Vous êtes sur la page 1sur 58

COMPANHIA

PERNAMBUCANA
DE SANEAMENTO
PERNAMBUCO FERNANDO
DE NORONHA

População
▪ Área: 98.311 km² • Estado: 9.024.358 hab
• RMR: 3.914.317 hab
90%
do território está inserido na região
semi-árida

80%
dos volumes aproveitáveis estão
localizados no litoral e zona da mata
(11% da área do estado)
2 milhões
de clientes de água

468 mil
de clientes de esgoto
SISTEMA DE ABASTECIMENTO NORONHA

DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HÍDRICOS

• Brasil: 35 mil m3 hab/ano

• SP: 2.468 m3 hab/ano

• PE: 1.320 m3 hab/ano

• Fernando de Noronha: 18 m3 hab/ano (Xaréu)


61 m3 hab/ano (Xaréu + Poços)
155 m3 hab/ano (Xaréu + Poços + Dessalinizador)

•Classificação ONU – Crítico: <1.500 m3 hab/ano


SISTEMA DE ABASTECIMENTO NORONHA
ANÁLISE SOBRE A DISPONIBILIDADE HÍDRICA

• CLIMA:
Tropical com duas estações bem definidas: a seca, que vai de setembro a
fevereiro e a chuvosa, com precipitações ocasionais, de março a agosto. A
temperatura tem pouca variação durante o ano, mantendo uma média de
28ºC.

• CHUVAS MÉDIAS:
• RECIFE  2.200 mm/ano
• AGRESTE PERNAMBUCO  1.000 à 1400mm/ano
• Fernando de Noronha  1.300mm/ano

• O Sistema de Abastecimento de Água de Fernando de Noronha é


o único para abastecimento público atualmente em operação no
Brasil.
NIVELAMENTO SOBRE
ESGOTAMENTO SANITÁRIO
Rede coletora
de esgotos
sobrecarregada
Período
chuvoso

Drenagem
Crescimento
inadequada ou
urbano com cobertura
desordenado
insuficiente
Sistema de Esgotamento Sanitário X Sistema de Drenagem
•Esgoto
Sistema Fechado
Marco Regulatório
“Art. 44 § 2o A autoridade ambiental competente estabelecerá metas progressivas para que a
qualidade dos efluentes de unidades de tratamento de esgotos sanitários atenda aos padrões das
classes dos corpos hídricos em que forem lançados, a partir dos níveis presentes de tratamento e
considerando a capacidade de pagamento das populações e usuários envolvidos.”
Lei 11.445/2007

Progressividade

Diretrizes nacionais Capacidade de


para o saneamento pagamento
básico
Panorama do Esgotamento Sanitário

Índice médio de atendimento urbano por


rede coletora de esgotos dos municípios

< 10,0% (4 estados)


10,1% a 20,0% (3 estados)
20,1% a 50,0% (13 estados)
50,1% a 70,0% (3 estados)
> 70,1% (4 estados)

Fernando de Noronha - 53%


Panorama do Abastecimento de Água

Índice médio de atendimento urbano


por rede de água dos municípios

< 40,0% (1 estado)


40,1% a 60,0% (2 estados)
60,1% a 80,0% (2 estados)
> 80,1% (22 estados)

Fernando de Noronha - 97%


EPISÓDIOS
EPISÓDIO 1
Fernando de Noronha - Praia do Cachorro (2015)
Chuvas torrenciais e a ausência de um sistema
de drenagem eficiente de águas pluviais na ilha.

Consequências:
Solução:
1. Na EEE da Praia do Cachorro 2. Voos cancelados
• Funcionamento normal: 1. Foi enviada uma bomba de maior
2 bombas em sequência + 2 reservas capacidade, por um avião da
aeronáutica.
• Sobrecarga:
3 bombas danificadas
EPISÓDIO 2
Fernando de Noronha - ETE do Cachorro (2015)
Filtro anaeróbio estorou.
Consequências:
1. Rompimento do filtro e escoamento de 20m³ de esgotos
parcialmente tratado. O mesmo foi isolado imediatamente após
o acidente;
2. A ETE permaneceu em operação com as demais unidades de
Filtro Rompido
tratamento (03), sem causar prejuízos na qualidade do efluente;
Solução:
Foi acionada a garantia e a empresa responsável
construiu outro filtro e providenciou o reforço de todas
as unidades existentes nas ETEs do Cachorro e Boldró.

Filtro Reconstruído
Repercussões na Imprensa/Mídias
Avanços em Fernando de Noronha

Certificação Ambiental ISO 14001 para as unidades operacionais


de tratamento de água e esgoto da Compesa

Fernando de
Noronha
ETE Boldró
ETE Cachorro
ETA Noronha
ETE Boldró
ESTRATÉGIAS DE
ESGOTAMENTO
SANITÁRIO
Abrangência: Investimentos Estimados:
1,2 milhão de US$ 330 milhões
pessoas Governo do Estado: US$ 130 milhões
BID: US$ 200 milhões
Gravatá
Projetos (P) (Projeto 2ª etapa
Obras (O) Caruaru Obra 1ª etapa)
Belo Jardim (P/O) Bezerros
Poção (P) (P/O)
(P/O)

Primavera (P)

Chã Grande
Sannharó (P)
(P/O)
Tacaimbó
(Projeto 2ª etapa Escada
Obra 1ª etapa) (Projeto 2ª etapa
Obra 1ª etapa)
Abrangência: Investimento estimados:
3,5 milhões de US$ 410 milhões
pessoas Governo do Estado: US$ 220 milhões
BIRD: US$ 190 milhões
Projetos (P)
Santa Cruz do
Obras (O)
Capibaribe Carpina (P)
Surubim
(O) Toritama
(O)
(P)
Feira Nova
Pesqueira (P)
(P)
Serra Talhada (P) Brejo da Madre Pombos (P)
de Deus (P)

Bonito (P)
São Bento do Una (P) Ribeirão (P)

Bom Conselho (P)


UNIVERSALIZAÇÃO DO ESGOTAMENTO
SANITÁRIO NA RMR

Abrangência: Investimento estimado:


4 milhões de R$ 4,5 bilhões
pessoas Privado: R$ 3,5 bilhões
Público: R$ 1 bilhão
Modelo de PPP para a RMR
 Período de contrato: 35 anos (início Julho/2013)
 41 sistemas de esgotamento sanitário

Responsabilidade de inv estimento:

Poder Parceiro Privado: 25


Público: 16 Obrigações:
 Recuperação dos
Sis temas Existentes
 Operação e manutenção

Áreas de Ocupação Especial


 Necessidade de atuação das
prefeituras para avanços com o
Saneamento Integrado
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO
DE FERNANDO DE NORONHA
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO - SES

Divisão das Bacias:


• Bacia do Cachorro: Vila os
Remédios, Vila do Trinta, Floresta
Nova e Velha;
• Bacia do Boldró: Boldró

Informações Comerciais:
• Total de Ligações ativas: 533
• Área de Cobertura: 53%

▪ ▪ Extensão
Extensão TotalTotal
de Rede
de Rede
Coletora: 7.800m
Coletora: 7.800m
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Bacia do Cachorro- ETE CACHORRO

CAIXA DE AREIA
4 REATORES E 4 FILTROS
(TORRE)
LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO LABORATÓRIO

LEITO DE SECAGEM

LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO

ETE ANTES DA REFORMA ETE APÓS A REFORMA


SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Bacia do Cachorro-ETE CACHORRO

Unidades da ETE Cachorro


(Estação de Tratamento de
Esgoto)

• Caixa de Areia
• 4 Reatores UASB
• 4 Filtros Anaeróbios
• Lagoa Facultativa
• Tanque de
Contato(Desinfeçção)
• 3 Leito de Secagem
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Bacia do Boldró-ETE BOLDRÓ

LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO

LEITO DE
SECAGEM

CASA DE QUÍMICA

1 REATOR E 1 FILTRO
LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO
ANAERÓBIOS

CAIXA DE AREIA (TORRE)

ETE ANTES DA REFORMA ETE APÓS A REFORMA


SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
ETE BOLDRÒ

Unidades da ETE Boldró (Estação


de Tratamento de Esgoto)

• Caixa de Gordura
• Caixa de Areia
• Reator UASB
• Filtro Anaeróbio
• Lagoa Facultativa
• 3 Lagoa de Maturação
• Tanque de Contato(Desinfeçção)
• Leito de Secagem
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
CAPACIDADE DE TRATAMENTO DAS ETES

VAZÃO MÉDIA (m3/h)


TRATAMENTO DE
ESGOTO
CAPACIDADE DA ETE DEMANDA ATUAL % UTILIZADO

ETE CACHORRO 31,4m3/h 10,00m3/h 32%

7,70m3/h 3,62m3/h
ETE BOLDRÓ 47%
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Controle de Qualidade do Tratamento de Esgotos

Para garantir a qualidade do tratamento e dos Esgotos


Tratados são realizadas Análises Fisicoquímicas e
Bacteriológicas no Laboratório de Esgotos da
Cabanga:

Temperatura, pH, Cloreto, Alcalinidade,Oxigênio


Dissolvido, DBO(Demanda Bioquímica de Oxigênio),
Análise de DBO DQO, Sólidos Sedimentáveis, Série de Sólidos, Óleos
e Graxas, Fósforo, Coliformes Termotolerantes.

• Número de Análises realizadas:


- Mensalmente: 128 análises
- Anualmente: 1536 análises

Análise de Coliformes Termotolerantes


SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Controle de Qualidade- ETE CACHORRO

PARÂMETRO LIMITE LEGISLAÇÃO MÊS- ANO 2018


FISICOQUIMICO E
MICROBIOLÓGICO Conama N 430 *
JANEIRO FEVEREIRO
Norma CPRH 2007**
Máx. 120 mg/L 75mg/L 50mg/L
DBO*
Mín. 60% Efic. Remoção 94% 91%

pH* Entre 5,0 - 9,0 7,4 7,6

Coliformes
10.000 NMP/100mL 1.222 0
Termotolerantes**
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Tratamento do Esgoto

Características Visuais do Esgoto Bruto e Tratado- ETE Cachorro

BRUTO TRATADO E BRUTO TRATADO E


DESINFETADO DESINFETADO
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Controle de Qualidade- ETE BOLDRÓ

PARÂMETRO LIMITE LEGISLAÇÃO MÊS- ANO 2018


FISICOQUIMICO E
MICROBIOLÓGICO Conama N 430 *
JANEIRO FEVEREIRO
Norma CPRH 2007**
Máx. 120 mg/L 32mg/L 90mg/L
DBO*
Mín. 60% Efic. Remoção 94% 93%

pH* Entre 5,0 - 9,0 7,2 7,1

Coliformes
10.000 NMP/100mL 19 2.330
Termotolerantes**
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Tratamento do Esgoto

Características Visuais do Esgoto Bruto e Tratado- ETE Boldró

Placa da ETE Boldró BRUTO TRATADO E


DESINFETADO
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Atividades de Operação do SES

Várias Atividades Operacionais são realizadas periodicamente visando manter o


perfeito funcionamento do Sistemas de Esgotamento Sanitário.

• Descarga de Reatores UASB e Caixas de Areia.


• Limpeza das unidades operacionais.

• Limpeza de poços de visita e desobstruções na rede coletora


• Conserto e substituição de tubulações e tampas.
SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Obras Realizadas

Melhorias do Sistema de Esgotamentos Sanitário de Fernando de Noronha.

• Criação da 2ºElevatória no Tanque Pulmão.


• Construção de Caixa de Areia na entrada da Elevatória

• Aquisição de 4 Bombas na Estação Elevatória Cachorro


SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Obras Realizadas

Melhorias do Sistema de Esgotamentos Sanitário de Fernando de Noronha.

• Instalação dos Tanques de Contato de cloro dos


Esgotos Tratados.

Tanque ETE Cachorro Tanque ETE Boldró


SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO – SES
Obra Prevista
PROJETO FUTURO

Ampliação do Sistema de Esgotamentos Sanitário de Fernando de Noronha.

• Está obra contempla a ampliação da ETE Boldró;

• Implantação de redes coletora de esgotos das duas bacias (Boldró e


Cachorro), de forma a atender 100% dos imóveis locais;

Custo Estimado do Investimento


R$ 20.000.000,00
SISTEMA DE ABASTECIMENTO DA
ILHA DE FERNANDO DE NORONHA
SISTEMA DE
ABASTECIMENTO DE
FERNANDO DE NORONHA
SISTEMA DE ABASTECIMENTO NORONHA

O Sistema de Abastecimento de Água de Fernando de Noronha


foi organizado a partir da Segunda Guerra Mundial, quando a ilha
sediou uma base militar americana. Atualmente, a Companhia
Pernambucana de Saneamento – Compesa explora esse
sistema, que tem como fontes de abastecimento:

• Um manancial de superfície, denominado Açude Xaréu;


• Placas de concreto para coleta de chuvas, cuja construção
data da época da Segunda Guerra Mundial;
• Pequenos poços tubulares;
• Sistema de Dessalinização.

A demanda por água na Ilha é bastante variável ao longo do ano


e tem seu pico atual em torno de 72 m³/h
SISTEMA DE ABASTECIMENTO NORONHA
Fontes de Abastecimento - Açude do Xaréu

• O açude do Xaréu é a única captação de


água doce, que por depender da
precipitação pluviométrica não é
considerada a fonte mais segura;
• Atualmente está com 60% de sua
capacidade;
• Estudos recomendam a exploração de
uma vazão segura de 13 m³/h e a ETA tem
capacidade de tratamento de 30 m³/h;
• Volume total de acumulação: 411 mil m³
SISTEMA DE ABASTECIMENTO NORONHA
Fontes de Abastecimento - Sistema de Dessalinização

• Alternativa de tratamento de água com


alto teor de sólidos dissolvidos, inclusive
cloretos;
• Utilizado em regiões do mundo com
escassez de água doce;
• Processo envolve alto valor relativo de
implantação e manutenção em relação
aos sistemas convencionais;
• Sistema de tratamento através de
Osmose Reversa, com aproveitamento
de 40% a 45% da água tratada
(permeado);
• A capacidade nominal do atual sistema é
de 48 m³/h.
SISTEMA DE
DESSALINIZAÇÃO
SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Composição do Sistema

• Estrutura de alimentação de água do mar;


• Poço de sucção de água do mar;
• Estação elevatória (Q = 130 m³/h);
• Adutora de água do mar;
• Desarenação;
• Reservação;
• Filtros;
• Sistema de Osmose.
SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Captação / Elevação
SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Captação / Elevação

Torre de Desarenação Reservatórios


SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Osmose
SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Equipamento

Etapas do Sistema Produtivo

Reservação
Captação Desarenação Água salgada

Osmose
reversa Pressurização Filtração

Desinfecção Distribuição
SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Ampliação

• DEMANDA ATUAL DE PICO: 72 m³/h;


• PRODUÇÃO RECOMENDADA XARÉU: 13 m³/h;
• PRODUÇÃO NOMINAL DA PLANTA ATUAL: 48 m³/h;
• PRODUÇÃO TOTAL EM CONDIÇÕES IDEIAS: 61 m³/h;
• FALTA DE CHUVAS;
• CONFIABILIDADE  PRODUÇÃO ININTERRUPTA DE 72 m³/h

AMPLIAÇÃO DA PLANTA DE DESSALINIZAÇÃO !


PROPOSTA
SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Proposta

Aumento de produção da água salgada com vazão de 360 m³/h


SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Proposta

• Estimativa de no mínimo
12 hs/dia de
bombeamento (máximo
de 6 horas sem
bombeamento)
• Implantação de novo
reservatório de 1.000 m³
SISTEMA DE DESSALINIZAÇÃO
Proposta

• Implantação de 4
módulos com 4 vasos
• Novos vasos com 7
membranas

• 96 memb  112 memb


• 48 m³/h  72 m³/h
• R$ 22 milhões