Vous êtes sur la page 1sur 2

Como o Canvas pode salvar o planejamento

da sua empresa?
“Pra quem não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve.” (Lewis Carroll)

Com base nessa frase, gostaria de fazer algumas colocações. Atualmente, vemos muitas empresas perdidas no cenário brasileiro em meio
a crise econômica, entretanto, muitas delas não tem ideia do que fazer ou que rumo seguir para minimizar ou até reverter isso. Gostaria de
compartilhar aqui uma maneira mais “simples” de encontrar um caminho adequando seu modelo de negócio de forma competitiva, o que te
levará um passo a frente da concorrência.

Atualmente, 33% das empresas no Brasil que decretam falência tem por motivo a falta ou a omissão de informações no momento do
planejamento, segundo o Sebrae. Pra melhorar a percepção do planejamento deixando mais claro tudo o que deve ser feito nessa etapa,
Osterwalder e Yves Pigneur se uniram com pesquisadores do mundo todo para desenvolver um método que traduz e expõe os objetivos do
negócio de uma maneira lógica e compreensível. Esse método é conhecido como Canvas, que significa quadro. Ferramenta onde se
transfere dados de pesquisa, brainstorming e decisões referentes a estratégia de reposicionamento estratégico da empresa.

O Canvas é dividido basicamente em quatro perguntas: Pra quem? O que? Como? E quanto? Dentro dessas perguntas existem uma
distribuição em nove blocos, vou mostrar a sequência ideal para o desenvolvimento e suas definições.

Bloco parcerias principais: é a seleção de fornecedores, parceiros estratégicos ou empresas que servirão de apoio no negócio.
Bloco recursos principais: é a descrição de todos recursos necessários para funcionamento do negócio: equipamentos, veículos,
colaboradores com qualificações específicas e etc.
Bloco relacionamento com clientes: é a forma que utilizaremos para mantermos conectados com nossos clientes, para aumentar vendas
e fidelização.
Bloco proposta de valor: é a descrição dos problemas que a empresa resolve e a razão pelo qual a mesma existe.
Bloco segmento: definição do público que quer atender.
Bloco canais: é a definição das formas de comunicação, são pontos de contato com o cliente.
Bloco fontes de receitas: o que nós vamos entregar para o cliente, produto? Serviço? E como e quanto cobraremos por isso.
Bloco atividades principais: são processos de funcionamento da empresa, departamentos com suas atividades e papéis.
Bloco estrutura de custos: onde garantimos a competitividade no preço do produto e controlando o custo fixo, variável e outros.

O preenchimento do quadro em si fará com que você reflita muito sobre onde você está e onde quer chegar, e isso já te trará várias ideias
de como liderar sua empresa, mas o grande segredo deste modelo está nas seguintes perguntas:

Minha proposta de valor atende meu segmento de clientes?


Os canais que escolhi são capazes de entregar a proposta de valor a eles?
Tenho parceiros e fornecedores capazes de me entregar os recursos para atividades do negócio?
As receitas do negócio serão suficientes para cobrir os custos e gerar lucros?

Bom, o preenchimento do Canvas pode não ser tão simples assim, mas se conseguirmos categorizar as áreas da nossa empresa desta
forma, fica mais fácil tomar decisões, estabelecer planos de ação e liderar a equipe rumo a um objetivo bem definido. Funciona ainda mais
se você envolver mais colaboradores na construção deste quadro.

É importante lembrar que ao aplicar esse modelo, você pode se deparar com situações que exigirão grandes mudanças na sua organização
e é aí que as coisas acontecem! A empresa que tem coragem de se moldar, reinventar e atuar de forma inovadora continuamente, é capaz
de colocar seu negócio mais perto do SUCESSO!

Quero refletir um pouco sobre cada bloco do Canvas, mas isso vai ficar para meus próximos textos. Enquanto isso… Você acha que se
você souber onde quer ir, qualquer caminho serve?