Vous êtes sur la page 1sur 6

anuncie Correio

da manhã
An o XXII • N º 5435• 31 / 1 0 / 2 0 1 8 • Ed it o r : Re f i na l d o C h i l e ngue
re daccao @co rre i o damanhamoz.com / ed it or@correiod ama nhamoz.com
www. co r re io d a m a nh a m oz . co m

João Mosca sugere correcção negócios


Fim do

de más práticas dos investidores


monopólio
aéreo da LAM
e TAP entre
O estudioso moçambicano, Moçambique e
João Mosca, recomenda que Portugal
se faça alguma correcção nas
políticas usadas pelos inves- páG 3 E
tidores em Moçambique,
B
para que se possa viabilizar e
o rendimento dos pequenos negócios T
agricultores, na sua maioria, Os representantes
baseados em diversas zonas
“recônditas”.
de Moçambique
Para Mosca, é imperioso não no “Global
secundarizar as políticas es- Agripreneurs
pecíficas direccionadas para
os pequenos produtores
Summit” na
para que estes aumentem Grécia
o rendimento baseado em páG 4
incrementos de produção
e de produtividade, para o
que é necessário reforçar a
opinião
extensão rural e a difusão de Indisciplina
técnicas e de insumos, mais torna-se cultura
conhecimento e acesso aos
mercados, melhores estra-
africana
das rurais, garantias... - T. Wa Tiyani
paG 2 páG 6

tiku 15!
Liberdade de
expressão
- R. Chilengue
páG 5
correio da manhã • outubro 2018

economia & negócios

João Mosca sugere correcção de más práticas dos investidores


A pequena produção, na óptica de João Mosca, já revelou responder rapidamente aos
estímulos de mercado, sempre que existam garantias de comercialização e preços
incentivadores, acesso a factores de produção e crédito sob diversas formas
Crescimento baixo
Noutra variante, o investi-
gador João Mosca diz que
o ritmo de crescimento do
agro-negócio é ainda baixo,
concentrado em produtos de
exportação, que abrangem
uma percentagem reduzida
de produtores e é espacial-
mente localizado.
Consequentemente, seg-
undo Mosca, o número de
camponeses a ser integra-
dos como “emergentes”, ou
que possam beneficiar deste
processo, é limitado.
“Este aspecto, acrescido à
O estudioso moçambicano, ercialização dos excedentes siderando ser “necessário fraca criação de emprego na
João Mosca, recomenda que e oferta de bens de consu- corrigir as más práticas dos economia, faz concluir que o
se faça alguma correcção nas mo no meio rural, como for- investidores, que o Estado número de pequenos produ-
políticas usadas pelos in- ma de estimular a procura não se desresponsabilize tores continuará a aumentar
vestidores em Moçambique, e incentivar o aumento de das suas funções, que a ad- nos próximos muitos anos”,
para que se possa viabilizar reprodução. ministração pública ganhe diz Mosca.
o rendimento dos pequenos A pequena produção, na eficácia e se descentralize Em jeito de conclusão Mosca
agricultores, na sua maioria, óptica deste investigador, funções para o nível local, referiu que nestas circun-
baseados em diversas zonas já revelou responder rapi- tanto as relacionadas com stâncias, “dificilmente o
“recônditas”. damente aos estímulos de o agro-negócio, como as di- número de pobres reduz-
Para Mosca, é imperioso não mercado, sempre que ex- rigidas aos pequenos produ- irá; a subnutrição não di-
secundarizar as políticas es- istam garantias de comer- tores e às comunidades”. minuirá significativamente;
pecíficas direccionadas para cialização e preços incenti- A recomendação deste in- as desigualdades sociais e
os pequenos produtores vadores, acesso a factores vestigador vem numa altura espaciais e os factores de
para que estes aumentem O ano de 2017
de produção e crédito sob em que o Chefe de Estado, conflitualidade podem au-
o rendimento baseado em
incrementos de produção
caracterizou-se
diversas formas.
No entanto, “a questão
Filipe Nyusi, acaba de lançar,
a partir do distrito de Bala-
mentar; os fenómenos mi-
gratórios intensificar-se-ão
e de produtividade, para o por uma
agrária em Moçambique ma, em cabo Delgado, a cam- como revelam os dados do
que é necessário reforçar a
extensão rural e a difusão de
tendência de
não está equacionada e
as políticas públicas e de
panha agrária 2018/2019,
cujo lema “Moçambique no
último censo populacional
(2017); será necessário im-
técnicas e de insumos, mais aumento de preços
mercados são frágeis e ins- aumento da produção e da portar cada vez mais ali-
conhecimento e acesso aos
mercados, melhores estra-
de Janeiro a Abril
táveis e, por isso, ineficaz-
es”, diz Mosca em entrevista
produtividade rumo a fome
zero”
mentos; entre outras conse-
quências”.
das rurais, garantias de com- ao Correio da manhã, con-   mpm/r

REFINALDO CHILENGUE

2
correio da manhã • outubro 2018

negócios

Fim do monopólio aéreo


da LAM e TAP entre
Moçambique e Portugal

Portugal e Moçambique aéreo dos dois lados e era


acabaram com o monopólio necessário atualizar este
das Linhas Aéreas de Moçam- acordo”, acrescentou João de
bique (LAM) e da TAP nos Abreu.
voos directos entre os dois Actualmente, só a TAP realiza
países. voos directos entre Portugal
Esta dado foi revelado esta e Moçambique, ligando as re-
semana pelo presidente do spectivas capitais.
Instituto de Aviação Civil de Além desta mudança, a re-
Moçambique. visão do acordo contemplou
Os dois países abriram por- também aspectos relaciona-
tas para mais companhias aé- dos com as rotas, eliminando
reas garantirem as ligações, a obrigatoriedade de os voos
através da revisão de um entre os dois países pas-
acordo de 2010. sarem pelos aeroportos das
“Esta revisão consistiu, es- capitais.
sencialmente, na modifi- “Esta revisão garante, por
cação do ponto sobre a ‘mono exemplo, que um operador
designação’ para a ‘múltipla português que queira vir para
designação’. Ou seja, cada Moçambique não esteja ape-
Estado passa a poder desig- nas limitado a Maputo. Abre-
nar mais que uma compan- se espaço para que ele possa
hia para a ligação aérea en- ir directamente para outros
tre os dois países”, explicou pontos do país que tenham
João de Abreu. um aeroporto intranacional”,
A revisão do documento, de- declarou João de Abreu.
nominado Acordo de Trans- “O mesmo passa a acontecer
porte Aéreo, resultou de um em Portugal”, acrescentou.
trabalho feito em Maio, em Portugal e Moçambique têm
Lisboa, por grupos técnicos acordos para o sector da
das entidades reguladoras aviação assinados também
dos dois Estados, tendo sido nas áreas de formação e aci-
assinada em Junho, no âm- dentes aéreos, instrumentos
bito da visita do primeiro- que defendem a capacitação
ministro português, António de quadros técnicos dos dois
Costa, a Moçambique - mas países e a cooperação na in-
só agora detalhado. vestigação em caso de aci-
“Notamos que houve uma dentes, respetivamente.
grande evolução no sector redacção

3
correio da manhã • outubro 2018

negócios

Os representantes de melhorar a interacção entre


empreendedores e investi-
dores, com vista a ampliar as
& Diogo Agronegócio,  disse
que a sua marca de iogurte
de nome Yogas deu um

Moçambique no “Global oportunidades de parcerias


e de acesso aos mercados.
grande passo na conquista
de novos mercados. “Este foi

Agripreneurs Summit” na Grécia


Paulo Negrão, representante o ponto mais alto em termos
da Gapi no evento, referiu de representação, pois que-
que segundo a estratégia da remos expandir a nossa mar-
instituição, o apoio ao FAC ca a nível nacional”, frisou.
está inserido num leque de Questionado sobre as suas
actividades que tem traça- ambições disse pretender
do no âmbito do programa aumentar o volume de negó-
Juve-Inova (juventude ino- cios e de processamento do
vadora):  “Pretendemos con- seu produto, passando de
tinuar a apoiar iniciativas 5 mil litros, para 10 mil e
desta natureza, por forma a expandir o negócio para as
materializar um dos nossos províncias de Sofala e Tete.
As empresas Salina de cia nacional, realizada na maiores objectivos que é a Para Carlos José Osório Ma-
Batanhe e Danilo & Diogo última quinta. criação de uma nova gera- rulanda, representante da
Agronegócio vão represen- A 3ª edição da FAC2018 ção empresarial. Parabeni- empresa Salina de Batanhe,
tar Moçambique no evento juntou cerca de 150 candi- zamos a organização da Moz que venceu na categoria
mundial  denominado Global daturas de empreendedores Innovation Lab e aos vence- de Agro-empreendedor do
Agripreneurs Summit, a ter com iniciativas de agro- dores e esperamos que este ano, a escolha do proces-
lugar em Maio de 2019, na negócios, à escala nacional, evento sirva de porta para as samento do sal com iodo,
Grécia, após terem vencido a promovida pela empresa demais oportunidades exis- deriva da grande procura
3ª edição nacional da inicia- Moz Innovation Lab. tentes no mercado nacional que este produto tem, daí
tiva Future Agro Challenge Do total dos projectos con- e internacional”, disse. que “procuramos aumentar
(FAC2018), realizada, entre correntes, foram seleccio- Por sua vez, Ilídio Bande, di- o volume de negócios para
os dias 23 a 25 de Outubro, nados 16 empreendedores rector do Instituto Nacional gerar mais empregos e evitar
na cidade de Maputo, com o nas categorias Agro-Em- do Cajú (INCAJU), disse que a migração da população jo-
apoio da Gapi, no âmbito do preendedor do Ano e Agro- o evento representa o cul- vem que procura empregos
seu programa de promoção Empreendedor Jovem do minar de um processo de noutros pontos do país”.
da capacidade inovadora e Ano, dos quais foram apura- selecção de empreende- De referir que a Moz Inno-
empreendedora de jovens. dos os dois vencedores  que dores com iniciativas da área vation Lab é uma empresa
Este evento durou três dias, vão representar o país na do agro-negócio, que vão moçambicana que se dedica
tendo iniciado com um fase sub-sequente. acabar com os entraves na a criar soluções empreende-
bootcamp para a formação Elena Vali, directora da em- busca de parcerias, após esta doras e empresariais, fo-
e preparação dos candida- presa Moz Innovation Lab, troca de experiências entre cando o seu desempenho na
tos, seguido da competição organizadora do evento, os participantes. área do agro-negócio e bio-
através do pitch e terminou disse o FAC se tem afirmado Por seu turno, Félquer Diogo, tecnologia.
com uma grande conferên- como o primeiro passo para director da empresa Danilo redacção

4
correio da manhã • outubro 2018

cultura & sociedade

Como o humor pode ser A partir do seu trabalho,


podem contribuir para a
mudança de determinadas
turas.
A próxima tertúlia terá lugar
no dia 22 de Novembro, no

usado para se dizer atitudes como, por exemplo,


o excesso de utilização de
Centro Cultural Português
em Maputo, durante a qual

certas verdades
campos de jogos, para fins será abordado o tema: “Flu-
diferentes dos propósitos xos de comunicação inter-
para que foram construí- cultural entre Moçambique
dos, algo que acontece em e Portugal”, pelos organi-
nerantes”, edição de 2018, Moçambique. zadores deste evento aca-
realizada, recentemente, Questionada sobre a inter- démico, “Tertúlias Itineran-
na Escola Portuguesa de pretação de factos sociais tes” e mais uma convidada
Moçambique. ligados às tradições nacio- da Universidade do Minho,
Para aquela docente, a inter- nais retratadas por alguns Rosa Cabecinhas.
pretação da escrita humor- cartoonistas e apresenta- O mês de Novembro terá
ística pode ser realizada em dos durante o evento, Célia ainda uma outra tertúlia, no
diferentes dimensões, uma Nhancupe disse ser uma ten- dia 27, subordinada ao tema
Os cartoonistas utilizam o vez que, os cartoonistas elab- tativa de colocar os públicos “Dinâmicas culturais em
humor e um tipo de prosa oram o seu trabalho, também, a reflectirem sobre elas. Moçambique e seu impacto
bastante expressiva para com recurso ao sarcasmo e à Deu o exemplo de uma vin- na promoção do turismo”,
camuflarem a verdade. A banda desenhada. Isto sus- heta na qual se retrata o inserida no Congresso Inter-
forma lúdica com que tra- cita muitas leituras, depend- kuphahla,  ou seja nela se nacional sobre Turismo, or-
balham veicula mensagens endo do background do leitor. destaca um senhor de idade ganizado pela Universidade
ao mesmo tempo que pro- Para sustentar o seu posi- a evocar os espíritos dos Politécnica.
vocam riso. Ainda assim, cionamento, Célia Nhancupe seus antepassados, vertendo Importa referir que esta ini-
o que dizem é importante utilizou parte das obras de água por cima de um tapete, ciativa académica é coorde-
para a sociedade. Sérgio Zimba, Sérgio Tique num hotel. nada por Sara Laisse, docente
Esta foi a constatação feita e Neivaldo Nhatugueja. Segundo ela, uma das abord- da Universidade Politécnica,
por Célia Nhancupe, inves- Estes autores adoptam o agens que aquele desenho Eduardo Lichuge, da Univer-
tigadora e docente na Uni- humor e o sarcasmo, como suscita é a adequação de sidade Eduardo Mondlane e
versidade Pedagógica, du- técnica para interagirem determinadas práticas em Lurdes Macedo, da Universi-
rante a apresentação do 9° com os seus públicos e com determinados lugares, sem, dade Lusófona do Porto.
sub-tema das “Tertúlias Iti- a sociedade, no geral. contudo, subalternizar cul- redacção

5
correio da manhã • outubro 2018

opinião
rancor do pobre
ecinvestimentos@hotmail.com

Legalismos excessivo Indisciplina torna-se


vc Lógica/Razão cultura africana
Todos os recursos dos par- livre da tua enfermidade; e Este não é caso de conflito não há primo – todos são
tidos políticos da oposição, impôs-lhe as mãos e ime- de gerações. Tenho mais de irmãos.
resultantes das quintas diatamente ela se endirei- meio século de idade e as- Portanto, até hoje chamo
eleições autárquicas foram tou, e glorificava a Deus. sumo que não vou viver mais meus primos de manos ou
chumbadas alegadamente Então o chefe da sina- meio século de vida. Sou de manas. É uma forma de so-
por terem sido apresenta- goga, indignado por- uma geração de respeito, lidificar a fusão de relação fa-
dos fora dos prazos, contra que Jesus curara num porque no tempo de minha miliar e respeito concebidos
toda a sua razão ou perti- sábado, tomando a palavra infância, crianças filhos de por nossos trisavôs.
nência. disse à multidão: Seis negros não tinham direitos Em quase todos os países
Isso me fez lembrar da histó- dias há em que se deve na minha aldeia. africanos a tradição de res-
ria que a seguir partilho: trabalhar; vinde, pois, Mais velho ou mais velha, peito entre pessoas na aldeia
Uma mulher andava encur- neles para serdes curados, mesmo que não fosse pai ou está perdendo sua essência.
vada havia 18 anos que, de e não no dia de sábado. mãe de criança, podia man- Mais novos não respeitam
acordo com a lei dos ho- Respondeu-lhe, porém, o dar ou bater no petiz de viz- mais velhos em casa, na al-
mens, não podia ser curada Senhor: Hipócritas, no sá- inho caso apanhasse a fazer deia e na sociedade em geral.
no sábado...dia do descanso bado não desprende da malandrice na via pública. Crianças são objectos cris-
de Deus. manjedoura, cada um de Não chamávamos titios ou ti- talinos de adorno que não
Mas o mestre, o grande juiz vós o seu boi, ou jumen- tias aos mais velhos. podem ser tocados.
Jesus Cristo a curou justa- to, para o levar a beber? Tratávamos os mais velhos Na estrada, escola ou em
mente no sábado baseando- E não devia ser solta des- de “baba” (pai), “mama” qualquer outro lugar prolif-
-se na razão que  era acabar ta prisão, no dia de sá- (mãe) ou “hahani” (irmã). era indisciplina.
com o sofrimento daquela bado, esta que é filha de Um dia um meu primo em visita Dirigentes políticos africanos
mulher. Abraão, a qual há dezoito à casa do seu irmão mais novo evitam repor disciplina her-
Jesus estava ensinando anos Satanás tinha presa? em Maputo ficou zangadís- dada de nossos trisavôs na
numa das sinagogas num E dizendo ele essas coisas, simo, porque a filha do irmão, sociedade para não perderem
sábado quando se depa- todos os seus adversários dono de casa, chamou a ele votos em eleições locais ou
rou com uma mulher que ficavam envergonhados; de tio. O visitante queria que gerais de modelo importado
tinha um espírito maligno e todo o povo se alegrava a criança lhe chamasse pai e do Ocidente sem pagamento
de enfermidade havia já por todas as coisas glorio- não tio. É assim como pessoas de direitos aduaneiros.
dezoito anos; e andava en- sas que eram feitas por ele. cresciam com respeito. Então, a anarquia instalou-se
curvada, e não podia, de (Livro de Lucas Capitulo 13: Nelson Mandela escreveu no comodamente na sociedade,
modo algum, endireitar-se. 10 - 17) seu livro Long Walk to Free- sendo que em vias públicas o
Vendo-a Jesus, chamou-a, dom (Longa caminhada para resultado visto a olho nu são
e disse-lhe: Mulher, estás EVARISTO CUMBANE liberdade) que nas relações acidentes de viação que causam
familiares entre africanos mortes todos os dias. Em uma
semana, na África do Sul cerca
de 50 pessoas morreram em
frase Nelson Mandela
escreveu no seu
dois acidentes evitáveis ocorri-
dos nas províncias de Limpopo
Dominam-se mais facilmente os povos excitando as e de Mpumalanga, que fazem
suas paixões do que cuidando dos seus interesses livro Long Walk limite com Moçambique.
- Gustave Le Bon (1841-1931), psicólogo francês to Freedom (Longa Nos centros urbanos afri-
caminhada para canos, a poluição sonora
tomou conta perante olhar
PREVISÃO DE TEMPO liberdade) que impávido de autoridades su-
nas relações postamente instaladas para
CANAL DO TEMPO

velarem pelo cumprimento


QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO DOMINGO
31 Outubro 01 Outubro 02 Novembro 03 Novembro 05 Novembro
familiares entre da lei e ordem. Indisciplina
africanos não há
FONTE

torna-se cultura africana per-


primo – todos são petuando O Rancor do Pobre
da geração de respeito.
35º 21º 27º 19º 23º 16º 26º 17º 29º 19º
irmãos THANGANI WA TIYANI