Vous êtes sur la page 1sur 5

Passo 2 (Equipe)

Deformação elastica

A deformação elastica ocorre quando um material é exposto a tensões que o deformam a


nivel reversivel, atomicamente falando, seus componentes apenas se alongam ou contraem,
dependendo do modulo da força, durante os periodos de tensão e após o fim das forças
aplicadas, o material volta ao seu estado original.
Além das tenções aplicadas, a temperatura tambem interfere na elasticidade do materia

l
Escoamento

Quando a tensão ultrapassa o limite de escoamento de determinado material, este saí da


zona de deformarção elastica e entra na zona deformação plastica, onde diferente da anterior,
ele não possui a capacidade de restaurar ao seu ponto inicial. Os atomos aqui, devido a
tensões ou temperaturas se deslocam criando novas ligações, sendo assim, impossivel ter o
seu retorno.
Indentação

​Esta ocorre quando duas superficies estaticas promovem “riscos” em uma delas, ou mais
precisamente, uma deformação plástica causada por um indentador a uma superficie. A dureza
do material define o quanto ele está suscetível a indentações.

Fratura Frágil

​Uma fratura ocorre quando há separação de um material quando aplicado um esforço


mecânico maior que sua resistencia mecanica. Uma fratura frágil é aquela onde há essa
separação rapida por meio de trincas, gerando pouca deformação plastica, nos materiais
cristalinos isso ocorre nos contornos dos grãos.
Em geral, essa fratura ocorre perpendicularmente em relação à tensão recebida.
Normalmente ocorre em materiais frageis como o vidro, mas em materiais cristalinos pode
ocorrer fraturas com aspecto retilinio, por meio da clivagem.
Fadiga

​A fadiga é a grande vilã dos projetos mecanicos, responsavel por 95% das falhas nos
projetos. Ela é gerada devido a sucessivos ciclos de tensões e deformações num componente
quando aplicadas em alguma singularidade ou descontinualidade . Tensões aplicadas em um
ponto ao longo de um tempo podem gerar escoamento localizado, de forma que continuamente
aplicando forças naquele ponto podem ser geradas trincas que irão se propagar enquanto o
ciclo de forças não cessar.
Normalmente a fadiga é aplicada em 3 etapas, na primeira ocorre a nucleação de uma
falha, em seguida vem uma propragação gradual de trincas perpendicular à força que está
gerando a fagida, e por último, vem a ruptura, cessando completamente o funcionamento do
dispositivo alvo da fadiga. A tensão necessaria para a fadiga atuar é bem menor do que as
mostradas em um ensaio de tração.
A fadiga normalmente apresentada pelo grafico abaixo.
Corrosão

A corrosão é um processo de deterioração de um material devido a ações quimicas e


eletro-quimicas. Ligas metalicas são bastante propensas a corrosão por estarem em um estado
instavel, por isso os atomos tendem a buscar ligações para se estabilizarem, outro ponto contra
os metais é o fato de eletrons se movimentarem na camada cristalina. Existem varios tipos de
corrosão, entre elas estão a corrosão por tração, a corrosão por fadiga, corrosão localizada,
corrosão uniforme, etc.
As principais consequencias da corrosão são as falhas estruturais geradas pela
deterioração, impedindo que o material consiga resistir as cargas solicitadas e eventualmente,
causando seu rompimento.

Desgaste

​Desgaste é a perda progressiva de material devida ao movimento relativo entre a


superfície e a substância com a qual entra em contato, podendo gerar tanto deformações
plasticas quanto remoção de material.
Entre os tipos de desgaste, se destacam o por abrasão, que é a interação da superficie
com um materia duro, desgaste por erosão, interação da superficie com liquidos, desgaste por
cavitação, deslizamento, etc.
A principal consequencia do desgaste é a perca de material, resultando em
desproporcionalidades ao longo do projeto, o que impacta a distruibuição de cargas pelo corpo,
consequentemente pode gerar fadigas, a niveis mais altos, o desgaste pode reduzir a eficiencia
do material tirando seu ajuste, podendo chegar até mesmo ao ponto da inutilização.

Flambagem

​Peças que possuem um comprimento muito grande em relação a sua largura e que tem
forças sendo aplicadas axialmente nas extremidades de seu corpo estão suscetiveis ao
processo de dobra em seu centro, chamado flambagem.
A flambagem é considerada uma instabilidade elástica, assim, a peça pode perder sua
estabilidade sem que o material já tenha atingido a sua tensão de escoamento. Este colapso
ocorrerá sempre na direção do eixo de menor momento de inércia de sua seção transversal. A
tensão crítica para ocorrer a flambagem não depende da tensão de escoamento do material,
mas da seu módulo de Young.