíolos.
83
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex.: Piptadenia gonoacantha (pau-jacaré).


Piptadenia: folhas bipinadas, infl. Espiciforme.
Anadenantera: folhas bipinadas, infl. em glomérulo.
Inga: folhas pinadas, raque alada, glândulas no pecíolo ou entre os folíolos.

Humiriaceae - árvores, folhas simples, alternas espiraldas, borda serreada. São espécies
raras, de difícil identificação.

Ex. Humiriastrum dentatum e Vantanea compacta.

Lauraceae - lenhosas, folha simples, alterna espiralada, suboposta, (raro opostas ou


dísticas), ramos terminais geralmente angulosos, odor “primitivo” característico, casca
quebradiça, casca ext.geralmente com muitas lenticelas, fruto cápsula baciforme
(arroxeados), com cúpula basal (geralmente avermelhada), uma semente.

São confundidas com Chrysobalanaceae (têm domáceas) e Annonaceae.


Características básicas dos gêneros:
Nectandra - anteras 4-locelos em arco,
Ocotea - anteras 4-locelos superpostos
Aiouea e Endlicheria - anteras com 2-locelos
Persea – semente com arilo

Lecythidaceae - árvores grandes, caule com fissuras profundas, com embira, cheiro de
linhaça, folhas alternas, simples, nervuras intersecundárias nítidas (flor com capuz de
estaminódios escondendo os estames), fruto pixídio.

Ex. Cariniana legalis (cachimbeira).


84
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Magnoliaceae - árvores, folhas simples, alternas, borda lisa, com cicatriz linear no pecíolo,
estípula terminal. Sem látex. Flores isoladas, grandes, apocárpicas.

Ex.: Talauma ovata (magnólia-do-brejo)

Malpighiaceae - ervas a árvores, geralmente trepadeiras. As lianas exibem ramos que se


enroscam como gavinhas e um par de glândulass na base Lâmina ou do pecíolo), folhas
simples, opostas, alternas, pêlos “malguiáceos” (em T), cálice com 10 glândulas basais, fruto
baga (Byrsonima), três frutículos samaróides com semente presa na base da sâmara nas
lianas.

Ex. Byrsonima sericea (murici, árvore).


Heteropterys, Tetrapterys, lianas.

Obs: As lianas de Malpighiaceae se parecem vegetativamente com Trigoniaceae (sem pêlos


em T).

Marcgraviaceae - plantas rastejantes, apoiantes ou epífitas, folhas simples, alternas, com


ou sem anisofilia, nectário floral semelhante a um cachimbo, fruto cápsula carnosa.

Ex. Norantea brasiliensis

Malvaceae – arbóreas, armadas ou não, caule geralmente dilatado na base, além de ervas,
trepadeiras e arbustos. Folhas simples trinérvias, digitadas ou palmatilobadas, estípula
caduca, pêlos estrelados, fruto cápsula, sementes geralmente oleaginosas, envolta em
paina (aladas ou não), abundante mucilagem

85
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex: Luehea speciosa (açoita-cavalo). São parecidas com Malvaceae e Elaeocarpaceae


Sterculia chicha.
Abutilon – Comumente trepadeiras
Chorisia - Folha digitada, alterna, fuste com acúleos,
Pseudobombax – Folha. digitada, fuste sem acúleos,

Melastomataceae - ervas, arbustos, árvores, folha simples, opostas, (raro verticiladas),


nervuras curvinérvias, às vezes com anisofilia (Miconia e Clidemia), fruto cápsula ou baga.

Ex.: Miconia = folhas geralmente glabras, 3-nérvias, fruto baga.


Tibouchina= folhas geralmente pilosas, 5-nérvias, fr. Cápsula.

Meliaceae - arbóreas, casca com cheiro adocicado, folhas alternas, compostas, folíolos
alternos ou opostos, com crescimento indeterminado (gema de crescimento indeterminado
no ápice da raqui) (Guarea). Fruto cápsula, baciforme, semente com arilo ou aladas.

Ex.: Guarea = folha paripinada, folíolos alternos, com gema no ápice da folha.
Trichilia= f.imparipinada, folíolos opostos, sem a gema no ápice da folha.

São vegetativamente parecidas com Burseraceae (imparipinadas, cheiro forte de


terebintina), Anacardiaceae (pinadas, cheiro suave de terebintina), Rutaceae (armadas,
imparipinadas e glândulas translúcidas) e Sapindaceae (imparipinadas com cicatriz de
folíolo no ápice da raqui).

Menispermaceae - geralmente trepadeiras lenhosas, arbustos e árvores. As lianas exibem


caule às vezes anômalo, com vários anéis concêntricos e parênquima radial bem marcado,
folhas alternas, simples, pecíolo engrossado no ápice e na base, fruto drupa.

86
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex: Abuta selloana (abuta) e Cissampelos glaberrima (parreira-brava).

Monimiaceae - Folha simples, oposta, aromática (odor de limão) (no caso do gênero
Siparuna), fruto apocárpico, semente com arilo. Siparuna foi tranferida para a família
Siparunaceae no APG II.

Ex. Mollinedia oligantha (capitiú).

Moraceae - ervas, hemiepífitas, árvores, látex leitoso, hialino ou café com leite, folha
alterna, simples, com duas estípulas protegendo a gema apical, folhas com cistólito, fruto
em sicônio no caso do gênero Ficus.

Ex. Ficus gomelleira (gameleira), Dorstenia grazielae (caiapiá), Sorocea hilarii (cega-olho).

Myrtaceae - Arbóreas, casca esfoliante, folha simples, oposta, glândulas translúcidas em


toda lâmina (pontuações), nervura marginal e intramarginal, cheiro aromático de goiaba
verde, fruto Baga

Ex. Campomanesia guaviroba (guabiroba), Eugenia uniflora (pitanga), Myrcia rostrata


(guamirim).
Calyptranthes = ramos dicotômicos, panícula terminal, cálice em caliptra,
Eugenia = nervuras não proeminentes, rácemos, fls pediceladas, embrião eugenióide.
Myrcia = nervuras proeminentes, tecas sigmóides, panículas, embrião mircióide.
Myrciaria = rácemos, flores sésseis, embrião mircióide.

Semelhante com Clusiaceae, mas não têm látex.


Semelhante com Vochysiaceae, mas têm além da nervura marginal a intramarginal e cheiro
de goiaba verde.
87
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Semelhante com Monimiaceae, mas não têm bordas serriadas.

Myristicaceae - Arbóreas, ramos horizontais típicamente verticilados nos nós do tronco


(Padrão miristicáceo de ramificação), monóicas, folhas simples, alterna dística, coriáceas,
fruto cápsula, duas valvas, semente com arilo vermelho e endosperma ruminado.

Ex. Virola oleifera (sangue-drago).

Nyctaginaceae - de ervas a árvores, ramo escuro quando seco, folha oposta, suboposta a
verticilada, simples, lâmina foliar levemente suculenta, fruto noz.

Guapira = folha oposta, exocarpo sem glândula.


Pisonia= folha oposta, exocarpo com glândula.

Ochnaceae - árvores, folhas simples, alternas, elípticas-lanceoladas, com nervuras


secundárias arqueadas para o ápice do bordo laminar.

Ex.: Ouratea multiflora.

Oleaceae - árvores, folhas simples, opostas, borda lisa, com domáceas furfuráceas.

Ex.: Chionanthus filiformis.

Olacaceae - árvores, arbustos ou trepadeiras lenhosas, folhas simples, alternas, margem


inteira, tornam-se oliva ou escuras quando secas, (inflorescência pequena axilar), fruto
drupa ou núcula com cálice expandido.

88
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Obs: Algumas espécies são semiparasitas, pois as raízes parasitam as raízes de outras
plantas vizinhas.

Ex. Heisteria silvianii (chupeta-de-macaco)

Passifloraceae - trepadeiras herbáceas ou lenhosas, folha simples (recortadas), alternas,


com gavinhas axilares, estípulas e nectários extraflorais (glândulas).

Ex: Passiflora jilekii (maracujá-de-cobra).

Picramniaceae - arbóreos, substâncias muito amargas no lenho e nas folhas; folhas


compostas (imparipinadas), raro simples, alternas, com ou sem glândula no ápice dos
folíolos, fruto polidrupas de cores vivas.

Ex. Picramnia parvifolia.

Polygonaceae- ervas, trepadeiras, raro árvores (Coccoloba e Rupretchia), folhas simples,


alternas espiraladas a opostas cruzadas com a presença de ócrea, com gavinha (no ápice
dos ramos ou na axila das folhas), caule geralmente articulado e oco por dentro. Fruto noz
com três faces.

Ex. Antigonum (exótica); Coccoloba, Rupretchia (nativas).

Phytollacaceae - ervas (ramos vermelhos, suculentos), arbustos, trepadeiras, árvores,


folhas simples, alternas, com cheiros fortes (alho ou limão-bravo).

Ex. Gallesia integrifolia (pau-d’alho), Seguieria langsdorffii (limão-bravo).

89
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Piperaceae - Folha simples, alternas, estípula grande, base assimétrica, caule articulado
(“nó engrossado”), infrutescência tipo espiga.

Piper = flores sésseis Ex. Piper arboreum (pimenta-longa).


Ottonia = flores pediceladas. Ex. Ottonia anisum (falso-jaborandi).

Primulaceae - arbóreas, com ou sem caulifloria, folha simples, alternas, nervuras


divergentes típicas, canais resiníferos, geralmente agrupadas no ápice dos ramos, fruto
drupa (passando de amarelo, laranja, vermelho a escuro).

Ex: Myrsine umbellata (capororoca).

Podocarpaceae - Folhas simples, alternas e lanceoladas, espiraladas, com nervação


paralelinérvia. Casca levemente avermelhada.

Ex.: Podocarpus sellowii.

Quinaceae - Folhas simples, opostas, elípticas, estípulas peciolares, pecíolo apresentando


leve engrossamento na base.

Ex.: Quina magellano-gomezii.

Rhamnaceae - lenhosas (trepadeiras, árvores), folhas simples, alternas ou subopostas, 3-5


nervuras “ curvas” , armadas (só as da caatinga – Zizyphus), fruto tipo baga ou seco.

Ex: Zyzyphus juazeiro, árvore armada.


Colubrina glandulosa (sobraji), árvore.

90
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Gouania blanchetiana, liana com gavinhas.

Rosaceae - ervas, arbustos, trepadeiras, árvores, armadas, folhas alternas, simples ou


compostas, margem serrilhadas, 2 estípulas, fruto simples (aquênio, drupa, pomo) ou
composto (poliaquênio ou polidrupa).

Rubiaceae - ervas, arbustos, árvores, trepadeiras, folhas simples, opostas, raro verticilada,
duas estípulas interpeciolares, geralmente com domácias, fruto capsular (sementes aladas),
baga ou drupas bem coloridas (laranja, vermelho, roxo, preto).

Ex. Randia armata (espinho-de-agulha), Chomelia brasiliana (balsamo-de-espinho).


Amaioua = estípulas terminais, em capuz.
Coussarea = estípulas truncadas.
Psychotria = estípulas bipartidas.
Rudgea = estípulas arredondadas e fimbriadas.
Tocoyena = estípulas triangulares.

Rutaceae - Arbóreas, armadas, folhas simples (Esenbeckia) ou compostas (unifoliolada,


digitada ou pinada), alternas, com glândulas oleíferas em toda lâmina foliar (pontuações),
cheiro de pimenta ou cítrico, fruto polifolicular, cápsulas, bagas, sâmaras ou hesperídeos.

Ex. Zanthoxyllum rhoifolium (mamica-de-porca), Esenbeckia grandiflora (cutia), Pilocarpus


spicatus (jaborandi).

Sabiaceae - Árvores, arbustos ou lianas. Folhas simples, alternas, sem estípulas, margem
serriada (muitas vezes com serras esparsas), pecíolo avermelhado em alguns casos, folhas
lanceoladas que podem atingir até 30 cm (Meliosma sinuata).

91
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex.: Meliosma sellowii, Meliosma sinuata.

Salicaceae - lenhosas, armadas ou não, folha simples, alterna dística, serras nítidas,
glândulas lineares translúcidas, com estípulas pequenas e caducas, flores pequenas em
inflorescências axilares, fruto baga ou cápsula, semente com arilo.

Ex. Casearia sylvestres (cafezinho-do-mato), Xylosma prockia (espinho-de-judeu).

Sapindaceae- trepadeiras herbáceas ou lenhosas, folha alterna, composta, folíolo terminal


reduzido a um apículo (vírgula), fruto seco (deiscente ou indeiscente), alados ou não,
semente com arilo. As lianas exibem geralmente caule anômalo, com látex, com gavinhas
axilares bífidas e folhas ternadas.

Ex. Paullinea meliaefolia (cipó-quina), Serjania ichthyoctono (timbó) - lianas


Cupania emarginata (camboatá) - árvore

São vegetativamente parecidas com Burseraceae (imparipinadas com cheiro forte de


terebintina), Meliaceae (pinadas com gema de crescimento indefinido), Rutaceae (armadas,
imparipinadas e glândulas translúcidas) e Anacardiaceae (imparipinada com cheiro suave de
terebintina).

Sapotaceae - Folha simples, alterna espiralada, raro oposta, com látex leitoso, escorre
lentamente, folhas aglomeradas no ápice dos ramos, (pequenos glomérulos axilares ou
caulifloros), fruto baga carnosa ou com casca coriácea.

Semelhante com Clusiaceae, mas estas possuem folhas opostas.

92
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Smilacaceae - trepadeiras lenhosas (lianas) ou herbáceas, (raro arbusto), com rizóforos,


ramos aculeados ou não, folhas simples, alternas, (raro opostas ou verticiladas),
palminévias.

Smilax - ramos cilíndricos ou angulosos, alados ou não, ásperos, verrucosos ou lisos,


aculeados ou não; ramos com 1-3 catáfilos incluídos nos profilos ou não, folhas simples,
alterna, bainha bilabida, pecíolo articulado com 1 par de gavinhas, palminérvias.

Ex: Smilax quinquenervia (salsaparrilha).

Solanaceae - ervas, trepadeiras, arbustos, árvores, Folhas simples, alternas, inteiras ou


recortadas (lobadas ou fendidas), forte cheiro de “fumo” enjoativo, pêlos simples e
estrelados, baga com cálice persistente ou acrescente.

Ex. Solanum lycocarpum (fruta-do-lobo).

Symplocaceae - Arbustos ou árvores, folhas alternas, simples, comumente espiraladas, sem


estípulas, margem serreada ou raramente lisa.

Possui uma característica diagnóstica especial que é a presença da gema apical curva ou
“torta”. Essa característica auxilia na distinção de Symplocos a Ilex, muito parecidas
vegetativamente.

Ex. Symplocos pubescens, Symplocos falcata.

Theaceae - Arbustos ou árvores, folhas alternas, simples, sem estípulas, margem


geralmente serreada de um lado do limbo e lisa do outro (característica que pode não
aparecer na mesma espécie).
93
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Ex.: Gordonia fruticosa.

Thymelaeaceae - Arvoretas e árvores, folhas simples, alternas e espiraladas, lanceoladas.


Marcante é a presença de embira no caule das espécies do grupo. É percebida quando se
tenta rasgar um pedaço do ramo.

E.: Daphnopsis fasciculata (embira-branca)

Trigoniaceae - Árvores ou arbustos escandentes, folha simples, opostas (Trigonia), raro


alterna, com estípulas, fruto cápsula 3-loculicida, raro alada.

Ex: Trigonia nivea (cipó-paina).

Urticaceae - ervas, arbustos, árvores, folha simples, alterna a oposta, com estípula, pêlos
urticantes ou não. Inflorescência axilar. Fruto Aquênio.

Ex: Boehmeria caudata (urtiga-mirim).

Cecropia: arbórea, com raízes escoras, caule em candelabro, oco (associado com formigas),
látex ou seiva aquosa que escurece após oxidação, folha alterna simples (inteiras ou
palmadas), longo pecioladas, geralmente com pêlos aracnóides, duas estípulas soldadas
protegendo a gema apical, fruto drupáceo.

Ex. Cecropia hololeuca (embaúba-prateada).

Verbenaceae - De ervas a árvores, folha simples ou compostas (trifolioladas ou digitadas),


opostas, ramos terminais quadrangulares, fruto drupa.
94
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Alguns gêneros dessa família foram transferidos para a família Lamiaceae apartir do sistema
de APG II. A espécies Verbenaceae foi mantida aqui tendo em vista a elevada riqueza de
Lamiaceae e a maior contribuição de espécies não arbóreas dessa família, o que não é o
objetivo deste guia.

Ex.: Aegiphila sellowiana (tamanqueiro) e Citharexylum myrianthum (pau-viola).

Vitaceae - trepadeiras herbáceas a lenhosas, folhas simples (inteiras ou partidas), alternas,


gavinha oposta a folha, fruto baga

Ex: Cissus spp.

Vochysiaceae - Folha simples, oposta a verticilada, duas estípulas interpeciolares pequenas,


com ou sem glândulas no pecíolo, com ou sem nervação tipo “clusia”. Flor calcarada. Fruto
cápsula, sementes aladas unilateralmente.

Ex.: Vochysia tucanorum (tucaneiro)

Winteraceae - arvoretas, folhas simples, alternas, borda lisa, pronunciadamente discolores.


A parte abaxial da folha possui uma cera esbranquiçada.

Ex.: Drymis winterii.

95
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Estude, aplique e pratique!

Caro(a) Amigo(a),

Chegamos ao final dessa obra.

Desejo sinceramente que você tenha aprendido os principais conceitos em Morfologia


Vegetal para que consiga aplicar em sua prática de identificação de plantas em campo. As
dicas compartilhadas para você nessa obra são o resultado de anos de estudos e
observações práticas.

Aplique o que você viu.

Todo o conhecimento é válido e entender os conceitos é fundamental. No entanto, apenas


a aplicação prática traz resultados.

Crie um plano de aplicação para praticar e obter resultados concretos.

Essa base morfológica e taxonômica é o princípio para reconhecer as plantas em campo.

Agora é colocar em prática tudo o que você viu.

Identifique as plantas.

Desenvolva suas habilidades.

Veja por si só as oportunidades que este conhecimento pode te proporcionar.

96
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

E evolua na área ambiental.

Mas leve isso para ALÉM da simples identificação de uma planta. Leve toda essa dinâmica
para sua carreira como um todo.

Você irá se surpreender com os resultados. Veja abaixo como receber os nossos outros
conteúdos exclusivos de capacitação na área da Identificação de Plantas. Seja reconhecido
na carreira!

Conte conosco!

97
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

Conteúdos extras de capacitação para maximizar seu aprendizado

CONTEÚDOS COM CERTIFICADO E RECONHECIDOS:


- Curso on-line de Identificação de Plantas: oferecido pelo botânico Rodrigo Polisel junto a
Brasil Bioma, o curso já certificou mais de 400 profissionais e estudantes da área, com um
método didático, prático e eficaz em videoaulas de alta resolução:
www.taxonomiavegetal.com.br

- Portal eFlora: plataforma de botânica, biodiversidade e meio ambiente aplicada ao


mercado de trabalho, com cursos, palestras, séries exclusivas e muita interatividade. Tudo
ON-LINE e com certificação: www.eflora.com.br

CONTEÚDOS GRATUITOS:
Guia Fotográfico de Identificação de Plantas: baixe o nosso manual exclusivo para
completar essa obra, com dicas de identificação para 230 espécies arbóreas catalogadas no
projeto de Levantamento do Alto Juquiá, no Alto Ribeira, Estado de São Paulo.
Obtenha grátis em www.efloraweb.com.br

Videoaulas gratuitas sobre identificação de Plantas: conheça e se inscreva em nosso canal


do YouTube para acompanhar os conteúdos gratuitos que compartilhamos por lá.

98
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

V - Referências Bibliográficas

CONDE, M.M.S & PEREIRA-MOURA, V.L. Guia para a identificação das principais famílias do
sudeste brasileiro. Sociedade Botânica do Brasil. IB-UFFRJ, Rio de Janeiro. 2004

CRONQUIST, A. The evolution and classification of flowering plants. 2a ed. The New York
Botanical Garden. New York. 1988.

EMBRAPA.
http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Agencia16/AG01/arvore/AG01_12_9112005852
31.html. Acessado em 06/01/2008.

FERRI, M.G. Vegetação brasileira. Edusp/Itatiaia, Belo Horizonte. 1980.

HUECK, K. As florestas da América do Sul. Ed. UnB, Ed. Polígono, 1972.

IBGE. Mapa da vegetação do Brasil. Escala 1:5.000.000. Min. Agric. IBDF, 1988.

IBGE. Departamento de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. Manual técnico da


vegetação brasileira. Rio de Janeiro, IBGE, 92p, 1992.

JOLY, A.B. Botânica: Introdução à taxonomia vegetal. Editora NacionalRio de Janeiro. 2002.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras. Vol1. Ed. Plantarum. Nova Odessa. 2002

LORENZI, H. Árvores Brasileiras. Vol2. Ed. Plantarum. Nova Odessa. 2002

OLIVEIRA-FILHO, A.T. & FONTES, M.A. Patterns of floristic differentiation among Atlantic
Forests in Southeastern Brazil and the influence of climate. Biotropica, 32(4b):793-810.
2000.

RICHARDS, T.W. The tropical rain forest. 2ºed., Cambridge University Press, Londoon, 1996.

RIZZINI, C.T. Tratado da fitogeografia do Brasil (2º vol) HUCITEC – EDUSP, São Paulo, 1979.

RIZZINI, C.T. Tratado de fitogeografia do Brasil. Âmbito Cultural Edições LTDA. 1997.

SOBRAL, M. JARENKOW, J.A., BRAACK, P., IRGANG, B., LAROCCA, J. & RODRIGUES, J. R. Flora
Arbórea e Arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. Ed. RIMA. São Paulo. 2005.

99
Livro Definitivo sobre Taxonomia de Campo

SOUZA, V.C. & LORENZI, H. Botânica sistemática. Ed Plantarum.Nova Odessa. 2005

VIDAL, W.N. & VIDAL, M.R.R. Botânica: Organografia. Ed. UFV. Viçosa. 2003.

Esquemas organográficos retirados de:

http://www.herbario.com.br/cie/universi/teoria/1027folh.htm - acesso em 25/11/2007

http://www.nucleodeaprendizagem.com.br/botanica2.htm - acesso em 24/12/2007

100