Vous êtes sur la page 1sur 33

Etnoconservação e Metodologias em

Educação Ambiental-2018

Planejamento e gestão de ANP


Wanderley Jorge da Silveira Junior
Educação Ambiental

O que é educação ambiental?


O que é educação?
O que é meio ambiente?
Porque temos várias forma de fazer Educação ambiental?
O que é a educação ambiental transformadora?
Qual o papel da participação na Educação Ambiental para gestão
ambiental?
O que é Educação Ambiental?

Professor : Wanderley Silveira Junior


O que é Educação?

Professor : Wanderley Silveira Junior


Educação
 O que é educação?

A educação é um subsistema subordinado e


articulado ao macrossistema social. Desta forma, as
diversas práticas e concepções educativas não
possuem uma realidade autônoma, mas estão
subordinadas a contexto social mais amplo que
condiciona seu caráter e sua direção pedagógica e
política (CARVALHO , 1998) .

Professor : Wanderley Silveira Junior


O que é Educação?

 Segunda Lima (2008), o processo educativo não é neutro e


objetivo, destituído de valores, interesses e ideologias.

Ao contrário, a educação é uma construção social


repleta de subjetividade, de escolhas valorativas e
de vontades políticas, dotada de uma especial
singularidade, que reside em sua capacidade
reprodutiva dentro da sociedade. Ela significa,
portanto, uma construção social estratégica dentro
da sociedade, por estar envolvida na socialização e
formação dos indivíduos e de sua identidade social e
cultural.

Professor : Wanderley Silveira Junior


Educação

“Impregnar de sentido” as práticas, os atos cotidianos.

(GUTIERREZ, 1995)

Professor : Wanderley Silveira Junior


Educação

“É um dialogo de Saberes”

(FLORIANNI, 2000)

Professor : Wanderley Silveira Junior


Ensinar e aprender

Professor : Wanderley Silveira Junior


educação-educar
educar-educare
ex-fora
ducere-guiar

Professor : Wanderley Silveira Junior


O que é Meio ambiente?

Professor : Wanderley Silveira Junior


Defina meio ambiente

Professor : Wanderley Silveira Junior


A CONCEPÇÃO DE AMBIENTE DETERMINA

• Como se vê o ambiente
• A educação ambiental que será desenvolvida
• Como será dirigido o olhar aos educandos
• Os conteúdos eleitos (conceituais,
procedimentais e atitudinais)
• As estratégias escolhidas

Professor : Wanderley Silveira Junior


Meio ambiente-Ecologia clássica

Ricklefs (1973) “...o que circunda um organismo, incluindo as


plantas e os animais, com os quais ele interage”.

Dicionário Francês de ecologia(1982): “ conjunto de fatores


bióticos ou abióticos do hábitat suscetíveis de terem efeitos
diretos sobre os seres vivos e, compreende-se, sobre o homem.”

Duvigneaund (1984)”...se compõe de dois aspectos: a) meio


ambiente abiótico físico e químico e b) meio ambiente biótico”.

Professor : Wanderley Silveira Junior


Meio Ambiente
“O lugar determinado ou percebido, onde os
elementos naturais e sociais estão em relações
dinâmicas e em interação. Essas relações implicam
processos de criação cultural e tecnológica e
processos históricos e sociais de transformação do
meio natural e construído”(REIGOTA, 2004)”.
Histórias e memórias da EA

 Lima (2008), define como uma polaridade entre


duas grandes correntes EA:
 Emancipatória ou transformadora
 Multidimensionalidade da questão ambiental;
 Atitude crítica (crise civilizatória);

 Participação social e democracia como premissas;

 Estimula o dialogo entre as ciências;

 Não nega tecnologia, mas não a elege como principal


“ EA Transformadora não é aquela que surge
motivada por algum fato concreto e se limita a ele,
mas que problematiza toda realidade a partir de uma
realidade específica”.

(LOUREIRO, 2008)
Histórias e memórias da EA

 Conservadora
 Concepção reducionista, fragmentada e unilateral da questão
ambiental;
 Uma compreensão naturalista e conservacionista de crise
ambiental;
 Sobrevaloriza a tecnologia;

 Leitura comportamentalista da educação e dos problemas


ambientais;
 Separação das dimensões sociais e naturais;

 banalização da participação e cidadania e

 Responsabilização dos impactos ambientais a um homem


genérico .
Histórias e memórias da EA
Uma “cartografia” das correntes de EA (Sauvé,2004)
 Naturalista; Holística,
 conservacionista/recursista; Biorregionalista
 Resolutiva práxica,
crítica,
 Sistêmica; feminista,
 científica, etnográfica,
 humanista, Ecoeducação,
 moral/ética Para a
sustentabilidade.
Consequências

 Algumas práticas pontuais e descontextualizadas;


 adestramento ambiental que não promove mudança
de atitude frente aos problemas ambientais;
 Disciplina responsável por apresentar conceitos
ecológicos;
 Várias práticas que não são EA acabam sendo
realizadas como tal. Ex: interpretação Ambiental
Educação ambiental
transformadora: a participação
como premissa para gestão
ambiental
Art. 225 CF

“Todos têm direito ao meio ambiente


ecologicamente equilibrado, bem de uso comum
do povo e essencial à sadia qualidade de vida,
impondo-se ao poder público e à coletividade o
dever de defendê-lo e preservá-lo para as
presentes e futuras gerações.”
Art. 225 CF

“Todos têm direito ao meio ambiente


ecologicamente equilibrado, bem de uso comum
do povo e essencial à sadia qualidade de vida,
impondo-se ao poder público e à coletividade o
dever de defendê-lo e preservá-lo para as
presentes e futuras gerações.”
Educação Ambiental Emancipatória/transformadora

– Multidimensionalidade da questão ambiental;


– Atitude crítica (crise civilizatória);
– Não nega tecnologia, mas não a elege como principal
– Estimula o dialogo entre as ciências;
– Participação social e democracia como premissas.

Lima (2008)
Participação

Palavra latina origem remonta ao século XV.

Significa “tomar parte em”, compartilhar, associar-se pelo


sentimento ou pensamento.

É a ação de indivíduos e grupos com o objetivo de influenciar


o processo político.

É a ação que se desenvolve em solidariedade com outros no


âmbito do estado ou de uma classe, com o objetivo de
modificar ou conservar a estrutura (e portanto os valores) de
um sistema de interesses dominantes.

(PIZZORNO,1966; AVELAR, 2004)


“Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si
mesmo, os homens se educam entre si,
mediatizados pelo mundo”.

(Paulo Freire, 1982)


Gestão ambiental é:

Processo de articulação das ações dos diferentes agentes


sociais que interagem em dado espaço com vistas a garantir
a adequação dos meios de exploração dos recursos
ambientais: naturais, econômicos e socioculturais às
especificações do meio ambiente, com base em princípios e
diretrizes previamente acordado/definido.

(ALMEIDA, 2005)
“Com efeito , participação é o processo histórico de
conquista da autopromoção.
É a melhor obra de arte do homem em sua história que vale
a pena =é a participativa, ou seja, com o teor menos
possível de desigualdade, de exploração, de mercantilização,
de opressão. No cerne dos desejos políticos do homem está
a participação que sedimenta suas metas eternas de
autogestão, de convivência.”

(DEMO, 1988)
Autopromoção: “É o conhecimento e a valorização de si
mesmo, pois o ser se valoriza à medida que conquista
seus direitos, supera suas alienações e está ciente de seus
deveres a partir de relações que formem o compromisso
social para a superação dos problemas existentes” .

(DEMO, 1988)
Educação Ambiental é uma utopia?