Vous êtes sur la page 1sur 6

Circuitos Polifásicos

Análise de um Circuito Trifásico com Configuração Y − Y

Daniele Martinez, Fabiana Lagoas, Robison Gomes, Haiglan Plotzki, João Nizer e Allan Chagas
Alunos do curso de Engenharia Elétrica
Universidade Federal do Pampa
Avenida Tiarajú, 810, Bairro Ibirapuitã - CEP 97546-550
Alegrete - RS - Brasil
Email: {danielemartinez88, fabylora, robisongomes, haiglan, joao nizer, allan chagas 2006}@hotmail.com

Resumo — Este artigo visa propor a análise das formas se um apêndice com algumas formas de ondas extras obtidas
de onda em um circuito polifásico. É realizada a montagem no osciloscópio durante a execução do experimento.
de um circuito trifásico composto por três transformadores
com multiplos enrolamentos secundários e cargas puramente II. D ESENVOLVIMENTO T E ÓRICO
resistivas, sendo a fonte e as cargas organizadas por uma ligação
Y-Y. As formas de onda do circuito são obtidas com auxı́lio de A. Circuitos polifásicos
um osciloscópio e posteriormente comparadas com as formas de
onda correspondentes resultantes da simulação do circuito em Para a utilização da energia elétrica é necessário sua trans-
software. missão, desde as usinas geradoras aos centros de consumo, e
posteriormente sua distribuição aos consumidores individuais.
Palavras-Chave — circuitos trifásicos, defasagem angular, Por razões econômicas essas transmissões se fazem com
transformadores, configuração Y-Y; a utilização de redes dotadas de uma simetria especial, as
redes polifásicas. Nestas redes os geradores fornecem tensões
Abstract — This article aims to propose an analysis of
senoidais com frequências e defasagens bem determinadas.
waveforms in a polyphase circuit. It held an assembly of
three-phase circuit consisting of three transformers with Um sistema de n grandezas alternativas senoidais (correntes
multiple secondary windings and purely resistive loads, and ou tensões) constitui um sistema polifásico simétrico com
the source and load are connected by a Y-Y configuration. The n fases. Se estas grandezas tiverem a mesma amplitude,
voltage waveforms of the circuit are obtained with the aid of frequência e forem defasadas sucessivamente de 2π n pode ser
an oscilloscope and later compared with the corresponding
waveforms resulting from the circuit simulation software.
considerado um sistema polifásico simétrico de fases, como
demonstrado em (1):
Index Terms — three-phase circuits, lag angle, transformers, 
Y-Y configuration; 1
 √ ,n = 0


rN (1)
2
, otherwise


I. I NTRODUÇ ÃO

N
A compreensão de circuitos polifásicos é de fundamental Utilizando fasores o sistema demonstrado em (1) é repre-
importância no estudo e análise de circuitos elétricos, princi- sentado por:
palmente pelo fato de que praticamente toda energia elétrica é 
gerada por fontes polifásicas, tanto por questões econômicas e 
 F̂1 (x) = A∠0o
 o
de rendimento[1]. Neste artigo encontra-se uma breve análise F̂2 (x) = A∠ 360

n (2)
experimental de um circuito trifásico, que é um dos mais  :
 o
comuns sistemas polifásicos, composto por cargas resistivas 

F̂n (x) = A∠ 360 ·(n−1)
n
e transformadores com múltiplos enrolamentos secundários
conectados através de uma configuração Y-Y[2]. Estas expressões só têm validade para n ≥ 3. Se n =
São utilizados também alguns conceitos de circuitos magne- 3 teremos um sistema trifásico. São também empregados
ticamente acoplados, principalmente com relação a referência sistemas hexafásicos ou mesmo dodecafásicos , embora isso
de polaridade dos enrolamentos, que foram de fundamental seja mais raro[3].
importância para a explicação da possı́vel diferença entre os Os sistemas polifásicos podem ser representados por formas
ângulos da tensões aplicadas sobre as cargas resistivas. de ondas senoidais e por diagramas fasoriais, bem como
O trabalho esta composto por um desenvolvimento teórico representado nas figuras 1(a) e 1(b):
com os principais fundamentos para a compreensão do mesmo,
a descrição metodológica do experimento, resultados experi- B. Sequência de Fases
mentais, análise em software do circuito proposto, algumas Sequencia de fases de um sistema polifásico é a ordem pela
conclusões e a bibliografia correspondente. Por fim encontra- qual as tensões passam pelo seu valor máximo. Em um sistema
(a) (b)

Fig. 1. Tensões trifásicas (a) variando no tempo, (b) representação fasorial.

de n fases, a quantidade possı́vel de sequencias de fase é obtida


por:
n! Fig. 3. Formas de Onda — V3 — Tensão de Referência.
= (n − 1)! (3)
n
III. M ETODOLOGIA
Inicialmente montamos o circuito trifásico demonstrado figure[h]
na figura 2. Com os valores dos resistores especifica-
dos em R = 4, 7Ω e suas tensão V1,2,3 = Vprim = 220V e
Vsec,tri = 6V .

Diagrama Fasorial para V1 ,


V2 e V3
Na segunda etapa obteve-se as formas de onda para V3 ,
Va , Vb e Vc demonstradas na figura 5. Utilizando as funções
de medição disponı́veis no menu measures do osciloscópio,
e mantendo V3 como referência, determinou-se a defasagem
angular das tensões Va,b,c . Estes dados estão apresentados na
Fig. 2. Circuito Trifásico Proposto. tabela I.
TABELA I
Após a montagem o circuito foi energizado e utilizando
T ENS ÃO RMS E D EFASAGEM Â NGULAR — V3 , Va , Vb E Vc
um osciloscopio efetuou-se as medições das tensões RMS
aplicadas em cada resistor e a defasagem angular entre a tensão
de fase referêncial e as tensões nos resistores. Tensão RMS (V) Ângulo
O circuito foi alimentado pela rede trifásica disponı́vel na V3 111.420 1.07463o
bancada de experimentação, com VRM S = 380V entre fases Va 6.38904 238.567o
e frequência f = 60Hz, sendo a tensão de fase linha-neutro Vb 6.38984 119.284o
correspondente a tensão especificada de 220V . Vc 6.3241 0o

IV. R ESULTADOS E XPERIMENTAIS


Na primeira etapa obteve-se a forma de onda para V3 onde É importante ressaltar que a frequência normalmente conhe-
esta fora utilizada para a referência do trigger do osciloscópio cida como sendo 60HZ pode ser comprovada pela frequência
como demonstrado na figura 3. aferida no oscilocópio para a forma de onde de V3 .
Tomando como referência a fase V3 e consequentemente Posteriormente obteve-se as formas de onda para V3 , Vd ,
defasando as fases V1 e V2 em múltiplos de 120o , que Ve e Vf demonstradas na figura 6 e novamente com o auxı́lio
fora demosnstrado pela euqação 2 como sendo a defasagem do osciloscópio, foi possı́vel determinar a defasagem angular
correspondente entre às fases de um sistema trifásico, obtêm-se das tensões Vd,e,f , esses dados são apresentados na tabela II.
o diagrama fasorial para as fases no primário do transformador, A seguir é apresentada a etapa final onde fora traçado os
como demonstra a figura 4. diagramas fasoriais para Va , Vb , Vc , Vd , Ve e Vf (figura 7)
Fig. 4. Formas de Onda — V3 (vermelho)1:1 , Va (azul)10:1, Vb (rosa)10:1 Fig. 6. Diagrama Fasorial — V3 , Va,b,c e Vd,e,f .
e Vc (verde)10:1.

TABELA II
T ENS ÃO RMS E D EFASAGEM Â NGULAR — V3 , Vd , Ve E Vf comparar os resultado obtidos experimentalmente.
Para se realizar a simulação adotamos transformadores
ideais e um único valor de resistência em cada secundário
Tensão RMS (V) Ângulo
dos transformadores, visto que o circuito proposto apresentava
V3 112.307 -2.16867o duas resistências em paralelo, e por se tratarem de cargas
Vd 6.59120 60.7229o puramente resistivas as mesmas não alteram as formas de
Ve 6.57131 301.446o onda, contudo o fator de transformação proposto inicialmente
Vf 6.52624 181.084o no experimento foi respeitado, ou seja, foram aplicados sobre
cada resistor a tensão especificada de Vrms = 6V .
Na simulação foi observado que o circuito teve compor-
tamento semelhante ao da prática, como pode-se comprovar
comparando as figuras 5 e 8, obtidas respectivamente pelo
osciloscópio e na simulação.

Fig. 5. Formas de Onda — V3 (vermelho)1:1 , Vd (azul)10:1, Ve (rosa)10:1


e Vf (verde)10:1.

Fig. 7. Formas de Onda — V3 , Va , Vb e Vc — Simulação PSIM.

com base nos dados obtidos anteriormente e utilizando como Para se calcular a defasagem angular entre duas ondas de
referência o ângulo de V3 . mesmo perı́odo utiliza-se a seguinte fórmula:
É notável que as tensão aferidas para V3 possuı́am metade
do valor especificado no inı́cio do experimento, isso se deve 2π∆t
θ= (4)
que por limitações das ponteiras do osciloscópio adotou-se T
aferir metade da tensão de entrada, isso foi possı́vel devido Onde:
a disponibilidade de um born auxiliar no primário do trans- θ = ângulo de defasagem;
formador, onde fora possı́vel obter metade da tensão de fase ∆t = diferença de tempo em que as ondas cortam o eixo
sendo esta a aferida pelo osciloscópio. das abscissas;
T = Perı́odo das ondas.
V. S IMULAÇ ÃO EM S OFTWARE
Para efeitos de comparação fora realizado uma simulação, Pela fórmula (5):
no software PSIM, do circuito proposto (figura 2), afim de T = 1/f (5)
E com a frequência da fonte sendo 60Hz, aferido durante
a parte experimental, tem-se que:
T = 16.6667ms
Realizando análise dos resultados da simulação transiente
no PSIM encontrou-se os seguintes valores para ∆t (tendo
como referência a tensão de V3 ):
∆tVa = 16.61ms
∆tVb = 5.559ms
∆tVb = 11.09ms
Substituindo estes valores na equação (4) obtêm-se os
seguintes valores para os ângulos das tensões Va,b,c :
θVa = 6.26rad = −1.18o
θVb = 2.09rad = 120.07o
θVc = 4.18rad = 239.54o
Nota-se que estes valores encontram-se também defasados
de 120o entre sı́ e correspondem com os valores obtidos para
Va,b,c durante a realização do experimento.
Por fim os ângulos de fase de Vd , Ve e Vf são, respectiva-
mente, iguais aos valores de Va , Vb e Vc , visto que os resistores
estão em paralelo, sendo assim possuem a mesma onda de
tesão aplicada. Entretanto como no experimento fora utilizado
um transformador com múltiplos enrolamentos secundários
e considerando a regra dos pontos[4] (verificar pontos no
circuito proposto figura 2) o sentido das correntes em Rd,e,f
são contrárias ao sentido das correntes que passam pelos
resistores Ra,b,c , ou seja, possuem um acréscimo de 180o .

VI. C ONCLUS ÃO


Pode-se comprovar o comportamento das formas de onda
das tensões em circuitos trifásicos, onde estas se demonstram
estar igualmente defasadas por 120o entri sı́. Analisando os
diagramas fasoriais fora possı́vel verificar o sentido contrário
das correntes em Rd,e,f em relação as de Ra,b,c , isso devido
o sentido do enrolamento de cada uma das bobinas nas saı́das
secundárias do transformador serem contrários.
Através da análise em software também se comprovou os
valores das defasagens angulares que foram coerentes com os
estimados durante o experimento.
Fora possı́vel também conhecer de uma forma mais clara o
comportamento da tensão aplicada em cargas em um circuito
composto por uma configuração Y − Y .

R EFER ÊNCIAS
[1] D. E. Johnson, et al, “Fundamentos de Análise de Circuitos Elétricos”;
tradução Onofre de A. Martins, Marco M. de Santis, 4a ed., LTC, 1994.
[2] R. Carreira e P. Fonseca. “Tipos e Aplicações dos Transformadores”
Internet: http://www.ufrgs.br/eng04030/aulas/teoria/cap 13/tiaptran.htm,
Feb. 18, 1999 [Dec. 4, 2011].
[3] L. Q. Orsini, “Circuitos Elétricos”, 1a ed, Edgard Blucher Ltda, São Paulo,
1971.
[4] C. K. Alexander e M. N. O. Sadiku, “Circuitos Acoplados Magnetica-
mente”em Fundamentos de Circuitos Elétricos, 1a ed. São Paulo - SP,
Brasil: Bookamn, 2000, cap. 13, pp. 478–480.
A P ÊNDICE
A seguir são apresentadas imagens extras utilizadas durante o experimento obtidas através do osciloscópio.

Fig. 8. Forma de onda das tensões V3 e Va — V3RM S = 111.42V , VaRM S = 6.38904 e θVa = 238.567o .

Fig. 9. Forma de onda das tensões V3 e Vb — V3RM S = 111.42V , VbRM S = 6.38984 e θVb = 119.284o .

Fig. 10. Forma de onda das tensões V3 e Vc — V3RM S = 111.42V , VcRM S = 6.3241 e θVc = 0o .
Fig. 11. Forma de onda das tensões V3 e Vd — V3RM S = 112.307V , VdRM S = 6.5912 e θVd = 60.7229o .

Fig. 12. Forma de onda das tensões V3 e Ve — V3RM S = 112.307V , VeRM S = 6.57131 e θVe = 301.446o .

Fig. 13. Forma de onda das tensões V3 e Vf — V3RM S = 112.307V , VfRM S = 6.52624 e θVf = 181.084o .