Vous êtes sur la page 1sur 2

CELEBRAÇÃO DA DISCIPLINA O CAMINHO DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL

DISCIPLINAS INTERIORES

I I – ORAÇÃO

 A oração verdadeira não é “só pedir coisas para Deus”, mas falar com Deus e também
ouvi-lo
o I Samuel 3:10 “Então, veio o Senhor, e ali esteve, e chamou como das outras
vezes:Samuel!Samule! Este respondeu: Fala, porque o teu servo ouve.”
 A oração verdadeira não tem sempre que ser uma luta, como um peso ou uma
responsabilidade “esmagadora”; pelo contrário, é um refrigério para nossa alma
o Salmo 91:1-2 “O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz
ao Senhor; Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio.”
 A oração verdadeira não considera que as coisas sejam fixas e imutáveis
o Jeremias 33:3 “ Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não
sabes.”
o II Crônicas 7.14 “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, e me
buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus
pecados e sararei a sua terra.”
o Salmo 2:8 “ “Pede-me, e eu te darei as nações por herança e as extremidades da terra por tua
possessão.”
 a oração verdadeira não nos permite concordar com a ideia de que a nossa fé é
insignificante ou insuficiente pelo fato de que, como já sabemos, nossas orações não
serão sempre respondidas da forma que desejamos
o Mateus 17:19-21 “Então, os discípulos, aproximando-se de Jesus, perguntaram em particular:
Por que motivo não pudemos nós expulsá-lo? E ele lhes respondeu: Por causa da pequenez da
vossa fé. Pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este
monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível. Mas esta casta não se
expele senão por meio de oração e jejum.”
 A oração verdadeira nos muda. Quando oramos, mas no fundo não estamos realmente dispostos a mudar
“abandonamos a oração como característica perceptível de nossas vidas. Quanto mais nos aproximamos do
pulsar do coração de Deus, tanto mais vemos nossa necessidade e tanto mais desejamos assemelhar-nos a
Cristo”, explica Foster. Ou seja, a oração verdadeira sempre nos transformará.
o 2 Coríntios 3:18 - “ E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a
glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo
Senhor, o Espírito.”
o “quando olhamos para os gigantes da fé, ao invés de flagelar-nos por nossa falha óbvia,
deveríamos lembrar de que Deus sempre nos encontra onde estamos e lentamente nos conduz às
coisas mais profundas”. Richard Foster.
 A oração verdadeira é algo que aprendemos. Os discípulos de Jesus sabiam disso e por este fato disseram:
o Lucas 11.1 “Senhor, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos.”
o Em seguida, Jesus lhes disse como fazer Lucas 11.2-13: “ Quando orardes dizei: Pai, santificado
seja o teu nome; venha o teu reino; o pão nosso cotidiano dá-nos de dia em dia; perdoa-nos os
nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo o que nos deve; e não nos dixe cair em
tentação. Qual dentre vós, tendo um amigo, e este for procurá-lo à meia-noite e lhe disser:Amigo,
empresta-me três pães, pois um meu amigo, chegando de viagem, procurou-me, e eu nada tenho
que lhe oferecer. E o outro lhe responda lá de dentro, dizendo: Não me importunes; a porta já está
fechada, e os meus filhos comigo também já estão deitados. Não posso levantar-me para tos dar;
digo-vos que, se não se levantar para dar-lhos por ser seu amigo, todavia, o fará por causa da
importunação e lhe dará tudo o de que tiver necessidade. Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á;
buscai e achareis; batei e abrir-se-vos-á. Pois todo que pede recebe, o que busca encontra; e a
quem bate, abrir-se-lhe-á. Qual dentre vós é o pai que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma
pedra? Ou se pedir um peixe, lhe dará em lugar de peixe uma cobra? Ou se lhe pedir um ovo lhe
dará um escorpião? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto
mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?
 A oração verdadeira é simples e descomplicada.
o De acordo com Foster, “nunca deveríamos complicar demais a oração. Somos propensos a isso,
uma vez que entendemos que a oração é algo que devemos aprender. Jesus, porém, nos ensinou
a nos dirigir como crianças a um pai, ensinou-nos a orar pelo pão de cada dia. Uma criança pede
a refeição matinal na plena confiança de que lhe será provida. Ela também não acha difícil ou
complicado conversar com seu pai, nem se sente constrangida por trazer à atenção dele as suas
mais simples necessidades”
 A gente participa com Deus. Não podemos deixar de nos perguntar:
o Tenho praticado a verdadeira oração ensinada por Jesus?
o Tenho tido uma postura ensinável quanto à oração?
o Pela prática da oração, tenho sido efetivamente transformado?
o Deus, através do seu Espírito, deseja revolucionar a sua vida de oração! Lembre-se: “Somos
cooperadores de Deus!”