Vous êtes sur la page 1sur 8

GUIA VTS

PORTO DO AÇU-RJ

REV. DATA ELABORAÇÃO VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO


0 01/02/2017 Valter Barbosa Joffre Villote Álisson Freire
1 15/02/2017 Valter Barbosa Gustavo Cruz Álisson Freire
BRASIL - AÇU

Procedimentos do VHF
1. Ao adentrar ou deixar a Área VTS; e ao fundear dentro e for a dos limites do porto,
todos os navios devem guarnecer o canal VHF 16. Comunicações VHF:
- Canal 16: Canal de chamada e emergência.
- Canal 10: Canal de operação para o centro VTS do Açu.
- Canal 12 e 13: Exclusivamente usados para manobras com práticos.

2. Outros canais: Outros usuários (conforme as regulamentações de rádio da ITU).

Relatórios
Nas mediações da área VTS, o sistema AIS deve estar operativo e
permanentemente enviando informações da embarcação.

Informação de Pré-Entrada
Quando: 6 horas antes da entrada.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: Itens Alfa SRS IMO, Charlie, Golf, Hotel (na zona externa do VTS),
India, Oscar, Papa (Navios Tanque e embarcações com cargas perigosas: utilizar o
código IMDG), Quebec, Uniform, X-Ray.
Via: Agente.

Informações de Posição
Entrada
Quando: passando pelos limites da área VTS.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: Itens SRS IMO: Alpha, Bravo (horário da passagem), Delta, Echo,
Foxtrot, Oscar, X-Ray.
Via: VHF CH 10.

Pontos de notificação
Quando: passando pelos pontos de notificação.
1. Terminal 1 (T1) - ponto de embarque do Prático.
2. Terminal 1 (T1) - ponto de embarque do Prático, alternativo.
3. Terminal 2 (T2) - ponto de embarque do Prático.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: Itens SRS IMO: Alpha, Delta, Juliet (apenas para os pontos de
embarque do Prático), Foxtrot.
Via: VHF CH 10.

Chegada ao berço
Quando: atracado ao berço.
Para: Açu VTS Centre.
Informando: Itens SRS IMO: Alpha, Bravo (horário de chegada), Delta.
Via: VHF CH 10.
Trocando berços
1. Deixando o berço inicial.
2. Chegando ao novo berço.
Para: Centro VTS Açu.
Transmitindo: Itens SRS IMO: Alpha, Bravo (horário de chegada/partida), Delta,
Juliet, Oscar.
Via: VHF CH 10.

Desatracando
Quando: desatracado do berço.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: Itens SRS IMO: Alpha, Bravo (horário de partida), India, Oscar, Papa
(apenas ao transportar carga perigosa), Quebec.
Via: VHF CH 10.

Chegada na área de fundeio


Quando: após largar o ferro.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: Itens SRS IMO: Alpha, Bravo (horário de chegada), Charlie.
Via: VHF CH 10.

Deixando a área de fundeio


Quando: após levantar o ferro.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: Itens SRS IMO: Alpha, Bravo (horário de saída), India, Oscar.
Via: VHF CH 10.

Saída
Quando: passando limites da área VTS.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: Itens SRS IMO: Alpha, Bravo, Delta.
Via: VHF CH 10.

Informações de desvio
Quando: qualquer alteração nos detalhes informados na pré-chegada.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: Itens modificados no plano de derrota.
Via: VHF CH 10.

Informação de Incidentes
Quando: todas embarcações deverão informar, imediatamente, um incidente que
impeça a segurança da navegação ou do meio ambiente.
Para: Centro VTS Açu.
Informando: detalhes completos da ocorrência. Caso apropriado, incluir os
relatórios de Cargas Perigosas, Substâncias Nocivas ou Poluição Hídrica.
Via: VHF CH 10.
PRATICAGEM
1. A Praticagem dentro dos limites do porto (zona interna) se dá em
conformidade com o preconizado nas Normas da Autoridade Marítima para o
Serviço de Praticagem (NORMAM-12/DPC) e, no que couber, com as Normas
e Procedimentos da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro (NPCP-RJ).

2. Todas as embarcações destinadas ao Porto do Açu que não estejam


dispensadas do serviço de praticagem, de acordo com as normas
supracitadas, ou cujo Comandante de embarcação dispensada, a seu critério,
desejar o auxílio do serviço de praticagem, deverão embarcar o Prático no
ponto de embarque estabelecido pela Autoridade Marítima. Ao deixar o porto,
o Prático desembarcará quando a embarcação estiver em uma rota segura e
o Comandante for devidamente informado.

3. Área de embarque:
Terminal 1 (T1)
Latitude 21° 50,14’ Sul,
Longitude 040° 49,95’ Oeste

Terminal 1 (T1) - alternativo


Latitude 21° 47,23’ Sul,
Longitude 040° 54,95’ Oeste

Terminal 2 (T2)
Latitude 21° 49,32’ Sul,
Longitude 040° 55,55’ Oeste

Serviços Disponíveis
Disponibilidade do Serviço: 24 horas
Geração de Imagem do Tráfego: Sistema de Identificação Automático (AIS),
Circuito Fechado de TV (CCTV), Radar, Rastreamento em tempo real, Informação
de Posicionamento por Rádio VHF, Visual
Tipo de Serviço VTS: INS
Disponibilidade dos Serviços Aliados: totalmente disponíveis

Serviços Oferecidos
Serviço de Informação (INS)
Relatórios de Situação (SITREP) são transmitidos em português e inglês, mediante
solicitação. Pedidos de relatórios individuais deverão ser solicitados ao Centro VTS
Açu pelo canal VHF 10.
Horário do SITREP: apenas mediante requisição
Conteúdo do SITREP:
1. Informações relevantes para realizar uma passagem segura na área VTS.
2. Situação geral do canal e do tráfego (tempo, casualidades, batimetrias, dragagem
e avisos aos navegantes)
3. Assistência à incidentes de navegação.
4. Detalhes dos berços e calados máximos.
5. Solicitações de brigada de incêndio, polícia ou ambulância. Língua: português ou
inglês, mediante demanda.

Fundeadouros
Área de fundeio nº 1 - para plataformas e navios “FPSO” do T2:
1 - 21° 50,750' S 040° 57,810' W
2 - 21° 50,750' S 040° 55,700' W
3 - 21° 52,250' S 040° 55,700' W
4 - 21° 52,250' S 040° 57,810' W

Área de fundeio nº 2 - para navios “SUPPLY” do T2:


1 - 21° 52,250' S 040° 57,810' W
2 - 21° 52,250' S 040° 55,700' W
3 - 21° 53,750' S 040° 55,700' W
4 - 21° 53,750' S 040° 57,810' W

Área de fundeio nº 3 - para navios do terminal “T-MULT” do T2:


1 - 21° 50,750' S 040° 55,700' W
2 - 21° 50,750' S 040° 53,530' W
3 - 21° 53,750' S 040° 53,530' W
4 - 21° 53,750' S 040° 55,700' W

Área de fundeio nº 4 - para navios tanques do terminal “TECMA” do T2:


1 - 21° 54,123' S 040° 55,700' W
2 - 21° 54,123' S 040° 53,530' W
3 - 21° 55,623' S 040° 53,530' W
4 - 21° 55,623' S 040° 55,700' W

Área de fundeio nº 5 - para navios LNG do T2:


1 - 21° 54,123' S 040° 49,619' W
2 - 21° 54,123' S 040° 47,488' W
3 - 21° 55,623' S 040° 47,488' W
4 - 21° 55,623' S 040° 49,619' W
Área de fundeio nº 6 - para navios em lastro (até “CAPESIZE”) do terminal T-ORE
do T1:
1 - 21° 43,506' S 040° 57,069' W
2 - 21° 44,070' S 040° 55,011' W
3 - 21° 46,943' S 040° 55,906' W
4 - 21° 46,371' S 040° 57,973' W

Área de fundeio nº 7 - para navios petroleiros (até “SUEZMAX”) do terminal T-OIL


do T1:
1 - 21° 44,634' S 040° 52,970' W
2 - 21° 45,199' S 040° 50,905' W
3 - 21° 48,075' S 040° 51,817' W
4 - 21° 47,506' S 040° 53,875' W

Área de fundeio nº 8 - para navios em quarentena ou aguardando liberação da


ANVISA do T1/T2:
1 - 21° 45,032' S 040° 49,241' W
2 - 21° 45,437' S 040° 47,689' W
3 - 21° 47,373' S 040° 48,256' W
4 - 21° 46,974' S 040° 49,822' W

Área de fundeio nº 9 - para situações emergência e/ou grandes reparos do T1/T2:


1 - 21° 47,234' S 040° 49,883' W
2 - 21° 47,640' S 040° 48,330' W
3 - 21° 49,574' S 040° 48,896' W
4 - 21° 49,165' S 040° 50,461' W

Área de fundeio nº 10 - para navios petroleiros (até “VLCC”) do terminal T-OIL do


T1:
1 - 21° 47,810' S 040° 46,530' W
2 - 21° 47,810' S 040° 44,219' W
3 - 21° 49,810' S 040° 44,219' W
4 - 21° 49,810' S 040° 46,530' W

Área de fundeio nº 11 - para navios do terminal T2:


(centro dos círculo)
1 - 21° 52,960' S 041° 00,322' W
Autoridade responsável
Prumo Logística Global S.A. por meio do Centro VTS Açu.
VHF CH 10 e 16.
Tel: +55 22 2133 1100 R:1223 or 1232
e-mail: acu.vts@prumologistica.com.br / ccotm@prumologistica.com.br
Endereço: Fazenda Saco Dantas, S/Nº - Porto do Açu - São João da Barra/RJ -
Brazil CEP 28200-000

Para mais informações sobre regulamentações, recomenda-se a consulta do


Regulamento Portuário e das Normas da Autoridade Marítima.