Vous êtes sur la page 1sur 63

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES


BACHARELADO EM MÚSICA

PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO

Bacharelado em Habilitação em Práticas Interpretativas da


Música & Composição

João Pessoa
outubro de 2008
2

CURSO DE GRADUAÇÃO EM MÚSICA


Identificação:

Modalidade: Bacharelado em Práticas Interpretativas da Música

• Práticas Interpretativas:
 Clarineta,
 Contrabaixo,
 Fagote,
 Flauta,
 Harpa;
 Oboé,
 Percussão,
 Piano,
 Saxofone,
 Trombone,
 Trompa,
 Trompete,
 Tuba,
 Viola,
 Violão, Cravo,
 Violino,
 Violoncelo,
 Canto
 Regência.
• Composição
Turno: Diurno.

Regime Acadêmico: créditos.

Tempo de integralização curricular


Diurno
Mínimo 08 (oito) semestres letivos
M0áximo 12 (doze) períodos letivos

Limite de Créditos por Período


Diurno
Mínimo 16 (dezesseis) créditos
Máximo 30 (trinta) créditos

Carga horária total do curso


 Bacharelado em Harpa: 2.400 horas/aula – 160 créditos
 Bacharelado em Regência: 2.490 horas/aula – 166 créditos

Base Legal:
 LDB 9394/96; Parecer CNE/CP 9/2001; Resoluções CNE/CP 1/2002; CNE/CP
2/2002; CNE/CES 2/2004; CONSEPE/UFPB 52/2003; CONSEPE/UFPB
04/2004; CONSEPE/UFPB 34/2004.
3

II. HISTÓRICO

O Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba (DeMús) foi fundado


em 1978. Concomitantemente, foi criado o Curso de Bacharelado em Música (BelMús),
através da Resolução n° 261/78 do Conselho Universitário (CONSUNI), de 20 de novembro
de 1978. O Bacharelado foi posteriormente reconhecido pela Portaria Ministerial nº 188, de
30 de abril de 1984. Funcionando no período diurno, o Curso possui atualmente (2008.2) 188
alunos ativos. Anualmente são oferecidas 50 vagas para novos alunos. Ao longo de seus 30
anos de existência, o DeMús da UFPB vem desenvolvendo um reconhecido trabalho no
campo das Práticas Interpretativas, apresentando um perfil acadêmico voltado notadamente
para a formação de instrumentistas. Neste período de existência, 291 estudantes concluíram o
Curso de Bacharelado em Música. Este é um número expressivo, uma vez que, devido às
especificidades da área, muitas disciplinas são ministradas na forma de aulas individuais.
Além disto, vale salientar que este Departamento é um dos mais completos do País no que diz
respeito ao número de diferentes especialidades oferecidas em Práticas Interpretativas.
Atualmente, o Bacharelado inclui os instrumentos de orquestra, além de saxofone, violão,
piano, canto e composição musical.
Jovens instrumentistas de todo o Brasil, como também do exterior, têm procurado o
DeMús, atraídos pela possibilidade de uma melhor formação acadêmico-musical. Como parte
desta formação, práticas interpretativas são desenvolvidas em diversos grupos camerísticos e
orquestrais do quadro do DeMús. Estes incluem:
1. Banda Sinfônica José Siqueira
2. Brassil (metais e percussão)
3. Brazilian Trombone Ensamble
4. Camena – Grupo de Música Antiga
5. Camerata Arte Mulher
6. Cellos de Câmera
7. Coral Infanto-Juvenil da UFPB
8. Grupo de Percussão do Nordeste
9. JPSax
10. Oficina de Prática Orquestral da UFPB
11. Orquestra de Câmera da UFPB
12. Orquestra Sanhauá da Paraíba (Big Band)
4

13. Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil da UFPB


14. Quarteto de Trombones da Paraíba
15. Quinteto da Paraíba (cordas)
16. Quinteto de Sopros Latino-Americano
17. Grupo de Música Contemporânea SONANTIS

O perfil de centro formador de instrumentistas tem-se evidenciado na comunidade


musical através destes conjuntos criados no DeMús. Suas atividades englobam a realização de
concertos e recitais, gravação de CDs, além da participação em eventos musicais no Brasil e
no exterior. Muitos dos CDs gravados por estes grupos são considerados registros ímpares da
produção musical brasileira. Além disto, atuando junto a compositores e arranjadores, eles
têm fomentado a criação de novas obras para diversas formações instrumentais e vocais,
servindo, assim, de laboratório “vivo” para os profissionais da criação musical.
Estudantes da área de Práticas Interpretativas da UFPB têm sido laureados nos mais
importantes concursos de interpretação musical do país, a exemplo do Concurso Jovens
Solistas de Piracicaba (SP), Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica da Bahia, Concurso
Nelson Freire para Jovens Instrumentistas, Concurso Jovens Solistas da Orquestra Petrobrás
Pró-Música, Jovens Intérpretes da Música Brasileira (Funarte), Concurso Jovens Concertistas
Sul América, concurso para atuação na Youth Orchestra of the Americas, dentre outros. Da
mesma forma, o Departamento de Música está sempre representado no corpo docente e
discente dos mais importantes festivais e encontros de música no Brasil e no exterior, como
no Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival Internacional de Música de Belém do
Pará, Festival de Música de Câmara de Curitiba, Oficina de Música de Curitiba, Encontro
Nacional de Trombonistas do Brasil, Curso Internacional de Verão de Brasília, Conferência
Internacional de Trompetistas, Festival de Artes de Itú, Festival Vale Venito (RS), Festival de
Música de Londrina, Bienal de Música Brasileira Contemporânea, Festival Internacional de
Música de Câmera de Pernambuco, Festival Internacional de Inverno de Domingos Martins
(ES), Festival Nacional de Artes da Paraíba, Encontro Nordestino de Metais, Festival de
Inverno de Campina Grande (PB), Eastern Music Festival (Carolina do Norte – EUA) e
Tanglewood Music Festival (Massachusetts – EUA).
Desde sua fundação, o DeMús/UFPB vem atuando em estreita parceria com o
Governo do Estado da Paraíba, através da Secretaria de Educação e Cultura e da Fundação
Espaço Cultural José Lins do Rego, atuando na definição da política cultural e colaborando
em projetos que visam o desenvolvimento cultural do estado. Um convênio formal entre as
duas entidades garante o pleno funcionamento da Orquestra Sinfônica da Paraíba, um dos
5

grupos sinfônicos mais sólidos do país, além dos conjuntos musicais e diversas atividades
didático-pedagógicas que compõem esta complexa estrutura. Vale salientar que a área de
música da Fundação Espaço Cultural foi coordenada, por mais de oito anos, pelo professor
Carlos Rieiro, do DeMús/UFPB.
Dados concretos atestam que os estudantes atendidos pelos professores do DeMús são
rapidamente inseridos no mercado de trabalho. Em 2006, vinte e sete ex-alunos lecionavam
no Instituto Superior de Educação Musical – Escola de Música Anthenor Navarro, e vários
outros ministram aulas nas diversas escolas de música, públicas e privadas, do Estado.
Também em 2006, dos quarenta e sete professores que formavam o quadro docente da Escola
de Música da UFRN, nove eram graduados pela UFPB. Outros graduados também atuaram ou
atuam no Deptº de Educação Musical da UFPB, Curso de Arte e Mídia da UFCG, nos
Departamentos de Música da UFPE, da UFAM, da UNIRIO, e no Conservatório
Pernambucano de Música.
Da mesma forma, o DeMús/BelMús tem criado profissionais altamente qualificados
para servir em orquestras renomadas como: Orquestra Sinfônica da Paraíba, Orquestra
Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Recife, Orquestra Filarmônica do
Norte-Nordeste, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica da Bahia,
Orquestra Sinfônica de Brasília, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica de
Goiás, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Estadual de São Paulo, Orquestra
Sinfônica Petrobrás Pró-Música do Rio de Janeiro, Orquestra da Ópera de Frankfurt
(Alemanha), Orquestra Filarmônica de Matera (Itália), Orquestra Tonhalle de Zurick (Suiça) e
Baton Rouge Symphony Orchestra (EUA). Setenta, dos oitenta e três integrantes atuais da
Orquestra Sinfônica da Paraíba foram formados, ou estudam, no DeMús/BelMús.
Vale também salientar que os estudantes aqui formados são aceitos nas mais
conceituadas instituições para realização de cursos de pós-graduação, dentre as quais:
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade de São Paulo, Universidade
Federal da Bahia, Universidade de Campinas, no Brasil; Juilliard School of Music, Eastman
School of Music/University of Rochester, New England Conservatory, Shenandoah
University, Louisiana State University, Catholic University of America, Boston University,
Mannes College of Music – New York, Indiana University, The University of Iowa, Northern
Illinois University, University of Texas, nos EUA; McGill University, no Canadá; Hochschule
der Künste Berlim, na Alemanha.
Estes dados indicam que o movimento musical no estado da Paraíba encontra-se em
seu melhor momento nos últimos trinta anos. A política de desenvolvimento científico
6

implementada pelo DeMús/BelMús, além de valorizar as especificidades da área de música,


procura estabelecer um ponto de equilíbrio entre a produção científica e a produção artística,
como mostra os currículos Lattes dos nossos docentes. Assim, a produção científica dos
nossos docentes publicada em revistas e periódicos nacionais e internacionais, nos últimos
anos, ultrapassa uma centena de publicações. Essa excelência na pesquisa em música
culminou, em 2006, com a publicação da Revista CLAVES, periódico do Programa de Pós-
Graduação em Música da UFPB (PPGM), atualmente em seu sexto número. Esta produção
também abrange a autoria de livros e capítulos de livros publicados no Brasil e no exterior, a
elaboração de compêndios técnicos, a composição de peças e arranjos musicais, além da
edição e publicação de partituras. Como parte desta produção intelectual, dentro do campo de
Práticas Interpretativas, vale salientar o lançamento de cerca de 25 CDs por selos nacionais e
internacionais, priorizando a divulgação de obras de compositores brasileiros.
Nos últimos vinte anos, o DeMús/UFPB promoveu alguns eventos de grande
repercussão junto ao meio acadêmico-musical do País. Em 1987 realizou o Simpósio
Nacional Sobre a Pesquisa e o Ensino Musical, SINAPEM, com o apoio do CNPq, da
CAPES, e da SESU. Paralelamente, ministrou o Curso de Especialização em Música do
Século XX, sob inteira responsabilidade da UFPB com a presença de docentes da UFBA. No
SINAPEM estavam representadas 12 Instituições de Ensino Superior: UFRGN, UFPB, UFPE,
UFAL, UFBA, UFMG, UFU, UFGO, UNB, UNIRIO, UNESP e UFRGS. Este evento, que foi
um verdadeiro divisor de águas no campo da música, promoveu a primeira discussão no País
sobre a formação musical brasileira em todos os seus níveis. O SINAPEM propôs uma
revisão da legislação do ensino musical do País em nível de I e II Graus, além da adoção de
um projeto de ensino e pesquisa comprometidos com o desenvolvimento do pensamento
científico sobre música nas IES. O SINAPEM também propôs, em documento enviado à
Direção de Ciências Humanas do CNPq, a criação de uma sociedade nacional direcionada à
educação e pesquisa musical, para incentivar a pesquisa, congregar os cursos brasileiros de
pós-graduação em música, agir junto às agências de fomento, e promover reuniões científicas
e artísticas, entre outros empreendimentos. Este documento resultou na criação da Associação
Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música – ANPPOM, em abril de 1988, sob os
auspícios da Coordenação de Ciências Humanas do CNPq.
Desde sua fundação, a ANPPOM vem realizando encontros anuais, em locais diversos,
focalizando temas de acordo com o tipo de atuação das sedes organizadoras dos mesmos.
Assim, em 1995, o DeMús sediou o VIII Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-
Graduação em Música, sob a coordenação da Profª. Drª. Ilza Nogueira, com um tema
7

estreitamente relacionado às Práticas Interpretativas: “Articulações entre o Discurso Musical e


o Discurso sobre Música”.
Em termos de desenvolvimento de pesquisas na área de musicologia, o DeMús está
bem representado pelo Grupo de Pesquisas em Musicologia, Sonologia & Computação, Mus³,
coordenado pelo Prof. Dr. Didier Guigue. O objetivo do Grupo é provocar interações entre
essas três áreas do conhecimento. Neste empreendimento colaboram professores e estudantes
ligados ao Departamento de Música e de Informática. Ademais, o Mus³ propicia colaborações
e associações especializadas e pontuais entre pesquisadores, pós-graduandos, grupos ou
núcleos da UFPB e de outras instituições brasileiras, assim como apoio, fomento e subsídio
técnico-científico a projetos de teses de mestrado de áreas afins.
Membro do Forum Ircam (Institut de Recherche et Coordination
Acoustique/Musique), sediado em Paris, o Mus³ está conveniado, desde de 2004, com esta
Instituição, particularmente com seu Groupe de Représentation Musicale, visando o
desenvolvimento de projetos de interesse comum. O coordenador do Mus³ é também desde
2007 pesquisador associado ao Observatoire Musical Français, vinculado à Universidade da
Sorbonne en Paris. Na parte musicológica, são focalizados prioritariamente os estudos de
certas características estilísticas e estéticas da criação musical do século XX. Na computação,
o desenvolvimento de aplicativos voltados à análise, teoria e ensino da música é o objetivo
principal. Neste empreendimento colaboram professores e estudantes dos dois campos,
ligados a órgãos como o Departamento de Música (UFPB), o Departamento de Informática
(UFPB), e o Departamento de Sistemas de Computação (UFCG). Ademais, o Mus³ propicia
colaborações e associações especializadas e pontuais entre pesquisadores, pós-graduandos,
grupos ou núcleos da UFPB e de outras instituições brasileiras, assim como apoio, fomento e
subsídio técnico-científico a projetos de teses de mestrado de áreas afins.
Membro do Forum Ircam (Institut de Recherche et Coordination
Acoustique/Musique), sediado em Paris, o Mus³ está conveniado, desde de 2004, com esta
Instituição, particularmente com seu Groupe de Représentation Musicale, visando o
desenvolvimento de projetos de interesse comum.
O Mus³ já possui, devido à qualificação dos seus membros, um bom histórico de
comunicações científicas e de publicações, algumas delas já disponibilizadas em sua própria
página na Internet.
Composição é a subárea cuja formalização ocorreu mais recentemente no
Departamento de Música da UFPB. Entretanto, importantes atividades neste campo, no
âmbito da Universidade ou exercidas por artistas ligados à UFPB, remontam há vários anos e
8

fizeram da Paraíba uma referência da música contemporânea brasileira. Estas atividades estão
representadas principalmente no trabalho de seis compositores. O maestro José Alberto
Kaplan, um dos nomes mais conhecidos da música brasileira, com importantes prêmios de
composição, músicas publicadas em importantes editoras nacionais e estrangeiras, gravações
feitas por artistas renomados, teses de pós-graduação escritas sobre sua obra, ministrou cursos
de Introdução à Composição, em nível de extensão, no Departamento de Música e durante
vários anos orientou os trabalhos de vários compositores locais. Um de seus alunos foi o
compositor Eli-Eri Moura que em 2001 foi selecionado, através de concursos de composição
realizados por comitês nacionais e internacionais, para ser o único representante do Brasil na
edição de 2002 do festival World Music Days da International Contemporary Music Society
(ISCM), o mais importante evento mundial da música de concerto contemporânea, realizado
em 2006 em Hong Kong. O professor Didier Guigue desenvolve um trabalho inédito na
região com a música eletroacústica e algorítmica. Tem obras eletrônicas gravadas em CDs no
Brasil, Inglaterra e Estados Unidos. A compositora Ilza Nogueira é certamente a única mulher
na região Nordeste a possuir um título de Doutor em Composição expedido por uma
universidade norte-americana. Autora de livro e artigos sobre a teoria da música, publicados
nos mais importantes periódicos brasileiros, é membro de vários Conselhos Editoriais de
revistas da área no Brasil (CLAVES, Cadernos de Estudo – Análise Musical, Em Pauta,
Debates, Art), bem como membro da Academia Brasileira de Música. Também tem atuado
como Professor Visitante em vários cursos de Pós-Graduação em Música do País
(Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Federal do Rio de Janeiro,
Universidade do Rio de Janeiro e Universidade Federal da Bahia). Estes quatro compositores
são os únicos a representarem as regiões Norte e Nordeste nos eventos mais importantes da
composição no Brasil, como a Bienal da Música Brasileira Contemporânea (Rio de Janeiro),
Festival Música Nova (Santos), Panorama da Música Brasileira (Rio de Janeiro), Encontro de
Compositores Latino-Americanos (Porto Alegre) - ENCOMPOR, Encontro de Compositores
e Intérpretes Latino-Americanos (Belo Horizonte). A partir de 2006, o compositor José
Orlando Alves passou a integrar o quadro de professores efetivos do Departamento.
Compositor premiado em quatro concursos nacionais de composição (Primeiro Concurso
FUNARTE de Composição, VII Concurso Nacional de Composição Musical do IBEU,
Concurso Nacional de Composição Camargo Guarnieri, Concurso SESIMINAS de
Composição para Orquestra de Câmara), Doutor em Composição pela UNICAMP (2005),
possui publicações em revistas, anais de congressos e colóquios de pesquisa. Em 2008, o
compositor Liduíno Pitombeira também passou a integrar o quadro de professores efetivos do
9

DeMús. Dono de um vasto currículo, Pitombeira já conquistou diversos prêmios de nível


nacional, destacando entre eles, o 1º Prêmio no I Concurso Nacional Camargo Guarnieri, por
sua obra Suíte Guarnieri, para orquestra de cordas, e o 1º Prêmio no Concurso Sinfonia dos
500 Anos, por sua dissertação de mestrado, Uma Lenda Indígena Brasileira, para orquestra
sinfônica. Em março de 2004 recebeu, nos Estados Unidos, o prêmio 2003 MTNA Shepherd
Distinguished Composer of the Year por seu trio com piano Brazilian Landscapes No.1. Em
2005 conquistou o 1º Prêmio no Sigma Alpha Iota’s Interamerican Music Awards competition
com a obra Brazilian Landscapes No.2 para quinteto de metais, e em 2006 o 1º Prêmio no
Kean University Competition com a obra Brazilian Landscapes No.6 para quinteto de cordas.
possui publicações em revistas, anais de congressos e colóquios de pesquisa.
Em 2003, a Universidade Federal da Paraíba, através do CCHLA, criou um
Laboratório de Composição Musical – COMPOMUS, vinculado aos Departamentos de
Música e de Artes (CCHLA), e à Coordenação de Extensão Cultural (PRAC), a partir de um
projeto elaborado por estes compositores e mais outros três professores, também
compositores, da UFPB. Além de fornecer apoio aos futuros cursos de graduação e pós-
graduação em composição, desta e de outras universidades da região, o COMPOMUS tem
como finalidades: ser um fórum de fomento à composição; fazer pesquisa, levantamento de
material, e análise da música brasileira de concerto do século XX e contemporânea; fomentar
projetos visando à interação entre a música, a musicologia, e a tecnologia digital; formar um
acervo da produção dos compositores nascidos ou residentes na Paraíba; divulgar a música de
concerto do século XX e contemporânea, em especial a brasileira e a paraibana; desenvolver
atividades extracurriculares na área da composição (cursos, oficinas, seminários, palestras
etc.).
Em 2004 foi criado o Grupo de Pesquisa em Práticas Interpretativas coordenado pelo
Prof. Dr. José Vianey dos Santos, vinculado às Linhas de Pesquisas do Programa de Pós-
Graduação em Música (PPGM), criado no mesmo ano, o qual objetiva estimular a reflexão
sobre a prática musical, notadamente nos aspectos relacionados ao ensino e à performance,
além de oferecer suporte às atividades dos cursos de Extensão, Graduação e Pós-Graduação
no Departamento de Música da UFPB. Os Projetos de Pesquisa contidos no referido Grupo
compreendem, em linhas gerais, a análise da literatura instrumental/vocal; a análise da técnica
instrumental/vocal; a geração de literatura sobre música visando, além do ensino, o
aprimoramento dos aspectos técnicos e interpretativos da performance; a elaboração de
materiais didático-pedagógicos; o desenvolvimento de estudos sobre o repertório de
compositores brasileiros.
10

A subárea de Musicologia do PPGM possui o Grupo de Pesquisa Estética, Estilística e


Praxis Musical, coordenado pelo Prof. Dr. Ibaney Chasin, com Linhas de Pesquisa em
Estética da Música e aspectos estilísticos e interpretativos da música da Renascença. No que
concerne à primeira Linha, seus objetivos se orientam à determinação do fenômeno musical a
partir de seus fundamentos estético-históricos. A segunda Linha se volta à música tardo-
renascentista, ou aquela nascida em finais do século XVI, e universalmente conhecida como a
música da Seconda Pratica. Dado o objeto investigado, o estudo da prática musical de
Claudio Monteverdi (Cremona 1567-Veneza 1643) ocupa lugar privilegiado.
O DeMús promoveu quatro edições do Festival Nacional de Música de Câmara, que
veio a ser um dos principais festivais de música do Nordeste. A ele convergiram jovens de
todo o País em busca de aprimoramento técnico e artístico, atraídos pela qualidade do corpo
docente, que aglutinava professores do DeMús, além de professores convidados de
universidades de outras regiões do País, como também dos Estados Unidos e Europa. Em sua
quarta edição, o evento que contava com o apoio do CCHLA e da COEX (UFPB), do
Governo do Estado, e do Ministério da Cultura, foi incorporado ao calendário artístico da
Paraíba.
É importante destacar, também, o relevante trabalho de extensão universitária
desenvolvido pelo DeMús desde a sua fundação. Como parte de um grande projeto de
educação musical, anualmente o Departamento chegou a oferecer 450 vagas para
musicalização de crianças, adolescentes e adultos, prestando uma contribuição extremamente
significativa para a formação cultural e crescimento intelectual de nossa comunidade. Este
trabalho visava, sobretudo, a preparação de futuros candidatos ao curso de graduação em
música, mas também objetivava a criação de platéias apreciadoras da arte musical.

III. JUSTIFICATIVA

O Projeto Político-Pedagógico de 2006 justificava-se tendo em vista os aspectos:


alcance estratégico regional; importância do Departamento de Música (DeMús) como
formador de profissionais qualificados para atuarem nos diversas campos de trabalho da
música nas capitais do País; qualificação do seu corpo docente e necessidade de
desmembramento dos conteúdos das disciplinas Estética e História das Artes. Tudo isso
tendo em vista as necessidades surgidas ao longo de vinte e cinco anos de existência do Curso
de Bacharelado em Música, além das novas demandas culturais de nossa sociedade.
Já o atual Projeto Políto-Pedagógico justifica-se basicamente em quatro pontos:
11

1. A necessidade de ajustar o atual projeto para viabilizar o cumprimento das metas


propostas dentro do Projeto REUNI-UFPB referentes, especificamente, a criação de duas
novas habilitações no bacharelado, quais sejam: Harpa e Regência;
2. A necessidade de redimensionar o número de créditos dos componente Conteúdos
Complementares Optativos da habilitação Praticas Interpretativas (instrumento e canto) que
passará de 24 (vinte e quatro) créditos para 12 (doze) créditos;
3. A necessidade de ampliar o rol de disciplinas dos Conteúdos Complementares
Optativos visando dar ainda mais opções aos alunos melhor se prepararem em sua formação
acadêmica. Neste sentido, foram incluídas as disciplinas: Canto Coral (I a IV), Literatura
Instrumental (Cordas/Madeiras/Metais/Percussão/Teclado) II a V, Regência (II a IV),
Técnica Vocal (II a IV), Apreciação Musical e Instrumento Complementar (II e III).
4. Necessidade de distribuir os créditos do componente Conteúdos Complementares
Flexíveis de modo mais uniforme. No PPP de 2006, os vinte e dois créditos deste componente
estavam distribuídos em: duas disciplinas de 1 (hum) crédito, três disciplinas de 2 (dois)
créditos, duas disciplinas de 4 (quatro) créditos e uma disciplina de 6 (seis) créditos. Tal fato
dificultava imensamente o gerenciamento e distribuição desses componentes curriculares
entre os professores do DeMús, à cada semestre. Por isso, buscando trazer solução para este
problema, o presente PPP propõe, com base na legislação vigente o seguinte: a ampliação dos
créditos neste componente para as Práticas Interpretativas (instrumento, canto e regência), que
passam de 22 (vinte e dois) créditos para 32 (trinta e dois) créditos, os quais serão ofertados
em oito disciplinas com 4 (quatro) créditos, cada. Na habilitação composição, serão 28 (vinte)
créditos, sendo ofertados em sete disciplinas de 4 (quatro) créditos.

IV. MARCO TEÓRICO

A Paraíba, especificamente a sua capital tem uma história musical muito intensa, se
verificarmos o início do século XX, encontraremos por exemplo, o Instituto Spencer, um
estabelecimento de ensino musical que foi responsável pela formação artística de muitos
jovens paraibanos. Entre eles, Gazzi de Sá, que embora não tenha iniciado seus estudos nesta
escola, mas a reconheceu quando retornou do Rio de Janeiro, depois de ter estudado com os
grandes mestres do piano. Estudou neste Instituto em 1923, com uma pianista alemã Maya
Fauser, pouco antes de se tornar professor de piano.
Nascido em João Pessoa, Gazzi de Sá é o seu filho musicalmente ilustre, do ponto de
vista de ter lutado pela música e pela educação musical na Paraíba (SILVA, 2006). É
impossível não historiar sobre Gazzi de Sá se pretendemos desenvolver qualquer tipo de
12

comentário sobre a educação musical da Paraíba, pois o seu nome se confunde com esse
termo, foi ele quem alicerçou na década de 1930, todo esse movimento musical que temos
hoje. A sua preocupação não era só com a performance, criou um método de musicalização,
hoje não tão conhecido pelos paraibanos, só por uma geração mais antiga, pois ele partiu da
Paraíba em 1947, mas no Rio de Janeiro, onde fixou residência, o método é bastante
conhecido e adotado. Foi lá que o aperfeiçoou e teve como passá-lo para seus alunos e
seguidores. Foi Gazzi de Sá o responsável na Paraíba pelo movimento de canto orfeônico,
quando foi projetado no Rio de Janeiro por Villa-Lobos.
Faremos um pequeno resumo para se ter uma idéia de como aconteceu esse processo
de envolvimento de Gazzi de Sá com o grande projeto de canto orfeônico criado por Villa-
Lobos, inicialmente no Distrito Federal do Rio de Janeiro e depois ampliado para o restante
do Brasil, com a obrigatoriedade de música nas escolas, por decreto de lei do Presidente
Getúlio Vargas.
Quando Gazzi de Sá retorna do Rio de Janeiro em 1923, em pouco tempo se torna
professor de piano e apresenta a primeira audição de seus alunos (1925). Porém, é em 1929
que a história musical começa a tomar um novo rumo, com a criação de uma escola de música
em sua casa, chamada de Curso de Piano Soares de Sá: o sobrenome Soares da sua esposa
(Ambrosina Soares), que era professora de piano, teoria, coral e dança e Sá, do seu nome
(Gazzi Galvão de Sá), que era professor de piano, teoria e coral.
No ano seguinte, a Escola já apresenta uma audição de seus alunos, denominada
Audição Villa-Lobos, com peças apenas desse compositor. Esta audição, que foi a primeira
audição exclusiva de peças do compositor em nosso Estado, ainda quase desconhecido pela
população, teve como palestrante um amigo de infância de Gazzi de Sá, Anthenor Navarro.
Anthenor Navarro era um amante das artes e principalmente da música. Nesta época dos
acontecimentos (1930), Anthenor Navarro apoiava o candidato João Pessoa para vice-
presidente da República, na chapa de Getúlio Vargas que era candidato à presidência. João
Pessoa era o Presidente da Paraíba, denominação da época para o cargo de Governador do
Estado.
Com a morte de João Pessoa e o desencadeamento da revolução de 1930, Anthenor
Navarro é nomeado para o cargo de primeiro Interventor da Paraíba. E logo em seguida, ele
incentiva o seu amigo Gazzi de Sá a mudar o nome da sua escola de Curso de Piano Soares de
Sá, para Escola de Música, cedendo uma casa do Estado para a escola, com carteiras, quadros
e uma pianola. No ano seguinte (1931), Anthenor Navarro já planejava uma futura construção
de uma sede própria para a Escola, mas esse sonho dos dois amigos não se realizou. Anthenor
13

Navarro morre em um acidente aéreo, em uma viagem a trabalho em 1932 e, para homenagear
o amigo, Gazzi de Sá mudou o nome da escola, passando a denominá-la de Escola de Música
Anthenor Navarro (SILVA, 2006). Segue então, Gazzi de Sá sem o seu grande incentivador, e
tudo começa a acontecer no campo da música passando pela Escola de Música Anthenor
Navarro.
Após o início, no Rio de Janeiro, do projeto de canto orfeônico criado por Villa-
Lobos, em 8 de abril de 1931, Gazzi de Sá, que mantinha contato com Villa-Lobos, também
iniciou processo aqui1. No Rio de Janeiro foi criada a SEMA (Superintendência de Educação
Musical e Artística) junto com o decreto de obrigatoriedade de música nas escolas. A SEMA
era o órgão responsável pela supervisão, orientação e programação dadas aos professores para
o ensino de música nas escolas, tendo como Superintendente Villa-Lobos. Na Paraíba foi
criada, um pouco mais tarde, a Superintendência de Educação Artística - SEA (1935), que
tinha as mesmas funções da SEMA. O Superintendente era Gazzi de Sá, que supervisionava
pessoalmente todas as escolas e fazia as concentrações orfeônicas das mesmas na praça João
Pessoa.
Gazzi de Sá saiu da Paraíba em 1947, para ensinar no Conservatório Nacional de
Canto Orfeônico do Rio de Janeiro (SILVA, 2006). A partir daí, as concentrações orfeônicas
na Paraíba aconteceram sob a regência de Luzia Simões, uma ex-aluna de Gazzi de Sá que
assumiu todas as suas atividades musicais na Paraíba. Em 1952 foi criado o Conservatório de
Canto Orfeônico da Paraíba e também foi oficializada a Escola de Música Anthenor Navarro.
O Conservatório funcionava nas dependências da Escola de Música e se manteve até 1963.
Isto é um resumo de como aconteceu todo esse processo de ensinamento da música
nas escolas de João Pessoa, seguindo o que acontecia no país. Começou em 1932 e encerrou
em 1963, no formato ainda dos ensinamentos do Conservatório de Canto Orfeônico, que era
responsável pela formação de professores para ensinar nas escolas. O Conservatório
permaneceu ainda por um ano, apesar de ter iniciado em 1962 a lei estabelecida de 1961.
Assunto que tratarei a seguir.
O governo faz mudanças nas leis de ensino com a implantação da Lei de Diretrizes de
Bases – LDB, Lei 4024/61(BRASIL, 1961).

Com a implantação da lei, o Canto Orfeônico criado por Villa-Lobos, passou a ser
dado nas escolas como Educação Musical. Preocupados com a nova forma de ensino
da música, músicos e pedagogos publicaram métodos e livros para uso nas escolas
(CUNHA, 1995).

1
Na Paraíba é decretado em 26 de abril de 1932.
14

Posteriormente essa lei foi reformulada. O Conselho Federal de Educação resolveu


substituir a Educação Musical pela Educação Artística ou o ensino de Artes integradas
(plástica, cênica e música), conforme ao artigo 7º da lei 5692 de agosto de 1971 (BRASIL,
1971), sancionada pelo Presidente Emílio Garrastazu Médici (CUNHA, 1995).
Na perspectiva de preparar o professor para o ensino de 1º e 2° graus, o Curso de
Educação Artística nas universidades, não conseguiu bons resultados, os alunos não saiam
preparados para ensinar as três áreas, quando se deparavam nas escolas tendo que ter um
ensino polivalente, só conseguiam lidar com sua área afim. Assim menciona Cunha:

Apesar da intenção ter sido boa e a música ter dado um passo à frente como arte, o
ensino nas escolas de educação geral se tornou, cada vez mais decadente e
distorcido, possivelmente, por falta de espaço de professores suficientemente
habilitados ou mesmo, por ser desnecessário no conceito de educadores. Assim, a
Educação Artística tornou-se optativa nas escolas, na maioria das quais, ela tem sido
omissa e em algumas, dada como simples recreação ou como atividade artesanal
(CUNHA, 1995).

Uma nova lei em 1996 acaba com a nomenclatura Educação Artística e estabelece o
ensino de Artes, com obrigatoriedade curricular em todos os níveis de escolaridade básica.
Trata-se da Lei 9394/96 da LDB.
A criação da Associação Brasileira de Educação Musical – ABEM em 1991 foi de
grande importância para as discussões dos educadores musicais, em reflexão sobre as práticas
e métodos utilizados, problemática no ensino da música e publicações de textos em suas
revistas e anais sobre as mais diversas experiência musicais em diversos meios. Bem como o
empenho nos encaminhamentos da ABEM que foi de fundamental importância na luta para
conseguir a atual obrigatoriedade da música nas escolas, com a nova Lei 11.769, sancionada
pelo presidente, em 18 de agosto de 2008.
A Paraíba manteve-se ativa no campo da música, desde o canto orfeônico que teve o
seu ponto alto nas décadas de 1930 e 1940 com Gazzi de Sá e também no ensino do
instrumento, não apenas voltado ao piano, o instrumento que Gazzi de Sá tocava. A Escola de
Música Anthenor Navarro, que completa em 2009, 78 anos de existência, ampliou o ensino de
instrumentos e hoje ensina quase todos os instrumentos de orquestra.
Diante deste contexto musical é criado em 1978 o Departamento de Música da UFPB,
e no ano seguinte de 1979 o Bacharelado em Música desta universidade. É um departamento
que ensina todos os instrumentos de orquestra, além de piano, violão, saxofone, canto e
composição. Nestes quase trinta anos de existência tem se destacado nacionalmente e
internacionalmente. Se destaca na formação de músicos e abastece as orquestras de todo o
15

país. Outro destaque é para os diversos alunos que terminam o bacharelado e se tornam
professores de outras Universidades Federais do Brasil (UFRN, UFPE, entre outras).
O exercício integrado das ações de ensino, pesquisa de teoria e prática, conforme
previstos nesse PPP determinará ações que deverão garantir espaços curriculares, tempos e
meios necessários à construção dos conhecimentos experienciais inerentes à atuação do
professor de música, anulando, assim, a velha dicotomia teoria x prática.
Esse Projeto não fica indiferente ao grande desafio educacional que diz respeito ao
como lidar com o ritmo das mudanças tecnológicas e do conhecimento (ex. rapidez) nos dias
atuais. A aliança entre o global e o local, a valorização da pesquisa bem como a articulação
entre cognição e afetividade e a formação estética voltada para a dimensão humana, deverão
estar sempre presentes, principalmente pela consideração de seus “alvos”: seres
historicamente constituídos e, enquanto tais, humanos e sociais, políticos e éticos.
Sintetizam-se, pois, os pressupostos metodológicos do currículo proposto em uma
formação que valoriza o professor de Práticas Interpretativas da Música numa concepção
epistemológica de música como cognição e práxis erigida sobre os pilares do Fazer, do Ler e
do Contextualizar. Essa articulação manifesta-se, no campo dos conteúdos curriculares, por
exemplo, pela adoção das Classes de Instrumento, disseminadas ao longo do curso. Como se
pode verificar no fluxograma, estas funcionarão como principal eixo articulador entre a teoria
e a prática (percepção de unidade).
Adicionando-se ao exposto o reconhecimento de que há múltiplas maneiras de auxiliar
o aluno na construção dos conhecimentos (visão plurimetodológica), podemos resumir o eixo
metodológico deste Projeto como constituído de valorização da postura investigativa e da
prática como componente curricular, com todas as implicações da relação dialógica interna
que caracteriza o binômio: teoria x prática.

V. OBJETIVOS

O Curso de Graduação em Música – Bacharelado, do Campus I da UFPB, visa formar


profissionais com uma sólida formação artística, humanística e científica nas áreas de Práticas
Interpretativas e de Composição, potencializando suas capacidades musicais, críticas e
criativas para que possam desenvolver condições para releitura de obras musicais compostas
ou para gênese de obras musicais originais.
Este Curso tem objetivos específicos de:
• Atender às demandas profissionais oriundas dos mais diversificados meios musicais
em termos de instrumentistas, cantores e compositores.
16

• Formar intérpretes – instrumentistas e cantores, com qualificação otimizada para o


exercício de seu ofício.
• Formar compositores com capacidade criativa para responder ao meio musical com
êxito.
• Desenvolver a capacidade reflexiva para conduzir pesquisa científica em música.
• Habilitar professores para o ensino da música em Instituições de Ensino Superior.

VI. COMPETÊNCIAS, ATITUDES E HABILIDADES

Entende-se por competência, nesse PPP, a capacidade de mobilizar, articular e colocar


em ação valores, conhecimentos e habilidades necessários para o desempenho de atividades
requeridas pelo trabalho músico-pedagógico. Estas competências, aliadas ao ideal de
desenvolvimento humano, nas dimensões artísticas, culturais, científicas e tecnológicas,
compõem-se como a seguir:

 Identificar e aplicar, articuladamente, os componentes da linguagem


musical;

 Lidar adequadamente (caracterização, escolha e manipulação) com os


elementos materiais (sons, gestos, texturas) e com as bases formal e
cognitiva presentes nas obras musicais;

 Incorporar à prática pedagógico-musical o conhecimento das


transformações e rupturas conceituais históricas da área de música;

 Utilizar criticamente novas tecnologias na interpretação artística e na


prática pedagógico-musical;

 Conceber, organizar e interpretar roteiros e instruções para a realização de


projetos musicais;

 Demonstrar base pedagógico-musical consistente, que permita assimilar


inovações e mudanças na práxis pedagógica;

 Adotar uma postura investigatória, reflexiva e criativa diante de suas


atividades, sendo capaz de produzir conhecimento.

Estas competências, ao lado de outras sugeridas no documento “Diretrizes Gerais para


as Licenciaturas – SESu/99”, são consideradas essenciais para a atuação do professor,
17

devendo orientar as ações de formação no Curso Licenciatura em Práticas Interpretativas.


Pautadas em princípios de ética democrática (participação, diálogo, responsabilidade entre
outros), as ações pedagógicas, nesse curso, guiarão o licenciando em direção à capacidade de
planejar, gerir e avaliar situações didáticas, utilizando o conhecimento específico da área
(musical) bem como de temáticas transversais, especialmente nas interfaces com o ensino-
aprendizagem.
Além das competências básicas de músico como: possuir domínio dos fundamentos da
música, tendo um conhecimento amplo de sua história e de suas principais manifestações em
diversas culturas; possuir os domínios necessários para se expressar musicalmente com um
instrumento ou com a voz, sendo capaz de atuar em performance e atividades musicais;
elaborar e implantar projetos de formação, direção e acompanhamento de grupos musicais,
entre outras, algumas competências pedagógicas serão igualmente requeridas:

 Planejar e administrar atividades sistemáticas de ensino músico-instrumental


(práticas interpretativas);
 Ensinar conteúdos fundamentais da música no que se refere à história, apreciação,
teoria, práticas interpretativas (instrumental, voz ou regência) e percepção;
 Desenvolver estruturas de ensino que possibilitem novos caminhos para o ensino
de práticas interpretativas em música;
 Conceber, desenvolver e incentivar o desenvolvimento de material didático-
musical original, adequado às necessidades de estilos, contextos e condições de
trabalho;
 Valer-se das oportunidades pedagógicas em sala de aula e das realizações musicais
próprias da realidade social, a fim de promover um trabalho de conscientização e
desenvolvimento de potencialidades humanas, dirigido para o aprimoramento da
interpretação musical;
 Realizar pesquisas voltadas para a área do ensino da música
instrumental/vocal/regência, tendo como base a realidade cultural e as
necessidades do mundo contemporâneo;
 Ser capaz de conduzir sua formação em processos de aprendizagem contínua, que
lhe permita “aprender a aprender”, para que assim possa construir as bases
necessárias para as particularidades de sua prática educacional.
18

VII. PERFIL DO PROFISSIONAL

O Bacharel em Música – Intérprete – será fundamentalmente um musicista com ampla


capacidade de atuação profissional dentro da sua área específica.
O Intérprete (Regente, Instrumentista ou Cantor) será o profissional capaz de:
 Atuar como regente e músico nas mais variadas formações de grupos musicais;
 Atuar como solista em recitais, concertos e espetáculos em geral;
 Atuar como pesquisador em música;
 Reconhecer e refletir sobre o seu papel dentro da história universal e da sociedade
atual;
 Conhecer e compreender o processo criativo, histórico, estético e social da música
de modo geral;
 Identificar e comparar características fundamentais de obras musicais, como
gênero, forma, época e estilo.
O Bacharel em Música - Compositor será o profissional capaz de:
 Utilizar os conhecimentos técnicos para propiciar a gênese de obras musicais;
 Atuar como pesquisador em música;
 Atuar no nos mais diversos aspectos da criação musical demandados pelo
mercado de trabalho;
 Reconhecer e refletir sobre o seu papel dentro da história universal e na
sociedade atual;
 Conhecer e compreender o processo criativo, histórico, estético e social da
música de modo geral;
 Identificar e comparar características fundamentais de obras musicais, como
gênero, forma, época e estilo.

VIII. CAMPO DE ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL

O Bacharel em Música – Intérprete, Compositor ou Regente – poderá atuar, como


musicista, de forma autônoma ou engajar-se em qualquer entidade ou instituição que realize
atividades musicais. Deste modo, o egresso deste curso estará capacitado para atuar em
Grupos orquestrais e camerísticos; Departamentos, Secretarias e Fundações Culturais; igrejas;
associações comunitárias; emissoras de mídia; Faculdades e Universidades; e demais espaços
formais ou informais da atividade musical.
19

IX. OPERACIONALIZAÇÃO

A operacionalização do curso estará orientada pelas Diretrizes Curriculares Nacionais


(Parecer CES/CNE nº 0146 de 03/04/2002) que enfatizam a formação de nível superior como
um processo contínuo, autônomo e permanente para que o estudante obtenha uma formação
sólida em conteúdos básicos e profissionais capacitando-o a responder, com êxito, às
demandas emergentes das transformações sócio-culturais.

1. Das modalidades

A Habilitação em Composição obedecerá à mesma base curricular referida


anteriormente, porém, pela sua natureza criativa, seus conteúdos profissionais distintivos
serão: Procedimentos Composicionais I-III, Tutorial de Composição I-V, Instrumentação,
Orquestração, Transcrição e Arranjo, Computação Aplicada à Música, Música Eletroacústica,
e Música Incidental.
A Habilitação em Práticas Interpretativas em Música se subdivide em três subáreas:
Instrumento, Regência e Canto. A subárea de Instrumento abrange todas as Habilitações nos
instrumentos de orquestra (violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta transversal, oboé,
clarineta, fagote, trompa, trompete, trombone, tuba, percussão e harpa, bem como, violão,
saxofone, cravo e piano.
A nova subárea de Regência, a ser incluída na Habilitação em Práticas Interpretativas
obedecerá à mesma base curricular referida anteriormente, porém, pela especificidades, seus
conteúdos profissionais distintivos serão: Regência I-VIII, Instrumentação, Orquestração,
Transcrição e Arranjo, Computação Aplicada à Música, Música Eletroacústica, e Música
Incidental.
A Harpa representará uma nova opção desta Habilitação que, pela sua natureza
interpretativa, situa-se em igualdade aos seus pares de instrumentos.

2. Do Ingresso

A forma de ingresso na Graduação em Música realizar-se-á através do Processo


Seletivo Seriado – PSS, cuja regulamentação está subordinada às diretrizes gerais desta
Universidade. Além do PSS, o candidato terá de realizar uma prova específica de música
(Processo Seletivo de Música – PSM) regulamentada pelo Colegiado do Curso, composta de
questões teóricas e práticas, gerais e específicas compreendendo os conteúdos de acordo com
a escolha da subárea.
20

3. Do Corpo Docente

NOME ÁREA DE ATUAÇÃO TÍTULO


1. Albérgio Claudino Diniz Soares Violão Doutorando
2. Ariana Perazzo da Nóbrega Viola Mestra
3. Ayrton Muzel Benck Filho Trompete Doutor
4. Carlos Anísio de Oliveira e Silva Regência, Canto Coral, História Mestre
da Música
5. Carlos Rieiro Clarinete Graduado
6. Cisneiro Soares de Andrade Trompa, Percepção Mestre
7. Didier Jean Georges Guigue História da Música, Estruturação Doutor
e Análise Musical
8. Eli-Eri Luiz de Moura Estruturação e Análise Musical, Doutor
Composição, Harmonia
9. Eurides de Souza Santos Etnomusicologia, Flauta Doce, Doutora
Percepção
10. Felipe José Avellar de Aquino Violoncelo Doutor
11. Francisco Xavier de Souza Neto Percussão Graduado
12. Geraldo Dias da Rocha Júnior Regência, Flauta, Percepção Graduado
13. Gilson Uehara Gimenez Antunes Violão Mestre
14. Gláucio Xavier da Fonseca Trompete Doutor
15. Gustavo Gines de Paco de Géa Flauta Graduado
16. Harue Tanaka Piano Doutoranda
17. Heleno Feitosa Costa Filho Fagote, Saxofone Graduado
18. Heloisa Müller História da Música, Piano e Doutora
Cravo
19. Hermes Cuzzuol Alvarenga Violino Doutor
20. Ibaney Chasin Estruturação e Análise Musical, Doutor
História da Música
21. João Johnson dos Anjos Oboé, Percepção Musical Graduado
22. Jorge Alessandro Castor de Lima Violão, Percepção, Estruturação e Graduado
Análise Musical
23. José Augusto Maropo Flauta Graduado
24. José de Arimatéia Formiga Veríssimo Saxofone, Clarinete Mestre
25. José Henrique Martins Piano Doutor
26. José Orlando Alves Estruturação e Análise Musical, Doutor
Composição, Harmonia
27. José Vianey dos Santos Canto, Técnica Vocal Doutor
28. Lara Venusta de Almeida Lemos Violino Mestranda
29. Liduíno José Pitombeira de Oliveira Estruturação e Análise Musical, PhD
Composição, Harmonia
30. Luceni Caetano da Silva Flauta, Flauta Doce Doutora
31. Luciana Noda Piano Doutoranda
32. Luciano Carneiro de Lima e Silva Contrabaixo Doutor
33. Maurílio José Albino Rafael Piano, Acompanhamento ao Doutor
Piano
34. Marília Cahino Bezerra Piano Mestre
35. Mônica Moreira Cury Harpa, Percepção Mestra
36. Radegundis Feitosa Nunes Trombone Doutor
37. Roberto Carlos Di Leo Oboé Graduado
38. Samuel Espinoza Galvez Viola Graduado
21

39. Sandoval Moreno de Oliveira Trombone, Regência, História da Graduado


Música
40. Sandra Kalina Martins Cabral de Aquino Violino Mestra
41. Valmir Vieira da Silva Tuba, Percepção Musical Graduado
42. Vânia Cláudia da Gama Camacho Piano Mestra
43. Yerko Pinto Tabilo Violino Graduado

4. Do Corpo Técnico-Administrativo

NOME SETOR
1. Dalva Maria de Freitas Tó-Kaipp Secretaria do Bacharelado
2. Estevam Henrique de Oliveira Vilar, Biblioteca Setorial
3. Fernando Luiz Pereira de Brito, Secretaria do Departamento
4. Jairo Pessoa dos Santos Lima Extensão
5. João Leite Ferreira Extensão
6. Maria Helena de Araújo Soares, Secretaria do Departamento
7. Maricélia Ribeiro Secretaria do Departamento
8. Pedro de Lima Souza Lutheria
9. Rosângela Coelho Secretaria do Bacharelado
10. Rossini Arruda Teixeira, Secretaria do Departamento
11. Severina Oliveira da Silva Biblioteca Setorial
12. Wellington Fernando Barbosa Lutheria

5. Da Infra-Estrutura Física

5.1. O Departamento de Música da UFPB conta com trinta e três salas de aula com
aparelhos de ar-condicionado e tratamento acústico necessários para viabilizar as disciplinas,
inclusive, as aulas individuais de instrumento.
5.2. Biblioteca Setorial Prof. José Alberto Kaplan com cerca de 7.000 títulos,
incluindo livros, periódicos, partituras, CDs, LPs e vídeos, além do The New Grove
Dictionary of Music and Musicians, adquirido em 2006, a maior e mais abrangente publicação
de referência em música do mundo, composto por 29 volumes. Esta Biblioteca encontra-se
com um projeto em fase de execução, no qual já foram investidos mais de trinta e dois mil
reais na compra de livros, vídeos, assinatura de periódicos e compra de equipamentos, com
computador e impressora.
5.3. Biblioteca Vanildo Brito de Ciências Humanas, com mais de 10.500 títulos.
5.4. Laboratório de Práticas Interpretativas Prof. Gerardo Parente, que consiste em
auditório climatizado, com capacidade para 100 pessoas. Será ampliado para acomodar 300
pessoas, de acordo com projeto em elaboração que também prevê a aquisição de um piano de
concerto.
5.5. COMPOMUS, Laboratório de Composição Musical vinculado aos Departamentos
de Música e de Artes (CCHLA), e à Coordenação de Extensão Cultural (PRAC) da UFPB.
22

5.6. Laboratório do Grupo de Pesquisas em Musicologia, Sonologia & Computação, Mus³,


coordenado pelo Prof. Didier Guigue. Funcionando na Sala 2 do DeMús.
5.7. Ambiente para professores e alunos de pós-graduação.
5.8. Salas de Estudo: 25 salas de aula estarão disponíveis para serem utilizadas pelo
corpo discente, em horários não designados às atividades docentes.
5.9. Auditórios do CCHLA (auditórios 411 e 412), com capacidade para cerca de cem
pessoas, podendo ser utilizados na realização de conferências, congressos e seminários.

6. Integração com a Pós-Graduação

O Programa de Pós-Graduação em Música da UFPB (PPGM), em nível de Mestrado, é


regido por Regulamento aprovado pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão –
CONSEPE– da Universidade Federal da Paraíba, através da Resolução Nº 43/2003 de 17 de
outubro de 2003. O PPGM foi recomendado pelo Conselho Técnico Científico da CAPES em
março de 2004, tendo sido avaliado com conceito 3. Apesar do pouco tempo de abertura do
PPGM, este conta, neste semestre de 2006, com o número de 25 estudantes sendo
provavelmente a Pós-Graduação mais abrangente do país.
A Coordenação do PPGM vem buscando a integração entre Graduação e Pós-
Graduação, através de ações que viabilizem a transição do estudante da primeira para a
segunda. Desta forma, muitos discentes do Curso de Bacharelado em Música da UFPB
freqüentam Disciplinas ofertadas pelo PPGM, como ouvintes, notadamente a disciplina de
Metodologia de Pesquisa em Música. Além disso, alguns dos candidatos não aprovados na
seleção são matriculados, com a devida anuência do professor, na categoria de aluno especial
do PPGM. Atualmente, vários estudantes do PPGM são egressos do Bacharelado em Música
da UFPB.

7. A Tutoria

Ao ingressar no Curso de Bacharelado em Música, o estudante terá um professor Tutor


que o acompanhará ao longo de sua vida acadêmica. A política de tutoria acadêmica será
objeto de portaria específica (Colegiado de Curso), observadas as orientações de normas
superiores (MEC, CONSEPE).

8. Estágio Supervisionado

Este Componente Curricular funcionará a partir do segundo semestre do curso e tem


como objetivo o ajuste entre a teoria e a prática para o desempenho profissional do egresso.
Serão estimulados os mais diversificados tipos de Estágio fora da Instituição e no próprio
23

DeMús que realiza, atualmente, várias atividades acadêmicas que poderão servir de forma
consolidada para a concretização do mesmo. Atividades realizadas em convênio com outras
Instituições privadas ou públicas (Secretarias, Fundações e Departamentos Municipais,
Estaduais e Federais) representam igual significância para fins do Estágio.

X. ESTRUTURA CURRICULAR

1. COMPOSIÇÃO CURRICULAR GERAL

a) Bacharelado em Práticas Interpretativas

Área: Instrumento ou Canto

Carga
Conteúdos Curriculares Créditos %
Horária

1. Conteúdos Básicos Profissionais 1200 80 50

2. Conteúdos Complementares
2.1 Conteúdos Complementares Obrigatórios 480 32 20
2.2 Conteúdos Complementares Optativos 270 18 11,2
2.3 Conteúdos Complementares Flexíveis 450 30 18,8

TOTAL 2.400 160 100

Área: Regência

Conteúdos Curriculares Carga Créditos %


Horária

1. Conteúdos Básicos Profissionais 1.290 86 51

2. Conteúdos Complementares
2.1 Conteúdos Complementares Obrigatórios 480 32 19
2.2 Conteúdos Complementares Optativos 270 18 11
2.3 Conteúdos Complementares Flexíveis 480 32 19

TOTAL 2.520 168 100

b) Bacharelado em Composição

Carga
Conteúdos Curriculares Créditos %
Horária
1. Conteúdos Básicos Profissionais
24

Carga
Conteúdos Curriculares Créditos %
Horária
1.1 Conteúdos Básicos Profissionais 960 64
1.2 Estágio Supervisionado: 300 20
1.260 84 50
2. Conteúdos Complementares
2.1 Conteúdos Complementares Obrigatórios: 540 36 21,5
2.2 Conteúdos Complementares Optativos: 240 16 09,5
Conteúdos Complementares Flexíveis 480 32 19
1.260 84 50,0
TOTAL 2.520 168 100%

2. COMPOSIÇÃO CURRICULAR POR CONTEÚDOS

2.1. BACHARELADO EM PRÁTICAS INTERPRETATIVAS DA MÚSICA

1. Conteúdos Básicos Profissionais


1.1. Comuns a todas sub-áreas
Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Contraponto Modal I 2 30 Nenhum
Contraponto Tonal I 2 30 Harmonia Tonal II
Estágio Supervisionado I 5 75 Nenhum
Estágio Supervisionado
Estágio Supervisionado II 5 75
I
Estágio Supervisionado
Estágio Supervisionado III 5 75
II
Estágio Supervisionado
Estágio Supervisionado IV 5 75
III
Estruturação e Análise Musical I 3 45 Harmonia Tonal II
Estruturação e Análise
Estruturação e Análise Musical II 3 45
Musical I
Estruturação e Análise
Musical II,
Estruturação e Análise Musical III 3 45
História da Música –
Clássico ao Romântico
Estruturação e Análise
Estruturação e Análise Musical IV 3 45
Musical III
Harmonia Tonal I 2 30 Nenhum
Harmonia Tonal II 2 30 Harmonia Tonal I
Contraponto Modal I
História da Música - Medieval ao Barroco 2 30
Harmonia Tonal I
História da Música –
Medieval ao Barroco,
História da Música - Classicismo ao Romantismo 2 30 Contraponto Tonal I,
Harmonia Tonal II e
Estruturação e Análise
25

1. Conteúdos Básicos Profissionais


1.1. Comuns a todas sub-áreas
Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Musical I
Estruturação e Análise
Musical III e História da
História da Música - Moderna à Contemporânea 2 30
Música Classicismo ao
Romantismo
História da Música –
História da Música Brasileira 2 30 Moderna à
Contemporânea
TOTAIS 48 720 -

1.2. Específicos da Sub-área: Instrumento


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Classe de Instrumento I 2 30 Nenhum
Classe de Instrumento II 2 30 Nenhum
Classe de Instrumento III 2 30 Nenhum
Classe de Instrumento IV 2 30 Nenhum
Classe de Instrumento V 2 30 Nenhum
Classe de Instrumento VI 2 30 Nenhum
Classe de Instrumento VII 2 30 Nenhum
Classe de Instrumento VIII 2 30 Nenhum
Instrumento I 2 30 Nenhum
Instrumento II 2 30 Instrumento I
Instrumento III 2 30 Instrumento II
Instrumento IV 2 30 Instrumento III
Instrumento V 2 30 Instrumento V
Instrumento VI 2 30 Instrumento V
Instrumento VII 2 30 Instrumento VI
Instrumento VIII 2 30 Instrumento VII
TOTAIS 32 480 -

1.4 Específicos da Sub-área: Canto


Carga
Disciplinas Créditos
Horária Pré-requisitos
Canto I 2 30 Nenhum
Canto II 2 30 Canto I
Canto III 2 30 Canto II
Canto IV 2 30 Canto III
26

1.4 Específicos da Sub-área: Canto


Carga
Disciplinas Créditos
Horária Pré-requisitos
Canto V 2 30 Canto IV
Canto VI 2 30 Canto V
Canto VII 2 30 Canto VI
Canto VIII 2 30 Canto VII
Classe de Canto I 2 30 Nenhum
Classe de Canto II 2 30 Nenhum
Classe de Canto III 2 30 Nenhum
Classe de Canto IV 2 30 Nenhum
Classe de Canto V 2 30 Nenhum
Classe de Canto VI 2 30 Nenhum
Classe de Canto VII 2 30 Nenhum
Classe de Canto VIII 2 30 Nenhum
32 480 -

1.3. Específicos da Sub-área: Regência


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Regência I 2 30 Nenhum
Regência II 2 30 Regência I
Regência III 2 30 Regência II
Regência IV 2 30 Regência III
Regência V 2 30 Regência IV
Regência VI 2 30 Regência V
Regência VII 2 30 Regência VI
Regência VIII 2 30 Regência VII
Instrumentação 2 30 Nenhum
Orquestração I 2 30 Instrumentação
Orquestração II 2 30 Orquestração I
Transcrição e Arranjo 2 30 Orquestração II
Computação Aplicada à Música I 2 30 Nenhum
Computação Aplicada à
Música Eletroacústica 2 30
Música I
Música Incidental 2 30 Transcrição e Arranjo
Contraponto Modal II 2 30 Contraponto Modal I
Contraponto Tonal II 2 30 Contraponto Tonal I
Instrumento I (Piano/Composição) 2 30 Nenhum
27

Instrumento I
Instrumento II (Piano/Composição) 2 30
(Piano/Composição)
TOTAIS 38 570 -

1. Conteúdos Complementares Obrigatórios


2.1. Comuns todas sub-áreas
Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Percepção Musical I 2 30 Nenhum
Percepção Musical II 2 30 Percepção I
Percepção Musical III 2 30 Percepção II
Percepção Musical IV 2 30 Percepção III
Literatura Vocal/Instrumental/Orquestral 2 30 Nenhum
Música de Câmara I 3 45 Nenhum
Música de Câmara II 3 45 Música de Câmara I
Conjunto de Música Contemporânea I 3 45 Nenhum
Metodologia do Trabalho Científico 2 30 Nenhum
Metodologia do
Pesquisa Aplicada à Música 2 30
Trabalho Científico
Pesquisa Aplicada à
Trabalho de Conclusão de Curso I 3 45
Música
Trabalho de Conclusão
Trabalho de Conclusão de Curso II 3 45
de Curso I
29 435 -

2.2. Específicos da Sub-área: Instrumento ou Canto


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Música de Câmara III 3 45 Música de Câmara II

2.3. Específicos da Sub-área: Regência


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Conjunto de Música Contemporânea II 3 45 Nenhum

3 Conteúdos Complementares Optativos


Mínimo de Créditos/Carga Horária
Instrumento ou Canto: 18/270
Regência: 18/270
Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
28

3 Conteúdos Complementares Optativos


Mínimo de Créditos/Carga Horária
Instrumento ou Canto: 18/270
Regência: 18/270
Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Acompanhamento ao Piano I 2 30 Instrumento III
Acompanhamento ao
Acompanhamento ao Piano II 2 30
Piano I
Acompanhamento ao
Acompanhamento ao Piano III 2 30
Piano II
Alemão I 5 75 Nenhum
Alemão II 5 75 Alemão I
Antropologia da Cultura 2 30 Nenhum
Antropologia do Brasil 2 30 Nenhum
Aplicativos de Editoração de Partitura 2 30 Nenhum
Apreciação Musical 2 30 Nenhum
Canto Coral I 2 30 Nenhum
Canto Coral II 2 30 Canto Coral I
Canto Coral III 2 30 Canto Coral II
Canto Coral IV 2 30 Canto Coral III
Canto I 2 30 Nenhum
Canto II 2 30 Canto I
Computação Aplicada à Música I 2 30 Nenhum
Computação Aplicada à
Computação Aplicada à Música II 2 30
Música I
Dicção 2 30 Nenhum
Espanhol I 5 75 Nenhum
Espanhol II 5 75 Espanhol I
Estética 2 30 Nenhum
Estúdio de Ópera 6 90 Nenhum
Física e Psicofísica da Música 2 30 Nenhum
Ciência e Fisiologia da Voz 2 30 Nenhum
Flauta Doce I 2 30 Nenhum
Flauta Doce II 2 30 Nenhum
Flauta Doce III 2 30 Nenhum
Flauta Doce IV 2 30 Nenhum
Francês I 5 75 Nenhum
Francês II 5 75 Francês I
Inglês I 5 75 Nenhum
Inglês II 5 75 Inglês I
29

3 Conteúdos Complementares Optativos


Mínimo de Créditos/Carga Horária
Instrumento ou Canto: 18/270
Regência: 18/270
Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Instrumento Complementar I 2 30 Nenhum
Instrumento
Instrumento Complementar II 2 30
Complementar I
Instrumento
Instrumento Complementar III 2 30
Complementar II
Introdução à Etnomusicologia 2 30 Nenhum
Literatura Instrumental I 2 30 Nenhum
Literatura Instrumental II 2 30 Nenhum
Literatura Instrumental III 2 30 Nenhum
Literatura Orquestral I 2 30 Nenhum
Literatura Orquestral II 2 30 Nenhum
Literatura Orquestral III 2 30 Nenhum
Literatura Vocal I 2 30 Nenhum
Literatura Vocal II 2 30 Nenhum
Literatura Vocal III 2 30 Nenhum
Nivelamento Instrumental I 2 30 Nenhum
Nivelamento
Nivelamento Instrumental II 2 30
Instrumental I
Nivelamento
Nivelamento Instrumental III 2 30
Instrumental II
Nivelamento Vocal I 2 30 Nenhum
Nivelamento Vocal II 2 30 Nivelamento Vocal I
Nivelamento Teórico-Perceptivo I 2 30 Nenhum
Nivelamento Teórico-Perceptivo II 2 30 Nenhum
Português Instrumental 4 60 Nenhum
Regência I 2 30 Nenhum
Regência II 2 30 Regência I
Regência III 2 30 Regência I
Regência IV 2 30 Regência I
Sociologia da Arte 2 30 Nenhum
Técnica Vocal I 2 30 Nenhum
Técnica Vocal II 2 30 Nenhum
Técnica Vocal III 2 30 Nenhum
Técnica Vocal IV 2 30 Nenhum
30

4. Conteúdos Complementares Flexíveis


Mínimo de Créditos/ carga horária
Instrumento ou Canto: 30/450
Regência: 32/480
Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Tópicos Especiais em Música I 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música II 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música III 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música IV 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música V 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música VI 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música VII 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música VIII 4 60 Nenhum

2.3 BACHARELADO EM COMPOSIÇÃO

1. Conteúdos Básicos Profissionais


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Contraponto Modal I 2 30 Nenhum
Contraponto Tonal I 2 30 Harmonia Tonal II
Harmonia Tonal I 2 30 Nenhum
Harmonia Tonal II 2 30 Harmonia Tonal I
Estruturação e Análise Musical I 3 45 Harmonia Tonal II
Estruturação e Análise
Estruturação e Análise Musical II 3 45
Musical I
Estruturação e Análise
Musical II,
Estruturação e Análise Musical III 3 45
História da Música –
Clássico ao Romântico
Estruturação e Análise
Estruturação e Análise Musical IV 3 45
Musical III
Contraponto Modal I
História da Música - Medieval ao Barroco 2 30
Harmonia Tonal I
História da Música –
Medieval ao Barroco,
Contraponto Tonal I,
História da Música - Classicismo ao Romantismo 2 30
Harmonia Tonal II e
Estruturação e Análise
Musical I
Estruturação e Análise
Musical III e História da
História da Música - Moderna à Contemporânea 2 30
Música Classicismo ao
Romantismo
História da Música -
História da Música Brasileira 2 30
Moderna à
31

1. Conteúdos Básicos Profissionais


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Contemporânea
Estágio Supervisionado I 5 75 Nenhum
Estágio Supervisionado II 5 75 Nenhum
Estágio Supervisionado III 5 75 Nenhum
Estágio Supervisionado IV 5 75 Nenhum
Procedimentos Composicionais I 2 30 Nenhum
Procedimentos
Procedimentos Composicionais II 2 30
Composicionais I
Procedimentos
Procedimentos Composicionais III 2 30
Composicionais II
Procedimentos
Tutorial de Composição I 2 30
Composicionais III
Tutorial de Composição II 2 30 Tutorial de Composição I
Tutorial de Composição III 2 30 Tutorial de Composição II
Tutorial de Composição
Tutorial de Composição IV 2 30
III
Tutorial de Composição
Tutorial de Composição V 2 30
IV
Instrumentação 2 30 Nenhum
Orquestração I 2 30 Instrumentação
Orquestração II 2 30 Orquestração I
Transcrição e Arranjo 2 30 Nenhum
Computação Aplicada à Música I 2 30 Nenhum
Música Eletroacústica 2 30 Nenhum
Música Incidental 2 30 Nenhum
Contraponto Modal II 2 30 Contraponto Modal I
Contraponto Tonal II 2 30 Contraponto Tonal I
Harmonia Avançada 2 30 Harmonia Tonal II
84 1260 -

2 Conteúdos Complementares Obrigatórios


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Percepção Musical I 2 30 Nenhum
Percepção Musical II 2 30 Percepção Musical I
Percepção Musical III 2 30 Percepção Musical II
Percepção Musical IV 2 30 Percepção !"#$%&' III
Literatura Vocal/Instrumental/Orquestral 2 30 Nenhum
32

Conjunto de Música Contemporânea I 3 45 Nenhum


Conjunto de Música
Conjunto de Música Contemporânea II 3 45
Contemporânea I
Conjunto de Música
Conjunto de Música Contemporânea III 3 45
Contemporânea Ii
Conjunto de Música
Conjunto de Música Contemporânea IV 3 45
Contemporânea III
Metodologia do Trabalho Científico 2 30 Nenhum
Metodologia do
Pesquisa Aplicada à Música 2 30
Trabalho Científico
Tutorial de Composição
Trabalho de Conclusão de Curso I 3 45
III
Trabalho de Conclusão
Trabalho de Conclusão de Curso II 3 45
de Curso I
Instrumento I (Piano/Composição) 2 30 Nenhum
Instrumento I
Instrumento II (Piano/Composição) 2 30
(Piano/Composição)
36 540

3 Conteúdos Complementares Optativos (Mínimo de créditos: 16/carga horária: 240)


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Acompanhamento ao Piano I 2 30 Instrumento III
Acompanhamento ao
Acompanhamento ao Piano II 2 30
Piano I
Acompanhamento ao
Acompanhamento ao Piano III 2 30
Piano II
Alemão I 5 75 Nenhum
Alemão II 5 75 Alemão I
Antropologia da Cultura 2 30 Nenhum
Antropologia do Brasil 2 30 Nenhum
Aplicativos de Editorial de Partitura 2 30 Nenhum
Apreciação Musical 2 30 Nenhum
Canto Coral I 2 30 Nenhum
Canto Coral II 2 30 Canto Coral I
Canto Coral III 2 30 Canto Coral II
Canto Coral IV 2 30 Canto Coral III
Canto I 2 30 Nenhum
Canto II 2 30 Canto I
Computação Aplicada à
Computação Aplicada à Música II 2 30
Música I
Dicção 2 30 Nenhum
Espanhol I 5 75 Nenhum
33

3 Conteúdos Complementares Optativos (Mínimo de créditos: 16/carga horária: 240)


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Espanhol II 5 75 Nenhum
Estética 2 30 Nenhum
Estúdio de Ópera 6 90 Nenhum
Física e Psicofísica da Música 2 30 Nenhum
Ciência e Fisiologia da Voz 2 30 Nenhum
Flauta Doce I 2 30 Nenhum
Flauta Doce II 2 30 Nenhum
Flauta Doce III 2 30 Nenhum
Flauta Doce IV 2 30 Nenhum
Francês I 5 75 Nenhum
Francês II 5 75 Nenhum
Inglês I 5 75 Nenhum
Inglês II 5 75 Nenhum
Instrumento Complementar I 2 30 Nenhum
Instrumento
Instrumento Complementar II 2 30
Complementar I
Instrumento
Instrumento Complementar III 2 30
Complementar II
Introdução à Etnomusicologia 2 30 Nenhum
Literatura Instrumental I 2 30 Nenhum
Literatura Instrumental II 2 30 Literatura Instrumental I
Literatura Instrumental
Literatura Instrumental III 2 30
II
Literatura Vocal I 2 30 Nenhum
Literatura Vocal II 2 30 Literatura Vocal I
Literatura Vocal III 2 30 Literatura Vocal II
Nivelamento Instrumental I 2 30 Nenhum
Nivelamento
Nivelamento Instrumental II 2 30
Instrumental I
Nivelamento Vocal I 2 30 Nenhum
Nivelamento Vocal II 2 30 Nivelamento Vocal I
Nivelamento Teórico-Perceptivo I 2 30 Nenhum
Nivelamento Teórico-Perceptivo II 2 30 Nenhum
Português Instrumental 4 60 Nenhum
Regência I 2 30 Nenhum
Regência II 2 30 Regência I
Regência III 2 30 Regência I
34

3 Conteúdos Complementares Optativos (Mínimo de créditos: 16/carga horária: 240)


Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Regência IV 2 30 Regência I
Sociologia da Arte 2 30 Nenhum
Técnica Vocal I 2 30 Nenhum
Técnica Vocal II 2 30 Nenhum
Técnica Vocal III 2 30 Nenhum
Técnica Vocal IV 2 30 Nenhum

4. Conteúdos Complementares Flexíveis


Mínimo de Créditos/ carga horária
32/480
Carga
Disciplinas Créditos Pré-requisitos
Horária
Tópicos Especiais em Música I 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música II 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música III 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música IV 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música V 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música VI 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música VII 4 60 Nenhum
Tópicos Especiais em Música VIII 4 60 Nenhum
32 480 -
35

Fluxograma: Curso de Bacharelado em Música –


Práticas Interpretativas: sub-área Instrumento ou Canto
1º Período 2º Período 3º Período 4º Período 5º Período 6º Período 7º Período 8º Período

Instrumento/Canto
Instrumento/Canto I Instrumento/Canto II Instrumento/Canto III Instrumento/Canto IV Instrumento/Canto V Instrumento/Canto VI Instrumento/Canto VII
VIII
2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr.
2 cr.
Classe de
Classe de Classe de Classe de Classe de Classe de Classe de Classe de
Instrumento/Canto
Instrumento/Canto I Instrumento/Canto II Instrumento/Canto III Instrumento/Canto IV Instrumento/Canto V Instrumento/Canto VI Instrumento/Canto VII
VIII
2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr.
2 cr.

Literatura
Percepção Musical I Percepção Musical II Percepção Musical III Percepção Musical IV Vocal/Instrumental/Orq
2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. uestral
2 cr.

Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos


4 cr. 4 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr.

História da Música História da Música História da Música História da Música


M-B C-R M-C Brasileira
2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr.

Contraponto Modal I Contraponto Tonal I


2 cr. 2 cr.

Conjunto de Música
Harmonia Tonal I Harmonia Tonal II Música de Câmara I Música de Câmara II Música de Câmara III
Contemporânea I
2 cr. 2 cr. 3 cr. 3 cr. 3 cr.
3 cr.

Metodologia do Pesquisa Aplicada à Estruturação e Análise Estruturação e Análise Estruturação e Análise Estruturação e Análise
TCC I TCC II
Trabalho Científico Música Musical I Musical II Musical III Musical IV
3 cr. 3 cr.
2 cr 2 cr. 3 cr. 3 cr. 3 cr. 3 cr.

Estágio Supervisionado Estágio Supervisionado Estágio Estágio


I II Supervisionado III Supervisionado IV
5 cr. 5 cr. 5 cr. 5 cr.
Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em
Música I Música II Música III Música IV Música V Música VI Música VII Música VIII
4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 2 cr. 4 cr. 4 cr.
20 20 20 20 23 21 20 16
CARGA HORÁRIA TOTAL = HORAS/AULA: 2.400 – CRÉDITOS: 160
Básicos Complementares Optativos Flexíveis
36

Fluxograma: Curso de Bacharelado em Música –


Práticas Interpretativas: sub-área Regência
1º Período 2º Período 3º Período 4º Período 5º Período 6º Período 7º Período 8º Período

Regência I Regência II Regência III Regência IV Regência V Regência VI Regência VII Regência VII
2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr

Computação Aplicada à
Instrumentação Orquestração I Orquestração II Transcrição e Arranjo Música Eletroacústica Música Incidental
Música I
2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr
2 cr

Literatura
Percepção Musical I Percepção Musical II Percepção Musical III Percepção Musical IV Vocal/Instrumental/Orq
2 cr 2 cr 2 cr 2 cr uestral
2 cr
História da Música História da Música
História da Música M-B História da Música M-C
C-R Brasileira
2 cr 2 cr
2 cr 2 cr

Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos


2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 4 cr

Contraponto Modal I Contraponto Modal II Contraponto Tonal I Contraponto Tonal II


2 cr 2 cr 2 cr 2 cr
Conjunto de Música Conjunto de Música
Harmonia Tonal I Harmonia Tonal II Música de Câmara I Música de Câmara II
Contemporânea I Contemporânea II
2 cr 2 cr 3 cr 3 cr
3 cr 3 cr

Metodologia do Pesquisa Aplicada à Estruturação e Análise Estruturação e Análise Estruturação e Análise Estruturação e Análise
TCC I TCC II
Trabalho Científico Música Musical I Musical II Musical III Musical IV
3 cr. 3 cr.
2 cr 2 cr 3 cr 3 cr 3 cr 3 cr

Instrumento I Instrumento II Estágio Supervisionado Estágio Supervisionado Estágio Supervisionado Estágio Supervisionado
(Piano/Composição) (Piano/Composição) I II III IV
2 cr 2 cr 5 cr 5 cr 5 cr 5 cr
Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em Tópicos Especiais em
Música I Música II Música III Música IV Música V Música VI Música VII Música VIII
4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr.
20 22 17 22 23 23 23 18

CARGA HORÁRIA TOTAL = HORAS/AULA: 2.520 – CRÉDITOS: 168


Básicos Complementares Optativos Flexíveis
Fluxograma: Curso de Bacharelado em Música
37

Composição
1º Período 2º Período 3º Período 4º Período 5º Período 6º Período 7º Período 8º Período

Procedimentos Procedimentos Procedimentos Tutorial de Tutorial de Tutorial de Tutorial de Tutorial de


Composicionais I Composicionais II Composicionais III Composição I Composição II Composição III Composição IV Composição V
2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr 2 cr

Transcrição e Computação Música


Instrumentação Orquestração I Orquestração II Música Incidental
Arranjo Aplicada à Música I Eletroacústica
2 cr 2 cr 2 cr 2 cr
2 cr 2 cr 2 cr

Literatura
Percepção Musical Percepção Musical Percepção Musical
Percepção Musical I Vocal/Instrumental/
II III IV
2 cr Orquestral
2 cr 2 cr 2 cr
2 cr

Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos Optativos


2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr. 2 cr.

História da Música História da Música História da Música História da Música


M-B C-R M-C Brasileira
2 cr 2 cr 2 cr 2 cr
Contraponto Modal Contraponto Modal Contraponto Tonal
Contraponto Tonal I
I II II
2 cr
2 cr 2 cr 2 cr
Conjunto de Música Conjunto de Música Conjunto de Música Conjunto de Música
Harmonia Tonal I Harmonia Tonal II Harmonia Avançada
Contemporânea I Contemporânea II Contemporânea III Contemporânea IV
2 cr 2 cr 2 cr
3 cr 3 cr 3 cr 3 cr

Metodologia do Pesquisa Aplicada à Estruturação e Estruturação e Estruturação e Estruturação e


TCC I TCC II
Trabalho Científico Música Análise Musical I Análise Musical II Análise Musical III Análise Musical IV
3 cr. 3 cr.
2 cr 2 cr 3 cr 3 cr 3 cr 3 cr

Instrumento I Instrumento II Estágio Estágio Estágio Estágio


(Piano/Composição) (Piano/Composição) Supervisionado I Supervisionado II Supervisionado III Supervisionado IV
2 cr 2 cr 5 cr 5 cr 5 cr 5 cr
Tópicos Especiais Tópicos Especiais Tópicos Especiais Tópicos Especiais Tópicos Especiais Tópicos Especiais Tópicos Especiais Tópicos Especiais
em Música I em Música II em Música III em Música IV em Música V em Música VI em Música VII em Música VIII
4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr. 4 cr.
20 22 19 22 23 23 23 16
CARGA HORÁRIA TOTAL = HORAS/AULA: 2.520 – CRÉDITOS: 168
Básicos Complementares Optativos Flexíveis
38

XI. EMENTÁRIO

CONTEÚDOS BÁSICOS PROFISSIONAIS

1. BACHARELADO EM PRÁTICAS INTERPRETATIVAS DA MÚSICA –


INSTRUMENTO, CANTO E REGÊNCIA

Código: Instrumento/Canto I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da performance do instrumento ou canto,
compreendendo suas concepções técnicas e estruturais através da interpretação de obras de
diferentes gêneros, estilos e períodos visando à formação do intérprete solista e/ou músico
para os diversos conjuntos musicais.

Código: Instrumento/Canto II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumento/Canto I
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento ou canto através do estudo e
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para
a interpretação do repertório específico desenvolvido em nível seqüente ao
Instrumento/Canto I.

Código: Instrumento/Canto III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumento/Canto II
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento ou canto através do estudo e
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para
a interpretação do repertório específico desenvolvido em nível seqüente ao
Instrumento/Canto II.

Código: Instrumento/Canto IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumento/Canto III
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento ou canto através do estudo e
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para
a interpretação do repertório específico desenvolvido em nível seqüente ao
Instrumento/Canto III.

Código: Instrumento/Canto V 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumento/Canto IV
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento ou canto através do estudo e
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para
a interpretação do repertório específico desenvolvido em nível seqüente ao
Instrumento/Canto IV.

Código: Instrumento/Canto VI 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumento/Canto V
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento ou canto através do estudo e
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para
a interpretação do repertório específico desenvolvido em nível seqüente ao
Instrumento/Canto V.

Código: Instrumento/Canto VII 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


39

Instrumento/Canto VI
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento ou canto através do estudo e
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para
a interpretação do repertório específico desenvolvido em nível seqüente ao
Instrumento/Canto VI. Revisão do repertório estudado visando o Recital/Concerto de
conclusão do Curso.

Código: Instrumento/Canto VIII 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumento/Canto VII
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento ou canto através do estudo e
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para
a interpretação do repertório específico desenvolvido em nível seqüente ao
Instrumento/Canto VII. Revisão do repertório estudado visando o Recital/Concerto de
conclusão do Curso.

Código: Classe de Instrumento/Canto I 2 cr30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da performance do instrumento ou canto,
compreendendo suas concepções técnicas e estruturais através da interpretação de obras de
diferentes gêneros, estilos e períodos, possibilitando o intercâmbio entre estudantes de
diferentes níveis.

Código: Classe de Instrumento/Canto II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento ou canto através do estudo e
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos, possibilitando o intercâmbio
entre estudantes de diferentes níveis.

Código: Classe de Instrumento/Canto III 2 cr30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
O aprofundamento da performance do instrumento ou canto, ampliando os recursos técnicos,
bem como as suas possibilidades de aplicação na interpretação de obras de diferentes
gêneros, estilos e períodos, possibilitando o intercâmbio entre estudantes de diferentes
níveis.

Código: Classe de Instrumento/Canto IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
A performance do instrumento ou canto através de obras de diferentes gêneros, estilos e
períodos, tendo como base o conhecimento técnico-musical e suas perspectivas de aplicação
na prática interpretativa, possibilitando o intercâmbio entre estudantes de diferentes níveis.

Código: Classe de Instrumento/Canto V 2 cr


30 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Estudo e interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos, explorando e
ampliando a utilização da técnica e dos demais aspectos musicais que fundamentam a
performance no instrumento ou canto, e possibilitando o intercâmbio entre estudantes de
diferentes níveis.

Código: Classe de Instrumento/Canto VI 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
40

O aprofundamento no estudo e interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e


períodos, ampliando o repertório do estudante, bem como o desenvolvimento técnico-
musical da sua prática no instrumento ou canto, possibilitando o intercâmbio entre
estudantes de diferentes níveis.

Código: Classe de Instrumento/Canto VII 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo e interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos, visando a
constituição do repertório para a performance musical de conclusão de curso, e
possibilitando o intercâmbio entre estudantes de diferentes níveis.

Código: Classe de Instrumento/Canto VIII 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo e interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos, visando a
constituição do repertório para a performance musical de conclusão de curso, e
possibilitando o intercâmbio entre estudantes de diferentes níveis.

Código: Regência I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da regência, compreendendo suas concepções técnicas
e estruturais através da interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos
visando à formação do regente para os diversos conjuntos musicais.

Código: Regência II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência I
Aprimoramento da técnica da regência através do estudo e interpretação de obras de
diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para a interpretação do
repertório específico desenvolvido em nível seqüente à Regência I.

Código: Regência III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência II
Aprimoramento da técnica da regência através do estudo e interpretação de obras de
diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para a interpretação do
repertório específico desenvolvido em nível seqüente à Regência II.

Código: Regência IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência III
Aprimoramento da técnica da regência através do estudo e interpretação de obras de
diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para a interpretação do
repertório específico desenvolvido em nível seqüente à Regência III.

Código: Regência V 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência IV
Aprimoramento da técnica da regência através do estudo e interpretação de obras de
diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para a interpretação do
repertório específico desenvolvido em nível seqüente à Regência IV.

Código: Regência VI 2 cr
30 h/a Pré-requisito:
Regência V
Aprimoramento da técnica da regência através do estudo e interpretação de obras de
41

diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para a interpretação do


repertório específico desenvolvido em nível seqüente à Regência V.

Código: Regência VII 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência VI
Aprimoramento da técnica da regência através do estudo e interpretação de obras de
diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para a interpretação do
repertório específico desenvolvido em nível seqüente à Regência VI. Revisão do repertório
estudado visando o Concerto de conclusão do Curso.

Código: Regência VIII 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência VII
Aprimoramento da técnica da regência através do estudo e interpretação de obras de
diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para a interpretação do
repertório específico desenvolvido em nível seqüente à Regência VII. Revisão do repertório
estudado visando o Concerto de conclusão do Curso.

Código: História da Música – Medieval ao 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Barroco Contraponto Modal I
Harmonia Tonal I
Visão histórica, estilística e estética da música e da vida musical na Idade Média, na
Renascença e no Barroco. Abordagem de obras representativas das diversas escolas e
possíveis relações com o contexto/ambiente social e cultural. Desenvolvimento da
linguagem musical, da notação, dos instrumentos e das práticas de performance.

Código: História da Música – Classicismo ao 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Romantismo História da Música –
Medieval ao Barroco,
Contraponto Tonal I,
Harmonia Tonal II e
Estruturação e Análise
Musical I
A história e as diversas estéticas da música ocidental a partir de 1750, aproximadamente, até
o início do século XX. Abordagem das principais obras de referência dos diversos estilos,
gêneros, linguagens musicais, e possíveis relações com o contexto/ambiente social e cultural.

Código: História da Música – Moderna à 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Contemporânea Estruturação e Análise
Musical III e História da
Música Classicismo ao
Romantismo
A história e as diversas estéticas da música ocidental do início do século XX à
contemporaneidade. Abordagem das principais obras de referência dos diversos estilos,
gêneros, linguagens musicais, e possíveis relações com o contexto/ambiente social e cultural.
Desenvolvimento em notação, vocabulário harmônico, instrumentos e práticas de
performance.

Código: História da Música Brasileira 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


História da Música
42

Moderna Contemporânea
Panorama histórico e estético das manifestações musicais no Brasil do século XVI ao
presente. Principais períodos, escolas, estéticas, compositores, estilos e linguagens
composicionais. Abordagem das obras representativas e sua relação com o
contexto/ambiente social e cultural.

Código: Instrumentação 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo individualizado dos instrumentos de cordas, sopro e percussão, com palestras de
intérpretes, ilustrando características e recursos técnicos instrumentais.

Código: Orquestração I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumentação
Sintaxe da escrita para a orquestra de câmara, com e sem solista, através da prática e análise
de exemplos do repertório.

Código: Orquestração II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Orquestração I
Sintaxe da escrita para a orquestra sinfônica, através da prática e análise de exemplos do
repertório.

Código: Transcrição e Arranjo 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Orquestração II
Estudo das técnicas de transcrição, redução para piano e arranjo, abordando desde pequenos
conjuntos até formações orquestrais.

Código: Computação Aplicada à Música I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Utilização de recursos básicos da computação como ferramentas de trabalho em diversos
setores da área musical: composição, notação, performance, percepção, educação.

Código: Computação Aplicada à Música II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Computação Aplicada à
Música I
Utilização de recursos mais avançados da computação como ferramentas de trabalho em
diversos setores da área musical: composição, notação, performance, percepção, educação.

Código: Música Eletroacústica 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Computação Aplicada à
Música I
Abordagem histórica, estética e prática da música eletroacústica.

Código: Música Incidental 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Transcrição e Arranjo
Estudo das técnicas de criação de trilhas sonoras para os diversos campos das artes cênicas e
do áudio-visual (teatro, ópera, balé, cinema, vídeo, animação, etc.).

Código: Contraponto Modal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo dos princípios, materiais e técnicas polifônicas da música do Período Renascentista,
43

particularmente do século XVI, através da escrita de exemplos (exercícios de contraponto) a


duas e três vozes, e de análises de obras do Período, em especial de Palestrina.

Código: Contraponto Modal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Contraponto Modal I
Estudo dos princípios, materiais e técnicas polifônicas da música do Período Renascentista,
através de análises de obras do Período e da escrita de contrapontos a quatro vozes.

Código: Contraponto Tonal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito: Harmonia


Tonal II
Estudo de técnicas contrapontísticas, princípios e materiais baseados na música de J. S.
Bach, através de análises de obras do compositor e da escrita de exemplos (invenções e
pequenas peças em forma binária) a duas e três partes.

Código: Contraponto Tonal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Contraponto Tonal I
Estudo baseado na música de J. S. Bach das técnicas de planejamento e estruturação de fugas
para conjuntos instrumentais.

Código: Harmonia Tonal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Funcionamento e estruturação do sistema tonal, especificamente da harmonia correspondente
ao período compreendido, aproximadamente, entre 1700 (J.S.Bach) e 1828
(Beethoven/Schubert). Compreensão da práxis harmônica e aquisição de ferramentas
necessárias à análise da música do período, através da criação de progressões tonais
idiomáticas e composição de pequenos trabalhos para coro a quatro vozes. Estudo a partir
dos preceitos básicos do sistema tonal até progressões envolvendo acordes alterados.

Código: Harmonia Tonal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito: Harmonia


Tonal I
Funcionamento e estruturação do sistema tonal, especificamente da harmonia correspondente
ao período histórico compreendido, aproximadamente, entre 1700 (J.S.Bach) e 1828
(Beethoven/Schubert). Compreensão da práxis harmônica e aquisição de ferramentas
necessárias à análise da música do período, através da criação de progressões tonais
idiomáticas e composição de pequenos trabalhos para coro a quatro vozes. Continuação do
conteúdo de Harmonia Tonal I, prosseguindo até progressões tonais envolvendo acordes de
sexta aumentada.
Código: Harmonia Avançada I 2 cr 30 h/a Pré-requisito: Harmonia
Tonal II
Princípios e recursos da harmonia tonal avançada (tonalidade expandida), próprios do final
do século XIX e início do século XX.

Código: Harmonia Avançada II 2 cr 30 h/a Pré-requisito: Harmonia


Tonal II
Exemplificação e prática das técnicas e materiais harmônicos do século XX, como agregados
sonoros, harmonias por 2as e 4as, transtonalismo, dentre outros.

Código: Instrumento I (Piano/Composição) 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da performance do instrumento piano, compreendendo
44

suas concepções técnicas e estruturais através da interpretação de obras de diferentes


gêneros, estilos e períodos visando a formação do regente.

Código: Instrumento II (Piano/Composição) 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Aprimoramento da técnica do instrumento piano, através do estudo e interpretação de obras
de diferentes gêneros, estilos e períodos visando a formação do regente.

Código: Estruturação e Análise Musical I 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Harmonia Tonal II
Investigação dos recursos composicionais referentes aos materiais, vocabulário, linguagem e
modelos formais da música do século XVII e primeira metade do século XVIII. Introdução
aos aspectos e elementos formadores do discurso melódico-linear da música tonal,
desenvolvidos no período em questão. Análise dos gêneros e formas barrocos.

Código: Estruturação e Análise Musical II 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Estruturação e Análise
Musical I
Investigação dos recursos composicionais no que tange os processos melódico-temáticos,
harmônicos e estruturais da música do final do século XVIII e início do Século XIX. Análise
dos gêneros e formas do Classicismo, incluindo a sonata, como estrutura paradigmática do
período, e suas diversas aplicações.

Código: Estruturação e Análise Musical III 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Estruturação e Análise
Musical II,
História da Música –
Clássico ao Romântico
Investigação do vocabulário, linguagem e estruturação formal da música ocidental no
Romantismo. Recursos harmônicos expandidos do final do século XIX (e.g. modulações
para tonalidade distantes, harmonia cromática). Análises de obras representativas do século
XIX, selecionadas dentre vários gêneros do período (incluindo última fase de Beethoven,
Schubert e Berlioz até Mahler e Wolf), com o objetivo de perceber a interação dos diversos
níveis da estrutura musical.

Código: Estruturação e Análise Musical IV 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Estruturação e Análise
Musical III

Exploração dos princípios, processo e modelos composicionais desenvolvidos a partir do


século XX (e.g. politonalidade, sistemas modais, tonalidade neoclássica, serialismo,
contraponto linear, aleatorismo, etc.). Exame das relações destes procedimentos com as
práticas anteriores. Análise de uma amostragem de obras do século XX, de Debussy e
Mahler ao presente, visando introduzir abordagens teóricas da música do período e prover
ferramentas analíticas necessárias à compreensão da organização das alturas, forma, ritmo,
timbre, etc.

Código: Estágio Supervisionado I 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Fundamentos teóricos e metodológicos sobre o conhecimento musical e a realização de
atividades práticas para o aperfeiçoamento do profissional da música. Reconhecimento da
45

realidade sócio-cultural e aquisição de ferramentas através da vivência profissional


sistematizada para a inserção no mercado de trabalho.

Código: Estágio Supervisionado II 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Estágio Supervisionado I
Fundamentos teóricos e metodológicos sobre o conhecimento musical e a realização de
atividades práticas para o aperfeiçoamento do profissional da música. Reconhecimento da
realidade sócio-cultural e aquisição de ferramentas através da vivência profissional
sistematizada para a inserção no mercado de trabalho.

Código: Estágio Supervisionado III 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Estágio Supervisionado
II
Fundamentos teóricos e metodológicos sobre o conhecimento musical e a realização de
atividades práticas para o aperfeiçoamento do profissional da música. Reconhecimento da
realidade sócio-cultural e aquisição de ferramentas através da vivência profissional
sistematizada para a inserção no mercado de trabalho.

Código: Estágio Supervisionado IV 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Estágio Supervisionado
III
Fundamentos teóricos e metodológicos sobre o conhecimento musical e a realização de
atividades práticas para o aperfeiçoamento do profissional da música. Reconhecimento da
realidade sócio-cultural e aquisição de ferramentas através da vivência profissional
sistematizada para a inserção no mercado de trabalho.

2. BACHARELADO EM COMPOSIÇÃO

Código: Procedimentos Composicionais I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Princípios básicos da composição. Os processos da melodia, do ritmo, da harmonia, da
textura e do timbre. Processos formais e questões de continuidade na composição musical.
Abordagens tonais e modais.

Código: Procedimentos Composicionais II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Procedimentos
Composicionais I
Técnicas e princípios aplicados aos diversos tratamentos e linguagens musicais
desenvolvidas no decorrer do século XX: modal, politonal, cromático livre, serial, aleatório,
textural, timbrístico, minimalista, espectral, dentre outros.

Código: Procedimentos Composicionais III 2 cr30 h/a Pré-requisito:


Procedimentos
Composicionais II
Aprofundando e ampliação do conteúdo do nível II e planejamento/elaboração de estruturas
composicionais amplas, visando o desenvolvimento de linguagens composicionais
individuais por parte dos alunos.

Código: Tutorial de Composição I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Procedimentos
46

Composicionais III
Acompanhamento dos alunos no desenvolvimento de suas linguagens composicionais por
meio de tutoriais individuais ou em pequenos grupos.

Código: Tutorial de Composição II 30 h/a Pré-requisito: Tutorial de


2 cr
Composição I
Acompanhamento dos alunos no desenvolvimento de suas linguagens composicionais por
meio de tutoriais individuais ou em pequenos grupos.

Código: Tutorial de Composição III 30 h/a Pré-requisito: Tutorial de


2 cr
Composição II
Acompanhamento dos alunos no desenvolvimento de suas linguagens composicionais por
meio de tutoriais individuais ou em pequenos grupos.

Código: Tutorial de Composição IV 30 h/a Pré-requisito: Tutorial de


2 cr
Composição III
Acompanhamento dos alunos no desenvolvimento de suas linguagens composicionais por
meio de tutoriais individuais ou em pequenos grupos.

Código: Tutorial de Composição V 30 h/a Pré-requisito: Tutorial de


2 cr
Composição IV
Acompanhamento dos alunos no desenvolvimento de suas linguagens composicionais por
meio de tutoriais individuais ou em pequenos grupos.

Código: Instrumentação 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo individualizado dos instrumentos de cordas, sopro e percussão, com palestras de
intérpretes, ilustrando características e recursos técnicos instrumentais.

Código: Orquestração I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumentação
Sintaxe da escrita para a orquestra de câmara, com e sem solista, através da prática e análise
de exemplos do repertório.

Código: Orquestração II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Orquestração I
Sintaxe da escrita para a orquestra sinfônica, através da prática e análise de exemplos do
repertório.

Código: Transcrição e Arranjo 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo das técnicas de transcrição, redução para piano e arranjo, abordando desde pequenos
conjuntos até formações orquestrais.

Código: Computação Aplicada à Música 2 cr30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Utilização de recursos da computação como ferramentas de trabalho em diversos setores da
área musical: composição, notação, performance, percepção, educação.
47

Código: Música Eletroacústica 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Abordagem histórica, estética e prática da música eletroacústica.

Código: Música Incidental 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo das técnicas de criação de trilhas sonoras para os diversos campos da comunicação
áudio-visual (cinema, vídeo, teatro, animações, etc.).

Código: Contraponto Modal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo dos princípios, materiais e técnicas polifônicas da música do Período Renascentista,
particularmente do século XVI, através da escrita de exemplos (exercícios de contraponto) a
duas e três vozes, e de análises de obras do Período, em especial de Palestrina.

Código: Contraponto Modal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Contraponto Modal I
Estudo dos princípios, materiais e técnicas polifônicas da música do Período Renascentista,
através de análises de obras do Período e da escrita de contrapontos a quatro vozes.

Código: Contraponto Tonal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito: Harmonia


Tonal II
Estudo de técnicas contrapontísticas, princípios e materiais baseados na música de J. S.
Bach, através de análises de obras do compositor e da escrita de exemplos (invenções e
pequenas peças em forma binária) a duas e três partes.

Código: Contraponto Tonal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Contraponto Tonal I
Estudo baseado na música de J. S. Bach das técnicas de planejamento e estruturação de fugas
para conjuntos instrumentais.

Código: Harmonia Tonal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Funcionamento e estruturação do sistema tonal, especificamente da harmonia correspondente
ao período compreendido, aproximadamente, entre 1700 (J.S.Bach) e 1828
(Beethoven/Schubert). Compreensão da práxis harmônica e aquisição de ferramentas
necessárias à análise da música do período, através da criação de progressões tonais
idiomáticas e composição de pequenos trabalhos para coro a quatro vozes. Estudo a partir
dos preceitos básicos do sistema tonal até progressões envolvendo acordes alterados.

Código: Harmonia Tonal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito: Harmonia


Tonal I
Funcionamento e estruturação do sistema tonal, especificamente da harmonia correspondente
ao período histórico compreendido, aproximadamente, entre 1700 (J.S.Bach) e 1828
(Beethoven/Schubert). Compreensão da práxis harmônica e aquisição de ferramentas
necessárias à análise da música do período, através da criação de progressões tonais
idiomáticas e composição de pequenos trabalhos para coro a quatro vozes. Continuação do
conteúdo de Harmonia Tonal I, prosseguindo até progressões tonais envolvendo acordes de
sexta aumentada.
48

Código: Harmonia Avançada 2 cr 30 h/a Pré-requisito: Harmonia


Tonal II
Princípios e recursos da harmonia tonal avançada (tonalidade expandida), próprios do final
do século XIX e início do século XX.

Código: Estruturação e Análise Musical I 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Harmonia Tonal II
Investigação dos recursos composicionais (materiais, vocabulário, linguagem, modelos
formais) da música do século XVII e primeira metade do século XVIII. Introdução aos
aspectos e elementos formadores do discurso melódico-linear da música tonal,
desenvolvidos no período em questão. Análise dos gêneros e formas barrocos.

Código: Estruturação e Análise Musical II 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Estruturação e Análise
Musical I
Recursos composicionais (processos melódico-temáticos, harmônicos e estruturais) da
música do final do século XVIII e início do Século XIX. Análise dos gêneros e formas do
Classicismo, incluindo a sonata, como estrutura paradigmática do período, e suas diversas
aplicações.

Código: Estruturação e Análise Musical III 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Estruturação e Análise
Musical II,
História da Música –
Clássico ao Romântico
Vocabulário, linguagem e estruturação formal da música ocidental no Romantismo.
Recursos harmônicos expandidos do final do século XIX (e.g. modulações para tonalidade
distantes, harmonia cromática). Análises de obras representativas do século XIX,
selecionadas dentre vários gêneros do período (incluindo última fase de Beethoven, Schubert
e Berlioz até Mahler e Wolf), com o objetivo de perceber a interação dos diversos níveis da
estrutura musical.

Código: Estruturação e Análise Musical IV 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Estruturação e Análise
Musical III
Exploração dos princípios, processos e modelos composicionais desenvolvidos a partir do
século XX (e.g. politonalidade, sistemas modais, tonalidade neoclássica, serialismo,
contraponto linear, aleatorismo, etc.). Exame das relações destes procedimentos com as
práticas anteriores. Análise de uma amostragem de obras do século XX, de Debussy e
Mahler ao presente, visando introduzir abordagens teóricas da música do período e prover
ferramentas analíticas necessárias à compreensão da organização das alturas, forma, ritmo,
timbre, etc.

Código: História da Música – Medieval ao 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Contraponto Modal I
Barroco
Harmonia Tonal I
Visão histórica, estilística e estética da música e da vida musical na Idade Média, na
Renascença e no Barroco. Abordagem de obras representativas das diversas escolas e
possíveis relações com o contexto/ambiente social e cultural. Desenvolvimento da
linguagem musical, da notação, dos instrumentos e das práticas de performance.
49

Código: História da Música – Classicismo ao 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


História da Música –
Romantismo
Medieval ao Barroco,
Contraponto Tonal I,
Harmonia Tonal II e
Estruturação e Análise
Musical I
A história e as diversas estéticas da música ocidental a partir de 1750, aproximadamente, até
o início do século XX. Abordagem das principais obras de referência dos diversos estilos,
gêneros, linguagens musicais, e possíveis relações com o contexto/ambiente social e cultural.

Código: História da Música – Moderna à 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Estruturação e Análise
Contemporânea
Musical III e História da
Música Classicismo ao
Romantismo
A história e as diversas estéticas da música ocidental do início do século XX à
contemporaneidade. Abordagem das principais obras de referência dos diversos estilos,
gêneros, linguagens musicais, e possíveis relações com o contexto/ambiente social e cultural.
Desenvolvimento em notação, vocabulário harmônico, instrumentos e práticas de
performance.

Código: História da Música Brasileira 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


História da Música –
Moderna à
Contemporânea
Panorama histórico e estético das manifestações musicais no Brasil, do século XVI ao
presente, considerando também a Música Popular Brasileira. Principais períodos, escolas,
estéticas, compositores, estilos e linguagens composicionais. Abordagem das obras
representativas e sua relação com o contexto/ambiente social e cultural.

Código: Estágio Supervisionado I 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Fundamentos teóricos e metodológicos sobre o conhecimento musical e a realização de
atividades práticas para o aperfeiçoamento do profissional da música (intérprete ou
compositor). Reconhecimento da realidade sócio-cultural e aquisição de ferramentas através
da vivência profissional sistematizada para a inserção do musicista no mercado de trabalho.

Código: Estágio Supervisionado II 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Fundamentos teóricos e metodológicos sobre o conhecimento musical e a realização de
atividades práticas para o aperfeiçoamento do profissional da música (intérprete ou
compositor). Reconhecimento da realidade sócio-cultural e aquisição de ferramentas através
da vivência profissional sistematizada para a inserção do musicista no mercado de trabalho.

Código: Estágio Supervisionado III 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Fundamentos teóricos e metodológicos sobre o conhecimento musical e a realização de
atividades práticas para o aperfeiçoamento do profissional da música (intérprete ou
compositor). Reconhecimento da realidade sócio-cultural e aquisição de ferramentas através
da vivência profissional sistematizada para a inserção do musicista no mercado de trabalho.
50

Código: Estágio Supervisionado IV 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Fundamentos teóricos e metodológicos sobre o conhecimento musical e a realização de
atividades práticas para o aperfeiçoamento do profissional da música (intérprete ou
compositor). Reconhecimento da realidade sócio-cultural e aquisição de ferramentas através
da vivência profissional sistematizada para a inserção do musicista no mercado de trabalho.

CONTEÚDOS COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIOS


1. BACHARELADO EM PRÁTICAS INTERPRETATIVAS DA MÚSICA
Código: Percepção Musical I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Desenvolvimento de estratégias envolvendo esquemas de percepção auditiva relacionados
com os conceitos musicais estabelecidos pela cultura musical ocidental, a fim de favorecer o
domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Percepção Musical II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Percepção Musical I
Desenvolvimento de estratégias envolvendo esquemas de percepção auditiva relacionados
com os conceitos musicais estabelecidos pela cultura musical ocidental, a fim de favorecer o
domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Percepção Musical III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Percepção Musical II
Desenvolvimento de estratégias envolvendo esquemas de percepção auditiva relacionados
com os conceitos musicais estabelecidos pela cultura musical ocidental, a fim de favorecer o
domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Percepção Musical IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Percepção Musical III
Desenvolvimento de estratégias envolvendo esquemas de percepção auditiva relacionados
com os conceitos musicais estabelecidos pela cultura musical ocidental, a fim de favorecer o
domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Literatura Vocal/Instrumental/Orquestral 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo comparativo, através de reconhecimento auditivo e analítico da literatura da música
ocidental, abordando gêneros, formas, estilos e linguagens de diferentes épocas e períodos da
História, com o objetivo de incrementar o conhecimento de repertório.
Código: Música de Câmera I 3 cr 45 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Estudo histórico, estilístico e interpretativo sobre obras musicais de câmara de diferentes
épocas e períodos da música ocidental objetivando a vivência musical em conjunto e a
apresentação pública.

Código: Música de Câmara II 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Música de Câmara I
Estudo histórico, estilístico e interpretativo sobre obras musicais de câmara de diferentes
épocas e períodos da música ocidental objetivando a vivência musical em conjunto e a
51

apresentação pública.

Código: Música de Câmara III 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Música de Câmara II
Estudo histórico, estilístico e interpretativo sobre obras musicais de câmara de diferentes
épocas e períodos da música ocidental objetivando a vivência musical em conjunto e a
apresentação pública.

Código: Conjunto de Música Contemporânea I 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Práticas de produção e performance da música contemporânea.

Código: Conjunto de Música Contemporânea II 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Práticas de produção e performance da música contemporânea.

Código: Instrumento I (Piano/Composição) 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


2 cr Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da performance do instrumento, compreendendo suas
concepções técnicas e estruturais através de repertório selecionado visando auxiliar à
formação do compositor/regente.

Código:
Instrumento II (Piano/Composição) 30 h/a Pré-requisito:
2 cr
Instrumento I
2 cr
(Piano/Composição)
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento, compreendendo suas concepções
técnicas e estruturais através de repertório selecionado visando auxiliar à formação do
compositor/regente em nível seqüente ao Instrumento I (Piano/Composição).

Código: Metodologia do Trabalho Científico 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
A construção do conhecimento; os vários tipos de conhecimento e o conhecimento científico.
Os vários tipos de explicações científicas. Alcance, limites e estrutura das hipóteses, leis e
teorias científicas. Ciência, linguagem, normas e estilo; Normas da ABNT. Elaboração de
textos. Técnicas de estudo: diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos, síntese,
resumo, fichamento, seminário, esquema e resenha.

Código: Pesquisa Aplicada à Música 2 cr


30 h/a Pré-requisito:
Metodologia do Trabalho
Científico
Conceito, papel e importância da pesquisa; métodos e técnicas de pesquisa. Planejamento,
elaboração e avaliação do projeto de pesquisa em música. Enfoques da pesquisa e sua
importância para o conhecimento científico na área de música.

Código: Trabalho de Conclusão de Curso – TCC I 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Pesquisa Aplica a
Música
Elaboração de trabalho acadêmico-científico e/ou acadêmico-artístico.

Código: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC II 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


52

TCC I
Elaboração de trabalho acadêmico-científico e/ou acadêmico-artístico.

3.BACHARELADO EM COMPOSIÇÃO

Código: Percepção Musical I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Desenvolvimento de estratégias envolvendo esquemas de percepção auditiva relacionados
com os conceitos musicais estabelecidos pela cultura musical ocidental, a fim de favorecer o
domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Percepção Musical II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Percepção Musical I
Desenvolvimento de estratégias envolvendo esquemas de percepção auditiva relacionados
com os conceitos musicais estabelecidos pela cultura musical ocidental, a fim de favorecer o
domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Percepção Musical III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Percepção Musical II

Desenvolvimento de estratégias envolvendo esquemas de percepção auditiva relacionados


com os conceitos musicais estabelecidos pela cultura musical ocidental, a fim de favorecer o
domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Percepção Musical IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Percepção Musical III

Desenvolvimento de estratégias envolvendo esquemas de percepção auditiva relacionados


com os conceitos musicais estabelecidos pela cultura musical ocidental, a fim de favorecer o
domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Literatura 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Vocal/Instrumental/Orquestral I a IV
Estudo comparativo, através de reconhecimento auditivo e analítico da literatura da música
ocidental, abordando gêneros, formas, estilos e linguagens de diferentes épocas e períodos da
História, com o objetivo de incrementar o conhecimento de repertório.

Código: Conjunto de Música Contemporânea 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Nenhum
I
Práticas de produção e performance da música contemporânea.

Código: Conjunto de Música Contemporânea 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Nenhum
II
Práticas de produção e performance da música contemporânea.

Código: Conjunto de Música Contemporânea 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


Nenhum
III
53

Práticas de produção e performance da música contemporânea.

Código: Conjunto de Música Contemporânea 3 cr 4 5 h/a Pré-requisito:


Nenhum
IV
Práticas de produção e performance da música contemporânea.

Código: Metodologia do Trabalho Científico 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
A construção do conhecimento; os vários tipos de conhecimento e o conhecimento científico.
Os vários tipos de explicações científicas. Alcance, limites e estrutura das hipóteses, leis e
teorias científicas. Ciência, linguagem, normas e estilo; Normas da ABNT. Elaboração de
textos. Técnicas de estudo: diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos, síntese,
resumo, fichamento, seminário, esquema e resenha.

Código: Pesquisa Aplicada à Música 30 h/a Pré-requisito:


2 cr
Metodologia do Trabalho
Científico
Conceito, papel e importância da pesquisa; métodos e técnicas de pesquisa. Planejamento,
elaboração e avaliação do projeto de pesquisa em música. Enfoques da pesquisa e sua
importância para o conhecimento científico na área de música.

Código: Trabalho de Conclusão de Curso – 3 cr 45 h/a Pré-requisito: Tutorial de


Composição III
TCC I
Escolha de repertório e elaboração do Recital/Concerto de Conclusão de Curso e/ou
Recital/Concerto-Palestra e/ou trabalho escrito (Monografia, Artigo, Ensaio, Memorial).
Delimitação, sistematização e redação inicial do trabalho escrito de acordo com o
repertório/tema escolhido.

Código: Trabalho de Conclusão de Curso - 3 cr 45 h/a Pré-requisito:


TCC I
TCC II
Elaboração final do Recital/Concerto de Conclusão de Curso e/ou Recital/Concerto-Palestra
e/ou trabalho escrito (Monografia, Artigo, Ensaio, Memorial). Contextualização, redação
final e apresentação pública do TCC.

Código: Instrumento I (Piano/Composição) 30 h/a Pré-requisito:


2 cr
Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da performance do instrumento, compreendendo suas
concepções técnicas e estruturais através de repertório selecionado visando auxiliar à
formação do compositor/regente.

Código: Instrumento II (Piano/Composição) 30 h/a Pré-requisito:


2 cr
Instrumento I
(Piano/Composição)
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento, compreendendo suas concepções
técnicas e estruturais através de repertório selecionado visando auxiliar à formação do
compositor/regente em nível seqüente ao Instrumento I (Piano/Composição).
54

CONTEÚDOS COMPLEMENTARES OPTATIVOS

COMUNS A AMBAS MODALIDADES

Código: Literatura Vocal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Literatura
Vocal/Instrumental/Orquestral
Incrementar o conhecimento de repertório da Canção Brasileira.

Código: Literatura Vocal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Literatura Vocal I
Incrementar o conhecimento de repertório da Canção Internacional.

Código: Literatura Vocal III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Literatura Vocal II
Incrementar o conhecimento de repertório dramático e de concerto.

Código: Literatura Instrumental I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Literatura
Vocal/Instrumental/Orquestral
Estudo comparativo, através de reconhecimento auditivo e analítico da literatura da música
ocidental, abordando gêneros, formas, estilos e linguagens de diferentes épocas e períodos da
História, com o objetivo de incrementar o conhecimento de repertório.

Código: Literatura Instrumental II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Literatura Instrumental I
Estudo comparativo, através de reconhecimento auditivo e analítico da literatura da música
ocidental, abordando gêneros, formas, estilos e linguagens de diferentes épocas e períodos da
História, com o objetivo de incrementar o conhecimento de repertório.

Código: Literatura Instrumental III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Literatura Instrumental
II
Estudo comparativo, através de reconhecimento auditivo e analítico da literatura da música
ocidental, abordando gêneros, formas, estilos e linguagens de diferentes épocas e períodos da
História, com o objetivo de incrementar o conhecimento de repertório.

Código: Literatura Orquestral I a III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo comparativo, através de reconhecimento auditivo e analítico da literatura da música
ocidental, abordando gêneros, formas, estilos e linguagens de diferentes épocas e períodos da
História, com o objetivo de incrementar o conhecimento de repertório.

Código:
Inglês I 5 cr 75 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Leitura e compreensão de textos em Língua Inglesa, com a utilização de estratégias de ESP –
English for Specific Purposes.

Código:
Inglês II 5 cr 75 h/a Pré-requisito:
Inglês I
55

Capacitar o aluno a compreender textos escritos em Língua Inglesa, incentivando-o à leitura


e tentando desenvolver sua mentalidade crítica.

Código: Canto Coral I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da performance do canto, compreendendo suas
concepções técnicas e estruturais através da interpretação de obras de diferentes gêneros,
estilos e períodos visando à formação do intérprete solista e/ou cantor para os diversos
conjuntos musicais.

Código: Canto Coral II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Canto Coral I
Performance do canto, compreendendo suas concepções técnicas e estruturais através da
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos visando à formação do
intérprete solista e/ou cantor para os diversos conjuntos musicais.

Código: Canto Coral III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Canto Coral II
Performance do canto, compreendendo suas concepções técnicas e estruturais através da
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos visando à formação do
intérprete solista e/ou cantor para os diversos conjuntos musicais.

Código: Canto Coral IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Canto Coral III
Performance do canto, compreendendo suas concepções técnicas e estruturais através da
interpretação de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos visando à formação do
intérprete solista e/ou cantor para os diversos conjuntos musicais.

Código: Canto I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da performance do canto, compreendendo suas
concepções técnicas e estruturais através da interpretação de obras de diferentes gêneros,
estilos e períodos visando à formação do intérprete solista e/ou cantor para os diversos
conjuntos musicais.

Código: Canto II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Canto I
Aprimoramento da técnica da performance do canto através do estudo e interpretação de
obras de diferentes gêneros, estilos e períodos; aprimoramento artístico para a interpretação
do repertório específico desenvolvido em nível seqüente ao Canto I.

Código: Acompanhamento ao Piano I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Instrumento III
Prática da leitura à primeira vista e reconhecimento dos fatores e elementos que facilitam sua
realização. Acompanhamento ao piano de repertório vocal, especialmente do repertório
conhecido como canção artística de autores brasileiros e estrangeiros.

Código: Acompanhamento ao Piano II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Acompanhamento ao
Piano I
56

Prática da leitura à primeira vista e reconhecimento dos fatores e elementos que facilitam sua
realização. Acompanhamento ao piano de repertório instrumental originalmente composto
para instrumento de sopro ou cordas e piano de autores brasileiros e estrangeiros.

Código: Acompanhamento ao Piano III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Acompanhamento ao
Piano II
Prática da leitura à primeira vista e reconhecimento dos fatores e elementos que facilitam sua
realização. Acompanhamento ao piano de repertório vocal e instrumental de autores
brasileiros e estrangeiros cujo acompanhamento original orquestral foi reduzido/transcrito
para piano.

Código: Técnica Vocal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Prática de exercícios de vocalização para ampliar as possibilidades vocais visando fins
específicos da utilização da voz cantada; vocalização individual e/ou coletiva; aquecimento
vocal para coro.

Código: Técnica Vocal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Prática de exercícios de vocalização para ampliar as possibilidades vocais visando fins
específicos da utilização da voz cantada; vocalização individual e/ou coletiva; aquecimento
vocal para coro.

Código: Técnica Vocal III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Prática de exercícios de vocalização para ampliar as possibilidades vocais visando fins
específicos da utilização da voz cantada; vocalização individual e/ou coletiva; aquecimento
vocal para coro.

Código: Técnica Vocal IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Prática de exercícios de vocalização para ampliar as possibilidades vocais visando fins
específicos da utilização da voz cantada; vocalização individual e/ou coletiva; aquecimento
vocal para coro.

Código: Ciência e Fisiologia da Voz 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo sobre a fisiologia do aparelho fonador e seus órgãos; teorias do funcionamento das
pregas vocais; classificação vocal; peculiaridades físicas, técnicas e sonoras da voz humana
em suas diferentes categorias; saúde vocal; atividades laboratoriais.

Código: Dicção 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo teórico-prático sobre a sistematização dos fonemas da língua nacional e de outros
idiomas; pronúncia e articulação das palavras; utilização otimizada dos fonemas na fonação
em geral e no canto; prática da representação gráfica dos fonemas e do Alfabeto Fonético
Internacional.

Código: Física e Psicofísica da Música 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


57

Nenhum
Aspectos da física e psicofísica no campo da música.

Código: Aplicativos de Editoração de 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Partitura Nenhum
Características e recursos técnicos de Aplicativos de Editorial de Partitura específicos de
notação musical, visando digitação e transcrição de partituras.

Código: Regência I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo das técnicas básicas da regência coral e orquestral.

Código: Regência II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência I
Estudo das técnicas básicas da regência coral e orquestral.

Código: Regência III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência I
Estudo das técnicas básicas da regência coral e orquestral.

Código: Regência IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Regência I
Estudo das técnicas básicas da regência coral e orquestral.

Código: Computação Aplicada à Música I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Utilização de recursos básicos da computação como ferramentas de trabalho em diversos
setores da área musical: composição, notação, performance, percepção, educação.

Código: Computação Aplicada à Música II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Computação Aplicada à
Música I
Utilização de recursos avançados da computação como ferramentas de trabalho em diversos
setores da área musical: composição, notação, performance, percepção, educação.

Código: Instrumento Complementar I ao III 2 cr


30 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Conhecimentos básicos da técnica do instrumento visando a execução de obras em nível
elementar do repertório dos instrumentos de Sopros (Flauta, Oboé, Clarinete, Fagote,
Trompa, Trompete, Trombone, Tuba e Saxofone).

Código: Introdução à Etnomusicologia 2 cr


30 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Estudo sobre a produção musical dos diferentes grupos étnicos; a relação entre música,
origem cultural e meio social; análise dos aspectos históricos, estéticos e culturais da
produção musical.

Código: Flauta Doce I 2 cr


30 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Introdução aos aspectos fundamentais da performance do instrumento, compreendendo suas
58

concepções técnicas e estruturais através de métodos elementares.

Código: Flauta Doce II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento; fundamentos da iniciação
musical através de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos.

Código: Flauta Doce III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento; fundamentos da iniciação
musical através de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos.

Código: Flauta Doce IV 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Aprimoramento da técnica da performance do instrumento; fundamentos da iniciação
musical através de obras de diferentes gêneros, estilos e períodos.

Código: Antropologia do Brasil 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Teorias antropológicas explicativas da realidade brasileira. O desenvolvimento da
antropologia no Brasil; etnologia indígena; estudos afro-brasileiros; estudos da sociedade
nacional; temas urbanos e novos temas.

Código: Antropologia da Cultura 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Teoria da cultura. Dinâmica cultural. Cultura. Sociedade. Indivíduo. Valores culturais.
Etnocentrismo e relativismo. Conceitos básicos e tópicos especiais.

Código: Sociologia da Arte 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Dimensão social da atividade artística. Abordagem formal. A função social do objeto
artístico. A arte como produto social. Artesanato. Arte industrial. Indústria da arte. Arte
popular e sociedade industrial. Objeto artístico e relações econômicas. A inserção do artista
nas relações sociais. A produção artística. A comercialização do objeto artístico. O consumo
da arte, apropriação e poder. O conteúdo social da arte: a arte como meio de comunicação. A
arte como veículo transmissor de ideologia.

Código: Estética 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


1402113 Nenhum
Exame da problemática relativa à ontologia do objeto estético, principalmente as
perspectivas axiológicas atuais sobre o juízo estético e a crítica valorativa. Abrange as
repercussões das correntes do pensamento que organizam ideologicamente os rumos
espontâneos da prática artística na história da produção de objetos estéticos.

Código: Português Instrumental 4 cr 60 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Leitura, análise e produção textual. O texto e a sua dimensão: relações internas e externas.
Habilidades básicas de produção textual: objetividade, clareza, concisão, precisão. Tipo de
texto: o relatório (linguagem e estrutura, componentes discursivos, apresentação). Estudo e
59

prática da norma culta escrita: ortografia e acentuação; concordância e regência, colocação


nominal.

Código: Francês I 5 cr 75 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Desenvolver o hábito de leitura de textos em Francês de forma reflexiva e crítica.

Código: Francês II 5 cr
75 h/a Pré-requisito:
Francês I
Enriquecer as noções já adquiridas em Língua Francesa I, procurando tornar o aluno
capacitado a consultar obras em Língua Francesa.

Código:
Espanhol I 75 h/a Pré-requisito:
5 cr
Nenhum
Compreensão e interpretação de textos de natureza geral e acadêmica. Desenvolvimento de
estratégias básicas de abordagem textual. Introdução ao estudo de estruturas básicas
gramaticais da Língua Espanhola.

Código:
Espanhol II 5 cr75 h/a Pré-requisito:
Espanhol I
Desenvolver e aprofundar a compreensão e interpretação de textos de natureza geral e
acadêmica, mediante estratégias específicas de abordagem textual.

Código:
Alemão I 75 h/a Pré-requisito:
5 cr
Nenhum
Desenvolver o hábito de leitura de textos em Língua Alemã, de forma reflexiva e crítica.

Código:
Alemão II 75 h/a Pré-requisito:
5 cr
Alemão I
Capacitar o aluno a desenvolver e aprofundar a compreensão de textos escritos em Língua
Alemã, incentivando-o à leitura reflexiva e crítica, mediante estratégias específicas de
abordagem textual.

Código:
Estúdio de Ópera 6 cr 90 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Estudo histórico, estilístico e interpretativo sobre obra(s) vocal(is) dramática(s) do Barroco à
contemporaneidade; caracterização de personagens; encenação e apresentação pública.

Código: Nivelamento Vocal I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Fundamentos da técnica instrumental/vocal e suas aplicações para os exercícios musicais e
repertório elementar. Aspectos físicos, fisiológicos e mentais da execução instrumental/vocal
básica.

Código: Nivelamento Vocal II 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nivelamento Vocal I
Fundamentos da técnica instrumental/vocal e suas aplicações para os exercícios musicais e
repertório elementar. Aspectos físicos, fisiológicos e mentais da execução instrumental/vocal
básica.
60

Código: Nivelamento Vocal III 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nivelamento Vocal II
Fundamentos da técnica instrumental/vocal e suas aplicações para os exercícios musicais e
repertório elementar. Aspectos físicos, fisiológicos e mentais da execução instrumental/vocal
básica.

Código: Nivelamento Instrumental I 2 cr


30 h/a Pré-requisito:
Nenhum
Aprofundamento da técnica instrumental/vocal e suas aplicações para os exercícios musicais
e repertório elementar. Aspectos físicos, fisiológicos e mentais da execução
instrumental/vocal básica.

Código: Nivelamento Instrumental II 2 cr


30 h/a Pré-requisito:
Nivelamento
Instrumental I
Aprofundamento da técnica instrumental/vocal e suas aplicações para os exercícios musicais
e repertório elementar. Aspectos físicos, fisiológicos e mentais da execução
instrumental/vocal básica.

Código: Nivelamento Instrumental III 2 cr


30 h/a Pré-requisito:
Nivelamento
Instrumental II
Aprofundamento da técnica instrumental/vocal e suas aplicações para os exercícios musicais
e repertório elementar. Aspectos físicos, fisiológicos e mentais da execução
instrumental/vocal básica.

Código: Nivelamento Teórico-Perceptivo I 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Fundamentos da teoria musical e dos esquemas de percepção auditiva elementares a fim de
favorecer o domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Nivelamento Teórico-Perceptivo II 2 cr30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Aprofundamento dos fundamentos da teoria musical e dos esquemas de percepção auditiva
elementares a fim de favorecer o domínio e a fluência da leitura e da escrita musical.

Código: Apreciação Musical 2 cr 30 h/a Pré-requisito:


Nenhum
Estudo histórico, estilístico e auditivo do repertório da música universal.

CONTEÚDOS COMPLEMENTARES FLEXÍVEIS


COMUNS A AMBAS MODALIDADES

Código: Tópicos Especiais em Música I-VIII 4 cr 60 h/a Pré-requisito:


Nenhum
As atividades eletivas (flexíveis) serão escolhidas pelo estudante, com anuência do seu Tutor
acadêmico, que obedecerão à regulamentação específica do Colegiado do Curso.
61
62

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ACADEMIA BRASILEIRA DE MÚSICA. Banco de dados da BMB: Conservatórios,


Escolas de Música. Disponível em: http://www.abmusica.org.br/. Acesso em: 13/03/2006.

ANDRADE, Mário de. Dicionário musical brasileiro. Belo Horizonte, Rio de Janeiro:
Itatiaia, 1999.

_________. Aspectos da música brasileira. Belo Horizonte, Rio de Janeiro: Villa Rica,
1991.

_________. Pequena história da música. Belo Horizonte, Rio de Janeiro: Itatiaia, 1987.

_________. Ensaio sobre a música brasileira. São Paulo: Martins, 1962.

AQUINO, Felipe José Avellar de. Práticas Interpretativas e a Pesquisa em Música: dilemas e
propostas. Opus - Revista da Associação Nacional de Pesquisa e Pós Graduação Em Música
ANPPOM, Campinas - SP, v. 9, p.103-112, 2003.

BÉHAGUE, Gerard. Brazil. In: SADIE, Stanley. The new Grove dictionary of music and
musicians. 2. ed., v. 4. Oxford: Oxford University Press, p.268-297, 2001.

_________. Rio de Janeiro. In: SADIE, Stanley. The new Grove dictionary of music and
musicians. 2. ed., v. 21. Oxford: Oxford University Press, 2001, p.431-433.

_________. Salvador. In: SADIE, Stanley. The new Grove dictionary of music and
musicians. 2. ed., v. 22. Oxford: Oxford University Press, 2001, p.181-182.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução Nº


2/2004: Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Música. Brasília, 2004.

_________. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES nº


0195 de 05/08/2003: Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de graduação em Música,
Dança, Teatro e Design. Brasília, 2003.

_________. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES nº


0146 de 03/04/2002: Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de graduação em Direito,
Ciências Econômicas, Turismo, Hotelaria, Secretariado Executivo, Música, Dança, Teatro e
Design. Brasília, 2002.

_________. Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de


dezembro de 1996.

CAMARGOS, M. Semana de 22 – entre vaias e aplausos. São Paulo: Boitempo Editorial.


2002.

CANDIDO, Antônio. Literatura e sociedade. São Paulo: Nacional, 1973.


63

GALLIANO, A. Guilherme. O método científico: teoria e prática. São Paulo: Harbra, 1986.

GANDELMAN, Salomea. A Avaliação do Desempenho das Graduações em Música: seus


objetivos e métodos de operacionalização. SINAPEM. João Pessoa, p.65-71, jul. 1987.

__________. Uniformidade e diversidade na execução musical. In: VIII Encontro anual da


ANPPOM. Anais da ANPPOM. João Pessoa: UFPB, p.209-215, set. 1995.

GUERCHFELD, Marcello. Uniformidade e diversidade em interpretação musical. In: VIII


Encontro anual da ANPPOM. Anais da ANPPOM. João Pessoa: UFPB, p.202-202, set.
1995.

KIEFER, Bruno. História da música brasileira. 4. ed. Porto Alegre: Movimento, 1997.

MARIZ, Vasco. História da música no Brasil. 5. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

__________. Três musicólogos brasileiros: Mário de Andrade, Renato Almeida, Luiz Heitor
Correa de Azevedo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

NEVES, José Maria. Música sacra mineira – Catálogo de obras. Rio de Janeiro: FUNARTE,
1997.

__________. Música contemporânea brasileira. São Paulo: Ricordi, 1981.

NOGUEIRA, Ilza. O modelo da Educação Musical no Brasil: um drama em três atos


incongruentes. Revista da ABEM. Salvador: UFBA, n. 4, p.9-23, set. 1997.

PERRENOUD, Philippe . 10 novas competências para ensinar. Tradução Paratícia Chitonni


Ramos. Porto Alegre: Artmed, 2000.

PINHEIRO, Elizabeth Rangel. Ensino de artes nos níveis fundamental, médio, superior e pós-
graduação e suas relações com a formação profissional em artes. I Seminário sobre o ensino
superior de artes e design no Brasil. Salvador: UFBA, p.4-8, ago. 1997.

SALLES, Vicente. Os carmelitas e a arte de cantochão. Brasiliana. Rio de Janeiro: Academia


Brasileira de Música, n.7, p.2-5, jan. 2001.

TINHORÃO, José R. Os sons que vêm da rua. 2ª. ed. São Paulo: Editora 34, 2005.

__________. História social da música popular brasileira. São Paulo: Editora 34, 1998.

TRAVASSOS, Elizabeth. Modernismo e música brasileira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar


Editor, 2000.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA. Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e


Extensão. Resolução Nº 34/2004. João Pessoa, 2004.