Vous êtes sur la page 1sur 60

GUIA COMPLETO

POUPAR
NA COMPRA
DE CASA
2018
Prefácio pormenores. Imagina-se a viver no sítio em questão? Responder a esta pergunta é
fundamental para saber que fez a escolha certa.
Vai comprar casa?
Não deixe que se torne num pesadelo Neste Guia para Comprar Casa em 2018, a equipa do Imovirtual, em parceria com
o ComparaJá.pt, compila as respostas para as dúvidas mais frequentes, para que
Com o mercado imobiliário a retomar e os bancos a concederem novamente não lhe escape nada na hora de dar este passo e para que se consiga organizar
crédito à habitação, os portugueses estão a comprar mais casas. de forma simples e fácil.

Se chegou a altura de adquirir o imóvel dos seus sonhos, note que, na altura de Até breve,
escolher a casa ideal, muitos fatores irão concorrer para esta decisão. Cláudia Gomes
Imovirtual Business Manager
Começando pela localização e passando pela tipologia do imóvel – entre uma
vivenda e um apartamento, é preciso pesar bem as vantagens e desvantagens de
cada um -, terá ainda de ponderar se procura uma habitação nova ou usada e se a
mesma precisa de remodelações, o que implicará custos extra.

Ou será que sempre idealizou comprar um terreno numa zona sossegada para
construir a sua casa totalmente personalizada com terraço e piscina?

E se a localização é um critério fundamental, as condições em que se encontra a


habitação ainda mais.

A escolha entre um ou outro imóvel deve ter em consideração igualmente cinco


grandes fatores: despesas de condomínio, qualidade da construção, certificação
energética, questões legais, não dispensando ainda a consulta da Ficha Técnica
da Habitação.

Ainda que repleta de decisões para tomar, a fase inicial – a da escolha do imóvel
certo – acaba por ser a mais interessante. Se for a primeira habitação, ainda mais
excitante é – no fim de contas, é a casa na qual vai construir as suas memórias
com a família e os convívios com amigos. Será o seu lar, doce lar.

Trate de conhecer bem as redondezas e a vizinhança, avaliando bem todos os


2
melhor taxa de juro, qual é o spread praticado, que seguros vêm acoplados,
qual é o prazo mais adequado, quais as comissões que são cobradas e quais os
Como saber que tem o melhor financiamento? produtos obrigatórios para manter o spread originalmente contratado.

No rescaldo da última crise económico-financeira, o mercado do crédito à Damos-lhe ainda a conhecer todas as etapas necessárias para obter um crédito
habitação já deu, finalmente, sinais de retoma efetiva. As instituições voltaram a à habitação, desde a pesquisa e escolha da instituição até à escritura e às
disponibilizar mais crédito à habitação aos consumidores (um aumento de 40% em mudanças. Este é um processo longo e que requer uma atenção redobrada, por
2016 face a 2015) e surgem novas oportunidades (disto são exemplo as taxas de isso facilitamos-lhe a vida.
juro fixas).
Esperamos que continue a contar connosco enquanto referência para a gestão das
Juntam-se os spreads inferiores a 2%, os bancos a emprestarem mais do que suas Finanças Pessoais.
80% do valor de avaliação do imóvel e os contratos com EURIBOR a 12 meses a
suplantarem os de 6 meses. Estamos perante uma nova realidade neste mercado. Até breve,
Sérgio Pereira e José Figueiredo
Se vai comprar casa, é quase certo que vai necessitar de um empréstimo à Diretores-gerais do ComparaJá.pt
habitação. Todavia, é preciso ter em conta que este é um encargo financeiro
considerável – provavelmente o maior que terá em toda a sua vida – e, como
tal, é importante ponderar se possui, de facto, capacidade financeira para um
empréstimo desta envergadura.

Se o crédito à habitação pressionar a sua taxa de esforço para além de 40%,


pondere se não será preferível ir reforçando as suas poupanças, adiar alguns
consumos no presente para desfrutar deste objetivo no futuro. Da mesma forma, é
de salientar que quanto maior for a entrada, menos pagará de juros no empréstimo
e menor será o prazo contratado.

Existem também alguns aspetos que não podem ser descurados quando se trata
de aumentar a probabilidade de o banco aprovar o seu empréstimo. Ser um cliente
cumpridor com uma situação profissional estável e arranjar um segundo titular são
alguns dos pontos que vão indubitavelmente abonar a seu favor.

Na hora de solicitar um empréstimo para comprar casa existem sempre muitos


fatores a analisar para tomar uma boa decisão: qual o banco que oferece a
3
4
Índice
PARTE I – ESCOLHER O IMÓVEL 3.2. Comissão de processamento da prestação
1. Como saber se é o momento certo para comprar casa? 3.3. Outras comissões
2. O que precisa de saber para escolher a sua casa 3.4. Comissão de amortização
2.1. Localização 4. Seguros
2.2. Finalidade da Casa 4.1. Seguro de vida
2.3. Tipo de Casa 4.2. Seguro multirriscos
2.4. Estado da habitação 4.3. Seguro de proteção ao crédito hipotecário
2.5. Condições da habitação
PARTE III – FORMALIZAR A COMPRA
PARTE II – ESCOLHER O MELHOR FINANCIAMENTO 1. Impostos associados ao imóvel
1. Definir as características do crédito 1.1. IMT
1.1. Finalidade da Habitação e Tipo de Crédito 1.2. IMI
1.2. Valor de financiamento 1.3. Imposto do Selo
1.3. Prazo 1.3.1. Imposto do Selo de Compra e Venda
1.4. Carência e Diferimento de capital 1.3.2. Imposto do Selo do crédito à habitação
1.5. Garantias exigidas pelos bancos 1.4. Custos notariais e registo do imóvel
2. Taxas de Juro 2. Documentação necessária para comprar casa
2.1. Spread 2.1. Propostas não vinculativas (simulações)
2.2. EURIBOR 2.2. Aprovação vinculativa do crédito
2.3. Taxa Anual Nominal (TAN) 2.3. Contrato-promessa de compra e venda
2.4. Taxa Anual Efetiva Global (TAEG) 2.4. Escritura
2.5. Taxa variável e taxa fixa 3. Serviço Casa Pronta
3. Comissões
3.1. Comissões iniciais PARTE IV – DÚVIDAS, GLOSSÁRIO E LINKS ÚTEIS

5
PARTE I
ESCOLHER O IMÓVEL

6
1. Como saber se é o momento certo para comprar casa? Posteriormente, é importante que faça uma boa gestão das suas finanças pessoais,
tanto relativamente a poupanças como a despesas. Ter um bom historial de crédito
O momento certo difere de pessoa para pessoa. Quer se trate do primeiro imóvel ou (ou seja, não ter o seu nome na lista negra do Banco de Portugal) e não ter dívidas
de uma mudança de casa porque a família vai aumentar e torna-se necessário mais são dois fatores muito relevantes para as instituições aquando do pedido de
espaço, bem como se existe uma pretensão de se investir no setor imobiliário para financiamento. Se está efetivamente pronto para a responsabilidade adicional de
obter uma segunda fonte de rendimento, comprar uma casa não é tarefa fácil. adquirir uma casa própria, então acredite: este é o momento certo.

Mas antes de começar a procurar o seu lar, doce lar, escolher uma instituição
financeira e fazer um crédito à habitação, é necessário ponderar alguns aspetos.

A compra de casa implica uma preparação de toda a família para receber um


encargo financeiro elevado, sendo muitas vezes necessário alterar hábitos e poupar.
Fundo de emergência
Vejamos o que deve considerar previamente a esta decisão.
Todas as famílias devem ter sempre uma poupança de curto prazo que sirva como
Primeiro que tudo, deve refletir sobre o seu orçamento mensal e mapear todos os fundo de emergência. Estas economias tanto podem servir para imprevistos
gastos que detém. Os custos que possui irão influenciar em muito a sua capacidade (tais como fazer face a despesas de saúde urgentes ou mandar arranjar o carro
financeira para suportar o pagamento de um crédito à habitação, para além de todas que avariou e que é o único meio de transporte disponível para as deslocações
as outras despesas relacionadas com a compra de um imóvel. Portanto, o momento casa-trabalho, por exemplo) como para certos pagamentos obrigatórios
certo passa, sem dúvida, pela altura em que sabe que possui capacidade financeira na compra de uma habitação: impostos, comissões e outras taxas associadas.

e uma situação profissional completamente estável.

Para além disso, se não consegue poupar muito dinheiro mensalmente, talvez não
seja a altura mais acertada para contrair um financiamento tão elevado. Poderá,
nesta situação, considerar arrendar uma casa até ter capacidade para prosseguir
para o próximo passo. Mas veja primeiro se a prestação que iria pagar ao banco não
será mais reduzida do que o valor mensal da renda.

Por outro lado, se dispuser de capitais próprios para comprar casa (tanto para
assinar o contrato-promessa de compra e venda como para liquidar a entrada inicial
exigida pelo banco), significa que essa será a altura ideal para avançar com
a aquisição da casa.

7
2. O que precisa de saber para escolher a sua casa Perceba ainda se na zona/bairro em questão existe comércio local, farmácias,
restaurantes ou outros, e se este fator é influenciador da sua decisão. Pura e
A escolha da casa é um fator fulcral. Este é o momento em que decide qual é a simplesmente, existem pessoas que apreciam mais viver na cidade e outras que
residência na qual irá viver durante largos e bons anos, alargar a família e conviver preferem a quietude e o isolamento do campo. Explore ainda a segurança do bairro
com os amigos. em questão, bem como a proximidade de autoridades competentes.

Todas as pessoas imaginam a casa dos seus sonhos, mas antes de escolher com Deve ponderar também a proximidade de outras infraestruturas importantes, tais
base apenas no seu ideal, é importante considerar algumas questões que como hospitais, centros de saúde e escolas. Perceba ainda como é a vizinhança
o ajudarão a escolher o seu lar de forma prudente e ponderada. e atente nas suas preferências: quer viver num bairro calmo ou agitado, com
população jovem ou mais idosa?
Apesar de esta ser uma etapa muito cansativa (no fim de contas, não se trata de
uma escolha fácil), é também a mais interessante e é preciso estar preparado para Note, contudo, que a localização escolhida influencia o preço que irá pagar pela sua
pensar em tudo. casa. Alguns locais são mais privilegiados do que outros, muitas vezes devido à sua
acessibilidade e à quantidade de serviços que se encontram disponíveis. Quanto
Na difícil seleção da sua próxima residência, vários fatores influirão nesta decisão, maior for a procura por uma determinada localização, mais elevados serão os
estando maioritariamente relacionados com o local e as condições da habitação valores das habitações.
em si.
Por último, mas não menos relevante, tente tomar conhecimento de eventuais
2.1. Localização projetos futuros para a zona em questão. Prevê-se que a rede de transportes
públicos virá a ser alargada? Existem projeções de construção de espaços verdes e
Primeiro que tudo, deve considerar os acessos: trata-se de uma zona com muito parques infantis? Pode informar-se sobre isto na Câmara Municipal. Quaisquer obras
trânsito, poucos lugares de estacionamento e elevada movimentação ou de um públicas na zona poderão, por um lado, influenciar caraterísticas como os acessos,
local calmo? Por outro lado, existem transportes públicos (estações de metro ou a segurança e até a vista da sua habitação, mas também, por outro lado, contribuir
de autocarro) nas redondezas? Esta última questão pode ser fulcral se a casa se para valorizar a mesma.
destinar a arrendar a turistas..
2.2. Finalidade da Casa
Se a finalidade da habitação for para residência permanente, há que verificar se a
casa que procura está numa zona próxima de elevada empregabilidade (com muitas A finalidade da habitação é o fator determinante do tipo de imóvel que se escolhe
empresas, centros de negócios e afins) ou será obrigado a deslocar-se de carro para comprar. Consoante seja para viver em permanência, para passar férias ou
diariamente? Na eventualidade desta última situação, note que um preço por m² fazer escapadelas ou mesmo para arrendar, os objetivos a que se destinará a casa
mais baixo poderá não compensar o gasto acrescido com combustível e portagens. em muito influenciarão o tipo de imóvel escolhido.
Por exemplo: viver em Oeiras sai mais acessível no preço da casa, mas se trabalhar
em Lisboa e tiver de se deslocar diariamente poderá ficar muito caro. Habitação Própria Permanente

8
Finalidade da casa

Habitação Própria Permantente Habitação Própria Secundária Habitação para Investimento

Esta é a casa onde o proprietário e a respetiva Trata-se nada mais, nada menos do que a A habitação para investimento diz respeito
família irão morar em permanência e estabilizar segunda casa de um proprietário e da sua à casa que é adquirida com o objetivo de
o seu centro de vida familiar. Na escolha família que não é destinada a arrendamento. ser colocada para arrendamento, servindo
da habitação na qual se vão passar muitos A habitação própria secundária é, no fundo, assim como uma fonte de rendimento para
e bons anos (onde se criarão as melhores a chamada “casa de férias”, afigurando- o proprietário. Na busca por um imóvel
memórias com os amigos e a família) pesarão se normalmente como uma residência no cujo destino seja este, normalmente os
certamente fatores como as acessibilidades campo, na praia ou na montanha onde se está proprietários procuram sobretudo zonas
– nomeadamente a proximidade de redes de ocasionalmente (em férias, aos fins de semana turísticas e centros urbanos onde a
transportes ou de autoestradas, o bairro em si e em épocas festivas). A segunda casa é procura de arrendamento é mais frequente
(todos idealizamos o sítio onde gostaríamos de geralmente o refúgio da família, privilegiando-se com vista a rentabilizarem bem o seu
residir) e a quantidade de serviços e de comércio a tranquilidade e a beleza paisagística da zona investimento.
local que existem nas redondezas (escolas, envolvente como fatores de procura.
hospitais, supermercados e afins).

9
2.3. Tipo de Casa

A maior ou menor facilidade no processo de escolha de uma casa também tem


muito que ver com o tipo de habitação que se procura. Quanto maior é a casa, à
partida mais avultado será o investimento.

Há que atentar no número de divisões e adequar o tamanho da habitação às


verdadeiras necessidades do agregado familiar. Neste sentido, a escolha prende-se
fundamentalmente com a opção por um apartamento ou por uma moradia.

Nas cidades é muito comum as famílias preferirem apartamentos, pois estes


acabam por normalmente ter um preço mais acessível do que as vivendas. Os
jovens normalmente preferem os T0, T1 e T2, pois são mais baratos e porque não
necessitam de tanto espaço. Para famílias maiores, os duplex podem ser uma
opção a considerar, para além dos T3, T4 e T5, que são apartamentos de grandes
dimensões.

10
Faça uma checklist das
características da sua casa ideal:
Garagem
Varanda
Jardim
Piscina
Churrasqueira
Arrecadação
Espaço comum para festas
Terraço
Lareira
Aquecimento Central
Ar Condicionado
Janelas com Vidro Duplo
Prédio com Elevador
Acessos para pessoas com mobilidade reduzida

11
Mas há quem, acima de tudo, prefira viver numa zona mais sossegada - seja no 2.4. Estado da habitação
campo ou nos subúrbios das cidades - e queira ter mais privacidade, algo que só
é permitido pelas moradias. Estas também possuem a vantagem de terem menos Construção de raiz
restrições e mais espaço para animais e ainda de se poderem realizar obras, quando
for preciso, sem os constrangimentos de horários que existem nos condomínios dos Começa-se pela compra do terreno, passa-se pelo desenhar do projeto e por
prédios. Pode-se ainda escolher entre as vivendas geminadas ou um lote separado. toda a burocracia associada às licenças necessárias na Câmara, avança-se para
A maior desvantagem das moradias reside no preço - geralmente são mais caras do a construção, mas até estar tudo concluído pode demorar anos (e com muitas
que os apartamentos - e nos elevados custos de manutenção que requerem. dores de cabeça). Porém, pense: a habitação vai ficar exatamente como idealizou
e sonhou (o maior benefício desta solução reside precisamente na personalização
Ainda assim, existem outros fatores que podem pesar fortemente na decisão do total da casa, podendo escolher a organização das divisões, o espaço pretendido
tipo de casa que se prefere. Em primeiro lugar, há necessidade de ter garagem? em cada uma - é uma casa puramente à sua medida). Por exemplo, para quem
Isto pode ser um constrangimento nas grandes cidades nas quais não é tão fácil privilegia um jardim ou sonha com uma piscina acoplada a uma zona de churrascos
arranjar um prédio que tenha. Em segundo lugar, e especialmente no caso dos é o ideal.
apartamentos, prefere-se com varanda ou este não é um fator eliminatório?
Casas em construção
Uma caraterística que deverá ser ponderada pelos futuros proprietários passa
pela exposição solar. Note que as casas viradas a Sul não só são mais eficientes Tecnicamente designadas por “casas em planta”, as habitações que se adquirem
em termos energéticos como possuem maior exposição ao sol. Normalmente – e estando ainda em construção podem ser uma boa opção pelo facto de serem muito
há que ponderar isto – as casas voltadas a Norte têm maior necessidade de ter mais baratas e por terem a possibilidade de personalização ao gosto do consumidor.
aquecimento central e as habitações voltadas para Sul precisam de ar condicionado Todavia, o prazo estabelecido para o término da habitação pode não ser respeitado
no verão. No fundo, esta decisão depende muito das expetativas. pelo construtor ou a empresa de construção pode falir antes de terminar o projeto.

Usada (por remodelar ou pronta a habitar)

Caso opte por um imóvel usado poderá ter uma benesse no preço e o processo
de mudança será mais rápido. No entanto, poderá ter de efetuar remodelações,
por isso importa considerar este custo no montante total a pagar. Uma casa
que necessite de muitas obras, ainda que seja barata, pode sair-lhe muito cara
(especialmente se precisar de substituir a canalização e de remodelar a cozinha e
a casa de banho, por exemplo). Se precisar de adquirir uma casa rapidamente, no
curto prazo, esta não é uma boa solução.

12
Nova e pronta a habitar

A opção entre a compra de uma habitação nova ou usada é sempre algo a ponderar,
até porque uma nova tem um preço mais elevado do que uma usada, mas, por outro
lado, terá menores custos de manutenção e poderá ser personalizada a seu gosto,
para além de que não exige planificação, escolhas ou trabalhos a fazer, pelo que em
pouco tempo pode ter a chave na mão. No fundo, esta última opção é a ideal para
quem não tem tempo a perder.

No processo de análise do estado da habitação, avalie não só o estado de


conservação da fachada exterior do prédio e áreas comuns, mas também as
condições das canalizações, instalações elétricas e elevadores. Questione sobre o
regulamento do condomínio e contas do prédio, informando-se também acerca do
valor que existe disponível no chamado fundo de reserva do condomínio.

Verifique ainda se a Câmara Municipal não tem direito de preferência na aquisição


dos imóveis na localização em que considera comprar.

2.5. Condições da habitação

Depois de escolhido o estado da habitação, é crucial olhar para as condições da


mesma. Deve estar atento, sobretudo, a cinco grandes particularidades que poderão
ser o ponto de decisão entre uma casa e outra.

13
Qualidade de construção

Este é um dos aspetos mais imprescindíveis para a escolha da sua casa.


Independentemente do tipo de habitação que pretende, deve analisar não só os
materiais de construção, os acabamentos e o isolamento térmico e acústico, mas
também as instalações elétricas e a canalização.

Tome atenção a manchas de humidade e ainda a eventuais fissuras, pois estas


também determinam a qualidade da construção. Outros aspetos interiores do prédio
a considerar são os elevadores e/ou escadas e se estes possibilitam o transporte
de móveis e de eletrodomésticos. Verifique ainda se a garagem (se existir) tem bons
acessos exteriores e interiores e se é segura.

Não se esqueça também de olhar para os acabamentos e de verificar se os


eletrodomésticos incluídos são de boa qualidade.

Certificação energética

Desde dezembro de 2013 que o Certificado Energético passou a ser obrigatório por
lei em todos os edifícios - sejam antigos ou novos - a partir do momento em que são
colocados no mercado para venda ou arrendamento pelos proprietários ou pelos
mediadores imobiliários. Como tal, todos os consumidores devem ter acesso a esta
informação.

O Certificado Energético avalia a eficácia energética de um imóvel, que pode variar


entre “A+”, que representa o melhor desempenho e maior poupança, e “F”, que diz
respeito a pouca eficiência energética. Este documento é realizado por técnicos
autorizados pela Agência para a Energia (ADENE).

Para além desta avaliação, este documento deve conter ainda informações
sobre a climatização e as águas quentes sanitárias e indicar medidas de redução
do consumo energético (que podem ter que ver com reforçar o isolamento ou
colocação de vidros duplos).
14
Quanto melhor for a avaliação da casa, à partida, mais elevado será o seu preço. Ficha Técnica da Habitação
No entanto, uma maior poupança energética significa uma poupança mensal
significativa, acabando por se traduzir num bom investimento futuro. Em último lugar, deverá consultar a Ficha Técnica da Habitação, que é uma espécie
de “cartão de cidadão” das casas, devendo solicitá-la ao proprietário do imóvel ou à
Questões legais imobiliária.  

Para garantir que a habitação que tem em mente não tem quaisquer problemas Este documento contém as principais caraterísticas técnicas e funcionais do edifício,
legais, deverá deslocar-se à Conservatória do Registo Predial da localização que deverão ser descritas imediatamente após a conclusão de obras de construção,
do imóvel e informar-se sobre eventuais contratempos. Por exemplo, questione reconstrução, alteração ou ampliação.
sobre hipotecas ou eventuais penhoras e se o imóvel está registado em nome do
vendedor. Este documento é obrigatório para a escritura da habitação.

Deverá também dirigir-se às Finanças para saber se o imóvel está livre de herdeiros
com direitos de preferência e/ou de inquilinos, bem como se o pagamento do IMI
tem sido feito (e, consequentemente, se existe alguma dívida à Autoridade Tributária
e Aduaneira).

Por fim, na Câmara Municipal da localização da casa deve verificar se o imóvel


possui Licenças de Construção e de Habitabilidade.

Despesas de Condomínio

Em primeiro lugar, deve saber que, no caso de pretender um apartamento ou uma


habitação inserida num condomínio, é importante informar-se previamente das
despesas que terá com o mesmo.

Regra geral, os condóminos têm de pagar uma quota mensal ou anual para que seja
possível fazer a manutenção ou melhorar a qualidade das infraestruturas do prédio/
condomínio.

Fale com outros condóminos e tente perceber qual é o estado de desgaste


do edifício, averiguando se o mesmo irá necessitar de obras em breve. Nos
condomínios a responsabilidade de conservação é de todos.

15
Encontrar a casa ideal está à distância de um clique Para além destas, existem inúmeras outras características que o utilizador pode
definir de acordo com as suas preferências, como ano de construção, número de
A procura pela habitação certa, pelo verdadeiro “lar, doce lar”, é geralmente um casas de banho, cozinha equipada, entre outros.
processo exaustivo, sobretudo se a procura abunda, não podendo dizer-se o
mesmo da oferta. Após ajustar os filtros à sua preferência, o utilizador pode comparar os valores que
estão a ser praticados e ter assim uma noção do que será aceitável esperar em
Poderá optar pelos métodos “tradicionais”, nos quais se incluem: propostas futuras.

• Pesquisar anúncios nos jornais ou em outras publicações especializadas no setor Uma outra vantagem que este tipo de pesquisa confere a quem procura casa para
imobiliário; comprar é a possibilidade de distinguir entre anúncios de particulares e anúncios de
• Deslocar-se pelos locais onde considera comprar casa e informar-se junto dos empresas mediadoras. Para além disso, uma vez que também pode ser acedido por
habitantes da zona; uma aplicação móvel, o portal do Imovirtual confere ao utilizador uma comunicação
• Ver opções de imóveis dos próprios bancos. mais rápida e eficiente com os anunciantes, reduzindo-se assim as probabilidades
de perder a oportunidade certa.
Ou então, em alternativa, poderá beneficiar das vantagens dos motores de busca
online que permitem encontrar os melhores imóveis em qualquer local do país.

Recorrendo ao Imovirtual, o maior portal imobiliário de Portugal, encontrará a sua


casa de sonho sem quaisquer custos e sem sair do conforto do seu sofá. Basta
aceder a https://www.imovirtual.com/ e refinar a pesquisa recorrendo a filtros como
localização, área, valor ou tipologia.

16
PARTE II
ESCOLHER O
MELHOR
FINANCIAMENTO

17
Após a escolha da casa ideal, aquela que será considerada o verdadeiro lar, doce Que condições devem ser analisadas e comparadas? Mais do que o spread,
lar, chegam os encargos financeiros. Dificilmente alguém consegue pagar a sua os valores das comissões (tanto as iniciais como as aplicadas ao longo do
casa a pronto somente com o valor acumulado das suas poupanças, de maneira empréstimo), e as taxas de juro praticadas, é importante olhar para o montante
que o recurso ao crédito torna-se na principal opção disponível para adquirir uma total imputado ao consumidor, ou seja, o valor final que se irá pagar pelo
habitação própria. empréstimo (englobando capital mais juros, comissões e seguros).

Mas este também não é um processo fácil: é preciso selecionar a instituição Ao longo desta Parte II abordaremos os fatores que influenciam a análise do
financeira certa - que oferece as melhores condições -, ter o montante suficiente pedido de crédito por parte das instituições financeiras (nomeadamente o tipo
para a entrada inicial, pensar em quantos anos se terá capacidade para reembolsar e a finalidade da habitação, o estado da mesma, a localização), bem como as
o valor emprestado e deter conhecimentos suficientes para analisar as propostas caraterísticas do empréstimo (taxas de juro, comissões e seguros obrigatórios).
dos bancos.

Comprar casa é um dos investimentos mais importantes da vida, sendo de 1. Definir as características do crédito
primordial importância tomar uma decisão com total conhecimento das soluções
disponíveis no mercado. Muitas vezes existe uma certa tendência para se fazer o 1.1. Finalidade da Habitação e Tipo de Crédito
crédito à habitação no banco do qual somos clientes há muitos anos, o que poderá
não ser a decisão certa a tomar. O empréstimo é sempre adaptado conforme a finalidade da habitação a que
se destina: estamos a falar da aquisição da primeira casa? Ou trata-se de uma
Dada a grande competição das instituições financeiras hoje em dia, estas segunda residência para férias? Será para arrendar posteriormente (acabando,
concorrem entre si para oferecerem cada vez melhores condições aos clientes, assim, por ser um investimento)? A finalidade, para além de determinar o
pelo que, para além da simulação no banco atual, vale a pena solicitar outras e género de casa que se procura, também tem impacto no tipo de empréstimo e,
confrontar os valores. consequentemente, nas suas condições (os bancos terão isto em conta na análise
do risco de crédito).

No entanto, essa pode ser uma tarefa morosa e complicada. Felizmente, agora
já é mais fácil financiar a casa dos seus sonhos com o ComparaJá.pt. Mudança do Regime de Crédito
Caso compre casa com recurso a crédito tendo um contrato cuja finalidade
Garantimos um serviço gratuito, imparcial, independente e com spreads e taxas é “habitação própria”, note que se um dia pretender arrendar o seu imóvel
de juro atrativos. Numa só plataforma online, comparamos as condições de terá de avisar a instituição de forma a proceder-se à alteração das condições
empréstimo à habitação de todas as instituições financeiras em Portugal. contratuais.

18
Tipo de Crédito

Aquisição Transferência Construção

Este é o tipo de empréstimo à habitação É possível transferir o empréstimo de Um empréstimo com esta finalidade
mais comum, sendo destinado ao um banco para outro em qualquer altura serve para financiar a construção de uma
financiamento da aquisição da primeira ou de vigência do contrato. Normalmente, casa. Tipicamente, neste tipo de crédito
da segunda casa, sendo os imóveis novos procede-se à transferência na busca de o montante vai sendo disponibilizado
ou então usados sem necessidade de melhores condições (um spread mais à medida que a construção da casa vai
remodelações. competitivo, alargamento do prazo de prosseguindo, sendo que o devedor
reembolso...). Esta alteração pode ou não inicialmente só paga os juros, de maneira
ter custos conforme a instituição financeira. que as prestações mensais são mais
reduzidas inicialmente.

19
1.2. Valor de financiamento
Quanto (e durante quanto tempo) precisa de poupar para comprar casa?

Como definir o valor do empréstimo?


Nos dias de hoje, as instituições financeiras ainda têm alguma relutância em
conceder 100% do financiamento de um crédito à habitação, muito em parte
Tendo em conta o seu orçamento mensal e a sua taxa de esforço, poderá então
devido ao endividamento que ocorreu durante a última crise económica que
definir qual o montante que precisa de pedir emprestado para comprar casa.
abalou o país e, naturalmente, o sistema financeiro.

Este irá variar bastante consoante o imóvel escolhido, mas é importante ter noção
Consequentemente, a probabilidade de lhe ser exigida uma entrada inicial
do valor que pode efetivamente pagar sem comprometer as suas finanças no
é bastante elevada, por isso convém ir poupando para que tenha este valor
longo prazo.
disponível quando decidir adquirir uma casa.

Determine um teto máximo e pense em quanto pretende (e pode) dar de entrada


Proceda ainda a uma análise do mercado para perceber qual é o valor médio
inicial. Quanto maior for o valor da entrada, menor será o montante do crédito que
dos imóveis na zona em que pretende viver. Desta forma conseguirá fazer uma
tem de solicitar ao banco.
estimativa do montante da entrada inicial a pagar. Normalmente, as instituições
bancárias financiam 80% do valor do imóvel.
Entrada inicial: um obstáculo a ultrapassar

Muitas vezes, a maior dificuldade que se tem para se conseguir um crédito à


habitação é a entrada inicial que é exigida pelo banco, pois, na maioria dos casos
as instituições não financiam a totalidade do valor da casa.

Ao garantir que a parte que contrai o crédito assume parte do valor do imóvel,
o banco salvaguarda-se em caso de insolvência. Face à eventualidade de
incumprimento, o banco fica com um imóvel com maior valorização face ao valor
do financiamento e evita, assim, perdas maiores.

Outra razão que leva os bancos a exigirem esta entrada inicial prende-se
com o facto de se assumir que o cliente se esforçará mais para não entrar em
incumprimento e não perder o dinheiro que já deu à instituição financeira.

20
Valor de compra, valor de avaliação e valor de financiamento de dar um valor estimado da casa ao banco. Para tal, poderá recorrer a quatro
Existem três conceitos fundamentais a ter conta por quem pretende comprar casa, avaliadores distintos:
os quais terão grande impacto nas condições de crédito apresentadas pelas insti- • Empresas especializadas ou técnicos por conta própria que façam a
tuições bancárias: avaliação;
• Alguns sites fazem uma avaliação estimada da habitação, de forma
gratuita;
Valor de Compra • No Portal das Finanças encontra um avaliador por zona geográfica;
Corresponde ao preço de compra do imóvel definido entre o comprador e o • Alguns bancos dispõem de um serviço de avaliação de imóveis
proprietário/mediador imobiliário. independente do financiamento que oferecem aos seus clientes.

Valor de Avaliação O ideal será optar por uma empresa ou agente especializado para conseguir
Este valor é definido por um profissional credenciado pela CMVM, o qual está ter um relatório completo. No entanto, e uma vez que a avaliação de imóveis é
dependente da avaliação que este faz de critérios, entre muitos outros, como a obrigatória para bancos e realizada através dos bancos, poderá ser mais vantajoso
data de construção e estado de conservação do imóvel, a localização e carac- ter uma estimativa gratuita. Assim, evita custos em duplicado.
terísticas da habitação.
Note que o Banco de Portugal recomenda que os relatórios de avaliação de uma
Valor de Financiamento habitação sejam entregues aos consumidores e não em exclusivo aos bancos.
Corresponde ao total de capital que será concedido pelo banco para aquisição Existe ainda a possibilidade de, no futuro, o comprador apenas pagar uma
do imóvel, o qual é estabelecido em função do valor de avaliação. avaliação, que pode ser aceite por todas as instituições financeiras.

Pode haver lugar à avaliação de um imóvel em dois momentos distintos. Em


primeiro lugar, é obrigatória para a concessão de um crédito à habitação. Em
Avaliação da habitação segundo lugar, se o consumidor vier a pretender transferir o seu empréstimo para
Este processo é essencial na compra de uma casa e é suportado pelo cliente. Em outro banco terá de realizar uma nova avaliação.
suma, a instituição financeira faz uma avaliação à habitação que pretende comprar
para perceber quanto vale a mesma e, deste modo, decidir sobre a concessão de Poderão ainda existir outras situações em que fará sentido realizar esta avaliação:
crédito à habitação. é o caso dos processos de partilhas em heranças ou até quando se pretende
vender a casa.
A avaliação de um imóvel deve ser realizada por uma entidade especializada e,
sendo feita pelo banco em questão, este cobra uma comissão de avaliação que é Normalmente, existe isenção da comissão de avaliação de imóveis quando o
paga pelo comprador da casa. comprador opta por adquirir um imóvel do próprio banco.
Por fim, saiba que existem alguns fatores que influenciam o valor de avaliação da
O consumidor deverá realizar uma avaliação independente, uma vez que tem casa, tais como:

21
• Localização: desde o piso à vista que se tem da casa, à orientação solar e Porém, note que muito dificilmente uma instituição financeira aceitará uma taxa de
às acessibilidades; esforço superior a 40%, dado que, no caso dos empréstimos com taxa variável, a
• Qualidade de construção; oscilação da taxa de juro ao longo do prazo do crédito vai produzir modificações na
• Data da construção; taxa de esforço que poderão até inviabilizar o pagamento das prestações mensais.
• Estado de conservação: este fator só é tido em conta para casas usadas;
• Tipologia e disposição do imóvel; Montante necessário e rácio Loan-To-Value (LTV)
• Terreno onde a casa está inserida;
• Acabamentos e equipamentos disponíveis; O valor que é necessário para dar como entrada é, naturalmente, variável e
• Facilidades da casa: tais como a existência de estacionamento, elevador, depende do banco a que se vai pedir o empréstimo para a compra de casa. No
espaços verdes, piscina, entre outros; entanto, o mercado está – para já – relativamente alinhado em relação a este ponto.
• Estado do mercado: ou seja, a oferta e procura atuais.
Geralmente, a entrada inicial pedida pela instituição de crédito varia entre os 15% e
Quanto melhores forem os fatores acima mencionados, maior será o valor de os 20% do valor de avaliação do imóvel. Ou seja, no caso de uma entrada inicial de
avaliação da habitação. 20% para uma casa que esteja avaliada em 100 mil euros, quem pede o empréstimo
deve preparar-se para ter 20 mil euros de parte para dar de entrada.
Olhar para a taxa de esforço
Porém, já existem bancos a conceder financiamento a 100% (isto é, sem
Outro elemento a ter em conta é a sua taxa de esforço, que diz respeito à necessidade de entrada inicial), especialmente para os imóveis que têm em sua
percentagem do rendimento total do agregado familiar que é destinada a pagar as posse e alguns até o fazem para os clientes jovens.
prestações mensais dos empréstimos contraídos, desde crédito pessoal a crédito
automóvel ou até cartões de crédito, por exemplo. Esta relação entre o preço da casa e o montante que o banco está disposto a
emprestar encontra-se patente no chamado Loan-to-Value (LTV). Basicamente, o
Como tal, deverá fazer o seguinte cálculo para chegar à sua taxa de esforço: LTV é uma percentagem que estabelece o rácio entre o montante do financiamento
cedido pelo banco e o valor de avaliação da habitação.
(Encargos financeiros /
Taxa de esforço Rendimento líquido total do agregado)
100 Podemos traduzi-lo pela seguinte fórmula:

Valor de Financiamento
Esta não deverá ser superior a um terço do rendimento total, ou seja, 33%.
Este é o valor recomendado, embora os bancos possam compactuar com taxas
100 LTV
de esforço mais elevadas - de 40%, por exemplo - uma vez que tudo depende da
Valor de Avaliação
interligação de diversos fatores.

22
Mas há vantagens em optar por um rácio LTV da Avaliação reduzido? Sim. Quanto
maior for a entrada inicial dada pelo cliente, menor o risco por parte da instituição É possível alterar o prazo do empréstimo durante a duração do mesmo,
financeira de incumprimento no futuro. E isso reflete-se, automaticamente, em estendendo-o ou diminuindo-o. Porém, caso o banco aceite essa modificação, as
termos do spread oferecido. Portanto, quanto menor for o rácio Loan-to-Value, condições do crédito podem também alterar-se.
maior a possibilidade de se conseguir uma prestação mensal mais reduzida – mas,
para tal, tem de se estar preparado para dar uma entrada inicial maior. 1.4. Carência e Diferimento de capital

1.3. Prazo Escolhendo a modalidade de reembolso com carência de capital, durante o


período inicial do empréstimo (ou seja, ao longo dos primeiros anos) só se pagam
O prazo de um empréstimo é o período de tempo contratado entre o cliente e o os juros, não se amortizando capital. Desta forma, a prestação mensal durante este
seu banco para devolver o capital emprestado mais os respetivos juros. tempo – denominado de período de carência – será mais reduzida.

Pelo facto de deter um valor muito elevado, o crédito à habitação é normalmente Porém, terminado este período, a mensalidade do crédito aumentará, porque
contratado a longo prazo (diluindo-se esse montante no tempo), caso contrário as passa a ser constituída por capital e juros.
prestações mensais seriam incomportáveis para as famílias portuguesas.
O diferimento de capital implica adiar uma parte significativa do capital do
É de salientar ainda que, quanto mais curto for o prazo para reembolsar o empréstimo (entre 10% a 30%) para o final do prazo, nomeadamente para a última
empréstimo, maior será o valor da mensalidade. Todavia, como se acaba prestação. Portanto, à exceção da última, todas as outras mensalidades serão mais
de amortizar o crédito mais rápido, o valor dos juros será mais reduzido. reduzidas. Quanto maior for o valor diferido para o fim do prazo do crédito, maior
Contrariamente, se o prazo for mais alargado, as prestações serão mais acessíveis, será a última prestação.
mas acabará por se pagar mais juros ao banco (porque se leva mais tempo a pagar
o empréstimo). 1.5. Garantias exigidas pelos bancos

Embora não exista um prazo mínimo no crédito à habitação, já o máximo que Para emprestarem dinheiro, os bancos querem garantir que esse montante será
geralmente se pode contratar são 40 anos, sendo que existem instituições a reembolsado e, como tal, costumam exigir, pelo menos, duas garantias a quem
oferecer prazos até 50 anos. Porém, existe um limite: normalmente, no fim do solicita um crédito à habitação: uma hipoteca sobre a casa que se vai adquirir (e
período do crédito à habitação o titular não pode ter mais do que 75 anos de que é sempre obrigatória) e um fiador (uma garantia que facilita a aprovação do
idade, pelo que uma pessoa com mais idade que solicite financiamento para empréstimo, mas não é obrigatória).
adquirir uma casa terá de aceitar um prazo mais curto.
Fiador
Se estiver indeciso relativamente ao período de tempo a escolher e em quanto
ficará a sua prestação mensal com diferentes prazos, utilize o simulador gratuito do A exigência de haver fiador no crédito à habitação é também conhecida como
ComparaJá.pt para saber quanto pagará pelo crédito à habitação da sua casa. “fiança”, sendo que esta consiste numa garantia, para o banco, que é prestada por

23
uma pessoa diferente (normalmente, o fiador é um familiar ou um amigo próximo).  
Em caso de incumprimento por parte do devedor do empréstimo, o fiador é a
pessoa que assume a responsabilidade de cumprir com as obrigações do titular do
crédito. Na prática, isto significa que se o devedor deixar de liquidar as prestações,
será o fiador a assumir a dívida.

Hipoteca

A hipoteca é uma garantia real que recai sobre o imóvel associado ao crédito à
habitação. Quando se contrata um empréstimo para comprar casa, os bancos
hipotecam essa mesma residência, o que, em termos práticos, significa que se o
devedor deixar de liquidar as prestações mensais, a instituição financeira pode
instaurar uma ação em tribunal com vista à penhora da casa.

Depois de penhorada, a habitação será vendida pelo banco (nos anos da crise
económico-financeira muitos foram os bancos que ficaram repletos de imóveis
para vender) para pagar a dívida que o mutuário deixou à instituição financeira.
Se o montante da venda não for suficiente para cobrir o valor da dívida, o restante
património do devedor poderá ser penhorado.   

24
2. Taxas de Juro Uma vez que o spread influencia a taxa de juro que irá contratar, é importante que,
ao comparar todas as ofertas do mercado, tenha atenção a este fator. Compare
As taxas de juro são um elemento fulcral para se analisarem todas as ofertas do sempre este indicador entre as várias propostas que obtiver, mas não aceite logo
mercado quando se trata de crédito à habitação. Cada taxa é uma taxa e deve as que apresentam o spread mais baixo - existem outros fatores a considerar.
compreender os contornos de cada uma, saber interpretá-las e perceber como
influenciam o custo do empréstimo. 2.2. EURIBOR

Num crédito à habitação deve atentar ao spread, à EURIBOR, à Taxa Anual A EURIBOR, que provém da sigla Euro Interbank Offered Rate, corresponde à
Nominal, à Taxa Anual Efetiva e ainda decidir se vai contratar o empréstimo com média das taxas de juro, para diferentes prazos (entre uma semana a um ano),
taxa variável ou com taxa fixa. às quais os principais bancos da Zona Euro estão dispostos a emprestar dinheiro
entre si no Mercado Monetário Interbancário (MMI).
2.1. Spread
A grande maioria dos contratos a longo prazo, como o crédito habitação, são
O spread é uma componente da taxa de juro que é definida pela instituição indexados à EURIBOR. Assim, quanto maior for o valor do indexante, mais elevada
financeira, contrato a contrato, quando concede um crédito. Em resumo, é a ficará a prestação, dado que os juros a pagar serão superiores. E o inverso também
percentagem que o banco inclui nos juros que cobra ao cliente, que se traduz no se verifica.
lucro que a instituição bancária obtém através do empréstimo.
Exemplificando: se tiver um contrato de empréstimo para comprar casa com uma
Quando o banco empresta dinheiro está a assumir um risco. Quanto mais elevado taxa variável indexada à EURIBOR a 6 meses, tal significa que a cada semestre
for este risco, maior será a percentagem do spread. Este risco varia de cliente a prestação mensal poderá modificar-se (aumentando ou diminuindo) consoante
para cliente, sendo que os fatores que o fazem oscilar são: o historial de crédito as oscilações da EURIBOR no mercado. O mesmo acontece se contratar com
do consumidor, a relação entre o montante a financiar e o valor do bem que é EURIBOR a 3 ou a 12 meses.
dado como garantia, o valor do rendimento líquido mensal, a empregabilidade
do requerente, o tipo de contrato de trabalho, outras poupanças ou ativos que
o requerente possa ter, entre outros fatores que podem variar de instituição em
instituição.

Cabe salientar que o valor do spread pode ainda ser influenciado pela contratação
de outros produtos ou serviços do banco por parte do cliente, nomeadamente
cartões de crédito, a constituição de um PPR ou a domiciliação do ordenado – as
instituições financeiras recorrem muitas vezes a esta estratégia para baixarem o
spread oferecido.

25
2.3. Taxa Anual Nominal (TAN)
Portanto, em suma, a TAEG contém todos os encargos associados ao empréstimo,
A Taxa Anual Nominal (TAN) é a taxa anual que se usa para todo o tipo de desde as comissões bancárias – como as de avaliação do imóvel e de abertura
operações (créditos e aplicações financeiras) que envolvam pagamento de juros. do processo – até aos prémios dos seguros exigidos (irá conhecer em detalhe
e é a forma de comparar produtos entre si. No caso do crédito à habitação, e cada um destes nas secções que se seguem). Note-se, no entanto, que não estão
mais especificamente para taxas de juro variáveis, a TAN é simplesmente a soma incluídos os custos notariais.
da EURIBOR e do spread no caso da contratação de um empréstimo com taxa
variável.  
Para efeitos de comparação das diferentes propostas de crédito à habitação
há que atentar no valor da TAEG das diferentes soluções que cada banco

Euribor apresenta. Também se pode utilizar a TAN para comparar, mas é preciso

TAN
ter em conta que esta não inclui eventuais encargos e custos. Assim, dois
empréstimos podem ter a mesma TAN, mas ter TAEG diferentes se se

Spread contabilizar o montante das comissões e dos seguros.

2.4. Taxa Anual Efetiva Global (TAEG)

A partir de janeiro de 2018 que a TAE e a TAER deixaram de ser as taxas aplicáveis
ao crédito à habitação, tendo sido substituídas pela TAEG (Taxa Anual Efetiva
Global), que é a taxa que se aplica também ao empréstimo pessoal e aos cartões
de crédito.

A TAEG representa assim o custo do crédito à habitação, contendo os seguintes


encargos associados ao mesmo:
• Juros, comissões e impostos;
• Seguros exigidos para a contratação do empréstimo;
• Custos relativos à manutenção da conta que é necessário abrir para o
registo das operações do crédito à habitação;
• Emolumentos cobrados no registo da hipoteca;
• Custos que possam existir associados a operações de pagamento;
• Eventuais bonificações no spread.

26
A TAEG varia consoante o montante do financiamento. As instituições bancárias 2.5. Taxa variável e taxa fixa
são obrigadas a divulgar esta taxa de acordo com a respetiva legislação em vigor.
Taxa variável
Os bancos devem ainda, caso ofereçam algum tipo de promoção associado ao
crédito à habitação, esclarecer o consumidor relativamente ao valor da TAEG com A taxa variável é calculada através de dois elementos: o spread e a EURIBOR.
e sem os descontos aplicados.
Por um lado, o spread é a margem de lucro do banco e, por outro, a EURIBOR –
Euro Interbank Offered Rate – é a média das taxas de juro para diferentes prazos

TAEG (entre uma semana e 12 meses) dos empréstimos realizados entre os principais
bancos da Zona Euro no Mercado Monetário Interbancário (MMI). Em Portugal, os
indexantes mais utilizados são a EURIBOR a 6 e 12 meses.

Custos
A EURIBOR é variável ao longo do tempo do contrato e consoante o prazo
Produtos escolhido. Os prazos determinam quando é que este indexante da taxa variável é
Associados revisto, o que provocará uma descida ou subida da prestação mensal do crédito
Spread à habitação em conformidade. Se, no prazo em que a EURIBOR é revista, esta
aumentar, então a mensalidade do crédito da casa ficará mais elevada (e vice-versa
se o indexante diminuir).

Comissões
e seguros

Euribor

Contudo, ao comparar diversas propostas de crédito à habitação, os consumidores


devem ter atenção a um aspeto muito importante: uma instituição que ofereça uma
TAEG ligeiramente superior a outra não é necessariamente pior, pois há que ter em
conta os benefícios adicionais dos produtos associados (uma conta remunerada,
um cartão de crédito com uma boa percentagem de cashback ou um seguro
adicional com amplas coberturas, por exemplo).

27
Taxa fixa

Por sua vez, a taxa de juro fixa é acordada entre o cliente e a instituição financeira.
Para o cálculo da mesma, o banco utiliza como base a taxa swap (que é a taxa
praticada no mercado interbancário durante o período do contrato em vigor). Para
além disso, a esta taxa é ainda adicionado o spread. Se se contratar uma taxa
fixa, esta não se altera durante o período do contrato e o cliente fica com uma
prestação mensal constante não sujeita a oscilações do mercado.

A principal vantagem da contratação de uma taxa de juro fixa é que o consumidor


não necessita de estar preocupado nem sujeito às flutuações do mercado. Por
outro lado, caso a EURIBOR esteja com valores reduzidos durante muito tempo,
poderá não ser tão vantajoso contratar com taxa fixa.

Outra opção a considerar será a taxa mista. Com esta, por exemplo, o cliente
poderá optar por contratar o seu crédito à habitação com uma taxa fixa durante
os primeiros 10 anos, por exemplo, passando para uma taxa variável indexada no
restante período.

28
Como posso melhorar a probabilidade de A estabilidade laboral é valorizada
Depois, mesmo que não tenha culpa de uma situação de desemprego ou de ter
ser aprovado e reduzir o spread? levado um corte no ordenado, os bancos privilegiam quem possui uma situação
profissional estável, implicando isto que o melhor é ter um contrato sem termo,
Como é óbvio, os bancos gostam de receber de volta o dinheiro que concedem trabalhar numa empresa financeiramente sólida e estar empregado há muito
aos consumidores. Por isso, é lógico que cedam mais rapidamente empréstimos tempo.
a pessoas com um bom histórico de pagamentos de outros créditos. Quanto mais
cumpridor for ao longo da vida, maior é a probabilidade de ver o pedido de crédito Inclua um segundo titular
à habitação aprovado. Aqui, se possível, arranje um segundo titular para o empréstimo. Isto ainda é mais
fácil para um casal em que ambos compram casa juntos. Havendo mais do que um
Deixe o saldo da conta à ordem sempre positivo titular, é possível diluir o risco. Supondo, por exemplo, que um fica sem emprego,
Um bom começo será não deixar o saldo da conta à ordem ficar negativo, assim haverá sempre o segundo para assegurar o esforço dos pagamentos
especialmente se for de forma regular, porque isto pode passar a imagem de que mensais, evitando que se entre em incumprimento.
é um cliente inconstante e os bancos, naturalmente, não valorizam isso.
Tente dar a maior entrada inicial que conseguir
Se deixar a conta ficar com um saldo negativo algumas vezes, esta situação pode Quanto maior for a entrada inicial que der ao banco, maior será a margem
suscitar desconfiança no banco sobre se será capaz de pagar todas as prestações de segurança da instituição financeira relativamente a uma situação de
mensais de um crédito à habitação. incumprimento. Por exemplo: se der 20% de entrada para um imóvel, tal significa
que o banco tem de lhe emprestar 80%.

O banco acaba por ficar com um imóvel mais valorizado em relação ao valor
emprestado, perdas que possa vir a ter.

Há uma idade certa para comprar casa?


A idade conta. Depois dos 25 anos é a melhor fase para solicitar um crédito à
habitação, pois antes disso geralmente há menos disponibilidade financeira e mais
instabilidade profissional e salarial.

Além disso, os consumidores mais jovens geralmente não possuem historial


de crédito, o que faz com que os bancos fiquem mais reticentes a conceder
um empréstimo de um valor tão avultado a um cliente que não conhecem bem.
Quanto mais antiga for a relação com o banco, mais fácil será, à partida, ser
aprovado num crédito à habitação.
29
Refinanciar para ter melhores condições exemplo) - esta prática é denominada de cross-selling.

Mas deverá fazer as contas, pois se a poupança que obtém da redução do spread,
De futuro, ainda é possível refinanciar o crédito à habitação (isto é, substituí-lo
por exemplo, estiver na ordem dos 40 euros, e contratar ainda um cartão de
por um novo). De uma forma geral, as pessoas recorrem a este método para
crédito com uma anuidade de 50 euros, não será vantajoso para si.
obterem taxas de juro mais baixas, encurtarem o prazo do empréstimo, passarem
de uma taxa variável para uma taxa fixa (ou vice-versa) ou mesmo consolidarem a
dívida.

Porém, como tudo na vida, isto pode ter as suas desvantagens, até porque
implica pagar uma percentagem do montante de crédito à habitação pedido
inicialmente e pode não compensar estar a arruinar as suas poupanças se não vir
uma descida substancial nos custos associados.

Poderá ainda, no futuro, renegociar o spread do seu crédito à habitação com a


instituição financeira.

Em primeiro lugar, e como em tudo o que se trata de finanças, deve analisar o


mercado. Perceba, tanto no banco onde detém o contrato do empréstimo da
sua casa, como nas outras instituições do mercado, em que percentagem se
encontra o spread.

Se este for mais elevado do que o que tem contratado, não deverá conseguir
uma redução do mesmo.

Por outro lado, se for inferior, deve negociar. Lembre-se que, quanto melhor for a
relação que mantém com a sua instituição financeira, mais vantajoso será para si
e maior será a probabilidade de conseguir renegociar o seu crédito. Logo, quanto
mais antigo for na instituição e quanto melhor for o seu historial de crédito, maior
será o seu poder de negociação.

É importante referir que, para conseguir uma redução no seu spread, o banco
poderá sugerir a contratação de outros produtos ou serviços da entidade
bancária (tais como cartões de crédito ou a domiciliação do ordenado, por
30
3. Comissões todo o processo. Esta comissão é cobrada uma única vez e pode ser exigida
independentemente da concessão do empréstimo.
Complementarmente à taxa de juro associada ao crédito, as instituições financeiras
cobram diversas comissões aos clientes com vista a fazerem face aos custos 3.2. Comissão de processamento da prestação
burocráticos e administrativos provenientes do financiamento que concedem.
Prepare-se para esta despesa que acresce ao crédito à habitação ficando a A comissão de processamento é cobrada pelo banco em cada prestação mensal
conhecer, neste próximo capítulo, quais as comissões que lhe poderão ser liquidada pelo cliente (com acréscimo do Imposto do Selo). Por norma, esta
cobradas. comissão já se encontra incluída no valor da mensalidade, sendo aplicada de
cada vez que é realizado o pagamento de uma prestação mensal durante toda a
Tenha em atenção que a designação de cada comissão pode variar consoante o vigência do contrato do empréstimo.
banco e cada qual também escolhe aquilo que quer cobrar. Não se esqueça ainda
que a todas as comissões é acrescida a respetiva tributação: o Imposto do Selo ou
o IVA. 3.3. Outras comissões

3.1. Comissões iniciais Poderão existir outras comissões que serão aplicadas consoante os contratos
e dependendo da instituição financeira em questão. É o caso da comissão de
As comissões iniciais praticadas pela generalidade das instituições bancárias são deslocação, que existe se a escritura for realizada em algum distrito onde não
as seguintes: exista um balcão do banco em questão.

A comissão de abertura, também denominada, por vezes, de comissão de estudo Outro exemplo é o da comissão de solicitadoria, que poderá ser cobrada durante a
ou de comissão de dossier, engloba os custos de análise do crédito. O montante fase de preparação da escritura.
exigido é variável, dependendo da instituição financeira e do valor do imóvel, e
trata-se de uma quantia única. Por fim, poderá ainda existir uma comissão associada à recuperação de valores
em dívida, que ocorre quando existe um atraso no pagamento das prestações
A comissão de avaliação do imóvel serve para que a instituição financeira possa mensais.
saber, de forma fidedigna, qual o valor da habitação para a qual está a ser pedido
o crédito. Assim, o banco faz uma avaliação ao imóvel e cobra uma comissão ao
cliente. O valor da mesma ronda normalmente os 200 euros e esta comissão é
cobrada uma única vez.

Por fim, a comissão de formalização é paga pelo cliente na altura da formalização


do contrato de crédito e tem como objetivo cobrir os gastos administrativos
e burocráticos nos quais a instituição financeira tenha incorrido ao longo de
31
3.4. Comissão de amortização

O reembolso antecipado consiste na amortização do empréstimo antes da data


prevista para se acabar de liquidar o mesmo na totalidade (reembolso total)
ou parcialmente (reembolso parcial). Reembolsar antecipadamente o crédito à
habitação é um direito que assiste a todos os consumidores.

Porém, é sempre importante medir os custos associados à amortização. Uma vez


que cada uma destas formas de reembolso possui uma comissão de amortização
associada, poderá não compensar se este custo for muito aproximado ao montante
que se pretende amortizar.

A comissão aplicada ao reembolso antecipado do crédito à habitação (seja parcial


ou total) poderá diferir consoante o banco. Note que se tiver de proceder ao
reembolso por motivos de desemprego, deslocação profissional ou morte de um
dos titulares do empréstimo fica isento do pagamento desta comissão.

É comum as instituições bancárias exigirem que a intenção de reembolso lhes seja


notificada com um pré-aviso de alguns dias úteis que variam consoante a entidade.
Informe-se junto do seu banco sobre quais são os prazos que tem de cumprir.

A comissão de amortização possui um teto máximo:


• Os contratos com taxa de juro variável não podem ter uma comissão
superior a 0,5% do capital reembolsado;
• Nos contratos com taxa de juro fixa a comissão não pode ultrapassar os
2% do capital reembolsado.

Caso a amortização seja parcial, poderá ser requerido, por parte do banco, que
esta seja efetuada na mesma data do pagamento da próxima prestação mensal.

32
4. Seguros Coberturas

Agora que já conhece as comissões associadas ao crédito, importa conhecer um Para além da cobertura base de Morte, existem duas outras coberturas cujos
outro encargo que tem um grande peso no custo final do empréstimo: os seguros. nomes são muito semelhantes, mas que, no final, poderão fazer grande
diferença na proteção dos consumidores. Conhecer a diferença entre Invalidez
Funcionando como uma garantia do risco associado ao financiamento, existem Total e Permanente (ITP) ou Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD) será, por isso,
seguros – nomeadamente o seguro de vida e o seguro multirriscos habitação - fundamental para evitar surpresas negativas.
cuja contratação é exigida pelos bancos quando se constitui um empréstimo à
habitação. A IAD é a mais comum de ser apresentada pelas instituições bancárias aos seus
clientes, podendo ser ativada apenas em caso de invalidez absoluta do titular. Ou
Podendo ser subscritos diretamente na instituição de crédito ou numa seguradora seja, o segurado deverá ter uma doença ou ter sofrido um acidente tão grave que
selecionada pelo consumidor, regra geral os bancos oferecem bonificações no o tenha deixado impossibilitado de exercer uma profissão remunerável e tenha
spread quando são contratados através de si. Saiba quais as características de de recorrer a uma terceira pessoa para cuidar de si e das suas necessidades
cada um destes produtos. essenciais.

4.1. Seguro de vida Por sua vez, a ITP é mais abrangente e permite que o seguro seja acionado
quando um dos titulares do crédito à habitação tenha uma incapacidade de, no
Embora o seguro de vida não seja obrigatório por lei, é sempre exigido pelas
instituições financeiras na contratação de um crédito à habitação. Em suma, cobre
Seguro de vida parcial
o montante em dívida do financiamento em caso de morte ou invalidez de um dos
Caso existam dois titulares no crédito à habitação, o seguro de vida poderá ser
titulares, acabando não só por proteger os devedores como também o banco em
contratado de forma parcial ou total - ou seja, tratando-se de um casal
si.
(por exemplo), pode ser contratado a 100% para cada pessoa ou a 50% cada
um. Se se tratar de um seguro de vida a 100%, o que acontece é que, na
Este seguro permite aos titulares do empréstimo e respetivos familiares do
ocorrência de morte ou invalidez, o valor do empréstimo em dívida fica pago ao
agregado ficarem com a habitação em caso de morte ou invalidez de algum
banco, na totalidade, pela seguradora.
dos membros. Garante, desta forma, a liquidação da dívida do crédito ao banco
se ocorrer alguma fatalidade. Neste caso, se tal acontecer, o prémio do seguro
Por seu turno, se estivermos a falar de uma cobertura parcial (por exemplo, 50%
é transferido para o banco, o montante da dívida é liquidado e a hipoteca é
para cada titular), em caso de morte ou invalidez a seguradora paga apenas
cancelada.
50% da dívida ao banco, sendo que o outro titular terá de liquidar a parte
restante do empréstimo.
Existem quatro caraterísticas desta proteção que deve assimilar.

33
mínimo, 60%. Logo, a ITP garante o pagamento do montante em dívida em casos Prémio
de invalidez mais prováveis e menos graves. A IAD protege menos o cliente do
que a ITP. Este é calculado com base no capital seguro, mas com influência da idade dos
titulares do crédito à habitação. Quanto maior for a idade dos segurados, mais
É com base na Tabela Nacional de Incapacidades por Acidentes de Trabalho e elevado será o prémio, uma vez que o risco aumenta com o envelhecimento.
Doenças Profissionais que é definida a percentagem de incapacidade. De acordo Ainda assim, o montante relativo ao prémio vai diminuindo à medida que os
com o grau de inaptidão, é identificado o somatório dos valores de incapacidade. titulares amortizam o valor em dívida do financiamento.
É importante referir que os valores aplicados serão sempre os que se encontravam
em vigor à data de assinatura do contrato do seguro, mesmo que posteriormente Adesão
se venham a verificar atualizações a esses números
Para a subscrição do seguro de vida, há que concretizar alguns passos
previamente.
Dica
Em primeiro lugar, os tomadores do seguro devem responder a um questionário
Questione o seu banco sobre as ofertas de que dispõe, mas contacte também
médico que vai atestar o seu estado de saúde. De seguida, esse questionário
as seguradoras para poder comparar custos.
será analisado e, consoante a avaliação final, o seguro de vida será aprovado ou
rejeitado. Por último, e de acordo com os resultados, é definido o valor do prémio a
aplicar.
Capital seguro
Em certos casos, poderá ser necessária a realização de uma consulta médica para
Representa o montante pago pela seguradora quando alguma cobertura é que o seguro de vida possa ser aprovado.
acionada. Uma vez que este corresponde ao montante do crédito à habitação
em dívida ao banco, é importante que a companhia de seguros atualize o capital
seguro consoante a amortização que vai sendo levada a cabo pelos devedores.

Dica
Tenha atenção à atualização do capital seguro: esta é da responsabilidade do
tomador do seguro e não da seguradora. Deve indicar este valor à seguradora
anualmente. As prestações mensais que irá pagar ao banco vão gradualmente
reduzir o montante em dívida do crédito à habitação e, desta forma, esse valor
deve ser subtraído ao total do capital seguro.

34
4.2 Seguro multirriscos Por fim, salientamos que deve atualizar, de forma regular, o montante do seu
recheio, especialmente se adquirir novos itens valiosos. Adicione-os à lista dos
O seguro multirriscos-habitação é compulsório por lei para frações em propriedade bens a segurar, para que o seguro esteja sempre completo e de acordo com as
horizontal. suas reais necessidades.

Nesta secção fique a compreender a finalidade deste seguro, bem como as Finalidade
coberturas disponíveis, o capital seguro e o respetivo prémio. Perceba ainda quais
as diferenças entre os dois tipos de seguros multirriscos-habitação - para o edifício Se pensa comprar uma casa em propriedade horizontal, note que é obrigatório,
e para o recheio, sendo o primeiro obrigatório e o segundo opcional. por lei, subscrever um seguro contra incêndios. Mas, por norma, as instituições
bancárias requerem a contratação de um seguro multirriscos-habitação (que
Edifício (obrigatório) geralmente inclui a cobertura de incêndio), uma vez que o imóvel é utilizado como
O seguro multirriscos-habitação pode incidir sobre o edifício em si e o respetivo garantia no crédito à habitação e, por conseguinte, há que proteger a casa de
recheio. Este seguro requer, obrigatoriamente, uma proteção do edifício em eventuais danos.
si. O proprietário da casa deverá, então, mencionar todos os espaços da
sua casa à companhia de seguros. Se pretende adquirir uma moradia, deve De certa forma, os dois seguros obrigatórios (de vida e multirriscos-habitação)
considerar anexos, garagem, jardim e piscina, por exemplo. Caso vá optar por um complementam-se: o seguro de vida protege os titulares da habitação, ao passo
apartamento, não se esqueça de incluir o seu espaço de garagem, se existir. que o seguro multirriscos-habitação tem como finalidade salvaguardar o imóvel.

Recheio (facultativo) Note que, quanto maior for o número de coberturas que subscreve no seu seguro
Embora não seja obrigatório cobrir o recheio do imóvel, pense no seguinte: se multirriscos, mais protegida estará a sua casa.
detém objetos que lhe seriam muito custosos substituir (tais como quadros valiosos
ou grandes eletrodomésticos), talvez faça sentido proteger também estes bens.

Em primeiro lugar, deve descrever cada item de valor relevante numa ficha. Esse
mesmo formulário deverá conter uma descrição dos artigos, fotografias dos
mesmos, o seu valor de compra e a respetiva fatura.

Informe-se ainda acerca da regra da proporcionalidade. Em caso de sinistro, a


companhia de seguros irá calcular a percentagem do recheio que foi afetada
e atribuir-lhe-á a percentagem correspondente no capital coberto. Ou seja, se
tiver previamente discriminado todos os bens de valor relevante conseguirá uma
indemnização no valor real dos danos até ao limite do capital segurado.

35
Coberturas faz sentido na medida em que os danos que sejam provocados por um evento
desta magnitude podem mesmo levar à perda total ou parcial de um imóvel.
As coberturas irão depender do que pretende proteger na sua habitação, quanto
está disposto a pagar por essa proteção e, naturalmente, da oferta das diversas Esta cobertura tem um impacto significativo no prémio do seguro, variando
companhias de seguros. consoante o risco associado à área de localização do imóvel: habitações situadas
em zonas de maior risco sísmico (Açores, Vale do Tejo, Costa Vicentina e Algarve)
Assim, para que consiga escolher o que mais se adequa ao seu caso específico, detêm um prémio de seguro mais elevado do que casas noutras regiões do país.
enumeramos as coberturas dos seguros multirriscos-habitação mais comuns:
Mas não é por não se encontrar numa das zonas mais propícias a fenómenos
• Danos derivados de incêndios, quedas de raios ou explosões; sísmicos que não deve contratar esta cobertura, pois infelizmente ainda não é
• Danos causados por tempestades, ventos fortes ou ciclones; possível prever, com total certeza, todos os acontecimentos deste género.
• Estragos estéticos na fachada do edifício;
• Inundações e aluimento de terras; Capital seguro
• Demolições e remoção de escombros;
• Danos por problemas com distribuição de água e derivados da rede de O montante a segurar no multirriscos-habitação é estabelecido com base no valor
esgotos; de reconstrução da casa, que corresponde ao montante que o proprietário do
• Indemnizações por furto ou roubo; imóvel teria de financiar caso existisse uma destruição total da sua habitação.
• Responsabilidade civil do proprietário do imóvel devido a estragos
involuntários, tais como, por exemplo, a queda de objetos da varanda em veículos O valor segurado torna-se então muito importante, pois corresponde ao montante
ou indivíduos; que a seguradora lhe dará de indemnização se acionar o seguro em caso de
• Proteção jurídica (por norma, esta é uma cobertura opcional); ocorrência de qualquer sinistro.
• Riscos elétricos, nomeadamente danos causados por curto-circuito ou
sobrecarga de aparelhos elétricos; É comum o valor de reconstrução do imóvel ser inferior ao valor de mercado da
• Assistência à habitação por profissionais para a realização de habitação, isto porque quando é feita a avaliação da casa para determinar o valor
reparações como, por exemplo, canalizadores ou eletricistas (regra geral, esta é de reconstrução não são considerados determinados aspetos que contribuem
uma cobertura facultativa); para essa valorização, tais como: o terreno, a proximidade para com determinados
• Fornecimento de alojamento temporário caso exista privação da serviços, as infraestruturas, a localização da casa, o potencial de venda, entre
habitação; outros.
• Proteção em caso de fenómenos sísmicos, nomeadamente tremores de
terra, maremotos ou erupções vulcânicas. Como tal, é importante atualizar regularmente o capital seguro da sua casa,
especialmente se vier a realizar quaisquer tipos de obras ou melhorias. Só
Por norma, as instituições financeiras aconselham que o cliente detenha a atualizando o capital seguro é que conseguirá estar sempre realmente prevenido
proteção contra fenómenos sísmicos no seu seguro multirriscos-habitação, o que contra quaisquer eventuais danos.

36
Prémio seguro.
Note que, por ser mais uma garantia ao pagamento das prestações mensais do
O prémio do seguro multirriscos-habitação tem como base de cálculo o valor do montante em dívida, os bancos aprovam o pedido de crédito mais facilmente se o
imóvel e o risco associado ao mesmo. cliente optar por subscrever esta proteção.

Para estabelecer o valor do imóvel e o seu risco, as companhias de seguros


consideram algumas caraterísticas chave, tais como: a localização da casa, o ano e
o tipo de construção, e os materiais que foram usados na mesma, as condições de
acesso (especialmente em caso de incêndio), a existência de meios de combate a
fogos e sistemas de proteção contra roubo, entre outras.

Em termos práticos, isto funciona da seguinte maneira: quanto melhores forem as


condições de localização da habitação, menor será o prémio anual do seguro. Dito
de outra forma: uma casa com piores atributos será abrangida usualmente por um
prémio mais elevado.

Por último, mas não menos importante, a finalidade do imóvel também influencia o
montante a pagar pelo seguro. Uma habitação para residência permanente possui
um prémio mais reduzido do que uma segunda habitação.

4.3. Seguro de proteção ao crédito hipotecário

O seguro de proteção ao crédito cobre os encargos com empréstimos caso


o seguradora veja os seus rendimentos reduzidos devido a baixa médica ou
hospitalização, desemprego ou atraso no pagamento dos salários. Basicamente,
a seguradora substitui-se no pagamento das prestações mensais ao banco. Daí
que, com o objetivo de terem mais uma garantia de que o montante emprestado é
pago, as instituições financeiras aconselham à sua subscrição.

À partida, a decisão de subscrição de um seguro de proteção ao crédito parece ser


a decisão mais acertada. Contudo, convém analisar todas as restrições explícitas
no clausulado que limitam a abrangência do seguro, levantando a questão se vale
efetivamente a pena pagar o montante acrescido à mensalidade por subscrição do

37
Vantagens e desvantagens
As principais vantagens para o consumidor quando contrata um seguro de proteção ao crédito passam por:
• Este seguro ser apontado como uma solução viável de fazer um empréstimo de forma
descansada, uma vez que a segurança que tem, ao longo do período de pagamento do crédito, é muito
maior;
• Em caso de desemprego, a seguradora assume as prestações do cliente, substituindo-o;
• É mais provável ver o pedido de crédito ser aprovado.

Por outro lado, eis as razões que podem levá-lo a preferir não contratar
este seguro:
• Preços muito altos: os seguros de proteção ao crédito praticados atualmente têm custos elevados.
Desta forma, contratar um seguro desta natureza vai significar uma boa parte dos custos com o crédito.
• Exclusões: os trabalhadores independentes e muitos funcionários públicos podem pagar
coberturas de que não vão beneficiar, uma vez que os seguros de proteção ao crédito incidem
maioritariamente sobre trabalhadores por conta de outrem.
• Período de carência: a maior parte dos seguros só pode ser ativada 60 dias após a assinatura do
contrato. Para além disso, depois de ativada a cobertura, só poderá reativá-la meio ano depois. Por exemplo,
se for despedido é ativada a cobertura, mas se arranjar emprego e for novamente despedido, só passados
seis meses é que a seguradora paga as prestações abrangidas pela garantia de desemprego.

Como tudo na vida, existem bons e maus seguros, pelo que a sua subscrição vai sempre depender de caso
a caso e do empréstimo em questão, daí a importância de avaliar sempre os prós e contras do seguro que
for proposto pela instituição de crédito.

38
Como conseguir o crédito à habitação com as melhores taxas de Poupar na aquisição da casa dos sonhos com
juro sem sair do sofá? o ComparaJá.pt em 3 passos simples:

O ComparaJá.pt disponibiliza o único comparador gratuito de crédito à habitação Aceder a


existente em Portugal, o qual permite aceder, numa questão de minutos, às
ofertas de todas as instituições bancárias de acordo com o perfil, prazo e valor de

passo
https://www.comparaja.pt/credito-habitacao e
indicar as características do empréstimo preten-
empréstimo pretendidos por cada utilizador. dido e o perfil de utilizador.

Para se encontrar o produto mais vantajoso é apenas necessário completar um


conjunto de filtros - entre os quais constam o valor da habitação que se pretende Obter gratuitamente simulações indicativas
adquirir, a situação profissional ou instituições das quais já se é cliente - que 2º
passo
das melhores ofertas do mercado e selecionar
permite personalizar a análise imparcial e independente que o comparador faz a opção pretendida.
junto de todos os bancos.

Sem qualquer custo ou compromisso, a equipa de apoio ao cliente recolhe de Obter propostas finais personalizadas, sem
imediato propostas personalizadas de entre as várias instituições bancárias, 3º
passo
custos nem compromissos, por parte da equipa
poupando tempo e dinheiro aos utilizadores que, desta forma, não precisarão de de apoio do ComparaJá.pt, e aderir no momento
andar de balcão em balcão e que assim beneficiam do acesso a ofertas exclusivas. à proposta mais vantajosa.

Com o apoio da equipa do ComparaJá.pt o processo de aprovação do crédito


torna-se menos burocrático e mais transparente, garantindo ao utilizador uma
escolha mais informada.

39
PARTE III
FORMALIZAR A COMPRA

40
Após ter escolhido a casa dos seus sonhos e o crédito à habitação mais vantajoso, 115.509 mil euros nas Regiões Autónomas. Somente acima destas quantias se
falta apenas um passo para concretizar o objetivo final: aplicam as tabelas de IMT disponibilizadas no Portal das Finanças.
tratar das questões burocráticas.
1.2. IMI
Por lei, é obrigatório que o cidadão que compra um imóvel pague alguns impostos
ao Estado, os quais têm incidências e caraterísticas diferentes. É importante O Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), tal como o próprio nome indica, recai
conhecê-los para que cada devedor tenha noção dos seus deveres enquanto sobre o valor patrimonial tributário do imóvel. Deve ser liquidado anualmente, a
contribuinte e evitar multas mais avultadas no futuro por incumprimento destes partir do momento da compra de uma habitação.
requisitos legais.
O cálculo do IMI tem por base uma tabela com intervalos emitida pelo Governo
1. Impostos associados ao imóvel no Código do Imposto Municipal sobre Imóveis (CIMI) - disponível no Portal das
Finanças - sendo que cada município define as suas próprias taxas a aplicar.  Este
1.1. IMT intervalo varia entre 0,3% e 0,5% para os prédios urbanos.

Há lugar ao pagamento do Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Este imposto é calculado através da seguinte fórmula:
Imóveis (IMT) sempre que se verifique a compra de um imóvel. Este imposto recai
sobre o valor tributário da habitação ou sobre o valor declarado na escritura da
mesma, incidindo sobre o maior destes montantes.
IMT Valor Patrimonial Taxa
O IMT deverá ser pago antes do ato da compra e o seu cálculo varia consoante
Tributário (VPT) a aplicar
o tipo de imóvel (rústico ou urbano), a localização (Continente ou Regiões
Autónomas) e a finalidade (Habitação Própria Permanente ou Secundária).

A sua fórmula de cálculo é a seguinte: Isenção de IMI temporária (3 anos)


Se a casa adquirida for para Habitação Própria e Permanente, se o valor
Valor de Escritura patrimonial da mesma não exceder os 125 mil euros e se o rendimento coletável

IMT Taxa Parcela do agregado familiar for inferior a 153.300 euros para efeitos de IRS, é possível
ou Valor Patrimonial ter isenção do IMI por um período de três anos.
a aplicar a abater
Tributário (o maior)
Isenção de IMI permanente
Para beneficiar de não pagar IMI de forma vitalícia o requisito passa pelo
Existe isenção de IMT quando a habitação é destinada exclusivamente a Habitação rendimento anual não poder ser superior a 15.295 euros (2,3 vezes o valor anual
Própria e Permanente e o seu valor é de até 92.407 mil euros no Continente e do Indexante dos Apoios Sociais a 475 euros).

41
A sua fórmula de cálculo é, então, a seguinte:

Valor de escritura
Mas tenha atenção: o pedido de isenção do IMI tem de ser efetuado nas Finanças antes da IS ou Valor patrimonial 0,80%
compra da casa e quando tiver a avaliação do imóvel concluída. Se solicitar a isenção após
a compra (mesmo que seja no dia seguinte) já não é elegível para a isenção. tributário

1.3.2. Imposto do Selo do crédito à habitação


O pagamento do IMI é feito em abril. Se o montante a liquidar não ultrapassar os
250 euros, então este pagamento tem de ser feito de uma só vez. Caso se situe
Caso seja constituído um crédito à habitação, o Imposto do Selo é pago no
entre este valor e 500 euros, poderá ser realizado em duas parcelas e, finalmente,
momento em que o montante financiado é transferido para a conta à ordem do
se ultrapassar os 500 euros, pode ser liquidado em três prestações.
comprador da casa.

1.3 Imposto do Selo


Este imposto, que incide sobre o valor do crédito, é cálculo da seguinte forma:

O Imposto do Selo está inserido na categoria de impostos que incidem sobre o


consumo. Este só se aplica a todos os atos que não estejam sujeitos ao Imposto
IS Valor 0,60%
sobre o Valor Acrescentado (IVA) e, como tal, não poderá ser acumulado com este.
do empréstimo
Pode ser cobrado em forma de taxa ou de valor fixo e está regulamentado no
Código do Imposto do Selo (CIS).

Note que a incidência de 0,60% se refere aos contratos com um prazo de


No caso de um crédito à habitação, há lugar ao pagamento desta tributação em
pagamento superior a 5 anos. Caso seja um empréstimo com prazo inferior a 5
dois momentos distintos.
anos, a incidência será de 0,5%.

1.3.1. Imposto do Selo de Compra e Venda


1.4. Custos notariais e registo do imóvel

O Imposto do Selo incide, em primeira instância, na transação, isto é, sobre a


Tanto a compra de uma habitação como o pedido de financiamento para o
compra e venda do imóvel. Este é pago no ato da celebração da escritura, pelo
efeito implicam mais alguns custos relacionados com os registos da casa, com a
comprador da casa ao Notário. O Imposto do Selo na compra e venda tem uma
formalização dos contratos e ainda com a escritura do imóvel.
incidência de 0,8% sobre o valor de venda da habitação.
42
O registo de aquisição da habitação e de hipoteca poderá ser realizado através do
• Documentos de Identificação (Cartão de Cidadão ou Bilhete de
Serviço Casa Pronta ou no Cartório Notarial. Se se recorrer ao Serviço Casa Pronta,
Identidade e Cartão de Contribuinte);
os custos englobam a escritura e os registos de aquisição e hipoteca, saindo o
• Documentação comprovativa de Rendimentos:
cliente do local com toda a documentação em seu nome. Já se for ao Cartório, os
a)      Para um funcionário público ou trabalhador por conta de outrem:
custos incluem os honorários ao próprio Cartório pela preparação e realização da
• Fotocópia dos 3 últimos recibos de vencimento;
escritura e dos atos notariais e ainda as despesas com todos os registos.
• Fotocópia dos extratos bancários (dos últimos 3 ou 6 meses);
• Fotocópia da última declaração de IRS + Nota de Liquidação;
Por fim, há que pagar ainda a Certidão de Registo Predial. Esta tem uma validade
• Declaração da entidade patronal a comprovar vínculo contratual e
de 6 meses e o seu custo difere consoante seja solicitada online ou num balcão de
antiguidade na empresa.
uma Conservatória (sendo mais acessível pela primeira via).
b)     Para um trabalhador por conta própria:
• Fotocópia da última declaração de IRS + Nota de Liquidação;
2. Documentação necessária para comprar casa
• Declaração de início de atividade ou Certidão Permanente de Registo
Comercial;
A compra de uma habitação envolve alguma burocracia e são diversos os
• Fotocópia dos extratos bancários dos últimos 6 meses.
documentos que necessita de ter em sua posse nas várias fases da aquisição. Por
c)      Para um pensionista:
isso, nada como ter sempre a documentação necessária à mão. Todavia, tenha
• Comprovativo da pensão ou fotocópia dos extratos bancários dos
em atenção que os documentos solicitados podem variar conforme a instituição
últimos 3 meses;
financeira escolhida.
• Fotocópia da última declaração de IRS + Nota de Liquidação.

2.1. Propostas não vinculativas (simulações)

A simulação do crédito à habitação apresenta todos os custos e encargos com


este financiamento. Após a simulação e depois de selecionar o banco que mais
vai ao encontro das suas necessidades, entra-se na fase da pré-aprovação do
empréstimo (na qual a instituição afere se o cliente detém, ou não, condições para
que o financiamento seja definitivamente aprovado).

Relativamente à documentação a submeter, certifique-se de que a mesma está


atual e em ordem. Em Portugal, um pedido de crédito à habitação normalmente
deve fazer-se acompanhar pelos seguintes documentos:

43
2.2. Aprovação vinculativa do crédito

Após a elaboração da proposta não vinculativa, e se a mesma for positiva, entra-


se na fase de avaliação do financiamento pedido, através da qual o banco revê as
condições que foram oferecidas inicialmente ao cliente e em que se decide se o • Comprovativos de rendimentos (se os mesmos ainda não tiverem sido
pedido é formalmente aprovado. Geralmente este processo passa por uma equipa solicitados na fase da proposta ou haver um período largo entre a proposta
especializada de analistas de risco. e a aprovação):
• Última declaração de rendimentos e última nota demonstrativa de
Os documentos a apresentar à instituição financeira neste estádio são os liquidação de IRS do(s) proponente(s), ou outros documentos oficiais
seguintes: comprovativos, emitidos pela Repartição de Finanças, caso o(s) proponente(s)
estejam isentos de IRS
• Declaração da entidade patronal do(s) proponente(s)
• Recibos de vencimento dos últimos 3 meses
• Plantas da casa e da localização (esta última caso exista)
• Orçamento de obras ou construção, se for o caso
• Impressos requeridos pela instituição financeira
• Caderneta Predial atualizada ou, caso não exista, Certidão emitida pela
respetiva Repartição de Finanças
• Licença de habitação ou construção
• Documentos de Identificação (Cartão de Cidadão ou Bilhete de
Identidade e Cartão de Contribuinte)
• Atestado de residência da Junta de Freguesia
• Atestado comprovativo da composição do agregado familiar, se o(s)
proponente(s) viverem em união de facto
• Alvará de loteamento e escritura de aquisição do terreno (em caso de
construção de habitação)
• Projeto aprovado com memória descritiva (no caso de construção ou de
realização de obras, se aplicável)
• Contrato-promessa de compra e venda (se for realizado)

44
2.3. Contrato-promessa de compra e venda 2.4. Escritura

A fase seguinte do processo de crédito à habitação consiste na assinatura do A escritura pública é um documento autêntico realizado pelo notário, que constitui
contrato-promessa, que precede a escritura pública de compra e venda (que é o a forma legal da transação de compra e venda do imóvel.
contrato definitivo). Embora não seja obrigatório por lei, é um documento muito
utilizado para formalizar a intenção de compra. O momento da escritura representa a celebração do contrato definitivo de compra
e venda, formalizando a transferência da habitação do vendedor para o comprador,
O contrato-promessa de compra e venda é celebrado entre o comprador e o ficando este último, finalmente, como proprietário do imóvel.
vendedor e estabelece os direitos e deveres de ambas as partes até à data da
realização da escritura. Este contrato pode ser realizado antes da aprovação do Nesta etapa têm lugar dois atos distintos:
financiamento bancário da pessoa que vai adquirir a casa.
1. Contrato de compra e venda: que define o momento a partir do qual o
Aconselhamos a submeter o documento em questão para apreciação de um jurista comprador passa a ser proprietário do imóvel;
antes de o assinar. 2. Contrato de mútuo com hipoteca: que contém tudo o que diz respeito ao
crédito à habitação (taxas de juro, montante financiado, etc.), sendo que, após
Geralmente, no âmbito deste contrato há lugar ao pagamento de um sinal de a assinatura deste, o banco liberta o montante necessário para pagar ao antigo
adiantamento (acordado entre ambas as partes) e no mesmo devem constar, pelo proprietário do imóvel.
menos, as seguintes informações:

• Identificação do vendedor e do comprador; Exemplo


• Identificação do imóvel: localização, tipologia, existência de anexos Para registar um imóvel no valor de 175 mil euros com contratação de um
afetos à fração ou imóvel (garagem, piscina, arrecadação, por exemplo) e inscrição crédito à habitação e utilização de conta poupança-habitação, o consumidor
matricial; poderá facilmente pagar cerca de 40%: o valor a pagar no serviço Casa Pronta é
• Indicação da quantia que foi dada como sinal; de 500 euros enquanto num cartório ascenderá aos 800 euros.
• Preço de compra da casa e respetivo método de pagamento;
• Determinação de que o imóvel será vendido livre de quaisquer encargos
e ónus;
• Licença de utilização ou de construção (ou prova de que foi solicitada à
Câmara Municipal);
• Prazo para a realização do contrato definitivo (escritura pública) e
consequências desse prazo ser ultrapassado.

45
3. Serviço Casa Pronta
Na fase da escritura são necessários os seguintes documentos:
O Serviço Casa Pronta, surgido em 2007, veio revolucionar e simplificar toda
a burocracia associada à compra de uma casa, tendo permitido, a muitos
• Documentos de Identificação (Cartão de Cidadão ou Bilhete de portugueses, poupar tempo e dinheiro desde então.
Identidade e Cartão de Contribuinte) do vendedor;
• Certidão de Teor atualizada com o registo; Apresentando-se ao público através de um balcão único no qual é possível realizar
• Caderneta Predial Urbana ou Pedido de inscrição do Prédio na matriz diversas operações associadas à compra e venda de habitações, este serviço
(Modelo I do IMI) emitidos pela Autoridade Tributária e Aduaneira; evita que qualquer pessoa que vai adquirir ou vender uma habitação precise de
• Licença de utilização (para imóveis construídos após agosto de 1951); se dirigir a vários departamentos públicos para resolver questões administrativas
• Certidão de Infraestruturas (se tiver Alvará de Loteamento registado a respeitantes a este processo.
partir de 1992, sem prestação de caução e tratando-se de 1ª transmissão);
• Ficha de Informação Normalizada; O Serviço Casa Pronta encontra-se disponível nas instalações dos serviços do
• Certificado Energético e da Qualidade do Ar Interior; Instituto dos Registos e do Notariado (IRN), nas Conservatórias do Registo Predial
• Ficha Técnica da Habitação; e nos balcões de atendimento dessas mesmas conservatórias. Ao todo, estamos
• Comprovativo do pagamento do IMT e do Imposto do Selo; a falar de 334 balcões únicos deste serviço espalhados por Portugal. Só em 2016
• Proposta dos seguros de vida e multirriscos-habitação; foram realizados mais de 62 mil títulos.
• Contrato mútuo e penhor de aplicação financeira (se aplicável);
• Declaração dos valores em dívida do crédito para efeitos de Nos balcões únicos qualquer cidadão ou empresa pode realizar as seguintes
liquidação do mesmo, no caso de transferência do contrato; operações para prédios urbanos, rústicos e mistos:
• Rescisão de hipoteca ou outros encargos do imóvel (se aplicável);
• Contrato-promessa de compra e venda. • Compra e/ou venda de imóveis;
• Contratos de crédito e financiamento com instituições financeiras que
detenham hipoteca, podendo existir, ou não, um fiador;
• Hipoteca e transferência de créditos;
• Doação de imóvel;
• Dação em pagamento (quando a relação de obrigação entre credor e
devedor termina);
• Permuta do imóvel;
• Constituição ou alteração de Propriedade Horizontal de um imóvel;
• Divisão de coisa comum;
• Compra e/ou venda com locação financeira (leasing).

46
Outras ações que podem ser realizadas através do serviço Casa Pronta dizem Excetuando o valor a pagar de impostos, os custos atualmente em vigor são os
respeito ao pedido de alteração de morada no cartão de cidadão, pagamento do seguintes:
Imposto do Selo (IS) e do Imposto sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis
(IMT), realizando-se todas estas burocracias num só local.

É então possível, por exemplo, adquirir uma habitação – desde o contrato ao


registo do novo proprietário -, com ou sem recurso a um crédito à habitação,
realizar a transferência do financiamento para outra instituição bancária ou ainda
375 euros
Realização de apenas um registo - de uma hipoteca,
contrair um empréstimo com hipoteca. por exemplo.

Uma vez que todos estes processos ficam concluídos de imediato, não existe
necessidade de uma nova deslocação a esse balcão único ou a alguma
Conservatória. Desta forma, o cliente sai do balcão do Casa Pronta com as
255 euros
certidões de conclusão do negócio na mão, o que simplifica bastante todo este Compra e venda de um imóvel sem financiamento
num processo em que tenha sido usada uma conta
processo. poupança-habitação.

Após deter todos estes documentos, dirija-se ao balcão único do Casa Pronta mais
perto de si (consulte aqui a listagem dos postos de atendimento que existem).

Embora este serviço não seja gratuito, a poupança poderá chegar aos 70%
500 euros
da quantia total que qualquer cidadão teria de pagar para realizar todos estes Compra e venda de um imóvel sem financiamento
procedimentos num Cartório Notarial. num processo em que tenha sido usada uma conta
poupança-habitação.

700 euros
Concretização de mais do que um registo. Por exemplo, no
caso de compra e venda de uma habitação com recurso a
crédito à habitação são realizados diversos registos.

47
Através do website do serviço Casa Pronta, tantos os cidadãos, como empresas e
entidades públicas, podem ter acesso a informação de apoio para concretizar as
diversas operações disponíveis no balcão único.

Por outro lado, tanto cidadãos como empresas têm a possibilidade de promover,
neste website, as características de um determinado negócio para que as
entidades públicas possam manifestar o seu interesse, caso exista, em exercer o
direito legal de preferência. Por exemplo, a Câmara Municipal poderá manifestar
interesse num edifício histórico que seja publicitado no website do serviço Casa
Pronta. Estes anúncios têm um custo de 15 euros.

Complementarmente, também é possível consultar o anúncio em questão, para


poder saber se existe, ou não, qualquer tipo de interesse por parte de alguma
entidade pública para exercer o seu direito legal de preferência. As instituições
financeiras podem ainda pedir para consultar a Certidão Permanente de registo de
um determinado prédio.

Em último lugar, qualquer indivíduo poderá consultar a agenda de marcações


dos vários balcões únicos do Casa Pronta, por forma a efetuar a marcação de um
horário específico para ser atendido, simplificando ao máximo todo este processo
de compra e venda de imóveis.

48
PARTE IV
DÚVIDAS
GLOSSÁRIO
LINKS ÚTEIS

49
Perguntas frequentes O seguro de vida é obrigatório?

O seguro de vida é normalmente exigido pelas instituições bancárias na


Quais os documentos necessários para recorrer a um crédito à habitação?
contratação de um crédito à habitação. Este seguro cobre o risco de morte e/ou
invalidez.
A documentação exigida para recorrer a um crédito à habitação varia de banco
para banco, mas os documentos exigidos para uma situação regular de solicitação
deste tipo de empréstimo costumam ser:
Tenho de contratar o seguro de vida e multirriscos-habitação proposto pelo
• Documento de Identificação (Cartão de Cidadão / Bilhete de Identidade)
banco?
• Cartão de Contribuinte;
• Última declaração de IRS e nota de liquidação;
Não. Apesar de a entidade bancária poder propor um determinado seguro de vida
• Fotocópia dos últimos 3 recibos de vencimento;
e de multirriscos-habitação (com uma seguradora com a qual possui um protocolo),
• Declaração de tipo de contrato de trabalho da entidade patronal;
o cliente tem sempre o direito de escolher o que achar mais adequado, podendo,
• Caderneta Predial
para tal, recorrer a outra seguradora e transferir o seu seguro de vida e o seu
• Comprovativo de outros rendimentos.
seguro multirriscos-habitação. Porém, note que esta transferência de seguro pode
A estes documentos podem acrescer outros, dependendo da instituição bancária
implicar um agravamento do spread.
e da situação específica do cliente (se é pensionista, se trabalha por conta de
outrem, se é não-residente, entre outros).

Se quiser contrair um crédito à habitação tenho de abrir conta na instituição


credora?

Ter conta na instituição em que pretende contrair o crédito não é obrigatório, mas,
no entanto, a maioria das instituições assim o exige.

O que é o spread?

O spread é uma percentagem da taxa de juro cobrada pelo banco que consiste, no
fundo, na sua “margem de lucro”. É definido contrato a contrato, conforme o perfil
de risco do cliente.

50
A instituição bancária pode recusar a concessão do empréstimo? Quais os deveres do cidadão que compra uma habitação?

Sim, a instituição bancária tem liberdade para recusar conceder o empréstimo Os deveres fiscais passam por declarar ser o novo proprietário do imóvel que
solicitado. adquiriu, solicitar a isenção do IMI relativo à nova habitação própria permanente
(se se aplicar) e apresentar a ficha de atualização do número fiscal de contribuinte.

Posso ver a minha solicitação de renegociação de crédito recusada? Além disso, é essencial que o proprietário de uma habitação mantenha o seu
imóvel limpo, com respetivo seguro atualizado, bem como deverá pagar os
Sim, uma vez que a renegociação do crédito só pode ocorrer após concordância impostos associados ao imóvel e o valor correspondente do condomínio.
de ambas as partes.

Quais as obrigações fiscais na aquisição de uma habitação?


É possível transferir o crédito habitação para outra entidade bancária?
Se comprar um imóvel para uso próprio, com ou sem recurso a um crédito à
Sim, é possível fazê-lo, desde que a entidade bancária seja avisada com 10 dias habitação, terá de pagar não só o IS – numa taxa de incidência de 0,8% sobre
úteis de antecedência. o valor de aquisição da casa – mas também o Imposto Municipal sobre as
No entanto, atente que existem comissões de reembolso antecipado que deverá Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) – a uma taxa que varia entre os 0% e os
ter em consideração. Assim, se pensa em transferir o crédito à habitação, saiba se 6%, dependendo do município onde se encontra a habitação.
a instituição para a qual vai mudar o seu financiamento cobre os custos com essa
comissão. O IMT incide sobre o valor referido no contrato ou o valor patrimonial tributário do
imóvel, dependendo de qual dos dois for o maior.

O que fazer para amortizar o empréstimo parcialmente? Na compra de uma casa, é importante que liquide o IMT antes da data da escritura
pública de aquisição, apresentando o comprovativo de pagamento nessa mesma
Para amortizar parte do empréstimo, basta que avise a entidade credora com 7 data perante o Notário ou outra entidade competente.
dias úteis de antecedência. Esta poderá cobrar-lhe uma comissão de amortização.
Se tiver um contrato com taxa de juro variável, a comissão de amortização será de Não esquecer que, caso recorra ao crédito à habitação, terá de suportar o IS de
até 0,5% do valor reembolsado. Se, por outro lado, o seu contrato contemplar taxa 0.6% sobre o montante do empréstimo.
de juro fixa, o valor da comissão pode chegar a 2% do montante reembolsado.

51
Os encargos com a compra de casa são dedutíveis no IRS? durante 12 meses o cliente bancário não terá que se preocupar com aumentos da
taxa. Garante, assim, uma maior estabilidade.  
Caso se trate de um imóvel arrendado ou de uma habitação comprada para uso
próprio com recurso a crédito e para contratos celebrados até 31 de dezembro A escolha do prazo da EURIBOR depende, portanto, da propensão ao risco de
de 2011, é possível deduzir-se no IRS. No caso dos imóveis arrendados, poderá cada consumidor: com a EURIBOR a 12 meses não irá beneficiar de eventuais
deduzir-se até 15% das rendas pagas até um máximo de 502 euros. Já no segundo quedas na EURIBOR por esse período de tempo, algo que só será possível se
caso, o cidadão poderá deduzir até 15% dos juros do financiamento contraído para optar pela EURIBOR a 3 ou 6 meses. Por outro lado, estará protegido a subidas
a compra da habitação até ao limite máximo de 296 euros. durante um ano

 
Devo escolher a proposta com o spread mais baixo? Posso pedir isenção de IMT?

O spread é uma taxa que resume a percentagem de lucro que a instituição Está previsto para 2018 a isenção de IMT para situações em que um imóvel com
financeira atribui ao crédito, e que pode variar consoante a situação específica mais de 30 anos seja comprado com vista à sua reabilitação. No entanto, as obras
do cliente. É um indicador com alguma relevância quando se procura crédito à têm de ser realizadas num prazo máximo de três anos após a compra do imóvel.
habitação e há bancos a oferecer melhores propostas de spread do que outros.  

No entanto, o spread não deve ser o único indicador a levar em conta, até Posso pedir isenção de IMI?
porque o spread não contempla todos os encargos associados ao crédito. Por
isso, considerar a Taxa Anual Efetiva Revista (TAER) é a forma mais fidedigna de Sim, é possível pedir isenção temporária de IMI, com duração máxima de três anos.
comparação de créditos à habitação, já que esta diz respeito ao custo total do Este pedido pode ser feito por aqueles que se encontrem em agregados cuja
crédito ( juros, comissões, seguros e encargos com produtos associados). habitação tenha um Valor Patrimonial Tributário de valor até 125 mil euros e cujo
rendimento seja inferior a 153.300 euros.

Qual a melhor EURIBOR para escolher? 3, 6 ou 12 meses? A isenção de IMI é feita automaticamente pela Autoridade Tributária e Aduaneira,
aplicando-se a agregados cujo Valor Patrimonial Tributário do imóvel seja inferior
Não se pode dizer que exista uma melhor EURIBOR a escolher. Em primeiro lugar, a 66.500 euros, sendo os rendimentos anuais do agregado inferiores a 15.295
não são muitas as instituições financeiras a oferecer a possibilidade de contratar euros.
taxa variável com EURIBOR a 3 ou 6 meses.

Neste momento, a taxa a 12 meses é bastante vantajosa, por exemplo, dado que
a EURIBOR se encontra em valores mínimos e em trajetória decrescente desde
há mais de um ano. Neste caso, se o crédito habitação for contratado nesta fase,

52
Para além do crédito em si, com que custos posso contar relativamente a Como posso melhorar as probabilidades de aprovação do crédito?
questões burocráticas na compra de casa?
Para garantir o sucesso do seu pedido de crédito habitação, deverá preparar-se
Os encargos com os quais terá de lidar são os da escritura da casa e o Imposto com antecedência para este passo. Deve, assim, assegurar que os seus extractos
Municipal sobre Transmissões Onerosas (IMT). A estes custos deverá adicionar o IS não têm movimentos anormais (por exemplo, levantamentos em casinos e outras
relativo à compra do imóvel (0,8%) e, caso peça um empréstimo, o IS sobre o valor actividades que possam ser interpretadas como suspeitas).
do crédito (0,6%).
A sua estabilidade profissional será também um fator importante para a instituição
bancária. Encontrar-se com um contrato de efetividade junto do seu empregador
Posso alterar a finalidade do crédito? será um factor muito positivo. Ter um pé-de-meia considerável será também
importante porque irá permitir-lhe fazer face à entrada inicial.
A finalidade do crédito à habitação pode e deve ser alterada naqueles casos em
que o fim dado ao imóvel pelos titulares do empréstimo se altere, nomeadamente
de habitação própria permanente para habitação própria secundária (e vice- Posso fazer a avaliação do imóvel numa entidade terceira?
versa), ou de habitação para arrendamento/investimento para habitação própria
permanente ou secundária. Poderá solicitar uma avaliação de um imóvel a qualquer entidade qualificada para a
realizar. No entanto, esta avaliação poderá não ser aceite pela instituição bancária
que selecionou para a concessão do crédito habitação, podendo-lhe ser cobrada
nova avaliação a ser realizada pelo próprio banco.
 

Ainda não encontrei casa. Devo pedir proposta de crédito?

Mesmo que ainda não tenha encontrado casa, é recomendável que solicite às
instituições financeiras uma simulação consoante o valor que pretende gastar.

O ideal será até ter simulações de vários bancos para que, assim que conseguir
encontrar a casa que quer comprar, possa comparar e escolher a proposta mais
vantajosa.

53
O que é uma permuta?

A permuta é um processo de troca de bens imóveis entre dois proprietários. Nesta


troca, o proprietário que obtiver o imóvel de valor mais reduzido, deve pagar a
diferença de valor. É algo pouco praticado, sobretudo pela dificuldade que existe
em fazer corresponder dois proprietários interessados neste tipo de negócio.
No entanto, traz alguns benefícios, como a redução do IMT, que incide apenas na
diferença de valor, para o comprador que adquirir a casa mais cara.
 

Devo pedir proposta de crédito apenas ao meu banco ou a outros também?

Uma vez que já tem produtos contratados no seu banco, o spread associado
ao crédito habitação por este apresentado será à partida mais baixo do que se
fosse um novo cliente. No entanto, deve realizar uma simulação junto de várias
instituições, para que possa garantir que encontra a oferta mais competitiva. Se
a melhor proposta não for do seu banco, não existe impedimento para contratar
crédito habitação noutra instituição bancária.

Não conheço este banco, será que é seguro?

Se uma instituição financeira disponibiliza uma proposta que lhe parece


interessante, mas tem dúvidas quanto à sua legitimidade, a melhor forma de
perceber se é fiável é consultar a lista do Banco de Portugal de instituições
autorizadas a ceder crédito.
 

Quais os principais encargos depois de comprar casa?

Depois de comprar casa, os encargos fixos com os quais terá de lidar são o
Imposto Municipal sobre Imóveis e eventuais despesas de Condomínio.

54
Ligações úteis

Artigos no blog do ComparaJá.pt sobre crédito à habitação:


www.comparaja.pt/blog/category/credito-habitacao

Associação Portuguesa de Bancos:


www.apb.pt

Banco de Portugal – Informação sobre Crédito à Habitação:


www.clientebancario.bportugal.pt/credito-habitacao

Serviço Casa Pronta:


www.casapronta.pt/CasaPronta

Portal da Habitação:
www.portaldahabitacao.pt

Segurança Social – Património Imobiliário:


www.seg-social-patrimonio.pt

Portal das Finanças:


www.portaldasfinancas.gov.pt

Registo Predial Online:


www.predialonline.pt

55
Glossário Casa Pronta: Serviço do Ministério da Justiça que permite realizar, de forma
imediata e a custo mais reduzido, todas as burocracias e formalidades relativas à
compra e venda de casa.
A Certidão de Teor Predial: Documento emitido pela Conservatória do Registo
Amortização: Diminuição do valor de capital em dívida do crédito à habitação. Esta Predial com informações relativas à descrição da habitação, localização, titular e
pode ser gradual, antecipada ou sucessiva. todos os registos e inscrições efetuadas.

Amortização antecipada: Pagamento antecipado de uma parte do montante em Certificação Energética: A certificação energética é obrigatória para imóveis
dívida, para além das prestações mensais. que se encontrem para venda ou arrendamento. Este documento, o Certificado
Energético, avalia a eficácia energética do imóvel em causa numa escala de A+
Avaliação: Visita de um perito à habitação para atribuir um valor de mercado à (muito eficiente) a F (pouco eficiente).
mesma, que será considerado para efeitos de constituição da garantia hipotecária.
Comissões: No decorrer de todo o processo de crédito à habitação, as instituições
cobram diversas comissões pelos serviços bancários prestados, tais como:
C comissão de estudo, de avaliação, de formalização, de contrato, entre outras. As
denominações das comissões podem variar consoante as entidades.
Caderneta Predial ou Certidão Matricial: Documento emitido e autenticado
pela repartição das Finanças da freguesia onde se encontra a casa cujo objetivo Contrato-Promessa de Compra e Venda: Acordo celebrado entre o comprador e
é identificar a habitação e as suas características (como localização, área, o vendedor que precede a escritura pública de compra e venda (que é o contrato
proprietário e valor tributável). Esta certidão detém uma validade de 12 meses. definitivo) e, não obstante não ser obrigatório por lei, é um documento muito
utilizado para formalizar a intenção de compra.
Capitais Próprios: Capital Próprio é o dinheiro que o comprador possui para dar
como entrada na aquisição de um imóvel. Sendo a percentagem de financiamento Cross-Selling: Produtos e serviços subscritos pelo cliente do crédito à habitação,
normal de 80% do valor de avaliação, o comprador terá que ter, regra geral, os que são exigidos pelo banco para atribuição de uma bonificação no spread.
20% por cento em falta para cobrir o valor de avaliação de imóvel. Também pode ser designado por “vendas associadas facultativas”.
 
Capital em Dívida: O Capital em Dívida representa a quantidade de dinheiro que
está em dívida num contrato de crédito. D
 
Carência de Capital: Período inicial do crédito à habitação no qual só se pagam os Diferimento de Capital: Adiar o pagamento de uma parte considerável – entre
juros, ficando a prestação mensal mais reduzida durante esse tempo. 10% e 30%, por norma - do valor em dívida para o fim do crédito à habitação,
nomeadamente para a última prestação.

56
Distrate: Documento emitido pela instituição financeira que declara a autorização Ficha Técnica da Habitação: Documento que descreve todas as características
para o cancelamento do registo da garantia hipotecária, devido ao cancelamento técnicas e funcionais de um prédio urbano com a finalidade de habitação.
ou liquidação do crédito à habitação. No fundo, o distrate comprova a rescisão de É obrigatório para prédios cujo requerimento para a emissão da Licença de
um contrato. Utilização tenha sido apresentado após 30/03/2004.

E H
Entrada Inicial: Entrada Inicial é o valor de capital próprio que os compradores Habitação Própria Permanente: Uma habitação própria permanente é utilizada
terão que disponibilizar para complementar o montante adicional não financiado pelo proprietário ou pelo seu agregado de forma permanente, sendo a base da
pela instituição de crédito. Regra geral, refere-se a 20% do valor de avaliação do vida familiar.
imóvel.  
Habitação Própria Secundária: Uma habitação própria secundária é uma
Escritura Pública: Contrato definitivo de compra e venda da habitação. Requer habitação com o fim de ocupação durante períodos ocasionais e sem o fim de
documentação obrigatória por parte da instituição financeira. arrendamento.

EURIBOR (European Interbank Offered Rate): Taxa interbancária utilizada pelos Hipoteca: Garantia extrajudicial que associa o imóvel ao crédito à habitação.
bancos como taxa de referência na maior parte dos empréstimos com taxa de Praticamente todos os contratos de empréstimo para comprar casa prevêem a
juro variável. É calculada como uma média das taxas de juros praticadas pelas existência de hipoteca sobre o imóvel adquirido.
instituições financeiras e detém diferentes valores consoante o prazo a que se
reporta (entre 1 semana a 12 meses).
I
F Imposto do Selo (IS): Taxa ou valor fixo, em euros, aplicado a um contrato de
crédito à habitação.
Fiador: Indivíduo que assume a responsabilidade de cumprir com os pagamentos
do crédito à habitação caso o titular do mesmo não o consiga fazer e entre em Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI): Incide sobre o valor patrimonial tributário
incumprimento. (VPT) das habitações em território português. É pago anualmente no mês de abril e
é um imposto municipal, cuja receita reverte para os municípios.
Ficha de Informação Normalizada Europeia (FINE): Documento obrigatório,
emitido pela instituição bancária, no qual constam as condições do contrato de Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas (IMT): Incide no maior dos
crédito à habitação. Deve ser entregue quando o cliente pede uma simulação de seguintes valores: valor patrimonial e valor de transação do imóvel. Este imposto
empréstimo para comprar casa. tributa a aquisição de habitações e é pago antes da formalização da escritura.

57
Indexante: Taxa de referência usada como indicador da evolução do mercado. Prémio: Valor pago à companhia de seguros para a prevenção de sinistros
Em Portugal, o indexante mais utilizado nos contratos de crédito à habitação é a que possam ocorrer no futuro (no caso do crédito à habitação, este prémio
EURIBOR. corresponde ao montante que se paga pelos seguros de vida e multirriscos).
Prestação: Valor que o(s) titular(es) do crédito à habitação se compromete(m) a
pagar, por norma mensalmente, para a liquidação do empréstimo.
J
Juros Remuneratórios: Valor pago como remuneração ao banco pela R
disponibilização do montante do crédito à habitação, durante o período de
vigência do contrato. Reembolso Antecipado: O reembolso antecipado é a devolução antes do tempo
Juros Moratórios: Sobretaxa que indemniza os prejuízos do banco provenientes limite fixado no contrato de crédito da totalidade ou de parte do capital em divida
do atraso no pagamento das prestações mensais do empréstimo. à instituição bancária. Tal implicará o pagamento de uma taxa adicional, a qual
recairá sobre o valor do pagamento adiantado.

L
S
Liquidação antecipada: Pagamento da totalidade do montante em dívida no
crédito à habitação, antes do prazo previsto para o final do contrato, que poderá Seguro de vida: O seguro de vida associado ao crédito habitação não é obrigatório
ser feito através da venda da casa ou de capitais próprios. por lei, no entanto é o mesmo é assumido como tal pelas instituições financeiras.
Este seguro garante o pagamento do capital em dívida à data da morte de um dos
Loan-to-Value (LTV): Percentagem que determina o rácio entre o valor do titulares, perante determinadas condições estipuladas, revertendo a propriedade
financiamento cedido pelo banco e o valor de avaliação da habitação. da casa para o outro Titular.

Spread Base: O Spread Base corresponde à “margem” que a instituição bancária


P obtém sobre o crédito. A este spread base é depois acrescentado o valor dos
indexantes EURIBOR a 3, 6 ou 12 meses, sendo esta a maior componente de “juro”
Prazo: O prazo máximo de um crédito habitação é de 480 meses (40 anos), sendo num crédito habitação”.
a idade limite dos titulares para o reembolso total do crédito de 75 anos (servindo
para este cálculo o titular mais velho). Spread Contratado: O Spread Contratado corresponde ao Spread Base mais as
bonificações ao mesmo obtidas através de cross-selling ou ações promocionais.
Período de Revisão do Indexante: Frequência com que se faz a atualização do  
indexante da taxa de juro para os créditos que possuem uma taxa de juro variável. Simulação: Uma simulação de crédito corresponde ao cálculo de uma prestação
de crédito habitação consoante os parâmetros preenchidos. As simulações são

58
meramente indicativas e não têm qualquer valor contratual.
V
T Valor de Avaliação:  O valor de avaliação corresponde ao resultado da avaliação
do imóvel para fins de contratação de crédito habitação. Este valor é calculado por
Taxa Anual Efetiva (TAE): Reflete o custo real do crédito à habitação, na medida um perito credenciado pela CMVM e segue um conjunto de normas estipuladas
em que contempla os encargos associados ao crédito: comissões cobradas e por lei.
outras prestações que resultem em receita para a instituição de crédito (tais como
encargos associados à abertura do processo), prémios dos seguros exigidos (e Valor de Escritura: O valor de escritura corresponde ao valor registado da
se contratados através do banco) e custos provenientes do processamento de transação do imóvel sobre o qual será aplicado o IMT.
prestações.

Taxa Anual Nominal (TAN):  é uma taxa anual que se aplica a todo o tipo de
operações (créditos e aplicações financeiras) que envolvam o pagamento de juros.
Quem contratar um crédito à habitação com taxa variável verá que a TAN é a soma
da EURIBOR com o spread.

Taxa Anual Efetiva Revista (TAER): Corresponde à TAE, mas engloba os custos de
subscrição de produtos e/ou serviços que o cliente tenha contratado em conjunto
com o crédito à habitação para obter melhores condições de financiamento.

Taxa de esforço: Percentagem do rendimento total de um agregado familiar


direcionado apenas para o pagamento de créditos contraídos.

Taxa Swap: Taxa praticada no mercado interbancário que é utilizada como base
para o cálculo da taxa de juro fixa.

Transferência de Crédito: A transferência de crédito é a transação de um crédito à


habitação de uma instituição bancária para outra. Quando existe uma transferência
de crédito, outros contratos de crédito associados ao mesmo serão também
transferidos e novamente escriturados.

59
60