Vous êtes sur la page 1sur 29

jclemente , 16/01/2019, 12:57:29

2019
RADIOPERADOR DE
EMERGÊNCIA

SEFAZ-MS
14/01/2019
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Rádio Operador de Emergência

“O rádio é o mais versátil meio de comunicação desenvolvido pelo homem em situações


normais ou emergências. O RÁDIO AINDA É IMBATÍVEL”.

Diney

Manuais de instruções são


excelentes ferramentas para
aplicação no campo da escrita
técnica. Um bom manual de
instruções dirá ao nosso
colaborador que está em fase
de socialização tudo que ele
precisa fazer para ser capaz
de dar sequência a uma
determinada tarefa de maneira
eficiente e com segurança.

2
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

SUMÁRIO
1 APRESENTAÇÃO PESSOAL ............................................................................................................... 4
2 ORIENTAÇÕES GERAIS .......................................................................................................... 4
2.1 Procedimentos adequados na Comunicação ............................................................................... 4
2.2 Código Q ..................................................................................................................................... 11
2.3 Cuidados com as ferramentas de trabalho ................................................................................ 20
2.4 PDR – Plano Diretor de rede (Central de Controle) ................................................................... 22
2.4.1 Rede dirigida.................................................................................................................. 23
2.4.2 Rede livre....................................................................................................................... 28

3
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

1 APRESENTAÇÃO PESSOAL
Olá pessoal, tudo bem?

Meu nome é Sgt PM Clemente e tenho o grande prazer de


iniciar com os senhores uma instrução de comunicação de
emergência via rádio.
Sou formado em administração pela UFMS, possuo Pós-
graduação em Gestão de Pessoas e Pós-graduação em
Metodologia e Gestão do Ensino a Distância, ambos pela
universidade Anhanguera-MS.
“O conhecimento e a informação são os recursos estratégicos para
o desenvolvimento de qualquer país. Os portadores desses
recursos são pessoas.”
(Peter Drucker)

2 ORIENTAÇÕES GERAIS

2.1 Procedimentos adequados na Comunicação


Se o senhor pretende melhorar as habilidades e
competências em qualquer atividade, então, "pratique,
pratique, pratique".
A mesma situação é com as habilidades das comunicações
de emergência. Se desejar que o seu desempenho na próxima
grande ocorrência seja impecável, a prática será essencial.
Felizmente, o senhor está tendo uma oportunidade de
acrescentar um pouco mais de teoria no “HD” e depois praticá-
la no rádio, se o senhor despender um tempo para dedicação,
com certeza não será um profissional mediano.
Utilizar o rádio não é como falar ao telefone, é um diálogo
em duas vias, mas que não transitam concomitantemente, ou
seja, você não pode falar e ouvir ao mesmo tempo terá que
falar e aguardar o retorno.
Nunca se apresente a rede sem identificação completa,
veja:
Exemplo recomendado

4
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Exemplo NÃO recomendado

O texto da mensagem deve ser de fácil entendimento para


aquele que irá receber, dispense o eruditíssimo (Cuidado
excessivo em demonstrar conhecimento ou cultura).
Seja direto na mensagem, evite rodeios, introduções ou
prefácios.
Sem prejuízo da clareza a mensagem deve ser curta,
evitando o máximo possível palavras que não somam nada a
mensagem, tais como “...nobre amigo, companheiro...””...um
bom serviço pra todos nós que o Senhor nos proteja”. É bom
ouvir que o Senhor nos proteja, mas use nos meios sociais, no
rádio esta comunicação é inadequada.
Nunca interrompa outras pessoas falando, com calma
aguarde o encerramento da comunicação, salvo se for uma
emergência, e que seja declarada prioridade no canal, assim o
comunicante terá exclusividade.
Ouvir é pelo menos 50% da comunicação1. Concentre-se
em sua tarefa, evite distrações.
Nunca pense em voz alta. Se for necessário o senhor
pensar durante uma transmissão, diga "aguarde" ou "QRX" em
seguida solte o PTT enquanto pensa. Raciocine, planeje e
transmita novamente.
Transmita apenas os fatos descritos, caso ocorra de ter
uma “suposição, revelação, intuição” (fruto da experiência),
deixe claro aos membros da rede que é apenas
especulação e NÃO um fato. O senhor não deve alterar
qualquer mensagem quando lidar com ela.

2016, IARU Emergency Telecommunications Guide, Pág. 18.


1

5
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Saiba que é seu dever utilizar o rádio com altíssima


responsabilidade no rigoroso cumprimento de suas atribuições.
Se agir de forma negligente e imprudente poderá por em risco
a operacionalidade do seu canal ocasionando consequências
graves.
Utilize o rádio apenas para ato ligado a missão.
Respeite os procedimentos e as prioridades.
Para chamar uma estação, primeiro pense bem antes, ou
seja, o que eu vou falar, eu estou seguro. Na sequência escute
para se assegurar que o canal está livre, então pressione o
botão PTT (Push-to-Talk), e conte mentalmente até 02(dois),
então prossiga com a mensagem. O motivo de contar até 02
(dois) é devido à necessidade de “preparação de onda” para
que esta seja a portadora da mensagem. Inexistindo este
tempo a mensagem sairá cortada, ou seja, caso ocorra o
acionamento da Viatura prefixo 10-1435, a equipe que está
alocada nesta, irá ouvir “...435”.
Responda aos chamados na rede somente quando tiver a
certeza absoluta que você seja o solicitado, evite a solicitude.
Sabendo disto o senhor deverá disciplinar os solícitos da rede
(faça por telefone) operadores da rede que entram no canal
com perguntas como: “O que está acontecendo? Como está a
situação, na cena do desastre? Posso ser útil? Estas
comunicações extras não ajudam. Oriente os operadores que
o PDR ou o Supervisor não hesitará em pedir apoio, pois se o
operador está credenciado na rede supõe a disponibilidade para
qualquer operação.
Não transmita informações confidenciais através do rádio,
nunca se sabe se existem pessoas mal intencionadas copiando
a rede.
Nunca discuta com alguém na rede rádio, situações do
serviço devem ser resolvidas discretamente, de preferência
pessoalmente, ou via telefone.
Transmita com voz normal nem muito fraca nem muito
forte, e lembre-se, falar com alta intensidade de voz não vai
6
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

aumentar o alcance de sua transmissão, pelo contrário irá


ocasionar modulação excessiva e distorção. Seja o mais calmo
possível. A tensão na transmissão tende a fazer com que a voz
aumente o nível de intensidade, assim boa parte dos membros
da rede irão perceber esta mudança. Quando o senhor utiliza
um tom de voz calma os ouvintes tenderão a manter a mesma
calma.
Quando identificar um “gato na linha”, ou seja,
interferência proposital de estação de rádio ilegal não entre na
“pilha” deles assumindo uma briga, use de tato, para isolar e
deslocar esses perturbadores, ignorando sua presença, quanto
menos receberem atenção, mais rápido desistirão de molestar.
Contate os meios necessários para que o causador seja
identificado e o problema resolvido.
Transmita somente o necessário, de forma eficiente, clara
e precisa; profissionais não usam rádio para assuntos alheios a
finalidade operacional. Brincadeiras e piadinhas são assuntos
amadores.
Independente da descarga de adrenalina no sangue, em
uma situação crítica mantenha a calma e fale de maneira clara
e pausada. A excitação é perceptível pelo receptor e torna
explicita a sua emoção. Coração não combina com profissão.
Respire fundo, oxigene o cérebro e faça o que o senhor sabe
fazer.
Tenha real certeza que o senhor tem condições de operar
com estresse físico e mental por longos períodos. Informações,
exigências, ordens chegarão de todas as direções ao mesmo
tempo. As decisões sob pressão serão rotineiras.
Se o senhor tem uma perda auditiva que torna difícil o
entendimento do que é transmitido, então PDR de uma rede de
voz não é uma função indicada.
Evite o máximo carregar as palavras de emoção forte.
Estamos lidando com ocorrências de emergência e estas já são
por natureza emocionalmente carregadas e o senhor não
precisa potencializar a situação:
7
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Exemplo recomendado.

Exemplo NÃO recomendado.

Falar depressa NÃO é sinônimo de eficiência, ser eficiente


é ser conciso e claro no que é comunicado.
Ao transmitir numerais utilize algarismos fonéticos, evite
qualquer margem para equívocos.
A transmissão em outra frequência diversa da
recomendada deve ser devidamente autorizada.
Nunca use apelidos, preferencialmente chame o prefixo da
viatura ou base operacional e NÃO o operador, somente em
casos excepcionais chame pelo nome do operador.
Exemplo recomendado:

Exemplo NÃO recomendado.

Nunca utilize gírias, evite dar opiniões pessoais.


NÃO deixe chamados sem resposta, diga PROSSIGA ou
QRZ (Fale quem chamou), NÃO deixe comunicações sem
retorno diga QSL. Isto evita a pessoa ocupar a rede rádio para
confirmar se foi compreendido. Um desperdício de
comunicação. Vale lembrar que qualquer comunicação chama a
atenção dos ouvintes, desta forma um rádio operador
“devagar” logo será conhecido. Então demonstre confiança e

8
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

autoridade e sempre se policiando para que não tenha atitudes


fracas e indecisas.
NÃO prossiga em uma comunicação com dúvidas, pedir
confirmação da mensagem não é vergonhoso, errar por
incompreensão é até explicável, mas não justifica.
Use a verbalização AFIRMATIVO (em vez de SIM) e
NEGATIVO (em vez de NÃO).
Anote comunicados importantes, não confie apenas em
sua memória. Cerque-se de papel e canetas.
Trabalhe em equipe com os demais PDR. Evite invadir a
seara alheia. Atente a sua função. Equipe e integração são
diferentes de intromissão.
Jamais forneça telefones ou endereços de colegas via rede
rádio. Utilize o telefone fixo ou móvel.
Seja preciso e claro o máximo possível, e evite usar frases
longas, estranhas e complicadas. Não use abreviações ou frases
feitas e principalmente as chamadas gírias, exemplo –
Proooooooooossigaaaaaa irmão!!!!, OKAPAAA!!! QSL
DOBRADO!!! Prossiga Antigo!!! Vem de novo Nobre Colega!!!.
Vou exemplificar exemplos de uma comunicação precisa e com
clareza e as suas INDESEJADAS disfunções:
Exemplo recomendado.

9
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Exemplo NÃO recomendado.

Observou a disfunção nesta comunicação NÃO


recomendada? Quando sua comunicação como PDR é fora dos
padrões as consequentes respostas tendem a serem também
fora de padrões.
Se necessário, divida as mensagens longas, pois serão
melhores compreendidas2.

2
2012, MARTIN. Manual do Operador de Rádio, p.6.
10
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Quando o posto com quem pretende comunicar não


responder, volte a repeti-la passados (+/-)10 segundos.
Após a emissão de três tentativas sem resposta, siga os
seguintes conselhos:
 Se a equipe chamada tiver histórico desfavorável de
ignorar o chamado da central, comunique
imediatamente o superior.
 Se a equipe possui histórico exemplar de
prontidão/escuta então faça uma ligação para
qualquer integrante da equipe para saber se está
ocorrendo algo de anormal.
Não discipline EQUIPES utilizando a rede rádio, utilize os
caminhos legais.

2.2 Código Q
Desenvolvido no início do século XX, o código internacional
“Q” tinha o propósito de facilitar as comunicações entre os
navios britânicos e suas partes relacionadas. Com o tempo, o
código passou a ser utilizado como padrão entre comunicações
de rádio em todo o mundo. Todavia, trata-se de um “dicionário”
extenso que deve ser dominado por qualquer operador de
rádio, civil ou militar3.
Como poucos sabem o código “Q” não tem caráter
sigiloso.
Confira a lista completa do código internacional “Q”:
Código Forma interrogativa Forma afirmativa
QAP Está na escuta? Estou na escuta
Qual o nome
QRA O meu nome é …
operador?
Está sofrendo Estou sofrendo
QRM
interferência? interferência
QRU Tem algo para mim? Tenho mensagem para ...
Quando você chamará O próximo horário para
QRX
novamente? comunicação será ...

3
2016, http://www.defesa.org/codigo-q-muito-mais-que-qsl-e-qap

11
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Quem está me
QRZ Quem chama é (...)
chamando?
QSL Ciente da mensagem? Ciente, entendido
Posso comunicar-me
Comunique-se diretamente
QSO diretamente com
com (prefixo).
(prefixo)?
Devo anular
QTA Anule mensagem.
mensagem?
Quantos recados para Tenho … recado transmitir
QTC
transmitir? (ou para …).
Qual é a sua
QTH Minha localização é ...
localização?
QTR Qual é a hora certa? A hora certa é … horas.

Bom, talvez o senhor tenha achado um pouco complexo a


descrição acima elencada, assim irei exemplificar de forma
sucinta o que mais ocorre e seus significados, observe:

QSL- entendido.
QAP- na escuta.
QRA- nome.
QTA- cancelar mensagem.
QRX- espere.
QSO- conversa; contato entre operadores.
QTC- mensagem prioritária; mensagem.
QTH- local; endereço.
QTR- hora exata.
QRN- interferência.
QRM- interferência humana.
QRZ- fale quem chamou.
QSJ- dinheiro.
TKS- obrigado (em inglês, tanks)
Além do famoso RPT- repita.

Existem também as convenções, ou seja, aquilo que


costumamos ouvir “ficou convencionado que usaríamos isto ou

12
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

aquilo”, então segue abaixo algumas informações


convencionadas4:

Convenções Significados
5-6 (cinco meia) Almoço, jantar, lanche

Alívio Advogado

Macaco preto Telefone (fixo ou celular)

QTH sossego Residência

Copiar Ouvir e entendeu?

U = Uniforme Urgente

UU = Uniforme
Urgente urgentíssimo
dobrado

Linha de 500
(linha de Ligação telefônica
quinhentos)

Cristal Esposa

Carvão Marido

Diagonal Barra ( / )

Victor golf Vírgula

Papa tango Ponto

Papa tango
Dois pontos
dobrado

2012, Manual de Telecomunicações – PCMS.


4

13
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Papa tango final Fim do texto

TKS Obrigado

Vem de novo Repita a mensagem

Vem na fonética Diga letra por letra no AFI

Papa lima local Veículos do Estado

Papa lima
Veículos de outros Estados
nacional

Mensagem simultânea a todas as


Caráter geral Unidades, todas as viaturas e
HTHT.

Modular Falar ao rádio

Sierra alfa Sem alteração – nada consta

É uma oportunidade para o outro


Câmbio
interlocutor modular

Câmbio final Fim da mensagem

51 (bebida alcoólica, alcoolizado,


Quinto primo
bêbado).

7-6 (Sete meia) Auxilio a comunidade

TAT Rancho

PB Posto Base

Aguarde Espere, mantenha-se na escuta

14
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Câmbio Terminei

Ciente Recebi sua mensagem

Não, não está correto, não está


Negativo
autorizado

Positivo Sim, autorizado, afirmativo

Emergência, preciso transmitir


Prioridade
com urgência

Prossiga Adiante com a sua mensagem

Repetindo Vou repetir toda a mensagem

Vou soletrar a palavra seguinte


Soletrando
no alfabeto fonético

De um espaço (uso no
Separa
soletrando)

Terminado Acabado, fim

O “Código fonético Internacional, também conhecido como


“Alfabeto Fonético Internacional” é utilizado nas comunicações
civis ou militares, via telefone ou radiofonia, a fim de evitar-se
que palavras transmitidas sejam mal interpretadas, motivo pelo
qual as mesmas são soletradas. Exemplo: Rio Sapucaí = vou
soletrar: Sierra-Alfa-Papa-Uniforme-Charlie-Alfa-Indian5.

O uso do CFI evita a confusão de palavras, ou seja, que o


operador entenda errado. Veja os exemplos:

Exemplo 1

5
2016, http://senhoraseguranca.com.br/wp-content/uploads/2012/03/c%C3%B3digo-Q1.pdf
15
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Exemplo 2

Para iniciar o SOLETRAMENTO ou o usadíssimo VEM NA


FONÉTICA, enuncie a palavra “SOLETRANDO” ou “VOU NA
FONÉTICA” antes da sequência que será transmitida. A
separação de frases se fará com a palavra convencional
“SEPARA”, o uso da palavra convencional “PONTO” para indicar
pontuação e o uso da palavra convencional “TERMINADO” para
indicar que o soletramento encerrou.
16
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Imagine a transmissão da mensagem na rede rádio do


extravio de uma pistola calibre .40 marca colts PT. F.A MEG.CO.
HARTFORD. CONN.U.S.A

O lado bom é que nenhuma palavra será omitida, mas o


tempo gasto para transmitir a mensagem acaba sendo maior
que a transmissão direta em sua forma original, desta forma
recomenda-se que evite utilizar indiscriminadamente o alfabeto
fonético, pois apenas poderá congestionar a rede, então seja
prudente, use se realmente necessitar. É inexplicável um rádio
operador prosseguir na fonética para transmitir “IBGE, INSS,
INCRA, FUNASA, FUNAI...”

Conheça o CFI.

Letra Código ou Palavra-Chefe


A Alfa
B Bravo
C Charlie
D Delta
E Echo
F Fox-Trot
G Golf
17
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

H Hotel
I Índia
J Juliete
K Kilo
L Lima
M Mike
N November
O Oscar
P Papa
Q Quebec
R Roma
S Sierra
T Tango
U Uniform
V Victor
W Whiskey
X X-Ray
Y Yankee
Z Zulu

No caso de transmissão de números, observe como


proceder com os algarismos fonéticos:
Número Algarismos Pronúncia
0 Zero Ze-ro
1 Uno U-no
2 Dois Do-is
3 Três Tre-is
4 Quatro Qua-tro
5 Cinco Cin-co
6 Seis Meia-
dúzia/Meia
7 Sete Se-te
8 Oito Oi-to
9 Nove No-ve

18
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Recomendo6 seguir a pronúncia, ou seja, o número 10


(dez) deverá ser enunciado como ”uno, zero” o número 43
(quarenta e três) como “quatro, três” e finalizando o número
16 (dezesseis) como “uno, meia”.
Nunca deixe de fora os sinais de pontuação, pois eles
devem ser pronunciados também, ou seja, na transmissão do
numeral 2041.6, a divulgação será “dois, zero, quatro, uno,
PONTO, meia”.
Caso o numeral tenha dígitos semelhantes, como é o caso
de 2001.6, use as palavras “DUPLO e TRIPLO” sendo assim
“dois, DUPLO zero, uno, PONTO, meia”.
Talvez o senhor tenha pensado, mas e quando ocorrer
sequências superiores a 3 (três)?. Bom, nesta situação deverá
ser empregada a combinação dessas palavras entre si (duplo-
triplo, triplo-triplo) ou se preferir o nome do próprio algarismo
seguido da palavra “TRIPLO”, vou exemplificar para facilitar:
- 12222 “uno, dois, TRIPLO dois”. Aqui utilizamos 4
(quatro) algarismos semelhantes e sucessivos devendo ser
enunciado o nome do próprio algarismos, seguido da palavra
“TRIPLO” mais o nome desse mesmo algarismo.
- 166666 “uno, DUPLO meia, TRIPLO meia”. Aqui
utilizamos 5 (cinco) algarismos semelhantes e sucessivos
devendo ser usados a combinação de palavras “DUPLO e
TRIPLO”.
CUIDADO, expressões como “tudo”, “trinca”, “duque” e
outras fora das recomendadas, devem ser evitadas.
Atenção, os usadíssimos “NEGATIVO, PRIMEIRO,
SEGUNDO, TERCEIRO, QUARTO, QUINTO, SEXTO, SÉTIMO,
OITAVO e NONO devem ser evitados, pois gastam mais tempo
para transmitir a mensagem, além do NEGATIVO que pode
gerar confusão com a também expressão NEGATIVO de
“NÃO” “NÃO AUTORIZADO” “NÃO CONFIRMADO”.

1998, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Gabinete Militar, Departamento Estadual de


6

Telecomunicações (DETEL), Manual do Operador, pág. 10.


19
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

O senhor vai cometer erros. Reconhecendo-os vai ganhar


o respeito, mas não insista neles.

2.3 Cuidados com as ferramentas de trabalho


Ao assumir o serviço, primeiramente procure saber se os
equipamentos estão ligados e nos caso de HTHT se as baterias
estão carregadas. Mantenha o volume com intensidade
suficiente para ouvir qualquer chamada, faça regularmente
testes com outros canais para se certificar que tudo esteja
funcionando perfeitamente.
Leia o manual do seu equipamento rádio antes de ocorrer
uma emergência. Pergunte, consulte sobre as teclas e botões.
Não tenha medo de pedir ajuda/orientações ao seu mentor
(quem te ensina). O supervisor da(s) rede(s) deve entender o
suficiente para auxiliá-lo ou localizar alguém para te ajudar.
Isso faz parte das atribuições deles.
Não segure ou transporte o HT pela antena, muito menos
durante as transmissões. Evite choques físicos e acúmulo de
sujeira.
Procure manter (nos casos de headset) o microfone
próximo da boca (+/- 5 cm) e o fone de ouvido bem acoplado
no pavilhão da orelha.
Mantenha o microfone perto da sua bochecha
(obliquamente) retirando ele da trajetória do sopro da sua
boca, isto reduzirá em muito os ruídos da respiração e os
“estalos” que podem prejudicar a sua fala (o sensor irá captar
apenas som e terá menos impacto do sopro/respiração).
Uma estação de trabalho bem projetada e bem cuidada é
fundamental para o sucesso de qualquer missão. O senhor deve
ser capaz de escolher o equipamento adequado, obter o melhor
som de seu microfone, solucionar distúrbios no rádio, saber
manusear de forma eficiente e efetiva.
Aguarde a bateria do HT finalizar toda a carga antes de
colocar para carregar, isto evitará o efeito memória.

20
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Em comunicações deficientes, procure evitar os obstáculos


entre o HT e a Antena receptora. De preferências a lugares
altos, quanto maior a altura melhor a comunicação.
Procure ter baterias reservas carregadas ou equipamentos
de rádios substitutos. Recomendo que tenha 3 (três)baterias,
sendo uma no equipamento, outra carregada próxima do
operador e outra em carga lenta.
Comunique imediatamente a quem de direito a cerca das
panes que detectar no equipamento rádio/sistema.
No caso de dúvidas/deficiências do funcionamento da
transmissão faça testes com o(s) receptor(es) observando a
qualidade da recepção e pedindo feedback. Cuidado com o
usadíssimo 5/5, pois não EXISTE, é uma derivação errônea do
código RST do radioamadorismo.
Conheça o código RST:
R S T
Legibilidade Intensidade Tom
1- Apenas 1 - Nota muito
1- Ilegível
perceptível rouca
2 - Nota muito
2 - Apenas legível 2 - Muito fraco grave sem
musicalidade
3 - Idem
3 - Legível com
3 - Sinais fracos ligeiramente
dificuldade
musical
4 - Idem
4 - Legível 4 - Aceitável moderadamente
musical
5 - Perfeitamente
5 - Quase bom 5 - Nota musical
legível
6 - Nota modulada
6 - Bom
algo silbante
7 - Nota quase DC
7 - Pouco fortes
com algum zumbido
8 - Boa nota de DC
8 - Forte
com pouco zumbido
9 - Muito forte 9 - Nota de DC pura

21
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Recomendo o uso da escala de Clareza7.


ESCALA CLAREZA INTENSIDADE
1 Inintelegível ou sem clareza Muito Fraca
2 Claro com intermitência Fraca
3 Regular Regular
4 Claro Boa
5 Perfeitamente claro Ótima
O ideal e recomendável é que a informação sobre as
condições do sinal em princípio deve partir do posto que estiver
com dificuldade de recepção. Este irá informar o posto
transmissor à qualidade do sinal recebido. Isto deve ocorrer
com a combinação de dois algarismos relacionados à clareza e
a intensidade.
Exemplo: - “Central, sinal recebido TRÊS por DOIS”
indicando que o sinal está com a clareza regular mais a
intensidade é fraca.

2.4 PDR – Plano Diretor de rede (Central de Controle)8


O PDR tem o objetivo de manter a disciplina de tráfego e
também centralizar o controle da rede.
O rádio operador lotado em uma central tem hierarquia
funcional em relação aos demais postos, sendo ele o PDR terá
plena autoridade quanto ao controle técnico, seja no tocante à
operação da rede, seja na manutenção da disciplina de tráfego.

2018, Exército Brasileiro – Manual de radiotelefonia C-24-9, pág. 3-10


7

1995, Exército Brasileiro, Manual de Campanha, Exploração em Radiotelefonia C 24-9,


8

Pág. 3-2
22
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Quanto à organização, emprego tático ou deslocamento de


outros postos esta gerência se fará em acordo com a
supervisão de rede (se houver).
A rigorosa disciplina no funcionamento é essencial para a
eficiência das comunicações em qualquer rede-rádio.
A hierarquia funcional favorável e o poder de disciplinar a
rede rádio não te dará o direito de ofender subordinados pares
e superiores. Excessos serão apurados. Dizer NEGATIVO
Coronel é bem mais profissional que dizer EU JÁ FALEI QUE
NÃO CORONEL. Seja o máximo possível impessoal e tudo
ocorrerá bem.
O PDR pode ser “desenhado” com duas ramificações, são
elas a rede dirigida e a rede livre.

2.4.1 Rede dirigida


Na situação de rede dirigida os postos que participam do
conjunto (rede rádio) não podem comunicar livremente. A
comunicação é dirigida pelo PDR (Central de Controle). A
comunicação entre postos não ocorrerá sem anuência do PDR,
ou seja, com aprovação de pedido de QSO (Contato com
membros da rede).
O PDR é o operador da Central de operações legitimada,
que poderá ou não ter supervisor de rede.

2.4.1.1 Alerta de prioridade


No caso de pedido de PRIORIDADE por qualquer posto da
rede, adotar-se-ão as seguintes recomendações9:
 I - O PDR deverá interromper a transmissão em curso,
determinando o SILÊNCIO DA REDE (Canal);
 II - Diante da determinação do PDR, os demais postos da
rede (Canal) cessarão a conversação;
 III - Caso a rede (Canal) não silencie após o pedido de
prioridade, o PDR deverá interferir nas conversações,

2007, Polícia Militar do Estado de Minas Gerais – PMMG, Portaria nº 3933 de 21 de


9

junho de 2007.
23
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

ordenando o silêncio imediato para transmissão da


prioridade;
 IV - Após o silêncio da rede (Canal) a estação que pediu
prioridade transmitirá sua mensagem.

Nas Centrais de Operação compostas por uma rede


formada por diversos canais de frequência recomenda-se que
os outros operadores retransmitam a prioridade na sua
frequência e CONFIRME o recebimento da mensagem por todas
as viaturas disponíveis.
Exemplo 1: A Viatura T-44 da área Norte (Canal 1) está
em situação de prioridade, está socorrendo crianças de uma
creche que são vítimas de intoxicação por amônia, estão
deslocando ao Hospital que fica na área Sul. Sabe se que todos
os ouvintes do canal 1 estão ouvindo e acompanhando o
desenrolar da situação. Contudo, ao entrar na área Sul (Canal
2) a situação está calma, ninguém sabe de nada.
Exemplo 2: A Viatura T-44 da área Norte (Canal 1) está
em situação de prioridade, estão trocando tiro com 4 (quatro)
indivíduos armados em uma camionete Hillux que foge em
direção a área Sul da cidade. Sabe se que todos os ouvintes do
canal 1 estão ouvindo e acompanhando o desenrolar da
situação, inclusive deslocando em apoio. Contudo, ao entrar na
área Sul (Canal 2) a situação está calma, ninguém sabe de
nada, e com grande chance de serem atacados de surpresa.
Uma dificuldade encontrada em um alerta de prioridade é
que não se sabe se companheiros estão deslocando ao encontro
da prioridade ou se apenas estão inertes ouvindo, esta situação
deixa o PDR em situação desconfortável, já que ele necessita
do silêncio, seria incoerente as equipes ficarem utilizando o
canal para comunicar deslocamento em apoio se prioridade
obriga o silêncio. Recomenda-se neste caso bom senso.

24
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Costumo separar as prioridades em uma escala, usando


analogicamente a Tabela de Manchester10(utilizada em
hospitais) sendo composta por 4 (quatro) degraus relacionados
a cores, são eles:
Prioridade vermelha: Comunicação urgentíssima da
mensagem em salvaguarda da vida humana ou de bens, a
transmissão NÃO poderá esperar.
Prioridade laranja: Comunicação muito urgente de
mensagens diretamente relacionadas com a prioridade
vermelha, mas neste caso o tempo pode variar um pouco mais,
desde que não supere 10 (dez) minutos, desde o fato.
Prioridade amarela: Comunicação urgente de mensagem
indiretamente relacionada com a prioridade vermelha
(informações sobre o estado das vitimas envolvidas, paradeiro
dos autores) desde que não supere 50 (cinquenta) minutos,
desde o fato.
Prioridade verde: Comunicação pouco urgente de
mensagem indiretamente relacionada com a prioridade
vermelha (transporte das vítimas para outra unidade de saúde,
localização da arma dos autores) desde que não supere 120
(cento e vinte) minutos, desde o fato.
Costumo também separar as prioridades das chamadas,
pois mesmo em uma rede de emergência os comunicados
podem ocorrer ao mesmo tempo ou com poucos de segundos
de intervalo, assim caberá ao PDR organizar em uma escala,
cito as três:
Chamado vermelho: Pedido de prioridade oriundo de um
HT (rádio portátil). (Operador isolado ou em equipe escalado(s)
em missão vulnerável), exemplo, alunos em curso de formação
escalados em estágio prático (a pé).

O protocolo de Manchester consiste em um sistema de triagem baseado em cinco


10

cores: vermelho, laranja, amarelo, verde e azul, sendo vermelho representando os casos
de maior gravidade, e azul os casos de menor gravidade. Esse sistema já é empregado
mundialmente, sendo poucos hospitais ou clínicas que não aderiram a esse sistema.
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/enfermagem/protocolo-de-
manchester/49112 acesso em 10 de janeiro de 2019.
25
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Chamado amarelo: Pedido de prioridade oriundo de rádio


móvel. (Operador isolado ou em equipe escalado(s) em missão
vulnerável), exemplo, operadores solicitando apoio (alocados
em viaturas “carros ou motos”).
Chamado verde: Pedido de prioridade oriundo de rádio
fixo. (sala rádio, base, sede ...), exemplo, rádio operador de
base local, pedindo apoio (alocado em prédio, container ...).
ATENÇÃO não fique preso a protocolos e regras, eles
existem para dar uma direção, mas cada caso é um caso, use o
bom senso. Em um contexto de emergência, podem ocorrer
diversas situações simultâneas necessitando de rápida
avaliação para o discernimento da prioridade, Por exemplo:
durante uma inundação, surgem simultaneamente pedidos de
prioridade para salvamento de pessoa que está se afogando,
pedido de prioridade para resgate de pessoas ilhadas,
prioridade para transporte de feridos, etc. Neste caso o
operador irá (acredito) raciocinar que a pessoa afogando
merece atenção prioritária enquanto os outros serão atendidos
na sequência. Não se analisou neste caso se o pedido veio de
um HT ou se veio de uma viatura ou se veio de uma estação
fixa. O bom senso determinou a tomada de decisão. Situações
passadas demonstraram que somente os operadores calmos,
objetivos na análise e bom senso puderam solucionar situações
complexas de emergência e com muito sucesso nos resultados.

2.4.1.2 Alerta de chamada geral (caráter geral)


A Chamada geral é a denominação dada à comunicação
simultânea da Central com a rede ou canal, será realizada pelo
PDR (rádio operador).
Vale ressaltar que ela sempre originará da Central e
jamais das estações agregadas.
Observe o padrão a ser adotado:

26
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

Neste caso evitamos fazer o chamado das viaturas uma-a-


uma e não é obrigatória a resposta pelos membros da
rede/canal, exceto se a mensagem transmitida for fundamental
para a gestão do PDR que é o caso da viatura que será
empenhada como titular ou apoio desta ocorrência.
O ideal seria que todas as viaturas que entenderam a
mensagem sinalizassem um “ciente”:

Este tipo de alerta é pouco comum para os Bombeiros


Militares, mas também ocorre, exemplo, a divulgação na rede
do falecimento de um BM da reserva remunerada que estava
em tratamento médico.

2.4.1.3 Chamada em Broadcasting


Semelhante a anterior, com uma diferença apenas, sendo
ela que neste caso a comunicação é feita em mais de uma rede
ou canais simultaneamente. Não muito comuns em salas
rádios, ou centrais de pequeno porte, esta comunicação é mais
utilizada nas centrais de grande porte em que existe a
necessidade de um Supervisor de Rádio (despacho).
Como funciona na prática, é simples, o supervisor poderá
avocar para si a transmissão da mensagem em seguida irá
configurar seu equipamento para a transmissão coletiva,
cabendo aos PDR (rádio operadores) aguardarem atentos.
Desta forma todos os canais se cientificam da mensagem
independente de estarem perto da situação ou muito longe.
Observação, nesta situação EXTRAORDINÁRIA não leve
em conta a disciplina operacional que recomenda “aguardar” a
outra estação terminar de transmitir uma mensagem, antes de
27
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

iniciar a sua transmissão, pois a necessidade de transmitir não


pode estar vinculada a necessidade de aguardar “todo mundo”
parar de falar. Então neste caso poderá ocorrer da transmissão
sobrepor outra em curso.
Um fato interessante a se observar, existindo a
sobreposição da mensagem a estação que tiver transmitindo
não irá copiar a mensagem em Broadcasting, pois a tecla PTT
apertada não permite recepção, assim ratifico a necessidade de
repetir as mensagens transmitidas em Broadcasting.

2.4.1.4 Chamada em ponte


Não muito comum na rede, uma operação em ponte
ocorrerá quando o PDR não consegue se comunicar com um
membro específico da rede, outro membro qualquer da rede
percebe que a comunicação não está sendo completada e que
consegue perfeitamente ouvir as duas partes, este, se
voluntariará para fazer esta ligação retransmitindo as
mensagens até que se resolva a deficiência.

2.4.2 Rede livre


Na situação de rede livre os postos podem comunicar
entre si no canal autorizado. Esta situação é comum em
operações esporádicas ou de crise (Exemplo: comunicação
entre o oficial e os policiais integrantes de uma operação blitz).

Obrigado!!

Veja também:

28
[RADIOPERADOR DE EMERGÊNCIA] 14 de janeiro de 2019

29