Vous êtes sur la page 1sur 63

Acionamentos Industriais

Componentes e Quadros
elétricos

Ithalo H. de Souza - Eng. Eletricista


UTFPR
SOBRECORRENTES

As sobrecorrentes podem se apresentar em


dois níveis de intensidade:

 SOBRECARGA

 CURTO-CIRCUITO
SOBRECORRENTES

 SOBRECARGA
- Correntes poucas vezes superior à capacidade
de condução do condutor ou da condição
nominal do circuito;

- Permanecendo na freqüência industrial.

Dependendo a intensidade, o tempo de atuação


da proteção pode variar.

Disparador térmico contra sobrecarga


SOBRECORRENTES

 CURTO-CIRCUITO
- correntes muitas vezes superior à
capacidade de condução do condutor e
da condição nominal do circuito;

- Freqüência é alterada.

O tempo de atuação deve ser rápido.

Disparador magnético contra curto-circuito


PROTEÇÕES

Fusíveis – Diazed, NH, Vidro, outros

Disjuntores – Caixa moldada, Abertos, Quick lag


Monofásicos, Bifásicos e Trifásicos

Relés de Proteção – Sistemas maiores e mais


exigentes na questão de proteção e
confiabilidade.
PROTEÇÕES

Nível de Curto-circuito;

Capacidade de Interrupção.
FUSÍVEIS
- Mais barato – Principalemente com níveis de curto-circuito elevados;
- Necessidade de estoque;
- Proteção Curto-circuito;
- Sobrecarga (não eficiente para motores).
FUSÍVEIS
Tipos:

Fusíveis de Efeito Rápido – Utilizados em aplicações simples nas quais a carga


acionada pela rede elétrica não apresenta picos de corrente, ou seja, a corrente consumida pelo
equipamento através de sua ligação a tomadas não assume valores elevados, por exemplo
lâmpadas, fornos elétricos, etc.

Fusíveis de Efeito Retardado – Utilizados em circuitos nos quais a corrente de partida


dos equipamentos assuma valores bem superiores aos que possuem nas condições normais de
funcionamento ou em situações aonde ocorre sobrecarga momentânea dos circuitos, é o caso
dos motores elétricos e cargas capacitivas respectivamente.

Fusíveis de Efeito Ultrarrápido – Aplicados em situações nas quais a carga a ser


alimentada possui circuitos eletrônicos ultrassensíveis constituídos por elementos
semicondutores, tiristores, GTO’s e diodos interrompendo a corrente quando houver um curto
para evitar danos a essas partes constituintes.
FUSÍVEIS
Fusíveis NH

Partes integrantes:

• Uma base, feita de material isolante aonde são fixados contatos tipo garras
contendo molas que aumentam a pressão no encaixe.
• O fusível propriamente dito, um corpo retangular de porcelana que contém no
seu interior o chamado elo.
• Suportam elevados níveis de tensão sem que haja rompimento de seu elo
fusível.
• São indicados para circuitos nos quais ocorrem picos de corrente, bem como
aonde existam cargas reativas (indutiva e capacitiva).
• Possuem corrente nominal que vai de 6 A a 1,2 kA.
• Capacidade de ruptura elevada > 70 kA.
• Tensão máxima suportada de 500 V (em circuitos CA).
FUSÍVEIS
Fusíveis DIAZED

Partes integrantes:

• Uma base de porcelana, contendo um elemento metálico em seu interior que é ligado a
um dos bornes, sendo que o outro está conectado ao parafuso de ajuste.
• Tampa também em porcelana, que prende o fusível na base, a qual não fica inutilizada
mesmo que ocorra queima do dispositivo, quando então cessa a condutividade da
corrente.
• Parafuso de ajuste que impede a substituição do fusível ideal para a aplicação por outro
de maior ou menor capacidade, sua montagem é feita com uso de chave especial.
• Anel em porcelana com rosca interna que protege a base aberta contendo uma rosca de
material metálico, impedindo contatos manuais inadequados na troca do fusível.
• Fusível feito de porcelana, com extremidades aonde está afixado um fio de cobre ou metal
recoberto por zinco.
FUSÍVEIS
Fusíveis DIAZED

Partes integrantes:

• No interior desses fusíveis existe areia especial que tem a função de interromper o arco
elétrico (centelha azul que surge durante o curto-circuito) e evita explosões que possam
ocorrer com a queima do fusível.
• Os fusíveis DIAZED podem ser de ação rápida, próprios para circuitos aonde não
existem cargas com pico de corrente (resistivas) do tipo lâmpadas e fornos e de ação
retardada, implantados em circuitos contendo motores (carga indutiva) e capacitores pois
apresentam corrente que atinge picos, cuja operação é mais lenta devido a essas
correntes máximas provenientes de cargas reativas serem instantâneas.
• Possuem corrente nominal máxima de 100 A.
• Capacidade de ruptura equivalente a 70 kA.
• Tensão máxima suportada de 500 V (em circuitos CA).
FUSÍVEIS Curva de abertura – T x Icc
Disjuntores
Disjuntores
Disjuntores

Ajuste corrente nominal


- Termomagnéticos (podem ser só magnéticos)
- Proteção Curto-circuito;
- Sobrecarga (não eficiente para motores).
Disjuntor motor
Ajuste corrente nominal
- Proteção Curto-circuito;
- Sobrecarga (eficiente para motores)
- Custo elevado.
DISJUNTORES ABERTOS
Disjuntores Curva de Disparo
Industriais Curva de abertura – T x Icc

Curva atuação bobina Térmica do


Curvas 1h disjuntor (bimetálico) x tempo

Atuação Curva atuação bobina Magnética


t do disjuntor (Câmara extinção
arco) x tempo (instantâneo)

0.01 s

1.13 1.45 Im
I/Ir
Arquitetura

Trafo
AT/BT Dij. Geral

Painel distribuição geral

SELETIVIDADE
Chaves Seccionadoras

Manobra de circuitos;
Isolamento de circuitos;
Acionamento a vazio e sob carga.
Contatores de força

Manobra altas correntes;


Flexibilidade para comandos de máquinas e
equipamentos;
Pequena corrente de comando manobra
correntes elevadas.
Contatores auxiliares
Multiplicidade de intertravamentos;
Multiplicação de contatos.
Relé Térmico
- Proteção contra sobrecarga
- Ajuste In motor

- Não desliga diretamente a In – atua junto ao contator

- Proteção contra falta de fase quando I >0,6In%


Relé Térmico
Dispositivos de Manobra e Sinalização
-Botões pulsadores com contatos associados;
-Botões de desligamento de emergência;

-Sinalizações porta painéis;

-Chaves rotativas para comando e travamentos;


Dispositivos de Manobra e Sinalização

-Chaves rotativas;
-Diversas corrente;

-Esquemas de contatos NA/NF conf. Necessidade;

-Fixação Topo e Pela Base;

-Isolamento circuitos.

Seletora Amperímetro
Seletora Voltímetro
Acionamentos Industriais

Componentes e Quadros
elétricos
CAIXAS/QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO

FINALIDADE

- Pontos nodais em uma rede;


- Isolar e proteger as diferentes partes de uma rede elétrica;
- Permite a distribuição e proteção para os diversos pontos
da instalação;
- Abriga os equipamentos de proteção, controle comando,
medição e sinalização;
- Montagem em suportes apropriados;
- Proteger as partes sob tensão de contatos acidentais;
- Confinamento de efeitos decorrentes de falhas do sistema.
CAIXAS/QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO

Classificação quanto a função:

Quadros de Baixa Tensão (BT) até 1000V


- Quadros de Distribuição;
- Quadros de Comando;
- Quadros de Controle (sensores, registradores);
- Quadros de Medição;
- Quadros de Proteção (relés);

Quadros de Média Tensão (MT) até 34,5KV


- Quadros de entradas de energia (medição);
- Quadro de distribuição;
- Quadros de distribuição blindado – Metal Clad
(equipamentos extraíveis)
CAIXAS/QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO
Classificação quanto ao local de instalação:

Temperatura normal – 35ºC (médio durante 24 horas) e temperatura


máxima no barramento de 65ºC.
Acima destes limites – ventilação forçada.
- Abrigada (interna);
- Abrigada (externa);
- À prova de poeira;
- À prova de respingos; Definir Grau de proteção
- À prova de gotas d’água;
- À prova de gases corrosivos;
- À prova de óleo;
- À prova de jatos d’água;
- À prova de gotas d’água;
-- À prova de imersão.
CAIXAS/QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO
Classificação quanto ao local de instalação:

Primeiro dígito
CAIXAS/QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO
Classificação quanto ao local de instalação:

Segundo dígito
CAIXAS/QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO
Quadro Disjuntores Residencial/Predial x Industrial

- Montagem de Sobrepor ou Embutida; - Flexibilidade montagem;


- Com barramento para disjuntores; - Trabalho artesanal;

- Espelho - Necessita MDO capacitada;

- Chapa de montagem; - Pessoal especializado.

- Vídeo Exemplo
Armários para Montagens Fixas
- Flexibilidade montagens;
- Ambientes Industriais;

- Acesso MDO qualificada;

- Diversidades Montagem;

- Elementos fixados nas chapas de montagens o porta;

- Sistema modulado;

- Estrutura autoportante.
Montagem Fixa

Elementos fixados nas chapas:

- Barramentos e isoladores;
- Disjuntores;

- Fusíveis;

- Chaves seccionadoras;

- Régua de bornes;

- Partes energizadas acessíveis.


Montagem Fixa
Experiência do montador
CCM Extraível
CENTRO DE CONTROLE DE MOTORES

- Chaves de partidas e demais acionamentos montados em gavetas extraíveis;


- Flexibilidade de manutenção;

- Agilidade em recolocação em funcionamento;

- Compartimentado (barramento/gavetas/saída cabos);

- Sistema modulado.
CCM Extraível

Coluna típica
Visão interna

Barramento horizontal;
Barramento vertical;
CCM Extraível

Gavetas típicas horizontal e vertical


Acionamentos frontais e componentes internos.
CCM Extraível
PRINCIPAIS ACESSÓRIOS E MATERIAIS
PARA MONTAGEM

 Isoladores de baixa tensão


 Fixação dos barramentos

 Canaletas plásticas
 Organização dos fios e cabos internos
PRINCIPAIS ACESSÓRIOS E MATERIAIS PARA MONTAGEM
 Terminais isolados
para cabinhos (pino, olhal, U);

 Conectores de pressão
e compressão;

 Fita isolante;

 Braçadeiras plásticas;
PRINCIPAIS ACESSÓRIOS E MATERIAIS PARA MONTAGEM

 Anilhas de Identificações;

 Alfanuméricas.
Barramentos:

Vistas frontal e
Lateral esquerda
Barramentos(condução):

Tabela para
dimensionamento
Furações
Sinalização e Comando
Furações
Medição e Instrumentos
96x96 mm
Exemplo – vista frontal
Exemplo – vista frontal interna
Exemplo – diagrama de força
Exemplo – diagrama de comando
Exemplo – diagrama de comando
Exemplo – diagrama de comando
Exemplo – Visas externas
Exemplo – vista externa e layout interno
Exemplo – vista externa e layout interno
Painéis MT – Distribuição
• Até 36KV;
• Blindado;
• Resistente a arco interno;
• Proteções para os operadores;
• Permite ocupar menor espaço em ambientes fechados;
• Disjuntor com posição de teste;
• Possibilidade do emprego de seccionadora de aterramento,
• Estruturas padronizadas;
• Comando externo dos disjuntores;
• Proteção de cabos (entrada e saída).
Painéis MT – Distribuição

• Disjuntor / secciondora em carrinho extrível


Painéis MT – Distribuição
A- Compartimento de barras
•Disjuntores em carrinho extraível B - Compartimento do disjuntor
C - Compartimento de cabos
D - Compartimento de baixa tensão

1. Disjuntor extraível
2. Isolador suporte do barramento
3. Travessias de resina epóxy moldada
4. Transformador de corrente
5. Seccionador de terra de cabos
6. Cabos
7. Sistema de protecção contra arco interno
8. Coortinas metálicas de segurança
9. Barramento
10. Derivações
11. Divisor de tensão capacitivo
12. Mecanismo de comando do seccionador de terra
13. Carrinho para cabos de baixa tensão
Painéis MT – Distribuição

•Disjuntores em carrinho extraível


Painéis MT – CCM MT

• Até 7,2 KV;


• Intertravamentos mecânicos e elétricos;
• Completa proteção contra toques de partes vivas;
• Carrinho do contator totalmente intertravado;
• Divisões metálicas que evitam a propagação de arco;
• Segurança de pessoal, operação e manutenção;
• Equipamentos de comando auxiliar.
Painéis MT – CCM MT

• Comando e proteção em compartimento em separado;


• Relés de proteção específicos.
Painéis MT – CCM MT
Contatores de MT e gavetas extraíveis