Vous êtes sur la page 1sur 53

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS I- CCE 0319

Aula 10 e 11

Profª Mischelle Santos


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

- Tipos de energia de deformação;


- Casos particulares de energia de deformação;
- Analisar as tensões principais;
- Verificar as tensões de cisalhamento máximas;
- Reconhecer o círculo de Mohr para tensões.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Hibbeler, 7a. Edição Capítulo 14 (519- 531)


Hibbeler, 7a. Edição Capítulo 9 (321-345)

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Cargas aplicadas num corpo provocam deformações. Não


havendo dissipação de energia na forma de calor, o trabalho
externo realizado pelas cargas será convertido em trabalho
interno denominado energia de deformação.
Essa energia é sempre positiva e é provocada pela ação da
tensão normal ou da tensão de cisalhamento

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Considere o elemento de
volume da figura. Se este
elemento for submetido a uma
tensão normal sZ, a força
criada nas faces superior e
inferior é:

dFz = s z .dA = s z .dx.dy


Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Se a carga varia gradualmente de 0 a dF o elemento sofrerá


um deslocamento DZ= ez.dz. Assim, o trabalho realizado por dF
é dUi
1 1
dUi = .dFz dD z = .s z dx.dye z .dz
2 2
Mas, dV = dx.dy.dz
1
dUi = .s ze z .dV
2
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Assim, se o corpo está sujeito a uma tensão normal s, a


energia de deformação será:
s ze z
Ui =  dV
V 2
Comportamento linear elástico  Lei de Hooke (s = E.e). A
energia de deformação será:

s 2
Ui =  dV
V 2.E
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Considere uma barra de comprimento L, seção transversal


constante A e com esforço axial N, teremos que s = N/A.
Substituindo s na integral da energia de deformação, temos
que:
s 2
N 2
Ui =  dV =  2
dV
V 2.E V 2.E. A

Mas dV = A.dx, portanto:


𝐿
𝑁2 𝑁 2𝐿
𝑈𝑖 = න 𝑑𝑥 ∴ 𝑈𝑖 =
2𝐸𝐴 2𝐸𝐴
0
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Uma expressão de energia de deformação


semelhante à da tensão normal também poderá ser
estabelecida para o material, quando ele é
submetido à tensão de cisalhamento.
Considere um elemento de volume sob a ação de
uma tensão cisalhante provocando uma deformação
do elemento.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

No caso apresentado, a tensão de cisalhamento provoca a


deformação gdz do elemento tal que:
dF =  .dx.dy
A energia de deformação do elemento será:
1 1
dUi = ( .dx.dy).(g .dz)  dUi = ( .gdV )
2 2
Integrando: (Lei de Hooke)
 .gd 2
Ui =  dV Ui =  dV
V 2 V 2G
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Uma haste de aço tem seção transversal quadrada 10 mm


x 10 mm e comprimento de 2 m. Calcule a energia de
deformação quando uma tensão de 400 MPa é aplicada,
tracionando-a axialmente. Considere que para este aço o
módulo de Young seja 200 GPa

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

SOLUÇÃO:
s2
Energia de deformação (carga axial): U i =
2.E 2 V
dV
s 2
s
Como s e E são constantes  U i =

2.E V
dV =
2.E
.V
• Área: 10 mm = 10.10-3m  A = (10.10-3)2 m2 = 10-4 m2
• Volume: V = 2. 10-4 m3
• Tensão = 400.106Pa

Assim, U = [(400.106)2.2.10-4]/(2.200.109)= 80J

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

A energia de deformação em estados de carregamento axiais


e de cisalhamento pode ser ampliado para determinarmos a
energia de deformação em um corpo quando ele é
submetido a um estado geral de tensão.
Observe a figura com o estado multiaxial.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

sz

yz
xz
sy
xy

sx

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

As energias de deformação associadas a cada componente


das tensões normal e de cisalhamento podem ser obtidas
pelas equações mostradas na aula 8 (revisão no início).
Como a energia de deformação é escalar, a energia total
de deformação no corpo é

1
U i =  .(s x .e x +s y .e y + s z .e z +  xy .g xy +  yz .g yz +  xz .g xz ).dV
V
2

Estado axial Estado de cisalhamento

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

• Lei de Hooke generalizada


1 1
e x = .[s x − .(s y + s z )] g xy = . xy
E G
1 1
e y = .[s y − .(s x + s z )] g yz = . yz
E G
1 1
e z = .[s z − .(s x + s y )] g xz = . xz
E G

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Substituindo ex, ey, ez, gxy, gxz e gyz na equação da energia


de deformação, temos que:

U i =  ( A + B + C ).dV
1 V
A= .(s x + s y + s z )
2 2 2

2.E

B = − .(s x .s y + s y .s z + s x .s z )
E
1
C= ( xy2 +  yz2 +  xz2 )
2.G
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Se somente as tensões principais s1, s2 e s3 agirem sobre


o elemento, a equação da energia de deformação é
reduzida a uma forma mais simples:

1 
Ui =  [ .(s 1 + s 2 + s 3 ) − .(s 1.s 2 + s 2 .s 3 + s 1.s 3 )].dV
2 2 2
V 2.E E

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

• O estado geral de tensão é caracterizado por seis tensões

independentes (3 normais e 3 cisalhantes);

• O estado geral de tensão não é comum em engenharia;

• Engenheiros fazem simplificações e tornam este estado

em um plano de tensão, ou seja, um único plano e com

três componentes (2 normais e 1 cisalhante).

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

sz

yz
xz
sy
xy

sx

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

sy

xy

• sz = 0; xy

sx
sx
• yz = 0;
• xz = 0. xy

xy
sy

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Na prática da engenharia, muitas vezes é importante


determinar a orientação dos planos para encontrar
situações particulares (tensões máxima e mínima).

As tensões normais e as tensões de cisalhamento variam


continuamente quando os eixos são rotacionados através
do ângulo q, nos planos em que as tensões agem. Observe
a figura a seguir.
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

sx→ sx’ sy→ sy’ xy → x’y’


Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Abaixo temos as relações que fazem as transformações

sx→ sx’ sy→ sy’ xy → x’y’


s x +s y s x −s y
s x' = + . cos(2q ) +  xy .sen(2q )
2 2
s x +s y s x −s y
s y' = − . cos(2q ) −  xy .sen(2q )
2 2
s x −s y
 x' y' = − .sen(2q ) +  xy . cos(2q )
2
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

◼ Convenção de sinal positivo:

Sentido anti- horário=


ângulo positivo

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

◼ Exemplo 9.2 (Hibbeler)

O estado plano de tensão em um ponto é representado pelo


elemento da figura. Determine o estado de tensão no ponto
em outro elemento orientado a 30º no sentido horário em
relação à posição mostrada.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

50 MPa
B
25 MPa
B C

80 MPa A C

q = − 300

A
D
Sentido horário=
D ângulo negativo

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Da figura e observando a convenção de sinais temos que:

sx= - 80 MPa; sy= + 50 MPa ; xy = - 25 MPa e q = - 30º


Plano CD
s x +s y s x −s y
s x' = + . cos(2q ) +  xy .sen(2q )
2 2
− 80 + 50 − 80 − 50
s x' = + . cos(−60º ) − 25.sen (−60º )
2 2
s x ' = −15 − 65.(1 / 2) − 25.(− 3 2 ) = −25,8MPa
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

sx= - 80 MPa; sy= + 50 MPa ; xy = - 25 MPa e q = - 30º


s x −s y
 x' y' = − .sen(2q ) +  xy . cos(2q )
2
−80 − 50
𝜏𝑥′𝑦′ =− . 𝑠𝑒𝑛 2 −30° + −25 . cos 2 ( − 30)
2

𝜏𝑥′𝑦′ = −68,8𝑀𝑃𝑎

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

sx= - 80 MPa; sy= + 50 MPa ; xy = - 25 MPa e q = - 30º


Plano BC
s x +s y s x −s y
s y' = − . cos(2q ) −  xy .sen(2q )
2 2
−80 + 50 −80 − 50
𝜎𝑦′ = − . cos( − 60º) − 25. 𝑠𝑒𝑛(−60º)
2 2
𝜎𝑦′ = −4,15𝑀𝑃𝑎

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

As tensões principais no plano representam a tensão normal


máxima e a tensão normal mínima.
Quando o estado de tensão é representado pelas tensões
principais, nenhuma tensão de cisalhamento age sobre o
elemento.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Para determinarmos tais valores devemos derivar a seguinte


equação e igualar a zero:
s x +s y s x −s y
s x' = + . cos(2q ) +  xy .sen(2q )
2 2
ds x ' s x −s y
Assim, = −2. .sen(2q ) + 2 xy . cos(2q ) = 0
dq 2
2. xy
tg (2q p ) =
(s x − s y )
Resolvendo tal equação, obtemos a orientação q=qp dos
planos de tensão normal máxima e mínima.
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

A solução tem duas raízes (q = qp1 e q = qp2).


Especificamente, os valores de 2 qp1 e 2 qp2 estão afastados
um do outro por 180º, portanto qp1 e qp2 estarão afastados
por 90º.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Dessa forma foram determinados as orientações do planos (q


= qp1 e q = qp2) onde as tensões normais são máxima e
mínima. Fazendo as substituições devidas, teremos:

s x +s y s x −s y
s 1, 2 =  ( ) 2 + ( xy ) 2
2 2
Dependendo do sinal utilizado, determinaremos o valor
máximo ou mínimo.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

◼ Exemplo 9.5 (Hibbeler)


O estado plano de tensão em um ponto sobre um corpo é
representado no elemento mostrado na figura abaixo.
Represente esse estado de tensão em termos das tensões
principais

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Pela convenção de sinais estabelecida, temos:


s x =−20 MPa s y = 90 MPa
 xy = 60MPa
A orientação de elemento pode ser calculada pela seguinte
2𝜏𝑥𝑦
equação: 𝑡𝑔 2𝜃𝑝 =
𝜎𝑥 − 𝜎𝑦
Resolvendo e denominando essa raiz de qs2, obtemos que:
2𝜃𝑝2 = −47,49° 𝜃𝑝2 = −23,7°

Como a diferença entre 2qp1 e 2qp2 é 180°, temos:


2𝜃𝑝1 = 180° + 2𝜃𝑝2 𝜃𝑝1 = 66,3°

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

23,7°

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Tensões principais: 𝜎𝑥 + 𝜎𝑦 𝜎𝑥 − 𝜎𝑦 2
2
𝜎1,2 = ± + 𝜏𝑥𝑦
2 2
𝜎1,2 = 35,0 ± 81,4
𝜎1 = 116 𝑀𝑃𝑎 𝜎2 = −46,4 𝑀𝑃𝑎

O plano principal no qual cada tensão normal age pode ser


𝜎𝑥 +𝜎𝑦 𝜎𝑥 −𝜎𝑦
determinado pela seguinte: 𝜎𝑥′ = 2
+ 2
cos 2𝜃 + 𝜏𝑥𝑦 𝑠𝑒𝑛 2𝜃

Resolvendo com q= qp2 = -23,7°


𝜎2 = −46,4𝑀𝑃𝑎 Age no plano definido como qp2 = -23,7°
Logo: 𝜎1 = 116 𝑀𝑃𝑎 Age no plano definido como qp1 = 66,3°
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Lembre-se de que nenhuma tensão de


cisalhamento age nesse elemento.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Outra tensão muito utilizada na engenharia é a tensão de


cisalhamento máxima no plano.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

A orientação de um elemento cujas faces estão submetidas


à tensão de cisalhamento máxima é obtida pela derivada da
seguinte equação e em seguida igualada a zero:
s x −s y
 x' y' = − .sen(2q ) +  xy . cos(2q )
Assim, 2
𝑑𝜏𝑥′𝑦′ 𝜎𝑥 − 𝜎𝑦
= −2. . cos( 2𝜃) − 2𝜏𝑥𝑦 . 𝑠𝑒𝑛(2𝜃) = 0
𝑑𝜃 2
−(𝜎𝑥 − 𝜎𝑦 )
𝑡𝑔(2𝜃𝑠 ) =
2. 𝜏𝑥𝑦

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Dessa forma foram determinados as orientações do planos (q


= qp1 e q = qp2) onde a tensão cisalhante é máxima. Os planos
para tal condição são aqueles rotacionados de 45º em
relação aos planos de tensão principal.
s x −s y
 máxima = ( ) 2 + ( xy ) 2
2
Neste plano, ocorre uma tensão normal denominada média e
dada por: s x +s y
s média =
2
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Cisalhamento Puro:

Corresponde ao estado de tensão em que o elemento


está sujeito a apenas tensões de cisalhamento.

Desta forma, não há tensões normais atuando nas faces


do elemento.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

◼ Exemplo 9.6 (Hibbeler)


O estado plano de tensão em um ponto sobre um corpo é
representado no elemento mostrado na figura abaixo.
Represente esse estado de tensão como a tensão de
cisalhamento máxima no plano e a tensão normal média
associada.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Pela convenção de sinais estabelecida, temos:


s x =−20 MPa s y = 90 MPa
 xy = 60MPa
A orientação de elemento pode ser calculada pela seguinte
𝜎𝑥 − 𝜎𝑦
equação: 𝑡𝑔 2𝜃𝑠 =−
2𝜏𝑥𝑦
Resolvendo e denominando essa raiz de qs2, obtemos que:
2𝜃𝑠2 = 42,5° 𝜃𝑠2 = 21,3°

Como a diferença entre 2qs1 e 2qs2 é 180°, temos:


2𝜃𝑠1 = 180° + 2𝜃𝑠2 𝜃𝑠1 = 111,3°

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Observe que esses ângulos mostrados na figura anterior


estão a 45º dos planos principais de tensão que foram
determinados no exemplo anterior.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

𝜃𝑠1 = 𝜃𝑝1 + 45º = 66,3° + 45° = 111,3°

𝜃𝑠2 = 𝜃𝑝2 + 45º = −23,7° + 45° = 21,3°

𝜃𝑠1

𝜃𝑠2

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I


Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Tensão de cisalhamento máxima no plano s x −s y


 máxima = ( ) 2 + ( xy ) 2
2
𝜏𝑚á𝑥𝑖𝑚𝑎 = 81,4𝑀𝑃𝑎
A direção adequada de máxima no elemento pode ser
determinada considerando q= qs2 = 21,3°
s x −s y
 x' y' = − .sen(2q ) +  xy . cos(2q ) 𝜏𝑥 ′ 𝑦′ = 81,4𝑀𝑃𝑎
2
Assim, máxima = x’y’ age na direção y’ positivo nessa face
(q=21,3°). As tensões de cisalhamento nas outras três faces
estão na figura a seguir.
Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I
Resistência
RESISTÊNCIA dosDOS
materiais
MATERIAIS I

Tensão normal média s x +s y


s média =
2

𝜎𝑚é𝑑𝑖𝑎 = 35𝑀𝑃𝑎

Essa é uma tensão de tração.

Aula 1 – Introdução a Resistência dos Materiais I