Vous êtes sur la page 1sur 51

Mestrado Profissional em Administração de Empresas

Finanças Comportamentais

Prof. Dra. Raquel Oliveira

Mestrado Profissional em Administração de Empresas Finanças Comportamentais Prof. Dra. Raquel Oliveira Autores: Carlos Abreu Júnior
Autores:
Autores:

Carlos Abreu Júnior

Luiz Antonio Barbagallo Marcelo Santana da Silva

Marcos Santos Oliveira

Junho, 2015

Temas abordados:
Temas abordados:
  • 1. Substituição de Atributo: Modelo Heurístico de Julgamento

  • 2. Protótipo Heurístico

  • 3. As fronteiras do pensamento intuitivo

  • 4. Efeitos inerciais Efeito Dotação Efeito Status Quo Efeito Disposição

  • 5. Vieses Comuns Causalidade e Estatísticas

Disponibilidade

Representatividade

Confirmação

  • 6. Justiça e ética na tomada de Decisão

1 – Substituição de Atributo: Modelo Heurístico de Julgamento “Redução de tarefas complexas para operações mais
1 – Substituição de Atributo: Modelo Heurístico de
Julgamento
“Redução de tarefas
complexas para
operações mais
simples”.
Atributo alvo
Cavalos da figura
Atributo Heurístico
Dimensão Bidimensional
versus Tridimensional
“No contexto geral, o quanto você é feliz com a sua vida?" "Quantas momento felizes você
“No contexto geral, o quanto você é feliz com a sua vida?" "Quantas momento felizes você

“No contexto geral, o quanto você é feliz com a sua vida?"

"Quantas

momento

felizes

você teve no mês passado?"

"Quantos

momentos

felizes

“No contexto geral, o quanto você é feliz com a sua vida?"

você teve no mês passado?"

0,12
0,12
0,66
0,66
Uma ilusão cognitiva que é análoga à ilusão visual da Figura 7.
Uma ilusão cognitiva que é análoga à ilusão visual da Figura 7.
Vieses de julgamento são sistemáticos
Vieses de julgamento são sistemáticos
Vieses de julgamento são sistemáticos “As crenças sobre risco são muitas vezes expressões de emoção.” Loewenstein

“As crenças sobre risco são muitas vezes expressões de

emoção.”

Loewenstein et al. (2001)

“Julgamentos pessoais dos custos e benefícios de várias tecnologias estão negativamente

correlacionados”

Melissa L. Finucane et al. (2000)

Vieses de julgamento são sistemáticos “As crenças sobre risco são muitas vezes expressões de emoção.” Loewenstein

“Decisões pessoais muitas vezes expressam avaliações afetivas (atitudes).”

Kahneman et ail (1997)

2 – Protótipo Heurístico Atributos de Protótipo Atributos de Extensão versus
2 – Protótipo Heurístico
Atributos de Protótipo
Atributos de Extensão
versus
Mecanismo psicológico comum
Mecanismo psicológico comum
Homogêneo
Homogêneo
Protótipo
Protótipo

(i) Previsão da categoria

(ii) Preços

de

uma quantidade de bens público ou

privados

(iii) Avaliação do Passado

(iv) Avaliação amostras prevendo hipóteses

2 – Protótipo Heurístico Atributos de Protótipo Atributos de Extensão versus Mecanismo psicológico comum Homogêneo Protótipo

Violações da monotonia Negligência de Extensão

versus
versus
Bons preços
Bons preços

Âmbito de negligência no estudo de William H. Desvousges et al. (1993) O atributo alvo, neste caso, é a

Bons preços Âmbito de negligência no estudo de William H. Desvousges et al. (1993) O atributo

disponibilidade para

pagar

Bons preços Âmbito de negligência no estudo de William H. Desvousges et al. (1993) O atributo

Violações da Monotonia

Avaliação separada

Sistema 1

$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82
$ 4,05 $ 1,82

$ 4,05

 

$ 1,82

Bons preços Âmbito de negligência no estudo de William H. Desvousges et al. (1993) O atributo

Avaliação articulada

Avaliação articulada
Avaliação articulada
Avaliação articulada
Avaliação articulada
Avaliação articulada
Avaliação articulada

Sistema 2

Sistema 2
Sistema 2
Sistema 2
Sistema 2

$ 2,89

 

$ 3,32

Bons preços Âmbito de negligência no estudo de William H. Desvousges et al. (1993) O atributo
Avaliações de Episódios ampliados
Avaliações de Episódios ampliados
Duração de negligência estudo descrito por Redelmeier e Kahneman (1996) conjunto ordenado de momentos momento típico
Duração de negligência
estudo descrito por Redelmeier e Kahneman (1996)
conjunto
ordenado de
momentos
momento
típico da
experiência

Violações de dominação

experiências familiares são feitas em um processo intuitivo de "escolha por gostar."

escolhas que não maximizam a utilidade que vai realmente ser experimentado

Outras Heurísticas de Protótipo
Outras Heurísticas de Protótipo

Pensamento sem extensão

Outras Heurísticas de Protótipo Pensamento sem extensão Incompatibilidade entre as capacidades e as regras de funcionamento
Outras Heurísticas de Protótipo Pensamento sem extensão Incompatibilidade entre as capacidades e as regras de funcionamento

Incompatibilidade entre as capacidades e as regras de funcionamento do julgamento intuitivo e escolha

O pensamento intuitivo opera com exemplares ou protótipos

que têm a dimensionalidade das instâncias do indivíduo e não têm a dimensão de extensão.

3 – As fronteiras do pensamento intuitivo
3 – As fronteiras do pensamento intuitivo

Os julgamentos que as pessoas expressam, as ações que elas tomam, e os erros que elas cometem dependem das funções corretivas e de monitoramento do Sistema 2, bem como das impressões e tendências geradas pelo Sistema 1 (Kahneman, 2003).

SISTEMA 1 Quando as dúvidas sobre os próprios julgamentos intuitivos vêm à mente? SISTEMA 2
SISTEMA 1
Quando as dúvidas sobre os próprios
julgamentos intuitivos vêm à mente?
SISTEMA 2
Alguns fatores que influenciam a capacidade de atuação do Sistema 2
Alguns fatores que influenciam a capacidade de atuação
do Sistema 2
Alguns fatores que influenciam a capacidade de atuação do Sistema 2 Prejudiciais à atuação Positivamente relacionada

Prejudiciais à atuação

Positivamente

relacionada

Pressão do

tempo

Envolvimento

simultâneo em outra tarefa cognitiva

Realização da tarefa à noite por “morning

people” ou pela manhã por “evening people

Inteligência

“Necessidade de

conhecimento”

(achar divertido pensar)

Exposição ao

pensamento

estatístico

Experimentos - pensamento intuitivo versus Sistema 2
Experimentos - pensamento intuitivo versus Sistema 2
Escolher por gosto
Escolher por gosto

Opção mais atraente

versus
versus
Escolher pela regra
Escolher pela regra

Restrição explícita

Conclusões dos experimentos
Conclusões dos experimentos
Experimentos - pensamento intuitivo versus Sistema 2 Escolher por gosto Opção mais atraente versus Escolher pela

(i) A probabilidade de que os sujeitos descubram aspectos e informações mal ponderadas depende da notabilidade desses fatores

(ii) Se uma má ponderação é descoberta, existe um esforço para corrigi-la (iii) A correção é
(ii) Se uma má ponderação é descoberta, existe um esforço para corrigi-la
(iii) A correção é provável que seja insuficiente e, portanto, é provável que
os julgamentos finais permaneçam ancorados na impressão intuitiva inicial
Algumas conclusões de Kahneman
Algumas conclusões de Kahneman
Algumas conclusões de Kahneman A principal característica dos agentes não é que eles raciocinam pobremente, mas

A principal característica dos agentes não é que eles raciocinam pobremente, mas que eles agem intuitivamente

Algumas conclusões de Kahneman A principal característica dos agentes não é que eles raciocinam pobremente, mas
Algumas conclusões de Kahneman A principal característica dos agentes não é que eles raciocinam pobremente, mas
O que é normal e intuitivo em uma dada situação não é o mesmo para todos:
O que é normal e intuitivo em uma dada situação não é o mesmo
para todos: existem diferenças culturais que causam diferentes
intuições sobre o significado das situações, e novos comportamentos
se tornam intuitivos assim como novas habilidades são adquiridas
4 – EFEITOS INERCIAIS
4 – EFEITOS INERCIAIS
4 – EFEITOS INERCIAIS A B EFEITOS INERCIAIS A B Imagine duas pessoas que estão em

A

A B

B

EFEITOS INERCIAIS

A

A B

B

4 – EFEITOS INERCIAIS A B EFEITOS INERCIAIS A B Imagine duas pessoas que estão em

Imagine duas pessoas que estão em pontos diferentes. À pessoa que está no ponto “A” é dada a opção de mudança para o ponto “B” e para a pessoa que está no ponto “B” é dada a opção de mudança para o ponto “A”.

Na maioria das vezes as pessoas tendem a ficar no mesmo lugar, independentemente do contexto em torno da escolha.

Descrição e Consequência dos Fenômenos Inerciais
Descrição e Consequência dos Fenômenos Inerciais

EFEITO DOTAÇÃO (ENDOWMENT EFFECT)

A fonte linguística da palavra “endowé a palavra em latin dotare”, ou em português “dotar”. No caso do fenômeno estudado, a partir do instante em que a propriedade do bem é estabelecida, o bem é dotado” de um valor maior.

Diversos experimentos na área econômica demonstram que há uma tendência para que os indivíduos atribuam maiores pesos a eventos causadores de perdas presentes do que ganhos futuros

A aversão à perda e, consequentemente, o efeito dotação, não afeta todas as transações. Em uma transação comercial normal, o vendedor não sofre uma perda quando negocia um bem. A aversão à perda afeta principalmente os detentores de bens que os adquiriram para uso próprio, ao invés daqueles que adquirem para posterior revenda (KAHNEMAN et al., 1991).

EXEMPLO Richard Thaler nos conta a história de um professor amante de vinhos que relutava em

EXEMPLO

Richard Thaler nos conta a história de um professor

amante de vinhos que relutava em vender uma

garrafa de sua coleção, mesmo por um preço elevado. O professor adquiria o vinho em leilões, porém nunca pagava mais do que US$ 35,00 por uma garrafa.

Com preços entre US$ 35,00 e US$ 100,00 ele não vendia.

Não há racionalidade econômica nesse intervalo. Se o preço de uma garrafa de seu

estoque vale US$ 50,00 para ele, deverá estar disposto a vendê-la por qualquer valor

acima disso, e se não possuir, deverá estar disposto a pagar até US$ 50,00 por uma. O preço mínimo de venda aceitável e o preço mínimo de compra aceitável deveriam ser os mesmos, porém o preço mínimo de US$ 100,00 para venda era muito maior do que o preço de compra.

EXEMPLO Richard Thaler nos conta a história de um professor amante de vinhos que relutava em

“A POSSE DO BEM PARECIA AUMENTAR O SEU VALOR”

Efeito Status Quo
Efeito Status Quo

Experiências mostram que, quando várias opções são dadas a determinados indivíduos, e uma dessas opções é definida como padrão, há uma tendência a que esses indivíduos sejam influenciados pela opção padrão.

As pessoas podem considerar a opção padrão como ponto de referência, considerando perdas e ganhos a partir desse ponto de tomada de decisões, pois as desvantagens de sair da posição atual parecem maiores do que as vantagens.

Efeito Status Quo Experiências mostram que, quando várias opções são dadas a determinados indivíduos, e uma

EXEMPLO (Samuelson e Zeckhauser)

Uma experiência envolvendo uma pergunta sobre o destino de uma grande soma em dinheiro. Oferecidas duas versões da questão, indicando o investimento em uma determinada empresa A como uma primeira possibilidade, e uma das versões indicando que uma parcela significativa da carteira poderia ser investida em risco moderado. Parcela significativa permaneceu com a primeira versão.

Efeito do Custo Afundado
Efeito do Custo Afundado

De acordo com a teoria econômica os custos que devem afetar decisões são apenas os custos

e benefícios incrementais, sendo os custos históricos ser considerados irrelevantes no processo decisório.

Porém, será que os consumidores realmente ignoram os custos afundados em suas decisões? Thaler (1980) questionou se realmente estes custos eram desconsiderados no momento da

decisão. Exemplo: Uma família paga R$ 40,00 em bilhetes para um jogo de basquete a ser realizado a 60 milhas de sua casa. No dia do jogo ocorre uma tempestade de neve e eles decidem ir de qualquer maneira, mas se por acaso os ingressos tivessem sido dados a eles, teriam ficado em casa (THALER, 1980, p. 08). A hipótese encontrada por Thaler (1980) foi que pagar pelo direito de usar um bem ou serviço iria aumentar a proporção que o bem seria

usado, ou seja, uma tendência ou insistência dos tomadores de decisão em continuar em

projetos onde já tivessem investido algo, ou melhor, que houvesse a presença de custos passados.

Este fenômeno de insistência irracional é traduzido como um compromisso assumido pelo tomador de decisão em continuar investindo numa ação, mesmo diante de informações negativas (SILVA; SOUZA; DOMINGOS, 2008). A essa insistência foi dado o nome de “Efeito Custo Afundado” (ARKES; BLUMER, 1985).

5 – Vieses Comuns – Causalidade e Estatísticas
5 – Vieses Comuns – Causalidade e Estatísticas

As pessoas muitas vezes se utilizam de dados de observações passadas para tirar conclusões sobre determinadas hipóteses.

Erros são cometidos quando as conclusões são tiradas a partir de um conjunto de informações, trazendo potenciais consequencias de algumas destas ações.

HEURÍSTICA DA DISPONIBILIDADE
HEURÍSTICA DA DISPONIBILIDADE

Há situações em que as pessoas avaliam a freqüência de uma classe ou a probabilidade de um evento pela facilidade com a qual elas podem ser trazidas à

memória (KAHNEMAN e TVERSKY, 1974) essa é a heurística da disponibilidade.

Viés da Facilidade de Lembrança
Viés da Facilidade de Lembrança

(Baseado na vividez e recentidade)

Os indivíduos julgam que os eventos mais facilmente recordados na memória, com base em sua vividez ou ocorrência recente, são mais numerosos do que aqueles de com igual freqüência cujos casos são menos facilmente lembrados.

Ao classificarmos as causas de mortes abaixo, tenderemos a dar maior importância àquelas que nos causam mais impacto. Tabaco

Dieta pobre e inatividade física

Acidentes de trânsito

Armas de fogo

Uso de drogas ilícitas

De acordo com o jornal da Associação Médica Americana (2004), as mortes causadas por tabaco e por dietas pobres e inatividade física representavam 435.000 e 400.000 respectivamente, enquanto que as mortes por trânsito, armas de fogo e uso de drogas representavam 43.000, 29.000 e 17.000 respectivamente.As mortes causadas pelos três últimos itens tem uma cobertura maior da mídia o que desvia nossa atenção para elas.

Viés da Recuperabilidade
Viés da Recuperabilidade

(Baseado em estruturas de memória)

Os indivíduos são enviesados em suas avaliações da freqüência de eventos, dependendo de como suas estruturas de memória afetam o processo de busca.

Ao solicitar que as pessoas estimassem a percentagem de palavras que começassem com a letra A e a percentagem de palavras que continham a letra A como terceira letra, as pessoas responderam que o primeiro caso era mais numeroso. Porém, as palavras que contém a letra A como terceira letra são mais numerosas.

Isso ocorre porque temos uma facilidade maior em recuperar palavras que se iniciam com a letra A.

Vieses que Emanam de Outras Heurísticas
Vieses que Emanam de Outras Heurísticas

VIÉS DA ARMADILHA DA CONFIRMAÇÃO

Os indivíduos tendem a buscar informações de confirmação para o que consideram ser verdadeiro e negligenciam a busca de indícios de não confirmação.

Justificar por vários motivos que a marca do fertilizante “A” é melhor que “B”, pois

crê nisso e busca informações que contribuam para esse pensamento, porém nunca buscou informações que fossem contrárias a essa crença.

HEURÍSTICA DA REPRESENTATIVIDADE
HEURÍSTICA DA REPRESENTATIVIDADE

Segundo Bazerman (1994) a Heurística da Representatividade é o julgamento

por estereótipo, onde as bases do julgamento são modelos mentais de

referência.

Os vieses quem emanam dessa Heurística são:

Falta de sensibilidade às proporções de base

Falácia da conjunção

Concepções errôneas sobre o acaso

Insensibilidade ao tamanho da amostra

Regressão à média

Viés - Falta de Sensibilidade as Proporções de Base
Viés - Falta de Sensibilidade as Proporções de Base

Os indivíduos tendem a ignorar as proporções da base na avaliação da probabilidade de eventos quando é fornecida qualquer outra informação descritiva, mesmo se esta for irrelevante.

EXEMPLO ( Kahneman)

Tom W. é um estudante de graduação da principal universidade de seu estado. Foi solicitado a diversas pessoas que indicassem a probabilidade de Tom cursar

as seguintes disciplinas:

Administração de empresas.

Ciências da computação Engenharia

Humanas e educação

Direito Medicina Biblioteconomia Ciências físicas e biológicas Ciências sociais e serviço social

A maioria indicou os percentuais de probabilidade de que Tom W. cursasse cada disciplina de acordo com a proporção, ou tamanho que cada disciplina representava na Universidade, conforme abaixo:

Administração de empresas 10%

Ciências da computação 5%

Engenharia 10%

Humanas e educação 35%

Direito 10%

Medicina 12%

Biblioteconomia 3%

Ciências físicas e biológicas 5%

Ciências sociais e serviço social 10%

Taxas base

Após a classificação inicial, foi fornecida aos indivíduos a seguinte descrição

psicológica de Tom W.:

Tom W. tem alto QI e é muito criativo. Tem grande senso de organização, gosta de espaços limpos e organizados, mantendo tudo em seu devido lugar. Sua escrita é

muito enfadonha e mecânica, ocasionalmente utiliza alguns trocadilhos bregas e tem alguns lampejos de imaginação relativos à ficção científica. É muito competente, porém tem pouco tato e pouca simpatia com as pessoas, não apreciando a interação com os outros. É egocêntrico e tem um alto sentido moral”.

Com base na avaliação psicológica de Tom, os indivíduos modificaram completamente

seus percentuais, conforme abaixo:

Administração de empresas 30%

Ciências da computação 70%

Engenharia 45%

Humanas e educação 20%

Direito 20%

Medicina 15%

Biblioteconomia 40%

Ciências físicas e biológicas 30%

Ciências sociais e serviço social 5%

Utilizando a lei da probabilidade total para calcular a probabilidade de Tom W. em cada departamento, temos:

Utilizando a lei da probabilidade total para calcular a probabilidade de Tom W. em cada departamento,
Utilizando a lei da probabilidade total para calcular a probabilidade de Tom W. em cada departamento,

Após a ponderação com o perfil de Tom, os percentuais de participação de algumas ciências foram elevados consideravelmente, como é o caso de Ciência da computação, onde a participação nas taxas base era de 5% e passou para 14%. No entanto, as taxas base ainda pesam no resultado final, como é o caso de Humanas e educação, onde a participação, antes de 35%, passou para 28%, ainda muito significativa.

ISSO COMPROVA O ERRO EM ATRIBUIR UM EXCESSO DE PESO AOS ESTEREÓTIPOS

Após a ponderação com o perfil de Tom, os percentuais de participação de algumas ciências foram
0,98
0,98
Viés - Falácia da Conjunção
Viés - Falácia da Conjunção

Os indivíduos julgam erradamente que as conjunções (dois eventos que ocorrem em conjunto) são mais prováveis do que um conjunto mais global de ocorrências do qual a conjunção é um subconjunto.

EXEMPLO

Considerando o perfil de Tom W., utilizado no exemplo anterior:

Tom W. tem alto QI e é muito criativo. Tem grande senso de organização, gosta de espaços limpos e organizados, mantendo tudo em seu devido lugar. Sua escrita é muito enfadonha e mecânica, ocasionalmente utiliza alguns trocadilhos bregas e tem alguns lampejos de imaginação relativos à ficção científica. É muito competente, porém tem pouco tato e pouca simpatia com as pessoas, não apreciando a interação com os outros. É egocêntrico e tem um alto sentido moral”.

É solicitada a classificação das seguintes declarações em ordem de probabilidade:

Tom W. é um técnico de informática

No verão, Tom tira férias em Maine

Tom gosta de assistir baseball

Tom é um ávido jardineiro

Às vezes Tom se perde em seus devaneios

Cerca de quatro vezes ao ano, Tom tom visita sua família

Tom é um ávido jardineiro e gosta de jogar World of Warcraft.

A quarta e a sétima declaração tem um ponto em comum. As pessoas acham

improvável que Tom seria um ávido jardineiro, conforme a descrição apresentada.

Contudo, quando a quarta declaração é apresentada com a declaração “gosta de

jogar World of Warcraft”, que os indivíduos acham provável, eles ignoram o conjunto e se concentram na parte da frase que eles acham que é provável.

A Falácia da Conjunção tem implicações importantes no mercado financeiro.

Imagine que uma ação exibiu uma taxa de retorno muito elevada recentemente. Em qual dos seguintes grupos as ações pertencem?

Ações ordinárias

Ações de tecnologia com ganhos muito altos.

Se a falácia da conjunção entrar em cena, poderemos encontrar investidores escolhendo o último grupo como mais provável do que o primeiro, que a inclui.

Viés - Concepções Errôneas Sobre o Acaso
Viés - Concepções Errôneas Sobre o Acaso

Os indivíduos esperam que uma seqüência de dados gerados por um processo

aleatório pareça ser "aleatória", mesmo quando for demasiado curta para que aquelas expectativas sejam estatisticamente válidas.

EXEMPLO

Seu amigo decide lançar uma moeda 10 vezes e acompanhar os resultados. Se cair CARA chamaremos de H e COROA de T. Qual dos seguintes resultados é mais provável?

HT HT HT HT HT

HH HH HH HH HH

TT TT TT TT TT

HT TH HH HT HH

Viés - Concepções Errôneas Sobre o Acaso Os indivíduos esperam que uma seqüência de dados gerados

Para muitos a resposta parece óbvia, pois os três primeiros resultados parecem muito improváveis de acontecer, e o último mais provável.

A lógica deste pensamento está errada, pois existem 1024 possíveis resultados para essa experiência, e cada um deles é igualmente provável, incluindo os quatro listados. Essa forma de pensar pode ter consequências desastrosas em finanças, pois investidores podem executar estratégias de negociação e análises técnicas, procurando por tendências de preços.Muitos investidores procuram encontrar padrões dos preços e agem sobre essas informações. Porém, um investidor que

encontra um padrão em uma variedade aleatória pode pagar o preço de seu erro.

Se assumirmos que para cada

resultado CARA ganharmos $ 1,00 e para cada resultado COROA perdermos $ 1,00, os gráficos ao lado corresponderão aos resultados

A lógica deste pensamento está errada, pois existem 1024 possíveis resultados para essa experiência, e cada
Viés - Insensibilidade ao Tamanho da Amostra
Viés - Insensibilidade ao Tamanho da Amostra

Os indivíduos, freqüentemente, não são capazes de considerar o papel do

tamanho da amostra na avaliação da confiabilidade das informações.

EXEMPLO

Um número desproporcionalmente grande de classes de alto aproveitamento pertencem a escolas pequenas. Ao ouvir essa declaração você provavelmente achará que isso é o que se espera de escolas menores, pois várias razões poderão

ser imaginadas, tais como: provavelmente escolas menores dão mais atenção aos

alunos; muitas escolas privadas são menores que a média e tem mais recursos, etc.

Agora imagine ouvir a seguinte declaração: “um número proporcionalmente

grande de classes de baixo desempenho pertence a escolas menores”.

Se não tivesse ouvido a primeira declaração, provavelmente você acharia razões

para justificar essa afirmação.

NÃO É O TAMANHO DA ESCOLA QUE ESTÁ RELACIONADA COM ALUNOS DE BAIXO OU ALTO DESEMPENHO, MAS SIM O TAMANHO DA AMOSTRA

DE ALUNOS QUE APRESENTA RESULTADOS EXTREMOS. NO ENTANDO OS

INDIVÍDUOS TENDEM A COLOCAR MAIS AÇÕES NAS OBSERVAÇÕES DE UMA AMOSTRA DE DADOS MENOR DO QUE É EXIGIDO.

Viés - Regressão à Média
Viés - Regressão à Média

Os indivíduos tendem a ignorar o fato de que eventos extremos tendem a regredir à média nas tentativas subseqüentes.

QUESTÕES

Derrames matam mais pessoas por ano do que os acidentes?

O que causa mais mortes; tornados ou asma?

O que é mais provável: morrer atingido por raios ou morte por botulismo?

As pessoas tendem a superestimar eventos que ficam mais latentes em suas memórias. 80% dos entrevistados acreditavam equivocadamente que acidentes

matam mais pessoas do que a asma, embora a asma seja 20 vezes mais mortal.

Viés - Regressão à Média Os indivíduos tendem a ignorar o fato de que eventos extremos
Viés - Regressão à Média Os indivíduos tendem a ignorar o fato de que eventos extremos
Quadro Resumo
Quadro Resumo
  • Vieses relacionados:

Viés 1: facilidade da lembrança (baseada em vividez e recenticidade) Heurística da disponibilidade Viés 2: recuperabilidade
Viés 1: facilidade da lembrança (baseada em vividez e recenticidade)
Heurística da
disponibilidade
Viés 2: recuperabilidade (baseada em estruturas da memória,
estratégias de busca)
Viés 3: Insensibilidade aos índices básicos
Viés 4: Insensibilidade ao tamanho da amostra
Heurística da
representatividade
Viés 5: Interpretações erradas de chance
Viés 6: Regressão à média
Viés 7: A falácia da conjunção
Heurística da
Viés 8: Armadilha da confirmação
Viés 9: Ancoragem
Viés 10: Vieses de eventos conjuntivos e disjuntivos
confirmação
Viés 11: Excesso de confiança
Viés 12: Previsão retrospectiva e a maldição do conhecimento
6 – Justiça e ética na tomada de decisão
6 – Justiça e ética na tomada de decisão
  • Exemplo 1

Você está terminando um MBA recebe uma oferta de trabalho por uma salário de US$ 90.000,00 por ano, a oferta te satisfaz, mas descobre que a empresa ofereceu R$

95.000,00 a outros alunos com a mesma formação e

qualidades que você. Você aceitará a oferta?

  • Exemplo 2

Um furação atinge uma cidade, a procura por materiais de

construção aumenta, poucas lojas sobrevivem, e uma pequena loja dobra os preços de seus produtos. Os aumentos são éticos? São racionais?

Percepções de justiça

Considerações sobre justiça podem levar em conta algumas

das limitações do poder de explanação dos modelos

econômicos.

O julgamento individual se desvia das expectativas sobre a oferta e demanda.

Pessoas reagem a ultimatos próprio interesse econômico.

e fazem escolhas

pelo

  • Justiça e Comparação social.

Quando as consequências da oferta e demanda parecem injustas:

Exemplo 1 Uma loja de ferragens vendia pás para remoção de neve por US$ 15. Na manhã seguinte após uma grande tempestade de neve, a loja aumenta o preço para US$ 20. Justo ou injusto? E se você for o dono da loja?

Injusto para 82% dos entrevistados.

Exemplo 2

Em uma comunidade com desemprego e sem inflação a

maior indústria reduz os salários em 7%. Justo ou injusto?

Injusto para 62% dos entrevistados. Em outra comunidade com desemprego e inflação de

12%, a maior indústria aumentou os salários em 5% - Justo ou

injusto? Injusto para 22% dos entrevistados.

Quando resistir a ultimatos “injustos”

  • O que é “ultimato”? - jogador 1 e jogador 2 -

  • Jogo da “poltrona do avião”.

  • Ultimato na compra de um produto na loja .

  • Jogo da “oferta

de

valores” –

na média

até

70% dos

fundos para o jogador 1.

  • Jogo do “ditador” – 64% deram algum valor ao jogador 2.

  • Imagens de ressonância magnética funcional (FMRI).

Quando nos preocupamos com os resultados

dos outros

  • Correlação positiva entre igualdade de pagamento de uma empresa e qualidade de seus produtos (Cowherd e Levine, 1992).

  • Diferenças de pagamentos dentro de um time da Major League Baseball (Depken, 2000).

  • Remuneração diferente entre ramos de atividade.

  • Distribuição US$ 400 US$ 400 (70%) X US$ 500 US$ 800.

Consequências Perversas das normas de

igualdade

  • Exemplo “compra de carro” US$ 16.400 ou US$ 16.600? Qual o real 50 50”?

As

expectativas

do

jogador

2

são

parcialmente

influenciadas por uma norma de igualdade.

  • Expectativa

de

justiça

causa

rejeição

de ofertas

economicamente favoráveis, mas também de situações “justas” prematuramente.

Por que julgamentos com justiça são

importantes?

  • Punição contra comportamentos injustos.

  • Jogo do ditador, recebedor e observador:

  • 55 % dos observadores puniram os ditadores mesmo perdendo dinheiro. (Fehr e Fischbacher, 2004)

  • Pessoas derivam uma satisfação mensurável com a “punição altruísta”.

Ética Limitada

Processos psicológicos que levam pessoas a tomarem parte em comportamentos eticamente questionáveis, que são incoerentes com sua própria ética preferida.

Poder

da

mente

subconsciente leva as pessoas

tomarem parte do comportamento antiético (Banaji e

Bhaskar, 2000).

  • 7 Exemplos de Ética Limitada:

Reivindicando mais crédito

As

pessoas,

inclusive

as

honestas,

acreditam

que

contribuem mais do que realmente fazem

Exemplo 1 Casais estimarem a porcentagem das tarefas domésticas que cada um realiza resultado 140% (Ross e Sicoly, 1979).

  • Reivindicar a mais pode ser um fator do nível organizacional

Exemplo 2 Joint ventures As partes normalmente são céticas quanto ao outro lado realizando sua parte.

Favoritismo no grupo

As pessoas tendem a favorecer os indivíduos ou grupos semelhantes a elas e discriminarem as diferentes.

Quando

são

analisados

recursos

escassos

(empregos,

financiamentos, etc) as minorias são prejudicadas.

Exemplo 1 Empréstimos bancários discriminatórios. (Messick e Bazerman, 1996)

Desconsiderando o Futuro

Acreditamos que devemos deixar o ambiente natural em um estado tão bom quanto herdamos.

  • O desejo de consumo e acumulo de riqueza faz com que

isso não aconteça.

Exemplo Muitas empresas deixam de usar materiais de construção ecologicamente corretos e mais econômicos no longo prazo para economizar nos custos de construção imediatos.(Ager e Dawes, 1965)

Atitudes implícitas

  • As pessoas criam estereótipos (raça, sexo, idade, etc) de outras pessoas mesmo sem intenção.

  • A pesquisa de Richeson mostra que os americanos ficam

menos à vontade em suas interações com americanos de

ancestrais africanos do que ancestrais europeus.

  • Implicit Association Teste (IAT) Teste psicológico criado em 1998 para testar o grau de expressão de estereótipos e preconceitos. Revela a força relativa e não a absoluta.

Psicologia dos conflitos de interesse

  • Acreditamos que somos imunes a conflitos de interesses

porém isso ocorre constantemente:

Exemplo 1 Corretora de imóveis aconselha aumentar sua oferta por um imóvel, para ganhar mais na corretagem.

  • A divulgação pode ser a melhor solução para o conflito de interesses ou enviesar ainda mais a escolha

Exemplo 2 - Divulgação políticos.

de doações a políticos

e partidos

Exemplo 3 Auditorias incorretas para manutenção do cliente e aumento dos lucros.

Comportamento indiretamente antiético

  • As pessoas tendem a “camuflar” o comportamento antiético.

Exemplo Indústria farmacêutica é única produtora de determinado medicamento, tem prejuízo na operação (custo de US$ 5 e receita de US$ 3), seria ético aumentar para US$ 9? A empresa decide então vender os direitos para outra empresa pequena que decide cobrar US$ 15 pelo remédio, a venda da fórmula é mais ou menos ética?

Analisando

as

opções

individualmente

a

maioria

dos

participantes respondeu que a venda da fórmula é mais ética.