Vous êtes sur la page 1sur 11

(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

QUÍMICA QUESTÃO 01
Metanol (CH 3OH ) e água deuterada ( D2O ) são misturados numa
CONSTANTES
razão volumétrica de 7:3, respectivamente, nas condições ambientes.
Constante de Avogadro = 6,02 × 1023 mol −1 A respeito dessa mistura, são feitas as seguintes afirmações:
= 9,65 × 10 4 C ⋅ mol −1 I. Imediatamente após a mistura das duas substâncias é observada
Constante de Faraday (F) = 9,65 × 10 4 A ⋅ s ⋅ mol −1 uma fase única.
= 9,65 × 10 4 J ⋅ V −1 ⋅ mol −1 II. Após o equilíbrio, observa-se uma fase única que contém as
seguintes substâncias: CH3OH , D2O, CH3OD e HOD .
Volume molar de gás ideal = 22,4L (CNTP )
III. Se for adicionado um cubo de D2O ( s ) à mistura, este flutuará na
Carga elementar = 1,602 × 10 −19 C
superfície da mistura líquida.
= 8,21× 10 −2 atm ⋅ L ⋅ K −1 ⋅ mol −1
= 8,31J ⋅ K −1 ⋅ mol −1 Assinale a opção que contém a(s) afirmação(ões) CORRETA(S).
Constante dos gases (R) −1 −1
a) apenas I
= 1,98cal ⋅ K ⋅ mol b) apenas I e II
= 62,4mmHg ⋅ L ⋅ K −1 ⋅ mol −1 c) apenas II
d) apenas III
Constante gravitacional (g) = 9,81m ⋅ s−2
e) Todas
Resolução Alternativa B
DEFINIÇÕES I - Correta. Assim como a água e o metanol formam uma mistura
Pressão de 1atm = 760 mmHg = 101325 N ⋅ m −2 = 760 Torr . homogênea, por serem completamente miscíveis, a água pesada
1 J = 1N ⋅ m = 1⋅ kg ⋅ m 2 ⋅ s −2 ; 1pm = 1× 10 −12 m ; 1 eV = 1,602 × 10 −19 J . ( D2O ) e o metanol também formam uma mistura homogênea, devido
Condições normais de temperatura e pressão (CNTP): 0° C e a fortes interações intermoleculares do tipo ligação de hidrogênio entre
760 mmHg . os compostos.
II - Correta. Conforme o seguinte equilíbrio:
Condições ambientes: 25° C e 1 atm.
Condições-padrão: 25° C e 1 atm; concentração das ZZZ
X
CH 3 OH( A ) + D2O( A ) YZZ
Z CH 3 OD( A ) + HDO( A )
soluções = 1mol ⋅ L−1 (rigorosamente: atividade unitária das espécies);
III - Incorreta. Veja a determinação da densidade da D2O( A ) :
sólido com estrutura cristalina mais estável nas condições de pressão
e temperatura em questão. 18 g/mol H2O 20 g/mol D2O
( s ) = sólido . ( A ) = líquido . ( g ) = gás . ( aq ) = aquoso . 1 g/cm3 d
(CM ) = circuito metálico ( conc ) = concentrado d = 1,1 g/cm3 ⋅ D2O( A )
( ua ) = unidades de área .
Sabendo que a densidade do CH3OH é 0,8g/cm3 e levando em
[ A] = concentração da espécie química A em mol ⋅ L−1 consideração a proporção 7:3 de CH3OH e D2O, temos:
d V + d llVll 0,8 ⋅ 70 + 1,11⋅ 30
MASSAS MOLARES d mistura = l l = ≈ 0,9 g/cm3
Vl + Vll 100
Elemento Número Massa Molar
Químico Atômico ( g ⋅ mol ) −1
Veja a determinação da densidade da D2O( s ) :
H 1 1,01 18 g/mol H2O 20 g/mol D2O
B 5 10,81 0,9 g/cm3 d
C 6 12,01
N 7 14,01
O 8 16,00 d = 1,0 g/cm3 D2O( s )
F 9 19,00 Como a densidade da mistura é menor que a densidade do D2O( s ) , o
Na 11 22,99
Mg 12 24,31 cubo de D2O( s ) afundará no sistema.
Al 13 26,98
P 15 30,97 QUESTÃO 02
S 16 32,07 Considere os seguintes compostos:
CA 17 35,45
Ar 18 39,95 I. CH3CH2OH II. CH3CH2COOCH3 III. HCl
K 19 39,10 IV. H3PO4 V. POCl 3
Ti 22 47,87
Cr 24 52,00
Ni 28 58,69 Assinale a opção que contém os produtos que podem ser formados
Cu 29 63,55 pela reação de ácido acético com pentacloreto de fósforo.
Zn 30 65,38
As 33 74,92 a) Apenas I, III e IV.
Se 34 78,96 b) Apenas I e IV.
Ag 47 107,90 c) Apenas II e III.
Sn 50 118,70 d) Apenas II e V.
Te 52 127,60 e) Apenas III e V.
I 53 126,90 Resolução Alternativa E
Xe 54 131,30 A reação do ácido acético com pentacloreto de fósforo é:
Au 79 197,00
O
U 92 238 O O
H3C C + PCl5 H3C C + HCl + P
Cl Cl
OH Cl Cl

Assim sendo, dos produtos citados no enunciado, são formados


apenas o HCl (III) e o POCl3 (V).

1
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

QUESTÃO 03 Resolução Alternativa C


Nas condições ambientes são feitas as seguintes afirmações sobre o A reação em questão é a reação de obtenção do cobre metálico, a
ácido tartárico: partir do óxido cuproso ( Cu2O ) e do sulfeto de cobre I ( Cu2S ):

I. É um sólido cristalino. nox total : 2+ 2- 2+ 2- 0 4+ 4-


II. É solúvel em tetracloreto de carbono. Cu2O + Cu2S → Cu + SO2
III. É um ácido monoprótico quando em solução aquosa. nox espécie : 1+ 2- 1+ 2- 0 4+ 2-
IV. Combina-se com íons metálicos quando em solução aquosa.

Das afirmações acima, está(ão) CORRETA(S) apenas reduz: 1 e-⋅ 2 = 2 e-


a) I e II.
b) I e IV. reduz: 1 e- ⋅ 2 = 4 e-
c) II e III.
d) III e IV. oxida: 6 e- = 6 e-
e) IV.
Resolução Alternativa B
O ácido tartárico apresenta a seguinte formula estrutural: Igualando o número de elétrons nos processos de oxidação e redução,
encontra-se a seguinte equação estequiométrica:
OH O
2Cu2O + 1Cu2S ⎯⎯→ 6Cu0 + 1SO2
HO
OH QUESTÃO 06
Assinale a opção que contém o momento angular do elétron na 5ª
O OH órbita do átomo de hidrogênio, segundo o modelo atômico de Bohr.
I. Correta. Na temperatura ambiente o ácido tartárico é um sólido a) π / 2π b) h / π c) 2,5h / 2π
cristalino. d) 2,5h / π e) 5h / π
II. Incorreta. O ácido tartárico apresenta duas hidroxilas e dois grupos Resolução Alternativa D
carboxilas, que são grupos altamente polares, dessa forma o ácido No modelo do átomo de Bohr, o momento angular L do elétron é
tartárico é um composto que apresenta alta polaridade, sendo quantizado, através da relação:
imiscível em tetracloreto de carbono (CCl4) um solvente apolar.
III. Incorreta. O ácido tartárico apresenta duas carboxilas sendo n⋅h
L= ,
portanto um ácido diprótico. 2π
H ácidos
onde n é o número quântico principal. Para n = 5 , temos:

OH O 5⋅h h
L= ⇔ L = 2,5 ⋅
HO 2π π
OH QUESTÃO 07
O OH Assinale a opção que contém a base conjugada de OH − .
IV. Correta. O ácido tartárico apresenta vários oxigênios, que por sua a) O 2−
vez possuem pares de elétrons não compartilhados, dessa forma os
b) O −
átomos de oxigênio podem atuar como base de Lewis e se complexar
a cátions metálicos (ácido de Lewis), formando complexos metálicos. c) O2 −
O ácido tartárico é um agente quelante muito eficiente formando d) H 2O
facilmente complexos metálicos em água.
e) H +
QUESTÃO 04 Resolução Alternativa A
Considere que 1 mol de uma substância sólida está em equilíbrio com Ácidos e bases conjugados fazem parte da teoria de Brönsted-Lowry.
seu respectivo líquido na temperatura de fusão de −183 °C e a 1atm. O OH- tem que agir como ácido de Brönsted e doar um próton para
Sabendo que a variação de entalpia de fusão dessa substância é uma base de Brönsted forte. Dessa forma podemos escrever a
6,0 kJ ⋅ mol−1, assinale a opção que apresenta a variação de entropia, seguinte equação genérica:
em J ⋅ K−1 ⋅ mol−1. OH − + X → HX + + O 2 −
a) −20 b) −33 c) +50 d) +67 e) +100 Portanto:
− + 2−
Resolução Alternativa D OH
N + X
N → HX N + O N
Temos que: ácido de Brönsted base de Brönsted ácido conjugado base conjugada

ΔG = ΔH − T ⋅ ΔS Logo, a base conjugada do íon OH- é o íon O2-.

Como a substância está em equilíbrio, segue que: QUESTÃO 08


Assinale a opção que contém o número de oxidação do crômio do
ΔH
ΔG = 0 ⇔ ΔS = composto ⎡⎣Cr ( NH3 )4 Cl 2 ⎤⎦ .
+
T
Portanto: a) Zero b) +1 c) +2 d) +3 e) +4
Resolução Alternativa D
6,0 ⋅ 103 −1 −1 Segue abaixo o esquema:
ΔS = ⇔ ΔS ≈ 67 J ⋅ K ⋅ mol
273 − ( −183 ) +
QUESTÃO 05 ⎡⎣Cr ( NH 3 )4 Cl 2 ⎤⎦
Assinale a opção que contém o(s) produto(s) formado(s) durante o
aquecimento de uma mistura de Cu2O e Cu2S , em atmosfera inerte.
x 4⋅ 0 2 ⋅ −1
a) CuSO4
onde x é o número de oxidação do crômio. Deste modo,
b) Cu2SO3
c) Cu e SO2 x + 4 ⋅ 0 + 2 ⋅ ( −1) = +1 ⇔ x = +3
d) Cu e SO3
e) CuO e CuS

2
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

QUESTÃO 09 Resolução Alternativa D


Assinale a opção que apresenta o elemento químico com o número Tendo em vista a equação dos gases ideais PV = nRT , julgamos os
CORRETO de nêutrons. itens:
a) 199 F tem zero nêutrons.
24 I – Verdadeiro. Vê-se pela equação dos gases ideais que se a
b) 12 Mg tem 24 nêutrons. temperatura diminuir e a pressão for mantida constante, o volume
c) 197
79 Au tem 79 nêutrons. deve diminuir também.
75
II – Falso. A velocidade média das moléculas do gás só aumenta se a
d) 33 As tem 108 nêutrons. temperatura aumentar. Se a pressão aumentar, existe a possibilidade
e) 238
U tem 146 nêutrons. de o volume diminuir sem variar a temperatura (transformação
92
isotérmica).
Resolução Alternativa E
III – Verdadeiro. Ao contrário do item anterior, neste item o volume se
Numa representação do elemento químico da forma:
mantém constante, forçando a temperatura a aumentar. Com o
A
X, aumento da temperatura, a velocidade média das moléculas do gás
Z
aumenta, independente de sua natureza (monoatômico, diatômico
temos que Z é o número atômico, e A é o número de massa. etc).
O número de nêutrons é dado por A − Z . IV – Falso. A velocidade média quadrática das moléculas de um gás
Analisando cada alternativa, temos: pode ser calculada por
a) Falsa. 199 F tem 19 − 9 = 10 nêutrons . 3RT
v média = .
b) Falsa. 24
12 Mg tem 24 − 12 = 12 nêutrons . M
c) Falsa. 197
79 Au tem 197 − 79 = 118 nêutrons . Como a massa molar do argônio é menor que a massa molar do
d) Falsa. 75
As tem 75 − 33 = 42 nêutrons . xenônio, os átomos de argônio possuem velocidade média maior que
33
os átomos de xenônio, se ambos estiverem numa mesma
e) Verdadeira. 238
92 U tem 238 − 92 = 146 nêutrons . temperatura. Note, que a afirmativa nada diz a respeito das condições
dos gases, ou seja, os gases poderiam estar em temperaturas muito
QUESTÃO 10 diferentes, impossibilitando a comparação das velocidades médias.
A pressão de vapor de uma solução ideal contendo um soluto não-
volátil dissolvido é diretamente proporcional à QUESTÃO 12
Considere três cubos maciços de 2 cm de aresta, constituídos,
a) fração molar do soluto. respectivamente, de Cr, Ni e Ti puros. Os três cubos são aquecidos
b) fração molar do solvente. até 80 °C e cada cubo é introduzido em um béquer contendo 50 g de
c) pressão osmótica do soluto. água a 10 °C. Com base nas informações constantes da tabela
d) molaridade, em mol ⋅ L−1 , do solvente. abaixo, assinale a opção que apresenta a relação CORRETA entre as
e) molalidade, em mol ⋅ kg −1 , do solvente. temperaturas dos cubos, quando o conteúdo de cada béquer atingir o
equilíbrio térmico.
Resolução Alternativa B
Pela Lei de Raoult, a pressão de vapor de uma solução é igual à soma Substância Massa específica (g ⋅ cm− )
3 1
Calor específico (J ⋅ g− ⋅ K− )
1

das pressões parciais dos componentes da solução. Como o soluto H2O 1,00 4,18
em questão é não-volátil, sua pressão parcial é zero. Desta forma, a Ti 4,54 0,52
pressão parcial do solvente na solução ideal é igual à pressão de Cr 7,18 0,45
vapor do solvente quando puro (psolvente) multiplicada pela sua fração Ni 8,90 0,44
molar ( xsolvente ):
a) TCr > T Ni > TTi .
p = psolvente ⋅ xsolvente + psoluto ⋅ xsoluto ⇒ b) TNi = TTi > TCr .


=0
c) TNi > TCr > TTi .
p = psolvente ⋅ xsolvente
d) TTi > TCr > TNi .
Como se pode ver, a pressão de vapor da solução é diretamente
e) TTi > TCr = TNi .
proporcional à fração molar do solvente xsolvente .
Resolução Alternativa C
Da densidade de uma substância X, temos:
QUESTÃO 11
Considere um mol de um gás que se comporta idealmente, contido em mX
um cilindro indeformável provido de pistão de massa desprezível, que ρX = ⇔ m X = ρ X ⋅ VX
VX
se move sem atrito. Com relação a este sistema, são feitas as
seguintes afirmações: Sendo de formato cúbico, com L a aresta do cubo, vem que:
I. Se o gás for resfriado contra pressão externa constante, o m X = ρ X ⋅ L3
sistema contrai-se.
II. Se pressão for exercida sobre o pistão, a velocidade média das Sendo TA a temperatura inicial da água, TX a temperatura inicial da
moléculas do gás aumenta.
III. Se o sistema for aquecido a volume constante, a velocidade substância X, e T a temperatura final da mistura da substância X com
média das moléculas aumenta, independentemente da natureza a água após atingir o equilíbrio térmico, temos que:
do gás. mA ⋅ c A ⋅ TA + m X ⋅ c x ⋅ TX
IV. A velocidade média das moléculas será maior se o gás for o mA ⋅ c A ⋅ (T − TA ) + m X ⋅ c x ⋅ (T − TX ) = 0 ⇔ T =
mA ⋅ c A + m X ⋅ c x
xenônio e menor se for o argônio.
Das afirmações acima, está(ão) ERRADA(S) apenas mA ⋅ c A ⋅ TA + ρ X ⋅ a3 ⋅ c x ⋅ TX
⇔T =
mA ⋅ c A + ρ X ⋅ a 3 ⋅ c x
a) I e II.
b) I, III e IV. Calculando a temperatura final da substância em cada um dos três
c) II e III. casos, temos:
d) II e IV.
e) IV. (I) Ti

50 ⋅ 4,18 ⋅ 10 + 4,54 ⋅ 23 ⋅ 0,52 ⋅ 80


TTi = ≈ 16 °C
50 ⋅ 4,18 + 4,54 ⋅ 23 ⋅ 0,52

3
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

(II) Cr Sabendo que se trata de um processo de primeira ordem podemos


representá-lo por:
50 ⋅ 4,18 ⋅ 10 + 7,18 ⋅ 2 ⋅ 0,45 ⋅ 80
3
TTi = ≈ 18 °C
50 ⋅ 4,18 + 7,18 ⋅ 23 ⋅ 0,45 v = k ⋅ [ A]
(III) Ni
Expandindo a lei de velocidade integrada e substituindo os valores da
50 ⋅ 4,18 ⋅ 10 + 8,90 ⋅ 23 ⋅ 0,44 ⋅ 80 primeira e da última linha da segunda coluna da tabela temos que:
TTi = ≈ 19 °C
50 ⋅ 4,18 + 8,90 ⋅ 23 ⋅ 0,44 ⎛ [C ] ⎞
ln ⎜
[C ] ⎟ = −k ⋅ t
Assim: ⎝ o ⎠
ln[C ] − ln[C0 ] = −k ⋅ t
TNi > TCr > TTi .
( − 0,11) − ( −2,30) = −k ⋅ 600
QUESTÃO 13 k = 3,65 ⋅ 10 −3 s-1 ≅ 4 ⋅ 10−3 s-1
Considere a reação química genérica A → B + C . A concentração do
Nota: poderia ter sido utilizado no cálculo qualquer par de valores da
reagente [ A] foi acompanhada ao longo do tempo, conforme segunda coluna da tabela.
apresentada na tabela que também registra os logaritmos neperianos
( An ) desses valores e os respectivos recíprocos (1/ [ A]) . QUESTÃO 14
São feitas as seguintes comparações de valores de pK a de compostos
orgânicos:
t (s) [ A ] (mol ⋅ L-1 ) An [ A ] (
1/ [ A ] L ⋅ mol-1 )
0 0,90 - 0,11 1,11 I. pK a (CH3COOH ) > pK a (ClCH 2COOH )
100 0,63 - 0,46 1,59
II. pK a (F3CCOOH ) > pK a (Cl 3CCOOH )
200 0,43 - 0,84 2,33
300 0,30 - 1,20 3,33 III. pK a (CH3CH2CHClCOOH ) > pK a (CH3CHClCH 2COOH )
400 0,21 - 1,56 4,76
500 0,14 - 1,97 7,14 Das comparações acima, está(ão) CORRETA(S) apenas:
600 0,10 - 2,30 10,00
a) I.
Assinale a opção que contém a constante de velocidade CORRETA b) I,II e III.
desta reação. c) I e III.
a) 4 × 10 −3 s-1 d) II.
b) 4 × 10−3 mol ⋅ L−1 ⋅ s-1 e) II e III.
Resolução Alternativa A
c) 4 × 10 −3 L ⋅ mol-1 ⋅ s-1 I. CORRETA.
d) 4 × 103 s-1
e) 4 × 103 mol ⋅ L-1 ⋅ s-1 O
O
Resolução Alternativa A
Primeiramente precisamos identificar a ordem da reação, isto pode ser
feito facilmente calculando a diferença entre duas linhas sucessivas da Cl
tabela. OH
OH
t (s ) [ A] ( mol ⋅ L−1 ) Δ An [ A ] Δ (
1/ [ A] L ⋅ mol −1 ) Δ
0 0,90 - - 0,11 - 1,11 - No composto (ClCH2COOH ) Como o cloreto é muito eletronegativo,
100 0,63 -0,27 - 0,46 -0,35 1,59 0,48
200 0,43 -0,20 - 0,84 -0,38 2,33 0,74 ele atrai a nuvem eletrônica do composto (ClCH 2COOH ) , tornando o
300 0,30 -0,13 - 1,20 -0,36 3,33 1,00 oxigênio da hidroxila mais pobre em elétrons, facilitando a
400 0,21 -0,09 - 1,56 -0,36 4,76 1,43 desprotonação deste composto. Dessa forma:
500 0,14 -0,07 - 1,97 -0,41 7,14 2,38
600 0,10 -0,04 - 2,30 -0,33 10,00 2,86 pK a (CH3COOH ) > pK a (ClCH 2COOH ) , pois o (ClCH2COOH ) é um
onde, Δ é a diferença entre duas linhas sucessivas da coluna anterior.
ácido mais forte do que o (CH3COOH ) .
Lembrando as leis de velocidade integrada, temos que para um
processo de: II. INCORRETA.
Ordem zero, o gráfico de concentração do reagente em função do
tempo é uma reta decrescente; O
[C ] − ⎡⎣C0 ⎤⎦ = −k.t F
O
Primeira ordem, o gráfico do logaritmo natural da concentração do Cl
reagente em função do tempo é uma reta decrescente; F
Cl
⎛ [C ] ⎞ OH
ln ⎜
[C ] ⎟ = −k ⋅ t OH
⎝ o ⎠

Segunda ordem, o gráfico do inverso da concentração do reagente


em função do tempo é uma reta crescente.
F
Cl
1 1
− = +k ⋅ t
[C ] [C0 ] Como o fluoreto é mais eletronegativo do que o cloreto, o efeito de
deslocalização da nuvem eletrônica é mais pronunciado no composto
(F3CCOOH ) , do que no (Cl 3CCOOH ) . Logo:
Assim, para que o gráfico em questão seja uma reta, precisamos ter
variações (Δ) constantes uma vez que os intervalos de tempo são fixos.
Comparando os valores obtidos para as três colunas percebemos que a pK a (F3CCOOH ) < pK a (Cl 3CCOOH ) , visto que o composto
segunda coluna dos dados fornecidos apresenta uma variação
(F3CCOOH ) é mais ácido do que o (Cl 3CCOOH ) .
aproximadamente constante. Como esta coluna contém os valores do
logaritmo natural das concentrações, percebemos que a reação em
questão é um processo de primeira ordem.

4
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

III. INCORRETA. QUESTÃO 16


Joseph Black (1728-1799), médico, químico e físico escocês,
O Cl O
conceituou o calor específico. Esta conceituação teve importantes
aplicações práticas, dentre elas a máquina a vapor, desenvolvida pelo
engenheiro escocês James Watt (1736-1819). Que componente do
motor a vapor desenvolvido Poe Watt revolucionou seu uso e
OH OH aplicação?
a) Boiler ou fervedor.
b) Bomba de recalque.
Cl c) Caldeira.
d) Condensador.
Como o cloreto se encontra mais próximo da carboxila no composto
e) Turbina a vapor.
CH3CH 2CHClCOOH , a deslocalização da nuvem eletrônica é mais Resolução Alternativa D
pronunciada nesse composto do que no CH3CHClCH 2COOH . Dessa O condensador foi a invenção de James Watt que revolucionou o uso
forma: e aplicação da máquina a vapor. Ao aumentar seu rendimento através
da diminuição da troca de calor existente entre o sistema e o
pK a (CH3CH 2CHClCOOH ) < pK a (CH3CHClCH 2COOH ) , dado que o ambiente, tornou a utilização da máquina economicamente viável.
CH3CH2CHClCOOH é mais ácido do que o CH3CHClCH 2COOH . QUESTÃO 17
Assinale a opção que contém a concentração (em mol ⋅ L−1 ) de um íon
QUESTÃO 15 genérico M + , quando se adiciona um composto iônico MX sólido até
São feitas as seguintes afirmações sobre o que Joule demonstrou em a saturação a uma solução aquosa 5 x10 −3 mol ⋅ L−1 em PX .
seus experimentos do século XIX:
Dado K ps (MX ) = 5 x10 −12 .
I. A relação entre calor e trabalho é fixa. a) 2,3 x10 −6
II. Existe um equivalente mecânico do calor.
III. O calor pode ser medido. b) 1,0 x10 −7
c) 2,3 x10 −8
Das afirmações acima, está(ão) CORRETA(S) apenas
a) I. d) 1,0 x10 −9
b) I, II e III. e) 1,0 x10 −10
c) I e III. Resolução Alternativa D
d) II.
Supondo que na dissociação M + X − ⎯⎯→ M + + X − a concentração
e) II e III.
Resolução Alternativa B final de M + seja igual a α , então a concentração final de X − será
O experimento de Joule consiste de um recipiente cheio de água e um igual a α + 5 ⋅ 10−3 mol ⋅ L−1 . Calculando então o produto de solubilidade:
mecanismo com placas movidas por um peso (ou mais pesos) em
queda. A energia cinética das placas é transformada em calor, que ( )
K ps (MX ) = α ⋅ α + 5 ⋅ 10 −3 = 5 ⋅ 10 −12
provoca o aquecimento da água, o qual pode ser monitorado por um
Dado o baixo valor do K ps (MX ) e a equação acima, torna-se viável
termômetro. Utilizando a equação Q = m ⋅ c ⋅ ΔT (onde m é massa, c é
capacidade calorífica e ΔT é variação de temperatura), pode-se aproximar a concentração final de X − para 5 ⋅ 10−3 mol ⋅ L−1 . Dando
calcular a quantidade de calor fornecida ao sistema. Este experimento continuidade aos cálculos:
permitiu confirmar experimentalmente a equivalência entre calor e −9 −1
trabalho, ou seja, que um pode ser convertido no outro e vice-versa. K ps (MX ) = α ⋅ 5 ⋅ 10 −3 = 5 ⋅ 10 −12 ⇔ α = 10 mol ⋅ L
Joule realizou várias experiências substituindo a água por outras
QUESTÃO 18
substâncias e demonstrou a validade do experimento.
Considere os seguintes compostos:
I. álcoois
II. aldeídos
III. carbono particulado (negro de fumo)
Termômetro IV. cetonas
Eixo Água
Dos componentes acima, é (são) produto(s) da combustão incompleta
do n-octano com ar atmosférico apenas:
a) I e II.
Pesos
b) I e IV.
c) II e III.
Palhetas d) III.
m m e) IV.
Resolução Alternativa C
h h Sabendo-se que o negro de fumo é o carvão finamente pulverizado,
que é obtido das reações de combustão incompleta de alcanos, no
caso o n-octano.
A equação abaixo apresenta a formação deste composto, a partir da
Julgando as afirmativas: equação de combustão incompleta.
I - Correta. Nos seus experimentos Joule chegou à conclusão que a C8H18 ( A ) + 9 O2 ( g ) → 8C( s ) + 9 H 2O( A )
2 N
W
razão entre calor e trabalho é constante: = J , onde J é uma negro de fumo

Q Lembrando que outro produto possível para a combustão incompleta é


constante cujo valor é 4,1855 J ⋅ cal-1. o monóxido de carbono (CO), temos:
II - Correta. Como mostra a equação acima 4,1855 J de energia são C8H18 ( A ) + 17 O2 ( g ) → 8 CO( g ) + 9 H2O( A )
equivalentes a 1 caloria de calor. Este fator é atualmente usado como 2
fator de conversão entre Joule e caloria. A reação de combustão é uma reação radicalar. Assim, além das
III – Correta. Calor é energia térmica em trânsito. Assim, só se mede reações descritas acima, é possível formar aldeídos no processo
calor (e só faz sentido se falar em calor) transferido entre corpos devido a esse mecanismo.
diferentes. Podemos medi-lo, por exemplo, através da mudança de A equação pode ser escrita de forma simplificada e não balanceada,
temperatura de um corpo, utilizando a equação Q = m ⋅ c ⋅ ΔT . como R − R´ + O2 → RCHO + R ` − H + •OH , em que R − R´
representam o hidrocarboneto.
5
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

QUESTÃO 19 QUESTÃO 20
Considere a reação do tetraborato de sódio: Considere uma célula a combustível alcalina (hidrogênio-oxigênio)
sobre a qual são feitas as seguintes afirmações:
Na2B4O7 .10H2O ( s ) + H2SO4 ( aq ) + Na2SO4 ( aq ) + 5H 2O ( A )
I. Sob condição de consumo de carga elétrica, a voltagem efetiva de
Em relação ao produto da reação B (OH )3 são feitas as seguintes serviço desse dispositivo eletroquímico é menor que a força
afirmações: eletromotriz da célula.
I. B (OH )3 é um ácido de Brönsted-Lorry. II. O combustível (hidrogênio gasoso) é injetado no compartimento do
anodo e um fluxo de oxigênio gasoso alimenta o catodo dessa célula
II. B (OH )3 é uma base de Arrhenius. eletroquímica.
III. Sendo o potencial padrão dessa célula galvânica igual a 1,229
III. O produto da primeira ionização do B (OH )3 ( aq ) é o
VEPH (volt na escala padrão do hidrogênio), a variação de energia livre
BO (OH )2 ( aq ) .

de Gibbs padrão ( ΔG° ) da reação global do sistema redox atuante é
igual a −237,2 kJ ⋅ mol−1.
Das afirmações acima, está(ão) CORRETA(S) apenas
a) I. b) I e III. c) II. Das afirmações acima, está(ão) CORRETA(S) apenas
d) II e III. e) III. a) I.
Resolução Alternativa B b) I,II e III.
Questão bastante difícil, que exige um conhecimento aprofundado c) I e III.
sobre a química do boro do candidato. Podemos afirmar, com certeza, d) II.
que B(OH)3 (ou H3BO3) é um ácido. Porém, a teoria que explica esta e) II e III.
característica não é única. Isto porque, ao contrário da maioria dos Resolução Alternativa B
ácidos, temos duas reações distintas e concomitantes que contribuem I. Correta.
para acidez dos compostos. Considerando primeiramente aquela que Utilizando o modelo de um gerador real, temos esquematicamente:
ocorre numa maior extensão (maior constante de equilíbrio) temos o
equilíbrio I:
1. H3 BO3( aq ) + H 2O( l ) U ⎡⎣B(OH )3 (OH2 )⎤⎦
( aq )
− E r
⎡⎣B(OH )3 (OH2 )⎤⎦ + H2O( l ) U ⎡⎣B(OH )4 ⎤⎦ + H3O(+aq )
( aq ) ( aq )

⎡H3O(+aq ) ⎤⎦ ⎡⎣B(OH )−4( aq ) ⎤⎦ Devido à presença da resistência interna, parte da energia gerada pela
KI = ⎣ = 7,3.10−10 reação química é dissipada na própria estrutura física da célula
⎡⎣H3 BO3( aq ) ⎤⎦ combustível, de modo que a diferença de potencial U disponível para o
Este equilíbrio demonstra que o ácido bórico é um ácido de Lewis, restante do circuito acoplado externamente é menor que a força
mas não um ácido de Brönsted, já que a liberação de íons H3O+ ocorre eletromotriz E gerada, de acordo com a equação característica do
gerador:
apenas após a formação do complexo ⎣⎡B(OH )3 (OH2 )⎦⎤ .
( aq )

O segundo mecanismo de ionização origina o equilíbrio II. Apesar de U = E − r ⋅i


uma menor constante de equilíbrio (que faz com que a reação ocorra
numa menor extensão), o ácido bórico também pode se ionizar II. Correta.
seguindo a teoria de Brönsted-Lowry (a qual também é abrangida pela A semirreação que ocorre com o hidrogênio pode ser escrita como:
teoria de Lewis):
H2 → 2H + + 2e −
2. H3 BO3( aq ) + H2O( l ) U BO(OH 2 )(−aq ) + H3O(+aq )
⎡⎣H3 BO3( aq ) ⎤⎦ Trata-se de uma semirreação de oxidação, que portanto deve ocorrer
KI = = 5,8.10 −10 no anodo da pilha.
⎡⎣BO(OH2 )(−aq ) ⎤⎦ ⎡⎣H3O(+aq ) ⎤⎦
Já a semirreação que ocorre com o oxigênio pode ser escrita como:

Comparando a magnitude das constantes, vemos que as duas são O2 + 2H2O + 4e − → 4OH −
muito próximas e ambos os processo devem contribuir para acidez do
composto. Desta forma, o ácido bórico também pode ser classificado
Trata-se de uma semirreação de redução; esta deve ocorrer no
como um ácido de Bronsted-Lowry.
catodo.
Resumindo: A acidez do ácido bórico é explicada por dois
mecanismos distintos e concomitantes. O equilíbrio I que só pode ser
III. Correta.
explicado pelo mecanismo de Lewis e o equilíbrio II que pode ser
Podemos escrever a reação global com a soma das duas
explicado tanto pela teoria de Bronsted-Lowry quanto de Lewis.
semirreações abordadas na justificativa da afirmação (II):
I. Correta. Conforme a explicação acima.
II. Incorreta. O composto B(OH)3 ou H3BO3 não é uma base de 2H2 → 4e − + 4H +
Arrhenius, pois não líbera íons OH- em água. O2 + 2H2O + 4e − → 4OH −
III. Correta. Lembrando que a acidez do ácido bórico é explicada por 2H2 + O2 → 2H 2O E = 1,229 V
dois mecanismos distintos e concomitantes, temos que o equilíbrio II,
embora numa menor extensão, contribui para o processo e, portanto a
Dessa forma a partir do potencial da reação, pode-se calcular a
espécie também BO(OH2 )(−aq ) pode ser encontrado no equilíbrio variação da energia livre de Gibbs por:
considerando a primeira ionização da espécie H3 BO3( aq ) . Conforme
ΔG = −n ⋅ F ⋅ E = −4 × 96500 × 1,229 ⇔ ΔG = −474,4 kJ
mostra a equação II, descrita acima.
Nota: Mais detalhes podem ser encontrados na referência a seguir e Tomando como base 1 mol de H2, divide-se a equação global por 2
os interessados poderão também consultá-la em nossa biblioteca: bem como o ΔG :
Perelygin, Yu. P.; Chistyakov, D. Yu. (2006). "Boric acid" (PDF).
Russian Journal of Applied Chemistry (Pleiades Publishing) 79 (12):
ΔG = −273,2 kJ/mol de H2
2041–2042.

6
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

QUESTÃO 21
O dióxido de potássio tem várias aplicações, entre as quais, a

(a) produção de peróxido de hidrogênio (g) na presença de água.


(b) conversão de dióxido de carbono (g) para oxigênio (g).
(c) absorção de dióxido de carbono (g) na presença de H2O com
formação de oxigênio (g).

Apresente as equações químicas balanceadas que representam as


reações descritas nos itens acima.
Resolução (a) fio de prata com uma camada fina e insolúvel de sulfeto de prata,
a) 2 KO2 ( s ) + 2 H 2O( A ) → H2O2 ( aq ) + 2 KOH( aq ) + O2 ( g ) Ag2S(s). (b) fio de prata após a reação com alumínio metálico, Al(s), em
solução salina de NaCl. (QUÍMICA NOVA NA ESCOLA Escurecimento e Limpeza de
b) 4 KO2 ( s ) + 2 CO2( g ) → 2 K 2CO3 ( aq ) + 3 O2 ( g ) Objetos de Prata N° 30, NOVEMBRO 2008 <http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc30/11-EEQ-
4407.pdf>)
c) 4 KO2 ( s ) + 4 CO2( g ) + 2 H2O( A ) → 4 KHCO3 ( aq ) + 3 O2 ( g )
c) No segundo experimento, o sulfeto de prata atua agora como
QUESTÃO 22 agente oxidante, oxidando o alumínio metálico (que possui menor
São descritos dois experimentos: potencial de redução que a prata). Desta forma, o sulfeto de prata é
reduzido e retorna à forma de prata metálica com seu brilho
I. Ovo cozido em água fervente teve sua casca quebrada, de modo característico, como o potencial da reação é positivo (Eº > 0), temos
que parte de sua clara permaneceu em contato com esta água, na um processo espontâneo.
qual a seguir foi também imerso um objeto polido de prata. Após
um certo período de tempo, observou-se o escurecimento desse 3 Ag 2S( s ) + 6e − → 6 Ag( s ) + 3S 2 −( aq ) E°= -0,691V
objeto, que foi retirado da água e lavado.
II. Em um béquer, foi aquecida água até a fervura e adicionada uma 2 Al( s ) → 2 Al 3 +( aq ) + 6e − E°= +1,662 V
colher das de sopa de cloreto de sódio. A seguir, esta solução foi 3 Ag 2S( s ) + 2 Al( s ) → 6 Ag(+aq ) + 2Al(3aq+ ) + 3S(2aq− ) E°= +0,971 V
transferida para um béquer revestido com papel alumínio. O objeto
de prata utilizado no experimento I foi então imerso nesta solução
e retirado após alguns minutos. QUESTÃO 23
Apresente as equações que representam as reações químicas de
Em relação a esses experimentos: nitração do tolueno, na presença de ácido sulfúrico, levando a seus
isômeros. Indique o percentual de ocorrência de cada isômero e seus
a) apresente a equação global que representa a reação química respectivos estados físicos, nas condições-padrão.
ocorrida na superfície do objeto de prata no experimento I e calcule a Resolução
diferença de potencial elétrico da reação química. A primeira etapa da reação de nitração do tolueno acontece através da
b) Preveja a aparência do objeto de prata após a realização do reação do ácido nítrico com o ácido sulfúrico, gerando o eletrófilo
segundo experimento. ( NO2+ ), como mostra as equações a seguir:
c) Apresente a equação global da reação química envolvida no
experimento II e sua diferença de potencial elétrico.
H2SO4 + HNO3 → HSO4− + H2NO3+
Dados: Ag 2S(s ) + 2e − U 2 Ag (s ) + S 2 − (aq ) E°= -0,691V H2NO3+ → H 2O + NO2+
O2 (g ) + 4H + (aq ) + 4e − U 2H2O(A ) E°= 1,229 V
Al 3 + (aq ) + 3e − U Al (s ) E°= -1,662 V A segunda etapa consiste na reação do eletrófilo com o tolueno:
+ −
Ag 2S(s ) + 2H (aq ) + 2e U 2 Ag (s ) + H 2S(g ) E°= -0,037 V
CH3 CH3 CH3 CH3
Resolução
a) Alguns alimentos, como o ovo, provocam o escurecimento de -H+
NO2
+ NO2+ +
objetos de prata. Isso ocorre porque o ovo apresenta em sua +

composição compostos sulfurados como o aminoácido cisteína, o NO2


qual, durante o cozimento, sofre decomposição e libera íons sulfeto. NO2
Os íons sulfeto liberados na presença de oxigênio gasoso favorecem a Isômero orto Isômero meta Isômero para
formação de sulfeto de prata na superfície do objeto, como mostra a
equação abaixo: O grupo –CH3, ligado ao anel aromático, é um grupo ativador e
orto/para dirigente. Dessa forma, os isômeros orto e para são
4 Ag( s ) + 2S 2 −( aq ) → 2 Ag 2S( s ) + 4e − E°= +0,691V formados em maior quantidade que o isômero meta.
+ −
Como o grupo –CH3 não é volumoso, podemos desconsiderar os
O2( g ) + 4H ( aq ) + 4e → 2H 2O( l ) E°= +1,229 V efeitos de impedimento estérico e considerar somente os efeitos
4 Ag( s ) + O2( g ) + 4H +
+ 2S 2−
→ 2Ag 2S( s ) + 2H2O( l ) estatísticos no processo de substituição.
( aq ) ( aq ) E°= +1,920 V
Como ilustra a figura, temos duas posições que geram o isômero orto
e uma posição que gera o isômero para.
Nota: O aluno poderia ficar em dúvida se deveria utilizar na resolução
a primeira ou a quarta equação listada no enunciado. A primeira orto
CH3
orto
equação considera o íon sulfeto em solução, enquanto a equação
quatro considera o sulfeto de hidrogênio gasoso. Neste momento ele
deve notar que o objeto de prata foi imerso na água, portanto, o
composto com o qual irá reagir deve estar dissolvido na água (aq) e
não no estado gasoso (g).
para
b) A aparência do objeto de prata antes e após o segundo
experimento pode ser visualizada na imagem abaixo. Como Portanto, o produto orto e para estão na razão de
percebemos após a realização do segundo experimento a coloração e
o brilho típico da prata são recuperados. Veja a seguir a ilustração: 2 orto: 1 para.

Contudo, não existe uma fórmula ou uma maneira de calcular a


quantidade de isômero meta formado na reação. Seria necessário o

7
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

aluno saber que para a reação de nitração do tolueno em questão são Resolução
formados aproximadamente 5 % de isômeros meta. Assim, fazendo a Primeiramente precisamos encontrar a densidade superficial em
razão de 2:1 para os 95% restantes, obteríamos aproximadamente massa do Níquel:
as proporções apresentadas a seguir:* σm = ρ ⋅ h = 8,9 ⋅ 106 g ⋅ m−3 ⋅ 2,0 ⋅ 10−6 m = 17,8 g ⋅ m−2

A partir desse valor é possível encontrar a densidade superficial em


CH3 CH3
CH3 CH3 mols do níquel:
NO2
-H+
+ NO2+ + + m 17,8 g
n= = = 0,303 mol ⇒ σn = 0,303 mol ⋅ m−2
NO2 M 58,69 g ⋅ mol-1
NO2
Isômero orto Isômero meta Isômero para A densidade de carga será calculada levando em conta o número de
elétrons envolvidos no processo de deposição do níquel no cátodo:
62% 5% 33%

Ni2 + + 2e − ⎯⎯→ Ni0


Para o ponto de fusão* dos isômeros temos os seguintes valores:
Isômero Ponto de fusão (°C) Como n = 2 é o número de elétrons envolvidos no processo de
orto -10 deposição do níquel no cátodo, a densidade de carga pode ser
meta 16 calculada por:
para 55 σq = n ⋅ σn ⋅ F = 2e − ⋅ 0,303mol ⋅ m−2 ⋅ 96500 C mol de e- ⇒
Temos que, na condição padrão a temperatura é 25°C, dessa forma
os isômeros orto e meta são líquidos enquanto o isômero para é σq = 5,85 ⋅ 104 C ⋅ m-2
sólido. σq
É possível estabelecer uma ordem de polaridade dos compostos A densidade de corrente aplicada ( A ⋅ m−2 ) é dada por J = , onde
citados, contudo essa informação não seria suficiente para responder t
a presente questão, posto que não é possível prever a temperatura de σq é a densidade de carga e t é o tempo em segundos:
fusão de um composto, mas sim ordenar do maior para o menor de σq 5,85 ⋅ 10 4 C ⋅ m-2
forma qualitativa. J= = = 65,04 A ⋅ m-2
Dessa forma, fica claro que um aluno que não tenha realizado esse t 900s
experimento na prática, não tem informações suficientes ou uma forma
de raciocínio que o levaria as respostas corretas, já que são cobrado QUESTÃO 26
dados disponíveis apenas em tabelas de química. A água líquida neutra ( pH = 7,0 ) , inicialmente isenta de espécies
*Introduction to organic chemistry; A. Streitwieser, C.H. Heathcock,
químicas dissolvidas, é mantida em um recipiente de vidro aberto e em
contato com a atmosfera ambiente sob temperatura constante.
E.M. Kosower; 4 edição; 1992; p.703 e 717.
Admitindo-se que a pressão parcial do oxigênio atmosférico seja igual
QUESTÃO 24 a 0,2 atm e sabendo-se que esse gás é solúvel em H2O (A ) e o que o
Escreva a reação de combustão completa de um hidrocarboneto sistema está em equilíbrio a uma temperatura de 25°C , pedem-se:
genérico (CαHβ ) com ar atmosférico. Considere a presença do a) escrever a equação química balanceada da semirreação que
nitrogênio gasoso no balanço estequiométrico da reação e expresse representa o processo de redução do oxigênio gasoso em meio de
os coeficientes estequiométricos dessa reação em função de α e β . água líquida neutra e aerada.
Resolução b) determinar o potencial de eletrodo (VEPH ) , à temperatura de 25°C ,
A combustão completa de um hidrocarboneto gera CO2 e H 2O . da semirreação obtida no item (a), considerando as condições
Levando em conta que o nitrogênio gasoso está aproximadamente na estabelecidas no enunciado desta questão.
proporção de 4:1 para o oxigênio gasoso no ar atmosférico (80% de c) determinar o valor numério, expresso em kJ ⋅ mol-1 , da variação de
N2 e 20% de O2), a reação ainda não balanceada é:
energia livre de Gibbs padrão ( ΔG° ) da semirreação eletroquímica do
4 item (a).
Cα Hβ + x Ar ⎯⎯→ yCO2 + wH 2O + xN2
5
O Ar na reação acima é composto estequiometricamente de 1O2 e São dados:
4N2. Para balancear a reação, temos que: E oO / OH − = 0,401 VEPH VEPH = volt na escala padrão do hidrogênio
⎧ 2

⎧ 5 ⎛ β⎞ logx = An x / 2,303 0,2 = 10(


0,30 −1)
⎪y = α
⎪ ⎪ x = 5α + β = 5 ⎜ α + ⎟
⎪ 4 ⎝ 4⎠
⎨2w = β ⇔⎨
⎪2 ⎪w = β Resolução
⎪ x = 2y + w ⎪⎩ 2 a) A semirreação redução do oxigênio é dada por:
⎩5
2H2O + O2 + 4e − → 4OH −
Assim, a reação balanceada é:
⎛ β⎞ β b) Para determinar o potencial do eletrodo nas condições do
Cα Hβ + 5 ⎜ α + ⎟ Ar ⎯⎯→αCO2 + H2O + ( 4α + β ) N2
⎝ 4 ⎠ 2 experimento é necessário fazer uso da equação de Nernst:
RT 0,0592
E = E0 − lnQ = E 0 − logQ
QUESTÃO 25 nF n
Em um processo de eletrodeposição, o níquel metálico é Q representa o cociente da reação naquele momento, e é calculado de
eletrodepositado no catodo de uma célula eletrolítica e permanece forma análoga à constante de equilíbrio, relacionando as
coeso e aderido a esse eletrodo. Sabendo que a massa específica do concentrações dos produtos e reagentes da semirreação elevados aos
níquel metálico ( ρNi ,25°C ) é igual a 8,9 x103 kg ⋅ m-3 e que a espessura respectivos coeficientes estequiométricos. Nesse caso temos:
total da camada eletrodepositada, medida no final do processo, foi de [OH − ]4
Q=
2,0 x10 −6 m , calcule a densidade de corrente aplicada (admitida pO2
constante), expressa em A ⋅ m-2 , considerando nesse processo uma De acordo com o enunciado temos que:
eficiência de corrente de eletrodeposição de 100% e um tempo de • O pH da solução é 7,00. Assim, [OH − ] = 1,00 ⋅ 10−7 mol L .
operação total de 900s. • A pressão parcial de O2 é pO2 = 0,2atm .
• O potencial padrão da reação é E 0 = 0,401V .
• O número de elétrons envolvido no processo é n = 4 .

8
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

Desta forma, podemos substituir os valores na equação e calcular o Resolução


potencial do eletrodo nas condições do experimento. a) Reação:
0,0592 ⎛ (1× 10−7 )4 ⎞
E = 0,401 − log ⎜ ⎟⇒ 4 Zn( s ) + 10 HNO3 ( aq ) → 4 Zn(NO3 )2 ( aq ) + NH 4NO3 ( aq ) + 3H 2O( A )
4 ⎝ 0,2 ⎠
E = 0,401 − ( 0,0148 × ( −28 + 0,7 ) ) ⇒
Produto citado: NH 4NO3 ( aq )
E = 0,805V
b) O zinco ao reagir com HNO3 ( aq ) diluído pode sofrer as seguintes
c) O valor da energia livre de Gibbs para uma reação eletroquímica é
reações:
dado pela expressão ΔG = −nFE .
Como o enunciado pede a variação padrão, temos que usar o
potencial padrão da semirreação e não o valor calculado no item 4 Zn( s ) + 10 HNO3 ( aq ) → 4 Zn(NO3 )2 ( aq ) + N2O( g ) + 5 H2O( A )
anterior. 3 Zn( s ) + 8 HNO3 ( aq ) → 3 Zn(NO3 )2 ( aq ) + 2 NO( g ) + 4 H2O( A )
ΔG 0 = −4 × 96500 × 0,401 = −154,8 kJ ⋅ mol-1
Produto citado: N2O( g ) e NO( g )
QUESTÃO 27
Considere uma mistura gasosa constituída de C3H8, CO e CH4. A c) Reação:
combustão, em excesso de oxigênio, de 50 mL dessa mistura gasosa
forneceu 70 mL de CO2 (g).Determine o valor numérico do percentual
Zn( s ) + 4 HNO3 ( concentrado ) → Zn(NO3 )2 ( aq ) + NO2 ( g ) + 2 H2O( A )
de C3H8 na mistura gasosa.
Resolução
Como todos os componentes da mistura gasosa estarão nas mesmas Produto citado: NO2 ( g )
condições de temperatura e pressão, a proporção em número de mols
dos gases na mistura será igual à proporção entre os volumes dos
Observação: O ácido nítrico concentrado tem pouco efeito sobre o
mesmos na mistura. Assim, podemos trabalhar com a proporção entre
zinco, uma vez que o nitrato de zinco possui baixa solubilidade sob
os volumes ao longo da questão:
tais condições.
(I)
C3H8(g) ⎯⎯⎯
O2
Δ
→ 3 CO2(g) d) Reação:
a combustão completa de 1 mL de C3H8 libera 3 mL de CO2;
4 Sn( s ) + 10 HNO3 ( aq ) → 4 Sn(NO3 )2 ( aq ) + NH 4NO3 ( aq ) + 3 H2O( A )
(II)
CO(g) ⎯⎯⎯
O2
→1CO2(g) Produto citado: NH 4NO3 ( aq )
Δ

a combustão completa de 1 mL de CO libera 1 mL de CO2; e) O ácido nítrico concentrado reage com o Sn(s) levando a formação
do óxido de estanho IV
(III)
CH4(g) ⎯⎯⎯
O2
Δ
→1CO2(g) Reação:

a combustão completa de 1 mL de CH4 libera 1 mL de CO2; 3 Sn( s ) + 4 HNO3 ( concentrado ) → 4 NO( g ) + 3 SnO2 ( s )
Assim, chamando de a, b e c os volumes de C3H8, CO e CH4 na
mistura inicial, e sendo 70 mL o volume de CO2 formado na Produto citado: NO( g )
combustão desses gases, obtemos o seguinte sistema:
⎧a + b + c = 50 Referências bibliográficas:
⎨ .
⎩3a + b + c = 70
SHRIVER and ATKINS – Inorganic Chemistry, third edition.
Subtraindo a segunda equação da primeira, temos: MAHAN & MYERS – QUÍMICA, UM CURSO UNIVERSITÁRIO, quarta
edição.
2a = 70 − 50 ⇔ a = 10 mL
Assim, o percentual de C3H8 na mistura inicial é: QUESTÃO 29
Considere os seguintes dados:
a 10 Entalpia de vaporização da água a 25°C: Δ vap H=44J ⋅ mol −1
= = 20%
a + b + c 50
Massa específica da água a 25°C: ρHO
2
=1,0g ⋅ cm −3
QUESTÃO 28
O ácido nítrico reage com metais, podendo liberar os seguintes Temperaturas de ebulição a 1 bar:
produtos: NO (que pode ser posteriormente oxidado na presença do Τ eb. H O =100°C; Τ eb. H S =-60°C; Τ eb. H =-41°C e Τ eb. H =-2°C
2 2 2 Se 2Te

ar), N2O , NO2 ou NH3 (que reage posteriormente com HNO3 , Com base nestas informações:
formando NH 4NO3 ). A formação desses produtos depende da a) determine o valor numérico da energia liberada, em J, durante a
precipitação pluviométrica de 20mm de chuva sobre uma área de
concentração do ácido, da natureza do metal e da temperatura da
(10 × 10) km2.
reação.
Escreva qual(is) dos produtos citados acima é (são) formado(s) nas b) justifique, em termos moleculares, por que H 2 O apresenta Τ eb
seguintes condições: muito maior que outros calcogenetos de hidrogênio.
a) Zn(s ) + HNO3 muito diluído (~ 2 %) c) como se relaciona, em termos moleculares, a elevada Τ eb. H com
2O

a quantidade de energia liberada durante uma precipitação


b) Zn(s ) + HNO3 diluído ( ~ 10 %)
pluviométrica?
c) Zn(s ) + HNO3 concentrado Resolução
d) Sn(s ) + HNO3 diluído a) Primeiramente é necessária a determinação do volume de água de
chuva: v = A ⋅ h , onde:
e) Sn(s ) + HNO3 concentrado
A = 100 km2 = 1,0 ⋅ 108 m2 é a área onde ocorreu a chuva e
h = 20mm = 2,0 ⋅ 10 −2 m é a altura da precipitação pluviométrica
9
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 – QUÍMICA

Logo: H2O2( aq ) + I(−aq ) ⎯⎯→ H2O( l ) + IO(−aq ) (etapa lenta)


−2
v = Ah = 1,0 ⋅ 10 (m ) ⋅ 2,0 ⋅ 10 (m) = 2,0 ⋅ 10 m = 2,0.10 cm
8 2 6 3 12 3
H2O2( aq ) + IO(−aq ) ⎯⎯→ H2O( l ) + O2( g ) + I(−aq )

Como a massa específica da água é ρHO


2
=1,0g ⋅ cm −3 , a massa de 2H2O2( aq ) ⎯⎯→ 2H2O( l ) + O2( g )

água de chuva é m = 2,0.1012 g . b) Comparando os experimento B e C, percebemos que quando a


Dessa forma, o número de mols de chuva é dado por: concentração [H 2O 2 ] diminui pela metade (de 0,500 a 0,250 mol ⋅ L-1),
a velocidade da reação também cai a metade (1,830 a 0,915 mol ⋅ L-
m 2,0.1012 (g) 1
⋅ s-1). Desta forma, a reação em questão deve ser de primeira ordem
n= = = 1,1⋅1011mols
M 18(g.mol−1 ) em relação ao peróxido de hidrogênio.
Caso quiséssemos encontrar este número algebricamente,
A energia liberada pela precipitação da chuva, a 25°C, é:
poderíamos escrever, levando em conta que v i = k ⋅ [H2O2 ]i :
α

−1
E = n ⋅ ΔHvap = 1,1⋅ 10 mol ⋅ 44(kJ ⋅ mol ) ⇒ E = 4,8 ⋅ 10 J .
11 15
⎧⎪1,830.10−3 = k ⋅ 0,500α
⎨ −3 α
b) A temperatura de ebulição se relaciona diretamente com a ⎪⎩0,915.10 = k ⋅ 0,250
intensidade das forças de interação intermolecular. Dos calcogenetos Dividindo a primeira equação pela segunda, temos que:
2 = ( 2) ⇔ α = 1
α
listados, o H2O é o único que realiza ligações de hidrogênio, enquanto
que os outros calcogenetos apresentam forças de interação dipolo-
dipolo permanente. As ligações de hidrogênios são mais intensas do Confirmando que a reação é de primeira ordem.
que os outros tipos de interação intermolecuar, o que justifica a maior c) A lei de velocidade da reação é definida pela etapa lenta do
temperatura de ebulição existente no caso da H2O . processo. Como uma etapa é por definição um processo elementar
envolvido numa reação temos que:
c) A elevada temperatura de ebulição da H2O reflete a grande
quantidade de energia que deve ser utilizada para se retirar a água do Etapa lenta
estado líquido (de menor energia), onde ela está estabilizada pelas
H2O2( aq ) + I(−aq ) ⎯⎯→ H2O( l ) + IO(−aq ) ⇒ v = k ⋅ ⎣⎡H2O2( aq ) ⎦⎤ . ⎡⎣I(−aq ) ⎤⎦
ligações de hidrogênio e levá-la ao estado gasoso (de maior energia),
onde estas ligações de hidrogênio não existem.
Na precipitação pluviométrica, este processo ocorre no sentido Porém, como o catalisador não é consumido na reação, sua
inverso, uma grande quantidade de energia é liberada, quando a água concentração se mantém constante no processo e pode ser agregado
passa do estado gasoso (mais energético), para o estado líquido na constante de velocidade:
(menos energético). Abaixo segue o diagrama de energia da água no v = k ' ⋅ ⎣⎡H2O2( aq ) ⎦⎤
estado líquido e gasoso:
d) Substituindo os valores do experimento C da tabela na lei de
∆H(kJ.mol-1) velocidade da reação determinada no item c:
−3
0,915 ⋅ 10−3 mol ⋅ L-1 ⋅ s-1 = k ' ⋅ 0,250mol ⋅ L-1 ⇔ k = 3,66 ⋅ 10 s
-1
H2O(g)
e) O íon iodeto ( I−(aq) ) é o catalisador da reação. O catalisador
44 aumenta a velocidade da reação sem ser consumido no processo.

H2O(l)

QUESTÃO 30
Velocidades iniciais ( vi ) de decomposição de peróxido de hidrogênio
foram determinadas em três experimentos (A, B e C), conduzidos na
presença de I − (aq) sob as mesmas condições,mas diferentes
concentrações iniciais de peróxido ( [ H 2O 2 ] i ),de acordo com os dados
abaixo:
Experimentos [H2O 2 ]I (mol ⋅ L-1) v I (10 −3 mol ⋅ L-1 ⋅ s-1)
A 0,750 2,745
B 0,500 1,830
C 0,250 0,915
________________________________________________________
Com base nestes dados, para a reação de decomposição do peróxido
de hidrogênio:
a) escreva a equação estequiométrica que representa a reação.
b) indique a ordem desta reação.
c) escreva a lei de velocidade da reação
d) determine o valor numérico da constante de velocidade, k.
e) indique a função do I − (aq) na equação.
Resolução
a) A reação de decomposição do peróxido de hidrogênio (H2O2)
catalisada pelo íon iodeto (I- (aq)) é:
2H2O2( aq ) ⎯⎯→ 2H2O( l ) + O2( g )

Nota: Na verdade, esta é a equação global. A reação catalisada


ocorre em duas etapas, sendo a primeira a etapa lenta da reação
(lembrando que a etapa lenta é aquela que irá determinar a velocidade
da reação).

10
OS MELHORES GABARITOS DA INTERNET: www.elitecampinas.com.br
(19) 3251-1012 O ELITE RESOLVE ITA 2014 - MATEMÁTICA

Equipe desta resolução

Química
José Roberto Migliato Filho
Roberto Bineli Muterle
Thiago Inácio Barros Lopes
Lucas dos Santos Vargette

Revisão
Daniel Simões Santos Cecílio
Edson Vilela Gadbem
Eliel Barbosa da Silva
Fabiano Gonçalves Lopes
Marcelo Duarte Rodrigues Cecchino Zabani

Digitação, Diagramação e Publicação


Allan Cavalcanti de Moura
Patrícia Beijinho Teixeira
Luiz André Mazzarid