Vous êtes sur la page 1sur 4

1- Cite cinco características gerais dos fitovírus.

• Parasitas obrigatórios.
Presença de um só tipo de ácido nucléico, RNA ou DNA, em cadeia simples ou dupla.
Incapacidade de crescer e se dividir autonomamente.
Dependem da célula hospedeira para replicação.
Dependem da célula hospedeira para executar funções vitais.
Replicação somente a partir de seu próprio material genético.
Ausência de informação para produção de enzimas do ciclo energético.
Ausência de informação para síntese de RNA de transferência e ribossômico.
2- Cite as etapas da infecção viral do fitovirus
penetração, liberação do ácido nucléico (desnudamento), biossíntese dos componentes virais (replicação
bioquímica), montagem e maturação e, liberação.
3- Comente os tipos de transmissão dos vírus de plantas
Transmissão mecânica É de pouca importância no campo, mas muito importante
para a experimentação
Transmissão por insetos
Os insetos têm muita importância como transmissores de vírus, sendo encontrados na
Ordem Homoptera (afídeos, cigarrinhas e moscas brancas) e nos Coleopteros e tripes.
Transmissão por fungos
Olpidium brassicae, que causa podridão de raízes de diversas plantas, transmite o vírus
da necrose do fumo, da alface, do pepino e o vírus do nanismo do fumo.
Transmissão por nematóides
Pouco mais de 10 vírus de plantas são transmitidos por nematóides ectoparasitas
pertencentes aos gêneros Xiphinema, Longidorus e Trichodorus.
Transmissão por ácaros
Vários ácaros pertencentes às famílias Eriophyidae e Tetranychidae são
reconhecidamente vetores de vírus vegetais.
Transmissão por sementes
Cerca de 20% dos vírus de plantas conhecidos são transmitidos por sementes
Transmissão por órgãos de propagação vegetativa
Qualquer tipo de propagação vegetativa, que envolva o uso de borbulhas (enxertia),
bulbos, tubérculos, rizomas, estacas e etc., serve para transmitir vírus de plantas
matrizes infectadas para sua progênie.
Transmissão por grãos de pólen
Os grãos de pólen produzidos em plantas sistemicamente infectadas por vírus podem
transmiti-los através do processo de polinização cruzada, para sementes produzidas em
plantas sadias.
Transmissão por plantas parasitas superiores
Os vírus podem ser transmitidos entre plantas distintas ou pertencentes a famílias
completamente distintas através de parasitas como Cuscuta spp.
4- De acordo com alimentação, como os fitonematóides se dividem? Cite, descreva e
exemplifique.

•Endoparasitas sedentários: São os que penetram no sistema radicular e não


retornam ao solo, pois uma vez no interior das raízes, desenvolvem-se
desproporcionalmente em largura e não podem se locomover. Ex.: Meloidogyne e
Heterodera, em várias culturas.
Endoparasitas migradores: São os que penetram nas raízes, locomovem-se,
alimentam-se, e quando a raiz entra em decomposição, voltam ao solo para colonizar
outra raiz. Ex.: Rhadopholus similis na bananeira e Pratylenchus no milho.
Ectoparasitas: São aqueles que não penetram no sistema radicular, apenas
introduzem o estilete através do qual se alimentam das células do tecido meristemático.
Ex.: Xiphinema no café e batata, Scutellonema no inhame, Criconemoides no milho,
amendoim e fumo.
5- Descreva os diferentes modos de ação dos fitonematóides sobre as plantas
hospedeiras.
• Traumática: provocada pelas injúrias mecânicas decorrentes do movimento do
nematóide no tecido da planta. É causada principalmente pelos endoparasitas
migradores.
Espoliadora: provocada pelo desvio de nutrientes essenciais da planta para o
nematóide.
Tóxica: provocada por toxinas ou enzimas secretadas pelo nematóide e que são
prejudiciais à planta. Estas substâncias são produzidas pelas glândulas esofagianas ou
salivares.
6- Cite cinco sintomas no campo e sete sintomas nas plantas ocasionados por
fitonematoides.
Sintomas no campo
- Tamanho desigual das plantas
- Murcha nas horas mais quentes do dia
- Folhas e frutos de menor tamanho
- Declínio vagaroso
- Nanismo ou entouceramento
- Exibição exagerada de deficiências nutricionais
- Redução de produção.
Sintomas nas plantas
- Sistema radicular denso, com formação excessiva de raízes laterais ou sistema
radicular deficiente e pobre
- Galhas nas raízes, tubérculos, bulbos, ou qualquer outra parte da planta em contato
com o solo
- Raízes em formas de dedos
- Descolamento e quebra do córtex radicular
- Rachaduras nas raízes
- Paralisação do crescimento, raízes amputadas, ou morte das pontas das raízes
- Necroses em órgãos aéreos e subterrâneos
- Manchas escuras em folhas
- Podridões
- Formação de sementes anormais
- Anel vermelho
- Formação de células gigantes, hiperplasia e hipertrofia (sintomas histológicos).
7- Descreva os métodos de controle de fitonematoides.
Métodos Culturais
- Rotação de culturas
- Inundação de pequenas áreas
- Operações culturais como aração e gradagem
- Incorporação de matéria orgânica
- Época de plantio e colheita
- Variedades resistentes.

Métodos Biológicos
Controle de nematóides com organismos predadores, como outros nematóides,
bactérias, fungos, vírus e protozoários. Na prática, apenas alguns fungos têm
evidenciado resultados experimentais favoráveis. Ex.: Dactylella oviparasitica como
parasita de ovos de Meloidogyne sp.
Métodos Físicos Esterilização do solo através de calor úmido e de partes da planta pela
água aquecida.
Métodos Químicos Uso de nematicidas que podem ser fumigantes ou sistêmicos.
8- Defina formae specialis (f.sp.) espécie e raça.
características morfológicas e outras fenotípicas em comum e constituem a espécie do patógeno, como
Fusarium oxysporum, agente de murchas em vários hospedeiros.
Alguns indivíduos desta espécie, entretanto, atacam somente certas espécies botânicas, constituindo
grupos chamados formas especiais (formae specialis, abreviatura: f.sp.) ou variedades (abreviatura: var.).
organismos que atacam um mesmo conjunto de variedades constituem uma raça.
9- Defina ciclo das relações patógeno-hospedeiro, doenças monocíclica, doença
policíclica, inoculo e fonte de inoculo.
Ciclo primário(monocíclica) - É aquele que tem início a partir de estruturas de
sobrevivência do microrganismo ou a partir da fase saprofítica no solo. Caracteriza-se
por apresentar:
Pequeno número de plantas infectadas;
Pequeno número de lesões por planta;
Baixo índice de infecção.
Ciclo secundário (policíclica)- É aquele que sucede o ciclo primário e se desenvolve
a partir do inóculo nele produzido, sem a interposição de uma fase de repouso ou
dormência entre eles. Caracteriza-se por apresentar:
Grande número de plantas infectadas;
Grande número de lesões por planta;
Alto índice de infecção.

• Inóculo: é qualquer propágulo ou estrutura do patógeno capaz de causar infecção.


Ex: esporos e micélio de fungos, células de bactérias ou protozoários, partículas
de vírus ou viróides, ovos ou larvas de nematóides, etc.
Fonte de inóculo: é o local onde o inóculo é produzido. Ex: plantas doentes, restos
de cultura, solo infestado, etc.
10- A disseminação é a transferência do patógeno da fonte de inoculo para os locais mais
diversos. Diante desta informação, cite e comente os tipos de disseminação dos
fitopatógenos.
Disseminação ativa
Aquela realizada com os próprios recursos do patógeno (Ex.: zoosporos de fungos,
células de bactérias com flagelos e larvas de nematóides.). É restrita e limitada a uma área
muito pequena em torno da fonte de inóculo.
Disseminação passiva
O inóculo do patógeno é transportado com o auxílio de agentes de disseminação. é muito
mais importante que a ativa.
Disseminação passiva direta: aquela realizada conjuntamente com os órgãos de propagação dos
hospedeiros.
Disseminação passiva indireta: realizada por diferentes agentes de disseminação como o vento
11- Cite os mecanismos de ataque do fitopatógeno e os mecanismos de defesa do
hospedeiro.
Os mecanismos de ataque do patógeno envolvem, principalmente, ação química (Dentre os inúmeros
mecanismos existentes, os mais conhecidos e importantes são toxinas, enzimas e hormônios.) ou
mecânica.
Os mecanismos de defesa do hospedeiro podem ser divididos em estruturais e bioquímicos, pré-
existentes e induzidos.
12- Cite, comente e exemplifique os princípios de controle de whetzel(1929). Pag 103
exclusão - prevenção da entrada de um patógeno numa área ainda não infestada; ex: interfere na fase de
disseminação.
erradicação - eliminação do patógeno de uma área em que foi introduzido; ex: na fonte de inóculo e na
sobrevivência
proteção - interposição de uma barreira protetora entre as partes suscetíveis da planta e o inóculo do
patógeno, antes de ocorrer a deposição; ex: na inoculação e na germinação.
imunização - desenvolvimento de plantas resistentes ou imunes ou, ainda, desenvolvimento, por meios
naturais ou artificiais, de uma população de plantas imunes ou altamente resistentes, em uma área
infestada com o patógeno. Ex: na penetração e colonização
Com o tempo, a esses princípios foi acrescentado o da terapia, que visa restabelecer a sanidade de uma
planta com a qual o patógeno já estabelecera uma íntima relação parasítica. Ex : na colonização e na
reprodução.
13- Que princípios fundamentam o controle cultural e cite cinco praticas culturais que
podem ser utilizadas no manejo de doenças de plantas.
Controle é premissa básica dos princípios de Whetzel. Visam interromper ou desacelerar, integradamente,
o ciclo das relações patógeno-hospedeiro, interferindo no triângulo da doença.

Embora controle de doença seja uma terminologia bem estabelecida e


amplamente compreendida, Apple (1977) afirmou que há base lógica convincente
para substituí-la por manejo de doença, pois, dentre outras razões:
Controle implica num grau impossível de dominância pelo homem;
Controle leva a uma visão falha do sistema de controle quando a doença volta ao
nível de dano;
Controle leva ao esquecimento que as medidas são aplicadas para reduzir o dano e não
para destruir os organismos causais;

• Manejo conduz ao conceito de que doenças são componentes inerentes do


agroecossistema;
Manejo baseia-se no princípio de manter o dano ou o prejuízo abaixo do nível
econômico, sugerindo a necessidade de contínuo ajuste do sistema;
Manejo, baseado no conceito de limiar econômico, enfatiza a minimização do dano,
estando menos sujeito a mal-entendidos.

14- Comente sobre os métodos diretos de avaliação de doenças.


Entre os métodos diretos de avaliação de doenças encontram-se as estimativas da
incidência e da severidade, e as técnicas de sensoriamento remoto, utilizadas na
quantificação de doenças em áreas extensas.
estimativas da incidência e da severidade : escalas descritivas, de escalas diagramáticas
e de imagens de vídeo por computador.

15- Epidemiologicamente falando, como quantificamos a severidade de manchas foliares?


Cite os métodos utilizados para isso.
Pagina 94
16- Que tipos de alterações no material genético dos fitopatógenos demonstram que
ocorreu mutação genética?
São alterações que ocorrem no material genético do patógeno, exatamente nas bases
púricas ou pirimídicas do DNA ou RNA (Fig. 1). Podem ser espontâneas ou induzidas
por fungicidas, antibióticos, raios ultravioleta, etc.

Centres d'intérêt liés