Vous êtes sur la page 1sur 4

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO


Diretoria da Qualidade – Dqual
Divisão de Fiscalização e Verificação da Conformidade - Divec

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE CILINDRO DE GNV

Portarias Inmetro 171/2002 e 433/2008 – Código 3281

1. DEFINIÇÕES
1.1. Cilindro
Reservatório destinado ao armazenamento de GNV.
1.2. GNV
Mistura de gases destinados à utilização como combustível em veículos rodoviários
automotores, contendo como principal composto o metano.

2. REFERÊNCIAS
2.1. Portaria Inmetro nº 171/2002
Torna compulsória a certificação de cilindros de aço sem costura para GNV;
2.2. Portaria Inmetro298/2008
Aprovar o Regulamento Técnico MERCOSUL de Cilindros para Armazenamento de
Gás Natural Veicular GNV Utilizado como Combustível, a Bordo de Veículos
Automotores.
2.3. Portaria Inmetro nº 02/1999
Estabelece as regras procedimentais, com vistas à apuração das penalidades previstas na
Lei Federal nº 5966/73 e define regras para interdição/apreensão cautelar;
2.4. Portaria Inmetro nº 231/2006
Determina a adequação ao Regulamento de Avaliação da Conformidade quanto ao uso
do selo de identificação da conformidade;
2.5. Portaria Inmetro nº 433/2008
Estabelecer os critérios para o Programa de Avaliação da Conformidade para o serviço
de requalificação de cilindros de alta pressão para armazenamento de gás natural
veicular, em atendimento à Resolução Contran nº 262/2007 e às normas ABNT NBR
12274:2003 e ABNT NBR ISO 11623:2002, de forma que possa operar com segurança.
2.6. RTQ 37
Estabelece os critérios a serem seguidos pelo Organismo de Inspeção Acreditada pelo
Inmetro, e por Instituições Técnicas de engenharia homologadas pelo DENATRAN,
para inspeção de veículos rodoviários automotores com sistema de GNV instalados, por
instaladores registrados no Inmetro;
2.7. ISO 4705-D;
Cilindros de GNV
2.8. ABNT NBR 12274
Inspeção em cilindros de aço, sem costura, para gases.
2.9. ISO 11439
Cilindros de aço, sem costura, para gases.

3. CONDIÇÕES GERAIS
3.1. Em todos os locais de armazenamento, transporte, exposição ou venda de cilindros
de GNV (artigo 6º da Lei 9933).
Março/2012 - Página 1
3.2. Determinar que, a partir de 01 de janeiro de 2011, os cilindros de armazenamento
de GNV deverão ser comercializados por fabricantes, importadores, atacadistas e
varejistas, somente em conformidade com os requisitos estabelecidos no Regulamento
ora aprovado. (artigo 4º Portaria Inmetro 298/2008).

4. METODOLOGIA
4.1. Produtos que não ostentam a identificação da certificação no âmbito do SBAC
4.1.1. Sem Certificação
4.1.1.1. Apreender/Interditar cautelarmente e notificar a firma fiscalizada para
apresentar o documento fiscal de origem do produto;
4.1.1.2. Lavrar Auto de infração para empresa fiscalizada;
4.1.1.3. Apresentado o documento fiscal, autuar o fabricante/importador.

4.2. Produtos que ostentam a identificação da certificação no âmbito do SBAC


4.2.1. Sem Certificação
4.2.1.1. Constatado o uso indevido da identificação da certificação, apreender/interditar
cautelarmente e notificar a empresa fiscalizada a apresentar o documento fiscal do
fornecedor;
4.2.1.2. Apresentado o documento fiscal, autuar o fabricante/importador;
4.2.1.3. Não apresentado o documento fiscal, lavrar o Auto de Infração para a empresa
fiscalizada por não comprovar a origem do cilindro.

4.2.2. Certificado
4.2.2.1. Verificar nos cilindros novos as seguintes marcações:
a) Norma de fabricação (ISO 4705 D);
b) Número de série de fabricação;
c) Data de fabricação;
d) Símbolo do fabricante;
e) País de origem (duas letras);
f) Capacidade volumétrica.
Observação: Verificar também se a etiqueta informativa no cilindro e o manual do
usuário acompanham o cilindro.

4.2.2.2. Todos os cilindros requalificados devem ostentar o número de série de


fabricação e a marca do seu fabricante.

4.2.2.3. Na falta de parte ou todas as informações acima nos cilindros novos ou


requalificados, notificar para a apresentação dos documentos fiscais;
4.2.2.4. Apresentado o documento fiscal, autuar o fabricante/importador;
4.2.2.5. Não apresentado o documento fiscal, lavrar o Auto de Infração para a empresa
fiscalizada, por não comprovar a origem do mesmo.

4.3. EMPRESAS REQUALIFICADORAS NÃO CERTIFICADAS.


NOTA - Fica estabelecido prazo, até 1° de janeiro de 2001, para que as empresas de
Requalificação atendam às exigências para certificação de seus serviços.

4.3.1. Autuar a empresa por estar fazendo requalificação de cilindros de GNV, sem estar
certificada por um Organismo de Certificação Acreditado pelo Inmetro.

Março/2012 - Página 2
4.3.2. REQUALIFICAÇÃO FORA DO LOCAL PERMITIDO.
4.3.2.1. Autuar a empresa por estar fazendo requalificação de cilindros de GNV, fora do
espaço permitido.

Irregularidades SGI – 3281 Cilindros para GNV


Nº Descrição
9 Ausência da data de fabricação (mês e ano).
10 Ausência da identificação do fabricante.
11 Ausência da identificação do país de origem.
12 Ausência da pressão de serviço numa dada temperatura.
13 Ausência das palavras "SOMENTE GNV".
14 Ausência das palavras "NÃO UTILIZAR DEPOIS DE XX/XXXX".
15 Ausência das palavras "Usar somente Dispositivos de Alívio de Pressão (DAP)
aprovados pelo fabricante".
16 Cilindros de GNV sendo comercializado sem ostentar o selo de identificação da
conformidade.
17 Descumprimento da solicitação de apresentação dos documentos fiscais.

Irregularidades SGI – 3283 Serviço de Requalificação de Cilindros para GNV


Nº Descrição
7 Serviço de Requalificação de Cilindros de Aço para GNV, sendo realizado por
empresa que não possui a devida certificação do Inmetro, feita por Organismo de
Certificação Acreditado pelo Inmetro.
8 Cilindros de aço destinados ao armazenamento de gás natural veicular sendo
comercializado com a seguinte irregularidade: ausência do ano de fabricação.
9 Cilindros de aço destinados ao armazenamento de gás natural veicular sendo
comercializado com a seguinte irregularidade: ausência do nome, logotipo do
fabricante ou procedência do fabricante/importador.

Março/2012 - Página 3
10 Cilindros de aço para gás natural veicular sendo comercializado com a seguinte
irregularidade: Ausência do número da norma de fabricação.
11 Cilindros de aço para gás natural veicular sendo comercializado com a seguinte
irregularidade: Ausência da capacidade volumétrica do cilindro.
12 Cilindros de aço para gás natural veicular sendo comercializado com a seguinte
irregularidade: Ausência do número de fabricação.
13 Serviço de requalificação em cilindros de GNV sendo realizado fora do local
permitido pelo Inmetro (certificado).
14 Cilindros de aço para gás natural veicular sendo comercializado sem a devida
certificação aprovada no âmbito do Sistema Brasileiro de Certificação.
15 Cilindros de aço requalificado para gás natural veicular sendo comercializado sem
ostentar o selo de identificação da conformidade aprovado no âmbito do Sistema
Brasileiro de Certificação.

DESTINAÇÃO DOS PRODUTOS APREENDIDOS

Doação: O Órgão não poderá realizar a doação dos produtos.

Destruição: O Órgão Delegado deverá atender o item 6 da Portaria Inmetro 319/2011,


inutilizando os produtos através de várias maneiras como: rolo compressor, quebra dos
produtos, entre outros. . Feito isso, poderá realizar a doação desses resíduos para ajuda
social.

Março/2012 - Página 4

Centres d'intérêt liés