Vous êtes sur la page 1sur 2

Olhar Oceano

Olhando em seus olhos


de sonho e desespero,
assisto o mar humano
arrebentando em ondas
contra as rochas das delusões.
Somos nada mais que o espelho
estilhaçado um do outro.

Nascidos para vencer, só perdemos...


E mil mentiras dizendo ao contrário.
Como o louco do tarô
dançamos nus e embriagados
na borda do abismo.
Coroados com o intelecto ou não,
cantamos com mil vozes desconexas
as maravilhas de uma miragem
construída sobre a aridez de um deserto.

O que podemos ser senão beduínos?


Ou o náufrago que cruza o oceano
com a sua jangada de dor e sacrifícios?
De uma coisa eu sei,
é que no balanço de seu olhar
que hora verte lágrimas de alegria
e hora lágrimas de sangue,
eu encontro a força para resistir
e poder cruzar o mar,
esquecendo de mim mesmo
no luar de seu olhar.

Clareses