Vous êtes sur la page 1sur 1

ESCOLA SECUNDÁRIA DR.

JOSÉ AFONSO

ÁREA DE INTEGRAÇÃO – 10º ANO – 2012-2013

O CONCEITO DE PESSOA

Resumo dos pontos essenciais abordados na aula


(apontamentos elaborados no grupo-turma).

• A pessoa não é uma coisa. Esta distinção só é óbvia em teoria. As coisas servem como
meios, não têm dignidade em si. A pessoa possui dignidade própria, quer dizer, não pode ser
usada por nenhuma vontade alheia para seu benefício próprio. Dito de outro modo: a pessoa é
o que nunca pode ser instrumentalizado, sendo que a minha liberdade tem como limite a
liberdade de outros.

• Como pessoa, o ser humano não se deve fechar nem se isolar na sua individualidade,
mas deve abrir-se à comunidade com os outros pelo amor ou pelo respeito e nunca pela
servidão, pela subserviência, ou pelo medo. O homem só se pode realizar e considerar como
pessoa se respeitar os outros homens como seus iguais.

• Liberdade e responsabilidade. O tema da responsabilidade está directamente ligado ao


da liberdade1. Só é responsável aquele que age com vontade própria e consciência, sem
coacção e com autenticidade; só pode responder pelos seus actos aquele que livremente os
constrói.

Nota complementar

Na linguagem do dia-a-dia, a palavra pessoa refere-se a um ser racional e consciente de si


mesmo, com identidade própria. O exemplo exclusivo é o próprio ser humano.
Uma pessoa é um ser social dotado de sensibilidade, com inteligência e vontade propriamente
humanas. Para a psicologia, trata-se de um indivíduo humano concreto (o conceito abarca os
aspectos físicos e psíquicos do sujeito que o definem pelo seu carácter singular e único).
No âmbito do direito, uma pessoa é todo o ser susceptível de adquirir direitos e contrair
obrigações. Por isso, fala-se de diferentes tipos de pessoas: pessoas físicas (os seres humanos) e
pessoas de existência ideal ou jurídicas (as sociedades, as corporações, o Estado, as
organizações sociais, etc.).

Tarefa: pesquisa sobre o conceito de pessoa/personalidade na internet (por exemplo, na


Wikipédia) ou na biblioteca da escola (em dicionários de psicologia ou sociologia).

1
O homem é um centro de decisão. A sua escolha é sempre autónoma, original. A escolha/decisão
compromete a pessoa, leva-a a responder perante si mesma e perante os outros. Torna-a, portanto,
responsável.