Vous êtes sur la page 1sur 37

Autor : João Augusto Gomes Morais.

1
NORMAS GERAIS DE MEDIÇÃO

Medição apesar de ser uma operação simples requer alguma preparação adequada.

NORMAS GERAIS :

1. Tranqüilidade
2. Limpeza
3. Cuidado
4. Paciência
5. Senso de responsabilidade
6. Finalidade da posição medida
7. Instrumento adequado
8. Domínio sobre o instrumento

RECOMENDAÇÕES
Os instrumentos de medição são utilizados para determinar grandezas. A grandeza
pode ser determinada por comparação e por leitura em escala ou régua graduada.
é dever de todos os profissionais zelar pelo bom estado dos instrumentos de
medição, mantendo-se assim por maior tempo sua tal precisão.

EVITE

1. Choques , quedas, arranhões, oxidação e sujeira;


2. Misturar instrumentos;
3. Cargas excessivas no uso, medir provocando atrito entre a peça e o
instrumento;
4. Medir peças cuja temperatura, que pela usinagem quer por exposição a uma
fonte de calor, esteja fora da temperatura de referência;
5. Medir peças sem importância com instrumentos caros.

CUIDADOS

1. Use proteção adequada de madeira, borracha ou feltro para apoiar os


instrumentos.
2. Deixe a peça adquirir a temperatura ambiente, antes de toca-la com o
instrumento de medição.

2
ESCRITA POR EXTENSO DAS DIMENSÕES:

Veja alguns Exemplos:

Polegadas decimais

0,0015 ” Quinze décimos de milésimos de polegada


0,005” Cinco milésimos de polegada
0,01” Um centésimo de polegada
0,1” Um décimo de polegada
0,004”
0,0025”
0,02”

Polegadas Fracionárias

(7/8) ” Sete oitavos de polegada


(1/16)” Um sobre dezesseis avos de polegada
( 5/32)” Cinco sobre trinta e dois avos de polegada
(9/64)” Nove sobre sessenta e quatro avos de polegada
(127/128) “ Cento e vinte e sete sobre cento e vinte e oito avos de polegada
(1/2)” Meia polegada
(3/4)” três quarto de polegada
(103/128)”
(57/64)”
(9/16) ”

Polegada inteira

7” Sete polegadas
25” Vinte e cinco polegadas

Polegada inteira e fracionária

1 7”
Uma polegada e sete oitavos
8
3 3”
Três polegadas e três sobre cento e vinte e oito avos.
128

Polegada inteira e decimal

1,575” Uma polegada e quinhentos e setenta e cinco milésimos


5,125” cinco polegadas e cento e vinte e cinco milésimos

3
Sistema de medidas

Transformação de medidas

1ª Transformação
Transformar polegada em milímetro.

1º CASO – Transformar polegadas inteiras em milímetros.


Para transformar polegada inteira em milímetros, multiplica-se 25,4 mm, pela
quantidade de polegadas por transformar.

Ex : Transformar 3” em milímetros
25,4 x 3 = 76,2 mm.

2º CASO – Transformar Fração da polegada em milímetro.


Quando o número for fracionário, multiplica-se 25,4 mm pelo numerador da fração e
divide-se o resultado pelo denominador.

Ex : Transformar 5/8 ” em milímetros.

25,4 x 5 = 15,875 mm
8

3º CASO – Transformar polegada inteira e fracionária em milímetro.


Quando o número for misto, inicialmente se transforma o número misto em uma
fração imprópria e, a seguir, opera-se como no segundo caso.

Ex : Transformar 1 3” em milímetros.
4

1 3” = 1 x 4 + 3 = 7”
4 4 4

_ 7”_ = 25,4 x 7 = 44,45 mm


4 4

2ª Transformação
Transformar milímetro em polegada.
Para transformar milímetro em polegada, divide-se a quantidade de milímetros por
25,4 e multiplica-se o resultado por uma das divisões da polegada, dando-se para
denominador a mesma divisão tomada, e a seguir, simplifica-se a fração ao menor
numerador.

Ex : Transformar 9,525 mm em polegadas.

(9,525 : 25,4 ) 128 = 0,375 x 128 = 48


128 128 128

4
Simplificando a fração teremos :

48 = 24 = 12 = 6 = _3”
128 64 32 16 8

Aplicando outro processo


Multiplica-se a quantidade de milímetros pela constante 5,04, dando-se como
denominador á parte inteira do resultado da multiplicação a menor fração da
polegada, simplificando-se a fração, quando necessário.

Ex : Transformar 9,525 mm em polegadas.

9,525 x 5,04 = 48 9,525


128 128 x5,04
38100
Simplificando a fração teremos : 477250
48,10600
48 = 24 = 12 = 6 = _3”
128 64 32 16 8

3º Transformação
Transformar sistema inglês ordinário em decimal.
Para transformar sistema inglês ordinário em decimal, divide-se o numerador da
fração pelo denominador.

Ex : Transformar 7/8” em decimal.


7 : 8 = 0,875 ”

4º Transformação
Transformar sistema inglês decimal em ordinário.
Para transformar sistema inglês decimal em ordinário, multiplica-se valor em decimal
por uma das divisões da polegada, dando-se para denominador a mesma divisão
tomada, simplificando-se a fração quando necessário.

Ex : Transformar 0,3125 ” em sistema inglês ordinário.

0,3125 “ x 128 = 40
128 128

Simplificando a fração teremos :

40 = 20 = 10 = 5”
128 64 32 16

5
5º Transformação
Transformar polegada decimal em milímetro.
Para transformar polegada decimal em milímetro, multiplica-se o valor em decimal da
polegada por 25,4.

Ex : Transformar 0,875 ” em milímetro.

0,875” x 25,4 = 22,225 mm

6º Transformação
Transformar milímetro em polegada decimal.
Para transformar milímetro em polegada decimal, podemos utilizar dois processos:

1º Processo – Divide-se o valor em milímetro por 25,4.


Ex : transformar 3,175 mm em polegada decimal.

3,175 : 25,4 = 0,125 ”

2º Processo – Multiplica-se o valor em milímetro pela constante 0,03937”.

Observação : A constante 0,03937 ” corresponde a quantidade de milésimos de


polegada contida em milímetro.
1 mm = 0,03937”

Ex : Transformar 3,175 mm em polegada decimal.


3,175 x 0,03937” = 0,12499975” = 0,125”

1. Transforme em milímetros:
5/32” =
5/16” =

2. Transforme em polegada ordinária:


1,5875 mm =
19,05 mm =

3. Transforme em polegada decimal.


5/64” =
3/16” =

4. Transforme em polegada ordinária.


0,125” =
1,4375” =

5. Transforme em polegada decimal.


6,35 mm =
11,1125 mm =

6. Transforme em milímetros.
0,0625” =
0,001” =

6
Tabela de conversão de polegada ordinária e decimal para milímetro.

7
Régua escala
O mais elementar instrumento de medição utilizado nas oficinas é a régua
graduada (escala). É usada para tomar medidas lineares, quando não há
exigências de grande precisão. Para que seje completa e tenha caráter universal,
deverá ter graduações do sistema métrico e do sistema inglês.

A escala ou régua graduada é construída de aço, tendo sua graduação inicial


situada na extremidade esquerda. É fabricado em diversos comprimentos :
6” ( 152,4 mm) , 12 “ (304,8 mm).

A régua escala apresenta-se em vários tipos:

1 . Régua de encosto interno 2 . Régua de profundidade

3. Régua de dois encostos

Aplicação:

Medição de comprimento
Mediçãocom
de comprimento
face de sem
referência. encosto de referência.

8
medição
Medição
de diâmetro
de
comprimento com
apoio em um plano

Medição de profundidade de
rasgo
Características da boa régua graduada
1. Ser, de preferência, de aço inoxidável
Medição de comprimento com face
Medição de profundidade
interna de referência. de furo
2. Ter graduação uniforme não vazado.
3. Apresentar traços bem finos, profundos e salientados em preto.

Conservação
1. Evitar quedas e contato com ferramentas de trabalho
2. Evitar flexiona-la ou torce-la, para que não se empene ou quebre
3. Limpe-a após o uso, para remover o suor e a sujeira
4. Aplique-lhe ligeira camada de óleo fino, antes de guarda-la.

Como fazer uma leitura em uma régua escala?


1. Você deverá observar qual é a unidade de medida que a régua está
disponibilizando.
2. Definir em que unidade você vai medir.
3. Identificar a resolução da régua

3.1 Procedimento para polegada:


Você irá contar quantos traços existem até chegar a uma polegada.
Suponhamos que existam 16 traços, isso significará que cada tracinho da
régua escala (na escala de polegada) valerá 1/16 .”

9
Caso existam 32 traços o valor de cada tracinho será 1/32”.

3.2 Procedimento para milímetro


Adota-se o mesmo procedimento para milímetros. Geralmente cada tracinho
equivale a um milímetro.

10
Conforme desenhos dos instrumentos de medição façam as leituras:

Respostas:

1 6 11
2 7 12
3 8 13
4 9 14
5 10

11
Respostas

15 18
16 16
17 20

12
13
Paquímetro

O paquímetro é um instrumento finamente acabado, com as superfícies planas e


polidas. Geralmente é construído de aço inoxidável, e suas graduações referem-se a
20º C. A escala é graduada em milímetros e polegadas, podendo a polegada ser
fracionária ou milesimal. O cursor é provido de uma escala, chamada nônio ou
vernier, que se desloca em frente ás escalas da régua e indica o valor da dimensão
tomada.

Com o Paquímetro você pode realizar:


 Medição interna
 Medição externa
 Medição de profundidade
 Medição de altura

Veja os exemplos:

Medição interna
Medição externa

Medição de
profundidade
Paquímetro com bicos longos, para Paquímetro de
medição em posição profunda profundidade

14
Como efetuar uma leitura de medida em um paquímetro?

1. Você deverá observar qual é a unidade de medida que o paquímetro está


disponibilizando.
2. Definir em que unidade você vai medir.
3. Identificar a resolução do paquímetro.

Procedimento para um paquímetro que utiliza o sistema inglês ordinário:


Existem duas escalas em um paquímetro :
A escala fixa e a escala móvel ( vernier ou nônio).
Veja a figura:

Observando a escala fixa podemos notar que até chegar á 1” polegada existem 16
traços , então , cada tracinho da escala fixa equivale á 1/16”.

Para achar a resolução de um instrumento que utiliza nônio devemos empregar a


seguinte formula:
a = ef
n

onde: a = resolução do instrumento


ef = resolução da escala fixa (o menor valor da escala fixa)
n = número de divisões da escala móvel.

sendo assim:
a = 1/16 :8 = 1/16 x 1/8 = 1/128 ”.
a = 1/128”.

Portanto cada tracinho da escala móvel (vernier ou nônio) valerá 1/128”.

A resolução de 1/128” é a resolução desse paquímetro ou seja é a menor leitura que


esse instrumento poderá efetuar.

15
Processo para a leitura de medidas em polegada fracionária:

1. A primeira coisa que você tem que fazer é contar o número de traços da
escala fixa ultrapassados pelo (zero) da escala móvel. Suponhamos que foi 6.
2. Observe a escala móvel verificando qual tracinho da escala móvel se alinhou
com o da escala fixa.
3. Anote o valor desse tracinho (1/128”, 1/64”, 3/128,...,7/128, 8/128).
Suponhamos que foi 1/128.
veja o esquema suposto:

4. Multiplique o número de traços da escala fixa ultrapassados pelo zero do


nônio, pelo último algarismo do denominador da concordância do nônio. O
resultado da multiplicação soma-se com o numerador, repetindo-se o
denominador da concordância.
Veja:

(6 x 8) + 1 = 49 /128”
128

Portanto o resultado da leitura é 49 / 128”

Exemplo 2

(9 x 4) + 1 = 37”
64 64

16
Exemplo 3

(6 x 2) + 1 = 13”
32 32

Exemplo 4

(4 x 8) + 7 = 39” 1 39”
128 128 128

Exemplo 5
Neste caso a leitura é direta pois o (zero) e 8 do nônio são os que coincidem com
a escala fixa e portanto a leitura será lida diretamente na escala fixa ou seja, a
leitura cairá na escala 16.

resposta da leitura:
5/16”

17
Processo para colocação de medidas

1º Exemplo – Colocar no paquímetro a medida 33/128”.


Divide-se o numerador da fração pelo último algarismo do denominador.

O quociente encontrado na divisão será o número de traços por deslocar na


escala fixa pelo zero do nônio (4 traços). O resto encontrado na divisão será a
concordância do nônio, utilizando-se o denominador da fração pedida (128).
Veja:

2º Exemplo – Colocar no paquímetro a medida 45 /64”

Cálculo da resolução para o sistema métrico decimal


O paquímetro tem a seguinte configuração :
 número de traços da escala fixa até chegar 10mm = 10, então, o menor valor
da escala fixa é 1mm.
 número de traços da escala móvel = 20
então :
cada tracinho da escala
a = ef a = 1 : 20 a = 0,05 móvel valerá 0,05 mm.
n

Leituras de medidas
Conta-se o número de traços da escala fixa ultrapassados pelo zero do nônio
(6mm) e, a seguir, faz-se à leitura da concordância do nônio (0,20 mm).
veja:

A leitura será: 6,20mm

18
Exercícios: Paquímetro – Sistema inglês ordinário

19
Exercício 2
Faça as leituras do paquímetro cujo sistema é métrico decimal.

Exercício 3
Diga qual é a resolução desse paquímetro ?
dados:
número de traços da escala fixa até chegar a 10 mm : 10

20
número de traços da escala móvel: 50
Depois faça as leituras do paquímetro cujo sistema é métrico decimal.

21
22
Exercício 4.
Diga qual é a resolução desse paquímetro ?
dados:
número de traços da escala fixa até chegar a 1” : 40
número de traços da escala móvel: 25
Depois faça as leituras do paquímetro cujo sistema é Inglês decimal.

23
Micrômetro
O micrômetro é um instrumento utilizado em medições mais rigorosas , ele assegura
uma exatidão de 0,01mm e sua resolução poderá ser de até 0,001mm.
Veja a figura esquemática:

Tipos de Micrômetros:

Micrômetro para
Micrômetro para a medição externa.
Micrômetro com discos para a
medição de espessuras medição de papel, cartolina,
de tubo. couro e borracha.

24
Micrômetro para a medição de roscas

Micrômetro para
medir
Micrômetro tubular.Usado para medição interna. profundidade

Com o auxílio de hastes você poderá medir com o Micrômetro tubular :

Diâmetros profundos.
Grandes diâmetros

25
Micrômetro de
arco profundo.

Imicro– Micrômetro de
medidas internas de três
contatos.

Micrômetro
para grande
medição

Uso do Micrômetro

Medição de espessura de um bloco Medição de diâmetro de uma rosca

Medição de profundidade de uma ranhura. Medição de diâmetro com o


micrômetro tubular

26
Uso do “Imicro”, na
medição de diâmetro
interno.
Uso do micrômetro de Uso do micrômetro de arco
grande capacidade para profundo numa medição de
medir diâmetros maiores. parte saliente.

Cálculo da resolução de um micrômetro cujo sistema é Métrico decimal.

Para micrômetros que não possuem nônio o procedimento é o seguinte:

1. Verificar quantos tracinhos o micrômetro possui na escala fixa (escala da luva do


micrômetro) . Veja:

Podemos notar que na escala fixa (escala da luva) do micrômetro existem 50


tracinhos. Se a escala está numerada até 25 mm então cada tracinho da escala da
luva valerá:
25 : 50 = 0,5 mm.

2. verificar quantos tracinhos existem na escala móvel do micrômetro (escala do


tambor do micrômetro).
O tambor possui 50 tracinhos.

3. Aplicar a fórmula : a = ef a = resolução do instrumento


n ef = resolução da escala fixa ( o menor valor da escala fixa).
n = número de tracinhos da escala móvel.

27
O tambor possui
50 traços

a = ef a = 0,5 : 50
n a = 0,01 mm

A luva possui 50traços

Portanto cada tracinho da escala móvel desse micrômetro valerá 0,01 mm.
A menor leitura que esse micrômetro poderá registrar será de 0,01mm.

Leitura de um micrômetro que não possui nônio.

Para efetuarmos a leitura da medida acima, devemos somar a leitura da escala da


luva com a do tambor : 8,50 + 0,32 = 8,82mm.

28
Para micrômetros que possuem nônio o procedimento é o seguinte:

1. Verificar quantos tracinhos o micrômetro possui na escala fixa (escala da luva


do micrômetro) . Esse micrômetro possui 50 traços até chegar a 25mm.

2. Verificar quantos tracinhos existem na escala móvel do micrômetro (escala do


tambor do micrômetro). O tambor possui 50 tracinhos.

3. Aplicar a seguinte fórmula: a = (ef : n )


N

a = resolução do instrumento
ef = resolução da escala fixa ( o menor valor da
escala fixa).
n = número de tracinhos da escala móvel.
N = número de tracinhos do Nônio.

a = (0,5 : 50)
10

a = 0,001 mm

Portanto cada divisão do nônio valerá 0,001mm.


A menor leitura que esse micrômetro registrará será 0,001 mm.

Leitura de um micrômetro que possui nônio.

29
Para efetuarmos a leitura da medida acima, devemos somar a leitura da escala da
luva , a leitura do tambor e a leitura do nônio : 5,50 + 0,09 +0,006 = 5,596 mm.

LEITURA POR ESTIMATIVA


Nos micrômetros que não possuem nônio, pode acontecer que o traço da escala
móvel não se alinha com o traço de referência do micrômetro. Quando isso acontece
a leitura passa a ser estimada.

Ex:

13,00 + 0,21 + leitura estimada (0,002)


13,212 mm

30
Exercícios: SISTEMA MÉTRICO DECIMAL

31
32
Cálculo da resolução de um micrômetro cujo sistema é polegada decimal.

Para micrômetros que não possuem nônio o procedimento é o seguinte:

1. Verificar quantos tracinhos o micrômetro possui na escala fixa (escala da luva do


micrômetro) . Veja:

Como podemos observar 1” foi dividida em 40 tracinhos.


então a resolução da escala fixa é :

1” : 40 = 0,025” ( valor de cada tracinho da escala da luva)

2. verificar quantos tracinhos existem na escala móvel do micrômetro (escala do


tambor do micrômetro).
O tambor possui 25 tracinhos.

3. Aplicar a fórmula : a = ef a = resolução do instrumento


n ef = resolução da escala fixa ( o menor valor da escala fixa).
n = número de tracinhos da escala móvel.

a = ef a = 0,025” : 25
n a = 0,001”

Portanto cada divisão


do tambor valerá:
0,001”

33
Exemplo de leitura:

Leitura da escala da
luva = 0,225”

Leitura do tambor
= 0,012”

Para efetuarmos a leitura da medida, basta somarmos a leitura da escala da luva


com a do tambor : 0,225” + 0,012” = 0,237”.

Para micrômetros que possuem nônio o procedimento é o seguinte:

1. Verificar quantos tracinhos o micrômetro possui na escala fixa (escala da luva


do micrômetro) . Esse micrômetro possui 40 traços.

2. Verificar quantos tracinhos existem na escala móvel do micrômetro (escala do


tambor do micrômetro). O tambor possui 25 tracinhos.

3. Aplicar a seguinte fórmula: a = (ef : n )


N

a = (0,025” : 25) a = resolução do instrumento


10 ef = resolução da escala fixa ( o menor valor da
escala fixa).
a = 0,0001” n = número de tracinhos da escala móvel.
N = número de tracinhos do Nônio.

Exemplo de leitura:

34
Para efetuarmos a leitura da medida acima, devemos somar a leitura da escala da
luva , a leitura do tambor e a leitura do nônio : 0,300” + 0,023” +0,0001” = 0,3231”

Recomendações para os instrumentos (Paquímetro e Micrômetro)


 Evitar choques, quedas, arranhões e sujeira.
 Não medir peças fora da temperatura ambiente
 Não medir peças em movimento
 Não forçar o instrumento
 Antes de fazer uma leitura limpe os contatos do(s) instrumento(s) e verifique
se os instrumentos estão aferidos.

Conservação
 Depois do uso limpar cuidadosamente um instrumento
 Guardar o instrumento em estojo próprio
 Os instrumentos (Paquímetro e Micrômetro) deverão ser guardados
destravados e com os contatos ligeiramente afastados.

Aferição do Paquímetro

O paquímetro deve ser aferido em laboratórios onde a temperatura é adequada


para a aferição.

Aferição do Micrômetro
Antes de iniciarmos a medição de uma peça, devemos fazer a aferição do
instrumento. Nos micrômetros de 0 a 1”, após a limpeza dos contatores, faz-se o
fechamento do micrômetro, através da catraca, até sentir-se o funcionamento da
mesma. observando-se a concordância do limite inicial da escala da luva com o
zero do tambor.
Nos micrômetros de 1” a 2” ; 2” a 3” , etc, utiliza-se a barra-padrão para a aferição
do instrumento. Não havendo concordância perfeita, faz-se a regulagem do
micrômetro através de uma chave especial, para o deslocamento da luva ou do
tambor, de acordo com o tipo de instrumento.

Exercícios: SISTEMA INGLÊS DECIMAL

35
36
Bibliografia : Apostila de Metrologia ( Escola técnica Federal do Espírito Santo)

37