Vous êtes sur la page 1sur 45

Lógica e

Criatividade
SEST – Serviço Social do Transporte
SENAT – Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte

Curso on-line – Lógica e Criatividade– Brasília:


Sest/Senat, 2016.

44 p. : il. – (EaD)

1. Criatividade. 2. Inovação. I. Serviço Social do


Transporte. II. Serviço Nacional de Aprendizagem
do Transporte. III. Título.
CDU 005.591.6

Fale Conosco
0800 728 2891

ead.sestsenat.org.br
Sumário
Apresentação 4

Unidade 1 | Definições 5

1. O Que É Lógica? 6

2. O Que É Criatividade? 7

Glossário 10

Atividades 11

Referências 12

Unidade 2 | O Raciocínio Humano 13

1. O Raciocínio Humano 14

Glossário 19

Atividades 20

Referências 21

Unidade 3 | Como Desenvolver a Lógica e a Criatividade 22

1. Desenvolvendo a Lógica 23

2. Desenvolvendo a Criatividade 25

Respostas dos exercícios 30

Glossário 31

Atividades 32

Referências 33

Unidade 4 | Como Aplicar a Criatividade e a Lógica na


Vida Pessoal e Profissional 34

1. A Criatividade e a Lógica na Vida Pessoal e Profissional 35

Glossário 40

Atividades 41

Referências 42

Gabarito 43

3
Apresentação

Prezado(a) aluno(a),

Seja bem-vindo(a) ao curso Lógica e Criatividade!

Neste curso, você encontrará conceitos, situações extraídas do cotidiano e, ao final de


cada unidade, atividades para a fixação do conteúdo. No decorrer dos seus estudos,
você verá ícones que tem a finalidade de orientar seus estudos, estruturar o texto e
ajudar na compreensão do conteúdo.

O curso possui carga horária total de 10h e foi organizado em 4 unidades, conforme a
tabela a seguir.

Unidades Carga Horária

1 – Definições 2 horas

2 – O Raciocínio Humano 2 horas

3 – Como Desenvolver a Lógica e a


3 horas
Criatividade

4 – Como Aplicar a Criatividade e a


3 horas
Lógica na Vida Pessoal e Profissional

Fique atento! Para concluir o curso, você precisa:

a) navegar por todos os conteúdos e realizar todas as atividades previstas nas


“Aulas Interativas”;

b) responder à “Avaliação final” e obter nota mínima igual ou superior a 60;

c) responder à “Avaliação de Reação”; e

d) acessar o “Ambiente do Aluno” e emitir o seu certificado.

Este curso é autoinstrucional, ou seja, sem acompanhamento de tutor. Em caso de


dúvidas, entre em contato por e-mail no endereço eletrônico suporteead@sestsenat.
org.br ou pelo telefone 0800 72 82 891.

Bons estudos!

4
UNIDADE 1 | DEFINIÇÕES

5
1. O Que É Lógica?

A palavra lógica deriva do grego


Logos, que significa razão, e é um
dos campos da Filosofia. Na verdade,
é a disciplina que nos introduz ao
estudo da Filosofia, pois lida com
raciocínio e argumento (discussão e
argumentação), que fazem parte do
estudo da filosofia.

Podemos defini-la como a parte


da filosofia que trata das formas
do pensamento, de como ele é
estruturado e como determina o que
é verdadeiro ou não.

Para compreender melhor, vamos analisar o seguinte raciocínio:

• Premissa 1: Todos os homens são mortais.

• Premissa 2: Pedro é um homem.

• Conclusão: Portanto, Pedro é mortal.

Este é um raciocínio lógico. As duas primeiras frases são chamadas de premissas


(pontos de partida, ideias iniciais de um raciocínio) e a última frase é a conclusão. Os
fatos apresentados (“Todos os homens são mortais” e “Pedro é um homem”) são as
evidências que permitem chegar à conclusão de que “Pedro é mortal”. As premissas
(as ideias iniciais) é que dão sustentação para a conclusão. Isso é importante quando
se argumenta algo. É preciso ter fatos verdadeiros para sustentar os argumentos e a
lógica é usada para confirmar se uma sentença é verdadeira ou não. Desse modo, é
uma ferramenta útil para justificar, argumentar ou confirmar alguns raciocínios.

6
Aristóteles é considerado o primeiro filósofo a ter escrito um

ee
tratado sobre lógica. Ele estruturou a argumentação por meio
de silogismos.

Silogismo é um raciocínio que demonstra se uma conclusão é


válida, se usa premissas verdadeiras e se os argumentos
permitem chegar à verdade. Por exemplo:

• Premissa 1: Todo homem é mortal.

• Premissa 2: Sócrates é um homem.

• Conclusão: Portanto, Sócrates é mortal.

No entanto, muitas vezes cometemos falácias (raciocínios falsos que simulam a


verdade). A falácia expressa um argumento que não é válido, mas que aparenta ser
válido e verdadeiro. Por exemplo:

• Premissa 1: Biscoitos são feitos de água e sal.

• Premissa 2: O mar é feito de água e sal.

• Conclusão: Portanto, o mar é um grande biscoito.

A falácia usa elementos de duplo sentido e ambíguos. Às vezes apela para a emoção
ou utiliza argumentos fora de um contexto.

2. O Que É Criatividade?

Pode-se dizer que criatividade é a capacidade humana de criar, inventar, inovar.

Está diretamente relacionada a inteligência e talento, natos ou adquiridos, para criar,


inventar e inovar em todos os campos da ação humana.

Existem cinco tipos de criatividade, segundo Taylor (1976):

7
1. Criatividade expressiva, em que a pessoa tem inteira liberdade de expressar
os seus sentimentos, de modo criativo. Interessa mais a catarse emocional do
ato do que propriamente a criação obtida. O desenho livre, a expressão verbal,
a improvisação dramática e outras atividades semelhantes, situam-se neste
âmbito;

2. Criatividade produtiva, em que a criação está restrita a certas condições


metodológicas, de tempo e de economia. Interessa mais a produção da obra que
a expressão ou as suas características artísticas. A investigação científica é um
exemplo deste tipo;

3. Criatividade inventiva, em que se unem as características expressivas e produtivas


para se obterem invenções totalmente inéditas, por vezes completamente
inesperadas. As grandes invenções, como por exemplo a lâmpada elétrica, o
telefone, ou a televisão, entre outras;

4. Criatividade inovadora, que se refere a modificações revolucionárias num campo


específico de estudos, das ciências ou das artes, trazendo novas perspectivas.
Mais do que a criação de obras, trata-se da transformação criativa de teorias e
concepções. Einstein é um bom exemplo deste tipo de criatividade;

5. Criatividade emergente, só conseguida pelos gênios, que conseguem fazer da


criatividade um hábito quotidiano. Leonardo Da Vinci, Camões e Mozart podem
ser apontados como exemplos, por possuírem uma extrema facilidade criativa,
quase que constante, natural e espontânea.

Ser criativo é saber ir além dos limites e dar respostas diferentes para estímulos iguais.
É pensar “fora da caixa”.

E como é possível ir além dos limites?

Quando alimentamos nosso cérebro


com vários tipos de informações e
conhecimentos, vindos de diferentes
culturas e linguagens (dança,
música, literatura, artes visuais, etc.),
permitimos que ele tenha “munição”
para estabelecer muitas e variadas

8
associações de ideias. Quanto maior variedade de dados tivermos, maior será a
possibilidade de associações e conexões entre eles (muitas até incomuns). Dessa
forma, nosso potencial criativo se potencializa.

E o que isso tudo tem a ver com você?

ee Lógica e criatividade são dois lados de uma mesma moeda. A


lógica nos ajuda a organizar as ideias e a entender melhor o
mundo. É a ferramenta que usamos quando queremos defender
nossas ideias. Por tudo isso, a lógica é fundamental para resolver
problemas.

A criatividade vai além. Uma pessoa criativa utiliza a lógica para


pensar de outra forma, buscando soluções que a maioria das
pessoas não apresentaria. É a criatividade que permite encontrar
o novo, o diferente.

As empresas valorizam o pensamento organizado pela lógica.


Mas valorizam, sem dúvida, a ousadia criativa. E você sabe quem
é mais valorizado, no final das contas: quem aprende a entender
os problemas e a propor soluções criativas para eles. Quem sabe
unir lógica e criatividade! E qual é o caminho para isso? É o que
vamos ver a partir de agora!

Agora é com você!

As falácias são muito mais comuns do que supomos e estão presentes em


todos os campos de atuação humana, veiculadas em conversas, discursos,
propagandas etc. Acesse o link abaixo e conheça um pouco mais sobre
falácias. Veja se você consegue reconhecer algumas e saiba como identificá-
las e evitá-las.

http://pucrs.br/gpt/falacias.php

9
Você acaba de concluir o conteúdo desta unidade. Agora, você pode
prosseguir para testar o que já aprendeu até este momento e, na
sequência, avançar em seus estudos até finalizar os tópicos deste curso.
Mãos à obra!

Glossário

Ambíguo: que pode ter diferentes sentidos, que desperta dúvida.

Argumento: raciocínio que conduz a uma dedução ou conclusão.

Catarse: libertação, expulsão ou purgação do que é estranho à essência ou à natureza


de um ser e que, por isso, o corrompe.

Inerente: característica essencial de alguém ou de algo.

Premissa: ponto de partida, ideia inicial de um raciocínio.

Tratado: estudo formal e científico, de caráter acadêmico.

10
Atividades

1) Pode-se dizer que criatividade é:

dd a. ( ) A capacidade humana de criar, inventar, inovar.

b. ( ) Um potencial que nasce com o ser humano e permanece


latente.

c. ( ) A capacidade de criação associada a conhecimentos


acadêmicos

2) A partir do que foi apresentado no material, pode-se dizer


que uma falácia é:

a. ( ) Um raciocínio que sempre demonstra a validade de uma


conclusão

b. ( ) Um raciocínio falso que simula a verdade

c. ( ) Um ponto de partida, ideia inicial de um raciocínio

3) Segundo o que foi apresentado nessa unidade, lógica é:

a. ( ) a disciplina que introduz ao estudo da filosofia

b. ( ) a disciplina que lida com discussão e argumentação

c. ( ) Todas as alternativas anteriores

11
Referências

FNDE. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Portal do Governo Brasileiro,


2016. Raciocínio lógico. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/programas/dinheiro-
direto-escola/dinheiro-direto-escola-consultas/item/4080-item-01>. Acesso em: 27
set. 2016.

DANTAS, Gabriela Cabral Da Silva. O que é lógica? Portal Brasil Escola, 2016. Disponível
em: <http://brasilescola.uol.com.br/filosofia/o-que-logica.htm>. Acesso em: 27 set.
2016.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e Processos de Criação. 9. ed. Petrópolis: Vozes,1993.

RAMOS, Fábio Pestana. Introdução à lógica aristotélica. Para entender a história...


Blog, 2011. Disponível em: <http://fabiopestanaramos.blogspot.com.br/2011/10/
introducao-logica-aristotelica.html>. Acesso em: 27 set. 2016.

STRECKER, Heidi. Lógica – Introdução: Uma porta ao mundo da filosofia e da ciência.


Pedagogia e Comunicação, UOL educação Pesquisa Escolar, 2005. Disponível em:
<http://tinyurl.com/hbufrjk>. Acesso em: 27 set. 2016.

TAYLOR, C. W. Criatividade: Progresso e Potencial. 2. ed. São Paulo: Ibrasa, 1976. In:
MARTINS, José Alberto Lourenço Gonçalves. Metacognição, Criatividade e Emoção
na Educação Visual e Tecnológica: Contributos e orientações para a formação de
alunos com sucesso. Tese de doutorado da Universidade do Minho, Portugal, 2009.
Disponível em: <http://tinyurl.com/zbcd2f4>. Acesso em: 27 set. 2016.

12
UNIDADE 2 | O RACIOCÍNIO
HUMANO

13
1. O Raciocínio Humano

Raciocínio é a capacidade de resolver


problemas simples e complexos,
de ordem tanto intelectual como
prática, de situações cotidianas, e
se caracteriza por permitir ao ser
humano (ANDRIOLA, 1999):

• Identificar os elementos de uma


tarefa ou problema;


Retirar conclusões lógicas
da informação fornecida e
processada;

• Compreender a sua formulação;

• Conceber formas alternativas de resolução;

• Avaliar diferentes alternativas de resolução;

• Avaliar a adequação da resposta dada ao problema, considerando a especificidade


da situação e suas consequências.

O raciocínio lógico (visto na unidade 1) divide-se em três tipos: dedução, indução e


abdução (FNDE, 2016).

• Dedução corresponde a determinar uma conclusão. Utiliza-se da regra e sua


premissa para chegar a uma conclusão. Exemplo: “Quando chove, a grama fica
molhada. Choveu hoje. Portanto, a grama está molhada.” É comum associar os
matemáticos com este tipo de raciocínio.

• Indução é determinar a regra. É identificar a regra do raciocínio a partir de


exemplos. É entender como a conclusão está relacionada com a premissa.
Exemplo: “A grama ficou molhada todas as vezes em que choveu. Então, se chover
amanhã, a grama ficará molhada.” É comum associar os cientistas com este estilo
de raciocínio.

14
• Abdução significa determinar a premissa. Usa-se a conclusão e a regra para
defender que a premissa poderia explicar a conclusão. Exemplo: “Quando chove,
a grama fica molhada. A grama está molhada, então pode ter chovido.” Associa-
se este tipo de raciocínio aos detetives.

Além do raciocínio lógico, existem também:

• Raciocínio verbal: capacidade de perceber e estruturar elementos verbais e de


raciocinar a partir de conteúdos verbais, estabelecendo entre eles relações de
classificação, ordenação, relação e significados.

• Raciocínio espacial: aptidão para criar e manipular representações mentais


visuais. Está relacionada com a capacidade de visualizar e de raciocinar em três
dimensões.

• Raciocínio abstrato: raciocínio responsável pelo pensamento abstrato e a


capacidade para determinar ligações abstratas entre conceitos por meio de
ideias inovadoras.

Em alguns editais de provas para concursos e testes de admissão, esses termos


podem aparecer com outros nomes: raciocínio lógico-matemático, raciocínio crítico,
raciocínio numérico, raciocínio sequencial etc., eles são formas diferentes de se referir
às capacidades de raciocinar, ou seja, identificar, argumentar, avaliar, concluir a partir
de números, imagens, palavras, etc.

Veja, por exemplo, um teste que avalia o raciocínio abstrato. Ele tem por objetivo
avaliar a capacidade de estabelecer relações abstratas em situações novas, quando se
tem pouco conhecimento da situação.

(A) (B)

?
(C) (D)
1 2 3 4 5

15
Para resolvê-lo, é necessário compreender qual é a relação que existe entre as figuras
para poder escolher a que virá na sequência.

Percebe-se, ao analisar a sequência inicial de figuras, que há uma relação de tamanho:


triângulo grande → triângulo pequeno.

Na linha seguinte, há um quadrado grande, que deve ser seguido de um quadrado


pequeno. Portanto, a alternativa 3 é a correta.

Você reparou que, apesar de ser nomeado como um teste de raciocínio abstrato, ele
avalia nossa capacidade lógica?

Esse teste foi fácil. Que tal mais um?

Agora, um teste de raciocínio numérico. Vamos começar com um bem simples.

Teste 1

Complete a sequência numérica: 1 3 5 7 9 ? ?

Antes de tudo, é preciso compreender a lógica da sequência de números.

Percebe-se que os números aumentam de 2 em 2 a partir do 1:

1 (+ 2=) 3 (+ 2 =) 5 (+ 2 =) 7 (+ 2 =) 9 (+ 2 = ) 11 (+ 2 =) 13

Portanto, os números que completam a sequência são 11 e 13.

Teste 2

Complete a sequência numérica: 1 2 4 8 16 ? ?

A lógica aqui é que cada número é seguido pelo seu dobro.

2 é o dobro de 1

4 é o dobro de 2

16
8 é o dobro de 4

16 é o dobro de 8...

Regra: cada número é seguido pelo seu dobro.

Portanto, os números da sequência são 32 (o dobro de 16) e 64 (o dobro de 32).

Repare que, para resolver os testes, aplicamos a lógica. Usamos a dedução e a indução.
Utilizamos uma premissa, compreendemos a regra e chegamos a uma conclusão que
nos possibilitou resolver os problemas propostos.

aa
O cérebro está dividido em quatro áreas, os lobos. Cada lobo é
responsável por diferentes funções:

Lobo frontal: responsável pela coordenação motora e pelos


movimentos, pelo pensamento abstrato, pela linguagem, pela
escrita e pela fala.

Lobo temporal: responsável pela audição, pela memória, pela


compreensão da linguagem e pela atenção.

Lobo parietal: responsável pelas sensações percebidas por meio


do tato (como o reconhecimento de objetos) e do paladar, bem
como pelas sensações de dor.

17
Lobo occipital: responsável pela visão e pela interpretação dos
estímulos visuais.

As áreas do cérebro que estão mais relacionadas com o raciocínio são o lobo frontal
e o temporal. É por meio deles que conseguimos identificar, compreender, perceber,
deduzir, avaliar, concluir e solucionar problemas.

Agora é com você!

Veja mais testes de raciocínio lógico (abstrato) no link a seguir.

Os testes possuem explicações e respostas que ajudam a compreender a


lógica por trás das regras. Porém, veja se você consegue compreender as
regras antes de olhar as respostas. Já é um bom treino para desenvolver
sua capacidade de raciocinar. Divirta-se!

http://manual-do-psicotecnico.blogspot.com.br/p/bpr-5-ra-raciocinio-
abstrato.html

Ótimo, você acaba de finalizar a unidade e está apto a testar seus


conhecimentos nas questões referentes a ela. Prossiga em seus estudos
para concluir o restante de seu curso.

18
Glossário

Abdução: modo de argumentar em que a premissa maior é evidente, mas a menor e a


conclusão são apenas prováveis.

Dedução: conclusão.

Elementos verbais: elementos utilizados na linguagem verbal, como a escrita e a fala.

Indução: raciocínio que se serve de indícios para chegar a uma causa.

Pensamento abstrato: pensar sobre coisas que ainda não são conhecidas ou que não
são concretas.

Representações mentais visuais: imagens produzidas na mente.

19
Atividades

1) Pode-se definir raciocínio como:

dd a. ( ) A capacidade de avaliar diferentes alternativas de


resolução de problemas

b. ( ) A capacidade de resolver problemas simples e complexos,


tanto de ordem intelectual como de situações cotidianas

c. ( ) A capacidade de identificar elementos de uma tarefa

2) Os três tipos de raciocínio lógico são:

a. ( ) Dedução, indução e abdução

b. ( ) Verbal, espacial e abstrato

c. ( ) Dedutivo, verbal, indutivo

3) É responsável pelo pensamento abstrato e a capacidade


para determinar ligações abstratas entre conceitos através
de ideias inovadoras.

a. ( ) Raciocínio lógico

b. ( ) Raciocínio abstrato

c. ( ) Raciocínio espacial

20
Referências

ANDRADE, Júnia. Raciocínio Crítico Verbal. Redação para Concursos – Editora Ferreira.
Rio de Janeiro, [s.d.]. Disponível em: <http://tinyurl.com/jogax5y>. Acesso em: 27 set.
2016.

ANDRIOLA, Wagner Bandeira; CAVALCANTE, Luanna Rodrigues. Avaliação do raciocínio


abstrato em estudantes do ensino médio. Revista Estudos de Psicologia, v. 4, n. 1, jun.
1999. Disponível em: <http://tinyurl.com/z6efwsq>. Acesso em: 27 set. 2016.

MANUAL DO PSICOTÉCNICO. Tutoriais sobre exames de RH e concursos. Blog, 2016.


Disponível em: <http://tinyurl.com/znectml>. Acesso em: 27 set. 2016.

OLIVEIRA, Marcelo. Lobos cerebrais. Portal InfoEscola, 2016. Disponível em: <http://
tinyurl.com/z68kmq7>. Acesso em: 27 set. 2016.

PINTO, Marisa. O cérebro humano: conceitos básicos. Blog Psicologia para o Futuro,
2012. Disponível em: <http://tinyurl.com/gp7edfh>. Acesso em: 27 set. 2016.

SIGNIFICADOS. O Que é Raciocínio/Raciocínio Lógico/Tipos de Raciocínio. Portal


da internet Significados, 2016. Disponível em: <http://www.significados.com.br/
raciocinio/>. Acesso em: 27 set. 2016.

21
UNIDADE 3 | COMO
DESENVOLVER A LÓGICA E A
CRIATIVIDADE

22
1. Desenvolvendo a Lógica

Segundo o neurologista Leandro


Teles, “o raciocínio lógico é utilizado
sempre que é preciso resolver um
problema de forma sequencial ou
construir uma argumentação. É o que
envolve menos taxas de erro, por isso
é o tipo mais exigido” (MUNIZ, 2015).

Esse raciocínio faz parte de nosso


cotidiano, mesmo quando não nos
damos conta de que o estamos
utilizando. Por exemplo: ao conferir o troco do supermercado, ao decidir qual caminho
fazer para ir a um determinado lugar e até ao discutir com o colega de trabalho.

É importante exercitar o cérebro constantemente para desenvolver, aprimorar,


melhorar nossa capacidade de raciocinar de forma lógica. Pequenas mudanças
na rotina, por menores que sejam, ajudam a tirar o cérebro da zona de conforto e
promovem novas conexões.

Atividades novas e desafiadoras, como fazer aulas de dança, aprender um novo idioma,
viajar, sentar-se para comer em um lugar diferente da mesa a cada dia, tomar banho
e vestir-se com a luz apagada, ir para casa por um caminho diferente, andar de costas
pela casa... enfim, sair da mesmice, estimulam o raciocínio (MUNIZ, 2015).

A qualidade de vida também tem papel importante no funcionamento do cérebro.


É imprescindível manter o corpo hidratado (ou seja, beba água!). O especialista em
ginástica cerebral, Carlos Maurício Prado, diz que a água é o combustível do cérebro e
avisa que ter uma alimentação balanceada e fazer atividade física também são vitais
(MUNIZ, 2015).

Manter o cérebro ocupado (com leituras, jogos e passatempos) é uma forma eficiente
de desenvolver o raciocínio.

Vamos treinar um pouco? Resolva os exercícios a seguir. Veja as respostas no final da


unidade.

23
Exercício 1 – O que é, o que é?

A. Tem 25 letras e soletra-se com 3 sílabas.

B. Quem fura não segura e quem segura não fura.

C. Tem dente mas não come. Tem barba mas não é homem.

D. Um palácio tem doze damas

Cada dama tem quatro quartos

Todas elas usam meias

E nenhuma usa sapato.

(SOUTO MAIOR, 2002)

Exercício 2 – O mentiroso e o honesto

No final de um corredor
há duas portas, uma azul e
outra vermelha. Atrás de
uma das portas há uma
arca com um valioso
tesouro; atrás da outra
porta há outra arca igual à
primeira que, quando
aberta, libera um gás
venenoso que leva a uma
morte lenta e dolorosa.
Você não tem nenhuma indicação de qual porta abrir. Próximo às portas há
duas pessoas, que sabem o que há atrás das portas. Uma diz sempre a
verdade, a outra mente sempre, mas você não sabe qual é a pessoa honesta
e qual é a mentirosa.

24
As duas pessoas se conhecem, isto é, o mentiroso sabe que outro sempre
diz a verdade e o honesto sabe que o outro sempre mente.

Para saber qual porta escolher, você só tem direito a fazer uma única
pergunta, que pode ser feita a qualquer uma das duas pessoas. Você não
pode fazer a pergunta duas vezes. Qual é esta pergunta e o que fazer
depois de obter a resposta?

Pense.

Pense mais um pouco.

bb
Conheça mais exercícios para a mente como esses! Acesse o
portal Criatividade Aplicada através do link a seguir e divirta-se
aprendendo.

http://criatividadeaplicada.com/2010/06/16/exercite-sua-
mente-o-mentiroso-e-o-honesto/

2. Desenvolvendo a Criatividade

“O homem cria, não apenas porque quer, ou porque gosta, e sim


porque precisa; e ele só pode crescer, enquanto ser humano,
coerentemente, ordenando, dando forma, criando”. (OSTROWER,
1993)

Segundo o pesquisador Mark A. Runco, todas as pessoas têm potencial para serem
criativas, mas nem todas atingem esse potencial por falta de oportunidades de
desenvolvê-lo (OLIVEIRA, 2010).

25
Para ele, e vários outros pesquisadores, a criatividade precisa ser exercitada
constantemente e com persistência. Existem técnicas e estratégias de pensamento
que auxiliam no desenvolvimento do potencial criativo. Mas é preciso deixar de lado
crenças, ideias e valores antigos e ultrapassados para dar lugar ao novo e se permitir
criar e inovar.

aa
Há muitas atividades que ajudam no desenvolvimento do
potencial criativo, entre elas ler muito, assistir a filmes, ir ao
teatro, cinema, exposições de arte, visitar museus, ouvir mais do
que falar, observar mais, fazer palavras-cruzadas, montar
quebra-cabeças... Enfim, buscar novas fontes de informação e
inspiração.

Pessoas criativas normalmente são atentas ao mundo. Observam muito, gostam de


aprender coisas novas, de ter contato com a diversidade, de conhecer diferentes
culturas, diferentes formas de fazer as coisas. Elas armazenam informações e assim
“alimentam” o cérebro, que vai estabelecendo conexões. Diante de uma necessidade,
as informações vêm à tona com múltiplas possibilidades e associações.

Pessoas criativas utilizam muito bem os dois lados do cérebro,

hh
ou seja, o hemisfério direito e o esquerdo.

Claro que, no momento de criar algo, não ficamos pensando em


qual dos hemisférios estamos utilizando, mesmo porque os dois
lados possuem inúmeras conexões e acabam trabalhando em
parceria.

Mesmo assim, é interessante conhecer a maneira pela qual cada


hemisfério participa na elaboração do conjunto de informações
que entram e saem de nossa cabeça.

26
HEMISFÉRIO ESQUERDO HEMISFÉRIO DIREITO
• Trata uma coisa de cada • Ocupa-se mais com a
vez tarefa de integrar muitos
dados ao mesmo tempo
• Processa informações de
forma linear • Trabalha bem com
pensamento ou percepção
• Opera sequencialmente holísticos

• Escreve e analisa • É a sede dos sonhos

• Relaciona ideias • Aloja a consciência


abrangente
• Faz abstrações
• Vê soluções inteiras de
• Divide em categorias
uma só vez
• Entende-se melhor com
• Percebe semelhanças
as coisas da lógica, do
raciocínio, do julgamento e • Opera na base da intuição
da matemática e do insight

• Tem memória verbal • É responsável por


aspectos como a vocação
• É dado ao uso de símbolos
e a capacidade de síntese
e visualização – memória
visual

• Reconhece padrões e tem


facilidade para relacionar
coisas ao momento
presente

Fonte: MARCHIONI, 2007, p. 23-24.

27
Ainda tem mais...

O artigo que você vai ler a seguir foi publicado num jornal americano. Seu autor é
Whitt N. Schultz, profissional de vendas e publicidade, além de um dos fundadores da
Universidade de Buffalo, reconhecida pelos seus cursos de criatividade. Schultz elenca
20 atitudes que ajudam no desenvolvimento da criatividade.

20 maneiras de ser mais criativo e original

1. Saiba que há um tesouro em sua cabeça – uma mina de ouro entre suas
orelhas. Construir um computador com as mesmas características de seu
cérebro custaria bilhões e bilhões de dólares.

2. Todo dia escreva pelo menos uma ideia sobre assuntos de seu interesse
profissional e social.

3. Escreva seus objetivos de vida e carregue sempre a relação no bolso.

4. Faça anotações. Não saia sem papel e lápis ou algo para escrever. Anote
tudo, não confie na memória.

5. Armazene ideias. Classifique-as por assunto em envelopes ou em um


caderno. Ideias para a casa, para aumentar a sua eficiência no trabalho,
para ganhar mais dinheiro. E vá aumentando esse banco de dados por meio
de leituras, viagens, conhecimentos adquiridos com novas pessoas, filmes,
competições esportivas, etc.

6. Observe tudo cuidadosamente. Observe e absorva como se fosse a


última vez que fosse ver.

7. Desenvolva sua curiosidade sobre pessoas, coisas, lugares. Ao falar com


outra pessoa, faça com que ela se sinta importante.

8. Aprenda a ouvir tanto com os olhos quanto com os ouvidos. Perceba o


que não foi dito.

28
9. Descubra novas fontes de ideias por meio de novas amizades, novos
livros, assuntos diversos e até artigos como este.

10. Compreenda primeiro. Julgue depois.

11. Mantenha o sinal verde de sua mente sempre ligado, sempre aberto.

12. Procure ter uma atitude positiva e otimista. Isso ajuda você a realizar
seus objetivos.

13. Escolha uma hora e um lugar para pensar e produzir conhecimentos


novos todos os dias.

14. Enfrente seus problemas de maneira ordenada. A primeira providência


é descobrir qual é realmente o problema. Caso contrário, você não vai achar
a solução. Faça seu subconsciente trabalhar. Fale com alguém sobre a ideia,
não a deixe morrer.

15. Construa grandes ideias. Combine-as. Adapte-as. Modifique-as.


Aumente-as. Diminua-as. Substitua-as. Reorganize-as. E, finalmente, inverta
as ideias que você tem.

16. Evite coisas que enfraqueçam o cérebro – barulho, fadiga, negativismo,


dietas desequilibradas, excessos em geral.

17. Crie grandes metas. Grandes objetivos.

18. Aprenda a fazer perguntas que desenvolvam o cérebro: o que, quem,


quando, onde, como, qual e por quê.

19. Lembre-se de que uma ideia razoável posta em ação é muito melhor
que uma grande ideia arquivada.

20. Use o seu tempo com sabedoria. Lembre-se de que grandes livros e
grandes composições musicais foram criadas no tempo ocioso de seus
criadores.

(MARCHIONI, 2007, pp. 20-22)

29
Agora é com você!

Exercitar o cérebro ajuda no desenvolvimento do raciocínio lógico e


também cria novas conexões, o que é fundamental para uma mente criativa.
Então, vamos exercitar o cérebro!

No link abaixo, há uma série de jogos que mexem com diferentes habilidades
(memória, raciocínio, planejamento, etc.).

Além de melhorar o funcionamento do seu cérebro, você vai se divertir a


valer. Não precisa fazer tudo de uma vez. Faça um pouco por dia.

Exercite seu cérebro!

http://www.cerebronosso.bio.br/exercite-seu-crebro

Muito bem, você concluiu o conteúdo da unidade. Agora, você está apto
para testar seus conhecimentos na bateria de questões sobre ela. Ao
finalizar esta etapa, prossiga em seus estudos.

Respostas dos exercícios

Exercício 1 – O que é, o que é?

A. O ABC (a-be-cê)

B. Agulha

C. Espiga de milho

D. Relógio

30
Exercício 2 – O mentiroso e o honesto

A pergunta a fazer a qualquer uma das duas pessoas: O que a outra pessoa dirá se eu
lhe perguntar qual a porta correta?

Digamos que o tesouro esteja atrás da porta vermelha e o veneno atrás da porta azul.
Se a pergunta for feita à pessoa mentirosa, ela mentirá e responderá que a outra
pessoa indicará a porta azul, a porta errada. Se a pergunta for feita à pessoa honesta,
ela responderá que a outra pessoa indicará a porta azul, a porta errada. Lembre-se de
que as duas pessoas se conhecem.

Em qualquer caso, você obterá a indicação da porta errada. O que você tem a fazer é
entrar pela porta vermelha.

Glossário

Argumentação: ato de argumentar.

Holístico: que busca um entendimento integral dos fenômenos e das coisas.

Insight: clareza súbita na mente; iluminação, estalo, luz.

Neurologista: médico especializado no estudo do sistema nervoso (cérebro, tronco


encefálico, cerebelo, medula espinhal e nervos).

Sequencial: em uma sequência.

Zona de conforto: série de ações, pensamentos e/ou comportamentos que uma pessoa
está acostumada a ter e que não lhe causam nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco.

31
Atividades

1) Segundo um neurologista citado no texto, quando o

dd
raciocínio lógico é utilizado?

a. ( ) Quando não nos damos conta de que o estamos


utilizando

b. ( ) Sempre que é preciso resolver um problema de forma


sequencial ou construir uma argumentação

c. ( ) Quando utilizamos sempre o mesmo caminho para voltar


para casa.

2) Segundo os pesquisadores, são atividades que ajudam a


desenvolver o raciocínio lógico:

a. ( ) Fazer pequenas mudanças na rotina

b. ( ) Fazer aulas de dança e aprender um novo idioma

c. ( ) Todas as alternativas anteriores

3) Pelo que foi visto na unidade, o que pode atrapalhar o


desenvolvimento do raciocínio lógico?

a. ( ) A rotina

b. ( ) Fazer exercícios físicos

c. ( ) Caminhar

32
Referências

HILGERT, Jefferson. Como ser criativo. Portal Best Reader, 2002. Disponível em:
<http://tinyurl.com/hxmow66>. Acesso em: 27 set. 2016.

MARCHIONI, Rubens. Criatividade & redação – o que é, como se faz. 5 ed. São Paulo:
Loyola, 2007.

MUNIZ, Camilla. Desenvolver o raciocínio lógico garante melhores desempenhos


e fortalece saúde mental. Jornal Extra On-line, 2015. Disponível em: <http://tinyurl.
com/jc3rjrx>. Acesso em: 27 set. 2016.

OLIVEIRA, Zélia Maria Freire de. Fatores influentes no desenvolvimento do potencial


criativo. Revista Estudos de Psicologia, Campinas, v. 27, n. 1, p. 83-92, jan./mar. 2010.
Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v27n1/v27n1a10>. Acesso em: 27
set. 2016.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e Processos de Criação. 9. ed. Petrópolis: Vozes,


1993. Disponível em: <http://tinyurl.com/hc8v7vy>. Acesso em: 27 set. 2016.

PORTAL EDUCAÇÃO. Criatividade: aprenda técnicas para estimular e aprimorar a


criatividade. Portal da internet Portal Educação, 2016. Disponível em: <http://tinyurl.
com/h4kd7ex>. Acesso em: 27 set. 2016.

SIQUEIRA, Jairo. Exercite sua mente: O mentiroso e o honesto. Portal da internet


Criatividade Aplicada, 2010. Disponível em: <http://tinyurl.com/35unouy>. Acesso em:
27 set. 2016.

SOUTO MAIOR, Mário. O grande livro das adivinhações. Belo Horizonte: Leitura. 2002.

33
UNIDADE 4 | COMO APLICAR A
CRIATIVIDADE E A LÓGICA NA
VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL

34
1. A Criatividade e a Lógica na Vida Pessoal e Profissional

Num mundo que se mostra cada vez


mais complexo, em que sucessivas
crises trazem instabilidade e incerteza,
é preciso desenvolver a capacidade de
se adaptar a mudanças, inovar e ser
criativo.

Muitas empresas aplicam testes nos


candidatos a emprego para verificar se
eles possuem as habilidades mentais
que elas estão procurando. Boa parte
desses testes avalia o raciocínio lógico (isso também vale para os concursos públicos).

Funcionários com raciocínio lógico desenvolvido tendem a ser mais organizados, ter
maior clareza na busca de soluções para os problemas, ser mais críticos e argumentativos.

Mas não é apenas a lógica que é importante. A criatividade é um elemento essencial no


trabalho (e na vida). Funcionários criativos também costumam ser valorizados, porque
conseguem pensar em soluções diferentes para diversos problemas, e isso acaba
gerando economia de recursos, aumento no lucro, produtos originais e exclusivos,
enfim, uma série de benefícios.

Entretanto, além de ser criativo, é preciso também saber trabalhar em equipe e ter
flexibilidade.

Se uma empresa permite a participação dos funcionários em decisões, solicita e aceita


sugestões, cria um ambiente estimulante e favorável à criatividade associada à lógica.

Claro que é preciso ter bom senso e não sair dando palpites sem fundamento. É preciso
alinhar as ideias novas (criatividade em ação) com a viabilidade de sua execução (lógica
em ação). Teve uma ideia? Pense, por exemplo, “Em que ela pode ser útil?”, ou “Poderia
ser prejudicial?”, ou “Como torná-la viável?”. (Veja, mais adiante, o box “Fases do
processo criativo”.)

E não pense que, se você não tem um perfil predominantemente analítico ou lógico,
nunca será valorizado(a). Há diferentes perfis de pessoas trabalhando juntas. Algumas
são mais lógicas, analíticas, racionais. Outras são mais criativas, intuitivas e práticas.

35
Fazer parte de equipes que possuam diferentes perfis é útil quando se discutem novas
ideias. Diante de um desafio, as perguntas serão diferentes e, a partir das respostas,
será possível chegar com maior segurança a uma conclusão. Algumas das perguntas
que podemos nos fazer diante de situações novas, a fim de ampliarmos nossa
capacidade criativa, podem ser estas:

E se? Por quê?

E se fizermos desse jeito? Por que temos de fazer isso?

E se tentarmos desse jeito? Por que mudar?

O quê?
Como?
O que temos de saber para fazer
Como poderemos fazer isso?
isso?
Como atingiremos tal objetivo?
O que devemos fazer para dar certo?

Quando associadas, a lógica e a criatividade se complementam e possibilitam uma


série de atitudes que beneficiam tanto no campo pessoal quanto no profissional:

• ajudam a tomar decisões;

• facilitam a resolução de
problemas;

• contribuem para a identificação


de necessidades de pessoas e
empresas;

• incentivam o planejamento de
ações;

• auxiliam na definição de novas estratégias (ou na mudança das antigas);

• possibilitam que surjam alternativas novas para diferentes situações;

• resultam em novos produtos e serviços no mercado;

• motivam novas ideias que geram benefícios.

36
O designer e empresário Marcelo Tibau (2005) diz que, para criar um ambiente
verdadeiramente favorável à integração entre criatividade e lógica, é preciso “se despir
de preconceitos e se vestir com um pouco de humildade para aceitar ideias de outras
pessoas”. Ele cita o criador do sistema VISA de cartões de crédito, Dee Hock, que dizia:
“O problema não é ter ideias novas e inovadoras, e sim esquecer as ideias antigas”.

Tibau (2005) finaliza dizendo também que é preciso ter coragem para abandonar o que
não está mais dando certo e associar a criatividade (escrevendo as ideias que teve) a
um parâmetro lógico (priorizando as ações). Dessa forma será possível aproveitar o
que há de melhor no lado direito (da criatividade) e no esquerdo (da lógica) do cérebro
da empresa.

Mas, o que uma pessoa criativa tem a oferecer – além da capacidade de criar coisas
novas – que é benéfico para o grupo no qual está inserida?

As principais características das pessoas muito criativas

Os especialistas em criatividade buscam por certas características que as


pessoas muito criativas parecem possuir. Algumas dessas principais
características são:

Fluência: o número de ideias, sentenças e associações que uma pessoa


pode pensar quando apresentada a uma palavra, conceito ou problema.

Variedade e flexibilidade: a diversidade de soluções que uma pessoa pode


encontrar quando solicitada a explorar os diferentes usos de alguma coisa
ou a criar soluções para um problema.

Originalidade: a habilidade de desenvolver soluções potenciais que outras


pessoas não conseguiram pensar.

Elaboração: a habilidade de formular uma ideia, de expandi-la e transformá-


la numa solução concreta.

37
Sensibilidade a problemas: a habilidade de reconhecer o desafio central
dentro de uma tarefa, bem como das dificuldades associadas a este
desafio.

Redefinição: a capacidade de ver um problema conhecido sob uma


perspectiva completamente diferente.

Tolerância à ambiguidade: a capacidade de aceitar e trabalhar ao mesmo


tempo com múltiplas causas ou respostas a um problema ou desafio
singular.

(SIQUEIRA, 2007).

Todos nós temos um perfil que agrega várias competências e habilidades, entre elas
a criatividade e a lógica. Geralmente, uma delas predomina. No entanto, ao longo da
vida, por inúmeras vezes, fazemos uso dessas duas capacidades associadas e nem nos
damos conta.

Veja, por exemplo, onde entraria a lógica no processo criativo.

Fases do processo criativo

Segundo Catherine Patrick citada em Bernardinelli (2003), as fases do


processo criativo são:

Preparação

É a fase de coleta e manipulação do maior número de dados e elementos


pertinentes a um problema: ler, anotar, discutir, colecionar, consultar,
rabiscar, cultivar sua concentração no assunto.

Incubação

Nesta fase o inconsciente entra em ação e, sem ser “atrapalhado” pela


razão, elabora as inesperadas conexões que constituem a essência da
criação.

38
Iluminação

Momento da gênese da ideia, a iluminação ou síntese ocorre para o homem


criativo em incubação nos momentos mais inesperados.

Verificação

Nesta fase, o intelecto termina a obra que a imaginação iniciou. O criador


analisa, julga e testa sua ideia para avaliar sua adequação.

Repare que, no processo criativo, a razão exerce um papel bem importante: colhendo
dados e, ao final, verificando se o que foi criado é adequado (viável) ou não. Para isso,
vai utilizar todos os recursos de análise de que é capaz.

Viu como lógica e criatividade podem “andar de mãos dadas”?

Agora é com você!

Esperamos que você tenha compreendido que não existe uma pessoa
exclusivamente criativa e outra exclusivamente lógica. O que existe é uma
predominância.

No entanto, de nada adianta ter um perfil mais criativo se você trabalha


numa empresa que não quer saber de novas ideias (sim, existem ambientes
que bloqueiam a criatividade).

Mas o pior de tudo é quando o bloqueio está em nós. Aí fica difícil...

Acesse o link a seguir e conheça os maiores bloqueadores da criatividade.

http://www.revistamelhor.com.br/os-oito-maiores-bloqueadores-da-
criatividade/

Parabéns! Você concluiu todo o conteúdo deste curso. Você está pronto
para finalizar seus estudos testando seus conhecimentos na bateria de
questões. Siga em frente!

39
Glossário

Ambiguidade: que apresenta diferentes sentidos.

Fluência: qualidade do que flui; abundância.

Gênese: origem

Incubação: ato de incubar, cultivar; gestação.

Parâmetro: padrão, regra, princípio.

40
Atividades

1) A maior parte dos testes aplicados nas empresas avalia

dd
o...

a. ( ) raciocínio verbal

b. ( ) raciocínio lógico

c. ( ) raciocínio abstrato

2) Segundo o que foi visto na unidade, funcionários em que o


raciocínio lógico predomina são:

a. ( ) Muito falantes, inovadores, individualistas

b. ( ) Mais organizados, mais críticos e argumentativos

c. ( ) Mais sonhadores, criativos, intuitivos

3) Quando associadas, a lógica e a criatividade...

a. ( ) Trazem muitos problemas e discussões sem fim

b. ( ) Possibilitam uma série de atitudes benéficas no campo


pessoal e no profissional

c. ( ) Dificultam a resolução de problemas, pois geram conflitos

41
Referências

CIEE. Curso de lógica e criatividade do Centro de Integração Empresa Escola.


2016. Disponível em: <http://pt.slideshare.net/marcelofnascimento/apostila-lgica-e-
criatividade>. Acesso em: 27 set. 2016.

BERNARDINELLI, Ademar R. Como conseguir e manter um emprego. São Paulo:


Nobel, 2003.

SIQUEIRA, Jairo. Como saber se somos muito criativos? Portal da internet Criatividade
Aplicada, 2007. Disponível em: <http://tinyurl.com/zp38ht7>. Acesso em: 27 set. 2016.

TIBAU, Marcelo. Modelo Mental – Lógica e Criatividade acelerando inovação (parte


2). Portal da internet Tibau, 2011. Disponível em: <http://tinyurl.com/j3ssbhy>. Acesso
em: 27 set. 2016.

42
43
Gabarito

Questão 1 Questão 2 Questão 3

Unidade 1 A C C

Unidade 2 B A B

Unidade 3 B D D

Unidade 4 B B D

44