Vous êtes sur la page 1sur 86

Mecânica dos Fluidos

Prof. Giovani Zabot


Sumário

 Fundamentos de Mecânica  Lei de Newton da


dos Fluidos Viscosidade
 Definição de Fluido  Viscosidade dinâmica e
cinemática
 Fluidos Compressíveis e
Incompressíveis  Tensor de tensões
 Campo de Velocidades
 Linha de corrente e campo
 Classificação do
escoamento
Sumário

 Pressão absoluta, manométrica

 Manômetro diferencial

 Pressão estática

 Pressão de estagnação

 Empuxo e estabilidade
Definição de Fluido

 Substância que se deforma continuamente quando


submetido à tensão de cisalhamento;
 Não resistem à deformação e podem fluir;
 Não suporta tensão de cisalhamento em equilíbrio
estático.

F F
Io I1 I2

I2 > I1 > Io

Sólido Fluido
Definição de Fluido

Fluido Contínuo

y Volume, 
massa, m 
Variação devido às
flutuações moleculares
yo Volume,  Variação associada
massa, m com a distribuição
C espacial da densidade

Valor local
da densidade
xo do fluido
x
zo ’ 

z
Métodos de Descrição

Observador Móvel

Observador (Estático) é
o Referencial Inercial
Linha de Corrente

Campo de Velocidades

 
V  V  x , y , z ,t 
   
V  ui  vj  wk

Linha de Corrente

 
u e v
y x
Linha de Corrente

t0 t0+Δt

t0+2Δt t0+3Δt

Retirado de: http://www.if.ufrgs.br/cref/werlang/aula2.htm


Classificação de Fluidos
Compressível e Incompressível
Compressível e Incompressível

V
M  tal que c = 340 m/s
c
Compressível e Incompressível
Laminar ou Turbulento
Newtoniano e Não-Newtoniano

Lei de Newton da du
viscosidade
 
dx
Newtoniano e Não-Newtoniano
Newtoniano e Não-Newtoniano

Viscoelásticos

 Fluidos que exibem características de sólidos;


 Propriedades viscosas e elásticas acopladas;
 Quando cessa a tensão de cisalhamento ocorre uma certa
recuperação da deformação
 Ex: Gelatina
Newtoniano e Não-Newtoniano

Newtoniano
 Viscosidade é constante;
 Tensão de deformação
dependem das taxas de
Tensão de Cisalhamento - τ

cisalhamento; Reopético

 Ex. Água, leite, óleo


Tensão inicial de

Fluidos Comuns
vegetal, soluções diluídas
Escoamento

de sacarose.

Tixotrópico
Taxa de deformação
constante
Tempo
Taxa de deformação por cisalhamento
Newtoniano e Não-Newtoniano

Reopético
𝜏 [𝑃𝑎]

𝜇 [𝑃𝑎 ∙ 𝑠]
Fluidos Comuns

Tixotrópico
Taxa de deformação
constante
𝛾 [1/𝑠]
Tempo
Fluidos não newtonianos
INDEPENDENTES do tempo
Newtoniano e Não-Newtoniano

Dilatante
 Viscosidade aparente
aumenta com o aumento da
tensão de cisalhamento;
Tensão de Cisalhamento - τ

Reopético
 Ex. Suspensões de areia (Areia
movediça), pois tende a
Tensão inicial de

Fluidos Comuns
Escoamento

endurecer quando a agitamos,


soluções poliméricas (gomas,
polissacarídeos), Tixotrópico
suspensão
deTaxa de deformação
ferro e pasta de cimento.
constante
 Piscina fluido
Tempodilatante
Taxa de deformação por cisalhamento
Newtoniano e Não-Newtoniano

Pseudoplástico

 A viscosidade aparente
diminui com o aumento da
Tensão de Cisalhamento - τ

tensão de cisalhamento;
Reopético
 Ex: Tinta Latex, grossa
quando vertida, mas fina
Tensão inicial de

Fluidos Comuns
Escoamento

quando espalhada com um


pincel sob forte tensão
aplicada, polímeros
Tixotrópico
Taxa de deformação
fundidos e em
constante solução e
Tempo
Taxa de deformação por cisalhamento suspenções.
Newtoniano e Não-Newtoniano

𝜏 [Pa]

𝜂 [𝑃𝑎 ∙ 𝑠]
𝛾 [1/𝑠]
Newtoniano e Não-Newtoniano

Plástico de Bingham

 Uma mínima tensão é


Tensão de Cisalhamento - τ

necessária para Reopético


que ocorra
o deslizamento;
Tensão inicial de

Fluidos Comuns
 Ex: Ketchup, não sai do
Escoamento

frasco até que uma tensão


seja aplicada, apertando o
Tixotrópico
tubo.
Taxa de deformação
constante
Tempo
Taxa de deformação por cisalhamento
Newtoniano e Não-Newtoniano

𝜂 [𝑃𝑎 ∙ 𝑠]
𝜏 [Pa]

Tensão inicial
𝜏0 ≈ 29 Pa

𝛾 [1/𝑠]
Newtoniano e Não-Newtoniano

Outra forma de gráfico

 No eixo y (ordenadas) ao
invés de tensão de
cisalhamento -Reopético
(τ) temos
agora viscosidade ;
 Por que η e nãoFluidos
μ? Comuns
 Observa-se que a
viscosidade dos fluidos
Tixotrópico
Newtonianos
Taxa de deformação é constante
constante
com a Tempo
taxa de deformação.
Newtoniano e Não-Newtoniano

h = altura da amostra;
x
x = deslocamento
γ = deformação.

h
 Taxa de deformação ou
(taxa de cisalhamento) =
gradiente de velocidade.

d

dh
Newtoniano e Não-Newtoniano
Fluidos não newtonianos
DEPENDENTES do tempo
Newtoniano e Não-Newtoniano

TixotrópicoPlástico Ideal de
Bingham

 Quando se mede a
 Uma mínima tensão Dilatante
é
viscosidade aparente à tensão
necessária para o
constante , detecta-se uma
Newtoniano
deslizamento;

η (Pa.s)
queda da viscosidade com o
 tempo
Ex: Ketchup, nãoestrutura).
(quebra de sai do
Tensão de Pseudoplástico
frasco até
Escoamento
Quando que uma
a tensão tensão
é eliminada
aseja aplicada,
estrutura apertando o
se recupera.
tubo.
 Ex: Algumas Tintas e Mel
Taxa de deformação
por cisalhamento
Newtoniano e Não-Newtoniano

Plástico Ideal de
Bingham
Reopético


 Neste caso, tensão
Uma mínima o efeitoé
Dilatante
contrário
necessária é medido:
para um o
aumento de viscosidade
deslizamento;
Newtoniano

η (Pa.s)
 aparente com não
Ex: Ketchup, o tempo de
sai do
Tensão de Pseudoplástico
cisalhamento;
frasco até que uma tensão
Escoamento
 Ex:
seja aplicada, Lubrificantes,
apertando o
suspensões
tubo.
Taxa de deformação
por cisalhamento
Lei de Newton da viscosidade

du
 
dx
Unidades SI
Viscosidade Absoluta ou Viscosidade N·s/m2 ou Pa·s.
Dinâmica do Fluido
dinâmica (Equivalente a 10 poise)

Viscosidade Cinemática Viscosidade


m2/s
cinemática



Comportamento da Viscosidade

Fluido Comportamento Fenômeno


Observa-se um pequeno espaçamento entre
moléculas pequeno e ocorre a redução da
Líquidos A viscosidade diminui com a temperatura.
atração molecular com o aumento
da temperatura
Observa-se um grande espaçamento entre
A viscosidade aumenta com a moléculas e ocorre o aumento do choque
Gases
temperatura. entre moléculas com o aumento da
temperatura.
Comportamento da Viscosidade
Exemplo 1 - pág. 08

Exemplo no1, página 08. Apostila 2ª Ed.:

1) Um líquido possui viscosidade dinâmica (μ) igual a 0,65cP e


densidade relativa igual a 0,90. A viscosidade cinemática (v) é:

a)7,2x10-4 m2/s
b)7,2x10-5 m2/s
c)7,2x10-6 m2/s
d)7,2x10-7 m2/s
e)7,2x10-8 m2/s
Resolução - Exemplo 1 - pág. 08

1)Um poise (1P) é igual a 1g/(cm.s) = 0,1 kg/(m.s) em unidades do


SI.
2)A densidade do fluido é 0,9 da densidade da água (103 kg/m3)

A viscosidade cinemática é

 0, 65 cP 0, 65 10 2 10 1 kg  m 1  s 1
    7, 2  10 7
m 2
/s
 0,9 10 kg  m
3 3
0,9 10 kg  m
3 3

Alternativa d) ATENÇÃO gabarito errado na apostila


Exemplo 2 - pág. 09

Exemplo no2, página 09. Apostila 2ª Ed.:

2) Um fluido em repouso é um meio considerado isótropo,


relativamente à distribuição das pressões a que está sujeito. Havendo
movimento, surgem forças tangenciais devido à viscosidade do fluido
em questão. Sobre o tema, o gráfico a seguir mostra um diagrama
cartesiano com várias situações, tendo na ordenada as tensões de
cisalhamento (δ=F/S) e na abscissa os gradientes de velocidade
ΔV/Δn, onde F é força, S é área de elementos planos no sentido do
fluxo, V é a velocidade e n, a distância entre dois elementos planos.
Exemplo 2 - pág. 09

Associando-se o enunciado com o gráfico y


acima, pode-se afirmar que a linha: A
a) C representa um fluido Newtoniano e o

Tensão de cisalhamento
eixo y, um sólido elástico.
b) B representa um sólido elástico e A, um B
plástico.
c) A representa um plástico e B, um fluido
C
Newtoniano.
d) A representa um fluido Não-Newtoniano
e o eixo x, um fluido ideal.
e) A representa um fluido Newtoniano e C,
Gradiente de velocidade x
um fluido ideal.
Completar na apostila
Resolução - Exemplo 2 - pág. 09

Algumas observações

Isótropo:
As propriedades do fluido não se altera com a posição.

Fluidos newtonianos:
1) Relação proporcional entre o gradiente de velocidade e a tensão de
cisalhamento entre as camadas de fluido.
2) A constante de proporcionalidade é a viscosidade dinâmica (μ).
Fluidos não newtonianos:
1) Não respeitam a relação de proporcionalidade (relação não linear)
entre o gradiente de velocidade e a tensão de cisalhamento entre as
camadas de fluido.
2) E possuem viscosidade aparente.
Fluido Ideal:
1) Não possui viscosidade, e portanto não possui também tensão de
cisalhamento, por isso não respeitam o principio do não deslizamento.
Resolução - Exemplo 2 - pág. 09

Dessas observações, pode-se concluir


que:
 O fluido A é um fluido não newtoniano
Tensão de Cisalhamento - τ

plástico de Bingham;
 O fluido B é um fluido pseudoplástico;
de Escoamento

 O fluido C é um fluido newtoniano.


Tensão inicial

 O eixo x representa um fluido ideal

Fluido ideal
Taxa de deformação por cisalhamento

Alternativa d)
Exemplo 3 - pág. 10

3) Acerca dos fluidos reais e dos fluidos perfeitos, julgue os seguintes itens.
I. Ambos devem obedecer à lei de Newton da viscosidade.
II. Ambos são regulados pela segunda lei de Newton.
III. Ambos obedecem à lei de conservação de massa.
IV. Em ambos os fluidos, o campo de tensões é dado pela viscosidade
molecular e pelos gradientes de velocidade.
V. Ambos os fluidos devem atender à condição de não deslizamento.
VI. Tais fluidos são capazes de penetrar superfícies sólidas.

Estão certos apenas os itens


a)I, IV, e V.
b)I, IV, e VI.
c)II, III e V.
d)II, III e VI.
e)III, V e VI.
Resolução - Exemplo 3 - pág. 10

Solução:
Acerca dos fluidos reais e dos fluidos perfeitos, julgue os seguintes itens.
I. Ambos devem obedecer à lei de Newton da viscosidade.

Lei de Newton da Viscosidade


Errada!
du
 
dx
Só se aplica aos Fluidos Newtonianos
Resolução - Exemplo 3 - pág. 10

Solução:
Acerca dos fluidos reais e dos fluidos perfeitos, julgue os seguintes itens.
II. Ambos são regulados pela segunda lei de Newton.

Verdadeira! Qualquer fluido é composto de partículas com


massa e responde à lei de proporcionalidade
entre força resultante e aceleração: F = m.a.

A segunda Lei da Newton muitas


vezes é denominada Equação da
Quantidade de Movimento
Resolução - Exemplo 3 - pág. 10

Solução:
Acerca dos fluidos reais e dos fluidos perfeitos, julgue os seguintes itens.
III. Ambos obedecem à lei de conservação de massa.

Verdadeira! A lei de conservação da massa é universal


para fluidos

A massa não é criada e nem destruída!


Resolução - Exemplo 3 - pág. 10

Solução:
Acerca dos fluidos reais e dos fluidos perfeitos, julgue os seguintes itens.
IV. Em ambos os fluidos, o campo de tensões é dado pela viscosidade
molecular e pelos gradientes de velocidade.

Fluido Perfeito Campo de


Errada! μ=0
ou Ideal tensões nulo

Campo de tensões pode


variar com o tempo e
Fluido Real μ≠0 não se trata de tensões
moleculares
Resolução - Exemplo 3 - pág. 10

Solução:
Acerca dos fluidos reais e dos fluidos perfeitos, julgue os seguintes itens.
V. Ambos os fluidos devem atender à condição de não deslizamento.

Condição de Não-Deslizamento

U=0 U U≠0

U=0 U=0

τ
n
 
du  du 
dx
 0  k  
τ
E se fosse HB
 dx 
Resolução - Exemplo 3 - pág. 10

Solução:
Acerca dos fluidos reais e dos fluidos perfeitos, julgue os seguintes itens.
V. Ambos os fluidos devem atender à condição de não deslizamento.

Fluido Perfeito Não atende a condição


Errada! μ=0
ou Ideal de não deslizamento!

U U=0

U=0
Resolução - Exemplo 3 - pág. 10

Solução:
Acerca dos fluidos reais e dos fluidos perfeitos, julgue os seguintes itens.
VI. Tais fluidos são capazes de penetrar superfícies sólidas.

Verdadeira! Qualquer fluido pode penetrar superfícies


sólidas dependendo dos poros do sólido e
da viscosidade do fluido, então partiremos
do pressuposto que os poros e a
viscosidade não são limitantes para a
penetração.
Resolução - Exemplo 3 - pág. 10

I – errado. A lei de Newton da viscosidade só se aplica a fluidos newtonianos (é a


relação linear entre gradiente de velocidade e tensão).
II – certo. Qualquer fluido é composto de partículas com massa e responde à lei de
proporcionalidade entre força resultante e aceleração: F = m.a.
III – certo. A lei de conservação da massa é universal para fluidos, a massa não é
criada nem destruída.
IV – errado. O fluido perfeito tem campo de tensões nulo, pois não possui
viscosidade. O fluido real possui um campo de tensões que pode inclusive depender
do tempo e não se trata de tensões moleculares.
V – errado. O fluido ideal não atende a condição de não deslizamento, uma vez que
a viscosidade dele é nula.
VI – certo. Qualquer fluido pode penetrar superfícies sólidas dependendo dos
orifícios do sólido e da viscosidade do fluido.

Alternativa d)
Exemplo 4 - pág. 11

4) Ao estudar fluidos em movimentos, é interessante conhecer a descrição de


um campo de velocidade. Em se tratando de escoamentos é correto afirmar
que:
I – Embora a velocidade seja uma quantidade vetorial, exigindo uma
magnitude e uma direção para uma completa descrição, o campo de
velocidades é um campo escalar.
II – Se as propriedades em cada ponto de um campo de escoamento não
mudam com o tempo, o escoamento é denominado permanente.
III – Linhas de corrente são aquelas desenhadas no campo de escoamento de
forma que, num dado instante, são perpendiculares à direção do escoamento
em cada ponto do campo.

Estão corretas as alternativas:


a) II e III apenas.
b) I e II apenas.
c) III apenas.
d) I e III apenas.
e) II apenas.
Resolução - Exemplo 4 - pág. 11

4) Ao estudar fluidos em movimentos, é interessante conhecer a descrição de


um campo de velocidade. Em se tratando de escoamentos é correto afirmar
que:
I – Embora a velocidade seja uma quantidade vetorial, exigindo uma
magnitude e uma direção para uma completa descrição, o campo de
velocidades é um campo escalar.

Errada!

Magnitude, Campo de
Velocidade é Sentido e velocidades também
um vetor Direção deve ser um vetor
Resolução - Exemplo 4 - pág. 11

Ao estudar fluidos em movimentos, é interessante conhecer a descrição de um


campo de velocidade. Em se tratando de escoamentos é correto afirmar que:
II – Se as propriedades em cada ponto de um campo de escoamento não
mudam com o tempo, o escoamento é denominado permanente.

Campo de
Escoamento
Verdadeira! escoamento não
Permanente
muda com o tempo.
Resolução - Exemplo 4 - pág. 11

Ao estudar fluidos em movimentos, é interessante conhecer a descrição de um


campo de velocidade. Em se tratando de escoamentos é correto afirmar que:
III – Linhas de corrente são aquelas desenhadas no campo de escoamento de
forma que, num dado instante, são perpendiculares à direção do escoamento
em cada ponto do campo.

Errada!

Tangenciais à  
Linha de
direção do u ev
Corrente
Escoamento y x
Resolução - Exemplo 4 - pág. 11

I – errado. Uma vez que a velocidade é uma quantidade vetorial, que para a sua
completa descrição exige uma magnitude e direção, o campo de velocidades é um
campo vetorial.
II – correto. Se as propriedades em cada ponto de um campo de escoamento não
mudam com o tempo, o escoamento é denominado permanente.
III – errado. Num dado instante, as linhas de corrente são tangentes à direção do
escoamento em cada ponto do campo.

Alternativa e)
Exemplo 5 - pág. 11

5) Considere que o gráfico abaixo mostre o resultado de um experimento


realizado com os fluidos A, B, C e D, para os quais foi medida, nas mesmas
condições, a variação da velocidade do escoamento com a temperatura. Nessa
situação, qual dos fluidos irá apresentar a menor viscosidade, para
temperaturas acima de 15 °C?
a) A
b) B
c) C
d) D
e) Todos apresentam a mesma
viscosidade

Em um escoamento, a viscosidade está


relacionada com a dissipação de
energia do fluido, desta forma quanto
menor a viscosidade, maior será a
velocidade do escoamento, uma vez
que as perdas por fricção serão
menores. Portanto, alternativa a).
Exercícios 1 – pág. 12

Caiu no Concurso! (PETROBRAS – Engenharia Mecânica – 2011)

1- Em relação a algumas características dos fluidos, analise as afirmativas a seguir.


I. Os fluidos newtonianos são aqueles em que a tensão de cisalhamento é diretamente
proporcional à taxa de deformação.
du
II.A lei de Newton da viscosidade para um escoamento unidimensional dada por ,  yx  
dy
onde τ é a tensão de cisalhamento, u é a velocidade e μ é a viscosidade cinemática.
III. Nos líquidos, a viscosidade aumenta com o aumento da temperatura, enquanto, nos
gases, a viscosidade diminui com o aumento da temperatura.
IV. Um fluido que se comporta como um sólido até que uma tensão limítrofe seja
excedida, e em seguida, exibe uma relação linear entre a tensão de cisalhamento e a taxa
de deformação, é denominado plástico de Bingham ou plástico ideal.
Estão corretas APENAS as afirmativas:
a.I e II.
b.I e IV.
c.II e III.
d.I, II e III.
e.II, III e IV.
Resolução - Exercícios 1 – pág. 12

Solução:

I. Os fluidos newtonianos são aqueles em que a tensão de cisalhamento é diretamente


proporcional à taxa de deformação.

Verdadeira! Fluido Newtoniano

du du
μ é constante    
dx dx
Resolução - Exercícios 1 – pág. 12

Solução:

II. A lei de Newton da viscosidade para um escoamento unidimensional é dada por


du
 yx   onde τ é a tensão de cisalhamento, u é a velocidade e μ é a viscosidade
dy
cinemática.

Errada! μ é a viscosidade dinâmica


Resolução - Exercícios 1 – pág. 12

Solução:

III. Nos líquidos, a viscosidade aumenta com o


aumento da temperatura, enquanto, nos gases,
a viscosidade diminui com o aumento da
temperatura.

Errada! Líquido Temp. Aumenta μ diminui

Gases Temp. Aumenta μ aumenta


Resolução - Exercícios 1 – pág. 12

Solução:

IV. Um fluido que se comporta como um sólido até que uma tensão limítrofe seja
excedida, e em seguida, exibe uma relação linear entre a tensão de cisalhamento e a
taxa de deformação, é denominado plástico de Bingham ou plástico ideal.

Tensão de Cisalhamento - τ
Tensão inicial
Verdadeira!

Taxa de deformação por cisalhamento


Resolução - Exercícios 1 – pág. 12

Solução:

I. Os fluidos newtonianos são aqueles em que a tensão de cisalhamento é diretamente


proporcional à taxa de deformação. (Verdadeira)
II. A lei de Newton da viscosidade para um escoamento unidimensional dada por ,
du
 yx   onde τ é a tensão de cisalhamento, u é a velocidade e μ é a viscosidade
dy
cinemática. (Falsa)
III. Nos líquidos, a viscosidade aumenta com o aumento da temperatura, enquanto, nos
gases, a viscosidade diminui com o aumento da temperatura. (Falsa)
IV. Um fluido que se comporta como um sólido até que uma tensão limítrofe seja
excedida, e em seguida, exibe uma relação linear entre a tensão de cisalhamento e a
taxa de deformação, é denominado plástico de Bingham ou plástico ideal.
(Verdadeira)

Alternativa b)
Exercícios 21 – pág. 13

(PETROBRAS – Engenharia Processamento –


Caiu no Concurso! 2010)
2- Um fluido newtoniano de viscosidade absoluta/dinâmica μ escoa entre duas
placas planas paralelas que estão separadas por uma distância 2 h, com o
seguinte perfil de velocidades: v  vm áx[1  ( y / h)²] , em que v é velocidade,
vmáx é velocidade máxima e y é distância medida perpendicularmente às
placas. O módulo da tensão cisalhante no fluido, a uma distância h/10 das
placas, é:
a) 0 ,1vmax / h

b) 0 ,2 vmax / h

c) 1,8 vmax / h

d) 2 ,0 vmax / h

e) 2 ,2 vmax / h
Resolução - Exercícios 21 – pág. 12

Deve obedecer a condição


Fluido Newtoniano
de não deslizamento.

2h v  vm áx[1  ( y / h)²]

Tensão de Cisalhamento (τ) à h/10 das placas?

Onde está a referência para y?

Se y  h ou  h  v0 Parede  Condição de Não deslizamento!


Se y  0  v  v máx Centro do Tubo

h
Referência para y se encontra no centro do tubo! y  h
10
9h
Portanto, devemos encontrar τ(y=9h/10)! y 
10
Resolução - Exercícios 21 – pág. 12

Deve obedecer a condição


Fluido Newtoniano
de não deslizamento.

2h v  vm áx[1  ( y / h)²]

Sempre ver onde está


τ(y=9h/10)? dv o eixo de referência, é
 comum ele coincidir
dy
com o eixo de simetria
   y 2  
d v máx 1     
 
dv    h   y
  2 v máx 2
dy dy h
y  9h  9h  1,8v máx
   2v máx   y     2v 
 10 
máx
h2 10h 2 h
 9h  1,8v máx
   
 10  h Alternativa c)
Exercícios 37 – Pag. 106

Caiu no Concurso! (PETROBRAS – Engenharia SUAPE – 2010)

37 - A respeito dos fluidos newtonianos e não-newtonianos, verifica-se que o(s)


fluido(s):
a) Não-newtoniano dilatante tem como exemplo o plástico de Bingham.
b) Não newtoniano, na viscosidade aparente é uma propriedade constante que
identifica cada fluido.
c) Reopéticos mostram um decréscimo da viscosidade aparente com o tempo
quando submetidos a uma tensão cisalhante constante.
d) Dilatantes mostram um aumento da viscosidade aparente com o tempo quando
submetidos a uma tensão cisalhante constante.
e) Nos quais a viscosidade aparente decresce, conforme a taxa de deformação
aumenta, são chamados pseudoplásticos.
Exercícios 37 – Pag. 106

Verifica-se que o(s) fluido(s):

a) Não newtoniano dilatante


tem como exemplo o plástico
de Bingham
Tensão de Cisalhamento - τ

Errada!
Tensão inicial de
Escoamento

Ideal fluid
Taxa de deformação por cisalhamento
Exercícios 37 – Pag. 106

Verifica-se que o(s) fluido(s):

b) Não newtoniano, a viscosidade


aparente é uma propriedade
constante que identifica cada
fluido.
Errada! Reopético

Apenas o fluidoFluidos
de Comuns
Bingham tem a viscosidade
aparente como
propriedade constante

Tixotrópico
Taxa de deformação
constante
Tempo
Exercícios 37 – Pag. 106

Verifica-se que o(s)


fluido(s):

c) Reopéticos mostram
um decréscimo da
viscosidade aparente
com o tempo quando

𝜏 (𝑃𝑎)
submetidos a uma
tensão cisalhante
constante.

Errada!

A viscosidade aparente dos


fluidos reopéticos aumenta
com o tempo!
Exercícios 37 – Pag. 106

Verifica-se que o(s) fluido(s):

d) Dilatantes mostram um
aumento da viscosidade
aparente com o tempo
quando submetidos a uma
Tensão de Cisalhamento - τ

tensão cisalhante constante.


Reopético

Errada!
Tensão inicial de
Escoamento

Fluidos Comuns

A viscosidade aparente dos


fluidos dilatantes não se
altera com o tempo quando
submetidos à umaTixotrópico
tensão de
Ideal fluid cisalhamento constante!
Taxa de deformação
constante
Taxa de deformação por cisalhamento Tempo
Exercícios 37 – Pag. 106

Verifica-se que o(s) fluido(s):

e) Nos quais a viscosidade


aparente decresce, conforme a
taxa de deformação aumenta,
Tensão de Cisalhamento - τ

são chamados pseudoplásticos


Tensão inicial de

Verdadeira!
Escoamento

Alternativa e)

Ideal fluid
Taxa de deformação por cisalhamento
Exercícios 7 – Pag. 112

7 - Um escoamento laminar em tubos, com temperatura de parede constante, que


apresenta uma diferença muito grande entre a temperatura da parede e do fluido,
altera o perfil de velocidade, conforme mostrado na figura a seguir.

Os números I e II da figura representam:


( ) gás aquecendo;
( ) gás resfriando;
( ) líquido aquecendo;
( ) líquido resfriando;

A sequência correta é:

a)I,II,I,II
b)I,II,II,I
c)II,I,I,II
d)II,I,II,I
e)II,II,I,I
Exercícios 7 – Pag. 112

dy1
du1

dy2

du2

du1 du2
 
dy1 dy2
Exercícios 7 – Pag. 112

Apresenta uma diferença du1 du2


muito grande entre a  
dy1 dy2
temperatura da parede e do Gás
fluido
Aquec. T↑ μ↑ vel. ↓ du/dy ↓ II

Resfria T↓ μ↓ vel. ↑ du/dy ↑ I

Líquido
Aquec. T↑ μ ↓ vel. ↑ du/dy ↑ I

A sequência correta é:
Resfria T↓ μ ↑ vel. ↓ du/dy ↓ II

a)I,II,I,II Os números I e II da figura representam:


b)I,II,II,I ( II ) gás aquecendo;
c)II,I,I,II ( I ) gás resfriado;
d)II,I,II,I ( I ) líquido aquecendo; Alternativa c)
e)II,II,I,I ( II) líquido resfriando;
Exercício Avulso 1

Uma placa infinita move-se sobre uma segunda placa, havendo entre elas uma
camada de líquido, como mostrado. Para uma pequena altura da camada, d,
podemos supor uma distribuição linear de velocidade no líquido. A viscosidade do
líquido é 0,65 centipoise e sua densidade relativa é 0,88. Determine:

a) A viscosidade absoluta do líquido,

b) A viscosidade cinemática do líquido,

c) A tensão de cisalhamento na placa superior,

d) A tensão de cisalhamento na placa inferior,

e) O sentido de cada tensão cisalhante calculada nas partes c e d.


Resolução - Exercício Avulso 1

a) Viscosidade absoluta?
1)Um poise (1P) é igual a 1g/(cm.s) = 0,1 kg/(m.s) em unidades do SI.
2)A densidade do fluido é 0,9 da densidade da água 103 kg/m3)

A viscosidade dinâmica (ou absoluta) em (Pa s) é:

  0, 65 cp
 g   kg 10 cm 
2
  0, 65 10 2
 3 
 cm  s   10 g m  s 
 kg 
  0, 65 10 3  
 ms 
  6,5 10 4  Pa  s 
Resolução - Exercício Avulso 1

b) Viscosidade cinemática?

 
 
  relat   H O
2

A viscosidade dinâmica (ou absoluta) é



 relat   H O
2

6,5 10 4
    7,386  10 7
m 2
/s
0,88 10 3
Resolução - Exercício Avulso 1

c) A tensão de cisalhamento na placa superior?

du
 superior = yx,superior =
dy y d

Como u varia linearmente com y.

du u U  0 U 0,3
    3
 10 3 -1
s
dy y d  0 d 0,3 10
U
 superior    6,5 10 4 103  0, 65 Pa
d
Resolução - Exercício Avulso 1

d) A tensão de cisalhamento na placa inferior?


U
 inferior =  0, 65 Pa
d
e) Sentido das tensões de cisalhamento nas placas superior e inferior?

A placa superior é uma superfície de y negativo, portanto, a 


 
 tensão positiva  yx age no sentido de x negativo. 
A placa inferior é uma superfície de y positivo, portanto, a 
 
 tensão positiva  yx age no sentido de x positivo. 
Então constatamos que a tensão de cisalhamento é:
 Constante para um perfil de velocidade linear;
 Diretamente proporcional à velocidade da placa superior (devido à linearidade
dos fluidos Newtonianos),
 Inversamente proporcional ao espaçamento entre as placas.
A força requerida para manter o movimento é obtida pela multiplicação da tensão
pela área da placa.
Resolução - Exercício Avulso 2

A distribuição de velocidade para o escoamento laminar desenvolvido entre placas


paralelas é dada por
2
u  2y 
 1  
umax  h 
na qual h é a distância que separa as placas, e a origem está situada na linha
mediana entre as placas. Considere um escoamento de água a 15oC, com
umax=0,10m/s e h=0,1mm. Calcule a tensão de cisalhamento na placa superior e dê
o seu sentido. Esboce a variação da tensão de cisalhamento numa seção
transversal do canal.
du
 yx  
dy
du d     2 y   
2
 4  8umax  y
 umax 1       umax  2   2 y  
   
2
dy dy   h   h h
8    umax  y
 yx  
h2
Resolução - Exercício Avulso 2

Para a área superior temos as seguintes informações:


y = h/2 h=0,1mm umax=0,1m/s μ=1,14·10-3 Pa.s

0,1 3
8  1,14 10 3  0,1 10
 yx  2
 0,110 
3 2

N A placa superior é uma superfície de y negativo, portanto, a 


 yx  4,56  
m2
 tensão negativa (  yx < 0) age no sentido de x positivo. 

A tensão de cisalhamento varia linearmente com o y conforme podemos constatar:

 8    umax 
 yx    y
 
2
h
Resolução - Exercício Avulso 2

Então podemos gerar o seguinte gráfico:

y (mm)

Tensão de cisalhamento (Pa)


Resolução - Exercício Avulso 3

Explique como um patim interage com a superfície de gelo. Que mecanismos agem
no sentido de reduzir o atrito de deslizamento entre o patim e o gelo?
Resolução - Exercício Avulso 3

A temperatura de fusão do gelo é 0oC a pressão atmosférica. A temperatura de fusão


do gelo diminui com o aumento da pressão. Então o gelo pode derreter a uma
temperatura abaixo da temperatura normal de fusão se o gelo for submetido a um
aumento de pressão.
Um patinador se equilibra sobre as lâminas relativamente estreitas com uma área de
contato pequena com o gelo. Uma lâmina de um patim típico é inferior a 3mm de
largura. O comprimento da lâmina em contato com o gelo pode ser de apenas
10mm. Então um patinador com 75 kg se apoiando no gelo por uma área de 3mm x
10mm gerará uma pressão no gelo de:
F m g 75  9,8
P   3 3
 24,5 MPa
A A 3 10  10 10
Aproximadamente 241,8 atmosfera, sendo essa pressão suficiente para fazer com
que o gelo derreta rapidamente, então uma fina camada de água se forma entre a
lâmina do patins e o gelo fazendo com que o patinador deslize sobre o gelo.

Isso também ocorreria se fosse gelo seco?


Resolução - Exercício Avulso 3

Diagrama PVT do CO2


Resolução - Exercício Avulso 4

Um pistão de alumínio (ρrelativa=2,64) com 73mm de diâmetro e 100mm de


comprimento, está em um tubo estacionário com 75mm de diâmetro interno. O
espaço anular entre os tubos é ocupado por óleo SAE 10W a 25oC. Uma massa
m=2kg está suspensa na extremidade inferior do pistão, como mostrado na figura. O
pistão é colocado em movimento, cortando-se a corda de suporte. Qual é a
velocidade terminal da massa m? Considere um perfil de velocidade linear dentro do
óleo.

Tubo estático
Resolução - Exercício Avulso 4

Com a informação de que o perfil de velocidade no óleo é linear podemos deduzir


que a velocidade com que o pistão cai é constante, ou seja:

FpesoM  FpesoPistão   rz  A
    D pistão 2  L    d 
 mM   relativa   água 


   g    Vz     D pistão  L 
  4   dr 
d Vz
Vz 
dr  Dtubo  D pistão 
 
 2 
g   4mM   relativa   água    D pistão 2  L    Dtubo  D pistão 
Vz 
8      D pistão  L
Vz  10, 2 m/s
Discussão

Mecânica dos fluidos e os rolamentos fluidodinâmicos

Roda de Falkirk

http://www.youtube.com/watch?v=J-RLPC4O-Xo