Vous êtes sur la page 1sur 10

MATEMÁTICA 1º ANO EJA OSVALDO

CONJUNTO

Introdução Subconjuntos dos Números Inteiros


Chamamos de conjuntos numéricos aqueles cujos Z* = {..., –4, –3, –2, –1, 1, 2, 3, 4, ...} ou Z* = Z – {0}:
elementos são números. A seguir, apresentaremos quais conjuntos dos números inteiros não-nulos, ou seja, sem
os principais estudados na Matemática, além de algumas o zero.
propriedades.
Z+ = {0, 1, 2, 3, 4, 5, ...}: conjunto dos números inteiros
e não-negativos. Note que Z+ = N.
Conjunto dos Números Naturais (N) Z*+ = {1, 2, 3, 4, 5, ...}: conjunto dos números inteiros
positivos e sem o zero.
Z – = {..., –5, –4, –3, –2, –1, 0}: conjunto dos números
O conjunto dos números naturais é representado por N. inteiros não-positivos.
Ele reúne os números que usamos para contar (incluindo
o zero) até o infinito. Z*– = {..., –5, –4, –3, –2, –1}: conjunto dos números
inteiros negativos e sem o zero.
N = {0,1,2,3,4,5,6,7,8,9,10, …}
(...) As reticências mostram que o conjunto é infinito.
Conjunto dos Números Racionais (Q)
Subconjuntos dos Números Naturais
O conjunto dos números racionais é representado por Q.
Reúne todos os números que podem ser escritos na
N* = {1, 2, 3, 4, 5..., n, ...} ou N* = N – {0}: conjuntos
forma p/q, sendo p e q números inteiros e q≠0.
dos números naturais não-nulos, ou seja, sem o zero.
Np = {0, 2, 4, 6, 8..., 2n, ...}, em que n ∈ N: conjunto dos
números naturais pares. Q = {0, ±1, ±1/2, ±1/3, ..., ±2, ±2/3, ±2/5, ..., ±3, ±3/2,
±3/4, ...}
Ni = {1, 3, 5, 7, 9..., 2n+1, ...}, em que n ∈ N: conjunto
dos números naturais ímpares.
P = {2, 3, 5, 7, 11, 13, ...}: conjunto dos números naturais Note que todo número inteiro é também número
primos. racional. Assim, Z é um subconjunto de Q.

Conjunto dos Números Inteiros (Z) Subconjuntos dos Números Racionais

O conjunto dos números inteiros é representado por Z. Q* = subconjunto dos números racionais não-nulos,
Reúne todos os elementos dos números naturais (N) e formado pelos números racionais sem o zero.
seus opostos. Assim, conclui-se que N é um subconjunto
de Z (N ⊂ Z): Q+ = subconjunto dos números racionais não-negativos,
formado pelos números racionais positivos e o zero.
Q*+ = subconjunto dos números racionais positivos, 1. a + b = b + a (comutatividade da soma)
formado pelos números racionais positivos, sem o zero.
2. a · b = b · a (comutatividade da multiplicação)
Q– = subconjunto dos números racionais não-positivos,
formado pelos números racionais negativos e o zero. 3. (a + b) + c = a + (b + c) (associatividade da soma)

Q*– = subconjunto dos números racionais negativos, 4. (a· b)· c = a · (b· c) (associatividade da multiplicação)
formado números racionais negativos, sem o zero. 5. 0 + a = a (elemento neutro da soma)
6. 1 · a = a (elemento neutro da multiplicação)
Conjunto dos Números Irracionais (I) 7. a · (b + c) = a · b + a · c (distributividade)

O conjunto dos números irracionais é representado por Relação de inclusão


I. Reúne os números decimais não exatos com uma
representação infinita e não periódica, por exemplo:
3,141592... ou 1,203040... A relação de inclusão pode ser bastante confundida se o
aluno não entender a simbologia.
 Quando falamos que o conjunto A está contido
Importante ressaltar que as dízimas periódicas são no conjunto B, então todo elemento de A
números racionais e não irracionais. Elas são números pertence a B e usamos o símbolo: A ⊂ B
decimais que se repetem após a vírgula, por exemplo:
1,3333333...  Quando falamos que B contém A usamos o
símbolo: B ⊃ A
Conjunto dos Números Reais (R)
 Quando falamos que o conjunto A não está
contido em B, usamo o símbolo: A ⊄ B
O conjunto dos números reais é representado por R. Esse  Quando falamos que o conjunto B não contém
conjunto é formado pelos números racionais (Q) e A, usamos o símbolo: B ⊅ A
irracionais (I). Assim, temos que R = Q ∪ I. Além disso,
N, Z, Q e I são subconjuntos de R.  Quanto falamos que o conjunto A é subconjunto
de B, ou seja, que todos os elementos de A
também são elementos de B, usamos o
Mas, observe que se um número real é racional, ele não símbolo: A ⊆ B
pode ser também irracional. Da mesma maneira, se ele é  Por fim, quando dizemos que B não é
irracional, não é racional. subconjunto de A, ou seja, B não está contido
nem é igual a A, usamos o símbolo: B ⊉ A.

Subconjuntos dos Números Reais Importante: a simbologia para relação de inclusão deve
ser usada para relacionar conjuntos, se usar para
relacionar elementos está errado.
R*= {x ∈ R│x ≠ 0}: conjunto dos números reais não- Exemplos:
nulos.
R+ = {x ∈ R│x ≥ 0}: conjunto dos números reais não-
negativos. Forma errada:

R*+ = {x ∈ R│x > 0}: conjunto dos números reais 1 ⊂ {1, 2, 3, 4, 5}; 1 neste caso é um elemento, para ser
positivos. conjunto deveria está entre chaves, o símbolo ⊂ deve ser
usado para relacionar conjuntos.
R– = {x ∈ R│x ≤ 0}: conjunto dos números reais não-
positivos. {1} ∈ {1, 2, 3, 4, 5}; {1} neste caso é um conjunto, o
símbolo ∈ serve para relacionar elementos.
R*– = {x ∈ R│x

Forma correta:
Para os conjuntos N, Z e Q estão bem definidas as
operações de {1} ⊂ {1, 2, 3, 4, 5}

soma e multiplicação, com as seguintes propriedades: {1} ⊄ {{1}, 2, 3, 4, 5}; aqui {1} é elemento e não
conjunto. Então: {1} ∈ {{1}, 2, 3, 4, 5}
Representação gráfica pelo Diagrama de Venn

Exemplo:
P={a,b,c,d,e}
Q={a,e,i,o,u}
P∩Q={a,e}
União de conjuntos.

Diferença de conjuntos
A união de conjuntos representa a soma dos elementos
dos conjuntos.
A diferença de dois conjuntos no conjunto universo U é
A união é representada simbolicamente pelo símbolo ∪.
formada pelos elementos que pertencem a A mas não
A ∪ B (Leia-se: A união B) pertencem a B.
A - B (Leia-se: a diferença entre A e B)

Seja A e B conjuntos, a união de A com B é dada por:


A ∪ B = {x ∈ U | x ∈ A ou x ∈ B}

Seja A e B conjuntos, a diferença entre A e B é dada por:


A − B = {x ∈ U | x ∈ A e x ∉ B}

Exemplo: Exemplos:
M={0,1,2,3} A = {1, 2, 3, 4} e B = {1, 4, 6}
N={3,4,5,6} B - A = {6}
M∪N={0,1,2,3,4,5,6,} A - B = {2, 3}

Intersecção de conjuntos. Igualdade de conjuntos

É formada pelos elementos que estão ao mesmo tempo Sejam os conjuntos A e B, A = B se, e somente se, eles
nos dois conjuntos. A intersecção é representada possuem os mesmos elementos. Independente da ordem
simbolicamente pelo símbolo ∩. Portanto podemos como se apresentam ou da quantidade.
escrever:
A ∩ B (Leia-se: A interseção B)
Exemplos:
Seja A e B conjuntos, a interseção de A com B é dada
por: A ∩ B = {x ∈ U | x ∈ A e x ∈ B} A = {1, 2, 3} e B = {3, 2, 1}
A = {1, 2, 3, 3, 3, 3} e B = {1, 2, 3}
Dizemos que A e B são iguais.
A=B
Exemplos:
A = {0, 1, 2, 3} e B = {4, 3, 2, 1}

Desigualdade de conjunto

Dois conjuntos são diferentes quando existe pelo menos


um elemento diferente do outro.

Simbologia Matemática

A simbologia é um recurso necessário para representar de forma resumida o que queremos dizer matematicamente.
* (asterisco) sobrescrito ao símbolo do conjunto numérico significa que excluímos o zero do conjunto.
+ (positivo) subscrito ao símbolo do conjunto numérico significa que excluímos os números negativos do conjunto.
– (negativo) subscrito ao símbolo do conjunto numérico significa que excluímos os números positivos do conjunto.

b) A ∩ B
Exercícios de fixação c) A ∪ C
d) A ∩ C
01). Represente o conjunto composto pelos dias da e) A – B
semana.
f) B – A
g) A ∩ B ∩ C
02). Escreva o conjunto formado pelas letras da palavra
Brasil.
03). Dados os conjuntos A = {0, 1, 2, 3, 4, 5} e B = {0, 04). Dados os conjuntos:
2, 4} e C = {1, 3, 5}, Determine: A = {x ∈ IN / x ≤7}
B = { x ∈ IN /2 < x ≤10}
a) A ∪ B Escreva os conjuntos A e B.
05). Escreva os conjuntos cuja representação é dada a 06). Em um determinado colégio, todos os alunos podem
seguir: ser separados em dois conjuntos: A, conjunto dos alunos
que gostam de música romântica e B, conjunto dos que
B = { x ∈ IN / x ≤18 e x é primo} gostam de rock. Esse colégio tem 600 alunos, A tem 400
alunos e B tem 300 alunos. Quantos alunos gostam de
música romântica e rock ao mesmo tempo?

DIVISIBILIDADE DE UM NÚMERO

Para alguns números como o dois, o três, o cinco e 3850 não é divisível por 4, pois não termina em 00 e 50
outros, existem regras que permitem verificar a não é divisível por 4.
divisibilidade sem se efetuar a divisão. Essas regras são
chamadas de critérios de divisibilidade.
Divisibilidade por 5

Divisibilidade por 2 Um número natural é divisível por 5 quando ele termina


em 0 ou 5.
Um número natural é divisível por 2 quando ele termina
em 0, ou 2, ou 4, ou 6, ou 8, ou seja, quando ele é par.
Exemplos:

Exemplos: 1) 55 é divisível por 5, pois termina em 5.

1) 40 é divisível por 2, pois termina em 0. 2) 90 é divisível por 5, pois termina em 0.

2) 37 não é divisível por 2, pois não é um número par. 3) 87 não é divisível por 5, pois não termina em 0 nem
em 5.

Divisibilidade por 3
Divisibilidade por 6
Um número é divisível por 3 quando a soma dos valores
absolutos dos seus algarismos for divisível por 3. Um número é divisível por 6 quando é divisível por 2 e
por 3.

Exemplo:
Exemplos:
234 é divisível por 3, pois a soma de seus algarismos é
igual a 2+3+4=9, e como 9 é divisível por 3, então 234 é 1) 312 é divisível por 6, porque é divisível por 2 (par) e
divisível por 3. por 3 (soma: 6).
2) 5214 é divisível por 6, porque é divisível por 2 (par)
e por 3 (soma: 12).
Divisibilidade por 4
3) 716 não é divisível por 6, (é divisível por 2, mas não
Um número é divisível por 4 quando termina em 00 ou é divisível por 3).
quando o número formado pelos dois últimos algarismos
da direita for divisível por 4. 4) 3405 não é divisível por 6 (é divisível por 3, mas não
é divisível por 2).

Exemplo:
Divisibilidade por 8
1800 é divisível por 4, pois termina em 00.
Um número é divisível por 8 quando termina em 000, ou
4116 é divisível por 4, pois 16 é divisível por 4. quando o número formado pelos três últimos algarismos
da direita for divisível por 8.
1324 é divisível por 4, pois 24 é divisível por 4.
Exemplos: Há frações que não possuem representações decimal
exata. Por exemplo:
1) 7000 é divisível por 8, pois termina em 000.
2) 56104 é divisível por 8, pois 104 é divisível por 8.
3) 61112 é divisível por 8, pois 112 é divisível por 8.
4) 78164 não é divisível por 8, pois 164 não é divisível
por 8.
Em uma dízima periódica, o algarismo ou algarismos
que se repetem infinitamente, constituem o período
Divisibilidade por 9 dessa dízima.
Um número é divisível por 9 quando a soma dos valores
absolutos dos seus algarismos for divisível por 9.
Exemplos de Dízimas Periódicas Simples

Exemplo:
0,111... período igual a 1
2871 é divisível por 9, pois a soma de seus algarismos é
0,252525... período igual a 25
igual a 2+8+7+1=18, e como 18 é divisível por 9, então
2871 é divisível por 9.

Exemplos de Dízimas Periódicas Compostas


Divisibilidade por 10
Um número natural é divisível por 10 quando ele termina 0,2333... anteperíodo igual a 2 e período igual a 3
em 0.
0,45222... anteperíodo igual a 45 e período igual a 2

Exemplos:
Transformação de dízima periódica simples em
1) 4150 é divisível por 10, pois termina em 0. fração
2) 2106 não é divisível por 10, pois não termina em 0.

Para realizarmos essa transformação, devemos utilizar o


período como numerador da fração e o denominador será
Número impar
formado pelo dígito 9. O que determina a quantidade de
2.n +1 dígitos 9 que serão utilizados é a quantidade de termos
do período. Observe os exemplos:
EX: (1, 3, 5, 7, 9, 11, ...)

Exemplo 1: Transforme a dízima periódica 0,222... em


Número par fração.
2.n 2
0,222…=
EX: (0, 2, 4, 6, 8, 10, ...) 9
O numerador da fração é 2, pois ele é o período da
dízima. Já o denominador é 9, pois o período e composto
Número primo por somente um número.
EX: (1, 3, 5, 7, 11, 13, ...) Exemplos:

0,111...
Período da dízima periódica
0,252525...

0,010101...
Toda a dízima periódica apresenta período, veja a seguir
como é feita a sua representação:
Exercícios a) 0,333 ...
01. Dê a representação decimal dos seguintes números b) 0,5550...
racionais:
c) 0,121212...
d) 0,777...

𝑎
02. Determine a geratriz dos seguintes decimais
𝑏
periódica

INTERVALOS DE UM CONJUNTO

Em matemática, podemos representar conjuntos, Geometricamente representamos por uma bolinha


subconjuntos e soluções de equações pela notação branca indicando o elemento não incluído:
de intervalo. Intervalo significa que o conjunto possui
cada número real entre dois extremos indicados, seja
numericamente ou geometricamente. Não é possível
representar subconjuntos ou conjuntos que não
sejam reais (ou contidos nos reais) pela notação de O intervalo também é aberto quando indicamos apenas
intervalo. um dos extremos e o outro pode ser uma infinidade de
elementos à direita (+∞) ou à esquerda (−∞). Ou seja:
Vamos, por exemplo, dizer que o conjunto A é um
subconjunto dos números naturais e que será ]a,+∞[={x∈R:x>a}
representado por:
A={x∈N:1<x<2}
Note que qualquer elemento de A pertence ao conjunto ]−∞,a[={x∈R:x<a}
dos naturais, porém é um absurdo dizer que nos naturais
existem números entre 1 e 2, ou seja, em ℕ não existe o
número 1,5 , por exemplo. Então, neste caso, dizemos
que o conjunto A é vazio. E será representado por:
Toda ocasião em que um extremo for uma infinidade de
A=∅ elementos, este sempre será um extremo aberto.
Logo não é correto dizer que A = ]1,2[. A não é um 2. Um intervalo fechado é aquele em que seus extremos
subconjunto dos números reais, então nem todos os são incluídos:
números possíveis estão no intervalo quaisquer números
naturais, ou inteiros ou racionais. [a,b]={x∈R:a≤x≤b}
Mas, se A fosse um subconjunto dos reais, poderíamos Na reta, o elemento incluído será uma bolinha preta:
dizer que:
A={x∈R:1<x<2}=]1,2[

3. Dizemos que um intervalo


O que geometricamente representamos: é semiaberto ou semifechado quando um de seus
extremos são incluídos, ou seja:
[a,b[={x∈R:a≤x<b}

Notações
1. Dizemos que um intervalo é aberto quando seus
extremos não estão incluídos. Exemplo: ]a,b]={x∈R:a<x≤b}

]a,b[={x∈R:a<x<b}
E também com extremos ao infinito: ]−∞,a]={x∈R:x≤a}
[a,+∞[={x∈R:x≥a}

Resumos

Exercícios de Fixação 03. Escreva os intervalos representados graficamente:

01. Represente na reta real os seguintes intervalos:


a) [1, 4]
b) ]0, 3[
c) [-1, 2]
02. Represente graficamente na reta real os seguintes
intervalos:
Fração

Fração é a forma de dividir alguma coisa através da Operações com Frações


razão de dois números inteiros. Dessa forma, nada mais
é do que uma divisão onde o dividendo é numerador e Adição
o divisor é o denominador. Quando dividimos uma Nas adições fracionárias, utiliza-se o Mínimo Múltiplo
pizza, por exemplo, estamos fracionando a pizza. Cada Comum (MMC) realizado a partir de seus
fatia representa uma parte da piza, ou seja, uma fração. denominadores, ou seja, o menor número múltiplo dos
Geralmente ela é dividida em 8 pedaços, então cada dois.
pedaço de uma pizza representa 1⁄8 (um oitavo) de uma
pizza.

Subtração
Tipos de Frações
Tanto na adição quanto na subtração é necessário
encontrar o Mínimo Múltiplo Comum, (MMC), isto é,
Fração Própria os números múltiplos comuns aos denominadores.

São frações em que o numerador é menor que o


denominador, ou seja, representa um número menor que
um inteiro.
Ex: 2/7

Fração Imprópria
São frações em que o numerador é maior, ou seja,
representa um número maior que o inteiro.
Ex: 5/3

Multiplicação
Fração Aparente Na multiplicação fracionária, multiplicam-se os
São frações em que o numerador é múltiplo ao numeradores entre si, bem como seus denominadores.
denominador, ou seja, representa um número inteiro
escrito em forma de fração.
Ex: 6/3= 2

Fração Mista
É constituída por uma parte inteira e uma fracionária
representada por números mistos.
1
Ex: 1 2 (um inteiro e um meio)
Divisão 02. Resolvas as frações abaixo:
Na divisão entre duas frações, multiplica-se a primeira
fração pelo inverso da segunda, ou seja, inverte-se o
numerador e o denominador da segunda fração.

Exercícios de Fixação
01. Resolvas as seguintes frações: