Vous êtes sur la page 1sur 3

Nome:

Havia uma moça já casada que vivia muito mal com o marido porque era preguiçosa, desmazelada, e não
tinha verdadeiro cuidado no arranjo da casa. O marido saía para o trabalho sem tomar o pequeno-almoço, e quando
voltava o almoço também não estava feito. A casa estava desarrumada e suja, sem ordem e sem governo. O
homem aborreceu-se daquela vida e começou a tratar mal a mulher.
Ela, muito triste, foi ter com uma velhinha que vivia nos arredores e disse-lhe:
- Tia Verde-Água, se não me ajudar nesta ocasião, serei a rapariga mais desgraçada que Deus deitou ao
mundo !
Entraram para dentro de casa e a rapariga explicou à velhinha o seu problema. Enquanto falava, reparou em
como aquela casa estava limpa e arrumada, e desatou a chorar.
- Venho pedir-lhe que me dê remédio para esta desgraça. Toda a gente diz que a senhora tem fadas que a
ajudam no trabalho, e que é por isso que tem tudo em sua casa com tanta ordem.
- Pois tenho, sim, filha. Há muito que devias ter vindo procurar-me. Mas não são as fadas que me ajudam
Essas têm mais que fazer. São dez anões muito desembaraçados que me deu a minha fada madrinha. Vou mandá-
los a tua casa para te ajudarem. Mas é necessário que faças o seguinte: logo de manhã cedo levanta-te, arranja-te
com cuidado e faz a tua cama. Depois vai à cozinha acender o lume para o almoço, enche os cântaros de água,
varre a casa, cose a roupa e cozinha um bom prato.
A moça agradeceu muito e foi para casa mais animada. No dia seguinte, quando o marido chegou encontrou
o almoço a fumegar sobre a mesa, que estava coberta com uma toalha branca e tinha os talheres bem limpos. Ao
jantar, o mesmo. A casa estava limpa e florida, e a rapariga alegre e satisfeita. O marido não ralhou com ela,
porque não tinha de quê.
Nessa mesma noite a rapariga foi a casa da tia Verde-Água para lhe agradecer a ajuda dos dez anõezinhos
tão trabalhadores. A boa velha sorriu e disse-lhe para continuar assim, e que todos os dias lhe mandaria os anões
para a ajudarem.
O tempo foi passando e o marido andava satisfeitíssimo. Um dia a moça voltou a casa da velhinha para lhe
dizer como estava contente com a ajuda dos anões.
- Então eles têm-te feito bom serviço? - perguntou a tia Verde-Água.
- Tão bom, que agora a casa está impecável e o meu marido muito contente !
- E tu, com franqueza, ainda não viste os anões?
- Eu não, senhora ! E gostava muito de os ver e de lhes agradecer. Devem ser tão espertos e tão engraçados !
- Pois então, se os queres ver, olha para as tuas mãos e repara nos teus dez dedos. São eles os dez anõezinhos
da tia Verde-Água.
_____________________________________________________________________________________________________

1. Faz um resumo muito bem feito do texto que acabaste de ler.

2. Descreve o melhor possível a rapariga. Não vale copiar expressões do texto, nem usar adjectivos.

3. Explica qual é a lição ou conclusão que se pode tirar deste texto.

4. Separa, com traços horizontais, as sílabas nas palavras seguintes: preguiçosa, desarrumada, velhinha, saía,
necessário.

5. Classifica quanto à posição da sílaba tónica as palavras: saía, remédio, anõezinhos, então, fumegar.

6. Enuncia a regra que motiva a acentuação gráfica de cada uma das palavras: também, saía, anões, quê,
impecável..

7 Copia a frase seguinte para a folha, preenchendo os espaços em branco com à ou há:

Foi____esquina da rua e pediu____ Sofia que o levasse____escola, pois____muito tempo que lá não ia.

O cego estava ali durante o dia, com sol ou chuva, frio ou vento...
Estava ali, àquela esquina, sentado num banco, só e triste, apesar do movimento da rua. Não tocava
qualquer instrumento, não pedia esmola. Tinha uma caixa-mealheiro pendurada ao pescoço por uma
correia, e quando lhe davam qualquer moeda, dizia com voz suave, quase musical:
- Seja pela luz dos seus olhos !
Mas a verdade é que pouca gente lhe dava esmola, porque passavam todos com muita pressa, e
apesar de terem olhos, ou não o viam, ou tinham-se habituado à sua presença como fazendo parte da rua.
E assim, a caixa do cego chegava à noite quase vazia, e o dinheiro das esmolas já não chegava para
viver.
Mas certo dia, em princípio de Março, quando o ar começa a ficar morno, e a terra e as árvores
exalam qualquer coisa de misterioso que nos obriga a respirar fundo, numa inquietação animal, paravam
muitas pessoas junto do cego e davam-lhe boas esmolas.
Porque uma mão caridosa e desconhecida colara na caixa do cego um letreiro que dizia:
" Vem aí a Primavera. E todos a podem ver, menos eu ".

1. Que quereria ele dizer com a expressão “Seja pela luz dos seus olhos !” ?
_____________________________
___________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
2. Que opinião tens acerca da explicação que o autor dá para a atitude de indiferença das pessoas que passavam
pela rua ?
___________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

3. Porque é que o letreiro fez mudar a atitude das pessoas ?______________________________________


______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

4. Classifica morfologicamente as palavras:

o (l.1) correia (l.3)


ali (l.2) lhe (l.4)
só (l.2) com (l.4)
não (l.2) suave (l.4)
pedia (l.3) o (l.7)
Erros:______
5. Completa o quadro de análise sintáctica:
PALAVRAS DA FRASE FUNÇÃO SINTÁCTICA
durante o dia (l. 1)
C. C. de Tempo de “dizia” (l.4)
com muita pressa (l.6)
lhe (l.6)
C. Directo de “viam” (l.7)

6. Volta a escrever o texto seguinte (Diário de turma, Luís André, Duarte Borges), pontuando-o correctamente:

o dia começou com alguns problemas de Matemática e estava um frio de rachar todos queriam vestir os casacos peles de
urso como costuma dizer o professor Paulo Jorge durante a aula mas o professor não deixou a certa altura o Jorge começou a
bater o dente a fingir que tremia mas o professor já o conhece e mandou-o estar quieto ainda não foi desta que o Jorge
conseguiu enganar o professor
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

7. Substitui as partes sublinhadas por pronomes pessoais:

Cantarão a canção. Deram-nos as chaves.


Oxalá estudes a matéria. Parei quando vi o Rui.
Não nos deram as chaves. Leram o livro.

8. Passa as frases seguintes da forma activa para a passiva, ou da passiva para a activa, conforme o caso:
a) As ordens foram dadas pelo rei._______________________________________________________
b) Os pescadores deram os peixes às gaivotas._______________________________________________

9. Escreve correctamente as frases que se seguem, se achares que contêm algum erro de construção:
a) Tenho um amigo que o pai dele é
polícia._________________________________________________
b) A maior parte das pessoas estavam sentadas.______________________________________________
c) Naquela árvore haviam muitos pássaros._________________________________________________
d) Tenho uma prova que é ele o
culpado.___________________________________________________
e) Este jogador é dos que joga
melhor._____________________________________________________

10. Classifica, quanto ao processo de formação, as palavras:


a) caixa-mealheiro: ____________________________________________________________________________
b) qualquer: _____________________________________________________________________
c) letreiro: ______________________________________________________________________

11. Indica os elementos que constituem a palavra “inquietação”, dizendo qual deles é a palavra-mãe e explicando o
sentido que têm os prefixos e sufixos que existirem.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
BOM TRABALHO !