Vous êtes sur la page 1sur 88

testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

1. O que é o Sistema Financeiro Nacional? - regular o valor interno e externo da moeda


nacional;
a) É o conjunto formado pelo Conselho Mone-
tário Nacional (CMN), o Banco Central do - aperfeiçoar as instituições e os instrumentos
Brasil, o Banco Nacional de Desenvolvimento financeiros;
Econômico e Social (BNDES), o Banco do - zelar pela liquidez e solvência das instituições
Brasil e as instituições financeiras públicas e financeiras.
privadas. e) Emitir e distribuir as cédulas e as moedas
b) É qualquer entidade que tenha como atividade para os bancos e recolher e destruir as danifi-
principal ou acessória a coleta, a intermedia- cadas;
ção ou a aplicação de recursos financeiros receber os recolhimentos compulsórios dos
próprios ou de terceiros, em moeda nacional bancos comerciais e os depósitos voluntários
ou estrangeira. O regular funcionamento de das instituições financeiras e bancárias que
uma instituição financeira depende de prévia operam no país; emprestar às instituições fi-
autorização do Banco Central. nanceiras de acordo com a política econômica
c) Conselho Monetário Nacional e o Banco Cen- do governo ou como socorro a problemas de
tral do Brasil. liquidez;
d) Formulador da política da moeda e do crédito,
3. Quem são as autoridades monetárias do País?
objetivando o progresso econômico e social
do País. A política do CMN buscará dentre a) Banco Central do Brasil e Banco Nacional do
outros objetivos: Desenvolvimento Social
- adaptar os meios de pagamento às necessi- b) Conselho Monetário Nacional e Banco Nacio-
dades da economia nacional; nal do Desenvolvimento Social
- regular o valor interno e externo da moeda c) Banco Central do Brasil e Banco do Brasil
nacional; d) Conselho Monetário Nacional e o Banco Cen-
- aperfeiçoar as instituições e os instrumentos tral do Brasil.
financeiros; e) Conselho Monetário Nacional e o banco do
- zelar pela liquidez e solvência das instituições Brasil
financeiras.
4. Qual o papel do Conselho Monetário Nacional?
e) Emitir e distribuir as cédulas e as moedas para
os bancos e recolher e destruir as danificadas; a) Formular a política da moeda e do crédito,
receber os recolhimentos compulsórios dos objetivando o progresso econômico e social
bancos comerciais e os depósitos voluntários do País.
das instituições financeiras e bancárias que b) Adaptar os meios de pagamento às necessi-
operam no país; emprestar às instituições fi- dades da economia nacional;
nanceiras de acordo com a política econômica
c) Regular o valor interno e externo da moeda
do governo ou como socorro a problemas de
nacional;
liquidez;
d) Aperfeiçoar as instituições e os instrumentos
2. O que é instituição financeira? financeiros;
a) É o conjunto formado pelo Conselho Mone- e) Zelar pela liquidez e solvência das instituições
tário Nacional (CMN), o Banco Central do financeiras.
Brasil, o Banco Nacional de Desenvolvimento
5. Quais as principais atribuições do Banco Central
Econômico e Social (BNDES), o Banco do
do Brasil?
Brasil e as instituições financeiras públicas e
privadas. a) Emitir e distribuir as cédulas e as moedas
b) É qualquer entidade que tenha como atividade para os bancos e recolher e destruir as danifi-
principal ou acessória a coleta, a intermedia- cadas;
ção ou a aplicação de recursos financeiros b) Receber os recolhimentos compulsórios dos
próprios ou de terceiros, em moeda nacional bancos comerciais e os depósitos voluntários
ou estrangeira. O regular funcionamento de das instituições financeiras e bancárias que
uma instituição financeira depende de prévia operam no país;
autorização do Banco Central. c) Emprestar às instituições financeiras de acor-
c) Conselho Monetário Nacional e o Banco Cen- do com a política econômica do governo ou
tral do Brasil. como socorro a problemas de liquidez;
d) Formulador da política da moeda e do crédito, d) Regular a execução dos serviços de compen-
objetivando o progresso econômico e social sação de cheques e de outros papéis; efetuar,
do País. A política do CMN buscará dentre como instrumento de política monetária, ope-
outros objetivos: rações de compra e venda de títulos públicos
- adaptar os meios de pagamento às necessi- federais;
dades da economia nacional; e) Exercer o controle do crédito sob todas as
1
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
suas formas; fiscalizar as instituições financei- e) Executor da política creditícia e financeira do
ras e os consórcios e aplicar as penalidades Governo Federal. Dentre outras atividades,
previstas; autorizar o funcionamento de todas executa o serviço de compensação de che-
as instituições financeiras e dos consórcios; ques e outros papéis.
controlar o fluxo de capitais estrangeiros ga-
rantindo o correto funcionamento do mercado 8. O que é a Comissão de Valores Mobiliários (CVM)?
cambial; representar o governo brasileiro a) É o órgão que fiscaliza e regulamenta o mer-
junto às instituições financeiras estrangeiras cado de seguros, capitalização e de previdên-
e internacionais cia privada aberta.
6. Qual o papel do Banco Nacional de Desenvolvimento b) Protetor dos titulares de valores mobiliários
Econômico e Social - BNDES? contra emissões irregulares e outros tipos de
atos ilegais que manipulem preços de valores
a) Executor da política creditícia e financeira do mobiliários nos mercados primários e secun-
Governo Federal. Dentre outras atividades, dários e de ações;
executa o serviço de compensação de che-
ques e outros papéis. c) É o órgão encarregado do desenvolvimento,
da disciplina e da fiscalização do mercado de
b) Responsável pela política de investimentos valores mobiliários, atuando com observância
de longo prazo do governo federal, sendo a da política definida pelo CMN. Os valores mo-
principal instituição financeira de estímulo ao biliários sujeitos -> atuação da CVM são, por
desenvolvimento econômico e social do país. exemplo: ações, debêntures, certificados de
c) Emprestar às instituições financeiras de acor- depósitos de valores mobiliários, direitos de
do com a política econômica do governo ou subscrição etc.
como socorro a problemas de liquidez; d) É a dependência de instituições financeiras e
d) Regular a execução dos serviços de compen- demais instituições, autorizadas a funcionar
sação de cheques e de outros papéis; efetuar, pelo Banco Central do Brasil, destinada ->
como instrumento de política monetária, ope- prática das atividades para as quais a institui-
rações de compra e venda de títulos públicos ção esteja regularmente habilitada.
federais; e) É aquela instalada em praça desassistida de
e) Exercer o controle do crédito sob todas as qualquer outra agência ou posto avançado de
suas formas; fiscalizar as instituições financei- atendimento de banco múltiplo com carteira
ras e os consórcios e aplicar as penalidades comercial, banco comercial ou caixa econô-
previstas; autorizar o funcionamento de todas mica.
as instituições financeiras e dos consórcios;
controlar o fluxo de capitais estrangeiros ga- 9. Quais os objetivos da CVM?
rantindo o correto funcionamento do mercado a) Estimular a aplicação de poupança no mer-
cambial; representar o governo brasileiro cado acionário; assegurar o funcionamento
junto às instituições financeiras estrangeiras eficiente e regular das bolsas de valores e
e internacionais das instituições auxiliares que operem nesse
7. Qual o papel do Banco do Brasil?
mercado; proteger os titulares de valores mo-
biliários contra emissões irregulares e outros
a) Responsável pela política de investimentos tipos de atos ilegais que manipulem preços de
de longo prazo do governo federal, sendo a valores mobiliários nos mercados primários e
principal instituição financeira de estímulo ao secundários e de ações; fiscalizar a emissão,
desenvolvimento econômico e social do país. o registro, a distribuição e a negociação de
b) Emprestar às instituições financeiras de acor- títulos emitidos pelas sociedades anônimas
do com a política econômica do governo ou de capital aberto.
como socorro a problemas de liquidez; b) Emprestar às instituições financeiras de acor-
c) Regular a execução dos serviços de compen- do com a política econômica do governo ou
sação de cheques e de outros papéis; efetuar, como socorro a problemas de liquidez;
como instrumento de política monetária, ope- c) Regular a execução dos serviços de compen-
rações de compra e venda de títulos públicos sação de cheques e de outros papéis; efetuar,
federais; como instrumento de política monetária, ope-
d) Exercer o controle do crédito sob todas as rações de compra e venda de títulos públicos
suas formas; fiscalizar as instituições financei- federais;
ras e os consórcios e aplicar as penalidades d) Aperfeiçoar as instituições e os instrumentos
previstas; autorizar o funcionamento de todas financeiros;
as instituições financeiras e dos consórcios; e) Zelar pela liquidez e solvência das instituições
controlar o fluxo de capitais estrangeiros ga- financeiras.
rantindo o correto funcionamento do mercado
cambial; representar o governo brasileiro 10. O que é?
junto às instituições financeiras estrangeiras
a) BANCO MÚLTIPLO -> É instituição finan-
e internacionais
2
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
ceira privada ou pública. Tem como objetivo às instituições singulares correspondentes às
principal proporcionar o suprimento oportuno suas carteiras. A carteira de desenvolvimento
e adequado dos recursos necessários para somente poderá ser operada por banco pú-
financiar, a curto e médio prazos, o comércio, blico. O banco múltiplo deve ser constituído
a indústria, as empresas prestadoras de ser- com, no mínimo, duas carteiras, sendo uma
viços, as pessoas físicas e terceiros em geral. delas, obrigatoriamente, comercial ou de
A captação de depósitos -> vista, livremente investimento, e ser organizado sob a forma
movimentáveis, é atividade típica do banco de sociedade anônima. Na sua denominação
comercial. Deve ser constituído sob a forma social deve constar a expressão “Banco” .
de sociedade anônima e na sua denominação
social constar a expressão “Banco”. 11. O que é?
b) BANCO DE INVESTIMENTO -> É banco a) COOPERATIVA DE CRÉDITO -> As coopera-
comercial ou banco múltiplo constituído, tivas de crédito devem adotar, obrigatoriamen-
obrigatoriamente, com carteira comercial. te, em sua denominação social, a expressão
Diferencia-se dos demais por ter como acio- “Cooperativa”, vedada a utilização da palavra
nistas controladores cooperativas centrais “Banco”. Devem possuir o número mínimo
de crédito, as quais devem deter no mínimo de 20 (vinte) cooperados e adequar sua área
51% das ações com direito a voto. Deve fazer de ação às possibilidades de reunião, con-
constar, obrigatoriamente, de sua denomina- trole, operações e prestações de serviços.
ção a expressão “Banco Cooperativo” (ver a São autorizadas cooperativas de dois tipos:
Resolução 2788/2000). cooperativas de economia e crédito mútuo e
c) BANCO COOPERATIVO -> É instituição cooperativas de crédito rural.
financeira pública não federal que tem como b) COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO
objetivo precípuo proporcionar o suprimento MÚTUO -> É a cooperativa de crédito cujo
oportuno e adequado dos recursos necessá- quadro social é formado por pessoas físicas
rios ao financiamento, a médio e longo prazos, que exerçam determinada profissão ou ati-
de programas e projetos que visem a promo- vidades comuns, ou estejam vinculadas ->
ver o desenvolvimento econômico e social do determinada entidade e, excepcionalmente,
respectivo Estado onde tenha sede, cabendo- por pessoas jurídicas que, na forma da lei, se
lhe apoiar prioritariamente o setor privado. conceituem como micro ou pequena empresa
Excepcionalmente, quando o empreendimento que tenham por objeto as mesmas ou correla-
visar benefícios de interesse comum, o banco tas atividades econômicas das pessoas físicas
pode assistir programas e projetos desenvol- ou, ainda, aquelas sem fins lucrativos, exceto
vidos fora do respectivo Estado, devendo a cooperativas de crédito.
assistência efetivar-se através de consórcio c) COMPANHIA HIPOTECÁRIA -> É instituição
com o banco de desenvolvimento local. Deve que tem por objetivos, dentre outros: conce-
ser constituído sob a forma de sociedade der financiamentos destinados -> produção,
anônima, com sede na capital do Estado reforma ou comercialização de imóveis
que detiver seu controle acionário, devendo residenciais ou comerciais e lotes urbanos;
adotar, obrigatório e privativamente, em sua repassar recursos destinados ao financiamen-
denominação social, a expressão “Banco de to da produção ou da aquisição de imóveis
Desenvolvimento”, seguida do nome do Esta- residenciais. Deve ser constituída sob a forma
do em que tenha sede . de sociedade anônima e na sua denominação
d) BANCO COMERCIAL -> É instituição finan- social deve constar a expressão “
ceira privada especializada em operações de d) CONTROLADORES -> Para efeito do exame
participação societária de caráter temporário, de processos no Banco Central do Brasil, são
de financiamento da atividade produtiva para considerados como controladores tanto os
suprimento de capital fixo e de giro e de ad- diretos quanto os indiretos (pessoas jurídicas
ministração de recursos de terceiros. Deve intermediárias e pessoas físicas controlado-
ser constituído sob a forma de sociedade ras finais). Quando não estiver perfeitamente
anônima e adotar, obrigatoriamente, em sua definido o controle societário da instituição,
denominação social, a expressão “Banco de serão considerados como controladores todos
Investimento. os acionistas/quotistas detentores de ações/
e) BANCO DESENVOLVIMENTO -> É institui- quotas com direito a voto, os quais possam se
ção financeira privada ou pública que realiza compor com outros acionistas/quotistas para
as operações ativas, passivas e acessórias formar o grupo controlador.
das diversas instituições financeiras, por in- e) COOPERATIVA -> É uma sociedade de pes-
termédio das seguintes carteiras: comercial, soas, com forma e natureza jurídica próprias,
de investimento e/ou de desenvolvimento, de sem fins lucrativos, constituída para prestar
crédito imobiliário, de arrendamento mercantil serviços aos associados (ver a Lei 5764/71).
e de crédito, financiamento e investimento.
Essas operações estão sujeitas às mesmas 12. O que é Sociedade Corretora de Câmbio?
normas legais e regulamentares aplicáveis
3
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
a) É a instituição que pratica operações bens 14. O que é Sociedade de arrendamento Mercantil?
móveis, de produção nacional ou estrangeira,
a) É instituição que tem por objeto social exclusi-
e bens imóveis adquiridos pela entidade ar-
vo a intermediação em operações de câmbio e
rendadora para fins de uso próprio da arren-
a prática de operações no mercado de câmbio
datária. Deve ser constituída sob a forma de
de taxas flutuantes. Deve ser constituída sob
sociedade anônima.
a forma de sociedade anônima ou por quotas
b) Tem por objeto social exclusivo a conces- de responsabilidade limitada.
são de financiamentos a pessoas físicas,
b) É instituição habilitada -> prática das ativida-
bem como a pessoas jurídicas classificadas
des que lhe são atribuídas pelas Leis 4.728,
como microempresas, com vistas a viabilizar
de 14.07.65 (disciplina o mercado de capitais),
empreendimentos de natureza profissional,
e 6.385, de 07.12.76 (dispõe sobre o mercado
comercial ou industrial de pequeno porte.
de valores mobiliários), e regulamentação
Deve ser constituída sob a forma de compa-
aplicável. Tem por objetos, dentre outros:
nhia fechada ou de sociedade por quotas de
comprar, vender e distribuir títulos e valores
responsabilidade limitada.
mobiliários; operar em bolsas de mercadorias
c) É instituição que tem por objeto social exclusi- e de futuros; e operar em recinto ou em sis-
vo a intermediação em operações de câmbio e tema mantido por bolsa de valores. Deve ser
a prática de operações no mercado de câmbio constituída sob a forma de sociedade anônima
de taxas flutuantes. Deve ser constituída sob ou por quotas de responsabilidade limitada. O
a forma de sociedade anônima ou por quotas Banco Central do Brasil somente concederá
de responsabilidade limitada. autorização para funcionamento -> instituição
d) É instituição financeira privada que tem como que comprovar a aquisição de título patrimo-
objetivo básico a realização de financiamento nial de bolsa de valores (ver a Resolução
para a aquisição de bens e serviços, e para 1655/89).
capital de giro. Deve ser constituída sob a c) É a instituição que pratica operações de
forma de sociedade anônima . arrendamento mercantil de bens móveis, de
e) É a instituição financeira especializada em produção nacional ou estrangeira, e bens
operações de financiamento imobiliário. Deve imóveis adquiridos pela entidade arrendadora
ser constituída sob a forma de sociedade anô- para fins de uso próprio da arrendatária. Deve
nima. ser constituída sob a forma de sociedade
anônima, devendo constar obrigatoriamen-
13. O que é Sociedade de Crédito, Financiamento e te na sua denominação social a expressão
Investimento? “Arrendamento Mercantil”, que é privativa da
a) É a sociedade de crédito cujo quadro social sociedade de que se trata.
é formado por pessoas físicas que, de forma d) Tem por objeto social exclusivo a concessão
efetiva e preponderante, desenvolvam, na de financiamentos a pessoas físicas, bem
área de atuação da sociedade, atividades como a pessoas jurídicas classificadas como
agrícolas, pecuárias ou extrativas, ou se dedi- microempresas, com vistas a viabilizar empre-
quem a operações de captura e transformação endimentos de natureza profissional, comer-
de pescado e, excepcionalmente, por pessoas cial ou industrial de pequeno porte. Deve ser
jurídicas que exerçam exclusivamente as constituída sob a forma de companhia fechada
mesmas atividades. ou de sociedade por quotas de responsabili-
b) É a sociedade para fins de apuração dos limi- dade limitada, adotando obrigatoriamente em
tes operacionais das instituições financeiras sua denominação social a expressão “So-
e demais instituições autorizadas a funcionar ciedade de Crédito ao Microempreendedor”,
pelo Banco Central do Brasil. vedada a utilização da palavra “Banco” .
c) É a dependência de banco múltiplo com car- e) É instituição financeira especializada em ope-
teira comercial, de banco comercial e de caixa rações de financiamento imobiliário. Deve ser
econômica instalada em praça desassistida de constituída sob a forma de sociedade anôni-
serviços bancários prestados por agência ou ma.
outro PAA dessas instituições.
15. O que é Sociedade Distribuidora de Títulos e Valores
d) É o Sociedade de Informações do Banco Mobiliários?
Central. É um complexo informacional ad-
ministrado pelo Banco Central do Brasil que a) É instituição financeira privada que tem como
se caracteriza por permitir acesso interativo objetivo básico a realização de financiamento
“on line”, tanto para a entrada quanto para a para a aquisição de bens e serviços, e para
recuperação de informações, além de dispo- capital de giro. Deve ser constituída sob a
nibilizar consultas em tempo real. forma de sociedade.
e) É instituição financeira especializada em ope- b) É instituição habilitada -> prática das ativida-
rações de financiamento imobiliário. Deve ser des que lhe são atribuídas pelas Leis 4.728,
constituída sob a forma de sociedade anôni- de 14.07.65 (disciplina o mercado de capitais),
ma. e 6.385, de 07.12.76 (dispõe sobre o mercado
4
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
de valores mobiliários), e regulamentação b) Presidente da Comissão de Assuntos Interna-
aplicável. Tem por objetos, dentre outros: cionais;
comprar, vender e distribuir títulos e valores c) Secretário da previdência Complementar;
mobiliários, e operar em bolsas de mercado-
d) Secretário de Política Fiscal, de Assuntos
rias e de futuros. Distingue-se da sociedade
Cambiais;
corretora de títulos e valores mobiliários por
não ter acesso às bolsas de valores. Deve ser e) Secretário da Fazenda.
constituída sob a forma de sociedade anônima
18. O Banco Central pode ser considerado como:
ou por quotas de responsabilidade limitada,
devendo constar na sua denominação social a a) Banco dos Bancos - Depósitos compulsórios
expressão “Distribuidora de Títulos e Valores Redesconto de Liquidez
Mobiliários. b) Gestor do Sistema Financeiro Nacional - Nor-
c) Tem por objeto social exclusivo a conces- mas/autorizações Fiscalização/intervenção
são de financiamentos a pessoas físicas, c) Executor da Política Monetária - Con-
bem como a pessoas jurídicas classificadas trole dos meios de pagamento (liquidez no
como microempresas, com vistas a viabilizar mercado) Orçamento monetário/instrumentos
empreendimentos de natureza profissional, de política monetária
comercial ou industrial de pequeno porte.
d) Banco Comercial - Emissão do meio circulante
Deve ser constituída sob a forma de compa-
Saneamento do meio circulante
nhia fechada ou de sociedade por quotas de
responsabilidade limitada. e) Banqueiro do Governo - Financiamento
do Tesouro nacional (via emissão de títulos
d) É instituição que tem por objeto social exclusi-
públicos); Administração da Dívida Pública
vo a intermediação em operações de câmbio e
Interna e Externa ; Gestor fiel depositário das
a prática de operações no mercado de câmbio
reservas internacionais do País; Representan-
de taxas flutuantes. Deve ser constituída sob
te junto às Instituições financeiras internacio-
a forma de sociedade anônima ou por quotas
nais
de responsabilidade limitada..
e) É a sociedade de crédito cujo quadro social 19. O Banco Central, nas suas atribuições, autoriza
é formado por pessoas físicas que, de forma outorgar fiança bancária nas seguintes situações:
efetiva e preponderante, desenvolvam, na
a) Participação em concorrência públicas ou
área de atuação da sociedade, atividades
particulares, licitações, tomadas de preços;
agrícolas, pecuárias ou extrativas, ou se dedi-
quem a operações de captura e transformação b) Contratos de construção civil;
de pescado e, excepcionalmente, por pessoas c) Contratos de execução de obras;
jurídicas que exerçam exclusivamente as d) Contratos de execução de obras adjudicadas
mesmas atividades. por meio de concorrências públicas ou parti-
culares;
16. O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Na-
cional é integrado por oito Conselheiros, de reconheci- e) Contratos de integralização de capitais (pes-
da competência e possuidores de conhecimentos espe- soas jurídicas);
cializados em assuntos relativos ao mercado financeiro
e de capitais, observada a seguinte composição: 20. As cooperativas de crédito são instituições finan-
ceiras, sociedades de pessoas, com forma e natureza
a) Dois representantes do Ministério da Fazen- jurídica próprias, de natureza civil, sem fins lucrativos
da; e não sujeitas a falência, constituídas com o objetivo
b) Dois representantes do Banco Central; de propiciar crédito e prestar serviços aos seus asso-
ciados.
c) Um representante da Caixa Econômica Fede-
ral; a) Regem-se pelo disposto nas Leis nºs. 5.764,
d) Um representante da Comissão de Valores de 16.12.1971, e 4.595, de 31.12.1964, nos
Mobiliários; atos normativos baixados pelo Conselho
Monetário Nacional e pelo Banco Central do
e) Dois representantes das entidades de classes, Brasil e pelo respectivo estatuto social.
dos mercados financeiro e de capitais, por
elas indicados em lista tríplice, por solicitação b) São classificadas em: singulares, as cons-
do Ministro da Fazenda. tituídas pelo número mínimo de 20 (vinte)
pessoas físicas;
17. A Medida Provisória no. 542, de 30 de junho de c) São classificadas em: cooperativas centrais
1994, que criou o Plano Real simplificou a composição ou federações de cooperativas, as consti-
do Conselho Monetário Nacional (CMN), criou também tuídas de, no mínimo, 3 (três) singulares de
subordinado ao CMN, a Comissão Técnica da Moeda e crédito;
do Crédito com a competência básica de regulamentar
as matérias da MP no. 542, de responsabilidade do CMN, d) São classificadas em: confederações de co-
sendo integrado por: operativas, as constituídas, pelo menos, de 3
(três) federações de cooperativas de crédito
a) Presidente da Caixa Econômica Federal; ou cooperativas centrais de crédito.
5
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) As cooperativas devem adotar obrigatoriamen- c) Quando nenhum deles efetuar a convocação
te, em sua denominação social, a expressão por solicitação dos associados, estes poderão
“Cooperativa”, sendo vedada a utilização da convocá-la, desde que em número equivalente
palavra “Banco”. Além disso, devem também a no mínimo 2/5 (dois quinto) dos cooperados
adequar a sua área de ação às possibilidades em pleno gozo de seus direitos.
de reunião, controle, operações e prestação d) A assembléia geral extraordinária (AGE)
de serviços. realiza-se anualmente, nos 3(três) primeiros
meses seguintes ao término do exercício so-
21. As cooperativas singulares dividem-se em:
cial.
a) cooperativas de crédito rural cujo quadro so- e) A assembléia geral ordinária (AGO) realiza-
cial é formado por pessoas que desenvolvam, se sempre que necessário e poderá deliberar
na área de atuação da cooperativa, de forma sobre qualquer assunto de interesse social,
efetiva e predominante, atividades agrícolas, desde que mencionado no edital de convo-
pecuárias ou extrativas, ou se dediquem a cação, sendo de sua competência exclusiva
operações de captura e transformação do os assuntos abaixo relacionados: reforma
pescado; e estatutária; fusão, incorporação ou desmem-
b) cooperativas de crédito mútuo cujo quadro bramento; mudança do objeto da sociedade;
social é formado por pessoas que exerçam dissolução voluntária da sociedade e nome-
determinada profissão ou atividades, ou este- ação do liquidante; prestação de contas do
jam vinculadas a determinada entidade. liquidante.
c) Enquanto não transformadas em um dos ti-
23. O “quorum” de instalação das assembléias ge-
pos mencionados nas alíneas anteriores, as rais é o equivalente a 2/3 (dois terços) do número de
cooperativas do tipo Luzzatti estarão sujeitas associados da cooperativa. Não havendo no horário
às disposições aplicáveis às demais coopera- estabelecido “quorum” de instalação para as assem-
tivas. bléias, poderão ser realizadas em segunda ou terceira
d) As cooperativas de crédito rural para funcio- convocações:
namento deverão dispor de estrutura orga-
a) Com intervalo mínimo de 1 (uma) hora entre
nizacional específica para operar em crédito
as convocações, desde que assim permitam
rural, cumprindo-lhe observar, em especial,
os estatutos e conste do edital de convocação,
as disposições do Manual de Crédito Rural
sendo que o “quorum” será de metade mais 1
(MCR) 1.3.1/7.
(um) dos associados em segunda convoca-
e) Na forma da legislação em vigor, dependem ção e de, no mínimo, 10 (dez) associados na
de prévia e expressa autorização do Banco terceira convocação, ressalvado o caso de
Central do Brasil o funcionamento de coo- cooperativas centrais, federações e confede-
perativas de crédito e os atos societários por rações de cooperativas que se instalarão com
elas deliberados, referentes a: eleição de qualquer número na terceira convocação.
membros do órgão de administração e do
b) Com intervalo mínimo de 2 (duas) horas entre
Conselho Fiscal; reforma do estatuto social;
as convocações, desde que assim permitam
mudança do objeto social; fusão, incorporação
os estatutos e conste do edital de convocação,
ou desmembramento; dissolução voluntária
sendo que o “quorum” será de metade mais 2
da sociedade e nomeação do liquidante e
(dois) dos associados em segunda convoca-
fiscais.
ção e de, no mínimo, 05 (cinco) associados
22. A assembléia geral é o órgão supremo da socie- na terceira convocação, ressalvado o caso de
dade, dentro dos limites legais e estatutários, com cooperativas centrais, federações e confede-
poderes para decidir os negócios relativos ao objeto rações de cooperativas que se instalarão com
da sociedade e zelar pelo desenvolvimento e defesa da qualquer número na terceira convocação.
cooperativa, sendo que suas deliberações vinculam a c) As deliberações nas assembléias gerais serão
todos, ainda que ausentes ou discordantes. Deverão tomadas por maioria de votos dos associados
ser observados pelos interessados os aspectos formais presentes com direito de votar, observado
especificados na regulamentação em vigor para a con- que não será permitida a representação por
vocação e realização, bem como para a transcrição das meio de mandatário, e que são necessários
deliberações realizadas em assembléias gerais.
os votos de 2/3 (dois terços) dos associados
a) A assembléia geral de constituição é realizada presentes para tornar válidas as deliberações
pelos, associados-fundadores, que deliberam de competência exclusiva de assembléias
pela constituição da sociedade cooperativa. gerais extraordinárias.
b) As assembléias posteriores -> de constituição d) As deliberações nas assembléias gerais serão
são classificadas em ordinárias ou extraordi- tomadas por maioria de votos dos associados
nárias, de acordo com suas características presentes com direito de votar, observado
peculiares, e são normalmente convocadas que não será permitida a representação por
pelo Presidente, podendo, entretanto, também meio de mandatário, e que são necessários os
ser convocadas por qualquer órgão da admi- votos de 1/3 (um terço) dos associados pre-
nistração ou pelo Conselho Fiscal. sentes para tornar válidas as deliberações de
6
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
competência exclusiva de assembléias gerais a) De acordo com o artigo 14º, inciso XI, da Lei
extraordinárias. 5764/71, as cooperativas deverão possuir
e) As assembléias gerais poderão ser suspen- área de admissão de associados limitada às
sas, admitindo-se a continuidade em data pos- possibilidades de reunião, controle, operações
terior, sem necessidade de novos editais de e prestação de serviços. Compete ao Banco
convocação, desde que determinada a data, Central do Brasil aprovar ou não a área de
hora e local de prosseguimento da sessão, atuação prevista nos estatutos sociais.
e que, tanto na abertura quanto no reinício, b) Cabe aos interessados o ônus da demonstra-
conte com o “quorum” legal, o qual deverá ser ção dos mecanismos adotados para atender
registrado na ata. a essas condições legais. Conforme for o
caso, o Banco Central do Brasil poderá exigir
24. Deverão constar obrigatoriamente da ata de as- apresentação de estudo de viabilidade de
sembléia: atendimento da área de ação pretendida.
a) o local, data e hora de instalação; o “quorum” c) No caso de cooperativa filiada ou com com-
de instalação; promisso de se filiar a cooperativa central de
b) a composição da mesa; a tríplice forma crédito (CCC), a comprovação de que a área
de convocação, indicando o jornal e data de de admissão de associados atende ao referido
circulação; preceito legal poderá ser feita mediante apre-
c) a ordem do dia; sentação de atestado, firmado nesse sentido
por 4 (quatro) administradores da CCC, sendo
d) os fatos ocorridos e as deliberações dos coo- um deles o diretor responsável previsto no §
perados, inclusive dissidências ou protestos; 4º do art. 3º, do Regulamento anexo -> Reso-
e) a qualificação completa (nome, nacionalidade, lução nº 2.771/2000.
estado civil, profissão, número de identidade e d) Nos relatórios de controles internos previstos
órgão expedidor, CPF e residência com ende- no art. 3º da Resolução nº 2.554/98, as CCC
reço completo), órgãos estatutários, cargos e deverão apresentar os resultados dos traba-
prazos de mandato das pessoas eleitas, bem lhos de acompanhamento do cumprimento,
como a transcrição integral dos artigos do pelas cooperativas singulares afiliadas, da
estatuto social reformado, se for o caso. exigência legal de limitação da área de atu-
25. Os estatutos das sociedades cooperativas deverão, ação às possibilidades de reunião, controle,
necessariamente, conter dispositivos que indiquem: operações e prestação de serviços.
e) A associação nas cooperativas não é livre
a) a denominação, sede, prazo de duração, área e todos que desejarem utilizar-se dos seus
de ação, objeto da sociedade, fixação do serviços, desde que adiram aos propósitos
exercício social e datas do levantamento dos sociais e preencham as condições estabele-
balanços gerais; cidas no estatuto, sendo ilimitado o número de
b) os direitos e deveres dos associados, nature- associados, salvo impossibilidade técnica de
za de suas responsabilidades, as condições prestação de serviços
de admissão, demissão, eliminação e exclu-
são, e as normas para sua representação nas 27. As cooperativas de crédito devem observar os se-
assembléias gerais; guintes limites mínimos de capital realizado e patrimô-
nio líquido ajustado (PLA) na forma da regulamentação
c) o capital mínimo, o valor da quota-parte, que em vigor: I - cooperativas centrais:
não poderá ser superior a 1 (um) salário míni-
mo, o mínimo de quotas-partes a ser subscrito a) capital integralizado de R$ 60.000,00 (ses-
pelo associado, o modo de integralização das senta mil reais), na data de autorização para
quotas-partes, bem como as condições de sua funcionamento;
retirada nos casos de demissão, de elimina- b) capital integralizado de R$ 600.000,00 (seis-
ção ou de exclusão; centos mil reais), na data de autorização para
d) a forma de devolução das sobras registradas funcionamento;
aos associados, ou do rateio das perdas apu- c) PLA de R$ 150.000,00 (cento e cinqüenta mil
radas por insuficiência de contribuição para reais), após três anos da referida data;
cobertura das despesas da sociedade; d) PLA de R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais),
e) o modo de administração e fiscalização, após cinco anos da referida data.
estabelecendo os respectivos órgãos, com e) PLA de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais),
definição de suas atribuições, poderes e fun- após cinco anos da referida data.
cionamento, a representação ativa e passiva
da sociedade em juízo ou fora dele, o prazo 28. As cooperativas de crédito devem observar os
do mandato, bem como o processo de subs- seguintes limites mínimos de capital realizado e patri-
tituição dos administradores e conselheiros mônio líquido ajustado (PLA) na forma da regulamen-
fiscais. tação em vigor: II - cooperativas singulares filiadas
a centrais:
26. Assinalar Certo ou Errado nas alternativas a se-
guir: a) capital integralizado de R$ 3.000,00 (três mil
7
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
reais), na data de autorização para funciona- cujos objetos sejam idênticos ou estreitamente
mento; correlacionados por afinidade ou complemen-
b) PLA de R$ 30.000,00 (trinta mil reais), após taridade (médicos e odontólogos, engenheiros
três anos da referida data; e arquitetos, profissionais da área de saúde,
trabalhadores em artes gráficas, etc.).
c) PLA de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais),
após cinco anos da referida data. c) Tipo III – Cooperativas de Crédito Rural: for-
madas por pessoas que desenvolvam, na área
d) capital integralizado de R$ 4.300,00 (quatro
de atuação da cooperativa, de forma efetiva e
mil e trezentos reais), na data de autorização
predominante, atividades agrícolas, pecuárias
para funcionamento;
ou extrativas, ou se dediquem a operações de
e) PLA de R$ 150.000,00 (cento e cinqüenta mil captura e transformação do pescado.
reais), após três anos da referida data;
d) As cooperativas de crédito singulares podem
29. As cooperativas de crédito devem observar os se- também admitir a associação de:
guintes limites mínimos de capital realizado e patrimô- I – empregados da própria cooperativa de crédito,
nio líquido ajustado (PLA) na forma da regulamentação das entidades a ela associadas e daquelas de
em vigor: III - cooperativas singulares não filiadas a cujo capital participem, e pessoas físicas pres-
centrais: tadoras de serviços, em caráter não eventual,
a) capital integralizado de R$ 3.000,00 (três mil -> cooperativa de crédito e às referidas entida-
reais), na data de autorização para funciona- des, equiparados aos primeiros no tocante aos
mento; seus direitos e deveres como associados;
b) PLA de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), II – aposentados que, quando em atividade,
após cinco anos da referida data. atendiam aos critérios estatutários de asso-
ciação;
c) capital integralizado de R$ 4.300,00 (quatro
mil e trezentos reais), na data de autorização III – pais, cônjuge ou companheiro(a), viúvo(a) e
para funcionamento; dependente legal de associado, e pensionista
de associado falecido.
d) PLA de R$ 43.000,00 (quarenta e três mil
reais), após dois anos da referida data; IV – excepcionalmente, pessoas jurídicas sem
fins lucrativos, exceto cooperativa de crédito;
e) PLA de R$ 86.000,00 (oitenta e seis mil reais),
após quatro anos da referida data. V – excepcionalmente, quando se tratar de co-
operativa do tipo II, pessoas jurídicas que
  tenham por objeto as mesmas ou correlatas
30. As cooperativas de crédito singulares devem fazer atividades econômicas das pessoas físicas
constar de seus estatutos condições de associação de associadas, ou, quando se tratar de coopera-
pessoas físicas que levem em conta, além das dispo- tiva do tipo III, pessoas jurídicas que tenham
sições legais pertinentes, a existência de afinidades por objeto as mesmas atividades econômicas
entre os associados, segundo os critérios abaixo deli- das pessoas físicas associadas.
neados, os quais, em função do vínculo previsto, vêm e) Quando da constituição de cooperativas do
tornando usual a identificação das cooperativas pelos tipo I, formadas por empregados de determi-
seguintes tipos: nado conglomerado econômico, deverão ser
a) Tipo I – Cooperativas de Crédito Mútuo de comprovadas as interligações societárias ou
Empregados: formadas por empregados ou administrativas existentes.
servidores e prestadores de serviço em cará-
31. O capital social das sociedades cooperativas é di-
ter não eventual de:
vidido em quotas-partes, cujo valor unitário não pode
1 – determinada entidade pública ou privada; ser superior ao maior salário mínimo vigente no País.
2 – determinado conglomerado econômico; Nenhum associado poderá subscrever mais de 1/3 (um
terço) do total das quotas-partes.
3 – conjunto definido de órgãos públicos hierár-
quica ou administrativamente vinculados; a) Do capital subscrito, 5% no mínimo deverá ser
4 – conjunto definido de pessoas jurídicas que integralizado no ato (observado que o valor
desenvolvam atividades idênticas ou estrei- integralizado deverá atender ao limite mínimo,
tamente correlacionadas por afinidade ou nos termos da legislação em vigor) e o res-
complementaridade. tante dentro do prazo de até um ano, contado
b) Tipo II – Cooperativas de Crédito Mútuo de da data da publicação, no Diário Oficial, do
Profissionais: formadas por trabalhadores despacho aprobatório para o funcionamento
de: da cooperativa.
1 – determinada profissão regulamentada (médi- b) O valor do capital integralizado deve ser re-
co, advogado, engenheiro, etc.); colhido ao Banco Central do Brasil no prazo
de até 5 (cinco) dias do seu recebimento. O
2 – determinada atividade, definida quanto a es- recolhimento poderá ser efetuado em moeda
pecialização (pedreiro, padeiro, caminhoneiro, corrente e/ou em títulos públicos, de emissão
feirante de produtos hortifrutigranjeiros, etc.); do Tesouro Nacional ou do Banco Central do
3 – conjunto definido de profissões ou atividades Brasil.
8
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
c) Quando realizado em títulos, os mesmos fusão, incorporação ou desmembramento, cujas ca-
deverão estar registrados no SELIC, vincu- racterísticas são as seguintes:
lados -> solução do respectivo processo de a) fusão: é o processo pelo qual 2 (duas) ou
autorização. Quando em moeda corrente, o mais cooperativas de crédito decidem fundir
recolhimento deve ser feito ao Banco Central, seus patrimônios – direitos e obrigações –,
diretamente ou por intermédio do Banco do resultando em uma nova sociedade e, em
Brasil S.A. Nesta hipótese, deve-se contatar, conseqüência, na extinção das sociedades
preliminarmente, o componente regional res- que participaram da operação de fusão.
pectivo do Departamento de Organização do
Sistema Financeiro –DEORF, que informará b) incorporação: é o processo em que uma so-
acerca do preenchimento do documento de ciedade cooperativa absorve o patrimônio, re-
crédito a agência e conta do Banco Central cebe os associados, assume as obrigações e
em que deverá ser depositada a quantia re- adquire direitos, de uma ou mais cooperativas
cebida dos subscritores. participantes da operação de incorporação.
d) O valor do capital integralizado deve ser reco- c) cisão: é o processo pelo qual 2 (duas) ou
lhido ao Banco Central do Brasil no prazo de mais cooperativas de crédito decidem cindir
até 15 (quinze) dias do seu recebimento. O seus patrimônios – direitos e obrigações –,
recolhimento poderá ser efetuado em moeda não resultando em uma nova sociedade e, em
corrente e/ou em títulos públicos, de emissão conseqüência, na não extinção das socieda-
do Tesouro Nacional ou do Banco Central do des que participaram da operação de cisão.
Brasil. d) desmembramento: é o processo pelo qual a
e) Do capital subscrito, 50% no mínimo deverá sociedade cooperativa poderá desmembrar–
ser integralizado no ato (observado que o se em tantas sociedades quanto desejar ou
valor integralizado deverá atender ao limite forem necessárias, para atender aos interes-
mínimo, nos termos da legislação em vigor) ses de seus associados.
e o restante dentro do prazo de até um ano, e) Qualquer que seja a operação, as novas so-
contado da data da publicação, no Diário ciedades resultantes do processo de fusão,
Oficial, do despacho aprobatório para o fun- incorporação ou desmembramento deverão,
cionamento da cooperativa. em especial, estar enquadradas nas condi-
ções legais e regulamentares referentes ->
32. A autorização para funcionamento de cooperativas formatação do quadro social e área de ação.
singulares está sujeita ao cumprimento das seguintes
exigências, referentes ao capital: 34. As sociedades cooperativas dissolvem-se de pleno
direito (Lei 5.764/71, artigo 63):
a) que cada cooperado integralize pelo menos 50
% (cinqüenta por cento) do montante subscrito a) quando assim deliberar a Assembléia Geral,
(Lei 4.595, de 31.12.64); desde que os associados, totalizando o nú-
b) que sejam integralizados, no mínimo, R$ mero de, no mínimo, 20 (vinte), não se dispo-
4.300,00 (quatro mil e trezentos reais). No nham a assegurar a sua continuidade.;
caso de cooperativa singular filiada -> coope- b) pelo decurso de prazo de duração;
rativa central de crédito, o mínimo requerido c) pela consecução dos objetivos predetermina-
é de R$ 3.000,00 (três mil reais) (Resolução dos;
2.771, de 30.08.2000).
d) em função da alteração da sua forma jurídi-
c) Constituição de uma cooperativa cujo capital ca;
subscrito é de R$ 5.000,00. Como 50% do
e) pela redução do número mínimo de asso-
capital subscrito é menor do que o mínimo es-
ciados ou do capital social mínimo se, até a
tabelecido para seu funcionamento, prevalece
assembléia geral subseqüente, realizada em
o disposto na Resolução, ou seja, deverá ser
prazo não inferior a seis meses, eles não fo-
integralizado (e depositado no Banco Central),
rem restabelecidos;
no mínimo, R$ 4.300,00 (ou R$ 3.000,00).
d) Constituição de uma cooperativa cujo capital 35. O Banco Central poderá cancelar a autorização
subscrito é de R$ 50.000,00. Como 50% do para funcionamento de cooperativas cujas atividades
capital subscrito é maior do que o mínimo se achem paralisadas ou que estejam em regime de
estabelecido para seu funcionamento, pre- liquidação. A paralisação ou o regime de liquidação
valece o disposto na Lei, ou seja, deverá ser caracterizam-se por:
integralizado (e depositado no Banco Central), a) não deliberação de assembléia dos coopera-
no mínimo, R$ 25.000,00. dos no sentido da paralisação ou liquidação;
e) O remanescente do capital subscrito inicial b) não apuração pelo Banco Central, a qual-
deverá ser integralizado, em moeda corrente, quer momento, da paralisação, por mais de
dentro do prazo de até 1 (um) ano contado da 120 (cento e vinte) dias, das atividades da
data da solução do respectivo processo. cooperativa, ou do envio dos demonstrativos
33. É permitido às sociedades cooperativas de crédito, financeiros exigidos pela regulamentação em
no interesse exclusivo dos associados, proceder -> vigor; e
9
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
c) aviso obrigatória, dirigido pela cooperativa ao c) O estatuto social da cooperativa central de
Banco Central. crédito deverá prever quais pessoas poderão
d) apuração pelo Banco Central, a qualquer mo- se candidatar ao exercício dos seus cargos
mento, da paralisação, por mais de 60 (ses- de administração e fiscalização, dentre os
senta) dias, das atividades da cooperativa, administradores, fiscais e associados das
ou do envio dos demonstrativos financeiros cooperativas singulares filiadas.
exigidos pela regulamentação em vigor; e d) Para a constituição, eleição, reforma de esta-
e) aviso espontâneo pela cooperativa -> Caixa tuto e demais atos societários, as cooperativas
Econômica Federal centrais observam, no que couber, o disposto
nos itens anteriores.
36. Com a edição da Resolução nº 2.608 de 27.05.99, e) Na constituição de um Banco Cooperativo
sucedida pela Resolução nº 2.771, de 30.08.2000, foram devem ser seguidos os procedimentos perti-
conferidas às cooperativas centrais de crédito atribui- nentes para a constituição de banco comer-
ções específicas referentes -> supervisão e realização cial, com a seguinte particularidade: apenas
de auditorias em suas filiadas, ficando assegurado ao
as pessoas jurídicas controladoras devem
Banco Central do Brasil o acesso aos relatórios elabo-
rados e informações relevantes, apuradas no exercício publicar declaração de propósito e comprovar
dessas atribuições. Da mesma forma, foi reforçado o pa- capacidade econômica compatível com o em-
pel institucional das centrais com vistas -> coordenação preendimento.
e supervisão do sistema cooperativo, introduzindo-se
38. O Sistema de Pagamentos Brasileiro - S P B
algumas facilidades para as cooperativas singulares a
apresenta alto grau de automação, com crescente
elas filiadas, em relação às não filiadas, tais como:
utilização de meios eletrônicos para transferência de
a) dispensa da obrigatoriedade de se submete- fundos e liquidação de obrigações, em substituição aos
rem -> realização de auditoria independente, instrumentos baseados em papel. No mercado financei-
visto que contam com a supervisão de uma ro, os títulos e valores mobiliários são negociados:
cooperativa central; a) integralmente na forma escritural
b) redução de cerca de 30% (trinta por cento) b) parcialmente na forma eletrônica
sobre os valores mínimos estipulados para
capital e PLA, bem como ampliação de um c) quase integralmente na forma escritural
ano no prazo para atingir os valores mínimos d) quase integralmente na forma eletrônica
de PLA; e) parte escritural e parte mecânica
c) limite de endividamento de 10 (dez) vezes o
39. Esses recursos possibilitam o processamento au-
PLA, enquanto as não filiadas a centrais têm
tomático de operações desde a fase de contratação até
o limite de 5 (cinco) vezes o PLA; a de liquidação final (straight through processing), que
d) limite de concentração de risco por cliente de é utilizado em quase todos os segmentos do mercado
10% (dez por cento) do PLA, enquanto as não financeiro. A maior eficiência e, em especial:
filiadas a centrais têm o limite de 5% (cinco
por cento) do PLA. a) aumento dos prazos de transferência de re-
cursos sempre se colocaram como pontos
e) Nas assembléias gerais das cooperativas cen- centrais no processo de evolução do SPB até
trais de crédito, as filiadas são representadas meados da década de 90, presente o ambien-
por administrador ou associado credenciado te de inflação crônica até então existente no
pelo respectivo órgão de administração. país.
37. Os itens a seguir estão relacionados a Bancos b) aumento dos prazos de transferência de re-
Cooperativos cursos sempre se colocaram como pontos
centrais no processo de evolução do SPB até
a) Bancos Cooperativos são bancos comerciais, meados da década de 80, presente o ambien-
constituídos sob a forma de sociedades anô- te de inflação crônica até então existente no
nimas que diferenciam-se dos demais por país.
terem como acionistas, exclusivamente, as
Cooperativas de Crédito. c) a redução dos prazos de transferência de
recursos sempre se colocaram como pontos
b) Devem fazer constar, obrigatoriamente, de sua centrais no processo de evolução do SPB até
denominação a expressão “Banco Cooperati- meados no século XIX, presente o ambiente
vo” e têm sua atuação restrita às Unidades de inflação crônica até então existente no
da Federação em que estejam situadas as país.
sedes das pessoas jurídicas (cooperativas)
controladoras. Podem firmar convênio de d) a redução dos prazos de transferência de
prestação de serviços com cooperativas de recursos sempre se colocaram como pontos
crédito localizadas em sua área de atuação. É centrais no processo de evolução do SPB até
vedada a sua participação no capital social de meados da década de 80, presente o ambien-
instituições financeiras e demais instituições te de deflação crônica até então existente no
autorizadas a funcionar pelo Banco Central do país.
Brasil. e) a redução dos prazos de transferência de

10
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
recursos sempre se colocaram como pontos dia - CBLC, entidade que também atua como
centrais no processo de evolução do SPB até depositária central desse valor mobiliário, res-
meados da década de 90, presente o ambien- pondendo a Central de Custódia e Liquidação
te de inflação crônica até então existente no Financeira de Títulos
país. b) Cetip pela liquidação, principalmente, de títu-
los privados (títulos de dívida corporativa).
40. A entrada em operação do Sistema de Transferên-
cia de Reservas - STR, em 22.04.2002, foi outro c) TecBan que utilizam liquidação diferida com
marco no processo de reforma do SPB. Esse sistema, compensação multilateral de obrigações
operado pelo Banco Central do Brasil e que liquida as d) Compe a liquidação é em D+2
transferências de fundos em tempo real, operação por
operação, é, por assim dizer, o centro de liquidação das
e) Selic liquida operações com títulos públicos fe-
operações interbancárias no Brasil, em decorrência da derais segundo o modelo 1 de entrega contra
conjugação dos seguintes fatos: pagamento, conforme denominação utilizada
em relatórios do Bank for International Settle-
a) primeiro, por disposição legal (Lei 4.595), ments
todas as instituições bancárias (instituições
que captam depósitos -> vista) têm de manter 42. Os sistemas de liquidação operados por essas
suas disponibilidades de recursos no Banco entidades fazem compensação multilateral de obriga-
Central do Brasil; ções, sendo que a Cetip faz também liquidação bruta
em tempo real, no caso de operações do mercado se-
b) segundo, por determinação regulamentar cundário, e compensação bilateral, nas operações de
(Circular 3.057), os resultados líquidos apura- swap. Quando diferida, a liquidação é geralmente feita
dos nos sistemas de liquidação considerados em D+1, exceto no caso de ações, que é D+3. A BM&F
sistemicamente importantes devem ter sua opera dois sistemas de liquidação, um para operações
liquidação final em contas Reservas Bancárias com derivativos e outro para operações de câmbio
mantidas no Banco Central do Brasil; e, final- interbancário. Os dois sistemas utilizam compensação
mente, também por disposição regulamentar multilateral de obrigações, sendo a liquidação:
(Circular 3101), todas as transferências de
fundos entre contas mantidas no Banco Cen- a) em D+1 no caso de operações com derivati-
tral do Brasil têm de ser feitas por intermédio vos e, normalmente, D+2 no caso de opera-
do STR. ções de câmbio.
c) Transferências interbancárias de fundos são b) em D+2 no caso de operações com derivati-
também liquidadas por intermédio da Câma- vos e, normalmente, D+1 no caso de opera-
ra Interbancária de Pagamentos - CIP, da ções de câmbio.
Centralizadora da Compensação de Cheques c) em D+1 no caso de operações com derivati-
e Outros Papéis - Compe e da Câmara vos e, normalmente, D+3 no caso de opera-
TecBan. ções de câmbio.
d) O sistema da CIP utiliza modelo híbrido de d) em D+3 no caso de operações com derivati-
liquidação, que combina características da vos e, normalmente, D+1 no caso de opera-
liquidação líquida defasada e da liquidação ções de câmbio.
bruta em tempo real, enquanto a Compe e a e) em D+2 no caso de operações com derivati-
Câmara TecBan utilizam liquidação diferida vos e, normalmente, D+3 no caso de opera-
com compensação multilateral de obrigações. ções de câmbio.
No caso da Compe, a liquidação é em D+1 e
no da Câmara TecBan, D ou D+1 dependendo 43. Todos os sistemas de liquidação mencionados são
do horário em que originada a transferência considerados sistemicamente importantes pelo Banco
de fundos. Central do Brasil, -> exceção da Câmara TecBan e da
Compe. No relacionamento dos participantes com os
e) No segmento de títulos e valores mobiliários, o sistemas de liquidação e dos sistemas de liquidação
SPB apresenta certa segmentação. O Sistema com o Banco Central do Brasil, é utilizado um sistema
Especial de Liquidação e de Custódia - de mensageria único suportado pela Rede do Sistema
Selic, operado pelo Banco Central do Brasil, Financeiro Nacional - RSFN. Para o suave funcio-
liquida operações com títulos públicos fede- namento do sistema de pagamentos no ambiente de
rais segundo o modelo 1 de entrega contra liquidação em tempo real recentemente implementado,
pagamento, conforme denominação utilizada alguns aspectos são especialmente importantes.
em relatórios do Bank for International Settle-
ments - BIS (a liquidação final da ponta a) Primeiro, o Banco Central do Brasil concede
financeira e da ponta do título ocorre ao longo crédito intradia aos participantes do STR titu-
do dia, de forma simultânea, operação por lares de conta Reservas Bancárias, na forma
operação). de operações compromissadas sem custos
financeiros (o preço da operação de volta é
41. As operações com ações, normalmente realizadas igual ao preço da operação de ida).
na Bolsa de Valores de São Paulo - Bovespa, são b) Segundo, a verificação de cumprimento dos
liquidadas por intermédio da: recolhimentos compulsórios é feita com base
a) Companhia Brasileira de Liquidação e Custó- em saldos de final do dia, valendo dizer que
11
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
esses recursos podem ser livremente utiliza- terceiros.
dos ao longo do dia para fins de liquidação de d) O Banco Central do Brasil tem competência
obrigações (a utilização de recursos mantidos legal para submeter as instituições financeiras
em contas Reservas Bancárias, cujo saldo é a regimes de intervenção ou de administração
considerado para fins de verificação do reco- especial, podendo, também, decretar sua li-
lhimento compulsório e encaixe obrigatório quidação extrajudicial (Lei 6.024 e Decreto-Lei
relacionados com recursos -> vista, independe 2.321).
de qualquer providência especial. Para utiliza-
e) Todas acima estão erradas
ção de outros recursos, registrados em outras
contas de recolhimento compulsório/encaixe 45. A Lei 10.214, o marco legal da reforma do sistema
obrigatório, o participante precisa encaminhar de pagamentos brasileiro, entre outras coisas:
ao STR ordem específica determinando a
transferência dos recursos, da conta em que a) define o sistema de pagamentos e os sistemas
se encontravam registrados, para sua conta que o integram;
Reservas Bancárias). b) atribui competência ao Banco Central do
c) Terceiro, o Banco Central do Brasil, se e quan- Brasil para definir os sistemas considerados
do julgar necessário, pode acionar rotina para sistemicamente importantes;
otimizar o processo de liquidação das ordens c) reconhece a compensação multilateral de
de transferência de fundos mantidas em filas obrigações no âmbito de um sistema de com-
de espera no âmbito do STR. pensação e de liquidação;
d) Quarto, de acordo com a Lei 4.595 (Lei da Re- d) estabelece que, nos sistemas considerados
forma do Sistema Financeiro Nacional), que sistemicamente importantes, as respectivas
regula o funcionamento do sistema financeiro entidades operadoras devem atuar como
brasileiro, o Conselho Monetário Nacional - contraparte central e adotar mecanismos e
CMN é o órgão formulador da política da mo- salvaguardas que lhes possibilitem assegurar
eda e do crédito, devendo atuar inclusive no a liquidação das operações cursadas;
sentido de promover o aperfeiçoamento das e) estabelece a impenhorabilidade dos bens ofe-
instituições e dos instrumentos financeiros, recidos em garantia no âmbito dos sistemas
com vistas -> maior eficiência do sistema de de compensação e de liquidação.
pagamentos e de mobilização de recursos.
e) Quinto, o Banco Central do Brasil é o princi- 46. A Lei 4.595, o marco legal da reforma do sistema de
pal órgão executor da política traçada pelo pagamentos brasileiro, entre outras coisas:
CMN, cumprindo-lhe também, nos termos da a) dispõe que os regimes de insolvência civil,
mencionada lei, autorizar o funcionamento e concordata, falência ou liquidação extrajudi-
exercer a fiscalização das instituições finan- cial, a que seja submetido qualquer partici-
ceiras, emitir moeda e executar os serviços pante, não afetam o adimplemento de suas
do meio-circulante. obrigações no âmbito de um sistema de com-
pensação e de liquidação, as quais serão ulti-
44. De acordo com a Lei 4.595 (Lei da Reforma do Sis- madas e liquidadas na forma do regulamento
tema Financeiro Nacional), que regula o funcionamento
desse sistema.
do sistema financeiro brasileiro,
b) Os princípios básicos de funcionamento do
a) O Conselho Monetário Nacional - CMN é o sistema de pagamentos brasileiro foram
órgão formulador da política da moeda e do estabelecidos por intermédio da Resolução
crédito, devendo atuar inclusive no sentido de 2.882, do Conselho Monetário Nacional, e
promover o aperfeiçoamento das instituições seguem recomendações feitas, isolada ou
e dos instrumentos financeiros, com vistas -> conjuntamente, pelo BIS -Bank for Internatio-
maior eficiência do sistema de pagamentos e nal Settlements e pela IOSCO -International
de mobilização de recursos. Organization of Securities Commissions, nos
b) O Banco Central do Brasil é o principal ór- relatórios denominados “Core Principles for
gão executor da política traçada pelo CMN, Systemically Important Payment Systems”
cumprindo-lhe também, nos termos da men- e “Recommendations for Securities Settle-
cionada lei, autorizar o funcionamento e exer- ment Systems”. A mencionada resolução dá
cer a fiscalização das instituições financeiras, competência ao Banco Central do Brasil para
emitir moeda e executar os serviços do meio- regulamentar, autorizar o funcionamento e
circulante. supervisionar os sistemas de compensação
c) De acordo com o ordenamento jurídico em e de liquidação, atividades que, no caso de
vigor, são consideradas instituições finan- sistemas de liquidação de operações com
ceiras as pessoas jurídicas, públicas ou pri- valores mobiliários, são compartilhadas com
vadas, que tenham como atividade principal a Comissão de Valores Mobiliários - CVM.
ou acessória a coleta, a intermediação ou a c) reconhece a compensação multilateral de
aplicação de recursos financeiros próprios ou obrigações no âmbito de um sistema de com-
de terceiros, em moeda nacional ou estran- pensação e de liquidação;
geira, e a custódia de valor de propriedade de
12
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
d) estabelece que, nos sistemas considerados Lei 10.214. As relações entre as instituições
sistemicamente importantes, as respectivas financeiras e seus clientes subordinam-se
entidades operadoras devem atuar como também às disposições da Lei de Defesa do
contraparte central e adotar mecanismos e Consumidor (Lei 8.078).
salvaguardas que lhes possibilitem assegurar
a liquidação das operações cursadas; 48. O Banco Central do Brasil tem como missão insti-
tucional a estabilidade do poder de compra da moeda
e) estabelece a impenhorabilidade dos bens ofe- e a solidez do sistema financeiro, devendo, nas ações
recidos em garantia no âmbito dos sistemas que adota, observar as diretrizes estabelecidas pelo
de compensação e de liquidação. Conselho Monetário Nacional. De acordo com o artigo
10 da Lei 4.595, compete ao Banco Central do Brasil,
47. O funcionamento dos sistemas de compensação e
entre outras atribuições:
de liquidação é disciplinado também por dispositivos
estabelecidos pelo Banco Central do Brasil por inter- a) emitir moeda-papel e moeda metálica,
médio do regulamento anexo -> Circular 4.595, dentre b) executar os serviços do meio-circulante, rece-
os quais destacam-se: ber em depósitos os recolhimentos compul-
a) a obrigatoriedade de que os sistemas de sórios e encaixes obrigatórios estabelecidos
liquidação considerados sistemicamente im- para as instituições financeiras
portantes promovam a liquidação final dos c) conceder redesconto às instituições bancárias
resultados neles apurados diretamente em (instituições que captam depósitos -> vista).
contas mantidas no Banco Central do Brasil; d) estabelecer que, nos sistemas considerados
b) a definição dos sistemas de liquidação siste- sistemicamente importantes, as respectivas
micamente importantes, assim considerados entidades operadoras devam atuar como
todos aqueles que liquidam operações com contraparte descentralizadora.
títulos, valores mobiliários, outros ativos e) adotar mecanismos e salvaguardas que lhes
financeiros, inclusive moeda estrangeira, e possibilitem assegurar a liquidação das ope-
derivativos financeiros, bem como os sistemas rações concursadas.
de transferência de fundos por intermédio do
qual sejam feitas transferências de grande va- 49. Para operacionalização de algumas de suas atri-
lor, isto é, R$ 10 milhões por operação ou R$ buições, o Banco Central do Brasil oferece às institui-
5 bilhões de giro diário, valores referenciais ções bancárias e aos bancos de investimento contas
normativamente denominados K1 e K2 (para denominadas Reservas Bancárias, sendo que no caso
maiores informações ver o art. 8º do regula- das instituições bancárias a titularidade de uma conta
mento anexo -> Circular 3.057) da espécie tem caráter obrigatório. Cada instituição é
c) o prazo limite para diferimento da liquidação titular de uma única conta, centralizada, identificada
por um código numérico. No Brasil, por disposição
da operação de até: (i) o final do dia, no caso
legal, uma instituição bancária não pode manter conta
de sistema de transferência de fundos consi- em outra instituição bancária. Por isso, exceto aqueles
derado sistemicamente importante; (ii) um dia efetuados em espécie e aqueles que se completam no
útil, no caso de operações -> vista com títulos ambiente de um único banco, todos os pagamentos
e valores mobiliários, exceto ações; e (iii) três têm liquidação final nas contas Reservas Bancárias.
dias úteis, no caso de operações -> vista com As contas apresentam certo grau de especialização,
ações realizadas em bolsas de valores. O pra- conforme exemplos a seguir:
zo limite de liquidação para outras situações é
estabelecido pelo Banco Central do Brasil em a) bancos comerciais, que captam principalmente
exame caso a caso; depósitos -> vista e depósitos de poupança e
são tradicionais fornecedores de crédito para
d) a exigência de que a entidade operadora as pessoas físicas e jurídicas, especialmente
mantenha patrimônio líquido compatível com capital de giro no caso das empresas;
os riscos inerentes aos sistemas de liquidação
que opere, observando limite mínimo de R$ b) bancos de investimento, que captam depósitos
30 milhões ou de R$ 5 milhões por sistema a prazo e são especializados em operações fi-
conforme ele seja ou não considerado siste- nanceiras de médio e longo prazo;
micamente importante. c) caixas econômicas, que também captam
e) Os cheques são regulados segundo os prin- depósitos -> vista e depósitos de poupança e
cípios gerais da Convenção de Genebra (Lei atuam mais fortemente no crédito habitacio-
7.357) e as relações financeiras entre os nal;
agentes econômicos, aí incluídas as questões d) bancos cooperativos e cooperativas de cré-
relacionadas com transferências de fundos e dito, voltados para a concessão de crédito e
compensação e liquidação de obrigações, são prestação de serviços bancários aos coopera-
comandadas por contratos entre as partes, dos, quase sempre produtores rurais;
sujeitos às disposições, principalmente, do e) sociedades de crédito imobiliário e associa-
Código Civil (Lei 3071), do Código Comercial ções de poupança e empréstimo, também
(Lei 556), da Lei do Mercado de Capitais voltadas para o crédito habitacional;
(Lei 4.728) e da chamada Lei do Colarinho
Branco (Lei 7.492), além da já mencionada 50. Por determinação constitucional, o Banco Central
13
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
do Brasil é o único depositário das disponibilidades do sem custos financeiros.
Tesouro Nacional. Também as entidades operadoras
de sistemas de liquidação defasada, se considerados 52. No atual arranjo do sistema financeiro, as principais
sistemicamente importantes, são obrigadas a manter instituições estão constituídas sob a forma de banco
conta no Banco Central do Brasil, para liquidação dos múltiplo (banco universal), que oferece ampla gama
resultados líquidos por elas apurados: de serviços bancários. Outras instituições apresentam
certo grau de especialização, conforme exemplos a
a) bancos de investimento, que captam depósitos seguir:
a prazo e são especializados em operações fi-
nanceiras de médio e longo prazo; a) caixas econômicas, que também captam
depósitos -> vista e depósitos de poupança e
b) caixas econômicas, que também captam
atuam mais fortemente no crédito habitacio-
depósitos -> vista e depósitos de poupança e
nal;
atuam mais fortemente no crédito habitacio-
nal; b) bancos cooperativos e cooperativas de cré-
dito, voltados para a concessão de crédito e
c) bancos cooperativos e cooperativas de cré-
prestação de serviços bancários aos coopera-
dito, voltados para a concessão de crédito e
dos, quase sempre produtores rurais;
prestação de serviços bancários aos coopera-
dos, quase sempre produtores rurais; c) sociedades de crédito imobiliário e associa-
ções de poupança e empréstimo, também
d) sociedades de crédito imobiliário e associa-
voltadas para o crédito habitacional;
ções de poupança e empréstimo, também
voltadas para o crédito habitacional; d) sociedades de crédito e financiamento, dire-
cionadas para o crédito ao consumidor;
e) sociedades de crédito e financiamento, dire-
cionadas para o crédito ao consumidor; e) empresas corretoras e distribuidoras, com
atuação centrada nos mercados de câmbio,
51. Nos termos da Resolução 2.882: títulos públicos e privados, valores mobiliários,
mercadorias e futuros.
a) O Banco Central do Brasil deve atuar no
sentido de promover a solidez, o normal fun- 53. Dentre as instituições relacionadas, ocupam posição
cionamento e o contínuo aperfeiçoamento do de destaque no âmbito do sistema de pagamentos:
sistema de pagamentos. Para funcionamento,
os sistemas de liquidação estão sujeitos -> a) os bancos comerciais;
autorização e -> supervisão do Banco Central b) os bancos múltiplos com carteira comercial;
do Brasil, inclusive aqueles que liquidam ope- c) as caixas econômicas;
rações com títulos, valores mobiliários, moeda
d) os bancos cooperativos;
estrangeira e derivativos financeiros.
e) as cooperativas de crédito.
b) O sistema que liquida operações com valores
mobiliários está sujeito também -> autorização 54. As instituições listadas de “a” a “e” captam depó-
da Comissão de Valores Mobiliários - CVM, sitos a prazo e, em contrapartida, oferecem aos seus
sendo que nesse caso compete ao Banco clientes contas não movimentáveis por titulos, muito
Central do Brasil, com exclusividade, a análise utilizadas pelo público em geral, pessoas físicas e
dos aspectos relacionados com o controle do jurídicas, para fins de pagamentos e transferências
risco sistêmico. de fundos. Em dez/2002, o sistema financeiro contava
c) Como previsto na Lei 10.214, compete tam- com 1612 instituições financeiras da espécie, incluindo
bém ao Banco Central do Brasil a definição cooperativas de crédito, totalizando 17.049 agências e
cerca de 77,3 milhões de contas, na quase totalidade
de quais são os sistemas de liquidação siste-
referentes aos bancos comerciais, bancos múltiplos e
micamente importantes. caixas econômicas.
d) O Banco Central do Brasil, além de respon-
sável pela regulamentação e pela supervisão a) os bancos comerciais;
dos sistemas de liquidação, é também pro- b) os bancos múltiplos com carteira comercial;
vedor de serviços de transferência de fundos c) as caixas econômicas;
e de liquidação de obrigações. Nessa quali-
d) os bancos cooperativos;
dade, opera o Sistema de Transferência de
Reservas - STR e o Sistema Especial de e) as cooperativas de crédito.
Liquidação e de Custódia - Selic, que liqui-
As questões de 55 a 60 estão relacionadas com a es-
dam obrigações em tempo real, operação por trutura do sistema financeiro brasileiro, com indicação
operação. da área de competência de cada órgão, categoria, diss-
e) Para assegurar o suave funcionamento do criminação e da supervisão: (BCB - Banco Central do
sistema de pagamentos no ambiente de liqui- Brasil. CVM - Comissão de Valores Mobiliários. SPC
dação de obrigações em tempo real, o Banco - Secretaria de Previdência Complementar. SUSEP -
Central do Brasil concede crédito intradia Superintendência de Seguros Privados. Incluem-se na
aos participantes do STR titulares de contas alçada de competência da CVM apenas os sistemas que
Reservas Bancárias, na forma de operações liquidam operações com valores mobiliários, os quais
compromissadas com títulos públicos federais, sujeitam-se também -> autorização e -> supervisão do
BCB.)
14
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
64. Cheque Eletrônico é:
a) A melhor conveniência nas transações. De um
ponto de atendimento da rede Banco24Horas
é só fazer operações como saques, extratos,
consultas, pagamento de IPVA, licenciamento
eletrônico, entre outras.
O cheque eletrônico proporciona maior comodi-
dade nas operações bancárias, oferece ser-
viço de auto-atendimento bancário de forma
contínua e com alta tecnologia. Atualmente,
52 instituições financeiras utilizam a rede de
61. Os sistemas que liquidam operações com valores cheque eletrônico.
mobiliários sujeitam-se -> autorização de funciona- b) Do mesmo modo que um cheque-papel, o
mento e -> supervisão _________________________ Cheque Eletrônico é um meio de transferência
__________, competência essa compartilhada com o de fundos entre contas-correntes que é feita
_______________________ . A Associação nacional das de forma eletrônica. Trata-se de uma ferra-
Instituições do Mercado Aberto – Andima , associação menta ágil, prática e segura de pagamento
civil sem fins lucrativos que congrega os interesses das
de compras junto a estabelecimentos comer-
instituições financeiras que atuam no mercado aberto,
é a mantenedora do Sistema Especial de Liquidação e ciais. O pagamento é efetuado com o cartão
de Custódia - Selic, que é operado pelo Banco Central bancário, em um processo de Transferência
do Brasil. Eletrônica de Fundos (TEF).
c) Em apenas 30 segundos ocorre a transação
a) BCB e CVM b) CMN e CVM do pagamento com o Cheque Eletrônico, sem
c) CVM e BCB d) SPC e BCB os inconvenientes de solicitação de dados
e) CVM e CMN e conferência de documentos. Isto porque,
durante a transação, o sistema confere auto-
62. A CÂMARA INTERBANCÁRIA DE PAGAMENTOS - maticamente a validade e o limite do cartão,
CIP associação civil sem fins lucrativos com sede na
bem como sua senha.
cidade do Rio de Janeiro, opera o Sistema de Transfe-
rência de Fundos - Sitraf. A CIP tem por objeto social: d) O Cheque Eletrônico é uma solução multi-
banco para cartões de débito voltada para
a) a criação e a operação de sistemas e procedi- pagamentos de compras e serviços pela Inter-
mentos de transferência de fundos e de outros net, restrita ao território brasileiro. O Cheque
ativos financeiros; Eletrônico é baseado no protocolo de segu-
b) o processamento, a compensação, e a liqui- rança Secure Sockets Layer (SSL), forma de
dação de pagamentos em qualquer de suas pagamento chamada de Sistema Seguro de
formas; Pagamento
c) a transferência de dados e de outras informa- e) Cheque Eletrônico essa solução é muito fácil e
ções entre os usuários de seus serviços; prática, garantindo que suas transações sejam
d) outras operações e serviços compatíveis com debitadas em conta bancária de forma rápida
as atividades de câmaras e de prestadores de e segura.
serviço de compensação e de liquidação, no
65. Cheque Eletrônico.com:
âmbito do SPB: A operação dos sistemas ou
procedimentos previstos depende de autoriza- a) A melhor conveniência na transações. De um
ção prévia do Banco Central. ponto de atendimento da rede Banco24Horas
e) A CIP poderá firmar acordos e convênios obje- é só fazer operações como saques, extratos,
tivando aprimorar e desenvolver o seu escopo consultas, pagamento de IPVA, licenciamento
social. eletrônico, entre outras.
O cheque eletrônico proporciona maior comodi-
63. A Tecnologia Bancária S.A – TecBan, empresa dade nas operações bancárias, oferece ser-
privada com fins lucrativos localizada na cidade de viço de auto-atendimento bancário de forma
São Paulo, opera a rede de auto-atendimento bancário contínua e com alta tecnologia. Atualmente,
denominada Banco24Horas, bem como uma câmara de
52 instituições financeiras utilizam a rede de
compensação relacionada com operações de varejo,
com liquidação final de obrigações em contas mantidas cheque eletrônico.
no Banco Central do Brasil. Os produtos operados pela b) Cheque Eletrônico.com do mesmo modo que
TecBan são: um cheque-papel, o Cheque Eletrônico.com
é um meio de transferência de fundos entre
a) Banco 24 horas contas-correntes que é feita de forma eletrô-
b) Cheque eletrônico.com nica. Trata-se de uma ferramenta ágil, prática
c) Créditos Diversos e segura de pagamento de compras junto a
d) Cheque eletrônico estabelecimentos comerciais. O pagamento é
efetuado com o cartão bancário, em um pro-
e) Serviço de Clearing TecBan
15
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
cesso de Transferência Eletrônica de Fundos nados tanto pelos sistemas de pagamentos
(TEF). quanto pela movimentação de DOC das agên-
c) Em apenas 30 segundos ocorre a transação cias;
do pagamento com o Cheque Eletrônico, sem b) Integração de grandes empresas clientes do
os inconvenientes de solicitação de dados banco diretamente ao ambiente de TEF;
e conferência de documentos. Isto porque, c) Recebimento de créditos e débitos originados
durante a transação, o sistema confere auto- por outros bancos.
maticamente a validade e o limite do cartão,
d) Códigos de autenticação de mensagem
bem como sua senha.
(MAC), para garantir a integridade e identida-
d) O Cheque Eletrônico é uma solução multi- de da informação;
banco para cartões de débito voltada para
e) Controles de integridade em cada nível do
pagamentos de compras e serviços pela Inter-
processo; Validação do dígito verificador da
net, restrita ao território brasileiro. O Cheque
conta-corrente de destino, por meio de sof-
Eletrônico é baseado no protocolo de segu-
tware específico, garantindo alto índice de
rança Secure Sockets Layer (SSL), forma de
finalização de lançamentos; Mecanismos de
pagamento chamada de Sistema Seguro de
validação dos débitos, confirmando sua legiti-
Pagamento
midade; Arquivo dos registros das transações
e) Cheque Eletrônico essa solução é muito fácil e para consulta por cinco anos.
prática, garantindo que suas transações sejam
debitadas em conta bancária de forma rápida 68. Em 2002, a Tecnologia Bancária S.A. (TecBan)
e segura. concluiu o desenvolvimento e a implementação de sua
Câmara de Compensação para atender aos novos desa-
66. As informações abaixo sobre o Cheque Eletrônico. fios do mercado de varejo eletrônico, após a entrada do
com são absolutamente falsas? novo Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). A partir
deste ano, toda essa infra-estrutura criada pela TecBan
a) Primeiramente, você precisa de uma identi-
para suportar operações de clearing permitirá, entre
ficação e uma senha, conforme com o modo outras soluções, prestar serviços de compensação ao
de operação escolhido pelo seu banco. Ao segmento de transações Business-to-Business (B2B).
realizar suas compras nas loja virtuais você Os serviços agregados são:
deverá clicar na logomarca do Cheque Ele-
trônico.com, escolhendo este meio para o a) Recebimento de créditos e débitos originados
pagamento. por outros bancos.
b) s transações efetuadas com Cheque Eletrô- b) Códigos de autenticação de mensagem
nico pela web são seguras, pois em nenhum (MAC), para garantir a integridade e identida-
momento o estabelecimento comercial terá de da informação;
acesso aos seus dados, que serão processa- c) Controles de integridade em cada nível do
dos dentro de ambiente seguro TecBan. processo; Validação do dígito verificador da
c) Você não irá pagar para a TecBan, mas even- conta-corrente de destino, por meio de sof-
tualmente poderá pagar para o seu banco tware específico, garantindo alto índice de
pela utilização do serviço. finalização de lançamentos; Mecanismos de
d) Há limites para a utilização do Cheque Eletrô- validação dos débitos, confirmando sua legiti-
nico.com, conforme os parâmetros estabele- midade; Arquivo dos registros das transações
cidos pelo seu banco ao seu cartão Cheque para consulta por cinco anos.
Eletrônico (sistema tradicional). d) Complementar ao serviço de clearing, a Tec-
e) O banco é que definirá sua base de clientes Ban realizou pesquisas com potenciais clien-
que poderá utilizar o Cheque Eletrônico.com. tes de seus bancos acionistas e associados,
Informe-se com o seu banco. como empresas do comércio e da indústria, e
constatou que seria de grande valor agregado
67. A Solução para Transferência Eletrônica de Fundos a aliança com prestadores de serviços espe-
(TEF) entre os bancos, o serviço de Créditos Diversos cializados em funções como: certificação digi-
possibilitam otimização dos processos de retaguarda tal, consulta a cadastro e suporte tecnológico.
das instituições financeiras, reduzindo custos e propor- Por isso, foram seladas parcerias estratégicas
cionando melhor atendimento ao cliente. Os processos com as certificadoras CertiSign e Serasa, e
são totalmente automatizados, eliminando o tráfego de com as desenvolvedoras EverSystems e Pa-
papéis, o que confere maior segurança, confiabilidade radigma Solutions, responsáveis pela imple-
e agilidade do serviço -uma vez que as transferências mentação dos padrões tecnológicos da nova
são realizadas no mesmo dia, com a sensibilização da plataforma.
grade do Fechamento Automático de Compensação
do Banco do Brasil (FAC). Atualmente, 12 instituições e) Toda transação pode utilizar-se de um certifi-
financeiras se utilizam do Créditos Diversos. No ano de cado digital, garantindo segurança e privaci-
2001, foram realizadas 5,3 milhões de transações. Os dade das informações trafegadas. O usuário
serviços disponíveis e serviços agregados são: do sistema terá -> disposição uma senha, pela
qual será possível atribuir permissões, estipu-
a) Envio de créditos para outros bancos, origi- lar valores de pagamento e, ainda, definir per-
16
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
fis ou necessidade de mais de uma assinatura d) Cota de Fundo de Investimento em Títulos e
para a realização do pedido de compra. Valores Mobiliários (FITVM e FICFITVM)
e) Título de Desenvolvimento Econômico (TDE)
69. Na liquidação de operações com títulos e valores
mobiliários, além do Banco Central do Brasil, que opera 72. Os Produtos de Captação da CETIP são:
o Sistema Especial de Liquidação e de Custódia -
Selic, atuam a Central de Custódia e de Liquidação a)  Cédula de Debênture (CD) ; Certificado de
Financeira de Títulos – Cetip e a Companhia Brasileira Depósito Bancário (CDB)
de Liquidação e Custódia CBLC b)  CDB subordinado ; Depósito Interfinanceiro
a) A Cetip é uma associação civil sem fins lucra- (DI)
tivos. c)  Letra de Câmbio (LC); Letra Crédito Imobiliário
b) A CBLC, empresa privada com fins lucrativos (LCI)
constituídas sob a forma de sociedade anôni- d)  Letra Hipotecária (LH)
ma. e) Recibo de Depósito Bancário (RDB) ; Recibo
c) A Selic é uma sociedade distribuidora de títu- de Depósito de Cooperativas (RDC)
los e valores mobiliários.
73. Os títulos do Setor Produtivo da CETIP são:
d) As alternativas a e b estão corretas
e) As alternativas c e d estão erradas a)  Certificado a Termo de Energia Elétrica
(CTEE)
70. A CETIP - Central de Custódia e de Liquidação b)  Certificado de Investimento Audiovisual (CIA)
Financeira de Títulos é uma das maiores empresas de
custódia e de liquidação financeira da América Latina e c)  Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)
se constitui em um mercado de balcão organizado para d)  Debênture
registro e negociação de títulos e valores mobiliários e) Export Note e Nota Promissória (Commercial
de renda fixa. Paper)
a) Foi criada em conjunto pelas instituições finan-
74. Os títulos do Setor Público as CETIP são: 
ceiras e o Banco Central, em março de 1986,
para garantir mais segurança e agilidade às a) Certificado de Dívida Pública / INSS (CDP;
operações do mercado financeiro brasileiro. Crédito Securitizado)
b) Oferece o suporte necessário a toda a cadeia b) Certificado Financeiro do Tesouro (CFT); Letra
de operações, prestando serviços integrados Financeira do Tesouro de Estados e Municí-
de Custódia; Negociação On-Line; Registro pios (LFTE-M)
de Negócios; e Liquidação Financeira e provê c) Certificado do Tesouro Nacional (CTN); Título
sistemas e suporte tecnológico para a CIP da Dívida Agrária (TDA)
– Câmara Interbancária de Pagamentos, a
clearing de pagamentos da FEBRABAN. d) Contrato de Crédito contra Terceiros; Títulos
da Secretaria do Tesouro Nacional Indexados
c) A CETIP tem mais de 8.000 participantes, en- -> Taxa SELIC (JSTN)
tre bancos, corretoras, distribuidoras, demais
instituições financeiras, empresas de leasing, e) Cota do Fundo de Desenvolvimento Social
fundos de investimento e pessoas jurídicas (FDS); Título de Alongamento da Dívida Agrí-
não financeiras, tais como seguradoras e fun- cola
dos de pensão.  75. Ao abrir sua conta, o participante que desejar cone-
d) Os mercados atendidos pela CETIP são regu- xão própria de rede recebe códigos e senhas que serão
lados pelo Banco Central e pela CVM – Co- usados para acessar os Sistemas. Tanto o comprador
missão de Valores Mobiliários e, por adesão, quanto o vendedor registram as informações sobre o
seguem os Códigos de Ética e Operacional do negócio. As instituições financeiras estão ligadas ->
Instituto Ethos CETIP através da RTM – Rede de Telecomunicações
para o Mercado. Os negócios só são registrados após
e) Os ativos e contratos registrados na CETIP a checagem dos itens básicos de segurança - códigos
representam quase a totalidade dos títulos de acesso, senha e validade de datas. As informações
e valores mobiliários privados de renda fixa, do comprador e do vendedor são casadas. Se houver
além de derivativos, dos títulos emitidos por qualquer divergência, o sistema rejeitará a operação.
estados e municípios e do estoque de papéis A transferência da titularidade só é efetuada com a dis-
utilizados como moedas de privatização, de ponibilidade dos recursos por parte do comprador -
emissão do Tesouro Nacional. liquidação financeira da operação. A CETIP obedece
estritamente às normas vigentes sobre o sigilo bancá-
71. Os Produtos de Captação da CETIP são: rio. O participante tem acesso somente às informações
a) Cédula de Crédito Bancário (CCB) de caráter público e sobre suas próprias operações. A
segurança é absoluta. A instância máxima de decisões
b) Certificado de Cédula de Crédito Bancário na CETIP, como determina seu Estatuto Social, é o Con-
(CCCB) selho de Administração, formado pelos representantes
c) Cota de Fundo de Investimento Financeiro de cinco entidades do mercado financeiro:
(FIF e FIC)
a) ANDIMA (Associação Nacional das Institui-
17
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
ções do Mercado Aberto) outro para operações com câmbio, os quais
b) FEBRABAN (Federação Brasileira das Asso- atualmente são independentes entre si.
ciações de Bancos) b) A entidade mantém três sistemas de liqui-
c) ABECIP (Associação Brasileira das Entidades dação, um para operações com derivativos,
de Crédito Imobiliário e Poupança) um para operações com swaps e outro para
operações com câmbio, os quais atualmente
d) ANBID (Associação Brasileira dos Bancos de
são independentes entre si.
Investimento)
c) A entidade mantém sistemas de liquidação
e) ACREFI (Associação das Empresas de Inves-
de todos os ativos financeiros, os quais atual-
timento, Crédito e Financiamento)
mente são dependentes entre si.
76. A CBLC foi criada a partir de uma reestruturação d) A entidade está se preparando para liquidar
patrimonial da Bolsa de Valores de São Paulo - B O - também operações com títulos públicos e
VESPA, ocorrida em: privados.
a) Janeiro de 1998. e) A entidade está se preparando para liquidar
b) Fevereiro de 1999. também operações com títulos não governa-
mentais.
c) Março de 2000.
d) Abril de 2002. 80. Na compensação de cheques, tem papel de destaque
____________________, responsável pela operação
e) Maio de 2001. da Centralizadora da Compensação de Cheques e
77. O nascimento da CBLC representou uma resposta Outros Papéis - Compe. As propostas de aperfeiço-
à: amento e demais assuntos relativos a essa área são
preliminarmente examinados por um grupo consultivo
a) necessidade do mercado brasileiro de uma (Grupo Compe), do qual participam representantes
estrutura moderna e eficiente, que compreen- __________________________, ___________________
desse atividades relacionadas -> compensa- e de diversas associações de bancos.
ção, liquidação, custódia e controle de risco
a) Banco do Brasil ; Banco Central do Brasil ;
para o mercado financeiro.
Banco do Brasil
b) de uma nova fase na história do mercado de
b) Banco Central do Brasil ; Banco do Brasil ;
capitais brasileiro.
Banco Central do Brasil
c) necessidade do mercado brasileiro de uma
c) Caixa Econômica Federal ; Banco Central do
grande variedade de instituições fortes e tec-
Brasil ; Banco do Brasil
nicamente estruturadas.
d) Caixa Econômica Federal ; Banco Central do
d) necessidade de constituir-se em uma empresa
Brasil Caixa Econômica Federal
depositária central do mercado de ações no
Brasil, objetivo alcançado quando assumiu o e) Caixa Econômica Federal ; Banco do Brasil ;
controle da Câmara de Liquidação e Custódia Banco do Brasil
- CLC em abril de 2000.
81. Com a crescente utilização de meios eletrônicos
e) necessidade de liquidação de operações de de pagamento, observada nos anos mais recentes, as
todo o mercado brasileiro de ações. empresas emissoras e administradoras de cartões de
crédito e de débito passaram a desempenhar papel mais
78. A CBLC é uma sociedade anônima tendo como ob- importante no sistema de pagamentos, com destaque
jetivo social a prestação de serviços de compensação para:
e liquidação física e financeira de operações realizadas
nos mercados a vista e a prazo da BOVESPA e de outros a) Visa,
mercados, bem como a operacionalização dos sistemas b) Mastercard
de custódia de títulos e valores mobiliários em geral. As
regras gerais da CBLC são definidas por um Conselho
c) American Express
de Administração formado por: d) Credicard
a) 7 membros efetivos e 3 suplentes: e) Diners.
b) 6 representantes dentre os acionistas (4 efeti- 82. Os correios, administrados pela Empresa Brasileira
vos e 2 suplentes); de Correios e Telégrafos - ECT, _______________,
c) 3 representantes da BOVESPA (2 efetivos e 1 têm atuação pouco expressiva no âmbito do sistema de
suplente); e pagamentos, limitando-se a receber, mediante convê-
nios, pagamentos de contas de serviços públicos (água,
d) 1 diretor geral. luz, telefone, etc) e a fazer pequenas transferências de
e) 2 secretários executivos. recursos na forma de vale postal. Recentemente a ECT
disponibilizou suas instalações para o Banco Postal,
79. A Bolsa de Mercadorias e Futuros – BM&F, entidade explorado, por concessão, por um grande banco pri-
civil sem fins lucrativos sediada em São Paulo, é a prin- vado. Utilizando a ampla rede de agências da ECT, o
cipal bolsa do país em operações com derivativos: Banco Postal está levando os serviços bancários para
a) A entidade mantém dois sistemas de liquida- os municípios antes não assistidos pela rede bancária
tradicional.
ção, um para operações com derivativos e
18
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
a) empresa privada b) O sistema processa também a liquidação das
b) empresa mista operações definitivas e compromissadas rea-
lizadas em seu ambiente, observando, a partir
c) empresa pública
de 22 de abril de 2002, o modelo 1 de entrega
d) empresa de utilidade pública contra pagamento, conforme denominação uti-
e) empresa de nacionalidade privada lizada em relatórios do Bank for International
Settlements - BIS (a liquidação final da ponta
83. Assinale Certo ou Errado para as definições a se- financeira e da ponta do título ocorre ao longo
guir: do dia, de forma simultânea, operação por
a) O objetivo maior da BM&F é efetuar o registro, operação).
a compensação e a liquidação, física e finan- c) Todos os títulos são escriturais, isto é, emiti-
ceira, das operações realizadas em pregão ou dos exclusivamente na forma eletrônica.
em sistema eletrônico, bem como desenvolver, d) A liquidação da ponta financeira de cada ope-
organizar e operacionalizar mercados livres e ração é realizada por intermédio do Sistema
transparentes, para negociação de títulos e/ de Transferência de Reservas - STR,
ou contratos que possuam como referência ao qual o Selic não é interligado.
ativos financeiros, índices, indicadores, taxas,
mercadorias e moedas, nas modalidades a e) O sistema, que é gerido pelo Banco Central
vista e de liquidação futura. do Brasil e é por ele operado em parceria
com a Associação Nacional das Instituições
b) O Banco Central do Brasil, mantém local e do Mercado Aberto - Andima, tem seus cen-
sistemas de negociação, registro, compensa- tros operacionais (centro principal e centro de
ção e liquidação adequados -> realização de contingência) localizados na cidade do Rio de
operações de compra e de venda, dotando- Janeiro.
os de todas as facilidades e aprimoramentos
tecnológicos necessários, a fim de divulgar as 85. Assinale Certo ou Errado para as definições a se-
transações com rapidez e abrangência. guir:
c) A BM&F, possui mecanismos para acompa- a) Para comandar operações, os participantes
nhar e regular seus mercados e normas que liquidantes e os participantes responsáveis
asseguram aos participantes de seus merca- por sistemas de compensação e de liquidação
dos o adimplemento das obrigações assumi- encaminham mensagens por intermédio da
das, em face das operações efetuadas em Rede do Sistema Financeiro Nacional -
seus pregões e/ou registradas em quaisquer RSFN, observando padrões e procedimentos
de seus sistemas de negociação, registro, previstos em manuais específicos da rede.
compensação e liquidação. Os demais participantes utilizam outras redes,
d) O órgão regulador do mercado norte-ameri- conforme procedimentos previstos no regula-
cano é - a Commodity Futures Trading mento do sistema.
Commission (CFTC). b) Participam do sistema, na qualidade de titular
e) No âmbito de seu poder de auto-regulação, a de conta de custódia, além do Tesouro Na-
Bolsa estabelece normas visando a preserva- cional e do Banco Central do Brasil, bancos
ção de princípios eqüitativos de negociação e comerciais, bancos múltiplos, bancos de in-
comércio e de elevados padrões éticos para vestimento, caixas econômicas, distribuidoras
as pessoas que nela atuam, direta ou indireta- e corretoras de títulos e valores mobiliários,
mente; regulamenta e fiscaliza as negociações entidades operadoras de serviços de compen-
e as atividades de seus associados; resolve sação e de liquidação, fundos de investimento
questões operacionais; aplica penalidades aos e diversas outras instituições integrantes do
infratores das normas legais, regulamentares Sistema Financeiro Nacional.
e operacionais; concede crédito operacional c) São considerados não liquidantes, responden-
a seus associados, de acordo com seus pro- do indiretamente pela liquidação financeira de
gramas e objetivos; defende seus interesses, operações, além do Banco Central do Brasil,
bem como de seus associados, junto às au- os participantes titulares de conta Reservas
toridades constituídas; e dissemina a cultura Bancárias, incluindo-se nessa situação,
dos mercados de derivativos no País, por obrigatoriamente, os bancos comerciais, os
meio de eventos educacionais, treinamentos bancos múltiplos com carteira comercial e
e publicações. as caixas econômicas, e, opcionalmente, os
bancos de investimento.
84. Assinale Certo ou Errado para as definições a se-
guir: d) Os liquidantes liquidam suas operações por
intermédio de participantes não liquidantes,
a) O Selic - Sistema Especial de Liquida- conforme acordo entre as partes, e operam
ção e de Custódia é o depositário central dos dentro de limites fixados por eles.
títulos emitidos pelo Tesouro Nacional e pelo
Banco do Brasil e nessa condição processa, e) Cada participante liquidante pode utilizar
relativamente a esses títulos, a emissão, o os serviços de mais de um participante não
resgate, o pagamento dos juros e a custódia. liquidante, exceto no caso de operações espe-
19
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
cíficas, previstas no regulamento do sistema, de transferência de fundos.
tais como pagamento de juros e resgate de II - O sistema é de importância fundamental
títulos, que são obrigatoriamente liquidadas principalmente para liquidação de opera-
por intermédio de um não liquidante-padrão ções interbancárias realizadas nos merca-
previamente indicado pelo participante liqui- dos monetário, cambial e de capitais, in-
dante. clusive no que diz respeito -> liquidação de
resultados líquidos apurados em sistemas
86. Assinale Certo ou Errado para as definições a se-
guir: de compensação e liquidação operados
por terceiros.
a) Os participantes não-liquidantes são classi- a) Somente a I é correta
ficados como autônomos ou como subordi-
nados, conforme registrem suas operações b) Somente a II é correta
diretamente ou o façam por intermédio de seu c) I está correta e a II está incorreta
liquidante-padrão. d) I está incorreta e II está correta
b) Os fundos de investimento são normalmente e) I e II estão incorretas
subordinados e as corretoras e distribuidoras,
normalmente autônomas. As entidades res- 88. Sistema de Transferência recursos:
ponsáveis por sistemas de compensação e de I - As ordens de transferência de fundos po-
liquidação são obrigatoriamente participantes dem ser emitidas pelos participantes em
autônomos. nome próprio ou por conta de terceiros,
c) São participantes subordinados as sociedades a favor do participante destinatário ou de
seguradoras, as sociedades de capitalização, cliente do participante destinatário, sendo
as entidades abertas de previdência, as enti- que, por acordo entre os participantes,
dades fechadas de previdência e as ressegu- atualmente está sendo observado o limite
radoras locais. O sistema conta com cerca de mínimo de R$15 (quinze) mil por transfe-
4.900 participantes (dez/02). rência.
d) Tratando-se de um sistema de liquidação em II - A transferência de fundos é consi-
tempo real, a liquidação de operações é sem- derada final, isto é irrevogável e incon-
pre condicionada -> disponibilidade do título dicional, no momento em que feitos os
negociado na conta de custódia do vendedor correspondentes lançamentos nas contas
e -> disponibilidade de recursos por parte do de liquidação (contas Reservas Bancárias,
comprador. Conta Única do Tesouro Nacional e contas
e) Se a conta de custódia do vendedor não apre- mantidas no Banco Central do Brasil por
sentar saldo suficiente de títulos, a operação entidades operadoras de sistemas de com-
é mantida em pendência pelo prazo máximo pensação e de liquidação). O participante
de 30 minutos ou até 12h, o que ocorrer pri- destinatário é informado da transferência
meiro (não se enquadram nessa restrição as de fundos apenas no momento em que
operações de venda de títulos adquiridos em ocorre sua liquidação.
leilão primário realizado no dia). A operação a) Somente a I é correta
só é encaminhada ao STR para liquidação da b) Somente a II é correta
ponta financeira após o bloqueio dos títulos
negociados, sendo que a não liquidação por c) I está correta e a II está incorreta
insuficiência de fundos implica sua rejeição d) I está incorreta e II está correta
pelo STR e, em seguida, pelo Selic. e) I e II estão incorretas
Para responder as questões de 87 a 101, considere as 89. Sistema de Transferência recursos:
seguintes possibilidades:
I - Na emissão de uma ordem de transferência
a) Somente a I é correta de fundos, o participante determina seu ní-
b) Somente a II é correta vel de preferência para fins de liquidação,
que pode ser, em ordem decrescente, “A”,
c) I está correta e a II está incorreta “B”, “C” ou “D”.
d) I está incorreta e II está correta II - O nível de preferência “A” é aplicável ex-
e) I e II estão incorretas clusivamente às ordens de transferência
de fundos relacionadas com saques e
87. Sistema de Transferência recursos: depósitos de numerário e com a liquida-
ção de resultados financeiros apurados
I - O STR é um sistema de transferência de em outros sistemas de compensação e de
fundos com liquidação bruta em tempo liquidação, cujas entidades operadoras
real (LBTR), operado pelo Banco Central possuam conta de liquidação no Banco
do Brasil, que funciona com base em or- Central do Brasil. Quando não indicada a
dens de crédito, isto é, somente o titular da preferência, o STR assume o menor nível
conta a ser debitada pode emitir a ordem (“D”).
20
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
a) Somente a I é correta compensação e de liquidação que operem
b) Somente a II é correta sistemas considerados sistemicamente
importantes.
c) I está correta e a II está incorreta
II - As entidades responsáveis por sistemas
d) I está incorreta e II está correta
não considerados sistemicamente im-
e) I e II estão incorretas portantes participam opcionalmente do
STR. A Secretaria do Tesouro Nacional
90. Sistema de Transferência recursos:
- STN também participa do sistema,
I - A ordem de transferência de fundos é sub- sendo liquidadas pelo STR, entre outras,
metida -> liquidação no momento de seu transferências de fundos relacionadas com
vencimento pelo STR, sendo encaminhada recolhimentos de impostos ao Tesouro Na-
para fila de esfera se ocorrer qualquer uma cional e com o pagamento de despesas do
das seguintes hipóteses: (i) insuficiência governo federal. No final de dezembro de
de recursos na conta de liquidação do par- 2002, participavam do STR, além do Banco
ticipante emitente; (ii) existência de outra Central do Brasil e da STN, 142 instituições
ordem de transferência de fundos em fila titulares de contas Reservas Bancárias e
de espera, do mesmo participante, com seis entidades operadoras de sistemas de
nível de prioridade igual ou superior. compensação e de liquidação.
II - O enfileiramento se aplica às ordens de a) Somente a I é correta
transferência de fundos relacionadas b) Somente a II é correta
com o Selic, bem como àquelas emitidas
c) I está correta e a II está incorreta
por entidades operadoras de sistemas
de compensação e de liquidação. Nesses d) I está incorreta e II está correta
casos, havendo insuficiência de fundos, e) I e II estão incorretas
as ordens de transferência de fundos são
imediatamente rejeitadas pelo STR. 93. Sistema de Transferência recursos:
a) Somente a I é correta I - A utilização do STR não sujeita o partici-
b) Somente a II é correta pante ao pagamento de tarifa, cujo preço
é fixado pelo Banco Central do Brasil com
c) I está correta e a II está incorreta
o objetivo de recuperação de custos (co-
d) I está incorreta e II está correta bertura dos custos de implantação e de
e) I e II estão incorretas operação do sistema).
II - A tarifa básica é cobrada das duas pontas
91. Sistema de Transferência recursos:
da ordem de transferência de fundos, isto
I - As ordens mantidas em fila de espera são é, do participante emissor e do participante
ordenadas, por participante, com base destinatário. A tarifa é reduzida para a me-
no nível de preferência de cada ordem e, tade de seu valor integral, se a liquidação
quando apresentarem o mesmo nível de da transferência de fundos ocorrer até 8h.
preferência, na cronologia do recebimento a) Somente a I é correta
de cada uma delas.
b) Somente a II é correta
II - Como regra geral, uma ordem mantida em
c) I está correta e a II está incorreta
fila de espera pode ser liquidada antes
daquela que a antecede, isto é, o processa- d) I está incorreta e II está correta
mento da fila é feito com base no princípio e) I e II estão incorretas
“primeiro que entra primeiro que sai”. Para
evitar situações de travamento no fluxo 94. Sistema de Transferência recursos:
de pagamentos, o Banco Central do Brasil I - O STR é colocado -> disposição dos par-
pode acionar, se e quando julgar necessá- ticipantes, para registro e liquidação de
rio, rotina de otimização do processo de ordens de transferência de fundos, em
liquidação. alguns dias considerados úteis para fins
a) Somente a I é correta de operações praticadas no mercado finan-
b) Somente a II é correta ceiro.
c) I está correta e a II está incorreta II - O horário regular de funcionamento é das
8h30 às 16h30 (horário de Brasília), sendo
d) I está incorreta e II está correta
que o registro de ordens de transferência
e) I e II estão incorretas de fundos a favor de cliente só é permitido
até 17h30.
92. Sistema de Transferência recursos:
a) Somente a I é correta
I- Participam obrigatoriamente do STR, além
b) Somente a II é correta
do Banco Central do Brasil, as instituições
titulares de conta Reservas Bancárias e c) I está correta e a II está incorreta
as entidades prestadoras de serviços de d) I está incorreta e II está correta
21
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) I e II estão incorretas e compensação bruta em tempo real, nas
operações com títulos negociadas no mer-
95. Central de Custódia e Liquidação Financeira - cado primário. Entrega conta pagamento (a
Cetip: entrega do ativo e o correspondente paga-
I - A Cetip é depositária principalmente de mento são mutuamente condicionados e
títulos de renda fixa privados (Certificados ocorrem no mesmo momento) é observada
de Depósito Bancário - CDB, Re- em todas as operações com títulos.
cibos de Depósito Bancários - RDB, a) Somente a I é correta
Depósitos Interfinanceiros - DI, Letras de b) Somente a II é correta
Câmbio - LC, Letras Hipotecárias -
LH, debêntures e commercial papers, entre c) I está correta e a II está incorreta
outros), títulos públicos estaduais e muni- d) I está incorreta e II está correta
cipais e títulos representativos de dívidas e) I e II estão incorretas
de responsabilidade do Tesouro Nacional,
de que são exemplos os relacionados com 98. Se algum banco liquidante não confirmar o paga-
empresas estatais extintas, com o Fundo mento de participante a ele vinculado, ou se houver
de Compensação de Variação Salarial - inadimplência de banco liquidante, a compensação
FCVS, com o Programa de Garantia da Ati- multilateral é re-processada, com possível extensão
vidade Agropecuária - Proagro e com da janela de liquidação, na forma do regulamento da
a dívida agrária (TDA). Cetip.
II - Na qualidade de depositária, a entidade I - No primeiro caso (não confirmação de pa-
processa a emissão, o resgate e a custódia gamento), o novo resultado multilateral é
dos títulos, bem como, quando é o caso, o calculado com a simples exclusão das ope-
pagamento dos juros e demais eventos a rações do participante cuja posição deixou
eles relacionados. de ser confirmada pelo banco liquidante.
a) Somente a I é correta II - No segundo (inadimplência de banco liqui-
b) Somente a II é correta dante), além da exclusão das operações
próprias do inadimplente, os participantes
c) I está correta e a II está incorreta a ele vinculados devem indicar novo banco
d) I está incorreta e II está correta liquidante para liquidação de suas opera-
e) I e II estão incorretas ções.
a) Somente a I é correta
96. Central de Custódia e Liquidação Financeira -
Cetip: b) Somente a II é correta
c) I está correta e a II está incorreta
I - Com poucas exceções, os títulos são emiti-
dos escrituralmente, isto é, existem apenas d) I está incorreta e II está correta
sob a forma de registros eletrônicos (os e) I e II estão incorretas
títulos emitidos em papel são fisicamente
custodiados por bancos autorizados). As 99. A liquidação financeira final é realizada via Sistema
operações com esses títulos são realiza- de Transferência de Reservas - STR em contas de liqui-
dação mantidas no Banco Central do Brasil (excluem-se
das no mercado de balcão, incluindo aque-
da liquidação via STR as posições bilaterais de parti-
las realizadas por intermédio do CetipNet cipantes que têm conta no mesmo banco liquidante).
(sistema eletrônico de negociação). Podem participar da Cetip:
II - Conforme o tipo de operação e o horário
em que realizada, a liquidação é em D ou I - Bancos comerciais, bancos múltiplos, cai-
D+1. xas econômicas, bancos de investimento,
bancos de desenvolvimento, sociedades
a) Somente a I é correta corretoras de valores, sociedades distri-
b) Somente a II é correta buidoras de valores, sociedades corretoras
c) I está correta e a II está incorreta de mercadorias e de contratos futuros, em-
d) I está incorreta e II está correta presas de leasing, companhias de seguro,
bolsas de valores, bolsas de mercadorias
e) I e II estão incorretas e futuros, investidores institucionais, pes-
97. Central de Custódia e Liquidação Financeira - soas jurídicas não financeiras, incluindo
Cetip: fundos de investimento e sociedades de
previdência privada, investidores estran-
I - As operações no mercado primário, en- geiros,
volvendo títulos registrados na Cetip, são II - Outras instituições também autoriza-
geralmente liquidadas com compensação das a operar nos mercados financeiro e de
multilateral de obrigações (a Cetip não atua capitais.
como contraparte central).
a) Somente a I é correta
II - Compensação bilateral é utilizada na li-
quidação das operações com derivativos b) Somente a II é correta

22
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
c) I está correta e a II está incorreta c) com títulos públicos (mercado -> vista, opera-
d) I está incorreta e II está correta ções definitivas e compromissadas).
e) I e II estão incorretas d) com títulos de renda variável (mercados ->
vista e de opções).
100. Os participantes não titulares de conta Reservas e) com títulos derivativos (mercado swaps)
Bancárias liquidam suas obrigações por intermédio
de instituições que são titulares de contas da espé- 104. A BVRJ opera:
cie. A Cetip contava com cerca de 4.400 participantes
(dez/02). a) com títulos de renda variável (mercados ->
vista e de derivativos - opções, termo e futu-
I - A entidade mantém dois centros de proces- ro)
samento (centro principal e centro secun-
b) com títulos privados de renda fixa (mercado
dário).
-> vista, operações definitivas e, no futuro,
II - Em situações de contingência, o proces- compromissadas).
samento pode ser retomado no centro
c) com títulos públicos (mercado -> vista, opera-
secundário, que funciona em hot standby,
ções definitivas e compromissadas).
em menos de uma hora.
d) com títulos de renda variável (mercados ->
a) Somente a I é correta
vista e de opções).
b) Somente a II é correta
e) com títulos derivativos (mercado swaps)
c) I está correta e a II está incorreta
d) I está incorreta e II está correta 105. Na Soma, que é um mercado de balcão organizado,
são realizadas operações:
e) I e II estão incorretas
a) com títulos de renda variável (mercados ->
101. Para registro das operações é utilizada: vista e de derivativos - opções, termo e futu-
I - a Rede de Telecomunicações para o Mer- ro)
cado - RTM, enquanto a Rede do b) com títulos privados de renda fixa (mercado
Sistema Financeiro Nacional - RSFN -> vista, operações definitivas e, no futuro,
é utilizada para tráfego das mensagens re- compromissadas).
lacionadas com a etapa de liquidação das c) com títulos públicos (mercado -> vista, opera-
operações. ções definitivas e compromissadas).
II - Em todas as situações, o processamento é d) com títulos de renda variável (mercados ->
todo automatizado, isto é, sem intervenção vista e de opções).
manual entre o registro e a liquidação das e) com títulos derivativos (mercado swaps)
operações (straight through processing).
a) Somente a I é correta 106. A CBLC atua também como depositária central
de ações e de títulos de dívida corporativa, além de
b) Somente a II é correta
operar programa de empréstimo sobre esses títulos.
c) I está correta e a II está incorreta Como instituição depositária, a CBLC mantém contas
d) I está incorreta e II está correta individualizadas, o que permite a identificação do in-
e) I e II estão incorretas vestidor final das operações realizadas. Normalmente
a liquidação é feita com compensação multilateral
102. A CBLC - Companhia Brasileira de Liquidação e de obrigações, sendo que, em situações específicas
Custódia liquida operações realizadas no âmbito da: previstas no regulamento de operações, pode ser feita
em tempo real, operação por operação. Quando faz
a) Bolsa de Valores de São Paulo - B O - compensação multilateral de obrigações, a CBLC atua
VESPA como contraparte central e assegura a liquidação das
b) Bolsa de Valores do Rio de Janeiro - BVRJ operações entre os agentes de compensação. A liqui-
dação financeira final é feita sempre por intermédio
c) Sociedade Operadora do Mercado de Ativos do STR - Sistema de Transferência de Reservas,
- SOMA em contas mantidas:
d) Bolsa de Valores de Minas Gerais -
BVMG a) Banco do Brasil ;
e) Sociedade Corretora do Mercado de Ativos - b) Banco Central do Brasil ;
SCMA c) Caixa Econômica Federal ;
d) Banco Nacional do Desenvolvimento Social
103. Na Bovespa são realizadas operações:
e) Banco Mundial
a) com títulos de renda variável (mercados ->
vista e de derivativos - opções, termo e futu- 107. Nas operações de compra e venda de títulos, a
ro) CBLC observa o modelo 3 de entrega contra paga-
mento, conforme nomenclatura utilizada em relatórios
b) com títulos privados de renda fixa (mercado
publicados pelo Bank for International Settlement - BIS
-> vista, operações definitivas e, no futuro, (liquidação final de títulos e fundos com base em posi-
compromissadas). ções líquidas no final de cada ciclo). A transferência de
23
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
custódia, no caso dos títulos de renda variável e dos secundário funciona em hot standby (em situações de
títulos privados de renda fixa, é feita diretamente: contingência, as operações podem ser retomadas em
menos de duas horas). As operações são registradas:
a) na Selic b) na Cetip
c) no Compe d) no STR e) na a) Em sistemas próprios dos ambientes de ne-
CBLC gociação (Megabolsa e Bovespa Fix, da Bo-
vespa, respectivamente para títulos de renda
108. No caso das operações com títulos públicos, a trans- variável e títulos privados de renda fixa;
ferência de custódia é feita ______________________, b) Sisbex da BVRJ, para títulos públicos;
na forma da sistemática operacional prevista no cor-
respondente regulamento. c) Somatrade da Soma), sendo informadas para
a CBLC em tempo real.
a) na Compe b) na Cetip d) No ciclo operacional de cada dia, é observada
c) no Selic d) no STR e) na a seguinte grade horária (principais eventos):
CBLC e) Todas acima estão incorretas
109. O dia da liquidação depende do tipo de mercado e 112. Na cadeia de responsabilidades, a CBLC garante a
do momento em que a operação é registrada, conforme liquidação das obrigações de um agente de compensa-
resumido a seguir: (1) As operações compromissadas ção em relação aos demais agentes de compensação.
são sempre contratadas pelo prazo de um dia, com Os agentes de compensação, a seu turno, respondem
registro automático da operação de volta para liquida- pela eventual inadimplência das corretoras a eles vin-
ção em D+1. (2) Os ajustes diários são liquidados em culadas e essas pela inadimplência de seus clientes.
D+1. (3) Liquidação dos prêmios negociados (no caso Como regra geral de funcionamento, todos os agentes
de exercício da opção, é observado o ciclo normal de de compensação devem:
liquidação do mercado -> vista).
a) Depositar garantias para cobertura dos riscos
a) (1) refere-se operações compromissadas de das posições sob sua responsabilidade.
Títulos Públicos e Privados de Renda Fixa
b) Apresentar carta de fiança locatícia dos riscos
b) (2) refere-se a operações de renda variável das posições sob sua responsabilidade.
no mercado de futuros
c) Com base nas garantias previamente deposi-
c) (3) refere-se a operações de renda variável no tadas, a CBLC atribui limite operacional para
mercado de opções cada agente de compensação, sendo que
d) (1) e (2) referem-se a operações -> vista de cada um deles, seguindo critérios próprios de
Títulos Públicos e Privados de Renda Fixa avaliação, deve distribuir o limite recebido da
e) (2) e (3) referem-se a operações de renda CBLC entre as corretoras e clientes qualifica-
variável -> vista e a termo dos a ele vinculados.
d) Com base na carta de fiança, a CBLC atri-
110. Participam do sistema, como agentes de compen-
bui limite operacional para cada agente de
sação, bancos e corretoras e distribuidoras de títulos
e valores mobiliários.
compensação, sendo que cada um deles,
seguindo critérios próprios de avaliação, deve
a) Os agentes de compensação são divididos em distribuir o limite recebido da CBLC entre as
duas categorias: agentes próprios e agentes corretoras e clientes qualificados a ele vincu-
pleno. lados.
b) Os primeiros liquidam apenas negócios por e) O limite operacional pode ser dividido entre
eles conduzidos em nome próprio ou de os diferentes mercados.
clientes, incluindo empresas do mesmo grupo
econômico e fundos de investimentos por eles 113. Para o cálculo de margem das posições nos
administrados. mercados de derivativos e de empréstimo de ativos,
a CBLC:
c) Os agentes plenos liquidam, adicionalmente,
operações conduzidas por terceiros (outras a) Utiliza o sistema CM-TIMS desenvolvido pela
corretoras e clientes qualificados, tais como The Options Clearing Corporation - OCC.
fundos de investimento, fundos de pensão, b) A cobertura dos riscos calculados se dá pe-
seguradoras, etc). los depósitos de garantias realizados pelos
d) Para liquidar suas posições financeiras, o investidores finais detentores das respectivas
participante não-banco deve obrigatoriamente posições.
utilizar os serviços de uma instituição titular c) No processo de gerenciamento de riscos, é
de conta Reservas Bancárias, na forma de utilizado, entre outros, o aplicativo RiskWatch,
contrato firmado entre eles. desenvolvido pela Algorithimcs Incorporated
e) Em dez/2002, a CBLC contava com 86 agen- e adaptado para as condições do mercado
tes de compensação, sendo 44 agentes ple- financeiro nacional.
nos e 42 agentes próprios. d) Em especial, o Risk Watch é utilizado para
monitoramento dos limites operacionais
111. A CBLC conta com dois centros de processamento
(metodologia da Simulação Histórica) e para
localizados na cidade de São Paulo, sendo que o centro
determinação do valor do fundo de liquidação
24
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
necessário para cobrir eventual inadimplência pela câmara. Em cada ciclo de liquidação, as posições
dos dois agentes de compensação que apre- compensadas são liquidadas:
sentem os maiores valores em risco (metodo- a) em títulos do governo, nas contas Reservas
logia de Cenários de Estresse). Bancárias mantidas pelos participantes no
e) O fundo de liquidação, cuja atualização é feita Banco Central do Brasil, promovendo-se as
em bases mensais, é formado por contribui- necessárias transferências de fundos por
ções dos agentes de compensação, propor- intermédio do Sistema de Transferência de
cionais aos riscos das posições sob responsa- Reservas – STR.
bilidade de cada um, e por uma contribuição b) em moeda nacional, em contas mantidas
institucional da CBLC. pelos participantes junto a bancos corres-
114. Para cumprir a liquidação em situação de inadim- pondentes em Nova Iorque, sendo que as
plência de participante, a CBLC utiliza os seguintes transferências de fundos podem ser feitas
recursos, na ordem indicada: entre contas correntes de um mesmo banco
correspondente (book transfers), quando a
a) recursos obtidos com a execução de garantias câmara e o participante tiverem contas no
depositadas pelo agente de compensação mesmo banco, ou, quando as transferências
inadimplente ou por investidor a ele vincula- envolverem bancos diferentes, por intermédio
do; do Fedwire, um sistema de transferência de
b) recursos do fundo de liquidação correspon- fundos operado pelo Federal Reserve Bank -
dentes -> participação do agente de compen- Fed, com liquidação em tempo real, operação
sação inadimplente; por operação.
c) recursos do fundo de liquidação correspon- c) em moeda nacional, nas contas Reservas
dentes -> contribuição institucional da CBLC; Bancárias mantidas pelos participantes no
d) recursos do fundo de liquidação correspon- Banco Central do Brasil, promovendo-se as
dentes -> participação dos demais agentes de necessárias transferências de fundos por
compensação; intermédio do Sistema de Transferência de
Reservas – STR.
e) recursos do patrimônio especial da CBLC.
d) em dólar americano, em contas mantidas
115. A Bolsa de Mercadorias e Futuros - B M&F opera pelos participantes junto a bancos corres-
sistema de liquidação de operações de câmbio contra- pondentes em Nova Iorque, sendo que as
tadas no mercado interbancário, que entrou em funcio- transferências de fundos podem ser feitas
namento em 22.4.2002. As obrigações correspondentes entre contas correntes de um mesmo banco
são compensadas multilateralmente e a BM&F atua correspondente (book transfers), quando a
como contraparte central. Na atualidade são aceitas câmara e o participante tiverem contas no
apenas operações envolvendo o dólar americano e o mesmo banco, ou, quando as transferências
prazo de liquidação é quase sempre: envolverem bancos diferentes, por intermédio
a) D + 1. do Fedwire, um sistema de transferência de
b) D + 3. fundos operado pelo Federal Reserve Bank -
Fed, com liquidação em tempo real, operação
c) D + 2. por operação.
d) D + 0. e) em euros, em contas mantidas pelos partici-
e) D + n data do vencimento. pantes junto a bancos correspondentes em
Londres, sendo que as transferências de fun-
116. O sistema observa o princípio do “pagamento dos podem ser feitas entre contas correntes
contra pagamento” (a entrega da moeda nacional e a
de um mesmo banco correspondente (book
entrega da moeda estrangeira são mutuamente con-
transfers), quando a câmara e o participante
dicionadas), sendo que, para isso, a BM&F monitora
e coordena o processo de liquidação nas pontas em tiverem contas no mesmo banco, ou, quando
moeda nacional e em moeda estrangeira. A liquidação as transferências envolverem bancos diferen-
das operações é assegurada até certo nível de volatili- tes.
dade, estatisticamente estimado pela câmara com nível
118. Para limitar sua exposição aos riscos de liquidação,
de confiança de:
a câmara estabelece limites operacionais para os parti-
a) 95%. cipantes, bem como exige garantias, principalmente na
b) 90%. forma de títulos públicos federais, para cobrir a volati-
lidade da taxa de câmbio até o nível em que a câmara
c) 85%. assegura a liquidação da operação. A entidade conta
d) 99%. com linhas de liquidez contratadas:
e) 100%. a) em moeda nacional a qual lhe dá condições
de concluir o ciclo de liquidação mesmo no
117. No caso de inadimplência de uma das contrapartes
caso de inadimplência dos dois participantes
originais, a parte adimplente tem uma perda máxima
correspondente, portanto, -> variação da taxa de
com a maior posição devedora e ainda que
câmbio que exceder o limite de volatilidade garantido não seja possível realizar de imediato, quando
for o caso, os ativos que garantem essa posi-
25
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
ção. c) Quando feitas na forma bruta, isto é, opera-
b) em moeda estrangeira a qual lhe dá condições ção por operação, as liquidações da ponta
de concluir o ciclo de liquidação mesmo no em reais e em dólares são feitas diretamente
caso de inadimplência dos cinco participantes entre as partes contratantes, por intermédio
com a maior posição devedora e ainda que as SELIC, em reais, e não diretamente entre
não seja possível realizar de imediato, quando bancos correspondentes no exterior, em mo-
for o caso, os ativos que garantem essa posi- eda nacional.
ção. d) Por opção das partes contratantes, a liquida-
c) em moeda nacional e estrangeira, as quais ção das operações pode ser feita por valor
lhe dão condições de concluir o ciclo de liqui- bruto, na Câmara, ou bruto, fora da Câmara.
dação mesmo no caso de inadimplência dos c) Quando feitas na forma bruta, isto é, opera-
três participantes com a maior posição deve- ção por operação, as liquidações da ponta
dora e ainda que não seja possível realizar em reais e em dólares são feitas diretamente
de imediato, quando for o caso, os ativos que entre as partes contratantes, por intermédio
garantem essa posição. do STR, em reais, e diretamente entre bancos
d) títulos da divida agraria a qual lhe dá condi- correspondentes no exterior, em dólares.
ções de concluir o ciclo de liquidação mesmo
121. O registro inicial no Banco Central do Brasil é feito
no caso de inadimplência dos três participan- pela parte compradora da moeda estrangeira, com con-
tes com a maior posição devedora e ainda firmação pela parte vendedora no prazo limite de uma
que não seja possível realizar de imediato, hora no caso de liquidação bruta em tempo real, ou de
quando for o caso, os ativos que garantem meia hora no caso de liquidação pela BM&F Câmbio.
essa posição. A aceitação da operação pela câmara, para fins de
e) títulos públicos, as quais lhe dão condições de liquidação, observa processo automático de análise
concluir o ciclo de liquidação mesmo no caso que leva em conta:
de inadimplência dos cinco participantes com a) a posição líquida já contratada de cada parti-
a maior posição devedora e ainda que não cipante,
seja possível realizar de imediato, quando
for o caso, os ativos que garantem essa posi- b) os respectivos limites operacionais,
ção. c) as garantias por eles oferecidas e ainda não
comprometidas,
119. Podem participar da câmara, sujeitos -> avaliação d) as necessárias para cobrir a volatilidade da
dela, os bancos e as sociedades corretoras de câm-
taxa de câmbio até o limite garantido pela
bio:
câmara,
a) O participante necessariamente deve ser e) a razoabilidade da taxa de câmbio contratada
titular de conta Reservas Bancárias na Caixa em comparação com a taxa média que está
Econômica Federal do Brasil. sendo praticada no mercado.
b) Os participantes não titulares de conta Re-
serva Bancárias liquidam suas operações, na 122. Se uma operação é contratada fora da faixa de
moeda estrangeira, por intermédio de outro preços considerada normal (taxa média de mercado
participante, conforme contrato entre as par- com variação para cima e para baixo equivalente ->
tes. volatilidade máxima garantida pela câmara) sua acei-
tação é:
c) Os participantes classificam-se em “partici-
pante-membro” e “participante não-membro”, a) Condicionada -> apresentação de garantias
conforme eles sejam ou não detentores de extras pelos participantes.
título patrimonial da BM&F. b) Os ativos dados em garantia pelos participan-
d) O participante necessariamente deve ser ti- tes são marcados a mercado mensalmente.
tular de conta Reservas Bancárias no Banco c) Condicionada -> apresentação de aval e carta
Central do Brasil. de fiança extras dos participantes.
e) Os participantes não titulares de conta Re- d) Os ativos dados em garantia pelos participan-
serva Bancárias liquidam suas operações, na tes são marcados a mercado diariamente.
moeda nacional, por intermédio de outro par- e) Os itens b e c estão incorretos.
ticipante, conforme contrato entre as partes.
123. No encerramento da sessão de contratação do
120. Na atualidade, as operações interbancárias de dia anterior, a câmara comunica aos participantes as
câmbio são realizadas: respectivas posições líquidas para liquidação no dia
a) Exclusivamente no mercado de balcão, com seguinte. No dia da liquidação, os participantes com
registro obrigatório no Banco Central do Bra- posições líquidas devedoras, em moeda nacional e em
sil. moeda estrangeira:
b) Por opção das partes contratantes, a liquida- a) devem transferir os correspondentes recursos
ção das operações pode ser feita por valor lí- para a câmara até 13h5 (horário de Brasília).
quido, na Câmara, ou bruto, fora da Câmara. No caso da moeda nacional, as transferên-
cias são efetuadas para a conta de liquidação
26
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
da câmara no Banco Central do Brasil, por estrangeira e houver apreciação da taxa de
intermédio do STR, e, no caso da moeda es- câmbio, a câmara realizará garantias dadas
trangeira, para a conta da câmara no banco pela parte que veio a inadimplir, no quanto
correspondente que ela indicar. necessário para cobertura da variação de
b) Às 14h5 a câmara promove as transferências taxa de câmbio desfavorável ao participante
de fundos para os participantes com posições adimplente, observado o limite da volatilidade
líquidas credoras, isto é, as transferências em garantido pela câmara.
reais, por intermédio do STR, para os partici- e) Em qualquer situação, na própria data de liqui-
pantes com posição vendedora líquida de mo- dação contratada, a parte adimplente recebe
eda estrangeira, e as transferências em dólar os recursos que lhe são devidos, sendo que,
americano para os participantes com posição se houver necessidade, a câmara recorre às
compradora líquida nessa moeda, utilizando, linhas de crédito previamente contratadas, em
para comandar as transferências no exterior, reais ou em dólares, conforme o caso.
mensagens Swift para seus bancos corres-
pondentes. 125. Na BM&F são negociados:
c) Se deixar de cumprir alguma obrigação finan- a) contratos -> vista,
ceira, isto é, se deixar de entregar a quantida- b) a termo,
de devida de reais ou de moeda estrangeira,
c) de futuros,
conforme seja comprador ou vendedor líquido
de moeda estrangeira, o participante é consi- d) de opções e
derado devedor operacional ou inadimplente, e) de swaps .
conforme, na avaliação da câmara, o fato te-
nha decorrido de problemas operacionais ou 126. Os principais contratos são referenciados a taxas
de incapacidade financeira. de juros, taxas de câmbio, índices de preços e índices
do mercado acionário.As obrigações financeiras rela-
d) Em qualquer situação, o problema deve ser cionadas com esses contratos são liquidadas por inter-
solucionado no máximo até 15h30 do mesmo médio de um sistema de compensação e de liquidação
dia. operado pela própria BM&F, no que, em sua estrutura
e) O participante em situação irregular, nas duas interna, é denominada:
situações (devedor operacional e inadimplen- a) Câmara de Registro.
te), deixa de receber o montante em moeda
que lhe seria devido, sendo que a câmara utili- b) Câmara de Títulos.
za os recursos recolhidos pela parte adimplen- c) Compensação e Liquidação de Operações
te para a necessária compra de moeda, isto é, com Derivativos BM&F.,
de reais ou de dólares conforme a contraparte d) Câmara de Liquidativos como é mais conhe-
adimplente seja, na operação original, vende- cida no mercado.
dora ou compradora de moeda estrangeira.
e) Câmara de Derivativos como é mais conheci-
124. Essa compra de moeda é feita em caráter defi- da no mercado.
nitivo ou com compromisso de revenda, conforme o
participante em situação irregular seja considerado 127. É um sistema com compensação multilateral
inadimplente ou devedor operacional. de obrigações, sendo que a liquidação das posições
líquidas diariamente apuradas é feita em D+1, por
a) Para que a compra seja efetuada na forma intermédio do Sistema de Transferência de Reservas
compromissada, sujeita, portanto, -> reversão, - STR, em contas mantidas no Banco Central do
o participante considerado devedor opera- Brasil. A BM&F atua como contraparte central e garante
cional deve recolher -> câmara, até 13h15, a liquidação das posições líquidas dos membros de
o valor referente ao custo dessa operação (o compensação. Na cadeia de responsabilidades:
recolhimento é sempre feito em reais e por a) Cada corretora se responsabiliza pelas posi-
intermédio do STR). ções dos seus clientes finais;
b) Em qualquer situação, a compra de moeda b) Cada membro de compensação se respon-
é feita junto ao banco que oferecer a melhor sabiliza pelas posições das corretoras rela-
proposta, entre aqueles previamente contrata- cionadas a ele, bem com pelas posições dos
dos pela câmara. clientes finais que operam diretamente com
c) A compra com compromisso de revenda ele;
passará a ser definitiva se a contraparte c) Cada instituição liquidante se responsabiliza
inadimplente, inicialmente declarada devedor pelas posições dos membros de compensa-
operacional, não regularizar a situação até o ção relacionados a ele; e
horário limite para isso determinado.
d) A Câmara de Derivativos se responsabiliza
d) Se o movimento da taxa de câmbio assim pelas posições consolidadas dos membros de
determinar, isto é, na hipótese da parte adim- compensação, isto é, responde pelos riscos
plente ser a compradora da moeda estrangei- de liquidação de um membro de compen-
ra e houver depreciação da taxa de câmbio, sação em relação aos demais membros de
ou se essa parte for a vendedora da moeda compensação.
27
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) A câmara registra também operações com é atendida principalmente por:
derivativos realizadas em mercado de balcão,
a) depósito em dinheiro, títulos públicos fede-
cuja liquidação pode ou não ser garantida con-
rais,
forme opção das partes contratantes. Quando
essas operações são garantidas, a câmara b) ações da carteira teórica do Ibovespa,
também atua como contraparte central. Se c) certificados de depósito bancário,
não garantidas, as operações são liquidadas d) certificados de ouro custodiados na própria
diretamente entre as partes contratantes. BM&F.
128. São considerados participantes diretos da Câmara e) Nenhuma acima
de Derivativos:
132. Normalmente a chamada de margem é atendida
a) os membros de compensação, em D + 1, mas a câmara tem, por regulamento, a prer-
b) os bancos liquidantes rogativa de chamar margem adicional intradia, se e
quando julgar necessário. Também com o propósito
c) as cooperativas de gerenciar sua exposição aos riscos de liquidação, a
d) as corretoras que atuam na BM&F. BM&F fixa limites de posições em aberto e de oscilação
e) as sociedades de títulos e valores imobiliá- de preços. Os sistemas de gerenciamento de risco são
rios desenvolvidos internamente:
a) Para mensurar o risco de cada contrato, a
129. Os membros de compensação, participantes espe-
câmara o decompõe em fatores primitivos de
ciais no sentido de que têm papel de destaque na linha
de responsabilidades do sistema, são responsáveis
risco.
pelo registro, pela compensação e pela liquidação de b) Os riscos mensurados não são agregados no
todos os negócios realizados. Podem atuar como mem- conceito de carteira , sendo que as recorrela-
bros de compensação bancos e corretoras que atendam ções observadas entre os preços de diversos
aos requisitos para isso estabelecidos no regulamento ativos financeiros contribuem para reduzir a
do sistema, destacando-se entre eles a exigência de exigência de garantias para um mesmo nível
capital mínimo e a necessidade de comprovação de de proteção.
capacidade gerencial , organizacional e operacional. c) No cálculo das necessidades de garantia, não
Participam da câmara:
são considerados cenários de estresse.
a) 59 membros de compensação (dez/2002). d) Os riscos mensurados são agregados no
b) 69 membros de compensação (dez/2002). conceito de carteira (portfolio), sendo que as
c) 79 membros de compensação (dez/2002). correlações observadas entre os preços de
diversos ativos financeiros contribuem para
d) 89 membros de compensação (dez/2002). reduzir a exigência de garantias para um mes-
e) 99 membros de compensação (dez/2002). mo nível de proteção.
130. No mercado -> vista, a entrega da mercadoria e) No cálculo das necessidades de garantia, são
ou do ativo está condicionada ao efetivo pagamento, considerados cenários de estresse.
sendo, pois, observado o princípio da entrega contra
pagamento. No mercado de derivativos, a câmara faz 133. O processo de avaliação do risco associado ->
chamadas de margem diárias, sempre marcando as determinada carteira compreende, assim, quatro eta-
garantias a preços de mercado e aplicando deságio, pas:
maior ou menor conforme o risco de crédito e a liqui- a) escolha da melhor combinação
dez de cada ativo. O monitoramento do risco observa
b) decomposição dos contratos em fatores primi-
duas etapas:
tivos de risco;
a) no próprio dia da contratação (D + 1), em tem- c) estabelecimento do conjunto de cenários de
po real, com base nas posições líquidas dos estresse para cada fator de risco;
membros de compensação;
d) cálculo do risco para as diversas combinações
b) nos dias seguintes -> contratação (D + n, com de fatores;
n < 0), em base bruta, isto é, o risco é geren-
e) escolha da pior combinação.
ciado cliente a cliente.
c) no próprio dia da contratação (D + 0), em tem- 134. No sistema de compensação e de liquidação
po real, com base nas posições líquidas dos operado pela Tecnologia Bancária S.A. - Tec-
membros de compensação; Ban, que entrou em funcionamento em 22.04.2002, são
d) nos dias seguintes -> contratação (D + n, com processadas transferências de fundos interbancárias
relacionadas principalmente com pagamentos realiza-
n > 0), em base bruta, isto é, o risco é geren-
dos com cartões de débito e saques em rede de atendi-
ciado cliente a cliente. mento automático de uso compartilhado, denominada
e) no próprio dia da contratação (D + 2), em tem- Banco24Horas.
po real, com base nas posições líquidas dos
membros de compensação; a) O sistema utiliza compensação multilateral de
obrigações, com a liquidação final dos resul-
131. A chamada de margem, seja ela inicial ou adicional, tados apurados sendo feita, por intermédio do
Sistema de Transferência de Reservas -
28
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
STR, em contas mantidas pelos participantes das nas praças por ela atendidas, vinculadas
no Banco Central do Brasil. a uma praça centralizadora, sempre uma ca-
b) De vez que esse sistema de liquidação, na pital de Estado.
forma da regulamentação em vigor, não é d) Os cheques sacados contra bancos sem
considerado sistemicamente importante, a presença nas câmaras locais e regionais são
liquidação em contas mantidas no Banco Cen- trocados na câmara nacional, localizada em
tral do Brasil decorre de opção da entidade São Paulo, da qual todos os bancos obriga-
operadora. toriamente participam, diretamente ou por
c) Com poucas exceções, a liquidação é garanti- intermédio de representação.
da pela TecBan e, para tanto, os participantes e) Todas Acima
depositam garantias e se sujeitam -> observa-
ção de limites operacionais. 137. O Banco do Brasil S.A., operador da Compe, for-
nece o espaço físico e o apoio logístico necessários
d) A liquidação ocorre em D ou D+1 dependendo ao seu funcionamento, seja para a troca física de docu-
do horário em que a operação que dá origem mentos, nas situações em que isso acontece, seja para
-> transferência de fundos é realizada. a compensação eletrônica de todas as obrigações. O
e) Para isso, em cada dia considerado útil para operador mantém um centro de processamento prin-
fins de funcionamento do sistema financeiro, cipal em São Paulo e um centro secundário no Rio de
o sistema realiza dois ciclos de liquidação. No Janeiro, que funciona em hot standby. Participam da
primeiro, que se encerra às 10h10, são liqui- Compe as instituições bancárias, nomeadamente os
dadas as transferências de fundos originadas bancos comerciais, os bancos múltiplos com carteira
em operações confirmadas pelos participantes comercial e as caixas econômicas, totalizando:
entre 14h e 24h do dia útil anterior, no caso a) 102 instituições em dez/2002. A participação é
de operações garantidas, e entre 14h do dia condicionada -> prévia constituição de depósi-
útil anterior e 8h do próprio dia, no caso de to prévio no Banco Central do Brasil até 9h30
operações não garantidas. No segundo ciclo, de cada dia.
que se encerra às 17h10, são liquidadas as
b) 112 instituições em dez/2002. A participação é
transferências de fundos relacionadas com
condicionada -> prévia constituição de depósi-
operações confirmadas pelos participantes
to prévio no Banco Central do Brasil até 9h30
entre 0h e 14h do próprio dia, no caso de ope-
de cada dia.
rações garantidas, e entre 8h e 14h também
do próprio dia, no caso de operações não c) 122 instituições em dez/2002. A participação é
garantidas. condicionada -> prévia constituição de depósi-
to prévio no Banco Central do Brasil até 9h30
135. A Compe liquida as obrigações interbancárias de cada dia.
relacionadas principalmente: d) 132 instituições em dez/2002. A participação é
a) com cheques, condicionada -> prévia constituição de depósi-
b) documentos de crédito (ordem de transferên- to prévio no Banco Central do Brasil até 9h30
cia de fundos por intermédio da qual o cliente de cada dia.
emitente, e) 142 instituições em dez/2002. A participação é
c) correntista ou não de determinado banco, condicionada -> prévia constituição de depósi-
to prévio no Banco Central do Brasil até 9h30
d) transfere recursos para a conta do cliente be- de cada dia.
neficiário em outro banco, podendo o cliente
emitente e o cliente emissário serem a mesma 138. O depósito prévio foi instituído com o propósito
pessoa) de desestimular o trânsito pela Compe de pagamentos
e) bloquetos de cobrança (documento represen- de valor superior a R$ 5.000,00, efetuados por inter-
tativo de dívida originada na compra de bens médio de cheque ou documento de crédito. Para isso,
tomando-se como base a movimentação diária média
e serviços, liquidado na rede bancária em
observada em um período referencial passado, é colo-
espécie ou por intermédio de cheque).
cada, para cada participante, uma meta de redução no
136. Cobrindo todo o território nacional, o sistema é volume dos documentos mencionados:
composto, para fins de troca física dos documentos a) de 90% no caso dos cheques e de 96% no
não truncados (é admitida a truncagem de cheques na caso dos documentos de crédito, admitindo-
forma de acordos bilaterais e os demais documentos se que a meta seja cumprida paulatinamente,
são sempre truncados): conforme programação estabelecida pelo
a) Por uma câmara nacional, quinze câmaras Banco Central do Brasil.
regionais e dez câmaras locais. b) de 80% no caso dos cheques e de 97% no
b) Em uma câmara local são trocados os che- caso dos documentos de crédito, admitindo-
ques sacados contra as agências localizadas se que a meta seja cumprida paulatinamente,
na praça por ela atendida. conforme programação estabelecida pelo
c) Na câmara regional, são trocados os cheques Banco Central do Brasil.
sacados contra agências bancárias localiza- c) de 70% no caso dos cheques e de 98% no
29
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
caso dos documentos de crédito, admitindo- de “cheque abaixo”, na noite de D+1.
se que a meta seja cumprida paulatinamente, e) Os itens b e c estão corretos
conforme programação estabelecida pelo
Banco Central do Brasil. 140. A CIP opera o Sistema de Transferências de Fun-
d) de 60% no caso dos cheques e de 99% no dos - Sitraf, que utiliza compensação contínua de
caso dos documentos de crédito, admitindo- obrigações. Salvo na situação de agendamento, as
se que a meta seja cumprida paulatinamente, ordens de transferência de fundos são emitidas para
liquidação no mesmo dia (D), por assim dizer, “quase
conforme programação estabelecida pelo
em tempo real”. É um sistema híbrido de liquidação
Banco Central do Brasil. no sentido de que, a exemplo de seus congêneres no
e) de 50% no caso dos cheques e de 95% no mundo, tais como:
caso dos documentos de crédito, admitindo-
se que a meta seja cumprida paulatinamente, a) os operados pela Alemanha Net Settlement
conforme programação estabelecida pelo -ANS, de Berlim,
Banco Central do Brasil. b) os operados pela Paris Net Settlement - PNS,
da França,
139. O resultado da sessão noturna é informado a cada c) pela Clearing House Interbank Payments
participante às 8h30 do dia seguinte e o da sessão
System - CHIPS (“New Chips”), de
diurna, às 17h do próprio dia da realização da sessão,
sendo liquidados às 9h e às 18h, respectivamente. As Londres, reúne características dos sistemas
duas sessões são liquidadas, portanto, sempre em de liquidação diferida com compensação de
D+1 da data do acolhimento dos documentos. Caso o obrigações (LDL) dos sistemas de liquidação
valor disponível na conta vinculada em que registrado bruta em tempo real (LBTR).
o depósito prévio efetuado seja insuficiente para saldar d) pela Clearing House Interbank Payments Sys-
sua posição devedora, o participante deve fazer a ne- tem - CHIPS (“New Chips”), dos Estados
cessária complementação até 8h30 ou 17h30, conforme Unidos, reúne características dos sistemas
se trate, respectivamente, da sessão noturna do dia de liquidação diferida com compensação de
anterior ou da sessão diurna do próprio dia. obrigações (LDL) dos sistemas de liquidação
Nas contas dos clientes, tomando-se como data- bruta em tempo real (LBTR).
base a de acolhimento do documento, os lan- e) Somente a questão b está correta.
çamentos são normalmente feitos:
141. O Sitraf funciona com base em ordens de crédito,
a) a crédito (liberação efetiva dos recursos): (i) isto é, somente o titular da conta a ser debitada pode
no caso de documento de crédito, na noite emitir a ordem de transferência de fundos, a qual pode
de D; (ii) no caso de “cheque acima”, na noite ser feita em nome próprio do participante ou por conta
de D+1; e (iii) no caso de “cheque abaixo”, na de terceiros, a favor do participante destinatário ou de
noite de D+2; cliente do participante destinatário.
b) a crédito: (i) no caso de documento de crédi- a) A liquidação é efetuada com base em recursos
to, quando o cliente remetente não entrega mantidos pelos participantes no Banco Central
os recursos em espécie, em tempo real (o do Brasil, seja no que diz respeito aos pré-
débito é efetuado no momento do registro do depósitos efetuados no início de cada dia e
documento de crédito no caixa da instituição, às suas eventuais complementações, seja no
quando comandado em papel, ou, quando o que diz respeito às transferências de fundos
comando é feito na forma eletrônica, normal- efetuadas para atendimento das ordens de
mente via Internet, no momento de sua acei- transferência de fundos no denominado ciclo
tação pelo banco a quem está sendo dada a complementar.
ordem de transferência de fundos); (ii) no caso
de “cheque acima”, ao final de D;e (iii) no caso b) As mensagens eletrônicas de transferência
de “cheque abaixo”, na noite de D+1. de fundos, que transitam exclusivamente por
intermédio da Rede do Sistema Financeiro
c) a débito (liberação efetiva dos recursos): (i) Nacional - RSFN, são padronizadas e
no caso de documento de crédito, na noite observam procedimentos específicos de se-
de D; (ii) no caso de “cheque acima”, na noite gurança (criptografia e certificação digital).
de D+1; e (iii) no caso de “cheque abaixo”, na
noite de D+2; c) Os serviços de processamento de dados,
incluindo desenvolvimento e manutenção de
d) a débito: (i) no caso de documento de crédi- programas computacionais e implantação e
to, quando o cliente remetente não entrega manutenção de infra-estrutura tecnológica,
os recursos em espécie, em tempo real (o são fornecidos pela Central de Custódia e de
débito é efetuado no momento do registro do Liquidação Financeira de Títulos - Cetip.
documento de crédito no caixa da instituição,
quando comandado em papel, ou, quando o d) O Sitraf é suportado por dois centros de
comando é feito na forma eletrônica, normal- processamento de dados (centro principal e
mente via Internet, no momento de sua acei- centro secundário) localizados na cidade do
tação pelo banco a quem está sendo dada a Rio de Janeiro, sendo que o centro secundário
ordem de transferência de fundos); (ii) no caso funciona em hot standby. O sistema opera em
de “cheque acima”, ao final de D;e (iii) no caso ambiente de baixa plataforma.
30
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) Condicionada também -> participação no apresentem saldo igual ou inferior a R$ 30,00
capital social da CIP, a participação direta no e que não apresentem registros de depósitos
Sitraf é restrita às instituições titulares de con- ou saques pelo período de 6 meses.
ta Reservas Bancárias, isto é, bancos comer- c) Sim. Desde que os depósitos de poupança
ciais, bancos múltiplos com carteira comercial, apresentem saldo igual ou inferior a R$ 40,00
caixas econômicas e bancos de investimento e que não apresentem registros de depósitos
(102 participantes em dez/2002). ou saques pelo período de 6 meses.
142. Os principais tipos de aplicações financeiras dis- d) Sim. Desde que os depósitos de poupança
poníveis no mercado são: apresentem saldo igual ou inferior a R$ 50,00
e que não apresentem registros de depósitos
a) a Poupança, ou saques pelo período de 6 meses.
b) o Certificado de Depósito Bancário (CDB), e) Sim. Desde que os depósitos de poupança
c) os Recebíveis apresentem saldo igual ou inferior a R$ 100,00
d) o Recibo de Depósito Bancário (RDB) e que não apresentem registros de depósitos
e) os Fundos de Investimento. ou saques pelo período de 6 meses.
145. Qual a data de remuneração de depósitos em
143. Como são atualizados os depósitos da poupan-
cadernetas de poupança efetuados nos dias 29, 30 e
ça?
31?
a) Os valores depositados em poupança são
a) A data de remuneração será o dia 1º de útil de
atualizados com base na taxa de juros (TJ),
cada mês, aplicando-se o índice correspon-
acrescida de juros de 26,5% ao mês. Os valo-
dente ao último dia do mês anterior.
res depositados e mantidos em depósito por
prazo inferior a um mês não recebem nenhu- b) A data de remuneração será o dia 1º dia cada
ma remuneração. A TJ utilizada é aquela do mês, aplicando-se o índice correspondente ao
dia do depósito. dia 1º do mês anterior.
b) Os valores depositados em poupança são c) A data de remuneração será o dia 5º de útil de
atualizados com base na taxa de juros de lon- cada mês, aplicando-se o índice correspon-
go prazo (TJLP), acrescida de juros de 0,5% dente ao último dia do mês anterior
ao mês. Os valores depositados e mantidos d) A data de remuneração será a primeira se-
em depósito por prazo inferior a um mês não gunda feira do mês seguinte, aplicando-se o
recebem nenhuma remuneração. A TJLP utili- índice correspondente ao penúltimo dia 1º do
zada é aquela do dia do depósito. mês anterior.
c) Os valores depositados em poupança são atu- e) A data de remuneração será o último dia de
alizados com base na taxa interna de retorno cada mês, aplicando-se o índice correspon-
(TIR), acrescida de juros de 12% ao mês. Os dente ao dia 1º dia de cada mês.
valores depositados e mantidos em depósito
por prazo inferior a um mês não recebem ne- 146. O depósito em conta de poupança feito em cheque
nhuma remuneração. A TIR utilizada é aquela vale para remuneração desde a data do depósito?
do dia do depósito. a) Não. Os depósitos realizados por meio de
d) Os valores depositados em poupança são cheque, desde que não devolvido, e indepen-
atualizados com base na taxa referencial dentemente do prazo de sua liberação, devem
(TR), acrescida de juros de 0,5% ao mês. Os ser considerados a partir do dia seguinte ao
valores depositados e mantidos em depósito do depósito.
por prazo inferior a um mês não recebem ne- b) Não. Os depósitos realizados por meio de
nhuma remuneração. A TR utilizada é aquela cheque, desde que não devolvido, e depen-
do dia do depósito. dentemente do prazo de sua liberação, devem
e) Os valores depositados em poupança são ser considerados a partir do dia do depósito.
atualizados com base na taxa de poupança c) Sim. Os depósitos realizados por meio de
(TP), acrescida de juros de 1,5% ao mês. Os cheque, desde que não devolvido, e indepen-
valores depositados e mantidos em depósito dentemente do prazo de sua liberação, devem
por prazo inferior a um mês não recebem ne- ser considerados a partir do dia do depósito.
nhuma remuneração. A TP utilizada é aquela
d) Sim. Os depósitos realizados por meio de
do dia do depósito.
cheque, desde que não devolvido, e indepen-
144. O banco pode cobrar pela manutenção de conta dentemente do prazo de sua liberação, devem
de poupança? ser considerados a partir do dia seguinte ao
do depósito.
a) Sim. Desde que os depósitos de poupança
e) Não. Os depósitos realizados por meio de
apresentem saldo igual ou inferior a R$ 20,00
cheque, desde que devolvido, e dependente-
e que não apresentem registros de depósitos
mente do prazo de sua liberação, devem ser
ou saques pelo período de 6 meses.
considerados a partir da data da poupança.
b) Sim. Desde que os depósitos de poupança
31
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
147. O que são CDB e RDB? e) O prazo mínimo varia de 1 dia a 12 meses,
dependendo do tipo de remuneração contra-
a) O CDB é um recibo é e o RDB um título de
tada.
crédito, físico ou escritural. Ambos são emi-
tidos pelos bancos comerciais e representa- 149. Qual a principal diferença entre CDB e RDB?
tivos de depósitos a prazo feitos pelo cliente.
O CDB e o RDB geram a obrigação de o a) O CDB, sendo um título, pode ser negociado
banco pagar ao aplicador, ao final do prazo por meio de transferência. O RDB é inegociá-
contratado, a remuneração prevista - q u e vel e intransferível.
será sempre superior ao valor aplicado. b) O CDB, sendo um título, não pode ser ne-
b) O CDB é um tipo de aplicação financeira em gociado por meio de transferência. O RDB é
que o aplicador adquire cotas do patrimônio negociável e transferível.
de um fundo administrado por uma instituição c) O CDB, sendo um recibo, pode ser negociado
financeira e o RDB é um recibo. Ambos são por meio de transferência. O RDB é inegociá-
emitidos pelos bancos comerciais e repre- vel e transferível.
sentativos de depósitos a prazo feitos pelo d) O CDB, sendo um recibo, pode ser negociado
cliente. O CDB e o RDB geram a obrigação de por meio de transferência. O RDB é inegociá-
o banco pagar ao aplicador, ao final do prazo vel e transferível.
contratado, a remuneração prevista - q u e
e) O CDB, sendo um título é inegociável e in-
será sempre superior ao valor aplicado.
transferível.. O RDB é um título e pode ser
c) O CDB é um título de crédito, físico ou escri- negociado por meio de transferência.
tural e o RDB é um tipo de aplicação finan-
ceira em que o aplicador adquire cotas do 150. Pode um CDB ou um RDB ser resgatado antes do
patrimônio de um fundo administrado por uma prazo de vencimento?
instituição financeira. Ambos são emitidos
a) Ambos podem ser resgatados antes do prazo
pelos bancos comerciais e representativos de
contratado, desde que decorrido o prazo míni-
depósitos a prazo feitos pelo cliente. O CDB e
mo de aplicação. Antes do prazo mínimo não
o RDB geram a obrigação de o banco pagar
são abonados rendimentos.
ao aplicador, ao final do prazo contratado, a
remuneração prevista - que será sem- b) Só o CDB pode ser resgatado antes do prazo
pre superior ao valor aplicado. contratado, desde que decorrido o prazo míni-
mo de aplicação. Antes do prazo mínimo não
d) O CDB é um título de crédito, físico ou escritu-
são abonados rendimentos.
ral e o RDB é um recibo. Ambos são emitidos
pelos bancos comerciais e representativos de c) Só o RDB pode ser resgatado antes do prazo
depósitos a prazo feitos pelo cliente. O CDB e contratado, desde que decorrido o prazo míni-
o RDB geram a obrigação de o banco pagar mo de aplicação. Antes do prazo mínimo não
ao aplicador, ao final do prazo contratado, a são abonados rendimentos.
remuneração prevista - que será sem- d) O CDB pode ser resgatado o RDB não pode
pre superior ao valor aplicado. ser resgatado antes do prazo contratado,
e) O CDB é um recibo de crédito, não físico ou desde que decorrido o prazo mínimo de
escritural e o RDB é um título de depósito. aplicação. Antes do prazo mínimo não são
Ambos são emitidos pelos bancos comerciais abonados rendimentos.
e representativos de depósitos a prazo feitos e) O CDB não pode ser resgatado, o RDB pode
pelo cliente. O CDB e o RDB geram a obriga- ser resgatado antes do prazo contratado,
ção de o banco pagar ao aplicador, ao final do desde que decorrido o prazo mínimo de
prazo contratado, a remuneração prevista - aplicação. Antes do prazo mínimo não são
que será sempre superior ao valor aplicado. abonados rendimentos.
148. Qual o prazo mínimo para aplicação e resgate de 151. As afirmações abaixo são sobre Fundo de inves-
CDBs e RDBs? timento:
a) O prazo mínimo varia de 30 dias a 360 dias, a) É um tipo de aplicação financeira em que o
dependendo do tipo de remuneração contra- aplicador adquire cotas do patrimônio de um
tada. fundo administrado por uma instituição finan-
b) O prazo mínimo varia de 31 dias a 365 dias, ceira.
dependendo do tipo de remuneração contra- b) O valor da cota é recalculado diariamente.
tada. c) A remuneração varia de acordo com os rendi-
c) O prazo mínimo varia de 15 dias a 180 dias, mentos dos ativos financeiros que compõem
dependendo do tipo de remuneração contra- o fundo.
tada. d) Não há, geralmente, garantia de que o valor
d) O prazo mínimo varia de 15 dias a 252 dias, resgatado será superior ao valor aplicado.
dependendo do tipo de remuneração contra- e) Todas as características de um fundo devem
tada. constar de seu regulamento.
32
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
152. Os fundos de investimento financeiro não podem 157. É decorrente dos movimentos adversos do valor
ser classificados em função: dos bens relacionados no ativo e das obrigações cons-
tantes do passivo de uma empresa.
a) do prazo de carência para resgate
b) da remuneração de suas cotas a) Risco de mercado;
c) do nível de risco b) Risco de crédito;
d) do segmento em que atua c) Risco de liquidez;
e) dos ativos que compõem o seu patrimônio. d) Risco legal;
e) Risco operacional;
153. Existem riscos nessas aplicações financeiras?
158. A facilidade com que se converte um bem em mo-
a) Toda aplicação financeira está sujeita a ris- eda corrente com a menor perda possível de valor.
cos.
b) Para reduzi-los, deve-se procurar informações a) Risco de mercado;
sobre o tipo de aplicação, b) Risco de crédito;
c) Para reduzi-los deve-se procurar informações c) Risco de liquidez;
sobre a instituição financeira d) Risco legal;
d) Para reduzi-los deve-se procurar informações e) Risco operacional;
sobre as variáveis econômicas que podem
influenciar o resultado esperado. 159. A medida de perda provável que uma instituição
e) Geralmente os rendimentos são maiores nas poderá ter por não estar plenamente autorizada a fun-
cionar pelos órgãos competentes e / ou pelo que os
aplicações de maior risco.
seus contratos não estiverem legalmente amparados.
154. O que é Risco? a) Risco de fraude;
a) Possibilidade da ocorrência de um evento re- b) Risco de crédito;
sultar em ganhos de toda a espécie podendo c) Risco de liquidez;
vir a não comprometer a continuidade das
d) Risco legal;
atividades de uma organização.
e) Risco operacional;
b) Possibilidade da ocorrência de um evento
resultar em algumas perdas podendo vir 160. A possibilidade da ocorrência de um evento que
comprometer a continuidade das atividades venha causar prejuízo direto ou indireto para a organi-
de uma organização. zação, oriundo de ações de pessoas ou empresas que
c) Possibilidade da ocorrência de um evento re- venham subtrair recursos da conta no SITRAF de um
sultar em perdas de toda a espécie podendo banco participante em favor de terceiros ou ainda de
vir comprometer a continuidade das atividades outras ações que caracterizem ato de má fé.
de uma organização. a) Risco de fraude;
d) Certeza de um evento resultar em perdas de b) Risco de crédito;
toda a espécie podendo vir comprometer a
c) Risco de liquidez;
continuidade das atividades de uma organi-
zação. d) Risco legal;
e) Certeza da ocorrência de um evento resultar e) Risco operacional;
em ganhos.
161. Têm origem em falhas de sistemas, de pessoas e de
155. Quanto a sua natureza, os riscos que podem afetar processos. Como a CIP terceirizou o desenvolvimento
a CIP são classificados como: e o processamento do seu Sistema de Transferência de
Fundos - SITRAF, as medidas preventivas foram
a) Risco de mercado; estendidas também a esses terceiros. Como forma
b) Risco de crédito; preventiva a CIP implantou:
c) Risco de liquidez; a) Risco de fraude;
d) Risco legal; b) Risco de crédito;
e) Risco operacional; c) Risco de liquidez;
156. É a perda econômica potencial que uma empresa d) Outros riscos;
poderá sofrer se a contraparte devedora não liquidar e) Risco operacional;
sua obrigação financeira no prazo estipulado em con-
trato. 162. Na CIP, o Risco de Crédito pode ser considerado
como inexistente porque:
a) Risco de mercado;
1. No modelo adotado para realizar a com-
b) Risco de crédito; pensação e a liquidação de pagamentos
c) Risco de liquidez; interbancários não se concede crédito aos
d) Risco legal; bancos participantes;
e) Risco operacional; 2. Nas as demais atividades da CIP, o Risco
33
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
de Crédito pode ser considerado nulo ou de pagamentos interbancários, a CIP não
baixo pois: está sujeita ao Risco de Mercado porque a) a
a) As aplicações financeiras são constituídas de garantia recebida pelos Bancos Participantes
títulos públicos federais o que, para uma em- é toda ela constituída de moeda corrente de-
presa brasileira com atuação exclusivamente positada no Banco Central do Brasil em seu
local, podem ser avaliadas como isentas de nome.
risco de crédito. c) No processo de compensação e liquidação de
b) A CIP não está autorizada a conceder qual- pagamentos a CIP não há Risco de Liquidez
quer tipo de empréstimo, financiamento ou porque as garantias fornecidas pelos bancos
crédito, mesmo aos seus funcionários. são constituídas integralmente em moeda
corrente;
c) Em outras duas atividades pode ocorrer Risco
de Crédito, porém de pequena monta. d) Nas demais atividades da CIP não há Risco
de Liquidez, porque seu Capital de Giro Pró-
d) A primeira é proveniente da relação fornece-
prio está aplicado em títulos públicos federais
dor / cliente, se a CIP antecipar pagamentos
de liquidez imediata, permitindo assim que a
e não ocorrer entrega do bem ou serviço ad-
CIP possa quitar pontualmente suas obriga-
quirido .Tal situação não se aplica ao serviço
ções trabalhistas, comerciais e fiscais.
principal que a CIP contrata da Cetip para o
processamento do SITRAF. e) Responsabilidades cobertas nos contratos de
terceirização.
e) A segunda pede ser identificada nas apólices
de seguro. A hipótese da seguradora não 165. Risco Legal este risco apresenta-se na adminis-
honrar a cobertura de um sinistro, deixando tração da instituição referente aos aspectos sujeitos ->
de indenizar a CIP . Assim , é razoável admitir legislação, tais como:
que são reduzidas as probabilidades de Risco
de Crédito e ,mesmo que ocorram, os proce- a) Interesse do Governo, Lei de Responsabilida-
dimentos de controle estão ao alcance da alta de Fiscal , nº 6.595;
administração da CIP. b) Interesse dos Acionistas Minoritários, Lei das
Sociedades Anônimas, nº 6.474;
163. Na CIP o Risco de Mercado pode ser assim ava- c) Interesse dos acionistas, obrigações societá-
liado:
rias e trabalhistas, LSFN (Lei do Sistema Fi-
a) A CIP não está autorizada a conceder qual- nanceiro Nacional 4.595), enfatizando o artigo
quer tipo de empréstimo, financiamento ou 38º, que se refere ao sigilo bancário,
crédito, mesmo aos seus funcionários. d) Lei dos “Crimes de Colarinho Branco” (Lei
b) Na atividade de compensação e liquidação 7.492),
de pagamentos interbancários, a CIP não e) Outras legislações a que as instituições pos-
está sujeita ao Risco de Mercado porque a) a sam se sujeitar.
garantia recebida pelos Bancos Participantes
é toda ela constituída de moeda corrente de- 166. O Risco Legal pode estar associado a:
positada no Banco Central do Brasil em seu a) Risco de Legislação: Risco de perdas decor-
nome. rentes de sanções por reguladores e indeni-
c) Nas demais atividades exercidas pela CIP, zações por danos a terceiros por violação da
o Risco de Mercado pode ser dimensionado legislação vigente. Exemplo:
observando-se os componentes do Balanço 1) multas por não cumprimento de elegibilida-
Patrimonial: des;
d) O ativo é composto pelo imobilizado e por 2) indenizações pagas a clientes por não cum-
títulos públicos federais de recebimentos ba- primento da legislação.
seados em taxas flutuantes;
b) Risco de Contrato: Risco de perda decorrente
e) No lado do passivo, a constituição de obriga- de julgamentos desfavoráveis por contratos
ções por empréstimo é de alçada do Conselho omissos, mal redigidos ou sem o devido am-
de Administração o que restringe considera- paro legal. Exemplos:
velmente a possibilidade de ocorrência de
riscos associados a descasamentos entre 1) pessoa sem poder para assinar contratos;
retornos de bens do ativo e os custos do pas- 2) não execução pronta de garantias, reque-
sivo exigível. rendo o acionamento do jurídico;
c) responsabilidades cobertas nos contratos de
164. O Risco de Liquidez está relacionado ao grau de di-
ficuldade para a obtenção de meios de pagamento pela
terceirização.
venda de um bem e pela perda de valor que ocorrer. 1) Mitigam o Risco de Fraude no processo
de transferência de fundos, como por exem-
a) A CIP não está autorizada a conceder qual- plo:
quer tipo de empréstimo, financiamento ou
crédito, mesmo aos seus funcionários. 2) nenhum funcionário da CIP pode emitir,
alterar o conteúdo e/ou desviar mensagens de
b) Na atividade de compensação e liquidação pagamento pela inexistência de funcionalidade
34
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
no SITRAF que viabilize tais interferências; críticas;
3) os operadores não acessam as transações c) são necessários dois administradores do siste-
críticas; ma para a execução de quaisquer alterações
4) são necessários dois administradores do que possam resultar em fraude;
sistema para a execução de quaisquer altera- d) um administrador do sistema não libera aces-
ções que possam resultar em fraude; sos para ele próprio;
5) um administrador do sistema não libera e) o acesso ao código-fonte é restrito e quando
acessos para ele próprio; tal ocorre é na presença dos prestadores de
6) o acesso ao código-fonte é restrito e quan- serviço e da empresa de auditoria;
do tal ocorre é na presença dos prestadores
169. O prejuízo pela ocorrência comprovada de fraude
de serviço e da empresa de auditoria; no processo de transferência de fundo, mesmo na
7) existe arquivo de “log” descrevendo todos existência de uma eventual fraude, isoladamente por
os “inputs” efetuados; parte de um funcionário da CIP ou em conjunto com
8) as ligações telefônicas realizadas pelos funcionário(s) de banco(s), a CIP possui um seguro
administradores e pelos operadores da CIP denominado “Seguro de Crime e Responsabilidade
são gravadas; Civil Profissional”, que deverá prover a cobertura de
prejuízos até o limite de:
9) é proibido o uso de telefonia celular nas de-
pendências da CIP, exceto a comunicação por a) R$ 65.000,00 (Sessenta e cinco mil Reais).
meio de rádio realizada entre os funcionários b) R$ 55.000,00 (Cinqüenta e cinco mil Reais).
da CIP nas unidades de São Paulo e Rio de c) R$ 45.000,00 (Quarenta e cinco mil Reais).
Janeiro.
d) R$ 35.000,00 (Trinta e cinco mil Reais).
d) Reparam o prejuízo pela ocorrência compro-
vada de fraude no processo de transferência e) R$ 25.000,00 (Vinte e cinco mil Reais).
de fundos: 170. Os riscos operacionais têm origem em falhas de
1) mesmo na existência de uma eventual frau- sistemas, de pessoas e de processos. Como a CIP ter-
de, isoladamente por parte de um funcionário ceirizou o desenvolvimento e o processamento do seu
da CIP ou em conjunto com funcionário(s) de Sistema de Transferência de Fundos - S I T R A F, a s
banco(s), a CIP possui um seguro denomina- medidas preventivas foram estendidas também a esses
do “Seguro de Crime e Responsabilidade Civil terceiros. Como forma preventiva a CIP implantou:
Profissional”, que deverá prover a cobertura a) com relação às falhas de sistemas, oriun-
de prejuízos até o limite de R$ 25.000,00 das de equipamentos e instalações, serão
(Vinte e cinco mil Reais). adotadas providências no sentido de mitigar
2) Risco Operacional os riscos com a instalação de três “CPD´s”
e) As alternativas b e c estão corretas de processamento: um é o principal, o CPD
Secundário tem função de “hot stand-by” e o
167. No caso da CIP o Risco Legal é baixo porque: CPD Terciário, função de “cold backup”. Os
a) A CIP foi constituída apoiada pela Lei 10.214 equipamentos instalados no CPD principal
de 27 de março de 2001; serão redundantes de tal forma que só em
condições extremas será necessário utilizar
b) A CIP foi constituída apoiada pela Lei 6.595 os outros dois “CPD´s”;
de 20 de abril de 2002;
b) com relação às falhas de aplicativos, foi exe-
c) Seu funcionamento depende da autorização cutado um plano exaustivo de testes. Todas as
do Banco Central do Brasil; alterações nos aplicativos são rigorosamente
d) Seu funcionamento depende da autorização controladas por um processo planejado de
do Conselho Monetário Nacional; mudanças. Caso se revelem necessárias, as
e) Suas obrigações para com os Bancos Partici- alterações nos programas serão realizadas
pantes estão firmadas em Contrato de Pres- com monitoramento através de um rígido
tação de Serviços devidamente registrado no procedimento de testes visando controlar e
IV Cartório de Títulos e Documentos de SP, mitigar efeitos sobre a estabilidade do sis-
o que lhe confere a condição de documento tema. O contrato de manutenção assinado
com fé pública. com o fornecedor dos aplicativos estabelece
uma política de pronta correção de eventuais
168. O itens abaixo referem-se -> providências que mi- problemas. Com a finalidade de proceder-se
tigam o Risco de Fraude no processo de transferência controle do exato funcionamento do SITRAF.
de fundos: A CIP realiza o acompanhamento de todas as
a) nenhum funcionário da CIP pode emitir, alterar ocorrências de falha através da sua Mesa de
o conteúdo e/ou desviar mensagens de paga- Operações;
mento pela inexistência de funcionalidade no c) com relação às falhas humanas, elas podem
SITRAF que viabilize tais interferências; ocorrer por procedimentos indevidos na uti-
b) os operadores não acessam as transações lização do sistema, tanto na operação como
na entrada de parâmetros. Esses riscos serão
35
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
mitigados pelo alto grau de automação do nados às práticas administrativas da CIP. Con-
sistema, pela definição clara de procedimen- tudo, os controles de tais riscos se dão pelo
tos e pelas restrições impostas ao acesso e exercício cotidiano do modelo de Governança
alimentação de dados internos ao SITRAF; Corporativa atualmente implantado na CIP.
d) As alternativas a e c estão corretas
172. Outros e novos riscos que venham a surgir po-
e) As alternativas b e c estão erradas derão ser detectados, avaliados e registrados através
dos processos de:
171. Os riscos operacionais têm origem em falhas de
sistemas, de pessoas e de processos. Como a CIP ter- a) consultorias periódicas
ceirizou o desenvolvimento e o processamento do seu b) consultorias permanentes
Sistema de Transferência de Fundos - S I T R A F, a s
medidas preventivas foram estendidas também a esses c) auditorias periódicas ou extraordinárias;
terceiros. Como forma preventiva a CIP implantou: d) Monitoramento da Efetividade e Eficácia de
Normas, Procedimentos e Programas;
a) O SITRAF dispõe de uma rígida política de
definição de parâmetros que torna mínima e) Tratamento de violações ou de Exceções às
a possibilidade de que alterações incorretas Políticas e Processos.
destes possam acarretar resultados indese- 173. O que é o FGC ?
jados ao bom funcionamento do sistema e de
efeitos prejudiciais aos participantes. Falhas a) É um fundo de investimentos que administra
humanas podem também ocorrer na divul- um mecanismo de proteção aos correntistas,
gação de informações erradas de parte dos poupadores e investidores
profissionais da área de apoio aos bancos b) É um Fundo de Garantia de Renda Fixa que
participantes. Em tal situação, a conseqü- administra um mecanismo de proteção aos
ência pode redundar em prejuízo -> imagem correntistas, poupadores e investidores
da CIP, mas não poderá produzir resultados c) É uma entidade privada, sem fins lucrativos,
prejudiciais ao funcionamento do SITRAF que administra um mecanismo de proteção
nem tampouco alterar o resultado do saldo da aos correntistas, poupadores e investidores,
conta do banco. que permite recuperar os depósitos ou cré-
b) Além das falhas operacionais mencionadas, ditos mantidos em instituição financeira, em
outro evento de risco operacional se refere às caso de falência ou de sua liquidação. São
situações de baixa capacidade e insuficiente as instituições financeiras que contribuem
desempenho dos equipamentos. Para mitigar com uma porcentagem dos depósitos para a
tal risco, a arquitetura da infra-estrutura ope- manutenção do FGC.
racional permite fácil correção e substituição d) É uma entidade pública , com fins lucrativos,
de componentes e uma pronta expansão de que administra um mecanismo de proteção
sua capacidade de produção. Paralelamente aos correntistas, poupadores e investidores,
a esse dispositivo de segurança, há no quadro que permite recuperar os depósitos ou cré-
de técnicos da CIP uma equipe com a função ditos mantidos em instituição financeira, em
de realizar avaliações permanentes da eficiên- caso de falência ou de sua liquidação. São
cia do SITRAF e de pesquisar o crescimento as instituições financeiras que contribuem
da demanda de serviços pela rede de bancos com uma porcentagem dos depósitos para a
participantes de tal sorte a orientar a política manutenção do FGC.
de investimentos e de adequação dos equipa-
mentos de produção da CIP; e) É uma organização da sociedade civil, com
fins lucrativos, que administra um mecanismo
c) O ambiente de processamento dedicado -> de proteção aos correntistas, poupadores e
operação do sistema é isolado dos ambientes investidores, que permite recuperar os de-
de testes e desenvolvimento de modo a evitar pósitos ou créditos mantidos em instituição
qualquer perturbação no regular funcionamen- financeira, em caso de falência ou de sua
to do SITRAF; liquidação. São as instituições financeiras
d) Relativamente aos riscos de processos, que contribuem com uma porcentagem dos
pode-se afirmar que , em geral, o processo depósitos para a manutenção do FGC.
operacional da CIP é tecnicamente simples.
Há processos relativos às atividades de cunho 174. São garantidos pelo FGC - Fundo Garantidor de
eminentemente administrativo. Esses são de Créditos?
pequena expressão perante único produto ofe- a) Depósitos -> vista ou sacáveis mediante aviso
recido pela CIP -> comunidade bancária ,qual prévio;
seja ,o serviço de compensação e liquidação
de pagamentos, realizado pelo SITRAF . E no b) Depósitos em caderneta de poupança;
que diz respeito aos processos relacionados c) Depósitos a prazo, com ou sem emissão de
ao SITRAF eles estão perfeitamente mapea- certificado (CDB/RDB);
dos e documentados; d) Letras de câmbio;
e) Outros riscos operacionais podem ser relacio- e) Letras imobiliárias; e Letras hipotecárias.

36
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
175. O valor máximo garantido pelo FGC é de: costumam ser atingidos por eventuais dificul-
dades das instituições.
a) O valor máximo, por instituição, é de R$
2.000,00 por depositante ou aplicador, inde- d) É necessária a cobertura dos recursos dos
pendentemente do valor total e da distribuição fundos pelo FGC, pois esses recursos costu-
em diferentes formas de depósito e aplica- mam ser atingidos por eventuais dificuldades
ção. das instituições.
b) O valor máximo, por instituição, é de R$ e) É desnecessária a cobertura dos recursos
5.000,00 por depositante ou aplicador, inde- dos fundos pelo FGC, pois esses recursos
pendentemente do valor total e da distribuição não costumam ser atingidos por eventuais
em diferentes formas de depósito e aplica- dificuldades das instituições.
ção.
178. O FGC não garante os créditos contra os fundos
c) O valor máximo, por instituição, é de R$ de investimento, tendo em vista que os fundos se
10.000,00 por depositante ou aplicador, inde- constituem como empresas independentes e, apenas,
pendentemente do valor total e da distribuição são administrados pelas instituições financeiras. São
em diferentes formas de depósito e aplica- objeto da garantia proporcionada pelo FGC os seguin-
ção. tes créditos:
d) O valor máximo, por instituição, é de R$ a) depósitos a prazo ou sacáveis mediante aviso
15.000,00 por depositante ou aplicador, inde- prévio;
pendentemente do valor total e da distribuição
b) depósitos de garantia;
em diferentes formas de depósito e aplica-
ção. c) depósitos -> vista, com ou sem emissão de
certificado - CDB/RDB;
e) O valor máximo, por instituição, é de R$
20.000,00 por depositante ou aplicador, inde- d) letras de câmbio - LC;
pendentemente do valor total e da distribuição e) letras pignoraticias,
em diferentes formas de depósito e aplica-
ção. 179. O FGC tem por objetivo garantir os créditos con-
tra instituições financeiras que dele participam, nas
176. Quando os titulares do crédito são cônjuges, qual hipóteses de:
o valor a que cada um tem direito?
a) decretação da intervenção, liquidação extraju-
a) Os cônjuges são considerados pessoas dicial ou falência da instituição;
distintas, seja qual for o regime de bens do b) reconhecimento, pelo BC, do estado de insol-
casamento, ou seja, cada um receberá até o vência da instituição financeira;
valor máximo de R$ 2.000,00.
c) recebimento de depósitos -> vista, a prazo ou
b) Os cônjuges são considerados pessoas em contas de poupança;
distintas, seja qual for o regime de bens do
d) aceite em letras de câmbio;
casamento, ou seja, cada um receberá até o
valor máximo de R$ 5.000,00. e) captação de recursos através da colocação de
letras imobiliárias e letras hipotecárias.
c) Os cônjuges são considerados pessoas
distintas, seja qual for o regime de bens do 180. Alienação Fiduciária é:
casamento, ou seja, cada um receberá até o
valor máximo de R$ 10.000,00. a) Transferência ao credor do domínio e posse
de um bem, em garantia ao pagamento de
d) Os cônjuges são considerados pessoas
uma obrigação que lhe é devida por alguém.
distintas, seja qual for o regime de bens do
O bem é devolvido a seu antigo proprietário
casamento, ou seja, cada um receberá até o
depois que ele resgatar a dívida.
valor máximo de R$ 15.000,00.
b) Garantia de pagamento de uma divida dada
e) Os cônjuges são considerados pessoas
sob a forma de um bem imóvel (com exceção
distintas, seja qual for o regime de bens do
de navios e aviões, que também podem ser
casamento, ou seja, cada um receberá até o
hipotecados). Embora conserva a posse do
valor máximo de R$ 20.000,00.
bem, o devedor só readquire sua propriedade
177. Por que o dinheiro aplicado em fundo de investi- após o pagamento integral da dívida. Se a
mento financeiro não tem garantia do FGC? dívida não for paga, ou se for paga uma parte
dela, ao fim do prazo contratado, o credor
a) O patrimônio dos bancos não se confunde pode executar a hipoteca, assumindo a pro-
com o patrimônio dos fundos de investimento priedade total do bem.
financeiro que eles administram.
c) Garantia dada por uma pessoa de que pagará
b) Quando o banco enfrenta problemas, os apli- parte ou total das dívidas de outra pessoa, se
cadores nos fundos podem fazer assembléias esta não puder pagá-las.
e mudar a administração do fundo para outra
d) Espécie contratual segundo a qual o devedor,
instituição.
ou alguém por ele, entrega ao credor, coisa
c) É necessária a cobertura dos recursos dos móvel, em garantia de uma obrigação.
fundos pelo FGC, pois esses recursos não
37
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) A fiança prestada por um banco a um cliente que deverá ser devolvida ao banco em prazo
que tenha assumido um contrato de execução determinado, acrescida dos juros acertados.
longa, de forma a proteger o contratante das c) É um contrato entre você e a instituição fi-
perdas resultantes da não eventual conclusão nanceira pelo qual você paga uma quantia
do contrato na forma como foi contratado. que deverá ser devolvida ao banco em prazo
indeterminado, não acrescida dos juros acer-
181. A fiança é normalmente baixada:
tados.
a) Quando do término do prazo de validade da d) É uma cooperação entre você e a instituição
Carta de Fiança, desde que assegurado o não financeira pelo qual você recebe uma
cumprimento das obrigações assumidas pelas quantia que deverá ser devolvida ao banco
partes contratantes; em prazo determinado, acrescida dos juros
b) Mediante a devolução da Carta de Fiança; acertados.
c) Mediante a entrega, ao banco, da declaração e) É uma aplicação entre você e a instituição não
do credor (beneficiário), liberando a garantia financeira pelo qual você paga uma quantia
prestada. que deverá ser ressarcida ao banco em prazo
d) Quando aprovada pela área de crédito dos determinado, acrescida dos juros acertados.
bancos e cujo custo ao cliente negociado
184. O empréstimo pode ser quitado antecipadamen-
caso a caso, sendo, normalmente, cobrados te?
custos adicionais do registro dos contratos de
fiança. a) Não.
e) Da concessão de fianças para que as empre- b) Sim. O banco não é obrigado a deduzir dos
sas industriais se habilitem a linhas de crédito juros o valor correspondente ao prazo da an-
de financiamento de exportações junto ao tecipação.
Banco do Brasil ou ao Banco Central. c) Não. Nesse caso, o banco é obrigado a acres-
centar os juros do valor correspondente ao
182. As garantias reais exigidas são:
contrato.
a) Hipoteca que se trata de direito real constitu- d) Sim. Nesse caso, o banco é obrigado a acres-
ído a favor do credor, sobre um bem imóvel centar os juros do valor correspondente ao
do devedor ou até mesmo de terceiros para contrato.
deixá-lo em garantia da dívida contraída, sem,
e) Sim. Nesse caso, o banco é obrigado a dedu-
entretanto, tirá-lo da posse de seu verdadeiro
zir dos juros o valor correspondente ao prazo
dono. Por falta de pagamento, todavia poderá
da antecipação.
vir a perdê-lo.
b) Penhor trata-se de um direito real, que pode 185. Existe algum limite para as taxas de juros cobradas
ser constituído por instrumento público ou pelas instituições financeiras?
particular. Convencionalmente, define-se o a) Sim. As taxas são livremente negociadas pe-
contrato de penhor como uma limitação de las partes interessadas (você e a instituição)
posse e propriedade, que submete o em no contrato, e dependem da oferta e procura
móvel ou mobilizável, suscetível a penhor, a de dinheiro no mercado financeiro, dos riscos
constituir-se garantia de pagamento de uma presentes na economia, e até dos aconteci-
dívida. mentos internacionais.
c) Caução que não serve como garantia de ne- b) Sim. As taxas não são livremente negociadas
gócio pelas partes interessadas (você e a institui-
d) Alienação Fiduciária não é utilizada única e ção) no contrato, e dependem da oferta e
exclusivamente em operações contratuais de procura de dinheiro no mercado financeiro,
instituições financeiras. Ela vincula a transa- dos riscos presentes na economia, e até dos
ção do bem negociado como garantia real da acontecimentos internacionais.
dívida ou, mesmo em algumas ocasiões, para c) Não. As taxas são livremente negociadas pe-
refinanciamento dos próprios bens. las partes interessadas (você e a instituição)
e) Fiança e aval que são contratos através do no contrato, e dependem da oferta e procura
qual o banco garante o cumprimento da obri- de dinheiro no mercado financeiro, dos riscos
gação de seu cliente, junto a um credor em presentes na economia, e até dos aconteci-
favor do qual a obrigação deve ser cumprida. mentos internacionais.
183. O que é empréstimo bancário? d) Sim. As taxas são livremente negociadas
pelas partes interessadas (você e a institui-
a) É um contrato entre você e a instituição fi- ção) no contrato, e não dependem da oferta
nanceira pelo qual você recebe uma quantia e procura de dinheiro no mercado futuro, dos
que deverá ser devolvida ao banco em prazo ganhos presentes na economia.
determinado, acrescida dos juros acertados. e) Sim.
b) É um destrato entre você e a instituição não
financeira pelo qual você recebe uma quantia 186. No âmbito das medidas adotadas buscando a
38
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
redução do spread bancário no país, o Banco Central existentes no intervalo de 30 dias corridos, excluindo-
do Brasil iniciou, em outubro de 1999, a divulgação das se o primeiro dia útil e incluindo-se o último. Caso o
taxas de juros praticadas pelas instituições financeiras vencimento ocorra em dia não útil, considerar-se-á o
nas operações de crédito realizadas com recursos primeiro dia útil subseqüente.
livres. As informações são segregadas de acordo com
tipo de encargo: a) A taxa de juros total representa o custo da
operação para o cliente, sendo obtida pela
a) prefixado soma da taxa média e dos encargos fiscais e
b) posfixado operacionais.
c) taxas flutuantes b) A taxa de juros total representa o custo da
d) índices de preços operação para o cliente, sendo obtida pela
subtração da taxa média e dos encargos fis-
e) pessoas físicas e jurídicas cais e operacionais.
187. Encontram-se disponíveis também as séries his- c) A taxa de juros total representa o custo da
tóricas dos dados consolidados do sistema financei- operação para o cliente, sendo obtida pela
ro, que anteriormente estavam incluídos nos anexos multiplicação da taxa média e dos encargos
da publicação Nota para Imprensa Juros e Spread fiscais e operacionais.
Bancário. Destaca-se, nesse sentido, que, a partir das d) A taxa de juros total representa o custo da
modificações introduzidas pela Circular: operação para o cliente, sendo obtida pela
a) nº 2955, de 30.12.1997, as informações rece- divisão da taxa média e dos encargos fiscais
bidas das instituições financeiras passaram a e operacionais.
apresentar maior detalhamento e qualidade. e) A taxa de juros total representa o custo da
b) nº 2956, de 30.12.1998, as informações rece- operação para o cliente, sendo obtida pela
bidas das instituições financeiras passaram a potenciação da taxa média e dos encargos
apresentar maior detalhamento e qualidade. fiscais e operacionais.
c) nº 2957, de 30.12.1999, as informações rece- 190. Os encargos fiscais representam o custo do Impos-
bidas das instituições financeiras passaram a to Sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro (IOF)
apresentar maior detalhamento e qualidade. incidente nas operações de crédito. Diversos fatores
d) nº 2958, de 30.12.2000, as informações rece- como o prazo da operação, a clientela a quem se dire-
bidas das instituições financeiras passaram a ciona o crédito e o financiamento deste encargo pelas
apresentar maior detalhamento e qualidade. instituições financeiras explicam a variação observada
nos valores apresentados. Além disso, para cada mo-
e) nº 2959, de 30.12.2001, as informações rece- dalidade, os valores dos encargos fiscais são:
bidas das instituições financeiras passaram a
apresentar maior detalhamento e qualidade. a) médias aritméticas ponderadas pelas conces-
sões realizadas no período.
188. As taxas de juros de cada instituição financeira
representam médias geométricas ponderadas pelas
b) médias harmônicas ponderadas pelas conces-
concessões observadas nos últimos cinco dias úteis, sões realizadas no período.
período esse apresentado no ranking de cada modali- c) séries uniformes ponderadas pelas conces-
dade de operação de crédito. sões realizadas no período.
a) Como, em geral, as instituições praticam taxas d) séries descontinuas ponderadas pelas con-
diferentes dentro de uma mesma modalidade cessões realizadas no período.
de operação de crédito, a taxa média pode e) médias geométricas ponderadas pelas con-
diferir daquela cobrada de determinados clien- cessões realizadas no período.
tes.
191. As taxas mínimas e máximas buscam espelhar
b) Nesses casos, o cliente deve procurar a insti- a política operacional da instituição em cada linha de
tuição financeira respectiva para obter maiores crédito.
esclarecimentos.
c) A taxa de juros total representa o custo da a) A taxa mínima divulgada para cada modalida-
operação para o cliente, sendo obtida pela de é a menor das taxas mínimas observada
soma da taxa média e dos encargos fiscais e no período de cinco dias úteis e a taxa má-
operacionais. xima a maior das taxas máximas observada
para o mesmo período.
d) Caso o vencimento ocorra em dia não útil,
considerar-se-á o primeiro dia útil subseqüen- b) Pequenas operações tendem a apresentar
te para a taxa de juros preferencial. taxas mais altas, enquanto as operações de
pequeno valor, sem a exigência de garantias,
e) O financiamento da taxa de juros pelas tendem a apresentar taxas mais elevadas.
instituições financeiras explicam a variação
observada nos valores apresentados. c) Em geral, existe uma relação inversa entre as
taxas de juros e os volumes das operações de
189. Os juros efetivos mensais são formados pela crédito, em função das garantias envolvidas
capitalização das taxas efetivas-dia informadas pelas na operação.
instituições financeiras, pelo número de dias úteis d) A taxa máxima divulgada para cada modalida-
39
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
de é a maior das taxas mínimas observada no concessões.
período de cinco dias úteis e a taxa mínima a e) Grandes operações tendem a apresentar ta-
menor das taxas máximas observada para o xas mais baixas, enquanto as operações de
mesmo período. pequeno valor, sem a exigência de garantias,
e) Grandes operações tendem a apresentar ta- tendem a apresentar taxas mais elevadas.
xas mais baixas, enquanto as operações de
pequeno valor, sem a exigência de garantias, 194. As taxas de juros representam a média do mer-
tendem a apresentar taxas mais elevadas. cado e são calculadas a partir das taxas diárias das
instituições financeiras ponderadas por suas respec-
192. Os rankings de taxas são apresentados em ordem tivas concessões em cada data. São divulgadas sob a
alfabética de instituição ou por ordem crescente de formato de taxas anuais e taxas mensais.
taxa de juros total. a) As taxas médias mensais são obtidas pelo
a) Determinadas instituições concedem abono de critério de capitalização das taxas diárias
prazo na utilização do cheque especial. ajustadas para um período padrão de 21 dias
b) Todavia, isso não é considerado para efeito úteis.
das informações prestadas ao Banco Central b) As taxas de cheque especial constituem ex-
do Brasil e estas instituições se encontram ceção, pois considera-se o número de dias
assinaladas no ranking das taxas de cheque úteis contidos no período de 30 dias corridos
especial. contados na data de referência, incluindo-se
c) As instituições não relacionadas nos rankings o primeiro dia útil subseqüente caso o venci-
não operaram ou não prestaram informação mento ocorra em dia não útil.
ao Banco Central do Brasil para o respectivo c) As taxas anuais são calculadas elevando-se
período, estando, nesse segundo caso, su- a média geométrica das taxas mensais a 12
jeitas às penalidades previstas na legislação (meses).
vigente d) As taxas médias mensais são obtidas pelo
d) A taxa máxima divulgada para cada modalida- critério de capitalização das taxas diárias
de é a maior das taxas mínimas observada no ajustadas para um período padrão de 31 dias
período de cinco dias úteis e a taxa mínima a úteis.
menor das taxas máximas observada para o e) As taxas anuais são calculadas elevando-se
mesmo período. a média aritmética das taxas mensais a 12
e) Grandes operações tendem a apresentar ta- (meses).
xas mais baixas, enquanto as operações de
pequeno valor, sem a exigência de garantias, 195. Os bancos são classificados informalmente de
tendem a apresentar taxas mais elevadas. acordo com sua segmentação no mercado conforme
segue:
193. As informações consolidadas do sistema financei- a) Bancos de Varejo se dedicam a intermedia-
ro nacional são divulgadas para cada modalidade de ção de grandes operações tradicionalmente
crédito com a classificação por tipo de encargo e por conhecidas como de engenharia financeira.
categoria de tomador:
b) Bancos de Negócios trabalham com poucos
a) As instituições não relacionadas nos rankings e grandes clientes.
não operaram ou não prestaram informação
c) Bancos de Atacado trabalham com o grande
ao Banco Central do Brasil para o respectivo
público, muitos clientes, independente de ta-
período, estando, nesse segundo caso, su-
manho
jeitas às penalidades previstas na legislação
vigente d) Personal bank dá atendimento a grandes
empresas e, algumas vezes, até a bancos
b) A taxa máxima divulgada para cada modalida-
de menor porte. Em alguns casos os bancos
de é a maior das taxas mínimas observada no
especializaram-se mais ainda, existindo ban-
período de cinco dias úteis e a taxa mínima a
cos que atendem especificamente a câmbio,
menor das taxas máximas observada para o
outros a operações de mercados futuros e, até
mesmo período.
mesmo, alguns funcionando especificamente
c) Apresentam periodicidade mensal e referem- como consultoria financeira e/ou “hospital de
se ao volume total de crédito, às novas empresas”.
concessões efetuadas no período, às taxas
e) Corporate bank dá atendimento a pessoas
médias de juros, ao spread e, ainda, ao prazo
físicas de alta renda, pequenas e médias em-
médio e aos níveis de atraso das carteiras de
presas.
crédito.
d) Os dados relativos ao volume indicam o saldo 196. A captação de depósitos -> vista, livremente mo-
total do sistema financeiro no último dia de vimentáveis,
cada mês, enquanto que os valores relativos a) é atividade típica e distintiva dos bancos co-
às concessões totais (fluxo) são apresentados merciais, o que os configura como instituições
na forma de soma dos recursos liberados em financeiras monetárias.
cada mês e também como a média diária das
40
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
b) é a chamada captação a custo zero. O depó- qualquer bem móvel ou imóvel novo ou usado,
sito -> vista para o banco, é dinheiro gratuito. de fabricação nacional ou estrangeira, para
c) é o produto básico da relação entre o cliente e uma empresa sem que ela precise se desca-
o banco, pois através dela são movimentados, pitalizar
via depósito, cheques, ordens de pagamento d) a operação, regida por contrato, praticada
ou DOC, os recursos do cliente. diretamente entre o produtor de bens (ar-
d) é uma ordem de pagamento -> vista. rendador) e seus usuários (arrendatários),
podendo o arrendador ficar responsável pela
e) é obtida através do float (permanência de
manutenção do bem arrendado ou de qual-
recursos transitórios dos clientes nos bancos)
quer outro tipo de assistência técnica que seja
ou pela cobrança de tarifa de prestação de
necessária para seu perfeito funcionamento.
serviços.
e) uma operação de financiamento sob a forma
197. O produto mais importante desenvolvido pelas de locação particular, de médio a longo prazo,
instituições nos últimos 10 anos foi : com base em um contrato, de bens móveis
a) a cobrança bancária, um serviço indispensá- ou imóveis, onde intervém uma empresa de
vel para qualquer banco comercial. leasing (arrendador), a empresa produtora do
bem objeto do contrato (fornecedor) e a em-
b) a ordem de pagamento que informa aos clien- presa que necessita utilizá-lo (arrendatária).
tes todos os passos executados.
c) o cofre de aluguel que é um contrato de pres- 200. Títulos de Capitalização:
tação de serviço com tarifa única. a) são investimentos com características de um
d) a transferência automática entre contas cor- jogo onde se pode recuperar parte do valor
rentes pago na aposta. Sem a ajuda da sorte, o ren-
e) a arrecadação de tributos e tarifas públicas, dimento será inferior ao de um fundo ou uma
pois existem mais de 60 tipos diferentes. caderneta de poupança.
b) são regulamentados pela circular 23/91 da
198. Os cartões foram: SUSEP (Superintendência de Seguros Priva-
a) desenvolvidos única e exclusivamente para dos).
saques nos quiosques do banco 24 horas, c) são títulos cujas adesões somente podem ser
pois, têm a vantagem de eliminar a necessi- efetuadas pelos empregados de uma empresa
dade de ida a uma agência bancária. ou de um grupo de empresas, denominada(s)
b) desenvolvidos com recursos tecnológicos Patrocinadora(s).
que permitem ampliar a utilização dos cartões d) são contratos, bilaterais, que gera direitos e
magnéticos para outras finalidade além do uso obrigações de ambas as partes.
como meio para saque de dinheiro. e) é a aplicação mais simples e tradicional, sen-
c) desenvolvidos para os bancos, como garan- do uma das poucas, senão a única em que se
tia de recebimento pelos estabelecimentos pode aplicar pequenas somas e ter liquidez,
comerciais, rapidez na operação de venda e apesar da perda da rentabilidade para saques
eliminação das consultas prévias sobre a saú- fora da data de aniversário da aplicação.
de financeira dos clientes, com a conseqüente
economia de custos e de tráfego eletrônico. Para as questões de 201 a 220 avalie a correção das
informações. Atribua a letra V para as verdadeiras e F
d) desenvolvidos para cobrança de juros sobre para as falsas. Em seguida marque a opção que con-
o saldo credor, a partir do momento da com- tenha a seqüência correta.
pra.
e) desenvolvidos para aplicações em fundos de 201. Ações são como pedaços de uma “torta”. Quando
investimentos internacionais. você compra ações de uma empresa, é como se você
possuísse “fatias” desta empresa.
199. O leasing é:
( ) Os acionistas de uma empresa - em ge-
a) uma operação realizada mediante contrato, ral milhares de indivíduos e instituições -
na qual o dono do bem (arrendado) concede todos possuem uma parte do patrimônio
a outrem (arrendatário) a utilização do mesmo da empresa, uma participação que é uma
por prazo determinado. Trata-se de financia- fração do todo.
mento de médio a longo prazo, no sentido
( ) Os investidores compram ações porque
financeiro, podendo o contrato incluir cláusula
esperam auferir lucros.
prevendo sua renovação ou compra do bem
pelo arrendatário (opção de compra), ao final ( ) As empresas emitem dois tipos básicos de
do seu prazo de vigência. ações: ordinárias e preferenciais.
b) uma forma de ter sem comprar, dentro do a) V , F ,V
princípio de que o lucro vem da utilização do b) F, V, F
bem e não de sua propriedade. c) V, V, V
c) financiamento integralmente, a longo prazo, d) F, F, F
41
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) V, F, F ( ) A quantidade de dividendos é garantida
e paga antes dos dividendos pagos para
202. Ações Ordinárias: as ações ordinárias. Em caso de falência
( ) Ações Ordinárias são títulos representati- da empresa, os acionistas que possuem
vos do capital de uma empresa. Elas são ações preferenciais têm uma maior chance
vendidas inicialmente pela empresa sendo de recuperarem uma parte de seus inves-
depois negociadas entre os investidores. timentos.
Aqueles que as compram esperam receber ( ) Quando as empresas vendem ações, eles
dividendos - parte dos lucros da empresa estão transferindo aos investidores parte
- e esperam que o preço das ações do controle da empresa, cujos principais
suba, de modo que o investimento deles interesses estão nos lucros e nos dividen-
passe a valer mais. dos. Em troca, as empresas recebem di-
( ) Elas diferem das ações preferenciais em nheiro para seus investimentos (expansão
diversos aspectos, que em geral reduzem de seus negócios).
o risco do investidor, mas também podem a) V , V ,F
limitar o retorno. b) V, V, V
( ) A quantidade de dividendos é garantida e c) V, F, V
paga antes dos dividendos pagos para as
d) F, F, F
ações preferenciais. Em caso de falência
da empresa, os acionistas que possuem e) V, F, F
ações ordinárias têm uma maior chance
205. Blue Chips
de recuperarem uma parte de seus inves-
timentos. ( ) “BLUE CHIPS” é um termo originalmente
a) V , F ,V utilizado no “poker”, onde as “Blue Chips”
são as fichas mais valiosas.
b) F, V, F
( ) “BLUE CHIPS” é um termo utilizado para
c) V, V, V
fazer referência às ações das maiores e
d) F, F, F consistentemente lucrativas corporações.
e) V, F, F ( ) A lista de empresas “Blue Chips” não é
oficial e muda constantemente.
203. Ações ordinárias não oferecem nenhum tipo de
garantia de performance, mas ao longo do tempo têm a) V , F ,V b) F, V, F
produzido bons resultados quando comparados com c) V, V, V d) F, F, F e) V, F, F
os de outras alternativas de investimento:
206. O valor das ações pode variar a qualquer
( ) As ações ordinárias não dão direito -> voto momento,dependendo das condições de mercado,
na AGE - Assembléia Geral Extraordi- das percepções dos investidores, ou por uma série de
nária. outras razões.
( ) O risco que os investidores assumem
( ) Quando investidores investem nas ações
quando eles compram ações são os de
de uma empresa eles acreditam que a
que a empresa na qual estão investindo
empresa terá prejuizo ou que o valor das
não tenha bons resultados financeiros, ou
ações da empresa cairá. Mas se os investi-
que os preços de ações em geral caiam.
dores acham que o panorama é bom, e não
No pior dos casos é possível perder todo
investem - ou vendem as ações que eles
o investimento - mas não mais do que
já possuem - o preço da ações em geral
isto.
irá subir.
( ) Os acionistas não são responsáveis pelas
( ) Investidores que compram ações acreditam
dívidas da empresa.
que o valor das ações que está comprando
a) V , F ,V vai cair. Investir é como um jogo, mas não
b) F, V, F é como apostar em “cavalos”. Uma aposta
c) V, V, V de longo prazo pode se mostrar válida
mesmo quando a maioria aposta apenas
d) F, F, F
nos favoritos.
e) V, F, F
( ) No mercado de ações a “aposta” em si não
204. Ações Preferenciais: pode influenciar o resultado.
a) V , F ,V b) F, V, F
( ) Ações Preferenciais também são títulos
representativos do capital de uma empre- c) V, V, V d) F, F, F e) V, F,
sa emitidos pela empresa e negociados F
por investidores. Elas diferem das ações
207. Algumas pessoas investem em ações para re-
ordinárias em diversos aspectos, que em ceber dividendos pagos periodicamente. Dividendos
geral reduzem o risco do investidor, mas são uma parte do lucro de uma empresa pago a seus
também podem limitar o retorno.
42
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
acionistas. da empresa
( ) Se a empresa ABC declara um dividendo ( ) A existência de novos mercados para a
anual de R$ 3,00 por ação, e você pos- empresa
sui 100 ações, você receberá R$ 300,00 ( ) Pontos fortes e fracos dos dirigentes da
naquele ano, ou partes deste valor pago empresa
semestralmente. ( ) Ambiente econômico geral no qual a em-
( ) O corpo diretivo de uma empresa decide o presa opera
quanto a empresa pagará de dividendos, a) V , F ,V, V, F b) F, V, F, V, V
ou até mesmo se a empresa pagará algum
dividendo. c) V, V, V, F, F d) V, V, V, V,V
( ) Apenas grandes empresas já amadurecidas e) V, F, F, F, V
pagam dividendos. Empresas menores em 211. Na primeira emissão de ações que uma empresa
geral precisam reinvestir os seus lucros faz, diz-se que ela “abriu capital”. Após este primeiro
para continuar crescendo. lançamento a empresa pode levantar capital adicional
a) V , F ,V b) F, V, F vendendo ações adicionais. Para o crescimento de uma
empresa são necessários recursos de capital, não só
c) V, V, V d) F, F, F e) V, F,
para o investimento direto em instalações, máquinas,
F
como também em capital de giro para o dia-a-dia da
208. Nem todas as ações têm o mesmo tipo de compor- empresa. Para tanto a Companhia pode contar princi-
tamento. Uma das características básicas geralmente palmente com as seguintes fontes de recursos:
associadas às ações é o como o valor da ação está ( ) Nova inversão de capital por parte dos atu-
relacionado com as condições gerais da economia. ais acionistas;
( ) Se diz que o comportamento das ações é ( ) Aumento no endividamento junto a institui-
“cíclico” se o seu valor for altamente de- ções financeiras ;
pendente do estado geral da economia. ( ) Diminuições de outras exigibilidades da
( ) Quando a economia está aquecida, os empresa como, por exemplo, fornecedo-
rendimentos destas empresas caem rapi- res;
damente. ( ) Aumento de capital através da procura de
( ) Ações de companhias aéreas e hotéis são novos quotistas.
tipicamente fixas: as pessoas tendem a a) V , F ,V, V b) F, V, F, V
cortar seus gastos com viagens quando a
economia desaquece. c) V, V, F, F d) V, V, V,V e) V, F,
F, V
a) V , F ,V b) F, V, F
c) V, V, V d) F, F, F e) V, F, 212. Alguns requisitos devem ser atendidos, antes que
F se promova a abertura de capital, tais como:
( ) Proceder, se necessário, a uma reorgani-
209. A maioria das pessoas compra ações para ganhar
dinheiro através de “Ganhos de Capital”, isto é, o ganho
zação societária, através da criação de no-
obtido pela venda das ações a um valor maior do que o vas empresas, cisões ou fusões. Um caso
pago no ato da compra. Se você comprar 1.000 ações da comum é a criação de uma holding, com
empresa ABC por R$ 50,00 cada (investimento total de participações nas empresas do grupo, para
R$ 50.000,00), e vendê-las a R$ 65,00 cada (valor total que esta efetue a abertura de capital.
de R$ 65.000,00), você estará realizando: ( ) No caso de ser uma empresa limitada, fazer
( ) um ganho de capital de R$ 15,00 por ação, a sua conversão em S.A.
ou um total de R$ 15.000,00. ( ) O estatuto deve prever dispositivos que
( ) um lucro de capital de R$ 65,00 por ação ou facilitem a administração da empresa como
um total de R$ 65.000,00 Companhia aberta.
( ) Todo o valor do ganho irá para o seu bol- ( ) Criação do Conselho de Administração e
so eleição dos seus membros.
a) V , F ,V b) F, V, F a) V , F ,V, V b) F, V, F, V
c) V, V, V d) F, F, F e) V, F, F c) V, V, F, F d) V, V, V,V e) V, F,
F, V
210. O segredo para ganhar dinheiro investindo em
ações é fácil de enunciar, mas difícil de fazer: “comprar 213. Conforme os direitos e vantagens que oferecem a
ações antes que outros investidores queiram comprá-la seus titulares, as ações de uma S.A. podem ser: Ordi-
e vendê-la antes que outros investidores resolvam ven- nárias ou Preferenciais. Sendo:
dê-la. Acertar esse timing significa estar atentos a: ( ) Ações que dão direito a voto, além de
( ) A taxa de crescimento dos lucros da em- participar dos resultados da Cia; (Prefe-
presa renciais)
( ) A competitividade do produto ou serviço ( ) Conferem vantagem de ordem patrimonial,

43
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
tais como: prioridade na distribuição de etc...........;
dividendos e prioridade de reembolso de ( ) Durante a estruturação da operação é
capital, em caso de liquidação da Cia. (Or- elaborada a estratégia de colocação das
dinárias) ações no mercado. A venda das ações
( ) Qualquer composição, reduz o risco do in- é anunciada na mídia financeira. Esses
vestidor, e não podem limitar o retorno anúncios são comumente conhecidos por
a) V , F ,V b) F, V, F c) V, F, Tombstones por causa de sua forma;
F ( ) Finalmente as ações são colocadas a venda
d) V, V,V e) F, F, F junto ao público.
a) V , F ,V, V, F b) F, V, F, V, V
214. As ações podem ser escriturais ou nominativas.
As S.A.s podem emitir até: c) V, V, V, F, F d) V, V, V, V,V
e) V, F, F, F, V
( ) 1/2 em ações preferenciais e 1/2 em ações
ordinárias. 218. Comprar e Vender ações não é difícil, mas o
( ) 2/3 em ações preferenciais e 1/3 em ações processo tem suas próprias regras, uma linguagem
ordinárias. peculiar e um conjunto de pessoas envolvidas para
fazê-lo funcionar. Cerca de 1 milhão de brasileiros
( ) 1/3 em ações preferenciais e 2/3 em ações investem de alguma forma em ações. Boa parte deles
ordinárias. compra e vende ações através de uma corretora: em-
a) V , F ,V b) F, V, F c) V, F, presa financeira credenciada junto a bolsa de valores.
F Em corretoras tradicionais as ordens de compra e
d) V, V,V e) F, F, F venda são executadas por “operadores” habilitados
pela bolsa. Podemos destacar os passos abaixo para
215. A empresa poderá decidir realizar a subscrição de a execução das ordens:
forma privada ou pública. ( ) O cliente liga para a bolsa e após conversa
( ) Na forma privada, somente terão acesso os com o operador determina a operação que
atuais acionistas da empresa. deseja fazer. Nessa hora o cliente estabe-
( ) Na subscrição pública existe a procura de lece as condições de compra ou venda das
novos acionistas. ações.
( ) Na subscrição privada a emissão deverá ( ) O operador executa a ordem via terminal,
obrigatoriamente ser submetida a prévio ou repassa a ordem ao “operador de pre-
registro na CVM e ser intermediada por gão” para que ela seja executada conforme
instituição financeira. especificado pelo cliente. Sempre a ordem
é executada pois os valores de mercado
a) V, V, F b) F, V, F c) V, F, F das ações não oscilam.
d) V, V,V e) F, F, F ( ) O operador não confirma a execução para
216. O trabalho realizado para o lançamento das ações o cliente e não registra a operação em seu
de uma empresa compreende: sistema.
( ) Em seguida o pessoal de retaguarda recebe
( ) Coordenação - serviço de montagem e es- a confirmação e providencia a liquidação
truturação da operação. virtual.
( ) Garantia - garantia de que os títulos se- a) V , F ,V, V
rão inteiramente colocados no mercado;
b) F, V, F, V
( ) Colocação - colocação das ações no mer-
cado junto aos investidores. c) V, V, F, F
a) V, V, F b) F, V, F c) V, F, F d) V, V, V,V
d) V, V,V e) F, F, F e) F, F, F, F

217. O processo normalmente transcorre da seguinte 219. Relacione as colunas e assinale a alternativa
maneira: correta:

( ) A empresa demonstra interesse em abrir


seu capital; ( ) A3 – B1 – C2
( ) A equipe responsável entra em ação e ana- ( ) A2 – B3 – C1
lisa a operação;
( ) A1 – B2 – C3
( ) Se a avaliação for positiva, a área de emis-
são de ações (underwriting) elabora um a) V, V, F
documento chamado “mandato”; b) F, V, F
( ) Caso a empresa aceite o “mandato” a área c) V, F, F
de underwriting estrutura a operação, isto d) V, V,V
é, volume, preço, documentação junto a e) F, F, F
CVM, contratos, road shows, sindicato,
44
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
220. Um dos aspectos mais fascinantes do mercado III -O resultado final do trabalho do analista é
de ações é a formação dos preços. Os preços são for- um relatório completo onde são apresen-
mados em pregão pela dinâmica das forças de oferta tados os principais números da empresa,
e demanda de cada papel, o que torna a cotação pra- as premissas utilizadas para projetar os
ticada um indicador confiável do valor que o mercado resultados futuros e finalmente uma indica-
atribui às diferentes ações. A maior ou menor oferta ção quanto -> compra ou venda das ações
e procura por determinado papel está diretamente da empresa.
relacionada ao comportamento histórico dos preços
e, sobretudo, às: IV -A qualidade dos relatórios se mede pelo
seu conteúdo, pelo cuidado na seleção das
( ) perspectivas futuras da empresa emissora, fontes das informações, mas principalmen-
aí incluindo-se sua política de dividendos, te pelas premissas utilizadas pelo analista
( ) prognósticos de expansão de seu mercado para chegar a resultados confiáveis.
e dos seus lucros, a) I e II
( ) influência da política econômica sobre as b) I e III
atividades da empresa, etc. c) I e IV
a) V, V, F d) II e IV
b) F, V, F e) II e III
c) V, F, F
d) V, V,V 223. Balanços Patrimoniais:
e) F, F, F I - Todos os dados que as Companhias Lis-
tadas enviam -> BOVESPA, inclusive as
Para as questões de 221 a 230, complete a proposição Informações Anuais (IAN) sobre seus ba-
abaixo com as alternativas I, II, III e IV. A seguir assinale lanços e balancetes, estão -> disposição
a resposta que contém, somente as opções que resul- dos investidores para consulta e aquisição
tam numa proposição verdadeira. de cópias das informações, no CIB - Centro
de Informações Bovespa,.
221. As definições abaixo referem-se ao mercado de
ações: II - A Bovespa cobra uma taxa de R$ 0,10 por
folha (cada balanço apresenta mais ou me-
I - Geralmente você só pode comprar ações nos 20 folhas).
em múltiplos de 100, 1000, etc, o que se III -Os balanços também podem ser consulta-
costuma chamar de “lotes redondos”. dos no site da CVM - Comissão de Valores
II - A compra de lotes pequenos ou quebrados Mobiliários.
é em geral mais simples e é feita no “mer- IV – As informações acima se referem às ana-
cado fracionário”. lises grafológicas
III- Informações atualizadas sobre o mercado a) I e II
são como o “oxigênio” para o investidor:
cotações, notícias, boletins, análises de b) I e III
empresas e da economia, alertas. c) I e IV
IV -As informações sobre a economia e sobre d) II e IV
empresas específicas só são encontradas e) II e III
nas revistas especializadas.
a) I e II 224. Rentabilidade é variável. Parte dela, composta de
dividendos ou participação nos resultados e benefícios
b) I e III concedidos pela empresa, advém da posse da ação;
c) I e IV outra parte advém do eventual ganho de capital na
d) II e IV venda da ação.
e) II e III I - O dividendo obrigatório sofre exceção
nas Cias fechadas, que podem distribuir
222. No que se refere -> Análise de Investimentos: percentual inferior, desde que não haja
I - Diversos bancos de investimento e correto- oposição de qualquer acionista presente
ras possuem uma equipe de analistas que na assembléia que deliberar sobre o as-
acompanham e analisam os diversos seto- sunto. O dividendo não será obrigatório,
res da economia. Dada a relevância e porte desde que ele seja incompatível com a
de algumas empresas muitos analistas se situação financeira da cia. A distribuição
especializam em uma única empresa. de dividendos está regrada pela Lei 6404,
de 15/12/76.
II - Esses profissionais se utilizam de inúme-
ras fontes de informação para gerarem II - Dividendos - A participação nos resulta-
seus relatórios: notícias, resultados finan- dos de uma sociedade é feita sob a forma
ceiros das empresas, entrevistas com os de distribuição de dividendos em dinheiro,
principais executivos, etc. em percentual a ser definido pela empresa,
de acordo com os seus resultados, referen-
45
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
tes ao período correspondente ao direito. deseja comprar ou vender. A corretora de-
Por lei, no mínimo 35% do lucro líquido do verá executar a ordem a partir do momento
exercício devem ser distribuídos aos acio- que recebê-la.
nistas. II - Ordem Discricionária - O investidor
III - Bonificação - Advém do aumento especifica somente a quantidade e as ca-
de capital de uma sociedade, mediante a racterísticas dos valores mobiliários ou
incorporação de reservas e lucros, quan- direitos que deseja comprar ou vender.
do são distribuídas gratuitamente novas A execução da ordem ficará a critério da
ações a seus acionistas, em número pro- corretora.
porcional às já possuídas. Não implica III - Ordem Administrada - A pessoa fí-
em alteração patrimonial, pois o preço em sica ou jurídica que administra carteira de
bolsa é reajustado na mesma proporção. títulos e valores mobiliários ou um repre-
IV - Subscrição - É o direito de aquisi- sentante de mais de um cliente estabele-
ção de novo lote de ações pelos acionistas cem as condições de execução da ordem.
- com preferência na subscrição - IV - Ordem a Mercado - A operação será exe-
em quantidade proporcional às possuídas, cutada por um preço igual ou melhor que
em contrapartida -> estratégia de aumento o indicado pelo investidor.
de capital da empresa. O acionista poderá
a) I e II b) I e III
transferir o direito de subscrição a tercei-
ros, através de venda desse direito em c) I e IV d) II e IV e) II e
pregão. III
a) I e II 227. Tipos de ordem de compra ou venda:
b) I e III
I- Ordem Casada - O investidor define
c) I e IV a ordem de venda de um valor mobiliário
d) II e IV ou direito de compra de outro, escolhendo
e) II e III qual operação deseja ver executada em
primeiro lugar. Os negócios somente serão
225. A realização de negócios no mercado -> vista requer efetivados se executadas as duas ordens.
a intermediação de uma corretora que está credenciada II - Ordem de Financiamento - O investidor
a executar, em pregão, a ordem de compra ou venda de determina uma ordem de compra ou venda
seu cliente, através de um de seus operadores. de um valor mobiliário ou direito em de-
I - Viva Voz - Os representantes das corre- terminado mercado e, simultaneamente, a
toras apregoam suas ofertas de viva voz, venda ou compra do mesmo valor mobiliá-
especificando o nome da empresa, o tipo rio ou direito no mesmo ou em outro mer-
da ação e a quantidade e preço de compra cado, com prazo de vencimento distinto.
ou de venda. III - Ordem “On-Stop” - O investidor determi-
II - No pregão de Viva Voz, são negociadas na o preço mínimo pelo qual a ordem deve
apenas as ações de maior liquidez. ser executada.
III -Sistema Eletrônico de Negociação - É um IV - Ordem a Mercado - A operação será exe-
sistema que permite as corretoras cumprir cutada por um preço igual ou melhor que
as ordens de clientes diretamente de seus o indicado pelo investidor.
escritórios. Pelo S.E.N., a oferta de compra a) I e II b) I e III
ou venda é feita através de terminais de c) I e IV d) II e IV e) II e
computador. III
IV -O encontro das ofertas e o fechamento
de negócios é realizado automaticamente 228. ADRs - AMERICAN DEPOSITARY RECEIPTS são
pelos computadores. recibos que representam ações de um emissor estran-
geiro que se encontram depositadas e sob custódia de
Horário de negociação: das 10.30 às 17.30 hs
um determinado banco no país de origem.
(Viva Voz e Sistema Eletrônico de Negocia-
ção). I - Tais recibos são emitidos por um banco
a) I e II americano e negociados nos EUA.
b) I e III II - Negocia-se também de Londres e do Brasil,
porém, para tal, necessita-se de um siste-
c) I e IV
ma americano de negociação. Exemplo:
d) II e IV Instinet.
e) II e III III - Os ADRs são o caminho natural para que
uma empresa “estrangeira” (brasileira,
226. Tipos de ordem de compra ou venda:
argentina, alemã) se torne conhecida no
I - Ordem Limitada - O investidor especifi- mercado americano.
ca somente a quantidade e as característi- IV - Uma emissão de novas ações seria um
cas dos valores mobiliários ou direitos que
46
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
caminho mais difícil, pelo fato de que o todo e qualquer modo de negociação fora
mercado poderia não conhecer a empresa da bolsa de valores que envolva a negocia-
e a emissão poderia ser um fracasso. ção de um título listado em bolsa.
a) I e II b) I e III a) I e II b) I e III
c) I e IV d) II e IV e) II e c) I e IV d) II e IV e) II e
III III
229. Existem três níveis de ADRs: 231. As afirmações abaixo referem-se ao Mercado de
Opções?
I - O Nível 1:No mercado de ADRs se pode
ficar vendido com bastante facilidade em a) Mercado em que são negociados direitos de
determinada ação o que facilita muito al- compra ou venda de um lote de ações, com
gumas estratégias preços e prazos de exercício preestabeleci-
II - O Nível 2: Normalmente, é o caminho mais dos.
utilizado, uma vez que não envolve a emis- b) Todas as ações de emissão de empresas
são de novas ações e a legislação quanto admitidas -> negociação na Bolsa, bem como
às responsabilidades da empresa são um direitos e recibos de subscrição, recibos de
pouco mais brandas. Alguns exemplos das carteira selecionada de ações e outros ativos
responsabilidades da empresa são quanto autorizados pela BOVESPA.
-> disponibilização de seu balanço, que c) Por esses direitos, o titular de uma opção
deve ser feito nos moldes americanos e di- paga um prêmio, podendo exercê-los até a
vulgado em jornais de circulação nacional data de vencimento (no caso de opção no es-
nos EUA. tilo americano) ou na data de vencimento (no
III - O Nível 3 funciona como um “upgrade” do caso de opção no estilo europeu), ou revendê-
nível um. Compreende a listagem do papel los no mercado.
em uma das bolsas de valores americanas, d) O lançador de uma opção de venda é uma
o que cria novos custos e obrigações tais pessoa que, por intermédio de seu corretor,
como: periodicidade na divulgação dos vende uma opção de compra no pregão, as-
balanços, taxas pagas -> bolsa para lista- sumindo assim, perante a Bolsa, a obrigação
gem, etc. de vender as ações-objeto a que se refere a
IV - O Nível 4 só é utilizado quando a empresa opção,
quer captar dinheiro com a emissão de no- e) O recebimento de uma comunicação de que
vos papéis, o que envolve uma legislação sua posição foi exercida fará com ele entregue
bastante complexa e custos altos, sendo a totalidade das ações-objeto mediante o pa-
por isso uma alternativa bem menos uti- gamento do preço de exercício.
lizada.
a) I e II b) I e III 232. Opção de Compra:
c) I e IV d) II e IV e) II e III a) Uma opção de compra dá ao seu titular o
direito de vender as ações-objeto, ao preço
230. Métodos de Negociação Bolsa de Valores America- de exercício, obedecidas as condições esta-
na & Nasdaq - A negociação em bolsas americanas belecidas pela BOVESPA. Além disso o titular
pode ser bastante diferente da nossa em alguns casos, pode, a qualquer tempo, negociar o seu direito
por exemplo: de vendas em mercado, por meio da realiza-
I - Short position - Este é um detalhe ção de uma operação de natureza oposta.
importante que o mercado de ADRs nos b) O lançador que, por intermédio de seu corre-
proporciona. No Brasil as únicas maneiras tor, vende uma opção de compra no pregão,
de ficarmos “vendidos” no mercado de assume perante a Bolsa a obrigação de
ações, são através do índice futuro ou de comprar as ações-objeto, caso sua posição
opções. No mercado de ADRs se pode ficar seja designada para o atendimento de uma
vendido com bastante facilidade em deter- operação de exercício. Nesse caso, ele paga-
minada ação o que facilita muito algumas rá o preço de exercício, recebendo as ações-
estratégias . objeto.
II - Para isso toma-se um empréstimo de c) Uma opção de compra confere ao seu titular o
ações, o que no mercado Americano é uma direito de comprar as ações-objeto-, ao preço
prática comum. Para tal necessitamos de de exercício, obedecidas as condições esta-
uma Margin Account com alguma institui- belecidas pela BOVESPA.
ção americana. d) O lançador de uma opção de compra é uma
III - Opções de venda - Instrumento raramen- pessoa que, por intermédio de seu corretor,
te utilizado no Brasil, e que nos EUA, no vende uma opção de compra no pregão, assu-
caso de alguns ADRs tem bastante liqui- mindo assim, perante a Bolsa, a obrigação de
dez. Exemplo: Telebras. vender as ações-objeto a que se refere a op-
IV - “Third Market” nos E.U.A. é considerado ção, após o recebimento de uma comunicação
47
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
de que sua posição foi exercida. Ele entregará 235. Quando uma série de opções tem sua negociação
a totalidade das ações-objeto mediante o pa- em pregão autorizada, permanece válida até o seu
gamento do preço de exercício. vencimento, embora possam ser introduzidas novas
séries, com diferentes preços de exercício. A Bolsa
e) As alternativas a e b estão corretas
pode, porém, suspender,a qualquer instante, as au-
233. Opção de Venda torizações para lançamento e/ou negociação.Isso em
geral acontece com:
a) Uma opção de venda confere ao seu titular o
direito de comprar as ações-objeto-, ao preço a) as série que não apresentam posições em
de exercício, obedecidas as condições esta- aberto e cujos preços de exercício sejam mui-
belecidas pela BOVESPA. to diferentes dos preços de mercado. Séries
com posições em aberto não têm sua nego-
b) O lançador de uma opção de venda é uma ciação suspensa, salvo em casos especiais.
pessoa que, por intermédio de seu corretor,
vende uma opção de compra no pregão, assu- b) as série que apresentam posições em aberto
mindo assim, perante a Bolsa, a obrigação de e cujos preços de exercício sejam muito dife-
vender as ações-objeto a que se refere a op- rentes dos preços de mercado.
ção, após o recebimento de uma comunicação c) as série que não apresentam posições em
de que sua posição foi exercida. Ele entregará fechado e cujos preços de exercício sejam
a totalidade das ações-objeto mediante o pa- iguais aos preços de mercado.
gamento do preço de exercício. d) as série que não apresentam posições em
c) Uma opção de venda dá ao seu titular o direito aberto e cujos preços de exercício sejam
de vender as ações-objeto, ao preço de exer- iguais aos preços de mercado. Séries com
cício, obedevida as condições estabelecidas posições em aberto não têm sua negociação
pela BOVESPA. Além disso o titular pode, suspensa, salvo em casos especiais.
a qualquer tempo, negociar o seu direito de e) as série que apresentam posições em fechado
vendas em mercado, por meio da realização e cujos preços de exercício sejam muito dife-
de uma operação de natureza oposta. rentes do valor patrimonial.
d) O lançador que, por intermédio de seu corre-
tor, vende uma opção de venda no pregão, as- 236. As operações no mercado de opções somente po-
sume perante a Bolsa a obrigação de comprar dem ser efetuadas por sociedade corretora autorizada
pela BOVESPA, observando-se, na sua realização, o
as ações-objeto, caso sua posição seja desig-
disposto no regulamento de Operações no Mercado
nada para o atendimento de uma operação de
de Opções.
exercício. Nesse caso, ele pagará o preço de
exercício, recebendo as ações-objeto. a) São permitidas operações de “ day-trade”, ou
e) As alternativas c e d estão corretas seja, a compra e a venda da mesma série ,
em um mesmo pregão, por uma mesma so-
234. Principais termos utilizados no mercado de op- ciedade corretora e por conta de um mesmo
ções. comitente(aplicador).
a) Prêmio – Preço de Opção -> Em função dos b) A liquidação dessas operações, exclusiva-
direitos adquiridos e das obrigações assumi- mente financeira, é feita pelo saldo. No dia
das no lançamento, o titular (comprador) paga do vencimento da opção não é permitida a
e o lançador recebe uma quantia denominada realização de tais operações.
prêmio. c) A Bovespa, segundo o regulamento vigente,
b) O prêmio, ou preço da opção, é negociado pode impor restrições ao mercado de opções
entre comprador e lançador, por meio de sempre que for aconselhável, considerados o
seus representantes no pregão da Bolsa. Ele interesse do mercado, a proteção do investi-
reflete fatores como a oferta e a demanda, o dor ou o objetivo de manter o mercado justo e
prazo de vigência da opção, a diferença en- ordenado.
tre o preço de exercício e o preço a vista da d) A suspensão da ação-objeto no mercado a
ação-objeto, a volatilidade de preço bem como vista implica, normalmente, a suspensão das
outras características da ação objeto. negociações com suas opções.
c) Ativo objeto -> é o ativo sobre o qual a opção e) A suspensão das negociações com suas
é lançada (ações e índices). opções, entretanto pode acontecer indepen-
d) Mês de vencimento -> é o mês em que expira dentemente do comportamento da ação no
a opção. No BOVESPA, os vencimentos ocor- mercado a vista , sempre com o objetivo único
rem nos meses pares e no mês impar mais de regular o comportamento do mercado de
próximo, na terceira segunda-feira do mês de opções.
vencimento.
As séries de opção autorizadas pela BOVESPA são
e) Preço de Exercício -> é o preço pelo qual será identificadas pelo símbolo do ativo-objeto associado
exercida a opção. Os preços de exercício das a uma letra e a um número. A letra identifica se é uma
opções são determinados pela Bolsa, segun- opção de compra ou de venda e o mês de vencimento
do critérios por ela estabelecidos. (ver quadro abaixo), e o número indica um determinado
48
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
preço de exercício: atender o exercício:
e) a adquirir as ações em mercado a um preço
talvez inferior ao preço de exercício menos o
Exemplos: prêmio recebido.
PETR H18 – Opção de Compra sobre Petrobrás PN, e) a vender as ações em mercado a um preço
com vencimento em agosto e preço de exercício de $ 180,00 talvez superior ao preço de exercício menos
por lote de mil ações.* o prêmio recebido.
VALE V3- Opção de venda sobre do Rio Doce PNA, e) a adquirir as ações em mercado a um preço
com vencimento em outubro e preço de exercício de $ 30,00 talvez inferior ao preço de exercício mais o
por ação.* prêmio recebido.
e) a vender as ações em mercado a um preço
(*) A identificação das séries autorizadas e seus res-
talvez superior ao preço de exercício mais o
pectivos preços de exercício são divulgadas diariamente pela
prêmio recebido.
BOVESPA.
e) a adquirir as ações em mercado a um preço
237. No jornal Gazeta Mercantil encontramos as nota- talvez superior ao preço de exercício mais o
ções abaixo. Identifique o tipo de opção, vencimento e prêmio recebido.
o preço de exercício por lote de mil ações. Relacione
as colunas e assinale a alternativa correta: Complete a proposição abaixo com as alternativas I,
II, III e IV. A seguir assinale a resposta que contém,
somente as opções que resultam numa proposição
a) A1, B2, C3, D4, E5 verdadeira.
b) A2, B3, C4, D5, E1 240. Com referência a lançamento a descoberto:
c) A3, B4, C5, D1, E2
I - O lançamento descoberto é, portanto, mais
d) A4, B5, C1, D2, E3 aconselhável para aplicadores acostuma-
e) A5, B1, C2, D3, E4 dos a riscos maiores e com capacidade
financeira suficiente para atender a cha-
238. Uma opção é considerada descoberta quando o madas de recomposição de margem (em
lançador não efetua o deposito da totalidade das ações casos de prejuízos na posição descoberta)
–objeto.Nesses casos, o lançador descoberto deve e/ou comprar as ações-objeto para cober-
atender a exigência de margem por meio do deposito
tura de posição ou entrega definitiva, caso
de ativos aceitos em garantia pela CBLC (ações que
compõem o índice Bovespa, títulos públicos federais
ocorra o exercício.
e privados, cartas de fiança bancária incondicionada II - O lançador descoberto que julgar conve-
e outros). A exigência de margem é reavaliada dia- niente pode, -> semelhança do coberto,
riamente. Essa operação serve aos aplicadores que fechar sua posição para encerrar suas
acreditam em: obrigações, e apurar o lucro ou prejuízo
até então acumulado.
a) uma queda nos preços, e que , portanto, lan-
çam opções sobre ações que não possuem ou III – O lançador descoberto pode, também,
que pretendem vender rapidamente. cobrir sua posição, depositando as ações
–objeto da opção.
b) um aumento nos preços, e que , portanto,
lançam opções sobre ações que não possuem IV – O lançador a descoberto pode fechar
ou que pretendem vender rapidamente. sua posição e desta forma encerrar a obri-
gação assumida, liberando suas ações
c) queda nos preços, e que , portanto, lançam
para a venda
opções sobre ações que possuem e que não
pretendem vender rapidamente. a) I e II b) I e III
d) aumento nos preços, e que , portanto, lançam c) I e IV d) II e IV e) II e
opções sobre ações que possuem e que não III
pretendem vender rapidamente.
241. O Exercício da Opção é a operação pela qual o
e) Nenhuma das respostas anteriores titular de uma opção de compra exerce seu direito de
comprar o lote de ações a que se refere a opção de
239. Se o mercado realmente cair, o lucro dos aplicado- exercício. Da mesma forma, o titular de uma opção de
res (no caso o recebimento do prêmio) estará assegu- venda exerce o seu direito de vender o lote de ações
rado. Mas , se o preço da ação-objeto superar o preço a que se refere a opção, ao preço de exercício.A ocor-
de exercício da opção, o lançador poderá, a qualquer rência de distribuição de proventos para a ação-objeto
momento, até a data do vencimento, ser designado provocará alterações nas séries até então autorizadas,
para atender o pedido de exercício e entregar as ações que serão ajustadas, nos casos de proventos em
a que se refere -> opção. O risco envolvido nessa se- ____________e de direitos de preferência, no ________
gunda hipótese é ilimitado, pois além das chamadas dia de negociação “ ex-direito” do papel objeto. Já no
de recomposição de margem-que ocorrerão -> medida caso de proventos em títulos, o ajuste será efetivado
que o prêmio de opções desta série for se elevando-, somente no exercício.
o lançador descoberto estará sujeito, se designado a

49
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
a) Dinheiro - Terceiro primeiro dia de negociação ex-direito.
b) Títulos - Primeiro a) I e II b) I e III c) I e IV
c) Dinheiro - Primeiro d) II e IV e) II e III
d) Ações - Primeiro
244. Com referencia a Limites ao Exercício de Opções,
e) Ações - Terceiro temos as afirmativas abaixo:
242. O número de ações-objeto da opção e/ou o preço I - As opções de estilo europeu podem ser
efetivamente pago por ação no exercício estão sujeitos exercidas a partir do pregão subseqüente
ajustes nos casos de distribuição de dividendos, juros -> realização da compra, até o vencimento,
sobre o capital próprio, outros proventos em dinheiro, em horário definido pela BOVESPA.
bonificações, subscrições, fracionamentos, grupamen- II - As opções de estilo americano somente
tos e reorganizações que digam respeito -> ação-objeto
podem ser exercidas na data de vencimen-
ou a seu emissor. Se uma ação-objeto, durante o perí-
odo de vigência da opção, distribuir dividendos ,juros
to.Porém , se a BOVESPA julgar necessá-
sobre o capital próprio ou qualquer outro provento em rio, para garantia da ordem no mercado,
dinheiro, o valor líquido recebido será deduzido do pode antecipar o horário limite para o
preço de exercício da série, a partir do primeiro dia de exercício no dia do vencimento, ou mesmo
negociação ex-direito. Exemplo: se o preço de exercício suspender a realização das operações de
é de $ 200,00 , e ocorre a distribuição de juros sobre o exercício.
capital próprio no montante líquido de $ 20,00, o preço III -Caso uma ação tenha a sua negociação
de exercício será ajustado para: suspensa no mercado a vista , ficam auto-
a) $ 180,00 b) $ 220,00 maticamente suspensas as operações de
exercício de opções sobre aquela ação. Se
c) $ 200,00 d) $ 240,00 e) $ a suspensão abranger um dos dois últimos
160,00 dias de prazo de vigência da opção, serão
Para as questões de 243 a 250, complete a proposição permitidos apenas a negociação para en-
abaixo com as alternativas I, II, III e IV. A seguir assinale cerramento o exercício das vincendas no
a resposta que contém, somente as opções que resul- período.
tam numa proposição verdadeira. IV -Se o pedido de exercício recair sobre
posições descobertas, o prazo para li-
243. As afirmativas a seguir se refere ao exercício da quidação das operações será contado a
opção: partir do primeiro dia útil após o término
I - Fracionamento e bonificações- o u da suspensão.
quaisquer outras distribuições que au- a) I e II
mentem o número de ações da empresa b) I e III
emissora das ações-objeto – têm o efeito c) I e IV
de elevar, na mesma proporção o número
de ações-objeto cobertas pela opção, di- d) II e IV
minuindo proporcionalmente o preço pago e) II e III
por ação no exercício, de forma que o valor
da operação de exercício, se realizada, per- 245. Com referencia a ação-objeto, Limites de Posições,
maneça o mesmo. Horário das negociações, Objetivos e Riscos, qual a
afirmação correta:
II -Se o titular de uma opção sobre ações-ob-
jeto, na qual a empresa emissora distribuiu I -Ação-Objeto -> A BOVESPA acompanha
novas ações, exerce o seu direito, as ações permanentemente as condições e a evolu-
são entregues na foram “ ex” e em um ção do mercado, estabelecendo limite para
total igual ao lote padrão da opção mais cada série e para o conjunto das séries,
as ações distribuídas em bonificação às antes da abertura das séries, para as po-
componentes do lote. sições de clientes ou grupos de clientes e
III -O preço efetivamente pago por ação no instituições do mercado, evitando, dessa
exercício sofre uma redução proporcional forma , a concentração do mesmo.
ao aumento do número de ações, embora II -Limites de Posições -> A partir da análise
a quantia a ser paga seja a mesma. do comportamento das ações no mer-
IV -As subscrições de novas ações ou quais- cado a vista , efetuada com base em sua
quer outros direitos de preferência referen- liquidez, tradição e negociabilidade , a BO-
tes -> ação-objeto da opção, aprovados na VESPA elabora a relação de ações-objeto
vigência da opção, implicam o atendimento autorizadas para negociação com opções,
do exercício com ações na forma “ex”, sen- que pode ser alterada qualquer tempo , por
do deduzido do preço de exercício, a partir decisão da Superintendência Geral.
do primeiro dia de negociação “ ex-direito” III - Horário das negociações -> As op-
do papel objeto, o valor teórico do direito ções são negociadas no mesmo horário
-> subscrição, calculado pela BOVESPA no de compra e venda das ações-objeto no
mercado a vista.
50
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
IV – Objetivos e Risco Certas séries, porém, III - Utilizar as opções de compra como alter-
podem estar sujeitas a restrições, por de- nativa para adquirir uma ação objeto. A
terminação da BOVESPA, que impliquem compra de uma opção sobre que se deseja
a suspensão, o fim da negociação de adquirir, e para as quais se prevê uma alta
qualquer série de opções ou até mesmo da de preço, permite ao aplicador reduzir o
própria ação-objeto. risco de que a cotação da ação-objeto
a) I e II sofra uma grande alta. Dessa forma, o apli-
cador assegura seu ganho em caso de alta
b) I e III
e , em caso de baixa, sua perda se resume
c) I e IV ao prêmio pago pela opção, ou apenas
d) II e IV parte dele.
e) II e III IV – No caso dos itens I e III, porém, o aplica-
dor tem vantagens, seja porque ganhou
246. Objetivos e Riscos quem se interessa por opções na elevação do preço da ação-objeto, ou
deve estar ciente dos riscos do mercado e do valor que porque apesar de perder o prêmio no caso
pode perder, como em qualquer outra aplicação. de baixa, pode adquirir o título por um pre-
I - É importante que se leve em consideração ço bem menor do que no momento inicial.
a conjuntura econômico-financeira do País E ainda, como aplicou em opções apenas
e da empresa, bem como os riscos da pró- parte de seus recursos, pode , por exem-
pria ação-objeto. plo, fazer aplicações alternativas durante o
II - Todas essas informações são necessários período, aumentando seus ganhos ou, se
para um conhecimento mínimo dos níveis for o caso, diminuindo ou talvez anulando
de risco. suas perdas.
III -Escolhido o objetivo financeiro do apli- a) I e II b) I e III c) I e IV
cador, deve-se analisar as duas posturas d) II e IV e) II e III
possíveis no mercado de opções: a de
248. Levando em conta seus objetivos de atuação no
titular e a de lançador.
mercado, o aplicador pode:
IV -Ao se decidir pela compra de uma opção,
o aplicador espera beneficiar-se de uma I - Utilizar opções de compra como proteção
elevação do preço da ação-objeto, com para uma venda em margem. Um aplica-
a conseqüente valorização do prêmio da dor que realizou uma venda em margem,
opção. e que teme uma elevação no preço da
ação-objeto, pode, comprando uma opção,
a) I e II
prevenir-se contra uma possível alta.
b) I e III
II -Se a cotação da ação realmente baixar, o
c) I e IV lucro obtido na operação de venda em mar-
d) II e IV gem será reduzido pelo valor do prêmio
e) II e III pago pela proteção da opção.Se , por outro
lado, o preço se elevar, o investidor estará
247. Levando em conta seus objetivos de atuação no protegido contra uma perda grande.
mercado, o aplicador pode: III -Utilizar opções de compra para fixar o pre-
I -Utilizar opções de compra para obter maior ço de uma futura aquisição de determinada
retorno, ou seja, alavancar seus ganhos. ação. Se um aplicador acredita que o preço
Como isso significa buscar maior lucrati- de uma ação é atrativo, mas não tem os
vidade, implica também expor seu inves- recursos necessários para comprá-la na-
timento a um maior grau de risco. Como quele momento, pode comprar uma opção
o prêmio de uma opção é sensivelmente e assim fixar o preço. Quando puder con-
menor do que o preço da ação-objeto a cluir a compra da ação, exercerá a opção
que se refere, uma determinada quantia dentro do seu prazo de validade e pagará
em dinheiro pode comprar certo número de o preço que julgou conveniente.
opções correspondentes a uma quantidade IV - Essa prática é particularmente interes-
de ações muito maior do que seria possível sante para os fundos, pois , comprando
adquirir no mercado a vista. opções , pode beneficiar-se das diversas
II -Cada aumento no preço da ação-objeto variações de preço no tempo, sem compro-
costuma corresponder a um aumento no meter seu fluxo de caixa.
prêmio as opção e a maiores retornos a) I e II b) I e III c) I e IV
sobre a aplicação , pois a variação percen- d) II e IV e) II e III
tual é maior para o prêmio. O mecanismo
de alavancagem atua também no sentido 249. O lançamento de opções pode oferecer lucros
inverso: a queda na cotação pode até levar ao aplicador que acredita numa certa estabilidade,
-> perda integral da aplicação, ou seja, do numa pequena ou até numa grande baixa no nível de
prêmio pago. preços.
51
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
I - O lançamento sujeita o aplicador, durante o prêmio pago para adquirir a opção.
período da validade da opção a ser desig- II - Se as cotações da ação-objeto se eleva-
nado pela BOVESPA, a entregar as ações- rem, no mercado a vista, acima do preço
objeto da opção, contra o pagamento do de exercício de sua opção, esse investidor
valor de exercício. não exercerá seu direito de vender a ação-
II - As obrigações assumidas pelo lançamento objeto e incorrerá em um prejuízo equiva-
de opções somente se extinguem pelo seu lente ao valor do prêmio desembolsado
exercício, pelo seu vencimento , senão fo- III - Visando se proteger contra eventuais
rem exercidas, ou ainda pelo fechamento erros de avaliação, o aplicador poderá, si-
da posição lançadora. multaneamente -> aquisição de uma opção
III -Designado para o exercício, o lançador não de venda , assumir uma posição lançadora
pode mais fechar sua posição. de opção de venda, a um preço de exercí-
IV -O lançamento não pode ser efetuado so- cio menor ou igual ao preço de exercício
bre séries autorizadas e publicadas pela da posição titular.
BOVESPA. IV - A abertura dessa posição oposta, na qual
a) I e II b) I e III c) I e IV provavelmente o prêmio pago será maior
do que o prêmio recebido, resultará em de-
d) II e IV e) II e III
sembolso líquido de prêmios. Dessa forma,
250. Diz-se que uma opção é coberta quando o lançador se realmente o preço da ação-objeto baixar
deposita, em garantia, a totalidade das ações-objeto a no mercado a vista, o investidor exercerá
que se refere a opção lançada. seu direito de vendê-la a um preço supe-
rior ao vigente no mercado a vista. Esse
I -O objetivo básico do lançamento coberto é lucro será crescente quanto maior for a
obter um retorno maior do que o que seria queda dos preços a vista , até o ponto em
conseguido com a simples posse ou venda que atinja o preço de exercício da posição
imediata das ações. lançadora, ponto de lucro máximo do in-
II - Coberto o lançamento , o aplicador re- vestidor.
classifica o seu nível de risco, deslocando a) I e II b) I e III c) I e IV
o seu ponto teórico de venda para um valor
igual ao preço a vista da ação-objeto, me- d) II e IV e) II e III
nos o prêmio recebido. 252. Relacione as colunas e assinale a alternativa
III - Com o mercado em alta, o lançador correta:
coberto se protege até o ponto em que o
preço a vista da ação-objeto dor igual ao
preço que ele pagou por ela, menos o valor a) A3, B2, C1 b) A2, B3, C1
do prêmio recebido. Somente a partir des- c) A1, B3, C2 d) A3, B1, C2
se ponto é que incorrerá em prejuízo. e) A1, B2, C3
IV -O lançador coberto pode fechar sua po-
sição e desta forma encerrar a obrigação 253. Sobre Lançamento de Opção de Venda:
assumida, liberando suas ações para a a) O lançador de opções de venda deve atender
venda imediata ou para a espera de maior e exigência de margem por meio do deposito
valorização da ação-objeto. de ativos aceitos em garantia pela CBLC (
a) I e II b) I e III c) I e IV ações que compõem o índice Bovespa, títulos
d) II e IV e) II e III públicos federais e privados, cartas de fiança
bancária incondicionada e outros).
251. Ao adquirir uma opção de venda, o aplicador b) A exigência de margem é reavaliada mensal-
procura se beneficiar da queda no preço a vista da mente.
ação-objeto e, por extensão, da valorização do prêmio
da opção. Dessa forma, e de acordo com a postura que c) O lançamento de opções de compra serve aos
pretenda assumir nesse mercado, o aplicador pode: aplicadores que, acreditando em alta, procu-
ram receber rendas adicionais ( prêmios) e/ou
I - Realizar operação oposta de opção de que aceitam a possibilidade de adquirir a ação
venda -> Um investidor que tem uma ex- pó um custo líquido inferior ao valor atual de
pectativa baixista, em relação -> tendência mercado.
de preços de uma determinada ação pode d) Se o mercado subir ou se mantiver estável, o
assumir posição titular de venda.Se suas lançador terá assegurado o seu lucro (igual ao
expectativas se concretizarem poderá, a valor do prêmio).
qualquer tempo, reverter sua posição em
mercado ou, na data de vencimento, exer- e) Se o preço da ação-objeto, na data de venci-
cer seu direito de vender a ação-objeto da mento, cair abaixo do preço de exercício da
operação ao preço de exercício, auferindo opção, o lançador poderá ser designado para
o lucro resultante da diferença entre os atender ao pedido de exercício, tendo então
preços de exercício e a vista e o valor do de adquirir as ações e entregar ao valor de
exercício.
52
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
254. O risco no lançamento de opção de venda é elevado ração de “day-trade”).
, mas , ao contrário do risco de lançar opção de compra e) da apregoação de “spreads” no mercado de
a descoberto, é limitado, isto é: opções. Ex.: Box, butterfly etc. A modalidade
a) O prejuízo máximo que um lançador pode ter inicialmente autorizada foi o “ Box”, que envol-
é conhecido no momento em que é feita a ve, simultaneamente, operações com opções
venda da opção em pregão, de compra e de venda.
b) O prejuízo é igual ao preço de exercício me- 257. Um aplicador comprou, em março, opções de ven-
nos o preço a vista do momento do exercício da sobre 100 mil ações ABC com vencimento em junho,
c) O prêmio recebido pelo lançamento (devendo- ao preço de exercício de $ 5,00, pagando de prêmio $
se observar que o limite máximo do prejuízo 0,50 por ação ($ 50.000,00 no total). Dois meses depois,
potencial ocorre se o preço a vista cair para como o preço da ação-objeto no mercado a vista caiu,
zero). a opção teve seu prêmio elevado para $0,65. O titular
pôde realizar o lucro, vendendo opções da mesma série,
d) O lançador de opções de venda deve, como
encerrando sua posição e ganhando o diferencial dos
os demais participantes desse mercado, estar prêmios de:
sempre atento -> possibilidade de fechar sua
posição, o que pode se revelar mais aconse- a) ($ 50.000,00 - $ 65.000,00 = -$ 15.000,00)
lhável, em caso de lucro ou mesmo de prejuí- mais os custos de transação.
zo. b) ($ 65.000,00 + $ 50.000,00 = $ 115.000,00)
e) O lançador de opções de compra deve, como menos os custos de transação.
os demais participantes desse mercado, estar c) ($ 65.000,00 - $ 50.000,00 = $ 15.000,00)
sempre atento -> possibilidade de abrir sua menos os custos de transação.
posição, o que pode se revelar mais aconse-
d) ($ 65.000,00 - $ 15.000,00 = $ 50.000,00)
lhável, em caso de nulidade.
mais os custos de transação.
255. Mercado Secundário de Opções: e) ($ 65.000,00 + $ 15.000,00 = $ 80.000,00)
menos os custos de transação.
a) A BOVESPA organiza e disciplina o mercado
secundário de opções de maneira a manter as 258. No mercado de opções, também é possível ao
melhores condições para a sua negociação, lançador antecipar o seu lucro ou evitar o exercício,
bem como a criação de liquidez neste merca- fechando sua posição mediante a compra de opção de
do. série igual -> lançada. Um aplicador vendeu, em março,
b) É no mercado secundário que ocorrem as opções de compra sobre 100 mil ações ABC que pos-
operações de aumento e de fechamento de suía, com vencimento para junho, ao preço de exercício
posição, parcial ou total, tanto de titular como de $ 5,00, recebendo um prêmio de $ 0,50 por ação, $
de lançador. 50.000,00 no total. Como o preço da ação-objeto no mer-
cado a vista caiu abaixo do preço de exercício, o prêmio
c) O desinteresse por determinadas opções e da opção caiu para $ 0,35. Se o lançador acredita que
restrições a aberturas e/ou fechamento de preço a vista da ação vai diminuir mais, é interessante
posições podem ocorrer, embora esporádica e que encerre sua posição lançadora, comprando ações
independentemente da vontade da BOVESPA, de série igual -> lançada , para realizar um lucro igual
acarretando algumas dificuldades para a ne- ao diferencial dos prêmios ______________________
gociação com opções e aumentando os riscos _______________. Aí, libera suas ações para imediata
dos investidores que não conseguiram fechar venda no mercado a vista ou para um outro lançamento
sua posição. numa série com preço de exercício mais próximo do
d) Esses serão obrigados, se designados para o preço a vista e conseqüentemente, com prêmio maior,
obtendo mais receita.
exercício, a entregar as ações-objeto no caso
de opção de compra; ou a adquiri-las, no caso a) ($ 50.000,00 - $ 15.000,00 = -$ 35.000,00)
de opção de venda. mais os custos de transação.
e) Da mesma forma, o titular que não conseguiu b) ($ 85.000,00 + $ 15.000,00 = $ 100.000,00)
encerrar sua posição para realizar um lucro menos os custos de transação.
deverá, para tanto, exercer suas opções até o c) ($ 50.000,00 - $ 35.000,00 = $ 15.000,00)
vencimento, ou estas perderão seu valor. menos os custos de transação.
256. A BOVESPA permite a realização de operações por d) ($ 50.000,00 - $ 15.000,00 = $ 35.000,00)
conta de um mesmo aplicador de compra e de venda mais os custos de transação.
de opções, de mesma série, em um mesmo pregão, por e) ($ 50.000,00 + $ 15.000,00 = $ 65.000,00)
uma mesma sociedade corretora. Assim é possível ao menos os custos de transação.
aplicador aproveitar-se:
259. Se acreditasse que o preço da ação-objeto subiria
a) da suspensão dos pregões. ao invés de cair, poderia, ao fechar sua posição lança-
b) da negociação apenas das opções que estão dora realizando lucro, guardar as ações para uma venda
vencendo. posterior no mercado a vista para outro lançamento
c) dos diferenciais de preços. de opções ou ainda passar a titular de opções. Mas se
o aplicador não possuísse as ações a que se refere a
d) de taxas existentes num mesmo pregão (ope-
53
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
opção e a alta do preço das ações houvesse elevado cio.
o prêmio para _____________ por ação , ele estaria d) maior flexibilidade ao fluxo de caixa dos apli-
sendo chamado para a manutenção do nível mínimo cadores, evitando que comprem posições de
de margem.
ações que não querem.
a) $ 0,15 e) que todas as operações de exercício são re-
b) $ 0,85 gistradas em pregão como compra e venda a
c) $ 0,50 vista das ações-objeto.
d) $ 0,35 262. Quando um aplicador assume uma posição lança-
e) $ 0,65 dora de opções de compra, compromete-se também,
contratualmente a , se designado para atender um
260. A operação de compra para fechamento de posi- aviso de exercício, entregar as ações-objeto a que se
ção, como a de venda , é efetuada por intermédio de refere -> opção exercida contra o recebimento do preço
sociedade corretora, que deverá, simultaneamente -> de exercício. Essa obrigação do lançador perante o
realização da operação de fechamento de sociedade sistema é :
corretora, que deverá, simultaneamente -> realização
da operação de fechamento, indicar -> BOVESPA o a) garantida pelo depósito efetuado pela socie-
bloqueio de exercício de sua posição. Isso somente dade corretora das próprias ações-objeto em
será possível se a posição lançadora ainda não hou- custódia.
ver sido designada para atendimento de um aviso de b) a opção a chama-se lançamento descober-
exercício. Nessa hipótese, a operação de compra, em to.
vez de fechar a posição lançadora, gera: c) garantida pelo depósito de margens que o
a) uma posição vendedora ( títular) de opções, lançador é obrigado a efetuar e manter nos
porém poderá ser fechada no mesmo pregão, níveis requeridos pela CBLC .
mediante uma operação de compra de opções d) a opção “c” chama-se lançamento coberto.
( mesmo que isto ocorra no dia do vencimen- e) as opções b e d estão incorretas
to).
b) uma posição compradora ( títular) de opções, 263. O aplicador que assume uma posição lançadora
porém poderá ser fechada no mesmo pregão, de opções de venda está também se obrigando a, se
mediante uma operação de venda de opções for exercido, pagar o valor de exercício da opção, me-
( mesmo que isto ocorra no dia do vencimen- diante o recebimento das ações-objeto. A garantia que
to). o lançador fornece ao sistema, perante o qual assumiu
a obrigado, é o depósito de margens efetuado por inter-
c) uma posição vendedora ( títular) de opções, médio da sociedade corretora, e que deve ser mantido
porém poderá ser fechada no mesmo pregão, nos níveis requeridos pela CBLC.
mediante uma operação de recompra de
opções ( mesmo que isto ocorra no dia do a) Os lançadores de opções estão obrigados a
pagamento). manter as garantias que a CBLC exige das
sociedades corretoras, as quais podem, para
d) uma posição compradora ( títular) de opções,
sua segurança, solicitar garantias adicionais
porém poderá ser fechada no mesmo pregão,
de seus clientes.
mediante uma operação de compra de opções
( mesmo que isto ocorra no dia do pagamen- b) Para o lançamento coberto, a sociedade cor-
to). retora deve depositar a totalidade das ações-
objeto no mesmo dia em que foi realizada a
e) uma posição vendedora ( títular) de opções,
operação em pregão.
porém poderá ser fechada no mesmo pregão,
mediante uma operação de compra de opções c) É possível substituir as garantias referentes
( mesmo que isto ocorra no dia do pagamen- a uma posição coberta, ou seja , retirar as
to). ações-objeto, desde que haja uma autorização
da CBLC e o respectivo depósito da margem
261. A BOVESPA permite que o títular de uma opção em dinheiro, certificados representativos de
de compra exerça sua opção e venda as ações-objeto ouro, títulos públicos federais ou privados, car-
no mesmo pregão. Também garante ao titular de uma ta de fiança bancária incondicionada, ações
opção de venda a oportunidade de comprar no mercado constantes da relação de garantias ou outros
a vista as ações que serão entregues no exercício. Essa ativos aceitos pela CBLC.
possibilidade proporciona:
d) Se um lançamento é feito a descoberto , a
a) uma agilidade maior ao aplicador que procura sociedade corretora deve depositar garantias
se aproveitar dos diversos diferenciais de referentes ao toal de posições descobertas,
preços e de taxas existentes no mercado. no nível requerido pela CBLC, o qual será
b) ao lançador de uma opção e compra pode mantido até o vencimento da opção ou fecha-
comprar a vista no mesmo pregão em que é mento da posição.
exercido. e) O nível de garantia é calculado mensalmente
c) ao lançador de uma opção de venda pode pela CBLC por meio do sistema de cálculo de
vender a vista as ações recebidas no exercí- margem CM-TIMS (Clearing Members Theo-
retical Intermarket Margin System).
54
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
264. Margem de Risco corresponderá -> perda potencial a vista, realizadas num mesmo pregão e liquidadas em
da posição, decorrente de um movimento adverso no conjunto. A operação casada permite ao aplicador-
preço do valor mobiliário, e será calculada, por meio lançador ou titular de opções- maior flexibilidade para
do CM-TIMS, empregando-se a avaliação completa (“full aproveitar situações favoráveis de mercado e/ou menor
valuation”) das posições para cada um dos dez cenários desembolso ou menor imobilização de recursos:
relativos ao preço de mercado do valor mobiliário de
referência. A margem de risco corresponderá: a) A operação casada, possível para o lançador
de opções , viabiliza a “liquidação por diferen-
a) à maior perda (“pior caso”), entre todas as ça” das operações de exercício.
calculadas para os dez cenários. b) Na operação de exercício de opções de
b) a menor perda (“melhor caso”), entre todas as compra e venda a vista de ações: o titular
calculada para os dez cenários. de opções de compra pode vender a vista as
c) mediana entre todas as calculada para os dez ações-objeto no mesmo pregão do registro da
cenários. operação de exercício, solicitando a liquidação
d) moda entre todas as calculada para os dez conjunta das duas operações;
cenários. c) Na operação de exercício de opções de
e) a menor perda será excluída para efeito de compra e venda a vista de ações: o titular de
análise. opções realiza a compra de ações a vista e
exercício de opções de venda.
265. Os créditos de margens de garantia corresponde- d) Na operação Casada o Titular de opções
rão -> margem de prêmio menos a respectiva margem .Compra a vista ações e atende ao aviso
de risco (isto é, o custo de liquidação da posição in- de exercício de opções de compra lançadas
corporando a respectiva perda potencial). descobertas: essa operação permite que , no
a) Conforme o comportamento do mercado, o pregão de registro do exercício das opções,
lançador descoberto que esteja com prejuízo o titular de opções compre a vista as ações-
é chamado a recompor o nível de garantia. objeto e liquide conjuntamente as duas ope-
rações;
b) Tanto a margem inicial como as possíveis cha-
madas de recomposição devem ser deposita- e) Na compra de opções para fechamento de
das na CBLC no primeiro dia útil subseqüente posição e venda a vista das ações-objeto de-
-> constatação pelo sistema de garantias de positadas: o lançador coberto de opções de
sua necessidade. compra pode adquirir opções para fechamento
de posição e, no mesmo pregão, vender as
c) A CBLC poderá arbitrar, segundo critérios fi-
ações-objeto depositadas em garantia. Nessa
xados por sua Diretoria Geral, os prêmios que
situação, o investidor irá pagar o prêmio das
não estiverem compatíveis com o mercado.
opções adquiridas em D+1 e receber o crédito
d) As opções b e c estão corretas da venda a vista em D +3.
e) as opções a e c estão erradas
268. Lançamento de opções de compra sobre ações
266. Custos de Transação: compradas a vista: um aplicador pode comprar ações
a vista e, no mesmo pregão, lançar opções de compra
a) Sobre o valor das operações em pregão, isto sobre essas ações, indicando estar a compra a vista
é , sobre o valor dos prêmios, é calculada a vinculada ao lançamento. É importante ressaltar que ,
corretagem a ser cobrada dos clientes pela como a liquidação do lançamento das opções ocorre
corretora. em D+ 1 e a da compra a vista em D+3, o investidor
b) A taxa de corretagem é livremente negociada poderá optar por:
entre a sociedade corretora e seus clientes. a) manter o valor do prêmio da opção lançada
c) Se houver o exercício da opção, será cobrada, como garantia até D+ 3, quando esse valor
tanto do lançador como do titular, a correta- será utilizado para compensar o débito da
gem sobre o valor de exercício, ou seja , o compra a vista ,
resultado da multiplicação do preço total da b) depositar garantias em ativos aceitos
operação pelo número de ações de cada op- pela CBLC, recebendo , em D+1, o crédito do
ção exercida. prêmio da opção lançada.
d) A taxa de registro será tanto das operações de c) Na hipótese acima, quando da liquidação da
compra como das de venda de opções e são compra a vista realizada para a cobertura da
registradas na CBLC em código distinto, para posição, os ativos depositados em garantia
cada comitente (cliente) de uma corretora. serão liberados.
e) É cobrada de ambos os comitentes uma taxa d) No Atendimento ao exercício de opções de
de registro, em percentual estabelecido pela venda a venda das ações no mercado a
BOVESPA/CBLC , sobre o valor de cada ope- vista: o lançador de opções de venda que é
ração em pregão. designado para o exercício pode vender as
267. Operação casada é a denominação que se dá aos ações-objeto no mercado a vista, no mesmo
conjuntos de operações: uma operação no mercado de pregão em que foi exercido.
opções e uma compra ou venda de ações no mercado e) Não ter a responsabilidade pela liquidação
55
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
das operações realizadas no mercado de ressaltando-se que, quanto mais volátil for a ação, maior
opções é sempre do lançador e do titular de será a remuneração exigida pelo lançador.Essas duas
opções, mesmo quando fizer parte de uma parcelas do prêmio- os juros e a remuneração pelo
operação casada. risco – vão se reduzindo gradativamente ao longo do
período de vigência de uma opção, de forma que, na
269. O prêmio (preço) pelo qual uma opção pode ser data do vencimento, o preço da opção corresponda
comparada ou vendida é determinado pelo acordo entre apenas ao seu valor intrínseco, se ela o tiver. Após a
as partes numa transação no pregão da BOVESPA . O data de vencimento, as opções não exercidas não têm
prêmio é pago pelo titular e recebido pelo lançador da qualquer valor. Com base nestas informações assinale
opção, seja ela de compra ou de venda. “Certo ou Errado”
a) Seu valor depende da tendência de alta ou a) Uma opção de compra ABCD/agosto/$8,00 foi
de baixa que os preços das opções possam negociada no dia 15 de abril por um prêmio
apresentar, pela existência de maior número de $ 0,50 por ação. Se nesse dia o preço a
de aplicadores querendo comprar ou vender vista da ação ABCD PN permaneceu estável
opções. em $ 8,00, tem-se que o total do prêmio pago
b) No caso de operações de “ Spread” é aprego- pela opção correspondeu apenas às parcelas
ado apenas o saldo líquido dos prêmios das de juros e remuneração do risco.
séries de opções envolvidas na operação. b) Se a mesma situação ocorresse no dia 15 de
c) Os prêmios são influenciados por dois com- maio o prêmio ao qual a opção seria negocia-
ponentes na sua formação. da estaria abaixo dos $ 0,50 por ação, caso
não se alterassem as condições no mercado
d) O Valor intrínseco é obtido pela subtração do
financeiro.
preço de exercício da opção do preço a vista
da ação-objeto, no caso de opção de compra, c) Se a opção fosse referenciada em Dólar, o
e inversamente , no caso de opção de ven- preço de exercício seria expresso em pontos
da. , sendo que cada ponto equivale a um centé-
simo da taxa de câmbio real por dólar norte-
e) O prêmio de uma opção antes de seu ven-
americano, divulgada pelo Banco Central do
cimento é geralmente superior ao seu valor
Brasil.
intrínseco. Além disso, mesmo as opções
sem valor intrínseco podem ter um preço de d) Todas as negociações referenciada em dólar,
mercado (prêmio), desde que haja alaguem tanto com relação aos prêmios pagos e rece-
disposto a pagá-lo. Isso porque o prêmio de bidos quanto aos montantes de exercícios,
uma opção deve remunerar seu lançador pela são efetuadas em reais.
imobilização de recursos. A remuneração que e) A BOVESPA calcula e divulga diariamente,
exige o lançador pela imobilização de recursos antes do início do pregão, o valor dos preços
depende basicamente de suas expectativas, de exercício equivalentes em reais dessas
do prazo da opção e da taxa de juros vigente séries, que serão utilizados em caso de exer-
no mercado financeiro. cício nesse pregão.
270. Uma opção de compra com preço de exercício 272. As afirmações abaixo se refere a uma operação
superior ao preço a vista da ação-objeto não tem a vista?
valor intrínseco, já que não representa nenhuma
vantagem comparativamente -> compra a vista das a) Operação a vista é a compra ou venda de
ações . Da mesma maneira, não é vantagem o fato o uma determinada quantidade de ações , a um
preço a vista ser superior ao preço de exercício de preço estabelecido em pregão.
uma opção de venda. Se o preço a vista for superior b) Quando há a realização de um negócio, ao
ao preço de exercício, não haverá valor intrínseco. comprador cabe dispender o valor financeiro
Se o preço a vista da ação ABCD PN for $ 8,50, a op- envolvido na operação e ao vendedor a entre-
ção de compra ABCD/ agosto/$8,00, setembro/$7,20; ga dos títulos-objeto da transação, nos prazos
outubro/$8,00;novembro/$8,50; dezembro/$ 8,00 terá estabelecidos pela Bolsa de Valores
um valor intrínseco:
c) Titulo objeto são todas as ações de emissão
a) de $ 0,50; agosto de empresas admitidas -> negociação na
b) de $ 0,80, setembro. Bolsa, bem como direitos e recibos de subscri-
ção, recibos de carteira selecionada de ações
c) de $ 0,00, outubro
e outros ativos autorizados pela BOVESPA.
d) de $ 0,50, novembro
d) A realização de negócios no mercado a vista
e) de $ 0,00, dezembro requer a intermediação de uma sociedade cor-
retora que está credenciada a executar , em
271. O aplicador também quer ser remunerado pelos ris-
cos e por suas obrigações como lançador. Dessa forma,
pregão , a ordem de compra ou venda de seu
de acordo com o nível de risco que é apresentado pelas cliente, através de um de seus representantes
ações, o lançador estabelece a remuneração que dese- (operadores).
ja. Um dos fatores de risco é o grau médio de variação e) É possível acompanhar o andamento das
das cotações da ação-objeto no mercado a vista , num operações a vista, durante todo o pregão,
determinado período de tempo, ou seja, volatilidade, através da rede de terminais da BOVESPA,
56
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
dos terminais de um “vendor” de informações, c) A1, B3, C2 d) A3, B1, C2
e da rede nacional ou internacional de telex, e) A1, B2, C3
bem como através de telefone, pelo serviço
Disque BOVESPA. Além disso, após o en- 278. As empresas propiciam benefícios a seus acio-
cerramento das negociações, as informações nistas, sob a forma de proventos (dividendos, bonifi-
relevantes sobre os negócios a vista poderão cações) ou de direito de preferência na aquisição de
ser encontradas no BDI-Boletim Diário de In- ações ( subscrição) .Relacione as colunas e assinale a
alternativa correta:
formações BOVESPA e nos jornais de grande
circulação.
273. Formação de Preços: a) A3, B2, C1 b) A2, B3, C1
a) Os preços são formados em pregão, pela c) A1, B3, C2 d) A3, B1, C2
dinâmica das forças de oferta e demanda de e) A1, B2, C3
cada papel.
279. Relacione as colunas e assinale a alternativa
b) A cotação praticada é um indicador confiável correta:
do valor que o mercado atribui às diferentes
ações.
c) Formação de preço é feita através de termi- a) A3, B2, C1 b) A2, B3, C1
nais de computador. c) A1, B3, C2 d) A3, B1, C2
d) Formação de preços é um sistema que permi- e) A1, B2, C3
te aos clientes ordenarem suas compras.
e) A maior ou menor oferta e procura por deter- 280. Relacione as colunas e assinale a alternativa
minado papel está diretamente relacionada correta:
ao comportamento histórico dos preços e,
sobretudo, às perspectivas futuras da em-
presa emissora, aí incluindo-se sua política a) A1, B2, C3 ,D4 b) A2, B3, C4,
de dividendos, prognósticos de expansão de D1 c) A3, B4, C1, D2
seu mercado e dos seus lucros, influência da d) A4, B1, C2, D3 e) A2, B4, C1,
política econômica sobre as atividades da D3
empresa etc.
281. Relacione as colunas e assinale a alternativa
274. Relacione as colunas e assinale a alternativa correta:
correta:

a) A1, B2, C3 ,D4 b) A2, B3, C4,


a) A2, B3, C1 b) A2, B3, C1 D1 c) A3, B4, C1, D2
c) A1, B3, C2 d) A3, B1, C2
e) A1, B2, C3 d) A4, B1, C2, D3 e) A2, B4, C1,
D3
275. Relacione as colunas e assinale a alternativa
correta: 282. Relacione as colunas e assinale a alternativa
correta:

a) A3, B2, C1 b) A2, B3, C1


c) A1, B3, C2 d) A3, B1, C2 a) A1, B2, C3 ,D4 b) A2, B3, C4,
e) A1, B2, C3 D1 c) A3, B4, C1, D2
d) A1, B3, C2, D4 e) A2, B4, C1,
276. Relacione as colunas e assinale a alternativa D3
correta:
283. Os mercados Futuros no mundo têm sua história
diretamente vinculada -> necessidade de administração
do risco das alterações nos preços dos ativos, original-
a) A3, B2, C1 b) A2, B3, C1 mente commoditie e mais recentemente também ativos
c) A1, B3, C2 d) A3, B1, C2 financeiros. A busca por proteção aos preços agrícolas
e) A1, B2, C3 era grande desde os tempos medievais, tem se noti-
cias de que a realização de acordos contratuais entre
277. Relacione as colunas e assinale a alternativa indivíduos para pagamento e entrega numa data futura
correta: já era significativa nas feiras medievais da Europa do
século XV. Entretanto, o Mercado Futuro organizado só
teve inicio em __________, quando foi criada a Chicago
Board of Trade, negociando contratos de milho. Até o
principio da década de os negócios com mercadorias
a) A3, B2, C1 b) A2, B3, C1 representavam quase totalidade dos negócios realiza-
dos em mercados futuros organizados.
57
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
a) 1848 b) 1948 c) 1498 d) 1488 e ) Ações que proporcione maior eficiência
1928 -> negociação de ações, empréstimos de
títulos e atividades de hedging.
Para as questões de 284 a 300, complete a proposição
abaixo com as alternativas I, II, III e IV. A seguir assinale III - Outra iniciativa importante foi a celebra-
a resposta que contém, somente as opções que resul- ção de acordo entre a Life e a Nasdaq para
tam numa proposição verdadeira. desenvolver o Mercado Futuro de Ações
baseado em ações globais para investido-
284. Mercado Futuro res americanos e europeus.
IV - E foi justamente nesse momento, no cum-
I - O ponto de partida da negociação de ativos primento de sua missão de proporcionar
financeiros no mercado Futuro deu-se em aos participantes do mercado uns instru-
1973, com o lançamento do International mentos de derivativos de ações seguro e
Monetary Market pela Chicago Mercantile eficiente, e visando a colocar-se pari passu
Exchange, negociando contratos futuros com os desenvolvimentos verificados nas
de câmbio. bolsas dos centros financeiros internacio-
II - No Brasil, a primeira bolsa a transacionar nais, que a BOVESPA mobilizou no sentido
contratos futuros foi a Bolsa de Mercado- de implantar a negociação de futuro de
rias de São Paulo, em 1918, negociando, ações no Brasil.
inicialmente, contratos de algodão. a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e
III - Já a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, IV e) II e III
em 1979, foi pioneira nas negociações no
volume total movimentado nessa bolsa em 287. Uma operação no Mercado Futuro de Ações da
1981. BOVESPA compreende a compra ou a venda de ações
listadas em Bolsa, a um preço acordado entre as partes,
IV - A atuação conjunta de uma série de fato-
para liquidação em uma data futura especifica, previa-
res levou -> queda gradativa das negocia-
mente autorizada.
ções no Mercado Futuro de Ações brasilei-
ro, cujas atividades foram encerradas em I - Normalmente, o esperado é que o preço do
meados de 1986 em São Paulo e no inicio contrato futuro de uma determinada ação
de 1987 no Rio de janeiro. seja equivalente ao preço a vista, acrescido
a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e de uma fração correspondente á expectati-
IV e) II e III va de taxas de juros entre o momento da
negociação do contrato futuro de ações e a
285. No final da década de 20 e inicio dos anos 30, a respectiva data de liquidação do contrato.
movimentação de importantes bolsas internacionais II - A experiência recente tem demonstrado
aponta para o ressurgimento desse mercado. Nesse que futuros baseados em ações individuais
sentido, tem-se futuros sobre ações sendo negociados têm a capacidade de trazer para o mercado
na:
de ações o que os contratos futuros basea-
I - Sydney Futures Exchange SFE; dos em commodities e outros ativos finan-
II - Hong Kong Stock Eschange ; ceiros proporcionam aos seus respectivos
mercados a vista: maiores oportunidades
III - Bolsa de valores de Lisboa e Porto; de negociação, maior liquidez e transpa-
IV - South African Futures Exchange e Euro- rência nos preços, resultando em um mer-
next cado mais eficiente para os investidores.
a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e III - A introdução do Mercado A Termo de
IV e) II e III Ações aumenta o espectro de oportunida-
des de negociação disponíveis aos inves-
286. Características comuns a todas bolsas de mercado
tidores no mercado acionário.
futuro é que os papéis negociados no Mercado Futuro
de Ações são também transacionados no mercado: IV -O preço de um contrato a termo de ações
muda de acordo com a variação de preço
I - De opções sobre ações e o vencimento de da ação subjacente no mercado a vista.
opções e futuro ocorre na mesma data,
a) I e II
indicando a complementaridade dos dois,
mercados e a possibilidade de negociação b) I e III
de interessantes estratégias operacionais c) I e IV
envolvendo a combinação de operações a d) II e IV
futuro com o mercado a vista, com opções
e com futuro de índice, entre outras alter- e) II e III
nativas. 288. O Mercado Futuro de Ações amplia as oportunida-
II - Além disso, em maio de 2001, importan- des de maximização da performance dos investimentos,
tes bolsas norte-americanas anunciaram propiciando, em muitos casos, negociação com custos,
a criação de uma joint venture visando facilidade e eficiência bastante atrativos quando com-
-> implantação de um Mercado Futuro de parado a outros mercados. Senão vejamos:

58
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
I - Caracteriza-se por ser uma forma de apli- é requerido para prover segurança ao
cação bastante eficiente, pois não requer o mercado. O nível de margem necessário
desembolso de um montante significativo é definido pela Companhia Brasileira de
de dinheiro na abertura da posição a futuro Liquidações e Custódia _ CBLC e varia de
como ocorre quando da compra de ações a acordo com a volatilidade do papel no mer-
vista. Ao invés disso, apenas um depósito cado a vista, tornando o dispêndio inicial
de margem é requerido. Dessa forma, o menor para os contratos futuros.
investidor pode aplicar a diferença de di- a) I e II
nheiro entre o que desembolsaria se com-
b) I e III
prasse a ação a vista e o que efetivamente
desembolsou para constituir as garantias c) I e IV
exigidas por sua atuação no Mercado Fu- d) II e IV
turo de Ações e ainda aplicar em ativos e) II e III
de menor risco, aumentando assim sua
rentabilidade. 290. A ação A está cotada atualmente no mercado a vista
II - Elimina o custo de empréstimo de ações a $ 100,00 por ação, e seu contrato futuro para daqui a
para aqueles investidores que queiram três meses está cotado a $ 104,50. Para comprar a ação
adotar posições vendedoras a descoberto no mercado a vista é necessário pargar os $ 100,00.
Para comprar um contrato futuro, $ 9,40 precisam de
(short selling).
depositados como garantia. Alguns dias depois, o preço
III -Operando por meio do Mercado Futuro de a vista subiu para $ 110,00 e o contrato futuro, para $
Ações é possível mudar a exposição de 114,50. Os retornos são os seguintes;
um ativo para outro sem os custos de lidar
com as ações subjacentes no mercado
a vista, bastando realizar uma operação a) I e II b) I e III c) I e IV
de natureza oposta no próprio Mercado
Futuro de Ações e uma operação de aber- d) II e IV e) II e III
tura de posição no outro papel também no 291. O retorno do investimento no Mercado Futuro de
Mercado Futuro de Ações. Ações é muito maior, uma vez que apenas uma fração
IV -O Mercado Futuro de Ações pode ser uti- do valor das ações é requerida antecipadamente, o que
lizado concomitantemente com o mercado é denominado de alavancagem.
de opções, permitindo que os investidores I - Vantagem de uma queda nos preços -> Um
façam as operações de hedge de sua posi- investidor que acredita que os preços de
ção no mercado de opções. uma determinada ação irão cair pode se
a) I e II beneficiar dessa queda por meio da venda
b) I e III de contratos futuros.
c) I e IV II -Não há necessidade de possuir as ações
d) II e IV para agir dessa forma. Basta efetuar o de-
pósito de garantias.
e) II e III
III - Se a expectativa do investidor se concre-
289. Benefícios da negociação com Futuros de Ações tizar e -> medida que o preço do papel no
Mercado Futuro de Ações cair, o vendedor
A introdução do Mercado Futuro de Ações aumenta o
de contratos futuros irá auferir um retorno
espectro de oportunidades de negociação disponíveis
positivo.
aos investidores no mercado acionário.
IV –A compra do contrato futuro se dará por
I - O preço de um contrato futuro de ações um valor inferior ao que vendeu.
muda de acordo com a variação de preço
a) I e II b) I e III c) I e IV
da ação subjacente no mercado a vista.
Como ambos podem ser negociados a d) II e IV e) II e III
qualquer momento durante o período de
292. A ação B está cotada atualmente a $ 100,00 por
negociações do dia, qualquer ganho obtido
ação no mercado a vista. Seu contrato futuro daqui a
no valor do investimento pode ser imedia- três meses está cotado a $ 104,50. O investidor acre-
tamente realizado por meio do fechamento dita que o preço da ação irá sofrer uma queda. Nesse
da posição a futuro. sentido, vender a ação B no Mercado Futuro de Ações
II - Os retornos percentuais relativos -> posse permite que o investidor se beneficie de sua previsão
das ações e dos contratos futuros depen- de queda nos preços. Duas semanas depois, a ação
dem do tamanho do dispêndio inicial. está cotada a $ 83,00 e o contrato futuro, a $ 86,00. O
III - Quando da compra de uma ação no mer- investidor, então, compra a ação B no Mercado Futuro
de Ações para encerrar sua posição. Essa transação
cado a vista, seu valor total deve ser pago
resultou:
ao vendedor. Quando da compra de um
contrato futuro, o dinheiro não muda de I - Em um retorno positivo de $ 18,50.
mãos entre o comprador e vendedor. II - Vendendo um contrato futuro, o investidor
IV - Em vez disso, um deposito de margem tem um retorno negativo a partir de uma
59
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
queda de preços no mercado a vista. a futuro 25.000 ações E. Essa diferença de quantida-
III – Comprando um contrato futuro, o investi- des de ações negociadas garante que cada posição
dor tem um retorno positivo. represente o mesmo volume financeiro, ou seja, $
2.025.000,00. Após algumas semanas, os preços
IV -Quando o detentor de ações prevê uma
são os seguintes:
queda de preços nos seus papéis, pode
vender contratos futuros para evitar tanto Ação D Ação E -> Preço no Mercado a Vista
os prejuízos como a efetiva venda das $ 90,00 $ 68,00
ações que possui. Desse modo, qualquer -> Preço no Mercado Futuro de
perda causada por uma queda no preço a Ações $ 91,00 $ 68,80
vista do papel é compensada pelo ganho
na posição vendida no Mercado Futuro de Ambas as ações apresentaram uma queda de preço,
Ações. mas a ação E em maior proporção (10% da ação D no
mercado a vista contra 15% da ação E).
a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e
IV e) II e III I - O investidor realiza um prejuízo de $ 10,25
na compra a futuro da ação D,
293. A ação C está cotada atualmente a $ 100,00 por II – O valor do prejuízo foi de $ 505.000,00.
ação. Um investidor que possui 1.000 ações prevê que
esse preço cairá. Ele vende contratos futuros por $ II - O ganho com a venda da ação E a fu-
102,50. Um mês depois, a ação está cotada a $ 97,00 turo foi de $ 12,20 por contrato, ou $
e o preço de Mercado Futuro de Ações é de $ 99,20. O 305.000,00.
investidor encerra sua posição vendedora por meio III - O ganho líquido, nesse caso, foi de $
da compra das ações no Mercado Futuro de Ações. 100.000,00.
As ações tiveram seu preço reduzido em $ 3,00 e os
futuros em $ 3,30. tendo vendido contratos futuros, o a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e
investidor: IV e) II e III

I - ganha com essa queda. 296. Um investidor que possui uma ação especifica
pode mudar sua exposição de mercado para outra ação
II – perde com essa queda.
por meio da venda da ação que possui no Mercado Fu-
III – A perda no mercado a vista é de $ turo de Ações, simultaneamente -> compra de futuros
3.000,00 de ação desejada. Essa transação muda a exposição
IV – O ganho no mercado Futuro é de $ do investidor sem a necessidade de uma operação no
3.300,00 mercado a vista. Ele possui 10.000 ações da empresa
F, mas acredita que as ações da empresa G apresen-
a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e tarão melhor rentabilidade nos próximos dois meses.
IV e) II e III Os preços das ações são:
294. Os contratos futuros permitem aos investidores Ação F Ação G -> Preço no Mercado a Vista
se beneficiarem da performance relativa de uma ação $ 100,00 $ 66,80
vis-à-vis outra ação.
-> Preço no Mercado Futuro de
I – Isso é alcançado por meio da compra Ações $ 101,60 $ 67,90
a futuro de uma determinada ação e da O investidor vende 10.000 ações F no Mercado Futu-
venda a futuro de outra ação. ro de Ações e compra 15.000 ações G a futuro. Ope-
II – O ganho ou perda global depende da rando tais quantidades, o volume contratado de F e
performance relativa das duas ações G é praticamente o mesmo, ou seja, $ 1.016.000,00.
III – Esse tipo de negociação é conhecido Após dois meses, os preços são:
como pairs trade (negociação em pares) Ação F Ação G -> Preço no Mercado a Vista
IV – Similarmente, é possível assumir uma $ 105,00 $ 73,50
posição na performance relativa de uma -> Preço no Mercado Futuro de
ação versus um índice do mercado, por Ações $ 105,85 $ 74,10
meio da compra de ações a futuro e da
O investidor manteve suas 10.000 ações da empre-
venda de índices a futuro (ou vice-versa).
sa F, que valiam $ 1.000.000,00. Os retornos são os
a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e seguintes:
IV e) II e III
I - A ação F teve uma valorização de 5% no
295. Um investidor prevê que a ação D terá uma per- período.
formance melhor do que a ação E nos próximos meses. II - A ação G valorizou-se 10% no período.
Os preços das ações e dos contratos futuros são os III - O ganho líquido foi de $ 100.500,00
seguintes:
IV – O ganho é é igual a 10% do valor das
Ação D Ação E -> Preço no Mercado a Vista ações que o investidor possuía original-
$ 100,00 $ 80,00 mente (F) e equivalente ao retorno da ação
-> Preço no Mercado Futuro de G (10%).
Ações $ 101,25 $ 81,00 a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e
O investidor compra a futuro 20.000 ações D e vende IV e) II e III
60
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
297. O Mercado Futuro de Ações é apropriado para inferior ao preço de referência, incorrendo
todos os tipos de investidores, desde o investidor indi- em uma perda, naquele dia, valor equiva-
vidual até uma vasta gama de investidores profissionais lente a diferença entre o preço de ajuste
ou institucionais, como os fundos de investimentos, do dia e o preço de seu negocio, montante
fundos de pensão, administradores de carteiras, entre que será debitado em sua conta.
outros.
II - Se o preço de ajuste do dia for inferior ao
I - Compradores e Vendedores no Mercado preço do negócio significa que:
Futuro de Ações podem ser tantos hed- - O comprador futuro incorreu em uma
gers, aqueles que detêm ações e buscam perda, naquele dia, com essa operação,
proteção contra um movimento adverso correspondente á diferença entre o preço
nos preços das mesmas no mercado a de ajuste e o preço do negocio, que será
vista, por meio da abertura de uma posição debitado em sua conta.
a futuro oposta -> detida a vista, como es-
peculadores, aqueles que têm por objetivo - Por outro lado, o investidor que vendeu a
realizar ganhos com os movimentos de futuro realizou um ganho, naquele dia, que
preço no futuro. será creditado em sua conta.
II - Os investidores do Mercado Futuro de III - Para as posições abertas em pregões an-
Ações devem estar cientes dos riscos des- teriores é feita a comparação entre o preço
se mercado e do valor que podem perder, de ajuste do dia e o preço de ajuste do dia
como em qualquer outra aplicação nos útil imediatamente anterior.
mercados derivativos. IV - Para as posições fechadas em pregões
III – Os investidores devem considerar em sua posteriores é feita a comparação entre o
análise de risco, entre outros fatores, a si- preço de ajuste do dia útil imediatamente
tuação econômico-financeira do País e da anterior e o preço de ajuste do dia.
empresa emissora das ações subjacentes, a) I e II b) I e III c) I e IV
a expectativa da taxa de juros, bem como d) II e IV e) II e III
a negociação da própria ação subjacente
nos demais mercados da BOVESPA. 299. O investidor comprou, hoje, D0, no Mercado Futuro
de Ações, 1.000 ações PETR4 por $ 56,00 por ação, com
IV - Uma vez definida a estratégia de nego- vencimento para o próximo mês. O preço de ajuste do
ciação, os investidores devem estar per- dia, calculado após o fechamento do pregão, foi de $
feitamente esclarecidos sobre os riscos 55,92. Neste caso, tem-se:
de o mercado apresentar comportamento
contrário às suas expectativas e suas Preço da compra -> $ 56,00
conseqüências sobre suas posições no Preço de ajuste do dia -> $ 55,92
Mercado Futuro de Ações.
Ajuste: (preço do ajuste do dia – preço do negó-
a) I e II b) I e III c) I e IV
cio) * quantidade de ações - $ 80,00 = ((55,92 –
d) II e IV e) II e III 56,00)*1.000).
298. O Mercado Futuro de Ações da BOVESPA enqua- I – O comprador futuro, no dia seguinte, em
dra-se na modalidade “com ajuste diário de perdas e D+1, será debitado em $ 80,00 na sua con-
ganhos”, ou seja, diariamente, todas as posições em ta, uma vez que comprou por um preço
aberto são avaliadas em relação a um preço de referên- superior ao preço de referencia do dia.
cia calculado para cada papel, conhecido como preço II - O vendedor terá um crédito de $ 80,00 em
de ajuste do dia. Essa verificação tem procedimentos sua conta, correspondente ao ganho que
diferentes nas posições abertas no dia e para posições auferiu com sua operação.
abertas em pregões anteriores. Assim , para posições
abertas no dia, o preço de ajuste do dia é confrontado Se, após o encerramento das negociações do dia
com o preço do próprio negocio realizado em pregão seguinte, D+1, o preço de ajuste for de $ 56,30 e os
pelo investidor. investidores mantiveram as mesmas posições do
dia anterior, então, a situação será a seguinte:
I - Se o preço de ajuste do dia for superior
ao preço do negocio realizado no dia pelo Preço da compra -> $ 56,30
investidor, significa que: Preço de ajuste do dia -> $ 55,92
- A posição compradora a futuro foi adquiri- Ajuste: (preço do ajuste do dia – preço do dia an-
da por um preço inferior ao preço de refe- terior) * quantidade de ações + $ 380,00 = ((56,30
rencia do dia e, portanto, esse comprador – 55,92)*1.000).
auferiu um ganho, naquele dia, com essa III - Neste caso, o vendedor será creditado em
compra, em valor equivalente -> diferença $ 380,00, porque sua posição está valoriza-
entre o preço de ajuste do dia e o preço de da em relação ao dia anterior, e
seu negócio, valor que será creditado em IV - o comprador será debitado em $ 380,00,
sua conta. pelo motivo inverso.
- A situação da posição vendedora a futuro é a) I e II
inversa. Ele vendeu a futuro por um preço
b) I e III
61
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
c) I e IV F
d) II e IV
302. Valor do ajuste diário é a diferença diária, positiva
e) II e III ou negativa, que será paga ou recebida pelos investido-
res posicionados no Mercado Futuro de Ações, obtida
300. Preço de Ajuste Diário é o preço de cada ação, no pela comparação dos preços de ajuste de dois pregões
Mercado Futuro de Ações que será utilizado para efeito consecutivos, ou entre o preço de ajuste e o preço do
de cálculo do valor do ajuste diário. negócio a futuro realizado no dia.
I - O preço de ajuste diário é calculado após ( ) O valor do ajuste é calculado diariamente,
o encerramento das negociações do dia, após o encerramento das negociações do
para cada papel e cada vencimento nego- dia e também diariamente os investidores
ciado no Mercado Futuro de Ações. recebem ou pagam o valor referente às
II - Ele corresponde ao preço médio do papel perdas ou ganhos auferidos com suas po-
do Mercado Futuro de Ações apurado no sições a futuro.
período de negociações da tarde. ( ) As posições no Mercado Futuro de Ações
III -Caso a ação não tenha sido transacionada são ajustadas desde o dia de sua abertura
no Mercado Futuro de Ações no período até o dia do vencimento, inclusive.
da tarde, houve negócios com a mesma ( ) O lucro ou prejuízo correspondente a
no período da manhã, então o preço de determinado dia deve ser acertado no
ajuste do dia será o preço médio do dia no primeiro dia útil imediatamente posterior e
Mercado Futuro de Ações. os acertos são realizados exclusivamente
IV - Se o papel não foi negociado no dia no em dinheiro.
Mercado Futuro de Ações, não sendo pos- a) V , F ,V b) F, V, V
sível, portanto, o cálculo do preço de ajuste
do dia, mas foi transacionado no mercado c) V, V, V d) F, F, F e) V, F,
a vista, então a BOVESPA arbitrará esse F
valor e o divulgará no mercado. 303. É importante que, antes de operar no Mercado Fu-
a) I e II turo de Ações, o investidor esteja seguro de que pode
b) I e III arcar com os compromissos financeiros decorrentes de
suas posições mantidas em aberto nesse mercado.
c) I e IV
d) II e IV ( ) Eventuais falhas no acerto dos ajustes di-
ários devidos, em função de movimentos
e) II e III adversos nos preços, implicam o fecha-
Para as questões de 301 a 320 avalie a correção das mento compulsório de suas posições pela
informações. Atribua a letra V para as verdadeiras e F Corretora responsável pela operação.
para as falsas. Em seguida marque a opção que con- ( ) Para operações realizadas no dia, o valor
tenha a seqüência correta. do ajuste corresponde -> diferença entre o
preço de ajuste do dia e o preço do próprio
301. Caso a ação não tenha sido negociada no mercado negocio, multiplicado pela quantidade de
a vista nem no Mercado Futuro de Ações, então o pre- ações a futuro.
ço de ajuste do dia corresponderá ao último preço de
( ) Para os negócios abertos até o dia anterior,
ajuste existente para aquela ação/vencimento.
o valor do ajuste diário corresponde ->
( ) Os acionistas de uma empresa - em geral diferença entre o preço de ajuste do dia e
milhares de indivíduos e instituições - to- o preço de ajuste do dia anterior, multipli-
dos possuem uma parte do patrimônio cado pela quantidade de ações.
da empresa, uma participação que é uma a) V , F ,V
fração do todo.
b) F, V, V
( ) A arbitragem do preço de ajuste leva em
c) V, V, V
conta o preço a vista acrescido de uma
taxa de juros livre de risco, pelo período d) F, F, F
compreendido entre a data da arbitragem e) V, F, F
e de vencimento do contrato.
304. Ações negociadas no Mercado Futuro de Ações
( ) É importante ressaltar que, em casos ex- Somente as ações previamente autorizadas podem ser
cepcionais, a BOVESPA poderá estabele- negociadas no Mercado Futuro de Ações.
cer um preço de ajuste diário com base
em outros critérios, caso conclua que tal ( ) Anualmente, a BOVESPA divulga a relação
procedimento deve ser adotado para asse- de empresas autorizadas -> negociação no
gurar o funcionamento eficiente e regular seu Mercado Futuro de Ações, por meio de
do mercado Futuro de Ações. jornais, Boletim Anual de Informações, no
a) V , F ,V b) F, V, V www.cblc.com.br
c) V, V, V d) F, F, F e) V, F, ( ) Mensalmente, a BOVESPA divulga a re-
lação de empresas autorizadas -> nego-
62
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
ciação no seu Mercado Futuro de Ações, rações day-trade no Mercado Futuro de
por meio de jornais, Boletim Mensal de Ações, ou seja, podem ser realizadas
Informações, no www.cblc.com.br operações de compra e venda a futuro
( ) Diariamente, a BOVESPA divulga a relação dos mesmos papéis, para o mesmo mês
de empresas autorizadas -> negociação no de vencimento, em um mesmo comitente.
seu Mercado Futuro de Ações, por meio de Tais operações são liquidadas por com-
jornais, Boletim Diário de Informações, no pensação financeira, em valor equivalente
www.cblc.com.br -> diferença entre o preço de compra e o
preço de venda.
a) V , F ,V b) F, V, V
( ) Se o preço de compra for superior ao
c) V, V, V d) F, F, F e) F, F,
preço de venda, o investidor deverá pagar
V
a diferença entre esses dois valores, mul-
305. Para negociar no Mercado Futuro de Ações, o tiplicada pela quantidade de ações nego-
Investidor deve proceder da mesma forma que já o faz ciada. Se o preço de compra for inferior ao
em qualquer outro mercado da BOVESPA. preço de venda, o investidor terá o direito
de receber a diferença entre os dois valo-
( ) Deve dirigir-se -> Sociedade Corretora de res, multiplicada pela quantidade de ações
sua confiança e na qual já tem cadastrado negociada.
para operação em Bolsa e, após atendidas
às exigências da Corretora, basta dar a a) V , F ,V b) F, V, V
ordem para comprar ou vender a futuro c) V, V, V d) F, F, F e) F, F,
o papel que desejar e nas condições que V
especificar.
307. Todas as operações efetuadas no Mercado Futuro
( ) As informações necessárias para o envio das Ações da BOVESPA são registradas na Companhia
das ordens de compra/venda de ações no Brasileira de Liquidação e Custódia CBLC, no mesmo
Mercado Futuro de Ações são as mesmas dia da realização da operação (D+0).
vigentes para o mercado a vista da BO-
VESPA. No mínimo, devem ser informados: ( ) Para operações realizadas no dia, o valor
o tipo da operação (se uma compra ou do ajuste corresponde -> diferença entre o
venda); a quantidade (em múltiplos do lote- preço de ajuste do dia e o preço do próprio
padrão do papel); o código de negociação negocio, multiplicado pela quantidade de
(o código do papel/vencimento no Mercado ações a futuro.
Futuro de Ações); e a condição de preço. ( ) Para os negócios abertos até o dia anterior,
( ) Como no mercado a vista e de opções, os o valor do ajuste diário corresponde ->
principais tipos de ordens poderão ser: a diferença entre o preço de ajuste do dia e
mercado (significa que o investidor aceita o preço de ajuste do dia anterior, multipli-
o preço que estiver sendo praticado naque- cado pela quantidade de ações.
le momento); limitada (quando o investidor ( ) A partir do registro, a CBLC passa a ser
fixa o preço máximo ou mínimo pelo qual responsável, como contraparte e exclu-
deseja operar); e administrada (aquela em sivamente perante os Agentes de Com-
que o investidor autoriza, -> Corretora pensação, pela liquidação de todas as
por meio da qual está operando, a escolha operações.
do melhor momento para a execução da a) V , F ,V b) F, V, V
ordem).
c) V, V, V d) F, F, F e) F, F,
a) V , F ,V b) F, V, V V
c) V, V, V d) F, F, F e) F, F,
V 308. Os preços negociados no Mercado Futuro de Ações
são formados pela interação entre a oferta e a demanda
306. As transações de Mercado Futuro de Ações podem por determinado papel nesse mercado. Assim:
ser realizadas tanto no pregão Viva Voz quanto via sis- ( ) Se não houver mais investidores interes-
tema eletrônico de negociação, acompanhando o local
sados em comprar determinado papel a
de negociação da ação subjacente.
futuro para um especifico vencimento do
( ) O lote-padrão das ações negociadas que investidores que queiram vendê-lo, a
no Mercado Futuro de Ações é o mesmo ação naturalmente obterá uma elevação
vigente no mercado a vista desses papéis, no seu preço, pois os investidores estarão
bem como a forma de cotação. Ou seja, as dispostos a pagar mais para obterem o
ações são transacionadas em múltiplos papel e vice-versa.
de 100, 1.000, 10.000 ou 100.000 ações, ( ) Esse preço praticado em mercado gira
conforme o tamanho do lote para a ação em torno de um preço calculado para o
do mercado a vista, e são cotadas em R$ papel , chamado de preço real ou preço
por ação ou R$ por mil ações, seguindo o registrado.
mesmo padrão do mercado a vista.
( ) A formação do valor se baseia no principio
( ) Não é permitida a realização de ope-
63
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
de que o preço registrado de negociação Mercado Futuro de Ações com vencimento
no Mercado Futuro de Ações corresponde para dezembro.
ao preço do papel no mercado a vista me- ( ) Dessa forma , ele estará anulando sua po-
nos uma taxa de juros. sição original.
a) V , F ,V b) F, V, V ( ) São aceitos encerramentos totais ou par-
c) V, V, V d) F, F, F e) F, F, ciais de uma mesma posição, destacando-
V se que o encerramento antecipado de
posições pode ser realizado a qualquer
309. Visando a auxiliar sobre a conclusão do preço momento, desde a abertura da posição até
justo, vamos supor que os preços no mercado a vista o dia de vencimento do contrato.
e no Mercado Futuro de Ações, hoje, são exatamente
iguais. Nesse caso, em qual dos dois mercados seria ( ) A liquidação do encerramento antecipado
preferível assumir uma posição de compra?No Mercado de posições é exclusivamente financeira,
Futuro de Ações! Mas por quê? com o preço de liquidação corresponden-
do -> diferença entre o preço do negócio
( ) Porque comparado ao mercado a vista, o de encerramento e o preço de ajuste do dia
investidor teria de desembolsar o valor útil imediatamente anterior.
total da operação em D+3, enquanto o
a) V , F ,V, V b) F, V, V, F
Mercado Futuro de Ações bastaria o depó-
sito de garantias, com o pagamento total c) V, V, V, V d) F, F, F, F e) F, F,
efetivando-se apenas na data de liquidação V, V
(V+3)
312. Um investidor detentor de uma posição de compra
( ) O investidor poder optar por levar o contra- futura de 500.000 ações A, com vencimento em outubro,
to até o vencimento. deseja se desfazer de parte de sua posição. Ele vai ->
( ) O investidor poderia utilizar o montante Sociedade Corretora por meio da qual opera e dá a or-
não desembolsado em aplicações livres dem para vender no Mercado futuro de Ações 300.000
de risco, auferindo assim uma determinada ações A com vencimento em outubro. A operação é
rentabilidade. realizada ao preço de R$ 105,00 por ação.
a) V , F ,V b) F, V, V ( ) Operação de encerramento parcial : Venda
de 200.000 ações
c) V, V, V d) F, F, F e) F, F, ( ) Preço da operação de encerramento : R$
V 105,00 por ação
( ) Preço de ajuste do dia anterior : R$ 104,58
310. Relação entre preço a Vista e preço Futuro:
por ação
( ) A relação entre o preço a vista e o preço ( ) Valor da liquidação do encerramento : VL =(
futuro de determinada ação pe dada pela 105,00 – 104,58) * 200.000 = R$ 129.712,42
diferença entre a cotação de uma posição
a) V , F ,V, V
a futuro e a cotação a vista do ativo sub-
jacente. b) F, V, V, F
( ) Base = Preço Futuro + Preço a vista. c) V, V, V, V
( ) O valor da base depende, entre outros fato- d) F, F, F, F
res, do custo de financiamento. e) F, F, V, V
( ) O preço dos papéis no Mercado Futuro de
313. Vencimento no Mercado futuro de Ações significa
Ações será superior aos preços vigentes o último dia em que um contrato futuro pode ser encer-
no mercado a vista. rado por meio da realização de uma operação oposta
a) V , F ,V, V b) F, V, V, F no próprio Mercado Futuro de Ações.
c) V, V, V, V d) F, F, F, F ( ) Os contratos futuros de ações negociados
e) F, F, V, V na BOVESPA têm como dia de vencimento
311. O investidor detentor de uma posição comprada ou a terceira segunda-feira do mês do con-
vendida no Mercado Futuro de Ações, que não deseje trato.
ir para liquidação física, pode sair de sua posição no ( ) Se o dia de vencimento for feriado ou não
Mercado Futuro de Ações por meio da realização de houver sessão de negociação na BOVES-
uma operação de natureza oposta envolvendo os mes- PA, será transferido para o primeiro dia útil
mos papéis e mês de vencimento. O resultado será a subseqüente.
extinção de posições até então existentes. ( ) Após o encerramento desse dia, não mais
( ) Assim, se o investidor é detentor de uma será possível negociar as posições que se
posição vendedora de 100.000 ações X, mantiveram abertas no Mercado Futuro de
que vence, por exemplo, em dezembro, e Ações para aquele vencimento, devendo as
deseja encerrar sua posição no Mercado mesmas ser liquidadas fisicamente.
Futuro de Ações antes do dia de vencimen- a) V , F ,V
to, ele poderá comprar 100.000 ações X no b) F, V, V
64
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
c) V, V, V 316. As definições abaixo se referem à:
d) F, F, F ( ) Cobertura: Toda posição a futuro requer
e) F, F, V o depósito de coberturas do investidor
perante a Sociedade Corretora, por meio
314. As operações no Mercado Futuro de Ações que da qual atue, e desta perante a CBLC,
permanecerem em aberto após o fechamento do dia atendendo a prazos , formas e montantes
de vencimento terão obrigatoriamente liquidação fí- por ela determinados, com o objetivo de
sica, ou seja, o investidor que , findo o último dia de assegurar o cumprimento das obrigações
negociação, permanecer com uma posição comprada
assumidas. Tanto o comprador como o
de ações receberá as ações e pagará por elas e preço
vendedor da futuro devem depositar as co-
de liquidação apurado na data do vencimento.
berturas iniciais e adicionais estabelecidas,
( ) A liquidação física ocorrerá no primeiro as quais são depositadas pela Corretora na
dia útil posterior ao dia de vencimento do CBLC e registradas em contas individuais
contrato ,( V+3). em nome de seus detentores, podendo ser
( ) A liquidação física ocorrerá no segundo executadas somente na liquidação de seus
dia útil posterior ao dia de vencimento do débitos.
contrato ,( V+3). ( ) Garantia A garantia refere-se ao depósito,
( ) A liquidação física ocorrerá no terceiro pelo vendedor, das ações referentes a parte
dia útil posterior ao dia de vencimento do ou ao total de sua posição vendedora. Uma
contrato ,( V+3). vez depositadas tais ações, o investidor
estará isento da prestação de coberturas
a) V , F ,V
adicionais para essa específica quantidade
b) F, V, V de sua posição vendedora , excetuando-
c) V, V, V se os ajustes diários, que será obrigado
d) F, F, F a fazer sempre que solicitados.O restante
de sua posição vendedora, não coberta,
e) F, F, V
sujeita-se -> chamada de margem.
315. O preço de liquidação das ações que forem para li- ( ) Tanto o vendedor descoberto como o
quidação física será igual ao preço médio dos negócios comprador devem depositar garantias sob
com a ação no mercado a vista realizados no segundo forma de margem.
período de negociações do dia. Para efeito de cálculo de margem , a CBLC
( ) No caso de , por qualquer motivo, ser im- usa sistema de administração de risco que
possível o cálculo do preço de liquidação diariamente avalia a adequação do nível
a BOVESPA arbitrará esse valor. de garantias de cada investidor -> sua ex-
( ) O valor da liquidação financeira das posi- posição ao risco nos mercados a prazo da
ções mantidas em aberto ao final do dia BOVESPA.
de vencimento será dado pela seguinte a) V , F ,V
fórmula: VL = PAan * Qan b) F, V, V
Onde: c) V, V, V
VL= valor da liquidação financeira d) F, F, F
PAan= Preço médio da ação “a” no perí- e) F, F, V
odo da tarde do mercado a vista do dia de
vencimento 317. O valor da margem corresponde -> perda poten-
Qan = Quantidade de ações “ a “ da posi- cial da carteira de ativos do investidor no caso de um
movimento adverso nos preços das ações subjacentes
ção no dia de vencimento
aos contratos:
( ) Assim , se o investidor encerrou o último
dia de negociação para determinado ven- ( ) Para tanto, projeta-se o valor de liquidação
cimento com uma posição compradora do portfólio do investidor, baseando-se
de 1.000 ações A, deverá pagar -> CBLC o em dez cenários prováveis (cinco de alta e
valor equivalente a: Quantidade de ações cinco de baixa).
para liquidação física : 1.000 Preço médio ( ) O movimento do mercado é estimado com
da ação A verificado no período da tarde base na volatilidade histórica do papel.
no mercado a vista : R$ 103,00. Valor da ( ) As chamadas de margem são exigíveis no
liquidação financeira : R$ 103.000,00 mesmo dia da abertura de posições no
a) V , F ,V, V Mercado Futuro De Ações ou da oscilação
b) F, V, V, F de preço sobre as posições já existentes.
c) V, V, V, V a) V , F ,V
d) F, F, F, F b) F, V, V
e) F, F, V, V c) V, V, V
d) F, F, F
65
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) F, F, V a CBLC proibir a abertura de novas posi-
ções.
318. Os ativos aceitos como garantia são aqueles
estabelecidos pela CBLC, segundo suas normas e ( ) Quando da distribuição de proventos em
condições. dinheiro , o preço dos contratos futuros
será ajustado no dia em que o papel passar
( ) Aplica sobre esse valor um percentual de a ser negociado na condição “ex”.
ágio, de acordo com o respectivo risco (de a) V , F ,V
mercado, de crédito, de liquidez e outros).
b) F, F, F
( ) Os únicos ativos que não sofrem qualquer
ágio são depósitos em moeda nacional e c) V, V, V
títulos públicos de alta liquidez. d) V, V, F
( ) Diariamente , a CBLC avalia as garantias e) F, F, V
pelo seu valor de mercado em moeda cor-
rente nacional 321. Existem diversas espécies de títulos de crédito
rural:
a) V , F ,V
b) F, V, V a) Cédula Rural Pignoratícia (CRP)
c) V, V, V b) Cédula Rural Hipotecária (CRH)
d) F, F, F c) Commercial Paper
e) F, F, V d) Cédula Rural Pignoratícia e Hipotecária
(CRPH)
319. Atualmente, são aceitos os seguintes ativos como e) Nota de Crédito Rural
garantia:
322. Debênture é um título emitido por sociedade anôni-
( ) Moeda corrente nacional; Títulos públicos mas não financeiras de capital aberto, tem as seguintes
títulos públicos federais de alta liquidez; características:
( ) Ouro ativo financeiro depositado no siste-
a) É um título emitido por sociedades anôni-
ma de custódia da BM&F, com a emissão
mas não financeiras de capital aberto, com
de certificado representativo de ouro
garantia de seu ativo e com ou sem garantia
BM&F;
subsidiária da instituição financeira que as
( ) Ações de companhias abertas listadas em lança no mercado, para obter recursos de
Bolsa de Valores ações componentes da médio e longo prazo destinados normalmente
carteira teórica do Ibovespa; a financiamento de projetos de investimentos
( ) Títulos privados certificados de deposito ou alongamento do perfil do passivo.
bancário (CDBs); b) A emissão e as condições de emissão não são
( ) Debêntures emitidas por companhias aber- deliberadas em AGE.
tas listadas na BOVESPA;nos promissórias c) A emissão não poderá ser por séries, para não
emitidas por companhias abertas listadas adequar o montante de recursos às necessi-
na BOVESPA; dades de caixa da empresa ou -> demanda de
a) V , V ,V, V, V mercado.
b) F, V, V, F, V d) Elas garantem ao comprador uma remunera-
c) V, V, V, F, F ção certa num prazo certo, não dando direito
de participação nos bens ou lucros da empre-
d) F, F, F,F,F,F
sa.
e) F, F, V,V,F,V
e) A emissão de debênture deverá Ter por limite
320. Visando a minimizar os riscos de uma excessiva máximo o valor do patrimônio líquido da em-
concentração de posições em aberto numa única ins- presa e seu prazo de resgate nunca deve ser
tituição ou investidor, o que poderia afetar a liquidez e inferior a um ano.
a transparência do mercado, a CBLC estabelece limites
de concentração por instituição, comitente ou grupo 323. Os debenturistas formam um condomínio, repre-
de comitentes agindo em conjunto ou representando sentado perante a empresa emitente por um agente
um mesmo interesse para posições no Mercado Futuro fiduciário.
de Ações. a) O agente fiduciário deve ser remunerado com
( ) Os limites fixados pela CBLC para o Mer- juros e prêmio.
cado Futuro de Ações baseiam-se num b) O agente fiduciário deve zelar pelos direitos
percentual das ações em circulação no dos debenturistas. É de sua responsabilidade
mercado e podem ser consultados no site assegurar que a emitente cumpra as clausu-
da CBLC na Internet. las da escritura. Os contratos de debêntures
( ) A inobservância de tais limites é condição também especificamente deveres, direitos e
suficiente para o encerramento compul- condições para a remoção do agente.
sório das posições excedentes, podendo c) A remuneração das debêntures do agente

66
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
fiduciário é composta de correção exclusiva- (pagamento) é feita em __________.
mente.
a) D+3 ; D+2
d) Quando ocorre uma repactuação de taxas o
b) D+1; D+2
agente fiduciário estabelece as novas condi-
ções para o próximo período. c) D+2; D+3
e) Se o debenturista não aceitar essas novas d) D+3; D+1
condições, o agente fiduciário terá de efetuar e) D+2; D+1
o resgate dos títulos.
327. Os tipos de ordem de compra e venda são:
324. A colocação de uma debênture em mercado pose
ser:
a) De Mercado, quando o investidor estabelece
o preço máximo ou mínimo pelo qual ele que
a) Direta quando é feita diretamente a um com- comprar ou vender determinada ação.
prador ou grupo de compradores, suas taxas b) Limitada, quando o investidor estabelece o
de juros são mais altas. preço máximo ou mínimo pelo qual ele que
b) Oferta pública tem mercado secuindário de- comprar ou vender determinada ação.
pendendo das alternativas dos outros títulos c) Casada, quando o investidor determina uma
do mercado no momento de sua emissão, ordem de compra de um título e uma venda
podem ser colocadas com desconto ou com de outro, condicionando sua efetivação ao fato
prêmio. de ambas poderem ser executadas.
c) Subordinada os credores só têm preferência d) Financiamento, quando o investidor determina
sobre o acionista uma ordem de compra ou venda de um título
d) Quirográfica sem nenhum tipo de garantia em um tipo de mercado e, uma outra conco-
para os credores As debêntures são muito uti- mitante de venda ou compra de igual título, no
lizadas como instrumentos de captação para mesmo ou em outro mercado, com prazos de
funding das empresas de leasing, graças ao vencimentos distintos.
seu perfil de papel de longo prazo. e) Dividendos, quando o investidor determina
e) Flutuante garantia oferecida é composta do uma ordem de compra de um título e uma
total do ativo venda de outro, condicionando sua efetivação
ao fato de ambas poderem ser executadas.
325. Underwriting é uma das operações cuja prática é
explicitamente autorizada aos bancos de investimen- 328. Mercado de Balcão:
to:
a) também conhecido como “Over-The-Conuter-
a) Eles intermediam a colocação (lançamento) Market” ou mercado e telefone;
ou distribuição, no mercado, de capitais de b) funciona durante todo o expediente comer-
ações, debêntures ou outro título mobiliário cial;
qualquer para investimento ou revenda no
mercado de capitais, recebendo uma comis- c) se organiza através do sistema de distribui-
são pelos serviços prestados, proporcional ao ção
volume do lançamento. d) as sociedades distribuidoras tomam parte
b) As operações de Underwriting podem ser re- ativa, ou seja não têm local determinado.
alizadas em dois mercados. e) não é predominante as transações com
c) As operações de Underwritting no Mercado ações.
Primário ocorre quando a própria empresa 329. O mercado de ouro, assim como o de ações, integra
emite ações ou debêntures que são ofertadas o grupo dos chamados mercados de risco já que suas
através de um banco. A empresa terá seu cotações variam ao sabor da lei básica da oferta e da
capital aberto através da emissão desses procura, bem como de fatores exógenos ao mercado.
títulos. É uma reserva de valor em momentos de incerteza
d) As operações de Underwritting no Mercado econômica, financeira ou política em nível mundial.
Secundário ocorre quando o banco é con- No mercado Internacional, os principais centros que
tratado para colocar ações ou debêntures já negociam ouro são:
emitidos e pertencentes a uma determinada a) Londres e Chicago
pessoa física ou jurídica.
b) Chicago e Paris
e) Melhores Esforços é a operação na qual a ins-
tituição financeira coordenadora da operação c) Paris e Zurique;
garante a colocação de um determinado lote d) New York e Zurique
de ações a um determinado preço previamen- e) Paris e Londres
te pactuado com a empresa emissora.
330. No Brasil:
326. A operação -> vista se caracteriza pela compra ou
venda, em pregão, de determinada quantidade de ações a) o maior volume de comercialização de ouro se
para liquidação imediata. A liquidação física ( entrega faz através da Bolsa de Mercadorias e Futuros
dos papéis) é feita em ________ e a liquidação financeira de São Paulo,
67
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
b) temo a única bolsa do mundo que não comer- os mercados de capitais são mais fortes e dinâmicos.
cializa ouro no mercado físico. Este é o:
c) as cotações do ouro no exterior são feitas a) Mercado Secundário
em relação -> onça troy que equivale a b) Mercado Primário
31,1104g.
c) Mercado de Crédito
d) a cotação é feita em dólar por grama de ouro
puro, vincula-se historicamente às cotações d) Mercado de Capitais
de Londres e New York, refletindo portanto as e) Mercado cambial
expectativas do mercado internacional.
335. Os dois mercados, o de balcão e o spot nas bolsas,
e) a partida internacional do ouro -> vista (spot) são complementares e se auto-regulam em termos de
é calculada diariamente, tomando-se o preço cotações dos preços do grama.
do grama em New York .
a) No balcão não há necessidade de intermedia-
331. A compra e venda de ouro em barras podem ser ção para se comprar ou vender ouro.
efetivada no chamado mercado de balcão, através de b) Nas bolsas os investidores têm de procurar
agências das instituições financeiras especializadas :
uma corretora conveniada o que significará
a) bancos. custos na forma de um percentual do valor
b) corretoras negociado, a título de comissão, além de uma
taxa de custodia que o cliente paga ao banco
c) distribuidoras depositário onde o metal fica guardado.
d) fundidoras c) As bolsas providenciam junto aos institutos
e) empresas de mineração técnicos, análises sistemáticas para verificar
o cumprimento de especificações de qualida-
332. Para efetuar a aquisição inicial de títulos públicos,
de.
as instituições financeiras submetem eletronicamente,
através do Sisbacen, ofertas de compra especificando d) O ouro negociado nas bolsas, normalmente
as quantidades e taxas pelas quais estão dispostas a em unidade de negociação de 0,225, 10, 250,
comprar os títulos objeto da oferta. Cada instituição e 1.000 gramas de ouro contidos com grau de
pode fazer até 5 ofertas por título. As ofertas devem ser pureza de 9,9%.
feitas até o horário estabelecido, em geral até às 13h e) A retirada física, em caso de interesse do
do dia da lei. Esta afirmação refere-se ao: cliente, só pode ser feita em barras de 250
a) Mercado Secundário onças, 100 gramas e 400 gramas.
b) Mercado Primário 336. O Mercado de Câmbio é aquele que envolve a
c) Mercado de Crédito negociação de moedas estrangeiras e as pessoas
d) Mercado de Capitais interessadas em movimentar essas moedas. As opera-
ções não podem ser praticadas livremente e devem ser
e) Mercado cambial conduzidas através de um estabelecimento bancário a
operar em câmbio.
333. No mercado de balcão, os negócios são fechados
entre as instituições financeiras pelo telefone. É um a) Os que recebem são: os exportadores; os
mercado ágil, com um grande número de participantes, devedores de empréstimos que remetem ao
mas os seus maiores problemas é que ele não oferece exterior o principal e os juros; os tomadores
a transparência que alguns investidores demandam e de investimentos que remetem ao exterior
nem um mecanismo de centralização de preços, isto é, rendimentos do capital investido (lucros/divi-
os investidores não sabem se estão obtendo o melhor dendos); os que fazem transferências para o
preço do momento para os seus negócios. Esta afir- exterior.
mação refere-se ao:
b) Os que produzem são: os importadores; os
a) Mercado Secundário devedores de empréstimos e investimentos;
b) Mercado Primário os turistas estrangeiros; os que recebem
c) Mercado de Crédito transferências do exterior.
d) Mercado de Capitais c) Os elementos que participam do mercado de
câmbio se dividem nos que produzem divisas
e) Mercado Monetário e nos que recebem divisas.
334. É toda a rede de bolsas de valores e instituições d) Pelo sistema brasileiro, as divisas não são
financeiras (bancos, companhias de investimento e monopólio do estado, que é representado
de seguro) que opera com compra e venda de papéis pelo Banco Central , o qual estabelece as
(ações, títulos de dívida em geral) a longo prazo. Seu condições pelas quais um banco pode operar
objetivo é canalizar as poupanças (recursos financei- em câmbio:
ros) da sociedade para o comércio, a indústria, outras
e) Os bancos não deverão comprovar que des-
atividades econômicas e para o próprio governo. Distin-
frutam de linhas de créditos concedidas por
gue-se do mercado monetário que movimenta recursos
a curto prazo, embora tenham muitas instituições em banqueiros estrangeiros, até determinados li-
comum. Nos países capitalistas mais desenvolvidos mites que lhes permitam sacar a descoberto;

68
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
337. O Mercado de Câmbio no Brasil: recebimento de moeda nacional;
a) Mercado de Câmbio de Taxas Livres (dólar co- c) Arbitragem entrega de moeda estrangeira con-
mercial), instituído pela resolução nº 1.690 de tra recebimento de outra moeda estrangeira.
18 de março de 1990 , do CMN e destinado às d) Exportação venda ao exterior de mercadorias
operações de câmbio em geral, enquadrando- e serviços com preço ajustado para pagamen-
se neste segmento as operações comerciais to em moeda estrangeira
de exportação/importação e as operações e) Importação compra de mercadorias e serviços
financeiras de empréstimos e investimentos com preço ajustado para pagamento em moe-
externos bem como o retorno ao exterior da da estrangeira.
remuneração destas operações.
b) Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes 340. A arbitragem consiste na compra de determinada
(dólar flutuante), instituído pela resolução nº quantidade de uma moeda e na venda de outra moeda
1.552 de 22 de dezembro de 1988, do CMN, estrangeira de forma que, aplicada a paridade entre
legitimando um segmento de mercado que era elas, o resultado seja de equivalência, podendo a li-
quidação ser simultânea, pronta ou futura. Os tipos de
até então considerado ilegal, enquadrando
arbitragem são:
neste segmento as operações entre institui-
ções financeiras como definidas pelo Banco a) Arbitragem Externa consiste na remessa de
Central. divisas de uma praça para outra, buscando
c) Mercado de Câmbio de Taxas Livres (dó- obter vantagens em função das diferenças de
lar comercial), instituído pela resolução nº preço existentes. É representada pela venda
1.690 de 18 de março de 1990 , do CMN e de uma moeda estrangeira contra o recebi-
destinado às operações de câmbio em geral, mento de outra moeda também estrangeira.
enquadrando-se neste segmento as opera- A arbitragem é a mecânica de compra de um
ções comerciais de exportação/importação e amoeda no mercado em que seu preço estiver
as operações financeiras de empréstimos e in- baixo e venda onde seu preço estiver mais
vestimentos externos bem como o retorno ao alto, obtendo-se, com isso, o lucro desejado.
exterior da remuneração destas operações. A arbitragem é utilizada, também para que
os bancos nacionais convertam dólares em
d) Mercado de Câmbio de Taxas Arbitradas (dó-
outras divisas, através de utilização de linhas
lar spot), instituído pela resolução nº 1.695 de
de crédito internacionais.
20 de abril de 1988, do CMN, legitimando um
segmento de mercado que era até então con- b) Arbitragem Direta é a transação efetuada por
siderado ilegal, enquadrando neste segmento dois operadores localizados em praças de pa-
as operações entre instituições financeiras íses diferentes, que arbitram suas respectivas
como definidas pelo Banco Central. moedas.
e) Mercado de Câmbio de Taxas Comuns (dólar c) Arbitragem Interna é a transação realizada
turismo), instituído pela resolução nº 1.898 de por um operador que, atuando em sua base,
1 de setembro de 1990 , do CMN e destinado efetua operações envolvendo as moedas
às operações de câmbio em geral, enqua- nacionais de duas praças estrangeiras quer
drando-se neste segmento as operações arbitrando as duas moedas ou mais de duas.
comerciais de exportação/importação e as d) Arbitragem Indireta são as operações simbó-
operações financeiras de empréstimos e in- licas de compra e venda simultâneas de câm-
vestimentos externos bem como o retorno ao bio têm por finalidade regularizar exigências
exterior da remuneração destas operações. de ordem cambial, não figurando, portanto,
entre as transações normais que se caracteri-
338. O Corretor de Câmbio é o intermediário nas ope- zam pela entrega efetiva de moeda.
rações de câmbio, isto é, funciona como contato entre
clientes e os bancos autorizados a operar em câmbio. e) Existem duas respostas corretas
Os corretores só trabalham no mercado de:
341. O objetivo principal do contrato de câmbio é a
a) taxas livres (dólar comercial) compra e venda de moeda estrangeira, cuja entrega
da moeda corresponde -> liquidação do contrato. O
b) taxas flutuantes (dólar turismo)
contrato de câmbio:
c) taxas arbitradas (dólar spot)
a) visa a prestação de um serviço por um banco
d) taxas comuns (dólar paralelo
ao seu cliente. Quando este cliente for um ex-
e) taxas spreads (dólar paralelo) portador, o serviço bancário será a cobrança,
no exterior de cambiais sacadas pelo expor-
339. No mercado de câmbio as operações são basica-
mente, a troca (conversão) da moeda de um país pela tador nacional contra o importador residente
de outro. Em relação ao estabelecimento operador, em outro país. Quando for um importador o
elas se classificam como: serviço bancário prestado será o recebimento,
em moeda local, com o respectivo pagamento,
a) Compra recebimento de moeda estrangeira ao fornecedor no exterior, do valor referente ->
contra entrega de moeda nacional; mercadoria importada.
b) Venda entrega de moeda estrangeira contra b) é, portanto, um ato bilateral e oneroso, pelo
69
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
qual o vendedor (exportador) vende o banco a) do Departamento de Comércio Exterior (De-
(comprador) as divisas estrangeiras, cuja en- cex),
trega poderá ser a vista ou a prazo. b) da Secretaria da Receita Federal (SRF) e
c) faz com que a mercadoria, fique a disposição c) do Sistema Brasileiro de bancos (SISBAN-
por 180 dias. CEN)
d) faz com que o importador a seu critério con- d) do Banco Central (BC)
trate parte do câmbio previamente no desem-
e) da Caixa Econômica Federal
barque.
e) está disciplinado pela Lei nº 4.595 de 31 de 346. A intervenção do BC, via dealers, pode ser feita
Setembro de 1964 (lei da reforma bancária). sobre o estoque de moeda da seguinte forma:

342. Os contratos de câmbio de operações financeiras a) se a taxa de câmbio cai, ficando abaixo do
ou de pagamento antecipado de exportação são cele- nível desejado pelo Governo, o que indica a
brados para liquidação pronta, ou seja, imediatamente oferta de moeda estrangeira é maior do que
após sua contratação. Os prazos limites para liquidação a procura, o Banco Central entra no mercado
dos contratos de câmbio, sendo D o dias da contratação e compra o excesso de divisas, o que implica
do Câmbio, são: gradual elevação de taxa (a intervenção con-
tinua até que a taxa retorne ao nível deseja-
a) Exportações (pronta) D+2; (futura) D+180
do);
b) Exportações (pronta) D+2; (futura) D+360
b) se a taxa de câmbio sobe, ficando acima das
c) Importações (pronta) D+2; (futura) D+360 expectativas oficiais, o que indica que a oferta
d) Importações (pronta) D+2; (futura) D+180 de moeda é menor do que a procura, o BC
e) Financeiras (pronta) D+2; (futura) Não há lança mão de seus estoques de divisas e ven-
de, no mercado, um determinado montante,
343. Existe uma série de taxas de câmbio em dólar que aumentando assim a oferta e fazendo cair ->
regulam as operações de diferentes segmentos do taxa, voltando ao nível desejado;
mercado de câmbio, sempre com cotações de compra c) quando o BC resolve realizar uma operação
e venda oscilantes ao longo do dia. de compra ou venda de moeda;
a) Taxa de câmbio para repasse e Cobertura, d) acionando todos os seus dealers e informa
estabelece o parâmetro para as operações que haverá um leilão informal (go around) de
oficiais de compra e venda de moeda no co- câmbio e fixa o lote mínimo, geralmente de
mércio exterior. 500 mil dólares;
b) Taxa de Câmbio para Repasse e Cobertura, e) quando o segundo contato do BC é para
Estabelece o parâmetro para as operações informar que o leilão será de compra ou de
de compra e venda de moeda entre os bancos venda de moeda ou de compra e venda (leilão
no segmento comercial para entrega em 48 de spread) e fixar as taxas. Nesse momento,
horas. é fixado o prazo para o dealer apresentar a
c) Taxa de Câmbio Flutuante, estabelece o parâ- quantidade de moeda que está disposto a
metro de compra e venda de moeda que será comprar ou vender naquelas taxas.
usada para transferência direta de e para o
exterior. 347. O número de dealers no mercado de câmbio é:
d) Taxa de Câmbio Interbancário Flutuante, Es- a) 25 b) 28 c) 48 d) 45 e)
tabelece o parâmetro para as operações de 51
compra e venda de moeda entre os bancos,
348. Os mercados a termo são semelhantes aos mer-
que irá estabelecer o mercado de balcão do
cados futuros, pelo fato de serem acordo de compra
câmbio flutuante. e venda de um ativo em uma data futura, por preço
e) Taxa de Câmbio Pronta, estabelece o parâ- previamente estabelecido. No entanto, não são ne-
metro de compra e venda de moeda adquirida gociados em bolsas com as mesmas características
fora dos meios oficiais via doleiros. dos contratos futuros, já que são acordos particulares
entre duas instituições financeiras e/ou seus clientes.
344. As Remessas de ou para o exterior são usadas , As diferenças básicas entre os mercados futuro e a
normalmente, através de ordens: termos são;
a) (cheque, ordem por carta,). a) Negociação Mercado a Termo (direta entre as
b) (ordem por telex, telegráfica) partes) ; Futuro (caixa de liquidação)
c) (telefone, fax) b) Vencimento Mercado a Termo (livre e especi-
d) (cheque, telefone) fico) ; Futuro (diversos e determinados)
e) (ordem por carta, telefone) c) Contrato Mercado a Termo (não-padronizado)
; Futuro (padronizado)
345. Sistema Integrado de Comércio Exterior SISCOMEX d) Objetivo Mercado a Termo (entrega de merca-
, é uma nova sistemática administrativa do comércio dorias) ; Futuro (proteção)
exterior brasileiro, que integra as atividades afins:
e) Liquidação Mercado a Termo (no vencimento)
70
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
; Futuro (durante o contrato) b) da taxa de juros,
c) de uma ação ou de uma mercadoria
349. As definições a seguir referem-se à:
d) de uma mercadoria
a) Contrato a Termo BBC 28 diasè O mercado
e) de um serviço
futuro de Depósitos Interfinanceiros de um dia
(DI) não funciona como um hedge (proteção) 351. No mercado de derivativos o instrumento que
perfeito porque tem valores específicos de possibilita o hedge é:
contrato e datas de vencimento fixos. Para eli-
minar, de certa forma, tal dificuldade foi criado a) Mercado de Opções. b) Mercado a Termo
o mercado a termo de DI. No termo de DI, os c) Mercado Futuro d) Mercado de
valores e a data de vencimento, desde que Capitais
entre dois e até 90 dias, são determinados e) Mercado de Balcão
pelas partes envolvidas, de acordo com seus
interesses. 352. As principais características do mercado futuro
b) Contrato a termo DI è O contrato a termo de são:
BBC compete com o mercado de balcão de a) a enorme possibilidade de alavancagem de
termo de BBC, em que as instituições nego- resultados;
ciam este título para liquidação futura. Permi- b) o elevado nível de risco envolvido;
tem entre outras coisas, o hedge das posições
assumidas pelas instituições financeiras nos c) o envolvimento de pessoal altamente especia-
leilões semanais primários do BBC realizados lizado;
pelo BC. Trata-se de uma aposta em torno d) a agilidade do processo negocial;
do preço unitário (PU) e, portanto de taxa de e) a necessidade premente de informações atu-
juros projetada para um BBC que ainda está alizadas
para ser emitido pelo BC. Com o depósito
de margem, a BM&F fornece garantia de sua 353. O conceito de marcar a mercado uma operação
liquidação. O risco é, portanto é da BM&F. No consiste em:
mercado de balcão, as instituições têm que a) estabelecer o preço atual da operação de tal
arcar com os riscos de diferentes parceiros e forma que sua reposição permita ao adquiren-
os limites de crédito em relação a eles têm de te os mesmos resultados de uma nova opera-
ser respeitados. Não têm ajuste diário e seu ção com características de fluxos de caixa e
vencimento é semanal. prazo remanescentes, iguais ao da operação
c) Contrato a Termo de Certificados de Energia original.
è Permite às empresas garantirem antecipa- b) consiste em calcular o valor de resgate de
damente o preço da energia. O contrato pode cada um dos termos (ativo e passivo) do swap
ser utilizado para quitação de pagamento e desagiá-los pelas taxas existentes no mer-
de energia -> companhia de energia elétrica cado para o prazo a decorrer da operação.
emissora após vencido o prazo de carência
de 12 meses a partir do leilão. O prazo de c) calcular a exposição potencial futura com base
vencimento do título é de 24 meses. O con- nos valores referenciais das operações.
ceito deste certificado é o da securitização de d) calcular a exposição para o prazo contratado
recebíveis, que também poderá ser utilizado da operação de swap.
para pagamento de serviços e impostos. Os e) calcular o custo de reposição de uma ope-
títulos são escriturais e nominativos, ficando ração de swap - ou seja, definir a diferença
registrados no Cetip, e negociados em leilão entre os valores presentes da parte ativa e da
na BM&F. Os papéis têm prazo fixo e não parte passiva da operação, calculados a partir
podem ser resgatados antes do vencimento. das taxas de mercado para o período entre
Se o aplicador precisar de dinheiro com an- a data da marcação a mercado e a data de
tecedência, terá de vendê-los no mercado de vencimento da operação.
recompra.
d) Os contratos a termo DI podem ser negocia- Para as questões de 354 a 365, complete a proposição
dos entre vários s bancos ou com a participa- abaixo com as alternativas I, II, III e IV. A seguir assinale
a resposta que contém, somente as opções que resul-
ção de várias pessoas jurídicas não-financei-
tam numa proposição verdadeira.
ras.
e) Os contratos só podem ser com garantia. 354. Factoring
350. Os Mercados de Futuros, a Termo e, de Swaps são, I – É uma atividade comercial, mista e atípica,
de uma forma ou de outra, eficazes em eliminar o risco que soma prestação de serviços -> compra
de um investidor que detenha uma determinada posição de ativos financeiros.
física. Ao usar qualquer um desses instrumentos, o II - A operação de Factoring é um mecanismo
investidor fixa um valor futuro:
de fomento mercantil que possibilita ->
a) de taxa de câmbio, empresa fomentada vender seus créditos,
gerados por suas vendas -> prazo, a uma
71
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
empresa de Factoring. d) II e IV e) II e III
III - O resultado disso é o recebimento imedia-
358. O processo de Factoring inicia-se com a assinatura
to desses créditos futuros, o que aumenta de um Contrato de Fomento Mercantil (contrato – mãe)
seu poder de negociação, por exemplo, nas entre a empresa e a Factoring onde são estabelecidos
compras -> vista de matéria-prima, pois a os critérios da negociação e o fator de compra. São 4
empresa não se descapitaliza. as etapas básicas do processo:
IV - A Factoring também presta serviços ->
I - A empresa vende seu bem, crédito ou servi-
empresa - cliente, em outras áreas admi-
ço -> prazo, gerando um crédito (exemplo:
nistrativas, deixando o empresário com
Duplicata Mercantil), no valor correspon-
mais tempo e recursos para produzir e
dente;
vender.
II - A empresa negocia este crédito com a
a) I e II b) I e III c) I e IV
Factoring;
d) II e IV e) II e III
III - De posse desse crédito, a Factoring in-
355. Factoring forma o sacado sobre o fato e a forma de
cobrança (carteira ou banco);
I - Por definição e filosofia, o Factoring não é
IV - Findo o prazo negociado inicialmente, a
uma atividade financeira.
empresa sacada pagará o valor deste cré-
II -A empresa de Factoring não pode fazer dito -> Factoring, encerrando a operação.
captação de recursos de terceiros, nem
a) I e II b) I e III c) I e IV
intermediar para emprestar estes recursos,
como os bancos. d) II e IV e) II e III
III - O Factoring desconta títulos e faz finan- 359. No mercado brasileiro o Factoring é mais atuante
ciamentos. na modalidade convencional. Segue abaixo um peque-
IV -Na verdade, o Factoring é uma atividade no resumo das principais modalidades:
comercial pois conjuga a compra de direi- I - Maturity – É a compra dos direitos de crédi-
tos de créditos com a prestação de servi- tos das empresas fomentadas, através de
ços. Para isso depende exclusivamente de um contrato de fomento mercantil;
recursos próprios.
II - Exportação – A Factoring passa a admi-
a) I e II b) I e III nistrar as contas a receber da empresa
c) I e IV d) II e IV e) II e III fomentada, eliminando as preocupações
com cobrança;
356. As finalidades da empresa de Factoring:
III - Factoring Matéria-Prima– Além da cobran-
I - A finalidade principal é o fomento mercan- ça e da compra de títulos, a Factoring pres-
til. ta assessoria administrativa e financeira às
II - Fomentar, assessorar, ajudar o pequeno empresas fomentadas;
e médio empresário a solucionar seus IV - Trustee– Nessa modalidade, a exportação
problemas do dia a dia, são as finalidades é intermediada por duas empresas de Fac-
básicas de uma Factoring. toring (uma de cada país envolvido), que
III – Assessoria administrativa é uma finalida- garantem a operacionalidade e liquidação
de acessória do negócio;
IV – Agilidade e rapidez não são finalidades a) I e II b) I e III
a) I e II b) I e III c) I e IV c) I e IV d) II e IV e) II e III
d) II e IV e) II e III 360. As operações de Factoring têm sua origem nos
357. As vantagens da parceria com uma factoring séculos XIV e XV, na Europa. O factor era um agente
são: mercantil, que vendia mercadorias a terceiros contra
o pagamento de uma comissão. Eram representantes
I - A empresa recebe -> vista suas vendas fei- de exportadores que conheciam muito bem as novas
tas -> prazo, melhorando o fluxo de caixa colônias, custodiando as mercadorias e prestando
para movimentar os negócios; contas aos seus proprietários. Com o tempo, esses
II - Cobrança de títulos ou direitos de crédi- representantes passaram a antecipar o pagamento das
mercadorias aos seus fornecedores, cobrando poste-
tos;
riormente dos compradores. Hoje, além dos Estados
III - Intermediação entre a empresa e seu for- Unidos, o Factoring é muito praticado e difundido na
necedor. O Factoring possibilita a compra Inglaterra, Suécia, Noruega, Holanda, Espanha, Itália,
de matéria-prima -> vista, gerando vanta- França e Bélgica. Entre os países da América Latina,
gens e competitividade; fora o Brasil, o Factoring encontra expressão no:
IV - Análise de risco e assessoria na conces- I - México,
são de créditos a clientes.
II - Colômbia,
a) I e II b) I e III c) I e IV
III - Peru e
72
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
IV - Equador. IV - É um profissional polivalente que deve es-
a) I e II b) I e III c) I e IV tar preparado para dar ampla assistência a
suas empresas-cliente, possibilitando-lhes
d) II e IV e) II e III
alcançar o equilíbrio financeiro e permitir
361. O que não é factoring uma expansão segura dos seus negócios.
Pela prestação de serviços cobra-se uma
I- Operações onde o contratante não seja comissão.
Pessoa Jurídica;
a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e IV e) II e
II- Empréstimo com garantia de linha de tele- III
fone, veículos, cheques, etc;
III- Operações privativas das institui- 364. A conseqüência de toda aquela gama de serviços
ções financeiras; prestados se justifica para facilitar a compra dos cré-
ditos mercantis das às suas empresas-cliente.
IV- Ausência de contrato de fomento
mercantil. I - Tais direitos são representadas por títulos
 a) I e II b) I e III c) I e IV de crédito, ou seja, a sociedade de fomento
mercantil fornece os recursos necessários
d) II e IV e) II e III ao giro dos negócios das suas empresas-
362. O que é fomento mercantil - factoring cliente, através da compra -> vista dos
créditos, por ela aprovados, resultantes
I - É a prestação de serviços, em base con- das vendas a prazo realizadas por suas
tínua, os mais variados e abrangentes, empresas-cliente.
conjugada com a aquisição de créditos II - Não é uma alienação de direitos creditórios
de empresas, resultantes de suas vendas prevista no Artigo 286 do Código Civil.
mercantis ou de prestação de serviços,
realizadas a prazo. III - Como a sociedade de fomento mercantil
compra créditos, é necessário calcular o
II -Esta definição, aprovada na Convenção preço pelo qual ela vai adquiri-los.
Diplomática de Ottawa, em maio de 1988,
da qual participou o Brasil com mais 52 IV - Chama-se FATOR DE COMPRA. Empresa
Nações, consta do Art. 28 da Lei 8981/95. de Fomento Mercantil - Factoring não faz
empréstimos, portanto, não pode cobrar
III - No Brasil, traduzimos a expressão FAC- juros. Fomento Mercantil não é operação
TORING, de origem latina, para fomento de crédito.
mercantil.
a) I e II
IV - As empresas aqui são conhecidas como
sociedades de fomento mercantil. São b) I e III
sociedades mercantis, registradas e arqui- c) I e IV
vadas nas Juntas Comerciais. d) II e IV
a) I e II b) I e III c) I e IV e) II e III
d) II e IV e) II e III
365. -> sociedade de fomento mercantil é proibido, por
363. O ciclo operacional do Fomento Mercantil - Facto- lei, fazer captação de recursos de terceiros no mercado
ring inicia-se com a prestação de serviços, os mais va- e emprestar dinheiro. Quem capta dinheiro e empresta
riados e abrangentes e se completa com a compra dos dinheiro é BANCO, que depende de autorização do
créditos (dos direitos) gerados pelas vendas mercantis Banco Central para funcionar.
que são efetuadas por suas empresas-cliente: I - Quem pratica, sem autorização do Banco
I - Os serviços de apoio às empresas-cliente Central, qualquer atividade que legalmente
não se constituem o pressuposto básico é de banco, responde por processo admi-
da operação de Fomento Mercantil - Fac- nistrativo e por processo criminal (Resolu-
toring. Serviços que normalmente presta ção 2144/95 do CMN).
uma sociedade de fomento mercantil -> II - O Fomento Mercantil - Factoring é instituto
sua clientela-alvo, a pequena e média em- que pressupõe a prestação de serviços e a
presa, notadamente do setor produtivo. venda de créditos (direitos) de empresas,
II -Orienta suas empresas-cliente na compra resultantes de suas vendas mercantis a
de matéria-prima, na organização da con- prazo.
tabilidade, no controle do fluxo de caixa, III - A transação do Fomento Mercantil é mer-
no acompanhamento de suas contas a cantil, enquadrada no disposto do Art. 286
receber e a pagar, na busca novos clientes, do Código Civil.
de modo a melhorar o padrão de seus pro- IV - O fomento mercantil não se destina a
dutos e a expandir as vendas. alavancar a produção e só pode trabalhar
III - O Agente de Fomento Mercantil tem de com pessoas jurídicas como clientes. Im-
ser o parceiro de suas empresas-cliente porta salientar, com efeito, que no fomento
com elas mantendo estreito, e até diário, mercantil se excluem as transações de
contato. consumo.
73
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
a) I e II atendimento, principalmente no nível dos be-
b) I e III nefícios que é capaz de oferecer.
c) I e IV d) O nível dos benefícios da previdência básica
oficial, recebidos por aposentados do setor
d) II e IV
privado, concedidos pela previdência oficial,
e) II e III encontra-se próxima a R$ 100 mensais.
366. O sistema previdenciário no Brasil é formado por e) O sistema é superavitário devido ao não atre-
uma previdência básica, que é pública, e por uma pre- lamento direto da concessão de benefícios
vidência complementar, que é privada. com suas fontes de financiamento.
a) A previdência básica é oficial, garante uma 368. A Previdência Privada Complementar é composta
aposentadoria mínima, que pode ser obtida por entidades abertas e por entidades fechadas de pre-
por todos os trabalhadores após completado vidência privada, estas últimas, denominadas Fundos
um determinado tempo de serviço ou por ter de Pensão.
atingido certa idade mínima, ambos fixados a) Apesar da grande perspectiva de crescimento,
em lei. as entidades abertas ainda formam um seg-
b) É gerida pelo Governo Brasileiro, através de mento relativamente restrito no Brasil.
uma autarquia, o Instituto Nacional de Seguri- b) Atualmente 38 entidades detêm um patrimônio
dade Social - INSS. de aproximadamente R$ 3,0 bilhões.
c) A previdência privada complementar é faculta- c) Por possuir regulamentação recente e, até
tiva, opera sob o regime de capitalização, nor- há pouco tempo, por não haver necessidade
malmente é viável somente para aqueles que precípua, ainda não foi consolidado o hábito
recebem salários superiores a R$ 1.200,00 no brasileiro de aderir a um plano de uma
por mês (cerca de R$ 15.600,00 por ano), entidade aberta de previdência privada.
podendo ser obtida por meio das entidades
abertas ou fechadas de previdência privada. d) O cidadão de classe média ou alta no Brasil,
quando não tem acesso a uma entidade fe-
d) As Entidades Abertas de Previdência Privada chada de previdência privada, geralmente tra-
são aquelas administradas por instituições ta de acumular e de administrar a sua própria
financeiras (inclusive seguradoras) cujos pla- poupança de modo a assegurar o seu futuro
nos estão disponíveis para adesão voluntária e o de seus familiares, após o término de sua
de qualquer pessoa no país. Estas entidades vida laborativa.
operam no sistema visando lucros e estão
sujeitas -> normatização e -> fiscalização da e) As entidades fechadas de previdência privada
Superintendência Nacional de Seguros Priva- - os Fundos de Pensão - que também pos-
dos - SUSEP. suem regulamentação relativamente recente,
apenas 20 anos, hoje somam 354 entidades
e) As Entidades Fechadas de Previdência que acumulam um patrimônio próximo a 75
Privada (EFPP) são aquelas cujas adesões bilhões de reais.
somente podem ser efetuadas pelos empre-
gados de uma empresa ou de um grupo de 369. A Secretaria da Previdência Complementar é um
empresas, denominada(s) Patrocinadora(s). Órgão executivo do Ministério da Previdência e Assis-
Portanto, há necessidade legal de vínculo tência Social, responsável pelo controle e fiscalização
empregatício e contribuições da empresa pa- dos planos e benefícios e das atividades das entidades
trocinadora, conforme condições contratuais. de previdência privada fechada. Logo suas atribuições
Estas entidades fechadas são denominadas são:
Fundos de Pensão. São entidades sem fins a) processar os pedidos de autorização para
lucrativos cuja normatização e fiscalização constituição, funcionamento, fusão, incorpo-
são efetuadas pela Secretaria da Previdência ração, grupamento, transferência de controle
Complementar, do Ministério da Previdência e e reforma dos estatutos das entidades fecha-
Assistência Social - SPC/MPAS. das, opinar sobre os mesmos e encaminhá-
367. A previdência básica oficial é estruturada no sis- los ao Ministério da previdência e Assistência
tema de repartição simples, com benefício definido Social.
baseado na média das últimas 36 contribuições, por- b) baixar instruções e expedir circulares para
tanto o financiamento do sistema baseia-se no caráter implementação das normas estabelecidas;
contributivo do vínculo dos segurados. c) fiscalizar a execução das normas gerais de
a) Considerando que o sistema é de caráter uni- contabilidade, atuaria e estatística fixadas pelo
versal, ou seja, que atende a todos os traba- Conselho de Previdência Complementar, bem
lhadores da sociedade, regularmente inscritos, como da política de investimentos traçada
a adesão ao sistema é, com efeito, aleatória. pelo Conselho Monetário Nacional;
b) Este sistema, face a uma série de problemas, d) proceder a liquidação das entidades fecha-
vem se mostrando deficiente e deficitário. das que tiverem cassada a autorização de
c) Considera-se que seja deficiente em seu funcionamento ou das que deixarem de ter
condições para funcionar;
74
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) prover os serviços da Secretaria do CPC, so- b) oneroso (o segurado paga o prêmio e o segu-
bre o controle deste. rador tem despesas);
c) aleatório (quando da assinatura o resultado é
370. Esse mercado surgiu da necessidade que as pes-
soas e as empresas têm de se associar para suportar imprevisível);
coletivamente suas perdas individuais. Dessa forma, d) solene (tem forma específica em lei).
é possível, após o dano ou perda de um bem (sinistro) e) mutual (tem formação mútua)
e graças ao pagamento antecipado de uma quantia
(Prêmio) que represente pequena parcela do bem segu- 374. Os elementos essenciais para que não se concre-
rado, receber uma indenização que permita a reposição tize um seguro são:
integral desse bem segurado.
a) risco, b) prêmio,
a) Mercado de previdência Aberta c) segurado, d) segurador e
b) Mercado Segurador e) indenização (quando houver).
c) Mercado de Ações
375. O sistema Nacional de Seguros privados é com-
d) Mercado de Capitalização
posto das instituições :
e) Mercado Municipal
a) Conselho Nacional de Seguros Privados
371. A apólice de seguro é um contrato de seguro, (CNSP) -> É o órgão que fixa as diretrizes e
bilateral, que gera direitos e obrigações de ambas as normas da política de seguros e resseguros,
partes. Ela não define : regulando e fiscalizando a orientação básica
a) o bem coberto pelo seguro ; e o funcionamento dos componentes do sis-
tema.
b) a importância segurada;
b) Secretaria de Previdência Complementar
c) a localização do bem segurado; (SPC) -> É o órgão que fixa as diretrizes de
d) o período de vigência do seguro; fiscalização e orientação básica e o funciona-
e) os riscos assumidos pela seguradora e demais mento dos componentes do sistema.
condições contratuais. c) Superintendência dos Seguros Privados
(SUSEP) -> É o órgão executante da política
372. Uma seguradora nada mais é que a administrado- traçada pelo CNSP. Fiscaliza as seguradoras
ra de um grande número de interesses que compõe a e corretoras, regulamenta as operações de
massa de segurados, devendo, assim, gerir de forma
seguros e, fixa as condições da apólice, dos
racional a aceitação de riscos, cujos limites são difun-
didos pela SUSEP.
planos de operação e dos valores das tari-
fas.
a) A definição dos volumes de riscos a serem d) Sistema Financeiro de Seguros (SFS) -> É o
riscos a serem aceitos por uma seguradora, órgão executante do sistema de aplicações
bem como o valor dos prêmios a serem co- financeiras das sociedades seguradoras.
brados, é assunto complexo, que envolve não
só profundos conhecimentos de matemática e) Instituto de Resseguros do Brasil (IRB) -> É o
financeira, mas acima de tudo, de matemática órgão que regula o Co-Seguro e o resseguro,
atuarial. bem como promove o desenvolvimento das
operações do seguro segundo as diretrizes do
b) As corretoras de seguros, por sua vez, são CNSP.
as instituições que intermedeiam o relaciona-
mento das seguradoras com os segurados. 376. Existe uma variedade muito grande de seguros
Nenhum seguro pode ser contratado sem o que são operados e aceitos pelas seguradoras, entre
envolvimento de uma corretora de seguros. os quais podemos citar :
c) Resseguro è É o seguro que se distribui entre a) Seguros de Danos -> Propriedade (Incêndio e
diversas seguradoras, dividindo-se entre elas lucros cessantes);
os riscos, proporcionalmente às cotas de Res- b) Seguros de Automóvel e Responsabilidade
seguro distribuídas. Civil
d) Co-Seguro è Operação pela qual uma segu- c) Seguro de Valores, Roubo e Fidelidade
radora se alivia parcialmente do risco de um
seguro já feito, contraindo um novo seguro em d) Seguros de Benefícios
outra seguradora . e) Seguro de Riscos de Engenharia
e) Em qualquer ramo ou modalidade de seguro, 377. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e
sempre estarão presentes seguintes carac- Social (BNDES) é a instituição responsável pela política
terísticas: proteção (de bens e pessoas) ; de investimentos de longo prazo do Governo Federal,
Incerteza ; mutualismo. sendo a principal instituição financeira de fomento do
País; tendo como objetivos básicos:
373. Os instrumentos utilizados no contrato de seguro
são a proposta e a apólice. O contrato de seguro é : a) julgar os recursos interpostos das decisões
a) bilateral (direitos e obrigações de ambas as relativas -> aplicação de penalidades admi-
partes); nistrativas do BACEN.
75
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
b) fortalecer o setor empresarial nacional; a estrutura capitalista privada, tendo, inclusive, limites
c) captação de recursos em cadernetas de pou- para apoiar os órgãos e empresas do estado. Os finan-
pança; ciamentos ao capital fixo são precedidos de cuidadosas
avaliações de projeto. Não podem destinar recursos a
d) promover o crescimento e a diversificação das empreendimentos imobiliários. Em síntese, as opera-
exportações. ções ativas que podem ser praticadas pelo BI são:
e) exercer a administração de loterias, de fundos a) Empréstimo a prazo mínimo de um ano para
e de programas. financiamento de capital fixo;
378. A Caixa Econômica Federal é a instituição financei- b) Empréstimo a prazo mínimo de um ano para
ra responsável pela operacionalização das políticas do financiamento de capital de giro;
Governo Federal para habitação popular e saneamento c) Aquisição de ações, obrigações ou quaisquer
básico; tendo como objetivos básicos: outros títulos e valores mobiliários para inves-
a) impulsionar o desenvolvimento econômico e timento ou revenda no mercado de capitais
social do País; (operações de underwriting);
b) captação de recursos em cadernetas de pou- d) Repasses de empréstimos obtidos no exte-
pança, em depósitos judiciais e a prazo e a rior;
sua aplicação em empréstimos vinculados, e) Repasses de recursos obtidos no País.
substancialmente -> habitação.
c) atenuar os desequilíbrios regionais, criando 382. Sua função é financiar bens de consumo duráveis
por meio do popularmente conhecido “crediário” ou
novos pólos de produção;
crédito direto ao consumidor:
d) atuar nas áreas de atividades relativas a
bancos comerciais, sociedades de crédito a) Sociedade de Arrendamento Mercantil
imobiliários e de saneamento e infra-estrutura b) Sociedades de Crédito Imobiliário
urbana, além de prestação de serviços de c) Sociedades Distribuidoras
natureza social.
d) Sociedades Corretoras
e) promover o crescimento e a diversificação das
e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves-
exportações.
timento
379. Foram criados para canalizar recursos de médio e
longo prazos para suprimento de capital fixo ou giro das 383. São instituições típicas do mercado acionário,
empresas. Seu objetivo maior é o de dilatar o prazo das operando com compra, venda e distribuição de títulos
operações de empréstimos e financiamento, sobretudo e valores mobiliários (inclusive ouro) por conta de
para fortalecer o processo de capitalização das empre- terceiros:
sas, através da compra de máquinas e equipamentos e a) Sociedade de Arrendamento Mercantil
da subscrição de debêntures e ações:
b) Sociedades de Crédito Imobiliário
a) Bancos de Desenvolvimento. c) Sociedades Distribuidoras
b) Bancos de Cooperativas d) Sociedades Corretoras
c) Bancos de Investimento e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves-
d) Sociedades Distribuidoras timento
e) Sociedades Corretoras 384. Suas atividades têm uma faixa operacional mais
380. Os bancos de Investimentos devem orientar, priori- restrita do que a das corretoras, já que elas não têm
tariamente, a aplicação dos seus recursos repassados, acesso às bolsas de valores e de mercadorias:
no fortalecimento do capital social das empresas: a) Sociedade de Arrendamento Mercantil
a) via subscrição ou aquisição de títulos; na b) Sociedades de Crédito Imobiliário
ampliação da capacidade produtiva da eco- c) Sociedades Distribuidoras
nomia,
d) Sociedades Corretoras
b) via expansão ou relocalização de empreendi-
e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves-
mentos;
timento
c) no incentivo -> melhoria da produtividade,
através da reorganização, da racionalização 385. Essas sociedades foram criadas pela Lei nº 4380/64
e da modernização das empresas; e fazem parte do Sistema Brasileiro de Poupança e
d) na promoção de uma melhor ordenação da Empréstimo (SBPE), criado pelo Governo para finan-
ciar o mercado imobiliário, utilizando a caderneta de
economia e maior eficiência das empresas,
poupança como instrumento de captação:
através de fusões, cisões ou incorporações
(corporate finance); na promoção ao desen- a) Sociedade de Arrendamento Mercantil
volvimento tecnológico, b) Sociedades de Crédito Imobiliário
e) via treinamento ou assistência técnica. c) Sociedades Distribuidoras
381. Os bancos de Investimentos apóiam, basicamente, d) Sociedades Corretoras

76
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves- d) Sociedades Corretoras
timento e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves-
timento
386. Tais sociedades nasceram do reconhecimento
de que o lucro de uma atividade produtiva pode advir 391. Em síntese, podem ser agrupados em: fundos
da simples utilização do equipa mento e não de sua mútuos de investimentos, entidades fechadas de pre-
propriedade: vidência privada, fundações e seguradoras:
a) Sociedade de Arrendamento Mercantil a) Investidores Institucionais
b) Sociedades de Crédito Imobiliário b) Seguradoras
c) Sociedades Distribuidoras c) Companhias Hipotecárias
d) Sociedades Corretoras d) Entidades Fechadas de Previdência Privada
e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves- e) Fundos Mútuos de Investimento
timento
392. São constituídos sob a forma de condomínio aber-
387. Suas atividades básica são constituídas de: subs- to e representam a reunião de recursos de poupança,
crição isolada ou em consórcio de emissão de títulos destinados -> aplicação em carteira diversificada de
e valores mobiliários para revenda; intermediação da títulos e valores mobiliários, com o objetivo de propiciar
colocação de emissões de capital no mercado; ope- aos seus condôminos valorização de cotas, a um custo
rações no mercado aberto, desde que satisfaçam as global mais baixo, ao mesmo tempo que tais recursos
condições exigidas pelo BC se constituem em fonte de recursos para investimentos
a) Sociedade de Arrendamento Mercantil em capital permanente das empresas:
b) Sociedades de Crédito Imobiliário a) Investidores Institucionais
c) Sociedades Distribuidoras b) Seguradoras
d) Sociedades Corretoras c) Companhias Hipotecárias
e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves- d) Entidades Fechadas de Previdência Privada
timento e) Fundos Mútuos de Investimento
388. Elas fazem a intermediação com as bolsas de va- 393. São orientadas pelo BC quanto aos limites de
lores e de mercadorias: aplicação de suas reservas técnicas nos mercados de
a) Sociedade de Arrendamento Mercantil renda fixa e variável:
b) Sociedades de Crédito Imobiliário a) Investidores Institucionais
c) Sociedades Distribuidoras b) Seguradoras
d) Sociedades Corretoras c) Companhias Hipotecárias
e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves- d) Entidades Fechadas de Previdência Privada
timento e) Fundos Mútuos de Investimento
389. Sua constituição depende de autorização do BC, 394. São instituições restritas a determinado grupo de
e o exercício de sua atividade depende de autorização trabalhadores, mantidas através de contribuição peri-
da CVM, e como tal operam nos recintos das bolsas ódica dos seus associados e de sua mantenedora que,
de valores e de mercadorias; efetuam lançamentos com o objetivo de valorização de seu patrimônio são
públicos de ações; administram carteiras e custodiam orientados, por força da Lei nº 6435, a aplicar parte de
valores mobiliários; instituem, organizam e administram suas reservas técnicas no mercado acionário:
fundos de investimentos; operam no mercado aberto e
intermedeiam operações de câmbio: a) Investidores Institucionais
b) Seguradoras
a) Sociedade de Arrendamento Mercantil
c) Companhias Hipotecárias
b) Sociedades de Crédito Imobiliário
d) Entidades Fechadas de Previdência Privada
c) Sociedades Distribuidoras
e) Fundos Mútuos de Investimento
d) Sociedades Corretoras
e) Sociedades de Crédito Financiamento e Inves- 395. A constituição e funcionamento dependem de au-
timento torização do Banco Central do Brasil. Têm por objetivo
social conceder financiamento destinados -> produção,
390. Como entidades financeiras privadas de apoio ao reforma ou comercialização de imóveis residenciais ou
SFH, foram criadas para serem voltadas para as ca- comerciais e lotes urbanos:
madas da população de maior renda, em contraponto
com as Caixas Econômicas, que visam ao público de a) Investidores Institucionais
baixa renda: b) Seguradoras
a) Sociedade de Arrendamento Mercantil c) Companhias Hipotecárias
b) Sociedades de Crédito Imobiliário d) Entidades Fechadas de Previdência Privada
c) Sociedades Distribuidoras e) Fundos Mútuos de Investimento

77
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
Para as questões de 396 a 400, complete a proposição c) I e IV d) II e IV
abaixo com as alternativas I, II, III e IV. A seguir assinale e) II e III
a resposta que contém, somente as opções que resul-
tam numa proposição verdadeira. 398. Compete ao Conselho Nacional de Seguros Pri-
vados - CNSP dispor sobre:
396. Consideram-se sociedades administradoras de
seguro-saúde: I - a constituição, organização, funcionamento
e fiscalização das operadoras de planos
I - operadoras de planos privados de assis- privados de assistência -> saúde;
tência -> saúde: toda e qualquer pessoa II - as características gerais dos instrumentos
jurídica de direito privado, independente contratuais utilizados na atividade das ope-
da forma jurídica de sua constituição, que radoras de planos privados de assistência
ofereça tais planos mediante contrapres- -> saúde;
tações pecuniárias, com atendimento em
serviços próprios ou de terceiros; III - o capital e o patrimônio líquido das ope-
radoras de planos privados de assistência
II - operadoras de seguros privados de assis- -> saúde, assim como a forma de sua
tência -> saúde as pessoas jurídicas cons- subscrição e realização quando se tratar
tituídas e reguladas em conformidade com de sociedade anônima de capital;
a legislação específica para a atividade de
comercialização de seguros e que garan- IV - a direção fiscal, a liquidação extrajudicial
tam a cobertura de riscos de assistência e os procedimentos de recuperação finan-
-> saúde, mediante livre escolha pelo segu- ceira.
rado do prestador do respectivo serviço e a) I e II b) I e III
reembolso de despesas, exclusivamente. c) I e IV d) II e IV
III - empresas que mantêm sistemas de assis- e) II e III
tência -> saúde pela modalidade de auto-
gestão ou de administração. 399. O Conselho Nacional de Seguros Privados - CNSP
IV - As pessoas físicas ou jurídicas residentes será integrado pelos seguintes membros:
ou domiciliadas no exterior podem consti- I - Ministro de Estado da Justiça, ou seu repre-
tuir ou participar do capital, ou do aumento sentante legal;
do capital, de pessoas jurídicas de direito
privado constituídas sob as leis brasileiras II - Ministro de Estado da Previdência e Assis-
para operar planos e seguros privados de tência Social, ou seu representante legal;
assistência -> saúde. III - Superintendente da Superintendência de
a) I e II b) I e III Seguros Privados - SUSEP, ou seu repre-
sentante legal;
c) I e IV d) II e IV
IV - Presidente do Instituto de Resseguros do
e) II e III Brasil - IRB, ou seu representante legal.
397. Para o cumprimento das obrigações constantes a) I e II b) I e III
do contrato, as pessoas jurídicas administradoras de c) I e IV d) II e IV
seguro saúde de poderão: e) II e III
I – nos planos particulares os critérios de
constituição de garantias de manutenção 400. Para obter a autorização de funcionamento, as
do equilíbrio econômico-financeiro, con- operadoras de planos privados de assistência -> saúde
sistentes em bens, móveis ou imóveis, ou devem satisfazer as seguintes exigências:
fundos especiais ou seguros garantidores, I - registro nos Conselhos Regionais de Me-
a serem observados pelas operadoras de dicina e odontologia, conforme o caso, em
planos privados de assistência -> saúde cumprimento ao disposto no art. 1º da Lei
II - nos planos privados de assistência -> saú- n.º 6.839, de 30 de outubro de 1980;
de, manter serviços próprios, contratar ou II - descrição pormenorizada dos serviços de
credenciar pessoas físicas ou Jurídicas saúde próprios oferecidos e daqueles a
legalmente habilitadas e reembolsar o serem prestados por terceiros;
beneficiário das despesas decorrentes de III - demonstração da capacidade de aten-
eventos cobertos pelo plano; dimento em razão dos serviços a serem
III - nos seguros privados de assistência -> prestados;
saúde, reembolsar o segurado ou, ainda, IV - demonstração da viabilidade econômico-
pagar por ordem e conta deste, diretamen- financeira dos planos privados de assis-
te aos prestadores, livremente escolhidos tência -> saúde oferecidos, respeitadas as
pelo segurado, as despesas advindas de peculiaridades operacionais de cada uma
eventos cobertos, nos limites da apólice. das respectivas operadoras;
IV- Nos seguros privados de assistência -> a) I e II
saúde, e sem que isso implique o desvir-
tuamento do princípio da livre escolha dos b) I e III
segurados, as sociedades seguradoras c) I e IV
podem apresentar relação de prestadores d) II e IV
de serviços de assistência -> saúde.
e) II e III
a) I e II b) I e III

78
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
GABARITO

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
a C E E C C E E E C E
b E C E C C C E E E E
c E E E C C E E C E E
d E E C C C E E E E E
e E E E C C E C E E E

11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
a C E E E E E E C C C
b C E E E C E E C C C
c C C E C E C E C C C
d C E E E E C E E C C
e C E E E E E E C C C

21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
a C C C C C E C C E C
b C C E C C C E C E C
c C E C C C E C C C C
d C E E C C C E E C C
E C E C C C E C E C C

31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
a E C C C E C C E E C
b C C C C E C C E E C
c C C E C E C E C E C
d E C C C E C E E E C
e C C C C E C C E C C

79
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
41 42 43 44 45 46 47 48 49 50

a C C C C C E E C E E

b C E C C C E E C E E

c E E C C C E E C E E

d E E E C C E E E E E

e E E E E C E E E E E

51 52 53 54 55 56 57 58 59 60

a C C C E C E E C C E

b C C C E C E C C C E

c C C C E C E C C C E

d C C C E C E E C C E

e C C C E E E E C C E

61 62 63 64 65 66 67 68 69 70

a E C C E E E C E C C

b E C C C E E C E C C

c C C C C C E C E E E

d E C C E C E C C C E

e E E C E C E C C E C

71 72 73 74 75 76 77 78 79 80

a E C C C C E C C C C

b E C C C C E C C E E

c E C C C C E E C E E

d E C C C C E C C C E

e C C C C C E C E E E

80
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
81 82 83 84 85 86 87 88 89 90

a C E C E C C C C C E

b C E E C C C C E C E

c C C C C E C E C E E

d C E C E E C E C E E

e E E C C E C E E E C

91 92 93 94 95 96 97 98 99 100

a C C E E C C C C C C

b E C C E C C E C C C

c C E E E E E C E E E

d E E C E E E E E E E

e E E E C E E E E E E

101 102 103 104 105 106 107 108 109 110

a C C C E E C E E C C

b C C C E E E E E C C

c E C E C E E E C C C

d E E E E C E E E E C

e E E E E E E C E E C

111 112 113 114 115 116 117 118 119 120

a C C C C E E E E E C

b C E C C E E C E E C

c C C C C C E C C C E

d C E C C E C E E C E

e E C C C E E E E C C

81
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
121 122 123 124 125 126 127 128 129 130

a C C C C C C C C E E

b C E C C C E C C E E

c C E C C C C C E E C

d C C C C C E C C E C

e C C C C C C C E C E

131 132 133 134 135 136 137 138 139 140

a C C E C C C E E C E

b C E C C C C E C E C

c C E C C C C E E E E

d C C C C C C E E C C

e E C C C C C C E C E

141 142 143 144 145 146 147 148 149 150

a C C E C E E E E C C

b C C E E C E E E E E

c C E E E E C E E E E

d C C C E E E C E E E

e C C E E E E E C E E

151 152 153 154 155 156 157 158 159 160

a C E C E C C C E E C

b C E C E C E E E E E

c C E C C C C E C E E

d C E C E C C E E C E

e C E C E C C E E E E

82
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
161 162 163 164 165 166 167 168 169 170

a E C E E E C C C E C

b E C C E E C E C E C

c E C C C C E C C E C

d E C C C C E E C E C

e C C C E C E C C C E

171 172 173 174 175 176 177 178 179 180

a C E E C E E C E C C

b C E E C E E C E C E

c C C C C E E E E E E

d C C E C E E E C E E

e C C E C C C C E E E

181 182 183 184 185 186 187 188 189 190

a C C C E E C E C C E

b C C E E E C E C E E

c C E E E C C C E E E

d E E E E E C E E E E

e E E E C E E E E E C

191 192 193 194 195 196 197 198 199 200

a C C E C E C C E C C

b E C E C E C E C C C

c C C C C E C E E C E

d E E C E E E E E C E

e C E E E E E E E C E

83
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
201 202 203 204 205 206 207 208 209 210

a E E E C E E E E E E

b E E C E E E E E E E

c C E E E C E C E E E

d E E E E E C E E E C

e E C E E E E E C C E

211 212 213 214 215 216 217 218 219 220

a E E E E C E E E E E

b E E E C E E E E E E

c C E E E E E E E C E

d E C E E E C C E E C

e E E C E E E E E E E

221 222 223 224 225 226 227 228 229 230

a E C C E C E C C E C

b C C C C C E C C E C

c E C E C C E E C E C

d E C E E C E E C C C

e E C C E C E C C C C

231 232 233 234 235 236 237 238 239 240

a C E E C C C E C E C

b E E E C E C E E E C

c C C C C E C C E E E

d C C C C E C E E E E

e E E C C E C E E C C

84
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
241 242 243 244 245 246 247 248 249 250

a E C C E E C C C C C

b E E C E E C C C C E

c C E C E E C C C E C

d E E C E E C C C E C

e E E C E E C C C C E

251 252 253 254 255 256 257 258 259 260

a E E C C C E E E E E

b E E E C C E E E E C

c E E E C C C C C E E

d C C C C C C E E E E

e E E C E C C E E C E

261 262 263 264 265 266 267 268 269 270

a C C C C C C E C C C

b C E C E C C C C C C

c C C C E C C C C C C

d C E C E C C E C C C

e C C E E E C C E C C

271 272 273 274 275 276 277 278 279 280

a C C C E E C E E E E

b C C C E C E E E C E

c E C E E E E E E E E

d E C E C E E E C E E

e E C C E E E C E E C

85
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
281 282 283 284 285 286 287 288 289 290

a E E C C E C C C C E

b E E E C E C E C C E

c C E E C E C E C C E

d E C E C E C E C C E

e E E E C E C E C C E

291 292 293 294 295 296 297 298 299 300

a C E E C E C C C C C

b C E C C C C C C E C

c C C C C C C C E E C

d C E E C E C C E E C

e C E E C E C C C E C

301 302 303 304 305 306 307 308 309 310

a E E E E E C E E E C

b C E E E E E E E E E

c E C C E C E E E C E

d E E E E E E E C E E

e E E E C E E C E E E

311 312 313 314 315 316 317 318 319 320

a E E E E E E E E C E

b E C E E E E E E E E

c C E C E C E C E E E

d E E E E E E E E E C

e E E E C E C E C E E

86
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
321 322 323 324 325 326 327 328 329 330

a C C E C C E E C E C

b C E C C C E C C E E

c E E E E C C C C E C

d C C E E C E C C E E

e C C E E E E E E E C

331 332 333 334 335 336 337 338 339 340

a C C C E C E C C C C

b C E E E C E C E C C

c C C E E C C E E C E

d E C E C E E E E E E

e E C E E E E E E E C

341 342 343 344 345 346 347 348 349 350

a C C E C C C C C E C

b C E E C C C E C E C

c E C E E E E E C C C

d E C C E C E E C E C

e C C E E E C E C E E

351 352 353 354 355 356 357 358 359 360

a C C C C C C C C E C

b E C C C E E C C E C

c E C E C C C C C E C

d E C E C E C C C E C

e E C C C E E C C E C

87
testes de CONHECIMENTOS BANCÁRIOS
361 362 363 364 365 366 367 368 369 370

a C C E E E C E C C E

b C C E C C C C C C C

c C C E C E C C C C E

d C C C E E C E C C E

e C C C E E C E C C E

371 372 373 374 375 376 377 378 379 380

a E C C E C C E E E C

b E C C E E C C C E C

c E E C E C C E E C C

d E E C E E C C C E C

e E C C E C C E E E C

381 382 383 384 385 386 387 388 389 390

a C E C E E C E E E E

b C E E E C E E E E C

c C E E C E E C E E E

d C E E E E E E C C E

e C E C E E E E E E E

391 392 393 394 395 396 397 398 399 400

a C E E E E C E C C C

b E E C E E C E C C C

c E E E E C E E C C C

d E E E C E E C C C C

e E C E E E C C C C C

88