Vous êtes sur la page 1sur 215

Ervas de Exu pedras.

0 usada como adstringente na


medicina caseira, apressa a cura de
feridas e 1lceras, e resolve casos de
in&ama()es do aparelho genital.
2amém é de grande ec3cia nas
Amendoeira: Seus lavagens genitais.
galhos são usados nos locais em que o
homem exerce suas actividades
lucrativas. Na medicina caseira, seus
frutos são comestíveis, porém em
grandes quantidades causam diarreia
de sangue. Das sementes farica!se o Arrebenta Cavalo:
"leo de am#ndoas, muito usado para No uso ritualístico esta erva é
fa$er saonetes por ter efeitos empregada em anhos fortes do
emolientes, além de amaciar a pele. pesco(o para aixo, em hora aerta. 0
tamém usado em magias para atrair
simpatia. Não é usada na medicina
caseira.

Amoreira: %lanta que


arma$ena &uidos negativos e os solta
ao entardecer' é usada pelos
sacerdotes no culto a Eguns. Na Arruda: %lanta
medicina caseira, é usada para deelar arom3tica usada nos rituais porque Exu
as in&ama()es da oca e garganta. a indica contra maus &uidos e olho!
grande. Suas folhas mi1das são
aplicadas nos ori, anhos de limpe$a
ou descarrego, o que é f3cil de
perceer, pois se o amiente estiver
realmente carregado a arruda morre.
Angelim –
Ela é tamém usada como amuleto
amargoso: *uito usado em
para proteger do mau!olhado. Seu uso
marcenaria, por tratar!se de madeira de
restringe!se 4 5manda. Em seu uso
lei. Nos rituais, suas folhas e &ores são
caseiro é aplicada contra a verminose e
utili$adas nos a+ dos lhos de Nanã, e
reumatismos, além de seu sumo curar
as cascas são utili$adas em anhos
feridas.
fortes com a nalidade de destruir os
&uidos negativos que possa haver,
reali$ando um excelente descarrego
nos lhos de Exu. - medicina caseira
indica o p" de suas sementes contra
vermes. *as cuidado Deve ser usada Avelós –
em doses pequenas. Figueira-do-diabo: Seu uso se
restringe a purica(ão das pedras do
orix3 antes de serem levadas ao
assentamento' é usada socada. -
medicina caseira indica esta erva para
Aroeira: Nos comater 1lceras e resolver tumores.
terreiros de /andomlé este vegetal
pertence a Exu e tem aplica(ão nas
origa()es de cae(a, nos
sacudimentos, nos anhos fortes de
descarrego e nas purica()es de
os lhos deste orix3. Não possui uso
popular.

Azevinho: *uito utili$ada na


magia ranca ou negra, ela é
empregada nos pactos com entidades.
Não é usada na medicina popular. Cabeça-de-nego: No ritual a
rama é empregada nos anhos de
limpe$a e o olo nos anhos fortes de
descarrego. Esta atata comate

reumatismo,
&ores rancasmenstrua()es
e in&ama()esdifíceis,
vaginais e
Bardana: -plicada nos
uterinas.
anhos fortes, para livrar o sacerdote
das ondas negativas e eguns. 6 povo
utili$a sua rai$ co$ida no tratamento de
sarnas, tumores e doen(as venéreas.

Cajueiro: Suas folhas


são utili$adas pelo axogun para o
sacrifício ritual de animais
Beladona: Nas quadr1pedes. Em seu uso caseiro, ele
cerim"nias lit1rgicas s" tem emprego comate corrimentos e &ores rancas.
nos sacudimentos domiciliares ou de %)e m a diaetes. /o$inhar as cascas
locais onde o homem exer(a em um litro e meio de 3gua por cinco
actividades lucrativas. 2raalhos feitos minutos e depois fa$er gargare7os p)e
com os galhos desta planta tamém m ao mau h3lito.
provocam grande poder de atrac(ão.
%ouco usada pelo povo devido ao alto
princípio activo que nela existe. Este
princípio dilata a pupila e diminui as
secre()es sudorais, salivares,
pancre3ticas e l3cteas. Cana-de-açúcar: Suas
folhas secas e aga(os são usados em
defuma()es para puricar o amiente
antes dos traalhos ritualísticos, pois
essa defuma(ão destr"i eguns. Não
possui uso na medicina caseira.
Beldroega: 5sada na
purica(ão das pedras de Exu. 6 povo
utili$a suas folhas, socadas, para
apressar cicatri$a()es de feridas.
Cardo-santo: Essa planta
afugenta os males, propicia o
aparecimento do perdido e fa$ cair os
vermes do corpo dos animais. Na
Brinco-de-princesa: 0 medicina caseira suas folhas são
planta sagrada de Exu. Seu uso se empregadas em oftalmias cr"nicas,
restringe a anhos fortes para proteger enquanto as raí$es e hastes são
empregadas contra in&ama()es da
exiga.
Catingueira: 0 muito "rva-pre#: Empregada nos
empregada nos anhos de descarrego. anhos de limpe$a descarrega
Seu sumo serve para fa$er a sacudimentos pessoais e domiciliares.
purica(ão das pedras. Entretanto, não 6 povo usa o ch3 desta erva como
deve fa$er parte do axé de Exu onde se aromati$ante e excitante. 9anhos
depositam pequenos peda(os dos axé quentes deste ch3 melhoram as dores
das aves ou ichos de quatro patas. Na nas articula()es, causadas pelo

medicina caseira
menstrua()es ela é indicada para
difíceis. artritismo.

Cebola-cencm: Facheiro-$reto: -plicada


Essa ceola é de Exu e nos rituais seu somente nos anhos fortes de limpe$a
olo é usado para os sacudimentos e descarrego. Na medicina caseira, ela
domiciliares. 0 empregada da seguinte é utili$ada nas afec()es renais e nas
maneira: corta!se a ceola em peda(os diarreias.
mi1dos e, so os c8nticos de Exu,
espalha!se pelos cantos dos c"modos e
em aixo dos m"veis' a seguir, entoe o
canto de 6gum e despache para Exu.
Este traalho
falsidades auxilia na
e o7ectos descoerta
perdidos. de
6 povo Fedegoso Crista-
de-galo: Esta erva é utili$ada em
utili$a suas folhas co$idas como
anhos fortes, de descarrego, pois é
emoliente.
eca$ na destrui(ão de Eguns e
causadores de enfermidades e
doen(as. Seus galhos envolvem os e"
de defesa. /om &ores e sementes desta
Cunan!: Seu uso restringe!se planta é feito um p", o qual é aplicado
aos anhos de descarrego e limpe$a. sore as pessoas e em locais' é
Sustituiu em parte, os sacrifícios a denominado o p" que fa$ em;. Na
Exu. - medicina caseira indica os medicina caseira actua com excelente
galhos novos desta planta para curar regulador feminino. -lém de agir com
1lceras. grande ec3cia sore erisipelas e males
do fígado. 0 usada pelo povo, fa$endo o
ch3 com toda erva e eendo a cada
duas horas uma xícara.

Fedegoso: *isturada a
outras ervas pertencentes a Exu, o
fedegoso reali$a os sacudimentos
domiciliares. 0 de grande utilidade para
limpar o solo onde foram riscados os aplicando as cascas, por nature$a,
pontos de Exu e locais de despacho amargas.
pertencentes ao deus da lierdade.

Figo Benjamim: 'urema $reta: 2anto


Erva usada na purica(ão de pedras ou na 5manda quanto no /andomlé, a
ferramentas e na prepara(ão do fetiche <urema %reta é usada nos anhos de
de Exu. 0 empregada tamém em descarrego e nos e" de defesa. 6
anhos fortes nas pessoas osidianas.
No uso popular, suas folhas são co$idas povo a indica
cancros, no ocomate
usando ch3 dasacascas.
1lceras e
para tratar feridas reeldes e deelar o
reumatismo.

'urubeba: 5tili$ada em
anhos preparat"rios de lhos
Figo do %n&erno: recolhidos ao ariaxé. Na medicina
Somente as folhas pertencentes a este caseira, o ch3 de suas folhas e frutos
vegetal são de Exu. Na liturgia, ela é o propiciam um melhor funcionamento do
ponto de concentra(ão de Exu. Não a(o e fígado. 0 poderoso desostruíste
possui uso na medicina popular. e t"nico, além de prevenir e deelar
hepatites. 9anho de assentos mornos
com essa erva propiciam melhores 4s
articula()es das pernas.
Folha da Fortuna: 0
empregada em todas as origa()es de
cae(a, em anhos de limpe$a ou
descarrego e nos a+s de quaisquer (anterna Chinesa:
lhos!de!santo. Na medicina caseira é 5tili$ada em anhos fortes para
consagrada por sua ec3cia, curando descarregar os lhos atacados por
cortes, acelerando a cura nas eguns. Suas &ores enfeitam a casa de
cicatri$a()es, contus)es e escoria()es, Exu. %opularmente, é usada como
usando as folhas socadas sore os adstringente e a infusão das &ores é
ferimentos. 6 suco desta erva puro ou indicada para in&ama(ão dos olhos.
misturado ao leite, ameni$a as
consequ#ncias de tomos e quedas.

(aranjeira do )ato: Seu


uso se restringe a anhos fortes, de
'u# – 'uazeiro: 0 usada limpe$a e descarrego. Na medicina
para complementar anho forte e caseira ela actua com grande ec3cia
raramente est3 incluída nos anhos de sore as c"licas adominais e tamém
limpe$a e descarrego. Seus galhos são menstruais.
usados para corir o e" de defesa. -
medicina caseira a indica nas doen(as
do peito, nos ferimentos e contus)es,
)am!o Bravo: )angueira: 0
%lanta utili$ada nos anhos de limpe$a aplicada nos anhos fortes e nas
descarrega e nos anhos fortes. -lém origa()es de ori, misturada com
de ser muito empregada nos e" de aroeira, pinhão!roxo, ca7ueiro e
defesa, sendo sustituída de tr#s em vassourinha!de!rel"gio, do pesco(o
tr#s dias, porque o orix3 exige que a para aixo. -o terminar, vista uma
erva este7a sempre nova. 6 povo a roupa limpa. -s folhas servem para
corir o terreiro em dias de aa(3. Na
utili$a para curar feridas. medicina caseira é indicada para
deelar diarreias reeldes e asma. 6
co$imento das folhas, em lavagens
vaginais, p)e m ao corrimento.

)aminha de $orca:
Somente seus galhos são usados no
ritual e em sacudimentos domiciliares.
6 povo a indica como restaurador
org8nico e tonicador do organismo. )anjerioba: 5tili$ada
Sua casca co$ida tem grande ec3cia nos anhos fortes, nos descarregos, nas
sore as mordeduras de cora. limpe$as pessoais e domiciliares e nos
sacudimentos pessoais, sempre do
pesco(o para aixo. 6 povo a indica
como regulador menstrual,
eneciando os "rgãos genitais. 5tili$a!
se o ch3 em co$imento.
)amona: Suas folhas
servem como recipiente para arriar o
e" de Exu. Suas sementes socadas
vão servir para puricar o ot3 de Exu.
Não tem uso na medicina popular.
)aria )ole: -plicada nos
anhos de limpe$a e descarrego, muito
procurada para sacudimentos
domiciliares. 6 povo a indica em
co$imento nas dispepsias e como
)angue Cebola: No excelente adstringente.
ritual, a ceola é usada nos
sacudimentos domiciliares. /orte a
ceola em peda(os mi1dos e, entoando
em vo$ alta o canto de Exu, a espalhe
pela casa, nos cantos e so os m"veis.
Na medicina caseira, a ceola do )ata Cabras: *uito
mangue esmagada cura feridas utili$ado para afugentar eguns e
reeldes. destruir larvas astrais. -s pessoas que
a usam não devem toc3!la sem corir
as mãos com pano ou papel, para
depois despach3!la na encru$ilhada. 6
povo indica o co$imento de suas folhas
e caules para tirar dores dos pés e
pernas, com anho morno.

$au-d,alho: 6s galhos
dessa erva são utili$ados nos
)ata $asto: Seus sacudimentos domiciliares e em anhos
galhos são muito utili$ados nos anhos fortes, feitos nas encru$ilhadas,
de limpe$a, descarrego, nos misturadas com aroeira, pinhão ranco
sacudimentos pessoais e domiciliares. ou roxo. Na encru$ilhada em que tomar
6 povo a indica contra feres malignas o anho, arreie um mi!ami!ami,
e inc"modos digestivos.
oferecido a Exu,
encru$ilhada de prefer#ncia
tranquila. em uma
Na medicina
caseira ela é usada para exterminar
acessos e tumores. 5sa!se socando
em as folhas e colocando!as sore os
tumores. 6 co$imento de suas folhas,
)ussamb* de Cinco em anhos quentes e demorados, é
Folhas: 6s.: Se7am eles de sete, excelente para o reumatismo e
cinco, ou tr#s folhas, todos possuem o hemorr"idas.
mesmo efeito, tanto nos traalhos
rituais, quanto na medicina caseira.
Esta erva é utili$ada por seus efeitos
positivos e por serem em aceitas por
Exu no ritual de oas vindas. Na
medicina caseira é excelente para curar $ic!o da $raia: Não
feridas.
possui
caseirauso ritualístico.
o indica - medicina
como diurético e de
grande ec3cia nos males da exiga.
%ara isso utili$e!o so a forma de ch3.

+ra-pro-nobis: 0
erva integrante do anho forte. 5sada
nos anhos de descarrego e limpe$a. 0
destruidora de eguns e larvas $imenta arda: -plicada
negativas, além de entrar nos em anhos fortes e nos assentamentos
assentamentos dos mensageiros Exus. de Exu. Na medicina caseira, suas
No uso caseiro, suas folhas actuam sementes em infusão são anti!
como emolientes. helmínticas, destruindo até amea.

$inh!o Branco:
$almeira A&ricana: Suas
-plicada em anhos fortes misturadas
folhas são aplicadas nos anhos de
com aroeira. Esta planta possui o
descarrego ou de limpe$a. Não possui
grande valor de querar encantos e em
uso na medicina caseira.
algumas ocasi)es sustitui o sacrifício
de Exu. Suas sementes são usadas pelo
povo como purgativo. 6 leite
encontrado por dentro dos galhos é de
grande ec3cia colocado sore a co$imento, actua como energético
erisipela. %orém, deve!se 2er cuidado, adstringente. =avando as feridas, ela
pois esse leite contém uma terrível apressa a cicatri$a(ão.
n"doa que inutili$a as roupas.

0ajuj# – 0a2u2a: 0
usada em anhos fortes, de limpe$a ou
$inh!o Coral: Erva descarrego. - rama do ta7u73 é utili$ada
integrante nos anhos fortes e usadas para circundar o e" de defesa. 6 povo
nosdefesa.
de de limpe$a e descarrego
Na medicina eo
caseira nos e" a indica como forte purgativo.
pinhão coral trata feridas reeldes e
1lceras malignas.

0amiaranga: 0 destinada
aos anhos fortes, anhos de
descarrego e limpe$a. 0 usada nos e"
de defesa. 6 povo a indica para tratar
$inh!o .o/o: No ritual tem 1lceras e feridas malignas.
as mesmas aplica()es descritas para o
pinhão ranco. 0 poderoso nos anhos
de limpe$a e descarrego, e tamém nos
sacudimentos domiciliares, usando!se
os galhos. Não possui uso na medicina
0intureira: 5tili$ada
popular. nos anhos fortes, de limpe$a ou
descarrego. 9em pr"ximo ao seu tronco
são arriadas as origa()es destinadas a
Exu. 6 povo utili$a o co$imento de suas
$i/irica – 0api/irica: folhas como um energético
No ritual fa$ parte do axé de Exu e desin&amat"rio.
Egun. Dela se fa$ um excelente p" de
mudan(a que propicia a solu(ão de
prolemas. 6 p" feito de suas folhas é
usado na magia maléca. Na medicina 0iririca: Esta plantinha
caseira ela é indicada para as de escasso crescimento apresenta
palpita()es do cora(ão, para a melhoria umas pequeninas atatas arom3ticas.
do aparelho genital feminino e nas Estas são levadas ao fogo e, em
doen(as das vias urin3rias. seguida, redu$ida a p", o qual funciona
como p" de mudan(a no ritual. Serve
para desocupar casas e, colocadas em
aixo da língua, desodori$a o h3lito e
afasta eguns.

1ui/ambeira: 0
aplicada em anhos de descarrego e
limpe$a para a destrui(ão de eguns e
ao pé desta planta são arriadas 3rtiga-branca: 0
origa()es a Exu e a Egun. Na medicina empregada nos anhos fortes, nos de
caseira, com suas cascas em descarrego e limpe$a e nos e" de
defesa. >a$ parte nos assentamentos. 6 sacudimentos pessoais e domiciliares.
povo a indica contra as hemorragias Não possui uso na medicina popular.
pulmonares e r+nquicas.

4assourinha de .elógio:
3rtiga 4ermelha: Ela somente participa nos
%articipa em quase todas as sacudimentos domiciliares. Não possui
prepara()es do ritual, pois entra nos uso na medicina caseira.

anhos
0 axé dosfortes, de descarrego
assentamentos e limpe$a.
de Exu e
utili$ada nos e" de defesa. Esta planta
socada e redu$ida a p", produ$ um p"
enfa$e7o. 6 povo indica o co$imento
das raí$es e folhas em ch3 como 5i6ue/i6ue:
diurético. %articipa nos anhos fortes, de limpe$a
ou descarrego. São axé nos
assentamentos de Exu e circundam os
e" de defesa. 6 povo indica esta erva
para os males dos rins.
4assourinha de
Bot!o: *uito empregada nos

?s@
6dun!dun ! >olha!da!costa

2eté ! 9redo sem espinhos de cae(a, eori e anhos dos


6rim!rim ! -lfavaquinha lhos. Excelente diurético, a7uda a
%epé ! *almequer ravo eliminar pedras na exiga, sílis e
=are ! 2iririca in&ama()es nos rins. -inda comate a
Aanan!Banan ! >olha de o"
Aan!Ban ! /ansan(ão de porco arteriosclerose. - rai$ em p" serve de
Cnã ! /ansan(ão ranco de leite cataplasma para hérnias, incha(os e
-er# ! %icão!da!praia, carrapicho!de! contus)es.
agulha



+juor7 F Al&ace
d,#gua F "rva-de-santa-luzia:
5tili$ada nas origa()es de ori e feitura
de santo 2em uso medicinal como anti!
silítica, antiasm3tica, anti disentérica,
Ervas de E3 antiartrítica, anti!herpética, anti!
hemorroid3ria, anti diaética,
desin&amat"ria de erisipela, diurético,
emoliente, expectorante, maturativa.

0eteregun F Cana do
Brejo: %lanta utili$ada em origa()es
Arrozinho F Barba-de-8 Açucena-rajada –
$edro: -plicada nas origa()es de Cebola-cencm: Sua aplica(ão nas
cae(a, nos a+ de uso geral e nos origa()es é somente do ulo. Esta
anhos de purica(ão e limpe$a dos ceola somente é usada nos
lhos. Na medicina popular é indicada sacudimentos domiciliares. - medicina
como amaciante da pele, anti! caseira utili$a as folhas como
in&amat"rio, diurético, expectorante, emoliente.
laxante, vomitiva.

Agri!o: Excelente
9ol&o de or Gqualquer que alimento. Sem uso ritualístico. 2em um
se7a a corH: %lanta aplicada em enorme prestígio no tratamento das
origa()es de cae(a, eori e anhos doen(as respirat"rias. 5sado como
dos lhos. 6 povo indica suas raí$es xarope p)e m 4s tosses e ronquites,
como adstringente e narc"ticas, mas é expectorante de ac(ão ligeira.
lavadas, deelam a disenteria e, as
&ores, as 1lceras e leucorréia.

Arnica-erca
)aravilha: 5tili$ada nas lanceta: 0 empregada em qualquer
origa()es de ori relativas a 6I3 eori, origa(ão de cae(a, nos a+ de
lavagem de contas e feitura de santo. purica(ão dos lhos do orix3 6gum.
Não entra nos a+ a serem tomados Excelente remédio na medicina caseira,
por via oral. 6 povo a indica para tanto interna como externamente,
eliminar leucorreia GcorrimentosH, usado nas contus)es, tomos, cortes e
hidropisia, males do fígado, afec()es les)es, para recomposi(ão dos tecidos.
hep3ticas e c"licas adominais.



Aroeira: 0 aplicada
nas origa()es de cae(a, e nos
sacudimentos, nos anhos fortes de
Ervas de 6gum descarrego e nas purica()es de
pedras. 5sada como adstringente na
medicina caseira, apressa a cura de
feridas e 1lceras, e resolve casos de
in&ama()es do aparelho genital.
Açoita-cavalo – %vitinga:
Erva de extraordin3rios efeitos nas
origa()es, nos anhos de descarrego
e sacudimentos pessoais ou
domiciliares. *uito usada na medicina
caseira para deelar diarreias ou Cabeluda-bacuica :
disenterias, e usada tamém no 2em aplica()es em v3rios actos
reumatismo, feridas e 1lceras. ritualísticos, tais como eori, simples ou
completo, e é parte dos a+. 5sado tratamento da diaetes e no
igualmente nos anhos de purica(ão. emagrecimento.

Cana-de-macaco : 5sada nos Crista-de-galo –


a+ de lhos, que estão recolhidos para $luma-de-princ;pe: Não tem emprego
feitura de santo. Esses lhos tomam nas origa()es do ritual. - medicina
duas doses di3rias. *eio copo sore o caseira a indica para curar diarreias.

almo(o e meio sore o 7antar.

ragoeiro – 8angue-
de-drag!o: -range aplica()es nas
Cana-de Brejo – 3bacaia: origa()es de cae(a, a+ geral e
Seu uso se restringe nos a+ e tamém anhos de purica(ão. 5sa!se o suco
nos anhos de limpe$a dos lhos do como corante, e toda a planta, pilada,
orix3 do ferro e das artes manuais. Na como adstringente.
medicina caseira é usado para
comater afec()es renais com astante
sucesso. /omate a anuria,
in&ama()es da uretra e na leucorréia.
Seu princípio activo é o estrifno. J3 "rva-tost!o:
-plicada apenas em anhos de
astante
emprego fama referente ao seu
anti!silítico. descarrego, usando!se as folhas. -
medicina popular a utili$a contra os
males do fígado, eneciando o
aparelho renal.

Canjerana – $au-santo: Em
rituais é usada a casca, para constituir
p", que funcionar3 como afugentador
de eguns e para anular ondas 9rumi/ameira: -plicado
negativas. Seu ch3 actua como em quaisquer origa()es de cae(a,
antiferil, contra as diarreias e para nos a+ e nos anhos de purica(ão
deelar dispepsias. 6 co$imento das dos lhos do orix3. - arte de curar
cascas tamém é cicatri$ador de usada pelo povo indica o co$imento das
folhas em anhos arom3ticos e na cura
feridas. do reumatismo. 9anhos demorados
eliminam a fadiga nas pernas.

Car6ueja: Sem uso


ritualístico. - medicina caseira aponta
esta erva como cura decisiva nos males 9uarabu – $au-ro/o:
do est+mago e do fígado. 2amém tem -plicado em todas as origa()es de
apresentado resultado positivo no cae(a, nos a+ e nos anhos de
purica(ão dos lhos de 6gum. 5sa!se
somente as folhas que são arom3ticas.
- medicina caseira indica o ch3 das
folhas, pois este possui efeito
als8mico e forticante. 'apecanga: Não tem
aplica(ão nas origa()es de cae(a,
nem nos a+ relacionados com o orix3.
- medicina caseira aconselha seu uso
como depurativo do sangue, no
reumatismo e moléstias de pele.
<elic7nia: 5tili$ada nos

anhos
a+ de limpe$a
de ori, e descarrego
na feitura e nos
de santo e nos
anhos de purica(ão dos lhos do
orix3 6gum. - medicina caseira a indica
como deelador de reumatismo, 'atob# – 'ata;: Erva
aplicando!se o co$imento de todas a poderosa, porém sem aplica(ão nas
planta em anhos quentes. 6 resultado cerim"nias do ritual. Somente é usada
é positivo. como remédio que se emprega aos
lhos recolhidos para origa()es de
longo pra$o. Kptimo forticante. Não
possui uso na medicina popular.

'abuticaba: 5sada nos


anhos de limpe$a e descarrego, os

anhos devem serpara


quin$enalmente, tomados
haurirpelo menos
for(as 'uc#: Não
emprego nas origa()es tem No
de ritual.
para a luta indica o co$imento da entre uso popular h3 um co$imento
casca na cura da asma e hemoptises. demorado, das cascas e sementes,
coando e reservando em uma garrafa,
quando houver ferimentos, talhos e
feridas.

'ambo-amarelo:
5sado em quaisquer as origa()es de
cae(a e nos a+. São aplicadas as
folhas, nos anhos de purica(ão dos (im!o-bravo: 2em
lhos do orix3 do ferro. - medicina emprego nas origa()es de ori e nos
caseira usa como ch3, para a+ e, ainda nos anhos de limpe$a dos
lhos do orix3. 6 limão!ravo
emagrecimento. 7untamente com o xarope de
romof"rmio, enecia r+nquios e
pulm)es, pondo m 4s tosses reeldes
e cr"nicas.

'ambo-encarnado:
-plicam!se as folhas nos a+, nas
origa()es de cae(a e nos anhos de
limpe$a dos lhos do orix3 do ferro.
2em uso no ariaxé Ganho lustralH.
(osna: Emprega!se nos $orangaba: Entra
a+ e nos anhos de descarrego ou em quaisquer origa()es e,
limpe$a dos lhos do orix3 a que igualmente, nos a+. No tratamento
pertence. 0 usada pela medicina popular é usada como t+nico e
caseira como poderoso vermífugo, mais importante diurético.
particularmente usada na destrui(ão
das solit3rias, usando!se o ch3. 0

energético t"nico e deela de feres.


8angue-de-drag!o:
2em aplica()es de cae(a, nos anhos
de descarrego e nos a+. Não possui
uso na medicina popular.
=leo-pardo: %lanta
utili$ada apenas em anhos de
descarrego. De muito prestígio na
medicina caseira. /o$imento da rai$ é
indicado para curar 1lceras e para
matar vermes de animais. 8!o-gonçalinho: 0
uma erva!santa, pelas m1ltiplas
aplica()es ritualísticas a que est3
su7eita. Na medicina caseira usa!se
como
feresanti térmicoem
malignas, e para
ch3. comater
$iri-piri: - 1nica aplica(ão
lit1rgica é nos anhos de descarrego. 0
extraordin3rio anti! hemorr3gico. %ara
tanto, os caules secos e redu$idos a p",
depois de queimados, estancam
hemorragias. 6 mesmo p", de mistura 0anchagem: %articipa de
com 3gua e a(1car extermina a todas as origa()es de cae(a, nos a+
disenteria. e nos anhos de purica(ão de lhos
recolhidos ao ariaxé. 0 axé para os
assentamentos do orix3 do ferro e das
guerras. *uito aplicada no a+ de ori. -
medicina popular ou caseira arma que
a rai$ e as folhas são t"nicas, antiferis
$oinctia: Emprega! e adstringentes.
angina Excelente na cura da
e da cachuma.
se em qualquer origa(ão de ori, nos
a+ de uso externo, da mesma sorte
nos anhos de limpe$a e purica(ão
dos lhos do orix3. - medicina caseira
s" o aponta para exterminar dores nas
pernas, usando em anhos.
4assourinha-de-
igreja: Entra nos sacudimentos de
domicílio, de local onde o homem
exerce actividades prossionais. Não
possui uso na medicina popular.

Al&avaca-do-campo:
Emprega!se nas origa()es de cae(a,
nos anhos de descarrego e nos a+
Lg1n dos lhos do orix3 a que pertence. -
*ari+ >olha de palmeira de dend#
Mr"Bo >olha!de!loBo medicina caseira aplica esta planta
%epé *almequer ravo para comater as doen(as do aparelho
2eterég1n /anela!de!macaco respirat"rio, comate principalmente as

*onam
-fer# %ariet3ria
*utama tosses e o catarro
preparado dos r+nquios'
como xarope é eca$ contra
%iperég1n Nativo a coqueluche. 5sada em ch3 ou
6+ ama de leite co$imento das folhas.
Ereg# Erva!tostão, graminha
Cin >olha!de!icho
-foman Erva!de!passarinho
6mun 9redo
6rin!rin -lfavaquinha
6dun!dun >olha!da!costa GsaiãoH
2eté 9redo sem espinhos Al&azema-de-caboclo:
<3 /apea /onhecida popularmente como
-n"!peipa /ip"!chumo 7ureminha, a -lfa$ema é usada em
todas as origa()es de cae(a, nos
 anhos de limpe$a ou a+ e nas
 defuma()es pessoais ou de amientes.

- medicina
&orais, caseira
contra usa os
as tosses pend)es
e ronquites,
aplicando o ch3.

Ervas de 6x"ssi

Araç# – Araç#-de-coroa:
Suas folhas são aplicadas em quaisquer
origa()es de cae(a, nos a+ e
Ac#cia-jurema: 5sada em anhos de purica(ão. - medicina
anhos de limpe$a, principalmente dos popular considera essa espécie como
lhos de 6x"ssi. 0 tamém utili$ada em um energético adstringente. /ura
defuma()es. - medicina popular a desarran7os intestinais e p)e m 4s
utili$a
1lceras,em anhos&eimão
cancros, ou compressas sore
e na erisipela. c"licas.

Araç#-da-praia: %lanta
Alecrim de Caboclo: Erva de ar"rea pertencente a Oeman73 e a
6xal3, porém mais exigido nas 6x"ssi. 0 empregada nas origa()es de
origa()es de 6x"ssi. Não possui uso cae(a, nos a+ e nos anhos de
na medicina popular. purica(ão dos lhos dos orix3s a que
pertence. No uso popular cura nos terreiros. %ropicia a aproxima(ão
hemorragias, usando!se o co$imento. de espíritos protectores. - medicina
Do mesmo modo tamém é utili$ado caseira a aplica em v3rios casos: para
para fa$er lavagens genitais. resfriados, tosses, ronquites, tamém
nas pertura()es da digestão,
facilitando o traalho do est+mago.

Araç#-do-campo: 0
utili$ada em anhos de limpe$a ou

descarrego
de traalho.e-em defuma()es
medicina de locais
popular Cipó-caboclo
utili$ada em anhos : *uito
de descarrego. 6
emprega o ch3 contra a diarreia ou povo lhe d3 grande prestígio ao
disenteria e como corretivo das vias linfantismo, por meio de anhos. 5sada
urin3rias. do mesmo modo comate in&ama()es
das pernas e dos testículos.

Caapeba-pariparoba:
*uito usada nas origa()es de cae(a Cipó-camar!o:
e nos a+ para as origa()es dos lhos 5sada apenas em anhos de limpe$a e
recolhidos. >olha de muito prestígio nos defuma()es. 6 povo indica que, em
/andomlés Aetu, pois serve para tirar co$imento é de grande ec3cia no trato

mão
utili$adeseu
$umi. - medicina
ch3 para deelarpopular
males do das feridas e contus)es.
fígado, e o co$imento das raí$es para
extinguir as doen(as do 1tero. Surte
efeito diurético.

Cipó-cravo: Não possui


uso ritualístico. Na medicina caseira
actua como deelador das dispepsias e
diculdade de digestão. 5sa!se o ch3
Cabelo-de-milho: ao deitar. 0 pacicador dos nervos e
Somente o pé do milho pertence a propicia um sono tranquilo. - dose a
6x"ssi' as espigas de milho em casa ser usada é uma xícara das de café ao
propicia despensa farta. Puando secar deitar.
troque!a por outra verdinha. 6 caelo!
de!milho é muito
do povo como usado epela
diurético medicina
dissolvente
dos c3lculos renais. 0 usado em ch3.

Coco-de-iri: Sua
aplica(ão se restringe aos anhos de
descarrego, empregando!se as folhas.
- medicina caseira indica as suas raí$es
Capim-lim!o : Erva co$idas para por m aos males do
sagrada de uso constante nas aparelho genital feminino. 0 usado em
defuma()es peri"dicas que se fa$em anhos semic1pios e lavagens.
"rva-curraleira: 9ua/ima-cor-de rosa:
-plicada em todas as origa()es de 5sada em quaisquer origa()es de
cae(a e nos a+ dos lhos do orix3 da cae(a e nos a+ dos lhos do orix3 da
ca(a. Na medicina popular é aplicada ca(a. 0 de costume usar galhos de
como diurético e sudoríco, sendo guaxima em sacudimentos pessoais e
muito prestigiada no tratamento da domiciliares. *uito 1til o anho das
sílis. 5sa!se o co$imento das folhas. pontas. - medicina popular usa as
&ores contraas
emolientes' a tosse'
pontas,assementes
folhas sãoe
frutos são antiferis.

9oiaba – 9oiabeira:
0 utili$ada em quaisquer origa()es de
cae(a, nos a+ e nos anhos de
purica(ão dos lhos de 6x"ssi. - 9uin-caboclo:
medicina caseira usa a goiaeira como 5tili$ado em todas as origa()es de
adstringente. /ura c"licas e disenterias. cae(a, nos a+, para quaisquer lhos,
Excelente nas diarreias infantis. nos anhos de descarrego ou limpe$a,
etc. Cndispens3vel na 5manda e no
/andomlé. 6 povo usa para deelar os
males dos intestinos, enecia o
est+mago na m3 digestão. 5sa!se o
ch3.
9roselha – 9roselha-
branca: Suas folhas e frutos são
utili$ados nos anhos de limpe$a e
purica(ão. - medicina popular di$ que
se farica com o fruto um saoroso
xarope que se aplica nas tosses %ncenso-de-caboclo –
reeldes que amea(am os r+nquios. Capim-lim!o: 5sada nas defuma()es
de amientes e nos anhos de
descarrego. 6 povo a utili$a para
exterminar resfriados, minorar as
ronquites e, tamém, nas
pertura()es da digestão.
9uaco cheiroso: -plica!se
nas origa()es de cae(a e em anhos
de limpe$a. %opularmente, esta erva é
conhecida como cora(ão!de!<esus.
*edicinalmente, comate as tosses
reeldes e alivia ronquites agudas, 'aborandi: De grande
usando!se o xarope. /omo antiofídico aplica(ão nas v3rias origa()es. -
Gcontra o veneno de coraH, usam!se as medicina popular adoptou esta planta
folhas socadas no local e, como essencial na lavagem dos
internamente, o ch3 forte. caelos, tornando!os sedosos e
rilhantes. 2em grande ec3cia nas
pleurisias, nas ronquites e feres que
tragam erup()es. 5sa!se o ch3
internamente.

$iperegum-verde-
e-amarelo: 2em o mesmo uso
ritualístico prescrito para o piperegum
'acatir!o: %leno uso de 6x"ssi. Na medicina popular é o
em quaisquer origa()es. 6 seu pé, e mesmo que piperegum!verde.
cepa são lugares apropriados para
arriar origa()es. Não possui uso na

medicina caseira.

$itangatuba: 5sado
em quaisquer origa()es de ori, eori,
lavagem de contas e dar de comer 4
'urema branca: -plicada cae(a. - farm3cia do povo indica em
em todas as origa()es de ori, em ch3, nos casos de feres e tamém
anhos de limpe$a ou descarrego e para desostruir os r+nquios.
entra nos a+. 0 de grande import8ncia
nas defuma()es amientais. -
medicina caseira indica as cascas em
anhos e lavagens como adstringente. 6dé
Em ch3 tem efeito narc"tico, corrigindo 2eté ! 9redo sem espinhos
a ins"nia. 6rin!rin ! -lfavaquinha
6dun!dun ! >olha!da!costa
<acomi7é ! <arrinha
CreB#!omin ! Dand3 do re7o
%iperég1n ! Nativo
<un(3 ! Espada de Lg1n
Mr"Bo ! >olha de loBo
)alva-do-campo – *ari+ ! >olha de dende$#iro
Crum!perl#min ! /apim caeludo
)alvarisco: Seu uso se restringe aos -BoBo
anhos descarrego e limpe$a. 6 povo a >itia ! /ana!ta
indica como desin&amadora nas *onam ! %ariet3ria
afec()es da oca e garganta. 0
emoliente, propiciando vir a furo os 6mim ! -lfavaquinha
tumores da gengiva. 5sa!se em 2eté ! 9redo sem espinho
ochechos e gargare7os. 6dum!dum ! >olha!da!/osta





$iperegum-verde –
%peregum-verde: Erva de
extraordin3rios efeitos nas v3rias
origa()es do ritual. - medicina
aponta!a como deeladora de Ervas de 6ssaim
reumatismo, usando!se anhos e
compressas.
duodécima folha que completa o ato
lit1rgico renovat"rio. Na medicina
popular, esta planta é empregada com
sucesso asoluto, contra as moléstias
Amendoim: 6ssaim uterinas, corrimentos e tamém para
aprecia muito e adora saore3!lo dar m 4s 1lceras. -s folhas e &ores
torrado, sem casca. 6 amendoim são usadas em caso de diaetes,
fornece um om "leo para lu$ e hemoptises e hemorragias diversas.
tamém para a co$inha. Suas sementes
são estimulante e fortalecem as vistas
e a pele, além de ser em excelente

afrodisíaco.
co$ido Nos rituais,
e utili$ado é empregado
em sacudimentos, "rva de 8anta
com excelentes resultados. (uzia: *uito usada nas origa()es de
cae(as, eori, lavagem de contas,
feitura de santo e tiragem de $umi. De
igual maneira, tamém se emprega nos
a+, anhos de descarrego ou limpe$a
dos lhos dos orix3s. - medicina
Celid7nia maior: 0 popular a consagrou como um grande
indicada pela medicina caseira como remédio, por ser de grande ec3cia
excelente medicamento nas doen(as contra o vício da eida. 6 co$imento
dos olhos, usando a 3gua do co$imento de suas folhas é empregado contra
da planta para anh3!los. Seu ch3 doen(as dos olhos e para desenvolver a
tamém é de grande ec3cia para vid#ncia.
anhar o rosto e dar m 4s manchas e

panos.

9itó – carrapeta:
Sua utili$a(ão se restringe ao uso
Coco de end*: 0 lit1rgico e ritualístico. 0 largamente
conhecido entre os Ooru3s como -din. empregada nos anhos de limpe$a e
Sua semente, desprovida da polpa, purica(ão do orix3. 5sada tamém em
fornece um "leo ranco, s"lido, e serve anhos de cae(a para desenvolver a
para sustituir a manteiga. 0 a vid#ncia, audi(ão e intui(ão. - medicina
chamada manteiga de Barité. Este coco popular aplica!a na cura de moléstia
é muito prestigiado pela medicina dos olhos, porém em lavagens
caseira, pois deela cefaléias, anginas, externas.
fraque$a dos "rgãos visuais e c"licas

adominais.

9uabira: -plicada
em todas as origa()es de cae(a, nos
"rva de $assarinho: a+ de uso geral e nos anhos de
0 muito aplicada principalmente no a+ purica(ão e limpe$a dos lhos dos
do orix3, nas origa()es renovadas orix3s. - medicina caseira a indica no
anualmente e nos a+ de aalossaim. sentido de p+r m aos males dos olhos
Nas renova()es, esta planta é a con7untivites. Em anhos, favorecem
aos que sofrem de reumatismo e -r#!ag# ! 2ostão
devem ser feitos em anheiras ou Simim!simim ! Rassourinha
acias, sendo mais ou menos -foman ! Erva!de!passarinho
demorados.




(#grima de >ossa 8enhora :


0 usada nas origa()es de cae(a, nos

a+ e nos6anhos
limpe$a. povo a de descarrego
indica como ou Ervas de ang+
excelente diurético, em ch3. 6s anhos
deelam o reumatismo e redu$em as
incha()es. -s folhas e as sementes são
indicadas para anhar os olhos,
propiciando em!estar. - aplica(ão
deve ser feita pela manhã, ap"s ter Alevante – (evante:
deixado o anho car na noite anterior 5sada em todas as origa()es de
so o sereno. etire antes do sol nascer cae(a, nos a+ e nos anhos de
e aplique sore os olhos. limpe$a de lhos de santo. Não possui
uso na medicina popular.

>arciso dos 'ardins:


Entra nos traalhos em ra$ão de ser Al&avaca-ro/a: Empregada
suporte para o fetiche de 6ssaim, para em todas as origa()es de cae(a e
o assentamento. Não possui uso na nos a+ dos lhos deste orix3. *uito
medicina popular, pois é tida como usada em anhos de limpe$a ou
planta venenosa. descarrego. - medicina caseira usa seu
ch3 em co$imento, para emagrecer.

Ls3nIín
Qanuc+ ! =íngua de galinha
6+ ! ama de leite
-feré ! *utama
Angelicó – )il-homens:
2olu!tolu ! %apinho!de!peru
2em grande aplica(ão na magia de
*onam ! %ariet3ria
<amin ! /a73 amor, em anhos de mistura com
manac3 Gfolhas e &oresH, para propiciar
9ala ! 2aioa
liga()es amorosas, aproximando o sexo
2eterég1n ! /anela!de!macaco
masculino. - medicina caseira aplica!o
2imim ! >olha de neve ranca, cana!do!
como estomacal, comatendo a
re7o
dispepsia. -s gestantes não a devem
%epé ! *almequer ravo
usar.
*ari+ ! >olha de dende$eiro
-+!pupa ! /ip"!chumo
<un(3 ! Espada de Lg1n
%iperég1n ! Nativo
Aperta-ru!o: 6s
aalorix3s a utili$am nas origa()es "ritrina – )ulungu: 2em
de cae(a' no caso dos lhos do trovão plena aplica(ão nas origa()es de
é usada a nega!mina. 2em grande cae(a e nos anhos de limpe$a dos
prestígio na medicina popular como lhos de ang+. Na medicina caseira é
adstringente. -s senhoras a empregam aplicada como "ptimo pacicador do
em anhos semic1pios, de assento, e sistema nervoso e, tamém, contra a
em lavagens vaginais para dar m 4 ronquite.

leucorréia.

"rva-das-lavadeiras
Azedinha – 0revo- – )el!o-de-8!o-Caetano: Não possui
azedo – 0r*s-coraç?es: 0 utili$a(ão nas origa()es do ritual. 6
popularmente conhecida como tr#s uso popular o indica como sendo de
cora()es, sem fun(ão ritualística. 0 grande ec3cia no comate ao
empregada na medicina popular como reumatismo. 0 vigoroso antiferil,
comatente da disenteria, eliminador deela ainda, doen(as das senhoras,
de gases e ferífugo. em anhos de assento.

Ca&erana-Alum!: "rva-de-8!o-'o!o:
São utili$adas nas aplica()es de cae(a 5tili$ada nas origa()es de cae(a e
e nos a+. 5sado na medicina popular nos anhos de descarrego. - medicina
como: laxante, fa$endo uma limpe$a caseira, indica!a como t"nico para
geral no est+mago e intestinos, sem comater as disenterias. -plicam!se no
causar danos' é "ptima comatente de tratamento do reumatismo. 5sa!se o
feres palustres ou intermitentes' ch3 em anhos.
poderoso vermífugo e energético
t"nico.

"rva-grossa – Fumo-
bravo: Empregada nas origa()es de
Cavalinha – )ilho- cae(a, particularmente nos eori e
de-cobra: -plicada nas origa()es de como axé do orix3. - medicina caseira
cae(a, nos a+ e como axé nos indica as raí$es em co$imento, como
assentamentos dos dois orix3s. Não antiferil, as mesmas em cataplasmas
possui uso na medicina popular. deelam tumores. -s folhas agem
como t"nico comatendo o catarro dos
r+nquios e pulm)es.
>oz-moscada: Seu uso
)imo-de-v*nus – Amor- ritualístico se limita a utili$a(ão do p"
agarradinho: -plica!se folhas, ramos e que, espalhado ao amiente, exerce
&ores, em anhos de purica(ão dos actividade para melhoria das condi()es
lhos de 6I3. *uito usada na magia nanceiras. 0 tamém usado como
amorosa, circundando um prato e defumador. Este p", usado nos ra(os e
metade para dentro do prato e metade mãos ao sair 4 rua, atrai &uidos
para fora' regue a erva com mel de enécos. Não possui uso na medicina
aelhas Não
amu. e arreie emuso
possui umanamoita de
medicina popular.
caseira.

$anacia –
Azougue-de-pobre: Entra nas
)orangueiro: origa()es de ori e nos anhos de
-plica(ão restrita, 73 que se torna difícil descarrego ou limpe$a. 6 povo a
encontr3!la em qualquer lugar. 6 povo aponta como poderoso diurético e de
a indica como remédio diurético, pondo grande ec3cia no comate 4 sílis,
m aos males dos rins. 0 usada para usando!se o ch3. 0 indicada tamém no
curar disenterias e tamém recuperar tratamento das doen(as de pele, e
pessoas que carecem de vitamina / no ainda deelar o reumatismo, em
organismo. anhos.

)usgo-da-pedreira:
2em aplica(ão nos anhos de $au-de-colher – (eiteira:
descarrego e nas defuma()es pessoais, 5sada em anhos de purica(ão de
que são feitas ap"s o anho. - mistura com outras espécies dos
defuma(ão se destina a aproximar o mesmos orix3s. - medicina caseira a
paciente do em. recusa por t"xica, porém pode
perfeitamente ser usada externamente
em anhos.

>ega-mina:
Cnteiramente aplicada nas origa()es
de ori, e nos anhos de descarrego ou
limpe$a e nos a+. 6 povo a aplica $au-pereira: Não é aplicada
como deeladora dos males do fígado, nas origa()es de ori, mas é usada em
das c"licas hep3ticas e das nevralgias. anhos de descarrego ou limpe$a. 6
povo a aplica nas pertura()es do
est+mago e p)e m a falta de apetite. 0
forticante e comate feres
intermitentes, e ainda tem fama de
afrodisíaco.

0aioba: Sem
aplica(ão nas origa()es de cae(a.
%orém muito utili$ada na co$inha
$essegueiro: 0 utili$ado sagrada de ang+. Dela prepara!se um
&ores e folhas, em quaisquer esparregado de er# Gmuito conhecido
origa()es de ori. %ois esta propicia como caruruH esse alimento leva
melhores condi()es medi1nicas, qualidades de verduras mas sempre

destruindo
povo &uidos
a indica negativos para
em co$imento e Eguns. 6 tem a complement3!lo
utili$a a taioa. 6como
suas folhas em co$imento povo
deelar males do est+mago e anhar os emoliente' a rai$ é poderoso mata!
olhos, no caso de con7untivite. icheiras dos animais e, além de mat3!
las, destr"i as carnes podres,
promovendo a cicatri$a(ão.

$i/irica – 0api/irica:
-plica!se somente o uso das folhas, de
forma enéca. 6 povo a indica nas 0a6uaruçu – Bambu-
palpita()es do cora(ão, na melhoria do amarelo – Bambu-dourado: 6s
aparelho genital feminino e nas galhos nos, com folhas, servem para
doen(as das vias urin3rias. reali$ar sacudimentos pessoais ou

domiciliares. 0 empregado
enfeitar o local onde se temainda
Egunpara
assentado. Não possui uso na medicina
popular.

.om!: 5sada em
anhos de limpe$a dos lhos do orix3
dos ventos. 6 povo emprega as cascas
dos frutos no comate a vermes
intestinais e o mesmo co$imento em 0iririca : Sem
gargare7os para deelar in&ama()es aplica(ão ritualística, a não ser as
da garganta e da oca. atatas arom3ticas, essas atatinhas
que o povo apelidou de dand3!da!costa,
levadas ao calor do fogo e depois
redu$idas a p" que, misturado com
outros, ou mesmo so$inho, funciona
como p" de dan(a. %ara desocupa(ão
8ensitiva – de casas. /olocados em aixo da
ormideira: Somente é utili$ada em língua, afasta eguns e desodori$a o
anhos de descarrego. 6 povo di$ h3lito. Não possui uso na medicina
possui extraordin3rios efeitos nas popular.
in&ama()es da oca e garganta.
5tili$a!se o co$imento de toda a planta
para gargare7os e ochechos.
3mbaúba: Somente é Ervas de 6xum
usada nos eori a espécie prateada. -s
outras espécies são usadas nos
sacudimentos domiciliares ou de
traalho. 6 povo a prestigia como
excelente diurético. 0 aconselhado não
usar constantemente esta erva, pois o Abiu-abieiro: Sem uso
usocora(ão.
do constante acelera as contrac()es na liturgia,
inferior tem colocadas
destas, folhas curativas' a parte
nas feridas,
a7udam a superar' se inverter a posi(ão
da folhas, a cura ser3 apressada. -
casca da 3rvore co$ida tem efeito
cicatri$ante.
3rucu: Desta planta
somente são utili$adas as sementes,
que socadas e misturadas com um
pouquinho de 3gua e p" de pema
ranca, resulta numa pasta que se
utili$a para pintar a Oa+. 6 povo indica Agri!o-do-$ar# –
as sementes verdes para os males do 'ambuaçu: 0 usado nas origa()es de
cora(ão e para deelar cae(a e nos a+, para purica(ão de
lhos' como axé nos assentamentos da
hemorragias. deusa de 3gua doce. - medicina
caseira usa!o para comater tosses e
corrigir escoruto Gcar#ncia de vitamina
/H. 0, tamém, excitante.

STng"
2eté ! 9redo sem espinhos
6rin!rin ! -lfavaquinha
6dum!dum ! >olha da costa
<acomi7é ! <arrinha
Al&avaca-de-cobra:
9ama ! >olha de miama 0 usada em todas as origa()es de
-lap3 ! >olha de capitão cae(a. No a+ tamém é usada, o
%ep# ! >olha de loBo lho dorme com a cae(a coerta.
6ic+ ! >olha de caruru -ntes das do$e horas do dia seguinte o
er#!o3 ! /hocalho de xang+ emplastro é retirado, e torna!se um
6xé!o3 ! 9irreiro
*onan ! %ariet3ria anho de purica(ão. - medicina
caseira a indica como comatente ao
-feré ! *utama mau!h3lito.
6+ ! ama de =eite
6didí ! 9ico!de!papagaio
6aIa ! 9eti!cheiroso ! macho ou
f#mea


 Arapoca-branca:
Suas folhas são utili$adas nas
origa()es de cae(a e nos a+' no
/andomlé são usadas em pinturas das Iao, de mistura com
sacudimentos pessoais. -s casacas pema raspada. - medicina popular
desta servem para matar peixes. - utili$a o ch3, meia hora antes de
medicina caseira utili$a as folhas como dormir, para ter sono tranquilo.
anti térmico, contra feres. -ge
tamém como excitante.

Ca&erana-alum!:
São utili$adas nas aplica()es de cae(a

aplica(ãoArnica-montana:
na 5manda e no 2em pouca e nos a+.
como: 5sado
laxante, na medicina
fa$endo popular
uma limpe$a
/andomlé. <3 na medicina popular' e geral no est+mago e intestinos, sem
muito usada, ap"s alguns dias de causar danos' é "ptima comatente'
infusão no otin Gcacha(aH. -ge como poderoso vermífugo e energético
cicatri$ante, recompondo o tecido t"nico.
lesado nas escoria()es.

Camar#-cambar#:
Azedinha - 0revo- 5tili$ada em quaisquer origa()es de
azedo – 0r*s coraç?es: 0 cae(a, nos a+ e nos anhos de
popularmente conhecida como tr#s! purica(ão. - medicina caseira a
cora()es, sem fun(ão ritualística, é
apenas empregada na medicina emprega muito eme xarope,
tosse e rouquidão contra
ainda p)e m 4sa
popular como: comatente da afec()es catarrais.
disenteria, eliminador de gases e
ferífugo.

Camomila-marcela:
Bananeira: *uito 2em restrita aplica(ão nas origa()es
empregada na culin3ria dos 6rix3s. lit1rgicas. Entretanto, é usada nos
Suas folhas forram o casco da anhos de descarrego e nos a+. No
tartaruga, para arriar!se o ocaséo a uso popular é de grande nalidade em
6xum. - medicina caseira prepara de lavagens intestinais das crian(as,
sua seiva um xarope de grande ec3cia contra c"licas e regulari$adora das
nos males das vias respirat"rias ou fun()es
é t"nico dos intestinos. comate
e estimulante, 6 ch3 dasas&ores
doen(as do peito.
dispepsias e estimula o apetite.

Brio-de-estudante –
Barbas-de-baratas: Desta erva Cana-&;stila –
apenas a rai$ é utili$ada. Ela fornece Chuva-de-ouro: -plicada nos a+ e
um om corante que é usado nas nas origa()es de cae(a, usada
tamém nos anhos de descarrego dos
lhos de 6xum. Seu uso popular é
contra os males dos rins, areias e
ardores. 6 sumo das folhas misturado
com clara de ovo e sal mata impigens. "rva-de-8anta-
)aria: São empregadas em origa()es
de cae(a e em anhos de descarrego.
/omo remédio caseiro é utili$ada para
comater lomrigas Gasc3ridesH das
Chamana-nove- crian(as, tamém é "ptimo remédio
horas – )anjericona: 5sada em para os r+nquios.

origa()es de cae(a, nos a+ e nos


anhos de purica(ão dos lhos de
6xum. 6 povo a utili$a em disenterias.

"rvilha-de-Angola –
9uando: 0 empregada em quaisquer
origa()es. 6 povo usa as pontas dos
Cipó-chumbo: Sem uso ramos contra hemorragias e as &ores
na liturgia, porém muito prestigiada na contra as moléstias dos r+nquios e
medicina popular, como xarope deela pulm)es.
tosses e ronquites' seu ch3 é muito
eca$ no comate a diarreias
sanguinolentas e 4 icterícia' seco e
redu$ido a p", cicatri$a feridas
reeldes. Fava-pichuri: No
ritual da 5manda e do /andomlé,
usa!se a fava redu$ida a p", ou
defuma()es que tra$em ons &uidos e
afugenta Eguns. 6 povo usa o p" na
"rva-cidreira – prepara(ão de ch3, que é eca$ nas
)elissa: Sem uso na liturgia, sua dispepsias e diarreias.
aplica(ão se restringe ao 8mito da
medicina caseira, que a usa como
excitante e anti!espasm"dico, enérgico
t+nico do sistema nervoso. 6 ch3 feito
das folhas adocicado ou puro comate
as agita()es nervosas, histerismos e Flamboiant: Não é
ins"nia. utili$ado em origa()es de cae(a,
sendo
casas, usado somente
em anhos em algumas
de purica(ão dos
lhos dos orix3s. %orém suas &ores tem
vasto uso, como ornamento, enfeite de
origa(ão ou de mesas em que este7am
arriadas as origa()es. Sem uso na
medicina comercial.
dos lhos dos orix3s. 6 povo a usa para
deelar tosses e catarros r+nquios' é
usada ainda contra gases intestinais.
9engibre-zingiber: São
aplicados os ri$omas, a rai$, que se
adiciona ao alu3 e a outras eidas. 6
povo a usa nos casos de hemorragia de
senhoras e contra as pertura()es do
est+mago, em ch3. )!e-boa: 0 erva sagrada de
6xum. S" é usada nas origa()es
ritualísticas, que se restringe aos

anhos
povo de limpe$a.
contra *uito usada
o reumatismo, pelo
em ch3 ou
anho.
9igoga-amarela –
Aguap*: 5sado nos a+, nos ori e
anhos de limpe$a, pois purica a aura
e afugenta ou anula Eguns. - medicina
popular manda que as folhas se7am
usadas como adstringente e, em )alme6uer –
gargare7os, fortalecem as cordas Cal*ndula: 0 usada em todas as
vocais. origa()es de ori e nos a+, e nos
anhos de purica(ão dos lhos de
6xum. -s &ores são excitantes,
reguladoras do &uxo menstrual. -s
folhas são aplicadas em fric()es ou

fumiga()es
feminina. para facilitar a regra
%p*-amarelo: -plicada
somente em defuma()es de amientes.
Na medicina popular é usada em
gargare7os, contra in&ama()es da oca,
das amígdalas e estomatite. 6 que vai
a co$imento são a casca e a entre
casca. )alme6uer-do-campo:
Não é aplicada nas origa()es do ritual.
Na medicina popular tem fun(ão
cicatri$ante de feridas e 1lceras,
colocando o sumo de &ores e folhas
sore a ferida.
(úca-@rvore-da-
pureza: Seu pendão &oral é usado
plena e asolutamente, em origa()es
de ori dos lhos de 6xum. Não possui
uso na medicina popular.
)alme6uer-miúdo:
-plicado em quaisquer origa()es de
ori, nos a+ e nos anhos de limpe$a
dos lhos que se encontram recolhidos
)acaç#: -plica(ão para feitura do santo. /omo remédio
lit1rgica total, entra em todas as caseiro, é cicatri$ante e excitante.
origa()es de ori nos a+ e purica(ão
depositam sua fé. -lém de todas as
ervas de 6xum e 6x"ssi que ele utili$a
para curar, destaca!se, ainda, uma
1nica de sua propriedade, ho7e de
+rriri-de-+/um: grande import8ncia para a medicina
Entra em todas as origa()es de ori, caseira: o $iperegum 4erde e
nos anhos de limpe$a. 6 povo a indica Amarelo.
como diurético e estimulador das
fun()es hep3ticas.

$iperegum 4erde e
Amarelo: srcin3ria de Quiné, na
4assourinha-de-bot!o: Ufrica. 2rata!se de uma erva que possui
*uito usado nos sacudimentos extraordin3rio efeitos nas v3rias
pessoais. Não possui qualquer uso na origa()es do ritual, possuindo grande
medicina popular. ec3cia nos sacudimentos pessoais e
domiciliares e nos a+ como
afastamento de mão de cae(a no caso
de pai e mãe de santo vivo, cercando
Ls1n as pernas da pessoa com folhas de
2eté ! 9redo sem espinhos piperegum ou amarradas ao torno$elo'
6rim!rim ! -lfavaquinha feito isso, a cerim"nia é iniciada. -
6dum!dum ! >olha da costa medicina caseira aponta o piperegum
Em ! *alva ranca como um dos melhores remédios para
6mim ! 9eldroega deelar o reumatismo, devendo ser
<3 ! /apea
Mr"Bo ! >olha de loBo usado em anhos ou compressas.
%epe ! *almequer ranco
2eterég1n ! /anela de macaco 
*onan ! %ariet3ria 
<amin ! /a73
2olu!tolu ! %apinho de peru
-feré ! *utama
Eim!dum!dum ! >olha da fortuna
6+ ! ama de leite
6min!o71 ! Qolfo ranco
Clerin ! >olha de vintém Ervas de 6molu

 Agoniada: >a$ parte de todas as


 origa()es do deus das endemias e
epidemias. 5tili$ada no eori, nas
lavagens de contas e na inicia(ão. Esta
erva purica os lhos!de!santo,
deixando!os livres de &uidos negativos.
Na medicina popular, a mesma é usada
para corrigir o &uxo menstrual e
Ervas de =ogun Edé
comate asma.
=ogun Edé, em sua passagem pela
Alamanda: Não é utili$ada em
2erra, se apropriou das ervas de seus
origa()es, sendo empregada somente
pais para por m aos males terrenos'
em anhos de descarrego. Na medicina
curou muitas pessoas e ainda cura até
caseira ela é usada para tratar doen(as
os dias de ho7e aqueles que nele
da pele: sarna GcoceirasH, ec$ema e popular ela é aplicada nas afec()es do
fur1nculos. %ara usar é necess3rio que aparelho respirat"rio em forma de
se co$inhe as folhas, e coloque ch3 de xarope.
folhas sore a doen(a.
)usgo: -plicada em todas as
Al&avaca-ro/a: Empregada em todas origa()es de cae(a referentes a
as origa()es de cae(a e nos a+ dos qualquer orix3. - medicina caseira
lhos deste orix3. *uito usada em aconselha a aplica(ão do suco no
anhos de limpe$a ou descarrego. - comate 4s hemorr"idas Guso t"picoH.
medicina caseira usa seu ch3 em
co$imento, para emagrecer. Beldroega: 5sada nas purica()es das
pedras de orix3 e, principalmente as de
Al&azema : Empregada em todas as Exu. 6 povo usa suas folhas socadas
origa()es de cae(a. 0 aplicada nas para apressar a cicatri$a(ão das
defuma()es de limpe$a, usada tamém feridas, colocando!as por cima.
na magia amorosa em forma de
perfume. - medicina popular dita Canena Coirana: Regetal de excelente
grandes elogios a esta erva, pois ela é aplica(ão lit1rgica, pois entra em todas
excelente excitante e anti! as origa()es. 6 povo a tem como
espasm"dico. 0 usada, tamém, como excelente estimulante do fígado.
reguladora da menstrua(ão. Somente é
aplicada como ch3. Capi/ingui: Empregada em todas as
origa()es de cae(a, nos a+, nos
Babosa: *uito usada em rituais de anhos de purica(ão e limpe$a e,
5manda, mais especicamente em tamém nos sacudimentos. 6 povo
defuma()es pessoais. %ara que se fa(a arma que o capixingui tem ons
a defuma(ão, é necess3rio queimar efeitos no reumatismo e no artritismo e
suas folhas depois de secas. Csso leva nos sacudimentos. 6 povo arma que o
um certo tempo, devido a gosma capixingui tem ons efeitos no
aundante que h3 na aosa. - reumatismo e no artritismo nos
defuma(ão é feita ap"s o anho de sacudimentos. 6 povo arma que o
descarrego. %ara a medicina caseira capixingui tem ons efeitos no
sua gosma é de grande ec3cia nos reumatismo e no artritismo nos
acessos ou tumores, além de muitas sacudimentos. 6 povo arma que o
outras aplica()es. capixingui tem ons efeitos no
reumatismo e no artritismo
Araticum-de-areia – )alol7: Greumatismo articularH utili$ado em
=iturgicamente, os antos a usam nos anhos, mais ou menos quentes,
anhos de descarrego, em mistura de colocando!se nas 7untas doloridas.
outra erva. - medicina caseira indica a
polpa dos frutos para resolver tumores Cipó-chumbo: Sem uso na liturgia,
e o co$imento das folhas no tratamento porém muito prestigiada na medicina
do reumatismo. popular, como xarope deela tosses e
ronquites' seu ch3 é muito eca$ no
Arrebenta cavalo: No uso ritualístico comate a diarreias sanguinolentas e 4
esta erva é empregada em anhos icterícia' seco e redu$ido a p", cicatri$a
fortes do pesco(o para aixo, em hora feridas reeldes.
aerta. 0 tamém usado em magias
para atrair simpatia. Não é usada na Carobinha do Campo: Em alguns
medicina caseira. terreiros essa planta fa$ parte do
ariaxé. - medicina caseira indica o ch3
Assa-pei/e: 5sada em anhos de de suas folhas para comate coceiras
limpe$a e nos eori. Na medicina
no corpo e, principalmente coceira nas defuma()es pessoais. Essa defuma(ão
partes genitais. destina!se a arrancar males. 6 povo
aconselha o p" desta no tratamento
Cord!o de Frade: 0 aplicada somente das feridas reeldes ou ulcera()es,
em anhos de limpe$a e descarrego colocando o mesmo sore as les)es.
dos lhos deste orix3. 6 povo a indica
para a cura da asma, histerismo e Figo Benjamim: Erva muito usada na
pacicador dos nervos. 2amém purica(ão de pedras ou ferramentas e
comate a ins"nia. na prepara(ão do fetiche de Exu.
Empregada, tamém, em anhos fortes
Cebola do mato: Sem uso ritualístico. para p+r m a padecimentos de pessoa
- medicina caseira arma que o que este7a sofrendo osidia(ão ou
co$imento de suas folhas apressa a osessão. 6 povo aplica o co$imento
cicatri$a(ão de feridas reeldes. das folhas para tratar feridas reeldes,
e anhos para curar o reumatismo.
Celid7nia maior: Não possui uso
ritualístico. 0 indicada pela medicina <ortel! brava: Empregada em
caseira como excelente medicamento origa()es de ori, nos a+ e nos
nas doen(as dos olhos, usando a 3gua anhos de purica(ão dos lhos deste
do co$imento da planta para anh3!los. orix3. No uso caseiro é utili$ada para
Seu ch3 tamém é de grande ec3cia comater o veneno de coras, lacraus e
para anhar o rosto e dar m 4s escorpi)es. 0 eca$ contra gases
manchas e panos ranco. intestinais, dores de cae(a e como
diurético. 0 perfeita curadora de
Coentro: *uito aplicada como aduo coceiras reeldes e tiro acertado nos
ou condimento nas comidas do orix3, catarros pulmonares, asma e tosse
principalmente na carne e no peixe. nervosa, reelde.
Não é empregada nas origa()es
ritualísticas. - medicina caseira indica 9uararema: Em terreiros de 5manda
esta erva como reguladora das fun()es e /andomlé ela é aplicada em anhos
digestivas e eliminadora de gases fortes e nos descarregos. 6s galhos da
intestinais. erva são usados em sacudimentos
domiciliares. 6s anhos fortes a que
Cotieira: Não saemos ao certo se nos referimos são aplicados em
esta erva tem aplica(ão ritualística. Na encru$ilhadas V na encru$ilhada em que
medicina caseira ela é estritamente de se tomar o anho arria!se um mi!ami!
uso veterin3rio. *uito aplicada em cães ami, oferecido a Exu. E deve ser feito
para purgar e puricar feridas. em uma encru$ilhada tranquila. 0 um
anho de efeitos surpreendentes. Na
"rva-)oura: Esta erva fa$ parte dos medicina caseira esta erva é utili$ada
anhos de limpe$a e purica(ão dos para exterminar acessos, tumores,
lhos do orix3. Seu uso popular é como socando!se em as folhas e colocando!
calmante, em doses de uma xícara das as sore a tumori$a(ão. 6 co$imento
de café, duas a tr#s ve$es ao dia. Essa das folhas é eca$ no tratamento do
dose não deve ser aumentada, de reumatismo. Em anhos quentes e
modo algum, pois em grande demorados, de igual sorte tamém cura
quantidade pre7udica. -s folhas tiradas hemorr"idas.
do pé, depois de socadas, curam
1lceras e feridas. 'enipapo: -s folhas servem para
anhos de descarrego e limpe$a. -
"stora6ue Brasileiro: Sua resina é medicina caseira aplica o co$imento
colhida e redu$ida a p". Este p", das cascas no tratamento das 1lceras,
misturado com en7oim, é usado em
o caldo dos frutos é comatente de muito prestígio como diurético e eca$
hidropisia. nos males da exiga. 5sada como ch3.

'urubeba: Somente usada em $iteira imperial: Seu uso se limita 4s


origa()es com o7ectivo de defuma()es pessoais, que são feitas
descarrego e limpe$a. Suas folhas e ap"s o anho. - medicina popular
frutos permitem o om funcionamento utili$a as folhas verdes, em co$imento,
do fígado e a(o, garante a saedoria para lavar feridas reeldes,
popular. Deela e previne hepatite com aproximando a cura ou cicatri$a(ão.
ou sem edemas.
1uitoco: 5sada em anhos de
)angue Cebola: 0 usado apenas em descarrego ou limpe$a. %ara a medicina
sacudimentos domiciliares, utili$ando o popular esta erva resolve males do
fruto, a ceola. %rocede!se assim: est+mago, tumores e acessos.
corta!se a ceola em peda(os mi1dos Cnternamente é usado o ch3, nos
e, cantando!se para Exu, espalha!se tumores aplica!se as folhas socadas.
pela casa, nos recantos, e so os *uito utili$ada nas doen(as de
m"veis. 6 povo usa a ceola, fruto do senhoras.
mangue, esmagada sore feridas
reeldes. 8abugueiro: Não possui uso
ritualístico. 0 decisiva no tratamento
)angue vermelho: 5sa!se apenas as das doen(as eruptivas: sarampo,
folhas, em anhos de descarrego. 6 catapora e escarlatina. 6 co$imento das
povo a indica como excelente &ores é excelente para a rota(ão do
adstringente que possui alto teor de sarampo.
tanino. *uito eca$ no tratamento das
1lceras e feridas reeldes, aplicando o 8umar: Não tem aplica(ão ritualística
co$imento das folhas em compressas ou origa()es lit1rgicas. %orém possui
ou anhando a parte lesada. grande prestígio popular, devido ao seu
valor curativo, promovendo com
)anjeric!o-ro/o: Empregado nas espantosa rapide$ a aertura de
origa()es de ori dos lhos tumores de qualquer nature$a, pondo
pertencentes ao orix3 das endemias. m 4s in&ama()es. 0 empregado
/olhido e seco, sua folha previne contra contra fur1nculos, panarícios e
raios e coriscos em dias de erisipelas, regenerando o tecido
tempestades, usando o defumador. atacado por in&ama()es de qualquer
2amém é usada como puricador de srcem.
amiente. Não possui uso na medicina
popular. 0rombeteira branca: Não possui
nenhuma aplica(ão nas origa()es de
$anacia: Entra nas origa()es de ori cae(a. -penas é usada nos anhos de
e anhos de descarrego ou limpe$a. 6 limpe$a dos lhos do orix3 da varíola.
povo a aponta como poderoso diurético Seu uso na medicina popular é pouco
e de grande ec3cia no comate 4 frequente. -plica!se apenas nos casos
sílis, usando!se o ch3. 0 indicada de asma e ronquite.
tamém no tratamento das doen(as de
pele, darros, ec$emas e ainda deela o 3rtiga-mam!o: -plicada em anhos
reumatismo, quando usada em anhos. fortes, somente em casos de invasão
de eguns. 6 anho emprega!se do
$ic!o da praia: -penas na 9ahia pesco(o para aixo. Esse anho destr"i
ouvimos falar que esta planta pertence larvas astrais e afasta in&u#ncias
a 6aluai#. Não conhecemos seu uso perniciosas. 6 povo indica esta erva na
ritualístico. - medicina popular d3!lhe cura de erisipela, usando um algodão
emeido do leite da planta. 6 ch3 de
suas folhas deela males dos rins.

4elame do campo: Regetal utili$ado


em todas as origa()es principais: Alcaparreira – 9aleata: Entra
eori, simples ou completo. em v3rias origa()es do ritual,
Cndispens3vel na feitura de santo e nos utili$ando!se folhas e cascas verdes.
a+ dos lhos do orix3. Na medicina *uito prestigiada nos a+ de
caseira o velame é utili$ado como anti! prepara(ão dos lhos para origa(ão
silítico e anti!reum3tico. de cae(a e nos anhos de limpe$a. -
medicina caseira indica como diurética,
4elame verdadeiro: %ossui plena
aplica(ão em quaisquer origa()es de usadas as cascas
comestíveis dase
e deles rai$. 6s frutos
prepara umasão
cae(a e nos a+. 5sada tamém nos geleia que é eca$ contra picadas de
sacudimentos. - medicina do povo coras ou insectos venenosos, em
arma ser superior a todos os ra$ão do princípio ativo: rutinã.
depurativos existentes, além de
energético curador das doen(as da
pele.

64l14iIé Altia – )alva-risco: *uito


*onam %ariet3ria ! roto$inho empregada nos anhos de descarrego
9ala ! 2aioa e na purica(ão das pedras dos orix3s
<amim ! /a73 Nanã. 6xum, 6xumar#, Oansã e
-feré ! *utama Oeman73. *uito prestigiada nos
6" ! ama de leite
Exiat3 ! 6vo redondo de monãn ochechos
in&ama()ese da
gargare7os, nas
oca e garganta.
<aBomi7é ! <arrinha
-foxian ! Erva de passarinho
<3 ! /apea
2urin ! >olha de neve ranca
%eBulé ! *aria$inha
2olu!tolu ! %apinho de peru
Angelicó – )il-homens:
2em grande aplica(ão na magia de
amor, em anhos de mistura com
manac3 Gfolhas e &oresH, para propiciar
liga()es amorosas, aproximando o sexo
 masculino. - medicina caseira aplica!o
 como estomacal, comatendo a
dispepsia. -s gestantes não devem
usar.

Ervas de 6xumaré

Araticum-de-areia –
)alol7: =iturgicamente, os antos a
usam nos anhos de descarrego, sem
mistura de outra erva. - medicina
caseira indica a polpa e os frutos para
resolver tumores e co$imento das Ls@m4rW
folhas no tratamento do reumatismo. Mr"Bo ! >olha de Mr"Bo
*onan ! %ariet3ria, roto$inho
9ala ! 2aioa
<amin ! /a73
-er#!e7" ! %ente de Ls1marW
-fer# ! *utama
6+ ! ama de leite
Cavalinha – )ilho- Exiat3 ! Qolfo redondo do monam
de-cobra: -plicada nas origa()es de <acomi7é ! <arrinha
cae(a, nos a+ e como axé nos 2inim ! >olha da neve ranca, cana!de!
assentamentos dos dois orix3s. Não re7o
%eculé ! *aria$inha
possui uso na medicina popular. 2olu!tolu ! %apinho!de!peru

9raviola – Corosol:
2em plena aplica(ão nos a+ dos 
orix3s, nos anhos de a+ e nos de 
limpe$a e descarrego. 0 indispens3vel 
aos lhos recolhidos para origa()es de
cae(a eerem uma dose de suco
pela manhã. 6 povo usa a graviola de
diaetes, aplicando o ch3.

Ervas de CansãF6I3

%ng#-bravo: Não
conhecemos aplica(ão ritualística. 6
povo a consagra como sério Al&ace: 0 empregada nas
adstringente e, por isso, indica o uso origa()es de Egun, e em
das casacas, em co$imento, na cura sacudimentos. 6 povo a indica para os
das 1lceras e feridas reeldes, casos de ins"nia, usando as folhas ou o
anhando!as. pendão &oral. -lém de chamar o sono,
pacica os nervos.

(;ngua-de-vaca – "rva-de-
sangue: %lanta empregada nas Altia – )alvarisco: *uito
origa()es principais, nos a+ e nos empregada nos anhos de descarrego
anhos de purica(ão dos lhos do e na purica(ão das pedras dos orix3s
orix3. 0 axé para assentamentos do Nanã, 6xum, 6xumar#, Oansã Oeman73.
mesmo orix3. 6 uso caseiro é nas *uito prestigiada nos ochechos e
doen(as de pele, nas silíticas e nos gargare7os, nas in&ama()es da oca e
resfriados. garganta.
Angico-da-&olha-miúda – Cord!o-de-Frade
Cambu;: S" possui aplica(ão na verdadeiro: Essa planta é aplicada em
medicina caseira a casca ou os frutos anhos tonicantes da aura e limpe$as
em infusão no vinho do porto ou otin em geral. 6 povo arma que hastes e
Gcacha(aH, age como estimulador do folhas, em co$imento ou ch3, comate
apetite. 6s frutos em infusão, tamém a asma, melhora o funcionamento dos
fornecem um licor saoroso, do mesmo rins e enecia no caso de reumatismo.

modo comate a dispepsia.

Cravo-da ndia –
Bambu: 0 um poderoso Cravo-de- oce: Entra em quaisquer
defumador contra Aiumas. 6 anho origa()es de cae(a e nos a+.
tamém é excelente contra %articipa dos anhos de purica(ão dos
perseguidores. Na medicina popular é lhos dos orix3s a que pertence. 6
enéco contra as doen(as ou povo indica suas folhas e cascas em
pertura()es nervosas, nas disenterias, anhos de assento para deelar a
diarreias e males do est+mago. fadiga das pernas. Kptimo nos anhos
arom3ticos.

Cambu; amarelo: S"


é utili$ado em anhos de descarrego. - ormideira sensitiva:
medicina caseira indica como indica Não conhecemos seu uso ritualístico. -
como adstringente, e usa o ch3 nas medicina caseira indica esta planta
diarreias ou disenterias. como emoliente, mais especicamente
para ochechos e gargare7os, nas
in&ama()es de oca. Cndicada como
hipn"tico, pondo m a ins+nia. 0
utili$ado o co$imento de toda a planta.
Catinga-de-mulata –
Cord!o-de-Frade – Cord!o-de-8!o-
Francisco: Seu uso ritualístico se
restringe aos anhos de limpe$a e
descarrego dos lhos de 6I3. 6 povo a
indica para curar asma, histerismo e "spirradeira – Flor-de-8!o-
como pacicadora dos nervos. 'os: %articipa de todas as origa()es
nos cultos afro!rasileiros. Esta planta é
utili$ada nas origa()es de cae(a, nos
a+ e nos a+ de ori. %ertence aos
orix3s ang+ e Oansã, porém h3, ainda,
um outro tipo ranco que pertence a
6xal3. 6 povo indica o suco das folhas
desta contra a sarna e p+r m aos
piolhos. Em uso externo.

<ortel!-da-horta –
<ortel!-verde: *uito usada na
culin3ria sagrada. Entra nas origa()es
"ucalipto-lim!o: de grande de cae(a alusivas a qualquer orix3.
aplica(ão nas origa()es de cae(a e %articipa do a+ dos lhos!de!santo. -
nos anhos de descarrego ou limpe$a medicina caseira o aponta como
dos lhos de orix3. - medicina caseira eciente deelador de tosses reeldes'

indica!o5sado
dores. nas feres e parade
em anhos suavi$ar
assento, é de ons
1til efeitos nasda
no tratamento ronquites
asma. é muito
tamém emoliente.

%nhame: Seu 1nico


Flamboiant: Não é emprego ritualístico é o uso das folhas
utili$ado em origa()es de cae(a, grandes como toalha nas origa()es de
sendo usado somente em algumas Exu. 6 inhame é tido como depurativo
casas de anhos de purica(ão dos do sangue na medicina caseira.
lhos dos orix3s. %orém suas &ores tem
vasto uso, como ornamento, enfeite de
origa(ão ou de mesas em que este7am

arriadas
medicinaaspopular.
origa()es. Sem uso na
'enipapo: -s folhas servem
para anhos de descarrego e limpe$a.
- medicina caseira aplica o co$imento
das cascas no tratamento das 1lceras,
9engibre-zingiber: São o caldo dos frutos é comatente de
aplicados os ri$omas, a rai$, que se hidropisia.
adiciona ao alu3 e a outras eidas. 6
povo costuma di$er que é tamém
ingrediente no amal3 de ang+. -
medicina caseira a usa nos casos de
hemorragia de senhoras e contra as
pertura()es do est+mago, em ch3. (;rio do Brejo: São
usados folhas e &ores nas origa()es
de ori, nos a+ e nos anhos de
limpe$a ou descarrego. 6 povo
emprega o ch3 das raí$es, ri$omas,
como estomacal e expectorante.
9itó-carrapeta –
bilreiro: 0 de h3ito ritualístico
empreg3!la em anhos de limpe$a e
purica(ão dos lhos do orix3 a que se
destina. 6 povo indica na cura de
moléstia dos olhos. Não aconselhamos (ouro –
o uso interno. (oureiro: %lanta que simoli$a a
vit"ria, por isso pertence a 6I3. Não 6I3
tem aplica(ão nas origa()es de 2eté ! 9redo sem espinho
cae(a, mas é usada nas defuma()es 6rim!rim ! -lfavaquinha
caseiras para atrair recursos 6dum!dum ! >olha!da!costa
<acomi7é ! <arrinha
nanceiros. Suas folhas tamém são -fomam ! Erva!de!passarinho
utili$adas para ornamentar a orla das -aua ! >olha de ima1a
travessas em que se coloca o acara7é 2epola ! %ega pinto
para arriar em oferenda a Cansã. Ereg# ! Erva!tostão
<3 ! /apea
6aI3 ! 9eti!cheiroso
%iperég1n ! Nativo
Mr"Bo ! >olha de loBo
%epé ! *almequer
2eterég1n ! /anela!de!macaco
)!e-boa: Seu uso se <un(a ! Espada de Lg1n
restringe somente aos anhos de -dimum!ade!run ! >olha de fogo
limpe$a. *uito usada pelo povo contra 6e!cemi!oia ! Espada de
o reumatismo, em ch3 ou anho. 6I3mésWWs3n rosa
*onan ! %ariet3ria
9ala ! 2aioa
<amim ! /a73
-feré ! *utama
Qunoco ! =íngua!de!galinha
6+ ! ama de leite
)anjeric!o-ro/o:
Empregado nas origa()es de ori dos
lhos pertencentes ao orix3 do trovão.
/olhido e seco, previne contra raios e 

coriscos
usando oem dias de tempestades,
defumador. Não possui uso na 

medicina popular.

Ervas de Nanã
)aravilha bonina:
5tili$ada nas origa()es de ori relativas
a 6I3 eori, lavagem de contas e
feitura de santo. Não entra nos a+ a
serem tomados por via oral. 6 povo a Agapanto: 0 um
indica para eliminar leucorreia vegetal pertencente a 6xal3, Nanã e a
GcorrimentosH, hidropisia, males do 6aluaI#. 6 ranco é de 6xal3 e o lil3s
fígado, afec()es hep3ticas e c"licas
adominais. é da deusaedas
endemias daschuvas e do 0orix3
epidemias. das
tamém
aplicado como ornamento em pe7is, e
anhos dos lhos destes orix3s. Não
possui uso na medicina popular.

Ervas de 63

/ae salientar que 63 usa as mesmas


ervas que Oansã.
Altia – )alvarisco: *uito Cedrinho: Este vegetal possui
empregada nos anhos de descarrego muitas variedades, todas elas
e na purica(ão das pedras dos orix3 pertencentes a deusa das chuvas. Sua
Nanã, 6xum, 6xumarXe, Oansã e aplica(ão é total na liturgia dos cultos
Oeman73. *uito prestigiada nos afro!rasileiros. Empregado nas
ochechos e gargare7os, nas origa()es de cae(a, nos a+, anhos
in&ama()es da oca e garganta. de corpo inteiro e nos de purica(ão.

Excelente
aura. a+uso
Em seu de ori, tonicador
caseiro comatedaas
disenterias, suas folhas em co$imento
em anhos ou ch3 curam hérnias. 0
t"nico em estados feris reeldes.
Angelim-amargoso
– )orcegueira: %ertence a Nanã e
Exu. *uito usada em carpintaria, por
ser madeira de lei. >olhas e &ores são
utili$adas nos a+ dos lhos de Nanã.
-s cascas di$em respeito a Exu' elas
Cipreste: -plicada nas
são aplicadas em anhos fortes de
origa()es de cae(a e nos anhos de
descarrego, com o prop"sito de destruir
purica(ão e descarrego. - medicina
os &uidos negativos.
popular indica anhos desta erva para
tratar feridas e o ch3 para curar

1lceras.

Assa-pei/e: 5sada em
anhos de limpe$a e nos eori dos
lhos do orix3 das chuvas. Na medicina
9erv!o: -lém de ser folha
popular ela é aplicada nas afec()es do
sagrada de Nanã, tamém é ang+.
aparelho respirat"rio em forma de
Sem aplica(ão nas origa()es rituais. -
xarope. 5tili$ada como emost3tico.
medicina caseira a indica no
tratamento das doen(as do fígado,
levando suas folhas em co$imento
adicionando 7untamente raí$es de erva!
tostão. 6 ch3 do gervão tamém
deela as doen(as dos rins.
Avenca: Regetal
delicadíssimo e mimoso. 2em emprego
nas origa()es de cae(a e nos a+
emora ela mere(a ser economi$ada
em face de sua delicade$a para
ornamento. - medicina popular indica
)anac#: Seu uso ritualístico
as folhas para deelar catarros
se limita aos anhos de descarrego.
r+nquios e tosses.
*uito empregada na magia amorosa.
Nesse sentido, ela é usada em anhos
misturada com girassol e mil!homens.
6 ch3 de suas raí$es é utili$ado pela
medicina caseira para facilitar o &uxo
menstrual.

Ervas de Oeman73

Alcaparreira – 9aleata: *uito usada


1uaresma – nos terreiros do io Qrande do Sul.
1uaresmeira: Esta aroreta tem Entra nas mais variadas origa()es do
aplica(ão em todas as origa()es de ritual, sendo utili$adas para isso folhas
cae(a, nos a+ e nos anhos de e cascas. 2amém é muito prestigiada

limpe$a
deusa e purica(ão
das dos lhos
chuvas. Durante da toda
o ritual nos a+ dede
origa(ão prepara(ão dos anhos
cae(a e nos lhos, para
de
a planta é aproveitada, excepto a rai$. limpe$a. -s cascas e raí$es
- medicina caseira a indica nos males popularmente vem sendo usadas como
renais e da exiga, em ch3. diuréticos. Seus frutos são comestíveis
e deles é preparada uma geléia eca$
contra picadas de coras e insectos
venenosos.

Altia – )alvarisco: *uito empregada


1uitoco: 5sada em anhos nos anhos de descarrego e na
de descarrego ou limpe$a. %ara a purica(ão das pedras dos orix3s Nanã,
medicina popular esta erva resolve 6xum, 6xumar#, Oansã e Oeman73.
males do est+mago, tumores e *uito prestigiada nos ochechos e
acessos. Cnternamente é usado o ch3, gargare7os, nas in&ama()es da oca e
garganta.
nos tumores aplica!se as folhas
socadas.
Arac#-da-praia: %lanta ar"rea
N4n3 pertencente a Oeman73 e a 6x"ssi. 0
2eté ! 9redo sem espinhos empregada nas origa()es de cae(a,
6rim!rim ! -lfavaquinha nos a+ e nos anhos de purica(ão
6dum!dum ! >olha da costa dos lhos dos orix3s a que pertence. No
Exiat3 ! Qolfo redondo de manam uso popular cura hemorragias, usando!
<acomi7é ! <arrinha se o co$imento. Do mesmo modo
-foman ! Erva de passarinho
<3 ! /apea tamém é utili$ado para fa$er lavagens
2imim ! >olha de neve ranca, cana!do! genitais.
re7o
%eculé ! %arioa Araticum-de-areia – )alol7:
9ala ! 2aioa =iturgicamente, os antos a usam nos
<amim ! /a73 anhos de descarrego, sem mistura de
-feré ! *utama outra erva. - medicina caseira indica a
6+ ! ama de leite polpa dos frutos para resolver tumores
e o co$imento das folhas no tratamento
do reumatismo.
 Coco-de-iri: Sua aplica(ão se restringe
 aos anhos de descarrego,
 empregando!se as folhas. - medicina
caseira indica as suas raí$es co$idas
para por m aos males do aparelho
genital feminino. 0 usado em anhos )aç!-de-cobra: 5sada nas origa()es
semic1pios e lavagens. de cae(a, nos a+ e nos anhos de
descarrego e limpe$a. Não possui uso
"rva de 8anta (uzia: *uito usada nas na medicina popular.
origa()es de cae(a, eori, lavagem
de contas, feitura de santo e tiragem de )usgo marinho: Esta planta vive
$umi. De igual maneira, tamém se sumersa nas 3guas do mar. 0 planta
emprega nos a+, anhos de que entra nas origa()es de ori e nos
descarrego ou limpe$a dos lhos dos anhos de limpe$a dos lhos de
orix3s. - medicina popular a consagrou Oeman73. 6s musgos são utili$ados pela
como um grande remédio, por ser de medicina caseira nas pertura()es das
grande ec3cia contra o vício da vias respirat"rias.
eida. 6 co$imento de suas folhas é
empregado contra doen(as dos olhos e $ata de vaca: empregada nos anhos
para desenvolver a vid#ncia. de descarrego e nos a+, para limpe$a
dos lhos dos orix3s a que pertence. -
Fruta-da-Condessa: 2em aplica(ão pata de vaca, na medicina popular, é
nas origa()es de cae(a, nos anhos indicada para exterminar diaetes, e
de descarrego e nos a+. 0 de grande por essa ra$ão, é tida como insulina
import8ncia na medicina popular, pois vegetal. 2amém cura leucorreia em
suas raí$es em decocto são um grande lavagens vaginais.
remédio para a epilepsia. 2oma!se meio
copo tr#s ve$es ao dia. -pesar da 0rapoeraba azul – )arianinha: Esta
irreversiilidade da doen(a. planta é aplicada em todas as
origa()es de cae(a, nos a+ e nos
9raviola – Corosol: 2em plena anhos de limpe$a e purica(ão.
aplica(ão nos a+ dos orix3s, nos 2amém é axé integrante dos
anhos de a+ e nos de limpe$a e assentamentos do orix3 a que
descarrego. 0 indispens3vel aos lhos pertence. No uso popular a erva é
recolhidos para origa()es de cae(a utili$ada contra os efeitos de picadas
eerem uma dose do suco pela de coras. 0 tamém diurética e age
manhã. 6 povo usa a graviola nos contra o reumatismo. 6s lhos da
casos de diaete, aplicando o ch3. deusa das 3guas salgadas anham!se
periodicamente com esse tipo de
9uabiraba anis: -plicada em todas as vegetal.
origa()es de cae(a, nos a+ de uso
geral e nos anhos de purica(ão e 3nha de vaca: -plicada em anhos de
limpe$a dos lhos dos orix3s. 5tili$adas descarrego dos lhos da deusa. Na
do mesmo modo nos a+ de ori. - medicina caseira é utili$ado como
medicina popular a utili$a para p+r m adstringente. -plicado em lavagens
nas doen(as dos olhos Gcon7untivitesH. locais e anhos semic1pios para
9anhos demorados favorecem aos comater males ou doen(as do
sofredores de reumatismo. aparelho genital feminino.
'e6uitib# rosa: Sem uso ritualístico.
%ara a medicina caseira ele é um
poderoso adstringente. *ilagroso no Oemon74
tratamento das leucorreias 2eté ! 9redo sem espinhos
GcorrimentoH' o co$imento das cascas é 6rim!rim ! -lfavaquinha
eca$ nas hemorragias internas, cura 6dum!dum ! >olha da costa
Em ! *alva ranca
angina e in&ama()es das amígdalas. 6min!o71 ! Qolfo ranco
<acomi7é ! <arrinha
Cin ! >olha de icho
<3 ! /apea
6aIa ! 9eti!cheiroso
Mr"Bo ! >olha de loBo
2inin ! >olha de neve ranca, cana!do!
re7o Alecrim do Campo :
Ereximominpala ! Qolfo de aronesa
2eterég1n ! /anela de macaco Seu uso se restringe a anhos de
*onam ! %ariet3ria limpe$a. 0 muito usado nas
<amim ! /a73 defuma()es de terreiros de 5manda.
6+ ! ama de leite Em seu uso medicinal resolve o
reumatismo, aplicado em anhos.




Anglica: 2em emprego
ritualístico muito redu$ido. Sua &or
espanta in&u#ncias malignas e
neutrali$a a emissão de ondas
negativas. 0 aplicado na magia do
Ervas de 6xal3 amor, propiciando liga()es amorosas. -
&or tamém é usada como ornamento
e d3!se de presente na vira(ão do que
quer. Não possui uso na medicina
popular.

Alecrim
Erva de 6xal3, porém mais de Caboclo
exigido nas :
origa()es de 6x"ssi. Não possui uso
na medicina popular.
Araç#: -s folhas são
aplicadas em quaisquer origa()es de
cae(a e nos a+. 5sada de igual sorte
nos anhos de purica(ão. 6 povo
indica esta espécie como um
Alecrim de 0abuleiro: Erva energético adstringente. /ura
empregada nas origa()es, nos a+ e é desarran7os intestinais e p)e m 4s
um maravilhoso afugentador de larvas c"licas. 5sam!se folhas e cascas em
astrais, ra$ão pela qual deve!se us3!lo co$imento.
nos defumadores, quer das casas de
culto. Não possui uso na medicina

popular.

Barba de 4elho:
-plicadas em todas as origa()es de
cae(a referentes a qualquer orix3.
5sa!se tamém ap"s as defuma()es
pessoais feitas ap"s o anho. -
medicina caseira indica seu uso t"pico
no comate 4s hemorr"idas.
corir a cae(a e, depois, corir!se a
cae(a durante do$e horas, fugindo aos
raios solares. 0 fortalecimento da aura
e alimento da cae(a. - vela de cera de
Baunilha verdadeira: carna1a é a melhor ilumina(ão para o
-plicada nas origa()es de cae(a e na orix3.
tiragem de Yumi. - medicina popular
indica esta erva no restaelecimento do
&uxo menstrual. São usadas folhas e
caule, em ch3. deela as hipocondrias,
as triste$as e é energético afrodisíaco.

0 preconi$ada para p+r m 4


esterilidade. Cinco Folhas
todas as origa()es : -plicada
de cae(a, em
nos a+
e nos anhos de descarrego. -
medicina caseira indica esta erva como
eca$ depurativo do sangue.

Calistemo F*nico: 0
uma extraordin3ria mirt3cea que entra
em qualquer origa(ão de cae(a,
eori, feitura de santo, lavagem de Cipó-cravo: Não possui
contas, tiragem de Yumi ou tiragem uso ritualístico. Na medicina caseira
da mão de cae(a. *edicinalmente é actua como deelador das dispepsias e
usada em doen(as do aparelho diculdade de digestão. 5sa!se o ch3
respirat"rio, ronquites, asma e tosses ao deitar. 0 pacicador dos nervos e

reeldes. -plica!se o ch3. propicia


ser usadaum sonoxícara
é uma tranquilo.
das -dedose
caféaao
deitar.

Camlia: Regetal muito


usado na magia amorosa. 0 captadora
de &uidos positivos, a &or. 5sada, Colónia: %ossui aplica(ão
aproxima uso na medicina popular. em todas as origa()es de cae(a.
Cndispens3vel nos a+ e nos anhos de
limpe$a de lhos!de!santo. -plicada,
tamém, na tiragem de Yumi, para o
que se usa o sumo. /omo remédio
caseiro p)e m aos males do
Camomila  )arcela: est+mago. 5sado como ch3 Gpendão ou
cacho &oralH.
Sua aplica(ão é restrita nas origa()es
ritualísticas. 5sa!se, entretanto, nos
anhos de descarrego e nos a+.

Cravo da ndia:
5tili$ada em qualquer origa(ão de
Carnaúba: S" tem aplica(ão cae(a, nos a+ e nos a+ de cae(a.
em a+ feito da folha, que asta para De igual sorte, participa dos anhos de
purica(ão dos lhos dos orix3s a que limpe$a de Yumi. Na medicina caseira
pertence. 6 povo tem!no como "ptimo é usado nas afec()es dos r+nquios,
nos anhos arom3ticos, o co$imento de em ch3.
suas folhas e cascas deelam a fadiga
das pernas em anhos de assento.

"ucalipto  )urta :
Empregado em todas as origa()es de
"rva de Bicho: 5sada cae(a, nos a+ e nos anhos de

em anhos
santo, de purica(ão
quaisquer que se7am deelhos!de!
que vão limpe$a.
nas -e
feres medicina caseiradores.
para suavi$ar indica!o
sumeter!se a origa()es de santo ou ecomendado tamém nas doen(as do
feitura de santo. 0 positiva a limpe$a aparelho respirat"rio.
que reali$a e possante destruidora de
&uidos negativos. 6 povo indica esta
planta em co$imento Gch3H a m de
curar afec()es renais.

Fava de 0onca: - fava é


usada nas cerim+nias do ritual, o fruto
é usado depois de ser redu$ido a p".
Este p" é aplicado em defuma()es ou
"spirradeira: %articipa em simplesmente espalhado no amiente.
todas as origa()es de cae(a, nos a+ -nula &uidos negativos, afugenta maus

e nos a+
indica de ori.
o suco dessa- medicina douso
planta, em povo espíritos e destr"i de
%ropicia prote(ão larvas astrais.
amigos espirituais.
externo, contra a sarna e para p+r m Não possui uso na medicina popular.
aos piolhos.

Fava $ichuri: No
"stora6ue ritual de 5manda e /andomlé usa!se
Brasileiro: Sua resina é recolhida e o fruto, a fava, que redu$ a p", o qual é
redu$ida a p". Este p", misturado com aplicado espalhando!se no amiente.
en7oim, é usado em defuma()es -plica!se, igualmente, em defuma()es
pessoais. Essa defuma(ão destina!se a que atraem ons &uidos. 0 afugentador
arrancar males. 6 povo aconselha o p" de eguns e dissolve ondas negativas,
anulando larvas astrais.
desta no ou
reeldes tratamento dascolocando
ulcera()es, feridas o
mesmo sore as les)es.

Folha da FortunaGé o
mesmo que saiãoH: 0 usada em todas
"ucalipto  Cidra: as origa()es de cae(a, em anhos de
Empregado em todas as origa()es de limpe$a ou descarrego e nos a+ de
cae(a, em anhos de descarrego ou qualquer lho!de!santo. Na medicina
popular é muito eca$ acelerando
cicatri$a()es, contus)es e escoria()es,
usando!se as folhas socadas sore o
ferimento.
9uaco cheiroso: -plica!se
nas origa()es de cae(a e em anhos
de limpe$a. %opularmente, esta erva é
conhecida como cora(ão!de!<esus.
*edicinalmente, comate as tosses
Funcho: Empregada reeldes e alivia ronquites agudas,
em todas as origa()es de cae(a, nos usando!se o xarope. /omo antiofídico

a+mesmo
do e em anhos
modo, de limpe$a.
para 5sa!se,
tirar mão de Gcontrasocadas
folhas o veneno
node coraH,
local e, usam!se as
Yumi. 6 povo d3!lhe astante internamente, o ch3 forte.
prestígio como excitante e para as
mulheres aumentarem a secre(ão de
leite. Eca$ na liera(ão de gases
intestinais, c"licas, diarreias, v"mitos. 0
usado no tratamento dos males aqui
referidos quando se trata de crian(as. <ortel! da horta :
conhecida como hortelã de tempero e,
deste modo, muito usada na culin3ria
sagrada e na profana tamém. Entra
nas origa()es de cae(a alusivas a
qualquer orix3. %articipa do a+ dos
9irassol: 2em lhos!de!santo. %opularmente é

aplica(ão
origa()esnoderitual.
cae(a5sa!se
e nosnas
a+ e conhecido como de
tosses reeldes' eciente deelador
ons efeitos nas de
anhos de descarrego. 2em grande ronquites é muito 1til no tratamento
prestígio nas defuma()es, em face de da asma. 0 excitante e fortalecedor do
ser anuladora de eguns e destruidora est+mago.
de larvas astrais. Nas defuma()es
usam!se as folhas e nos anhos
colocam!se, tamém, as pétalas das
&ores, colhidas antes do sol. Não possui
uso na medicina popular.
'asmim do Cabo: Seu
uso restringe!se ao adorno de pe7is em
7arra ladeando 6xal3. Não possui uso
na medicina popular.
9ol&o de or
branca: %lanta aplicada em origa()es
de cae(a, eori e anhos dos lhos de
6xal3. 6 povo indica suas raí$es como
adstringente e narc"ticas, mas lavadas, (aranjeira: -s &ores
deelam a disenteria e, as &ores, as são aplicadas nas origa()es de ori.
1lceras e leucorreia. São tamém indicadas em anhos. %ara
o povo, o ch3 desta erva é um
excelente calmante.
(;rio do Brejo: 5sam!se )anjerona: Entra em
as folhas e &ores nas origa()es de ori, todas as origa()es de ori, em anhos
nos a+ e nos anhos de limpe$a ou de limpe$a ou descarrego e nos a+. -
descarrego. 6 povo emprega o ch3 das medicina popular aplica!a como
raí$es como estomacal e expectorante. correctiva de excessos de excita()es
sexuais, arandando os apetites do
sexo.

)alva Cheirosa: 5sada


nas origa()es de cae(a, nos a+ e
anhos de purica(ão de lhos!de! )astruço: Não
santo. 6 povo a indica para desin&amar possui aplica(ão em nenhuma
as afec()es da oca e garganta. 0 cerim"nia ritualística. %orém na
emoliente, propiciando vir a furo os medicina caseira é extraordin3rio
tumores da gengiva. 5sa!se em tratamento das afec()es pulmonares,
ochechos e gargare7os. notadamente nas pleurisias secas ou
com derrame. Desta erva é usado o
sumo, simples ou misturado com leite.
Puantas ve$es o doente queira.

)alva do Campo: Seu uso


se restringe aos anhos descarrego e
limpe$a. Em seu uso popular possui o
mesmo valor da malva cheirosa. )il em .ama: Não
possui uso ritualístico. 0 adstringente e
arom3tica. Cndicada em doen(as do
peito, hemorragias pulmonares e
hemoptise.
)amona: Esta erva é
muito utili$ada como recipiente para se
arriar e" para Exu. Não possui uso na
medicina popular.

>arciso dos 'ardins:


Esta erva é somente usada para o
assentamento. - medicina caseira o
tem como planta venenosa.
)anjeric!o )iúdo:
5sada na prepara(ão de a+ e nos
anhos de purica(ão dos lhos a
entrar em origa()es ou serem
recolhidos. 0 considerado pela medicina
caseira como excelente eliminador de >oz de Cola: Erva
gases. indispens3vel nos anhos dos lhos de
6xal3. %ara o anho, rala!se a semente,
o oi, misturando!se com 3gua de
chuva. - medicina popular indica esta
erva como t"nico forticante do
cora(ão. 0 alimento destacado em face
de diminuir as perdas org8nicas, .osa Branca:
regulando o sistema nervoso. %articipa de todas as origa()es de
cae(a. 5sa!se, inicialmente, na
lavagem do ori, ato preparat"rio para
feitura. 6 povo consagrou!a como
laxativo ranco e aplic3vel no
tratamento da leucorreia GcorrimentoH
>oz-moscada: Desta
so forma de lavagens e ch3 ao mesmo
erva utili$a!se o p" em mistura com a tempo. /omo laxativo, é aplicado o ch3.
canela tamém em p". Csto feito,
espalha!se no amiente caseiro ou em
lugar onde se exerce atividade, para
melhoria das condi()es nanceiras. 0
tamém usado como defumador. Não
possui uso na medicina popular.
8ai!o: Entra em
todas as origa()es de cae(a,
quaisquer que se7am os lhos e os
orix3s. 5tili$ada tamém no sacrifício
ritual. *edicinalmente, é utili$ada para
evitar a intoler8ncia nas crian(as. D3!se
$atchouli: Erva usada
misturado o sumo, com leite. Em
em todas as origa()es de ori, eori,
qualquer contusão, socam!se as folhas
feitura de santo, lavagem de contas e
tiragem de Yumi. 0 parte dos a+ que e coloca!sepor
protegido sore o machucado,
algodão e ga$e. Do
se aplicam aos lhos!de!santo. -
pendão &oral ou da &or prepara!se um
medicina popular indica o patchouli
excelente xarope que p)e m a tosses
como possuidor de um princípio activo
reeldes e ronquites.
que é insecticida.

8#lvia: Suas folhas e


$oejo: Entra em
&ores são utili$adas nas origa()es de
todas as origa()es de ori de lhos!de!
cae(a, nos a+ e anhos de limpe$a
santo, quaisquer que se7am os orix3s
dos lhos dos orix3s a que pertence.
dos referidos lhos. %opularmente,
5sada pelo povo como t"nico
atenua os males do aparelho
respirat"rio aconselhando o uso do adstringente. Emprega!se
suores profundos, em casos
com grande efeitode
co$imento das folhas e ramos. *uito
positivo, contra as aftas e feridas da
eca$ nas pertura()es da digestão,
oca. 0 grande aperiente
usando!se o ch3.
Gdesdoradora do apetiteH.
dos olhos e para p+r m 4s moléstias
da c"rnea.

8angue de Cristo:
Emprega!se em eori, lavagem de LTs44l4
2eté ! 9redo sem espinhos
contas e feitura de santo, e usa!se nos 6rim!rim ! -lfavaquinha
a+ dos lhos de 6xal3. 0 conhecido 6dum!dum ! >olha!da!costa
popularmente como adstringente e Cim ! >olha de icho
t+nico geral. 5sa!se o ch3 ou co$imento Em ! *alva ranca
das folhas como contraveneno. Clerim ! >olha de vintém
6mim ! 9eldroega
6mim!o71 ! Qolfo ranco
<acomi7é ! <arrinha
2inin ! >olha de neve ranca, cana!do!
re7o
%achor+ ! >olha da costa ranca
3mbu: %ossui aplica(ão *onam ! %ariet3ria
em todos os actos da liturgia afro! %eculé ! %arioa
rasileira, eori, a+, feitura de santo e 9ala ! 2aioa
lavagens de cae(a e de contas. <amim ! /a73
9astante usada com resultados 6ri!dum!dum ! >olha da fortuna
positivos nos a+ de ori e nos anhos -fer# ! *utama
6+ ! ama de leite
de purica(ão. 6 povo utili$a suas 6mim!i3!o71 ! >olha de leite
cascas em co$imento, para lavagens

indicaç!o mdicaE A F+.HA A8


F+(<A8
>!o indico receitas
por e-mailE "ste site 6 presente artigo
 apenas mostrar3 uma das
in&ormativoE >!o h# formas de identica(ão
responsabilidade e de como poder3 ser
 mdica nas otido o m3ximo do -sé
 indicaç?es deste siteE das >olhas, valendo
 Baseado em lemrar que o vegetal e
 bibliograaD revistasD composto de folhas,
%nternet e relatos fruto, caule e raí$ e que
destas partes
popularesE $ara se poderemos ter diversos
medicar com plantas tipos de forces e e7és
voc* precisa Gsangue pretoH.
realmente conheçerE
Ervas de $eça ajuda aos ZSE E[0
especialistas da #rea
6xaguian ou caso voc* seja as 5ma ve$matas,
nossas preservada
/ae salientar que estudioso destas receeremos em troca a
6xaguian usa as matriasD at fartura das folhas da
mesmas ervas que ad6uirir uma qual retiramos o -sé.
6xal3. conança e
capacitaç!o própriaG )as o 6ue  IseJ
>!o use ervas sem Zse é o poder de
orientaç!o e no caso reali$a(ão individual ou
de ns medicinaisD coletivo que dispomos
n!o o &aça sem Zse é for(a, energia
poderosa geradora e %ara qualquer um dos uma quartinha com
controladora de outras casos acima, devemos 3gua. -ssim, entoamos
for(as energéticas, estar com resguardo as m1sicas of"s do
sendo que a sua Gde mente e de corpoH' 6ris3 dono das folhas,
energia pode ser Devemos ofertar a fortalecendo ainda
transmitida para Ls3nIín o pagamento mais a nossa liga(ão
qualquer coisa, animada necess3rio pelas ervas com o plano espiritual.
ou inanimada, como que iremos colher . Essas m1sicas podem
contas, assentamento /omumente utili$amos diferir de ordem de
e outros utensílios que moedas como forma de utili$a(ão de terreiro em
utili$amos nos nossos pagamento do que terreiro, pois os
ritos e iremos colher nas costumes individuais do
matas, mas nas épocas líder ou os costumes
para otermos
melhor uma
utili$a(ão deste remotas da Ufrica,
nossos irmãos sociais da descend#ncia
do terreiro, rege o
poder devem seguir africanos utili$avam processo de macera(ão.
alguns preceitos 3sicos como moeda o que Depois de maceradas
nas colheitas das ervas tinham de melhor a despachamos a
e que podem oferecer tais como: quartinha que contém a
diferenciar de casa para 1$io, mel, fumo, 3gua, pois sendo
casa, pois muitos eidas.... todas as considerado o solvente
ensinamentos continua oferendas necess3rias universal a mesma age
ser feitos oralmente. ou as que agradavam a como catalisador de
Ls3nIín. energias negativas ou
3tilizaç!o para que não são
banhos na iniciaç!o: São in1meros os ritos importantes para o m
que nos são ensinados dese7ado naquele rito.
/olher as folhas e que variam de na(ão
sempre pela manhã' Seguidos os passos
a na(ão podendo haver necess3rios e
5tili$armos, mudan(as entre as
preferencialmente, os costumes, otemos o
rotos mais novos e casas
aaixoexistentes e dos
descrevo um E<0 das folhas que nos
vi(osos' 5ma ve$ servir3 para diversas
ritos que podem ser nalidades.
colhido, devemos p+!los utili$ados.
em uma acia com o -sé encontra!se em
3gua para mantermos %assa!se a moeda uma grande variedade
a umidade' Deixar sore o corpo em de elementos no reino
descansar por alguns movimentos circulares animal, vegetal e
instantes antes de am de que o -sé mineral. =ogo estamos
utili$armos na individual se7a rodeados de -sé, o que
prepara(ão do anho. transmitido para a nos resta saer é como
mesma moeda como acion3!lo, por em
3tilizaç!o para parte da manuten(ão e
banhos de movimento toda esta
equilírio das for(as e energia ao nosso favor
descarrego e recitam!se algumas
sacudimentos: e termos cuidados com
frases, tais como: os golpes de retorno no
%odem ser colhidas em momento que
hor3rio de maior "K ó Ls3nIín efetivamos os
encantamentos.
necessidades ou pela Ls3nIín Ls; Fohú
manhãFtarde'
5tili$armos os galhos Ms#n2;nD 0ome %artindo deste princípio
mais fortes e roustos, provid*ncias para analisemos os quadros
os mais velhos' 5ma colocar novas &olhas aaixo:
ve$ retidos 73 podem em seu lugar E $lanta endezeiro
ser utili$ados. %gi MpNGD "laies
5ma ve$ de posse das
$recauç?es: folhas para macer3!las, guineensis jac6ED
devemos ter ao nosso $almaeE
lado uma vela acesa e
C+)+ 8O+ folhas, mostrando!nos algumas folhas que são
30%(%PA+8: que cada 6ris3 age e cantadas:
reage para cada ZSE
Folhas E<0 E[0 de uma forma ! elacionadas a /alma
diferente. GWrTH: MroBT, Tdund1n
5tili$amos nos ritos de
6gum e 6Ia Cgalé, em • ?WrT \roBT
e"s de limpe$a e • MroBT \so
prote(ão do -sé, pois, é -s4 Ls3nI\n ou • ?rT \roBT \so WrT
o mario que afugenta Sas3nI\n G/8nticos de
os Eguns. >olhaH
Frutos Sas3nI\n, é um ritual • /alma é de MroBT
onde se cantam KfTs •

Da sua polpa é feito o Gre$as de magiaH para MroBT não


/alma falha
é de MroBT,
a$eite de dend#, o qual Ls3nI\n com a inten(ão

é utili$ado em diversos calma não falha


de detonar o asé
rituais Ge7é pupaH. contido nas folhas e
esse ritual pode ser
8ementes cantado em v3rios ! elacionadas a
-s sementes são usadas momentos do culto 4 -gita(ão Gg1nH:
no 7ogo de if3 e Tr\s4. %WrWg1n, 2WtWrWg1n
conforme . De um Esse ritual tem
1nico vegetal sequ#ncia, e cada folha
aproveitamos tr#s t#m seu KfT cantado e • %WrWg1n al3ra
partes diferentes e que relacionado aos Tr\s4s gíg1n o
são usadas diversos ns correspondentes. 5m • %WrWg1n al3ra
nos ritos e no nosso KfT muito usado é o Zs4
cotidiano. -s gíg1n o
o er1 a7é Gque quer • 6a BT ní 7é o
possiilidades de di$er: assim se7a, o ror" oB3n
comina()es são
in1meras, a questão é escravo vai funcionarH. • %WrWg1n al3ra
%ode!se oservar, 4s gíg1n o
saermos associ3!las, ve$es, que nem todas
para cada ocasião. • %WrWg1n g4
as espécies de folhas ag3ra tuntun
E<0 >5N>5N cantadas se encontram
presentes no momento
do ritual. %orém, o fato
• Seiva de louv3!las fa$ com • %WrWg1n tem o
• Sumo que as suas sustitutas corpo excitado
• l MIerosun exer(am o mesmo • %WrWg1n tem o
s >olhas • -lcool da %almeira papel. corpo excitado
Este ritual geralmente é • ei não deixa ter
restrito aos memros da prolemas de
casa de asé e constitui cora(ão
um dos mais tocantes e • %WrWg1n tem o
%erceemos uma
movimenta(ãoFtransfor elos espet3culos da corpo excitado
ma(ão do Zse. comunidade, momento •
%WrWg1n
for(a d3 nova
tamém para
Desta forma nossos transmissão do saer e
ancestrais conseguiram quando se vai
soreviver aos intro7etando, tanto a ! elacionada a 2erra
prolemas materiais e musicalidade, como o Geé ilW ou eé ig"H:
espirituais que se conhecimento a -ta
apresentaram em suas respeito das ]folhas].
vidas, vencendo as
arreiras do tempo e -s folha tem
tra$endo!nos os características pela sua • -ta BT ro 7@ eé o
segredos do -sé das for(a de ess#ncia. Re7a
• - l^lé BT ro 7\ ig" • Lsí4t4 ca normalmente usada na
TTg@n sore as 3guas entrada de locais
• -ta BT ro 7@ eé o • Lsí4t4 ca destinados ao culto aos
• - l^lé BT ro 7\ ig" sore o rio antepassadosH
TTg@n • Lsí4t4 ca ! elacionada as
sore as 3guas Urvores GCgiH:
• Lsí4t4 ca
sore o rio • E \roBT \í BorT o
• %imenta não é
• Sempre 7untas 6 igi eiIe ti t^Wmi
mais forte que a •

folha estão • 6 igi eiIe BT gT


• Rento não é mais • Lsí4t4 ca 7T
forte que a sore as 3guas • - \roBT aBin

&oresta de Lsí4t4
sore ca
o rilho dWg@n
remédios • E a \roBT \í roBo o
• %imenta não é • Lsí4t4 ca • - e igi eiIe ti t
mais forte que a sore as 3guas ^Wmi
folha • K7u"r" sore a • 6 igi eiIe \roBT
• Rento não é mais 3gua • - \roBT aBin
forte que a • K7u"r" sore a dWg@n
&oresta de 3gua • Oe a \roBT \í roBo
remédios • Sempre 7untas o
estão • - Ie igi eIe ti t
• Lsí4t4 ca ^Wmi
sore o rio • 6 igi eiIe Bo go
• K7u"r" sore a 7o
! elacionada a Ugua 3gua • - \roBT aBin
Geé omiH: Lsí4t4, • K7u"r" sore a dWg@n
K7u"r" 3gua • aBin dWg@n, aBin
dWg@n
• - \roBT aBin
• Lsí4t4 t^TBé omi dWg@n
• Lsí4t4 t^TBé odT
! elacionada ao >ogo
• Lsí4t4 t^TBé omi Geé in"nH: Cg3 Z474
• Lsí4t4 t^TBé odT GZ474 tamém é • MroBT não
• -olé n\d\ TpW denomina(ão dada a semeado
• Lsí4t4 t^TBé omi ZrTn\, companheiro de • Urvore de
• Lsí4t4 t^TBé Ls3nI\nH p3ssaro meu
Td4n • Urvore de
• Lsí4t4 t^TBé omi • Z474 u na p3ssaro não
• K7u"r" nii ="Be g1r1r1 receeu chuva
omi • Z474 u na • -h MroBT
• K7u"r" nii ="Be g1r1r1 poderoso ref1gio
omi • Z474 u na u • MroBT não

in"n

-olé
Lsí4t4n\d\
nii TpW
="Be •
semeado
Urvore de
odT p3ssaro meu
• K7u"r" nii ="Be • Z474 are • 6h Urvore de
omi caminho estreito p3ssaro MroBT
• K7u"r" nii ="Be • Z474 are • -h MroBT
omi caminho estreito poderoso ref1gio
• Z474 de fogo • Sim, MroBT não
semeado
! elacionada ao -r: • -h Sim, 3rvore
Eé *és4n Gp3ra!raio, de p3ssaro meu
folha de 6Ia
• Urvore de ! - rela(ão do %3ssaro
p3ssaro não com Ls3nI\n, sendo
receeu chuva ! elacionada a este seu mensageiro e
• -h MroBT %arasitas e %lantas veículo de poder, pode
poderoso ref1gio aéreas GZfTm"nH: ser perceida, além de
• poderoso ref1gio, estar presente na
poderoso ref1gio representa(ão deste
• -h MroBT • Za BTso B34T l Tr\s4 Gnos
poderoso ref1gio ^esí assentamentosH na
cantiga:
• Za BTso B34T l
! elacionada aos ^esí
-rustos e espécies • LpeWré Ls3nI\n
• ZfTm" ti WWrW, \n s^i1
rasteiras GBéBéréH:
aa -gW
^esí BTso B34T l •
A1r1 \de aB4B4
• E omodé BéBéré • LpeWré Ls3nI\n
WnIin • Za BT s^4gT la \n s^i1 943
• WnIin nsé idi n so, 4a BT s^4gT • A1r1 \de aB4B4
^Ban nl3 la so
• WnIin nsé idi n • A@B@té ti í Ban,
^Ban nl3 4a Ba s^4gT la
so -gW • LpeWré de
• A^4a f1n non Ls3nI\n voa
• Za BT s^4g4n
l3se o profundo
ol"mo
• Za nsé idi n^Ban 6 pequenino não
• Za BT s^4g4n •
nl3 muda a nature$a
ol"mo
• E omodé BéBéré LpeWré de
• ZfTm" ti i Ban, •
WnIin Ls3nI\n voa
4a BT s^4g4n
• Za nsé idi n^Ban ol"mo -gW profundo, %ai
nl3 • 6 pequenino não
• A^4a f1n non muda a nature$a
l3se o
• Za nsé idi n^Ban • N"s não dissemos
nl3 em vindo ano
passado
• N"s não dissemos
em vindo ano ! Esta é uma pequena
• E crian(as passado explana(ão sore este
pequenas, voc#s ritual tão rico em
• 4fTm" perguntou detalhes. *as o que não
• Roc#s estão se não dissemos
fa$endo coisa podemos deixar de
em vindo ano oservar é a
grande passado a -gué
Roc#s estão importãncias que as

• Não pedimos folhas desempenham
fa$endo coisa licen(a é o que
grande no culto aos Lr\s4s.
dissemos
• N"s damos asé a • 6 toco rotou, %ara nali$ar cantemos:
voc#s n"s contamos
• N"s fa$emos
coisa grande que pedimos
licen(a,
• E crian(as • 0 o que dissemos • Eé n7é
pequenas, voc#s a -gué • 6Tg@n n7é
• N"s fa$emos • Não seremos • 6Tg@n tiBT 7é
coisa grande estéreis • Eé rW ní BT pW
• N"s damos asé a • Não seremos • -s folhas
voc#s estéreis funcionam
• N"s fa$emos • ZfTm" nasceu • 6s remédios
coisa grande um, não seremos funcionam
estéreis -gué • emédios que
não funcionam
0 que tem folhas 1). A*G6%CA – ##. CAE6A - (0Lcios,
faltando. &ro'ção, &urifcação, (s ma'riais, amor,
saúd, c"ariid/(cia "im&7a, (r0i7ar

 1. A%@ E@TRE6AO – sucsso, amor, &ro'ção
 adii(8ação,
 &urifcação, sor' #). CMFORA -
 ds(o"im('o
15. AR%CA – &s34uico c"ariid/(cia,
CNDC/-_`ES c"ariid/(cia saúd
19. ARRO; - !r'i"idad #. CARA+O+O –
sdução, amor
1. ABACATE - amor 1:. ARRHA - &ro'ção,
2. AÇAFRÃO – "im&7a, cura #5. CARO @ATO -
&urifcação cura
Purifcação, saúd,
!"icidad 1<. ARTE+?@%A - #9. CARA6=O –
adii(8ação, a"'ração !r'i"idad
#. AC$C%A – &ro'ção, da co(sci/(cia,
co('ra &sad"os  #:. CA@CARA @A*RAA
&ro'ção do so(o 2>. A@@A-FGT%A – – &ro"mas com a
Iorcismo, &ro'ção Jus'iça, di(8iro 
). A*R%+%A – &ro'ção
disso"ução d 21. BABO@A – &ro'ção,
i(u/(cias (0a'ias  sor'  amor #<. CAA6%=A –
&ro'ção !r'i"idad
22. BA+BH – ra"i7ação
. A%PO - &odrs d dsJos )>. CEBO6A – &ro'ção,
m('ais  &s34uicos saúd, di(8iro
2#. BARBAT%+ÃO –
5. A6ECR%+ - "im&7a  s&iri'ua"idad, )1. C%PRE@TE –
co(c('ração, ca"ma(', &urifcação "o(0idad, saúd
adii(8ação, s'udos,
cura, &ro'ção, 2). BARAA – saúd, )2. CRAO – (0Lcios,
&urifcação &ro'ção !orças, (r0i7ar, amor,
"im&7a
9. A6FAFA – 2. BAH%6=A – amor,
&ros&ridad, di(8iro, sdução )#. A+A@CO – !i'iços
!"icidad d amor
25. BETERRABA - amor
:. A6FA;E+A – )). ERA C%RE%RA –
ca"ma(', s'udos, 29. BEKO%+ – (0Lcios, sucsso, amor
&urifcação Iorcismo P"a('a
/(us ). ERA OCE -
<. A6=O – saúd, &ro'ção
&ro'ção 2:. BOCA E 6EÃO -
&ro'ção )5. EHCA6%PTO -
1>. A6+?@CAR - "im&7a, a'rair
a!rodis3aco, amor 2<. BR%%A – di(8iro (ca('os, (r0i7ar,
P"a('a /(us #>. CA6DH6A – cura, saúd, &ro'ção
11. A+DOA@ – &ro'ção, so"ução d )9. F%*HE%RA –
di(8iro, &ros&ridad, &ro"mas, c"ariid/(cia, !r'i"idad
sadoria #1. CA+G6%A – ):. F6OR E +AÇÃ –
12. A+ORA – saúd, &ros&ridad, ri4u7a ca"ma('
di(8iro, &ro'ção #2. CA+O+%6A – )<. FRE%NO -
1#. AETO - sor' di(8iro, amor, adii(8ação, cura,
&urifcação &ro'ção, &ros&ridad
>. *E*%BRE – di(8iro 5<. +ORA*O – amor, ::. %O6ETA -
 sucsso sor' a!rodis3aco, mdi'ação,
s&iri'ua"idad
1. *ER*E6%+ – di(8iro 9>. ARC%@O – cura,
sor', !r'i"idad
2. *%@E* – amor,
ra"i7ação d dsJos, 91. O; +O@CAA – 
"7a, saúd, &ro'ção adii(8ação, !r'i"idad 
 
92. O6?BAO – cura, 
&odr &urifcação rsi(a 
c8a
#. *%RA@@O6 – ER-S D6S SCQN6S
!r'i"idad 9#. O6%E%RA – &a7,
). =ERA – &"a('a (ão !r'i"idad &ro'ção
fca7 &ara os 8om(s 9). PATC=H6% - • Uries: -lmiscar,
&ro'ção, amor, saúd c"ariid/(cia P"a('a S8ndalo, Kpium.
/(us • 2ouro: %inho,
. =ORTE6Ã - cura Eucalipto, /ravo,
9. P%=O – a'rair /anela.
5. KA@+%+ - m"8orar (ca('os, !r'i"idad
8umor, amor ca"ma(', • Q#meos: osa,
cura 95. RO+Ã - !r'i"idad -lecrim, <asmim.
• /8ncer: *a(ã,
9. 6ARAKA – amor, 99. RO@A - amor, -lfa$ema,
di(8iro s&iri'ua"idad, Rioleta.
adii(8ação, !r'i"idad • =eão: %atchouli,
:. 6AAA – cura, -lmíscar,
amor 9:. @ABH*HE%RO - S8ndalo, Kpium.
&urifcação
<. 6%+ÃO - amor • Rirgem: osa,

5>. 6QTH@ - amor 9<. @$6%A


!i'iços, – cura,
"o(0idad, -lfa$ema,
9en7oim.
sadoria, ra"i7ação d • =ira: *a(ã,
51. 6OHRO – (0Lcios, osa, /edro.
adii(8ação, &ro'ção, dsJos • Escorpião:
!orça, saúd
-lmíscar, Kpium,
:>. @MA6O - amor,
52. +AÇÃ – amor, a'rair Eucalipto.
adii(8ação, &urifcação
(ca('os, cura, • Sagit3rio: /ravo,
imor'a"idad :1. @A*HE E /anela, osa.
RA*ÃO - &urifcação • /apric"rnio:
5#. +AKER%CÃO – amor, ="tus, -lecrim.
&urifcação s&iri'ua", :2. TR%*O – !ar'ura, • -qu3rio: Rioleta,
&ro'ção di(8iro, !r'i"idad, osas, >lores do
5). +AR$*ORA - :#. HRT%*A – Iorcismo, /ampo.
!r'i"idad &ro'ção, saúd • %eixes: Rioleta,
-lecrim,
5. +ARE@@%6A –
di(8iro :). HA –!ar'ura
di(8iro, !r'i"idad, -lfa$ema.

55. +ARACHK$ – &a7, :. ET%ER - coma(do 


ami7ad P"a('a /(us 

59. +%6 FO6=A@ – :5. ERBEA – 
Iorcismo, amor mdi'ação, amor 
5:. +%RRA - oa sor', :9. %@*O – Pro'ção ER-S %--...
s&iri'ua"idad,
mdi'ação, cura • ...*EDC2-_6: #nula,
&ro'ção $imro, 3lsamo!de!
tolu, ciper3cea, • ...-*CY-DES: ervilha! sentimento de
s3lvia esclaréia, de!cheiro, ur$e, integridade e
giesta, glicínia, citronela, erva! equilírio
s8ndalo, c3lamo! cidreira. • /arque7a ! =impa
arom3tico, magn"lia, • .../6N2- *-QC- o corpo das
mirra. NEQ-: alecrim, velhas emo()es
• ...- S62E: canela, louro, 7asmim, • /onfrei ! Estimula
7asmim, l"tus, cenoura, violeta, o sentimento de
7acinto, aunilha, hortelã!pimenta, seguran(a
cumaru, ger8nio, verena, assa!fétida, pessoal
no$!moscada, ger8nio, man7ericão, • Dente!de!leão !
ergamota, cipreste. patchouli, hissopo, 2ra$ coragem
• ...-2-C S5/ESS6 E no$!moscada, para enfrentar os
%6*6_`ES: ergamota. ost3culos
a$aléia, cravo!de! • Erva!cidreira !
defunto, olíano,  -7uda na tomada
hortelã!pimenta,  de decis)es
erva!cidreira,  importantes da
hissopo  vida
• ...6 -*6: ervilha!  • Quiné ! =impa o
de!cheiro, l"tus, corpo de energias
7acinto, aunilha, N6*E D- %=-N2- E
S5- >5N_6 negativas
étula, camélia, *il!folhas !
coentro, lírio! ENEQ02C/- •

%urica o corpo
&orentino, rosa, de traumas e
cumarina, laran7a! • -lecrim ! -7uda a
perdoar m3goas sentimentos
a$eda. negativos
• ...- /=-CRCDbN/C- E • -lfa$ema !
-umenta a • Saugueiro !
ES2*5=6 D- -7uda na tomada
autoconan(a
*EN2E: a(afrão,
capim!limão, louro, •
-nis!estrelado ! de r3pidas
decis)es
anis!estrelado, -7uda com os
sentimentos e na • S3lvia ! D3 8nimo
aosa, aipo, para colocar em
c8nfora, #nula, liera(ão de
emo()es movimento todas
$imro, anis! as energias do
estrelado, estoraque, • -rnica ! %romove
a concentra(ão corpo
funcho, madressilva,
cacto, c3lamo! de pensamentos • 2anchagem !
arom3tico, gengire. • -rtemísia ! Estimula a
• ...S6NJ6S Estimula a a(ão e iniciativa
%6>02C/6S: pe+nia, a manifesta(ão
mimosa, amarílis, das idéias 
giesta. • -rruda ! =impa a 
• ...->-S2- aura das su7eiras 
ENEQC-S astrais 
NEQ-2CR-S: c8nfora, • 9aosa ! -7uda 
comigo!ninguém!
pode, guiné, arruda, no desligamento
mental 6 5S6 D-S ER-S E
alecrim, espada!de! • /amomila ! -7uda REQE2-CS
são!7orge. a cultivar a
• ...*E=J6- -S paci#ncia e a 5m corpo saud3vel é
>CN-N_-S: conan(a sem d1vida um "timo
camomila, olíano, • /8nfora ! instrumento para a
alfa$ema, erva! %romove o canali$a(ão das
cidreira, cedro, desprendimento energias que n"s ruxos
hissopo, cipreste, material desenvolvemos quase
a"ora. que diariamente. /omo
• /apuchinha ! tamém a sa1de é um
%romove o
em precioso que fruta como das indica(ão not3vel
podemos conservar folhas. Zs é no tratamento
mantendo uma oa e pessoas atacadas das feridas,
equilirada por esse mal é in&ama()es,
alimenta(ão. aconselh3vel um infec()es. Em
tratamento a infec()es agudas,
*uitas doen(as, ase do consumido em
provocadas por aacateiro, fatias, é um
desequilírios durante quin$e "timo parceiro
energéticos, podem ser dias: dos antii"ticos.
curadas através da • /omer em 7e7um /ontra tosse
alimenta(ão, outras metade de um catarral, usa!se
podem ser evitadas, e aacate duas colheres de
em algumasagregando!
instaladas, 73 amassado suco de em
diluídas aacaxi
uma
• -p"s as refei()es
se a alimenta(ão ao tomar um ch3 de xícara de 3gua
tratamento médico folhas SE/-S do quente e uma
alcan(amos a cura com aacateiro, sem colher de mel.
mais rapide$. a(1car. 9eer astante
6utra indica(ão quente antes de
- seguir, uma lista de •

deitar!se.
vegetais, ervas e frutos, das folhas do
em como suas aacateiro é para • -9696- !
propriedades, são a limpe$a do /uc1rita %epo
descritas e auxiliam e fígado. Se o • ica em pot3ssio,
evitam não s" doen(as fígado não vai ferro, f"sforo e
como atuam no perfeito em por estar magnésio, é
funcionamento do saturado de eca$ como
organismo. gordura e diurético e para
t"xicos, fa$er um comater a
Sempre se deve ter ch3 das folhas prisão de ventre.
aten(ão especial que SE/-S do >a$!se um suco
em doen(as 73 aacateiro e fresco com
instaladas, o tratamento tom3!lo em goles, peda(os grossos
médico é de hora em hora, de a"ora
imprescindível, a durante todo o madura,
alimenta(ão nesses dia, repetindo por colocando!os em
casos, vem somar para  dias. 6 caro(o um guardanapo e
uma cura mais r3pida, serve como torcendo para
mas não sustituem as t+nico capilar. Em extrair o suco.
prescri()es alopatas. dores de cae(a -do(ar com
Daí se manter uma aplicar folhas pouco a(1car e
alimenta(ão saud3vel e quentes do tomar uma
ERC2- a desarmonia aacateiro sore manhã sim e uma
org8nica que provoca as a cae(a, em não, em 7e7um
doen(as. compressa. 5sar por um m#s.
sempre folhas • -/E=Q- ! 9eta
• -9-/-2E ! %ersea
gratissima secas pois
verdes as
provocam • vulgaris
Jortali(a indicada
• 6 aacate pode palpita()es para oxigenar o
sustituir a cardíacas. sangue e
carne, porque • -9-/-C ! normali$ar a
contém gordura e -nan3s sativus digestão, além de
o mesmo valor • 6 aacaxi, além acalmar os
nutritivo. 6 de "timo nervos e
aacateiro serve puricador do roustecer o
especialmente sangue, é cérero. 0 muito
aos diaéticos, diurético e a7uda 1til para ser
tanto através da a digestão. Sua ingerida por
pessoas seu suco, • /ontém v3rias
nervosas. ado(ado com mel vitaminas e é
• -QC6 ! é um excelente uma fonte de
Nasturtium xarope para ferro e minerais.
ocinale comater Seu poder de
• 6 agrião é tão ronquite, tosse, limpe$a dos
eca$ que não se tuerculose intestinos é
deve us3!lo pulmonar e toda fant3stico.
diariamente, a sorte de >ortalece o
não ser para enfermidades sistema nervoso
tratamento dos catarrais. 5sa!se e a musculatura,
r+nquios, em saladas para além de a7udar a
durante períodos comater a digestão. 0 um
limitados. - diaetes, eo
consumo di3rio grande calmante
quantidade de para os nervos e
ferro, iodo e para os que comate a
vitaminas que sofrem de acido ins+nia mais
contém fa$ 1rico. recalcitrante.
passar para a • -C%6 ! -pium • 5m ch3 para
3gua em que é graveolens dormir é feito
deixada de molho • Essa verdura fervendo!se
uma oa parte de comate a rapidamente
sua for(a' por depressão. %or duas folhas de
isso, uma receita ser rico em alface fresca em
para a car#ncia cloreto de s"dio, uma medida de
de ferro e para a é ideal para uma xícara de
depura(ão do casos de ins+nia ch3 de 3gua.
sangue é e pertura()es 2omar morno na
chamada Ugua nervosas, hora de deitar!se.
de -grião: podendo entrar • 0 ainda
• Em um copo de no preparo de recomendada
3gua na saladas, ser contra as
temperatura eido como doen(as do
amiente suco ou mesmo cora(ão e dos
mergulhar folhas mastigando seus rins, se7a em
de agrião. /orir talos. /omo forma de ch3 ou
o copo e deix3!lo alimento é saladas, estas
no quarto de recomendado com pouco
dormir. De 4queles que a$eite, vinagre e
manhã, coar e sofrem de artrite, sal. %ara
ee!la sem reumatismo e contus)es e
a(1car. acido 1rico. 0 incha(os fa$er
• -s propriedades tamém indicado uma cataplasma
terap#uticas do seu uso externo fervendo algumas
agrião comatem em frieiras, para folhas de alface
o raquitismo, o tanto, colocar em pouca 3gua
gr de aipo em
3cido 1rico
doen(as do e as um litro de 3gua por cinco Deixar
minutos.
pulmão, agindo e ferver amornar, untar as
na purica(ão do lentamente por folhas com a$eite
fígado e do  minutos. Dar de oliva, estender
estomago.6s um anho muito sore uma ga$e e
fumantes devem quente nos pés aplicar na região
fa$er uso do ou mãos, uma atingida. Este
agrião, uma ve$ ve$ por dia. mesmo método
por semana, para • -=>-/E ! =actuca pode ser usado
a desintoxica(ão sativa para irrita()es e
do organismo. 6 ruores da pele.
• -=J6 ! -llium para falta de contr3rio o seu
sativum apetite, usado efeito de limpa!
• 6 alho purica o cru em saladas los.0 indicado nas
sangue, atua ou ligeiramente doen(as do
sore as mucosas refogado. fígado, do a(o e
do nari$, da • -*EC- ! %runus estomago. Nos
garganta e dos doméstica prolemas do
pulm)es, • %oderoso laxante. cora(ão comate
desinfeta todo o Cndicada contra a hipertroa e
organismo, prisão de ventre, acalma as
funciona como sendo, neste palpita()es. %ara
antii"tico para caso, consumida o cora(ão se fa$
comater seca. uma decoc(ão
infec()es. •
0 rica em fervendo
raí$es de gr de
aspargo
• %ara o pot3ssio, f"sforo,
enfraquecimento c3lcio e minerais. em um litro de
do organismo, %ara prolemas 3gua, deixando
principalmente do estomago fa$! em repouso até
nos idosos, se um licor esfriar. 2omar
consumir durante digestivo de tr#s c3lices por
as refei()es um ameixa: co$inhar dia, entre as
dente de alho em dois litros e refei()es
em amassado meio de vinho principais sem
com uma ranco,  ado(ar. -inda
cenoura, isso ameixas frescas pode ser usado
previne contra sem casca e sem em regimes de
doen(as mais caro(o.Depois de emagrecimento
graves. quin$e minutos fervendo em tr#s
• -tua na apagar o fogo, quartos de litro
adicionando não de 3gua, kgr de
circula(ão,
esses e para
prolemas, mais de  gramas raí$es de
consumir pão de de casca de aspargo. 9ee!se
centeio canela e deixar pela manhã em
temperado com macerar. -p"s 7e7um e durante
alho socado, tr#s dias, ltrar o todo o dia. Esta
salsa e gotas de liquido, adicionar mesma decoc(ão
a$eite sendo que meio quilo de pode ser
ser3 este o a(1car e colocar administrada a
primeiro alimento no fogo, deixando pessoas nervosas
do dia, repetido ferver por alguns e excit3veis.
por uma semana, minutos. Esperar • -REC- ! -vena
descansar  dias esfriar totalmente sativa
e fa$er e adicionar meio • >onte natural de
novamente, litro de 3lcool a vitaminas,
assim j graus e proteínas e sais
sucessivamente. colocar em uma minerais,

contendo muitas
6
temalho co$ido,
uma grande ou duasum
2omar garrafas.
c3lice calorias. 5sada
perda de sua ap"s as refei()es. em &ocos ou
ec3cia e cru em • -S%-Q6 ! farinha, adapta!
grande -sparagus se aos
quantidade ocinalis organismos
irritam os rins. • 6 aspargo deve delicados,
• -=*EC6 ! ser ingerido ao garantindo um
/hicorium natural, 73 que om
intIus quando co$ido funcionamento
pode irritar os dos intestinos
• ico em vitamina pregui(osos. 0
- e /. Cndicado rins, tornando
tamém anti! indicado contra a • 96/6=6S !
hemorr"idas, sua diarréia. 9rassica oleracea
ingestão tem a Emprega!se o • ico em vitamina
virtude de redu$ir suco das &ores /, f"sforo,
o teor de nas afec()es do pot3ssio e
gorduras e de peito. Do tronco enxofre. 0 melhor
a(1car do se extrai a seiva consumi!lo em
sangue, que é indicada saladas cruas
auxiliando nas para a laringite, para aproveitar
arterioscleroses e as aftas, t+nico todo o seu valor
no diaetes. capilar e soro nutritivo. 0 um
/ontra acido antiofídico. "timo alimento
1rico ferver um • 9-2-2- ! Solanum para dietas de
punhado de palha
de aveia triturada tuerosum emagrecimento,
• ica em 73 que produ$
em um litro de caroidratos e uma limpe$a
3gua, coar e vitaminas. 5sada geral do
eer durante o crua, tem organismo e
dia. aplica(ão para elimina gorduras.
• -YEC26N- ! 6lea comater dores • /->0 ! /oea
europaea de cae(a araica
• 5ma curiosidade Gcolocadas em • 0 contra indicado
sore a oliveira. rodelas sore a para pessoas
/onta!se que testaH e contra nervosas e
-tenas, a deusa irrita()es da pele. insones, ado(ado
grega da - atata!aroa é com mel serve de
saedoria, fe$ astante indicada remédio para a
nascer de uma para quem sofre angina do peito.
lan(a a oliveira' de doen(as 0 um excitante
os frutos dessa renais. %ara
3rvore, além de eritemas ou do sistema
nervoso, dos
alimentarem o queimaduras m1sculos,
homem, solares, se fa$ cérero,,rins e
produ$iriam um uma compressa cora(ão. 0 usado
"leo para com atata para lavar
temperar sua ralada que é ulcera()es das
comida, trocada tr#s pernas. >acilita a
fortalecer seu ve$es ao dia. 6 digestão.
corpo, curar as suco feito com • /-*6*C=- !
suas feridas e atata é *atricaria
iluminar sua excelente chamomilla
noite. remédio para • Cndicado para
• - a$eitona tem ulceras do c"licas de
grande teor de est+mago e do crian(as, feito
gordura e sais duodeno, desde ch3. 0 tamém
minerais, que tomado em calmante,
pequenas doses,
devendo sercom
consumida pois o seu uso antiespasm"dico
e sonífero,
cautela. exagerado pode devendo ser feito
• 9-N-N- ! *usa provocar o ch3 na hora de
paradisiaca sintomas de tomar.
9astante nutritiva intoxica(ão. -

3gua do • Cndicado para


e regulari$a as dores reum3ticas,
fun()es do co$imento da
atata serve para neste caso usa!se
intestino. 6 suco as &ores secas
da anana São prevenir e
comater a gota. que são co$idas
2omé é em anho!maria
particularmente no "leo' ap"s
duas horas de /omate vermes para a confec(ão
co$imento, c+a! intestinais, de xaropes para
se, e depois de infec()es e a tosse.
frio massageia!se resfriados. 6 • 5sada em casos
com esse "leo as consumo di3rio de artrite e gota,
regi)es doloridas. de ceola previne para tal, ferve!se
5sa!se o ch3 doen(as gr de
tamém para cardíacas como ped1nculos secos
comater dores tamém impede em um litro de
adominais, o 3gua, ltrar e
c"licas intestinais desenvolvimento ado(ar
com gases, das 73 existentes. levemente,
cistite, • /EN65- ! eendo um
in&ama()es
ucais, Daucus carota c3lice durante o
• %ara as vistas, 73 dia. /omo
con7untivites. que é rica em reconstituinte do
• /-NE=- ! vitamina -. -tua organismo,
/innamomum tamém como co$inha!se
$eIlanicum puricadora do cere7as frescas ou
• Em doces, não se fígado e fortica secas Gnão em
discute, é um o organismo. conservaH em
"timo tempero. • %ara casos de tanto vinho
Suas digestão difícil, quanto
propriedades usa!se ferver necess3rio para
medicinais são no uma pitada de cori!las. 9ee!se
comate a sementes de em ado(ado.
anemia, para isso cenoura em um • /ER-D- !
tomar um ch3 da c3lice de 3gua e Jordeum vulgare
casca de canela eer ap"s as • Diurética, 2onica
quatro ve$es ao refei()es. GNeste e digestiva.
dia. caso as sementes 5sada em p" é
ecomendada precisam ser um "timo
tamém para retiradas do pé, sustituto para o
catarro nos visto que as café,
r+nquios. 0 destinadas a principalmente
indicada na plantio possuem para pessoas
atonia g3strica agrot"xicos nervosas e
Gfraque$a do pre7udiciaisH. %ara insones. %ara as
estomagoH, como rouquidão, infec()es na
tintura: colocar co$inhar  gr garganta ferver
gr de casca de de cenoura, gr de cevada
canela em um esmagando e em um litro de
quarto de litro de misturando com 3gua, por 
3lcool a X graus. a 3gua do minutos. Puando
Depois de k co$imento, morno, ltrar o
horas ltrar o ado(ar com mel e liquido, ado(ar
liquido e c+a!lo
em uma garrafa, eer em
quente. com uma de
colherinha
consumindo!o em • /EE<- ! %runus mel, misturando
colheres antes cerasus em. >a$er
das refei()es. • 6utro puricador gargare7os
• /E96=- ! -llium do organismo que durante o dia.
cepa atua • %ara in&ama()es
• Deve ser sempre principalmente do intestino,
ingerida cru$, 73 nos rins e no colite, ferver em
que co$ida perde fígado. /omo ela um litro e meio
suas possui a(ucares e de 3gua por de$
propriedades. minerais, é usada minutos tr#s
punhados de • - 3gua de coco, é magnésio,
cevada lavada. reguladora do pot3ssio e c3lcio
>iltrar o liquido cora(ão. /ontém e vitaminas.
quando frio, vitaminas, sais • Na oma -ntiga,
ado(ar com mel e minerais e aconselhava!se
eer em xícaras. pot3ssio. Seus que para possuir
• /JC/6C- ! efeitos são uma sa1de
/hicorium notados na pele e inve73vel, a
intIus a ingestão di3ria simples ingestão
• Deve!se usa!la elimina c3lculos de muita couve
somente em renais e era suciente.
sucos e saladas. normali$a o • 6 suco de couve,
/omo a cenoura, funcionamento ado(ado com
é indicada para dos rins. mel, eido
prolemas /omate ainda a diariamente
oculares. -tua icterícia, durante tr#s
tamém na irrita()es meses, antes do
circula(ão. - gastrintestinais, almo(o, é eca$
ingestão de tr#s doen(as do peito, para comater a
copos de suco de in&ama()es dos gota G3cido
chic"ria durante olhos, v+mitos na 1ricoH, a
o dia, evita gravide$, e ainda ronquite e a m3
muitos males da atua na circula(ão. 6
circula(ão. -qui elimina(ão de mesmo suco,
tamém vermes sem ser ado(ado,
podemos usar o intestinais. em aplica()es
pão de centeio. • /6EN26 ! t"picas cura
5m "timo /oriandrum ulcera()es,
alimento para sativum misturado com
normali$ar a • Cndicado como 3gua morna é
circula(ão é uma calmante. 6 ch3 recomendado
salada de de coentro deve contra c"licas de
chic"ria com pão ser feito com crian(as. 6
de centeio. toda a planta, consumo da
• /omo diurético, folhas, talos e couve ainda
pode ser usada rai$, depois de depura o sangue,
em infusão: em em lavados. atua contra a
uma xícara de • /omo hipertensão e é
3gua fervente estimulante do uma defesa para
colocar gr de est+mago e o organismo
rai$ de chic"ria. fígado verter uma contra o c8ncer.
/oar e eer xícara de 3gua • Em casos de
durante o dia. fervente em gr 1lceras varicosas
• /J5/J5 ! de frutos de fa$er uma
Sechium edule coentro secos, compressa:
• Cndicado para ltrar, ado(ar e depois de
comate a
hipertensão. tomar ap"s as
refei()es. eliminar mais
nervura a
Cngerir o chuchu • /65RE ! 9rassica grossa de uma
como parte oleracea folha de couve,
importante da • Jortali(a que lava!la muito
refei(ão e tomar contem enxofre e em em 3gua
o ch3 acredita!se que corrente e coloca!
diariamente, cura até as la em uma
regulari$a a doen(as ocultas. solu(ão de acido
pressão alta. -lem do enxofre "rico
• /6/6 ! /ocos contem iodo, Gencontrado em
nucifera ars#nico, farm3ciasH
deixando • -tua ainda, como gr de leite por
macerar por tr#s estimulante da uns quin$e
horas. -plicar a digestão e do minutos. Depois
folha, estendida aparelho urin3rio. de ado(ar com
numa ga$e, sore No uso geral o uma colherada de
a ferida limpa e ch3 de erva!doce mel, ltrar o leite
enfaixar. enovar é feito em um e ee!lo em
a noite e pela litro de 3gua quente.
manhã. fervente com • /ontra afec()es
• 5lceras internas gr de na oca e
no estomago ou sementes. /oar, garganta, ferver
duodeno, podem ado(ar pouco e em uma xícara de
ser controladas e tomar de quatro leite dois gos
até curadas com a cinco xícaras frescos, cortados
a ingestão do por dia. em peda(os e
suco de couve • ES%CN->E ! uma colherinha
feito com gr Spinacia oleracea de mel por quin$e
dos ordos e dos • iquíssimo em minutos. Depois
talos da couve vitaminas -, 9, / de ltrado e
espremidos. 6 e J, contendo morno, usar o
liquido dever3 ser ainda pot3ssio, leite para
ingerido em s"dio, c3lcio, gargare7os e
7e7um, todos os magnésio e ferro. ochechos.
dias, em • 0 indicado para • QENQC9E !
pequenos goles. pessoas com Yingier
• ER-!D6/E ! tend#ncia a ocinalis
>oeniculum hemorragias, • 5ma rai$ com
vulgare diaéticos, altos poderes
• /ontem pot3ssio, nervosos, medicinais.
s"dio e ferro. 6 /omate as
ch3 das portadores de
vermes n3useas,
sementes é um intestinais e provocando o
regulador doen(as da vista, aumento de
intestinal e o espinafre deve saliva(ão, pode
calmante para o ser comido cru, ser mastigado
estomago. em saladas ou para prevenir
Desostrui os eido em forma en7+os em
r+nquios,,oxigen de suco. viagens
ando melhor os • >CQ6 ! >ícus marítimas. -ge
pulm)es. carica muito em na
-credita!se que • 0 um laxativo garganta, sendo
mulheres que natural, comate seu ch3 indicado
amamentam a prisão de a todas as
devem tomar ch3 ventre e sustitui pessoas que
de erva!doce muito em os utili$am astante
para os efeitos purgativos a vo$ como
calmantes
passarem através destinados
crian(as. as oradores,
cantores, etc.
do leite para a • 2em efeitos • /omate a
crian(a. %ara os enécos em &atul#ncia,
idosos, esse casos de astando para
mesmo ch3 ronquite, gripe, isso apenas usa!
normali$a a resfriado e tosse, lo como tempero
circula(ão do para esses casos, nas refei()es.
sangue e cortar em 2em tamém
comate a peda(os gr de uma aplica(ão
depressão. gos secos, em casos de
fervendo em reumatismo,
prolemas em uma xícara de frio, coar o
pulmonares e 3gua quente, liquido e eer.
circula(ão ltrar e eer o • =EN2C=J- !
sanguínea, liquido. GEm Ervum lens
usando!se o ch3. casos de ins+nia, • ica em
• Q6C-9- ! %sidium tomar antes de proteínas. -lém
gua7ava deitarH. de ser
• >amosa contra • CNJ-*E ! considerado um
diarréias. - fruta /olocasia alimento que
em casos amenos antiquorum atrai a
e as folhas em • 6 inhame cru é prosperidade, é
casos mais um poderoso indicada para as
extremos. 5sa!se antian#mico e mães no período
o ch3 das folhas mesmo co$ido de
até cessar o conserva muito amamenta(ão. 0
dist1rio. 6s de seu poder tamém
frutos são curativo. 0 um aconselhado seu
enécos em grande depurador consumo para
casos de doen(as do sangue, deve pessoas
das vias ser ingerido pelas an#micas.
respirat"rias, pessoas que • =C*6 ! /itrus
como tosse e sofrem processos limonum
ronquite. in&amat"rios de • >ruta medicinal
• J62E= ! qualquer espécie por excel#ncia.
*entha piperita e todas aquelas -tende as
• - hortelã!miuda, que precisam necessidades de
é empregada eneciar o vitamina / como
como tempero e sangue. tamém atua
age como • =--N<- ! /itrus sore o acido
aurantium
calmante
usada em quando
ch3. - • Esta fruta 1rico, doen(as
vesícula iliar, da
hortelã!pimenta, comate a oca, da
estimula a pele e tend#ncia as garganta, do
os terminais hemorragias e a est+mago, da
nervosos gripe, fere e vista, dos nervos,
sensíveis ao frio. in&ama()es nas dos r+nquios, do
%ara aquecer veias. pulmão. /omate
amientes muito • %ara comater ainda a
frios, coloca!se excita(ão esterilidade, o
uma acia com nervosa, verter alcoolismo, a
3gua e folhas de uma xícara de inapet#ncia e o
hortelã. 3gua fervente em mau h3lito. 6s
• /omo digestivo, gr de folhas de usos mais
fa$!se uma laran7eira, ltrar, freqentes são
infusão com g ado(ar com mel e como ch3 da
de 3gua quente eer. fruta. 5ma
73 ado(ada,
coloca!se g de

/ontra
colocar fere,
uma limonada
manhã, pela
folhas frescas ou laran7a madura, diariamente,
secas de hortelã, cortada , com a previne doen(as.
ltrar e eer em casca e em 6 suco misturado
seguida em peda(os, em gr com 3gua morna
devagar. de 3gua fervente pode ser ingerido
• %ara excita(ão ado(ada com nos dias mais
nervosa e ins+nia duas colheradas frios para evitar
colocar uma de a(1car. Depois prolemas com a
pitada de folhas de totalmente temperatura. 6
frescas de hortelã suco misturado a
3gua quente usa! é um excelente indicado para
se para colírio. dist1rios
gargare7os • *-_ ! %Irus digestivos e
enécos para malus prisão de ventre:
afec()es na oca • Digestiva e • /olocar uma
e garganta. exerce um colher de a(1car
• /ontra o acido controle sore a e um peda(o de
1rico e gota, &ora intestinal. casca de limão
eer em 7e7um ecomendada em um c3lice e
pela manhã o contra feres e meio de vinho,
suco de tr#s in&ama()es, e nele co$inhando
lim)es diluído em dietas curtas nos uma ma(ã
meio c3lice de casos de mondada e
3gua pelo menos diarréias. descascada.
por de$ dias. • /ontra feres, m3 %assar tudo pela
Cnterromper o digestão e prisão peneira e eer
tratamento por de ventre, pode! esse vinho logo
sete dias e depois se confeccionar a ap"s as refei()es.
repeti!lo por mais -Q5- DE *-_S: • *E=-N/C- !
de$ dias e assim • *isturar uma /uc1rita
por diante. Esse ma(ã grande, citrullus
mesmo descascada, • Diurética e
tratamento serve mondada Glivre nutritiva.
tamém para os de partes in1teis, Cndicada para
casos de sementes, cao e doen(as nos rins,
arteriosclerose e muito em purica o fígado,
hipertensão. lavadaH e cortada comate
• /om o suco de em fatias em resfriado e
um limão, se nas, com gr ronquites.Seu
confecciona um consumo é
am3lgama de folhasGmelissa,
cidreira de erva altamente
simples contra os a de folhas não a indicado em
resfriados, asta de capimH, suco casos de
misturar o suco de meio limão e ostru(ão renal
com uma clara de um peda(o de pois seu suco
ovo e ater com canela. promove a r3pida
um garfo por de$ -crescentar duas elimina(ão do
minutos e tomar colheres de mel e 3cido 1rico. Em
uma colher da meio litro de estado natural
mistura de meia 3gua fervente, auxilia no
em meia hora. deixando tratamento de
• =6SN- ! repousar por de$ artrite,
-rtemísia minutos. %assar o reumatismo,
asinthium preparado por acide$ g3strica,
• 0 aconselhado o uma peneira, dispepsia,
ch3 nos eendo o liquido afec()es dos rins
prolemas
fígado e de no nal das
refei()es. No • e da exiga.!
*6-NQ6
intestinos, assim caso de feres e >ragaria vesca
como nos casos in&ama()es • *ais rico em
de urina solta. intestinais, vitamina / do
Em diarréias consumir a 3gua que a laran7a ou
pode!se ferve!la no decorrer do limão, portanto
em vinho e eer dia. astante indicado
o ch3 ou usa!lo • %ode!se ainda para preven(ão
em compressas confeccionar o de gripes e
sore o ventre. RCNJ6 DE resfriados.
Esse mesmo ch3 *-_S, que é
• /o$ido não tem tonica o fígado e • >avorece os
nenhum valor e os rins. "rgãos
cru atua na • %E- ! %Irus digestivos,
purica(ão do communis intestinais, renais
organismo e • 5m fruto leve, e urin3rios.
comate pode ser ingerido 5sado como
reumatismos. 6 sem restri()es. auxiliar no
consumo de Sua atua(ão é tratamento da
morangos facilita marcante nos rins ronquite e
a digestão, por ser um fortalece os ossos
estimula as diurético pelo seu
fun()es excelente. conte1do de
hep3ticas e o • Seu consumo é c3lcio.
apetite' indicado para •
-9-NE2E !
comatem a gota pessoas aphanus sativus
e o reumatismo portadoras dos • Estimula a
articular. 5ma incha(os digestão, purica
dieta 3 ase de edematosos o sangue, tonica
morangos tra$ característicos os nervos,
in1meros dos doentes do atuando
enefícios a aparelho principalmente
quem sofre de circulat"rio e dos sore o aparelho
hemorr"idas, rins, elimina renal.
pertura()es esses incha(os. • E%6=J6 !
circulat"rias, /ruas ou 9rassica oleracea
afec()es renais. co$idas,e capitata
• N-96 ! 9rassica algumas ve$es • Cndicado para
napius cominadas com pessoas
• 6 nao é pão integral e enfraquecidas,
indicado para iogurte, são
comater a gripe indicadas nos an#micas,
portadoras de
e doen(as dos regimes contra c8ncer ou
r+nquios. 6 ch3 oesidade. tuerculose. 6
de suas folhas e • %C*EN26 ! seu teor de ferro,
até da rai$ /apsicum reconstitui o
fortalecem os annuum sangue e sendo
ossos, agindo • 5m alimento que um "timo
tamém como não produ$ queimador de
diurético. calorias. 6 gorduras é
• %E%CN6 ! /ucumis consumo é aconselhado para
sativus indicado para dietas de
• 6 pepino, para fortalecimento da emagrecimento.
não se tornar pele, das unhas e • S-95Q5EC6 !
indigesto, não do caelo. Sua Samucus nigra
deve ser ingestão tamém • 6 ch3, eido
descascado. - é enéca para a como 3gua é
casca
facilitaéaque desinfec(ão
mucosa ucal dae eca$ nos casos
de sarampo. %ara
digestão. - g3strica, o diaetes é
ingestão di3ria destruindo os indicado um
fortica as unhas germes tratamento de no
e o caelo, intestinais sem mínimo tr#s
atuando como pre7udicar a &ora meses, onde se
adstringente para acteriana toma diariamente
a pele. Neutrali$a normal. o ch3 das folhas.
a acide$ • P5C-96 ! • /omo depurativo
estomacal, Jiiscus e contra
esculentus intoxica()es do
fígado, ferver refrescam os limpe$a
sete gramas de intestinos, GactericidaH
folhas frescas de relaxam os /anela V limpe$a,
saugueiro nervos e for(a e
trituradas em tonicam o prosperidade
meio litro de cora(ão. /ravo da ndia V
3gua durante de$ estimulante
minutos, eer  /ri$8ntemo
meia xícara do  ranco V
liquido ltrado e  calmante
ado(ado com  /rista!de!Qalo
mel, pela manhã  GsementesH V
em 7e7um. calmante

S-=S- ! ela(ão de ervas e GhipertensãoH
/ontas de
%etroselinun plantas e suas
sativum propriedades: os3rio V
• /omate gases concentra(ão
intestinais, • -rnica V afasta a /enoura GfolhasH
estimula o negatividade V fraque$a
apetite, facilita a -re /aminho V Dente!de!=eão V
digestão e limpa novas for(as triste$a e anti!
os r+nquios. 5m -(1car V t"xico
ch3 de folhas de aceita(ão Erva doce V oas
salsa é um -lho GpalhaH V energias
poderoso prote(ão Espada de São
diurético, -lecrim V clare$a <orge V prote(ão
aconselhado em mental >olha de %inheiro
casos de gota. -lfa$ema V 2em V limpe$a
• - salsa atua efeito >olhas de
tamém como antidepressivo, %#ssego V
auxiliar na cura anti!séptico dissolve
de afec()es calmante e densidades
hep3ticas e relaxante. -7uda acumuladas
hipertensão. a limpar o astral >olhas de =imão V
• - infusão da e tra$ corta energias
salsa é feita tranqilidade. negativas
deixando por de$ -lpiste V >olhas de *anga
minutos gr de prosperidade V prosperidade
sementes de -rruda V >olhas de =ouro V
salsa Gnovamente prote(ão, liera prosperidade
não usar as inve7a, mau! >umo V prote(ão
destinadas a olhado e >lor de
plantio, e sim as negatividade. saugueiro V
retiradas da -nis Estrelado V calmante
plantaH em g aumenta a auto! Quiné V prote(ão
de 3gua fervente, estima e for(a, deve!se
usar poucas
ltrar
eendoo liquido,
metade Ugua!de!arro$ V
calmante folhas na mistura
em seguida' o Ugua!marinha Qirassol
restante tr#s GplantaH V limpe$a GsementesH V
horas depois. -lfa$ema V acelera as
mudan(a mudan(as

9ulo de Quaran3 V
• 5R- ! Ritis aumenta as
vinifera ceolinha V tira o
cansa(o energias
• -s folhas da Jortelã V
parreira são /omigo!ninguém!
pode V defesa aceita(ão. 0
indicadas para se adstringente,
fa$er ch3s que /amomila V
analgésico,
antidepressivo e S3lvia V Elas são catalogadas,
anti!séptico. re7uvenescimento conforme a fase lunar
%urica, protege, da colheita:
atrai amor e QQ ".4A8 $+8%0%4A8 U deverão
sa1de. 8A9.AA8 RR ser colhidas na fase
S"ró euNT lunar /rescente ou
• *entali$a(ão: /heia'
imagine que voc# Er" euW Gsegredo das >"9A0%4A8 U
est3 emaixo de folhasH ou ervas, são deverão ser colhidas
uma cachoeira ou indispens3veis no na fase lunar
num rio cristalino. conte1do nas *inguante'
%ense que a 3gua 6riga()es >"30.A8 U deverão
est3 levando ritualísticas;aos ser colhidas na fase
emora tudo o Lr\s4s. lunar Nova.
que o impede de - teoria da
prosseguir na correspond#ncia Entretanto a sua
vida com calma e mística mostra!nos polari$a(ão nal vai
alegria. que cada planta sempre depender das
representa um Lr\s4, seguintes condi()es
• Cnhame V for(a e como v3rias delas explícitas: Rira(ão
limpe$a representam v3rios de quem vai us3!las; V
=evante V for(a, Lr\s4s. Rira(ão das demais
melhorar a auto! Na vida ou exist#ncia ervas utili$adas; V
estima das plantas entram Rira(ão da inten(ão
=osna V corta a fatores diversos a com que serão
negatividade mant#!las e, por est3 usadas;.
GraivasH ra$ão, elas crescem e $+8%0%4A8 U São
*acela V se desenvolvem so a ervas que, quando
calmante Gom égide da prote(ão usadas, s" positivam,
para ins+niaH divina' receendo os não podendo ser
*alva V &uídos positivos e intrinsecamente
/almante, evoca enfa$e7os que usadas para outro tipo
prote(ão e emanam de 6l"Trun; de traalho.
equilira as GDeusH, as ervas >"9A0%4A8 U São
emo()es. GfolhasH arma$enam ervas usadas
*an7ericão V sust8ncias explicitamente para
equilírio, renova relacionadas com cada traalhos negativos.
as células do Lr\s4, e essas >"30.A8 U São
organismo sust8ncias se todas as ervas que
*il!em!ramas V denominam &uídos da servem para, material
tem efeito t+nico, energia astral. ou espiritualmente,
revitali$ante, /omo tamém posso neutrali$ar o efeito de
digestivo. /omo citar o conceito dado outras ervas, o efeito
uma espon7a, por um amigo de S. de doen(as, assim
asorve as %aulo, referente as como, o efeito de
energias ervas G%ai %aulo de vira()es negativas
ang+H e que gostei eFou positivas.
negativas.
%itanga GfolhasH V muito, conforme a sua -ssim, as ervas,
melhora a descri(ão: devem ser usadas de
circula(ão -s ervas de Lr\s4s se tr#s formas diferentes:
osas rancas V dividem em  partes %ara efeitos
limpe$a primordiais, a saer: medicinal;! %ara
osas vermelhas efeito lit1rgico;! %ara
V energia $+8%0%4A8D efeito ritualístico;.
Sementes de >"9A0%4A8 e Este é conceito de
tangerina V para >"30.A8E %aulo de ang+!
dores na coluna S.%aulo;.
UUUUUUUUUUUUU
UUUUUUUUUUUUU
UUUUUUUUUUUUU STng". SaBpata
UUUUUUUUUUUUU -levante  Erva GvelhosH.
UUUUUUUUUUUUU ultraprivilegiada Cnclusive na
UUUUUUUUUUU , entra =inhagem de
origatoriament 6I" se utili$a de
"5")$(+ " ".4A8 e em qualquer cama, tanto
8A9.AA8 ritual de feitura para LTs44l4
e em outras como tamém
• -lecrim  origa()es para para Kara
%ertencem 4 qualquer Lr\s4. -7elu.
LTs44l4 e nas %ertencem 4 *usgo de
origa()es de LTs44l4 e pedreira  0 de
caoclo a STng". STng" 6godT
Ls"Tsi Jortelã
principalerva
0a  Lr\s4 da
7usti(a.
• 9oldo  2apete de Ls"nI\n e Erva!de!ugre 
com essa erva 2em a mesma
ou -l3 de Ele;reali$a um aplica(ão da
LTs44l4. er";. 2amém aroeira;, nos
pertencem 4 traalhos de
• -lgodão  STng" e limpe$as
>olhas LTs44l4. pessoais e
pertencem ao Qirassol  casas, não se
LTs44l4, em %lanta pode usar em
como, as extraordin3ria, lhos de STng"
cachopas de propriedades e nem de
algodão m3gicas sua &or LTs44l4. Est3
aplicado em sua no  Zse de erva pertence 4
origa(ão, 91$ios; na Lg1n, não se
principalmente =inhagem de admite faltar
no seu
assentamento. 6I" de %elotas, nas origa()es
quando da de cae(a aos
Saião  >olha apresenta(ão, lhos deste
da /osta  entrega do Zse, Lr\s4 e anhos
%ertencem a o mesmo, vai de descarrego.
Ls1n e ao dentro da &or do 5sa!se tamém
LTs44l4. girassol e a em molhos
Cnsenso  ande7a toda dependurado
>olhas, forrada com em casa, lado
pertencem aos algodão e com externo, contra
Cei7es e ao as guias coisas
LTs44l4. correspondente negativas,
/ardomomo  ao Zse , no trocando
/ol+nia  0 Kori de quando seca.
indispens3vel qualquer Lr\s4, Não se queima
em qualquer anhos e suas essa erva
origa(ão de sementes como -roeira 
cae(a;,
qual for ose7a
Lr\s4, defuma(ão para %ertence 4
prosperidade. 0 Lg1n, se utili$a
é de LTs44l4. de Lrunm\l4 F em limpe$as
*an7ericão  Of3 F LTs44l4. pessoais Gmenos
*i1do, ranco, 9ara!de!pau  em lhos de
pertence 4 0 um musgo de STng" e
LTs44l4. 3rvore, não se LTs44l4H e
*an7ericão  dispensa em domiciliares, se
oxo  qualquer tipo de usando os
%ertencem 4 origa(ão. 0 de galhos. 6 fruto é
apanã, LTs44l4 velho, um er"
SaBpata e a apanã, GsegredoH
pertence ao assentamento, %ertence 4 63.
Kara Elég3. Kori. E de Salsa 
*argarida  6l"TBum. %ertencem 4
%ertence 4 >igueira do 6Ia, 63 e
Ls1n, se usa na mato  Nanã.
feitura de Kori. %ertence 4 %itangueira 
Erva!/idreira  Ls"nI\n e %ertencem 4
%ertence 4 SaBpata F 6Ia, 6de F Ltin.
Ls1n, se usa na apanã. /atinga de
feitura de Kori. /ipreste  mulata 
-lfavaca  %ertence 4 %ertencem 4
%ertence 4 Nanã. 2em sua 6de F Ltin.
LTs44l4 e aplica(ão nos Puera!pedra 
STng".
>umo  0 Kori
de Ls1ndosvelhas'
lhos %ertence
STng"s e 4
denominada que atualmente -gon71.
folha Santa, assume a %ata!de!vaca 
pelo fato de ter maternidade %ertencem 4
v3rias dos lhos de 6Ia e a Lg1n.
aplica()es. 5sa! Nanã na *angerona 
se em =inhagem NagT, %ertence 4 Ls1n
defuma(ão, No NagT!Rodun, e Cei7e.
anhos de é feito aos lhos *oganga 
descarrego. de Nanã. %ertence 4
%ertence 4 Erva!de! Ls"nI\n e 6Ia.
Ls"nI\n G como passarinho  >ortuna 
roupa, vulto ou %ertence 4 6de F %ertencem a
no seu Ltin. todos os Lr\s4s.
assentamento Erva!prata  >eitura de
quando for 6t3H %ertence 4 6Ia.. Kori.
e de apanã. /arque7a  -lfa$ema 
Erva!de!Santa %ertence 4 Nanã %ertence 4
=u$ia  e a 6Ia, como Ls1n.
%ertence a tamém 4 /afé  %ertence
Oemon7a e apanã. 4 apanã F
LTs44l4. Não se *anga GfolhasH SaBpata.
dispensa nos  %ertence 4 Qervão 
anhos e Kori 63 e para %ertence Kara
e 4se de 1$ios. alguns Lg1ns. e apanã F
Eucalipto  6rT  %lanta de SaBpata.
%ertence 4 srcem da >uncho 
STng" e -gon71. Quiné, a qual, %ertencem 4
- variedade oteve o nome Ls1n e no
f#mea aplica!se aqui no S. de assentamento
em anhos para 6ro;, entra em de Kara -7elu.
eliminar maus todas as %icão 
&uídos. - origa()es de %ertence 4
variedade feitura e nos apanã F
cheirosa é anhos para SaBpata.
aplicada nos prosperidade. Erva!de!icho 
Kori desses 2revo!de!quatro %ertence 4
Lr\s4s. folhas  0 de apanã F
*usgo marinho todos os STng"s SaBpata.
 %ertence 4 e -gon71. Quanxuma 
Oemon73, aplica! -"ora GfolhasH %ertence 4
se em anhos.  %ertencem 4 apanã F
-lgas marinho  6Ia e 63. Na SaBpata.
%ertence 4 feitura de Kori. -acateiro 
Oemon73, /ana!do!re7o  %ertence 4
Ls"nI\n.
-lface  comate ao reumatismo. 0 descarrego
vigoroso antiferil,
ou limpe$a.
de
%ertence 4 6de.
senhoras, em anhos de assento.
ec3cia no comate 4 sí
E Oemon73.
/ip" ouro  das doen(as de pele, e ai
%ertence 4 Ls1n • "rva-de-8!o-'o!o: 5tili$ada nas origa()es de ca
$au-de-colher
descarrego. - medicina caseira,
• – (eitei
indica!a como t+
".4A8 + +.%5A 5A>9V
disenterias. -plicam!se no tratamento
outras espécies
do reumatismo.
dos mes5
• Alevante – (evante pode perfeitamente ser u
• "rva-grossa – Fumo-bravo
anhos de limpe$a de lhos de santo. Não possui uso na medicina popular.
$au-pereira
particularmente nos eori e como
• : Não
axé do orix3. - émedici
apli
• Al&avaca-ro/a: Empregada em emtodas
co$imento, como antiferi
as origa()es l,descarrego
de cae(aas mesmas
e nos ou
em
a+ limpe$a.
cataplas
dos 6
folhas agem como t+nico comatendo
falta deoapetite.
catarro
lhos deste orix3. *uito usada em anhos de limpe$a ou descarrego. - medicina 0dos
fortic
r+n
caseira usa seu ch3 em co$imento, para emagrecer. de afrodisíaco.
•)imo-de-v*nus – Amor-agarradinho

anhos
)il-homens: 2em grande aplica(ão de purica(ão
na magia de amor, em •$essegueiro
dosanhos
lhos de 6I3.: 0*uito
de mistura utili$ado
com us
manac3 Gfolhas e &oresH, para propiciar liga()es amorosas , aproximando os sexo e
circundando um prato e metadepropicia
para dentro
melhores
do prato
condi(
masculino. - medicina caseira erva comcomo
aplica!o mel de aelhas ecomatendo
estomacal, arrie
povo
emauma
indica
moita
em de
co$ime
a dispepsia. 
-s gestantes não a devem usar.medicina caseira. no caso de con7untivite.

• Aperta-ru!o: 6s aalorix3s a)orangueiro



utili$am nas: origa()es $i/irica
-plica(ão restrita,
de cae(a'

no– se
73 que 0api/irica
torna
caso dosdifíci
: -
lugar. 62em
lhos do trovão é usada a nega!mina. povo a indica
grande como remédio
prestígio napovo adiurético,
medicinaindica nas
pondo
popular palp
usada para curar disenterias feminino
e taméme nas
recuperar
doen(as d
como adstringente. -s senhoras a empregam
vitamina em anhos
/ no organismo. semic1pios, de assento,
e em lavagens vaginais para dar m 4 leucorréia.
.om!: 5sada em anh


)ulungu: Empregada em origa()es
Azedinha – 0revo-azedo – 0r*s-coraç?es
• empregade as
cae(a,
cascasemdos
a
a+. 6 povo indica como pacicador
co$imento
dos nervos,
em
cora()es, sem fun(ão ritualística. 0 empregada na medicina popular como gargare7os
propic
a(ão eca$
comatente da disenteria, eliminador no tratamento
de gases e ferífugo.do fígado, das hepatites e os
• 8ensitiva – ormideira

)usgo-da-pedreira
Ca&erana-Alum!: São utili$adas

nas aplica()es de :cae(a e di$
nospossui extraordin3rios
a+. 5sado na
medicina popular como: laxante, fa$endo uma limpe$a geral no est+mago ea plan
pessoais, que são feitas ap"s co$imento
o anho. de
- defuma(ão
toda
intestinos, sem causar danos' paciente
é "timado em.
comatente de feres palustres ou
0aioba: Sem aplica(ão

intermitentes' poderoso vermífugo e energético t+nico.


• >ega-mina: Cnteiramente aplicada
co$inhanas origa()es
sagrada de ad
• Cavalinha – )ilho-de-cobradescarrego ou limpe$a e nos a+. conhecido
6 povocomo
a aplica
caruruH
como
como axé nos assentamentos dos dois orix3s. Não possui uso na medicina popular. a
fígado, das c"licas hep3ticas e das
tem nevralgias.
a complement3!lo
emoliente' a rai$ é pod
• "ritrina – )ulungu: • >oz-moscada: Seu uso ritualístico se limita a utili$a(ã
destr"i as carnes podres,
amiente,
de limpe$a dos lhos de ang+. exerce
Na medicina atividade
caseira para melhoria
é aplicada das condi()
como "timo
usado como defumador. Este
pacicador do sistema nervoso e, tamém, contra a ronquite. 0a6uaruçu
p",
• usado nos–ra(os
Bambu-a
e
&uidos enécos. Não possui uso
servem
na medicina
para reali$ar
popular.
sac
• "rva-das-lavadeiras – mel!o-de-8!o-Caetano para enfeitar o local ond
• $anacia
origa()es do ritual. 6 uso popular – Azougue-de-pobre
o indica como sendo de grande ec3cia no
popular. defuma()es pessoais. %ara quemedicina
se fa(a acaseira
defuma(ão,
indica
folhas depois de secas. Csso leva
principalmente
um certo tempo,
coceira
devid
na
• 0iririca : Sem aplica(ão ritualística, a não ser as atatas arom3ticas, essas
h3 na aosa. - defuma(ão é feita ap"s o anho de de
atatinhas que o povo apelidoucaseira
de dand3!da!costa, levadas
sua gosma é de grande• Cord!o
ao defogo
calor do
ec3cia nos
Frade
e : 0 apl
ascessos o
depois redu$idas a p" que, misturado com outros, ou mesmolhos
outras aplica()es. so$inho,
deste
funciona
orix3. 6 pov
como p" de dan(a. %ara desocupa(ão de casas. /olocados em dosaixo
nervos.
da 2amém
língua, com
Araticum-de-areia
afasta eguns e desodori$a o h3lito.
• Não possui uso na– medicina
)alol7 popular.

descarrego, em mistura de outra Cebola
erva. -do mato: Sem
medicina u
caseir
• 3mbaúba: Somente é usada nos eori a espécie prateada. -sde
outras
suas
para resolver tumores e o co$imento
espécies
folhas
das
são a
apressa
folhas no trata
usadas nos sacudimentos domiciliares ou de traalho. 6 povo a prestigia como
Arrebenta
excelente diurético. 0 aconselhado
• cavalo
não usar constantemente • Celid7nia
: No uso ritualístico
esta esta
erva, maior
erva
pois é: Não
o usoemprp
constante acelera as contra()espesco(o para aixo, em hora como
do cora(ão. excelente
aerta. 0 tamémmedicam
usad
da planta
simpatia. Não é usada na medicina para anh3!lo
caseira.
• 3rucu: Desta planta somente são utili$adas as sementes,rostoque socadas
e dar e
m 4s manch
misturadas com um pouquinho Assa-pei/e
• de 3gua e p": 5sada em anhos
de pema ranca, de limpe$a
resulta numae nos eori.
pasta
que se utili$a para pintar a Oa+.
aplicada
6 povonas
indica
afec()es
as sementes• Coentro
do aparelho
verdes : *uito
respirat"rio aplicad
para os males
em forma
do cora(ão e para deelar hemorragias. principalmente na carne
•)usgo: -plicada em todas as origa()es
- medicinadecaseira
cae(aindic
ref
".4A8 + +.%5A +BA(3AW"medicina caseira aconselha a aplica(ão
eliminadora
do suco
de gases
no cointe
t"picoH.
• Agoniada: >a$ parte de todas as origa()es do deus das endemia

e epidemias.
Cotieira: Não saemos
5tili$ada no eori, nas lavagensBeldroega

de contas: e5sada
na inicia(ão.
nas purica()es
Estamedicina
ervadas
purica
caseira
pedras
os de
ela orix
ée
lhos!de!santo, deixando!os livres
Exu.de &uidosusa
6 povo negativos. Na socadas
suas folhas medicina popular,
para purgar
para a
eapressar
puricarafe
mesma é usada para corrigir o &uxo menstrual
colocando!as pore cima.
comate asma.
•"rva-)oura: Esta erva f
• Alamanda: Não é utili$ada emCanena

origa()es, sendo empregada somente
Coirana: Regetal de excelente
orix3. em
usoanhos
Seuaplica(ão lit1rgi
popular é
de descarrego. Na medicina caseira ela é usada
origa()es. para
6 povo tratar
a tem doen(as
como duas ada
excelentepele:
tr#s sarna
estimulante
ve$es ao dia.d
GcoceirasH, ec$ema e fur1nculos. %ara usar é necess3rio que seem
co$inhe as quantidade
grande folhas, e
Capi/ingui: Empregada em todas
coloque ch3 de folhas sore a doen(a.
• as origa()es de ca
curam 1lceras e feridas.
de purica(ão e limpe$a e, tamém nos sacudiment
• Al&avaca-ro/a: Empregada emcapixingui
todas as tem
origa()es de cae(a
ons efeitos •
e nos a+
no"stora6ue
reumatismo edos
Brasileiro :
no artriti
lhos deste orix3. *uito usada povo
em anhos de limpe$a ou descarrego.
arma que o capixingui com - medicina
tem en7oim,
ons efeitos
é usado
no ree
caseira usa seu ch3 em co$imento, para emagrecer.
Greumatismo articularH utili$adoarrancar
em anhos,
males.
mais
6 povo
ou mea
nas 7untas doloridas. ou ulcera()es, colocando
• Al&azema : Empregada em todas as origa()es de cae(a. 0 aplicada nas
defuma()es de limpe$a, usadaCipó-chumbo

tamém na magia
: Semamorosa em forma
Figo
uso na liturgia,

de perfume.
Benjamim
porém muito
: Erva
presti
m
- medicina popular dita grandes elogios a esta erva, pois ela é excelente
como xarope deela tosses e ronquites' excitante
prepara(ãoseu
do fetiche
ch3 é mde
e antiespasm"dica. 0 usada, tamém,
diarréiascomo reguladora da
sanguinolentas e menstrua(ão.
4 aicterícia' Somente
padecimentos
seco ederedu$i
pess
é aplicada como ch3. reeldes. aplica o co$imento das f
reumatismo.
• Babosa: *uito usada em rituais de 5manda,
Carobinha
• do Campomais especicamente em
• <ortel! brava: Empregada em usando!se o ch3.
origa()es de0 ori,
indicada tamém
nos a+ no anhos
e nos tratamento
de da
ec$emas
purica(ão dos lhos deste orix3. e ainda
6 uso deela
caseiro é o 4elame
reumatismo,
utili$ada verdadeiro
para quando
comaterusada
o : %o
es
veneno de coras, lacraias e escorpi)es. 0 eca$ contra gasesnos a+. 5sada
intestinais, dores tamé
de
• $ic!o da praia : -penas na 9ahia ouvimos falar qu
superior a acertado
todos os de
cae(a e como diurético. 0 perfeita curadora de coceiras reeldes e tiro
6aluai#. Não conhecemos seudoen(as
uso ritualístico.
da pele. - medi
nos catarros pulmonares, asma e tosse nervosa, reelde.
prestígio como diurético e eca$ nos males da exiga. 5
• 9uararema: Em terreiros de 5manda e /andomlé ela é aplicada ".4A8 + em+.%5A
anhos+5+8
• $iteira imperial: Seu uso se limita 4s defuma()es pess
fortes e nos descarrego. 6s galhos da erva são usados em sacudimentos
Ac#cia-jurema
anho. - medicina popular utili$a
• : 5sada
as folhas verdes,
domiciliares. 6s anhos fortes aferidas
que nos referimos
reeldes, são aplicados
aproximando a6x"ssi.
em ou
cura encru$ilhadas
0 cicatri$a(ão.
tamém utili$
V na encru$ilhada em que se tomar o anho arria!se um mi!ami!ami, oferecido a
anhos ou compressas so
Exu. E deve ser feito em uma 1uitoco

encru$ilhada tranqila.
: 5sada 0 umdeanho
em anhos de efeitos
descarrego ou limpe$a.
surpreendentes. Na medicina caseira esta erva é utili$ada para exterminar
Alecrimtumores
de Caboclo : E
esta erva resolve males do est+mago,

e asces
ascessos, tumores, socando!se em as folhas e colocando!as 6x"ssi. Nãosore
possui auso na
o ch3, nos tumores aplica!se as folhas socadas. *uito
tumori$a(ão. 6 co$imento das folhas é eca$ no tratamento do reumatismo. Em
senhoras.
Al&avaca-do-campo: E
anhos quentes e demorados, de igual sorte tamém cura hemorr"idas.


descarrego
8abugueiro: Não possui uso ritua lístico. e0 nos a+ dos
decisiva n
• 'enipapo: -s folhas serve m para anhos de descarrego e limpe$a.
esta - medicina
planta para com
eruptivas: sarampo, catapora e escarlatina. 6 co$imen
caseira aplica o co$imento das cascas no tratamento das 1lceras, o caldo dos
para a rota(ão do sarampo. principalmente as tosses
frutos é comatente de hidropsia. eca$ contra a coqueluch
• 8umar: Não tem aplica(ão ritualística ou origa()e

'urubeba: Somente usada em grande
origa()es
prestígio
com o7etivo
popular, Al&azema-de-caboclo
de descarrego
devido

ao e seu
limpe$a.
valor cu:
Suas folhas e frutos permitem o om funcionamento do fígadousada
e a(o,emgarante
todas a orig
as
espantosa rapide$ a aertura de tumores de qualque
saedoria popular. Deela e previne hepatite com ou sem edemas.
defuma()es pessoais ou
in&ama()es. 0 empregado contra fur1nculos, panarícios
contra
o tecido atacado por in&ama()es as tosses
de qualquer e ronqu
origem.
• )angue Cebola: 0 usado apenas em sacudimentos domiciliares, utili$ando o
fruto, a ceola. %rocede!se assim:

corta!sebranca
0rombeteira a ceola em peda(os

mi1dos e,
Araç# – Araç#-de-coro
cantando!se para Exu, espalha!se pela casa, nos recantos, e so os m"veis. 6 e an
-penas é usada nos anhos decae(a,limpe$anos
dosa+
lhos do or
povo usa a ceola, fruto do mangue, esmagada
medicina popularsore feridasfreqente.
é pouco reeldes.
espécie como um energé
-plica!se apen
ronquite. 4s c"licas.
• )angue vermelho:
indica como excelente adstringente

que possui: alto
3rtiga-mam!o teor deem
-plicada tanino.

anhos*uito eca$
Araç#-da-praia
fortes no
: %lanta
, somente
tratamento das 1lceras e feridas reeldes, aplicando o co$imento das folhas em
eguns. 6 anho emprega!se donas origa()es
pesco(o de cae(
para aixo.
compressas ou anhando a parte lesada.
astrais orix3s a que6pertence.
e afasta in&u#ncias perniciosas. N
povo indi
Do mesmo modo tamém
erisipela, usando um algodão emeido do leite da pla
• )anjeric!o-ro/o: Empregado nas orig a()es de ori dos lhos pertencentes ao
deela males do
orix3 das endemias. /olhido e seco, sua folha previne contra raios
• e coriscos em: 0 ut
Araç#-do-campo
dias de tempestades, usando o defumador. 2amém é usada defuma()es
como puricador de de
de locais
4elame do campo:
amiente. Não possui uso na medicina popular. diarréia ou disenteria e c
simples ou completo. Cndispens3vel na feitura de sant
• $anacia: Entra nas origa()esorix3.
de oriNa medicina
e anhos caseira oCaapeba-pariparoba
de descarrego•
velame
ou é utili$ado
limpe$a. 6 povo :c
reum3tico.
a aponta como poderoso diurético e de grande ec3cia no comate 4 sílis,
origa()es dos lhos recolhidos.
saoroso
>olha de
xarope
muitoque
prestígio
se aplica
nosnas
limpe$a.
/andomlés
tosses6 reeldes
povo
Aetu,
a indica
que a
pois serve para tirar mão de $umi. - medicina popular utili$a
emoliente,
seu propiciando
ch3 para vi
•9uaco cheiroso : -plica!se nas origa()es
deelar males do fígado, e o co$imento das raí$es para extinguir
gargare7os.
as doen(asde do
cae(a

1tero. Surte efeito diurético. %opularmente, esta erva é conhecida como cora(ão!
comate as tosse reeldes e alivia ronquites agudas,
$iperegum-verde – %pe
• Cabelo-de-milho: Somente o pé do milhoGcontra
antiofídico pertence a 6x"ssi'
o veneno as espigas
deoriga()es
coraH, de
do milho
usam!se as f -
ritual.
em casa propicia despensa farta.
internamente,
Puando secar
o ch3
troque!a
forte. porusando!se
outra verdinha.
anhos6e com
caelo!de!milho é muito usado pela medicina do povo como diurético e dissolvente
• 9ua/ima-cor-de rosa
dos c3lculos renais. 0 usado em ch3. • $iperegum-verde-e-am
lhos do orix3 da ca(a. 0 de costume
piperegumusardegalhos deNa
6x"ssi. g
• Capim-lim!o : Erva sagrada de uso constante
pessoais nas defuma()es
e domiciliares. *uito 1tilperi"dicas
o anho das quepontas.
se
fa$em nos terreiros. %ropicia a &ores
aproxima(ão
contra ade
tosse'
espíritos
as folhas $itangatuba
protetores.
• : 5sado
são emolientes'
- medicina em
as pont
caseira a aplica em v3rios casos:
antiferis.
para resfriados, tosses, ronquites,
dar de comer
tamém
4 cae(a.
nas
pertura()es da digestão, facilitando o traalho do est+mago. tamém para desostruir
• 9uin-caboclo: 5tili$ado em todas as origa()es d
• Cipó-caboclo: *uito utili$ada quaisquer
em anhoslhos,
de descarrego.
nos anhos6de".4A8
povo lhe+
d3+.%5A
descarregogrande +88O
ou limpe
prestígio ao linfantismo, por meio
5manda
de anhos.
e no /andomlé.
5sada do mesmo
6 povo modo
usa para
comate
deelar
Amendoim: 6ssaim apr

in&ama()es das pernas e dos testículos.


enecia o est+mago na m3 digestão. 5sa!se o ch3.
amendoim fornece um
• Cipó-camar!o: 5sada apenas<issopo
• – Al&azema-de
em anhos sementes6são
de limpe$a e caboclo
defuma()es. povoestimulan
indica que, em co$imento é de do
grande
mesmo
ec3cia
modonoé trato
empregado excelente
das feridas
nos a+ afrodisíaco.
e contus)es.
para limpe$a do
sacudimentos,
nas afec()es respirat"rias, elimina com
o catarro dos excel
r+nqui
• Cipó-cravo: Não possui uso ritualístico. Na medicina caseira atua como deelador
das dispepsias e diculdade de%ncenso-de-caboclo
• digestão. 5sa!se o ch3 Celid7nia
– Capim-lim!o
ao deitar.
• maiordos
0 pacicador : 0 indic
nervos e propicia um sono tranqilo.
anhos- de
dose
descarrego.
a ser usada
6 povo nas
é uma doen(as
a xícara
utili$a parados
das olhos, u
deextermi
café
ao deitar. ch3 tamém
ronquites e, tamém, nas pertura()es é de grand
da digestão.
panos.
• Coco-de-iri: Sua aplica(ão se restringe
• 'aborandi aos
: De
anhos
grandedeaplica(ão
descarrego,
nas empregando!
v3rias origa()es.
se as folhas. - medicina caseira
esta
indica
planta
as suas
como
raí$es
essencial Coco
co$idasna

para dem
lavagem
por end*
dos : 0 co
aos caelo
males do aparelho genital feminino.
rilhantes.
0 usado
2em
emgrande
anhosec3ciadesprovida
semic1pios da polpa,
nas pleurisias,
e lavagens. for
nas ronq
manteiga.
erup()es. 5sa!se o ch3 internamente. 0 a chamada
• "rva-curraleira: -plicada em todas as origa()es de cae(a medicina
e nos a+caseira,
dos lhos
pois d
do orix3 da ca(a. Na medicina 'acatir!o
• popular é: aplicada
%leno uso em diurético
como quaisquer origa()es.
adominais.6 se
e sudoríco,
c"licas
sendo muito prestigiada no tratamento
apropriados
da sílis.
para arriar
5sa!seoriga()es.
o co$imentoNão
daspossui
folhas.
uso na m
• "rva de $assarinho:
• 9oiaba – 9oiabeira • 'urema branca: -plicada em todas as origa()es
origa()es renovadasdean
o
nos anhos de purica(ão dos lhos
ou descarrego
de 6x"ssi. e- medicina
entra noscaseira
a+. usa
0 dea goiaeira
esta planta grande imp
é a duodéci
como adstringente. /ura c"licasamientais.
e disenterias.
- medicina
Excelentecaseira
nas diarréias
indica infantis.
medicina aspopular,
cascas emesta
adstringente. Em ch3 tem efeitomoléstias
narc"tico,uterinas,
corrigindo ai
corri
• 9roselha – 9roselha-branca
&ores são usadas em cas
)alva-do-campo
limpe$a e purica(ão. - medicina
• popular di$ que– )alvarisco
se farica com o fruto um
• "rva de 8anta (uzia pois é tida como planta venenosa.
• Bananeira: *uito empre
contas, feitura de santo e tiragem de $umi. De igual maneira,
da tartaruga,
tamémparasearriar!
".4A8 + +.%5A +53)
emprega nos a+, anhos de descarrego ou limpe$a dos lhos
seiva
dos
umorix3s.
xarope- de gran
medicina popular a consagrouAbiu-abieiro
• como um grande remédio,
: Sem uso do
porpeito.
na liturgia, ser
tem de grande
folhas curativa
ec3cia contra o vício da eida. 6 co$imento
colocadas de suasa7udam
nas feridas, folhas aé superar'
empregado contra a
se inverter
doen(as dos olhos e para desenvolver a vid#ncia. -
ser3 apressada. casca da 3rvore co$ida t

• 9itó – carrapeta: Sua utili$a(ão se restringe ao uso lit1rgico e ritualístico. 0


Agri!o-do-$ar# – 'ambuaçu
largamente empregada nos anhos
purica(ão
de limpe$a
de lhos' Brio-de-estudante
e purica(ão
como axé•
nos
do orix3. 5sada – Bd
assentamentos
tamém em anhos de cae(a para desenvolver a vid#ncia, audi(ão e intui(ão.
Ela fornece um eom - cora
medicina caseira usa!o para comater tosses corrig
medicina popular aplica!a na cura de moléstia dos olhos, porém
pemaem lavagens medici
vitamina /H. 0, raspada. -tam
externas. ter sono tranqilo.

• 9uabira: -plicada em todas asAl&avaca-de-cobra : 0 usada


origa()es de cae(a, emde
nos a+ todas
uso as origa()es
geral e nos d
é usada,
anhos de purica(ão e limpe$a o lho
dos lhos dorme com
dos orix3s. a cae(a
- medicina coerta.
caseira -nte
a indica
seguinte
no sentido de p+r m aos males o emplastro
dos olhos é retirado,
con7untivites. e torna!se
Em anhos, um anho
favorecem
aos que sofrem de reumatismocaseira a indica
e devem comoem
ser feitos comatente
anheiras ao
ou mau!h3lito.
acias, sendo
Ca&erana-alum!: São u

mais ou menos demorados.


medicina popular como:
• (#grima de >ossa 8enhora intestinos, sem causar

anhos de descarrego ou limpe$a. 6 povo a indica como excelente


energético
diurético,
t+nico.
em
Arapoca-branca
ch3. 6s anhos deelam o reumatismo
• : Suas
e redu$em folhas são utili$adas
as incha()es. -s folhas nas
e asoriga
sementes são indicadas parano anhar
/andomlé são usadaspara
os indicadas em sacudimentos pessoais.
anhar os olhos,
para deve
propiciando em!estar. - aplica(ão matarser
peixes. - medicina
feita pela manhã, caseira
ap"s terutili$a
deixadoas folhas
o
feres.
anho car na noite anterior so -ge tamém
o sereno. comodo
etire antes excitante.
sol nascer e aplique
sore os olhos. Camar#-cambar#: 5tili$

anhos de purica(ão. -
tosse e rouquidão e ainda

• >arciso dos 'ardins


• Arnica-montana: 2em pouca aplica(ão na 5manda
de 6ssaim, para o assentamento. %ara ser utili$ada, plante!a em um pote, no
medicina popular 'e muito usada, ap"s alguns dias de
canto do vegetal, coloque o fetiche e por dentro do pote prenda o pé do fetiche
-ge como cicatri$ante, recompondo o tecido l
com um pouco de taatinga deixa!se secar em lugar longe deCamomila-marcela
• correntes de vento : 2e
para que possam ter perfeita xa(ão. Puando estiver seco, o traalho, procede!se
Azedinha – 0reco-azedo – 0r*s é usada nos anhos de
coraç?es
com o sacrifício da ave correspondente ao orix3 da folha Go galoH, deixando o e7é
nalidade emempregada
cora()es, sem fun(ão ritualística, é apenas lavagens in
anhar todo o fetiche. -crescente fumo de rolo, anhe todo o fetiche com vinho
fun()esdedos
comatente da disenteria, eliminador intestinos.
gases e ferífug
moscatel e mel de aelhas, separadamente. -o terminar, coloque o pote, com um
dispepsias e estimula o a
arigo circular por cima, e leve!o para cima do telhado do terreiro, lado esquerdo
de casa e direito de quem a olha de frente. Não possui uso na medicina popular,
r+nquios e pulm)es.

• Cana-&;stila – Chuva-de-ouro
usada tamém nos anhos de descarrego dos lhos de 6xum. Seu uso popular é
• (úca-@rvore-da-pureza
contra os males dos rins, areias e ardores. 6 sumo das folhas misturado com clara
origa()es de ori dos lh
de ovo e sal mata impigens. Fava-pichuri: No ritual da 5manda e do /andomlé, u

o defuma()es que tra$em ons &uidos e afugenta Eg


prepara(ão de ch3, que é eca$ nas dispepsias e diarréi

• )acaç#: -plica(ão lit1rg


• Chamana-nove-horas – )anjericona
purica(ão dos lhos do
e nos anhos de purica(ão dos lhos de 6xum. 6 povo a utili$a em disenterias.
r+nquios' é usada ainda
• Flamboiant: Não é utili$ado em origa()es de cae(a,
algumas casas, em anhos de purica(ão dos lhos dos
tem vasto uso, como ornamento, enfeite de origa(
este7am arriadas as origa()es. Sem uso na medicina co
• Cipó-chumbo: Sem uso na liturgia, porém muito prestigiada na medicina popular,
•)!e-boa: 0 erva sagrad
como xarope deela tosses e ronquites' seu ch3 é muito eca$ no comate a
se restringe aos anhos
diarréias sanguinolentas e 4 icterícia' seco e redu$ido a p", cicatri$a feridas
em
reeldes.
• 9engibre-zingiber: São aplicados os ri$omas, a rai$, q
)alme6uer – Cal*ndul
outras eidas. 6 povo a usa nos casos de hemorragi
anhos de purica(ão do
pertura()es do est+mago, em ch3.
&uxo menstrual. -s folha
• "rva-cidreira – )elissa regra feminina.

8mito da medicina caseira, que a usa como excitante e antiespasm"dico,


enérgico t+nico do sistema nervoso. 6 ch3 feito das folhas adocicado ou puro
comate as agita()es 9igoga-amarela

nervosas, –histerismos
Aguap* e ins+nia.
purica o aura e afugenta ou anula Eguns. - medicin
• )alme6uer-do-campo:
"rva-de-8anta-)aria folhas se7am usadas como adstringente e, em gargare
popular tem fun(ão cicat
de descarrego. /omo remédio caseiro é utili$ada para comater lomrigas
vocais.
folhas sore a ferida.
Gasc3ridesH das crian(as, tamém é "timo remédio para os r+nquios.

• %p*-amarelo: -plicada somente em defuma()es de


• )alme6uer-miúdo: -pl
• "rvilha-de-Angola – 9uandopopular é usada em gargare7os, contra in&ama()es d
anhos de limpe$a dos 
usa as pontas dos ramos contraestomatite.
hemorragias e asvai
6 que &ores contra assão
a co$imento moléstias
a casca dos
e a entre
/omo remédio caseiro, é
ritualístico se restringe aos anhos
moléstia
de limpe$a
dose desca
olh
povo a indica para curar asma, histerismo e como pacic
<ortel!-da-horta – <or
• Cord!o-de-Frade verdadeirooriga()es de cae(a al
• +rriri-de-+/um: Entra em todas as origa()es de ori, nos anhos de limpe$a. 6
aura e limpe$as em geral. 6 povo arma
santo. que hastes
- medicina e
caseir
povo a indica como diurético e estimulador das fun()es hep3ticas.
ch3, comate a asma, melhorade o funcionamento dos ri
ons efeitos nas ronq
reumatismo.
'enipapo: -s folh as ser

• Cravo-da ndia – Cravo-de- oce:


caseira aplica o co$imen
nos a+. %articipa dos anhos de purica(ão
frutos dos lhos
é comatente de hi
6 povo indica suas folhas e cascas em anhos de asse
das pernas. (;rio do nos
Ktimo
• Brejo: São usa
anhos de limpe$a ou d
ormideira sensitiva como estomacal e expect
indica esta planta como emoliente, mais especica
• 4assourinha-de-bot!o (ouro – (oureiro: %lant

gargare7os, nas in&ama()es de oca. Cndicada como
ins+nia. 0 utili$ado o co$imentotem
qualquer uso na medicina popular. aplica(ão
de toda nas origa
a planta.
para atrair recursos 
".4A8 + +.%5@ WA>8O
• "spirradeira – Flor-de-8!o-'os
ornamentar a orla das

afro!rasileiros.
Al&ace: 0 empregada nas origa()es de Egun, Esta
e planta é utili$ada
oferendanas
em sacudimentos. 6 origa()es
povo a
indica para os casos de ins+nia,
a+usando
de ori.as%ertence
folhas ouaos
o pendão
orix3s ang+
&oral. e-lém
Oansã,
de porém
ranco que pertence a 6xal3. 6)!e-boa
chamar o sono, pacica os nervos. povo indica
: Seuo suco
uso se
das
resf
e p+r m aos povopiolhos.
contra o reumatism
E
• Altia – )alvarisco:
das pedras dos orix3s Nanã, 6xum, 6xumar#, Oansã
"ucalipto-lim!o •
Oeman73.
: de grande
)anjeric!o-ro/o
*uito prestigiada
aplica(ão
: Empr
nas origa()es d
nos ochechos e gargare7os, nas in&ama()es
descarrego ou limpe$a dos orix3
dalhos
oca edo garganta.
de orix3.trovão. /olhido
- medicina ca
tempestades, usando
para suavi$ar dores. usado em anhos de assento, é tam od
Angico-da-&olha-miúda – Cambu;
•)aravilha bonina : 5tili$
casca ou os frutos em infusão Flamboiant

no vinho do :porto
Não éouutili$ado em origa()es
otin Gcacha(aH, age comode cae(a,
algumas casastamém
de anhos de contas dos
de purica(ão e feitura
lhosde sa
dos
estimulador do apetite. 6s frutos em infusão, fornecem um licor saoroso,
povo a indica
tem vasto uso, como ornamento, enfeite de origa( para elimi
do mesmo modo comate a dispepsia.
este7am arriadas as origa()es.afec()es
Sem usohep3ticas
na medicinae c"li
po
• Bambu: 0 um poderoso defumador contra Aiumas. 6 anho ".4A8 tamém+ é excelente
+.%5A W")A
•9engibre-zingiber
contra perseguidores. Na medicina :
popular é enéco contra as doen(as ou
outras eidas.
pertura()es nervosas, nas disenterias, 6 epovo
diarréias costuma
males di$er que– é(evante
Alevante
do est+mago.

tamém : 5
ang+. - medicina caseira a usa nos casos
anhos de hemorrag
de limpe$a de lh
• Cambu; amarelo: S" é utili$ado em anhos de descarrego.
pertura()es do - medicina caseira
est+mago,
indica como indica como adstringente, e usa o ch3 nas diarréiasAl&avaca-ro/a
• : Empreg
ou disenterias.
9itó-carrapeta – bilreiro lhos deste orix3. *uito
• Catinga-de-mulata – Cord!o-de-Frade – Cord!o-de-8!o-Francisco
limpe$a e purica(ão dos lhos do orix3 a que se destina
caseira usa seu ch3 em co$imento,
• para emagrecer.
)imo-de-v*nus de afrodisíaco.
– Amor-agarradinho
anhos de purica(ão dos lhos de 6I3. *uito us
• )il-homens: 2em grande aplica(ão na magia de amor, em anhos $essegueiro
• de mistura
: 0 com
utili$ado
circundando um prato e metade para dentro do prato e
manac3 Gfolhas e &oresH, para propiciar liga()es amorosas , aproximando
propicia melhores
os sexocondi(
erva com mel de aelhas e arrie em uma moita de 
masculino. - medicina caseira aplica!o como estomacal, comatendo
povo a indica
a dispepsia.
em co$ime
medicina caseira.
-s gestantes não a devem usar. no caso de con7untivite.
• )orangueiro: -plica(ão restrita, 73 que se torna difíci
• Aperta-ru!o: 6s aalorix3s a utili$am nas origa()es de cae(a'
• $i/iricano–caso
0api/irica
dos : -
lugar. 6 povo a indica como remédio diurético, pondo
lhos do trovão é usada a nega!mina. 2em grande prestígio napovo medicina
a indica
popular
nas palp
como adstringente. -s senhorasusada para curar
a empregam disenterias
em anhos e tamém
semic1pios,
feminino de recuperar
e nas
assento,
doen(as d
vitamina / no organismo.
e em lavagens vaginais para dar m 4 leucorréia.
• .om!: 5sada em anh
• )ulungu: Empregada em origa()es de cae(a, em a
• Azedinha – 0revo-azedo – 0r*s-coraç?es emprega as cascas dos
a+. 6 povo indica como pacicador dos nervos, propic
cora()es, sem fun(ão ritualística. 0 empregada na medicina co$imento
popular
em gargare7os
como
a(ão eca$ no tratamento do fígado, das hepatites e os
comatente da disenteria, eliminador de gases e ferífugo.
• 8ensitiva – ormideira
• )usgo-da-pedreira:
• Ca&erana-Alum!: São utili$adas nas aplica()es de cae(a e di$ nospossui
a+. 5sado na
extraordin3rios
pessoais, que são feitas ap"s o anho. - defuma(ão
medicina popular como: laxante, fa$endo uma limpe$a geral co$imento
no est+mago
de toda ea plan
paciente do em.
intestinos, sem causar danos' é "tima comatente de feres palustres ou
intermitentes' poderoso vermífugo e energético t+nico. • 0aioba: Sem aplic a(ão
• >ega-mina : Cnteiramente aplicada nas origa()es d
co$inha sagrada de a
descarrego ou limpe$a e nos a+. 6 povo a aplica como

Cavalinha – )ilho-de-cobrafígado, das c"licas hep3ticas e das conhecido como caruruH
nevralgias.
como axé nos assentamentos dos dois orix3s. Não possui uso na temmedicina
a complement3!lo
popular. a
• emoliente'
>oz-moscada: Seu uso ritualístico a rai$
se limita é pod
a utili$a(ã
• "ritrina – )ulungu: 2em plena aplica(ão nas origa()es de cae(a
destr"i easnos anhos
carnes podres,
amiente, exerce atividade para melhoria das condi()
de limpe$a dos lhos de ang+. Na medicina caseira é aplicada como "timo
usado como defumador. Este p", usado nos ra(os e
pacicador do sistema nervoso e, tamém, contra a ronquite.0a6uaruçu – Bambu-a

&uidos enécos. Não possui uso na medicina popular.
servem para reali$ar sac
• "rva-das-lavadeiras – mel!o-de-8!o-Caetano para enfeitar o local ond
• $anacia – Azougue-de-pobre
origa()es do ritual. 6 uso popular o indica como sendo de grande ec3cia no
descarrego ou limpe$a. 6 povopopular.
a aponta como poder
comate ao reumatismo. 0 vigoroso antiferil, deela ainda, doen(as das
ec3cia no comate 4 sílis, usando!se o ch3. 0 indica
senhoras, em anhos de assento. • 0iririca : Sem aplica(ã
das doen(as de pele, e ainda deelar o reumatismo, em
atatinhas que o povo a

"rva-de-8!o-'o!o: 5tili$ada $au-de-colher

nas origa()es – de cae(a e nos redu$idas
(eiteira depois anhos de a p" q
descarrego. - medicina caseira, indica!a como t+nico como para p"comater
de dan(a.as %ara
outras espécies dos mesmos orix3s. - medicina caseira
disenterias. -plicam!se no tratamento do reumatismo. 5sa!se oafasta
ch3 em anhos.
eguns eem desodori$
pode perfeitamente ser usada externamente anhos.
• "rva-grossa – Fumo-bravo 3mbaúba : Somente
• $au-pereira: Não é aplicada nas• origa()es de ori, émus
particularmente nos eori e como axé do orix3. - medicina caseira indica as raí$es
descarrego ou limpe$a. 6 povo usadas
a aplicanos
nassacudimento
pertura()e
em co$imento, como antiferil, as mesmas em cataplasmas deelam tumores. -s0 ac
falta de apetite. 0 forticante eexcelente diurético.
comate feres intermi
folhas agem como t+nico comatendo o catarro dos r+nquios e pulm)es.
constante acelera as contra()es do cora(ão. fígado, levando suas folh
tostão. 6 ch3 do gervão t
• 3rucu: Desta planta somente
(;ngua-de-vaca
•são utili$adas – as
"rva-de-sangue
sementes, que socadas e
misturadas com um pouquinho nos
de 3gua
a+ eenos
p" de
anhos
pemaderanca,)anac#:
purica(ão
resulta
• Seu pasta
dosnuma
lhos usoorix3.
do ritu
que se utili$a para pintar a Oa+.
do 6
mesmo
povo indica
orix3. as
6 uso
sementes
caseiroverdes
empregada
é nas doen(as
para os
na males
de
magia
pele,a nm
do cora(ão e para deelar hemorragias
resfriamento. com girassol e mil!homen
para facilitar o &uxo men
".4A8 + +.%5A +53)A.X".4A8 + +.%5@ >A>O B3.313"
• 1uaresma – 1uaresme
• •

Alcaparreira – 9aleata Agapanto: 0 um vegetal pertencente a 6xal3,


de cae(a, Nanã
nos a+ e
e nos
e cascas verdes. *uito prestigiada
6xal3nose a+
o lil3s
de éprepara(ão
da deusa das
doschuvas
lhos para
e do orix3 das en
chuvas. Durante o ritual
origa(ão de cae(a e nos anhos
tamém
de limpe$a.
aplicado - medicina
como ornamento
caseira indica
em pe7is,
comoe anhos
caseira a indica nos male
diurética, usadas as cascas da rai$.
Não 6s frutospossui
são comestíveis
usoe deles senaprepara
uma geléia que é eca$ contra picadas de coras ou insetos venenosos,
1uitoco: em

ra$ão
5sada em an
do princípio ativo: rutinã. Altia – )alvarisco: esta erva resolve males d
purica(ão das pedras dos orix3 Nanã,
o ch3, 6xum,
nos 6xumarX
tumores aplica
• Altia – )alva-risco prestigiada nos ochechos e gargare7os, nas in&ama()es
purica(ão das pedras dos orix3s Nanã. 6xum, 6xumar#, Oansã e Oeman73.
".4A8 *uito +93
+ +.%5A
Angelim-amargoso – )orcegueira:
prestigiada nos ochechos e gargare7os, nas in&ama()es da oca e garganta.

Açoita-cavalo – %viting

carpintaria, por ser madeira de lei. >olhas e &ores são u
• Angelicó – )il-homens anhos
de Nanã. -s cascas di$em respeito de descarrego
a Exu' e
elas são aplic
mistura com manac3 Gfolhas e &oresH, para propiciar
descarrego, liga()esdeamorosas,
com o prop"sito medicina
destruir oscaseira
&uidos para
negati
aproximando os sexo masculino. - medicina caseira aplica!o comoreumatismo,
estomacal,
feridas e 1lc
Avenca:não
comatendo a dispepsia. -s gestantes
• Regetal
devemdelicadíssimo
usar. e mimoso. 2em emprego
• Açucena-rajada – Cebo
e nos a+ emora ela mere(a ser economi$ada em fa
Araticum-de-areia – )alol7 ornamento. - medicina popularulo. indica as folhas para de
descarrego, sem mistura de outra
tosses. Estaa ceola
erva. - medicina caseira indica polpa esomente
os éu
utili$adoasreumatismo.
frutos para resolver tumores e co$imento das folhas no tratamento folhas como em
• Cedrinho: Este vegetal possui muita s variedades, t
• Cavalinha – )ilho-de-cobra deusa das chuvas. Sua aplica(ão •Agri!o : excelente alime
é total na liturgia
como axé nos assentamentos dos Empregado
dois orix3s.
nasNão
origa()es
possui uso tratamento
de na
cae(a,
medicina nosdas
a+,doen(as
popular.
anhos
ronquites,
purica(ão. Excelente a+ de ori, tonicadoré expectorant
da aura. E
• 9raviola – Corosol: 2em plenaas aplica(ão nos a+ dos orix3s, nos anhos de a+ e
disenterias, suas folhas em co$imento em anhos
nos de limpe$a e descarrego. 0 t+nico Arnica-erca
indispens3vel aos lhos recolhidos

para lanceta: 0
feriloriga()es
de cae(a eerem uma dose de suco pela manhã. 6 povo usapurica(ão dos lhos do
a graviola de
diaetes, aplicando o ch3. tanto interna como exter
Cipreste: -plicada nas origa()es de cae(a e nos
para recomposi(ão dos te
descarrego. - medicina popular indica anhos desta er
• %ng#-bravo: Não conhecemos aplica(ão ritualística. 6 povo a consagra como
ch3 para curar 1lceras. • Aroeira: 0 aplicada nas
sério adstringente e, por isso, indica o uso das casacas, em co$imento, na cura das
1lceras e feridas reeldes, anhando!as. fortes de descarrego e n
• 9erv!o: -lém de ser folha sagrada de Nanã, tamém é
medicina caseira, apres
origa()es rituais. - medicina caseira a indica no tra
in&ama()es do aparelho genital.
•9uarabu – $au-ro/o energético t+nico e deel
anhos de purica(ão dos lhos de 6gum. 5sa!se so
• Cabeluda-bacuica : 2em aplica()es em v3rios atos ritualísticos,
=leo-pardo
• tais como
: %lanta
eori,utili$
arom3ticas. - medicina caseira indica o ch3 das folha
simples ou completo, e é parte dos a+. 5sado igualmente na medicina
nos anhos
caseira.
de /o$i
als8mico e forticante.
purica(ão. ernes de animais.
• <elic7nia: 5tili$ada nos anhos de limpe$a e descarr
• Cana-de-macaco : 5sada nos a+ de lhos, que estão recolhid •$iri-piri
os para: -feitura
1nica de
aplica(
feitura de santo e nos anhos de purica(ão dos lhos
santo. Esses lhos tomam duas doses di3rias. *eio copo sore anti!
o almo(o
hemorr3gico.
e meio %ara
caseira a indica como deelador de reumatismo, apli
sore o 7antar. queimados, estancam he
todas a planta em anhos quentes. 6 resultado
extermina é positiv
a disenteria.
• Cana-de Brejo – 3bacaia
• 'abuticaba: 5sada nos anhos de limpe$a e descarre
$oinctiacaseira
limpe$a dos lhos do orix3 do ferro e das artes manuais. Na medicina
• : Emprega!se
é e
tomados pelo menos quin$enalmente, para haurir for
usado para comater afec()es renais com astante sucesso. mesma/omate sorte
a anuria,
nos anhos
co$imento da entrecasca na cura da asma e hemoptises.
in&ama()es da uretra e na leucorréia. Seu princípio ativo é o estrifno.
caseira s"J3oastante
aponta para
fama referente ao seu emprego'ambo-amarelo
• anti!silítico. : 5sado em quaisquer as origa()es
• $orangaba: Entra em
aplicadas as folhas, nos anhos de purica(ão dos 
• Canjerana – $au-santo tratamento popular é usa
medicina caseira usa como ch3, para emagrecimento.
funcionar3 como afugentador de eguns e para anular ondas negativas. Seu ch3
atua como antiferil, contra as 'ambo-encarnado
diarréias e para deelar • 8angue-de-drag!o
dispepsias. 6 co$imento
: 2e
• : -plicam!se as folhas nos a+, nas o
das cascas tamém é cicatri$ador de feridas. a+. Não possui uso na m
anhos de limpe$a dos lhos do orix3 do ferro. 2em uso


Car6ueja: Sem uso ritualísticos.
• 'apecanga
- medicina
: Não
caseira
temaponta •
8!o-gonçalinho
aplica(ão
esta erva
nas como
origa()es
cura
: 0 uma
de
decisiva nos males do est+mago e do fígado.com
2amém tem est3 su7eita.resultado
apresentado Na medicina
relacionados o orix3. - medicina caseira aconselha
positivo no tratamento da diaetes e no emagrecimento. malignas, em ch3.
do sangue, no reumatismo e moléstias de pele.

Crista-de-galo – $luma-de-princ;pe 0anchagem: %articipa de



• • 'atob# – 'ata;: Erva poderosa, porém sem aplica(ão
- medicina caseira a indica para curar diarréias. purica(ão de lhos recol
Somente é usada como remédio que se emprega a
ferro e das guerras. *uit
origa()es de longo pra$o. Ktimo forticante. Não possu
• ragoeiro – 8angue-de-drag!o arma que a rai$ e as fol
a+ geral e anhos de purica(ão.
•'uc#5sa!se o suco
: Não tem como nas
emprego corante,
cura
e toda
da angina
origa()es a planta,
de e daNocach
ritual. uso
pilada, como adstringente. demorado, das cascas e sementes, coando e reservand
4assourinha-de-igreja:

houver ferimentos, talhos e feridas.
• "rva-tost!o: -plicada apenas em anhos de descarrego, usando!se
homem as folhas.
exerce -
atividades

(im!o-bravo
medicina popular a utili$a contra os males do
: 2em
fígado,
emprego
eneciando
nas origa()es
o aparelho
de ori e no
".4A8 + +.%5A +5A(
renal. de limpe$a dos lhos do orix3. 6 limão!ravo 7unta
romof"rmio, enecia r+nquios e pulm)es,
Alecrim

pondo
de Caboclo : Er
• 9rumi/ameira: -plicado em quaisquer origa()es de cae(a, nos a+ e nos
cr+nicas.
anhos de purica(ão dos lhos do orix3. - arte de curar usada pelo povo
Alecrim

indica o : E
de 0abuleiro
co$imento das folhas em anhos
• arom3ticos
(osna e na nos
: Emprega!se curaa+
do e
reumatismo.
nos anhos 9anhos
de descarreg
demorados eliminam a fadiga nas pernas. Alecrim do Campo
orix3 a que pertence. 0 usada pela medicina
• : Seu
caseira c
mais particularmente usada na destrui(ão das solit3
• Anglica: 2em emprego ritualístico muito redu$ido. Sua &or espanta
•8angue de Cristomalign
in&u#ncias : Empr
9ol&o de or branca
• Funcho: Empregada em todas as origa()es de cae(a, nos a+ •3mbu
e em: %ossui
anhosaplica(ão
de limpee
•9uaco cheiroso: -plica!se nas origa()es de cae(a e
"rvas no Candombl e 3mbanda
• A r a ç # 0radicional
•<ortel! da horta: conhecida como hortelã de tempero
".4A8
Barba de 4elho: -plicadas em todas as origa()es de cae(a referentes
-s plantas a qualquer or
podem ter
•'asmim do Cabo: Seu uso restringe!se ao adorno de pe7
usos medicinais e
• Baunilha verdadeira religiosos. Nos cultos

(aranjeira: -s &ores sãosacerdotes


afros
aplicadas
existemnas origa()es de or
• Calistemo F*nico: 0 uma extraordin3ria mirt3cea que entra em qualquer
especiali$ados no origa(ão de
• (;rio do Brejo: 5sam!seconhecimento
as folhas e &ores nas
e uso origa()e
das

plantas e seu uso
Camlia: Regetal muito usado na magia amorosa. 0 captadora de &uidos positivos, a &
• )alva Cheirosa: 5sadareligioso.
nas origa()es de cae(a, nos
No culto de 6moloc+
• Camomila )arcela: Sua aplica(ão é restrita nas origa()es ritualísticas.
chama!se 5sa!se, entre
*ão!de!6f3,
• )alva do Campo: Seu uso Nosse restringe
cultos nag+saos anhos des
GAeto,
-laBeto, Naco, Rodum,
• /arna1a: S" tem aplica(ão em a+ feito da folha, que asta
*ina, para
*ago,corir
C7ex3,a etc.H
cae(a e, de
• )amona: Esta erva é muito utili$ada como
6s sacerdotes são recipiente pa
• Cinco Folha chamados de
• )anjeric!o )iúdo: 5sada 9alalossasain.
na prepara(ão de a+ e nos
-s folhas GervasH no
culto atua
Cipó-cravo: Não possui uso ritualístico. Na medicina caseira de angola
comosãodeelador das
• )anjerona: Entra em todas as origa()es
chamadas de ori, em a
de ensaas,
no nag+
Col7nia: %ossui aplica(ão em todas as origa()es de cae(a. e#, no <#7e nos a+ e n
Cndispens3vel
Não 6man.

• )astruço: possui aplica(ão


5sa!se chamar as

matas sagradas na
Cravo da ndia: 5tili$ada em qualquer origa(ão de cae(a, nos a+ e nos a+ de ca
5manda de macaia.
)il em .ama: Não possui uso ritualístico. 0 adstringent
• - colheita dasquaisquer
"rva de Bicho: 5sada em anhos de purica(ão de lhos!de!santo, ervas que se7a
• >arciso dos 'ardins tem um determinado
ritual. Na umanda
• "spirradeira: %articipa em todas as origa()es de cae(a, nos a+éeensinado
geralmente nos a+ de ori. -
• >oz de Cola: Erva indispens3vel nos anhos
por um guia ou mentor. dos lhos
• "stora6ue Brasileiro Segundo suas
• >oz )oscada: Desta ervacaracterísticas cada
utili$a!se o p" em mistura co
planta ocupa um espa(o
• "ucalipto Cidra: Empregado em todas as origa()es de nocae(a,
mundo em anhos de descar
vegetal.
• $atchuli: Erva usada emEmtodas
geralastodas
origa()es
as de ori, eo

plantas que contem
"ucalipto )urta: Empregado em todas as origa()es de cae(a, nos a+ e nos anho
• $oejo espinhos
queimam que ardemou
formigam
• Fava de 0onca: - fava é usada nas cerim+nias do ritual,provocam
o fruto é coceira são de ser r
usado depois
pertencentes a E5.
.osa Branca: %articipa de todas as origa()es de cae(
• Fava $ichuri: No ritual de 5manda e /andomlé usa!se -9Eo fruto, a fava,
/-*CNJ6 que redu$ a p
! anho,
• 8ai!o: Entra em todas aserva de 6gumde
origa()es e Exu.
cae(a, quaisqu
-=E/C* ! planta de
• Folha da Fortuna: 0 usada em todas as origa()es de 6xal3,
cae(a, em anhos
usada em anhosde limpe$a

de -maci,
8#lvia: Suas folhas e &ores em
são utili$adas nas origa()e
defuma()es, -muleto
• 9irassol: 2em aplica(ão no ritual. 5sa!se
afasta osnas
&uidosoriga()es
negativos
e atrair prote(ão.
-=>-R-/- ! anho de de quatro patas. usada em todas as
purica(ão erva e 6xal3 e /-D6 S-N26 ! Exu, origa()es, anho de
ang+ ! usada na aplicada na limpe$a de defesa, descarrego. No
defuma(ão para afastar casas. -", limpe$a de casas.
espíritos osessores e /-2CNQ5EC- ! Exu, anho 9-96S- ! depois de seca,
atrair prote(ão. de descarrego. usada como defuma(ão.
-=>-YE*- ! evita >EDEQ6S6 ! Exu, aplicada %EEQ5N ! limpe$a de
in&uencia negativa e na limpe$a de casas. casas, descarrego. 6gun.
limpa espiritualmente J62E= ! %C*EN2- ! -6Y ! sementes usada
pessoas e amientes. anho, anula negatividade para e".
-5D- ! usada em de maus &uídos, o sumo /6=NC- ! Ceman73,
amuletos ! gas ! anhos purica o ot3 GpedraH de -maci, origa()es.
de descarga, coroa(ão de Ex1, no assentamento. <-S*CN ! &ores usadas em
médiuns na umanda, %lanta!se ao arredor da anhos para conquistas
usado na casas
mau!olhado, contra
afasta casa de Exu. amorosas.
%-2- DE R-/- ! Ceman73,
maus &uídos e pro7ete *-*6 9-R6 ! Exu -o, e anho de
contra magia!negra. anho de limpe$a e descarrego.
96=D6 ! anho pertence a descarrego. - fruta vai 4 -REN/- ! Nana, -maci.
6xal3. e". ER- /CDEC- ! Nana,
/C%K /5Y ! usado em <5U ! anho e limpe$a de -maci, -o.
anhos e defuma()es, casas. ES%CNJEC- S-N2- !
afasta &uídos malécos e <559E9- ! anho de 6molu, anho de
espíritos osessores. descarrego GExuH. descarga.
ER- /CDEC- ! possui a <5E*- %E2- ! e" de *-N<EC/6 66 !
virtude aumentar a defesa e anho para tirar 6molu, -maci, -o.
intui(ão, favorecendo o osessores GExuH. RE=-*E D6 /-*%6 !
desenvolvimento *-NQ5EC- ! Exu F 6gun. 6molu, sacudimento para
medi1nico. -o, anho de defesa as sa1de, origa(ão. -maci e
ER- S-N2- ! tamém folhas co$idas servem no -o.
carque7a é de Cnhasã. para corrimento na 69C ! fruto oferecido nas
ES%-D- DE CNJ-S ! vagina. cerim+nias aos 6rix3s.
anho. =impe$a de casas, %-5 D]-=J6 ! anho de /-*6*C=- ! descarrego,
pertence 4 Cnhas8. descarga, os galhos para -o.
ES%-D- DE S6 <6QE ! limpe$a de casas GExuH.
anho de descarga e %C*EN2- DE *-/-/6 ! 9-*9 ! defuma(ão.
amaci, seca e usa!se para assentamentos GEx1H. 6* ! anho de
defuma(ão contra magia %CNJ6 9-N/6 ! anho, descarga, Cnhasã.
negra. quera demanda, olho /-R6 D- NDC- ! anho e
ES%-D- DE 6Q5N ! 6gun, gordo, feiti(aria, GExuH. defuma(ão.
anho usado tamém, %CNJ6 66 ! Exu, uso QC-SS6= ! 6xal3, anho
como prote(ão em casas. igual ao pinhão ra(o. 6s &or, defuma(ão
-*6- ! Exu, esse vegetal galhos para limpe$a de GsementesH
arma$ena &uidos casa. 
negativos, soltando!os ao 52CQ- ! Exu ,anho de 
anoitecer com varas de descarrego e 
amoreira são feitas inx8. assentamentos. 
%ara o culto dos -_6C2- /-R-=6S ! 6gun, 
eguns e qui$ila de ang+. anho de descarrego,
-s folhas são limpe$a pessoal e de /uidado: muitas ervas
desin&amat"rias para casas.
são venenosas e podem
oca e garganta.
-QE=C* ! -*-Q6S6 -NC/- !ao
cae(a, origa(ão
anho de causar doen(as randas
G*6/EQ5EC-H ! Exu, limpe$a. 5sado medicina ou graves e, em alguns
anho. /asca anho de popular para contus)es , casos, até a morte.
descarrego. cortes, les)es, cura Roc# nunca dever3
/-U J69C G/-NC=EC- ! tamém feridas. tentar colher ervas
-NC=H ! Exu, anho de -5EC- ! Exu, 6gun, selvagens para uso
descarrego e limpe$a de origa()es anhos de medicinal, a menos que
casas. descarrego, limpe$a de se7a especialista ou
9CN/6 DE %CN/ES- ! casas, despacho de eguns. este7a acompanhado de
Exu, anho de descarrego. =6SN- ! ao, anho de
/-<5EC6 ! Exu, as folhas limpe$a e descarrego.
um heralista
para sacrifício de animais S6 Q6N_-=CNJ6 ! 6gun, experimentado e
treinado.
• -lecrim exorcismos. 6s • -nis G%impinela
Gosmarinus antigos gregos anisumH
ocinalisH colocavam o • %laneta: <1piter
• %laneta: Sol ulo do alho em • Elemento: -r
• Elemento: >ogo um monte de • 5sado para
• 5sado em pedras em um prote(ão. 5m
encantamentos cru$amento travesseiro feito
de prote(ão, como uma com anis
para a7udar nos oferenda 4 proporciona um
estudos. =avar Jécate. sono tranqilo e
as mãos com sem pesadelos.
uma infusão de • 0 considerado
alecrim sustitui •

um anho de -mend+as
G%runus um "timocontra
protetor
purica(ão. 9ea amIgdalusdoce olho gordo.
um ch3 de -mIgdalus • -velã G/orIlus
alecrim antes de communisamar spp.H
fa$er um exame gaH • %laneta: Sol
ou uma • -ntigamente as • Elemento: -r
entrevista para am#ndoas era
ter a mente • - madeira é
conhecidas por apropriada para
alerta. 6 ch3 de prevenir a
alecrim é "timo fa$er qualquer
intoxica(ão, no tipo de astão.
para tra$er o tempo medieval
8nimo de volta. 5m "timo
as am#ndoas encantamento
• Est3 ligado a eram adiconadas para lhe tra$er
delidade, amor, as refei()es por sorte consiste
lemran(as esse mesmo em fa$er uma
feli$es. 6 cheiro prop"sito. -lém cru$ solar
de alecrim
mantém a disso a am#ndoa
é consumida amarrando 
galhos 7untos
pessoa alegre,é para dar com um cordão
um símolo de intelig#ncia. vermelho ou
ami$ade. • -ngélica dourado.
• -(afrão G/rocus G-ngelica 9

sativusH archanegelicaH • 93lsamo de
• %laneta: Sol %laneta: Sol

Qilead G%opulus
• Elemento: >ogo • Elmento: >ogo candicansH
• 5sado em rituais • - rai$ dessa erva • %laneta: Saturno
de prosperidade guardada em um • 6 otão pode ser
e cura. saquinho de usado para curar
tecido a$ul, um cora(ão
funciona como partido. 2amém
• -lho G-llium um poderoso é usado em
sativumH talismã protetor. feiti(os de amor


%laneta: *arte - rai$ser
pode tamém e prote(ão.
9asílico G6cimum
• Elemento: >ogo colocada em um

Erva asilicumH

saquinho de • %laneta: *arte
extremamente tecido ranco ou
protetora. %ode • Elemento: >ogo
a$ul, e
ser pendurado pendurado na • 5sado em rituais
em casa para 7anela para de rique$a e
proteger. proteger a casa prosperidade.
2amém e as pessoas que %ode ser
utili$ado para moram nela de carregada no
fa$er todo o mal. olso para atrair
dinheiro.
• J3 tempos atr3s • %laneta: Sol consagrar
acreditava!se • Elemento: >ogo instrumentos
que a mulher • 5sado como m3gicos.
acaaria com a incenso para • /oentro
indelidade do cura, G/oriandrum
marido clarivid#ncia, sativumH
salpicando asil vira()es • %laneta: *arte
no corpo dele. espirituais. • Elemento: >ogo
• 9aunilha GRanilla /onhecida como • 5sado em
aromatica ou um poderoso feiti(os de amor.
Ranilla planifoliaH afrodisíaco. • /ominho G/arum
• %laneta: <1piter 5sado em carviH
• Elemento: >ogo feiti(os de •

• 5sado me prosperidade. %laneta:


*erc1rio
encantamentos *uito usada • Elemento: -r
de amor, e o "leo tamém em
feiti(os de amor. • 5sado em
de aunilha tem encantamentos
fun(ão • /arvalho
de amor para
afrodisíaca GPuercus alaH atrair a pessoa
• 9en7oim GStIrax • %laneta: Sol amada.
en$oinH • Elemento: >ogo
• %laneta: Sol • Urvore sagrada
• Elemento: -r em muitas
• 5sado como culturas. • /ravo GDianthus
incenso para Pueimar folhas carIophIllusH
purica(ão. de carvalho • %laneta: Sol
• / purica. - • Elemento: >ogo
madeira é usada • Na época da
para fa$er inquisi(ão as
/amomila ast)es
os tipos.de todos
6 fruto ruxas

carregavam o
G-nthemis de carvalho pode cravo consigo
nolisH ser usado para para prevenir!se
• %laneta: Sol fa$er da captura ou
• Elemento: Ugua encantamentos enforcamento.
• 5sado em de fertilidade, Qera energia no
encantamentos e preservar a ritual quando
em rituais de 7uventude, evitar usado como
prosperidades. doen(as. 6 incenso.
Estimula o sono. homem pode • D
6 ch3 acalma e usar o fruto de • Dill G-nethum
tranqili$a, pode carvalho para graveolensH
ser muito 1til aumentar seu %laneta:

quando voc# poder sexual.


*erc1rio
precisar fa$er • /eola G-llium
• Elemento: >ogo
um ritual e cepaH

estiver sentindo •
%laneta: *arte 5sado
feiti(osem
de amor.
raiva ou agonia. • Elemento: >ogo %endurado em
=avar o rosto e • 5sado para quarto de
as mãos com proteger e curar. crian(as para
camomila atrai • /ipestre proteg#!las. Em
amor. G/upressus spp.H tempos antigos o
• %laneta: Saturno dill era usado
• Elemento: 2erra para se proteger
• /anela • - fuma(a do contra ruxarias.
G/innamonum cipestre pode ser • E
$eIlanicumH usada para
• Espinheiro travesseiro indu$
G/rataegus a sonhos
oxIacanthaH psíquicos. - • <
• %laneta: *arte folha pode ser • <asmin
• Elemento: >ogo tra$ida no olso G<asminum
• 5sado em pra atrair oa ocinale ou
]saquinhos] de fortuna. <asminum
prote(ão. Na • Q odoratissimumH
antiga Qrécia e • Qard#nia • %laneta: <1piter
oma, era GQardenia spp.H • Elemento: 2erra.
associado a • %laneta: =ua • 5sado em
felicidade no • Elemento: Ugua feiti(os de amor.
casamento. • 5se as &ores • <unípero
• %ode ser para atrais amor. G<uniperus
queimado como • Qirassol communisH
incenso quando GJelianthus • %laneta: Sol
voc# precisar de annusH • Elemento: >ogo
energia e • %laneta: Sol • 6 ramo de
dinamismo em • Elemento: >ogo 7unípero é usado
sua vida, e • 2ra$ #n(ãos do para evitar
quando precisar Sol em qualquer acidentes. 6
re&etir sore sua 7ardim no qual grão seco tem a
vida. ele cresce. propriedade de
• Eucalipto J atrair amor. Essa

GEucalIptus planta protege a
gloulusH • Jera GJedera
spp.H casa contra
• %laneta: =ua rouo.
• %laneta: Saturno
• Elemento: -r • =
• Elemento: Ugua
• 5sado em rituais • =aran7a G/itrus

de cura, e em Quarda
protege ea casa, sinesisH
feiti(os de todos • %laneta: Sol
os tipos. %ode de quem possui
essa planta. • Elemento: Ugua
ser utilixado para - casca seca de
cura colocando • Jortelã G*entha •

piperataH laran7a é usada


as folhas em em feiti(os de
volta de uma • %laneta: R#nus
amor e
vela a$ul e em • Elemento: -r fertilidade, e
seguinda • 5sado em como incenso
queim3!la. encantamentos solar. 0 um
2amém pode de cura, tomar símolo
ser pendurada anho com tradicionalmente
em volta do hortelã tamém chin#s de sorte e
pesco(o para é "timo para prosperidade.
curar resfriados curar, e tamém • =avanda
e dores de pode ser usado G=avendula vera
garganta. como incenso.
• > • C ou =avendula
ocinaleH
• >reixo G>raxinus • Cris GCris • %laneta:
excelsiorH &orentina ou Cris *erc1rio
• %laneta: Sol germanicaH • Elemento: -r
• Elemento: Ugua • %laneta: R#nus • 5sado em
• 5sado para fa$er • Elemento: Ugua anhos ou como
vassouras, e • 5sado em incenso para
ast)es de cura. feiti(os de amor, purica(ão. <ogar
-s folhas anhos e lavanda no fogo
deixadas incensos. no Solstício de
emaixo do Rerão é um
triuto aos • * h3 milhares de
Deuses e • *andr3gora anos. 6 suco da
tamém nos d3 G*andragora ma(ã pode
visão e ocinarumH sustituir o
inspira(ão. • %laneta: vinho, quando
5sado tamém *erc1rio for reali$ar um
em anhos para • Elemento: 2erra feiti(o ou algum
curar, e para ritual. - madeira
atrair homem. 6 • 5ma erva muito da macieira pode
perfume da poderosa para ser usada para
=avanda indu$ proteger o =ar. - fa$er ast)es, e
ao sono. rai$ pode ser utili$3!lo para
Excelente para usada para curar reali$ar feiti(os
dar claridade
coer#ncia em e a impot#ncia
masculina. de amor.
traalhos • %ra carregar a
m3gicos e mandr3gora com
concentrar a seu poder • *eimendro
visuali$a(ão. pessoal, deixe!a GJIoscIamus
em sua cama nigerH
durante  dias • %laneta: Saturno
durante a lua • Elemento: Ugua
• =ouro G=auris cheia. 5sada • Renenoso 5sado
nolisH para dar para atrair o
• %laneta: Sol coragem. amor de uma
• Elemento: >ogo • *an7erona mulher. 2amém
• Na -ntiga Qrécia G6riganum usado em
as folhas de ma7oranaH adivinha(ão
louro eram • %laneta: salpicando
usadas para *erc1rio meimendro na
fa$er coroas para •
Elemento: -r. 3gua GsrIingH.
os vitoriosos no • 5sado em
atletismo ou nos feiti(os de amor.
concursos de /oloque um
poesia. -s folhas • *irra
peda(o dessa
podem ser erva em todos os G/ommiphoria
queimadas ou c+modos da casa mIrrhaH
mastigadas para para ter • %laneta: Sol
indu$ir vis)es. prote(ão. • Elemento: Ugua
5sado como • *argarida G9ellis • 5sado como
amuleto para perennisH incenso protetor
evitar as • -s margaridas e puricador.
negatividades. estão associadas 2amém pode
-s folhas as celera()es ser usado para
deixadas da primavera e consagrar
emaixo do do verão: instrumentos
travesseiro indu$ m3gicos.
a sonhos decorar
na noite adocasa
proféticos. %ode verão, tra$
ser usado em felicidade para o
rituais de • *urta G*Irica
lar e atrai as ceriferaH
prote(ão e fadas.
purica(ão. • %laneta: R#nus
• *a(ã G%Irus Elemento: Ugua
*anter um pé de •

louro em casa malusH


• Sagrado para
protege todos os • %laneta: R#nus
R#nus, é usado
que moram nela • Elemento: Ugua em feiti(os de
de doen(as. • *uito usada em amor e de todos
feiti(os de amor
os tipos. 2er medita()es. 5se • S
murta em casa como incenso • SaugueiroGSam
atrai sorte. 5se para proteger. ucus
as folhas de • 6liva G6lea canadensisH
murta pra atrair europaeaH • %laneta: R#nus
amor, e a • Sagrado para • Elemento: -r
madeira para -tenas. 0 um
preservar a • 6s galhos podem
símolo de pa$ e ser usados para
7uventude. 5se a prosperidade.
madeira para fa$er varinhas
fa$er m3gicas.
encantamentos.
• %

%atchouli •
Salgueiro GSalis
G%ogostemon alaH
calin ou • %laneta: =ua
• N %ogostemon • Elemento: 2erra
No$ G<uglans patchouliH
• • 6s ast)es feitos
regiaH • %laneta: Sol
com a madeira
• %laneta: Sol • Elemento: 2erra do salgueiro t#m
• Elemento: >ogo • Erva afrodisíaca, a propriedade de
tamém atrai cura. 6 salgueiro
• 5se a no$ em
amor. tra$ #n(ãos da
encantamentos
para promover a =ua para aqueles
fertilidade e que o tem em
fortalecer o • %imenta sua propriedade.
cora(ão. G/apsicum spp.H 6 salgueiro pode
ser usado para
• %laneta: *arte fa$er a vassoura
• Elemento: >ogo
• No$!moscada • 5sado em m3gica. 2antoaas
folhas quanto
G*Iristica feiti(os de madeira
fragransH prote(ão • Salsa G/arum
• %laneta: <1piter petroselinumH
• Elemento: -r • %laneta:
• 5sado para •  *erc1rio
refor(ar a • osa Gosa spp.H • Elemento: -r
clarivid#ncia e • %laneta: R#nus • Na antiga Qrécia
prevenir • Elemento: Ugua e oma era um
reumatismo. símolo de
Sonhar com no$! • 9ea um ch3 de
rosas parar ter morte, e era
moscada usada nas coroas
signica sonhos
divinat"rios, ou de &ores em
mudan(as na t1mulos. Era
vida do para melhorar a
sagrado para
sonhador. ele$a. 5sados
%erséfone e
como
em incenso ou usado em ritos
funer3rios.
encantamentos,
• 6 para dormir,
• 6líanoG9oselli atrair amor e
a carteriiH curar. Sonhar • S3lvia GSalvia
• %laneta: Sol com rosas ocinalisH
• Elemento: >ogo signica, sucesso • %laneta: <1piter
Seu perfume é no amor, fortuna • Elemento: 2erra

muito poderoso • 5sado em


para a7udar em encantamentos
de cura e fa$er tinta • 5
prosperidade. m3gica. • 5rtiga G5rtica
%romove a dioicaH
longevidade e • %laneta: *arte
sa1de. Elemento: >ogo
• 2 •

• 2ília G2ilia • Encha um pote


europaeaH com urtiga para
• Samamaia • %laneta: <1piter mandar m3
• %laneta: Saturno • -ssociado ao vira()es e
• Elemento: 2erra amor con7ugal e maldi()es de
• 0 uma planta a longevidade. volta para quem
extremamente te mandou.
poderosa para a 5sado em
feiti(os de
prote(ão da
casa. • 2omilho G2hImus prote(ão. 5sado
vulgarisH para dar
• %laneta: R#nus coragem. >oi
• Elemento: -r considerado
• S8ndalo • 5sado como como antídoto
GSantalum contra v3rios
incenso
alumH venenos.
puricador,
• %laneta: =ua anhos m3gicos • R
• Elemento: -r de limpe$a. %ode
• 5sado como ser inalado para
incenso para refrescar e • Raleriana
puricar, curar e renovar energia. GRaleriana
proteger. 5se para se ocinalisH
defender contra • %laneta:
negatividade.
• Sangue de 2ra$ inspira(ão e •
*erc1rio Ugua
Elemento:
coragem.
Dragão • Esta erva é
GDaemonorops usada em
draco ou feiti(os de amor,
Dracaena dracoH • 2revo G2rifolium e em anhos de
• %laneta: *arte spp.H purica(ão.
• Elemento: >ogo • %laneta: 2amém pode
• 5sado em *erc1rio ser usada como
feiti(os de amor • -ssociada a calmante
e prote(ão. 5m Deusa 2ríplice.
peda(o colocado 5sado em rituais
deaixo da cama de ele$a e • Rioleta GRiola
a7uda a curar a 7uventude. 6 tricolourH
impot#ncia. trevo de quatro
• %laneta: R#nus
• /arregue um folhas, pode ser
usado para ver • Elemento: -r
peda(o com
voc# para fadas, curar •
*isture com
sempre ter sorte. doen(as, e em lavanda para um
%ode ser feiti(os de oa poderoso
dissolvido e sorte. Sonhar encantamento
usado no anho com trevo de amor. -
para uma signica fortuna compressa feita
poderosa principalmente com violeta
purica(ão. 6 para pessoas a7uda a curar a
sangue de 7ovens. dor de cae(a .
dragão tamém Sonhar com
é usado para violetas signica
mudan(as para
melhor. Rioletas
asorvem
feiti(os do mal. -
fragr8ncia
acalma e limpa a
mente.

• Risco GRiscum
alumH
• %laneta: Sol
• Elemento: -r

5sado com um
amuleto protetor.
6 visco era
muito estimado
pelos druidas,
que o usavam
para se proteger
do mal.

Ervas dos 6rix3s


• 5m fator importantíssimo na forma(ão de um sacerdote é o conhecimento das
CNS-9-S, Gervas sagradasH, pois que sem elas, não podemos reali$ar nada dentro
do axé orix3. Delas dependemos desde a reali$a(ão de um e" até a feitura de
um Ia+, como até mesmo no preparo de um corpo para ser sepultado. *as
estas ervas
v3rios são
orix3s, de uma
outras tão complexidade
somente para muito grande,
algumas pois que
qualidades. -sumas
ervasservem
de Nanãpara
e
6mul1, por exemplo: <-*-CS podem ser usadas em pessoas de alguns santos. <3
existem outras que apanhadas de manhã em cedo, são para um determinado
m, de tarde para outros, e assim por diante. -inda existem aquelas que não
podem ser utili$adas em hip"tese alguma por qualquer que se7a a qualidade do
orix3 dado a serem ervas de egum, ex1 e assim por diante. -lgumas destas ervas
proiidas no axé orix3 são:

>olha de amora por ser erva de egum e não de santo como di$em alguns,
>olha de fogo,
>olha de canssan(ão
5rtiga
%inhão roxo
>olha de caramola
>olha de 7amelão
>olha de corredeira e assim por diante.

0 necess3rio que um $elador tenha profundo conhecimento das insaas para que
ao preparar um anho, por exemplo, não venha a destruir a vida das pessoas. -s
ervas são a nature$a viva, e como tal, sua for(a é pura, ou como di$emos
normalmente: uma for(a ruta;, esta for(a é totalmente independente da
vontade do homem, ou 7amais ser3 manipulada por ele, a não ser para seu uso
di3rio, assim, devemos estar em conscientes de nossas atitudes, dado que estas
for(as uma ve$ invocadas, atuarão na vida das pessoas podendo causar
malefícios ou enefícios, e isso se dar3 de conformidade com o uso que fa$emos
dela. -ssim é imprescindível que as cultuemos que $elemos pela nature$a para
que possamos sempre estarmos utili$ando de suas rique$as. E que aprendamos
corretamente o uso das Cnsaas antes de utili$3!las. >a$!se necess3rio tamém
que n"s do axé orix3, nos empenhemos
-ssa peixeno comate ao desmatamento, e
qualquer outra coisa que venha-lfavaca
a destruir a nature$a, pois asta que lemremos
que nossos santos, governam esta
<arrinha
nature$a
Gnão e,
se que
usa sem
em anhosH
ela, não 2EE*6S /6*6
/6N2CN5- a praticar esta religião
2aioa
tãoGnão
maravilhosa.
se usa em anhosH
/ordão de frade
-ssim, passamos a seguir a discriminar
2aquarinhaalgumas ervas de cada orix3:
-roeira Gs" pertence a este santo em determinados hor3
>olhas de 6gum:

>olha de dende$eiro 2empo:


<un(a Gespada de S. <orgeH
>olha de 7uruea /astanheira Gnão se usa em anhosH
-re caminho 9oldo
Qervão
São gon(alinho /anela deGnão
%almeira velho
se usa em anhosH
>olha de canela -lecrim
Eucalipto Gnão se usa em anhosH
/ana de macaco
*an7ericão
6xossi -roeira Gseguindo o mesmo hor3rio de 6mul1H

/hapéu de couro
-lecrim da horta
-roeira ang+:
%itanga
-lfavaquinha -B+B+
%aripar"a GcapeaH 9etis cheiroso
/inco folhas Sucupira
=an(a de 6gum Elevante
>olha de coqueiro >olha de quiao 6xum:
2aquarinha Qameleira
Dinheiro em penca *an7ericão
/ol+nia
=ogum Edé 6xuat3 Gnão se usa em
6ssanha ou -gué S8ndalo
/hapéu de couro Erva de Santa =u$ia Gnão
/astanheira GamendoeiraH 6riri /apea
>olha de fumo Gnão se usa em anhosH
/ol+nia 6riri
Erva de passarinho Gnão se usa -lecrim
para anhoH
da horta
-lfavaca *an7ericão
*an7ericão -lfa$ema Oeman73:
Rassourinha %ati"a
Essas são algumas das ervas que -lfavaquinha
se usa em -gué, uma ve$ que por ser ele o
9rilhantina
dono das folhas são utili$adas praticamente todas as ervas para estedosanto.
/ana re7o
Cma1a Gnão se usa em
6I3: Saião
6xum *ar# /ol+nia
%ara raio Gnão se usa para anhoH
ama de atata doce Gnão se usa >olha
emdeanhosH
manga espada >olha de algodão
2ran(agem
>olha de ananeira Gnão se usaEucalipto
em anhosHGnão se usa em anhosH
9etis cheiroso
*elão de S. /aetano Gnão se usa Erva
emprata
anhosH
<i"ia Gnão se usa em, anhosH /atinga de mulata
2aioa Gnão se usa em anhosH%erecum vermelho Gsomente seNanã: usa em determinados 
Erva de passarinho Gnão se usa *alva
em anhosH
cheirosa
/apea G%aripar"aH Negramina
-ssa peixe
6mul1F 6aluaI#:

/anela de velho
Não h3 como falarmos no candomlé,
ig" ! folhas
sem citarmos
da terra oousincretismo.
conseqentemente,
5ma ve$ que ele teve seu come(o &oresta.
nas sen$alas e permaneceuestar3,de tamém, ligado
uma forma cada ve$ mais viva dentro da pr3tica religiosa africana. ao compartimento
6 sincretismo foi uma maneira que os escravos
]Nestes quatro encontraram para Ugua. <3 6gun ZgWdW
drilarem a persegui(ão da Cgre7a, que proiia o culto aos seusLrun,
compartimentos!ase, G >erreiro
Deuses, por achar que se tratava de ruxaria. Então
concentram!se o os escravosdo céuH, se liga,
passaram a esconder as pedraspanteão
sagradas dos
7#7e assentamentos
! nag+ . tamém, ao elemento
G6But3sH, dentro de imagens deQenericamente,
Santos, tendo assim
vamos uma maior -r, 7untamente com
lierdade de culto. encontrar Exu e ang+ 6xal3.
participando do
" assim nasceu o candombl 6ue conhecemos
compartimento >ogo' hoje com6xossiseu é ligado 4 2erra'
sincretismo: 6gun, 6xossi, 6ssain e mas, nas suas vari3veis,
6aluaIe ligados ao encontramos CnlW,
6gum ! Santo -nt+nio e S. <orgeelemento 2erra' modalidade deste Lr\s4
Ceman73, 6xum, 63, que, como =ogunede,
6x"ssi ! São <orge , e São Seastião
Nanã e Oe3 associadas est3 associado tanto ao
as Uguas, e 6xal3 e 6I3 compartimento Ugua
6ssãe ! São Expedito , e São 9enedito
ao -r. 2odavia, ao quanto ao 2erra'
particulari$armos entretanto, para maioria
6xum V *ar# ! São 9artolomeu veremos que alguns das outras qualidades
Lr\s4s como =ogunede de 6xossi predominam
6mul1 ! São =3$aro e em algunse estados
6xumare, é sincreti$ado com S.o9ra$ elemento 2erra.
considerados ]*eta!
6aluaI# ! São oque *eta], estarão 6aluaIe, sendo um
vinculados a mais de Lr\s4 da 2erra G 6a 
ang+ ! S. <er+nimo, S. %edro, S.um<oão 9atista, S. <udas 2adeu. ei, -Ie  2erra H, mas
desses
compartimentos. que se relaciona com a
=ogum V Edé ! S. *iguel -rcan7o fere e o sol do meio!
Exu est3 ligado com dia, est3 ligado,
6I3 ! Santa 93rara predomin8ncia ao igualmente, os
elemento >ogo, porém, compartimentos 2erra e
6xum ! Nossa Senhora da /oncei(ão, NossaLr\s4
como ]cada Senhora da -parecida,
>ogo. Em algumas
Nossa Senhora da %enha. possui seu Exu, com o ocasi)es ele recee o
qual ele constitui uma título de : ]9aa
Oeman73 ! Nossa Senhora dos navegantes, Nossa Senhora da Ql"ria
unidade] G Santos, Cgonan  %ai da
jX:H, este quentura] G Santos
Nanã ! Nossa Senhora Santana compartilhar3 do jX:wH. 2ítulo que é
mesmo elemento ao dado tamém a uma
Ce7i ! /osme e Damião qual o Lr\s4 est3 qualidade de ang+
associado. -ssim, os -ir3, considerado dono
63 ! Santa <oana Darc Exus das Ca3s estarão do fogo e cultuado
ligados tamém , ao numa fogueira.
6xal3 ! <esus /risto. elemento Ugua, os de
6gun e 6xossi ao 6ssaim, por ser patrono
compartimento 2erra, e dos vegetais,
-s >olhas dos 6rix3s assim ocorrendo com os automaticamente, est3
demais Exus. ligado a todos os
]6s vegetais estão elementos da nature$a'
dispostos em quatro 6gun atua todavia, seu
compartimentos!ase predominantemente compartimento principal
diretamente com no compartimento é o 2erra, representado
relacionados aos quatro 2erra. 2odavia, na pelas &orestas onde
elementos' as eé af éé qualidade [arin, nasceu todos os
f é ! folhas de ar encontramos um 6gun vegetais.
G ventoH' as eé in " n que haita nas 3guas ,
as eé omi, ! folha de pois segundos os mitos 6xumare é
3gua' e as Cl é ou eé ele vive no io com representado pelo arco!
6xum' íris que se pro7eta nas
3guas em dire(ão ao demais compartimentos em posi()es in3rias.
céu. =iga!se, ase. 2odavia, essa não é
simultaneamente, aos uma condi(ão sine qua
compartimentos 3gua e 6xal3 esta ligado, com non quando analisamos
ar. %ode ser irmão de predomin8ncia, ao mais detalhadamente a
6aluaIe, algumas compartimento -r. utili$a(ão dos vegetais,
ve$es se relaciona, 2odavia, Santos pois perceemos que
tamém , com o GjX:jH di$ que algumas folhas
elemento 2erra. ]6xal3 est3 associado 4 positivas se relacionam
Ugua e ao Ur, 6dudua com o lado esquerdo ou
Nana, a iaa que é est3 associado 4 Ugua e feminino e vice!versa,
representada pela a 2erra]. -ssim como daí encontrarmos folhas
chuva fertili$ando a 6dudua, 6rix3 6B" femininas usadas com
terra GlamaH, tem como tamém é um 6rix3 ns positivos, e folhas
masculinas
compartimento ase a funfun GsrcinalH e,
Ugua, mas, tamém, a segundo os mitos, é consideradas negativas.
2erra. considerado o patrono Rerger Gjj:H cita,
da agricultura, por exemplo, ]que entre
6i3, em um de seus possuindo estreita as folhas h3 quatro
diversos aspectos, é liga(ão com a 2erra. conhecidas como G...H as
cultuada no rio Níger, na quatro folhas
Ufrica, o que real(a suas Nesta visão do mundo masculinas G por seu
características de <e7e!nago, traalho malécoH ...' e
]deusa da fertilidade] direitoFmasculinoFpositiv quatro tidas como
ligada ao o são opostos a antídotos...]Entre estas
compartimento Ugua, esquerdoFfemininoFnega 1ltimas ele inclui o
em como 3 tivo, ou se7a, o Td1nd1n GAalanchoe
respons3vel pelos masculino é positivo e crenataH, que é uma
coriscos, tempestades e se posiciona do lado folha feminina, porém
ventanias, fato que a direito, enquanto o positiva, o que nos fa$
associa tanto ao feminino é negativo e crer que as diversas
elemento -r quanto ao se posiciona do lado condi()es in3rias não
elemento >ogo. So a esquerdo. Neste interagem de modo
denomina(ão de ]6Ia contexto os rígido entre si, pois,
Cgale, 6ris3 patrono compartimentos que como vimos, uma folha
dos mortos e dos cont#m as eé in"n masculina pode estar
ancestrais]GSantos Gfolhas do fogoH e eé situada 7unto aos
jX:wH, participa, afééfé Gfolhas do arH elementos da esquerda
tamém do elemento estão associadas ao por ser considerada
2erra. masculino, elementos negativa.
fecundantes, enquanto
ango est3 associado, que as eé omi Gfolhas No sistema de
predominantemente, ao da 3guaH e as eé ilW classica(ão dos
elemento >ogo, Gfolhas da terraH se vegetais, a condi(ão
enquanto que CroBo, ligam ao feminino, para que uma folha se7a
entidade tom"rca elementos fecund3veis. masculina ou feminina é
cultuada em uma o seu formato, pois, na
3rvore, emora possua -o determinar que as concep(ão <e7e!nago, a
muita anidade com o folhas são separadas forma f3lica GalongadaH
primeiro, est3 ligado ao por pares opostos: g1n caracteri$a o elemento
elemento 2erra. Gde excita(ãoH x WrT Gde masculino, em
calmaH, eé apa otun contrapartida, a forma
6xum, Ceman73 e 6a Gfolhas da direitaH x eé uterina GarredondadaH
são iaas ligadas, apa osi Gfolhas da determina o elemento
especicamente, ao esquerdaH, os <e7e!nago feminino. Essa
elemento Ugua' porém, tomam como modelo conven(ão é adotada,
alguns de seus aspectos um sistema da tanto com rela(ão as
poderão lig3!las aos classica(ão aseada folhas, quanto aos 7ogos
divinat"rios que tiveram
srcem a partir do • /U/C-!<5E*-
- e defuma()es
or3culo de Cf3, onde, • =igada ao Deus pessoais e de
dos de$esseis cauris G 6rix3 H 6x"ssi. amientes, anhos
usados, oito são de 5sada nos anhos
forma alongada e de -+
considerados de descarrego, Gindispens3velH,
masculinos, e os sacudimentos, pois afugenta os
femininos são os oito lavagem de contas. 0guns G espíritos
restantes que possuem 6s.: ES2- >6=J- desencarnados H e
forma arredondada. N5N/- DERE SE Exu G 6rix3 das
]%or conseguinte, P5EC*-D-. Nos
*achoF>#mea formam encri$ilhadas, que
cultos de /atim", muitas ve$es
um par de oposi(ão
3sico no que
4s espécies se refere
vegetais, e
os indíginas
uma fa$em
eida, extraí! confundem o em
com o mal H. Na
est3 diretamente da da rai$ desta
medicina caseira é
relacionado ao Lr\s4] planta, que
G9arros jj:XH. -s usada como remé!
chamam de /auim
folhas consideradas dio eca$ para
ou -7uc3. Da
masculinas estão tosses GcatarrosH,
infusão ou
associadas aos oor"s ronquites,
G orix3s masculinosH, decoc(ão otida da
usando!a como
em como as femininas casca, di$em os
ch3.
pertencem 4s Caas índios que, depois
Gorix3s femininosH' de e#!la, se
todavia, eventualmente sentem leves,
encontraremos algumas transportados para • -=>-R-/- D6
folhas femininas /-*%6
associadas aos oor"s e o /éu. Na medicina
algumas masculinas caseira é utili$ada • %lanta conhecida
atriuídas 4s iaas, o externamente, em na 9ahia como
que parece re&etir uma anhos ou Puioi+ e no
ipolaridade compressas sore Nordeste como
característica de alguns 1rceras, cancros, e
orix3s. remédio de
na erisipela, em xaqueiro. 5sada
ra$ão de um prin! para origa()es de
Puando utili$amos nos
rituais de inicia(ão ou cípio org8nico nela amaci de 6rí. Des!
nos traalhos lit1rgicos, contida. carrego, anho de
os vegetais -+ G limpe$a
classicados como WrT espiritual H,
tem a fun(ão de • -=E/C* D6 *-26
65 DE /-96/=6 lavagem de contas.
arandar o transe,
apa$iguar o orix3 ou Do co$imento das
acalmar o iniciado' • =igada aos Deuses folhas, usa!se fa$er
contrariamente, os G 6rix3s H 6xal3 e o ch3 e um xarope
considerados g1n 6x"ssi e v3rios para coqueluche e
servem para facilitar a 6rix3s. - 1nica principalmente
possessão e excitar o diferen(a do ale! para comater
orix3. crim do mato é que tosses reeldes,
esta espécie chega ronquites e asma.
a uma altura de
Folhas (itúrgicas no dois a tr#s metros.
Candombl 5sada para anhos, • -=>-YE*- DE
amacis de 6ri /-96/=6 65
9anho de cae(a H, -/U/C- 65
lavagem de contas, <5E*CNJ-
• =igada aos Espítos amuletos, patu3s, grande ec3cia
dos /aolos. gas e cru$es. Na como emoliente, é
5sada para o -+, medicina caseira, muito usada para
amaci de 6ri, usada contra ascessos e
lavagem de contas vermes e reu! tumores. /omo
e nas defuma(+es matismo. 6 sumo esta planta custa
pessoais e de macerado é muito a secar é
amientes. Na utili$ado para sustituida pela
medicina caseira é fechar feridas piteira Gfolha de
usada para fa$er 6ssaInH, que
G excelente
ess#ncias oferece sempre
sicatri$ante H.
arom3ticas A(A)A>A folhas secas e pam
uso imediato que,
GperfumesH ou são
colocados em • =igada aos Deuses do mesmo modo, é
ramos em 6aluaI# e 6xun. 0 um -loés.
saquinhos muito usada para
perunados anhos de
Gsach#H. para as descarrego. Na A>A-AH3 +3
gaveta. medicina caseira é %>A%AH3 +3
muito usada nos C+0%"%.A
• 6 ch3 éusado
tratamentos das o  =igada ao
contra tosses
doen(as de pele, Deuse
reeldes e 6aluaI# ou
sarna GcoceirasH,
ronquites. 6m"lu. Na
ec$emas e
furunculose.5sa!se medicina
uma lo(ão feita caseira é

--/U D6 /-*%6 com as folhas tida e


co$idas. havida
• =igada ao Deus como eca$,
6xossi . 5sada para aplicados os
lavagem de contas. frutos
Na medicina @(FA4ACA-.+5A
socados,
caseira, é usada • =igada aos Deuses
para
como ch3s para 6aluaI# e ang+.
descarregar
diarréias e para Na medicina tem
o intestino,
altera()es das vias as mesmas
pois age
urin3rias. aplica()es
como
descritas antes.
laxante e
purgativo.
• -5D- *-/J6 A(+Y8 +3 No campo
BAB+8A AP"4." da

5sada em todos os +3 AP"B." Z
A(+Y veterin3ria,
rituais e • =igada aos Deuses tamém é
principalmente em 6aluaI# e 6gun. usada em
anhos para cortar Da gosma contida doses muito
inve7a, olho! no interior da folha, fortes. Do
grande, en$i! fa$!se aplica()es co$imento
mentos, lavagem para queimaduras, das folhas é
de contas. Esta t+nico capilar, feita uma
planta na 9ahia é cristel para mistura
usada para se fa$er hemorr"idas. 2endo para o
tratamento pertencente aos inve7a e os m3s
do mesmos 6rix3s e &uídos. 5sada
reumatismo, que d3 uma fruta serve tamém para
em de! gostosa, conhecida atrair o amor
moradas como 9iri3H perfeito, quando
compressas usada em magias
ou em para tal.
anhos A.."B">(A-
quentes CA4A(+
demorados. • =igada aos Deuses A>0[.%+ +3
2amém é 6aluaI# e Exu. PA>9A

usada como
regulador 5sada como =igada aos Deuses
aroeira, para 2empo ou 6ssaiIn.
do &uxo anhos fortes de Dentro da medicina
menstrual caseira, é usada
descarrego, do como t+nico
das pesco(o pra aixo. capilar.
senhoras. %articipam do
co$imento para
anho Gsem ir ao A(FAC"
A.A0%C3) –"- fogoH, maceradas: • /ontam as lendas
A."%A +3 B%.%B@ 6 pinhão roxo, são que R#nus !
+3 )A(V(+ gon(alinho e a -frodite quis um
• =igada aos Deuses vassourinha!de! dia esconder
6aluaI#, 6xun e rel"gio G 6s.: Esta -donis, e para isso
Oemau73. %lanta planta difere acomodou!o num
africana muito usa! astante da outra de pé de laface,
da pelos povos que possui o corindo!o com as
9antus, principal! mesmo nome. Esta folhas da referida
mente no /ongo e não tem espinhos, planta. Deste modo
na -ngola, onde as folhas são protegeu o lho da
toma os nomes de denteadas, macias ira dos outros
O+lo, *aIlo ou e a planta é leitosa, deuses por longos
*al"lo. enquanto que a anos. - alface para
=iturgicamente outra d3 uns frutos os gregos era tida
muito usada, sem arredondados e como planta
mistura de outra sagrada. Nos cultos
vermelhos' quando
erva, para anhos afro!rasileiros é
maduros, as folhas
de descarrego. Na folha de 0guns
e caules s4o
medicina caseira, a G mortos H. 2oma!se
espinhososH. "80A
polpa dos frutos é ch3 das folhas para
$(A>0A >O+ 0")
retirar in&u#ncias
usada
tumores,parae va$ar
do 38+ >A de espíritos
)"%C%>A
co$imento das desencarnados.
CA8"%.A.
folhas para o tra!
tamento de
reumatismo G 6s: A.+"%.A
J3 outra espécie A>9"(%CA • =igada aos Deuses
que pertence 4 • =igada aos Deuses Exu, 6gum e
mesma família, que 6ssaiIn e 6xal3. =ogun!0de. 6
é o araticum!do! 2er um ramalhate anho forte serve
mato, aironacea, em casa afasta a para descarregar
energias negativas danosas de
e lavar energias de B"(.+"9A
instrumentos e espírtos negativos,. • =igada aos Deuses
latares , visando 6aluaI#, Ex1 e
sua purica(ão das 2empo. 5sada para
larvas astrais B.%>C+ " purica(ão de
danosas. $.%>C"8A altares e
• %ara GEligar3 V ei isntrumentos. -
dos Ex1sH. purica(ão é feita
A.."B">0A Empregada em
limpando!se os
CA4A(+ anhos fortes de
instrumentos e

=igada
Ex1 aos Deuses
e 6aluaI#. 6 descarga contra utencílios com
energias negativas,
9anho é usado saão da /osta ou
para descrrego de preferencialmente
de coco. Depois de
larvas astraias numa encri$ilhada,
danosas G do em limpa com a
tendo!se o cuidado,
pesco(o para aixo de deixar um vela palha da /osta e o
H. saão, tudo é
acessa e um copo d
^3gua, em caso, lavado e
num local mais lato friccionado com a
A4"(=8 +3 que a cae(a e 9eldroega. Na
F%93"%.A + fa$endo!se uma medicina caseira,
%AB+ +3 presce ao seu guia usam!se as folhas
9A%+(%><A espiritual G rmar o socadas para
• 2ra$ida da Ufrica guia H. apressar a
por um mission3rio cicatri$a(ão das
e plantada em feridas Gcortes,
/aruaru, estado de
B.%+ " ferimentos por ala
%ernamuco, em
"803A>0" ou facaH,
wj. 5sa!se
• =igada aos Deuses colocando!se por
socada para
6ssaiIn e 6gun. Na cima, o efeito é
purica(8o dos
instrumentos medicina caseira é r3pido, em ra$ão
m3gicos e altares. usada em ch3, do princípio ativo
+bsE: + ("%0" contra a ins+nia. da planta, o 3cido
"80A salicílico.
@.4+."8 D CA8+
CA%A >+8 BA.BA-"-4"(<+
+(<+8D C"9A. +3 )389+ B".%>'"(A .+5A
• =igada aos Deuses • =igada aos Deuses
6aluaI# e 6xal3. 6aluaI# e 2empo.
BA)B[ -plicada nas Na medicina
• =igada aos Deuses defuma()es ap"s caseira as folhas
6gum e Cans8. os anhos de aquecidas,
5sado as folhas descarrego. Na me! colocadas por cima
secas com aga(os dicina caseira é dos tumores,
de cana para usada como uso t"! desin&aman!nos
defuma()es e o pico em forma de com revidade. 6
anho do pesco(o suco para com! ch3 das folhas é
para aixo, contra ater hemorr"idas. eliminador dos cal!
as in&u#ncias
culos da exiga e
rins, sendo um ligadas a Deusa C%$= – CAB+C(+
"timo diurético, Cans8. - espiga • 5sado nos anhos
aumentando o usada como Oteque de descarrego e
volumeda urina. GamuletoH, de! lavagem de contas
pendura na porta e instrumentos
da co$inha ou co! m3giscos
pa, sem que lhe ritualisticos. Na
• CAA$"BA +3 medicina moderna,
$A.%$A.+BA retire a palha,
fa$xendo!se uma usado em anhos
• =igada aos Deuses
al(a de palha que para comater o
ang" e 6x"ssi.
capeia a espiga e linfatismo, incha(os
5sada em 9anhos e
e in&ama()es das
lavagem de contas. deixando!se a me!
tade, no sentido do pernas e testículos.
Na medicina ca!
seira, o ch3s erve comprimento,
para os males do descoerta, cando
fígado, e do os gãos 4 vista. 0 C%$= CA)A.O+
co$imento das um modo de atrair • 5sado em anhos
raí$es em fartura de de descamgo e
decoc(ão, é usada alimentos. defuma()es. Na
como diurético e • 6s.: Puando medicina caseira,
para as estiver secando, do co$imento das
pertura()es trocar por outra folhas e do cip"
uterinas. verdinha. Na para feridas e
medicina caseira é contus)es
usado como G lavagem ou
diurético e para compressas H.

CAF".A>A
A(3)O  CAFY +3H c3culos renais
Gtoma!se o ch3H.
• =igada aos Deuses
6ssaiIn, ang+ e C%$= B.A4+
6gun. Na 9ahia é • =igado aos Deuses
CA$%)-(%)O+ 6xal3 e 6x"ssi. Na
conhecida por
• Na 9ahía e medicina caseira é
-lumã. Na
Nordeste é co! usado para
medicina caseira é
nhecido como cmater o fumo
usada para
incenso de caoclo. excessivo,
fraque$a e
Erva sagrada, -xé controlador do
deilidade.
de 6x"ssi, muito sono e calmante.
%oderosos
usada em lavagem
de contas e
instrumentos
• CAB"(+ " C+C+ " %.%
)%(<+ m3giscos
ritualisticos e nas

=igado aos Deuses
• =igada ao Deus 6xossi e Ceman73.
defuma()es. Na
6x"ssi . - Das >olhas são
medicina caseira é
aplica(ão na feitos anhos de
usado para males
medicina caseira descarrego. Na
do est+mago,
est3 no caelo. medicina caseira,
resfriados,
Nasce das espigas pelo co$imento das
ronquites, tosses.
ao fruto e 4s raí$es, deela os
sementes do milho. males do aparelho
-s espigas são genital feminino.
5sado em anhos e C%$=-C<3)B+ lhos. Era
lavagens. • =igada aos Deuses chamada
6aluaI# e Exu. Na pelos
medicina caseira gregos de
CA.+B%><A + muito usado como A=E=CDKN,
CA)$+ +3 xarope para tosses que quer
'ACA>@ e ronquites. Do di$er
$"0".=%"8 andorinha,
co$imento das
• =igada aos Deuses por isto
folhas é feito o ch3
6aluaI#, 6mul1 e vulgarment
para diarréias
2empo. Esta planta e é
sanguinolentas e
é de grande -x3
G poder H nos cultos icterícia. Seco e denominada
erva!de!
redu$ido a p" é
aianos, pelo uso andorinha. 0
eca$ para
que o povo fa$. usada para
cicatri$ar feridas.
Não conhecemos anhar o
em outras na()es, rosto e o
fora do /ongo, o corpo e para
C+">0.+
emprego lit1rgico. tirar
• =igada aos Deuses manchas.
Na medicina casei!
6aluaI# e 6xal3.
ra o seu emprego
Na medicina
vem dos /amutas
caseira é usado
GQrupo AilongoH, C+C+-" -">X
como regulari$ador
negros que a • =igada aos Deuses
das fun()es digesti!
trouxeram para a 6ssaiIn, Of3 e Exu.
vas e eliminador de 6 "leo que se
9ahia, como de!
eladora dos males gases intestinais. extrai da polpa do
ou doen(as de referido coco tem
pele, coceiras, um teor enorme de
feridas e C"(%V>%+ +3 vitaminas. -
".4A -"- semente do
esfoladura. A>+.%><A
coquinho,
o =igada aos
desprovida da
Deuses
polpa fornece um
C"B+(A + 6ssaiIn,
"leo ranco e serve
)A0+ +3 6aluaI# e
C">CY) para sustituir a
2empo. Na
• =igada aos Deuses manteiga: é a
medicina
6aluaI# e Exu. Na chamada manteiga
caseira é
medicina caseira, de /arité ou -din.
utili$ada
usada ralada sore Na medicina
para lavar
tumores, é as vistas caseira é muito
usado o coco, pera
resolutiva como GcataratasH.
deelar dores de
emoliente. Do - lenda
cae(a, anginas e
co$imento GfolhasH, conta que
diminui(ão da
apressa a as
vista, em ra$ão de
cicatri$a(ão de andorinhas
fraque$a dos "r!
feridas que não apanhavam
gãos visuais
fecham. esta planta
Gcataratas, etc..H
para dar
incha(os de pernas
vistas aos
e c"licas
adominais. • =igada aos Deuses resina ou das
• /eola!do!*ato ou 6aluaI#, 6xal3 e cascas e folhas é
*angue!/eola 2empo. 2amém usado para o
• =igada aos Deuses
chamada de tratamento de
Exu, 6mol1 . 5sada
caucerosa, salva! 1lceras varicosas.
como a ceola!
vidas, espinho!de! *odo de usar:
cecém, cortada em
deus. 5sada para polvilhando as
k partes iguais e
anhos de vari$es.
distriuída pelos
descarrego. Na
cantos, deaixo
medicina caseira
dos m"veis para
possui astante
afastar etc.falsidade,
inve7a, aplica(ão quando
".4A C3>A("%.A
receeu de 6lorun
• =igado ao Deus
G Deus Supremo H,
6x3ssi. 5sada em
para aliviar as
F""9+8+ +3 anhos de
C@%A dores humanas. E
descarrega. Na
• =igada ao Deus empregada para malicina caseira
Exu. 5sada para deelar as usada como
sacudimnentos de afec(+es do diuretico e
amientes, anhos. est+mago, nas sudoríco, muito
-compnha outas gastrites, empregada para o
ervas que prestam gastralgias, 1lceras comate da sílis.
4 mesma e c8ncer: %)e m 5sa!se o co$imento
nalidade. 2amém as dores com das folhas.
empirgada para
espantosa rapide$.
limpe$a
%ode ser dotamém
chão. F%9+ +
%>F".>+ +3
empregada como F%93"+%.A
oferenda para "80+.A13" B.A4A
deuses da guerra B.A8%("%.+ • =igada ao Deus
G 6gum, Uries e • =igada aos Deuses Exu. 9elíssima
etc...H. 6aluaI# e arvore que da
6xal3.5sada a frutos grandes, de
resina GgomaH que cor marrom!escura.
aparece ap"s se No tronco nascem
+3.A%><A +
CA)$+ aplicar talhos, os frutos em
golpes, em volta do grandes
• =igada ao Deuse
pé, do caule. 2irada quantidades, em
6aluaI#. Na
a resina, esta é 7untos. Cnteressante
medicina caseira é
redu$ida a p". é o perfume que
usada no
tratamento das Emprega!se mis! chama a aten(ão
de qualquer pessoa
doen(as da pele ou turada com
en7oim e que se aproxima do
dermatoses. Esta trunco. 0 local de
erva cura a sarna e alfa$ema, em farta
concentra(ão para
é o ponto nal nas defuma(ão
Exu e de arriada de
coceiras. pessoal, depois do
origa()es.Excelen
anho de
te para se deixar
descarrego. Na
presentes para as
"8$%><"%.A medicina caseira, o
entidades das ruas
8A>0A p" resultante da
e da terra.
minense. Na
medicina caseira,
93AC+
C<"%.+8+ usada em ch3, para
F+(<A-A- • =igado aos Deuses os males do
F+.03>A  6xal3, 6x"ssi, intestino,
F+(<A -"- 6xumaré. 2amém est+mago, m3
+5A(@ +3 conhecido como digestão.
F+(<A-A-C+80A erva das serpentes.
• =igada aos Deuses 5sado para anhos
6xal3 e Exu. 5sada de limpe$a. Na 9A)"("%.A
nos anhos medicina caseira é =igada aos Deuses
lustrais. usado contra 2empo, CroBo ou
tosses reeldes, =e+Bo e ang+.
ronquites, como %lanta de grande
F%9+ B">'A)%)
xarope. -plicado poder e tida como
• =igada aos Deuses
contra veneno de intoc3vel fetiche do
6aluaI# e Exu.
cora Gsoro 6rix3 Cr+Bo, no
5sado em anhos
antiodicoH, com Aet1, que no <#7# é
fortes para p+r ra folhas secadas no chamado de =o+Bo
4 persegui(ão local e o ch3 forte G e no /ongo e
Gosidia(ão, eido H, dosagem -ngola de 2empo.
osessãoH. >a$er a de  gramas para Delas se reco!lhe,
gangorra  anho  litro d3gua.
por ocasião das
dado com o
desfolhas, as folhas
paciente de costas,
que caem e
sentado sore uma 93%>Y $%$%
gangorra feita de • 5sado em tamém aquelas
que cam com a
um paralelepídeso defuma()es
pessoais e de parte direita do
e uma t3ua, onde
amientes. Na limo para cima. 0
o paciente ca
medicina caseira, o tal como se en!
sentado no meio e
ch3 é usado para contram quando
o anho escorre
dores de cae(a presas ao caule. No
para o ralo. %ara
GenxaquecasH e 9rasil é conhecida
melhor efeito, este
para reumatismo a gameleira
anho deve ser
articular GartriteH. ranca, 3rvore rara
dado no tempo G ao
e quase extinta,
ar livre H, 7unto com
emora existam
tr#s saugos de
93%>Y CAB+C(+ outros tipos de
milho cortados ao
• *uito diferente do gameleira. $+.
meio.

6s.: Estes Quiné %ipi. pois 8". 3)A
esta d3 em 3rvores @.4+." %>-
saugos tem de ser
de dois a tr#s 0+C@4"(D "
colhidos nos restos
medos de aluna. 8A9A.AA >O+
das feias!livres ou
%r"pria de 0") 38+ >A
no lixo, 7unto a
restingas, )"%C%>A
estes, o pião roxo,
capoeiras e matas. CA8"%.AE
pau ! dalho,
Encontrada
aroeira, vassou!
principalmente em
rinha!de!rel"gio
-rauama e ao
longo do litoral &u!
<%88+$+ +3 caseira na lavagem a extin(ão do mal,
A(FAP")A" dos caelos,
tomando!os dando golpes no
CAB+C(+
• 5sada nos amacis sedosos' t+nico dos anuredo, di$endo:
caelos A88%) C+)+
de 6ri, lavagem de GpolicarpicaH. Serve
contas, anhos. Na C+.0+ "80A
para suadouro
medicina do povo, eca$ nas pleuras, @.4+."D F%CA.@
usada nas afec()es ronquites e feres C+.0A+ "
que tragam F3(A>+D $A.A
do aparelho erup()es
respirat"rio e GsarampoH. 8")$."D "80"
principalmente )A(. Na medicina
como xarope caseira as folhas
expectorante, '">%$+$+ são co$idas
anticatarral e • =igada aos Deuses 7untamente com as
ronquite. 6aluaI#, 2empo cascas e se extrai
CruBo, =o+Bo e um sumo, usado no
6ssaiIn. -s folhas tratamento das
<+.0"(O usadas para 1lceras varicosas.
$%)">0A anhos de =avando!as e o
• =igada ao Deus descarrego ou lim! caldo dos frutos é
Exu. 5sada para pe$a. Esta 3rvore remédio para
anhos de presta!se para uma comate 4
descarga, do simpatia muito 1tiC hidropisia.
pesco(o para ai! e eca$ para
xo, para anular
exterminar os
maus &uídos e car! '3.")A B.A>CA
ataques de c"lera e
gas, na purica(ao epilepsia ou +3 )%)+8A
do altae e 4"..39+8A
ataques do 2empo, 9astante diferente
instrumentos •

apesar desses da 7urema preta,


m3gicos.
males serem principalmente
considerados devido aos
incur3veis. /oloca! calomos que
L%0+C+ se o doente de pé, existem no caule,
• =igada ao Deuses . Na
encostado na pelos ramos. ?
medicina caseira
3rvore, e ao lado tamém armada de
muita utili$ado nas
acende!se tr#s espinhos. Na
doen(as de
velas dos tr#s medicina caseira o
est+mago, em ch3'
reinos da nature$a, uso de cascas em
e nos ascessos e
sendo uma de cera decoc(ão Gsaor
tumores, as folhas
GanimalH, uma de amargoH tem
são aplicadas
socadas. 2amém carna1a GgetalH e aplica(ão em
outra de anhos ou
para doen(as de
espermacete Gmi! lavagens, como
senhoras Gch3H,
neralH comum, adstringente para
para dores
formando um tri8n! doen(as da pele. 6
uterinas, c"licas
gulo, e com uma ch3 y empregado
mensftuais. etc.
como narc"tico
faca virgem, de
para ins+nia e
a(o, re$a!se
estado nervoso.
'AB+.A>% suplicando a
• 5sada Na medicina 6ssaIn e ao 2empo
(@9.%)A " )A(4A + 4">>"(<+ +3
>+88+ 8"><+.A CA)$+ +3 )A>93"-
)A(4A.%8C+ 8A$A0"%.+
o =igada aos
• =igada aos Deuses • =igada aos Deuses
Deuses a
6xal3 e 6x"ssi. 6aluaI# e 6m"lu.
6ssaiIn e 5sada nos anhos 5sado na medicina
Oeman73. -s para purica(ão caseira para
folhas com pessola, de adstringente no
as sementes altIares e tratamento das
são usadsas instrumentos. Na
1lceras varicosas e
para anhar medicina caseira, é
feridas reeldes,
os olhosd usada como emo!
sendo aplicado em
propiciando liente, compressas ou
o empregando!se em
ochechos e anhos nas partes
desenvolvim
ento da gargare7os. em lesada 5sado
clarividencia ascessos nas tamém para
. - aplica(ão gengivas, lavagens
in&ama()es da ginecol3gicas ou
é feita pela
garganta e anhos de assento
manhã e o
opera()es da oca. Gmo(as virgensH
anho dos
olhos deve para tratamento de
car leucorréia G&ores
durante a )A>'".%CO+ rancasH.
.+5+
noite
• =igada aos Deuses
exposto ao
6aluaI#, ang+,
sereno, )A80.[H+ +3
retirando!se 2empo, Cansã. )A80.3P
/olhido e posto a =igada aos Deuses
antes do Sol •

secar, é grande 6aluaI# e 6xal3.


nascer.
preventivo contra 5sado na medicina
+bsE:"sta
raios, coriscos, em caseira, go$a de
erva n\o
dias de tempes! grande prestígio no
vai ao &o-
tades, usando!se o tratamento das
go. Na
defumador. 5sa!se afec(oes
medicina
em defuma(8o puimonares,
caseira e
tida como como puricador principalmente nas
excelente do amiente. 0 pleurisias secas ou
diurético, indispens8vel como com derrames.
ch3 6s anho de 5sa!se o sumo,
anhos descarrego e simples ou de mis!
deelam o prote(ão. Na tum com leite
reumatismo medicina caseira é quente, quantas
e redu$em usalo, como os ve$es possível. ?
as outros, para males um excelente
incha()es. do aparelho antiíotico natural.
digestivo e elimina!
dor de gases.
)A(4A.%+8C+
+3 C<A$Y3-" –
)A>93" 03.C+
• 5sada para anhos pulsa()es e para o antes, que é de
de descarrego. sistema nervoso, 6x"ssi.
sendo tamém
muito eca$ contra
)A>93"%.A anemias. $%0A>93"%.A
• =igada aos Deuses • 5sada para
Exu e 6gun. 5sada defuma()es de
pzm anhos de CA>A amiente para
descarego com a atrair dinheiro.
• =igada ao Deus Exu
mistura de arueira, 5sa!se as folhas se!
. -s folhas e os
pinhão roxo, cas, misturadas
aga(os serve para
com canela em p",
ca7uiero
vassourinha e
de as defuma()es. 6 pé de café
a(car extraído da
relogio, do pesco(o GvirgemH, a(1car,
cana é usado nas cravodaíndia e
para aixa -s
defuma()es des! palha de alho e
folhas servem
txuir larvas astrais aga(o de cana!de!
tamém para
e afugentar 0guns G a(1car. G 6s.: Esta
corir o chão a m
desencarnados H. defuma(ão é feita
de afastar maus
&uidos e larvas da porta da rua
astrais. para dentro da
$%$"."93) casa, deixando!se
4"." +3 na 3rea ou quintal
A)AC">A o resíduo, para
)"(O+-" -8] +- • %lanta srcin3ria da depois despachar!
CA"0A>+ +3 Quiné GUfricaH.
".4A8 A8 se no dia seguinte,
Qrande -xé no mato, na praia
(A4A"%.A8
• =igada aos Deuses G for(a H de 6x"ssi, ou 3gua corrente.
o Deus da /a(a. 5sada na medicina
ang+. 6 /h3 é
5sada para moderna para dar
-n!reum3tico,
sacudimentos m 4s lomrigas
antiferil, anho de
contra as energias das crian(as, em
assento Gdoen(as
de espítos ch3.
de senhoras,
desencarnados,
corrlinentos, etcH.
pessoas ou
domicilios. Na
$A>"CXA +3
medicina case ira é AP+393" "
>=8 " C+(A usada contra $+B."
 +B% G reumatismo, por • =igada aos Deuses
• =igada aos Deuses meio de anhos e 6aluaI# e ang+.
6xal3, 6atal3, compressas.
6dud3, 6lissassa, Na 9ahia é
conhecida por
e
divindades demaisda olsa de pastor ou
$%$"."93) ra(o de pregui(a.
cria(ão. 6s africa! 4"." "
nos comem os A)A."(+ +3 Na medicina
frutos do 6i, como A)AC">A caseira é tida como
gerador de .A'AA poderoso diurético
• =igada aos Deuses e eca$ no
energias. Na medi!
=egun!0de e comate a sílis,
cina caseira é
6xumar#. 5sada da
usado como t+nico usando!se o ch3.
mesma maneira
do cora(ão, 2amém é indicada
que o descrito
regulari$ando as para as doen(as de
pele, ec$emas e de furunculos e Na medicina
para deelar o tumores, resolvem caseira os seus
reumatismo, em eca$mente. efeitos r3pidos pro!
anhos. 2amém no movem a aertura
co$imento das de tumores de
folhas, em anhos qualquer nature$a,
quentes e de! expulsando o pus e
$A.%"0@.%A-
morados, é muito fa$endo cessar
4%.+
1til para dores, para alivio
• =igada aos Deuses
reumatismo e
6aluaI# e e 6xun. do paciente.
hemorr"idas.
-pesar de fa$er Extingue os fur1n!
parte da família culos, panarícios,
das urtigas, esta erisipelas. /ontra a
qualidade é $%0"%.A in&ama()es de
%)$".%A( qualquer origem,
inofensiva ao
• =igada aos Deuses are!se a anana
contato das mãos.
6ssaiIn, 6aluaI# GuloH da planta e
Na medicina
e 2empo. Na me!
caseira é usada com uma colher
dicina caseira, as
como diurético, das raspa!se a goma
folhas verdes e co!
vias urinin3rias nela contida
$idas são o usadas
Gurina soltaH. 0 GmucilagemH,
para lavar feridas e
empregada, em colocando sore a
dermatoses.
co$imento das pale in&amada ou
folhas, para os tumorada,
males da pele. corindo!se com
.AB+
+3 " 0A03
(A>C"0A ga$e ou pano
• =igada aos Deuses limpo.
$A3 - ,A(<+ +3 6aluaI# e 6x"ssi.
93A.A.")A Na medicina
• =igada aos Deuses caseira que é tida 8AB393"%.+
6aluaI# e Exu. como uma • =igada ao 6aluaI#,
5sado em sa! preciosidade para muito usado na
cudimentos arir ascessos e medicina caseira
pessoais e tumores, p+r m 4s para tratamento de
domiciliar, casas, in&ama()es, cataporas,
lo7as, onde o panarícios, unhei! sarampo,
homem exerce ras, erisipelas, escarlatina. 5sado
fun()es lucrativas. regenerando o teci! para suadouro, do
2amém usado do cutan#o atacado co$imento das fo!
para anhos fortes por in&ama()es
qualquer srcem de
e lhas é um grande
de descarrego para diaforético e de!
retirar in&u#ncia fa$endo cessar as eladora do
negativa. 5sado dores. sarampo.
com aroeira,
pinhão roxo e ran!
co. Na medicina 83)A.Y +3 8A$X +3 8A$Y
caseira, as folhas, B%803.%-+- • =igada ao Deus
socadas e )A0+
Exu. -s raí$es são
colocadas em cima • =igada aos deuses
usadas para
6aluaI# e 6x"ssi.
anhos de descar!
rego. ap"s o
sacudimento.
• 6s.: 6 anho é do
pesco(o para
aixo.

4A88+3.%><A
" %9."'A
• =igada ao Deus

Exu. 5sada para


sacudimentos de
casas. <untamente
com cipreste e
palha!da!costa,
serve para
espantar energias
de desencarnados
e todos os males
são retirados,

3.0%9A -
)A)O+
• =igada ao Deuse
6aluaI#. Na
dicina me!
caseira,
muito usada para
cura de erisipela.
5sa!se em chu!
ma(o de algodão
emeido no leite
da planta.
Emprega!se o ch3
das folhas para
deelar males dos
ruins G 6 anho,
forte, afasta
in&u#rncias
energéticas de
desencarnados H.
FAVA DA

FAVA DE POMBA FAVA DE ALIBE PROSPERIDADE


GIRA

FAVA DE ATARÉ FAVA ABRE FAVA DE


FAVA DE ARIÁ NAPOLEÃO
CAMINHO

FAVA DE
AMARRAÇÃO FAVA DA VIDA FAVA DE OXUM
OBI

Faa A"i 

Faa
Amarração
FAVA DE
OGUM

Faa Amor

FAA E AR%A+

BEJERECUM

Faa A'ar

Faa Ar

Faa A'ração

OLHO DE BOI •

Faa Ar
Cami(8o


Faa C8ama Faa C8a&u d
i(8iro a&o"ão


• !aa
%mura(a

Ci0a(a Faa



• Faa
EIu


• Faa KucS
• Faa •

Coco d (d/



• Faa

F"icidad

• Faa d •

%ma(JS • Faa
6o0u(

• Faa •

*arra d EIu

• Faa •

ii(a •


• Faa
a(ã

• Faa

%a(sã

Faa Er/ •
• • Faa Pr'o-"8o



• Faa
Oa"ua/ •

• Faa
Omu"u



• Faa

@ucu&ira
• Faa
OarS •


• Faa
Ossã


Faa Tm&o
• Faa

O!S


• Faa
• Faa T('o d EIu
OIa"S •


• Faa O"8o d
Caoc"o •

• Faa H(8a d
&oma0ira
• Faa O0um •

• Faa Na(0 •

• A !aa simo"i7a o so" mi(ra", o


mrião. Eoca o (Io!r
• 66 a&risio(ado (a ma'ria.
cum •


• As !aas !a7m &ar' dos !ru'os

4u com&Um
ri'uais. as o!r(das
E"as r&rs('am os

f"8os-8om(s s&rados
• (umrosas 'radiçUs co(frmam
 I&"icam ssa a&roIimação.

@0u(do P"3(io, a !aa ra usada

(o cu"'o dos mor'os &or
acrdi'ar-s 4u co('i(8a a a"ma

dos mor'os. As !aas, (a

4ua"idad d s3mo"os dos
mor'os  d sua &ros&ridad,

&r'(cm ao 0ru&o dos uss

&ro''ors. o sacri!3cio 4u s
cos'umaa ra"i7ar (a &rimara,

"as r&rs('aam
dSdia a &rimira
i(da d aiIo da 'rra, a

&rimria o!r(da dos mor'os aos



ios, o si0(o d sua

!cu(didad, ou sJa d sua
(car(ação. E isso "a-(os a
• com&r(dr as ra7Us da
&roiição s'a"cida &or Or!u
•  Pi'S0oras &ara os 4uais comr
!aas ra o 4uia"(' a comr
a caça dos &rL&rios &ais, a odu(sYOriIasYi(Zics  ou'ros, a
&ar'i"8ar do a"im('o dos mor'os
, 0raças a isso, &rma(cr !aa r&rs('a  co(frma a
d('ro do cic"o das a(cs'ra"idad dos uss.
r(car(açUs  suJi'ar-s aos
&odrs da ma'ria. o ('a('o
Em (ossos ri'uais, !a7mos uso
!ora do Vmi'o dssa 'oria, as
!aas co(s'i'um, ao co('rSrio, o 'a('o da !aa i('ira como
"m('o ss(cia" da comu(8ão ra"ada, m !orma d &L. O &L,
como os uss, (o S&ic dos assim como a ci(7a  com&arado
ri'uais.
ao s/m(, ao &L"( das ors, [

&os'ridad.
Em rsumo as !aas são as
&rim3cias da 'rra, o s3mo"o d
'odas as (!i'orias &ro(i(' %(rsam(', &or 7s  si0(o
dos uss 4u 8ai'am daiIo da mor'.
da 'rra.

• O Wcam&o d !aasX - Fa7r uso da !aa  do &L da !aa


d(omi(ação 4u os 03&cios r&rs('a &r&'uarmos (ossa
usaam com s('ido simL"ico, a(cs'ra"idad, as &rim3cias da
ra o "u0ar o(d os d!u('os 'rra  dos uss.
a0uardaam a r(car(ação. O
4u co(frma a i('r&r'ação

simL"ica 0ra" dssa


"0umi(osa.

('ro do cu"'os dos •


• • 1 - COCO O EE
1 - FAA E ABRE-CA+%=O 15 - O; O@CAA
2 - BEKERECH+ 19 - ATARG
# - FAA E EN\ 1: - FAA E %A@Ã
) - *ARRA E ENH 1< - AR%A
 - FAA E OBA6HA]E 2> - FAA E ONA6$
5 - AA A CO@TA 21 - FAA AR%O
9 - %^% 22 - FAA E ONH+
: - FAA E O*H+ 2# - FAA E A*HG
< - FAA TOCA 2) - FAA CH+ARH
1> - FAA E KATOBA 2 - FAA OFA
11 - OROBO 25 - 6E6ECH
12 - FAA E NA*O – A6%BG 29 - FAA E 6O*H
• 1# - P%NHR% 2: - FAA E OBA6HA]E
1) - A+EO%+ 2< - FAA E O@A%
#> - FAA E ONO@@%
#1 - FAA E ^AR%TE



66Q96

• Este é um fruto negro predileto de Egun e S4ng", por ser um


elemento de pura liga(ão com CB1 Ga morteH. Csto porque S4ng" é um dos
maiores representante de Egun, fato latente no culto Ooru4 e ignorado aqui no
9rasil, onde di$em que S4ng" tem pavor a Egun isto acontece por falta de
conhecerem quem na verdade é S4ng".
• S4ng" é tão quente quanto Egun e o orogo é o melhor fruto para ser oferecido
tanto no culto de egungun resultado da morte no culto a S4ng" associado 4 CB1
por sua capacidade de destrui(ão através do raio. 6s orogo representam as
pedras de raios no culto a S4ng", 73 no culto a Egun representa os
descendentes raciais ou familiares, por este fato est3 relacionado 4 morte.
• 6 orogo por ser um fruto quente totalmente relacionado CB1, por isso é
ofertado aos ancestrais, por este aspecto, quando um ser vivo parte orogo e
oferece 7untamente com mel a seus ancestrais, representa uma comunhão do
sico com o espiritual, ou se7a os seres vivos cultuam seus ancestrais
partilhando o fruto.
• Neste momento a morte é inteiramente representada pelo orogo
principalmente
S4ng" por ser umporLr\s3
sua casca negra,
oriundo entra
de CB1 em harmonia
GmorteH, comé aum
ou se7a, ele vivacidade
grande de
Egungun de inteira rela(ão com todos os ancestrais cultuados na terra, onde
todos vivem totalmente so o domínio do grande ei da terra GL4l14iIéH.
*uitos e muitos orogos devem ser ofertados 4 S4ng" com mel, o qual W sua
fruta predileta de principal rela(ão com CB1 e egun. >atos desconhecidos por
muitos e ignorados por outros... 6s principais Tr\s3s que tamém receem
oferta de orogo é Es1, MI4mi!LsTr"ng4, Lg1n, L4l14iIé, 6I4, Lm"l1,
CIémoo!CIémTn73 e LTris4nl4!L3t3l4 s" receem oferta de 6rogo sem a
casca exiindo sua parte ranca. <3 no culto de Ls1n o orogo é inaceit3vel por
sua rela(ão com a morte, quando Ls1n não suporta nenhum tipo de elemento
com liga(ão a morte. Este fruto possui uma grande for(a ritualística, quando
oferecimento num ritual deve ser sempre ofertado ao Lr\s3 no mínimo dois
orogo, o mesmo acontece com qualquer outro fruto, isso porque em ritual
nunca se deve oferecer um, e sim dois elementos.
• São utili$ados nos ritos de 6runmil3, ango, 6sain e outros aor"s,

indispens3vel
a em5tili$a!se
prosperidade. 7ogos divinat"rios
tamém enonapreparo
feitura do
de santo no sentido
a+, sasanha de comida
e da alcan(ar
ritual especicamente nas oferendas de -ir3.

• 69CV N6Y DE A6=-


• - no$!de!cola é o fruto de uma 3rvore de aproximadamente de X a w metros de


altura, pertencente as plantas do g#nero /ole da sufamília Sterculioideae
G*alvalesH. -s variedades mais comuns são otidas de v3rias 3rvores do oeste
da Ufrica ou da Cndonésia, como /ola nitida ou /ola vera e a /ola acuminata.

• 6rigin3ria da Ufrica 6cidental, tamém conhecido pelos nomes de aa73, café!

do!sudão,
cafeína, a cola, muBe$ué eusada
no$!de!cola oi, possui um gosto
por muitas amargo
culturas e grande
do oeste quantidade
africano, tanto de
medicinalmente, quanto religiosamente, desde época muito remota. *uitas
ve$es é usada cerimonialmente ou oferecida aos convidados.
• 6 6í é a semente sagrada da religião dos Lr\s4, o assim como a h"stia é p3ra
o /ristianismo, e em hip"tese alguma é permitido parti!lo com instrumentos de
a(o ou ferro, este 73 vem com seus gomos delineados pela pr"pria nature$a e
esta regra em ari!lo somente com as mãos e com o auxilio das unhas deve ser
oedecida e a viola(ão desta origatoriedade é quase que um sacrilégio. Não se
trata simplesmente de ]arir] o oi, na verdade o ato é revestido de cerim+nia
com re$as e lia()es de 3gua, as partículas que produ$em as raí$es do oi
existentes dentro dele são retiradas com as unhas enquanto algumas
exorta()es são proferidas. Cnsuistituível dentro do culto, esta presente em
todas as cerim+nias, desde o nascimento; até a morte; *uitos dentro da
cultura não dão muito valor aos amplos detalhes quanto ao 7ogo do 6í;, e é
neles que se encontram todos os segredos relativos ao om andamento dos
ritos e cerim+nias e do sucesso por eles esperados. Saer arir um 6í e
entender suas mensagens; é o mínimo que se pode exigir de um sacerdote de
qualquer ramica(ão das religi)es afro!descendentes.

• 6s tipos mais conhecidos são:


• 6 6í Qan73, possui dois cotilédones GgomosH e não deve


ser usado ritualisticamente, segundo os padr)es convencionais;, 73 que não
possui propriedades sagradas e 4se; para utili$a()es lit1rgicas. Seu uso mais
comum são como alimentos e terapias alternativas, existem in1meros
sacerdotes que o utili$am em ritualísticas restritas.

• 6 6í -at3, possui de  4 X cotiledones GgomosH,


são usados ritualisticamente para in1meras cerim+nias dentro do culto aos
Lr\s4 e amplamente usado como consulta oracular Gve7a o mito aaixoH.
6ferenda por excel#ncia de todas as divindades do %anteão Oorua, com
exce(ão de Sango. 6s que possuem k gomos são os mais empregados nos
rituais do Cori, deve ser o primeiro alimento oferecido 4 este Cmole. 6 6í pode
variar sua cor entre o rosa e o vermelho, mas todos com uma colora(ão clara
em seu interior.

• 6s mais raros são os 6í totalmente ranco


denominado pelo nome de 6í En, somente exigido pelos Lr\s4 >unfun e
mesmo assim dever3 origatoriamente possuir mais de  gomos.
• - falta de esclarecimento e conhecimento de sacerdotes e sacerdotisas, levam
in1meras pessoas a exigirem exclusivamente em suas liturgias, o referido 6í
ranco. Esta ssura(ão; em rela(ão ao 6í ranco, raríssimo de ser
comerciali$ado, incitam comerciantes inescrupulosos agirem de forma ilegal.
*ergullhado em sust8ncias químicas, tais como 3cido clorídrico e outras
sust8ncias t"xicas, que visam alterar a cor natural do 6í, são comerciali$ados
livremente sem nenhuma inspe(ão dos "rgãos competentes. -p"s esta técnica
criminosa; o 6í ca ranco e para não comprometer ainda mais a sua
estrutura, são mantidos em solu()es diluídas de formoldeído. Esta aerra(ão;
alem de apodrecidos, mau cheirosos e soretudo venenosos, são oferecido as
divindades e compartilhado em uma espécie de comunhão lit1rgica entre os
devotos.

Em /ua,
coco, assimap"s o domínio
como in1merosdooutros
socialismo o 6í teve
ingredientes, e a que
faltaser
do sustituído peloda
principal fruto
religião foi legado seu uso somente as cerim+nias de inicia()es e consagra()es
dos Lr\s4 e algumas ritualisticas das quais sua presen(a é indispens3vel e
insuistituivel.
• ....>ruto africano muito usado nos ituais -fro rasileiros que desenvolve um
importante papel na vida dos africanos em geral e de muitos rasileiros.
• 0 a no$ de Aola, na ot8nica conhecida como acuminata, GcolaH tão comum nas
ruas da Nigéria, Qhana, /osta do *arm, -ngola e demais países africanos. 6s
africanos costumam comer pelo menos um desses frutos por dia,
independentemente dos usos que Dão ao mesmo em seus rituais.
• Na Ufrica, é costume receer as visitas ilustres e queridas, com uma ande7a
contendo alguns desses frutos e um c3lice de eidas, podendo ser vinho de
palmeira, cerve7a ou gim. 2al ato signica que o visitante é em vindo e
desfruta da ami$ade e conan(a ilimitada do dono da casa.
• - no$ de cola, ou 69C, tem propriedades indescritíveis no que concerne ao
sistema neuro vegetativo, estimulando os neur+nios, mininges, sendo ainda um
poderoso energético para deilidade físicas e mentais, e t+nico do cora(ão.
Diminui as perdas org8nicas, tais como uréia, atuando sore o sistema nervoso
central com poderes superiores ao da 2iaminaGvit. 9!H. %oderosa comatente
das anemias, afe()es cr+nicas de forma deilitante e convaslescen(a, favorece
ainda a digestão, aumentando a secre(ão dos sucos estomacais e é restaurador
energético nas dispepsias at+nicas.evitali$ando o estado físico em geral,
elimina o stress, neurastenia ins+nia e perda de mem"ria.
• Este pequeno fruto marrom escuro que mais se assemelha a um pequeno
carro(o de aacate é usado tamém na forma de refresco, ch3 ou
simplesmente mastigado ou ingerido. Qeralmente tem dois a cinco gomos
interligados por uma na merana que rompida, solta!os, mostrando seu
interior.


6 6igomos,
sete divide!se em odois
sendo maisg#neros:
comum6o an7a com
de sete dois gomos e o aata de tr#s a
gomos.
• 0 costume nos rituais afro rasileiros usa!lonas ora()es matinais, coloacndo!o
na oca e fa$endo os pedidos depois que, com os dentes rompe!se gomos.
Deixando cair numa toalha ranca. Se todos os seus gomos caírem com a parte
interna para cima, signica que o pedido ser3 reali$ado o solicitador dever3
mastigar e ingerir todos aqueles gomos no período do dia , até antes de o sol se
por.
• Ja mais de  mil anos o africano, e ,recentemente o rasileiro, h3 quatrocentos
anos costuma consagrar a inicia(ão dos adeptos dos seus rituais com um oi
colocando com seus quatro gomos aertos sore a moleiraGponto mais alto da
cae(aH do novi(oGaH......
• G%arte do texto retirado do livro Yumi dos %almares ! Eduardo >onseca <1niorH

• =enda de 6i

• 6lodunmare chama os homens para retornarem ao seu lar ,porém nem mesmo
a morte é capa$ de apagar as lemran(as os feitos de grandes homens.

6i
cola,é 6i,
um elemento muito
é o símolo importante
da ora(ão no 0culto
no céu. de Rodun3sico,
um alimento ,6risa ee NBise. - no$
toda ve$ quede
é
oferecido seu consumo é sempre precedido por preces.
• >oi 6runmila quem revelou como a no$ de cola foi criada. Puando 6lodunmare
descoriu que as divindades estavam lutando umas contra as outras, antes de
car claro que Esu era o respons3vel por isso, Ele decidiu convidar as quatro
mais moderadas divindades G%a$, a %rosperidade, a /onc"rdia e -iIe, a 1nica
divindade feminina presente H, para entrarem em acordo sore a situa(ão. Eles
delieraram longamente sore o motivo de os mais 7ovens não mais
respeitarem os mais velhos, como ordenado pelo Deus Supremo.
• 2odos come(aram então a re$ar pelo retorno da unanimidade e equilírio.
Enquanto estavam re$ando pela restaura(ão da harmonia, 6lodunmare ariu e
fechou sua mão direita apanhando o ar. Em seguida ariu e fechou sua mão
esquerda, de novo apanhando o ar. -p"s isso, Ele foi para fora, mantendo Suas
mãos fechadas e plantou o conte1do das duas mãos no chão. Suas mãos
haviamhavia
3rvore apanhado no ar
crescido no as ora()es
lugar onde eDeus
Ele as plantou.
havia No dia
plantado seguinte,que
as ora()es umaEle
apanhara no ar. Ela rapidamente cresceu, &oresceu e deu frutos. Puando as
frutas amadureceram para colheita, come(aram a cair no solo.
• -iIe pegou!as e as levou para 6lodunmare, e Ele disse a ela para que fosse e
preparasse as frutas do 7eito que mais lhe agradasse. %rimeiro, ela tostou as
frutas, e elas mudaram sua textur a, o que as deixou com gosto ruim. No outro
dia, Ela pegou mais frutas e as co$inhou, e elas mudaram de cor e não podiam
ser comidas. Enquanto isso, outros foram fa$endo tentativas, no entanto todas
foram mal sucedidas. >oram então até 6lodunmare para di$er que a missão de
descorir como preparar as no$es era impossível.
• Puando ninguém saia o que fa$er, Elenini, a divindade do 6st3culo, se
apresentou como volunt3ria para guardar as frutas. 2odas as frutas colhidas
foram então dadas a ela. Elenini então partiu a c3psula, limpou e lavou as no$es
e as guardou com as folhas para que cassem frescas por cator$e dias. Depois,
ela come(ou a comer as no$es cruas. Ela esperou mais cator$e dias e depois
disso perceeu que as no$es estavam vigorosas e frescas. -p"s isso, ela levou
as frutas para 6lodunmare e disse a todos que o produto das preces, 6i, podia
ser ingerido cru sem nenhum perigo. Deus então decretou que, 73 que tinha
sido Elenini, a mais velha divindade em sua casa quem conseguiu decodicar o
segredo do produto das ora()es, as no$es deveriam ser dali por diante, não
somente um alimento do céu, mas tamém, onde fossem apresentadas,
deveriam ser sempre oferecidas primeiro ao mais velho sentado no meio do
grupo, e seu consumo deveria ser sempre precedido por preces.
• 6lodunmare tamém proclamou que, como um símolo da prece, a 3rvore
somente cresceria em lugares onde as pessoas espeitassem os mais velhos.
Naquela reunião do /onselho Divino, a primeira no$ de cola foi partida pelo
%r"prio 6lodunmare e tinha duas pe(as.
• Ele pegou uma e deu a outra para Elenini, a mais antiga divindade presente. -
pr"xima no$ de cola tinha tr#s pe(as, as quais representavam as tr#s
divindades masculinas que disseram as ora()es que $eram nascer a 3rvore da
no$ de cola. - pr"xima tinha quatro pe(as e incluía assim -iIe, a 1nica mulher
que estava presente na cerim+nia. - pr"xima tinha cinco pe(as e incluiu 6risa!
Nla. - pr"xima tinha seis pe(as representando a harmonia, o dese7o das
ora()es divinas.
• - no$ de cola com seis pe(as foi então dividida e distriuída entre todos no
/onselho. -iIe então levou a no$ de cola para a 2erra, onde sua presen(a é
marcada onde
humanas por preces e onde pelos
existe respeito ela s"mais
germina
velhos,epelos
&oresce em comunidades
ancestrais e onde a
tradi(ão é gloricada.

• C(A88%F%CAHO+ A8 F+(<A8


H São divididas por elementos, a saer:
E[0 ->0E>0 V folhas de ar
E[0 CNKN V folhas de fogo
E[0 6*CN V folhas de 3gua
E[0 C=0 ou CQ9K V folhas de terra
Essa divisão remonta 4 classica(ão dos orix3s por elementos, apesar de
saermos que os orix3s podem ter, e efetivamente possuem, folhas
pertencentes a todos os elementos. - chave é o equilírio. S" para lemrar, a
divisão dos orix3s por elementos é:

6CUS DE >6Q6: Ex1, 6gum, ang+, 6I3.


6CUS DE 2E-: 6gum Go ferroH, 6x"ssi, 6mol1F6alua#, Nanã.Glama  terra
{ 3guaH, 6xumar# e =ogun.
6CUS DE UQ5-: Cemon73, 6xum, Nanã, 6xumar#, =ogun, 63, Oe3, 6xal3
Gnas chuvas nasH.
6CUS DE -: 6I3, 6xal3 Gnas nuvens e no céuH, 6xumar# Gno arco írisH.

Devemos ter em mente que esta classica(ão é genérica, pois não leva em
considera(ão que, em suas qualidades, os orix3s se relacionam com outros
orix3s e, conseqentemente, com outros elementos. %or exemplo, 6I3 6nira 
fogo { ar { 3gua  3gua fervente ou vapor d3gua' 6gum -laged#  fogo {
ar  ferreiro do céu' 6dé Cnle  terra { ar { 3gua, etc. %or isso, é aconselh3vel
o uso equilirado dos quatro elementos num amaciFa+Fomier", principalmente
no que di$ respeito aos rituais inici3ticos.
6utra classica(ão di$ respeito 4 polaridade das folhas, determinada
normalmente por seu formato, onde temos:

"^Y +$A M0[> 5 "^Y +$A M8


Folhas da direita Folhas da es6uerda
)asculinas Femininas
Formas alongadas&#licas Formas arredondadasuterinas
9eralmenteD de &ogo ou ar 9eralmente de #gua ou terra

2amém se considera as condi()es de: excita(ão Gg@nH ou calma GWrTH geradas


pelas folhas, que é de extrema import8ncia.
93> 5 _.M
Folhas de &ogo ou terraD Folhas de ar ou #guaD
Facilitam a possess!o e e/citam abrandam o transe e
acalmam
o ori/# e a pessoaE o ori/# e a pessoaE
Rolta!se a frisar, o equilírio é fundamental.
Em anhos Gamacis V anhos frescos, ou a+s V anhos de fundamento do axéH
é necess3rio analisar as condi()es da pessoa e de seu orix3. Se o anho é para
pessoa Forix3 muito calmo, usam!se algumas folhas Q5N, para equilirar a
energia. Se for ao contr3rio, usa!se algumas folhas ?L.
• N6*E D-S ER-S D6S 6CUS /--%-2EC- GM%?SUNH
$+.0393X8W+.3B@ /-5 65 9ED6 SFES%CNJ6
-9696- GE=0Q0D0H G2?2?H
-9E /-*CNJ6 GE[0 =66QNH /-2CNQ- DE *5=-2- 65 *-/-SSU
-/6/ G-AKA6H G*-A-SZH
-QC6 D6 %--, %C*EN2- D|UQ5- /E96=- GZ=}9KSZH
G-[}0%0%0H /J-%05 DE /656 GS0S00H
-Q5-%0 GE<Z 6*6D0H /J-%05 DE N-%6=E6 G-=6*C 6<6
-=E/C* GE[00H 65 S6%U S6%UH
-=>-YE*- 65 =-R-ND- GZ}SLH /--%C/J6 65 /JC>E DE RE-D6
-=>-R-/- GE>N>NH GDUQ5NKH
-=Q6D6 GE[0 L[H /C%K /-96/=6 GAENY- E* /59-H
-*END6EC- GE/5/C 65 CQQC 50 /C%K /J5*96 G-[K %5%UH
E* /59-H /6=NC- G2K2KH
-*END6C* G?%ZH /6P5EC6 GZQ96NH
-%E2- 56 GMO?O?H /6P5EC6 DE %5Q- 65
-CD-N GZMD-NH /6P5CNJ6 DE /-2-6GSE* N6*E
-NC/- G2-*-NDH O659-H
-6EC- 9-N/- GZ<K9C >5N>5NH /6D6 DE >-DE 65 /6D6 DE
-6EC- RE*E=J- GZ<K9C 6C=0, S6 >-N/CS/6 G*696LH
Z<K9C %5%UH /6EDEC- G>-=UA-=UH
-E9EN2- /-R-=6 GA-N-N!A-N-N /6S2E=- DE -D6GSE* N6*E
65 E[0 9K96H O659-H
-5D- G-26%U A5NH D-*- D- N6C2E GZ=AE0S0H
-SS- %ECE GSE* N6*E O659-H D-NDU D- /6S2- 65 2CCC/- 65
9-=-CNJ6 DE RE=J6 G-*NC*O?H
9-*95 GD-NAKH <5NP5CNJ6 GD-NDZH
DENDEYEC6 G*ZM[K 65 CQC L%?H
9-9- DE 96C 65 *-=R- -S2EC- D6*CDEC- 65 SENSC2CR- GU%0<?H
G2KH E=ER-N2E 65 =ER-N2E 65
9-9- DE RE=J6 GC}NQ9LNH -=ER-N2E GE0 25N2NH
9-6NES- 65 <-/CN26 DUQ5- ER- /-%C26 G-9?9? LS5NH
GEES *6*CN %-=-H ER- /5-=EC- 65
9-2-2- D6/E GE[E AAND}NA /N>6-GSE* N6*E O659-H
65 E[E 6H ER- Q6SS- 65 >5*6 9-R6GSE*
9E*!*E!P5E G9UN<KAKH N6*E O659-H
9E2CS 9-N/6 GE[0 96O >5N>5NH ER- DE 9C/J6 65 >6=J- DE CQ9C
9E2CS /JEC6S6 GE[E 96OC GEK CQ9CNH
96=D6 65 2-%E2E D6-=U GE[0 ER- DE S-N2- =5YC- G6<6KH
9-9UH ER- DE S-N2- *-C- G*-N25CSC
96=D6 %-5=CS2- 65 -=5* 65 C*C CONH
GZ=*KNH ER- DE S6 <66 GZNSUNSUNH
9-ND- >6Q6 65 >6=J- DE >6Q6 ER- *65- 65 *-C- %E2- GE[0
GE[0 CNKN 65 CNUNH ?Q}N*LH
9ED6 GE[0 Q9EH ER- %-SS-CNJ6 GZ>L*KNH
/-*9-U GU9C2K=UH ER- %-2- GE[0 DQH
/-*96-2UGSE* N6*E O659-H ER- %6*9CNJ- 65 -ND6CNJ-
/-N- D6 9E<6 G2?2??Q}NH GE[0 96<52LN-H
/-N- 65 9-N-NEC- DE <-DC* ER- %-2- GE[0 DQH
GE[E MDLH ER- 26S26 G02CN%KN=UH
/-NE=- DE RE=J6GSE* N6*E ER- RCN20* GC=EN 65 6AK[KH
O659-H ES%-D- DE S6 <6QE GE[0 CDU
/-NS-N_6 65 52CQ- D- >6=J- LMSZH
Q-NDE G?SMSMH ES%CNJEC- S-N2-GSE* N6*E
/-%E9- GE[E COUH O659-H
/-U *6E=- G-A-NH >EDEQ6S6 GZQ9L=ZH
/-69CNJ-GSE* N6*E O659-H >CQ5EC- D6 CN>EN6 GZQ6Q6H
/-P5E<- GAZN0MH >=-*96O-N2 GCQC LQ5N 9??A?H
>6=J- DE >625N- GZ9U*6DUH %C*EN2- GU2UH
>6=J- D- CP5EY-, %ECP5C2- 65 %C*EN2- D- /6S2- GU2U-0H
/--%C/JCNJ- GE[0 -<0H %C*EN2- DE *-/-/6 65 /-NE=-
>52- %6 GQ9??>2H DE *-/-/6 65 ER- 9CC9- 65
>5*6, 2-9-/6 GE2U9- 65 -S-H 9E<EE/5* G9E<EEA5*H
C/6 65 Q-*E=EC- 9-N/- %CNJ6 9-N/6 G9L25<0 >5N>5NH
GMKALH %CNJ6 66 G9L25<0 %5%UH
Q5-ND6 G?[U CQ9KH %C2-NQ- G2ZH
Q5-/6 GL<? DDH %C5C* GSE* N6*E O659-H
<-96-NDCGSE* N6*E O659-H %6E<6 GSE* N6*E O659-H
<-P5EC- G-%ULAUH P5-ES*EC-GSE* N6*E O659-H
<-CNJ- 65 /C%K *C=6*C G-A6NC<?H P5E9- %ED- GE[0 9OE*CH
<ENC%-%6 G95<?H -*- DE =EC2E GE[E 6Q9KH
<C9KC- GE[0 D-NH 6* GZQ9ZH
<559E9-
65 GACSCACSC 65 CQ9U CQN
CQ9U Z<ZH S-95Q5EC6
S-C6 65 >6=J-GZ2LMNZH
D- /6S2-
=NQ5- DE Q-=CNJ- 65 Q5-C*9- GLDNDNH
GZ=}%ZODZH S-=S- DE %-C- GQ9LL -O-9ZH
=NQ5- DE R-/- GE[E Q9E 6S5N S-=RC- GCACC[H
65 S-N-H S-*-*9-C- DE %6_6 65 %EN2E DE
=C6 9-N/6 65 =C6 D6 9E<6 /69- GL*5NH
G9-=-9UH S6 Q6N_-=CNJ6 G-=0A?SMH
*E 96- GMOU9EONH S-%b GEA5NH
*-=R- 9-N/- GZSCA}2Z 65 E>CNH S-%62C GNEACQ90H
*-*6N- 9-N/- GE[E =UZ SE2E S-NQC-S GZ*}H
>5N>5NH 2-C69- G9Z=UH
*-N-/UGSE* N6*E O659-H 2-*-CND6 GZ<ZQ9-KH
*-NDC6/- G?Q0H 2-NS-QE* GE[0 L%UH
*-NQ5EC- GLK LOMN9KH 2EN26 65 6=J6 DE E
*-N<EC/6 9-N/6 GE>NN 65 G[00N<0<0H
E>NN AbAEbH 2C- 2EC*-  U9?9? AL
*-N<EC/6 66 GE>NCN %5%UH 5*9-9- GZQ9-KH
*-N<E6N-GSE* N6*E O659-H 52CQ- GE[E A-N-NH
*--RC=J- G?A?=?OH R-SS65CNJ- DE E=KQC6
*-C/62CNJ- GE22U0H GZS-UQ6Q6H
*-S25Y GE[0 CSCNCSCNCH REN/E DE*-ND- 65 REN/E 25D6
*E=-N/C- G9-UH G6S? 69UH
*E=6 G?QSCH RC2KC- 0QC- GE[E 6* 6<H
*E=6 DUQ5- G-Q90CEH
*E=6 DE S6 /-E2-N6 GE<MNMNH W+.3BA$+.0393X8
*C=J6 GZQ9ZDKH -9Z>?  %-2- DE R-/-
NEQ-!*CN- 65 NEQ- *CN-GSE* Z9U*6DU  >6=J- D- >625N-
N6*E O659-H Z9ZZ LA0  9-5NC=J- DE NC/5C
NC/5CYEC6 65 9-5NC=J- DE U9?9? AL  2C- 2EC*-
NC/5C GZ9ZU LA0H U9?9? LSN  ER- /-%C26
N6Y DE /6=- G69MH -900  %C/6 %E26
N6Y *6S/-D-GSE* N6*E O659-H U9C2K=U  /-*9-U
6C%E%b 65 %C*EN2- DUQ5- Z>L*KN  ER- DE %-SS-CNJ6
G-[}0%0%0H ZQ9U  6*-NYEC6
6CC GCN!CNH ZQ9ZDK  *C=J6
669 G6KQ9KH ZQ9-K  C*9-9-
6C9-2U
%-- GLS9Z2ZH
-C6 GCQ *0SZNH -Q90OE
ZQ96N /6P5EC6
*E=6 D|UQ5-
%-CE2UC- GE[0 *6NUNH ZQ6Q6  >CQ5EC- D6 CN>EN6
%-C%-69-  E[0 COU Z<ZQ9-K  2-*-CND6
%-2- DE R-/- G-9Z>?H Z<K9C, Z<K9C 6C=0, Z<K9C %5%U 
%-2/J65=CGSE* N6*E O659-H -6EC- /6*5*, -6EC-
%-5 DUQ5- 65 %-5 D-=J6 65 RE*E=J-
%EEQ5* 65 /6P5EC6 DE RbN5S <K9C >5N>5N  -6EC- 9-N/-
G%??QNH -A-N  /-U *6E=-
%E%025-,S5S%C6!66, -ALA6  -/6/6
%--25D6, %E%E25- 9-R-  -A6NC<?  <-CNJ- 65 /C%K
?A?=EQ9-- *C=6*C
%C/6 %E26G-900H -=0A?SM  S6 Q6N_-=CNJ6
-=6*C 6<6 65 S6%U  /J-%05 DE E22U0  *-C/62CNJ-
N-%6=E6 ?[U CQ9K Q5-ND6
Z=}9KSZ  /E96=- E[0 -<0  >6=J- D- CP5EY-,
Z=AE0S0  D-*- D- N6C2E %ECP5C2- 65 /--%C/JCNJ-
Z=}*K*  96=D6 %-5=CS2- E[0 9Z9U  96=D6 65 2-%E2E DE
Z=}%ZODZ  =NQ5- DE Q-=CNJ- 6-=U
65 Q5-C*9- E[0 96O  902CS /JEC6S6
Z*}  SE2E S-NQC-S E[0 96O >5N>5N  9E2CS 9-N/6
-*NC*O?  9-=-CNJ6 DE RE=J6 E[0 9OE*  P5E9- %ED-
-%ULAU  <-P5EC- E[0 96<52LN- ER- %6*9CNJ-
U%0<?  D6*CDEC- 65 SENSC2CR- 65 -ND6CNJ-
ZMD-N  -CD-N E[0 D-N  <C9KC-
ZNSUNSUN  ER- DE S6 <66 E[0 DQ  ER- %-2-
ER- DE S6 <66 E[0 ?Q}N*L  ER- *65- 65
Z}SL  -=>-YE*-
ZS-UQ6Q6 D6 9-SC= DE
 R-SS65CNJ- *-C-
E[0 %E2- 9ED6
Q9E
E=KQC6 E[E Q9E 6S5N 65 S-N- 
ZSA}2U E E>CN  *-=R- 9-N/- =NQ5- DE R-/-
-2-  %C*EN2- *-=-Q5E2- E[0 CDU LMSZ  ES%-D- DE S6
-2--E  %C*EN2- D- /6S2- <6QE
-26%U A5N  -5D- E[E MDL  /-N- 65 9-N-NEC- DE
Z2LMNZ  S-95Q5EC6 <-DC*
-[K %5%U /C%K /J5*96 E[0 CNKN  >6=J- D6 >6Q6
-[}0%0%0  6C%E%b 65 %C*EN2- E[0 CSCNCSCNC  *-S25Y
DUQ5- 65 -QC6 D6 %--, E[0 COU  /-%E9-, %-C%-69-
9Z=U  2-C69- E[E A-N-N  52CQ-
9-=-9U  =CC6 D6 9E<6 65 =CC6 E[0 AAND}NA  9-2-2- D6/E
9-N/6 E[0 =UZ >5N>5N  *-*6N-
9UN<KAK  9E* *E P5E E[0 =66QN  -9E /-*CNJ6
9ZZ  *E=-N/C- E[0 *6NUN  %-CE2UC-
9E<EEA5N  %C*EN2- DE *-/-/6 E[E 6Q9K  -*- DE =EC2E
65 /-NE=- DE *-/-/6 65 ER- E[E 6* 6<  RC2KC- 0QC-
9CC9- 65 9E<EE/5* 65 E[0 L%U  2-NS-QE*
%CND-C9- E[0 L[  -=Q6D6
9L25<0 >5N>5N  %CNJ6 9-N/6 E[00  -=E/C*
9L25<0 %5%U  %CNJ6 66 >-=UA-=U  /6EDEC-
95<?  <ENC%-%EC6 Q9??>2  >52- %6
DUQ5NK  /--%C/J6 65 Q9LL -O-9Z  S-=S- DE %-C-
/JC>E DE RE-D6 C=EN 65 6AK[K  ER- RCN20*
D-NDU  <5NP5CNJ6 ER- %6*9CNJ- 65 -ND6CNJ-
D-NAK  9-*95 CQ *0SZN  %-- -C6
E>N>N  -=>-R-/- CQC LQ5N 9??A?  >=-*96O-N2
E>NN A0A00  *-N<EC/6 D- CACC[  S-=RC-
>6=J- *CD-, *-N<EC/6 C/6 65 Q-*E=EC- 9-N/-
9-N/6 GMKALH
E>NCN %5%U  *-N<EC/6 66 M%?SUN  /--%-2EC-
?Q0  *-NDC6/- C}NQ9LN  9-9- DE RE=J6
?QSC  *E=6 2Z  %C2-NQ-
E<Z 6*6D0  -Q5-%0 MOU9EON  *E 96-
E<MNMN  *E=6 DE S6 /-E2-N6 MO?O?  -%E2- 56
?A?=EQ9--  %E%025-, <6A6NC<E  <-CNJ-
S5S%C6!66,
%E%E25- 9-R-%--25D6, ACSCACSC
 65 CQ9U CQN 65 CQ9U Z<Z
<559E9-
?A?=?O  *--RC=J- AZN0M  /-P5E<-
EA5N  S-%b *-A-SZ  /-2CNQ- DE *5=-2- 65
E=0Q0D0  -9K96- *-/-SSU
?%Z  -*END6C* *-N25CSC 65 C*C CON  ER- DE
E0 25N2N  =ER-N2E *CD- S-N2- *-C-
EES *6*CN %-=-  9-6NES- 65 *ZM[K 65 CQC L%?  DENDEYEC6
<-/CN26 DUQ5- *696L  /6D6 DE >-DE 65
EK CQ9CN  ER- DE 9C/J6 /6D6 DE S6 >-N/CS/6
?SMSM  52CQ- D- >6=J- Q-NDE NEACQ90  S-%62C
E2U9- 65 -SU  2-9-/6, >5*6 LDNDN  S-C6 65 >6=J- D-
02C%KN=U  ER- 26S26 /6S2-
L<? DD  Q5-/6 •

6<6K  ER- DE S-N2- =5YC-


L*5N  S-*-*9-C- DE %6_6 65 •

%EN2E DE /69-
LK LOMN9K  *-NQ5EC- •

6KQ9K  669
6S? 69U  REN/E DE*-ND- 65 •

REN/E 25D6
LS9Z2Z  6C9-2U •

%??QN  %EEQ5* 65 %-5


DUQ5- 65 %-5 D-=J6 65 •

/6P5EC6 DE RbN5S
CN!CN  6CC •

S0S00  /J-%05 DE /656


2-*-ND
2?2?  -NC/-
 /-5 65 9ED6
SFES%CNJ6 •

2?2??Q}N  /-N- D6 9E<6


2K2K  /6=NC- •

2K  9-9- DE 96C 65 *-=R-


-S2EC- •

[00N<0<0  2EN26 65 6=J6 DE


E •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

".4A8

• Na 5manda, utili$a!se =it1rgica e itualisticamente, as ervas de nossa &ora,
para amacís, imanta()es, anhos de descarga, etc... -s plantas dos 6rix3s se
dividem em  grupos primordiais, 4 saer: %6SC2CR-S, NEQ-2CR-S e NE52-S.
• -s plantas %ositivas, Neutras e Negativas, são assim catalogadas, conforme a
fase lunar da colheita.

$ositivas - dever!o ser colhidas na &ase crescente ou cheia


>eutras - dever!o ser colhidas na &ase nova
>egativas - dever!o ser colhidas na &ase minguante

• Entretanto a sua polari$a(ão nal vai sempre depender das seguintes condi()es
explícitas
• Rira(ão de quem vai us3!la
• Rira(ão das demais ervas utili$adas
• Rira(ão da inten(ão com que serão usadas

• $+8%0%4A8: São ervas que, quando usadas, s" positivam, não podendo ser
intrinsecamente usadas para outro tipo de traalho.
• >"30.A8: São todas as ervas que servem para, material ou espiritualmente,
neutrali$arnegativas
vira()es o efeito de outras ervas, o efeito de doen(as, assim como o efeito de
• eFou positivas.
• >"9A0%4A8: São ervas usadas explicitamente para negativar.

• - erva é sempre positiva quando colhida nos dois primeiros dias da luna(ão
respectiva, a dita erva torna!se neutra quando colhida nos o, ko e o dias da
luna(ão, e negativa quando colhida nos Xo e o dias da luna(ão. Di$!se Dia de
=una(ão, porque as ervas devem ser colhidas da Xhs 4s whs, portanto so o
efeito dos raios solares Gapesar de regidas pelas fases da luaH.

'amais deve-se colher uma erva antes das `hs ou depois das hsD
como tambmD nunca se deve plantar 6ual6uer erva no mesmo
per;odoE

As ervas devem ser usadas de tr*s &ormas di&erentes:


• %ara efeito medicinal
• %ara efeito =it1rgico
• %ara efeito itualístico

AG $ara e&eito medicinalD as ervas podem ser usadas como:


• /omo tratamento preventivo
• /omo tratamento normal da doen(a
• /omo aortivo r3pido e denitivo da referida doen(a

• CH %ara uso preventivo, as plantas devem ser colhidas nos o e o dias da


luna(ão respectiva.
• CCH %ara uso no tratamento normal da doen(a, as plantas devem ser colhidas nos
o, ko e o dias da luna(ão respectiva.
• CCCH %ara uso como aortivo, as plantas devem ser colhidas sempre no Xo e o
dias da luna(ão respectiva.

BG $ara e&eito litúrgicoD as ervas podem ser usadas como:


• /omo imã, para atrair as vira()es do 6rix3 dese7ado.


• /omo neutrali$ante entre duas for(as ou 6rix3s.
• /omo a(ão repulsiva ao 6rix3 não dese7ado.

• CH /omo imã, as ervas devem ser colhidas nos o, o e o dias da luna(ão
respectiva.
• CCH /omo neutrali$ante, as ervas devem ser colhidas nos o, ko e o dias da
luna(ão respectiva.
• CCCH %ara efeito repulsivo, as ervas devem ser colhidas nos Xo e o dias da
luna(ão respectiva.

CG $ara e&eito ritual;sticoD as ervas podem ser usadas como:


• /omo arma(ão ou concord8ncia de efeito =it1rgico.


• /omo equilírio entre as for(as virat"rias implantadas durante a a(ão lit1rgica.
• /omo discord8ncia com as for(as imantadas.

• Entende!se por for(a imantada, toda a vira(ão atuante no Ser, mesmo que
se7a 4 revelia do mesmo.

• CH /omo conrma(ão, as ervas devem ser colhidas nos o e o dias da luna(ão
respectiva.
• CCH /omo equilírio, as ervas devem ser colhidas nos o, ko e o dias da luna(ão
respectivo.
• CCCH /omo discord8ncia GdescargaH, as ervas devem ser colhidas nos Xo e o dias
da luna(ão respectiva.
• romã GfolhasH, saugueiro, erva!
de!coelho.
."(AHO+ A8 ".4A8 $+.
+.%5@8 •

• •
=CNJ- DE 6-=U: -rruda, arnica, =CNJ- DE 6KSSC: %icão!do!
laran7a!da!terra GfolhasH, hortelã, mato, cip"!caoclo, ara!de!
poe7o, girassol, vassoura!ranca, milho, mil!folhas, funcho, fava!
erva!de!oxal3, erva!cidreira, de!queranto, gervão!roxo,
alecrim!do!campo, levante, tamarindo GfolhasH, alecrim!do!
alecrim mi1do, amu GfolhasH, mato, oldo, malvarisco, sete!
erva!quaresma sangrias, unha!de!vaca,
a$edinha, chapéu!de!couro,
grama!arante.
• =CNJ- D-S SENJ6-S:
=3grimas!de!Nossa!Senhora •

GfolhasH, mastru(o, rosa ranca


GfolhasH, pariparoa, orirí!de! • =CNJ- D-S -=*-S: /afé GgrãoH,
6xum, erva!de!Santa!=u$ia, guiné Gerva!pipiH, arruda GfolhasH,
espada!de!Santa!93rara, trevo camar3, sete!folhas, aroeira
GfolhasH, quina roxa, a"ora! GfolhasH, erva!grossa, vassoura!
d~]anta, vit"ria!régia, a(ucena, preta, cravo!de!defunto, mal com
erva!de!Santa!93rara,
rosa, suma!roxa. malva! tudo, cip"!caeludo.

• +/al#
• =CNJ- DE C9E<C: -moreira
GfolhasH, alfa$ema, salsaparrilha, 5ruatão da Quia  !
man7ericão, ipecacuanha, anil *aracu73
GfolhasH, capim!pé!de!galinha, Quaraci    
arranha!gato. Qirassol
Quarani    
• Jortelã
-Imoré    
• =CNJ- DE -NQ: =imoeiro =ouro
GfolhasH, erva!lírio, café GfolhasH, 2upi    V
saião GfolhasH, erva!de!São!<oão, -rruda
are!caminho, quera!mandinga, 5iratan    V
erva!de!ang+, quera!pedra, <asmim
ruiaro, louro, aperta!ruã, 5ira7ara   
maria!nera, erva!moira, maria! Erva! cidreira
preta, erva!de!icho.
+gum

• =CNJ- DE 6Q5*: /omigo! 6gum de =ei   V


ninguém!pode, espada!de!ogum, omã
lan(a!de!6gum, &echa!de!6gum, 6gum ompe!*ato  
cinco!folhas, 7urupitã GfolhasH, Samanaia
7uruea GfolhasH, musgo 6gum 9eira *ar
GmarinhoH, ip# GfolhasH, losna,    <uruea
6gum de *alé   V Rassoura ranca
/inco >olhas %ai 2omé    V
6gum *eg#   V -lfavaca
*acaé %ai 9enedito   !
6gum Oara    2rometa
=osna %ai <oaquim   V
6gum *atinata    Quiné!pipiu
2ulipa Rov" *aria /onga  !
2amarindo
+/ossi
Wori
-rranca 2oco   V
Erva Doce 2upãn$inho   
/ora /oral 
%arreira!do! mato  ! *an7ericão
Oariri    
2upInam3   ! Rerena
Saugueiro 6ri    
<urem3    ! /apim!limão
Erva!doce Oari    V
%ena 9ranca   V *elão!de!São /aetano
*alvaísmo Damião   V
-rruda    V *orango
*alva!cheirosa Doum    V
-rari"ia    V -moreira
Dracena /osme   V
/ris8ntemo
5ang7
Wemanj#
ang+ Ba+   
=imão /aocla Oara   
ang+ %edra %reta  V %anacéia
Qoiaa /aocla Estrela do *ar 
ango  /achoeiras   %ariparoa
Erva!tostão /aocla do *ar  V
ang+  %edreiras   %icão!do!mato
-acate /aocla CndaI3  V
ang+ %edra 9ranca   *anac3
=írio da cachoeira /aocla Oansã  
ang+  *ontanhas   >olhas de violeta
-lecrim do mato /aocla Nanã 9uruBum !
ang+ -god+    -rruda f#ma
>edegoso /aocla 6xum  
Puitoco
Worim#

%ai Quiné    V



Eucalipto
%ai /ongo D^-ruanda  •

Sete!sangrias
%ai -rruda   V •

F+(<A8 cultuado nos terreiros de


+.%5A4+3>%>L%8" /andomlé, principalmente,
8%80")A '"'"->I9= " durante o processo inici3tico
C(A88%F%CO+ +8 4"9"0A%8E quando anhos, atin Gp"sH e
descarrego; são feitos com o
• 6sanI\n, o orix3 patrono da auxílio das folhas. Sua
vegeta(ão e divindade das folhas import8ncia é tão arangente
lit1rgicas e medicinais. 0 dentro da religião que nenhuma
cerim+nia pode ser praticada • 6rix3s relacionados a 2erra:
sem a sua participa(ão, pois 6sanIin, Lg1n, 6xosi, 6molu
sendo o detentor do axé contido
nos vegetais, todos os orixas • 6rix3s relacionados ao -r: Lx4l3,
dependem dele, por isso di$!se 6xumaré e 6i3.
que sem folhas não tem orixa !
Aosí eé Bosí Lr\x3. • - divisão do "ríx3 em caminhos
GqualidadeH fa$ com que estes
• perten(am a mais de um
6 sistema de classica(ão dos compartimento. Ex.: Ex@ que se
7#7e!nag+s, que di$ respeito aos relacionam com todos os orix3s'
vegetais, se estrutura sore Lg1n e 6xosi que vivem na
quatro elementos que 3gua' 6i3 que possui caminhos
esotericamente
universal, é visto
>ogo, Ugua, 2erracomo
e -r. de fogo,
que 3gua,
transita mato'
entre o céu,6xumaré
a terra
e as 3guas etc.
• Sendo os orixasFvoduns,
representa()es vivas destas • 6s vegetais se dividem, tamém,
for(as que regem a nature$a, as dentro de um sistema in3rio,
folhas a eles atriuídos, no em *asculinos e >emininos que
contexto lit1rgico, associam!se, são determinadas pela forma de
conseqentemente, a estes suas folhas:
elementos. Deste modo, os
vegetais estão dispostos em • >olhas alongadas ou que
quatro compartimentos!ase possuem forma f3lica são
diretamente relacionados aos masculinas.
quatro elementos da nature$a, • >olhas arredondadas ou que
• No compartimento >ogo estão possuem forma uterina são
inseridas as Eé inanG>olhas do femininas.
>ogoH

G-s folhas
masculinas consideradas
estão associadas aos
• No compartimento Ugua estão as
Eé 6mí G>olhas da 3guaH orix3s masculino, em como as
femininas, aos orix3s femininos,
• No compartimento 2erra estão as todavia, eventualmente
Eé Cle G>olhas da terraH encontraremos algumas folhas
femininas usadas para orix3s
• No compartimento -r estão as masculino e algumas masculinas
Eé -feféG>olhas do -rH utili$adas para as \I3a, o que
re&ete a pr"pria rela(ão familiar
• Nestes quatro compartimentos! dos orix3s masculinos com
ase, insere!se todo o sistema femininos e vice versa. /omo
liturgico 7#7e!nag+. Sendo assim, exemplo vemos que, sendo Lg1n
cada orix3 possui uma lho de Oeman73, as folhas
característica pr"pria que é femininas usadas para esta \I3a
transmitida ao seu iniciado, o é freqentemente usada para
que possiilita identicar, através este orix3s e vice versa.
do arquétipo
míticos, humano,
ou se7a, seus pais
qual oorix3 que • Dentro, ainda de uma visão
rege a pessoa. Deste modo in3ria, os 7#7e!nag+ consideram,
temos: ainda que as folhas podem estar
posicionadas no lado direito !
• 6rix3s relacionados ao >ogo: Eé opa otun !, que é masculino
Exu, ang+ e 6i3 e positivo em oposi(ão ao
esquerdo ! Eé opa osí ! que é
• 6rix3s relacionados a Ugua: feminino e negativo.
Oeman73, 6x1n, 6a, 6i3, E3,
6xumaré, N4n3, 6xosi, Lx4l3 • 6s compartimentos que contem
as eé inan Gfolhas do >ogoH e
eé -feefe Gfolhas do -rH estão • Puando utili$adas nos rituais de
associados ao masculino, inicia(ão ou nos traalhos
elementos ativo e fecundantes. lit1rgicos, os vegetais
classicados como ér" em a
• -s eé omí Gfolhas da UguaH e as fun(ão de arandar o transe,
eé Clé Gfolhas da 2erraH se ligam apa$iguar ou acalmar o orixa,
ao feminino, elementos passivos contrariamente, os considerados
e fecund3veis. g1n servem para facilitar a
possessão e excitar o orixa.
• 2odavia, essa não é uma
condi(ão sine qua non; quando • 6s vegetais g1n e ér" são
analisamos mais identicados, normalmente,
detalhadamente a utili$a(ão dos segundo seu nome ou sua
vegetais, pois,
algumas folhasperceemos
positivas que
se nalidade:
relacionam com o lado esquerdo • Ex: 2•t• Gfolhas frescaH er"
ou feminino e vice!versa, daí,
encontrarmos folhas femininas • inrin Gfolha 1midaH er"
usadas com ns positivos e
folhas masculinas consideradas • %WrWg1n G%rovoca o transeH V g1n
negativas. Rerger Gjj:H cita, • 2•t•r•g1n GPue produ$ transeH V
p+r exemplo, que entre as g1n
folhas h3 quatro conhecidas
como G...H as quatro folhas • CroBo G%rodu$ calmaH er"
masculinas Gp+r seu traalho
malécoH...' e quatro outras tidas • Eé ina G>olha de fogoH g1n
como antídotos...;. Entre estas
1ltimas #le inclui o Td1nd1n • ? importante notar que o of"
GAalanchoe crenataH, que é uma GencantamentoH é que determina
folha feminina, porém, positiva, o a fun(ão da folha, pois, emora
que nos fa$ crerin3rias
condi()es que as diversas
não exista todo para
classicat"rio umos vegetais,
sistema
interagem de modo rígido entre cada folha tra$ em si a fun(ão a
si, mas sim transitam qual ela se destina. /omo
dinamicamente de um lado para exemplo: %ereg1n que no seu of"
o outro, pois, como vimos, uma é considerado o senhor da
folha masculina pode estar maldi(ão, tem a nalidade de
situada 7unto aos elementos da retirar maldi()es das pessoas.
esquerda p+r ser considerada Euro, a folha amarga, tem por
negativa e vice!versa. fun(ão retirar o amargo da vida.
2eté, inrin e 6dundun são folhas
• De grande importante, tamém, calmantes mas, tamém, com
na classica(ão dos vegetais são fun(ão de atrair prosperidade
as condi()es in3rias g1n Gde para seus usu3rios.
exita(ãoH x ér" Gde calmaH, pois,
são aspectos das folhas, que dão •

equilírio 4s misturas vegetais,


• Eé n7é 6Tg1n n7é 6Tg1n tiBT 7é
quando
com aem dosadas de
situa(ão de acordo
cada Eé re í BT pé;
indivíduo. 6s vegetais • -s folhas funcionam. 6s
considerados g1n estão ligados
remédios funcionam. emédio
aos compartimentos >ogo ou
que não funciona é porque
2erra, enquanto que, os
faltam folhas;.
considerados ér", relacionam!se
com os da Ugua ou -r. Estas •

condi()es são interpretadas


corriqueiramente pelas pessoas •

do candomlé como fria Ger"H ou


quente Gg1nH. •

• Aroeira: os
"rvas de "/u 'rriros d Ca(dom" s'
0'a" &r'(c a EIu  'm

a&"icação (as ori0açUs d
caça, (os sacudim('os, (os
a(8os !or's d dscarr0o 
(as &urifcaçUs d &dras. G
usada como ads'ri(0(' (a
mdici(a casira, a&rssa a cura
d !ridas  ú"cras,  rso"
• Amendoeira casos d i(amaçUs do a&ar"8o
@us 0a"8os são usados (os 0(i'a". Tamm  d 0ra(d
"ocais m 4u o 8omm Irc fcScia (as "aa0(s 0(i'ais.
suas ac'iidads "ucra'ias. a
mdici(a casira, sus !ru'os são
coms'3is, &orm m 0ra(ds
4ua('idads causam diarria d
sa(0u. as sm('s !arica-s
o L"o d am/(doas, mui'o usado • Arrebenta
&ara !a7r sao('s &or 'r Cavalo o uso ri'ua"3s'ico s'a
!i'os mo"i('s, a"m d ra  m&r0ada m a(8os
amaciar a &". !or's do &scoço &ara aiIo, m
8ora ar'a. G 'amm usado m
ma0ias &ara a'rair sim&a'ia. ão
 usada (a mdici(a casira.

• Amoreira
P"a('a 4u arma7(a uidos
(0a'ios  os so"'a ao
('ardcr  usada &"os
sacrdo's (o cu"'o a E0u(s. a • Arruda P"a('a
mdici(a casira,  usada &ara aromS'ica usada (os ri'uais
d"ar as i(amaçUs da oca  &or4u EIu a i(dica co('ra maus
0ar0a('a. uidos  o"8o-0ra(d. @uas !o"8as
miúdas são a&"icadas (os ori,
a(8os d "im&7a ou
dscarr0o, o 4u  !Sci" d
&rcr, &ois s o ami('
s'ir ra"m(' carr0ado a
• Angelim – arruda morr. E"a  'amm
amargoso +ui'o usado m usada como amu"'o &ara
marc(aria, &or 'ra'ar-s d &ro'0r do mau-o"8ado. @u uso
madira d "i. os ri'uais, suas rs'ri(0-s [ Hma(da. Em su
!o"8as  ors são u'i"i7adas (os uso casiro  a&"icada co('ra a
a dos f"8os d a(ã,  as rmi(os  ruma'ismos, a"m
cascas são u'i"i7adas m a(8os d su sumo curar !ridas.
!or's com a f(a"idad d
ds'ruir os uidos (0a'ios 4u
&ossa 8ar, ra"i7a(do um
Ic"(' dscarr0o (os f"8os
d EIu. A mdici(a casira i(dica
o &L d suas sm('s co('ra
rms. +as cuidado_  sr • Avelós –
usada m doss &4u(as. Figueira-do-diabo @u uso s
rs'ri(0 a &urifcação das
&dras do oriIS a('s d srm
"adas ao ass('am('o 
usada socada. A mdici(a casira
i(dica s'a ra &ara coma'r
ú"cras  rso"r 'umors. • Brinco-de-princesa
G &"a('a sa0rada d EIu. @u uso
s rs'ri(0 a a(8os !or's &ara
&ro'0r os f"8os ds' oriIS.
ão &ossui uso &o&u"ar.

• Azevinho +ui'o
u'i"i7ada
(0ra, "a(a ma0ia ra(ca
m&r0ada ou
(os
&ac'os com ('idads. ão 
usada (a mdici(a &o&u"ar. • Cabeça-de-nego o
ri'ua" a rama  m&r0ada (os
a(8os d "im&7a  o o"o (os
a(8os !or's d dscarr0o.
Es'a a'a'a coma'
ruma'ismo, m(s'ruaçUs
di!3cis, ors ra(cas 
• Bardana A&"icada i(amaçUs a0i(ais  u'ri(as.
(os a(8os !or's, &ara "irar o
sacrdo' das o(das (0a'ias 
0u(s. O &oo u'i"i7a sua rai7
co7ida (o 'ra'am('o d sar(as,
'umors  do(ças (ras.
• Cajueiro @uas
!o"8as
&ara o são u'i"i7adas
sacri!3cio ri'ua"&"o aIo0u(
d a(imais
4uadrú&ds. Em su uso
• Beladona as casiro, " coma' corrim('os
crimL(ias "i'úr0icas sL 'm  ors ra(cas. PU fm a
m&r0o (os sacudim('os dia's. Co7i(8ar as cascas m
domici"iars ou d "ocais o(d o um "i'ro  mio d S0ua &or ci(co
8omm Irça ac'iidads mi(u'os  d&ois !a7r
"ucra'ias. Traa"8os !i'os com 0ar0arJos &U fm ao mau 8S"i'o.
os 0a"8os ds'a &"a('a 'amm
&roocam 0ra(d &odr d
a'racção. Pouco usada &"o &oo
dido ao a"'o &ri(c3&io ac'io
4u ("a Iis'. Es' &ri(c3&io
di"a'a a &u&i"a  dimi(ui as
scrçUs sudorais, sa"iars, • Cana-de-açúcar
&a(crS'icas  "Sc'as. @uas !o"8as scas  a0aços são
usados
&urifcarm d!umaçUs
o ami(' &ara
a('s dos
'raa"8os ri'ua"3s'icos, &ois ssa
d!umação ds'rLi 0u(s. ão
&ossui uso (a mdici(a casira.
• Beldroega
Hsada (a &urifcação das &dras
d EIu. O &oo u'i"i7a suas
!o"8as, socadas, &ara a&rssar
cica'ri7açUs d !ridas.
• Cardo-santo Essa • Cunan! @u
&"a('a a!u0('a os ma"s, uso rs'ri(0-s aos a(8os d
&ro&icia o a&arcim('o do dscarr0o  "im&7a. @us'i'uiu
&rdido  !a7 cair os rms do m &ar', os sacri!3cios a EIu. A
cor&o dos a(imais. a mdici(a mdici(a casira i(dica os 0a"8os
casira suas !o"8as são (oos ds'a &"a('a &ara curar
m&r0adas m o!'a"mias ú"cras.
crL(icas, (4ua('o as ra37s 
8as's são m&r0adas
i(amaçUs da Ii0a. co('ra

• "rva-pre# Em&r0ada
(os a(8os d "im&7a
dscarr0a sacudim('os
• Catingueira G &ssoais  domici"iars. O &oo
mui'o m&r0ada (os a(8os d usa o c8S ds'a ra como
dscarr0o. @u sumo sr &ara aroma'i7a('  Ici'a('. Ba(8os
!a7r a &urifcação das &dras. 4u('s ds' c8S m"8oram as
E('r'a('o, (ão d !a7r &ar' dors (as ar'icu"açUs, causadas
do aI d EIu o(d s d&osi'am &"o ar'ri'ismo.
&4u(os &daços dos aI das
as ou ic8os d 4ua'ro &a'as.
a mdici(a casira "a 
i(dicada &ara m(s'ruaçUs
di!3cis.
• Facheiro-$reto A&"icada
som(' (os a(8os !or's d
"im&7a  dscarr0o. a
mdici(a casira, "a  u'i"i7ada
(as a!cçUs r(ais  (as
• Cebola- diarrias.
cencm Essa co"a  d EIu 
(os ri'uais su o"o  usado
&ara os sacudim('os
domici"iars. G m&r0ada da
s0ui(' ma(ira cor'a-s a
co"a m &daços miúdos , so • Fedegoso
os cV('icos d EIu, s&a"8a-s
&"os ca('os dos cLmodos  m Crista-de-galo Es'a ra 
aiIo dos mLis a s0uir, ('o u'i"i7ada m a(8os !or's, d
o ca('o d O0um  ds&ac8 dscarr0o,
ds'ruição d&ois  fca7
E0u(s  (a
&ara EIu. Es' 'raa"8o auIi"ia (a
dscor'a d !a"sidads  causadors d (!rmidads 
oJc'os &rdidos. O &oo u'i"i7a do(ças. @us 0a"8os (o"m
suas !o"8as co7idas como os L d d!sa. Com ors 
mo"i('. sm('s ds'a &"a('a  !i'o um
&L, o 4ua"  a&"icado sor as
&ssoas  m "ocais 
d(omi(ado Wo &L 4u !a7 mX.
a mdici(a casira ac'ua com
Ic"(' r0u"ador !mi(i(o.
A"m d a0ir com 0ra(d fcScia
sor risi&"as  ma"s do cura(do cor's, ac"ra(do a
!30ado. G usada &"o &oo, cura (as cica'ri7açUs, co('usUs
!a7(do o c8S com 'oda ra   scoriaçUs, usa(do as !o"8as
(do a cada duas 8oras uma socadas sor os !rim('os. O
I3cara. suco ds'a ra &uro ou
mis'urado ao "i', am(i7a as
co(s4u/(cias d 'omos 
4udas.

• Fedegoso +is'urada
a ou'ras ras &r'(c('s a
EIu, o !d0oso
sacudim('os ra"i7a os G d
domici"iars. • 'u# – 'uazeiro G
0ra(d u'i"idad &ara "im&ar o usada &ara com&"m('ar a(8o
so"o o(d !oram riscados os !or'  raram(' s'S i(c"u3da
&o('os d EIu  "ocais d (os a(8os d "im&7a 
ds&ac8o &r'(c('s ao dus dscarr0o. @us 0a"8os são
da "irdad. usados &ara corir o L d
d!sa. A mdici(a casira a
i(dica (as do(ças do &i'o, (os
!rim('os  co('usUs,
a&"ica(do as cascas, &or
(a'ur7a, amar0as.
• Figo
Benjamim Era usada (a
&urifcação d &dras ou
!rram('as  (a &r&aração do
!'ic8 d EIu. G m&r0ada
'amm m a(8os !or's (as •
'urema $reta
&ssoas osidia(as. o uso Ta('o (a Hma(da 4ua('o (o
&o&u"ar, suas !o"8as são co7idas Ca(dom", a Kurma Pr'a 
&ara 'ra'ar !ridas r"ds  usada (os a(8os d dscarr0o
d"ar o ruma'ismo.  (os L d d!sa. O &oo a
i(dica (o coma' a ú"cras 
ca(cros, usa(do o c8S das
cascas.

• Figo do
%n&erno @om(' as !o"8as
&r'(c('s a s' 0'a" são
d EIu. a "i'ur0ia, "a  o &o('o • 'urubeba: H'i"i7ad
d co(c('ração d EIu. ão a m a(8os &r&ara'Lrios d
&ossui uso (a mdici(a &o&u"ar. f"8os rco"8idos ao ariaI. a
mdici(a casira, o c8S d suas
!o"8as  !ru'os &ro&iciam um
m"8or !u(cio(am('o do aço 
!30ado. G &odroso dsos'ru3s'
 'L(ico, a"m d &r(ir 
d"ar 8&a'i's. Ba(8o d
• Folha da Fortuna ass('os mor(os com ssa ra
G m&r0ada m 'odas as &ro&iciam m"8ors [s
ori0açUs d caça, m ar'icu"açUs das &r(as.
a(8os d "im&7a ou dscarr0o
 (os as d 4uais4ur f"8os-
d-sa('o. a mdici(a casira 
co(sa0rada &or sua fcScia,
• (anterna • )amona @uas
Chinesa H'i"i7ada m a(8os !o"8as srm como rci&i('
!or's &ara dscarr0ar os f"8os &ara arriar o L d EIu. @uas
a'acados &or 0u(s. @uas ors sm('s socadas ão srir
(!i'am a casa d EIu. &ara &urifcar o o'S d EIu. ão
Po&u"arm(',  usada como 'm uso (a mdici(a &o&u"ar.
ads'ri(0('  a i(!usão das
ors  i(dicada &ara i(amação
dos o"8os.

• )angue
Cebola o ri'ua", a co"a 
usada (os sacudim('os
• (aranjeira do domici"iars. Cor' a co"a m
)ato @u uso s rs'ri(0 a &daços miúdos , ('oa(do m
a(8os !or's, d "im&7a  o7 a"'a o ca('o d EIu, a
dscarr0o. a mdici(a casira s&a"8 &"a casa, (os ca('os 
"a ac'ua com 0ra(d fcScia so os mLis. a mdici(a
sor as cL"icas adomi(ais  casira, a co"a do ma(0u
'amm m(s'ruais. sma0ada cura !ridas r"ds.

• )am!o • )angueira G
Bravo P"a('a u'i"i7ada (os a&"icada (os a(8os !or's  (as
a(8os d "im&7a dscarr0a  ori0açUs d ori, mis'urada com
(os a(8os !or's. A"m d sr aroira, &i(8ão-roIo, caJuiro 
mui'o m&r0ada (os L d assouri(8a-d-r"L0io, do
d!sa, s(do sus'i'u3da d 'r/s &scoço &ara aiIo. Ao 'rmi(ar,
m 'r/s dias, &or4u o oriIS is'a uma rou&a "im&a. As !o"8as
Ii0 4u a ra s'Ja sm&r srm &ara corir o 'rriro m
(oa. O &oo a u'i"i7a &ara curar dias d aaçS. a mdici(a
!ridas. casira  i(dicada &ara d"ar
diarrias r"ds  asma. O
co7im('o das !o"8as, m
"aa0(s a0i(ais, &U fm ao
corrim('o.


)aminha de
$orca @om(' sus 0a"8os são
usados (o ri'ua"  m
sacudim('os domici"iars. O
&oo a i(dica como rs'aurador • )anjerioba
or0V(ico  'o(ifcador do H'i"i7ada (os a(8os !or's, (os
or0a(ismo. @ua casca co7ida 'm dscarr0os, (as "im&7as
0ra(d fcScia sor as &ssoais  domici"iars  (os
mordduras d cora. sacudim('os &ssoais, sm&r
do &scoço &ara aiIo. O &oo a
i(dica como r0u"ador m(s'rua",
(fcia(do os Lr0ãos 0(i'ais.
H'i"i7a-s o c8S m co7im('o.

• +ra-pro-
nobis G ra i('0ra(' do
a(8o !or'. Hsada (os a(8os
d dscarr0o  "im&7a. G
• )aria )ole A&"icada ds'ruidora d 0u(s  "aras
(os a(8os d "im&7a  (0a'ias, a"m d ('rar (os
dscarr0o, mui'o &rocurada ass('am('os dos m(sa0iros
&ara sacudim('os domici"iars. EIus. o uso casiro, suas !o"8as
O &oo a i(dica m co7im('o ac'uam como mo"i('s.
(as dis&&sias  como Ic"('
ads'ri(0('.

• $almeira A&ricana
• )ata Cabras @uas !o"8as são a&"icadas (os
+ui'o u'i"i7ado &ara a!u0('ar a(8os d dscarr0o ou d
0u(s  ds'ruir "aras as'rais. "im&7a. ão &ossui uso (a
As &ssoas 4u a usam (ão mdici(a casira.
dm 'ocS-"a sm corir as
mãos com &a(o ou &a&", &ara
d&ois ds&ac8S-"a (a
(cru7i"8ada. O &oo i(dica o
co7im('o d suas !o"8as 
cau"s &ara 'irar dors dos &s  • $au-d,alho Os
&r(as, com a(8o mor(o. 0a"8os dssa ra são u'i"i7ados
(os sacudim('os domici"iars 
m a(8os !or's, !i'os (as
(cru7i"8adas, mis'uradas com
aroira, &i(8ão ra(co ou roIo.
• )ata $asto a (cru7i"8ada m 4u 'omar o
@us 0a"8os são mui'o u'i"i7ados a(8o, arri um mi-ami-ami,
(os a(8os d "im&7a, o!rcido a EIu, d &r!r/(cia
dscarr0o, (os sacudim('os m uma (cru7i"8ada 'ra(4ui"a.
&ssoais  domici"iars. O &oo a a mdici(a casira "a  usada
i(dica co('ra !rs ma"i0(as  &ara I'rmi(ar acssos 
i(cLmodos di0s'ios. 'umors. Hsa-s soca(do m as
!o"8as  co"oca(do-as sor os
'umors. O co7im('o d suas
!o"8as, m a(8os 4u('s 
dmorados,  Ic"(' &ara o
ruma'ismo  8morrLidas.
• )ussamb* de
Cinco Folhas Os. @Jam "s
d s', ci(co, ou 'r/s !o"8as,
'odos &ossum o msmo !i'o,
'a('o (os 'raa"8os ri'uais,
4ua('o (a mdici(a casira. Es'a • $ic!o da
ra  u'i"i7ada &or sus !i'os $raia ão &ossui uso ri'ua"3s'ico.
&osi'ios  &or srm m A mdici(a casira o i(dica como
aci'as &or EIu (o ri'ua" d oas diur'ico  d 0ra(d fcScia (os
i(das. a mdici(a casira  ma"s da Ii0a. Para isso u'i"i7-
Ic"(' &ara curar !ridas. o so a !orma d c8S.
• $imenta • $i/irica –
arda A&"icada m a(8os 0api/irica o ri'ua" !a7 &ar' do
!or's  (os ass('am('os d aI d EIu  E0u(. "a s !a7
EIu. a mdici(a casira, suas um Ic"(' &L d muda(ça
sm('s m i(!usão são a('i- 4u &ro&icia a so"ução d
8"m3('icas, ds'rui(do a' &ro"mas. O &L !i'o d suas
ama. !o"8as  usado (a ma0ia
ma"fca. a mdici(a casira "a
 i(dicada&ara
coração, &araa as &a"&i'açUs
m"8oria do do
a&ar"8o 0(i'a" !mi(i(o  (as
do(ças das ias uri(Srias.
• $inh!o
Branco A&"icada m a(8os
!or's mis'uradas com aroira.
Es'a &"a('a &ossui o 0ra(d a"or
d 4urar (ca('os  m
a"0umas ocasiUs sus'i'ui o • 1ui/ambeira G
sacri!3cio d EIu. @uas sm('s a&"icada m a(8os d
são usadas &"o &oo como dscarr0o  "im&7a &ara a
&ur0a'io. O "i' (co('rado &or ds'ruição d 0u(s  ao &
d('ro dos 0a"8os  d 0ra(d ds'a &"a('a são arriadas
fcScia co"ocado sor a ori0açUs a EIu  a E0u(. a
risi&"a. Porm, d-s Tr mdici(a casira, com suas
cuidado, &ois ss "i' co('m cascas m co7im('o, ac'ua
uma 'rr3" (Ldoa 4u i(u'i"i7a
as rou&as. como (r0'ico ads'ri(0('.
6aa(do as !ridas, "a a&rssa a
cica'ri7ação.

• $inh!o Coral
Era i('0ra(' (os a(8os • 0ajuj# –
!or's  usadas (os d "im&7a  0a2u2a G usada m a(8os
dscarr0o  (os L d d!sa. !or's, d "im&7a ou dscarr0o.
a mdici(a casira o &i(8ão A rama do 'aJuJS  u'i"i7ada &ara
cora" 'ra'a !ridas r"ds  circu(dar o L d d!sa. O
ú"cras ma"i0(as. &oo a i(dica como !or'
&ur0a'io.

• $inh!o .o/o o ri'ua"


'm as msmas a&"icaçUs • 0amiaranga G
dscri'as &ara o &i(8ão ra(co. G ds'i(ada aos a(8os !or's,
&odroso (os a(8os d "im&7a a(8os d dscarr0o  "im&7a.
 dscarr0o,  'amm (os G usada (os L d d!sa. O
sacudim('os domici"iars, &oo a i(dica &ara 'ra'ar ú"cras
usa(do-s os 0a"8os. ão &ossui  !ridas ma"i0(as.
uso (a mdici(a &o&u"ar.
• 0intureira
H'i"i7ada (os a(8os !or's, d • 4assourinha de
"im&7a ou dscarr0o. Bm Bot!o +ui'o m&r0ada (os
&rLIimo ao su 'ro(co são sacudim('os &ssoais 
arriadas as ori0açUs domici"iars. ão &ossui uso (a
ds'i(adas a EIu. O &oo u'i"i7a o mdici(a &o&u"ar.
co7im('o d suas !o"8as como
um (r0'ico dsi(ama'Lrio.

• 4assourinha de
.elógio E"a som(' &ar'ici&a
• 0iririca Es'a (os sacudim('os domici"iars.
&"a('i(8a d scasso crscim('o ão &ossui uso (a mdici(a
a&rs('a umas &4u(i(as casira.
a'a'as aromS'icas. Es'as são
"adas ao !o0o , m s0uida,
rdu7ida a &L, o 4ua" !u(cio(a
como &L d muda(ça (o ri'ua".
@r &ara dsocu&ar casas ,
co"ocadas m aiIo da "3(0ua, • 5i6ue/i6ue
dsodori7a o 8S"i'o  a!as'a Par'ici&a (os a(8os !or's, d
0u(s. "im&7a ou dscarr0o. @ão aI
(os ass('am('os d EIu 
circu(dam
&oo i(dicaos Lra
s'a d d!sa.
&ara osO
ma"s dos ri(s.

• 3rtiga-
branca G m&r0ada (os •

a(8os !or's, (os d dscarr0o


 "im&7a  (os L d d!sa. •

Fa7 &ar' (os ass('am('os. O •


&oo a i(dica co('ra as
8morra0ias &u"mo(ars  •

r(4uicas.

• 3rtiga 4ermelha •

Par'ici&a m 4uas 'odas as


&r&araçUs do ri'ua", &ois ('ra •

(os a(8os !or's, d dscarr0o



 "im&7a. G aI dos
ass('am('os d EIu  u'i"i7ada •

(os L d d!sa. Es'a &"a('a


socada  rdu7ida a &L, &rodu7 •

um &L (!a7Jo. O &oo i(dica o


co7im('o das ra37s  !o"8as m •

c8S como diur'ico.


• a('iar'r3'ica, a('i-8r&'ica, a('i-
8morroidSria, a('i dia'ica,

dsi(ama'Lria d risi&"a,
diur'ico, mo"i(',

I&c'ora(', ma'ura'ia.


• Arr#./0# Y B!r1!
,"e,S Pe"r# A&"icada (as

ori0açUs
d uso 0ra"d caça, (os d
(os a(8os a

&urifcação  "im&7a dos f"8os.
a mdici(a &o&u"ar  i(dicada

como amacia(' da &", a('i-

i(ama'Lrio, diur'ico,
I&c'ora(', "aIa(', omi'ia.

• G#&'# "e
2#r 4ua"4ur 4u sJa a
cor P"a('a a&"icada m
ori0açUs d caça, ori 
a(8os dos f"8os. O &oo i(dica

"rvas de "K# suas ra37s mas
(arcL'icas, como"aadas,
ads'ri(0(' 
d"am a dis('ria , as ors,
as ú"cras  "ucorria.

• Teteregu Y C!! "#


Bre$# P"a('a u'i"i7ada m
ori0açUs d caça, ori  • M!r!+/&0! H'i"i7ada
a(8os dos f"8os. EIc"(' (as ori0açUs d ori r"a'ias a
diur'ico, aJuda a "imi(ar &dras O`S ori, "aa0m d co('as 
(a Ii0a, s3f"is  i(amaçUs !i'ura d sa('o. ão ('ra (os
(os ri(s. Ai(da coma' a a a srm 'omados &or ia
ar'riosc"ros. A rai7 m &L ora". O &oo a i(dica &ara
sr d ca'a&"asma &ara "imi(ar "ucorria corrim('os,
8r(ias, i(c8aços  co('usUs. 8idro&isia, ma"s do !30ado,
a!cçUs 8&S'icas  cL"icas
adomi(ais.

• O$u#r% Y A&'!(
e ")*gu! Y Er+!,"e,-!t!, •

&u./! H'i"i7ada (as ori0açUs


d ori  !i'ura d sa('o Tm uso •

mdici(a" como a('i-sif"3'ica,


a('iasmS'ica, a('i dis('rica, •
• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

"rvas de +gum

• Açoita-cavalo –
• %vitinga Era d I'raordi(Srios
!i'os (as ori0açUs, (os
• a(8os d dscarr0o 
sacudim('os &ssoais ou

domici"iars. +ui'o usada (a
mdici(a casira &ara d"ar

diarrias ou dis('rias,  usada

'amm (o ruma'ismo, !ridas
 ú"cras.

• • Açucena-rajada –
Cebola-cencm @ua a&"icação

(as ori0açUs  som(' do
u"o. Es'a co"a som(' 

usada (os sacudim('os

domici"iars. A mdici(a casira
u'i"i7a as !o"8as como mo"i('.

• Agri!o • Cana-de-macaco 
EIc"(' a"im('o. @m uso Hsada (os a d f"8os, 4u
ri'ua"3s'ico. Tm um (orm s'ão rco"8idos &ara !i'ura d
&rs'30io (o 'ra'am('o das sa('o. Esss f"8os 'omam duas
do(ças rs&ira'Lrias. Hsado doss diSrias. +io co&o sor o
como Iaro& &U fm [s 'osss  a"moço  mio sor o Ja('ar.
ro(4ui's,  I&c'ora(' d
acção "i0ira.

• Cana-de Brejo –
3bacaia @u uso s rs'ri(0
• Arnica-erca (os a  'amm (os a(8os d
lanceta G m&r0ada m "im&7a dos f"8os do oriIS do
4ua"4ur ori0ação d caça, !rro  das ar's ma(uais. a
(os a d &urifcação dos f"8os mdici(a casira  usado &ara
do oriIS O0um. EIc"(' coma'r a!cçUs r(ais com
rmdio (a mdici(a casira, as'a(' sucsso. Coma' a
'a('o i('r(a como a(uria, i(amaçUs da ur'ra 
I'r(am(', usado (as (a "ucorria. @u &ri(c3&io
co('usUs, 'omos, cor's  ac'io  o s'ri!(o. =S as'a('
"sUs, &ara rcom&osição dos !ama r!r(' ao su m&r0o
'cidos. a('i-sif"3'ico.

• Aroeira G • Canjerana – $au-


a&"icada (as ori0açUs d santo Em ri'uais  usada a
caça,  (os sacudim('os, (os casca, &ara co(s'i'uir &L, 4u
a(8os !or's d dscarr0o  !u(cio(arS como a!u0('ador d
(as &urifcaçUs d &dras. 0u(s  &ara a(u"ar o(das
Hsada como ads'ri(0(' (a (0a'ias. @u c8S ac'ua como
mdici(a casira, a&rssa a cura a('i!ri", co('ra as diarrias 
d !ridas  ú"cras,  rso" &ara d"ar dis&&sias. O
casos d i(amaçUs do a&ar"8o co7im('o das cascas 'amm 
0(i'a". cica'ri7ador d !ridas.

• Cabeluda- • Car6ueja @m uso


bacuica  Tm a&"icaçUs m ri'ua"3s'ico. A mdici(a casira
Srios ac'os ri'ua"3s'icos, 'ais a&o('a s'a ra como cura
como ori, sim&"s ou com&"'o, dcisia (os ma"s do s'ma0o
  &ar' dos a. Hsado  do !30ado. Tamm 'm
i0ua"m(' (os a(8os d a&rs('ado rsu"'ado &osi'io
&urifcação. (o 'ra'am('o da dia's  (o
ma0rcim('o.
O0um. Hsa-s som(' as !o"8as
4u são aromS'icas. A mdici(a
casira i(dica o c8S das !o"8as,
&ois s' &ossui !i'o a"sVmico
 !or'ifca('.
• Crista-de-
galo – $luma-de-princ;pe ão
'm m&r0o (as ori0açUs do
ri'ua". A mdici(a casira a i(dica
&ara curar diarrias.
• <elic7nia H'i"i7ada
(os a(8os d "im&7a 
dscarr0o
!i'ura  (osa
d sa('o (os d ori, (a
a(8os d
&urifcação dos f"8os do oriIS
• ragoeiro – 8angue- O0um. A mdici(a casira a
de-drag!o Ara(0 a&"icaçUs i(dica como d"ador d
(as ori0açUs d caça, a ruma'ismo, a&"ica(do-s o
0ra"  a(8os d &urifcação. co7im('o d 'odas a &"a('a m
Hsa-s o suco como cora(',  a(8os 4u('s. O rsu"'ado 
'oda a &"a('a, &i"ada, como &osi'io.
ads'ri(0('.

• "rva-tost!o • 'abuticaba Hsada


A&"icada a&(as m a(8os d (os a(8os d "im&7a 
dscarr0o, os a(8os dm sr
dscarr0o,
A usa(do-s
mdici(a &o&u"ar as !o"8as.
a u'i"i7a 'omados &"o m(os
co('ra os ma"s do !30ado, 4ui(7(a"m(', &ara 8aurir
(fcia(do o a&ar"8o r(a". !orças &ara a "u'a i(dica o
co7im('o da ('r casca (a cura
da asma  8mo&'iss.

• 9rumi/ameira
A&"icado m 4uais4ur
ori0açUs d caça, (os a  • 'ambo-amarelo
(os a(8os d &urifcação dos Hsado m 4uais4ur as
f"8os do oriIS. A ar' d curar ori0açUs d caça  (os a.
usada &"o &oo i(dica o @ão a&"icadas as !o"8as, (os
co7im('o das !o"8as m a(8os a(8os d &urifcação dos f"8os
aromS'icos  (a cura do do oriIS do !rro. A mdici(a
ruma'ismo. Ba(8os dmorados casira usa como c8S, &ara
"imi(am a !adi0a (as &r(as. ma0rcim('o.

• 9uarabu – $au-ro/o • 'ambo-


A&"icado m 'odas as ori0açUs encarnado A&"icam-s as !o"8as
d caça, (os a  (os a(8os (os a, (as ori0açUs d
d &urifcação dos f"8os d caça  (os a(8os d "im&7a
dos f"8os do oriIS do !rro. Tm
uso (o ariaI a(8o "us'ra".

• 'apecanga
ão 'm a&"icação (as
ori0açUs d caça, (m (os
a r"acio(ados com o oriIS. A • (osna
mdici(a casira aco(s"8a su Em&r0a-s (os a  (os
uso como d&ura'io do sa(0u, a(8os d dscarr0o ou "im&7a
(o ruma'ismo  mo"s'ias d dos f"8os do oriIS a 4u
&". &r'(c. G usada &"a mdici(a
casira como &odroso
rm3!u0o, mais &ar'icu"arm('
usada (a ds'ruição das
so"i'Srias, usa(do-s o c8S. G
(r0'ico 'L(ico  d"a d
• 'atob# – 'ata; !rs.
Era &odrosa, &orm sm
a&"icação (as crimL(ias do
ri'ua". @om('  usada como
rmdio 4u s m&r0a aos
f"8os rco"8idos &ara ori0açUs
d "o(0o &ra7o. Q&'imo • =leo-pardo
!or'ifca('. ão &ossui uso (a P"a('a u'i"i7ada a&(as m
mdici(a &o&u"ar. a(8os d dscarr0o.  mui'o
&rs'30io
Co7im('o (ada
mdici(a casira.
rai7  i(dicado
&ara curar ú"cras  &ara ma'ar
rms d a(imais.
• 'uc# ão 'm
m&r0o (as ori0açUs d
ri'ua". o uso &o&u"ar 8S um
co7im('o dmorado, das cascas
 sm('s, coa(do  rsra(do
m uma 0arra!a, 4ua(do 8our • $iri-piri A ú(ica
!rim('os, 'a"8os  !ridas. a&"icação "i'úr0ica  (os a(8os
d dscarr0o. G I'raordi(Srio
a('i- 8morrS0ico. Para 'a('o, os
cau"s scos  rdu7idos a &L,
d&ois d 4uimados, s'a(cam
8morra0ias. O msmo &L, d

m&r0o (as(im!o-bravo
ori0açUs d Tm
ori  mis'ura com
I'rmi(a S0ua  açúcar
a dis('ria.
(os a , ai(da (os a(8os d
"im&7a dos f"8os do oriIS. O
"imão-rao Ju('am(' com o
Iaro& d romo!Lrmio, (fcia
r(4uios  &u"mUs, &o(do fm
[s 'osss r"ds  crL(icas. • $oinctia
Em&r0a-s m 4ua"4ur
ori0ação d ori, (os a d uso
I'r(o, da msma sor' (os
a(8os d "im&7a  &urifcação
dos f"8os do oriIS. A mdici(a
casira sL o a&o('a &ara
I'rmi(ar dors (as &r(as,
usa(do m a(8os.
• 4assourinha-de-
igreja E('ra (os sacudim('os
d domic3"io, d "oca" o(d o
8omm Irc ac'iidads
&rofssio(ais. ão &ossui uso (a
• $orangaba mdici(a &o&u"ar.
E('ra m 4uais4ur ori0açUs ,
i0ua"m(', (os a. o
'ra'am('o &o&u"ar  usada
como '(ico  im&or'a('
diur'ico.
"rvas de +/óssi

• 8angue-de-
drag!o Tm a&"icaçUs d
caça, (os a(8os d • Ac#cia-jurema Hsada
dscarr0o  (os a. ão &ossui m a(8os d "im&7a,
uso (a mdici(a &o&u"ar. &ri(ci&a"m(' dos f"8os d
OILssi. G 'amm u'i"i7ada m
d!umaçUs. A mdici(a &o&u"ar
a u'i"i7a m a(8os ou
com&rssas sor ú"cras,
ca(cros, imão  (a risi&"a.
• 8!o-
gonçalinho G uma ra-sa('a,
&"as mú"'i&"as a&"icaçUs
ri'ua"3s'icas a 4u s'S suJi'a. a
mdici(a casira usa-s como
a('i 'rmico  &ara coma'r • Alecrim de Caboclo
!rs ma"i0(as, m c8S. Era d OIa"S, &orm mais
Ii0ido (as ori0açUs d OILssi.
ão &ossui uso (a mdici(a
&o&u"ar.

• 0anchagem
Par'ici&a d 'odas as ori0açUs
caça, (osd
d &urifcação a  (os a(8os
f"8os • Al&avaca-do-
rco"8idos ao ariaI. G aI &ara campo Em&r0a-s (as
os ass('am('os do oriIS do ori0açUs d caça, (os
!rro  das 0urras. +ui'o a(8os d dscarr0o  (os a
a&"icada (o a d ori. A dos f"8os do oriIS a 4u
mdici(a &o&u"ar ou casira &r'(c. A mdici(a casira
afrma 4u a rai7  as !o"8as são a&"ica s'a &"a('a &ara coma'r
'L(icas, a('i!ris  as do(ças do a&ar"8o
ads'ri(0('s. EIc"(' (a cura rs&ira'Lrio, coma'
da a(0i(a  da cac8uma. &ri(ci&a"m(' as 'osss  o
ca'arro dos r(4uios &r&arado
como Iaro&  fca7 co('ra a ou dscarr0o  m d!umaçUs
co4u"uc8. Hsada m c8S ou d "ocais d 'raa"8o. A mdici(a
co7im('o das !o"8as. &o&u"ar m&r0a o c8S co('ra a
diarria ou dis('ria  como
corr'io das ias uri(Srias.

• Al&azema-de-
caboclo Co(8cida
&o&u"arm(' como Jurmi(8a, a • Caapeba-
A"!a7ma  usada m 'odas as pariparoba +ui'o usada (as
ori0açUs
a(8os d caça,
d "im&7a (os  (as
ou a ori0açUs
&ara d caça
as ori0açUs dos f"8os
(os a
d!umaçUs &ssoais ou d rco"8idos. Fo"8a d mui'o
ami('s. A mdici(a casira &rs'30io (os Ca(dom"s ^'u,
usa os &(dUs orais, co('ra as &ois sr &ara 'irar mão d
'osss  ro(4ui's, a&"ica(do o 7umi. A mdici(a &o&u"ar u'i"i7a
c8S. su c8S &ara d"ar ma"s do
!30ado,  o co7im('o das ra37s
&ara I'i(0uir as do(ças do
ú'ro. @ur' !i'o diur'ico.

• Araç# – Araç#-de-
coroa @uas !o"8as são a&"icadas
m 4uais4ur ori0açUs d
caça, (os a  a(8os d • Cabelo-de-
&urifcação. A mdici(a &o&u"ar milho @om(' o & do mi"8o
co(sidra ssa s&ci como um &r'(c a OILssi as s&i0as d
(r0'ico ads'ri(0('. Cura mi"8o m casa &ro&icia ds&(sa
dsarra(Jos i('s'i(ais  &U fm !ar'a. ua(do scar 'ro4u-a &or
[s cL"icas. ou'ra rdi(8a. O ca"o-d-
mi"8o  mui'o usado &"a
mdici(a do &oo como diur'ico
 disso"(' dos cS"cu"os r(ais.
G usado m c8S.

• Araç#-da-praia
P"a('a arLra &r'(c(' a
]ma(JS  a OILssi. G m&r0ada
(as ori0açUs d caça, (os
a  (os a(8os d &urifcação • Capim-lim!o 
dos f"8os dos oriISs a 4u Era sa0rada d uso co(s'a('
&r'(c. o uso &o&u"ar cura (as d!umaçUs &riLdicas 4u
8morra0ias, usa(do-s o s !a7m (os 'rriros. Pro&icia a
co7im('o. o msmo modo a&roIimação d s&3ri'os
'amm  u'i"i7ado &ara !a7r &ro'c'ors. A mdici(a casira a
"aa0(s 0(i'ais. a&"ica m Srios casos &ara
rs!riados, 'osss, ro(4ui's,
'amm (as &r'uraçUs da
di0s'ão, !aci"i'a(do o 'raa"8o
do s'ma0o.

• Araç#-do-campo G
u'i"i7ada m a(8os d "im&7a
• Cipó-caboclo • "rva-
+ui'o u'i"i7ada m a(8os d curraleira A&"icada m 'odas as
dscarr0o. O &oo "8 dS ori0açUs d caça  (os a
0ra(d &rs'30io ao "i(!a('ismo, dos f"8os do oriIS da caça. a
&or mio d a(8os. Hsada do mdici(a &o&u"ar  a&"icada
msmo modo coma' como diur'ico  sudor3fco,
i(amaçUs das &r(as  dos s(do mui'o &rs'i0iada (o
's'3cu"os. 'ra'am('o da s3f"is. Hsa-s o
co7im('o das !o"8as.

• Cipó- • 9oiaba –
camar!o Hsada a&(as m 9oiabeira G u'i"i7ada m
a(8os d "im&7a  4uais4ur ori0açUs d caça,
d!umaçUs. O &oo i(dica 4u, (os a  (os a(8os d
m co7im('o  d 0ra(d &urifcação dos f"8os d OILssi.
fcScia (o 'ra'o das !ridas  A mdici(a casira usa a
co('usUs. 0oiaira como ads'ri(0('.
Cura cL"icas  dis('rias.
EIc"(' (as diarrias i(!a('is.

• Cipó-cravo ão
&ossui uso ri'ua"3s'ico. a
mdici(a casira ac'ua como • 9roselha –
d"ador das dis&&sias  9roselha-branca @uas !o"8as 
difcu"dad d di0s'ão. Hsa-s o !ru'os são u'i"i7ados (os a(8os
c8S ao di'ar. G &acifcador dos d "im&7a  &urifcação. A
(ros  &ro&icia um so(o mdici(a &o&u"ar di7 4u s
'ra(4ui"o. A dos a sr usada  !arica com o !ru'o um saoroso
uma I3cara das d ca! ao di'ar. Iaro& 4u s a&"ica (as 'osss
r"ds 4u amaçam os
r(4uios.

• Coco-de-iri
@ua a&"icação
a(8os s rs'ri(0 aos
d dscarr0o, • 9uaco cheiroso
m&r0a(do-s as !o"8as. A A&"ica-s (as ori0açUs d
mdici(a casira i(dica as suas caça  m a(8os d "im&7a.
ra37s co7idas &ara &or fm aos Po&u"arm(', s'a ra 
ma"s do a&ar"8o 0(i'a" co(8cida como coração-d-
!mi(i(o. G usado m a(8os Ksus. +dici(a"m(', coma'
smicú&ios  "aa0(s. as 'osss r"ds  a"iia
ro(4ui's a0udas, usa(do-s o
Iaro&. Como a('io!3dico co('ra
o ((o d cora, usam-s as
!o"8as socadas (o "oca" , os sdosos  ri"8a('s. Tm
i('r(am(', o c8S !or'. 0ra(d fcScia (as &"urisias,
(as ro(4ui's  !rs 4u
'ra0am ru&çUs. Hsa-s o c8S
i('r(am('.

• 9ua/ima-cor-de
rosa Hsada m 4uais4ur
ori0açUs d caça  (os a
dos f"8os do oriIS da caça. G d • 'acatir!o
cos'um usar 0a"8os d 0uaIima P"(o uso m 4uais4ur
m sacudim('os
domici"iars. +ui'o&ssoais 
ú'i" o a(8o ori0açUs.
"u0ars O su &,&ara
a&ro&riados  c&a são
arriar
das &o('as. A mdici(a &o&u"ar ori0açUs. ão &ossui uso (a
usa as ors co('ra a 'oss as mdici(a casira.
!o"8as são mo"i('s as &o('as,
sm('s  !ru'os são a('i!ris.

• 'urema branca
A&"icada m 'odas as ori0açUs
• 9uin- d ori, m a(8os d "im&7a ou
caboclo H'i"i7ado m 'odas as dscarr0o  ('ra (os a. G d
ori0açUs d caça, (os a, 0ra(d im&or'V(cia (as
&ara 4uais4ur f"8os, (os a(8os d!umaçUs ami('ais. A
d dscarr0o ou "im&7a, 'c. mdici(a casira i(dica as cascas
%(dis&(sS" (a Hma(da  (o m a(8os  "aa0(s como
Ca(dom". O &oo usa &ara ads'ri(0('. Em c8S 'm !i'o
d"ar os ma"s dos i('s'i(os, (arcL'ico, corri0i(do a i(sL(ia.
(fcia o s'ma0o (a mS
di0s'ão. Hsa-s o c8S.

• )alva-do-campo
– )alvarisco @u uso s
• %ncenso-de- rs'ri(0 aos a(8os dscarr0o
caboclo – Capim-lim!o Hsada  "im&7a. O &oo a i(dica como
(as d!umaçUs d ami('s  dsi(amadora (as a!cçUs da
(os a(8os d dscarr0o. O oca  0ar0a('a. G mo"i(',
&oo a u'i"i7a &ara I'rmi(ar &ro&icia(do ir a !uro os 'umors
rs!riados, mi(orar as ro(4ui's da 0(0ia. Hsa-s m
, 'amm, (as &r'uraçUs da oc8c8os  0ar0arJos.
di0s'ão.

• $iperegum-
• 'aborandi:  0ra(d verde – %peregum-verde Era
d I'raordi(Srios !i'os (as
a&"icação (as Srias ori0açUs. Srias ori0açUs do ri'ua". A
A mdici(a &o&u"ar ado&'ou s'a mdici(a a&o('a-a como
&"a('a como ss(cia" (a d"adora d ruma'ismo,
"aa0m dos ca"os, 'or(a(do- usa(do-s a(8os  com&rssas.

• $iperegum-
verde-e-amarelo Tm o msmo •

uso ri'ua"3s'ico &rscri'o &ara o



&i&r0um d OILssi. a
mdici(a &o&u"ar  o msmo 4u •

&i&r0um-rd.

• $itangatuba •

Hsado m 4uais4ur ori0açUs


d ori, ori, "aa0m d co('as
 dar d comr [ caça. A
!armScia do &oo i(dica m c8S,
(os casos d !rs  'amm
&ara dsos'ruir os r(4uios.
"rvas de +ssaim

• •

Ossaim a&rciaAmendoim 
mui'o  adora

saorS-"o 'orrado, sm casca. O
am(doim !or(c um om L"o

&ara "u7  'amm &ara a

co7i(8a. @uas sm('s são
s'imu"a('  !or'a"cm as
• is'as  a &", a"m d sr m
Ic"(' a!rodis3aco. os ri'uais,
•  m&r0ado co7ido  u'i"i7ado
m sacudim('os, com

Ic"('s rsu"'ados.



Celid7nia
maior G i(dicada &"a mdici(a

casira como Ic"('
mdicam('o (as do(ças dos
• o"8os, usa(do a S0ua do
co7im('o da &"a('a &ara a(8S-
• "os. @u c8S 'amm  d 0ra(d
fcScia &ara a(8ar o ros'o  dar

fm [s ma(c8as  &a(os.

o"8os  &ara ds(o"r a
id/(cia.

• Coco de end* G
co(8cido ('r os ]oruSs como
Adi(. @ua sm(', ds&roida
da &o"&a, !or(c um L"o • 9itó –
ra(co, sL"ido,  sr &ara carrapeta @ua u'i"i7ação s
sus'i'uir a ma('i0a. G a rs'ri(0 ao uso "i'úr0ico 
c8amada ma('i0a d Zari'. ri'ua"3s'ico. G "ar0am('
Es' coco  mui'o &rs'i0iado m&r0ada (os a(8os d
&"a mdici(a
d"a casira,
c!a"ias, &ois
a(0i(as, "im&7a'amm
Hsada  &urifcação do oriIS.
m a(8os d
!ra4u7a dos Lr0ãos isuais  caça &ara ds(o"r a
cL"icas adomi(ais. id/(cia, audição  i('uição. A
mdici(a &o&u"ar a&"ica-a (a
cura d mo"s'ia dos o"8os,
&orm m "aa0(s I'r(as.

• "rva de
$assarinho G mui'o a&"icada
&ri(ci&a"m(' (o a do oriIS,
(as ori0açUs r(oadas • 9uabira
a(ua"m('  (os a d A&"icada m 'odas as ori0açUs
aa"ossaim. as r(oaçUs, d caça, (os a d uso 0ra"
s'a &"a('a  a duodcima !o"8a  (os a(8os d &urifcação 
4u com&"'a o a'o "i'úr0ico "im&7a dos f"8os dos oriISs. A
r(oa'Lrio. a mdici(a mdici(a casira a i(dica (o
&o&u"ar, s'a &"a('a  s('ido d &r fm aos ma"s dos
m&r0ada com sucsso o"8os co(Ju('ii's. Em a(8os,
aso"u'o, co('ra as mo"s'ias !aorcm aos 4u so!rm d
u'ri(as, corrim('os  'amm ruma'ismo  dm sr !i'os
&ara dar fm [s ú"cras. As !o"8as m a(8iras ou acias, s(do
 ors são usadas m caso d mais ou m(os dmorados.
dia's, 8mo&'iss 
8morra0ias dirsas.

• (#grima de >ossa
• "rva de 8anta 8enhora G usada (as
ori0açUs d caça, (os a 
(uzia +ui'o usada (as (os a(8os d dscarr0o ou
ori0açUs d caças, ori,
"aa0m d co('as, !i'ura d "im&7a.
Ic"('Odiur'ico,
&oo a i(dica como
m c8S. Os
sa('o  'ira0m d 7umi.  a(8os d"am o ruma'ismo 
i0ua" ma(ira, 'amm s rdu7m as i(c8açUs. As !o"8as
m&r0a (os a, a(8os d  as sm('s são i(dicadas &ara
dscarr0o ou "im&7a dos f"8os a(8ar os o"8os, &ro&icia(do
dos oriISs. A mdici(a &o&u"ar a m-s'ar. A a&"icação d sr
co(sa0rou como um 0ra(d !i'a &"a ma(8ã, a&Ls 'r
rmdio, &or sr d 0ra(d diIado o a(8o fcar (a (oi'
fcScia co('ra o 3cio da ida. a('rior so o sr(o. R'ir
O co7im('o d suas !o"8as  a('s do so" (ascr  a&"i4u
m&r0ado co('ra do(ças dos sor os o"8os.

• >arciso dos

'ardins E('ra (os 'raa"8os m
ra7ão d sr su&or' &ara o •

!'ic8 d Ossaim, &ara o


ass('am('o. ão &ossui uso (a •

mdici(a &o&u"ar, &ois  'ida


como &"a('a ((osa. •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •
• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• "rvas de 5ang7

• Alevante –

(evante Hsada m 'odas as
ori0açUs d caça, (os a 
• (os a(8os d "im&7a d f"8os
d sa('o. ão &ossui uso (a

mdici(a &o&u"ar.


• Al&avaca-ro/a
Em&r0ada m 'odas as

ori0açUs d caça  (os a
dos f"8os ds' oriIS. +ui'o

usada m a(8os d "im&7a ou
dscarr0o. A mdici(a casira

usa su c8S m co7im('o, &ara
ma0rcr.


• Angelicó – )il-

homens Tm 0ra(d a&"icação
(a ma0ia d amor, m a(8os d
mis'ura com ma(acS !o"8as 
ors, &ara &ro&iciar "i0açUs
amorosas, a&roIima(do o sIo
mascu"i(o. A mdici(a casira
a&"ica-o como s'omaca", • Cavalinha –
coma'(do a dis&&sia. As )ilho-de-cobra A&"icada (as
0s'a('s (ão a dm usar. ori0açUs d caça, (os a 
como aI (os ass('am('os dos
dois oriISs. ão &ossui uso (a
mdici(a &o&u"ar.


Aperta-ru!o
Os aa"oriISs a u'i"i7am (as 
ori0açUs d caça (o caso
dos f"8os do 'roão  usada a • "ritrina – )ulungu
(0a-mi(a. Tm 0ra(d &rs'30io
(a mdici(a &o&u"ar como Tm &"(a a&"icação (as
ads'ri(0('. As s(8oras a ori0açUs d caça  (os
m&r0am m a(8os a(8os d "im&7a dos f"8os d
smicú&ios, d ass('o,  m Na(0. a mdici(a casira 
"aa0(s a0i(ais &ara dar fm [ a&"icada como L&'imo &acifcador
"ucorria. do sis'ma (roso , 'amm,
co('ra a ro(4ui'.

Azedinha – 
0revo-azedo – 0r*s-coraç?es •
"rva-das-
G &o&u"arm(' co(8cida como lavadeiras – )el!o-de-8!o-
'r/s coraçUs, sm !u(ção Caetano ão &ossui u'i"i7ação
ri'ua"3s'ica. G m&r0ada (a (as ori0açUs do ri'ua". O uso
mdici(a &o&u"ar como &o&u"ar o i(dica como s(do d
coma'(' da dis('ria, 0ra(d fcScia (o coma' ao
"imi(ador d 0ass  !r3!u0o. ruma'ismo. G i0oroso a('i!ri",
d"a ai(da, do(ças das
s(8oras, m a(8os d ass('o.

• Ca&erana-
Alum! @ão u'i"i7adas (as
a&"icaçUs d caça  (os a. • "rva-de-8!o-'o!o
Hsado (a mdici(a &o&u"ar H'i"i7ada (as ori0açUs d
como "aIa(', !a7(do uma caça  (osAa(8os
dscarr0o. dcasira,
mdici(a
"im&7a 0ra" (o s'ma0o 
i('s'i(os, sm causar da(os  i(dica-a como 'L(ico &ara
L&'ima coma'(' d !rs coma'r as dis('rias.
&a"us'rs ou i('rmi'('s A&"icam-s (o 'ra'am('o do
&odroso rm3!u0o  (r0'ico ruma'ismo. Hsa-s o c8S m
'L(ico. a(8os.
• >ega-mina
• "rva-grossa – %('iram(' a&"icada (as
Fumo-bravo Em&r0ada (as ori0açUs d ori,  (os a(8os
ori0açUs d caça, d dscarr0o ou "im&7a  (os
&ar'icu"arm(' (os ori  como a. O &oo a a&"ica como
aI do oriIS. A mdici(a casira d"adora dos ma"s do !30ado,
i(dica as ra37s m co7im('o, das cL"icas 8&S'icas  das
como a('i!ri", as msmas m (ra"0ias.
ca'a&"asmas d"am 'umors.
As !o"8as a0m
coma'(do como 'L(ico
o ca'arro dos
r(4uios  &u"mUs.

• >oz-moscada
@u uso ri'ua"3s'ico s "imi'a a
u'i"i7ação do &L 4u, s&a"8ado
ao ami(', Irc ac'iidad
• )imo-de-v*nus – &ara m"8oria das co(diçUs
Amor-agarradinho: A&"ica-s f(a(ciras. G 'amm usado
!o"8as, ramos  ors, m a(8os como d!umador. Es' &L, usado
d &urifcação dos f"8os d O`S. (os raços  mãos ao sair [ rua,
+ui'o usada (a ma0ia amorosa, a'rai uidos (fcos. ão
circu(da(do um &ra'o  m'ad &ossui uso (a mdici(a &o&u"ar.
&ara d('ro do &ra'o  m'ad
&ara !ora r0u a ra com m"
d a"8as
moi'a  arri
d amu. ãom&ossui
uma uso
(a mdici(a casira.
• $anacia –
Azougue-de-pobre E('ra (as
ori0açUs d ori  (os a(8os
d dscarr0o ou "im&7a. O
&oo a a&o('a como &odroso
• )orangueiro diur'ico  d 0ra(d fcScia (o
A&"icação rs'ri'a, JS 4u s 'or(a coma' [ s3f"is, usa(do-s o
di!3ci" (co('rS-"a m 4ua"4ur c8S. G i(dicada 'amm (o
"u0ar. O &oo a i(dica como 'ra'am('o das do(ças d &",
rmdio diur'ico, &o(do fm aos  ai(da d"ar o ruma'ismo,
ma"s dos ri(s. G usada &ara m a(8os.
curar dis('rias  'amm
rcu&rar &ssoas 4u carcm
d i'ami(a C (o or0a(ismo.

• $au-de-colher –
(eiteira Hsada m a(8os d
&urifcação d mis'ura com
• )usgo-da- ou'ras s&cis dos msmos
pedreira Tm a&"icação (os oriISs. A mdici(a casira a
a(8os d dscarr0o  (as rcusa &or 'LIica, &orm &od
d!umaçUs &ssoais, 4u são &r!i'am(' sr usada
!i'as a&Ls o a(8o. A I'r(am(' m a(8os.
d!umação s ds'i(a a
a&roIimar o &aci(' do m.
• $au-pereira ão  • 8ensitiva –
a&"icada (as ori0açUs d ori, ormideira @om('  u'i"i7ada
mas  usada m a(8os d m a(8os d dscarr0o. O
dscarr0o ou "im&7a. O &oo a &oo di7 &ossui I'raordi(Srios
a&"ica (as &r'uraçUs do !i'os (as i(amaçUs da oca
s'ma0o  &U fm a !a"'a d  0ar0a('a. H'i"i7a-s o
a&'i'. G !or'ifca('  coma' co7im('o d 'oda a &"a('a &ara
!rs i('rmi'('s,  ai(da 'm 0ar0arJos  oc8c8os.
!ama d a!rodis3aco.

• 0aioba @m
• $essegueiro G a&"icação (as ori0açUs d
u'i"i7ado ors  !o"8as, m caça. Porm mui'o u'i"i7ada (a
4uais4ur ori0açUs d ori. Pois co7i(8a sa0rada d Na(0. "a
s'a &ro&icia m"8ors co(diçUs &r&ara-s um s&arr0ado d
mdiú(icas, ds'rui(do uidos r/ mui'o co(8cido como
(0a'ios  E0u(s. O &oo a caruru ss a"im('o "a
i(dica m co7im('o &ara 4ua"idads d rduras mas
d"ar ma"s do s'ma0o  sm&r 'm a com&"m('S-"o a
a(8ar os o"8os, (o caso d 'aioa. O &oo u'i"i7a suas !o"8as
co(Ju('ii'. m co7im('o como mo"i(' a
rai7 a(imais
dos  &odroso ma'a-ic8iras
, a"m d ma'S-"as,
ds'rLi as car(s &odrs,
&romo(do a cica'ri7ação.

• $i/irica –
0api/irica A&"ica-s som(' o
uso das !o"8as, d !orma
(fca. O &oo a i(dica (as
&a"&i'açUs do coração, (a • 0a6uaruçu – Bambu-
m"8oria do a&ar"8o 0(i'a" amarelo – Bambu-dourado Os
!mi(i(o  (as do(ças das ias 0a"8os f(os, com !o"8as, srm
uri(Srias. &ara ra"i7ar sacudim('os
&ssoais ou domici"iars. G
m&r0ado ai(da &ara (!i'ar o
"oca" o(d s 'm E0u(
ass('ado. ão &ossui uso (a
mdici(a &o&u"ar.
• .om! Hsada
m a(8os d "im&7a dos f"8os
do oriIS dos ('os. O &oo
m&r0a as cascas dos !ru'os (o
coma' a rms i('s'i(ais  o
msmo co7im('o m 0ar0arJos • 0iririca  @m
&ara d"ar i(amaçUs da a&"icação ri'ua"3s'ica, a (ão sr
0ar0a('a  da oca. as a'a'as aromS'icas, ssas
a'a'i(8as 4u o &oo a&"idou
d da(dS-da-cos'a, "adas ao
ca"or do !o0o  d&ois rdu7idas •

a &L 4u, mis'urado com ou'ros,


ou msmo so7i(8o, !u(cio(a •

como &L d da(ça. Para


dsocu&ação d casas. •

Co"ocados m aiIo da "3(0ua, •


a!as'a 0u(s  dsodori7a o
8S"i'o. ão &ossui uso (a •

mdici(a &o&u"ar.

• 3mbaúba: @om
('  usada (os ori a s&ci
&ra'ada. As ou'ras s&cis são
usadas (os sacudim('os "rvas de +/um
domici"iars ou d 'raa"8o. O
&oo a &rs'i0ia como Ic"('
diur'ico. G aco(s"8ado (ão usar
co(s'a('m(' s'a ra, &ois o
uso co(s'a(' ac"ra as
co('racçUs do coração.
• Abiu-abieiro
@m uso (a "i'ur0ia, 'm !o"8as
cura'ias a &ar' i(!rior ds'as,
co"ocadas (as !ridas, aJudam a
su&rar s i(r'r a &osição da

!o"8as, a cura srS a&rssada. A
3rucu
&"a('a som(' são  s'a
u'i"i7adas as casca da Sror co7ida 'm !i'o
sm('s, 4u socadas  cica'ri7a('.
mis'uradas com um &ou4ui(8o
d S0ua  &L d &ma ra(ca,
rsu"'a (uma &as'a 4u s u'i"i7a
&ara &i('ar a ]ab. O &oo i(dica
as sm('s rds &ara os
ma"s do coração  &ara d"ar • Agri!o-do-
8morra0ias. $ar# – 'ambuaçu G usado (as
ori0açUs d caça  (os a,

&ara &urifcação d f"8os como

aI (os ass('am('os da dusa
d S0ua doc. A mdici(a casira

usa-o &ara coma'r 'osss 
corri0ir scoru'o car/(cia d
• i'ami(a C. G, 'amm,

Ici'a('.


• Al&avaca-de-

cobra G usada m 'odas as
ori0açUs d caça. o a

'amm  usada, o f"8o dorm
com a caça cor'a. A('s das
do7 8oras do dia s0ui(' o Iaro& d 0ra(d fcScia (os
m&"as'ro  r'irado,  'or(a-s ma"s das ias rs&ira'Lrias ou
um a(8o d &urifcação. A do(ças do &i'o.
mdici(a casira a i(dica como
coma'(' ao mau-8S"i'o.

• Brio-de-
estudante – Barbas-de-
baratas: s'a ra a&(as a
• Arapoca- rai7  u'i"i7ada. E"a !or(c um
branca @uas !o"8as são om cora(' 4u  usado (as
u'i"i7adas
caça (as a
 (os ori0açUs d
(o Ca(dom" &i('uras
com &madas ras&ada.
`abo, dAmis'ura
mdici(a
são usadas m sacudim('os &o&u"ar u'i"i7a o c8S, mia 8ora
&ssoais. As casacas ds'a a('s d dormir, &ara 'r so(o
srm &ara ma'ar &iIs. A 'ra(4ui"o.
mdici(a casira u'i"i7a as !o"8as
como a('i 'rmico, co('ra !rs.
A0 'amm como Ici'a('.

• Ca&erana-
alum! @ão u'i"i7adas (as
a&"icaçUs d caça  (os a.
• Arnica-montana: Tm Hsado (a mdici(a &o&u"ar
&ouca a&"icação (a Hma(da  como "aIa(', !a7(do uma
(o Ca(dom". KS (a mdici(a "im&7a 0ra" (o s'ma0o 
&o&u"ar  mui'o usada, a&Ls
a"0u(s dias d i(!usão (o o'i( i('s'i(os,
L&'ima sm causar
coma'(' da(os 
&odroso
cac8aça. A0 como rm3!u0o  (r0'ico 'L(ico.
cica'ri7a(', rcom&o(do o
'cido "sado (as scoriaçUs.

• Camar#-
cambar# H'i"i7ada m
• Azedinha - 4uais4ur ori0açUs d caça,
0revo-azedo – 0r*s coraç?es G (os a  (os a(8os d
&o&u"arm(' co(8cida como &urifcação. A mdici(a casira a
'r/s-coraçUs, sm !u(ção m&r0a mui'o m Iaro&,
ri'ua"3s'ica,  a&(as m&r0ada co('ra a 'oss  rou4uidão 
(a mdici(a &o&u"ar como ai(da &U fm [s a!cçUs
coma'(' da dis('ria, ca'arrais.
"imi(ador d 0ass  !r3!u0o.

• Bananeira • Camomila-
+ui'o m&r0ada (a cu"i(Sria marcela Tm rs'ri'a a&"icação
dos OriISs. @uas !o"8as !orram o (as ori0açUs "i'úr0icas.
casco da 'ar'aru0a, &ara arriar-s E('r'a('o,  usada (os a(8os
o ocaso a OIum. A mdici(a d dscarr0o  (os a. o uso
casira &r&ara d sua sia um &o&u"ar  d 0ra(d f(a"idad
m "aa0(s i('s'i(ais das sis'ma (roso. O c8S !i'o das
cria(ças, co('ra cL"icas  !o"8as adocicado ou &uro
r0u"ari7adora das !u(çUs dos coma' as a0i'açUs (rosas,
i('s'i(os. O c8S das ors  8is'rismos  i(sL(ia.
'L(ico  s'imu"a(', coma' as
dis&&sias  s'imu"a o a&'i'.

• "rva-de-
8anta-)aria @ão m&r0adas
• Cana-&;stila – m ori0açUs d caça  m
Chuva-de-ouro
a  A&"icada
 (as ori0açUs (os
d caça, a(8os d
rmdio dscarr0o.
casiro Como
 u'i"i7ada &ara
usada 'amm (os a(8os d coma'r "omri0as ascSrids
dscarr0o dos f"8os d OIum. das cria(ças, 'amm  L&'imo
@u uso &o&u"ar  co('ra os rmdio &ara os r(4uios.
ma"s dos ri(s, arias  ardors.
O sumo das !o"8as mis'urado
com c"ara d oo  sa" ma'a
im&i0(s.

• "rvilha-de-
Angola – 9uando G m&r0ada
m 4uais4ur ori0açUs. O &oo
• Chamana- usa as &o('as dos ramos co('ra
nove-horas – )anjericona 8morra0ias  as ors co('ra as
Hsada m ori0açUs d caça, mo"s'ias dos r(4uios 
&u"mUs.
(os a  (os
&urifcação dosa(8os dOIum. O
f"8os d
&oo a u'i"i7a m dis('rias.

• Fava-pichuri
o ri'ua" da Hma(da  do
• Cipó-chumbo Ca(dom", usa-s a !aa
rdu7ida a &L, ou d!umaçUs
@m uso (a "i'ur0ia, &orm mui'o 4u 'ra7m o(s uidos 
&rs'i0iada (a mdici(a &o&u"ar, a!u0('a E0u(s. O &oo usa o &L
como Iaro& d"a 'osss  (a &r&aração d c8S, 4u 
ro(4ui's su c8S  mui'o fca7 (as dis&&sias  diarrias.
fca7 (o coma' a diarrias
sa(0ui(o"('as  [ ic'r3cia sco
 rdu7ido a &L, cica'ri7a !ridas
r"ds.

• Flamboiant: ã
o  u'i"i7ado m ori0açUs d
caça, s(do usado som('
• "rva-cidreira m a"0umas casas, m a(8os
– )elissa: @m uso (a "i'ur0ia, d &urifcação dos f"8os dos
sua a&"icação s rs'ri(0 ao oriISs. Porm suas ors 'm
Vmi'o da mdici(a casira, 4u as'o uso, como or(am('o,
a usa como Ici'a('  a('i- (!i' d ori0ação ou d
s&asmLdico, (r0ico '(ico do msas m 4u s'Jam arriadas
as ori0açUs. @m uso (a
mdici(a comrcia".

• )acaç# A&"icação
"i'úr0ica 'o'a", ('ra m 'odas as
ori0açUs d ori (os a 
• 9engibre- &urifcação dos f"8os dos oriISs.
zingiber @ão a&"icados os O &oo a usa &ara d"ar 'osss
ri7omas, a rai7, 4u s adicio(a  ca'arros r(4uios  usada
ao a"uS  a ou'ras idas. O ai(da co('ra 0ass i('s'i(ais.
&oo a usa (os casos d
8morra0ia d s(8oras  co('ra
as &r'uraçUs
m c8S. do s'ma0o,

• )!e-boa G ra
sa0rada d OIum. @L  usada
(as ori0açUs ri'ua"3s'icas, 4u
s rs'ri(0 aos a(8os d
• 9igoga- "im&7a. +ui'o usada &"o &oo
amarela – Aguap* Hsado (os co('ra o ruma'ismo, m c8S ou
a, (os ori  a(8os d a(8o.
"im&7a, &ois &urifca a aura 
a!u0('a ou a(u"a E0u(s. A
mdici(a &o&u"ar ma(da 4u as
!o"8as sJam usadas como
ads'ri(0(' , m 0ar0arJos,
!or'a"cm as cordas ocais.
• )alme6uer –
Cal*ndula
ori0açUs d
G usada ma,
ori  (os 'odas as
(os a(8os d &urifcação dos
f"8os d OIum. As ors são
Ici'a('s, r0u"adoras do uIo
• %p*-amarelo m(s'rua". As !o"8as são
A&"icada som(' m a&"icadas m !ricçUs ou
d!umaçUs d ami('s. a !umi0açUs &ara !aci"i'ar a r0ra
mdici(a &o&u"ar  usada m !mi(i(a.
0ar0arJos, co('ra i(amaçUs
da oca, das am30da"as 
s'oma'i'. O 4u ai a
co7im('o são a casca  a ('r
casca.
• )alme6uer-do-
campo ão  a&"icada (as
ori0açUs
&o&u"ar 'mdo ri'ua".cica'ri7a('
!u(ção a mdici(a
d !ridas  ú"cras, co"oca(do o
• (úca-@rvore- sumo d ors  !o"8as sor a
da-pureza @u &(dão ora"  !rida.
usado &"(a  aso"u'am(',
m ori0açUs d ori dos f"8os
d OIum. ão &ossui uso (a
mdici(a &o&u"ar.

• )alme6uer-

miúdo A&"icado m 4uais4ur
ori0açUs d ori, (os a  (os •

a(8os d "im&7a dos f"8os 4u


s (co('ram rco"8idos &ara •

!i'ura do sa('o. Como rmdio


casiro,  cica'ri7a('  •

Ici'a('.

• +rriri-de- •

+/um E('ra m 'odas as


ori0açUs d ori, (os a(8os d
"im&7a. O &oo a i(dica como
diur'ico  s'imu"ador das
!u(çUs 8&S'icas.
"rvas de (ogun
"d
• 6o0u( Ed, m sua &assa0m
&"a Trra, s a&ro&riou das ras

4assourinha-de- d sus'rr(os
ma"s &ais &ara &or fm
curou aos
mui'as
bot!o +ui'o usado (os
sacudim('os &ssoais. ão &ssoas  ai(da cura a' os dias
&ossui 4ua"4ur uso (a mdici(a d 8oJ a4u"s 4u ("
&o&u"ar. d&osi'am sua !. A"m d 'odas
as ras d OIum  OILssi 4u

" u'i"i7a &ara curar, ds'aca-s,
ai(da, uma ú(ica d sua
• &ro&ridad, 8oJ d 0ra(d
im&or'V(cia &ara a mdici(a

casira o $iperegum 4erde e
Amarelo.


• $iperegum

4erde e Amarelo ori0i(Sria d
*ui(, (a $!rica. Tra'a-s d uma

ra 4u &ossui I'raordi(Srio
!i'os (as Srias ori0açUs do
• ri'ua", &ossui(do 0ra(d fcScia
(os sacudim('os &ssoais 

domici"iars  (os a como
a!as'am('o d mão d caça

(o caso d &ai  mã d sa('o

io, crca(do as &r(as da
&ssoa com !o"8as d &i&r0um •

ou amarradas ao 'or(o7"o !i'o


isso, a crimL(ia  i(iciada. A •

mdici(a casira a&o('a o


&i&r0um como um dos •

m"8ors rmdios &ara d"ar •


o ruma'ismo, d(do sr
usado m a(8os ou •

com&rssas.


• • Al&avaca-ro/a Em&r0ada m
'odas as ori0açUs d caça 

(os a dos f"8os ds' oriIS.
+ui'o usada m a(8os d

"im&7a ou dscarr0o. A

mdici(a casira usa su c8S m
co7im('o, &ara ma0rcr.

• Al&azema  Em&r0ada m 'odas

as ori0açUs d caça. G
a&"icada (as d!umaçUs d
• "im&7a, usada 'amm (a
ma0ia amorosa m !orma d

&r!um."o0ios
0ra(ds A mdici(a
a s'a&o&u"ar di'a
ra, &ois

"a  Ic"(' Ici'a('  a('i-

s&asmLdico. G usada, 'amm,
como r0u"adora da

m(s'ruação. @om(' 
a&"icada como c8S.

• Babosa +ui'o usada m ri'uais


• d Hma(da, mais
s&cifcam(' m d!umaçUs
• &ssoais. Para 4u s !aça a
d!umação,  (cssSrio 4uimar

suas !o"8as d&ois d scas. %sso

"a um cr'o 'm&o, dido a
0osma au(da(' 4u 8S (a
aosa. A d!umação  !i'a
a&Ls
Para ao mdici(a
a(8o d casira
dscarr0o.
sua
0osma  d 0ra(d fcScia (os
acssos ou 'umors, a"m d
"rvas de +molu mui'as ou'ras a&"icaçUs.
• Agoniada Fa7 &ar' d 'odas as • Araticum-de-areia – )alol7
ori0açUs do dus das 6i'ur0icam(', os a('os a
(dmias  &idmias. H'i"i7ada usam (os a(8os d dscarr0o,
(o ori, (as "aa0(s d co('as m mis'ura d ou'ra ra. A
 (a i(iciação. Es'a ra &urifca mdici(a casira i(dica a &o"&a
os f"8os-d-sa('o, diIa(do-os dos !ru'os &ara rso"r 'umors
"irs d uidos (0a'ios. a  o co7im('o das !o"8as (o
mdici(a &o&u"ar, a msma  'ra'am('o do ruma'ismo.
usada &ara corri0ir o uIo
m(s'rua"  coma' asma. • Arrebenta cavalo o uso
ri'ua"3s'ico s'a ra 

m&r0ada m a(8os !or's do
Alamanda
ori0açUs, s(do
ão  m&r0ada
u'i"i7ada m &scoço &ara aiIo, m 8ora
som(' m a(8os d ar'a. G 'amm usado m
dscarr0o. a mdici(a casira ma0ias &ara a'rair sim&a'ia. ão
"a  usada &ara 'ra'ar do(ças  usada (a mdici(a casira.
da &" sar(a cociras, c7ma
 !urú(cu"os. Para usar  • Assa-pei/e Hsada m a(8os
(cssSrio 4u s co7i(8 as d "im&7a  (os ori. a
!o"8as,  co"o4u c8S d !o"8as mdici(a &o&u"ar "a  a&"icada
sor a do(ça. (as a!cçUs do a&ar"8o
rs&ira'Lrio m !orma d Iaro&.
• )usgo A&"icada m 'odas as • Cord!o de Frade: G a&"icada
ori0açUs d caça r!r('s som(' m a(8os d "im&7a 
a 4ua"4ur oriIS. A mdici(a dscarr0o dos f"8os ds' oriIS.
casira aco(s"8a a a&"icação do O &oo a i(dica &ara a cura da
suco (o coma' [s 8morrLidas asma, 8is'rismo  &acifcador
uso 'L&ico. dos (ros. Tamm coma' a
i(sL(ia.
• Beldroega Hsada (as
&urifcaçUs das &dras d oriIS • Cebola do mato @m uso
, &ri(ci&a"m(' as d EIu. O ri'ua"3s'ico. A mdici(a casira
&oo usa suas !o"8as socadas afrma 4u o co7im('o d suas
&ara a&rssar a cica'ri7ação das !o"8as a&rssa a cica'ri7ação d
!ridas, co"oca(do-as &or cima. !ridas r"ds.
• Canena Coirana 0'a" d • Celid7nia maior ão &ossui
Ic"(' a&"icação "i'úr0ica, &ois uso ri'ua"3s'ico. G i(dicada &"a
('ra m 'odas as ori0açUs. O mdici(a casira como Ic"('
&oo a 'm como Ic"(' mdicam('o (as do(ças dos
s'imu"a(' do !30ado. o"8os, usa(do a S0ua do
co7im('o da &"a('a &ara a(8S-
• Capi/ingui Em&r0ada m "os. @u c8S 'amm  d 0ra(d
'odas as ori0açUs d caça, fcScia &ara a(8ar o ros'o  dar
(os a, (os a(8os d fm [s ma(c8as  &a(os ra(co.
&urifcação  "im&7a , 'amm
(os sacudim('os. O &oo afrma • Coentro +ui'o a&"icada como
4u o ca&iIi(0ui 'm o(s !i'os aduo ou co(dim('o (as
(o ruma'ismo  (o ar'ri'ismo  comidas do oriIS, &ri(ci&a"m('
(os sacudim('os. O &oo afrma (a car(  (o &iI. ão 
4u o ca&iIi(0ui 'm o(s !i'os m&r0ada (as ori0açUs
(o ruma'ismo  (o ar'ri'ismo ri'ua"3s'icas. A mdici(a casira
(os sacudim('os.
4u O &oo
o ca&iIi(0ui 'm o(s afrma
!i'os i(dica
das s'a ra
!u(çUs como r0u"adora
di0s'ias 
(o ruma'ismo  (o ar'ri'ismo "imi(adora d 0ass i('s'i(ais.
(os sacudim('os. O &oo afrma
4u o ca&iIi(0ui 'm o(s !i'os • Cotieira: ão samos ao cr'o
(o ruma'ismo  (o ar'ri'ismo s s'a ra 'm a&"icação
ruma'ismo ar'icu"ar u'i"i7ado ri'ua"3s'ica. a mdici(a casira
m a(8os, mais ou m(os "a  s'ri'am(' d uso
4u('s, co"oca(do-s (as Ju('as 'ri(Srio. +ui'o a&"icada m
do"oridas. cãs &ara &ur0ar  &urifcar
!ridas.
• Cipó-chumbo @m uso (a
"i'ur0ia, &orm mui'o &rs'i0iada • "rva-)oura Es'a ra !a7 &ar'
(a mdici(a &o&u"ar, como dos a(8os d "im&7a 
Iaro& d"a 'osss  &urifcação dos f"8os do oriIS.
ro(4ui's su c8S  mui'o @u uso &o&u"ar  como
fca7 (o coma' a diarrias ca"ma(', m doss d uma
sa(0ui(o"('as  [ ic'r3cia sco I3cara das d ca!, duas a 'r/s
 rdu7ido a &L, cica'ri7a !ridas 7s ao dia. Essa dos (ão d
r"ds. sr aum('ada, d modo a"0um,
&ois m 0ra(d 4ua('idad
• Carobinha do Campo Em &rJudica. As !o"8as 'iradas do
a"0u(s 'rriros ssa &"a('a !a7 &, d&ois d socadas, curam
&ar' do ariaI. A mdici(a ú"cras  !ridas.
casira i(dica o c8S d suas
!o"8as &ara coma' cociras (o • "stora6ue Brasileiro @ua
cor&o , &ri(ci&a"m(' cocira rsi(a  co"8ida  rdu7ida a &L.
(as &ar's 0(i'ais. Es' &L, mis'urado com (Joim,
 usado m d!umaçUs
&ssoais. Essa d!umação
ds'i(a-s a arra(car ma"s. O 'ra'am('o das ú"cras, o ca"do
&oo aco(s"8a o &L ds'a (o dos !ru'os  coma'(' d
'ra'am('o das !ridas r"ds 8idro&isia.
ou u"craçUs, co"oca(do o
msmo sor as "sUs. • 'urubeba @om(' usada m
ori0açUs com oJc'io d
• Figo Benjamim Era mui'o dscarr0o  "im&7a. @uas
usada (a &urifcação d &dras !o"8as  !ru'os &rmi'm o om
ou !rram('as  (a &r&aração !u(cio(am('o do !30ado  aço,
do !'ic8 d EIu. Em&r0ada, 0ara(' a sadoria &o&u"ar.
'amm, m a(8os !or's &ara "a  &ri( 8&a'i' com
&r fm a &adcim('os d ou sm dmas.
&ssoa 4u s'Ja so!r(do

osidiação
a&"ica ou osssão.
o co7im('o O &oo
das !o"8as )angue
a&(as mCebola  G usado
sacudim('os
&ara 'ra'ar !ridas r"ds,  domici"iars, u'i"i7a(do o !ru'o, a
a(8os &ara curar o ruma'ismo. co"a. Procd-s assim cor'a-
s a co"a m &daços miúdos
• <ortel! brava Em&r0ada m , ca('a(do-s &ara EIu,
ori0açUs d ori, (os a  (os s&a"8a-s &"a casa, (os
a(8os d &urifcação dos f"8os rca('os,  so os mLis. O
ds' oriIS. o uso casiro  &oo usa a co"a, !ru'o do
u'i"i7ada &ara coma'r o ((o ma(0u, sma0ada sor !ridas
d coras, "acraus  scor&iUs. r"ds.
G fca7 co('ra 0ass i('s'i(ais,
dors d caça  como • )angue vermelho Hsa-s
diur'ico. G &r!i'a curadora d a&(as as !o"8as, m a(8os d
cociras r"ds  'iro acr'ado dscarr0o. O &oo a i(dica
(os ca'arros &u"mo(ars, asma  como Ic"(' ads'ri(0(' 4u
'oss (rosa, r"d. &ossui a"'o 'or d 'a(i(o. +ui'o
• 9uararema Em 'rriros d  !ridas
fca7 (o r"ds,
'ra'am('oa&"ica(do
das ú"cras
o
Hma(da  Ca(dom" "a  co7im('o das !o"8as m
a&"icada m a(8os !or's  (os com&rssas ou a(8a(do a &ar'
dscarr0os. Os 0a"8os da ra "sada.
são usados m sacudim('os
domici"iars. Os a(8os !or's a • )anjeric!o-ro/o Em&r0ado
4u (os r!rimos são a&"icados (as ori0açUs d ori dos f"8os
m (cru7i"8adas – (a &r'(c('s ao oriIS das
(cru7i"8ada m 4u s 'omar o (dmias. Co"8ido  sco, sua
a(8o arria-s um mi-ami-ami, !o"8a &ri( co('ra raios 
o!rcido a EIu. E d sr !i'o coriscos m dias d
m uma (cru7i"8ada 'ra(4ui"a. G 'm&s'ads, usa(do o
um a(8o d !i'os d!umador. Tamm  usada
sur&r(d('s. a mdici(a como &urifcador d ami('.
casira s'a ra  u'i"i7ada &ara ão &ossui uso (a mdici(a
I'rmi(ar acssos, 'umors, &o&u"ar.

soca(do-s
co"oca(do-asm as !o"8as
sor a  •
$anacia E('ra (as ori0açUs
'umori7ação. O co7im('o das d ori  a(8os d dscarr0o ou
!o"8as  fca7 (o 'ra'am('o do "im&7a. O &oo a a&o('a como
ruma'ismo. Em a(8os 4u('s &odroso diur'ico  d 0ra(d
 dmorados, d i0ua" sor' fcScia (o coma' [ s3f"is,
'amm cura 8morrLidas. usa(do-s o c8S. G i(dicada
'amm (o 'ra'am('o das
• 'enipapo As !o"8as srm &ara do(ças d &", darros,
a(8os d dscarr0o  "im&7a. c7mas  ai(da d"a o
A mdici(a casira a&"ica o ruma'ismo, 4ua(do usada m
co7im('o das cascas (o a(8os.
• $ic!o da praia A&(as (a d i(asão d 0u(s. O a(8o
Ba8ia ouimos !a"ar 4u s'a m&r0a-s do &scoço &ara
&"a('a &r'(c a Oa"uai/. ão aiIo. Ess a(8o ds'rLi "aras
co(8cmos su uso ri'ua"3s'ico. as'rais  a!as'a i(u/(cias
A mdici(a &o&u"ar dS-"8 mui'o &r(iciosas. O &oo i(dica s'a
&rs'30io como diur'ico  fca7 ra (a cura d risi&"a, usa(do
(os ma"s da Ii0a. Hsada um a"0odão mido do "i' da
como c8S. &"a('a. O c8S d suas !o"8as
d"a ma"s dos ri(s.
• $iteira imperial @u uso s
"imi'a [s d!umaçUs &ssoais, • 4elame do campo 0'a"
4u são !i'as a&Ls o a(8o. A u'i"i7ado m 'odas as ori0açUs
mdici(a &o&u"ar u'i"i7a as !o"8as &ri(ci&ais ori, sim&"s ou
rds,r"ds,
!ridas m co7im('o, &ara "aar
a&roIima(do a com&"'o.
!i'ura %(dis&(sS"
d sa('o  (os a(ados
cura ou cica'ri7ação. f"8os do oriIS. a mdici(a
casira o "am  u'i"i7ado
• 1uitoco Hsada m a(8os d como a('i-sif"3'ico  a('i-
dscarr0o ou "im&7a. Para a rumS'ico.
mdici(a &o&u"ar s'a ra
rso" ma"s do s'ma0o, • 4elame verdadeiro Possui
'umors  acssos. &"(a a&"icação m 4uais4ur
%('r(am('  usado o c8S, (os ori0açUs d caça  (os a.
'umors a&"ica-s as !o"8as Hsada 'amm (os
socadas. +ui'o u'i"i7ada (as sacudim('os. A mdici(a do
do(ças d s(8oras. &oo afrma sr su&rior a 'odos
os d&ura'ios Iis'('s, a"m
• 8abugueiro ão &ossui uso d (r0'ico curador das
ri'ua"3s'ico. G dcisia (o do(ças da &".
'ra'am('o das do(ças

ru&'ias saram&o,
scar"a'i(a. ca'a&ora
O co7im('o das 
ors  Ic"(' &ara a •

ro'ação do saram&o.

• 8umar ão 'm a&"icação



ri'ua"3s'ica ou ori0açUs
"i'úr0icas. Porm &ossui 0ra(d •

&rs'30io &o&u"ar, dido ao su


a"or cura'io, &romo(do com •

s&a('osa ra&id7 a ar'ura d


'umors d 4ua"4ur (a'ur7a, •

&o(do fm [s i(amaçUs. G
m&r0ado co('ra !urú(cu"os, •

&a(ar3cios  risi&"as,

r0(ra(do o 'cido a'acado
&or i(amaçUs d 4ua"4ur •

ori0m.

• 0rombeteira branca ão
&ossui ((8uma a&"icação (as •

ori0açUs d caça. A&(as 


usada (os a(8os d "im&7a dos •

f"8os do oriIS da ar3o"a. @u uso


(a mdici(a &o&u"ar  &ouco •

!r4u('. A&"ica-s a&(as (os


casos d asma  ro(4ui'. •

• 3rtiga-mam!o A&"icada m •

a(8os !or's, som(' m casos


• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• Angelicó – )il-

homens Tm 0ra(d a&"icação

(a ma0ia d amor, m a(8os d
mis'ura com ma(acS !o"8as 

ors, &ara &ro&iciar "i0açUs
amorosas, a&roIima(do o sIo
• mascu"i(o. A mdici(a casira
a&"ica-o como s'omaca",

coma'(do
0s'a('s (ãoa dm
dis&&sia. As
usar.

• Araticum-de-areia
• "rvas de +/umar – )alol7 6i'ur0icam(', os
a('os a usam (os a(8os d
dscarr0o, sm mis'ura d ou'ra
ra. A mdici(a casira i(dica a
&o"&a  os !ru'os &ara rso"r
'umors  co7im('o das !o"8as
• Alcaparreira – (o 'ra'am('o do ruma'ismo.
9aleata: E('ra m Srias
ori0açUs do ri'ua",
!o"8as  cascas u'i"i7a(do-s
rds. +ui'o
&rs'i0iada (os a d
&r&aração dos f"8os &ara
ori0ação d caça  (os • Cavalinha –
a(8os d "im&7a. A mdici(a )ilho-de-cobra A&"icada (as
casira i(dica como diur'ica, ori0açUs d caça, (os a 
usadas as cascas da rai7. Os como aI (os ass('am('os dos
!ru'os são coms'3is  d"s s dois oriISs. ão &ossui uso (a
&r&ara uma 0"ia 4u  fca7 mdici(a &o&u"ar.
co('ra &icadas d coras ou
i(sc'os ((osos, m ra7ão do
&ri(c3&io a'io ru'i(ã.

• 9raviola –
Corosol Tm &"(a a&"icação
(os a dos oriISs, (os a(8os
• Altia – )alva-risco d a  (os d "im&7a 
+ui'o m&r0ada (os a(8os d dscarr0o. G i(dis&(sS" aos
dscarr0o  (a &urifcação das f"8os rco"8idos &ara ori0açUs
&dras dos oriISs a(ã. OIum, d caça rm uma dos d
OIumar/, ]a(sã  ]ma(JS. +ui'o suco &"a ma(8ã. O &oo usa a
&rs'i0iada (os oc8c8os  0raio"a d dia's, a&"ica(do o
0ar0arJos, (as i(amaçUs da c8S.
oca  0ar0a('a.
• %ng#-bravo "rvas de %ans!+2#
Wão co(8cmos a&"icação
ri'ua"3s'ica. O &oo a co(sa0ra •

como srio ads'ri(0(' , &or


isso, i(dica o uso das casacas,
m co7im('o, (a cura das
ú"cras  !ridas r"ds,
a(8a(do-as. • Al&ace G
m&r0ada
E0u(, (as ori0açUsOd
 m sacudim('os.
&oo a i(dica &ara os casos d
i(sL(ia, usa(do as !o"8as ou o
&(dão ora". A"m d c8amar o
so(o, &acifca os (ros.
• (;ngua-de-vaca –
"rva-de-sangue P"a('a
m&r0ada (as ori0açUs
&ri(ci&ais, (os a  (os a(8os
d &urifcação dos f"8os do oriIS.
G aI &ara ass('am('os do
msmo oriIS. O uso casiro  (as • Altia – )alvarisco
do(ças d &", (as sif"3'icas  +ui'o m&r0ada (os a(8os d
(os rs!riados. dscarr0o  (a &urifcação das
&dras dos oriISs a(ã, OIum,

OIumar/, ]a(sã ]ma(JS. +ui'o

&rs'i0iada (os
0ar0arJos, (as oc8c8os
i(amaçUs da

oca  0ar0a('a.

• Angico-da-&olha-
• miúda – Cambu; @L &ossui
a&"icação (a mdici(a casira a

casca ou os !ru'os m i(!usão (o
i(8o do &or'o ou o'i( cac8aça,

a0 como s'imu"ador do a&'i'.

Os !ru'os m i(!usão, 'amm
!or(cm um "icor saoroso, do

msmo modo coma' a
dis&&sia.

• Bambu G um
• &odroso d!umador co('ra
^iumas. O a(8o 'amm 

Ic"(' co('ra &rs0uidors.
a mdici(a &o&u"ar  (fco

co('ra as do(ças ou
&r'uraçUs (rosas, (as
dis('rias, diarrias  ma"s do
s'ma0o.
• ormideira
sensitiva ão co(8cmos su
uso ri'ua"3s'ico. A mdici(a
casira i(dica s'a &"a('a como
• Cambu; mo"i(', mais s&cifcam('
amarelo @L  u'i"i7ado m &ara oc8c8os  0ar0arJos, (as
a(8os d dscarr0o. A i(amaçUs d oca. %(dicada
mdici(a casira i(dica como como 8i&(L'ico, &o(do fm a
i(dica como ads'ri(0(',  usa o i(s(ia. G u'i"i7ado o co7im('o
c8S (as diarrias ou dis('rias.
d 'oda a &"a('a.

• Catinga-de- • "spirradeira –
mulata – Cord!o-de-Frade – Flor-de-8!o-'os Par'ici&a d
Cord!o-de-8!o-Francisco @u 'odas as ori0açUs (os cu"'os
uso ri'ua"3s'ico s rs'ri(0 aos a!ro-rasi"iros. Es'a &"a('a 
a(8os d "im&7a  dscarr0o u'i"i7ada (as ori0açUs d
dos f"8os d O`S. O &oo a caça, (os a  (os a d ori.
i(dica &ara curar asma, Pr'(c aos oriISs Na(0 
8is'rismo  como &acifcadora ]a(sã, &orm 8S, ai(da, um ou'ro
dos (ros. 'i&o ra(co 4u &r'(c a
OIa"S. O &oo i(dica o suco das
!o"8as ds'a co('ra a sar(a  &r
fm aos &io"8os. Em uso I'r(o.

• Cord!o-de-Frade
verdadeiro Essa &"a('a 
a&"icada m a(8os 'o(ifca('s • "ucalipto-lim!o d
da aura  "im&7as m 0ra". O
&oo afrma 4u 8as's  !o"8as, 0ra(d a&"icação (as ori0açUs
m co7im('o ou c8S, coma' a d caça  (os a(8os d
asma, m"8ora o !u(cio(am('o dscarr0o ou "im&7a dos f"8os
dos ri(s  (fcia (o caso d d oriIS. A mdici(a casira
ruma'ismo. i(dica-o (as !rs  &ara
suai7ar dors. Hsado m a(8os
d ass('o,  'amm mo"i('.

• Cravo-da • Flamboiant
ndia – Cravo-de- oce E('ra ão  u'i"i7ado m ori0açUs d
m 4uais4ur ori0açUs d caça, s(do usado som('
caça  (os a. Par'ici&a dos m a"0umas casas d a(8os d
a(8os d &urifcação dos f"8os &urifcação dos f"8os dos oriISs.
dos oriISs a 4u &r'(c. O Porm suas ors 'm as'o uso,
&oo i(dica suas !o"8as  cascas como or(am('o, (!i' d
m a(8os d ass('o &ara ori0ação ou d msas m 4u
d"ar a !adi0a das &r(as. s'Jam arriadas as ori0açUs.
Q&'imo (os a(8os aromS'icos. @m uso (a mdici(a &o&u"ar.
• 9engibre-
zingiber @ão a&"icados os
ri7omas, a rai7, 4u s adicio(a • 'enipapo As !o"8as
ao a"uS  a ou'ras idas. O srm &ara a(8os d
&oo cos'uma di7r 4u  dscarr0o  "im&7a. A mdici(a
'amm i(0rdi(' (o ama"S d casira a&"ica o co7im('o das
Na(0. A mdici(a casira a usa cascas (o 'ra'am('o das
(os casos d 8morra0ia d ú"cras, o ca"do dos !ru'os 
s(8oras  co('ra as coma'(' d 8idro&isia.
&r'uraçUs do s'ma0o, m
c8S.

• (;rio do Brejo
• 9itó- @ão usados !o"8as  ors (as
carrapeta – bilreiro G d ori0açUs d ori, (os a  (os
8Si'o ri'ua"3s'ico m&r0S-"a m a(8os d "im&7a ou
a(8os d "im&7a  &urifcação dscarr0o. O &oo m&r0a o
dos f"8os do oriIS a 4u s c8S das ra37s, ri7omas, como
ds'i(a. O &oo i(dica (a cura d s'omaca"  I&c'ora('.
mo"s'ia dos o"8os. ão
aco(s"8amos o uso i('r(o.

• <ortel!-da- (oureiro: P"a('a 4u(ouro –


simo"i7a a
horta – <ortel!-verde +ui'o i'Lria, &or isso &r'(c a O`S.
usada (a cu"i(Sria sa0rada. E('ra ão 'm a&"icação (as
(as ori0açUs d caça ori0açUs d caça, mas 
a"usias a 4ua"4ur oriIS. usada (as d!umaçUs casiras
Par'ici&a do a dos f"8os-d- &ara a'rair rcursos f(a(ciros.
sa('o. A mdici(a casira o @uas !o"8as 'amm são
a&o('a como fci(' d"ador u'i"i7adas &ara or(am('ar a or"a
d 'osss r"ds d o(s das 'rassas m 4u s co"oca o
!i'os (as ro(4ui's  mui'o acaraJ &ara arriar m o!r(da a
ú'i" (o 'ra'am('o da asma. %a(sã.

ú(ico m&r0o %nhame  @u


ri'ua"3s'ico  o uso • )!e-boa @u uso s
das !o"8as 0ra(ds como 'oa"8a rs'ri(0 som(' aos a(8os d
(as ori0açUs d EIu. O i(8am "im&7a. +ui'o usada &"o &oo
 'ido como d&ura'io do co('ra o ruma'ismo, m c8S ou
sa(0u (a mdici(a casira. a(8o.

• )anjeric!o-ro/o
Em&r0ado (as ori0açUs d ori
dos f"8os &r'(c('s ao oriIS dscarr0o  (a &urifcação das
do 'roão. Co"8ido  sco, &dras dos oriIS a(ã, OIum,
&ri( co('ra raios  coriscos OIumar5, ]a(sã  ]ma(JS.
m dias d 'm&s'ads, usa(do +ui'o &rs'i0iada (os oc8c8os
o d!umador. ão &ossui uso (a  0ar0arJos, (as i(amaçUs da
mdici(a &o&u"ar. oca  0ar0a('a.

• )aravilha bonina • Angelim-


H'i"i7ada (as ori0açUs d ori amargoso – )orcegueira
r"a'ias
co('as a O`S ori,
 !i'ura "aa0m
d sa('o. ão d Pr'(c
usada macar&i('aria,
a(ã  EIu.&or
+ui'o
sr
('ra (os a a srm 'omados madira d "i. Fo"8as  ors
&or ia ora". O &oo a i(dica &ara são u'i"i7adas (os a dos f"8os
"imi(ar "ucorria corrim('os, d a(ã. As cascas di7m
8idro&isia, ma"s do !30ado, rs&i'o a EIu "as são a&"icadas
a!cçUs 8&S'icas  cL"icas m a(8os !or's d dscarr0o,
adomi(ais. com o &ro&Lsi'o d ds'ruir os
uidos (0a'ios.

"rvas de +b#
• Ca sa"i('ar 4u OS usa as • Assa-pei/e
msmas ras 4u ]a(sã. Hsada m a(8os d "im&7a 
(os oria
c8uas. dos f"8os do&o&u"ar
mdici(a oriIS das
"a
 a&"icada (as a!cçUs do
a&ar"8o rs&ira'Lrio m !orma
d Iaro&. H'i"i7ada como
mos'S'ico.
"rvas de >an!

• Agapanto G • Avenca 0'a"


um 0'a" &r'(c(' a OIa"S, d"icad3ssimo  mimoso. Tm
a(ã  a Oa"ua`/. O ra(co  m&r0o (as ori0açUs d
d OIa"S  o "i"Ss  da dusa das caça  (os a mora "a
c8uas  do oriIS das (dmias mrça sr co(omi7ada m !ac
a&"icado
 das &idmias.
como or(am('o
G 'ammm d sua d"icad7a
or(am('o. &ara &o&u"ar
A mdici(a
&Jis,  a(8os dos f"8os ds's i(dica as !o"8as &ara d"ar
oriISs. ão &ossui uso (a ca'arros r(4uios  'osss.
mdici(a &o&u"ar.

• Cedrinho Es' 0'a"


• Altia – )alvarisco &ossui mui'as aridads, 'odas
+ui'o m&r0ada (os a(8os d "as &r'(c('s a dusa das
c8uas. @ua a&"icação  'o'a" (a
"i'ur0ia dos cu"'os a!ro-
rasi"iros. Em&r0ado (as
ori0açUs d caça, (os a,
a(8os d cor&o i('iro  (os d
&urifcação. EIc"(' a d ori, • 1uaresma –
'o(ifcador da aura. Em su uso 1uaresmeira Es'a aror'a 'm
casiro coma' as dis('rias, a&"icação m 'odas as ori0açUs
suas !o"8as m co7im('o m d caça, (os a  (os a(8os
a(8os ou c8S curam 8r(ias. G d "im&7a  &urifcação dos
'L(ico m s'ados !ris f"8os da dusa das c8uas.
r"ds. ura(' o ri'ua" 'oda a &"a('a 
a&roi'ada, Ic&'o a rai7. A
mdici(a
ma"s casira
r(ais  daaIi0a,
i(dica (os
m
c8S.

• Cipreste
A&"icada (as ori0açUs d
caça  (os a(8os d
&urifcação  dscarr0o. A
mdici(a &o&u"ar i(dica a(8os • 1uitoco Hsada m
ds'a ra &ara 'ra'ar !ridas  o a(8os d dscarr0o ou
c8S &ara curar ú"cras. "im&7a. Para a mdici(a &o&u"ar
s'a ra rso" ma"s do
s'ma0o, 'umors  acssos.
%('r(am('  usado o c8S, (os
'umors a&"ica-s as !o"8as
socadas.

9erv!o A"m d sr •

!o"8a sa0rada d a(ã, 'amm


 Na(0. @m a&"icação (as •

ori0açUs ri'uais. A mdici(a


casira a i(dica (o 'ra'am('o •

das do(ças do !30ado, "a(do •

suas !o"8as m co7im('o


adicio(a(do Ju('am(' ra37s •

d ra-'os'ão. O c8S do 0rão


'amm d"a as do(ças dos •

ri(s.



)anac# @u uso
ri'ua"3s'ico s "imi'a aos a(8os •
d dscarr0o. +ui'o m&r0ada
(a ma0ia amorosa. ss •

s('ido, "a  usada m a(8os


mis'urada com 0irasso"  mi"- •

8om(s. O c8S d suas ra37s 


u'i"i7ado &"a mdici(a casira •

&ara !aci"i'ar o uIo m(s'rua".



• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •

• •
• • Coco-de-iri @ua a&"icação s
rs'ri(0 aos a(8os d

dscarr0o, m&r0a(do-s as
!o"8as. A mdici(a casira i(dica

as suas ra37s co7idas &ara &or
fm aos ma"s do a&ar"8o 0(i'a"
!mi(i(o. G usado m a(8os
smicú&ios  "aa0(s.
• "rva de 8anta (uzia +ui'o
"rvas de Wemanj# usada (as ori0açUs d caça,
ori, "aa0m d co('as, !i'ura
• Alcaparreira – 9aleata +ui'o d sa('o  'ira0m d 7umi. 
usada (os 'rriros do Rio i0ua" ma(ira,
m&r0a 'amm
(os a, s d
a(8os
*ra(d do @u". E('ra (as mais
ariadas ori0açUs do ri'ua", dscarr0o ou "im&7a dos f"8os
s(do u'i"i7adas &ara isso !o"8as dos oriISs. A mdici(a &o&u"ar a
 cascas. Tamm  mui'o co(sa0rou como um 0ra(d
&rs'i0iada (os a d rmdio, &or sr d 0ra(d
&r&aração dos f"8os, &ara fcScia co('ra o 3cio da ida.
ori0ação d caça  (os O co7im('o d suas !o"8as 
a(8os d "im&7a. As cascas  m&r0ado co('ra do(ças dos
ra37s &o&u"arm(' m s(do o"8os  &ara ds(o"r a
usadas como diur'icos. @us id/(cia.
!ru'os são coms'3is  d"s  • Fruta-da-Condessa Tm
&r&arada uma 0"ia fca7
co('ra &icadas d coras  a&"icação (as ori0açUs d
i(sc'os ((osos. caça, (os a(8os d
dscarr0o  (os a. G d
• Altia – )alvarisco +ui'o 0ra(d im&or'V(cia (a mdici(a
m&r0ada (os a(8os d &o&u"ar, &oisum
dcoc'o são suas ra37srmdio
0ra(d m
dscarr0o  (a &urifcação das
&dras dos oriISs a(ã, OIum, &ara a &i"&sia. Toma-s mio
OIumar/, ]a(sã  ]ma(JS. +ui'o co&o 'r/s 7s ao dia. A&sar da
&rs'i0iada (os oc8c8os  irrrsii"idad da do(ça.
0ar0arJos, (as i(amaçUs da • 9raviola – Corosol Tm &"(a
oca  0ar0a('a.
a&"icação (os a dos oriISs, (os
• Arac#-da-praia P"a('a arLra a(8os d a  (os d "im&7a
&r'(c(' a ]ma(JS  a  dscarr0o. G i(dis&(sS" aos
OILssi. G m&r0ada (as f"8os rco"8idos &ara ori0açUs
ori0açUs d caça, (os a  d caça rm uma dos do
(os a(8os d &urifcação dos suco &"a ma(8ã. O &oo usa a
f"8os dos oriISs a 4u &r'(c. 0raio"a (os casos d dia',
o uso &o&u"ar cura a&"ica(do o c8S.
8morra0ias, usa(do-s o • 9uabiraba anis A&"icada m
co7im('o. o msmo modo
'odas as ori0açUs d caça,
'amm
"aa0(s0(i'ais.
u'i"i7ado &ara !a7r (os a d uso 0ra"  (os
a(8os d &urifcação  "im&7a
• Araticum-de-areia – )alol7 dos f"8os dos oriISs. H'i"i7adas
6i'ur0icam(', os a('os a do msmo modo (os a d ori.
usam (os a(8os d dscarr0o, A mdici(a &o&u"ar a u'i"i7a &ara
sm mis'ura d ou'ra ra. A &r fm (as do(ças dos o"8os
mdici(a casira i(dica a &o"&a co(Ju('ii's. Ba(8os
dos !ru'os &ara rso"r 'umors dmorados !aorcm aos
 o co7im('o das !o"8as (o so!rdors d ruma'ismo.
'ra'am('o do ruma'ismo. • 'e6uitib# rosa @m uso
ri'ua"3s'ico. Para a mdici(a
casira "  um &odroso •

ads'ri(0('. +i"a0roso (o
'ra'am('o das "ucorrias •

corrim('o o co7im('o das


cascas  fca7 (as 8morra0ias •

i('r(as, cura a(0i(a  •


i(amaçUs das am30da"as.

• )aç!-de-cobra Hsada (as
ori0açUs d caça, (os a  •

(os a(8os d dscarr0o 


"im&7a. ão &ossui uso (a •

mdici(a &o&u"ar.

• )usgo marinho Es'a &"a('a


i sumrsa (as S0uas do mar. •

G &"a('a 4u ('ra (as


ori0açUs d ori  (os a(8os
d "im&7a dos f"8os d ]ma(JS.
Os mus0os são u'i"i7ados &"a
mdici(a casira (as
&r'uraçUs das ias Er+!- "e O3!&*
rs&ira'Lrias.
• $ata de vaca m&r0ada (os
a(8os d dscarr0o  (os a,
&ara "im&7a dos f"8os dos oriISs
a 4u &r'(c. A &a'a d aca,
(a mdici(a &o&u"ar,  i(dicada • Alecrim de
&ara I'rmi(ar dia's,  &or Caboclo Era d OIa"S, &orm
0'a".
ssa ra7ão,
Tamm
 'ida como
cura "ucorria
i(su"i(a mais Ii0ido
OILssi. (as ori0açUs
ão &ossui uso (a d
m "aa0(s a0i(ais. mdici(a &o&u"ar.
• 0rapoeraba azul – )arianinha
Es'a &"a('a  a&"icada m 'odas
as ori0açUs d caça, (os a
 (os a(8os d "im&7a 
&urifcação. Tamm  aI
i('0ra(' dos ass('am('os do • Alecrim de
oriIS a 4u &r'(c. o uso 0abuleiro Era m&r0ada (as
&o&u"ar a ra  u'i"i7ada co('ra ori0açUs, (os a   um
os !i'os d &icadas d coras. marai"8oso a!u0('ador d
G 'amm diur'ica  a0 co('ra "aras as'rais, ra7ão &"a 4ua"
o ruma'ismo. Os f"8os da dusa d-s usS-"o (os d!umadors,
das S0uas sa"0adas a(8am-s 4ur das casas d cu"'o. ão
&riodicam(' com ss 'i&o d &ossui uso (a mdici(a &o&u"ar.
0'a".
• 3nha de vaca A&"icada m
a(8os d dscarr0o dos f"8os
da dusa. a mdici(a casira 
u'i"i7ado como ads'ri(0('.
A&"icado m "aa0(s "ocais  • Alecrim do
a(8os smicú&ios &ara Campo @u uso s rs'ri(0 a
coma'r ma"s ou do(ças do a(8os d "im&7a. G mui'o
a&ar"8o 0(i'a" !mi(i(o. usado (as d!umaçUs d
'rriros d Hma(da. Em su
• uso mdici(a" rso" o
ruma'ismo, a&"icado m &o&u"ar i(dica s'a ra (o
a(8os. rs'a"cim('o do uIo
m(s'rua". @ão usadas !o"8as 
cau", m c8S. d"a as
8i&oco(drias, as 'ris'7as  
(r0'ico a!rodis3aco. G
&rco(i7ada &ara &r fm [
s'ri"idad.
• Anglica Tm
m&r0o ri'ua"3s'ico mui'o
rdu7ido. @ua or s&a('a
i(u/(cias ma"i0(as  (u'ra"i7a
a missão d o(das (0a'ias. G
a&"icado (a ma0ia
&ro&icia(do doamorosas.
"i0açUs amor, A • Calistemo
or 'amm  usada como F*nico G uma I'raordi(Sria
or(am('o  dS-s d &rs(' mir'Sca 4u ('ra m 4ua"4ur
(a iração do 4u 4ur. ão ori0ação d caça, ori,
&ossui uso (a mdici(a &o&u"ar. !i'ura d sa('o, "aa0m d
co('as, 'ira0m d ;umi ou
'ira0m da mão d caça.
+dici(a"m('  usada m
do(ças do a&ar"8o rs&ira'Lrio,
ro(4ui's, asma  'osss
r"ds. A&"ica-s o c8S.
• Araç#: As !o"8as
são a&"icadas m 4uais4ur
ori0açUs d caça  (os a.
Hsada d i0ua" sor' (os a(8os
d &urifcação. O &oo i(dica
s'a s&ci como um (r0'ico
ads'ri(0('. Cura dsarra(Jos •
Camlia 0'a"
i('s'i(ais  &U fm [s cL"icas. mui'o usado (a ma0ia amorosa.
Hsam-s !o"8as  cascas m G ca&'adora d uidos &osi'ios,
co7im('o. a or. Hsada, a&roIima uso (a
mdici(a &o&u"ar.

• Barba de
4elho A&"icadas m 'odas as • Camomila 
ori0açUs d caça r!r('s )arcela @ua a&"icação  rs'ri'a
a 4ua"4ur oriIS. Hsa-s 'amm (as ori0açUs ri'ua"3s'icas. Hsa-
a&Ls as d!umaçUs &ssoais s, ('r'a('o, (os a(8os d
!i'as a&Ls o a(8o. A mdici(a dscarr0o  (os a.
casira i(dica su uso 'L&ico (o
coma' [s 8morrLidas.

• Carnaúba @L 'm
a&"icação m a !i'o da !o"8a,
4u as'a &ara corir a caça ,
d&ois, corir-s a caça
• Baunilha dura(' do7 8oras, !u0i(do aos
verdadeira A&"icada (as raios so"ars. G !or'a"cim('o da
ori0açUs d caça  (a aura  a"im('o da caça. A
'ira0m d ;umi. A mdici(a
"a d cra d car(aúa  a a !adi0a das &r(as m a(8os
m"8or i"umi(ação &ara o oriIS. d ass('o.

• Cinco Folhas • "rva de Bicho


A&"icada m 'odas as ori0açUs Hsada m a(8os d &urifcação
d caça, (os a  (os a(8os d f"8os-d-sa('o, 4uais4ur 4u
d dscarr0o. A mdici(a sJam  4u ão sum'r-s a
casira i(dica s'a ra como ori0açUs d sa('o ou !i'ura d
fca7 d&ura'io do sa(0u. sa('o. G &osi'ia
ra"i7a &ossa('a ds'ruidora
"im&7a 4ud
uidos (0a'ios. O &oo i(dica
s'a &"a('a m co7im('o c8S a
fm d curar a!cçUs r(ais.

• Cipó-cravo
ão &ossui uso ri'ua"3s'ico. a
mdici(a casira ac'ua como
d"ador das dis&&sias 
difcu"dad d di0s'ão. Hsa-s o • "spirradeira: Par'
c8S ao di'ar. G &acifcador dos ici&a m 'odas as ori0açUs d
(ros  &ro&icia um so(o caça, (os a  (os a d ori.
'ra(4ui"o. A dos a sr usada  A mdici(a do &oo i(dica o suco
uma I3cara das d ca! ao di'ar. dssa &"a('a, m uso I'r(o,
co('ra a sar(a  &ara &r fm aos
&io"8os.

• Colónia Possui
a&"icação m 'odas as ori0açUs
d caça. %(dis&(sS" (os a • "stora6ue
 (os a(8os d "im&7a d Brasileiro @ua rsi(a 
f"8os-d-sa('o. A&"icada, rco"8ida  rdu7ida a &L. Es'
'amm, (a 'ira0m d ;umi, &L, mis'urado com (Joim, 
&ara o 4u s usa o sumo. Como usado m d!umaçUs &ssoais.
rmdio casiro &U fm aos Essa d!umação ds'i(a-s a
ma"s do s'ma0o. Hsado como arra(car ma"s. O &oo
c8S &(dão ou cac8o ora". aco(s"8a o &L ds'a (o
'ra'am('o das !ridas r"ds
ou u"craçUs, co"oca(do o
msmo sor as "sUs.

• Cravo da ndia
H'i"i7ada m 4ua"4ur ori0ação
d caça, (os a  (os a d
caça.  i0ua" sor', &ar'ici&a • "ucalipto 
dos a(8os d &urifcação dos Cidra Em&r0ado m 'odas as
f"8os dos oriISs a 4u &r'(c. ori0açUs d caça, m
O &oo 'm-(o como L&'imo (os a(8os d dscarr0o ou "im&7a
a(8os aromS'icos, o co7im('o d ;umi. a mdici(a casira 
d suas !o"8as  cascas d"am
usado (as a!cçUs dos "im&7a ou dscarr0o  (os a
r(4uios, m c8S. d 4ua"4ur f"8o-d-sa('o. a
mdici(a &o&u"ar  mui'o fca7
ac"ra(do cica'ri7açUs,
co('usUs  scoriaçUs, usa(do-
s as !o"8as socadas sor o
!rim('o.
• "ucalipto 
)urta Em&r0ado m 'odas as
ori0açUs d caça, (os a 
(os a(8os d "im&7a. A
mdici(a casira i(dica-o (as

!rs  &ara suai7ar


Rcom(dado 'ammdors.
(as 0ada m 'odas as Funcho: Em&r
ori0açUs d
do(ças do a&ar"8o rs&ira'Lrio. caça, (os a  m a(8os d
"im&7a. Hsa-s, do msmo
modo, &ara 'irar mão d ;umi.
O &oo dS-"8 as'a(' &rs'30io
como Ici'a('  &ara as
mu"8rs aum('arm a
scrção d "i'. Efca7 (a
• Fava de 0onca A "iração d 0ass i('s'i(ais,
!aa  usada (as crim(ias do cL"icas, diarrias, Lmi'os. G
ri'ua", o !ru'o  usado d&ois d usado (o 'ra'am('o dos ma"s
sr rdu7ido a &L. Es' &L  a4ui r!ridos 4ua(do s 'ra'a d
a&"icado m d!umaçUs ou cria(ças.
sim&"sm(' s&a"8ado (o
ami('. A(u"a uidos
(0a'ios, a!u0('a maus
s&3ri'os  ds'rLi "aras as'rais.
Pro&icia &ro'ção d ami0os
s&iri'uais. ão &ossui uso (a
mdici(a &o&u"ar. • 9irassol Tm
a&"icação (o ri'ua". Hsa-s (as
ori0açUs d caça  (os a
 a(8os d dscarr0o. Tm
0ra(d &rs'30io (as
d!umaçUs, m !ac d sr
• Fava $ichuri a(u"adora d 0u(s  ds'ruidora
o ri'ua" d Hma(da  d "aras as'rais. as
Ca(dom" usa-s o !ru'o, a !aa, d!umaçUs usam-s as !o"8as 
4u rdu7 a &L, o 4ua"  a&"icado (os a(8os co"ocam-s, 'amm,
s&a"8a(do-s (o ami('. as &'a"as das ors, co"8idas
A&"ica-s, i0ua"m(', m a('s do so". ão &ossui uso (a
d!umaçUs 4u a'ram o(s mdici(a &o&u"ar.
uidos. G a!u0('ador d 0u(s 
disso"
a(u"a(doo(das
"aras(0a'ias,
as'rais.

• 9ol&o de or
branca P"a('a a&"icada m
ori0açUs d caça, ori 
• Folha da a(8os dos f"8os d OIa"S. O
Fortuna é o mesmo que saião &oo i(dica suas ra37s como
G usada m 'odas as ori0açUs ads'ri(0('  (arcL'icas, mas
d caça, m a(8os d "aadas, d"am a dis('ria ,
as ors, as ú"cras  "ucorria.
• 9uaco • (;rio do Brejo
cheiroso A&"ica-s (as Hsam-s as !o"8as  ors (as
ori0açUs d caça  m ori0açUs d ori, (os a  (os
a(8os d "im&7a. a(8os d "im&7a ou
Po&u"arm(', s'a ra  dscarr0o. O &oo m&r0a o
co(8cida como coração-d- c8S das ra37s como s'omaca" 
Ksus. +dici(a"m(', coma' I&c'ora('.
as 'osss r"ds  a"iia
ro(4ui's
Iaro&. a0udas,
Como usa(do-s
a('io!3dico o
co('ra
o ((o d cora, usam-s as
!o"8as socadas (o "oca" ,
i('r(am(', o c8S !or'.
• )alva
Cheirosa Hsada (as ori0açUs
d caça, (os a  a(8os d
&urifcação d f"8os-d-sa('o. O
&oo a i(dica &ara dsi(amar as
a!cçUs da oca  0ar0a('a. G
• <ortel! da mo"i(', &ro&icia(do ir a !uro
horta co(8cida como 8or'"ã os 'umors da 0(0ia. Hsa-s
d 'm&ro , ds' modo, mui'o m oc8c8os  0ar0arJos.
usada (a cu"i(Sria sa0rada  (a
&ro!a(a 'amm. E('ra (as
ori0açUs d caça a"usias a
4ua"4ur
dos oriIS. Par'ici&a do a
f"8os-d-sa('o.
Po&u"arm('  co(8cido como
fci(' d"ador d 'osss • )alva do
r"ds d o(s !i'os (as Campo @u uso s rs'ri(0 aos
ro(4ui's  mui'o ú'i" (o a(8os dscarr0o  "im&7a. Em
'ra'am('o da asma. G Ici'a(' su uso &o&u"ar &ossui o msmo
 !or'a"cdor do s'ma0o. a"or da ma"a c8irosa.

• )amona: Es'a
• 'asmim do ra  mui'o u'i"i7ada como
Cabo @u uso rs'ri(0-s ao rci&i(' &ara s arriar L &ara
ador(o d &Jis m Jarra EIu. ão &ossui uso (a mdici(a
"ada(do OIa"S. ão &ossui uso &o&u"ar.
(a mdici(a &o&u"ar.

• )anjeric!o
• (aranjeira As
)iúdo Hsada (a &r&aração d
ors são a&"icadas (as a  (os a(8os d &urifcação
ori0açUs d ori. @ão 'amm dos f"8os a ('rar m ori0açUs
i(dicadas m a(8os. Para o ou srm rco"8idos. G
&oo, o c8S ds'a ra  um co(sidrado &"a mdici(a
Ic"(' ca"ma('.
casira como Ic"('
"imi(ador d 0ass.

• >oz de Cola
Era i(dis&(sS" (os a(8os
dos f"8os d OIa"S. Para o
• )anjerona: E a(8o, ra"a-s a sm(', o oi,
('ra m 'odas as ori0açUs d mis'ura(do-s com S0ua d
ori, m a(8os d "im&7a ou c8ua. A mdici(a &o&u"ar i(dica
dscarr0o  (os a. A mdici(a s'a ra como 'L(ico !or'ifca('
&o&u"ar a&"ica-a como corrc'ia do coração. G a"im('o ds'acado
d Icssos
sIuais, d Ici'açUs
ara(da(do os a&'i's m !ac dr0u"a(do
or0V(icas, dimi(uir as &rdas
o sis'ma
do sIo. (roso.

• >oz-moscada
• )astruço s'a ra u'i"i7a-s o &L m
ão &ossui a&"icação m mis'ura com a ca("a 'amm
((8uma crimL(ia ri'ua"3s'ica. m &L. %s'o !i'o, s&a"8a-s (o
Porm (a mdici(a casira  ami(' casiro ou m "u0ar
I'raordi(Srio 'ra'am('o das o(d s Irc a'iidad, &ara
a!cçUs &u"mo(ars, m"8oria das co(diçUs
(o'adam(' (as &"urisias f(a(ciras. G 'amm usado
scas ou com drram. s'a como d!umador. ão &ossui uso
ra  usado
mis'urado como sumo, sim&"s ou
"i'. ua('as (a mdici(a &o&u"ar.
7s o do(' 4uira.

• $atchouli
Era usada m 'odas as
• )il em ori0açUs d ori, ori, !i'ura
.ama ão &ossui uso d sa('o, "aa0m d co('as 
ri'ua"3s'ico. G ads'ri(0('  'ira0m d ;umi. G &ar' dos
aromS'ica. %(dicada m do(ças a 4u s a&"icam aos f"8os-d-
do &i'o, 8morra0ias sa('o. A mdici(a &o&u"ar i(dica
&u"mo(ars  8mo&'is. o &a'c8ou"i como &ossuidor d
um &ri(c3&io ac'io 4u 
i(sc'icida.

• >arciso dos
'ardins Es'a ra  som('
usada &ara o ass('am('o. A • $oejo E('ra
mdici(a casira o 'm como m 'odas as ori0açUs d ori d
&"a('a ((osa. f"8os-d-sa('o, 4uais4ur 4u
sJam os oriISs dos r!ridos
f"8os. Po&u"arm(', a'(ua os
ma"s do a&ar"8o rs&ira'Lrio
aco(s"8a(do o uso do
co7im('o das !o"8as  ramos. &osi'io, co('ra as a!'as  !ridas
+ui'o fca7 (as &r'uraçUs da da oca. G 0ra(d a&ri('
di0s'ão, usa(do-s o c8S. dsdoradora do a&'i'.

• .osa Branca • 8angue de


Par'ici&a d 'odas as ori0açUs Cristo Em&r0a-s m ori,
d caça. Hsa-s, i(icia"m(', "aa0m d co('as  !i'ura d
(a "aa0m do ori, a'o sa('o,  usa-s (os a dos f"8os
&r&ara'Lrio &ara !i'ura. O &oo
co(sa0rou-a como "aIa'io d OIa"S. G co(8cido
&o&u"arm(' como ads'ri(0('
ra(co  a&"icS" (o 'ra'am('o  '(ico 0ra". Hsa-s o c8S ou
da "ucorria corrim('o so co7im('o das !o"8as como
!orma d "aa0(s  c8S ao co('ra((o.
msmo 'm&o. Como "aIa'io, 
a&"icado o c8S.

• 3mbu Possui
a&"icação m 'odos os ac'os da
• 8ai!o E('ra "i'ur0ia a!ro-rasi"ira, ori, a,
m 'odas as ori0açUs d !i'ura d sa('o  "aa0(s d
caça, 4uais4ur 4u sJam os caça  d co('as. Bas'a('
f"8os  os oriISs. H'i"i7ada usada com rsu"'ados &osi'ios
'amm (o sacri!3cio ri'ua". (os a d ori  (os a(8os d
+dici(a"m(',  u'i"i7ada &ara &urifcação. O &oo u'i"i7a suas
i'ar a i('o"rV(cia (as cria(ças. cascas m co7im('o, &ara
S-s mis'urado o sumo, com "aa0(s dos o"8os  &ara &r fm
"i'. Em 4ua"4ur co('usão, [s mo"s'ias da cLr(a.
socam-s as !o"8as  co"oca-s
sor o mac8ucado, &ro'0ido
&or a"0odão  0a7. o &(dão
ora" ou da or &r&ara-s um
Ic"(' Iaro& 4u &U fm a
'osss r"ds  ro(4ui's.
"rvas de +/aguian
• Ca sa"i('ar 4u OIa0uia( usa
as msmas ras 4u OIa"S

• 8#l •

via @uas !o"8as  ors são


u'i"i7adas (as ori0açUs d •

caça, (os a  a(8os d


"im&7a dos f"8os dos oriISs a •

4u &r'(c. Hsada &"o &oo


como 'L(ico ads'ri(0('. •

Em&r0a-s m casos d suors •


&ro!u(dos, com 0ra(d !i'o
• •

• U7! er+! "e u-#


e3tre7!7ete r/tu!& "/'ere

e7 -u!- (#re- ;!r!
"/'ere(/!r #- #r/3*- ue

;eg!7 (!"! u7!


e3tre7!7ete "e&!- e--#
!;re(/!"!

;!r! r/tu!/- "e -!(u"/7et#=

!(#7;!0!"!- "e #utr!-
er+!- #u #= 7u/t#
• ut/&/.!"!- t!717 e7 1!0#
"e !7!(/ #u ue !te(e"e7
• (!"! tr!1!&0# "e -eu
re-;e(t/+# Or/3*5

F#r7!- "e u-#: B!0# "e
-!(u"/7et#5

• Or/3*-: De !(#r"# (#7 !-



(#re-= -e"# +er"e "e Ogu7=

+er"e e !7!re&# "e O3@--/ e
L#gue"= +er"e e 1r!(# "e
ERVAS RITUAL4STICAS , O--!/= +er7e&0# "e O* e
NÃO PARA INGESTÃO5 X!g%5
• C!r!(ter>-t/(!-: S# '#&0!-
• &/-!- e (#7;r/"!-= u7 ;#u(#
7!/- e-tre/t!- e 7e#re- "#
• 6IMPORTANTE: A- ue ! (#&%/!= ;#r e3e7;&#=
/'#r7!89e- !u/ ;#-t!"!- e(#tr!"!- !- (#re- !(/7!
t<7 (#7# #1$et/+# # (/t!"!-5
e-(&!re(/7et# -#1re !-
Er+!-= e7 (!-#- "e • O Peregu7 +er7e&0# X!g%
"e-/u/&>1r/#- ! -!?"e= e7 e O* t!717  (0!7!"# "e
0/;@te-e !&gu7! ut/&/.e Er+!- '#&0! "e '#g#5
#u !ut#,7e"/(!8#= ;r#(ure
-e7;re #r/et!89e- 7"/(!-5 • 
I-!/!- P/tt# Her!"e- ,
M"/u7 D/r/gete5 • MANERICÃO:

666666666666666666666666666666
• PEREGUM= PAU D)ÁGUA #u
IPEREGUM:

A er+! 1#! ;r! tu"#= e-t!  !


7e&0#r "e/8# "#
7!$er/(# ue  1!-t!te
(#0e(/"# ! (#./0! e7 • 
'#r7! "e (#./7et#5Te7
(#7# ;r/(/;!& (!r!(ter>-t/(! • ARRUDA:
&/t?rg/(! # ;#"er "e e&e+!8#
e-;/r/tu!& ;#r /--#  7u/t# •

ut/&/.!"! e7 1!0# "! (#r#!=


!7!(/5
• F#r7!- "e u-#: B!0# e (0*5
• Or/3*-: O3!&*5
• C!r!(ter>-t/(!-: Peue!-
'#&0!- #+!/- !rre"#"!"!- "e
(#&#r!8# +er"e (&!r! M!/- u7! er+! 1!-t!te
/2#r<(/! e7 e-;/g!-5 u-!"! r/tu!&/-t/(!7ete=
(#0e(/"! ;#r t#"#- e !#
•  7e-7# te7;# reuer 7u/t#-
(u/"!"#-= t!t# # -et/"#
• ALFAVACA= ERVA DE &/t?rg/(# (#7# 7e"/(/!&5 Seu
BOIADEIRO #u MANERICÃO u-# &/t?rg/(#  1!-t!te
DE FOLHA LARGA: +!-t#= ;r/(/;!&7ete (#7#
!7u&et# e 1!0#-= ;#r7

e-te ?&t/7# # ;#"e -er
!;&/(!"# ! (!1e8!= -!&+#
&0#- "e Ogu7 e E3u= #-
Or/3*- "e-t! er+!5

P@ "! '#&0! -e(!: Seu u-#


7e"/(/!&  1!-t!te
E-t! er+!  7u/t# ut/&/.!"! 7#"er!"#= ;#/- te7 !8#
+er7/(/"! @t/7# (#tr!
;e&#- (!1#(&#- e7 r/tu!/- "e ;u&g!- e ;/#&0#-= ;#r7
-!(u"/7et# ger!&7ete ;er/g#-#5
$ut# (#7 ;eregu7 te7 -u!-
'#&0!- !r#7*t/(!-= • Dur!te ! gr!+/"e. ! !rru"!
e-t/7u&!te- e "/urt/(!-5 te7 u7 e'e/t# e-;e(/!& -#1re
A;&/(!,-e #- (!-#- "e !r"#r # ?ter#= #(!-/#!"#
!# ur/!r= e'er7/"!"e- "#- 0e7#rr!g/! gr!+e= &e+!"# !#
/te-t/#-= e-t%7!g#= r/- e !1#rt# e J 7#rte5
1e3/g!5 E3ter!7ete u-!,-e KA(re-(et!7#- ue # !1#rt#
;!r! g!rg!re$# e7 (!-#- "e  r!r# e ue ! !"7//-tr!8#
"#r "e g!rg!t!= !'t!-= et(5 "e-t! -u1-t(/! (#7 u7 7
C#7 # (0* "!- '#&0!-= #u (#7 (r/7/#-# !1#rt#= ;#"e
# (0* "!- -e7ete- e7 !(!rret!r ! 7#rte "! 7e
7!(er!8#= ;re;!r!7,-e -e7 ue 0!$! ;!rt#5
(#7;re--!- ue !- 7e- D/(t/#!/re "e- P&!te-
&!(t!te-
1/(#- "#- !;&/(!7 -#1re #-
-e/#- !'et!"#-5 Me"/(/!&e-=
A5 Hr!u"5 Pg5 = Pe&# Dr5
• F#r7! "e u-#: (0*= • Re;et/7#- ! !"+ert<(/! ue=
-!(u"/7et#= g!rg!re$#5 tr!t!"#,-e "e u7! ;&!t!
7u/t# !t/+!= -@ "e+e -er

!"7//-tr!"! (#7 7u/t!
Or/3*-: O3!&*= O3#--/= O3u75 ;ru"<(/!= u!"# u-!"!
C!r!(ter>-t/(!-: P&!t! 7u/t# /ter!7ete5
(0e/r#-! "e '#&0!- #+!/- #u
#+!&  e&>;t/(!-= (#7;r/"!-5
I2#r<(/! e7 e-;/g!-5
• O (0* "e !rru"!  1#7 •

(!&7!te e tr!t! ur/! ;re-!5


MAS CUIDADO
• F#r7!- "e u-#: A7u&et#= ;@
e3ter!7ete e (0*5
• Or/3*-: Ogu7 e E3u5
• C!r!(ter>-t/(!-: É u7 -u1,
!r1u-t# (#7 '#&0!- ;eue!-
+er"e- (&!r!- '#rte7ete U7! er+! 7u/t# ut/&/.!"! ;#r
!r#7*t/(!-5 (!1#(&#- e ;ret#- +e&0#- e7

 -u!- 1!0#
;!r! 7/r#g!-5 E3(e&ete e
"e "e-(!rreg#
• LOURO: -!(u"/7et#5 U-!,-e (#&#(!r
u7! '#&0! -#1 # ; ;!r!

!tr!/r (#/-!- 1#!-5
I7;#rt!te= -eu u-# /ter# 
!&t!7ete re-tr/t#= !;e-!r "e
ter 'u89e- 7e"/(/!/-= !-
"#-e- ter/!7 ue -er 7>/7!-
e 7u/t# 1e7 !"7//-tr!"!-
;!r! # (!u-!r e'e/t#-
#(/+#- ue ;#"e7 &e+!r
/(&u-/+e J 7#rte5
Outr! er+! 7u/t# (#0e(/"! E3ter!7ete= # gu/ te7
!- (#./0!-= (#7# "/+er-!- !;&/(!89e-
(#"/7et# e te7;er# e ue !!&g-/(!-5 E7;reg!,-e !-
t!717 te7 u!&/"!"e- '#&0!- 7!(0u(!"!-= e7
&/t?rg/(!-
r/tu!& e 7e"/(/!/-=
 7u/t# #
ut/&/.!"! e7 (#7;re--!-=
"#re- ;!r!"#re-
"e (!1e8!= !(!&7!r !-
"e'u7!8# e 1!0# ;!r! reu7*t/(!-= et(5
!tr!/r ;r#-;er/"!"e5 Te7 F#r7! "e U-#: B!0#- e
1#- re-u&t!"#- ;!r! (#7;re--!- e3ter!-=
(#71!ter ! !u-<(/! "! ;r#/1/"# u-# /ter#5
7e-tru!8# !7e#rr/! Or/3*-: O3#--/
e7 '#r7! "e (0*= #u # C!r!(ter>-t/(!-: Su1,!r1u-t#
(#71!te "! e+r!&g/! e "e !t "e u7 7etr# e 7e/# "e
reu7!t/-7# '!.e"# 'r/(89e- !&tur!= r!7#- eret#-= '#&0!-
(#7 # !.e/te e3tr!>"# "!- 7"/!- e +er"e (&!r!5
'#&0!-= -#1re !- ;!rte-
"#&#r/"!-5 • 
F#r7! "e U-#: De'u7!8#=
1!0# e (0*5 • ALECRIM:
Or/3*-: Q!-  O* •

C!r!(ter>-t/(!-: Ár+#re "e


tr#(#
F#&0!- &/-#5
-e7e&0!te- J- "!
&!r!$e/r!= -# 7!/- "ur!-
ue # #r7!&= (#7# -e
e-t/+e--e7 -e(!-5

E-t! t!717  u7! er+!
 ut/&/.!"! ;!r! u!-e tu"# #-
• GUINÉ= PIPI #u AMANSA r/tu!/-= 7!u #&0!"#=
SENHOR: ue1r!te= et(5 Seu u-#
7e"/(/!& e-t* +#&t!"# ;!r! #
(#r!8#= (#7# u7 t%/(#=
7!- ;#"e -er "/&!t!"#r -eu • ABRE CAMINHO #u
e'e/t#= "e+e,-e t#7!r (u/"!"# PERIUITINHO DE OGUM:
(#7 ! u!t/"!"e "# u-#5
N# (#'u"/r (#7 !&e(r/7 "# •

(ru.!7et#= t!717
(#0e(/"# ;#r !&'!.e7! "#
Br!-/&= #u !&e(r/7 "# #rte=
(#7#  (#0e(/"# ! B!0/!=
e-te $* te7 7!/#r !;&/(!8#
&/t?rg/(! # -eu ;#"er "e
!'!-t!r Egu75
F#r7!- "e u-#: A&e(r/7  C0*
A&e(r/7 "# Cru.!7et# 
B!0#= "e'u7!8#= ;@ e
-!(u"/7et#

Su! !;&/(!8#  t!717 "e
(u0# &/t?rg/(#5 N!- '#r7!-
Or/3*-: O3!&*= O3@--/5 "e 1!0# "e "e'e-!=
C!r!(ter>-t/(!-: A&e(r/7  -!(u"/7et# e "e'u7!8#=
F#&0!- #;#-t!- (ru.!"!-= e (#7 # ;r/(/;!& #1$et/+# "e
e-tre/t!-= "e 1#r"!- +#&t!"!- !1r/r #- (!7/0#- -e$! #
;!r! 1!/3# "e (#&#r!8# tr!1!&0# #u ! +/"! ;e--#!&5
+er"e e-(ur!-= e3!&! (0e/r# O- ;@- 'e/t#- "e -u!- '#&0!-
!r#7*t/(#= '#rte e !gr!"*+e&5 -e(!- e tr/tur!"!- -er+e7
A&e(r/7 "e Cru.!7et#  ;!r! 7/-tur!r # ;@ "e
C!u&e e-t/r!"# e-g!&0!"#= ;e71! #u ;@ "e !1re
(#7 '#&0!- 1e7 ;eue!- e (!7/0#5 T!717 -e u-! !
+er"e-5 '#&0! -e(! # 7e/# "!
•  (!rte/r! ;r#--/#!& #u "!
(!rte/r! ! e3e7;&# "# !(#(%
• EGENDA: e # (#rret#  "e+#&+er ! '#&0!
"e #"e '#/ ret/r!"!5

• Or/3*-: Ogu7
• C!r!(ter>-t/(!-: F#&0!- 1e7
!- e "e (#&#r!8# r#3! "e
u7 &!"# e +er"e "# #utr#5
• 
• GUACO= ERVA DE COBRA #u
E-t! ;&!t! te7 ! e3(e&ete CIP CATINGA:
'u8# "e !u3/&/!r #

"e-e+#&+/7et# "#- #+#-
7"/u-= u-!"# e7 1!0#-5
Te7 # ;#"er "e tr!.er &#g# #-
gu/!- "# &0# "e -!t#5
F#r7!- "e U-#: B!0# !te-
"#- tr!1!&0#-5
• Or/3*-: Ogu7
• C!r!(ter>-t/(!-: P&!t!
r!-te/r!= (#7 '#&0!- "e E-t! er+! +e/# "# Peru e er!
(#&#r!8# +er"e e r#3!= ut/&/.!"! ;e&#- /(!- (#tr!
ger!&7ete +er"e ;#r (/7! e ;/(!"!- "e (#1r!- e "e
r#3! ;#r 1!/3#= 7!- ;#"e"# /-et#- +ee#-#- u-!"#
+!r/!r5 u7! '#&0! ;!r! u7! 3>(!r! "e
*gu!5
• 
• O- >"/#- ut/&/.!+!7 ! '#&0! • 
"# gu!(# e7 1!0#- ;!r!
!'!-t!r ! (#1r! 0u7!!5D! • TERRAMICINA #u PERNA DE
'#&0! "e-t! ;&!t! ;re;!r!,-e SARACURA:
3!r#;e "e 1#7 e'e/t# (#tr!

! 1r#u/te e !- t#--e-
re1e&"e- "errete,-e # !8?(!r
$ut# (#7 !- '#&0!- ;/(!"!-=
!(re-(et! *gu! e 'er+e !t
egr#--!r= ;#"e !"/(/#!r 7e&
# !&
• F#r7!- "e u-#: (0*= 3!r#;e e
1!0#5
Or/3*-: Q!-  O*
C!r!(ter>-t/(!-: P&!t!
tre;!"e/r! (#7 '#&0!- B#7 ;!r! /'e(89e-= /ter!-
t#t!&7ete +er"e- e "e #u e3ter!-= e3(e&ete
e-;e--ur! 7!/- gr#--!= 2#re- "e;ur!t/+# "# -!gue= ut/&/.!,
1r!(!-5 -e e7 '#r7! "e (0* "e 0#r!
•  e7 0#r! #u "e  e7  0#r!-5
A e3e7;&# "# gu!(# t!717
• MÃO DE DEUS:  ut/&/.!"# (#tr! ;/(!"!-
+ee#-!-= e !t/1/@t/(#5
• F#r7!- "e u-#: C0*
• Or/3*-: X!g% e Q!-  O*5
• C!r!(ter>-t/(!-: C!u&e e
'#&0!- !rr#3e!"!-5
• 
• COLNIA #u COLNIA DO
NORTE:
• Mu/t# re(e/t!"! ;!r! •

(#71!ter +>(/#- "e "r#g!-


(/g!rr#= 1e1/"!= et(
ut/&/.!"# ! '#r7! "e (0*=
t!717 -e ut/&/.! 7u/t# e7
r/tu!/- "e -!(u"/7et# e e7
;@5
• C#&#(! -#1 # tr!+e--e/r# ;!r!
'!.er "#r7/r5 O 'rut# 7!"ur#=
;#r /'u-#=  u-!"# (#tr!
0e7#rr@/"!-5
F#r7!- "e u-#: C0*= ;@= U7! "!- '#&0!- 7!/-
-!(u"/7et#5 /7;#rt!te- e ut/&/.!"!- !
U71!"! e C!"#71&5 Te7
• Or/3*-: O3!&* (#7# ;r/(/;!& (!r!(ter>-t/(!
&/t?rg/(! -er # 7!/#r (#tr!
• C!r!(ter>-t/(!-: C/;@ 7u/t# Egu7 ue e3/-te5
(#7u7 e7 terre#-
!1!"#!"#-= -u!- '#&0!- • F#r7!- "e u-#: De'u7!8# e
&e71r!7 ! ;!&7! "e u7! B!0#5
7# "/+/"/"!- e7 (/(# &#1#-=
2#re- !7!re&!-5 • Or/3*-: Qe7!$* e O3!&*
• C!r!(ter>-t/(!-: F#&0!- •

gr!"e-= &/-!- e &#g!- "e


(#&#r!8# +er"e5 •

• F#te: P#rt!& G/r!- "e •

U71!"! , P#r: P!/ A&e3!"re



F!&!-(#
• 6ATENÇÃO: ESTAMOS NO •

SÉCULO XXI= NÃO DEVEMOS •

DE MANEIRA ALGUMA TENTAR


EUILIBRAR A SAWDE= SEM •

ORIENTAÇÃO MÉDICA5 ,

NOSSOS
DA AMADOS
LU= NOS ESP4RITOS
SOCORRIAM
UANDO NÃO T>NHAMOS A •

MEDICINA Y DISPOSIÇÃO5
ESTA POSTAGEM É MAIS PARA •

SERVIR DE ALERTA UANDO •


INDICADAS EM CENTROS OU
PESSOAS5 •


• @]% •


• LSLNOCN
• Lr1nmil4 precisava de um criado. Rai ao mercado e compra Ls"nIin, que é
mandado aos campos para desmatar a m de que a nova planta(ão inicie.
%orém Ls"nIin não cumpre a ordem dada por Lr1nmil4, di$endo que não
poderia matar as plantas existentes que existiam no campo, pois eram tão
importantes 4 sa1de e 4 felicidade. Cmpressionado com os conhecimentos de
Ls"nIin, Lr1nmil4 decidiu que dali por diante seria acompanhado, em todas as
sess)es de adivinha(ão pelo escravo conhecedor das folhas, para que ele lhe
explicasse as virtudes das plantas, folhas e ervas.
• %orém, uma rivalidade come(a a se estaelecer entre os dois Lris4. Ls"nI\n
sofre por ser mantido em sumissão, e come(a a armar que era mais
importante
declarar ao que Lr1nmil4,
ei -7alaIé quepois
ele conhecia a magia
era mais velho, das
que folhas
veio e ervas.antes
ao mundo /hega
quea o
seu senhor, e portanto tinha o direito a maior respeito. -7alaIé manda um
recado a Lr1nmil4 querendo saer quem era mais velho. Lr1nmil4 responde
que ele era o mais antigo que Ls"nIin. Então o ei decide sumet#!los a uma
prova. /hama!os para que venham a uma disputa, acompanhado de seus lhos.
• Lr1nmil4 chega acompanhado de seu lho chamado Sacrifício;.
• Ls"nI\n vem acompanhado com seu lho chamado emédio;.
• 6 ei determina que os dois lhos se7am enterrados vivos em uma caverna pelo
período de sete dias. No m desses dias, aquele que responder com clare$a ao
chamado do ei veria seu pai ser aclamado vencedor.
• Lr1nmil4 consulta um 944l3o GCf3H para saer se o seu lho suportaria tão
dura prova. Este recomenda que se7a feita uma oferenda 4 ?s@ de : WBuru,
at43re, 4B1Bodie, ehoro e 1$ios, e que elas fossem colocadas em quatro
lugares, na seu
?s@ exerce estrada,
podernasore
encru$ilhada, diantesacricado,
o ehoroFcoelho do 671o dee ?s@, e no mercado.
o ressuscita, fa$endo
com que ele cave um uraco e leve comida 4 Sacrifício;.
• emédio; não tinha comida, mas tinha um talismã que o fa$ encontrar
Sacrifício; em sua cova. emédio;, com muita fome, pede comida 4
Sacrifício; que prop)e aliment3!lo caso este se cale no momento em que o ei
cham3!lo, a m de que seu %ai, Lr1nmil4, se7a aclamado vencedor.
• -o ndar os  dias , o ei chama por emédio;, que não responde e é
declarado morto. /hama então por Sacrifício; e este surge da cova sendo
aclamado. %orém, logo atr3s sai emédio;. Seu %ai pergunta, porque ele não
respondeu ao chamado do ei. emédio; conta do trato que havia feito com
Sacrifício;.
• Daí então se determinou que: Sacrifício é mais importante que emédio;.
a$ão pela qual Lr1nmil4 é mais importante que Ls"nIin. %orém, não existe

remédio sem sacrifício, cando consagrada a posi(ão de Ls"nIin.


• 0 estreita a rela(ão de Ls"nIin com Lr1nmil4, e a lenda acima re&ete a luta
pelo prestígio travada entre os 944l3os e os 6ní\sWg@nsFcurandeiros 6mo
Ls"nIin, e claro, como as tradi()es dos Lris4 são passadas via oral pelos
944l3os, estes tendem a dar maior valor 4 Lr1nmil4, di$endo que Ls"nIin
conhece o uso medicinal das ervas, mas Lr1nmil4 foi quem deu nomes 4 elas.
%ortanto, Ls"nIin, Lr1nmil4 e ?s@ são insepar3veis.
• 6s 6ní\sWg@ns, tamém tratados por 6l"Ts"nIin, não entram em transe de
possessão pelo Lris4. %orém, aqui no 9rasil, ao contr3rio, os Eleguns de
Ls"nIin são possuídos, e nem sempre tem grande conhecimento das folhas
medicinais.
• Ls"nIin é, portanto a divindade das plantas medicinais e lit1rgicas dentro da
eligião dos Lris4, tendo receido o segredo das ervas de Eléd@marW.
6rigin3rio de Crao, Nigéria, localid ade pr"xima 4 fronteira com 9enin Gsegundo
%ierre >atumi RergerH, outros dão sua srcem como sendo da /idade de 6a.
/laramente não saemos se trata!se de um Lris4 feminino ou masculino.
Nenhuma cerim+nia pode ser feita sem a sua presen(a, pois ele é o detentor do
4se. 6s ofT que movimentam a energia das folhas são os elementos mais
secretos dentro da eligião.
• Lris4 Eé F divindade das folhas que requerem extremo cuidado na sua
colheita, que deve ser feita em locais selvagens, onde as plantas crescem
livres, e somente podem ser colhidas por homem, em total estado de pure$a,
astendo!se de rela()es sexuais. -s colheitas devem ser feitas de madrugada o
mais pr"ximo
terminar do amanhecer
a colheita. e ocolheita
No local da 6l"Ts"nIin
devenão deve
deixar falar
uma com ninguém
oferenda até
em dinheiro.
6 cargo de 944lTs"nIin ho7e é praticamente extinto no 9rasil. Z ele caia a
incum#ncia de colher e manusear as folhas, representando no -iIé o que
Ls"nIin fa$ia no Lrun. 0 om ressaltar que é vedado 4 mulheres qualquer culto
de Ls"nIin.

• -s plantas cultivadas em 7ardins não possuem o mesmo Zse, devendo até


serem despre$adas, pois Ls"nIin vive nas matas. Est3 sempre acompanhado
de ZrTni, tamém chamado de -74 Fespírito que via7a no ciclone e leva as
pessoas para a mata por um período de tr#s a nove anos para aprendi$agem da
medicina e magia das ervas. Zroni, mais importante companheiro de Ls"nIin, é
um anão de uma 1nica perna Gcomo as plantas possuem uma s" hasteH e
cae(a de cachorro, tamém sequestra as pessoas para a mata escura a m de
ensinar os segredos das ervas e das folhas.
• Em decorr#ncia da escasse$ de matas pr"ximo 4s cidades, o que as grandes Clé
Lris4 fa$em é manter um espa(o sagrado para cultivo das folhas ritualísticas,
espa(o este que
da hierarquia s" é penetrado
da eligião. por
Ls"nIin é pessoas
saudado de gradua(ãoEé
gritando!se: maiso;
elevada
F Roc#dentro
folha
• >oi!lhe consagrado o S3ado como seu dia, e seus elég1n usam colares verde e
ranco. Seu símolo deve ser de ferro, pois tamém seu Zse é preto. Este
símolo é composto de sete hastes em forma de lan(a, sendo que a haste
central tr3s um p3ssaro que é seu mensageiro e símolo de poder, indo para
todos os lugares, cumprindo as ordens receidas, e voltando, empoleirando!se
na cae(a de Ls"nIin para fa$er seus relatos. 0 tamém símolo das feiticeiras
tratadas por eléIeF MI4mi eléIe V *inha *ãe Senhora dos %3ssaros. 0 este
p3ssaro que guarda o -d" F caa(a que ca pendurada nas 3rvores contendo os
segredos de Ls"nIin. -Q90NCQC tamém é outro tratamento usado para
Ls"nIin, que signica, 6 %CN2CNJ6 P5E 2E* /=6-/- Q-NDE. Nos ritos de
-ngola este Lris4 é chamado de /atend# e no <e7e, -gu#.

• A CO6=E%TA A@ FO6=A@


Ramos detalhar os procedimentos necess3rios para o rito da /6=JEC2- D-S


>6=J-S: -ntes do nascer do sol, sempre em sil#ncio, 6 ?g"nmi Girmão mais
velhoH deve tomar anho com ose d1d1, lavado muito em o ori e vestir!se com
roupas rancas e la. Deve ele estar em astin#ncia sexual pelo menos h3 um
dia Gk hs.H, tamém não ingerindo eidas alco"licas e evitando de comer
carnes de um modo geral. %repara então uma et1t1 composto de: 6Iin, t34
Gfumo picadoH, o" nína GmoedasH, oti GgInH, eé lara Gfolha de mamonaH. -ntes
de entrar na mata ata ipatéo GpalmasH e fa(a a seguinte sauda(ão:
• LCSZ CQ9K C9Z, LCSZ 6A6 M9Z, LCSZ 6O- M9Z, LCSZ 6DE M9Z, LCSZ LQN
M9Z, LCSZ LSKNOCN M9Z.
• Sauda()es ao Lris4 das matas, Sauda()es 4 Lris4 6Bo, Sauda()es 4 Lris4 6Ia,
Sauda()es 4 Lris4 6de, Sauda()es 4 Lris4 Lg1n, Sauda()es 4 Lris4 Ls"nIin
• Entre no mato mascando ataare Gpimenta da costaH. =impe um peda(o do chão
deixando a terra 4 vista e fa(a a oferenda acima sore a eé l4r3 e diga:
• LSKNOCN *6 %? 6 6 *6 <9Z LSKNOCN, LCSZ E[0.
• Ls"nIin eu te chamo Eu sa1do Ls"nIin, Lris4 das folhas.
• Enquanto estiver colhendo as folhas cante orin para Ls"nIin Gaqui chamados de
sassanhaH. Saia do mato com todo o respeito. -o chegar no Clé Lris4, escolha as
melhores folhas, lave!as e leve para serem quinadas enquanto canta outros
orin.
caso,6ou
aga(o
mesmodas folhas
para pode
forrar ser se
a ení utili$ado
houverpara
omoa recolhido.
lavagem dos 671os,
/aso se for o
nenhuma
destas circunst8ncias ocorram, ele deve ser mantido dentro do porrão do 4go.

• 6s.: Determinadas religi)es , a título de incriminarem a eligião dos Lris4,


fa$em um 7ogo de palavras com o 4go Gliteral tradu(ão  sopa de folhasH, pois
falamos:  >ulano, v3 tomar anho de 4go;. E eles falam que de 4go; é o
anho do dia+; Gdem+nioH. 0 uma pena que estas pessoas não queiram que
outros utili$em!se das for(as da nature$a par o progresso da humanidade 

• 6MAM >}N LSKNOCN


• Gevoca(ão para Ls"nIinH

• -gWnígi, TrTm1 ad\e a\dí sonso.


• Esinsin aWd", BíníBíní.
• Ls"nIin a rí ií rí Th1n,
• 9í Eléd@marW.
• -l3se Eé
• Ls"nIin 
• Nío ni Lr1nm\l4 nlo tí Bo m1 ?s@ d3ní €
• Nío ni Lr1nm\l4 nlo tí Bo m1 Ls"nIin d3ní €
• -roni elésW Ban soso
• 943 ni al3se eé f1n Lr1nmil4.
• Zti gogo 4on TB4nléníga imolW
• -BépW níga TrT BT sunTn.
• ElésW Ban 7u elésW mé7\ lo.

- níI\s B3Ié í Eléd@marW.


• 6 ga 4se ogun ta gíé!gíé.
• -roni elésW Ban tí o ga ol"B@nr@n BalW,
• 9é ení ge omodé.
• -ro ai!oB" líelíe.
• Eé goo B\B\ TTg1n.
• Eé T, Eé T, Eé T 
• - pW W ní g@s1,
• 6 lo 7é ní 4rí4.
• - niIi Ban aIe.
• Z npW o, 3 7é nse a ooo.
• 6mo ao ní nse TTg@n
• Ls"nIin 3 7é a 
• Zse, Zse, Zse 

-gWígi, o pintinho que possui cloaca pontuda.


• - mosca que possui fígado de tamanho ínmo
• Ls"nIin que v# aqui e l3.
• /omo Eléd@marW.

Senhor da for(a das folhas


• Ls"nIin 
• -onde Lr1nm\l4 vai que não leva consigo ?s@ €
• -onde Lr1nm\l4 vai que não leva consigo Ls"nIin €
• -roni que possui uma 1nica perna.
• %ai possuidor da for(a das folhas perante Tr1nm\l4
• E as du$entas e uma divindades
• -quele que é chamado quando as coisas não vão em
• 6 que possui uma s" perna é melhor que os que tem duas
• espeitado em toda parte, assim como Eléd@marW.
• *ostra rme$a na for(a da magia e da medicina.
• -roni possui uma s" perna e ainda assim salva o doente
• /om a mesma facilidade com que segura uma crian(a no colo
• Jomem de uma perna s", que possui p#nis forte.

%ara ele todas as folhas tem nalidade m3gica e medicinal


• K folha  K folha  K folha 
• 6 chamamos no sul,
• Ele responde ao norte.
• Ele é respeitado em toda parte.
• /hamamos por Roc#, venha nos atender
• >ilho de -o que pratica magia e medicina
• Ls"nIin venha nos ouvir 
• -ssim se7a.

• .

• *BO "i'ra" e so&a


• ZQ96

• ZQ96 Gliteral  sopaH é a macera(ão manual das folhas que se deixa fermentar
em porr)es G7arros de arroH. Nunca deve ser esquecido que todo ZQ96 tem de
levar oi e or"g" ralados. /omo os anhos são 4se Genergia!for(aH das eé
Gfolhas  Tr\s4 Ls"nIinH, não deve!se misturar a ele W7e G sangue H ou ese G tripa
de animais H, como tamém sempre deve ser frio, na temperatura amiente,
pois o aquecimento ou a fervura, muda a terap#utica da folha.

• %ortanto suentende!se que o sumo, ou extrato, otido é o pr"prio sangue das


folhas, este é o motivo pelo qual não devemos adicionar sangue animal a ele,
em respeito ao Tr\s3 LSKNOCN todo anho de folhas deve ser tomado agachado,
nunca em pé, e sempre 7ogado em todo o corpo, o que inclui a cae(a. Dentro
da verdadeira tradi(ão do ritual, aos anhos eram feitos da seguinte forma: as
folhas quinadas eram esfregadas no corpo nu do ElWg1n pelo 943lTr\s4. Depois
o elWg1n agacha e recee lentamente sore si o 4go sem folhas. %orém tal
pr3tica causa extremo constrangimento ao elWg1n, portanto com o passar do
tempo foi sendo esquecida.

• BA=O E ERA@

• Todos (Ls 'mos ao rdor do (osso cor&o !3sico um cam&o


• "'roma0('ico, com&os'o &or cor&os su'is, 4u s d(omi(a aura.
• As auras das &ssoas  dos "u0ars !u(cio(am como a('(as 4u
• rcm  (iam m(sa0(s ('r si, 4u são dcodifcadas
• a'ras da (ossa i('uição.

• ua(do &assamos &or si'uaçUs s'ra(8as, (r0ias ds4ui"iradas s


a0r0am [ (ossa aura  &rma(cm "S &or mui'o 'm&o &rooca(do do(ças.

• ua(do 'omamos um Ba(8o d Eras "im&amos a (ossa aura


• !a7(do com 4u "a o"' a !u(cio(ar (orma"m('  8armo(i7a(do os
(ossos c8aZras 4u são 'ú(is &or o(d ('ram as (r0ias (o (osso cor&o
• !3sico.

• Cada &"a('a 'm carac'r3s'icas &rL&rias 4u i('ra0m com as


• (ossas (r0ias &rooca(do as muda(ças (cssSrias. As ras

&odm "im&ar, (r0i7ar, m"8orar (ossa au'o-s'ima, 'irar
• (osso ca(saço, 'c...

• Para !a7r o a(8o, dmos o"8ar a r"ação d ras  &ro&ridads 4u


s0u aaiIo  sco"8r a4u"as 4u s ad4uadam [ (ossa
• si'uação. &ois, &0u um &u(8ado d cada ra  !aça um c8S
• com "as. Co (uma Jarra  a&Ls 'omar um a(8o (orma", Jo0u o
• c8S do omro &ra aiIo. As ras &odm sr mis'uradas  o
• rsu"'ado srS m"8or s usado (úmro 3m&ar d ras.

• O @a" 0rosso &od sr usado como a(8o d "im&7a mas  &rciso 4u s
'om um a(8o d ras "o0o a&Ls.

• R"ação d ras  suas &ro&ridads


•  Ar(ica - a!as'a a (0a'iidad


•  Ar Cami(8o - (oas !orças

 Açúcar - aci'ação
•  A"8o &a"8a - &ro'ção
•  A"crim - c"ar7a m('a"
•  A"&is' - &ros&ridad
•  Arruda - &ro'ção
•  A(is Es'r"ado - aum('a a au'o-s'ima
•  $0ua-d-arro7 - ca"ma('
•  $0ua-mari(8a &"a('a - "im&7a
•  A"!a7ma - muda(ça
•  Bu"o d co"i(8a - 'ira o ca(saço
•  Comi0o-(i(0um-&od - d!sa
•  Camomi"a - "im&7a ac'ricida
•  Ca("a - "im&7a, !orça  &ros&ridad
•  Crao da ?(dia - s'imu"a('
•  Cri7V('mo ra(co - ca"ma('
•  Cris'a-d-*a"o sm('s - ca"ma(' 8i&r'(são
•  Co('as d RosSrio - co(c('ração
•  C(oura !o"8as - !ra4u7a
•  ('-d-6ão - 'ris'7a  a('i-'LIico
•  Era doc - oas (r0ias
•  Es&ada d @ão Kor0 - &ro'ção
•  Fo"8a d Pi(8iro - "im&7a
•  Fo"8as d P/ss0o - disso" d(sidads acumu"adas
•  Fo"8as d 6imão - cor'a (r0ias (0a'ias

 Fo"8as d +a(0a - &ros&ridad
•  Fo"8as d 6ouro - &ros&ridad
•  Fumo - &ro'ção
•  F"or d sau0uiro - ca"ma('
•  *ui( - &ro'ção  !orça
•  *irasso" sm('s - ac"ra as muda(ças
•  *uara(S - aum('a as (r0ias
•  =or'"ã - aci'ação
•  %(8am - !orça  "im&7a
•  6a(' - !orça, m"8orar a au'o-s'ima
•  6os(a - cor'a a (0a'iidad raias
•  +ac"a - ca"ma(' om &ara i(s(ia
•  +a(Jricão - 4ui"3rio, r(oa as c"u"as do or0a(ismo
•  Pi'a(0a !o"8as - m"8ora a circu"ação
•  Rosas ra(cas - "im&7a
•  Rosas rm"8as - (r0ia

•  @S"ia
@m('s d 'a(0ri(a - &ara dors (a co"u(a
- rJu(cim('o

• Ba(8os Es&c3fcos

• scarr0o 4ua(do (os s('imos mui'o irri'ados ou I'rmam('


dsa(imados
• - # 0a"8os d arruda
• - # 0a"8os d 0ui(
• - # 0a"8os d a"crim
• - 1 s&ada d @ão Kor0
• - 1 !o"8a d comi0o-(i(0um-&od
• - !umo d corda
• - &a"8a d a"8o

• Ar Cami(8o 4ua(do 4urmos mudar a"0uma coisa (a (ossa ida


• - 9 !o"8as d "oro

- 9 0a"8os d ma(Jricão
• - 9 sm('s d 0irasso"

• Tirar +S0oas 4ua(do (ão co(s0uimos (os "irar d uma 'ris'7a


• - 1 maçã cor'ada m : &ar's
• - 1 co"8r d açúcar

• Fra4u7a 4ua(do (os s('imos sm !orças


• - # !o"8as d c(oura
• - # 0a"8os d arruda
• - # rosas rm"8as
• (sidads Acumu"adas 4ua(do s('imos dor (as cos'as
• - !o"8as d &/ss0o ou "imão
• - 0ui(
• - &a"8a d a"8o

• Aum('ar a Au'o-Es'ima
• - ca"/(du"a
• - a(is s'r"ados
• - ma(Jricão

• Pros&ridad
• - a"&is'
• - !o"8a d "ouro
• - ma(Jricão

• Ba(8os da F"icidad

• Esss a(8os ão ' aJudar a 'r mais !"icidad, mas "mr - s
• !aça sm&r sss a(8os com cari(8o , m(' sr(a, cor&o
• 'ra(4ui"o, sm s'rss.

• g Ku(' m # "i'ros d S0ua mor(a 9 &'a"as d rosas rm"8as


• m &r!umadas, 9 rosas ra(cas, # 0a"8os d ma(Jricão, # d
• a"crim, # 0o'as do su &r!um &r!rido. Co 'udo,  'om um
• a(8o com ssa S0ua  s s4u (a'ura"m('.

• g Ku(' um &u(8ado d açúcar,  &'a"as d rosas ra(cas scas 


• uma &a"ma d são Kor0 m # "i'ros d S0ua JS !rida, diI
• s!riar  d&ois d coar, Ju(' a"0umas 0o'as d su &r!um
• &r!rido  um &u(8ado d sa" 0rosso, Jo4u do &scoço &ra


aiIo.
• g Co"o4u um &ouco d a"crim, arruda, ma"a rosa, ma"a ra(ca,
• ma(Jricão , assouri(8a  ma(Jro(a, &i4u m &daços m
• &4u(os "a 'udo m S0ua corr('  co"o4u m # "i'ros d
• S0ua !rida, aa! 'udo, 4ua(do s'ir mor(o co  a&Ls 'omar
• su a(8o 8ai'ua" Jo0u (o su cor&o  ac(da uma "a ra(ca
• o!rc(do ao su a(Jo d 0uarda.

• Ba(8o ri'a"i7a('
• .....................................

• Tom um a(8o ri'a"i7a('. (um ida d "ua mi(0ua(' !ra m


• # "i'ros d S0ua, um !o"8a d s&ada d sVo Jor0, arruada -
• mac8o, arruda - !ma, 0ui(, rosas ra(cas, 4ura'udo, a0ua&
•  8or'"ã . co  !aça o a(8o a('s d s di'ar. rco"8a o 4u
• sorar dss a(8o  Jo0u (o "iIo. ss a(8o sL &od sr !i'o

&or mu"8rs.

• Ba(8o &ara dsa(uiar a m('


• mio maço d @S"ia


• (o !o"8as d "ouro
• (o 0a"8os d ma(Jricão
• 'r/s co"8rs d so&a d crao m &L  o ida"
• Frr o "ouro com o crao a' 4u a S0ua 'o(a"i7 d amar"o, diI s!riar  co"o4u
(uma acia s&c3fca &ara a(8os, macra(do ('ão as ras !rscas
• a' 4u s &arçam oIidadas f4um sma0adi(8as, scuras.
• diI m I&osição ao "uar,  acrsc(' uma &ça d ouro, r'ira(do (o dia s0ui(' 
'oma(do o a(8o da caça aos &s.
• %m&or'a('
• do"a 'odo o ma'ria" u'i"i7ado a (a'ur7a, diIa(do aos &s d uma Sror ou
• ('rra(do, a msma 4u o!rcu &ar' d si com amor, a0radc.

• Ba(8o ci0a(o &ara a'rair um amor


• Es' a(8o d sr !i'o m (oi' d "ua C8ia...


• Tom su a(8o (orma" d 8i0i(.
• Pr&ar s' a(8o !r(do 2 "i'ros d S0ua, 4ua(do "a('ar !rura ds"i0u 
co"o4u os i(0rdi('s, 'am& &or 1 m.  diI amor(ar (a 'm&ra'ura

dsJada &Y Jo0ar (o cor&o da caça &Y aiIo.
• %(0rdi('s
• -amor-a0arradi(8o d sr ra, (Y si...
• - a"!a7ma ra ou ss/(cia
• - m"
• - &'a"as d rosas rm"8as  amar"as
• - uma maçã
• Pr&ar ss a(8o dura(' # sI'a !iras d 6ua C8ia.
• c"aro 4u sm&r m('a"i7a(do o su &dido d 4u (8a um amor  4u sJa om &Y
'odos os (o"idos  sm&r 'rmi(a(do  Assim sJa, assim srS____

• Ba(8os com a"crim


• G BO+ AR H+A 6%A A@ +@*@ ABA%NO E OHTRA 6%@TA , HE+ *O@TA E TO+AR
BA=O@ E ERA@....
• BE%KO@

+AR%O
• u (c8o d a"crim, saio do a(8o !i'o &iI m 'm&rado
• mas sa [s 7s 4ua(do oc/ s'S 'ão radia(', com 'a('a (r0ia 4u
• ((ão co(s0u 4ui"irS-"ah
•  como u m si('o...
• " diIa m radia(' msmo, 4um 'm coração mais !ra4ui(8o 'm 4
• s cuidar, mas (ão  (ada mui'o !or', 'i&o uma &im('a ou coisa assim
• sL (ão &rcisa co"ocar um &o' d a"crim como u !aço rs...
• "8o !i'iço do 0ari"
• co"ocar um rami(8o d a"crim (o i(8o dS uma L'ima a(imada....
• iJos
• Tarsi"a
• ---
• O"Ss [ 'odos...

• Co"oca(do a &o('a da mi(8a co"8r (s'a co(rsa..._ o 


• Ai(da (ão 'i(8a ouido a i(!ormação d 4u mu"8rs (ão &odr3am


• u'i"i7ar
• o a"crim m a(8os, associada ou'ras ras. oidad &ara mim_

• o ('a('o o 4u u si  com&roado &or u7i(8a  4u o a"crim


•  uma
• !o(' d (r0ia, (ão &od(do u'i"i7ar-s d 0ra(ds 4ua('idads
• &ara o
• a(8o, sor o risco d s 'r 'a4uicardia. Hma 7, (a i0(orV(icia
• ds'a
• co(s4u(cia, s'aa m s('i(do mio ca3da  acai !a7(do um
• a(8o com
• # 0a"8os d a"crim, &ara m"8orar. Rsu"'ado mu coração fcou
• &arc(do
• uma a'ria d Esco"a d @ama... risos

•  A"0um co(8c s' !i'o do a"crimh KS i 4u Tu0a usa-o &ara um


• !i'o
• mio 4u co('rSrio... 4ua" a 4ua('idad 4u oc/ usah

• Pa7  "u7,
• ;i(0ara ji'c8

• u ' sm&r usi a"crim &ara a(8o &or4u o a&or aroma



aJuda a
• 4ui"irar os a'im('os card3acos. ' m sa"do com a"crim
• &ara 'm&rar
• car(s d saor mais ac('uado como cordiro  co"8o.

• J

• @audaçUs___
• Oi 6u, s'ra(8o s'a co"ocação sor mu"8rs (ão &odrm
• usar a"crim
• &ara a(8o. Adoro o a"crim  uso sm&r m a(8os, so7i(8a ou
• Ju('o a
•  ou'ras
• ras.
• BJs


Aradia

• Ba(8os mS0icos

• A'ua"m(', (o Brasi", os a(8os d ras, !o"8as  ors so!rm a i(u/(cia d


dirsas cu"'uras. Es' co(8cim('o 0ara(' 4u os a(8os &odm "aar
• o cor&o  a a"ma, r(oa(do as (r0ias da aura 8uma(a, s&a('a(do a mS sor' 
a'rai(do a !"icidad &ara (Ls. G sL com&roar, &ois 8S a(8o &ara 'udo.

• Para a'rair o Amor


• 2 "i'ros d "i'
• ) co"8rs d m"
• 1 maçã rm"8a ra"ada
• 2 &au7i(8os d ca("a

• Fra o "i'  acrsc(' os dmais i(0rdi('s. iI s!riar. Co  us a&Ls o a(8o


8i0i/(ico, da caça
sm (Iu0ar-s, aos &s.um
ou co"o4u Cura a caça com uma 'oa"8a  is'a-s
rou&ão.

• Para PaiIão
• 1 maçã rm"8a ra"ada
• 1 maço d sa"sa !rsca
• ) "i'ros d S0ua mi(ra"
• ) co"8rs d m" d or d "ara(Jira

• o &rimiro dia da "ua c8ia, co"o4u a S0ua (uma asi"8a 0ra(d  acrsc(' os
dmais i(0rdi('s. Co"o4u a asi"8a (um "oca" o(d &ossa rcr o !rscor
• da (oi'  a "u7 da "ua c8ia. a ma(8ã s0ui(', co a mis'ura  u'i"i7-a, a&Ls o a(8o
8ai'ua", da caça aos &s. Cura a caça com uma 'oa"8a 
• is'a-s sm (Iu0ar-s, ou co"o4u um rou&ão. Os 8om(s dm r'irar a sa"sa 
u'i"i7ar o a(8o a&(as com os ou'ros i(0rdi('s.

• Para Far'ura  Pros&ridad


• ) "i'ros d S0ua mi(ra"
• 5 &aus d ca("a &4u(os
• 1 co"8r d c8S d (o7 moscada ra"ada
• 5 !o"8as d "ouro
• 1 co"8r d so&a d ra-doc ou !u(c8o
• 5 modas douradas ou uma &ça d ouro
• P'a"as d rosa amar"a

• um dia d "ua c8ia, !ra a S0ua  acrsc(' os dmais i(0rdi('s, Ic'o as
&'a"as da rosa amar"a. Co. *uard as &ças d ouro  as modas. iI
• s!riar  a('s d u'i"i7S-"o, acrsc(' as &'a"as d rosa. Tom o su a(8o 8ai'ua" 
u'i"i7 a mis'ura drrama(do-a 0(rosam(' da caça aos &s.
• Cura a caça com uma 'oa"8a  is'a-s sm (Iu0ar-s, ou co"o4u um rou&ão.

• Para @or'  =armo(i7ação


• ) "i'ros d S0ua mi(ra"
• 2 co"8rs d so&a d L"o d am/(doa &ara o cor&o
• 1> 0o'as d ss/(cia d rosas
• P'a"as d rosa ra(ca, "3rio  a(0"ica
• 1 4uar'7o ra(co ru'o
• 1 4uar'7o rosa ru'o
• 1 ci'ri(o ru'o
• 1 am'is'a


uma (oi' d "ua crsc(', co"o4u 'odos os i(0rdi('s (uma asi"8a 0ra(d 
diI-a (um "oca" o(d &ossa rcr o !rscor da (oi'  a "u7 da "ua.
• a ma(8ã s0ui(', a&Ls o a(8o 8i0i/(ico, a(8-s (a mis'ura, com&rimi(do as
&'a"as d rosa sor a &" do cor&o. ão s (Iu0u. is'a-s com um rou&ão
•  (ro" uma 'oa"8a (os ca"os. is'a-s com rou&as c"aras.

• Para Pro'ção Es&iri'ua"


• 1> ramos d a"crim !rsco, sm os 0a"8os
• #> 0o'as d ss/(cia d r(a
• 1 &u(8ado d sa" 0rosso
• ) "i'ros d S0ua mi(ra"

• Fra a S0ua, ds"i0u a c8ama  co"o4u os ramos d a"crim  o sa" 0rosso. iI
s!riar. +acr o a"crim com as mãos, como 4um s!r0a uma rou&a. A('s
• d u'i"i7ar o a(8o, acrsc(' as 0o'as d r(a. Ba(8-s do &scoço &ara aiIo 
diI a S0ua scar (a'ura"m(' ou us um rou&ão. uas 8oras d&ois,
• 'om uma c8uirada, s s'ir s('i(do um so(o a(orma".

• Para a!as'ar o mau o"8ado ou 4ura('o,


• # "i'ros d S0ua mi(ra"
• 1 0arra!a d crJa c"ara

• +is'ur a crJa com a S0ua  a(8-s da caça aos &s, a&Ls o a(8o 8i0i/(ico.
E(ro" uma 'oa"8a (a caça  is'a-s sm (Iu0ar-s.

• Para r'irar a (0a'iidad


• ) "i'ros d S0ua mi(ra"


• 2 &u(8ados d sa" 0rosso
• 2 d('s d a"8o roIo cor'ados m cru7
•  0a"8os d arruda mac8o
•  0a"8os d arruda !/ma

• Fra a S0ua com os d('s d a"8o cor'ados. ua(do a S0ua s'ir mor(a, acrsc('
a arruda, 'ra'a(do d macrS-"a, a' 4u s'Ja 'o'a"m(' ds!i'a.
• +is'ur o sa". iI s!riar  co. Hs do &scoço &ara aiIo, a&Ls o a(8o 8ai'ua".
Passadas duas 8oras, 'om uma c8uirada d S0ua mor(a ou !ria. Faça
• (a "ua mi(0ua('.

• icas %m&or'a('s


1 - Os a(8os dm sr acom&a(8ados d &rcs &ssoais s&o('V(as  si(cras.
Pça. Co(rs com us  com sus &ro''ors s&iri'uais. Os rsu"'ados
• são !a('Ss'icos. @ dsJar, ac(da uma "a ra(ca &ara o su a(Jo da 0uarda.

• 2 - As ors  ras !rscas (ão dm sr !ridas. O a"or (r0'ico das msmas s
&rdrS.

• # - Caso (ão co(si0a ors  ras !rscas, oc/ &od usS-"as scas. s' caso, &odrS
co"ocS-"as m S0ua !r('  aa!S-"as. Ei' !r/-"as.

• ) - @ s'ir s('i(do !rio, acrsc(' ao a(8o, JS &r&arado, uma 4ua('idad d S0ua


mi(ra" 4u('.

•  - Os rs3duos dos a(8os dm sr do"idos [ (a'ur7a. Co"o4u os rs3duos (um
Jardim ou (o mar. ão s Jo0a (o "iIo ors  ras u'i"i7adas m a(8os
• (r0'icos, &ois, s !orm do"idas [ (a'ur7a, srirão como aduo.


5 - a rdad
caça. (ão
Af(a" d Iis'(Ls
co('as, ma"(ão
a"0um m Jo0ar
'iramos uma &ara
a caça mis'ura d sa"
('rar (o 0rosso
mar,  S0ua (a
• o(d 8S maior co(c('ração d sa" 4u (os a(8os d "im&7a (r0'ica. O 4u causa
dsco(!or'o  ca(saço  ma('r o sa" (o cor&o &or mui'o 'm&o. Por
• isso, 'r/s 8oras a&Ls um a(8o com sa" 0rosso, a(8-s a&(as com S0ua, caso us o
a(8o da caça aos &s.

• 9 - Ba(8os &r&arados com ras como arruda, comi0o-(i(0um-&od, s&ada-d-são-


Jor0  &Sra-raios (ão dm 'ocar a caça. Podm causar ca(saço, "'ar0ia,
• dors  i(s(ia. Ei'-as.

• @i`"a Ruda(a

• +ais a(8os

• BA=O@

• Em 'odas as 'radiçUs m3s'ico-so'ricas, os a(8os são i(dicados como &odrosos


auIi"iars (os &rocssos d cura  4ui"3rio d (r0ia do (osso cor&o.
• O a(8o !i'o com "3rios ra(cos  rosas ra(cas, &or Im&"o, aca"ma  rs'aura a &a7
s&iri'ua".

• Ba(8os com m" aJudaram adoçar o 'm&ram('o  com camomi"a &ro&iciam o(s
so(8os.

• Para o ca(saço  a '(são do dia, !aça um sca"da-&s com m"issa  s s('irS


r"aIado.

• Ba(8o s&iri'ua"

• Em uma Jarra d idro "im&a mis'ur


• 1 I3cara d S0ua do mar ou d S0ua mor(a mi(ra".


• 1 co"8r d so&a d sa" 0rosso.


• 1 I3cara d i(a0r d maçã.


• Co"o4u ssa mis'ura (a a(8ira com S0ua &"a m'ad  a(8-s &or 

• +i(u'os com um m3(imo d 'r/s imrsUs com&"'as. R7 &ara a "ir'ação d


4ua"4ur (r0ia (0a'ia a su rdor ou &ara s "ir'ar d 4ua"4ur i(u/(cia
• (0a'ia ou &rocu&ação 4u &ossa s('ir.

• Ba(8o da &ros&ridad

• `mYrci'asf0urasY0r('o&

• +is'ur

• 1 I3cara d c8S d ca("a mo3da m


• ) I3caras d c8S d sa"