Vous êtes sur la page 1sur 8

Os direitos de propriedade intelectual de todos os conteúdos do Público – Comunicação Social S.A. são pertença do Público.

Os conteúdos disponibilizados ao Utilizador assinante não poderão ser copiados, alterados ou distribuídos salvo com autorização expressa do Público – Comunicação Social, S.A.

QUARTA-FEIRA, 06 DE FEVEREIRO 2019


SUPLEMENTO COMERCIAL
Não pode ser vendido separadamente

PUBLICIDADE

imobiliário
“É preciso atualizar
o parque imobiliário
português”
Pedro Lancastre, diretor-geral da JLL Portugal, admite que numa altura em que a falta de
oferta disponível é, assumidamente, um dos maiores entraves a um maior crescimento
do setor, quer na sua vertente ocupacional quer no que se refere ao investimento;
mais que nunca, “é preciso atualizar o parque imobiliário português”. P02

PR promulgou diploma
que pune assédio no
arrendamento
Apontando algumas fragilidades e deixando
algumas críticas, o Presidente da República decidiu
pela promulgação do diploma da Assembleia
da República que proíbe e pune o assédio no
arrendamento P06
D.R.

PUBLICIDADE

ŵŵŵ˕ßëĢŕŝŊŻȺȹ˕Ňŕ
;¿)]h‹‘™"h
„h‡‹™‹

410330cc-deaf-48a2-92fa-cc9c99864a86
Os direitos de propriedade intelectual de todos os conteúdos do Público – Comunicação Social S.A. são pertença do Público.
Os conteúdos disponibilizados ao Utilizador assinante não poderão ser copiados, alterados ou distribuídos salvo com autorização expressa do Público – Comunicação Social, S.A.

02 | Atualidade | imobiliário | Quarta-feira, 06 de Fevereiro, 2019

“É preciso atualizar o parque


imobiliário português”
Pedro Lancastre, diretor-geral da JLL Portugal, admite que numa altura em que a falta de oferta disponível é, assumidamente,
um dos maiores entraves a um maior crescimento do setor, quer na sua vertente ocupacional quer no que se refere ao investimento;
mais que nunca, “é preciso atualizar o parque imobiliário português”.

Numa altura em que a falta de ofer- Estes números não consideram,


ta disponível é, assumidamen- contudo, o possível impacto que o
te, um dos maiores entraves a um arranque do regime das SIGI (tam-
maior crescimento do setor, quer bém conhecidas como REITs por-
na sua vertente ocupacional quer tugueses) possa vir a ter no merca-
no que se refere ao investimento; do este ano. “Quando avançámos
mais que nunca, “é preciso atuali- com as nossas estimativas, não ti-
zar o parque imobiliário português”. nha ainda sido publicado o decre-
O alerta foi dado por Pedro Lan- to lei 19/2019 de 28 de janeiro, mas
castre, diretor-geral da JLL Portu- admitimos que a entrada em vigor
gal, na apresentação à imprensa as deste diploma venha a ter um im-
conclusões do último Market 360º, pacto positivo” no mercado de in-
deixando bem claro que embora se vestimento, considera Fernando
antecipe um novo ano de grande di- Ferreira. Ainda assim, “qualquer
namismo imobiliário, os recordes valor que possamos avançar como
atingidos no ano passado não deve- previsão para o investimento das
rão ser superados devido, sobretu- SIGI em 2019 é pura especulação”.
do, à limitação da oferta.
“Uma vez mais, 2019 deverá ficar Preços estabilizam
marcado por fundamentais fortes, No que se refere aos valores pratica-
com a procura a continuar a superar dos no mercado, a JLL acredita que
largamente a oferta em praticamen- “os preços devam começar a estabi-
te todas as áreas transacionáveis”, lizar na habitação, por via do cresci-
resumiu a diretora de Research, mento da oferta” previsto para este
Maria Empis. A diversificação e a ano, disse Maria Empis. No caso dos
internacionalização da origem do ativos comerciais e de rendimento,
capital que aporta ao setor é uma “os valores de venda também deve-
das tendências que veio para ficar, rão estabilizar, sendo que aí a va-
advoga esta especialista, revelan- lorização será feita sobretudo pe-
do que no ano que findou foram 15 lo aumento das rendas e não pelas
as nacionalidades que concluíram yields, que não deverão sofrer gran-
operações de investimento imobi- des alterações”.
liário comercial no nosso país, além Atualmente, a renda prime de es-
das 45 nacionalidades que compra- critórios em Portugal ronda os 22€/
ram casa com o apoio do departa- m² mensais. E, atendendo aos fluxos
mento residencial da JLL. de oferta que continuam mais for-
O aumento dos custos de cons- tes do que nunca, juntamente com
trução, que subiram cerca de 30% a falta de produto disponível para
nos últimos três anos, e a moro- lhe responder no imediato, há es-
sidade dos processos de licencia- paço para que estes valores possam
mento são, segundo Gonçalo San- continuar a ser revistos em alta ao
tos, diretor do departamento de longo deste ano, acredita a direto-
Development, dois dos maiores en- ra de Office Agency, Mariana Rosa.
traves que, nesta fase, estão a atra- Segundo esta responsável, “no ano
sar a entrada de mais stock no mer- passado fizemos milagres para ins-
cado. Isso não quer, contudo, dizer DR
talar os mais de 200.000 m² transa-
2019 deverá ficar marcado por fundamentais fortes, com a procura a continuar a superar
que o lançamento de novos projetos cionados em Lisboa, porque havia
largamente a oferta em praticamente todas as áreas transacionáveis
esteja parado, sendo mesmo de es- muita procura, mas muito pouca
perar um relançamento da promo- oferta, o que obrigou a muita cria-
ção nova em 2019, nomeadamente Europa e o governo de Trump, que ainda existam alguns shoppings Hotels & Hospitality da JLL, dirigida tividade e flexibilidade, que resul-
com uma aposta reforçada em pro- podem contagiar a atividade de in- no mercado com capacidade sufi- por Karina Simões. “As expetativas taram em alguns na conversão de
jetos de grande escala. vestimento no nosso país”, notou, ciente para atrair grandes investi- para 2019 são a de continuar com o espaços como antigos armazéns ou
por seu turno, Fernando Ferreira. As dores”, avançou ainda líder desta crescimento acelerado. A operação cinemas em novos espaços de escri-
2019 continuará a ser projeções do departamento de Ca- área de negócio que, recorde-se, no turística está a correr muito bem tórios”. Uma tendência que poderá
um dos melhores anos pital Markets apontam para uma ano passado assessorou transações em todo o país, e isso permite-nos continuar este ano, contabilizando-
de sempre descida de perto de 25% no volume no valor de 1.900 milhões de euros. ser também muito ambiciosos no -se atualmente cerca de 560.000 m²
A par com a menor disponibilidade transacionado em imobiliário co- Já os hotéis deverão ter um con- que se refere ao investimento”, dis- de nova ABL em pipeline com con-
da oferta, “há todo um conjunto de mercial, dos 3.300 milhões de eu- tributo em linha com o de 2018, se, acrescentando que “atualmente, clusão prevista até 2023, e dos quais
situações externas a Portugal, co- ros de 2018 para “mais de 2.500 mi- quando o setor movimentou 230 com a carteira de negócios que já te- 37% tem já ocupação garantida.
mo o Brexit, as eleições na Alema- lhões de euros previstos para 2019”. milhões de euros em investimento, mos em pipeline, estimamos que o
nha, a instabilidade social em Fran- Os escritórios deverão ter um gran- dos quais perto de 100 milhões em volume investido em hotelaria se-
ça e o acentuar as tensões entre a de peso neste resultado, “embora operações assessoradas pela área de ja idêntico ao de 2018”. Susana Correia
Os direitos de propriedade intelectual de todos os conteúdos do Público – Comunicação Social S.A. são pertença do Público.
Os conteúdos disponibilizados ao Utilizador assinante não poderão ser copiados, alterados ou distribuídos salvo com autorização expressa do Público – Comunicação Social, S.A.
Os direitos de propriedade intelectual de todos os conteúdos do Público – Comunicação Social S.A. são pertença do Público.
Os conteúdos disponibilizados ao Utilizador assinante não poderão ser copiados, alterados ou distribuídos salvo com autorização expressa do Público – Comunicação Social, S.A.

04 | Oportunidades | imobiliário | Quarta-feira, 06 de Fevereiro, 2019

Edifício de escritórios no Tagus Park


em venda por €6,4 milhões
O Millennium bcp é o proprietário deste imóvel e aceita propostas para a sua compra até 28 de fevereiro de 2018.
É também o seu atual ocupante e poderá aí manter-se até meados de 2021

quer dizer uma redução na absorção


Edifício de escritórios localizado no Tagus Park, em Oeiras, com rendimento e 3.400 m² de Área Bruta Privativa
em 2019, que espelha uma escassez
de oferta e não uma menor procu-
ra“, nota a CBRE. O Corredor Oeste é
atualmente um dos principais des-
tinos das empresas precisamente
por ser aquele que reúne maior vo-
lume de área disponível com os re-
quisitos da procura atual, nomea-
damente áreas de grande dimen-
são, modernas e com bons acessos
a transportes públicos, de acordo
com a descrição da JLL. Esta zona
foi a mais dinâmica do mercado em
2018, gerando mais de 27% da ocupa-
ção e acolhendo algumas das opera-
ções de maior dimensão do ano, co-
mo a instalação da Coriant, da Trust
in News ou da Google. A compro-
var a dinâmica da procura, a taxa
de desocupação de escritórios em
Lisboa está em mínimos históricos
(7%, de acordo com a Cushman &
Wakefield), sendo o Corredor Oes-
te o eixo que apresenta maior dis-
ponibilidade de escritórios (em tor-
no dos 14%), com a vantagem de es-
ta oferta ser bastante qualificada.
O edifício em questão, situa-
do no n.º 33 da avenida Professor
MILLENNIUM BCP
Mário Soares, neste parque de escri-
tórios, está agora em apresentação
Numa altura em que o investimen- do desde já previsto um contrato de nidade de criar uma boa sinergia, ros que efetuam ligação à estação em todas as sucursais da zona do
to em imobiliário comercial de ren- arrendamento com duração até ao conciliando o financiamento mais ferroviária de Oeiras/Paço d’Arcos Millennium bcp, além de estar a ser
dimento atingiu um pico histórico 1.º semestre de 2021”, explica Ramiro vantajoso e o Millennium bcp co- e ao Cacém. Além disso, trata-se de feita uma “ronda de contactos com
de 3,3 mil milhões de euros (segun- Gomes. Neste cenário de uma ope- mo como arrendatário”, diz ainda um parque com “uma boa taxa de as mediadoras imobiliárias que tra-
do contas da consultora imobiliá- ração de sale & leaseback (ou seja, Ramiro Gomes. ocupação e com um leque diversi- balham este tipo de ativos na pro-
ria JLL para o total transacionado em que o proprietário de um imóvel ficado de empresas”, algo que pode- cura de investidores interessados”,
em 2018) e em que se antevê que o vende, mantendo-se como arren- Procura ativa rá favorecer o novo proprietário na nota Ramiro Gomes. O processo de
a escassez de ativos será um dos datário do mesmo), o novo proprie- Num cenário de saída do atual ocu- hora de colocar o edifício junto de comercialização contempla um pe-
principais desafios à atividade es- tário “poderá estar perante uma ex- pante – que poderá incorporar estes um ocupante. “Poderá tirar partido ríodo de apresentação de propostas
te ano, acaba de surgir no merca- celente oportunidade de negócio”, serviços noutros edifícios do Tagus desta diversidade e estabelecer no- para a aquisição do ativo até 28 de
do um edifício de escritórios para com investimento num ativo on- Park dos quais é também proprietá- vas parcerias ou negócios com ou- fevereiro de 2019, data após a qual
aquisição, que promete ser “uma de “o Banco, na qualidade de arren- rio -, o potencial de colocação des- tros residentes do Tagus Park”, con- “analisaremos as propostas e comu-
excelente oportunidade de inves- datário, está disponível para o pa- te edifício junto de novas empresas sidera Ramiro Gomes. nicaremos a todos os proponentes
timento”. As palavras são de Ra- gamento de uma renda mensal de parece ser promissor. Trata-se de O atual momento de procura ro- a decisão quanto às mesmas”, ex-
miro Gomes, responsável de Gran- 30.000 euros, com um contrato de um imóvel de traça moderna, con- busta por escritórios abre uma “boa plica Ramiro Gomes, que antecipa
des Imóveis Sul da Direção de Cré- prazo nunca inferior a 30 meses”, cluído há cerca de 10 anos e que está perspetiva futura de rendimento um processo de oferta concorrido. “É
dito Especializado e Imobiliário do assegurando um “retorno no equi- dotado de todos os requisitos em ter- para o novo proprietário”, acres- expetável que o processo de biding
Millennium bcp, Banco que é pro- valente a uma yield atual próxima mos técnicos e tecnológicos. Além centa o responsável. Em 2018, a ab- possa reunir vários interessados e,
prietário e ocupante deste imóvel dos 6%”, realça aquele responsável. dos 3.400 m2 de escritórios distri- sorção de escritórios em Lisboa as- dessa forma, originar alguma va-
integrado no parque de escritórios Parece ser uma proposta de valor buídos por 3 pisos, o imóvel dispõe cendeu a cerca de 205.000 m2 (dados lorização do ativo. Não sendo fácil
Tagus Park (em Barcarena, Oeiras), que merece evidência num merca- de 3.870 m2 de estacionamento em LPI), uma marca que, nos últimos 20 prever o valor, admitimos que po-
um dos núcleos empresariais mais do onde as yields têm vindo a com- dois pisos, e está implantado num anos, apenas foi superada em 2008. derá existir um incremento entre os
consolidados da zona do Corredor primir para mínimos históricos e lote isolado com mais de 7.000 m2, E os agentes que acompanham es- 5% e os 10% face ao asking price”, diz
Oeste, o eixo da A5 que liga Lisboa onde a atual prime yield (de acordo situado no extremo ocidental do Ta- te mercado, em geral, já apontaram o responsável. As perspetivas são
a Cascais. Com cerca de 3.400 m2 de com dados da CBRE) para escritórios gus Park. Esta sua implantação ga- a escassez de oferta disponível co- animadoras, tendo em conta que os
escritórios e implantado num lote em Lisboa é de 4,5%. Além disso, ca- rante-lhe bastante luz natural, sem mo o principal entrave para o cres- escritórios se mantêm como uma
isolado deste parque empresarial, so o novo proprietário “tenha inte- zonas sombreadas, com vista de- cimento da atividade este ano. “Em das classes de ativos com maior
o edifício está em venda por 6,4 mi- resse em recorrer a financiamento safogada e boa envolvente de espa- Lisboa estão previstos para 2019 procura pelos investidores, con-
lhões de euros e encontra-se ocupa- para esta aquisição”, o Banco está ços verdes. Destaca-se ainda a sua apenas 55.000 m2 de novos escri- centrando, nas contas da Cushman
do na sua totalidade por serviços do “disponível para avaliar uma ope- integração num parque de escritó- tórios, dos quais 25.000 m2 já es- & Wakefield, 35% do investimento
Banco, que, em caso de venda, po- ração de financiamento, com con- rios consolidado e com bons aces- tão contratados, o que é claramen- comercial no ano passado.
derá “manter-se como arrendatá- dições mais favoráveis e comissões sos rodoviários, que beneficia ain- te uma área reduzida face à atual
rio da totalidade do espaço, fican- mais reduzidas”. É uma “oportu- da de uma rede regular de autocar- procura que excede 150.000 m2. Tal Susana Correia
Os direitos de propriedade intelectual de todos os conteúdos do Público – Comunicação Social S.A. são pertença do Público.
Os conteúdos disponibilizados ao Utilizador assinante não poderão ser copiados, alterados ou distribuídos salvo com autorização expressa do Público – Comunicação Social, S.A.

Quarta-feira, 06 de Fevereiro, 2019 | imobiliário | Oportunidades | 05

Escritórios Oportunidades
Corredor Oeste Mais Oportunidades Millennium na área de imobiliário de millenniumbcp.pt
concentra 27% da Marque as suas visitas através da linha M Imóveis 707 91 20 20 (atendimento personalizado das 10h-22h)
ocupação em 2018 Custo máximo por minuto: 0,10€ para chamadas a partir da rede fixa e 0,25€ para chamadas a partir da rede móvel. Acresce IVA.

De acordo com os dados do LPI- EDIFÍCIO DE ESCRITÓRIOS LOCALIZADO NO TAGUS PARK, OEIRAS
Lisbon Prime Index, a ocupação de O Millennium bcp está a aceitar propostas para aquisição deste imóvel até dia 28 de fevereiro de 2019.
escritórios em Lisboa totalizou cer- Ref.ª: 32492 ∙ Preço: 6.400.000€ ∙ Localização: Lisboa / Oeiras ∙ Freguesia: Barcarena
ca de 206.500 m2 em 2018, apre- Morada: Av. Prof. Mário Soares, n.º 33 (Tagus Park), 2740-119 Oeiras ∙ ABP/Serviços: 3.400 m2 ∙ ABP Garagem: 3.870 m2 ∙ circulação: 310 m2
sentando um crescimento de 24%
face à atividade registada no ano
anterior, que passou pouco mais
dos 167.000 m2. No total foram con-
cretizadas 229 operações (+ 9% do
que em 2017).
O Corredor Oeste – zona 6 – foi a
mais dinâmica do ano, concentrando
27% da área ocupada, ou seja, cerca
de 56.000 m2. Seguiu-se a zona 3
– Nova Zona de Escritórios -, com
18% da ocupação e as zonas 1 (Prime
CBD) e 2 (CBD), ambas com 16% da
área ocupada no total do mercado.
Em termos de procura, o setor
de “TMT’s & Utilities” foi o que se
mostrou mais dinâmico em 2018,
tomando 33% da área ocupada em
2018. As empresas de”Serviços a
Empresas” foram outro setor ativo,
concentrando 28% do take up.

2
206.500m
Take up de escritórios
em Lisboa (2018)

27%
Peso do Corredor
Oeste no
take up anual

33%
Peso das empresas
de TMT’s & Utilities
na procura
Os direitos de propriedade intelectual de todos os conteúdos do Público – Comunicação Social S.A. são pertença do Público.
Os conteúdos disponibilizados ao Utilizador assinante não poderão ser copiados, alterados ou distribuídos salvo com autorização expressa do Público – Comunicação Social, S.A.

06 | Em foco | imobiliário | Quarta-feira, 06 de Fevereiro, 2019

Inscrições para Prémio Nacional de Reabilitação


Urbana terminam sexta-feira
PR promulgou
As inscrições para o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana
diploma que pune
terminam na próxima sexta-feira, dia 8 de fevereiro
assédio no
nos projetos pode apresentar a
candidatura desde que acompa-
nhada da devida autorização do
arrendamento
proprietário. Podem candidatar-
-se ao Prémio Nacional de Reabi-
litação Urbana 2019 os projetos e Apontando algumas fragilidades e deixando algumas
intervenções de reabilitação urba- críticas, o Presidente da República decidiu pela
na concluídos entre 1 de janeiro de promulgação do diploma da Assembleia da República
2017 e 31 de dezembro de 2018 que que proíbe e pune o assédio no arrendamento
não tenham sido candidatos em
edições anteriores.
Todos os candidatos serão apre-
sentados durante a Semana da
Reabilitação Urbana de Lisboa,
numa exposição patente no Pá-
tio da Galé, em Lisboa, de 8 a 12 de
abril. Os grandes vencedores, nas
várias categorias, serão anuncia-
dos numa cerimónia a decorrer em
DR
data e local a anunciar. As obras
Viana do Castelo, Braga, Vila Real, mas das melhores obras de reabili- com área inferior a 1000 m 2 estão
Porto, Viseu, Leiria e Lisboa. De tação urbana. Até esta sexta-feira, isentas de honorários, na sequên-
norte a sul, o Prémio Nacional de dia 8 de fevereiro, ainda pode apre- cia de um acordo celebrado entre a
Reabilitação Urbana recebe can- sentar o seu trabalho sendo que organização do prémio e a Ordem
didaturas que representam algu- qualquer entidade interveniente dos Arquitetos.

PUBLICIDADE

DR

O Presidente da República promul- be, constranja ou afete a dignida-


gou, a 31 de janeiro, o decreto 267/ de do arrendatário, subarrendatá-
XIII da Assembleia da República rio ou das pessoas que com estes
“lamentando”, contudo, que “o di- residam legitimamente no loca-
ploma preveja a possibilidade de do, os sujeite a um ambiente inti-
uma sanção pecuniária fi xa ao se- midativo, hostil, degradante, pe-
nhorio, e não proporcional à ren- rigoso, humilhante, desestabili-
da”. Em nota da presidência, Mar- zador ou ofensivo, ou impeça ou
celo Rebelo de Sousa aponta que a prejudique gravemente o acesso e
aplicação de uma sanção pecuniá- a fruição do locado”.
ria compulsória de valor fi xo, po- Verificada alguma das circuns-
de traduzir-se “em injustiças mais tâncias correspondentes a assédio,
ou menos significativas”. Aponta o arrendatário poderá intimar, por
também que o diploma introduz escrito, o senhorio a tomar as pro-
“conceitos pouco determinados, vidências ao seu alcance para cor-
que podem suscitar problemas de rigir o facto que as origina. Na fal-
interpretação e, portanto, confl i- ta de resposta, ou caso a situação
tualidade potencialmente acresci- se mantenha injustificadamen-
das”. Não obstante, o Presidente da te por corrigir, o arrendatário po-
República decidiu pela promulga- de requerer uma injunção contra
ção do diploma que “visa respon- o senhorio, destinada a corrigir a
der a situações sociais urgentes situação exposta na intimação, e
que merecem acolhimento”. exigir ao senhorio o pagamento de
O diploma em causa estabelece uma sanção pecuniária no valor
que “é proibido o assédio no arren- de 20 euros por cada dia a partir
damento ou no subarrendamen- do fi nal do prazo de resposta do
to, entendendo-se como tal qual- senhorio e até que este demons-
quer comportamento ilegítimo do tre ao arrendatário o cumprimen-
senhorio, de quem o represente ou to da intimação ou, em caso de in-
de terceiro interessado na aquisi- cumprimento, até que seja decre-
ção ou na comercialização do loca- tada a injunção.
do, que, com o objetivo de provocar
a desocupação do mesmo, pertur- Fernanda Cerqueira
Os direitos de propriedade intelectual de todos os conteúdos do Público – Comunicação Social S.A. são pertença do Público.
Os conteúdos disponibilizados ao Utilizador assinante não poderão ser copiados, alterados ou distribuídos salvo com autorização expressa do Público – Comunicação Social, S.A.

Quarta-feira, 06 de Fevereiro, 2019 | imobiliário | Oportunidades | 07

A Árvore das Patacas Investimento público:


Consenso político é inevitável
A fiscalidade sobre o património Num período de graves A dimensão da quebra do um período de emergência
sempre foi, em Portugal, uma carências habitacionais nas investimento em Portugal não fi nanceira, o anterior Governo,
verdadeira mina de ouro para principais cidades do País como tem paralelo. Em 2018, situou- aprovava o Plano Estratégico dos
os cofres do Estado. Há uns anos o que estamos a atravessar, é se, em termos reais, 12,5% Transportes e Infraestruturas
referi até numa entrevista que o tão urgente quanto necessária abaixo dos níveis verificados para o horizonte 2014-2020,
imobiliário era uma verdadeira a intervenção do Estado no em 2010. Quando comparada assumindo um conjunto
“árvore das patacas” do Estado, mercado, por forma a aumentar com a evolução verificada na importante de investimentos
Luís Lima a quem este recorria sempre a oferta disponível a preços Manuel Zona Euro, verifica-se que esta nos setores ferroviário,
Presidente que era necessário um “reforço” acessíveis. Reis Campos regista um comportamento que marítimo-portuário, rodoviário
da APEMIP de tesouraria para compensar Sabemos que o mercado por si Presidente da CPCI é, praticamente, o inverso do e aeroportuário-logístico, bem
luislima@apemip.pt eventuais quebras de receita só não resolverá os problemas – Confederação verificado em Portugal, ou seja, como nos transportes públicos
fiscal noutros sectores. habitacionais que existem, e por Portuguesa no mesmo período, de passageiros, cuja premência
Ano após ano, este sector tem isso o Estado e as autarquias da Construção cresceu 12,4%. é amplamente reconhecida por
vindo a engrossar os cofres têm obrigatoriamente que e do Imobiliário Aliás, o atual debate em toda a sociedade portuguesa e
estatais, confi rmando aquela assumir este papel, com soluções torno do Plano Nacional de foi sem surpresa que, em 2015, o
expressão que um dia usei. verdadeiramente realistas Investimentos (PNI) 2030 atual Governo, reconheceu este
Só em 2018, os impostos que atuem exclusivamente no ocorre, precisamente, num Plano e assumiu os Projetos que
diretamente cobrados sobre o sentido de aumentar a oferta momento em que acabámos o mesmo identificava.
património e sobre as transações imobiliária a preços controlados. de encerrar o ano 2018, com A proposta submetida
imobiliárias ascenderam os 2.5 No entanto, tem-se verificado um registo extremamente pelo Governo propõe a
mil milhões de euros. O Imposto uma tendência em querer negativo no mercado das obras aprovação do PNI 2030 por
Municipal sobre Imóveis (IMI) impedir o investimento e o públicas. As quebras nos valores uma maioria parlamentar
ultrapassou a barreira dos 1.5 normal funcionamento deste dos concursos promovidos de dois terços. É positivo que
mil milhões de euros e o Imposto sector económico, ao tentar atingem os 11% e nos concursos assim seja, pois, desta forma,
Municipal sobre Transações controlar a procura em vez celebrados 7%, quando garante-se que os grandes
(IMT), superou os mil milhões de dinamizar a oferta, o que comparados com o ano de 2017. projetos de investimento,
de euros. é incompreensível tendo em Desta forma, verifica-se considerados estruturais para
2.5 mil milhões, só em conta o papel importante que que, apesar de um contexto o desenvolvimento do País, são
impostos diretos que não desempenha na criação de económico mais favorável, ao assumidos pelos vários partidos
contabilizam Imposto de Selo, emprego e na dinamização da nível do investimento, o fosso do arco da governação e, desta
AIMI ou outra tributação indireta Economia. existente entre Portugal e a forma, estabelece-se um quadro
aplicada sobre este sector. Por isso, num período em que o Europa continua a acentuar-se de estabilidade e previsibilidade
Como já referi noutros fóruns Estado tem ganho tanto dinheiro quando, a bem do crescimento que é imprescindível.
públicos, não advogo a extinção através destes impostos diretos e da competitividade da É, por isso, natural que
do IMI, mas considero que as aplicados sobre o imobiliário economia, é preciso reverter nos questionemos sobre o
taxas aplicadas deveriam ser (para nem falar dos indiretos…) este atraso. E o mais atual posicionamento dos
simbólicas, sobretudo para as é imperativo que o dirija no extraordinário é que todos os partidos perante a discussão
propriedades que servem de sentido de criar soluções para partidos concordam com este na Assembleia da República do
habitação própria permanente. aumentar a oferta de casas a diagnóstico. PNI 2030. Porque é que estão
Mas, em Portugal, o preços que os jovens e famílias Efetivamente, o PNI 2030 é a transformar esta matéria
património construído continua portuguesas possam pagar, e a última oportunidade para o estruturante, num palco de luta
a ser visto como uma fonte através de medidas de promoção País concretizar os projetos que partidária?
inesgotável de rendimento da construção e da reabilitação há muito estão identificados O País precisa de recuperar
para o Estado numa ideia a de ativos com vista a dirigi- como necessários para o País, o investimento, de planear, de
que infelizmente, nos vamos los para o mercado a preços e que devem ser devidamente calendarizar e de concretizar.
habituando. controlados. planeados e calendarizados, Crescimento económico, criação
Mas se assim é, esta receita Quer seja por via do poder de forma a que se possa de emprego, coesão territorial e
deve também ser posta à central, quer seja por via do tirar partido de fontes de social, captação de investimento
disposição de todos nós, poder autárquico, é ao Estado fi nanciamento Europeias e privado, são alguns dos
cidadãos, nomeadamente no e não ao mercado que cabe mobilizar o imprescindível argumentos que impõem
que diz respeito àquilo que a função social de garantir investimento privado. decisões políticas suportadas
é o cumprimento do direito o cumprimento do direito E recordo que, em 2014, apesar em amplas maiorias, capazes de
constitucional à habitação. constitucional à habitação. de ainda estarmos a atravessar sobreviver aos ciclos eleitorais.

PUBLICIDADE

SECIL APOIA:

inscrições em: ALTO PATROCÍNIO JORNAL


PATROCÍNIO: PLATINA: OFICIAL:
premio.vidaimobiliaria.com
Os direitos de propriedade intelectual de todos os conteúdos do Público – Comunicação Social S.A. são pertença do Público.
Os conteúdos disponibilizados ao Utilizador assinante não poderão ser copiados, alterados ou distribuídos salvo com autorização expressa do Público – Comunicação Social, S.A.

Associação dos Industriais da Construção


Civil e Obras Públicas

AUDITÓRIO DA AICCOPN
CONGRESSOS | FORMAÇÕES | EVENTOS

LOCALIZAÇÃO NO CENTRO DO PORTO


FACILIDADE DE ESTACIONAMENTO
CAPACIDADE PARA 400 PESSOAS
MEIOS AUDIOVISUAIS

CONDIÇÕES ESPECIAIS PARA EMPRESAS ASSOCIADAS E ENTIDADES.


GARANTIMOS O SUCESSO DO SEU EVENTO. CONSULTE-NOS.

#MUNDOAICCOPN geral@aiccopn.pt www.aiccopn.pt +351 223 402 200

AICCOPN | RUA ÁLVARES CABRAL, 306 · 4050-040 PORTO

410330cc-deaf-48a2-92fa-cc9c99864a86