Vous êtes sur la page 1sur 2

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

ENGENHARIA CIVIL - CONCRETO ARMADO


PROFESSOR: CRISTIANO EDUARDO ANTUNES

𝑓𝑐𝑘 𝑓𝑦𝑘 𝑥 𝜀𝑐
𝑓𝑐𝑑 = 𝑓𝑦𝑑 = 𝑀𝑑 = 𝑀𝑘 ∙ 𝛾𝑔 𝑜𝑢 𝑞 𝑘𝑥 = =
1,40 1,15 𝑑 𝜀𝑐 + 𝜀𝑠

2,0 𝑐𝑚 2,0 𝑐𝑚 𝑛
1,4 1,4 1,4
𝑎ℎ ≥ { ∅𝑙 𝑎𝑣 ≥ { ∅𝑙 𝐹𝑑 = { } 𝐹𝑔𝑘 + { } 𝐹𝑞1𝑘 + ∑ 𝜓0 { } 𝐹𝑞𝑗𝑘
1,0 0 0
1,2 ∙ 𝑑𝑚𝑎𝑥 0,5 ∙ 𝑑𝑚𝑎𝑥 𝑗=2

3
20 ∙ 𝑏𝑤 ∙ 𝑓𝑐𝑡,𝑚 3 2 0,21 ∙ √𝑓𝑐𝑘 2
𝐴𝑠,𝑚𝑖𝑛 = 𝜌𝑚𝑖𝑛 ∙ 𝐴𝑐 𝐴𝑠𝑤,𝑚𝑖𝑛 = 𝑓𝑐𝑡,𝑚 = 0,3 ∙ √𝑓𝑐𝑘 𝑓𝑐𝑡𝑑 =
𝑓𝑦𝑤𝑘 1,40
(fck em MPa)
(fck em MPa)

fck (MPa) 20 25 30 35 40 45 50
ρmin (%) 0,150 0,150 0,150 0,164 0,179 0,194 0,208

AÇÕES ψ0
CARGAS ACIDENTAIS DE EDIFÍCIOS
Edificações residenciais, de acesso restrito 0,50
Edificações comerciais, de escritórios e de acesso público 0,70
Bibliotecas, arquivos, depósitos, oficinas e garagens 0,80
VENTO
Pressão dinâmica do vento nas estruturas em geral 0,60

Es = 21.000 kN/cm²
Peso específico do concreto armado = 25 kN/m³
Peso específico da água = 10 kN/m³

CISALHAMENTO
Modelo I - NBR 6118:2014 Modelo II – NBR 6118:2014
VSd ≤ VRd2 e VSd ≤ VRd3 VSd ≤ VRd2 e VSd ≤ VRd3
VRd2 = 0,27 ∙ αv2 ∙ fcd ∙ bw ∙ d VRd2 = 0,54 ∙ αv2 ∙ fcd ∙ bw ∙ d ∙ sen θ ∙ cos θ
αv2 = 1 – ( fck / 250 ) → adim., fck em MPa αv2 = 1 – ( fck / 250 ) → adim., fck em MPa
VRd3 = Vc1 + Vsw
VRd3 = Vc0 + Vsw
Vc0 = 0,6 ∙ fctd ∙ bw ∙ d
Vc0 = 0,6 ∙ fctd ∙ bw ∙ d Se VSd ≤ Vc0
Vsw = VSd – Vc0 Vc1 = Vc0
100 ∙ 𝑉𝑠𝑤 Caso contrário:
𝐴𝑠𝑤 = ≥ 𝐴𝑠𝑤,𝑚𝑖𝑛 𝑉𝑅𝑑2 − 𝑉𝑠𝑑
0,9 ∙ 𝑑 ∙ 𝑓𝑦𝑤𝑑
𝑉𝑐1 = 𝑉𝑐0 ∙ ≤ 𝑉𝑐0
𝑉𝑅𝑑2 − 𝑉𝑐0
Vsw = VSd – Vc1
100 ∙ 𝑉𝑠𝑤
𝐴𝑠𝑤 = ≥ 𝐴𝑠𝑤,𝑚𝑖𝑛
0,9 ∙ 𝑑 ∙ 𝑓𝑦𝑤𝑑 ∙ 𝑐𝑜𝑡𝑔 𝜃

Para vigas com carga distribuída, o esforço cortante reduzido é aquele a d/2 da face do apoio.
Cargas concentradas a menos de 2 ∙ d do eixo do apoio, esforço cortante reduzido é igual ao esforço cortante
inicial multiplicado por [a / (2 ∙ d)]
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ
ENGENHARIA CIVIL - CONCRETO ARMADO
PROFESSOR: CRISTIANO EDUARDO ANTUNES

VIGAS T
ℎ𝑓
𝑀𝑑,𝑚 = 0,85 ∙ 𝑏𝑓 ∙ ℎ𝑓 ∙ (𝑑 − ) ∙ 𝑓𝑐𝑑
2
𝐴𝑠 ≥ 𝐴𝑠,𝑚𝑖𝑛

𝐴𝑠 ≤ 𝐴𝑠,𝑚𝑎𝑥

VIGA T PARA Md ≤ Md,m (fck ≤ 50 MPa)


𝑀𝑑 𝑘𝑐
𝑘𝑐 = 𝑘𝑥 = 1,25 − √1,5625 −
𝑏𝑓 ∙ 𝑑2 ∙ 𝑓𝑐𝑑 0,272

𝑀𝑑
𝐴𝑠 = 𝑘𝑧 = (1 − 0,4 ∙ 𝑘𝑥 ) ∙ 𝑓𝑦𝑑
𝑘𝑧 ∙ 𝑑

VIGA T PARA Md > Md,m (fck ≤ 50 MPa)


ℎ𝑓
𝑀𝑑,3 = 0,85 ∙ (𝑏𝑓 − 𝑏𝑤 ) ∙ ℎ𝑓 ∙ (𝑑 − ) ∙ 𝑓𝑐𝑑
2
𝑀𝑑1 𝑘𝑐
𝑀𝑑,1 = 𝑀𝑑 − 𝑀𝑑,3 𝑘𝑐 = 𝑘𝑥 = 1,25 − √1,5625 −
𝑏𝑤 ∙ 𝑑2 ∙ 𝑓𝑐𝑑 0,272

𝑀𝑑1 𝑀𝑑3 1
𝐴𝑠 = [ + ]∙ 𝑘𝑧 = 1 − 0,4 ∙ 𝑘𝑥
𝑘𝑧 ∙ 𝑑 ℎ𝑓 𝑓𝑦𝑑
(𝑑 − 2 )

ANCORAGEM
η1 = 1,0 (lisa)
∅ 𝑓𝑦𝑑 α1 = 1,0 (sem gancho)
𝑙𝑏 = ∙ η1 = 1,4 (entalhada)
4 𝑓𝑏𝑑 α1 = 0,7 (com gancho)
η1 = 2,25 (nervurada)
𝐴𝑠,𝑐𝑎𝑙𝑐 η2 = 1,0 (boa aderência)
𝑙𝑏,𝑛𝑒𝑐 = 𝛼1 ∙ 𝑙𝑏 ∙ ≥ 𝑙𝑏,𝑚𝑖𝑛 0,3 ∙ 𝑙𝑏
𝐴𝑠,𝑎𝑑𝑜𝑡 η2 = 0,7 (má aderência)
𝑙𝑏,𝑚𝑖𝑛 ≥ { 10 ∙ ∅
10 𝑐𝑚 η3 = 1,00 para ϕ ≤ 32 mm
𝑓𝑏𝑑 = 𝜂1 ∙ 𝜂2 ∙ 𝜂3 ∙ 𝑓𝑐𝑡𝑑
η3 = (132 - ϕ ) / 100 para ϕ > 32