Vous êtes sur la page 1sur 6

OFICINAS DE SEXUALIDADE

Através deste trabalho de intervenção pretende-se levar aos jovens o acesso a


informações sobre comportamentos preventivos referentes à sexualidade, para a
reflexão das relações de género, classe e, especialmente, de geração, envolvidas na
experimentação da sexualidade na adolescência.

Com o decorrer do processo de elaboração de tais oficinas, o cuidado na escolha e


desenvolvimento das actividades propostas tem como objectivo promover o
interesse dos jovens, de modo a incentivar a sua participação, com vista à inclusão
de todos.

Tais oficinas servirão, igualmente, de promoção de um espaço reservado para a


problematização de questões referentes à adolescência e sexualidade trazidas pelos
jovens, destacando-se o debate relativo à noção de responsabilidade associada ao
relacionamento sexual. Nesse sentido, contribui-se com o processo de adesão às
práticas de comportamento preventivo, favorecendo, em última análise, a
emancipação dos sujeitos no campo dos direitos sexuais e reprodutivos.
1.ª oficina

 visionamento de filme e debate

2.ª oficina

 formação de Pequenos Grupos;


 cada grupo deve desenhar uma jovem e um jovem;
 deverão atribuir um nome e uma curta história de vida a cada um dos
personagens;
 cada um dos personagens deverá ter sonhos, dúvidas e medos;
 de seguida, cada grupo apresenta o seu trabalho aos demais e, no final de
todas as apresentações, estabelece-se uma discussão a respeito da
adolescência tendo em atenção tudo o que foi apresentado;
 no final da 1.ª sessão, cada jovem é convidado a colocar as suas dúvidas
pessoais numa ‘Caixa de Dúvidas’, apresentada na altura, disponibilizada
para o efeito.

3.ª oficina

 propõe-se a verificação das principais dúvidas dos participantes em relação


à sexualidade; para tal, cada um dos jovens escreve sinónimos, o
conhecimento que tem e dúvidas relacionadas às palavras: relação sexual,
métodos contraceptivos, DSTs, menstruação, masturbação, pénis, vagina.
Cada palavra é escrita numa folha e os jovens escrevem o que lhes foi
pedido e passam ao colega do lado para fazerem o mesmo;
 lê-se tudo, possibilitando uma discussão a respeito das palavras
trabalhadas.

4.ª oficina

 aborda-se a temática: ter relações sexuais vs. namorar;


 desenvolve-se uma actividade de verificação das opiniões dos jovens,
também escritas em folha de papel, em relação à temática;
 a partir das afirmações recolhidas, os participantes devem posicionar-se do
centro da sala para uma de 3 paredes em que se encontra escrito:
‘concordo’, ‘discordo’, ‘tenho dúvidas’;
 após cada tomada de decisão as opiniões são debatidas.
5.ª oficina

 discussão em torno das noções de: homem vs. mulher;


 levantar o que os adolescentes pensam acerca dos estereótipos de género e
problematizar o facto de que estes constituem uma produção social;
 utilizando fitas de papel, canetas e fita-cola, pede-se que cada um dos
participantes escreva o que considera serem características exclusivamente
masculinas e exclusivamente femininas;
 posteriormente, o que ouvem falar sobre meninos e meninas, as prescrições
atribuídas a cada sexo na nossa cultura e sugere-se que pensem nos
brinquedos e brincadeiras associados / atribuídos a cada um dos sexos;
 após esta etapa, sugere-se que cada um cole o seu papel na região do corpo
que ache mais adequada no desenho do adolescente que está exposto
(desenhos realizados na 1.ª sessão);
 as características femininas no desenho da jovem, as masculinas no jovem;
 enquanto colocam os seus papéis os jovens vão justificando o que
escreveram e a partir daí os/as facilitadores/as questionam-os sobre o que
os levou a determinar quais eram as características de menino e quais eram
de menina.

6.ª oficina

GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA – estudo de caso

Objectivo: Dar aos participantes do grupo a oportunidade de discutir e se


posicionar diante de um caso de gravidez na adolescência, bem como de reflectir
acerca da importância de se planear uma relação sexual e de fazer contracepção.

Material: cópia do estudo de caso “A história da Camila e do Tiago”; lápis ou


caneta; folhas em branco para as respostas

Tempo: 90 minutos

Processo:
 Forme subgrupos de até 6 pessoas e peça que escolham alguém para
coordenar.
 Informe que metade dos grupos receberá uma história sobre gravidez na
adolescência do ponto de vista de uma rapariga e que a outra metade
receberá a do ponto de vista de um rapaz.
 Explica que o/a coordenador/a vai distribuir a primeira parte do estudo de
caso, para que todos/as leiam e respondam às questões no final de cada
página e que quando terminarem esta discussão distribuirá a segunda parte.
Deve fazer o mesmo com a terceira parte. Convém reunir-se um pouco
antes com quem coordenará para tirar as dúvidas da dinâmica. Deixar bem
claro que só se passa à parte seguinte da história depois de discutidas as
questões.
 Explica, ainda, que será função do/a coordenador/a permitir que todos os
membros do grupo se posicionem e anotar as respostas numa folha de papel
em branco.
 Após o tempo determinado, as respostas de cada grupo devem ser
apresentadas em plenário pelo/a coordenador/a.

Pontos para discussão

 Que opções tem um casal quando descobrem a existência de uma gravidez?


 Qual é a reacção da jovem quando ela descobre que está grávida?
 Qual é a reacção do jovem quando ele descobre que a namorada está
grávida?
 E se for uma jovem com quem o jovem só saiu uma vez? É diferente? Por
quê?
 Como é que se sente uma jovem quando descobre que vai ser mãe? O que
isso muda na sua vida?
 Como é que se sente um jovem quando descobre que vai ser pai? O que isso
muda na sua vida?
 Qual é a reacção dos pais da rapariga? E dos pais do rapaz?

Conclusão

 Comente sobre a iniciação sexual da população jovem, a gravidez na


adolescência e sobre a importância de planearem juntos a contracepção.
 Explore os desejos, sentimentos e atitudes com relação a uma possível
gravidez tanto do ponto de vista do homem quanto da mulher.
 Lembre que, ao iniciar a vida sexual, os/as jovens devem ter consciência de
que a probabilidade de uma gravidez está presente em cada relação sexual
e que é preciso utilizar um método contraceptivo.
 Esclareça que muitas vezes os rapazes, por desconhecimento ou
despreocupação, não participam da contracepção. As raparigas, por sua vez,
por desconhecimento ou por temor de abordar o assunto com o seu
parceiro, também não se protegem.
 Reflicta com eles/elas acerca do significado de uma gravidez na
adolescência, tanto para o homem quanto para uma mulher, e o que isto vai
representar na vida de cada um deles/as.

7.ª oficina

 Palestra / debate com um/a profissional na área da saúde para abordar as


temáticas: puberdade, mudanças corporais e fisiológicas, relação sexual,
gravidez, DSTs e prevenção.

8.ª oficina

 objectiva-se a apresentação dos métodos contraceptivos existentes;


 para tal, prepara-se um powerpoint contendo breves definições e
explicações sobre cada método; explicam-se as vantagens e desvantagens
de cada um, enfatizando-se sempre a prevenção das DSTs;
 de seguida, pede-se a que um voluntário exemplifique a colocação de um
preservativo;
 para finalizar, com o apoio dos/as facilitadores/as, constrói-se um diálogo
envolvendo a negociação do uso do preservativo entre 2 jovens namorados.

9.ª oficina

 sessão dedicada ao esclarecimento das dúvidas colocadas na ‘Caixa de


Dúvidas’ e ao esclarecimento dos sintomas de algumas doenças
sexualmente transmissíveis.

10.ª oficina

 discute-se a temática: ‘Gravidez’, na perspectiva de uma casal de


adolescentes (relembrar, sucintamente, a história da Camila e do Tiago);
 divide-se o grupo, aleatoriamente, em 2 (um vivência a história do ponto de
vista da adolescente que engravida, o outro sob o ponto de vista do jovem /
namorado).

11.ª oficina

 sessão dedicada à(s) temática(s): ‘Planeamento Familiar’ / ‘Projecto de


Vida’;
 cada um dos jovens é convidado a falar acerca do futuro do ‘seu boneco’
(como estará ele daqui a 10 anos? O que estará a fazer? O que necessita
para chegar lá? Que possibilidade tem? Se fosse essa pessoa como se
sentiria?)

12.ª oficina

 de volta à ‘Caixa de Dúvidas’

13.ª oficina

 visionamento de filme e debate