Vous êtes sur la page 1sur 114

Os Segredos dos Mestres:

Como estudar para tudo


e se preparar para as
provas
O Guia Definitivo.

1
Os Segredos dos Mestres:
Como estudar para tudo
e se preparar para as
provas
O Guia Definitivo.

2
Dedico esta obra à todos aqueles que desejam se aperfeiçoar nos estudos e
assim conseguir a tão sonhada aprovação.

3
“No que diz respeito ao empenho, ao esforço e à dedicação, não
existe meio-termo. Ou você faz uma coisa bem-feita, ou não faz”
Ayrton Senna.

4
Sumário
Apresentação: .................................................................................................... 6
Capítulo 1: Inteligência Emocional ..................................................................... 8
Capítulo 2: Desvendando os mistérios da mente ............................................. 25
Capítulo 3: As 11 dúvidas e questionamentos mais frequentes dos estudantes
......................................................................................................................... 36
Capítulo 4: Organização e Planejamento de Estudos ...................................... 45
Capítulo 5: Estudando ...................................................................................... 53
Capítulo 6: Estudando conforme o tempo que se tem disponível .................... 79
Capítulo 7: O que fazer e o que NÃO FAZER na véspera da prova ................ 82
Capítulo 8: Um dia antes da prova ................................................................... 85
Capítulo 9: Fazendo provas ............................................................................. 87
Capítulo 10: Depois da prova ......................................................................... 105
Finalizando: .................................................................................................... 112
Sugestão de leitura: ....................................................................................... 114

5
Apresentação:

Como este guia foi elaborado?


Este guia foi elaborado a partir de experiências não só minhas, mas de pessoas
que também já passaram por uma jornada árdua de estudos, provas,
reprovações e novas tentativas, e que finalmente, depois de insistirem e
perseverarem, foram aprovadas.
Este Guia ainda contém dicas de especialistas em concursos públicos,
campeões brasileiros de memorização e mestres pedagógicos.
Procurei resumir ao máximo possível este livro, afinal de contas você já tem tanta
matéria para estudar, não é mesmo? Por isso, algumas dicas são
autoexplicativas e dessa forma não discorri mais a respeito delas.

Mais quem sou eu e o que tenho de tão especial?

Acho que não vou te dar uma notícia boa. Não, eu não sou nenhum nerd com
conhecimentos fora do normal que vai te dizer como passar fácil e rápido, apenas
estudando 2 ou 3 horas por dia durante 3 meses, como algumas pessoas
costumam prometer. Aprenda que na vida não há atalhos. Se existe algum
segredo, é que não existem segredos. Os passos já estão aí, cabe a você ter a
disciplina de segui-los.
Não nasci com Q.I acima da média, acho que se tenho algo de bom é que gosto
muito de ler e sou extremamente exigente e disciplinado no que faço. Há,
também não passei em 10, 15 ou 20 concursos como algumas pessoas dizem
que passou. Não, eu não fiz tantos concursos assim, na verdade, eu só passei
em dois, e só não passei em mais porque parei de fazer concursos.
Mas parei de fazer provas porque já havia passado? Não, eu sequer tomei
posse. Na página seguinte eu explico os motivos.
Acho que ainda que eu não tivesse passado em concurso nenhum você deve ler
o que tenho a dizer, afinal de contas, a maioria das dicas aqui presentes foram
dadas por outras pessoas. Isso mesmo! Em um só livro você tem as dicas dos
principais mestres em ensino, estudo, motivação e memorização.
Não é preciso reinventar a roda, basta seguir as dicas de quem chegou lá. Eles
passaram, eu passei e você também passará. Basta pagar o preço. Vamos ao
que interessa!

6
Antes de começar, responda verdadeiramente esta pergunta. A
resposta deve vir de dentro.

Concurso Público é mesmo para você?

Essa dúvida nem sempre é sinal de fraqueza e insegurança de quem ainda não
passou. Você deve ter em mente que concurso público não é o único meio de
você ganhar a vida com dignidade.
Confesso que me fiz essa pergunta algumas vezes ao longo da minha
caminhada de “concurseiro”, mas de início, eu não queria assumir a verdade
para mim mesmo, e perder anos de estudo em vão. Eu era mais um, perdido no
meio da multidão, sem saber o que fazer, em busca de estabilidade e
tranquilidade no emprego. Além do mais, estudar para concurso era o que todo
mundo estava fazendo, e eu não queria parecer diferente dos meus amigos e
conhecidos mais próximos.
Nada de errado você querer seguir na carreira pública, mas antes disso, se
pergunte se é isso o que verdadeiramente você quer.
No meu caso, eu não queria. Na verdade, nunca me dei bem cumprindo horários,
sempre trabalhei com negócios próprios nos quais me permitia fazer meus
horários e ter mais liberdade para curtir a vida.
Então, mesmo antes de passar nos concursos do TRT da 3º Região 2015 e da
CODEBA 2016, já sabia que não iria seguir esse rumo.
Responder de forma verdadeira essa pergunta te fará pensar ou ir atrás do que
te faz feliz em termos profissionais. Você só pode ser bem-sucedido fazendo
aquilo que ama, e no final das contas, deixa de ser trabalho e vira hobbie
remunerado. Nesse caso, você pode trabalhar até mais do que 8 horas por dia
sem se cansar ou reclamar, dependendo do caso.
Portanto, antes de prosseguir com a leitura e com os estudos, tenha absoluta
certeza de que é isso mesmo que VOCÊ quer, e não o que os outros querem
que você faça. Tendo essa certeza, você irá estudar com muito mais atenção e
afinco.

7
Capítulo 1:

Inteligência Emocional

Dica 1: Elimine suas crenças limitantes.

“A batalha é quase sempre ganha na mente. É pela renovação de nossa mente


que nosso caráter e comportamento se transformam”
John Stott

Se você ao mesmo tempo em que estuda para provas de concursos ou


vestibulares e ENEM acha que não é capaz de passar, você está certo, você não
vai passar. Se acredita que é possível, isso se torna possível.
Não perca tempo pensando na concorrência, em possíveis fraudes, em
suspensão de concursos, no número de inscritos, nas poucas quantidades de
vagas, se você já está preparado, se a terra vai continuar girando, se o sol vai
amanhecer quadrado, e se, e se....
Que coisa mais chata!
Isso tudo vai mimando a sua autoconfiança, e termina por fazer você desistir, ou
já estudar e fazer provas de modo displicente para que não passe e assim
confirme a sua crença.
Nossa mente é especialista em criar problemas que na verdade não existem e
nunca irão existir. Uma das melhores coisas que você pode fazer por você é
saber como dominar e controlar seus pensamentos, mas isso já é assunto para
a próxima dica.

Dica 2: Controle seus pensamentos.

Você já parou para pensar sobre o que está pensando? Já percebeu que os seus
pensamentos vêm e vão sem que você tenha muito controle sobre eles?
Vou te dizer algo muito importante: entre o estímulo e a resposta a esse
estímulo, há a liberdade de escolha do ser humano.
No livro “os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, Stephen R. Covey nos
conta que a liberdade de escolha abrange os dons que nos tornam humanos,
distintos dos outros animais. Além da autoconsciência, temos a imaginação, a
capacidade de criar, na mente, imagens que transcendem a realidade presente.
Temos a consciência, um entendimento profundo do que é certo e do que é

8
errado, dos princípios que governam nosso comportamento, e a noção do grau
em que nossos pensamentos e ações estão em harmonia com eles. Temos
também a vontade independente, a capacidade de agir conforme manda a
autoconsciência, livre de qualquer influência.

Mas porque estou te falando tudo isso?

Porque é necessário estar atento a nossos pensamentos, e aprender a controla-


los ou eliminá-los de nossa mente, se preciso, caso os mesmos estejam nos
prejudicando.
São pensamentos a respeito de problemas, muitas vezes inexistentes. São
pensamentos negativos, que nos levam para baixo e atrapalham nosso
rendimento nos estudos. São pensamentos a respeito de problemas reais, como
contas a pagar, que igualmente tomam nossa atenção e atrapalham nossa
concentração. São pensamentos que fazem você desviar-se de um rumo antes
planejado e tomar outro, sem fazer uma análise precisa de sua viabilidade, entre
tantos outros.
Dessa forma, já sabe que precisa ficar atento aos pensamentos, e também
precisa eliminá-los sempre que preciso for para impedir que eles te atrapalhem.
Uma dica para lhe dar com problemas é focar na solução e não no problema em
si. Em primeiro lugar, se pergunte se esse problema é real. Se não for real,
descarte-o. Se for real, faça outra pergunta. Pergunte se o problema tem
solução. Se não tiver solução, você não pode fazer nada. Então a saída é
simplesmente aceitar que você, como ser humano limitado que é, não tem como
resolvê-lo. Se o problema real tiver solução, faça um check list de ideias que
podem ser adotadas para a sua resolução, decida qual caminho seguir em
termos de viabilidade e mãos à obra!

Dica 3: Usando a meditação.

Você que nunca ouviu falar sobre meditação e seus benefícios, ou que já ouviu
mas não deu a devida importância, não sabe o que está perdendo. A meditação
é capaz não só de trazer benefícios ao seu estudo e rendimento, mas também a
sua vida e saúde de modo geral.
Em linhas gerais, o objetivo central da meditação é trazer sua atenção para o
presente, focando apenas nele, e esquecendo do que ocorreu no passado e
impedindo que pense em demasia no futuro e nos problemas que tem que
resolver.

9
Para atrair a sua atenção e focar no presente, controlando assim seus
pensamentos (isso mesmo, a meditação ajudará você a conseguir cumprir a dica
2), duas técnicas utilizadas na meditação é o acompanhamento de sua
respiração, e o foco numa palavra ou mantra.
Dentre os inúmeros benefícios da meditação, comprovado inclusive por estudos
científicos, posso destacar:
 Redução do estresse e consequentemente maior paciência e
tranquilidade;
 Redução da hipertensão;
 Redução dos níveis de colesterol;
 Melhora da saúde em geral;
 Aumento da expectativa de vida;
 Proporciona alivio sobre dores;
 Melhora do humor.

Repito, o benefício da meditação para estudantes é que, ao deixa-lo você com


foco no presente, ela irá reduzir seus níveis de estresse causados naturalmente
durante a sua preparação. Isso o fará se sentir mais confiante e preparado para
encarar as provas.
Você pode estabelecer o hábito de meditar sempre antes do início da sua sessão
de estudos. O objetivo no caso é fazer a preparação da mente para receber o
novo, fortalecer o interesse no aprendizado e facilitar o processo de
concentração e com ele a memorização.
Não é objetivo desse livro ensinar sobre a arte da meditação, mas vou deixar
aqui duas dicas de livros que li quando era leigo no assunto, e que me ajudaram
muito a iniciar essa prática milenar bastante saudável:
 A arte da meditação, de Daniel Goleman, e;
 Meditação para leigos, de Stephan Bodian.

Antes de finalizar este tópico, é importante você saber o quão simples é meditar,
que só tomara poucos minutos do seu dia e que você não precisa se tornar um
monge budista ou zen recluso para poder desfrutar dos benefícios da meditação.

Então, está recomendado, e espero que você leve a sério essa dica!

Dica 4: Estude com amor.

10
Você já parou para pensar que quando você está fazendo algo de que gosta, ou
conversando com alguém que ame ou assistindo algum programa que tenha
elevada afinidade, aquele acontecimento fica registrado por mais tempo no seu
cérebro?
É isso mesmo, use a emoção, o gostar, o querer durante a sua trajetória de
estudos e se possível durante toda a sua vida, afinal de contas, a vida é muito
curta para se viver infeliz e de forma que não seja plena.
Se você aprende a amar os estudos e ver um sentido disso tudo, duas coisas
irão acontecer:
1) Você poderá estudar por mais tempo, sem sentir que essa atividade é
enfadonha e cansativa.
2) Você aprenderá mais facilmente, e reterá o conteúdo por mais tempo em
sua memória.

Acho que para amar o que faz, você precisa antes de tudo estar motivado, que
é o tema da próxima dica.

Dica 5: Esteja sempre motivado, ou em 99% do tempo, no mínimo.

“Se você quer ser bem-sucedido, precisa ter dedicação total, buscar seu último
limite e dar o melhor de si”
Ayrton Senna

Costumo dizer quando me perguntam sobre o que é necessário para vencer na


vida e, em última análise, nos concursos: o sucesso é uma combinação de 90%
de transpiração + 10% de motivação.
Estudar, ralar, aprender é muito importante, sem dúvida. Mas é a motivação que
dá o combustível para que as coisas aconteçam.

Mas como criar motivação?

Sinto muito em te dizer, mas você pode assistir a dezenas de palestras, contratar
um coach motivacional e de estudos ou ler uma pilha de livros sobre o tema, e
ainda assim se sentir desmotivado.
A motivação vem de dentro, por inúmeras e diversas causas, e é muito
importante que a tenha, que a busque dentro de si mesmo, que descubra por si
só o que o deixa motivado.

11
Uma pergunta que deve fazer, como já explicado, é se o concurso público é
mesmo para você, pois uma das causas de sua desmotivação pode justamente
estar no fato de que você inconscientemente não deseja, lá no seu íntimo, ser
aprovado, pois não se satisfaz com esse tipo de carreira. Acredite em mim, isso
aconteceu comigo, mas aconteceu tarde demais de forma que eu já havia
passado no concurso, o que nem por isso diminuiu minha vontade e motivação
pessoal de fazer o que gosto.
Existem vários motivos que podem fazer disparar em você o gatilho da
motivação, para continuar estudando até passar, mesmo depois da pressão da
família e dos amigos, mesmo depois do fracasso em uma prova passada:
 A possibilidade de realização profissional;
 A estabilidade no emprego;
 A possibilidade de comprar o carro dos seus sonhos;
 A ida a lugares almejados onde nunca esteve antes;
 A possibilidade de curtir melhor a vida, e ter mais tempo para sua família;
 A sensação de se sentir valorizado pelos amigos e pela sociedade em
geral;
 A possibilidade de dar uma educação melhor para seus filhos;
 A possibilidade de comprar uma casa para seus pais;
 A possibilidade de contratar um seguro de saúde para você e sua família;
Essa lista não tem fim.

Sim, eu sei, as dificuldades e pressões do dia a dia por vezes nos atrapalham e
nos desanimam, colocando nossa autoestima e motivação para baixo. Você não
é obrigado a se manter empenhado e entusiasmado por buscar um objetivo o
tempo todo. O que não pode acontecer é você permitir que o estado de desânimo
chegue e faça morada por muito tempo.
Estudou “pacas”, viajou para outra cidade para fazer prova, se cansou bastante
e no final ainda não obteve a aprovação? É natural que venha o desânimo, a
descrença e como consequência a perda da motivação para conseguir seguir
em frente. O que você não pode é se deixar abater a ponto de desistir.

“Ninguém baterá tão forte quanto a vida. Porém, não se trata de quão forte pode
bater, se trata de quão forte pode aguentar apanhar e permanecer de pé”

Rocky Balboa

Dica 6: Não tenha pressa.

12
Passar em provas requer inteligência emocional. Você deve ter domínio sobre
suas emoções, e controlar sentimentos de ansiedade e impaciência.
Tenha em mente que cada pessoa é um ser único, individual, que tem um ritmo
específico de aprendizagem e, a depender do nível do concurso e da quantidade
de horas disponíveis por dia para os estudos, você precisará de alguns anos
para se sagrar vitorioso e conseguir seu objetivo.
Já dizia o velho ditado: a pressa é inimiga da perfeição. Se você não tiver
paciência, com certeza seu estudo e preparação estão fadados ao fracasso.
Você sequer irá estudar da forma correta, já que as melhores técnicas de estudo
irão tomar mais o seu tempo, tempo que você pode não querer perder.

Dica 7: Não se imponha um prazo.

A dica 7 é uma derivada da dica anterior. Nós somos diferentes e cada um vai
ter um prazo diferente para passar no concurso, isso é certo. Vai depender do
seu nível de conhecimento quando começou, do nível do concurso e da forma
como está estudando, daí a importância de estudar corretamente.

Dica 8: Não olhe para a grama do vizinho.

É comum as pessoas que estão estudando procurarem exemplos de pessoas


que estudaram e já passaram, para saber de que forma ocorreu, e seus truques
e métodos utilizados.
Isso é bom? Sem dúvida alguma. Se você quer algo, descubra quem já
conseguiu e o que fez para conseguir.
Só que no caso dos concursos há um problema. Saber de histórias e casos de
sucesso muitas vezes pode se tornar um problema. Pode deixar a pessoa ainda
mais deprimida do que já está, caso ela constate que fulano passou em um
concurso estudando somente por 6 meses, e ela que já está há cerca de 2 ou 3
anos na “labuta” ainda não conseguiu.
Outra coisa que você deve ficar atento é que nem sempre as coisas são como
são. Será mesmo verdade que aquela pessoa passou em um concurso
“hiperultramega” concorrido estudando apenas 6 meses por 2 horas por dia?
Fique esperto, utilize casos de sucesso e superação para te fazer bem, para te
motivar, e não para te deixar para baixo.

Dica 9: Não se cobre demais.

13
Eu sei, a pressão e o desejo de passar logo e desfrutar dos benefícios da carreira
pública pode fazer você querer “apressar o passo”. Entretanto, a cobrança
excessiva de sua parte irá atrapalhar sua caminhada rumo à aprovação.
Entenda que o conhecimento é cumulativo e vem com o tempo. Tenha paciência
e com o seu esforço irá percebendo aos poucos a sua evolução enquanto
concurseiro.
Portanto, vá fazer simulados e provas de forma leve, sem carregar um enorme
fardo e pressão sobre seus ombros. Ninguém mais do que você sabe do esforço
que está fazendo. Vá com a consciência tranquila, sabendo que está fazendo o
seu melhor, e se não for dessa vez, na próxima você chegará ainda mais perto,
pois está acumulando conhecimento e experiência vencedora.

Dica 10: Não preste atenção nos concorrentes.

Prestar atenção no número de inscritos, na forma como estudam, se estão mais


preparados que você e acertam mais questões no simulado, só irá deixar você
desanimado, com medo e com baixa autoestima e confiança no dia da prova.
Você já vai chegar na guerra derrotado!
Imagine o que seriam dos vietcongues na guerra contra o todo poderoso Estados
Unidos se carregassem consigo essa mentalidade perdedora?
Os concursos, assim como a vida, não é uma ciência exata. Pare de procurar
um padrão para as coisas!
No dia da prova, um candidato mais bem preparado que você pode perder o
horário, pode estar passando mal, pode já ter sido aprovado em outro concurso
e nem ir fazer a prova, e você aí se preocupando com ele.
Preocupe-se com você, e se estará inteiro no dia da prova.

Dica 11: Foco nos estudos, somente.

A dica 11 é derivada da dica 10. O concurseiro que não vai passar perde um
tempo precioso que poderia estar sendo dedicado aos estudos pensando sobre
a possibilidade do fim dos concursos, do fim do órgão no qual deseja ingressar,
em possíveis fraudes, se está estudando com o melhor material, se está
estudando da forma correta, dentre tantas outras preocupações.

14
Sei, é importante estudar correto, e você deve procurar um feedback a respeito,
do contrário nem estaria lendo este e-book, mas a partir do momento em que já
sabe o que fazer, faça e para de ficar perdendo tempo com coisas irrelevantes.
Tem gente por exemplo que deixa de estudar completamente a matéria para
estudar como se deve estudar a matéria. Definitivamente você não deve fazer
isso.

Dica 12: Estude menos, mas estude todo dia.

O Professor Pierluigi Piazzi, ou professor Pier, como era chamado e conhecido


por seus alunos, no seu livro “Inteligência em Concursos”, nos chama atenção
para a importância de como levamos o processo de estudo.
Segundo o Professor (antigo membro da MENSA, uma organização
internacional que se dedica a identificar e cultivar a inteligência humana para o
benefício da humanidade) é melhor que você estude 2 horas por dia do que 8 a
10 horas uma vez na semana.
Isso porque ao entrar em contato com o conteúdo diariamente, o cérebro irar
fixar de forma mais fácil o que foi estudado. Outra coisa também importante, que
não deixa de ser uma dica, é que você não deve forçar muito e tentar captar
muitas informações por dia, o cérebro simplesmente não dá conta.
Se você tem muitas horas por dia disponíveis para estudo e quer usá-las de
forma mais eficiente, intercale leitura, elaboração de resumos e mapas mentais
com a resolução de muitas questões, dessa forma vai evitar que sobre tempo
para você estudar outros temas sem efetivamente fixar o anterior.

Dica 13: A preguiça é inimiga da perfeição.

Você pode até já estar sabendo de todos os truques e técnicas de estudo, mas
não colocou em prática nenhum, sabe por qual motivo? Preguiça.
No capítulo 5 você terá a sua disposição um “arsenal” de técnicas de estudo de
que pode utilizar. Sei, não é obrigatório que utilize todas elas, mas você deve
experimentá-las e ver as que melhor se adapta a você.
Muitas dessas técnicas são trabalhosas, como a elaboração de mapas mentais
e fichas de resumo, por exemplo, o que pode fazer você desistir de usá-las por
pensar que está perdendo tempo, o que por si só também é um tipo de pressa
(Não tenha pressa – dica 6).
Vá por mim, siga o que te digo agora: estudar malfeito vai fazer com que você
precise estudar/revisar mais vezes para aprender efetivamente uma matéria,

15
então quando perceber, estará perdendo até mais tempo do que se tivesse feito
a coisa da maneira correta desde o início, e, o que é pior, ainda não vai ter
conseguido passar.

Dica 14: Tenha foco.

Uma das dicas mais importantes que eu posso te dar sobre ter inteligência
emocional para concursos é essa.
Vou dar alguns exemplos de falta de foco:
 Você quer estudar para concurso, mas ao mesmo tempo trabalha, faz
faculdade e tem um blog para falar de alguma de suas paixões e
compartilhar com o público;
 Você quer fazer concurso para a área fiscal, para tribunais, para carreiras
policiais e ainda para carreiras bancárias, pois “ama de paixão” o Banco
do Brasil;
 Você estuda para uma área específica, mas saiu 4 editais
simultaneamente com muitas matérias diferentes e você não pode perder
nenhum desses concursos;
 Você estuda cada matéria por 5 materiais diferentes;
 Você quer estudar para concursos, mas ao mesmo tempo quer estudar
um idioma, quer estudar empreendedorismo e quer montar uma empresa
que conserta cabos de vassoura.
Sabe quando você vai passar? Nunca!
Não estou jogando praga. Se acontecer, será porque você, apesar de tudo,
continuou estudando, mas provavelmente por volta de 2.055.

Um dos segredos do sucesso de quem chegou lá em sua área de atuação é sem


dúvida nenhuma o foco. Imagina se Elvis Presley resolvesse arriscar a sorte nos
campos de futebol, ou se Tiger Woods ao mesmo tempo que treina e joga golfe
fosse parar nas telinhas do cinema com o objetivo de ganhar o óscar?
Muita gente boa fracassou porque perdeu o foco. Poderia ficar falando sobre isso
por uma semana, mas vou lembrar apenas do caso do empresário Eike Batista.
Sem querer citar sua possível participação em crimes (quando escrevi esse
capítulo ele ainda não havia sido julgado), analisando bem os fatos, o fator
principal da sua derrocada enquanto empreendedor foi a perda de foco em seus
negócios, no início somente mineração, depois isso e mais petróleo, logística,
entretenimento, indústria da construção naval, dentre tantos outros. O
conglomerado foi crescendo de forma tamanha e tão rápida que foi difícil o
empresário, motivado também pela sua ambição, encontrar pessoas capazes e
competentes e alocá-las nas posições certas em suas inúmeras empresas.

16
Então você já sabe, tenha foco em tudo o que fizer na vida. Estabeleça planos e
metas, não muitos de cada vez, e vá conquistando um por um. Lembre-se do
ditado, quem muito quer nada tem. Devagar e sempre, passo a passo, uma coisa
de cada vez.

Dica 15: Estabeleça prioridades.

Estabelecer prioridades levará você a alcançar o que aconselhei na dica


passada, ou seja, ao foco tão necessário.
Você quer passar no concurso, mas ao mesmo tempo quer malhar 3 horas por
dia para se tornar a próxima Gabriela Pugliesi ou o próximo Silvester Stalloni?
Há, também quer assistir as novelas das 6, 7 e 9 horas e aquele programa
humorístico imperdível?
Não tem jeito, se você quer passar, o concurso e os estudos devem se tornar
uma prioridade em sua vida. Deixe de lado as frivolidades, pelo menos por
enquanto.
Um dos livros mais importantes de carreira que eu li, e foi logo um dos primeiros,
foi o do autor Joachim de Posada, intitulado “O motorista e o milionário”, que
conta uma fábula preciosa sobre a história de um milionário empresário e seu
motorista. Nele, o autor mostra o quão é importante a habilidade de se adiar
gratificações e de cumprir com o compromisso assumido. É assim que se é bem-
sucedido, dizia o livro.

Dica 16: Tenha disciplina.

O sucesso nada mais é do que tornar uma ação num hábito por determinado
tempo, que pode ser curto ou longo, ATÉ QUE O OBJETIVO ACONTEÇA.
Se você já fez sua programação de estudos, vá estudar, mesmo que algum
amigo chame para sair, mesmo que ficar sem fazer nada na internet seja uma
opção agradável, mesmo que viajar naquele momento lhe pareça ser legal para
descontrair um pouco...
Não se esqueça nem por um segundo o porquê você está aqui, na sua jornada
particular de superação pessoal. Mas também não se preocupe se deu uma
“escorregada” e faltou com o que prometeu. Não adianta se lamentar sobre o
que já passou, a partir de agora é daqui para frente, então, honre seu
compromisso, cumpra com sua rotina de estudos.
O megaempresário, investidor e escritor Roberto Kiyosaki, da série de livros “O
guia do pai rico”, explica em uma de suas obras que, sempre há e continuará
havendo oportunidades, simplesmente porque os erros se repetem.

17
Perceba quantas dicas de beleza, de dieta, de exercício, de como estudar, de
como enriquecer já foram dadas, e continuarão a ser dadas por toda a
eternidade. O segredo é que não há segredos. Se há segredo, é aquele que diz
que para ser bem-sucedido em seu intento, seja emagrecer, ganhar músculos
ou passar num concurso, você deve seguir as recomendações, as regras, o
roteiro, dia após dia, com disciplina.
Então você já sabe, a disciplina vai te levar longe. Sigamos em frente!

Dica 17: Só desista de desistir.

“A persistência é o caminho do êxito”

Charles Chaplin

Concurso não se faz para passar, mas até passar. Essa frase é do Juiz Federal
e guru dos concursos William Douglas, presente no livro “Como passar em
provas e concursos”.
Você já parou para pensar o quão magnífico seria o mundo se as pessoas não
desistissem de lutar por suas causas, e principalmente por causas que sejam
justas?
Há inúmeros casos de pessoas que desistiram apenas um pouco antes de se
tornarem um sucesso. Sabe quantas vezes Thomas Edison tentou e testou até
criar a lâmpada elétrica? Mais de 8 mil vezes.
E Walt Disney, sabe quantas vezes ele bateu portas à procura de financiamento
para o seu projeto de construir a Disney? Mais de 1 mil.
Creio que em se tratando de inteligência emocional, o foco, a disciplina e a
persistência são as 3 dicas mais importantes e que todo concurseiro não deve
perder de vista, se quiser ser aprovado.

“Muitos dos fracassos desta vida estão concentrados nas pessoas que
desistiram por não saberem que estavam muito perto da linha de chegada”

Thomas Edison

Dica 18: Seja humilde. Isso fará você furar a fila.

18
“Para passar em concursos públicos ou em qualquer tipo de prova, você deve
entrar na fila e permanecer nela”
William Douglas

Sim, ok, você deve fazer exatamente isso. Mas vou te contar um segredo que
vai te fazer furar a fila. Não, eu não vou sugerir que trapaceie, que manipule a
banca e cometa uma fraude no concurso, longe de mim. E quer saber, o país já
tem gente demais com caráter de menos.
O que quero dizer é que você pode furar a fila da aprovação apenas sendo mais
humilde, ou seja, sendo honesto com você e com os demais concorrentes.

Sabe como?

Basta você ter humildade para aceitar as dicas que venho propondo ao longo
desse e-book, que você realmente as coloque em prática e que perceba que está
precisando de ajuda, do contrário não estaria lendo este material.
Nada vai mudar (seu rendimento nos estudos e na prova) a menos que você
mude. Esteja aberto a mudanças, não banque o “bonzão” sabe de tudo, apenas
seja humilde e reconheça que precisa melhorar, isso fará você aprender mais
rápido que a concorrência a furar a fila, estudando bem menos tempo do que
esperava.

Dica 19: Fique atento.

Esteja atento ao seu desempenho ao longo da caminhada. Se as coisas


estiveram indo mal ou sentir que não há progresso, é hora de avaliar e mudar de
estratégia.
Na jornada de concurseiro, existe mais uma porção de coisas nas quais você
deve se manter atento:
 Nas regras do edital;
 Nos prazos de inscrição e data da prova;
 Nas dicas desse e-book.

Dica 20: Entenda a relação sacrifício/sucesso.

19
A vida é muito difícil, nada vem de forma fácil. Não há atalhos. Esqueça as
promessas de aprovação em 1 ou 3 meses, são pura enrolação.
Você precisa esquecer a história do conto de fadas e lutar, lutar muito pelo que
quer, é assim que você consegue.

Dica 21: Tenha equilíbrio.

A dica 14 dizia para você ter foco nos estudos e na vida, o que pode parecer
contraditório à primeira vista com a dica 21, do manter-se em equilíbrio, mas na
verdade não é.
Você deve saber o que quer e focar, sim é verdade, mas você não pode focar
demais a ponto de só querer estudar e negligenciar outras coisas que são
importantes na sua vida, como sua família, seu marido ou esposa ou o seu
trabalho, por exemplo.
Se isso acontecer, com o passar do tempo você terá problemas de
relacionamento, e isso irá atrapalhar em seus estudos.
É preciso compreender que dependendo de nossa idade, experiência e
circunstância, desempenhamos diversos papéis na vida.
Você deve dedicar tempo para criar seus filhos, dar atenção ao seu cônjuge,
praticar alguma atividade física, praticar alguma religião, servir a comunidade,
trabalhar etc.
Portanto, um dos segredos de se viver a vida de forma plena e em harmonia é
mantendo as coisas em equilíbrio. Há tempo para tudo, como diz a bíblia.
Outro ponto onde é importante manter o equilíbrio é quando for estudar, é
necessário que estude todas as matérias, de forma equilibrada, e não apenas as
que gosta. (Ver Dica 70 – Estude toda a matéria do edital, e com o mesmo
afinco)

Dica 22: Primeiro o mais importante.

“As coisas mais importantes nunca devem ficar à mercê das coisas menos
importantes”
Goethe

A frase acima foi tirada do livro “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”,
de Stephen R. Covey, um dos melhores livros que já li, e recomendo a leitura.

20
Primeiro o mais importante é um dos 7 hábitos propostos por Covey.
Transportando esse hábito para o seu universo de concurseiro, podemos tirar
algumas lições:
1) Foque somente no seu concurso “top” desejado, se é o que você pensa,
pois ele, para você, é o mais importante.
2) Coloque o concurso e os estudos acima de coisas como lazer, academia,
jogos de futebol do seu time, entre outras coisas; e
3) Comece suas atividades diárias sempre fazendo o que é mais importante,
deixe o que é secundário para depois.

Vá direto ao ponto, sem “enrolação”. Primeiro o mais importante. Se você quer


Receita Federal, para quê ficar estudando e se desgastando com matérias de
concursos menores, invés de se dedicar logo para o concurso da Receita?
Eu não vejo nenhuma razão para isso, a não ser o medo de não conseguir passar
no concurso da Receita ou a necessidade financeira, de custear sua subsistência
e/ou seus estudos. Nesse caso em particular, você deve mesmo fazer concursos
menores e depois sim partir para o da Receita.
Uma dica bem simples para você se tornar mais eficiente, é estruturar seus
objetivos e planos em termos de importância, começando a fazer o que é mais
importante. Você pode fazer isso também com seu planejamento diário, dando
prioridade para tarefas mais importantes. O que não importa, você deixa por
último, se não der tempo, não fará falta, quem se importa?

Dica 23: Respeite seu ritmo.

É importante respeitar o seu ritmo natural de concentração, para que não fique
sobrecarregado. Mais vale estudar 5 horas por dia com total concentração e foco
e fazer alguma atividade física 2 horas do que estudar ou dizer que estudou 7
horas e não aproveitar esse tempo por falta de atenção.
É comum ver pessoas no início da caminhada cometer este erro, não estão
acostumadas com leitura e estudos e de uma hora para outra querem ficar 6, 8
ou até 10 horas por dia sentadas numa cadeira estudando.
Pare aí, isso não vai dar certo!
Como já falei anteriormente (Ver dica 6 – não tenha pressa), o nosso cérebro
consegue armazenar apenas uma determinada quantidade de informações, se
tentar forçar demais você vai entrar em parafuso, e vai ficar estressado.
A caminhada deve ser leve, isso é feito buscando-se ter equilíbrio entre as várias
atividades e papéis da sua vida (Ver dica 21 – tenha equilíbrio).

21
Quem tem muito tempo disponível para os estudos e quer realmente estudar
todo esse tempo, eu recomendo que vá devagar, comece aos poucos para ir se
acostumando. No início pode estudar 3 horas por dia, em 3 blocos de 1 hora
cada, intercalando com outras atividades do seu dia a dia, e depois de 1 mês
aumentar mais 1 hora, e assim até completar o número de horas de estudo que
você havia planejado.

Dica 24: Cultive lembranças vencedoras.

Sérgio Carvalho, do livro “Como ser um concurseiro vencedor”, diz que que cada
vez que nos recordamos de um fato que nos marcou emocionalmente, nós o
revivemos e o evocamos, trazendo à tona todo o sentimento e emoção que ele
nos causou. Alimentar lembranças de vitória é algo que devemos fazer
constantemente.
Indo mais além, você já deve se imaginar vitorioso. Pense no que fará quando
for aprovado, na estabilidade e tranquilidade que terá, na alegria que vai sentir.
Isso dará um gás a mais para que continue estudando.
Cultive lembranças vencedoras, pensamentos derrotistas são combustível para
a derrota.

Dica 25: Assuma a responsabilidade.

A maioria das pessoas costuma olhar para o mundo e culpar, apontar fracasso
ou problema, quando na verdade o problema está com ela, e vem do SEU mundo
interior.
Não se saiu bem em alguma prova? Pare de culpar seu professor, a banca
organizadora, seu material de estudo.
A culpa pelo fracasso é exclusivamente sua, o que não impede você de avaliar
a prova e recorrer se for o caso.
Será que você estudou corretamente, com afinco, cumprindo o horário que você
estabeleceu para estudar? Faça um exame de autoconsciência.
Não assumir a responsabilidade é encobrir seus erros, e se você não percebe
que está errado, como vai mudar? Como vai melhorar?
Seja humilde, assuma a responsabilidade, assuma suas falhas. Você é falho, eu
sou falho, afinal de contas, somos seres humanos, não somos?
Outro efeito nefasto é se fazer de coitado. Não vou conseguir, não tenho
capacidade, o mundo e os iluminatis conspiram contra mim...pare! Você não vai
chegar a lugar nenhum desse jeito. Quer chamar atenção? É preferível colocar

22
uma melancia na cabeça do que ficar se lamentando, se lamuriando. Ninguém
vai sentir pena de você por isso, e é provável que se afastem de você.
O mundo não é dos coitados. Precisamos de mais gente de sucesso e vencedora
justamente para isso, para servir de exemplo e ajudar os “sofredores”.
Assuma a responsabilidade pelo que acontece com você, isso te dará “força”
para escrever seu próprio destino.

Dica 26: É preciso ter fé.

Às vezes as dificuldades e problemas da vida e o cansaço provocado pela rotina


estressante pode nos levar ao desânimo. É preciso ter fé para seguir em frente,
se você sabe que está fazendo a sua parte, uma hora será recompensado.
Quem disse para você que viver é fácil, ou morreu quando criança ou não estava
bem de suas faculdades mentais. Não se engane, a vida é dura, é árdua, e pode
ficar ainda pior e mais sofrida e medíocre se você perder a fé de que as coisas
mudarão.

Dica 27: Tenha confiança.

Fé e confiança andam lado a lado. Se você não tem confiança, não tem fé, se
não tem fé, não tem confiança.
Você já estuda há 2 ou 3 anos e sai um edital de um concurso compatível com
a sua área e com o que vem estudando e você diz que não vai fazer porque não
está preparado? Faça-me o favor, você nunca irá passar desse jeito. Deixe que
a banca diga a você, em forma de reprovação ou aprovação, se precisa estudar
mais ou não.
Um dos segredos mais importantes sobre como passar é justamente isso, vá
fazer as provas, quanto mais fizer, mais irá se acostumar com o ambiente e o
clima de tensão que dá na barriga antes do início da prova. Além disso, mais
“cascudo” e inteligente ficará.
Voltando a “parada” da confiança, é o seguinte: confiança é uma coisa que ou
você tem ou você não tem. Não tem como eu criar confiança em você, é algo
que deve partir de dentro para fora.
Se você está se preparando, está crescendo a cada prova e simulado, isso por
si só já é motivo para você comemorar e se sentir confiante. Sem mais.

Dica 28: Esqueça dos problemas antes de sentar para estudar.

23
Você senta para estudar, mas a briga com seu marido ou mulher não sai da sua
cabeça. Ou você pode ficar pensando nas contas a pagar, ou sobre o trabalho
que ficou acumulado para o dia seguinte.
Eu sei, esse tipo de problema é comum a todo mundo, mas temos que parar de
pensar em coisas desse tipo no momento em que estamos estudando, caso
contrário a concentração vai lá para baixo e junto com ela o seu rendimento.
Como posso melhorar minha atenção para que isso não atrapalhe em meus
estudos?
Retorne até a Dica 3 (Usando a meditação), se você já esqueceu ou não levou
tão a sério. A meditação irá acalmar sua mente e deixará você livre de alguns
pensamentos que atrapalham e estressam, a partir do momento em que deixa
você focado somente no presente. Tente meditar, garanto a você que vai valer
a pena.

24
Capítulo 2:

Desvendando os mistérios da mente

Dica 29: Saiba as sequências de operações mentais as quais o cérebro


deve ser submetido para facilitar o processo de memorização.

O professor Pierluigi Piazzi explica no livro “Inteligência em concursos” que o


processo de aprendizado é dividido em 3 fases, e entender isso irá fazer grande
diferença em seu rendimento.
1) Obtenção de informação:
É quando você assiste uma aula, seja ela por qual plataforma for, presencial, ou
por vídeo ou à distância. Esse é o primeiro contato, e apenas 1 das 3 etapas que
devem ser cumpridas. Esse processo é passivo, ou receptivo.
2) Estudar para aprender:
É quando você, após assistir a aula, senta sozinho e começa a estudar,
escrevendo e revisando sobre a matéria que acabara de ver. Esse processo é
ativo.
3) Dormir para fixar:
É durante o momento em que estamos dormindo que as redes neurais do
cérebro farão a conexão do novo com aquilo que já sabemos, encerrando o ciclo
de aprendizado.
Importante: As etapas/fases devem ser feitas exatamente nessa ordem. Se
você foi à aula e antes de estudar você dormiu, o trabalho do dia foi por “água
abaixo”.

Atitudes que favorecem à memorização:

Dica 30: Beba bastante água.

A qualidade dos seus estudos começa antes mesmo de você iniciá-lo.


O campeão brasileiro de memorização Renato Alves explica em seu livro
“Segredo dos Gênios: Manual de estudo para professores e estudantes” que
quem se esquece de tomar água prejudica o bom desempenho do sistema
nervoso, o que prejudica a absorção de informações, principalmente quando se
trata de matérias escolares e de outros dados complexos.

25
Para não se esquecer de tomar água, tenha sempre uma garrafa próxima e à
sua disposição.

Dica 31: Tenha uma alimentação saudável.

“Tome o café da manhã como um rei, almoce como um príncipe e jante como
um plebeu”
Autor desconhecido.

A frase acima estaria perfeita se ela acrescentasse algumas dicas do que comer,
pois comer bem e qualquer coisa não é sinônimo de alimentação saudável.
Ter uma alimentação saudável é fundamental para que as funções do organismo
funcionem de forma equilibrada. Uma alimentação saudável segundo os
nutricionistas é aquela composta por todos os macros e micronutrientes.
Os macronutrientes são os carboidratos (pães, massas e batatas, entre outros),
gorduras (como os óleos, as oleaginosas, abacate e outros) e proteínas (peixes,
ovos, carnes vermelhas, carne de frango, entre outros).
Enquanto os micronutrientes são as vitaminas e minerais, que estão presentes
nos mais diversos alimentos, como frutas, verduras, legumes, entre outros. As
fibras, a parte não digerível do alimento vegetal, a qual resiste à digestão e à
absorção intestinal, com fermentação completa ou parcial no intestino grosso,
também são essenciais para a alimentação saudável e estão presentes nos
alimentos integrais, nas frutas e verduras. Uma alimentação composta por estes
nutrientes de forma equilibrada costuma ser bem variada.
Ter uma alimentação saudável proporciona uma série de benefícios para as
pessoas. Ela contribui para a melhora no sistema imunológico, na qualidade de
sono, no trânsito intestinal, no humor, na capacidade de concentração e pode
contribuir até mesmo para a perda de peso.

Alimentos bons para a memória e concentração:


 Glicose (cereais integrais, legumes e frutas);
 Zinco (carnes vermelhas, ovos, ostras, caranguejo, laticínios e fígado);
 Selênio (grãos, alho, carne, frutos do mar, castanha-do-pará, nozes,
avelãs e abacate);
 Ferro (folhas na cor verde-escura, como o agrião, couve e cheiro-verde;
as leguminosas, como feijões, fava, grão-de-bico, ervilha e lentilha; e
grãos integrais ou enriquecidos);
 Fósforo (leite, carne bovina, aves, peixes e ovos, cereais, leguminosas,
frutas, chás e café)

26
 Vitamina E (azeites vegetais, cereais e verduras frescas)
 Vitamina C (frutas cítricas, a acerola e o Kiwi.)
 Vitamina B1 ou Tiamina (carnes, cereais, nozes, verduras e cerveja)
 Vitamina B3 ou Niacina (produtos de farinha branca enriquecida, legumes
e levedura fermentada)
 Vitamina B6 ou Piridoxina (fígado e carne vermelha, grãos integrais,
batatas, vegetais verdes e milho.)
 Vitamina B12 ou Cianocobalamina (alimentos de origem animal, carnes,
miúdos, leite em pó e produtos lácteos e ovo)
 Fisetina (frutas vermelhas (principalmente o morango), tomates, cebolas,
maçãs, pêssegos, uvas e kiwi.)
 Ômega 3 (peixes como atum, salmão, cavala e arenque)
 Carboidratos complexos (pães, de preferência integral, arroz integral,
barra de cereal e frutas)
 Cafeína (café, chá preto e o chocolate amargo).

Você pode até não consumir com regularidade todos esses nutrientes, mas deve
fazer uso da maioria deles.
Nunca estude de “barriga vazia” ou com fome. Segundo Renato Alves, campeão
brasileiro de memorização, em seu livro Segredo dos Gênios, nosso cérebro e o
sistema nervoso são responsáveis pelo consumo diário de 25% da energia
metabolizada pelo seu aparelho digestivo. A dieta que nutre e fornece as
vitaminas requeridas para o bom desempenho do cérebro deve conter cereais,
vegetais, legumes e frutas, e a melhor hora para ingerir esses alimentos é na
hora do café da manhã.
Portanto, se você não se alimentou direito logo ao acordar, já vai ter déficit de
desempenho durante o dia em suas atividades. Siga essa dica, procure se
alimentar bem, seu corpo, sua saúde e sua memória agradecem.

Dica 32: Faça exercícios físicos.

Você sabia que o sedentarismo é um dos grandes vilões da falta de memória e


da concentração?
A prática de exercícios físicos regulares traz, de modo específico, 2 benefícios
para as pessoas que estão estudando:
 Muda a química do sistema nervoso;
 Ativa a circulação, melhorando a oxigenação do cérebro e potencializando
o desempenho da inteligência.
Sei que as vezes a vida pode parecer corrida, e pode parecer que você não tem
tempo para cuidar do seu corpo, mas será mesmo que não tem?

27
Às vezes pode ser apenas um pretexto para não tomar a atitude correta e
começar a se exercitar. Pense nisso!
Você pode:
 Ficar menos tempo na internet ou assistindo televisão;
 Ir para a escola a pé em vez de utilizar o transporte público;
 Comprar uma bicicleta e passar a utilizar menos o automóvel;
 Descer alguns pontos antes do seu trabalho e completar o restante a pé;
 Acordar um pouco mais cedo.
Não precisa muito não, apenas 30 minutos diários de atividades aeróbicas já vai
fazer uma enorme diferença para a sua saúde e para a sua memória.
Mexa-se!

Dica 33: Cuide do corpo e aumente a concentração e a memorização.

O oposto do sedentarismo é o over training. A pessoa se exercita demais e como


consequência disso o corpo fica cansado, fadigado, a pessoa fica sonolenta e
perde a concentração. É por isso que o equilíbrio é importante.
Outra observação: a pessoa que chega do trabalho e tenta estudar durante a
noite, mas é vencida pelo cansaço e constantemente dorme em cima dos livros.
Não adianta estudar com sono ou se sentindo cansado, o corpo e a mente não
irão responder. Se você se enquadra no primeiro quadro, procure diminuir a
intensidade das atividades físicas ou a frequência com que a faz por semana.
Já se você se enquadra mais no segundo caso, recomendo que antes de iniciar
sua sessão de estudos, dê um cochilo. Ou então, que é uma alternativa e que
eu também fazia muito, era dormir mais cedo e acordar de madrugada para
estudar, antes de ir para o trabalho. Com a mente descansada e sossegada eu
rendia bem mais.
Ah, e nada de tomar remédios para inibir o sono, uma hora ele vem e isso só irá
fazer mal à sua saúde.

Dica 34: Para fixar é preciso dormir.

Conforme já visto na dica 29, tudo o que você aprende acordado será
consolidado em sua memória quando dormir. Quando você pega no sono, seu
cérebro inicia um processo de associações e arquivamento das memórias
registradas durante o dia. Por isso, quem estuda deve ter um sono de qualidade.

28
Estudos mostram que o cansaço mental e a estafa decorrentes de noites de sono
mal dormidas prejudicam o armazenamento das lembranças. Uma boa noite de
sono permite ao cérebro consolidar na memória todos os dados aprendidos
durante o dia.
Quantas horas de sono preciso dormir por dia?
Especialistas recomendam que se tenha entre 6 a 8 horas de sono por dia, pelo
menos.

Dica 35: Armazene os conteúdos na memória de longa duração.

Se você é daqueles que durante a vida escolar e acadêmica adquiriu o hábito de


estudar nas vésperas de prova, sinto muito desapontá-lo, mas você estudou
errado a vida inteira.
Para e pense um pouco, vou ver se eu adivinho: com poucos dias depois da
prova você já havia esquecido de tudo ou quase tudo o que havia estudado!
Não é uma pergunta, é uma afirmação mesmo. Isso ocorre porque ao estudar
dessa forma, provavelmente apenas lendo, você afixou conhecimento na sua
memória de curta duração. Uma memória idêntica à memória RAM do seu
computador, que armazena dados e informações de forma temporária.
Para armazenar os assuntos estudados em sua memória de longa duração, você
deve fazer duas coisas:
 Adquirir o hábito de estudar com antecedência, e ir fazendo revisões
periódicas da matéria até o dia da prova;
 Estudar utilizando as técnicas de estudo corretas, que armazenam seu
conhecimento na memória de longo prazo. Você descobrirá as principais
técnicas nas dicas do capítulo 5 – estudando.

Por hora, é importante salientar que a matéria dada em sala de aula ou curso à
distância, seja ele qual for, deve ser revista, aprendida e memorizada no mesmo
dia. Se você assistiu à aula, mas depois não entrou em contato com ela em casa,
não estudou, revisou ou fez questões. Esqueça! Você já a esqueceu, a menos
que você seja um gênio.
Lembre-se da sequência: contato com a matéria, estudar em casa ou sozinho de
forma ativa para aprender e por fim, dormir para fixar.
Se você pular etapas ou trocar essa ordem, seu trabalho de estudo, aprendizado
e memorização na memória de longo prazo terá ido para as “cucuias”.

29
Dica 36: Não tome remédios para memória.

Você viu na internet alguma propaganda de algum remédio milagroso para


aumentar de forma “estratosférica” a sua memória, para que você destrua a
banca e quebre os cursinhos preparatórios, passando em vários concursos
federais ao mesmo tempo? Sei, eu também já vi, mas não caí no conto do vigário.
Não caia você também!
Não tome remédios para a memória, porque até hoje não foi comprovado
cientificamente a eficácia e o poder dessas drogas.
Não existe comprimido capaz de fazer você aprender e memorizar regras
gramaticais, fórmulas nem letras de Lei, por exemplo. O que vai fazer você
passar é a equação:
Nro de horas CORRETAS de estudo + bunda na cadeira = APROVAÇÃO

Isso sim dá certo!

Técnicas corretas para memorização de longo


prazo:

Dica 37: Estabeleça relações e associações.

Nosso cérebro funciona de uma maneira que poucos conhecem. Para facilitar a
memorização do que é estudado, você deve estabelecer relações com coisas
que já sabe, criando com ela uma “conexão teia”.
Uma boa maneira de estudar fazendo associações, é estudando por mapas
mentais feitos por você mesmo de próprio punho. Mais informações sobre mapas
mentais, veja a Dica 77 – Faça Mapas Mentais.
Segundo William Douglas (Como Passar em Provas e Concursos – Ed. Impetus 28º
edição), nosso cérebro funciona de um modo não linear, não cartesiano. O
cérebro aprende através de associações. O conhecimento é armazenado em
redes neurais, cuja estrutura física difere da forma como costumamos estudar.
É de uma forma linear e estática que a maioria pensa se constituírem os arquivos
cerebrais e por isso estudam linearmente, dificultando o aprendizado. Nosso
cérebro está muito mais próximo de uma teia de aranha, de um quebra-cabeças,
de raízes ou galhos. Todo o armazenamento obedece a estruturas associativas
em cadeia. Por isso, a forma eficaz de aprendizado é a dinâmica, tal como é a
estrutura cerebral.

30
Dica 38: Identifique a aplicação do que estudou.

Uma dica muito interessante para fazer com que você memorize o que estudou
é a identificação da aplicação daquilo em sua vida prática. Tendemos a
memorizar mais quando aplicamos o que estudamos.
A melhor forma para se memorizar algo é executar, viver, praticar o que foi
ensinado. A memorização deve vir naturalmente como parte do processo. Por
exemplo, você memorizou tranquilamente o trajeto para sua casa e o uso dos
pedais do automóvel, ou do acesso as configurações do seu celular de tanto
mexer nele.
Isso aconteceu porque você vivenciou esse conhecimento e emprestou a ele
algum valor prático, real, uma utilidade. Para você aprender, basta repetir essas
condições.

Dica 39: Utilize processos mnemônicos.

Uma excelente forma de memorizar dados importantes é fazer o uso de


processos mnemônicos. Esse processo funciona com a formulação de frases,
palavras ou relações com as letras do dado a ser memorizado.

Exemplos:
LIMPE = Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência (são
os princípios da administração pública)
SOCIDIVAPLU = Soberania, Cidadania, Dignidade da pessoa humana, Valores
sociais do trabalho e da livre iniciativa e Pluralismo Político (são os fundamentos
da República Federativa do Brasil, de acordo com o art. 1º da nossa Constituição
Federal de 1988).

Você pode achar difícil o processo de criação, mas caso se disponha a iniciar
com alguns temas e matérias, com o passar do tempo estará fazendo várias
associações desse tipo. Vale a pena começar!

Dica 40: Faça músicas com a matéria.

31
E o que dizer que fazer música com a matéria? É um pouco mais difícil e
demanda mais tempo e bem mais criatividade, mas garanto a você, é uma das
melhores formas de não esquecer a matéria. Você será capaz de se lembrar
para o resto da vida.
Duvida? Pense nas músicas que você sabe de trás para frente e de frente para
trás. Músicas, muitas vezes, com mais de 10 anos. O truque é fazer a música e
cantá-la muitas vezes para memorizar.
Não sabe como começar? Use músicas de suas bandas e cantadores favoritos
e troque as letras, mantendo o arranjo.

Dica 41: Faça etiquetação mental.

O método de etiquetação mental foi proposto por William Douglas em seu livro
“Como Passar em Provas e Concursos”, da Editora Impetus.
A etiquetação é uma das técnicas usadas para associar dados a fim de recuperá-
los de forma mais fácil. Tudo o que você quiser recuperar no futuro deve ser
arquivado em pastas mentais por assuntos, os mais inter-relacionados possíveis.
Mentalize ou repita para si qual é o assunto de que se trata a informação que
você está enviando para dentro de sua memória. Você deve reproduzir
mentalmente a capa do livro estudado, a importância do assunto, relações e tudo
o mais que for pertinente para que a matéria entre no seu cérebro de forma bem
classificada e endereçada.

Dica 42: Conheça os benefícios da Programação Neurolinguística – PNL.

A Programação Neurolingüística – PNL, foi criada nos E.U.A., na década de 70,


por Richard Bandler, um matemático e perito em computadores, e por John
Grinder, um linguista especializado em Gramática Transformacional.
Bandler e Grinder observaram pessoas excelentes em diversas áreas e em
seguida descreveram os programas utilizados por elas, denominados
estratégias. Em seguida estas estratégias foram ensinadas a outras pessoas,
as quais também foram capazes de apresentar resultados excelentes. Mas para
chegar às estratégias, eles descreveram o funcionamento do cérebro quanto aos
seus níveis subjetivos.

Eles observaram que toda a informação que nos chega é recebida


neurologicamente, ou seja, através dos sentidos da visão, audição, paladar,
olfato, tato e sensação. Além disso, nossa neurologia inclui também nossas
reações fisiológicas diante de ideias e acontecimentos. Corpo e mente formam
uma unidade inseparável.

32
Em seguida, toda a informação recebida é codificada linguisticamente, sendo
traduzida, categorizada, em sons, palavras, imagens, sensações/sentimentos,
sabores, odores.

A linguagem, portanto, é a forma que usamos para representar e organizar nossa


experiência, nossa visão do mundo. A linguagem poderia ser comparada a um
imenso arquivo onde cada palavra, cada som, sensação, sentimento, representa
uma categoria, uma pasta do arquivo. A PNL permite compreender melhor nosso
funcionamento interno, identificar nossos modelos mentais, para que possamos
questioná-los, refletir sobre os mesmos e se é preciso dar um novo significado a
eles.

Os 10 Pressupostos básicos da PNL apresentados


por J.O’Connor/J.Seymour:

 O mapa não é o território.

Nossos mapas mentais do mundo não são o mundo. Reagimos aos nossos
mapas em vez de reagir diretamente ao mundo. Mapas mentais, especialmente
sensações e interpretações, podem ser atualizados com mais facilidade do que
se pode mudar o mundo.

 As experiências possuem uma estrutura.

Nossos pensamentos e recordações possuem um padrão. Quando mudamos


este padrão ou estrutura, nossa experiência muda automaticamente. Podemos
neutralizar lembranças desagradáveis e enriquecer outras que nos serão úteis.

 Se uma pessoa pode fazer algo, todos podem aprender a fazê-lo


também.

Podemos aprender como é o mapa mental de um grande realizador e fazê-lo


nosso. Muita gente pensa que certas coisas são impossíveis, sem nunca ter se
disposto a fazê-las. Faça de conta que tudo é possível. Se existir um limite físico
ou ambiental, o mundo da experiência vai lhe mostrar isso.

 Corpo e mente são partes do mesmo sistema.

Nossos pensamentos afetam instantaneamente nossa tensão muscular,


respiração e sensações. Estes, por sua vez, afetam nossos pensamentos.
Quando aprendemos a mudar um deles, aprendemos a mudar o outro.

 As pessoas já possuem todos os recursos de que necessitam.

Imagens mentais, vozes interiores, sensações e sentimentos são os blocos


básicos de construção de todos os nossos recursos mentais e físicos. Podemos
usá-los para construir qualquer pensamento, sentimento ou habilidade que

33
desejarmos, colocando-os depois nas nossas vidas onde quisermos ou mais
precisarmos.

 É impossível NÃO se comunicar.

Estamos sempre nos comunicando, pelo menos não- verbalmente, e as palavras


são quase sempre a parte menos importante. Um suspiro, sorriso ou olhar são
formas de comunicação. Até nossos pensamentos são formas de nos
comunicarmos conosco, e eles se revelam aos outros pelos nossos olhos, tons
de voz, atitudes e movimentos corporais.

 O significado da sua comunicação é a reação que você obtém.

Os outros recebem o que dizemos e fazemos através dos seus mapas mentais
do mundo. Quando alguém ouve algo diferente do que tivemos a intenção de
dizer, esta é a nossa chance de observarmos que comunicação é o que se
recebe. Observar como a nossa comunicação é recebida nos permite ajustá-la,
para que da próxima vez ela possa ser mais clara.

 Todo comportamento tem uma intenção positiva.

Todos os comportamentos nocivos, prejudiciais ou mesmo impensados tiveram


um propósito positivo originalmente. Gritar para ser reconhecido. Agredir para se
defender. Esconder-se para se sentir mais seguro. Em vez de tolerar ou
condenar essas ações, podemos separá-las da intenção positiva daquela
pessoa para que seja possível acrescentar novas opções mais atualizadas e
positivas a fim de satisfazer a mesma intenção.

 As pessoas sempre fazem a melhor escolha disponível para elas.

Cada um de nós tem a sua própria e única história. Através dela aprendemos o
que querer e como querer, o que valorizar, e como valorizar, o que aprender e
como aprender. Esta é a nossa experiência. A partir dela, devemos fazer todas
as nossas opções, isto é, até que outras novas e melhores sejam acrescentadas.

 Se o que você está fazendo não está funcionando, faça outra coisa.

Faça qualquer coisa. Se você sempre faz o que sempre fez, você sempre
conseguirá o que sempre conseguiu. Se você quer algo novo, faça algo novo,
especialmente quando existem tantas alternativas.

Como a PNL pode te ajudar?

Pratique você mesmo algumas das pressuposições da PNL, repita-as em voz


alta por alguns minutos por dia, ou faça uma gravação delas e antes de dormir
coloque-as e as ouça. Com o tempo essas afirmações irão fazer parte do seu
ser.

34
Mais algumas pressuposições de destaque:
 Não existe fracasso, existem apenas resultados;
 Se algo é possível para alguém no mundo, também é possível de ser
aprendido;
 Qualquer coisa pode ser aprendida se for abordada de maneira
adequada;
 Mais escolhas é melhor do que escolhas limitadas;
 A maneira como experimentamos o mundo é apenas um modelo de
percepção.

35
Capítulo 3:

As 11 dúvidas e questionamentos mais frequentes dos


estudantes.

1) Devo estudar por livro ou por apostila?

Dica 43: Estude por livro ou por apostila.


Pouco importa se é por livro ou por apostila, o que você deve garantir é que
esteja estudando por um material de qualidade e que contemple os assuntos
mais relevantes. Na verdade, você deve escolher entre um meio termo, nem
buscar um material de tamanho nababesco, que nunca seria lido totalmente, nem
escolher um material muito resumido, como é o caso das apostilas.

“Quem estuda somente por apostila sempre sai da prova se queixando de não
saber determinado assunto que caiu”
Elton Silva

Eu costumava utilizar as apostilas mais como um material de apoio, um


complemento usado às vésperas do concurso para fazer revisões.
Já os livros, adquiria os menores e fazia eu mesmo meu próprio material de
estudos, a partir deles e das apostilas.
Então, livro ou apostila? Utilize os dois, desde que sejam de qualidade, e a partir
deles faça o seu próprio material de estudo e revisão.

2) Devo estudar por vídeo aula?

Dica 44: Estudar por vídeo aula não é pré-requisito para a aprovação.
Se você gosta de vídeo, o que não falta são excelentes editoras e empresas que
disponibilizam o assunto do seu edital em forma de vídeos. Embora seja um
método relativamente moderno e interativo de se ensinar, estudar por vídeo aula
não é obrigatório se você quer passar, ainda mais se a sua grana estiver mais
curta. Se for esse o caso, prefira comprar livros e apostilas.

36
3) Devo fazer questões e simulados?

Dica 45: Faça questões de provas anteriores.


A resolução de questões de concursos anteriores é possivelmente uma das
melhores técnicas de estudo, tanto é que eu recomendo que aqueles que têm
pouco tempo disponível diariamente para os estudos apenas estudem
resolvendo questões.
Fazendo isso, você terá os seguintes benefícios:
 Irá revisar toda a matéria em menos tempo;
 Irá, por conseguinte, aprender mais rápido, já que quanto maior o número
de revisões, maior a fixação do conteúdo;
 Irá saber quais os assuntos mais importantes e cobrados por cada banca
organizadora; e
 Irá pegar o jeito com que cada banca cobra determinado assunto.

Há pessoas que cometem o erro de estudarem quase que o tempo todo por livro
ou focar somente na teoria, quando na verdade o que te vai dar mais parâmetro
de conhecimento e evolução é a quantidade de questões que você resolve.

Dica 46: Na dúvida de como estudar, estude assim: 50% teoria com o uso
das outras técnicas de estudo recomendadas aqui e 50% resolução de
questões.

Dica 47: Aprenda como resolver questões.

Não adianta estudar fazendo questões se você não sabe como. Veja quais
cuidados ao se ter quando for resolver questões:
 Se não souber a questão, jamais olhe antes o gabarito ou sua resposta;
 Se não sabe responder, você pode pular e retornar depois, mas não deixe
de responder, mesmo que tenha que “chutar”. Errar agora faz parte, o que
vai pesar é se errar na hora da prova, então tente fazer e somente depois
dê uma olhada no gabarito. Caso tenha errado, busque na matéria, em
seus apontamentos, o motivo que o fez errar. Garanto a você que será
difícil esquecer ou errar novamente questões similares.

37
Dica 48: Faça simulados.

A dica 48 pode parecer idêntica a Dica 45 – Faça questões de provas


anteriores, mas não é. Sim, você vai resolver questões de concurso, mas não
da mesma forma:
1) Faça um simulado com questões da mesma banca que irá elaborar seu
concurso, nas mesmas condições;
2) O simulado deve ser resolvido no mesmo período de tempo que você terá
para fazer o concurso;
3) A quantidade de questões de cada matéria deve ser idêntica;
4) Se for o caso, faça uma folha de rascunho para a redação, ou pegue
modelos e imprima;
5) Faça o mesmo com o cartão resposta e o gabarito;
6) Se puder, faça os simulados no mesmo dia e data do seu concurso, ou
seja, no domingo pela manhã ou pela tarde;
7) Corrija logo após terminar, veja quantas acertou, errou, e busque as
respostas das erradas;
8) Faça esses simulados toda semana ou no máximo, de 15 em 15 dias,
deixando um domingo para descanso e lazer absoluto.
9) Faça o simulado em silêncio e sem perturbações exteriores, como se
estivesse numa sala de prova.
10) Ah, nem pensar em colar no simulado!

Os especialistas em concursos dizem que para ser aprovado você deve fazer
uma porção de provas para ir se acostumando com o universo dos concursos
públicos. Se você fizer vários simulados de forma séria como sugeri acima, irá
antecipar sua aprovação e gastar bem menos no processo.
Ouça esse meu conselho e o anterior, pois são dos mais importantes. Faça
questões e simulados e chegue mais rápido ao seu objetivo. Sigamos em frente!

4) Quantidade é qualidade?

Dica 49: Quantidade não é qualidade.


Conheço uma porção de estudantes que antes de começarem a estudar, ou até
mesmo depois de terem começado, iniciam uma “saga” de baixar uma
quantidade infindável de material gratuito na internet e a comprar inúmeros livros
ou cursos sobre a matéria, como se quem fosse aprovado fosse os que tivessem
mais livros ou apostilas.
Agindo dessa forma, será impossível estudar tudo, e é bem provável que você
se perca no caminho.

38
Para ter um material de qualidade em mãos, você precisa focar e criar seu
próprio material resumido, com base em poucos livros, no máximo uns 2 de cada
matéria.
Sei que é quase irresistível o desejo de receber coisas de graça, mas quando se
tratar de material para concurso, não vale a pena, sem falar que esses materiais
geralmente contêm vários erros, são de qualidade duvidosa e muitos estão
desatualizados.

5) Devo economizar quando o assunto é concurso público?

Dica 50: Saiba quando economizar e quando gastar.


Nem sempre você deve economizar, muita atenção nessa hora. Você deve
economizar:
 Em diárias de hotel caso seu concurso seja em outra cidade. Mas cuidado,
ir para albergues ou hostels também pode tirar você do seu foco. Fora
que esses lugares são cheios de jovens que ficam fazendo barulho e
gritando até um pouco mais tarde;
 Na inscrição, caso tenha como você pedir isenção da taxa cobrada;
 Em alimentação, procurando locais mais em conta e/ou comprando a
comida no supermercado ou levando de casa. Mas não deixe de se
alimentar bem, passar fome irá atrapalhar e muito seu desempenho na
prova;
 Em livros, buscando descontos e promoções em diferentes lojas;
 Dividindo o material com algum amigo. Vocês compram o livro juntos e
utilizam juntos ou em horários diferentes;
 Nas passagens de avião e no transporte urbano, caso vá fazer prova em
outra cidade.

Você NÃO DEVE economizar:


 Somente estudar por material gratuito baixado da internet;
 Deixar de renovar as assinaturas do seu curso on-line, a menos que a
crise tenha afetado o seu bolso;
 Para ficar localizado ou hospedado em locais que prejudiquem seu
conforto e desempenho na prova;
 Em livros e apostilas feitos por autores ou editoras gabaritadas e
renomadas no mercado.

6) Estudar em casa ou fazer curso preparatório?

39
Dica 51: Se puder, faça um curso preparatório.
Se você puder e tiver condições, recomendo que se inscreva em algum curso
preparatório. Conheço algumas pessoas que me disseram que o curso é
importante porque as mantiveram motivadas e focadas a continuar estudando.
Pode ser o seu caso, se você for do tipo de pessoa que se desmotiva facilmente
e precisa de alguém para não te deixar “sair do trilho”.
Outro argumento a favor dos cursos preparatórios é que ele te dá a oportunidade
de tirar suas dúvidas em tempo real, se você for o tipo de pessoa que não tem
medo de fazer perguntas por medo de se passar ao ridículo.
Você pode inclusive estudar em casa e ao se deparar com uma dúvida, anotá-la
e depois perguntar ao seu professor do cursinho. Já quem não faz, pode ficar
sem ter a quem recorrer.

É imprescindível que você faça curso preparatório para passar? Absolutamente


não!

Conheço muita gente que não fez e foi aprovada. É o caso de pessoas que
conseguem estudar sozinhas e evoluir nos estudos. Você pode até achar que
não leva jeito para estudar sozinho e que precisa de um curso, mas será que
isso é mesmo verdade?
Não será que você apenas não gosta daquela matéria e por isso precisa de um
“empurrãozinho” alheio? Ou será que não é porque você tem dificuldades para
sentar, estudar e se concentrar nos estudos? Pode ser o caso apenas de
mudança de ambiente de estudo para fazer com que você consiga estudar
sozinho e aprender.
Fazer ou não curso preparatório é um caso particular de cada um, às vezes você
até quer fazer, mas não tem recursos. Não se deixe entristecer por isso, se você
é capaz de estudar sozinho e aprender, você tem condições de passar.
Conheço gente que também fez por um determinado tempo e depois parou.
Umas foram aprovadas outras não.
Há também os casos de pessoas que fazem o curso, mas não aproveitam, não
tiram dúvidas, faltam ou chegam atrasadas. Será que essas pessoas irão passar
apenas porque se inscreveram no curso preparatório? É claro que não!
Trazendo as etapas do aprendizado (contato, aprendizado e sono) novamente à
tona, vemos que ir para um curso e prestar atenção e interagir com os colegas
e os professores é apenas uma parte do processo (contato). As outras duas
etapas devem ser cumpridas por você, ou seja, ainda que faça cursinho você
deve estudar em casa, e ponto final.

40
7) Quantas horas devo estudar por dia para ser aprovado?

Dica 52: Não se trata de horas, se trata de horas produtivas.


Em se tratando de horas de estudo, a 1º dica que eu tenho que dar é esta: uma
pessoa que estuda 2 horas por dia da maneira correta, com foco, atenção e
fazendo questões, tem um aproveitamento melhor do que aquele “bisonho” que
reservou 8 horas diárias para os estudos, mas que estuda da forma errada ou
se dispersa a todo momento. E cá entre nós, é quase impossível manter atenção
e qualidade nos estudos sentado numa cadeira tantas horas por dia.
Portanto, a quantidade de horas de estudo é relativa.

Dica 53: Quem estuda 1 hora por dia também passa.

Não deixe de estudar porque você não tem tanto tempo assim para se dedicar
aos estudos. Pode levar mais tempo, mas se manter o foco e persistir você
também vai conseguir.

Dica 54: Quem estudar mais tempo e com qualidade passa mais rápido.

Se você puder se dedicar mais, vá em frente, mas se preocupe em estudar com


qualidade e verifique semanalmente ou quinzenalmente o seu progresso por
meio de simulados.
É fato que se há duas pessoas estudando de maneira correta PARA O MESMO
CONCURSO, uma por 2 horas por dia e outra por 4 horas por dia, a segunda vai
passar mais rápido que a primeira.
Repare que isso só vale para o caso do mesmo concurso, se a primeira tivesse
estudando para um concurso mais simples e menos concorrido e a outra tivesse
estudando para ser Auditor Fiscal ou Diplomata, é óbvio que a primeira tem
chances de passar mais rápido.
Dei esse exemplo para que você perceba que tudo é relativo. A aprovação
depende de uma série de fatores. Não se preocupe com isso, se preocupe em
estudar da maneira correta, que cedo ou tarde você passará.

8) O que fazer para obter colaboração da minha família?

41
Dica 55: Converse com todos da casa.

Se você não consegue obter colaboração em casa para estudar, seja por
barulho, interrupção a todo momento ou críticas por ter abandonado o emprego
para se dedicar mais, ou por algum outro motivo, está na hora de fazer uma
reunião familiar. Não deixe para depois, nem fique murmurando pelos cantos.
A dica aqui é ser franco e verdadeiro, expor seus motivos e deixar as pessoas
falarem o que acham. Peça colaboração e, caso contrário, considere estudar em
outro local, que pode ser a biblioteca de sua cidade, por exemplo.

Dica 56: Não queira estudar o tempo todo.

Você deve ter equilíbrio, como já dissemos antes, mas aqui, vamos analisar o
equilíbrio sobre outro ângulo.
Se você é flexível, reserva um tempo para sua família e marido ou esposa e não
fica somente “bitolado” nessa história de estudar para concurso, eles vão facilitar
as coisas para você, pode ter certeza.
Antes de querer ser compreendido, procure compreender. É importante sim
dedicar um tempo para os seus, é isso que fará com que os relacionamentos
fiquem mais sólidos e não desmoronem. A vida não é só concurso público.

9) Devo parar de trabalhar para estudar para concurso público?

Dica 57: Não é necessário parar de trabalhar para ser aprovado.


Se você puder e tiver condições de parar de trabalhar para se dedicar
inteiramente ao sonho de passar num concurso, faça isso.
Mas tenha cuidado, isso pode ser usado contra você no tribunal, ops,
brincadeirinha, isso pode ser usado contra você no futuro. Veja as desvantagens
de largar seu emprego para só ficar estudando:
 Pressão da família;
 Pressão de si mesmo para passar rápido;
 Preocupação, caso tenha juntado um dinheiro para se manter durante o
período que achou necessário e agora ele está acabando;
 Ao ter tempo demais você pode simplesmente desleixar ou perder o foco.

42
Eu mesmo optei por essa alternativa, não porque fui bancado, mas sim porque
me planejei para isso, e não me arrependi. Se você se mantém firme e com foco
nos estudos, isso de fato irá te ajudar a passar mais rápido.
Porém, é mais um caso em que trabalhar ou não trabalhar não definirá o seu
destino em uma prova. O que dirá se você vai passar ou não é o fato de você
estar preparado, e você pode estar bem preparado porque estudou, estando ou
não trabalhando.
O que você deve ter em mente, e acho isso o mais importante, é que parar de
trabalhar terá suas vantagens e também suas desvantagens. Muita gente larga
o emprego sem pensar nos contras, ou sem fazer um planejamento financeiro
adequado de como irá se manter e termina se dando mal. Primeiro, você nem
sabe ao certo quanto tempo precisará. Ademais, emprego não é algo fácil de se
encontrar hoje aqui no Brasil.
É fato, você vai precisar de dinheiro. Pode até reduzir uma despesa aqui, outra
ali, mas ainda vai precisar de dinheiro. Pense e planeje bem antes de largar seu
emprego. E ainda, siga o planejado. Nada de gastar além do que planejou.

10) Como montar uma grade de estudos?

Dica 58: Sua programação de estudos deve ser única.


Você verá no capítulo seguinte algumas dicas e planejamento para seus
estudos. Porém, resolvi me antecipar um pouco já que essa é uma dúvida muito
comum entre os estudantes para te dizer: sua grade de estudos deve ser única,
assim como você é único.
Nada de utilizar a mesma grade proposta por colegas ou professores. Caso
tenha um coaching de estudos, não deixe que ele faça esse planejamento
sozinho, converse com ele e proponha alternativas se isso lhe for mais
conveniente e propício a aprender e render mais.
Você e seu dia a dia são únicos. Você tem coisas a fazer e planos que são só
seus e por isso sua grade de estudos deve ser personalizada, um plano só seu.
Assim, fica bem mais fácil de seguir e as coisas darem certo.

11) Preciso de um coaching para estudos?

Dica 59: Você não precisa de um coaching de estudos.


Não, absolutamente você não precisa de um para ser aprovado. Você é capaz
de se esforçar, se motivar e aprender sozinho. Mas, se mesmo assim você quiser

43
contratar um, é uma decisão pessoal e financeira sua. Ele pode te ajudar? Sim,
mas não será o fator determinante.
O coaching não pode estudar e aprender por você, nem tampouco fazer a prova
em seu lugar. No final tudo se resume a você e o quanto se dedicou e está
preparado.

44
Capítulo 4:

Organização e Planejamento de Estudos

Dica 60: Tenha um projeto de estudos.

“A organização não é tudo, mais sem ela o tudo vira nada”


Adelto Fidelino

Um dos muitos motivos que atrapalham os estudos do “concurseiro” é a falta de


organização e de um plano de estudos. A falta de organização é um inimigo
silencioso que aos poucos vai minando suas energias, sua eficiência e termina
por desmotivá-lo, sendo capaz até de causar a sua desistência e capitulação.
Conforme disse na dica 58, seu plano de estudos deve ser individual e de acordo
com as suas necessidades e rotina, porém não disse como fazer isso.
Eu desenvolvi uma técnica inédita e fácil para que você possa construir uma
grade de estudos eficiente e de acordo com a sua disponibilidade. Uma vez que
você aprenda os conceitos, poderá montar diferentes planejamentos de estudos,
caso futuramente tenha mais ou menos disponibilidade de tempo.
O “Planejamento Personalizado de Estudos - PPE” está disponível
gratuitamente nos sites www.peconcursos.com.br ou
www.bancadeapostilas.com.br. Quem comprar qualquer uma das apostilas da
Editora Provimento Efetivo Concursos irá receber o PPE junto com a apostila,
de forma gratuita. Vale a pena tê-lo em mãos.

Dica 61: Planeje sua carreira pública.

Pensar grande e pensar pequeno dão o mesmo trabalho. Se você pode ser um
Auditor Fiscal da Receita ou do Trabalho, ou um Diplomata, por que se contentar
com um cargo mais simples?
Sei que isso é muito pessoal, mas recomendo que você procure sempre
melhorar de vida, mesmo se já tenha passado e esteja trabalhando.
Você pode optar por outro concurso no mesmo órgão, enfim, a decisão é sua.
Para quem deseja continuar os estudos e continuar fazendo concursos mais
compensadores e concorridos, a dica é para você se planejar.
Uma das vantagens de já ter sido aprovado é que a pressão de certa forma
diminui, e bem ou mal você já tem como se sustentar. Dessa forma, você pode
optar por continuar estudando à noite e no sábado, diretamente para um

45
concurso alvo ou “top”, e não ficar galgando carreira a carreira, de órgão para
órgão.
Um dos segredos na vida é ter a coragem de mirar logo no topo. Se você acha
que é possível e se dispõe a trabalhar para conquistar, você consegue. Você
também vai precisar de um pequeno planejamento financeiro, pois
provavelmente precisará de mais livros, apostilas e quem sabe, fazer um curso.
Enfim, para não ser longo, a dica que fica é essa. Planeje a sua escalada na
iniciativa pública!

Dica 62: Torne o ato de estudar num hábito.

“Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um


modo de agir, mas um hábito”

Will Durant

O que é melhor? Estudar 10 horas por dia durante 1 mês e parar ou estudar 2
horas por dia durante um, dois anos ou até passar?
No livro “O poder do Hábito”, o autor Charles Duhigg fala da importância de se
criar hábitos corretos.
Mudar um hábito é um processo muito difícil para a maioria das pessoas, porque
exige muita dedicação e disciplina. Quantas promessas de final de ano são feitas
e não são cumpridas?

Temos hábitos cotidianos que passam quase despercebidos, pois são padrões
de comportamentos repetidos por anos e anos como: tomar banho, escovar os
dentes, se alimentar, dentre outros.

Então, através da repetição destes comportamentos, os hábitos são assimilados


criando um processo de aprendizado e internalizando o conceito. Essas ações
inconscientes são repetidas automaticamente com o tempo, porque o cérebro
está sempre procurando maneiras de poupar esforços.

Portanto, compreender porque o hábito é realizado e saber qual a sua finalidade,


é um grande passo para alterá-lo através da repetição de uma outra ação.

Como transformar os estudos em um hábito?

A melhor maneira de fazer isso é estabelecendo um plano em que você estude


quase que diariamente, na mesma hora e local. Pesquisas relatam que algo novo
se torna um hábito quando o fazemos por cerca de 21 dias.

46
Eu mesmo, logo quando comecei a fazer musculação e exercícios físicos, tinha
uma enorme dificuldade para mantê-los. Mas no dia em que me dispus a tornar
isso um hábito, indo sem faltar por 2 meses seguidos, adivinha o que aconteceu?

Cuidar da saúde para mim virou um hábito, e um dos melhores que eu possa ter
adquirido. Muitas pessoas perguntam como me mantenho tão disposto e como
tenho disciplina para estar em movimento 6 dias por semana. Na verdade, para
mim não é esforço nenhum. A atividade física já se tornou um hábito em minha
vida.

Eu até falto alguns dias, por conta da viagem e do cansaço, mas nunca deixei
de ir por vários dias, dois ou três no máximo, pois da mesma maneira que criei
um hábito de fazer, se deixar de ir muito tempo criarei o hábito de NÃO fazer.

Se comprometa consigo mesmo, se esforce, tenha disciplina e no final das


contas você vai ver o quão fácil é criar ou modificar hábitos.

Dica 63: Seja flexível.

Tão importante quanto criar o hábito de estudar é ser flexível, afinal de contas,
você não vai conseguir estudar todos os dias no mesmo horário.
Você pode pegar um congestionamento e se atrasar para chegar em casa,
comprometendo o horário programado para o início de seus estudos. Ou você
pode ter que receber um parente seu que acabou de chegar no aeroporto ou
rodoviária. Ou quem sabe, agradar um pouco seu parceiro ou parceira, aceitando
um convite para ir ao cinema. Enfim, situações como essas irão acontecer ao
longo do tempo.
Ser flexível permite que você não fique preocupado quando algumas dessas
situações acontecer. Isso irá até atrapalhar seus estudos, pois você vai ficar
pensando que não está cumprindo seus horários da forma como pensou.
A solução para situações desse tipo é reorganizar o seu horário de estudos
dentro DAQUELE dia. Tinha que estudar das 20:00 às 22:00 mas surgiu um
imprevisto e você chegou mais tarde? Legal, que tal estudar das 22:00 às 00:00?
Você ia fazer um simulado no sábado pela manhã, mas a turma antiga da
faculdade marcou um encontro especial e você não pode perder? Ótimo, pode
ir, desde que compense depois, que tal fazer o simulado no domingo que
inicialmente estava destinado ao descanso?
Existem outras situações que também irão requerer certa flexibilidade de sua
parte: seja flexível ao planejar seu horário de estudos, não é obrigatório estudar
a mesma quantidade de horas todos os dias. Considere fazer a prova na ordem
inversa ou a adaptar as várias técnicas de estudos aqui apresentadas e criar
técnicas só suas. Enfim, seja adaptável!

47
Dica 64: No pain no gain. Estudar é transpirar.

Edilson Mougenot Bonfim, do livro “Superdicas para Passar em Concursos


Públicos” (Ed. Saraiva), disse que o trabalho do concursando não é meramente
executar uma tarefa ou fazer algo. Não. Quando se fala em execução de um
projeto de estudos, estamos falando automaticamente em trabalho, e isso
significa que devemos nos entregar a ele com todas as profundezas do nosso
ser, mergulhando na ideia por inteiro, sem espaço para divagações.
Detesto te dizer isso, mas se alguém disse para você que será fácil passar em
concurso e você acreditou, provavelmente você comprou algum livro ou material
dessa pessoa e foi enganado. Não existem atalhos, você vai ter que se esforçar,
se dedicar, sofrer com cansaços e reprovações. Faz parte do “jogo”, se divirta
durante o processo.
Eu mesmo não vendi esse e-book para você com essa promessa, procurei ser o
mais honesto possível. A proposta desse material é expor dicas sobre o que eu
fiz e outras pessoas fizeram para passar em concursos públicos e diversas
técnicas de estudo, que você poderá testar e ficar com as que lhe parecer
melhor. Para passar, não é obrigatório utilizar TODAS essas técnicas.

Dica 65: Comece imediatamente!

Não espere o próximo cometa passar sob a órbita da terra em 2.035 para
começar a estudar.
Em outras palavras, não espere tudo estar perfeito, a perfeição é uma ilusão.
Comece a estudar agora mesmo, e a fazer provas também. Já vi relatos de
pessoas que passaram 1 ano para começar a estudar porque estavam montando
uma biblioteca de estudos ou porque estavam arrumando o espaço de estudos.
Outras que passaram 2 anos para fazer a primeira prova.
Você tem noção do quanto tempo essas pessoas perderam?
Às vezes a procrastinação pode ter uma causa ou motivo escondido, você pode
não ter certeza se é isso mesmo o que você quer, pode estar acomodado com
sua vida e condição atual, pode não querer abdicar de seu tempo com os amigos
ou a família... enfim, cada pessoa tem seu motivo, identifique o seu, se for o caso
e tenha coragem de mudar.
Para você que ainda não começou e para que não meta “os pés pelas mãos”,
recomendo que espere uma semana, apenas uma semana para começar a
estudar. Nessa semana, você vai pensar melhor acerca de todo esse processo,
vai decidir se é isso mesmo o que você quer, vai pensar melhor a respeito da

48
carreira que deseja seguir, vai organizar um horário e grade de estudos, vai
começar a adquirir algum livro ou apostila, vai arrumar um espaço físico para
estudar e então irá começar. Lembre-se, só uma semana. Corra! O tempo está
contra você.
Se você pensou bem e decidiu que concurso público não é para você, que é
muito difícil, que você vai perder tempo com isso, que não quer abrir mão de
certos prazeres por um tempo, que bom para você! Isso é ser honesto consigo
mesmo e ninguém vai ficar triste nem zangado com você. É uma decisão pessoal
e exclusivamente sua.
Não estude só porque está todo mundo fazendo, estude porque você vê um
sentido nisso tudo. Ademais, se você não se sente motivado com isso, não dará
o seu melhor, e as pessoas só dão o seu melhor quando querem e estão
suficientemente felizes com o que fazem.
Porém, se decidiu que estudar é o seu caminho, continue a leitura e comece o
quanto antes. Organize-se num curto espaço de tempo e mãos à obra!

“Adie por um dia, e dez dias passarão”


Provérbio popular.

Dica 66: Estude no local correto.

Explicando rapidamente, o seu local de estudos deve ser:


 Tranquilo e silencioso;
 Não ser de difícil locomoção;
 Não tão confortável a ponto de fazer você ficar com sono;
 Não tão inconfortável a ponto de fazer você ter dores pelo corpo;
 Provido de uma mesa que permita você colocar todo o material que será
utilizado naquela sessão de estudo;
 Provido de uma cadeira ergonômica;
 Provido de uma iluminação adequada, nem de menos, nem demais a
ponto de ofuscar sua visão. O ideal é que não haja luz incidindo
diretamente sob sua visão e sim, sobre a mesa de estudos.
 Provido de um quadro para fazer anotações ou se dar aulas imaginárias.
Esse processo de anotar e dar aulas para si mesmo é uma das técnicas
de ensino e aprendizagem mais poderosas que existem. Fora que é
impossível ficar com sono estudando dessa maneira.
 Provido de uma temperatura agradável, nem tão quente nem tão frio.
Agasalhos ajudam, a depender do local.
 Arejado e amplo o suficiente.

49
Obs: Cuidado com as janelas e o monte de distrações que elas apresentam.

Além disso:
 Tenha cuidado com as vestes. Não estude usando roupas
desconfortáveis.

Dica 67: Estude na hora correta.

“A melhor hora para estudar é aquela em que a pessoa está disposta a estudar”
Renato Alves.

O estudo eficiente pode acontecer em qualquer hora do dia, desde que você
esteja disposto, descansado e com a cabeça tranquila.
Há pessoas que não conseguem render à tarde, pois após o almoço ficam
naturalmente sonolentas. Às vezes, lutar contra o sono não é sinal de
inteligência. Se é esse o seu caso, você deveria tirar um cochilo, desde que não
seja longo, e estudar logo depois, ainda de tarde.
Na época que eu estudava para o vestibular, dormia religiosamente após o
almoço, das 13:30 até as 15:00, e depois acordava para estudar até as 21:00.
Isso faz um pouco de tempo, mas eu me lembro muito bem dessa época muito
boa da minha vida.
O que você tem que fazer é ter disciplina e não extrapolar o horário, eu nunca
deixei de cumprir com ele, e posso dizer que deu certo, eu fui aprovado para
cursar na carreira de Engenharia. Se for esse o seu caso, experimente cochilar
um pouco antes de começar os estudos.
Há outras pessoas que se desconcentram com qualquer coisa e preferem
estudar de madrugada, quando todos estão dormindo e não há tanto barulho. O
ponto a se observar aqui é o seu estado, nada de estudar de madrugada com
sono. Será tempo perdido.
Outra dica que eu dou a respeito desse processo hora/sono/estudo é para
aquelas pessoas que trabalham durante o dia e estudam durante a noite. Muitas
delas não conseguem estudar sequer uma hora sem ficar com sono, eu sei muito
bem como é, porque isso acontecia comigo na época em que eu estava
estudando.
Então o que foi que eu fiz? Eu chegava em casa após o trabalho, tomava banho,
jantava e ia dormir. Então, eu dormia das 20:00 às 01:00 do dia seguinte e depois
acordava e estudava das 01:00 às 06:00. É, eu realmente dava mais importância
aos estudos do que ao meu trabalho, tanto que eu já ia trabalhar ”estudado”.

50
Dica 68: Estude com a postura correta.

A postura adotada para estudar irá determinar o grau de sua concentração para
mais ou para menos. A lógica é simples: quanto maior for o conforto ou o
desconforto, menor será a concentração.

 A postura correta:
Nada de estudar deitado no chão ou na cama, ainda que sentado nesta última.
Para estudar da forma correta, você precisa de uma mesa e uma cadeira
ajustada a esta. Simples assim.
Outra dica é sentar-se de maneira que você não tenha mais consciência do
corpo. Ao sentar de maneira correta, você esquece o corpo e não o sobrecarrega
ou alivia demais, e a mente foca ainda mais na tarefa que é estudar.
Para potencializar ainda mais a atenção, coloque o material de estudo num
suporte inclinado, em um ângulo de 30 a 60 graus sobre a linha horizontal, o que
melhora a visualização, captação e a memorização.

Dica 69: Entenda sobre o fenômeno de agregação cíclica.

Agregação cíclica é o fenômeno no qual cada conhecimento novo é agregado


aos já consolidados, formando um ciclo maior, mas rápido e mais seguro de
aprendizagem.
Cada novo conhecimento aumenta o número de associações e como
consequência, a capacidade da memória e a facilidade de agregação de novos
conhecimentos. O aumento do conhecimento segue uma linha de progressão
geométrica.
É por esse motivo que você não pode parar de estudar até que alcance o
sucesso e a aprovação. Apenas continue estudando, e com o passar do tempo
e do número de revisões, você irá perceber que está agregando uma quantidade
cada vez maior de conhecimento num espaço de tempo cada vez mais curto,
como se fosse uma bola de neve.

Dica 70: Estude toda a matéria do edital, e com o mesmo afinco.

Um dos erros clássicos cometidos pelo “concurseiro” é o hábito fatal de somente


estudar as matérias que mais gostam.

51
Para lograr êxito nessa caminhada, você precisa expandir seus “amores
intelectuais” e se habituar a estudar todas as matérias e também, estudar pelo
menos 95% de cada uma assim como cobrada no edital.
É muito difícil encontrar alguém que já foi aprovado sem estudar determinada
matéria, as estatísticas são mínimas, e quando isso aconteceu o concurso tinha
várias matérias e a quantidade de questões cobradas foi ínfima.

Dica 71: Leia o edital, e estabeleça seu plano de estudos a partir disso.

O edital do concurso é onde está a regra do jogo. Por isso, você deve lê-lo com
calma e atenção e somente após entende-lo, traçar uma estratégia de estudos.
É no edital onde você vai saber quantas e que matérias estudar, quantas
questões serão cobradas de cada matéria e se há peso diferente para cada uma.
Através dele você também fica sabendo se há ou não outras etapas que também
não merecem ser negligenciadas, como prova de títulos ou exames físicos, por
exemplo.
Ah, você também fica sabendo a data da prova, o que é permitido e o que não é
permitido fazer no dia da prova, o número de vagas, onde possivelmente irá
trabalhar se for aprovado, as regras de chamada, dentre várias outras coisas.
Ainda não se convenceu de que precisa antes de tudo ESTUDAR o edital?
Saiba que a estratégia em concursos começa antes mesmo de você abrir os
livros. Se você sabe que uma ou mais matérias tem um peso maior que outras,
não faz sentido estudá-las por mais tempo, mesmo se já tem conhecimentos
intermediários ou avançados sobre ela? Garanto que faz!
Já conheci casos de pessoas que viajaram para fazer concurso uma semana
antes da data prevista. Essas pessoas não fizeram isso porque queriam se
adaptar à cidade e ficarem mais isoladas se concentrando para o dia D. Não,
elas apenas não prestaram a devida atenção ao dia correto de realização do
certame.
Estar por dentro do edital pode ser o motivo que irá definir o seu sucesso ou p
seu fracasso.

52
Capítulo 5: Estudando

Dica 72: Entender é diferente de aprender.

Você tem que saber a diferença entre entender e aprender. Você entende
quando assiste uma aula e assimila o que o seu professor disse. Mas será
mesmo que você aprendeu?

“Nunca estude para passar, estude para aprender PARA SEMPRE”


Pierluigi Piazzi.

Para aprender de verdade, você deve estudar depois da aula. Mas não estudar
de qualquer forma. Estudar nesse caso exige uma postura ativa por parte do
estudante.
O professor Pierluigi Piazzi explica no livro “Inteligência em Concursos” que
estudar não é ler, é escrever. Mas não escrever no computador. Você deve
escrever de próprio punho no papel. Estudar é um ato solitário que se realiza
escrevendo ou desenhando, não lendo ou digitando.

Como fazer então?


Simples, se quer aprender sobre um texto, pegue um papel, um lápis ou caneta
e escreva ou desenhe tudo o que for importante naquele texto. Você pode
escrever tabelas, fazer resumos, desenhos ou mapas mentais se quiser ser um
pouco mais criativo. O mapa mental é uma excelente técnica de estudo, veremos
mais sobre ele depois.
Quando você realmente aprende, consegue se lembrar do que estudou mesmo
depois de muitos anos. A única maneira de se ficar mais inteligente e aprender
para sempre é estudar pouco e todo dia, pois o seu cérebro, e o meu também,
tem uma reduzida capacidade de transformar informação em conhecimento.
Portanto, para favorecer o aprendizado, você também deve não estudar muito,
ou querer transferir num só dia uma quantidade enorme de informações, como
a imensa maioria dos estudantes de concursos e vestibulares tenta fazer.
Tenha calma, é melhor aprender pouco todo dia do que tentar aprender muita
coisa e se esquecer depois. Haja revisão para lembrar depois!

53
Dica 73: Se você ainda não gosta, aprenda a gostar de ler.

O Brasil é um dos países com uma das piores médias de leitura por habitante. A
média de leitura do brasileiro é de apenas 4,96 livros por ano.
Só consegue fazer o nível de inteligência aumentar quem for um leitor, um ávido
leitor, por sinal. É através da leitura que entramos em um primeiro contato com
o objeto de estudo e podemos entender o que ele nos transmite. Ai então, depois
da leitura vem o processo de aprender. E aprendemos quando escrevemos,
fazemos resumos, mapas mentais, damos aulas, enfim, tudo o que já foi
explicado antes e será explanado a seguir nesse capítulo.
Você deve se acostumar a ler livros quem nem sempre gostaria, e quando menos
perceber vai se tornar um ávido leitor. Os livros por exemplo, mudaram minha
vida. Se não fossem eles provavelmente eu não estaria aqui agora escrevendo
para você. Se eu pudesse te dar apenas um e somente um conselho de vida,
seria este: leia!
Se você é do tipo que foge dos livros como o diabo foge da cruz, sugiro que
comece com livros dos quais tenha uma maior afinidade, e vá expandindo aos
poucos seus horizontes.
Não se restrinja aos livros de concursos, leia tudo o que puder e achar
interessante em outros livros, jornais, revistas dentre outros. Dessa forma você
vai estar sempre bem instruído e terá o que conversar com seus amigos e
parentes.

Dica 74: Estude um pouco a cada dia.

Nosso cérebro consegue absorver em forma de aprendizado pouca informação


a cada ciclo (aula – estudo solitário - sono). Por isso, mas vale estudar uma
quantidade pequena de matéria e fazer uma porção de exercícios depois do que
tentar aprender mais rápido apenas lendo um livro.

Dica 75: Estude por livros resumidos.

O estudo para concurso deve ser feito da forma mais simples possível. Entenda
que o concurso não irá exigir de você conhecimentos profundos sobre a matéria,
tal qual era nos tempos de faculdade.
Se você comprar livros ou apostilas enormes demais, é provável que nunca os
leia todo e vai se desanimar. O material perfeito deve conter apenas o
indispensável para que você consiga adquirir conhecimento para fazer uma boa

54
prova. Por isso, deve ser resumido. Além do mais, um livro com essa
característica facilitará sua vida quando você for fazer resumos ainda mais
certeiros, escritos à mão, na folha de papel.

Dica 76: Estude escrevendo.

Conforme já destacado, é a escrita EM PAPEL que irá fazer com que realmente
você aprenda e memorize a matéria.
O estudo dessa forma permite que seu cérebro trabalhe de forma mais efetiva,
fazendo mais conexões neurais e fortalecendo sua memória.
Não se foi o seu caso, mas na época em que eu estudava, em muitos dos meus
livros, principalmente os de história e geografia, havia uma porção de perguntas
em forma de questionário após os capítulos, e essas perguntas a gente
respondia ESCREVENDO no caderno. Eu me lembro que conseguia aprender
facilmente e sempre tirava notas boas. Somente depois de muito tempo eu vim
saber o motivo.
Você alguma vez na escola ou faculdade já fez cola em tirinhas de papel? Não
vale mentir. Eu mesmo já fiz. Quem nunca? Nem precisa me responder. Mas
quem já colou pode se recordar que em muitas ocasiões nem precisou retirar o
papel do bolso pois se lembrava de tudo. Comigo era assim. Fazia a prova
inteira, tirava nota boa sem nem precisar retirar e colocar em cena o “auto
delituoso”. Agora você QUE FEZ COLA já sabe o motivo. A gente não precisava
“colar” pois o processo de escrever sobre a matéria, de próprio punho num papel,
já foi uma forma de estudo.
Hoje, não sou mais adepto dessa “artimanha”, e recomendo que você que “colou”
também saia do “vício”, principalmente, se estiver fazendo prova de concurso ou
vestibular, onde fraudes desse tipo podem levar você a ver “o sol nascer
quadrado”.
Agora, para terminar, o cúmulo da mediocridade e da preguiça era quem fazia
cola pelo computador e diminuía o tamanho da letra. O aprendizado é zero dessa
maneira. O “infeliz” nem para colar presta. Espero que você não faça parte desse
grupo.

Como estudar escrevendo?


 Resumos;
 Redação;
 Esquemas;
 Tabelas;
 Mapas mentais;
 Criando e resolvendo questões abertas/discursivas.

55
Não esqueça, sempre escrevendo de próprio punho (com lápis ou caneta) e no
papel, não no computador.

Dica 77: Faça Mapas Mentais (Mind Maps).

Estudar fazendo mapas mentais tem 2 benefícios:


 O assunto fica disposto de forma resumida e em “teias” (esquemas) que
favorecem a aprendizagem. Lembre-se, nosso cérebro consegue
conectar melhor informações passadas em formas de teias do que de
forma linear;
 Você está escrevendo em um papel, o que facilita seu aprendizado (ver
dicas 72 e 76).

Especialista em atividade mental e aprendizagem, Tony Buzan escreveu um


excelente livro sobre o assunto intitulado “Mapas Mentais: métodos criativos para
estimular o raciocínio e usar ao máximo o potencial do seu cérebro”, publicado
no Brasil pela Editora Sextante. Recomendo fortemente a leitura desse livro.
Nele, você vai encontrar instruções detalhadas sobre como elaborar um mapa
mental e as maneiras de empregá-lo não só nos estudos, mas também para
planejar sua vida, tomar decisões e agir.
O livro destaca que mais de 90% das anotações feitas por estudantes são inúteis
porque o cérebro prefere, naturalmente, palavras-chave que representam todo o
contexto. Isso significa que perdemos tempo quando:
 Anotamos palavras que não tem serventia para a memória;
 Relemos palavras desnecessárias;
 Procuramos por palavras-chave que não ganharam nenhum tipo de
destaque;
 A velocidade de conexões entre as palavras-chave é reduzida; ou
 Há muita distância nas conexões entre as palavras-chave.
Para o cérebro humano, é muito mais fácil resgatar memórias de imagem do que
de palavras, por isso, seu mapa mental deve ter figuras sempre que possível,
quanto mais melhor. Eu particularmente, no meu tempo de “concurseiro”, usei
muito da técnica de criação de mapas mentais. Fiz tanto que deu calo nos dedos.
Foram tempos de muito trabalho manual, eu não só fiz diversos mapas mentais
como criei questões de próprio punho. Guardo até hoje esses papéis de
recordação e posso dizer que valeu a pena o esforço. Estudar fazendo mapa
mental é uma das técnicas mais poderosas que existe.

56
Exemplos de mapa mental.

Abaixo um resumo proposto por Tony Buzan, de como fazer mapa mental:
 Use uma imagem central, para estabelecer um foco;
 Utilize canetas de várias cores diferentes;
 Para fazer associações, utilize setas, cores e códigos;
 Seja claro, use APENAS UMA palavra-chave por linha;
 Escreva todas as palavras em letra de fôrma e sobra as linhas;
 Faça com que a linha tenha o mesmo comprimento das palavras;
 Faça com que ramificações maiores se liguem à imagem central;
 Faça as linhas centrais que estão ligadas a imagem central do mapa mais
grossas que as outras;
 Conecte linhas a outras linhas;

57
 Desenhe as imagens com clareza;
 Mantenha as letras retas;
 Faça variações no tamanho das letras, linhas e imagens, para distinguir
diversos níveis de importância;
 Use hierarquia. Faça distinções entre níveis de importância para ajudar o
cérebro a se lembrar dos fatos essenciais;
 Empregue uma ordem numérica. Ordenar as ideias o ajudará a priorizar
as ações;
 Desenvolva um estilo pessoal. Será mais fácil lembrar e estabelecer
relações usando itens que você mesmo tenha criado.

Comece a fazer os seus mapas mentais hoje mesmo. No começo, pode parecer
trabalhoso, mas quando se acostumar você vai achar um barato, fora que depois
poderá usá-los para fazer suas revisões de véspera.
O site mapamental.org apresenta de forma gratuita uma série de dicas sobre a
criação de mapas mentais, além de fornecer resumos de livros em mapas
mentais. Este site ainda apresenta dicas sobre o uso de 7 aplicativos para a
criação de mapas mentais, uns gratuitos e outros pago. Antes de você começar
a fazer os seus, vale a pena dar uma conferida nesse site.

Dica 78: Crie você mesmo as questões e estude-as.

Uma poderosa ferramenta que fará você aprender e memorizar com mais efeito
é esta dica: crie você mesmo e responda as questões, de acordo com a
dificuldade proposta pela banca organizadora.
Um dos benefícios de ler bem o edital é esse, você sabe de antemão qual é a
banca e pode estudar após a teoria fazendo questões passadas ou criando
novas questões.
A essa altura já suponho que você já sabe como fazer essas questões. Faça-as
escrevendo de próprio punho no papel e não escrevendo no computador. Nada
de reclamar, deixe de ser preguiçoso!
Você pode fazer não apenas questões de múltipla escolha, como também
questões de certo ou errado (mesmo que sua banca não seja a temida Cespe)
e questões abertas. Aqui vale tudo, como dizia o eterno Tim Maia.
Além de criar questões, você vai respondê-las, comentá-las e guardá-las para
uma futura revisão. Dá trabalho? sem dúvida, mas você não precisa fazer muitas
de início, no máximo umas 10 por tema, depois você vai aumentando. Não se
preocupe com quantidade, se preocupe com a qualidade das questões.
Você consegue perceber a magia dessa técnica?

58
Fazendo isso você vai começar a pensar como a banca que organiza seu
concurso, e vai estar bem mais preparado e à prova de surpresas do que seus
concorrentes.
Espero sinceramente que considere essa dica, sem pensar no esforço que é.
Você quer passar ou não quer? Quer furar a fila da aprovação ou não?

Dica 79: Estude com material em áudio.

Recomendo o estudo com material em formato de áudio se você for do tipo de


pessoa que não perde a concentração de forma fácil. Outro benefício de estudar
ouvindo, é que você pode levar seu material e estudar aonde quer que for: na
academia, no carro, no metrô, na fila do banco...
Você não tem mais desculpa de falta de tempo para não estudar, e as editoras
desse seguimento estão cada vez mais especializadas.
Às vezes o estudo dessa maneira pode se tornar inviável, no sentido de que você
pode não encontrar todo o conteúdo do seu edital disponível em áudio. A saída
então é comprar um gravador e gravar você mesmo as aulas. Eu fiz isso!
Mas eu fiz devido ao conteúdo de áudio que eu tinha comprado de uma empresa
ter muita coisa inútil. Sou formado na área de Segurança do Trabalho. Para
quem não conhece, os profissionais dessa área devem estudar 36 Normas
Regulamentadoras expedidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego – MTE.
Algumas dessas Normas possuem tamanhos nababescos, com coisas que nada
importavam e que nunca caiam em provas. Você pode imaginar o estado de
ânimo de uma pessoa em ter que escutar 2 horas de uma gravação na qual
apenas 15 a 20 minutos realmente são importantes? Por isso, por questão de
facilidade e para evitar perca de tempo, eu fiz as gravações. E ficaram muito
boas, modéstia à parte.
Vale a pena você considerar essa dica, principalmente se tem pouco tempo ou
queira otimizar sua rotina, podendo estudar independentemente de onde esteja.
Compre um gravador barato vendido nos sites de leilão e mãos à obra.

Dica 80: Utilize o sistema SQ3R.

Segundo Willian Douglas “Como Passar em Provas e Concursos”, Morgan e


Deese (1969, p. 35) mencionam estudos feitos pela Universidade de Ohio nos
quais se identificou aquele que seria o melhor método de estudo, o SQ3R. Esse
eficiente método pode ser utilizado isoladamente ou em combinação com outros,
sendo referido por praticamente todos os livros que tratam do assunto
(metodologia, aprendizado, leitura dinâmica, memorização dentre outros).

59
Veja detalhes do sistema SQ3R:
 S (Survey/Procura): Exame prévio do que se procura, criando-se
curiosidade mental sobre o que será estudado. Funciona como uma
preparação para o estudo.
 Q (Questions/Perguntas): Realização de um conjunto de perguntas a
serem respondidas, e se questionar sobre o que quer aprender.
 R1 (Read/Leitura): Ler o texto para se ter uma noção global. É ler de forma
rápida e sem se preocupar com a compreensão total.
 R2 (Read/Leitura): Leitura normal. Nessa etapa procura-se ler com mais
calma e busca-se um entendimento maior, através de formulação de
conceitos pessoais.
 R3 (Review/Revisão): Etapa de revisão do texto (no mesmo dia),
procurando fixar os pontos mais importantes e ver se foram sublinhados
os pontos principais.

Dica 81: Estude lendo em voz alta.

A leitura em voz alta potencializa a assimilação, porque conjuga o sentido da


visão ao da audição. Mas não basta simplesmente ler. É preciso refletir sobre o
que está sendo lido, pois se o aluno estiver desatento ou distraído, não
conseguirá fixar bem as informações desejadas.
Para quem não está acostumado, ler durante uma ou duas horas pode ser
cansativo, quando comecei a utilizar essa técnica eu cheguei a ficar rouco várias
vezes, mas com o tempo você vai se acostumando.
Não precisa fazer leitura em voz alta durante todo o período de estudos, afinal
tem gente que chega a estudar 6 a 8 horas por dia. Haja voz!
Nesses casos, você pode estudar lendo em voz alta apenas as partes mais
importantes da matéria, ou aquele resumo que você fez e está lendo como
revisão na véspera da prova.

Dica 82: Faça marcações (grifos).

A técnica de fazer marcações do apontamento pode ser considerada por você,


mas desde que você saiba o que está fazendo (poucas marcações e com várias
cores) e que se comprometa a fazer seu resumo particular em forma de
esquemas, tabelas e/ou mapas mentais após a leitura e marcação.

Como fazer?

60
O mais importante é que você tenha o entendimento de que não pode sair
marcando qualquer coisa com sua “caneta nervosa”. Existem pessoas que
estudam fazendo marcações e quando terminam quase toda matéria está
marcada. Como você vai fazer uma pós-leitura de revisão eficiente, se você
marcou tudo?
Marque apenas o indispensável, o mais importante, e utilize cores diferentes no
processo. Você pode grifar de verde algumas datas importantes, de vermelho as
exceções, de azul as principais atribuições/competências de um órgão, e por aí
vai. O ideal é que padronize as cores, assim com o tempo o estudo ficará ainda
mais otimizado e eficiente.
Agora que você já sabe como, vá a livraria mais próxima comprar suas canetas.
Compre duas de cada cor para guardar de reserva.

Dica 83: Você é o que você faz. Aprenda mais rápido dando aulas.

“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”


Cora Coralina.

Transmitir o que aprendeu é uma das melhores formas de nunca mais esquecer
o que se estudou. As pessoas que ensinam são as que mais aprendem.
Como você pode fazer isso?
 Virando professor de curso preparatório (você já pensou em ensinar
alguma matéria da qual tenha afinidade?)
 Através das sessões de estudo em grupo ou dupla;
 Compre um quadro e coloque em um cômodo disponível da casa (seu
quarto é o melhor local). Estude escrevendo nesse quadro, e finja estar
dando aula para uma plateia invisível;
 Estudar lendo em voz alta e fingindo estar ensinando alguém.

Se você me perguntar quais são as 3 melhores técnicas de estudo eu te diria “na


lata”: 1) ensinar o que aprendeu. 2) fazer mapas mentais e 3) fazer questões e
provas anteriores, e criá-las também.
Percebeu agora porque você DEVE considerar essa técnica quando quiser
aprender e memorizar algo importante?
Para finalizar, vou dizer aqui uma coisa que quase nenhuma pessoa percebe:
Achamos que muitos professores de cursos preparatórios são professores
porque passaram em muitos concursos ou em algum concurso de renome,
quando na verdade, é por já serem professor, que eles conseguiram passar. A

61
ordem de nossa percepção está invertida. Então, agora acho que você já
descobriu qual o “maior segredo da melhor técnica de estudos de todos os
tempos em todas as galáxias” (risos).

“Deixe de ser estudante e se torne professor. Deixe de ser leitor e se torne autor.
Pare de aprender e comece a ensinar”
Pierluigi Piazzi.

Dica 84: Use leitura dinâmica quando for revisar a matéria.

A leitura dinâmica é uma forma de ler os textos de forma rápida e clara, com o
mesmo entendimento, apesar da maior velocidade. Depois de aprender a ler, as
pessoas continuam fazendo vocalização das palavras, mesmo que
silenciosamente.

Quando NÃO USAR leitura dinâmica?


Quando você estiver tendo um primeiro contato com a matéria. Você pode até
utilizá-la na 1º leitura da técnica SQ3R, o que você não pode fazer é APENAS
utilizar a leitura dinâmica como forma de tentar aprender algo.

Quando usar leitura dinâmica?


Você deve usar leitura dinâmica para revisar a matéria nas vésperas da prova,
a partir da leitura dinâmica de resumos, esquemas e mapas mentais que você já
criou num papel com as próprias mãos.

Mas como fazer leitura dinâmica?


Segundo Tony Buzan (que além do livro sobre mapas mentais escreveu o
“Leitura Dinâmica para Principiantes”), para tirar maior proveito e fazer com que
os métodos de leitura dinâmica sejam eficazes, devemos considerar 7 níveis de
entendimento para acelerar a velocidade da leitura. Se você deseja se tornar
um praticante de leitura dinâmica, deve aprimorar cada um deles:
1) Reconhecimento.
O conhecimento dos símbolos do alfabeto. Esse passo ocorre antes que o
aspecto físico de leitura tenha início.
2) Assimilação.
O processo físico pelo qual a luz que se reflete da palavra é recebida pelos olhos.

62
3) Compreensão.
A ligação de todas as partes da informação lida com outros dados
concernentes a ela. Esses elementos incluem palavras, números, conceitos,
figuras, fatos dentre outros.
4) Conhecimento.
O processo no qual o leitor direciona todo o conjunto do seu conhecimento
anterior para as novas informações que está lendo enquanto faz, ao mesmo
tempo, as devidas conexões. Isso inclui análise, crítica, apreciação, seleção
e rejeição de informações.
5) Retenção.
O armazenamento básico de informações.
6) Lembrança.
A habilidade de buscar a informação necessária entre os dados armazenados.
7) Comunicação.
O uso que é feito da informação adquirida e aprendida, imediatamente ou depois
de algum tempo.

Se você ficou interessado nesta técnica e deseja implementá-la em seus


estudos, recomendo que adquira um exemplar do livro de Tony Buzan,
especialista em atividade mental e aprendizagem, intitulado “Leitura Dinâmica
para Principiantes”, da Editora Sextante.

Dica 85: Faça revisões de véspera redigindo redações sobre a matéria.

Sim, você já sabe que para que de fato haja aprendizado, você deve estudar
fazendo resumos, esquemas, tabelas e questões de próprio punho. Que tal
também fazer redações sobre a matéria?
Essa técnica é boa sobretudo nas vésperas de prova, como revisão. Ao revisar
determinada matéria, escolha um tema, pegue um caderno, caneta ou lápis, e
escreva sobre ele. Não precisa ser uma redação dissertativa de fato, com
introdução, desenvolvimento e conclusão. Apenas escreva sobre a matéria.

Dica 86: Espalhe pequenos resumos e esquemas pela casa.

Quanto mais tempo você passar em contato com a matéria melhor, isso irá servir
como revisão rápida e fortalecerá sua memorização.

63
Na minha época de concurseiro, eu espalhei resumos pelo meu quarto, guarda
roupa, cozinha e banheiro. Quando abria o olho de manhã ao acordar, lá estava
a matéria. Quando abria o guarda roupa para pegar uma roupa ou me pentear,
lá estava a matéria. Quando ia para a cozinha preparar uma refeição ou lavar
pratos, lá estava a matéria, sempre resumida e diante dos meus olhos.
Com o tempo, você pode trocar os resumos quando sentir que fixou. Não tenha
preguiça de usar essa técnica. Não fique com receio do que os outros vão pensar
e falar de você, que você está ficando louco ou coisa do tipo.
Faça isso por você e pelo seu sonho, garanto que esta técnica vai ajudar
bastante.

Dica 87: Faça intervalos de descanso durante o estudo.

A realização de intervalos é uma forma de manter a eficácia de seu estudo e


aprendizado. Os intervalos são importantes para que recuperemos a capacidade
de assimilar os conhecimentos.
O intervalo serve para melhorar o rendimento no estudo e na realização da prova
(falarei mais sobre isto do capítulo 9 - fazendo provas). A importância do
intervalo vem do fato de que após um certo período de estudo contínuo, passa
a existir uma queda na curva de aproveitamento.
É importante também se acostumar a beber água, ir ao banheiro e fazer um
lanche, antes ou depois dos estudos ou nos intervalos. Se você faz intervalos de
hora em hora dá para esperar para fazer essas coisas e, agindo assim,
disciplinar seu organismo.

Dica 88: Use a técnica do Pomodoro.

A Técnica Pomodoro é um método de gerenciamento de tempo. A técnica foi


desenvolvida no final dos anos 80 por Francesco Cirillo, que procurava
uma maneira de aumentar sua produtividade nos estudos.

Na prática, a Técnica Pomodoro consiste em trabalhar por blocos de tempo,


chamados de pomodoro. Cada pomodoro tem 25 minutos, durante os quais você
tem que trabalhar em uma única tarefa, sem interrupções. No fim de
cada pomodoro, você deve fazer uma pausa de 5 minutos. A cada
quatro pomodori (plural de pomodoro), você deve fazer uma pausa maior, de 30
minutos.

Os objetivos da técnica são:

64
 Aumentar sua concentração;
 Aumentar sua produtividade;
 Diminuir as interrupções;
 Aprender quanto tempo você demora em cada tarefa;
 Aliviar sua ansiedade.

Como funciona a técnica pomodoro para os estudos?


1) Cria-se uma lista de tarefas antes de iniciar os estudos.
2) Executa-se as tarefas, uma a cada momento pomodoro de 25 minutos.
3) Aprende-se com os resultados.

Dica 89: Utilize uma ou mais técnicas de estudo.

É tanta técnica de estudo que você pode acabar ficando perdido, sim, eu
reconheço.
Mas você deve ter em mente que não é preciso utilizar todas elas para passar
num concurso ou prova qualquer. Seria bom que testasse algumas e ficasse com
as que melhor se adaptar, e isso é muito particular, o que pode ser bom para
você pode não ser bom para mim.
Mas se você me perguntasse quais as melhores técnicas, eu te diria que são:
 Ensinar aos outros ou a uma plateia fictícia o que você aprendeu;
 Fazer mapas mentais;
 Resolver muitas questões de concurso de acordo com a banca
organizadora;
 Criar questões de concurso de acordo com a banca organizadora;
 Escrever, escrever, escrever sobre a matéria.
Também, há que se considerar o tempo de estudo que cada pessoa tem
disponível.
Se você pode estudar apenas 1 hora por dia, estude apenas fazendo questões.
Se tiver 2 horas para estudar, estude metade teoria (lendo e escrevendo) e a
outra metade fazendo questões.
Se tiver mais tempo ainda, tente combinar as técnicas que foram ensinadas e
fique com as que lhe parecer melhor.
Apenas não cometa o erro primário de estudar utilizando uma técnica que não
será ensinada neste e-book, a técnica que chamo de “técnica da preguiça”, que
é estudar apenas lendo a matéria.

65
Dica 90: Corrija as imperfeições.

“Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar por resultados


diferentes”
Albert Einstein.

Você que lê essas linhas agora pode estar estudando há bastante tempo, sem
obter sucesso. Uma das razões que impedem as pessoas de conseguir o que
desejam não é o fracasso, não é o erro, e sim, NÃO APRENDER com o fracasso
e com o erro. Tão importante quanto aprender o que fazer, é aprender o que
NÃO fazer.
A noção de sucesso e fracasso é muito relativa, por isso, você não deve levar o
insucesso como algo pessoal. Agindo dessa forma, você deixa de aproveitar uma
chance ímpar de buscar corrigir seus erros e de melhorar no processo.
Somos especialistas em olhar e apontar os erros dos outros, mas quando se
trata de nós, damos um jeito de escondê-los debaixo do tapete. Relaxe, se
aceite, somos todos seres humanos e só esse fato já nos caracteriza como seres
falhos, carentes de ajustes e melhoras.
Às vezes a resistência em reconhecer que errou e mudar é devido à falta de
humildade da pessoa, como eu já disse antes.
Sem querer me alongar mais para você não começar a achar que quero ser seu
psicólogo, só peço que você fique mais atento a suas ações, que comece a
descobrir seus erros no estudo e que busque corrigi-los.
Agindo assim, você está no caminho correto para se tornar um concurseiro de
alto nível, e conquistará ainda mais rápido o sonho da aprovação. Por isso,
considere usar as técnicas aqui apresentadas. Se você já estivesse se saindo
bem, já teria passado e não estaria aqui lendo esse meu “humilde” e-book.
Tenha atenção, avalie e corrija se necessário. Tenha força para mudar e seguir
em frente e no final, cante a beleza de ser um eterno aprendiz. (risos)

Dica 91: Faça revisões periódicas.

A revisão é um passo obrigatório na caminhada de todo concurseiro. Por melhor


e mais eficiente que seja seus estudos, chega um momento que você começa a
esquecer o que estudou, e precisará “refrescar sua memória” de tempos em
tempos.
Um dos segredos do estudo eficiente é a revisão. A primeira boa notícia é que a
cada revisão, você dá um passo a mais para fixar de forma permanente o

66
conteúdo estudado. Após sucessivas revisões (cinco ou seis), vai chegar o
momento em que você de fato memorizou aquela matéria. A segunda boa notícia
é que a cada repassada na matéria você diminui o tempo de revisão, e o
processo se torna cada vez mais rápido.
Para evitar esquecimentos, programe rápidas e frequentes revisões das
matérias que forem sendo estudadas.

Como fazer revisões periódicas?


Para revisar, você pode usar uma das técnicas abaixo, que já foram explicadas
em outras dicas:
 Fazendo ou criando questões de concursos;
 Fazendo fichas-resumo;
 Fazendo e relendo mapas mentais;
 Escrevendo sobre a matéria em um papel;
 Relendo pequenos resumos espalhados pela casa.

Há outro tipo de revisão quase imediata que você pode fazer, e que te ajudará
muito na fixação de um conteúdo, principalmente se for a primeira vez que você
entrar em contato, chama-se revisão do dia seguinte.
Antes de iniciar os estudos dos assuntos daquele dia, você pode reservar de 10
a 15 minutos para rever rapidamente o que foi estudado no dia anterior

Dica 92: Não estude apenas lendo.

Dica 93: Não reclame da sua memória. Afaste a passividade. Faça algo para
lembrar.

Talvez você seja uma das muitas pessoas que vivem reclamando de falta de
memória. Você se acha muito esquecido, pois vive perdendo compromissos e
atividades.
Será que o problema é com você? O que você vem fazendo para não esquecer
daquele recado importante, do telefone que não podia esquecer, dos seus
compromissos profissionais?
Muita gente esquece porque não faz nada a respeito, e com a vida corrida que
levamos fica ainda mais fácil esquecer.
Qual a saída? Fazer algo para se lembrar.

67
Uma boa dica é comprar uma agenda para anotar seus compromissos e
números telefônicos. Anote o número de telefone que te deram num bloquinho,
ou na falta deste, na mão.
Mantenha um bloco sempre próximo para anotar tarefas do cotidiano. Confira a
seguir algumas dicas para que você não esqueça mais de suas tarefas e
responsabilidades:
 Se ficou de repassar um recado, faça isso imediatamente, não deixa para
depois;
 Caso não possa ligar para a pessoa, envie uma mensagem pelo celular;
 Caso mesmo assim não possa enviar uma mensagem, envie um e-mail;
 Programe o seu celular para emitir um sinal de alerta no momento
adequado;
 Use uma agenda convencional ou uma eletrônica;
 Faça pequenos bilhetes e mantenha ao alcance dos olhos;
 Faça um bilhete e fique com ele nas mãos até repassar ou fazer a tarefa
pertinente a ela;
 Escreva com caneta na palma da mão;
 Associe o recado ao rosto da pessoa;
 Crie uma situação que o incomode, por exemplo, troque a aliança ou anel
de dedo, deixe algum objeto de ponta cabeça, abra uma gaveta e coloque
algo que não a deixe fechar etc.

Dica 94: Menos decoreba, mais memorização.

Se você seguir as técnicas apresentadas nesse livro, é certo que irá memorizar
e não apenas decorar a matéria e esquecê-la daqui há uma semana.
Passos para uma boa memorização:
1) Obtenha a compreensão real do assunto. Para compreender você deve
estar concentrado, com a mente calma, tranquila e livre de pensamentos
e preocupações.
2) Pergunte a si mesmo após aprender algo novo: o que eu posso fazer para
lembrar? A ideia aqui é tomar uma providência que dê suporte à repetição,
de modo que em poucas revisões você tenha o conteúdo gravado na
memória.
O campeão brasileiro de memorização Renato Alves, no livro “Os 10 hábitos da
memorização” da Editora Gente, fala que para recordar você deve dar mais uma
olhada no texto, mas dessa vez escolhendo e anotando numa ficha de revisão
uma palavra-chave de cada parágrafo estudado e compreendido. São as
palavra-chave escolhidas que mais tarde servirão de suporte para a revisão e
posterior recordação do texto inteiro. Para que você tenha sucesso no processo,
relacione, organize e memorize todas as palavras destacadas.

68
3) Faça a revisão ou repetição a partir das palavras-chave escolhidas.
Ao pensar na primeira palavra-chave, tente explicar o conteúdo do texto
associado a ela. Em seguida pense na segunda palavra-chave e faça a mesma
reflexão. Depois pense na terceira, na quarta e assim por diante, repetindo o
mesmo processo.
Se você não conseguir lembrar de todas, então refaça o exercício até fixa-las em
definitivo.

Estudando e fazendo provas de interpretação de texto:

Dica 95: Dê prioridade as questões de interpretação de texto.

Sempre comece estudando ou fazendo provas com a resolução das questões


de interpretação de texto. Esse tipo de questão pede muita atenção dos
candidatos. Resolvendo-as primeiro, você estará com a mente mais descansada
e mais atento para não cair em “pegadinhas”.

Dica 96: Leia o texto pelo menos duas vezes.

Não tenha pressa de ler e já sair respondendo. Agindo dessa forma você corre
o risco de não entender o texto de forma adequada e errar na resolução das
questões.
Outro ponto importante é que lendo mais vezes o texto você perde menos tempo,
pois evita o “pingue-pongue” texto-questão e questão-texto, toda vez que for
responder uma questão.

Como fazer:
 Faça uma primeira leitura rápida e “por cima”, apenas para entender do
que se trata o texto;
 Leia novamente o texto e dessa vez, sublinhe palavras-chave e o que lhe
parecer importante;
 Dê uma olhada nas questões da prova referentes ao texto, mas ainda não
responda nada. O importante aqui é ficar por dentro do que está sendo
perguntado;
 Retorne novamente ao texto e faça uma terceira leitura, já com atenção
para responder as perguntas que você visualizou na etapa anterior;

69
 Faça as questões;
 Somente passe para outro texto depois de ter respondido todas as
questões do anterior;
 Se não souber responder alguma pergunta, deixe-a para o final da prova.
Se tiver tempo tente entender e responder, caso contrário “chute”.

Dica 97: Fique atento ao que se pede na questão.

Muitas vezes erramos uma questão porque não estamos atentos ao seu
“comando”, ou seja, ao que o examinador está nos pedindo. Dessa forma, é de
vital importância que fique atento não só ao enunciado como também nas
alternativas oferecidas.

Memorizando tabelas e datas:

Dica 98: Escreva as datas e faça as tabelas diariamente por duas semanas.

Para memorizar e fixar datas, você deve em primeiro lugar fazer um


resumo/esquema ou mapa mental de próprio punho sobre os dados que se quer
memorizar.
Depois, faça o seguinte: pegue um tempo destinado a seus estudos, pode ser
na fase de revisão do que estudou no dia anterior, e simplesmente pegue outro
papel e faça um novo resumo, ou escreva uma nova tabela com esses dados.
Você deve repetir o processo por umas 10 a 12 vezes, ou seja, por cerca de
duas semanas. Não tente memorizar mais nada referente a datas e tabelas
que não esteja nessa ficha inicial. No final desse período, você pode começar
a fazer tabelas e esquemas diferentes a submetê-los ao mesmo procedimento:
refazer o mesmo resumo por duas semanas.
Se você fizer isso todas as vezes com atenção, eu te garanto que será bem mais
difícil esquecer. Tudo o que você precisa fazer depois é revisitar esses resumos
uma vez a cada mês ou uma vez a cada dois meses, a fim de que o mesmo não
caia na sua “curva de esquecimento”.

Como tirar proveito do seu tutor e dos cursos presenciais, se


você fizer?

Dica 99: Saiba antes sobre o tema da aula e estude antecipadamente.

70
Quando acabar determinada aula, pergunte ao seu professor qual será o tema
da aula seguinte. Após revisar e estudar sobre a aula daquele dia, você pode se
antecipar e dar uma olhada no assunto tema da aula seguinte.
Esse primeiro contato serve para que você já possa ter uma ideia acerca do
assunto, desperte sua curiosidade e de antemão já descubra algumas possíveis
dúvidas que você DEVE perguntar ao seu professor no dia em que ocorrer a
aula.
Agindo assim, você fortalecerá ainda mais o processo de memorização, pois
estará mais tempo em contato com a matéria:
 Leitura antes da aula;
 Aprendizado em sala de aula com o professor;
 Revisão em casa no mesmo dia da aula, para fixar o conteúdo na
memória;
 Revisão do assunto o dia seguinte;
 Revisão semanal, com a resolução de questões e simulados.

Em uma semana você entrou em contato com a mesma matéria 5 vezes. Será
quase impossível não solidificar esses conhecimentos em sua memória.

Dica 100: Chegue a aula pontualmente.

Você está pagando caro, então não desperdice seu dinheiro. Chegue sempre
pontualmente às aulas. O maior interessado é você. Se não for pontual, corre o
risco de perder aulas importantes sobre a matéria e depois perder tempo para
aprender em casa o que o professor poderia ter passado de forma “mastigada”.

Dica 101: Esteja presente física e mentalmente.

Outro ponto importante e que não deve ser negligenciado é a presença física e
mental. Não adianta você chegar no horário e com 20 minutos de aula sair para
beber água e ficar fora da sala batendo papo com alguém. Também irá
atrapalhá-lo o fato de estar fisicamente presente, mas com a mente cheia de
pensamentos e divagações extra sala.
Hora de aula é hora de aula. Você deve estar 100% presente e focado, do
contrário estará jogando não só dinheiro, como seu tempo na lata do lixo.
Para ajudar a se conectar somente com o presente, veja a Dica 3 - Usando a
meditação.

71
Dica 102: Anote a síntese da matéria passada em sala de aula.

Já que você foi à aula ou está com o vídeo dela em seu computador pronto para
dar o play, não tenha uma postura passiva diante do que está sendo falado pelo
seu professor, relembre a Dica 93 – Afastando a passividade.
A aula é o momento perfeito para você pegar um papel e uma caneta, e começar
a fazer seu resumo e esquemas. Agindo dessa forma você ficará ainda mais
atento ao que lhe é passado e por tabela irá aprender e fixar muito mais rápido.

Dica 103: Faça perguntas e não saia da aula com uma dúvida sequer.

Após fazer seus resumos, ou até mesmo no momento em que uma dúvida surgir,
não hesite, pergunte a seu professor e ouça o que ele tem a dizer, afinal de
contas, você está pagando caro por isso, não faz sentido não perguntar por
receio de pensar o que os outros vão achar de você.
Após ouvir, entender, perguntar e fazer resumos, esquemas e mapas mentais,
você vai para casa e revisa o que escreveu e faz mais algumas questões de
concursos. Pronto, você estudou da maneira correta!

Dica 104: Não procure professores perfeitos.

Uma das primeiras falhas cometidas pelos alunos, e que atrapalha a relação de
ensino, é procurar encontrar professores perfeitos.
Ninguém é perfeito, todo professor terá suas falhas e defeitos, assim como
qualidades, e ele também não é obrigado a saber tudo, principalmente aquelas
perguntas esdrúxulas (tenha em mente que, por mais difícil que pareça a prova,
o examinador sempre cobra algo de certa forma superficial e você não precisa
ser um expert no assunto, nem seu professor) que alguns alunos fazem e que
provavelmente não será objeto de prova.
Assim como gostar da matéria é indispensável para aprendê-la, um pouco de
aceitação e simpatia em relação ao professor que a ensina faz muito bem para
o aprendizado.
Você alguma vez já se pegou dizendo que não gosta de certa matéria porque
não gosta do professor, porque ele é chato? Pois é justamente isso. Justamente
por pensar dessa forma que a matéria fica tão difícil de aprender. Portanto, se
você quer aprender mais, aprenda a aceitar e compreender seus professores.

72
Dica 105: Não dependa do professor.

Não dependa do professor para aprender. Embora a dica 104 diz para você não
exigir demais do seu professor, é fato que nem sempre encontramos professores
excelentes por aí.
Às vezes pode ser somente uma didática inadequada e não que o professor sabe
pouco, mas o fato é que você não deve ficar à mercê dele. Não deixe que o
professor seja o fator determinante se você vai ou não aprender aquela matéria.
Se não consegue aprender com ele, você tem outras opções:
 Procurar um amigo que sabe e pedir ajuda;
 Procurar explicações de um outro professor;
 Buscar a resposta em seu material de estudo.
O que por vezes atrapalha é a passividade do aluno, em querer receber tudo de
“mão beijada”. Se você é assim, trate de mudar, se questione e busque você
mesmo as respostas para o que não sabe.

Dica 106: Não julgue nem tente competir com o professor.

Não cometa o erro de ficar julgando o professor para decidir se ele é bom ou não
e, se não for bom, não prestar atenção nele. Muitos alunos, por implicância ou
por ficarem ouvindo conversas de corredor, tendem a “crucificar” ou “idolatrar”
um professor ou outro. Quando se “idolatra” um professor, perde-se o senso
crítico. Do contrário, quando o “crucificamos”, deixamos de aproveitar aquilo que
ele certamente tem para ensinar.
Há outros alunos que, por um motivo ou outro tentam competir com o professor,
para tentar mostrar que sabe mais que ele e os outros da sala. Ainda que você
saiba mais, agir dessa forma não traz nenhum benefício. Quem é sábio prefere
sempre ouvir mais do que falar, e falar somente o indispensável e quando for
solicitado.
Agindo dessa forma você só vai parecer antipático aos olhos dos outros e outra
coisa: você ganha o direito de não ter mais nenhuma dúvida sobre a matéria,
nem de poder perguntar mais nada. Ninguém sabe tudo sobre algo e há sempre
algo a se aprender.

Dica 107: Saiba o que você quer buscar antes de escolher um curso.

73
Não escolha o curso apenas por ele ser famoso ou porque você gosta dos
professores. Sim, contar com uma excelente equipe de professores é bom, pode
ser um diferencial, mas você deve se perguntar antes se realmente precisa fazer
esse curso.
Às vezes é mais prudente você fazer um curso menor, com apenas aquelas
matérias que você necessita ter um suporte por ter mais dificuldade de aprender.
Agindo dessa forma, você estará economizando sabiamente um dinheiro que
pode ser usado mais lá na frente, por exemplo, para a inscrição e viagem para
fazer prova em outra cidade.
Outro ponto importante que você deve pensar é se realmente quer seguir a
carreira naquele órgão do qual lhe é oferecido um curso. Se após começar o
curso você decide mudar, vai perder dinheiro à toa.

Dica 108: Não escolha o curso levando em conta APENAS a qualidade do


mesmo.

Não escolha o curso APENAS pela qualidade do corpo docente. Você deve levar
em conta 4 pontos importantes:

 A equipe de professores:
Quem serão os professores? Qual sua experiência? Já foram aprovados em
algum concurso? Qual sua didática? O que pensam as pessoas que já fizeram
esse curso?

 Possibilidade de cancelamento:
Você deve checar antes a possibilidade de pedir cancelamento e ressarcimento
de valores. Não estou dizendo isso pensando que você vai se arrepender do
curso por não estar gostando ou porque os professores são “fracos”. A maioria
dos cursos preparatórios são de qualidade, e os poucos que não são, serão
excluídos do mercado por osmose pelos concurseiros.
O que estou dizendo é que você pense na possibilidade de ser aprovado antes
mesmo da conclusão do seu curso. Nesse caso, terminá-lo não faz mais sentido,
e você deve ter o direito de poder fechar sua matrícula e ser reembolsado pelos
meses que pagou e não vai estudar.

 O custo:

74
Não adianta você se matricular num curso “top” e depois ficar sem grana para
pagá-lo, ou até mesmo fazer as inscrições para os concursos e viajar se for o
caso. Se planeje financeiramente e leve em conta os outros gastos que terá
enquanto estudante. Se você tiver que sair do curso por falta de dinheiro vai ser
negativo por dois aspectos: primeiro e mais importante, você deixa de dar
prosseguimento aos estudos da maneira como o mesmo foi estruturado e pode
se perder no caminho. Segundo, você perdeu de certa forma parte do valor que
já foi investido.

 A distância:
Pense também na localização geográfica do curso e na dificuldade ou facilidade
que será chegar até ele. Leve em conta suas outras atividades do dia a dia e se
realmente vai ter pique e tempo para frequentar com regularidade o curso.
Se você ver que vai ser difícil frequentar as aulas, considere um curso
preparatório que seja mais perto de casa, ou ainda um curso online.

Estudando em grupo:

Dica 109: O grupo é de estudos, e não de fofocas.

Não sou muito entusiasta do estudo em grupo, mas tenho que admitir: ele pode
ser bastante proveitoso, principalmente se você não tem professores que
possam tirar suas dúvidas.
Um dos motivos que me faz não gostar tanto assim do estudo em grupo, é que
se as pessoas que forem estudar não forem com esse propósito, o grupo de
estudos pode se tornar num grupo de fofocas.
Marca-se para estudar por 3 horas, mas quando você pensa no tempo que
perderam conversando sobre fulano, sobre aquele programa da TV, sobre a
quantidade de concorrentes inscritos, sobre novos editais abertos, sobre o dia
que está quente... daí todos param para tomar água ou sorvete... quando você
percebe, estudou efetivamente apenas 1 hora, quando muito.
Uma coisa deve ficar clara desde o início entre os participantes do grupo: hora
de estudo é hora de estudo. Ademais, como recomenda-se uma parada para
descanso a cada 30 minutos ou 1 hora, vocês podem conversar sobre o que
quiserem no tempo da pausa. Só não esqueçam depois de retornar com o
mesmo foco e atenção de antes da parada.
Porém, estudar em grupo tem lá suas vantagens:
 Você pode tirar suas dúvidas;

75
 Pode ensinar alguém e aprender mais ainda no processo;
 Pode compartilhar seus anseios, ansiedade e trocar mensagens positivas
com quem está na mesma “vibe” que você;
 Você exercita a sua memória, ao transmitir aquilo que sabe;
 É uma excelente chance para praticar o hábito de falar em público;
 Exercita a didática e a articulação de ideias;
 Pode revisar assuntos com maior rapidez, etc.
Portanto, embora eu não goste muito, essa é uma dica que você pode levar em
conta. Sigamos em frente!

Dica 110: Seja participativo.

Já que se propôs a participar do grupo, você deve contribuir. Quem já está na


caminhada de estudos há certo tempo tem mais conhecimentos e afinidades com
uma ou duas matérias mais que as demais.
Procure interagir com o grupo, e tire as dúvidas dos participantes sempre que
elas surgirem e você souber a resposta. Quanto mais ensinamos, mais
aprendemos.
Ir estudar em grupo e ficar numa postura passiva não é produtivo, além do mais,
não contribui para que o aprendizado flua como deve ser.

Dica 111: Procure primeiro compreender, depois ser compreendido.

A comunicação é a habilidade mais importante na vida. Passamos a maior parte


de nossas horas de vigília nos comunicando.
Stephen R. Covey, do livro “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes”, diz
que procurar primeiro compreender implica uma mudança profunda de
paradigma. Tipicamente, procuramos primeiro que nos compreendam. A maioria
das pessoas não conseguem escutar com a intenção de compreender. Elas
ouvem com a intenção de responder. Elas estão sempre falando ou se
preparando para falar. Elas filtram tudo através de seus próprios paradigmas,
leem sua autobiografia na vida das outras pessoas.
Se esse for o seu caso, procure mudar de postura, caso contrário o estudo em
grupo não será tão proveitoso para você como pode ser para algum colega ou
para mais pessoas do grupo. Quando estiverem discutindo algum tema, ouça
primeiro o ponto de vista de seus colegas, só depois fale. Você vai ficar
espantado como em algumas vezes duas pessoas podem ter pontos de vista
diferentes e as duas pessoas estão corretas. Discordar de algo não quer dizer
que a outra pessoa está errada.

76
Quando você ouve com empatia o que outra pessoa tem a dizer, está dando ar
psicológico àquela pessoa. E depois que esta necessidade vital é satisfeita, você
pode se concentrar na solução dos problemas ou nos conselhos que tem a dar.

Dica 112: Estude em grupo da forma correta.

Todos devem estar com livros, cadernos e caneta na mão. Agrupe as pessoas
num local adequado, ou se o encontro for numa sala de aula, proponha ao grupo
formarem um círculo, onde todos possam se olhar e conversar.
Definam as matérias que serão discutidas e escrevam os tópicos em uma folha.
Organizar previamente o estudo e os pontos que serão abordados tornam o
momento mais produtivo e eficiente, evitando divagações com conteúdos não
tão importantes e interessantes de serem abordados nesse momento.
Em seguida, o líder da reunião deverá lançar um tema para discussão, pedindo
para cada participante explicar tudo que sabe sobre o assunto escolhido.
A menos que o encontro tenha hora para terminar, o grupo só poderá passar
para o próximo tema quando o anterior for esgotado e todos os membros o
tiverem entendido.
Caso o horário de estudo já tenha sido predeterminado e tenha hora certa para
acabar, vocês poderão tomar uma dessas duas iniciativas:
 Combinar previamente quantos minutos serão destinados a cada tema,
por ordem de importância, ou seja, os temas mais importantes devem ter
tempos de discursão maiores, ou;
 Discutirem até todos terem entendido e deixarem os temas
remanescentes para o próximo encontro.

Dica 113: Não veja o próximo como inimigo.

Um dos motivos que pode fazer você não querer estudar em grupo é o receio de
estar dando “munição” a um potencial concorrente, mesmo ele sendo seu amigo.
Você só tem que vencer a si próprio e à banca organizadora. Pode parecer
mentira, mas já vi gente ensinando a matéria errada de forma intencional ou
emprestando caderno desatualizado de 2 anos atrás para o “colega”.
Quem assume essa postura, ao invés de crescer, cria uma série de bloqueios
que irão prejudicá-lo, a começar pela perda de um ambiente agradável de
convivência e estudo.

77
Quanto mais você dá, mais você recebe em troca. Esta é uma lei espiritual.
Quanto mais você ensina, mais você aprende. Quanto mais você ajuda, mais é
ajudado.

Dica 114: Saiba que cada um pode estar num momento diferente.

Tenha paciência. Tenha em mente que seus colegas podem estar


intelectualmente tanto melhores quanto piores que você. Se tiverem melhores,
aprenda a ouvir críticas e sugestões, desde que elas sejam construtivas.
Se você estiver melhor, nada de depreciar os colegas, você deve ajudá-los e
assim aprenderá ainda mais no processo. Para alguém ministrar uma aula ou
explicação, por mais simples que seja, esse alguém necessariamente executará
uma série de operações mentais e físicas que propiciam a fixação do
conhecimento. Quando você ensina, quem mais fixa a matéria é você.

78
Capítulo 6:

Estudando conforme o tempo que se tem disponível

Dica 115: Crie tempo.

Analise a sua rotina. Você provavelmente trabalha, estuda, fica na internet,


assiste à televisão, vai para a academia, perde tempo no trânsito, vai ao banco,
entre tantas outras coisas.
Você pode criar tempo quando:
 Aproveita a ida para a academia e escuta uma matéria gravada em áudio
enquanto faz exercícios físicos;
 Está preso no trânsito e em vez de música ou notícia você escuta um
material de alguma matéria relacionada com seu concurso;
 Quando você diminui em 20 minutos o tempo em que passa navegando
nas ondas da web;
 Quando você está viajando, e leva algum material para leitura e revisão
dentro do meio de transporte.

Eu poderia ficar o dia inteiro aqui dando sugestão para você readaptar seu
horário e seu dia a dia afim de aproveitar e ter mais tempo para estudo.
Às vezes é questão de prioridade, a pessoa diz que quer passar em concurso
público, mas não quer abrir mão de certas coisas e hábitos prejudiciais. Se for
este o seu caso, recomendo que faça uma avaliação, e se chegar a sincera
conclusão de que não quer abrir mão de certas coisas, recomendo que pare de
se enganar, pois você não vai passar.
É fato que estamos todos atribulados de coisas a fazer. Alguns poucos felizardos
podem se dar ao luxo de ficar apenas estudando, se este não for o seu caso, se
esforce, seja criativo, ativo e crie tempo.

Dica 116: Quando dispor de pouquíssimo tempo para estudar, não desista.
Faça apenas questões de concursos anteriores e simulados.

Você pensou a respeito da dica anterior, e chegou à conclusão de que é


impossível arrumar mais tempo para se dedicar, o que fazer então, desistir?
Não, nunca. Conheço casos de pessoas que passaram estudando apenas 1 hora
por dia. Você também pode, só que vai precisar ter um pouco mais de paciência

79
e aguardar mais, pois vai aprender mais lentamente, e também de ter um pouco
de estratégia.

Supondo agora que você tem apenas 1 hora por dia para estudar durante a
semana e algumas horas a mais durante os finais de semana:

O que fazer?
Faça questões de concursos durante a semana, cada dia uma matéria. Nos finais
de semana, você tira um período e faz um simulado com todas as matérias do
seu concurso.
A técnica de criação e resolução de questões e simulados é uma das mais
poderosas que existem, e caem como uma luva para quem não tem tempo
sobrando:
 Você aprende e revisa mais rapidamente;
 Você se acostuma com a forma de cobrar e com o nível de cobrança da
banca;
 Você pode corrigir mais seus erros;
 Você se habitua a fazer provas mais rapidamente.

Dica 117: Tenha em mente que cada pessoa é diferente, e tem horários e
disponibilidades diferentes.

As pessoas têm vidas diferentes e consequentemente rotinas diferentes. Por


isso, você não deve desanimar porque não consegue estudar pelo método de
estudos que seu amigo ou algum professor sugeriu.
Na verdade, você deve ter um horário de estudos só seu, conforme já discutimos
antes. O que serve para mim, pode não servir para você. O importante não é
somente a quantidade de horas de estudo, mas também a qualidade de seu
estudo no horário que tem disponível.

Dica 118: Seja flexível com sua grade de estudos, ela não precisa ter um
formato padrão para todos os dias.

Após compreensão da dica 117, chegamos à seguinte conclusão: sua grade de


estudos não precisa ser uniforme para ser boa.
Você pode estudar 1 hora num dia, e 4 horas em outro. Ou, você pode estudar
2 horas por dia de segunda a quarta e 3 horas na quinta e na sexta.

80
Você não precisa ser perfeito, nem sua grade de estudos precisa ser perfeita
para que você passe. O que você não deve fazer é estudar muito em um dia e
depois passar quatro longe dos livros.

81
Capítulo 7:

O que fazer e o que NÃO FAZER na véspera da prova

A véspera da prova aqui é entendida como a semana que antecede a realização


da prova.

Dica 119: Mude seu planejamento de estudos.

A situação ideal é aquela em que você está estudando antes mesmo da


publicação do edital, e quando o mesmo sai, você começa a fazer revisões mais
focadas da matéria.
Porém, a realidade é bem diferente, provavelmente você e boa parte dos
concorrentes chegarão na última semana ainda com algo a se aperfeiçoar, algo
a se aprender. E cá entre nós, por mais preparados que estejam, a maioria dos
candidatos sempre sentem insegurança e continuam estudando nessa última
semana.
A semana da prova não é o momento para aprender, é momento para revisar.
Não se ocupe com o que você não teve tempo para estudar. Se não teve tempo,
provavelmente você começou a estudar depois do momento adequado e se for
esse o seu caso, vou ser franco: não vai ser dessa vez que você vai passar.
Em vez de seguir a grade normal de estudo até a última semana, mude de
estratégia. Basicamente, o que você deve fazer é procurar revisar a matéria que
você já estudou, mas de forma diferente e mais simples.
E como você irá fazer isso?
 Relendo ou reescrevendo resumos;
 Revendo ou reescrevendo mapas mentais, esquemas e tabelas;
 Escrevendo sobre os temas mais importantes;
 Aumentando a carga de questões;
 Fazendo um ou dois simulados.
Nada de ler livros ou um material mais abrangente. Faça revisões com o material
que você criou.

Dica 120: Se você estuda mais que 4 horas por dia, diminua a carga de
estudos.

É fato que o estudo é cansativo e provoca fadiga quando em excesso. A fim de


que você não fique nervoso e estressado pouco antes da prova, recomendo uma

82
redução na carga de estudos nessa última semana que antecede a prova.
Estude no máximo 4 horas e só estenda mais, caso faça algum simulado com
mais tempo de duração.

Dica 121: Estude no máximo até 48 horas antes da prova.

O momento em que você deve parar de estudar antes da prova é meio


controverso. Há professores que defendem que você deve estudar ou rever
rapidamente o conteúdo até poucos momentos antes da prova, há outros que
dizem para você parar de estudar com 4 ou 3 dias que antecedem a prova.
Eu prefiro o meio termo, e vou explicar por que:
 Estudar até dentro da sala de aula antes da entrega da prova mais
atrapalha do que ajuda. Você pode até acertar uma ou duas questões a
mais. Mas geralmente quem usa essa técnica são pessoas que não estão
100% preparadas e, embora você consiga melhorar um pouco seu
escore, não está no nível dos melhores concurseiros. Por vezes, essa
prática deixa a pessoa ainda mais nervosa do que normalmente ficaria, o
que pode acabar favorecendo o “branco” na hora da prova. Ademais, já
vimos que esse tipo de estudo não contribui em nada para o aprendizado
e para a memorização de longo prazo, e caso não passe, muito
provavelmente não irá passar mesmo, o assunto estará esquecido daqui
há poucos dias.
 Parar de estudar muito antes pode fazer você perder um pouco o ímpeto
e o foco, e relaxar demais. Então, quando chegar o dia da prova, sua
resistência em ficar sentado por horas a fio fazendo questões e mantendo
alto o nível de concentração e atenção pode ser prejudicada.

Por isso, costumava estudar até a quinta-feira, no máximo, e deixava a sexta-


feira e o sábado para descansar e relaxar antes da prova. Se você é do tipo que
estuda até o fim, convido você a mudar de atitude, como um teste. Faça isso e
depois veja o que acontece. Você irá chegar na prova mais relaxado e tranquilo.
Ficar sem estudar dois dias antes não fará você esquecer a matéria, a menos
que você não tenha estudado da maneira correta e tenha armazenado o
conteúdo estudado na memória de curto prazo, conforme já discutimos.

Dica 122: Faça algumas verificações.

Não, não estou sugerindo que você vá investigar quantas pessoas se


inscreveram para o seu cargo. Isso não ajudará em nada!

83
Estou falando para você checar de antemão:
 Sua reserva de passagens e de hotel, caso viaje para fazer prova em
outro local;
 O local de prova e como fazer para chegar lá. Isso irá ajudá-lo a
planejar o melhor itinerário e o tempo de antecedência que deve sair para
chegar antes do horário. Seja pessimista e pense nas inúmeras
possibilidades a que você poderá estar sujeito: um pneu furado,
congestionamentos, problema em sua sala ou local de prova, dentre
outros.
 O seu cartão de inscrição. Não esqueça de imprimi-lo.
 Seus documentos: RG, carteira de trânsito ou um outro documento com
foto.
 O tipo e a cor da caneta, bem como sua disponibilidade e a possibilidade
ou não de levar borracha e lápis.
 Seus remédios, se você precisar tomar algum antigripal, remédio
controlado etc.
 O lanche que irá levar. Sei que provavelmente encontrará pessoas
vendendo na porta do local de prova, mas é melhor trazer de casa.
 A roupa que usará. Você deve ir vestido como se estivesse fazendo um
certo calor, e levar uma blusa de frio para o caso em que a sala esteja
muito gelada. Lembro-me de uma vez em que fui fazer uma prova, e o ar
condicionado estava tão gelado que os dedos das minhas mãos ficaram
dormentes em cerca de 10 minutos de prova. Pior, não havia lugar
sobrando na sala e o controle do ar condicionado havia sumido.
Atrapalhou o meu rendimento? Pode ter certeza que sim, afinal, quem vai
se concentrar direito quando se está “morrendo” de frio?

Esqueci de alguma coisa? Não sei, você que vai dizer. O que é mais importante
para você e que merece ser checado? Inclua-o nessa lista. Verifique. Agindo
assim, você evita surpresas bastante desagradáveis.

84
Capítulo 8:

Um dia antes da prova

O que fazer?

Dica 123: Divirta-se.

O dia que antecede a prova deve ser o dia em que você vai descansar. Se teve
que viajar, fique o hotel ou pousada, descanse, durma, mas não o bastante para
ter insônia durante a noite. Tenha em mente que agora não é hora de dar uma
de turista e sair pela cidade à caça de aventuras. Você pode fazer isso depois,
basta comprar passagens com um maior prazo para retorno, e relaxar
conhecendo a cidade após a prova.
Se a prova for na mesma cidade ou em uma cidade próxima, ótimo. Fique em
casa, repouse, ou saia para dar uma caminhada ou fazer exercícios físicos leves,
isso ajuda na hora da prova, pois seu cérebro estará mais oxigenado. Você pode
fazer isso no dia da prova, caso a mesma esteja marcada para a tarde.
Você ainda pode sair para visitar um parente, um amigo, ir ao cinema, sair com
o parceiro ou parceira, mas com muito cuidado para não exagerar e chegar tarde
em casa.

Dica 124: Concentre-se.

Não esqueço nunca os momentos que antecediam à largada das etapas de


fórmula 1, na época em que Ayrton Senna era vivo e competia. A câmera o
filmava por dentro do capacete, e você via seus olhos focados no horizonte,
aparentemente olhando para o nada. A verdade é que ele estava no seu
momento de concentração final. Muito provavelmente ele pensava no que havia
feito, no tanto que se dedicou, e como faria para tentar vencer mais uma corrida...
Você também deve criar um momento de concentração só seu. Antes da prova,
se puder, fique um pouco recluso. Pense em tudo o que fez, na sua dedicação,
esforço e mentalize como fará a prova de maneira que dê o seu melhor dentro
da sala, afinal de contas, esse é o momento que pode ser um divisor de águas
na sua carreira.

Dica 125: Ore, medite.

85
Mesmo que você não tenha religião, ou não acredite em um ser superior,
recomendo que ore ou medite, isso irá acalmá-lo e deixá-lo num bom estado de
espírito para fazer uma prova de forma mais eficiente. Você pode fazer isso no
seu momento de concentração (ver dica anterior).

O que comer?

Dica 126: Prefira comidas leves.

Na verdade, você deve manter um hábito alimentar saudável durante todo o


tempo, e não apenas na véspera do concurso. Há certos tipos de comida que
nos fazem mal depois de dias que a ingerimos.
Além disso, refeições leves e um cardápio variado irá fazer com que tenha uma
maior eficiência nos estudos. Prefira ingerir comidas leves, nada de feijoada ou
cozido.
Evite alimentos ou restaurantes com os quais não está acostumado, para evitar
algum desarranjo intestinal. A alimentação deve ser leve e enérgica, estando
liberados, desde que sem excesso, massas, chocolates e doces.

Dica 127: Durma bem.

Confesso que essa é uma dica fácil de receitar e difícil de fazer, mas você precisa
dormir bem, para que esteja com a mente descansada e mais calma no dia da
prova.
Sempre que eu ia fazer provas, o sono demorava a vir e quando eu dormia,
sempre acordava de madrugada com medo de perder o horário. A solução: não
dormir de tarde, ir para a cama cedo e dormir um pouco menos da sexta para o
sábado, assim eu estaria mais pré-disposto ao sono na noite seguinte.
Ah, nada de ficar até de madrugada estudando, o que tinha que aprender você
já aprendeu. Uma boa noite de repouso antes da prova é uma das estratégias
secretas e silenciosas (zzzzzzz) dos vencedores.

86
Capítulo 9:

Fazendo provas

Dica 128: A Guerra é vencida antes mesmo de começar.

Você fez a sua parte, estudou, se dedicou, então caiu na besteira de ver notícias
sobre concursos na véspera e viu um caso de fraude que foi descoberto. Então
você fechou esse site e foi até outro para ver quantidade de inscritos para o seu
cargo, depois leu uma notícia de que os concursos serão suspensos até 2035.
Muitos concurseiros, digo mais de 50%, com toda certeza irão se deixar abalar
por notícias desse tipo, e irão para o “campo de batalha” já desanimados,
derrotados. Se você faz parte desse “seleto grupo” de medonhos, vai ser
bastante difícil que passe dessa vez.
Você não vai passar, para que confirme sua crença de que concurso é difícil,
que tem uma porção de candidatos mais bem preparados que você. Você não
vai passar, porque acredita que todo mundo que passa em concurso faz isso de
forma ilegal e você não vai passar, porque está desesperado com a notícia de
que não vai mais haver concurso até 2035 e vai se colocar uma pressão imensa
nesse, já que vai ser o último concurso até 2035.
A linguagem e o pensamento criam nossa realidade. Se você acredita não ser
capaz, possível, realmente não vai ser. Se você acredita que irá passar, pois
estudou e está bem preparado, suas chances aumentam bastante. Há que se
ter confiança. Não é hora de esmorecer, é hora de dar o seu melhor durante a
prova. Se ainda não for dessa vez, continue estudando, se aprimorando, com
atenção aos erros e garanto a você que sua hora chegará.

Dica 129: Chegue com antecedência.

É incrível a quantidade de pessoas que perdem o concurso que poderia


transformar suas vidas por causa de um desleixo.
Você tem que se planejar, de forma que chegue com antecedência mínima de
uns 40 minutos, para procurar a sala, tomar uma água, se concentrar e se
ambientar com o local.
Se há um momento para pensar negativo, esse momento é agora. No dia do
concurso você pode se atrasar por causa de um acidente que congestionou o
trânsito, porque muitas pessoas estão indo para o mesmo lugar (prova) e o
trânsito está lento, porque mudaram seu local de prova e você não viu antes e

87
agora terá que cruzar até o outro lado da cidade ou porque o seu carro furou o
pneu.
Motivo é o que não falta, por isso, planeje sair de casa ou do hotel com bastante
antecedência. Há, e nada de pegar ônibus, param muito e deixarão você
angustiado com a demora.

Dica 130: Primeiro faça as questões das matérias de maior peso.

É fato que o tempo é escasso, e muitas vezes você terá que “chutar” sem ao
menos ler direito o que está sendo pedido na questão. Se esse for o caso e se a
sua prova tiver matérias com peso maior que outras, você vai preferir “chutar”
questões de peso maior ou menor?
Isso é só questão de estratégia. Também, no início da prova nossa atenção e
concentração está em um nível mais alto do que do meio para o fim da prova.
Então, comece com as matérias mais PESADAS. Em provas desse tipo, nem é
mais importante o fato de você acertar mais questões, e sim, de acertar mais
questões importantes e de maior peso.

Dica 131: Se todas as matérias tiverem peso idêntico, comece com as que
exigem mais tempo, atenção e concentração, como Português
(Interpretação de Texto e Gramática) e Redação.

Dica 132: Nunca deixe a redação por último.

A dica é clara Arnaldo (risos). Concurseiro de alto nível não deixa para fazer a
redação por último, pois pode não sobrar tempo. Com isso, fica-se nervoso e as
ideias que serão colocadas no papel não serão das melhores.
Preciso dizer mais alguma coisa? Então sigamos em frente!

Dica 133: Leia o enunciado com atenção e somente responda quando tiver
certeza que entendeu o que lhe é pedido.

Essa é uma dica muito importante para se fazer provas. Sei que a pressa de
resolver logo, não perder tempo e já passar para a próxima questão é tentadora,
mas você precisa pensar o seguinte:

88
“Você não tem que fazer todas as questões, você tem que fazer o máximo de
questões certas possíveis”

As bancas sabem de tudo. Uma das suas artimanhas é o tempo escasso. Ela
sabe que concurseiros ansiosos e apressados irão errar questões pela pressa,
pelos mínimos detalhes de não enxergar uma palavra ou até mesmo uma vírgula,
que podem fazer a resposta certa passar de uma alternativa para outra.
Se você fizer a linha do tipo apressado, tome um barril de suco de maracujá
antes de fazer a prova!
Brincadeira, não é para tanto, mas saiba que agindo de forma precipitada vai
errar mais do que gostaria, e vai se surpreender negativamente quando for
conferir o gabarito. Então, tenha mais atenção e calma com o “comando” da
questão.

Dica 134: Faça uma pausa no meio da prova.

É uma dica simples, mas muito difícil de fazer, pois você pode ficar preocupado
em faltar tempo para responder as questões que ainda estão por ser feitas.
Você deve se programar para fazer uma pausa, não mais que uma, durante a
prova. Essa pausa (sugiro que seja de 10 minutos) servirá para você:
 Descansar sua mente, e se preparar para fazer o resto da prova;
 Fazer um lanche;
 Beber água;
 Ir ao banheiro;
 Se alongar;
 Fechar os olhos por alguns minutos e relaxar.
Você pode até achar que isso é besteira, mas acredite, o descanso durante a
prova produz mais benefícios do que malefícios. O tempo que se perde agora,
será ganho mais lá na frente, quando você ganhar mais serenidade e
tranquilidade para resolver o resto da prova.
O que comer no seu “mini lanche”?
Prefira algo doce e pequeno, como um chocolate ou barra de cereal. O açúcar
irá manter você mais “ligado”, além de favorecer o processo de trabalho cerebral.

Dica 135: 20 minutos para o gabarito já está de bom tamanho.

89
Você deve se planejar de tal forma que sobre pelo menos 20 minutos para
preencher o gabarito. Algumas pessoas falam em 30 minutos, mas eu
particularmente acho tempo demais. Eu nunca passei todo esse tempo
preenchendo um gabarito, por mais questões que a prova tivesse.
20 minutos é o suficiente. É o tempo que você precisa para preencher o gabarito
de forma ágil e com atenção para não errar. Eu conseguia preenche-lo nesse
tempo, e nunca errei na marcação. Se você costuma reservar 30 minutos para
preencher o gabarito e não pausa para descansar, tente preenche-lo em 20
minutos e com os 10 minutos que sobrou você descansa, lanche ou vai ao
banheiro, conforme visto a dica anterior.

Dica 136: Faça um planejamento de prova.

Traçar um plano de prova significa que você pegar o tempo que tem disponível
para resolvê-la, reservar 20 minutos para o gabarito, 10 minutos de pausa para
o descanso e o resto do tempo para resolver questões.
Já falei um pouco sobre a ordem das matérias, mas vou ser um pouco mais
específico:

Exemplo 1:
Supondo que você vai fazer uma prova de 4 horas, com 60 questões das
seguintes matérias: Português (15), Informática (5), Ética (5), Raciocínio Lógico
(5) e específica (30).
A primeira coisa que você tem que fazer é dividir o número de minutos pelo
número de questões, sabendo, de antemão, que 30 minutos é para pausa e para
preencher o gabarito.
Então você terá 3:30 h, o equivalente a 210 minutos. Se a prova tem 60 questões,
você terá 3 minutos e 30 segundos para resolver cada questão.
Mas não se prenda a isso, pois é tolice, afinal de contas, questões de
interpretação de texto e raciocínio lógico requerem de mais tempo que
informática e específica, por exemplo.
O que você deve traçar aqui é um plano de qual vai ser a sequência de resolução
das matérias, e a sequência mais lógica possível é esta:
 1º resolva a prova de português;
 Depois, alterne entre informática, ética ou conhecimentos específicos. Ou
seja, faça na sequência de matéria que achar melhor;
 Por último, resolva a prova de raciocínio lógico.

90
A prova de raciocínio lógico matemático, mais do que aferir o raciocínio, é mais
uma das artimanhas da banca para atrapalhar o candidato despreparado. Se
você não se policiar, pode ficar até 10 minutos ou mais tentando resolver uma
questão de RLM. Você tem noção do quão prejudicial é isso para o seu plano de
prova?
Por isso, deixe raciocínio lógico matemático sempre por último. Você deve
encarar essa prova assim: vou deixar essa prova por último, farei as questões
que souber, o resto do tempo eu tento fazer as que não sei, e se não souber ou
se o tempo para preencher o gabarito chegar, eu “chutarei” as que não sei.
Então, faça metade das questões da prova nas primeiras 1:45 minutos, descanse
por 10 minutos, e faça o resto nas questões nas próximas 1:45 minutos. Então,
com 3:40 minutos de prova, comece a preencher o gabarito.

Exemplo 2: provas com pesos diferentes.


Suponha as mesmas condições do exemplo 1, mas com pesos diferentes entre
as matérias. As matérias de informática, ética e raciocínio lógico terão peso 1,
português terá peso 2 e conhecimentos específicos peso 3.
Repare que, além de conhecimentos específicos ter peso 3, ela possui METADE
das questões da prova (30). Nesse caso, fica claro que é por aí que você deve
começar:
 1º resolva conhecimentos específicos;
 2º resolva português;
 3º resolva ética depois informática ou vice-versa;
 Por último, resolva raciocínio lógico.
Ficou claro agora como definir a sequência de resolução das questões de acordo
com a matéria e peso?

Dica 137: Aprenda a melhor forma de se resolver uma prova.

Saber a sequência de resolver as matérias é só parte do processo. Certamente,


ao resolver uma matéria você não vai saber responder algumas questões, então,
o que você deve fazer? Pular para a próxima matéria e tentar resolver no final
ou ficar “martelando” nas questões e perdendo tempo?
A primeira opção é a melhor. Mas antes de ir para outra matéria, dê mais uma
passada nas questões que deixou para trás. Você vai fazer o seguinte:
 Tente resolver as questões que souber daquela matéria;
 As que não souber, deixe e tente fazer logo após fazer as que sabe. Às
vezes, você só não prestou atenção ou o que era difícil à primeira vista se
tornou fácil, pois você recordou a matéria;

91
 Se na segunda passada você realmente não souber responder, vá então
para outra matéria.

Dica 138: Faça a prova com simplicidade e objetividade.

A simplicidade e a objetividade são indispensáveis na prova, ladeadas com o


equilíbrio emocional e o controle do tempo. Para passar, lembre-se que você
precisa responder o que foi perguntado. Aqui não é hora para inventar.
Em provas objetivas, seja metódico ao responder. Em provas dissertativas, seja
objetivo e mostre seus conhecimentos. Por mais simples que seja a questão,
responda-a fundamentadamente.

Dica 139: Utilize linguagem técnica.

A linguagem de prova é formal, então não se deixe levar pala linguagem


coloquial. Ah, nada de gírias. Substitua termos, se preciso for.
Para adquirir uma linguagem mais culta, não tem jeito, você precisa ler muito.
Somente a leitura e a escrita irão apurar seu vocabulário.

Dica 140: Tenha humildade intelectual.

Não queira parecer mais inteligente que a banca examinadora. Não se considere
infalível. Sempre preste atenção a todas as questões, desde as mais fáceis até
as mais difíceis. O seu “nariz arrebitado” pode lhe custar caro no dia da prova.

Dica 141: Use o poder da mente e faça VMR (Viagem Mental de Recordação)
para puxar o “fio da meada”.

William Douglas fala na obra “Como Passar em Provas e Concursos” que muitos
candidatos agem de modo inadequado quando não se lembram de alguma coisa
que estudaram: ficam nervosos, irritam-se, vociferam contra si mesmos etc,
quando o correto é se acalmar e começar a ajudar o cérebro a encontrar aquilo
que queremos.
Pegue o que você se recorda da matéria, mesmo que seja algo distante do ponto
específico que caiu na prova. Pegue o nome da matéria, do tema, um princípio,
enfim, os dados que você tem. Jogue esses dados na cabeça e mentalize para

92
vir o resto do assunto. Experimente ir escrevendo tópicos daquilo que for se
lembrando. Então, você vai ver que quanto mais ir se lembrando do assunto,
mais vai se lembrando de tudo.

Dica 142: Saiba lhe dar com o “branco”.

Antes de saber o que fazer, é preciso definir o que seja “branco”. Tentar recordar
o que você não sabe porque não estudou, não é branco. Se for esse o seu caso,
não há nada que possa fazer, a não ser estudar mais para estar preparado para
a próxima prova.
Já se você estudou, mas mesmo assim não consegue se lembrar, a primeira
coisa que deve fazer é se acalmar. Nossa mente pouco produz quando estamos
em estado de ansiedade, agitação ou nervosismo.
Não perca tempo, se você não se recorda, passe para a próxima questão e
retorne depois. Muitas vezes, quando você está resolvendo outras questões a
resposta daquela vem como num passe de mágica.
Se isso não acontecer, quando retornar para responder à questão, se acalme e
use a dica anterior.

Dica 143: Não tenha pressa de ir embora.

O momento da prova é aquele no qual você pode mudar de vida, então para que
se apressar?
Na época em que eu fazia provas, tão logo o tempo liberado para sair chegava,
eu já via um amontoado de candidatos a postos, prontos para ir embora. Parecia
que a sala de prova era um avião que acabara de chegar ao seu destino. Se
você já viajou de avião, sabe do que eu estou falando.
Eu nunca entendi tamanho alvoroço para sair, parece mais que a prova é uma
tortura ou que o candidato estava sentado em cima de pregos.
Para ter mais tempo e condições de fazer as revisões e releitura após terminar,
caso dê tempo, lembre-se de que você está fazendo o concurso para passar e,
tendo em vista esse objetivo, não deve querer sair da sala antes do tempo.
É um verdadeiro absurdo o candidato ir embora sem revisar as questões, ou
mesmo, se sobrar tempo, repassar todas as questões da prova.

93
Dica 144: Se der tempo, releia a prova antes de marcar no cartão de
respostas definitivo.

Uma vez que você já se acalmou e não vai correr para ir embora tão logo “soe
as trombetas”, você está preparado para dar uma lida rápida na prova, e checar
se realmente não há nenhum erro. Isso deve ser feito ANTES de você preencher
a folha de respostas definitiva ou gabarito.
Sim, reconheço que às vezes a prova é corrida e não sobra tempo de fazer isso,
mas se sobrar, que mal tem em fazer? Você só vai sair ganhando por ser mais
atento.

Provas Dissertativas:

Dica 145: Cuidado com a letra.

Lugar de garrancho é na receita médica. Sua letra deve ser legível e a prova
deve estar limpa e asseada.
O examinador não tem a obrigação de decifrar sua letra. Pense nisso, talvez
você deixe a aprovação passar simplesmente por conta de um tropeço desses.
Considere treinar sua escrita antes e se necessário, mude sua grafia.

Dica 146: Cuidado com os erros de português.

Um dos fatos que vai certamente pesar contra você na correção da prova
dissertativa ou das redações são os erros de português. Na prova, não tem
professor para corrigir seus erros, nem tampouco corretor ortográfico de
programas de computador, portanto, sua lição de casa deve ser feita.
Que lição de casa?
A melhor forma de não cometer erros e se familiarizar com as palavras é
escrevendo e lendo muito. Você pode conseguir isso ao fazer resumos da
matéria, esquemas, mapas mentais, ou lendo sua apostila ou qualquer outra
revista ou livro não relacionado a concurso público.
O principal motivo dos erros de português e gramática é justamente esse: o
brasileiro lê e escreve pouco. Se for esse o seu caso, leia e escreva mais.

94
Dica 147: Seja direto e conciso.

É fato que em provas dissertativas você deve ser o tão direto e conciso quanto
possível. Dessa forma, você foca apenas nos pontos principais de sua resposta,
evita dizer algo desnecessário ou sem sentido e também perde menos tempo.
Uma dica valiosa é, sempre antes de responder, pense antes o que você vai
escrever. Só coloque suas ideias no papel quando tiver certeza.

Dica 148: Não perca tempo com rascunhos.

Se você se condiciona a pensar antes e escrever depois, se você conhece a


fundo o vocabulário e não tem medo de errar, a elaboração de rascunho se torna
pura perda de tempo.
Em geral, perde-se de 10 a 15 minutos da prova passando um rascunho de
redação a limpo, e um tempo ainda maior passando a limpo questões
dissertativas. Se você nunca consegue terminar uma prova antes do horário e
tem que “chutar” algumas questões, o problema pode ser exatamente isso.

Dica 149: Faça roteiros (mementos).

Os roteiros ou mementos são a melhor alternativa para se conjugar tempo e


qualidade nas respostas em provas discursivas e redações.
Uma novela obedece a um roteiro. Um jornal obedece a um roteiro. Uma
entrevista ou pronunciamento político obedece a um roteiro e sua prova
discursiva ou redação também precisam de um roteiro.
O roteiro ou memento irá ajudá-lo a organizar suas ideias, de forma que elas
sejam apresentadas dentro de uma sequência lógica e obedecendo a um certo
padrão, coesão e coerência textual.
Criar um roteiro é simples e irá te ajudar a responder com qualidade sem fazer
rascunho. No canto da prova, anote APENAS palavras-chave, ordenando-as por
ordem de importância. Essas palavras serão sobre o que você vai discorrer na
sua resposta.
É fato que você não deve fazer rascunhos em provas desse tipo, mas também
não deve sair respondendo tudo com as respostas que lhe vem à cabeça. Para
evitar isso, faça antes um roteiro do que você vai responder.

95
Dica 150: Nada de “encher linguiça”.

Se você não sabe uma questão dissertativa, o melhor que tem a fazer é prometer
a si mesmo que vai estudar mais para que a situação não ocorra novamente.
Muitas pessoas tentam responder na marra, apenas para não deixar a questão
em branco, e ganhar alguns pontos, mesmo que eles sejam mínimos.
Mas a chance de não escrever coisa com coisa nesses casos em que você não
sabe nada, é grande, e pode causar uma “crise de relacionamento” entre você e
a banca examinadora.
Então, não arrisque, se não sabe, deixe em branco.

Provas Orais:

Estes conselhos servem para todas as fases do concurso, mas principalmente


para as fases de entrevista, provas orais, de tribuna, psicotécnico e exames
físicos e de saúde.

Dica 151: Cuidado com a vestimenta, higiene e asseio pessoal.

As roupas femininas devem prezar pela discrição. Nada de decotes, colantes,


peças justas, transparências ou excesso de joias.
O homem deve evitar a barba por fazer: ou toda ou nenhuma. Dê preferência a
calças e camisas sociais ou terno e gravata, sempre com sapato social, ao invés
de calça jeans, camisa casual e tênis.
Mais do que qualquer outro aspecto externo, conta de forma extrema a limpeza
e o asseio da pessoa. Vestes em desalinho, sujas, rasgadas indicam desleixo
inadmissível. Barba por fazer, cabelos oleosos e com caspa então, nem se fala.

Dica 152: Esconda tatuagens.

Tatuagens em regra não são bem aceitas. Se você não tem, mas pensa em
fazer, considere esperar mais um pouco. Se fizer, faça em partes do corpo não
tão expostas e se já as possui, escolha usar trajes que as escondam.

96
Dica 153: Trate os membros da banca e os fiscais com respeito e
humildade.

 Não pretenda ser mais inteligente e esperto que o examinador;


 Mantenha sempre uma atitude digna, mas humilde, sem perder a
compostura;
 Quem dá as ordens e quem precisa sair satisfeito é o examinador e não
você;
 Nuca considere a sua posição mais importante ou válida que a dos
interlocutores;
 Evite quaisquer atitudes, respostas, entonações e ponderações que
possam ser interpretadas como arrogantes ou descorteses;
 Quanto menos se falar ou conversar com os fiscais, melhor.

Técnicas de chute:

Dica 154: Fique atento ao número de respostas de cada alternativa.

Para evitar que alguém que “chute” em apenas uma alternativa chegue a passar
num concurso, as bancas organizadoras distribuem geralmente quase em
mesmo número as respostas corretas entre as alternativas do gabarito.
É importante que saiba disso antes de pensar em chutar. Essa dica vale tanto
para provas de múltipla escolha como para aquelas de certo ou errado, estilo
Cespe.
Outro ponto importante antes de usar qualquer técnica de chute, é que as
questões que você marcou sabendo e com confiança, devem estar certas, na
maioria das vezes, senão nada feito.

Exemplo:
Supondo que numa prova de múltipla escolha (5 alternativas) e 60 questões,
você fez 55 e não sabe as outras 5 e tenha que chutar.
Se você divide o número de questões (60) pelo número de alternativas (5), obterá
12 como resposta. Então, você já sabe que mais ou menos as questões certas
estarão em cada alternativa (A,B,C, D e E) em um número próximo de 12, para
um pouco mais ou para um pouco menos.
Então, você olha para as 55 questões que já respondeu e observa o seguinte:
 10 questões marcaram a alternativa A;

97
 7 questões marcaram a alternativa B;
 12 questões marcaram a alternativa C;
 15 questões marcaram a alternativa D;
 11 questões marcaram a alternativa E.
Como pode ver, o único número mais distante de 12 são as 7 questões da
alternativa B. O que você deve fazer? Bingo! Marque B em todas as 5 que estão
faltando, sem pensar, sem pestanejar, sem sequer ler o que está sendo pedido
na questão.
Então, seu gabarito final ficaria assim:
 10 questões marcadas na alternativa A;
 12 questões marcaras na alternativa B;
 12 questões marcaras na alternativa C;
 15 questões marcaras na alternativa D;
 11 questões marcaras na alternativa E.
Tenho certeza absoluta que você não acertará todas as 5 questões chutadas
com o uso dessa técnica, mas as chances de acertar ao menos 2 ou 3 são
imensas.
O mesmo raciocínio vale também para as provas de certo ou errado, ou seja,
provas com somente duas alternativas.

Para provas de múltipla escolha:

Dica 155: Não fique sem responder.

Geralmente as provas de múltipla escolha não são do tipo 2 erradas anulam 1


certa, como acontece nas provas de Certo ou Errado da banca Cespe.
Então, não há razão para você deixar questão em branco, a não ser que você
não esteja afim de passar no concurso.

Dica 156: Resista um pouco em chutar na letra A.

Como a letra A é a primeira opção, a tendência é que a banca não goste de


colocar a resposta certa logo de saída.

Dica 157: Quando duas respostas se assemelham muito, a tendência é de


que uma delas seja a correta.

98
Exemplo:
(a) 13,2.
(b) 13,5.
(c) 15,5.
(d) 16,4.
(e) 18,5.

A tendência é que a resposta correta seja a letra B, já que o 13 e o 5 após a


vírgula se repetiram mais vezes, duas e três, respectivamente.

Dica 158: Fique atento às repetições.


Quando as respostas se repetem mais, a tendência é que estejam corretas.

Exemplo:
Quais partidos mais estão envolvidos em corrupção?
(a) PTB, DEM e PT.
(b) PT, PSDB e Rede.
(c) PMDB, PSBD e Rede.
(d) PMDB, PT e PSDB.
(e) PMDB, PCO e PTdoB.
Repare que os que mais apareceram foi o PMDB, o PT e o PSDB. Eu “lacraria”
letra D em meu gabarito, mas só por causa disso, eu juro.

Dica 159: Elimine as hipóteses absurdas.

Geralmente, em cada questão há uma ou duas alternativas completamente


absurdas. Fique atento a elas e as elimine. Às vezes, você consegue chegar à
resposta correta apenas fazendo eliminações.

Dica 160: Atenção às palavras sempre, nunca, jamais, sem exceções etc.

Em todas as áreas em que se lida com o comportamento humano, em todas as


ciências não exatas, a tendência natural é a de que sempre existirão exceções
e ressalvas.

99
Dessa forma, procure por palavras como: sempre, nunca, jamais e outras que
não abra brechas para exceções. Na grande maioria das vezes, essas
alternativas estão incorretas.

Para provas de certo ou errado:

Dica 161: Para que a técnica de chute em provas desse tipo dê certo, você
precisa estudar muito todo conteúdo do edital.

A banca Cespe, única no país a realizar concursos com questões na modalidade


certo ou errado, adora cobrar todo o conteúdo previsto no edital. A razão é
simples: se você não estudar tudo, provavelmente vai ficar sem responder
algumas questões, e quando isso acontece, aumenta a probabilidade de erro
caso resolva “chutar” alguma questão, e você provavelmente vai querer tentar a
sorte, já que tem 50% de chances de acertar, mas 50% é muito pouco, ainda
mais quando as regras não estão a seu favor: cada erro seu em uma questão
anula uma questão que você acertou.
Dessa forma, e para que aplique com mais sucesso a regra seguinte de como
“chutar” em provas da Cespe, você precisa estudar rigorosamente todo o
conteúdo do edital.

Dica 162: Aprenda quando chutar e quando deixar em branco.

Em provas da Cespe, onde uma questão errada anula uma certa, você deve ter
bastante cautela na hora do “chute”. É preciso saber quando chutar e quando
não fazer nada.

Você NÃO deve “chutar”:


 Quando você não sabe absolutamente nada sobre o conteúdo objeto da
questão e por isso mal consegue entender seu enunciado.

Você pode “chutar”:


 Quando resolveu com absoluta certeza 90% da prova e a quantidade de
questões restantes representa um universo pequeno do total, cerca de
10%. Repare bem, você pode chutar, não necessariamente deve, já que
90% é uma média excelente e se arriscar, pode acabar abaixando essa
média caso erre mais do que acerte.

100
Importante:
Tenha em mente que, no exemplo acima, embora tenha resolvido 90% de forma
consciente e acredite que vai acertar, na prática você nunca acerta tudo, então,
terá fortes motivos para chutar as questões que lhe restam.

Você DEVE “chutar”:


 Quando fez no máximo 75% da prova. Nesse caso, 75% é um valor de
média muito baixo para quem pretende passar na Cespe, fora que fazer
75% da prova não significa exatamente que você vai acertar esses 75%,
e sua média ainda cairá mais um pouco, dessa forma, procure fazer mais
questões na base do “chute”.

Em todo caso:
 Se for chutar, só faça isso quando tem quase certeza de que a alternativa
que irá marcar é a correta. Há muitos casos em que você se recorda
vagamente da matéria e somente por causa de alguma dúvida ou por não
lembrar tudo que precisa, terá que marcar sem ter certeza. Ajuda muito
se você utilizar a técnica da Viagem Mental de Recordação - VMR
explicada na dica 141 para tentar se recordar do que estudou, daí então
quando isso acontecer você irá responder à questão com certeza, sem
precisar “chutar”;
 Jamais “chute” se você não souber ao certo sobre o que estão
perguntando porque não estudou alguma parte do edital.

Como “chutar”?
Conforme eu já havia explicado, as bancas costumam dividir o número de
questões corretas mais ou menos em mesmo número pelas alternativas, a fim
de evitar que um candidato “fanfarrão” chegue na prova sem estudar, chute em
apenas uma alternativa e passe no concurso.
Dessa forma, como em provas de certo ou errado só há duas alternativas,
teremos aproximadamente 50% de questões certas e 50% de questões erradas,
um pouco para mais ou um pouco para menos.

 Exemplo 1:
Suponhamos que numa prova de 100 questões (certo ou errado onde 1 errada
anula 1 certa) você fez 90 questões e está pensando se deve ou não chutar as
10 questões que restaram.
Na minha opinião, você deve “chutar” sim, porque:

101
 Você com certeza não irá acertar as 90 questões que fez;
 Vamos supor que acerte umas 80, que já é um número muito bom;
 Se errou 10 questões, sua pontuação até o momento está em 70 pontos,
e não em 80 pontos, já que 1 questão errada anula 1 questão certa;
 Com 70 pontos você NÃO VAI PASSAR no concurso, provavelmente, a
não ser que tenha muitas vagas e/u o nível esteja muito abaixo.
Então você decide que vai chutar, mas como vai fazer isso?
 De repente você analisou as 10 questões e em 4 delas sabia algo a
respeito ou conseguiu se lembrar e então respondeu;
 Agora, você já tem 94 questões feitas.
 Você parou para analisar seu gabarito, e das 94 questões 42 estavam
marcadas como certas e o restante, 52, marcadas como erradas.
 Como você já sabe que as bancas costumam dividir aproximadamente o
mesmo número de questões corretas entre as alternativas, e nesse caso
você percebe que a média de questões marcadas como certas está um
pouco abaixo da média de 50 (42, no caso), você deve chutar e marcar
CERTO no restante das outras 6 questões que desconhece;
 Assim, o seu gabarito final estará assim: 48 questões marcadas como
certas e 52 questões marcadas como erradas.

Lembre-se, para que essa técnica dê certo, quanto mais questões você fizer sem
precisar chutar, melhor, já que você, por exemplo, não poderá chutar numa prova
desse tipo se só tiver feito 50% da mesma. Repare a veja que a margem para
erros neste caso aumenta de forma exponencial.
Suponha o mesmo caso acima, onde você só tenha feito 50% da prova, ou seja,
50 questões e o gabarito mostra que das feitas 20 estão marcadas como certas
e 30 verdadeiras. E agora, como você iria marcar os outros 50%? Iria marcar
tudo certo ou tudo errado? Nos 2 casos, repare que o gabarito final ficaria muito
diferente do suposto gabarito idealizado por nós (50% certas e 50% erradas):
 70 questões certas e 30 erradas, caso tivesse “chutado” 50 questões
como certas, ou;
 20 questões certas e 80 questões erradas, caso tivesse “chutado” 50
questões como erradas.
Alternar então o resto do gabarito entre certo e errado para que o gabarito final
ficasse próximo dos 50% para cada alternativa, seria, nesse caso, uma
CATÁSTROFE.

Exemplo 2:

102
Suponha uma prova de 120 questões onde você marcou cerca de 100 questões.
Suponhamos que dessas 100 (e aqui e sempre, vale ressaltar, você depende de
suposições) você acerte 84. Então até o momento você está com 84 certas – 16
erradas = 68 pontos, o equivalente a pouco mais de 55% da prova. Certamente
que essa pontuação não fará você ser aprovado.
Nesse caso, acho particularmente 20 um número de questões bastante alto a
que você precise se arriscar, mas já que a pontuação está baixa, faz-se
necessário correr riscos.
Você analisou seu gabarito e verificou que, das 100 questões inicialmente
marcadas, 56 você marcou como certas e 44 você marcou como erradas.
Então, segundo as “regras do chute”, você deve marcar errada nas 20 questões
que ficaram sem responder. Ao final, seu gabarito ficaria com 56 questões certas
e 64 questões erradas, um número bastante aproximado da proporção 60/60.
Espero que tenha entendido. Sinceramente, é mais difícil explicar do que
aprender e fazer.

Dica 163: Tenha em mente o que estão avaliando.

Exatamente no momento em que está lendo essas linhas, te peço que pare um
pouco e pense. Reflita sobre como é grande a quantidade de pessoas que estão
estudando, que estão adquirindo conhecimento e que estão bem preparadas. O
que seria se apenas o nível de conhecimento dos candidatos fosse avaliado?
Repare que há muita gente bem preparada por aí.
Para as bancas organizadoras, seria extremamente difícil fazer um processo
seletivo onde fossem avaliados apenas o nível de conhecimento dos alunos.
Muitos iriam tirar nota máxima e então, como seriam selecionados, em caso de
poucas vagas?
Não é apenas o grau de conhecimento que você tem que é objeto de avaliação.
E muitas vezes um candidato que sabe menos e tem mais estratégia passa e
outro que sabe mais, não passa.
Mas o que mais que é importante, fora o conhecimento?
Repare que quando sai o resultado final do concurso, muitos candidatos estão
próximos, separados por apenas 1 ponto. Às vezes, 3 questões a mais faz a
diferença entre estar entre os 5 primeiros e os 200 ou 500 melhores. Posso
apostar com você, com toda certeza, que o nível de conhecimento de todos
esses candidatos se equivalem.
Para deixar de enrolação e ser mais direto, vou dizer o que mais é avaliado em
você e que você talvez não tenha se dado conta:
 Sua capacidade de interpretação;

103
 Sua capacidade de síntese;
 Sua ateção;
 Sua estratégia em geral, de estudos e de prova;
 Sua calma e frieza;
 Sua eficiência e rapidez, com um tempo de prova curto;
 Seu raciocínio lógico;
 Sua confiança;
 Sua resistência em ficar por “horas a fio” sentado numa cadeira;
 Sua capacidade de articular ideias;
 Seu conhecimento PRÁTICO acerca do cargo e sua função.

Por isso, não basta estudar. Apenas estudar a matéria não é o suficiente.
Somente estudar não fará você ter um diferencial a mais na hora da prova. Isso,
milhares de pessoas, assim como você, já estão fazendo. Sim, é necessário
estudar a matéria, mas isso não é o “pulo do gato” que vai decidir sobre sua
aprovação. Por falar que a atenção é um dos critérios de avaliação, você reparou
acima que na palavra atenção (3º ponto) está faltando a letra “n”? Meio desatento
você, não?
Muitas das dicas dadas durante esse material, de certa forma, abordam os
pontos acima mencionados, como ter calma, atenção, confiança, leitura
interpretativa, dentre outros.

104
Capítulo 10:

Depois da prova

Engana-se quem pensa que o trabalho termina quando você entrega a prova ao
fiscal. Não, longe disso, o trabalho termina somente no dia em que você tomar
posse.

Dica 164: Não fique sem saber do gabarito.

A primeira dica que posso dar para você após a prova é esta: vá atrás do
gabarito. Sinceramente, nunca entendi o medo de grande parte dos
“concurseiros” em checar o gabarito para ver o que acertou e o que errou.
Esse medo é quase um atestado de fracasso, mas a verdade é que ninguém
saberá o resultado que teve antes de conferir as respostas corretas.
Você já pensou que poderia já ter passado em um concurso, inclusive ter sido
chamado, mas não compareceu à posse porque achou que tinha se dado mal
na prova? Acredite, isso é mais comum do que se possa imaginar.
Então você já sabe, fique atento e assim que sair o gabarito confira as respostas.

Dica 165: Corrija sua prova e aprenda com os erros.

A dica 165 é um complemento da dica anterior. Não basta apenas pegar as


respostas, é preciso MESMO corrigir sua prova.
Quando estiver fazendo isso, ao verificar que errou uma questão, procure em
seu material de estudos a resposta correta. Se não conseguir achar em seus
apontamentos, procure em outras fontes.
Faça a correção escrevendo as respostas no mesmo papel da prova. Corrigindo
dessa maneira, você vai armazenar o conteúdo objeto de erro em sua memória
de longo prazo, e nunca mais vai esquecer. Esse é um belo exemplo de como
se deve aprender com os erros.
Tenha em mente que toda reprovação é um “laudo pericial” claro e objetivo sobre
o que precisa ser melhorado, e que você tem que obter esse laudo corrigindo
adequadamente a prova.

105
Dica 166: Recorra, se for necessário.

De início, vou descrever uma experiência que aconteceu comigo. Um dos muitos
concursos que fiz era composto de prova objetiva e prova discursiva.
A primeira nota que saiu foi a da prova objetiva, e eu tinha ficado em 2º lugar,
dentro do limite de 2 vagas destinadas a esse cargo. Quando saiu o resultado
da prova discursiva, eu caí para o 6º lugar, foi aí então que resolvi recorrer. Eu
ganhei alguns pontos e então retomei a 2º colocação, o que me deixou muito
feliz, e dentro do limite das vagas.
Moral da história: se você tem razões suficientes e plausíveis para recorrer,
RECORRA. Quando eu recorri, não expus à banca minha indignação pela nota
tão baixa na prova discursiva, eu apenas mostrei a eles, de forma bastante
cordial e com base na Legislação objeto de prova, que eu havia respondido de
forma adequada todos os pontos que foram perguntados e por isso merecia tirar
uma nota maior. Algo que você nunca deve fazer é partir para a agressão e
discutir com a banca examinadora. Você não vai conseguir nada dessa forma.
Em tempo:
 Decida estudar o suficiente para ser aprovado sem depender de recursos;
 Se você não tem argumentos concretos para recorrer sobre uma questão,
não recorra. Não recorra com base em achismos;
 Quando for recorrer, procure usar a legislação, a corrente predominante
e tudo o mais de embasamento teórico que puder;
 Seja cordial com a banca e o examinador, elogie, mas não force muito a
barra. No meu caso, lembro-me de ter feito alguns elogios, pedi com
educação para que avaliassem o meu caso, falei brevemente sobre a
reputação da organizadora e pedi que, caso indeferido o meu pedido, eles
ainda assim me retornassem para que eu pudesse saber onde havia
errado. Eles não me deram esse feedback, mas me deram 2 pontos a
mais, que foi o que eu precisava para voltar a figurar na lista de
aprovados;
 Jamais pare de estudar e fazer outros concursos enquanto aguarda o
resultado, seja pela banca, seja por alguma ação judicial que você
impetrou;
 Fique atento aos prazos do edital para entrada de recursos;
 Os recursos devem ser bem apresentados, organizados, claros, objetivos,
simples, honestos e humildes.

Eu poderia ficar aqui falando sobre recursos ainda por muito mais tempo, mas
esse não é o objetivo desta obra. Apenas quero alertá-lo para a possibilidade de
você recorrer. Isso é válido e é um direito que lhe assiste.

106
Para saber mais detalhes, deixo abaixo um link disponível para download gratuito
no site pessoal de William Douglas, de um dos capítulos das edições passadas
do livro “Como Passar em Provas e Concursos”, da Ed. Impetus:
http://williamdouglas.com.br/wp-content/uploads/2015/01/Cap%C3%ADtulo-16-
Como-e-Quando-Recorrer-CONCURSOS.pdf

Dica 167: Descanse uns dias.

Antes da prova, se prepare, estude, dê tudo de si. Depois da prova, convém


relaxar um pouco.
Geralmente os concursos são aos domingos, então na segunda feira, por mais
cansado que eu estivesse eu sempre ia atrás do gabarito e corrigia a prova. Na
terça feira, eu analisava se era válido a chance de entrar com algum recurso. Se
fosse, fazia o (s) embasamento (s) e o (s) remetia à banca organizadora.
Então, depois de feito isso, eu tirava uns dias de descanso para colocar as ideias
em ordem.
Concurso público é por demais estressante, não vou mentir sobre isso para você.
Geralmente, você sai de uma prova “acabado”, com sensação de desgaste físico
e mental, principalmente se você for fazer prova em outra cidade. Quem já está
na jornada há algum tempo sabe do que eu estou falando. Principalmente se
você não tiver se saído bem. A primeira coisa que bate é o desespero, a vontade
de desistir, a sensação de impotência diante da situação, o medo de nunca
conseguir... é, eu sei que isso tudo acontece.
Então, recomendo que tire alguns dias de folga nos estudos para descansar
mentalmente e sair um pouco do universo dos concursos, desde que não seja
em excesso. Isso vai fazer bem para você. Ah, não espere o resultado final do
concurso sair para voltar a estudar. Se você fez o que eu disse acima, fique sem
estudar o resto da semana, ou seja, descanse de quarta a domingo e então na
outra segunda-feira volte com força e ânimo restabelecidos.

E se eu for reprovado novamente?

Dica 168: Siga sempre em frente.

Se você for reprovado, o melhor que tem a fazer é seguir em frente. Se você for
o tipo de pessoa que desiste fácil de seus objetivos, fique sabendo que nunca
vai vencer na vida.

107
Eu sei que é difícil, nos primeiros reveses vem a vontade de parar. No meu caso,
eu desisti por razões pessoais, mas mesmo assim, quando decidi que não queria
mais seguir a carreira pública, eu já havia sido aprovado. Então eu cumpri, de
certa forma, minha missão com os estudos, e levarei para sempre as lições
tiradas desses dias de muita luta e aprendizado pessoal.
Seja forte. Se você desiste de fazer concursos por conta de seus insucessos
iniciais, vai desistir de qualquer coisa que resolver fazer depois que tiver
desistido do concurso. Você me entende?
Passar em concurso ou vencer na vida de modo geral envolve mais do que
conhecimento, envolve caráter, propósito, personalidade, garra, integridade e
determinação para cair e se levantar quantas vezes for necessário.
Você até tem o direito de se abater, só não deixe que esse estado de derrota,
tristeza e sofrimento, fiquem por muito tempo e se prolongue em sua vida.
É por demais desgastante ver os dias, as semanas, os meses e os anos se
passando diante de você sem que o seu objetivo de vida se concretize. O pior
efeito disso tudo, o mais devastador, é quando a pessoa passa a crer que não é
mais capaz. Não há autoestima que resista a esse golpe.
Donald Trump, atual Presidente dos Estados Unidos, disse em um de seus livros
que esperou mais de 30 anos para ver concretizados alguns de seus
empreendimentos imobiliários. Você tem a noção do que é isso? De batalhar por
um objetivo por mais de 30 anos?
Entenda que se ainda não chegou a sua vez, é por que pode estar ocorrendo o
seguinte:
 Você não está preparado o suficiente, em outras palavras, há candidatos
melhores que você no momento; e/ou
 Você não está estudando da forma como deveria.
Analise seu caso e corrija o que for necessário. O fracasso não deve ser levado
para o lado pessoal, e sim como um diagnóstico preciso do que você errou e
onde precisa melhorar. Então, faça como o jogador de futebol: levante a cabeça,
dê a volta por cima e continue estudando, que sua hora vai chegar.

“A diferença entre o sonho e a realidade é a quantidade certa de tempo e


trabalho”
William Douglas.

Dica 169: Não mexa demais no seu plano.

108
Quem não sabe para onde está indo, não chega a lugar nenhum. Você
estabeleceu seu plano de estudos, sabe exatamente qual concurso ou carreira
pública quer seguir, mas depois de 4 meses ou depois de uma reprovação muda
seu plano de estudos e as matérias que estava estudando.
Daqui há mais 3 meses após a primeira mudança, você muda novamente a
agora não quer mais seguir carreira bancária, você decide fazer concursos para
a área fiscal.
Fica difícil passar desse jeito. Para obter sucesso nos concursos públicos você
deve estudar as mesmas matérias na maior parte do tempo e revisá-las de
tempos em tempos.
Uma vez que tenha estabelecido seu plano, seu objetivo, sua estratégia, suas
metas, suas ambições e o ponto onde quer chegar, continue até o fim.

“Após traçar sua estratégia, não pense em mudá-la. Não vale a pena perder
tempo fazendo mudanças. Planos são como peixes, devem ser preparados com
todo cuidado. Depois de colocá-lo na panela, não mexa mais, do contrário irão
se despedaçar. Não fique mudando de ideia o tempo todo”
Richard Templar, do livro As Regras da Riqueza.

Dica 170: Aprenda a celebrar os progressos.

Durante sua trajetória de “concurseiro”, você obviamente que vai aprender a


como ir medindo seu desempenho ao longo da caminhada. Uma das melhores
formas de se fazer isso é por meio dos concursos e simulados, conforme já
dissemos antes.
É importante que acompanhe e comemore, celebre o seu progresso. Isso o
deixará mais motivado para ir seguindo em frente.
Não deixe para comemorar e ser feliz somente no momento da aprovação. O
momento em que você passa é muito curto e não representa muita coisa. Ele
não representa a beleza da caminhada. A jornada é mais importante do que o
ponto de chegada.

Dica 171: Fique atento a outras etapas do processo seletivo.

Concurso público não se resume a provas. Fique atento a alguns prazos e datas
do certame:
 Prazos para recursos em geral;

109
 Entrega de títulos, se houver;
 Exames físicos, se houver;
 Exames médicos;
 A forma na qual serão feitas as convocações. Geralmente, é pelo Diário
Oficial;
 A entrega de documentos requeridos no edital, para tomar posse. Veja se
já possui todos. Caso falte alguma coisa, providencie de antemão.

Dica 172: Se tiver que fazer teste físico, você já deveria estar treinando
antes mesmo de fazer a prova objetiva.

Se você estiver se preparando para concursos para carreiras policiais, é bom


que inicie logo o treinamento para fazer os testes físicos, caso seja aprovado na
etapa da prova objetiva.
Tenho um conhecido que passou na prova objetiva para agente da Polícia
Federal, mas não estava se preparando para os exames físicos. O tempo entre
a homologação do resultado das provas objetivas e o da realização dos testes
físicos foi muito curto, de forma que ele não se preparou direito. Resultado:
BOMBA!
Meu amigo foi reprovado na etapa de exames físicos. Ele teve que aprender da
forma mais dolorida possível. Você não precisa deixar que isso aconteça com
você. Esse meu amigo não desistiu e retornou a fazer por duas vezes o
concurso, mas agora não está conseguindo passar é na prova objetiva.
Treine, se prepare com antecedência, você só tem a ganhar, fora que os
exercícios físicos trarão um imenso benefício para sua saúde, e também ajudará
em seus estudos, pois contribuirá para aumentar o seu poder de memorização.

Dica 173: Seja feliz e divirta-se.

A caminhada rumo a aprovação é demorada, cansativa e por demais


estressante. Sim, é verdade, mas tem pessoas que complicam ainda mais e se
colocam uma pressão, um peso muito grande, sem necessidade.
O concurso público deve ter papel de relevância na sua vida, se você resolveu
seguir carreira pública, mas ele JAMAIS deve se tornar o seu objetivo de vida.
Você deve ser feliz e aproveitar durante todo o processo. Saiba que o mais
importante no final das contas não vai ser sua aprovação, mas sim o seu
crescimento pessoal.

110
E será muito mais fácil e divertido se você contar com a participação de outras
pessoas, se você puder relaxar, curtir sua família, seu marido ou esposa.
Resumindo: você não deve se tornar 100% antissocial durante o processo.
Agindo dessa forma, tudo o que você vai conseguir será ficar mais ansioso e
desencadear uma série de problemas psicológicos. Ademais, adianta passar e
não ter com quem comemorar os louros da vitória?

Dica 174: Relaxe, você não precisa ser um herói para passar.

Não se deixe levar pela quantidade de dicas aqui passadas. Não é necessário
seguir todas elas para passar, mas é certo que se não fizer nada do que
proponho aqui você também não irá obter êxito.
Você não precisa ser um Super-homem ou supermulher para passar em
concurso. Não precisa ser perfeito, isento de erros, ser “caxias” ao extremo.
A gente as vezes esquece de estudar e foca em como estudar e nas pessoas
que já conseguiram passar. De tanto fazer isso, corre-se o risco de idealizarmos
um “ser perfeito”. Besteira, esqueça isso. Essa dica é importante para que você
não aumente desnecessariamente o “peso sobre seus ombros”, e vá fazer a
prova mais pressionado.

Dica Final - 175: Execução/Ação.

“A grande finalidade da vida não é o conhecimento, mas a ação”


Thomas Huxley

Você não chegaria até aqui se não tivesse interessado em como aprender e
melhorar seus estudos, mas saiba, de nada vai adiantar ler esse e quantos livros
for, se você não começar a agir e colocar em prática o que leu.
Só porque você leu, não significa que aprendeu. Para aprender é preciso ação
e disposição para colocar a teoria na prática, e assim, com o hábito, ser bem-
sucedido em alguma coisa.
Não deixe que a sua leitura tenha sido em vão. Se proponha a fazer algo a
respeito. Eu sei, mais do que ninguém, o quanto é trabalhoso mudar nossos
hábitos, mas você pode fazer isso com calma, ninguém muda ou se torna um
sucesso da noite para o dia.
Não é necessário que use todas as técnicas aqui mencionadas para estudo e
realização de prova. Algumas já bastam para melhorar espantosamente o seu
rendimento, eficiência e resultado.

111
Finalizando:

Creio que fui bem sucinto ao elaborar este material. Fiz isso de propósito, para
que perca mais tempo estudando, que é o que de fato interessa. Espero que não
tenha ficado com dúvidas. Se tiver, entre em contato comigo por meio deste e-
mail pessoal (elton.neto@hotmail.com), ou ainda para fazer críticas ou
sugestões sobre o material que acabou de ler.
O que mais pode atrapalhar você de começar a agir, é a preguiça. Não se deixe
dominar por ela. De fato, algumas técnicas exigem mais trabalho e tempo.
A ação e não somente o desejo, é o que nos permite tornar sonhos em realidade.
Então, execute o que você aprendeu aqui e garanto que em poucos meses irá
sentir uma sensível melhora em seu rendimento nos estudos e
consequentemente, nas provas.
Repita a ciranda, faça revisões, faça concursos, continue estudando até o dia
em que você for aprovado.
Desejo-lhe sorte nos concursos e na vida!

112
Este livro foi escrito por Elton Alexander e revisado e editado por: Editora
Provimento Efetivo Concursos. Acesse o site da editora
(www.peconcursos.com.br) e tenha em suas mãos o melhor material de apoio a
seus estudos.

113
Sugestão de leitura:
 Como Passar em Provas e Concursos. Autor: William Douglas. Edt.
Impetus.
 Inteligência em Concursos. Autor: Pierluigi Piazzi. Edt. Goya.
 Segredo dos Gênios. Manual de estudo para professores e estudantes.
Autor: Renato Alves. Humano Editora.
 Superdicas para Passar em Concursos Públicos. Autor: Edilson
Mougenot Bonfim. Edt. Saraiva.
 Como ser um concurseiro vencedor. Autor: Sérgio Carvalho. Edt.
Impetus.
 Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes. Autor: Stephen R. Covey.
Edt. Best Seller.
 Matérias Básicas para Concursos. Autor: Elton Alexander. Edt.
Provimento Efetivo Concursos (www.peconcursos.com.br).
 Atualidades 2017 para Concursos: O que de mais importante aconteceu
no Brasil e no mundo. Autor: Elton Alexander. Edt. Provimento Efetivo
Concursos (www.peconcursos.com.br).

114