Vous êtes sur la page 1sur 7

PARK HOTEL – 3 ETAPA

Park Hotel. Fonte: < http://static.panoramio.com/photos/large/11849609.jpg>

Entrada do Park Hotel. Fonte: < http://s3.amazonaws.com/magoo/ABAAAgvz8AI-7.jpg>


Le Corbusier: Weissenhof-Siedlung Estate. Fonte:
<https://www.arcoweb.com.br/noticias/arquitetura/unesco-inclui-17-obras-de-le-corbusier-como-
patrimonio-mundial>

Le Corbusier: Unidade Habitacional. Fonte:


<https://www.arcoweb.com.br/noticias/arquitetura/unesco-inclui-17-obras-de-le-corbusier-como-
patrimonio-mundial>

O Park Hotel está situado na cidade de Nova Friburgo-RJ e foi


construído no início da década de 40. Esta edificação é considerada uma das
obras mais importantes do arquiteto Lúcio Costa. O projeto é modernista, no
entanto, conjuga características do modernismo com os ensinamentos do
passado colonial, o que remete à obra uma singularidade que se destaca. A
estrutura da edificação é de madeira e de alvenaria, tendo sua base em paus
roliços que constituem um esqueleto independente, o que evidencia a
independência moderna entre suporte e vedação, ou seja, a disposição
racional da sua estrutura. O andar superior possui uma repetitividade que se
contrapõe ao andar térreo. É fácil identificar a utilização de materiais naturais e,
também, materiais de simples produção. São estes materiais que evocam
características comuns das cidades coloniais e que trazem uma sensação de
rusticidade, fazendo da edificação marcante, porém singela.
Lúcio Costa projetou o hotel respeitando o local onde ele está inserido,
além de utilizar-se de materiais da região. A característica mais marcante desta
obra, resultado das ideias de Lúcio Costa, é a busca de características da
arquitetura própria do Brasil relacionadas com o racionalismo modernista. Ou
seja, Lúcio Costa apropriava-se de uma arquitetura vernacular, isto é, aquela
arquitetura própria da região onde a obra esta inserida, se opondo à
padronização da arquitetura muito vista anteriormente.

Park Hotel. Fonte: <


https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a9/Park_Hotel_26.jpg>

A importância de Lúcio Costa para a arquitetura brasileira é tamanha,


isto pois o mesmo foi pioneiro da arquitetura modernista no Brasil, muito
conhecido também pelo projeto urbanístico do Plano Piloto de Brasília, Lúcio
Costa tem ainda outras obras que marcaram o cenário arquitetônico do nosso
país, como o Park Hotel.
Lúcio Costa: Palácio Gustavo Capanema. Fonte:
<https://www.vivadecora.com.br/pro/arquitetos/lucio-costa/>

Lúcio Costa: Museu de São Miguel das Missões. < Fonte:


https://www.vivadecora.com.br/pro/arquitetos/lucio-costa/>
Lúcio Costa: Pavilhão Brasileiro. Fonte: < Fonte:
https://www.vivadecora.com.br/pro/arquitetos/lucio-costa/>

Lúcio Costa: Casa Barão de Saavedra. Fonte: <


https://www.vivadecora.com.br/pro/arquitetos/lucio-costa/>
Lucio Costa: Ed. Bristol. Fonte: <http://i.imgur.com/Nt1knG5.jpg>

O arquiteto formou-se em 1924 pela Escola Nacional de Belas Artes, no


Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, viajou para Diamantina-MG, onde ele pôde
observar a pureza e a simplicidade da arquitetura do local. No ano de 1930, no
governo de Getúlio Vargas, reformulou o ensino da Escola Nacional de Belas
Artes, o que fez de Lúcio Costa papel fundamental para a eclosão da
arquitetura moderna no Brasil. Já em 1936, quando o mesmo fez o projeto do
Ministério da Educação e Saúde Pública, Lúcio trouxe ao Brasil o arquiteto Le
Corbusier, que participou de diversas conferências pelo país. Já em 1939, foi
coautor do pavilhão brasileiro na feira na Feira Universal de Nova York, junto
com Oscar Niemeyer e Paul Lester Wiener. O arquiteto é muito famoso pelo
projeto da nova capital do país, Brasília, em 1957. O seu trabalho,
principalmente entre os anos 1930 e 1960, foi muito importante para colocar a
arquitetura como um meio de manifestação cultural do país, contribuindo, como
dito anteriormente, para a estruturação do movimento moderno no Brasil.
Devido ao fato de ter estudado na Escola Nacional de Belas Artes, que
aplicava um programa neoclássico de ensino naquela época, Lúcio Costa
defendeu uma arquitetura neocolonial nos seus primeiros anos de trabalho.
Influenciado por Le Corbusier, rompeu com este estilo. A intenção do seu
trabalho, então, era de difundir a arquitetura moderna no Brasil.
A sua arquitetura é marcada pela releitura que faz da linguagem
moderna, isto pois, aliou a estética racionalista, característica das obras
modernistas, com a arquitetura colonial Brasileira, que era uma arquitetura
muito marcante na Escola Carioca. Suas obras, incluindo o Park Hotel,
possuem essência modernista, mas relacionam-se muito com as
características singulares do nosso país, principalmente pela utilização de
elementos da casa tradicional brasileira. No Park Hotel, em específico, isto
pode ser notado na utilização da madeira como elemento estrutural, no uso de
muxarabis, na telha canal, entre outros.
Esta obra e as outras tantas de Lúcio Costa nos fazem refletir sobre a
ruptura simples e pura da arquitetura moderna e sobre a importância de
valorizar a arquitetura tradicional brasileira, evitando uma imitação formal,
muito comum na época.

FONTES:

Vitruvius. Arquitetura moderna, estilo campestre. Disponível em: <


http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/11.123/3513>

RABELO, Clevio Dheivas Nobre. Park Hotel, São Clemente, Nova


Friburgo. Disponível em: <
http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/2582/5/Clevio%20Dheivas
%20Nobre%20Rabelo5.pdf>

GURGEL, Ana Paula. A escola modernista carioca. Disponível em: <


http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/2582/5/Clevio%20Dheivas
%20Nobre%20Rabelo5.pdf>

Senado Fedral. Lúcio Costa foi pioneiro da arquitetura modernista no


país. Disponível em: <
http://www.senado.gov.br/noticias/especiais/brasilia50anos/not14.asp>

FRACALOSSI, Igor. Clássicos da arquitetura: Park Hotel/Lúcio Costa.


Disponível em: < https://www.archdaily.com.br/br/763167/classicos-da-
arquitetura-park-hotel-lucio-costa/>

Centres d'intérêt liés