Vous êtes sur la page 1sur 14
GEORGE GAMOW As Aventuras do Sr. Tompkins [APRESENTAGAO, ANOTACOES. TRADUCAO E REVISKO DE ‘A. M, NUNES DOS SANTOS (CHRISTOPHER AURETTA, lustragées do autor e de John Hookham gradiva Introdugao Desde a infancia que crescemos acostumados ao mundo que nos rodeia, tal como dele nos apercebemos através dos ‘nossos cinco sentidos; neste estadio de desenvolvimento S40 formadas as nogdes fundamentais de espago, tempo e movi- ‘mento, A nossa mente habitua-se rapidamente a estas nogdes ‘e, mais tarde, temos tendéncia para acreditar que 0 nosso conceito de mundo exterior baseado nelas é o nico-possi- vel, parecendo-nos paradoxal toda a ideia da sua transfor- magio. Contudo, o desenvolvimento dos métodos fisicos de cobservacio € uma andlise mais profunda das relagdes for- muladas tém levado a ciéncia moderna a conclusio decisiva de que este fundamento «classico» falha completamente quando utilizado na descrigdo pormenorizada dos fenéme- nos ordinariamente inacessiveis & nossa observagao didria ¢ que algumas modificagdes nos conceitos fundamentais de espaco, tempo e movimento sao absolutamente necessérias para a descrigfo correcta e consistente de uma nova expe- rigncia clarificada. As divergéncias entre as nogées comuns ¢ as que foram introduzidas pela fisica moderna so, contudo, tio peque- nas que podem ser desprezadas sempre que a experiéncia se refira a vida quotidiana. Porém, se imaginarmos outros uni- vversos, com as mesmas leis fisicas que as do nosso, mas com valores numéricos diferentes para as constantes fisicas que 2B . ne determinam os limites de aplicabilidade dos antigos coneei- 105, os novos € correctos conceitos de espaco, tempo e mor ‘mento, que a ciéncia moderna elaborou apés longas ¢ labo- riosas investigagdes, tornar-se-Go matéria de conhecimento comum. Pode dizer-se que mesmo um ser primitivo em tal universo se familiarizaria com os principios da relatividade e da teoria quintica e os usaria na cara e na satisfago das suas nevessidades didrias. © herdi destes contos ¢ transportado, nos seus sonhos, para virios universos em que os fenémenos, geralmente ina- cessiveis aos nossos sentidos, sao tao fortemente exagerados que poderiam com facilidade ser observados como aconte- imentos do dia-a-dia. Este herdi foi ajudado no seu sonho fantastico, embora cientificamente correcto, por um antigo professor de Fisica (com cuja filha, Maud, acabou por se casar), que Ihe explicou, numa linguagem simples, os acon- tecimentos estranhos que observava nos mundos da teoria da relatividade, da cosmologia, da teoria quantica, da estru- ura atémica ¢ nuclear, das particulas elementares, etc. Esperamos que as insdlitas experiéncias do Sr. Tompkins ajudardo o leitor a formar uma ideia mais clara do actual mundo fisico em que vivemos. 24 Velocidade-limite na cidade' Era feriado” ¢ o Sr. Tompkins, 0 humilde empregado de lum grande banco da cidade, dormiu até tarde ¢ tomou vaga- Fosamente 0 pequeno-almoco. Tentando planear o seu di (, 56 coisas de Hollywood! ! Neste conto, para expicaros efeitos da reatvidade eintiniana, Gamow uiliza uma cidade imagindria, onde a velocidade maxima de citculacio per zmitida é muito mais pequena do que e velocidade da luz, N. dos R.) ? Mais precisamente, tratase de um feriado bancéro,designedo por bank holiday, sempre a uma segunda-teiea. (das R.) 25