Vous êtes sur la page 1sur 14

Introdução

A procura de novas fontes de energia, mais limpas e renováveis, para a satisfação das
necessidades energéticas da população mundial em substituição das fontes
convencionais baseadas em combustíveis fosseis caracterizadas por um ciclo de
renovação muito longo e poluição associado a queima dos mesmos, tem aumentado o
interesse em energias renováveis onde a energia eólica, energia contida nas massas de ar
em movimento, é uma das opções a considerar, dado a natureza renovável e limpa desta
energia.

1
Energia eólica e parques eólicos
Energia eólica é a transformação da energia do vento em energia útil (energia eléctrica),
tal como na utilização de aerogeradores para produzir electricidade. A energia eólica,
enquanto alternativa aos combustíveis fosseis, é renovável, esta permanentemente
disponível, pode ser produzida em qualquer região, é limpa, não produz gases de efeito
de estufa durante a produção e requer menos terreno. O impacto ambiental é geralmente
menos problemático do que o de outras fontes de energia
Os parques eólicos são espaços onde estão concentrados pelo menos 4 aerogeradores,
ou centenas de aerogeradores individuais ligados a uma rede de transmissão de energia
eléctrica. Os parques eólicos de pequena dimensão são usados na produção de energia
em áreas isoladas. Existem também parques eólicos ao longo da costa, uma vez que a
força do vento é superior e mais estável que em terra e o conjunto tem menos impacto
visual, embora o custo de manutenção seja bastante superior.

2
Factores a considerar na implantação das centrais eólicas
1. O Local deve possuir ventos constantes com velocidade alta a uma altura baixa;
2. Outro factor a ter em conta na implementação dos parques eólicos tem a ver com os
obstáculos existentes à volta dos locais onde se pretende instalá-los, pois naturalmente
esses obstáculos, devido à turbulência, reduzem a velocidade do vento e a sua direcção,
com decréscimo significativo na energia do fluxo de ar que se pretende aproveitar.
Como exemplo destes obstáculos temos principalmente os prédios, as florestas muito
densas e com árvores de grande porte. A figura abaixo mostra a influência que um
obstáculo tem no fluxo de ar que deveria incidir na turbina.

Figura. 1- Representação de um obstáculo na colocação dos aerogeradores

Quantidade de aerogeradores
A quantidade de aerogeradores é determinada por aplicação do método do aerogerador
equivalente e pelo método da curva de potência e se adopta a maior quantidade
calculada.

a) Determinação da Quantidade de aerogeradores pelo Método do aerogerador


equivalente
Consiste em calcular a área equivalente Aeq do aerogerador tendo em posse a
potência total que se deseja que a central eólica gere, densidade do ar e velocidade do
vento do local.
1 2xP
A partir da expressão P = 2 ρ x A x v3x Cp x ƞ isola-se Aeq =ρ x v3 x Cp x ƞ .

Após o cálculo da área equivalente, escolha-se o tipo de aerogerador que se deseja e


calcula-se a área de varredura do referido aerogerador mediante a expressão:

π x D2
AAG =
4
Desta feita, o número de aerogerador é dado mediante a expressão:

Aeq
NAG =Aunit .

3
b) Determinação da Quantidade de aerogeradores pelo Método da Curva Típica de
Potência
Consiste em utilizar a curva de potência do aerogerador que se deseja utilizar na central
e determinar a potência Punit que este gerador fornecerá para a velocidade do vento do
local, e tendo em conta a potência total da central PC calcular o número de
aerogeradores.

Pc
NAG =
Punit

Em geral, este método leva a uma quantidade de aerogerador diferente que a obtida no
método anterior caso a densidade do ar com que se representou a curva é diferente da
densidade do local.

Factores a considerar na implantação de aerogeradores


Efeito de esteira
O vento que sai da turbina tem um conteúdo energético inferior ao do vento que entrou.
Na parte de traz da turbina forma-se uma esteira de vento turbulento e com velocidade
média reduzida relativamente ao vento incidente. É por esta razão que a colocação
relativa das turbinas dentro de um parque eólico tem de ser efectuada de modo
criterioso, conforme indicado na figura abaixo:

Figura.2- Colocação relativa das turbinas

Aerogeradores
Aerogeradores ou turbinas eólicas são equipamentos destinados a converter a energia
cinética do vento em energia eléctrica.
Constituição de um aerogerador
Um aerogerador é constituído por: Rotor da turbina, Gerador eléctrico, Estrutura de
sustentação, Fundação e Equipamentos auxiliares.

4
Rotor da turbina
Parte da turbina que capta a energia cinética de translação do vento e a converte em
energia cinética de rotação do veio.
O principal componente do rotor são as pás - peças, de perfil aerodinâmico, cujas áreas
captam o vento.
Gerador eléctrico
Dispositivo que converte a energia mecânica de rotação do rotor em energia eléctrica.
Em sistemas eólicos são utilizados os geradores assíncronos de rotor em gaiola de
esquilo ou com rotor bobinado e síncronos com rotor bobinado ou com imanes
permanentes. Porém, Existem turbinas eólicas de grande porte que utilizam geradores
síncronos de imans permanentes que operam com baixa rotação dispensando a caixa
multiplicadora de velocidades.
As tensões de geração mais comuns são: 12 Vac; 24 Vac; 48 Vac, 400 Vac; 460 Vac
575 Vac; 690 Vac.
Estrutura de sustentação
É a estrutura que suporta os equipamentos localizados na parte superior do aerogerador.
Fundação
É a estrutura de suporte a estrutura de sustentação evitando que esta se afunde ou
incline.
Classificação dos aerogeradores
Os aerogeradores classificam-se em:
a) Quanto a potência instalada em:

Pequeno Porte (até 50 kW de potência);


Médio Porte (potência de 50 a 1000 kW);
Grande Porte (acima de 1 MW de potência).

b) Quanto a posição do veio em:

Turbinas Horizontais: Por o veio estar na posição horizontal;


Turbinas Verticais: Por o veio estar na posição vertical.

Aerogeradores de eixo horizontal


São aerogeradores que possuem os veios na posição horizontal.
Este tipo de aerogeradores tem como característica principal a necessidade de um
sistema de controlo para posicionar o rotor na direcção predominante de vento.

Figura. 3- Representação de aerogeradores com eixo horizontal

5
Partes principais
Um aerogerador horizontal é constituído por: Rotor da turbina, Nacelle, Torre e
Fundação.

Figura.4- representação das principais partes de um aerogerador com eixo horizontal

Rotor da turbina
Rotor é o equipamento da turbina que converte a energia cinética do vento em rotação
do veio.

Figura.5- Representação do rotor da turbina (aerogerador)

Nacelle

Figura.6- Representação do nacelle

6
É a cabine onde ficam alojados os principais componentes tais como:
 Gerador eléctrico;
 Caixa multiplicadora de velocidades (caso exista) aumenta a velocidade de
rotação do veio em 1:90 ou 1:100;
 Eixos;
 Chumanceiras;
 Sistema de freios;
 Sistema de controlo (quando não está na torre);
 Mecanismos de rotação direccional da nacelle.
No cume da nacelle encontra-se:
Anemómetro – Dispositivo que mede a velocidade do vento;
Sensor de direcção – Dispositivo que detecta a direcção do vento.

Torre
É a estrutura de suporte do rotor da turbina e da nacelle e pode albergar na parte inferior
componentes como sistema de controlo (quando não está na nacelle) e transformador
(quando não está na nacelle ou no exterior).

Figura.7- Representação da torre

7
As torres podem ser: Tubulares e Treliçadas.
As torres tubulares são constituídas por aço ou betão, sendo os diversos troços ligados
no local com auxílio de uma grua. Este tipo de torre é considerada a mais segura para o
pessoal da manutenção, porque podem aceder à plataforma da Nacelle a partir de uma
escada ou elevador no interior das torres.

Figura.8- Representação de uma torre tubular

As torres treliçadas, são mais económicas, as fundações são mais simples e o efeito de
“sombra” é atenuado. No entanto, têm vindo gradualmente a ser abandonadas,
sobretudo pelo impacto visual e pelo aumento crescente da altura das torres.

Figura.9- representação de uma torre treliçado

Altura das torres: 10 m; 15 m; 20 m; 25 m; 30 m; 35 m; 40 m; 45m; 50 m; 55 m; 60 m;


65 m, 70 m; 75 m; 80 m; 85m; 90 m; 95 m; 100 m; 105 m; 110 m.120 m; 125 m; 130 m;
135 m; 140 m.
Fundação
É a estrutura de suporte da torre
Aerogeradores de eixo vertical
São aerogeradores que possuem os veios na posição vertical.
Estes tipos de aerogeradores são de baixa altura, baixa potência e não é necessário o uso
de dispositivo de orientação da turbina.

8
Tipos de Turbinas Verticais
Os principais tipos são: Turbina Savonius e Turbina Darrieus.

Figura.10- (a)Turbina Savonius (b)Turbina Darrieus

Partes principais de um aerogerador de eixo vertical


Um aerogerador vertical é constituído por:
Rotor da turbina;
Coluna;
Base de sustentação;
Dispotivos de conversão de energia
Fundação.

Rotor da turbina
Rotor é o equipamento da turbina que converte a energia cinética do vento em rotação
do veio, e é formado por:
Pás do rotor;
Coluna do rotor.
Coluna
É um tubo central onde fica alojado o veio do rotor e a chumanceira superior e inferior.
Base de sustentação
É a estrutura de sustentação do rotor e da coluna.
Dispositivos de conversão de energia
São dispositivos que participam da conversão da energia cinética de rotação fornecido
pelo rotor da turbina em energia eléctrica, e são:
Caixa de velocidades;
Gerador eléctrico.
Fundação
É a estrutura de suporte da torre impedindo que esta se funde ou se incline.

9
Classificação das centrais eólicas
As centrais eólicas classificam-se:
Quanto a localização em:
Centrais on-shore ou terrestre - quando os aerogeradores ficam localizados em terra;

Figura.11-representação de uma central ou parque eólico terrestre

Centrais off-shore ou marítimas - quando os aerogeradores ficam na localizados no


mar.

Figura.12-Representação de uma central marítima

10
Constituição das centrais eólicas
Uma central ou parque eólico é uma instalação constituída por um Conjunto de
aerogeradores, Transformadores de potência e Edifício de comando.

Figura.13-Representação de um parque eólico

11
Esquema unifilar das centrais éolicas

a) Disposição Radial

b) Disposição Radial

Figura.14 e 15- Representação unifilar de uma central eólica

12
Conclusão
As formas de energias renováveis começam a ganhar um grande destaque nos sistemas
de energias a nível global, a energia eólica também tem o seu bónus neste destaque que
as energias renováveis possuem, portanto é importante em Angola começarmos a
discutir questões relacionadas a este tipo de energia ate porque possuímos locais com
características adequadas para a instalação dos parques eólicos, que abordamos
detalhadamente neste trabalho de investigação e chegando assim a conclusão podemos
dizer que os parques eólicos são instalações que nos possibilitando a obtenção da
energia eléctrica através da força dos ventos estas instalações devem ser bem
projectadas e muito bem dimensionada isto para obtermos no final uma energia boa e
limpa.

13
Bibliografia
www.pucrs.br/ce-eolica
Repositorio.ipl.pt
www.google.com

14