Vous êtes sur la page 1sur 13

Resumo (Metodologia de Pesquisa em Direito)

Aula 1 – A pesquisa e o conhecimento científico

Toda pesquisa revela um procedimento reflexivo, sistemático e crítico, é uma atividade


voltada para a solução de problemas.

Três elementos caracterizam a pesquisa: O levantamento de algum problema, a


solução à qual de chega e os meios escolhidos para chegar a essa solução.

Classificação da pesquisa:

Do ponto de vista da sua natureza, ou seja, aquilo que compõe a substância do ser ou
essência da pesquisa.

Pesquisa Pura: Pesquisa Aplicada:

Objetiva gerar conhecimentos novos úteis Objetiva gerar conhecimentos para


para o avanço da ciência sem aplicação aplicação prática dirigidos à solução de
prática prevista. problemas específicos.
Envolve verdades e interesses universais.
Motivada basicamente pela curiosidade Envolve verdades e interesses locais.
intelectual do pesquisador;

Do ponto de vista de sua abordagem, o que significa dizer modo de tratar ou ponto de
vista de uma questão.

Pesquisa Quantitativa: Pesquisa Qualitativa:

Traduz em números opiniões e Neste enfoque não há medição numérica,


informações para classificá-los e organizá como as descrições, mas o seu propósito
-los. está em reconsiderar ou reconstruir a
Utiliza métodos estatísticos. realidade observada.
Assim, considera a existência de uma
relação dinâmica entre mundo real e o
sujeito. Busca dar significado às relações
entre os fenômenos*.

* Importante esclarecer que o termo fenômeno pode designar um fato percebido por
alguém. Neste caso, a percepção que determinado observador tem de um fato é o que
o caracteriza como fenômeno.

Do ponto de vista dos objetivos, ou seja, quanto ao seu fim, propósito:

Exploratória: Descritiva: Explicativa:


É considerado o passo
inicial de qualquer O objetivo principal é O objeto está em
pesquisa. Trata-se de uma descrever as identificar os fatores que
observação, ou seja, características de algum determinam ou contribuem
consiste em recolher e fenômeno observado, para a ocorrência dos
registrar os fatos da descobrir a frequência com fenômenos. Neste modelo,
realidade. que ocorre, sua relação e temos um efetivo
Neste modelo temos a sua conexão com outros aprofundamento de
possibilidade de fenômenos. conhecimentos, porque
aprimoramento de ideias. Esta modalidade é típica busca entender ou explicar
Geralmente, neste tipo de das ciências humanas e as razões das coisas, o
pesquisa há o sociais. que amplia o entendimento.
levantamento bibliográfico, Neste tipo de pesquisa, o Nada impede que uma
entrevistas com pessoas estudante deve observar, pesquisa explicativa seja a
que experimentaram registrar, analisar e continuação de uma
situações que estejam correlacionar fatos ou descritiva ou exploratória.
sendo pesquisadas e fenômenos (variáveis),
análise de exemplos. sem manipulá-los.

Quanto aos procedimentos, significa maneira de agir, modo de proceder, modo de


fazer (algo), técnica, processo ou método. Assim, vejamos:

Pesquisa bibliográfica:

Trata-se de uma etapa fundamental em todo trabalho científico que influenciará todas
as etapas de uma pesquisa, na medida em que der o embasamento teórico em que
se baseará o trabalho. Consistem no levantamento, seleção, fichamento e
arquivamento de informações relacionadas à pesquisa. Bibliografia é o conjunto dos
livros escritos sobre determinado assunto, por autores conhecidos e identificados ou
anônimos.
Pesquisa documental:

Trata-se de uma pesquisa realizada através de documentos que podem ser:


documentos pessoais, cartas, diários, jornais, balancetes, microfilmes, fotografias,
memorandos, ofícios, vídeos, documentos estatísticos e outros. Há uma análise da
descrição do conteúdo manifesto para se alcançar uma rede de significados. Em
ciência, documento é toda forma de registro e sistematização de dados, informações,
colocando-os em condição de análise por parte do pesquisador.
Pesquisa de campo:

É a investigação empírica realizada no local onde ocorre ou ocorreu um fenômeno.


Pode incluir entrevistas, aplicação de questionamentos, testes e observações.
Segundo Antônio Joaquim Severino (2007, p. 123), na pesquisa de campo “o objeto é
abordado em seu próprio meio. A coleta de dados é feita nas condições naturais em
que os fenômenos ocorrem, sendo assim diretamente observados”.
Histórica:

Descreve o que já aconteceu, sob a forma de investigação, registro, análise e


interpretação de fatos ocorridos no passado, para poder compreender o presente.
Os dados podem ser coletados em: fontes primárias - quando o investigador foi o
observador direto dos eventos ou utiliza materiais de primeira mão; fontes
secundárias - quando os eventos foram observados e reportados por outras pessoas
e não diretamente pelo investigador. Neste caso, os dados exigem cuidadosa e
objetiva análise a fim de avaliar sua autenticidade e relevância.
Você já reparou que os filmes de época exigem um estudo histórico prévio? Vamos
verificar
Comparada:
Procura estabelecer semelhanças e diferenças entre situações, fenômenos e coisas,
por meio de relações entre os elementos que são comparados.
Estudo de caso:

É o estudo circunscrito a uma ou poucas unidades, entendidas essas como uma


pessoa, uma família, um produto, uma empresa, um órgão, uma comunidade ou um
país. O estudo de casos constitui-se numa metodologia de ensino participativa,
voltada para o envolvimento do aluno. Os casos apresentam situações em que
empresas e pessoas reais precisam tomar decisões sobre um determinado dilema. A
condução do método envolve um processo de discussão, em que alunos devem se
colocar no lugar do tomador de decisão, gerar e avaliar alternativas para o problema,
e propor um curso de ação.

Aula 2 – A escolha do Tema e a importância de sua delimitação

O tema representa o objeto da pesquisa. Por objeto, entende-se aquilo que é pensado,
que será investigado. Assim, deve ser mais restrito que o assunto, faz parte dele. Isso
mostra que o assunto é mais amplo e abrangente que o tema. Acrescente-se, também,
que o tema precisa ser específico para que as respostas, ao final da pesquisa, sejam
igualmente específicas.

Do tema ao objeto de pesquisa:

Para construir um objeto de pesquisa, deve-se transformar o assunto em tema e este


num objeto de investigação delimitado e preciso.

Se um pesquisador deseja investigar o assunto violência, deve-se indagar a que tipo


de violência se refere, pois há muitas possibilidades. Poderá investigar tal assunto sob
o enfoque teórico, mas deverá escolher as teorias. Por exemplo:

Podemos investiga-la sob o ponto de vista social, jurídico, psicológico, filosófico, etc.
Se preferir direcionar a pesquisa para um estudo empírico precisará delimitar a um
caso concreto, descrevendo-o minuciosamente.

Critérios para escolha do tema:

Especificidade: um tema amplo possibilita omissões


Acessibilidade: Evitar idioma e obras estrangeiras
Tema atual e controvertido

Aula 3 – O problema científico: realização da pesquisa bibliográfica e sua discussão.

Fontes bibliográficas, primárias e secund árias:

Fonte primária: é o objeto em análise, constitui fonte prioritária em qualquer pesquisa.

Fonte secundária: é a literatura disponível sobre o tema, estudos publicados, palestras


e conferências etc.
Não podemos utilizar a fonte secundária para confirmar a existência de um dado
primário.
OBS: Manuais não são fontes secundárias nem primárias e apresentam uma
abordagem inicial e superficial sobre temas discutidos, por isso devem ser evitados.

DICAS DE FICHAMENTO:
Aula 4 – O problema científico

Problematização do tema

Problematizar significa:

 Transformar o assunto em problema, pois assim se torna pesquisável de modo


a poder produzir resposta específica;
 Identificar no tema escolhido alguma dificuldade teórica ou prática, para a qual
se deve encontrar uma solução;
 Descobrir no assunto uma situação controvertida, passível de discussão.

Deve-se formular hipóteses para responder às problematizações.


Aula 5 – A construção do projeto de pesquisa I: A determinação dos
objetivos e justificativa da pesquisa.

A determinação dos objetivos e justificativa da pesquisa:


A função do objetivo é repetir onde o autor da pesquisa pretende chegar.
Os objetivos constituem a base do planejamento racional da pesquisa,
possibilitam pensar e planejar em termos específicos, informam ao leitor e
demais interessados acerca do que a pesquisa se propõe a realizar; auxiliam a
efetuar um estudo seletivo e ajudam a rever o conteúdo mediante a verificação
de relevância no contexto da pesquisa.
Objetivo geral: Indica o resultado pretendido. Por exemplo: identificar,
levantar, descobrir, caracterizar, descrever, traçar, analisar, explicar, etc.
Apresentam de forma genérica o que pretende o pesquisador no
desenvolvimento do assunto a ser abordado, independente das motivações
pessoais apresentadas na justificativa.
Objetivos específicos: Indicam as etapas que levarão à realização do
objetivo geral. Por exemplo: classificar, aplicar, distinguir, enumerar,
exemplificar, selecionar, etc.
É a subdivisão do objetivo geral em outros menores, os quais poderão vir a
constituir-se em possíveis capítulos (partes) do trabalho final.

Como construir objetivos?


1º passo: Ler a problematização do tema
2º passo: Escolher os verbos de ação. Os enunciados devem começar com um
verbo no infinitivo e este verbo deve indicar uma ação passível de mensuração.
Uma ação individual ou coletiva se materializa através de um verbo. É
importante a precisão na escolha do verbo, escolhendo aquele que exprime a
ação que se pretende executar.
3º passo: escolher o verbo de ação.

CONHECIMENTO COMPREENSÃO ANÁLISE AVALIAÇÃO


Apontar Concluir Analisar Escolher
Definir Deduzir Comparar Precisar
Descrever Derivar Correlacionar Medir
Distinguir Descrever Contrastar Avaliar
Enumerar Diferenciar Identificar
Relacionar
Exemplos :

Aula 6 – A construção do projeto de pesquisa II: A construção do embasamento


teórico, levantamento preliminar e metodologia.

O Marco Teórico é uma referência para o problema científico, ele é constituído a partir
da revisão de literatura e posterior escolha de uma perspectiva teórica como referência.
OBS: Para a bibliografia deve-se buscar as obras mais recentes e aquelas que
tenham abordado o tema como enfoque similar ao que pretendemos.
OBS: O resultado da pesquisa bibliográfica deverá ser apresentado no embasamento
teórico ou fundamentação teórica da pesquisa.

A Metodologia deve apontar os procedimentos a serem adorados para a resolução do


problema proposto. Deve ser prevista e analisada no projeto.
A Pesquisa poderá ser exploratória, descritiva, explicativa, estudo de caso, pesquisa
de campo, documental, bibliográfica, quantitativa ou qualitativa. Também poderá
misturar os tipos.

Aula 7 – A redação do projeto de pesquisa I: Regras para citações


Deve-se ler diferentes autores sobre o assunto a ser pesquisado e organizar o
pensamento, fundamentando melhor as ideias antes de iniciar a redação. “Deve-se
citar pouco, mas reescrever muito.” Para isso, o fichamento bibliográfico e o de leitura
são fases imprescindíveis.

As citações devem esclarecer ou complementar as ideias. A fonte sempre deve ser


mencionada.
As citações podem ser:

 Direta: São aquelas transcritas no texto tal como se apresentam na fonte


consultada. Devem esclarecer, comentar ou dar como prova uma autoridade
no assunto. Esse tipo de citação só deve ser usado quando o pensamento
expresso pelo autor for efetivamente significativo, claro e necessário à
exposição, pois excessos de citações podem acarretar prejuízo à estratégia de
comunicação.
Obs.: A transcrição com até três linhas permanece no corpo do parágrafo entre
aspas duplas, são denominadas citações diretas curtas.
A transcrição de mais de três linhas, chamadas de citações diretas longas, são
destacadas com um recuo em relação à margem da esquerda de 4 cm, letra
menor que a utilizada no texto e sem aspas duplas.

 Indireta: Também chamada de paráfrase, a citação indireta configura uma


transcrição livre do texto do autor, por isso não é necessário o emprego de
aspas duplas, porque a citação indireta mantém o conteúdo original do texto,
mas é reescrita com outras palavras.
A citação indireta deve configurar um resumo, comentário de uma ideia, ou
expressão o mesmo conteúdo, mas utilizando outras palavras.
É preferível à citação direta.

 Citação de citação: Exige o uso da sigla apud que significa citado por.
REGRAS PARA COMPOR CITAÇÕES DIRETAS E NOTAS

OBS: Para suprimir parágrafos utiliza-se linhas pontilhadas

Aula 8 – A redação do projeto de pesquisa II: Regras para referências

Entende-se pelo termo referências o conjunto padronizado de informações que


permitem a identificação de documentos consultados para a elaboração de um
trabalho acadêmico.

Diferenças entre Referência, bibliografia e referência bibliográfica:

Por referência devemos considerar uma nota informativa de remissão em uma publicaç
ão. Quanto ao termo bibliografia, este é a relação de obras consultadas ou citadas por
um autor na criação de determinado texto, ou seção onde se arrolam livros e outras
publicações.
Ao final de um trabalho elaboramos uma lista de referências em que as obras são
alinhadas somente à margem esquerda do texto e de forma a se identificar
individualmente cada documento, em espaço simples, separadas entre si por espaço
duplo.

Obs. Não se usa mais o termo referências bibliográficas.

Aula 9 – O trabalho de conclusão de curso I: Importância do trabalho de conclusão


de curso. A ética e a legitimidade do saber

Entre os tipos mais comuns de trabalho de conclusão de curso temo: Artigo científico,
Monografia, Dissertação de Mestrado e Tese de doutorado.

A ética e legitimidade do saber:

Nesse sentido, observa Umberto Eco (1994), que citamos muitos textos alheios,
porque configuram a fonte primária de toda pesquisa. É claro que podemos citar um
texto de alguém e, em seguida interpretá-lo ou podemos citar um texto para que sirva
de fundamento para nossas interpretações. Sendo certo dizer que as citações diretas
devem ser feitas com muita parcimônia, pois poderá denotar que o estudante “não
quer ou não é capaz de resumir as ideias de um autor” (1994, p. 122). Se a citação
direta é muito longa, isso não é bom! Ao usá-la temos que estar com muita certeza de
que é realmente importante, na verdade, vital para nossos argumentos.

Aula 10 – O trabalho de conclusão de curso II

Os trabalhos de conclusão de curso dividem-se em três partes:

Elementos pré-textuais: elementos que antecedem o texto com informações que


ajudam na identificação e utilização do trabalho

Elementos textuais: parte do trabalho em que é exposta a matéria

Elementos pós-textuais: elementos que complementem o trabalho

FORMATAÇÃO

Papel A4 (21 cm x 29,7 cm)

Margens: três cm superior, 2 cm inferior, 3 cm esquerda, 2 cm direita.

Espaçamento entre linhas: 1,5 exceto citações com mais de 3 linhas, natureza do
trabalho e resumo que devem ter espaçamento simples.
Fonte: Arial ou times, tamanho 12, exceto citações com mais de 3 linhas que devem
ter fonte tamanho 11.

Títulos: Toda a parte pré-textual e pós-textual devem ter fonte tamanho 14 em caixa
alta, em negrito e mantido na margem esquerda da página, diferente das partes
textuais.
OBS: Se a introdução e a conclusão não forem numeradas deverão ser centralizadas,
pois a ABNT determina que os títulos sem indicação numérica deverão ser
centralizados, como agradecimentos, resumo, lista de ilustrações, lista de abreviaturas,
siglas, lista de símbolos, referências e Glossário.

Alinhamento: Os parágrafos devem iniciar alinhados a 1,25 cm da margem esquerda


com espaço de 1,5 cm entre eles. Os parágrafos do texto devem ser justificados. As
referências devem ser alinhadas à esquerda e não devem ser justificadas.

Numeração progressiva:

Paginação:

Critérios textuais: Todo o trabalho deve ser escrito com verbos no modo impessoal, ou
seja, sem 1ª pessoa no singular ou no plural.
Ilustrações, tabelas e equações: Em relação às ilustrações, sua identificação
aparece na parte inferior, com sua especificação seguida de seu número e nome em
negrito, tamanho 12. A fonte de onde ou retirada aparece embaixo da identificação,
sem negrito e em tamanho 12.
Capa: Tem a finalidade de identificar o trabalho. Deve conter nome da instituição,
nome do autor, título e subtítulo e local e ano de entrega.

Folha de rosto:
Capa
Folha de rosto (anverso)
Folha de rosto (verso)
Folha de aprovação
Dedicatória
Agradecimento
Epígrafe | Resumo em linha vernácula | Sumário