Vous êtes sur la page 1sur 4

MA211 - Lista 01

Curvas Diferenciáveis
3 de agosto de 2015

1. ⋆ Calcule os limites.
( t √ )
e −1 1+t−1 3
a) lim , ,
t→0 t t t+1
( )
ln t
b) lim arctg t, e−2t ,
t→∞ t
2. Esboce o gráfico da curva cuja equação vetorial é dada. Indique com setas a
direção na qual o parâmetro cresce.
a) r(t) = (t, cos 2t, sen 2t)
b) r(t) = (1 + t, 3t, −t)
3. Mostre que a curva com equações paramétricas x = t cos t, y = t sen t, z = t
está no cone z 2 = x2 + y 2 e use esse fato para esboçar a curva.
4. Mostre que a curva com equações paramétricas x = sen t, y = cos t,
z = sen2 t é a curva de intersecção das superfı́cies z = x2 e x2 + y 2 = 1.
Use esse fato para esboçar a curva.
5. Trace a curva com equações paramétricas

x = 1 − 0, 25 cos2 10t cos t

y = 1 − 0, 25 cos2 10t sen t
z = 0, 5 cos 10t.
Explique a aparência da curva, mostrando que ela está em uma esfera.
6. Mostre que a curva com equações paramétricas x = t2 , y = 1 − 3t, z = 1 + t3
passa pelos pontos (1, 4, 0) e (9, −8, 28), mas não passa pelo ponto (4, 7, −6).
7.  Determine√
a função vetorial que representa a curva obtida pela intersecção
do cone z = x2 + y 2 com o plano z = 1 + y.
8. Determine o domı́nio da curva de equação vetorial
(√ )
t−2 −t
r(t) = , ln (5 − t ), e
2
.
t+1

9. Mostre que a função vetorial


( ) ( )
1 1 1 1 1
r(t) = (2i + 2j + k) + (cos t) √ i − √ j + (sen t) √ i + √ j + √ k
2 2 3 3 3
descreve o movimento de uma partı́cula no cı́rculo de raio 1 centrado no
ponto (2, 2, 1) e contido no plano x + y − 2z = 2.

1
10. Uma partı́cula se move no plano xy de tal maneira que sua posição no instante
t é
r(t) = (t − sen t)i + (1 − cos t)j.

Trace o gráfico de r(t). A curva resultante é chamada de ciclóide.

11. a) Faça um esboço grande da curva descrita pela função vetorial


r(t) = (t2 , t), 0 ≤ t ≤ 2, e desenhe os vetores r(1), r(1, 1) e r(1, 1)−r(1).
b) Desenhe o vetor r(1) começando em (1, 1) e compare com o vetor

r(1, 1) − r(1)
.
0, 1

12. Nos itens abaixo: (i) Esboce o gráfico da curva plana com a equação vetorial
dada; (ii) Determine r′ (t); (iii) Esboce o vetor posição r(t) e o vetor tangente
r′ (t) para o valor dado de t.

a) r(t) = (t − 2, t2 + 1) e t = −1.
b) r(t) = sen(t)i + 2 cos(t)j e t = π/4.
c)  r(t) = (1 + cos t)i + (2 + sen t)j e t = π/6.

13. ⋆ Determine a derivada da função vetorial.

a) r(t) = (tg t, sec t, 1/t2 )



b) r(t) = sen−1 (t)i + 1 − t2 j + k

14. ⋆ Determine o vetor tangente unitário T(t) no ponto com valor de parâmetro
t dado, sendo r(t) = cos(t)i + 3tj + 2 sen(2t)k e t = 0.

15. Determine as equações paramétricas para a reta tangente à curva dada pelas
equações paramétricas x = e−t cos t, y = e−t sen t, z = e−t no ponto (1, 0, 1).

16. As curvas r1 (t) = (t, t2 , t3 ) e r2 (t) = (sen t, sen 2t, t) se interceptam na ori-
gem. Determine o ângulo de intersecção destas com precisão de um grau.
∫ π/2
17. Calcule a integral (3 sen2 (t) cos(t)i+3 sen(t) cos2 (t)j+2 sen(t) cos(t)k)dt.
0

18. Encontre r(t) se r′ (t) = 2t i + 3t2 j + t k e r(1) = i + j.

19. Se u(t) = (sen t, cos t, t) e v(t) = (t, t cos t, sen t), use a Fórmula 5 do Teorema
3 da Seção 13.2 do Stewart para encontrar
d
[u(t) · v(t)].
dt

2
20. ⋆ Se r(t) ̸= 0, mostre que
d 1
|r(t)| = r(t) · r′ (t).
dt |r(t)|

(Sugestão: |r(t)|2 = r(t) · r(t)).


dr d2 r
21. Calcule e .
dt dt2
a) r(t) = (3t2 , e−t , ln(t2 + 1))
√3
b) r(t) = t2 i + cos(t2 )j + 3tk
c) r(t) = sen(5t)i + cos(4t)j − e−2t k

22. Determine a equação da reta tangente à trajetória da função dada, no ponto


dado.

a) r(t) = (cos t, sen t, t) e r(π/3).


b) r(t) = (t2 , t) e r(1).
( )
1 1 2
c)  r(t) = , , t e r(2).
t t

23. Determine r(t) sabendo que

a) r′ (t) = ti + 2k e r(0) = i + j.
1
b) r′ (t) = sen(t)i + cos(2t)j + k, t ≥ 0 e r(0) = i − j + 2k.
t+1
1
c) r′ (t) = i + e−t j + k e r(0) = k.
1 + 4t2

24. Calcule.
∫ 1
a) ⋆ (ti + et j)dt
0
∫ 1( )
1
b) sen(3t)i + j + k dt
−1 1 + t2
∫ 2
c) (3i + 2j + k)dt
1

25. Sejam u(t) = ti + j + et k e v(t) = i + j + k. Calcule


∫ 1
a) (u(t) × v(t))dt
0
∫ 1
b) (u(t) · v(t))dt
0

3
26. Seja F(t) uma força dependendo do tempo t, que atua sobre uma partı́cula
entre os instantes t1 e t2 . Supondo F integrável em [t1 , t2 ], o vetor
∫ t2
I= F(t)dt
t1

denomina-se impulso de F no intervalo de tempo [t1 , t2 ]. Calcule o impulso


de F no intervalo de tempo dado.

a) F(t) = ti + j + t2 k, t1 = 0 e t2 = 2.
1
b) F(t) = i + t2 j + k, t1 = 0 e t2 = 1.
t+1

Referências
[1] J. Stewart. Cálculo, Volume 2, 6a edição, São Paulo, Pioneira/ Thomson Le-
arning.

[2] H. L. Guidorizzi. Um Curso de Cálculo, Volume 2, 5a Edição, 2002, Rio de


Janeiro.

[3] G. B. Thomas. Cálculo, Volume 2, 10a edição, São Paulo, Addison-


Wesley/Pearson,2002.