Vous êtes sur la page 1sur 7

Ficha de Avaliação

ENSINO
Tipo de Avaliação: AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS
Instituição de Ensino: UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE (UFAC)
Programa: Ensino de Ciências e Matemática (11001011007P6)
Modalidade: PROFISSIONAL
Área de Avaliação: ENSINO
Período de Avaliação: Avaliação Quadrienal
Data da Publicação: 20/09/2017

Parecer da comissão de área


1 – Proposta do Programa

Itens de Avaliação Peso Avaliação


1.1 Coerência, consistência, abrangência e atualização da(s) área(s) de concentração,
linha(s) de atuação, projetos em andamento, proposta curricular com os objetivos do 50.0 Muito Bom
Programa
1.2. Coerência, consistência e abrangência dos mecanismos de interação efetiva com 20.0 Bom
outras instituições, atendendo a demandas sociais, organizacionais ou profissionais.
1.3. Infraestrutura para ensino, pesquisa e administração. 10.0 Bom
1.4. Planejamento do Programa visando ao atendimento de demandas atuais ou futuras
de desenvolvimento nacional, regional ou local, por meio da formação de profissionais 20.0 Muito Bom
capacitados para a solução de problemas e práticas de forma inovadora.

Conceito da Comissão: Muito Bom


Apreciação: 1.1. O Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade
Federal do Acre (UFAC), Campus Rio Branco, AC, iniciou suas atividades em janeiro de 2014. O Programa possui
uma área de concentração, intitulada “Ensino de Ciências e Matemática”, com duas linhas de pesquisa: “Ensino e
Aprendizagem em Ciências e Matemática” e “Recursos e Tecnologias no Ensino de Ciências e Matemática”. As
linhas de pesquisa são abrangentes e comportam três projetos relevantes e atuais. A matriz curricular traz disciplinas
coerentes com as linhas de pesquisa e com a área de concentração do Programa, estando alinhada com os objetivos
e o perfil do egresso. A proposta curricular apresenta um conjunto de dezesseis disciplinas, entre obrigatórias e
optativas, cujas ementas e referências bibliográficas estão atualizadas em sua maioria. As disciplinas obrigatórias
estão organizadas em blocos, sendo quatro comuns a todos os discentes, e duas por área de conhecimento
(Ciências ou Matemática). Um crédito obrigatório é cumprido com a participação em grupo de pesquisa ou seminário,
e dois créditos em optativas. 1.2. O Programa oferece vagas que atendem professores de vários municípios do Acre
e dos estados de Rondônia e Amazonas. É relatado o estabelecimento de parcerias com Instituições de Ensino
Superior por meio dos dois docentes colaboradores e de uma docente permanente vinculada à Universidade Federal
de Santa Catarina (UFSC). 1.3. O Programa apresenta infraestrutura adequada ao pleno funcionamento do Curso.
1.4. Duas alterações constam no APCN do Programa: na composição do corpo docente (11, 14 e 20 docentes,
respectivamente nos anos 2014, 2015 e 2016) e na matriz de disciplinas (três novas disciplinas optativas a partir de

21/02/2019 21:29:49 1
Ficha de Avaliação

2015). Há várias ações de planejamento apresentadas pelo Programa: captação de recursos para o desenvolvimento
das pesquisas; bolsas para mestrandos; organização e participação em eventos; melhorias na infraestrutura do
Curso; participação nas edições do Seminário Nacional dos Mestrados Profissionais da Área de Ensino-CAPES;
integração com a Rede Amazônica de Ensino de Ciências e Matemática (REAMEC); intercâmbio com professores de
outras Universidades da América Latina que mantenham convênio com a UFAC; seleção de alunos, no âmbito do
Acordo de Cooperação entre a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o Grupo Coimbra de Universidades
Brasileiras (CGUB); parcerias com Secretarias de Educação, coordenações dos Cursos de licenciatura do Instituto
Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (IFAC) e Colégio de Aplicação da UFAC; realização do
seminário anual do Programa; criação de uma revista eletrônica; aumento da produção científica e técnica de
docentes e discentes em periódicos melhores qualificados no Qualis da Área. Diante do Exposto a Comissão atribui o
Conceito Muito Bom para esse quesito.

2 – Corpo Docente

Itens de Avaliação Peso Avaliação


2.1. Perfil do corpo docente, considerando experiência como pesquisador e/ou 50.0 Muito Bom
profissional, titulação e sua adequação à Proposta do Programa.
2.2. Adequação da dimensão, composição e dedicação dos docentes permanentes para o 20.0 Bom
desenvolvimento das atividades de pesquisa e formação do Programa.
2.3. Distribuição das atividades de pesquisa, projetos de desenvolvimento e inovação e de 20.0 Regular
formação entre os docentes do Programa.
2.4. Contribuição dos docentes para atividades de ensino e/ou de pesquisa na
graduação, com atenção tanto à repercussão que este ite m pode ter na formação de
futuros ingressantes na PG, quanto (conforme a área) na formação de profissionais mais 10.0 Fraco
capacitados no plano da graduação. Obs . : este item só vale quando o PPG estiver
ligado a curso de graduação; se não o estiver, seu peso será re distribuído
proporcionalmente entre os demais itens do quesito.

Conceito da Comissão: Bom


Apreciação: 2.1. O Programa apresenta corpo docente composto por dezoito docentes permanentes e dois
colaboradores, configurando uma equipe multidisciplinar. Todos têm formação adequada à proposta, seja por
formação na Área de Ensino/Educação (onze docentes) ou áreas afins (nove docentes). Há diversidade de
instituições na formação e titulação do corpo permanente. 2.2. Dezoito docentes possuem regime de trabalho integral
na instituição, com dois colaboradores atuando em regime parcial. Na distribuição das horas dedicadas ao Programa,
são registradas 40 horas (dois docentes), 20 horas (doze docentes) e 10 horas (seis docentes), o que atende aos
indicadores da CAPES. Os docentes têm bom envolvimento com as atividades do Curso, desenvolvendo projetos
associados às linhas de pesquisa, disciplinas e orientações. 2.3. A distribuição das atividades do Curso entre os
docentes pode ser melhorada, considerando que doze docentes apresentam orientações (em andamento ou
concluídas) e dez docentes participam de projetos de pesquisa, como responsáveis ou colaboradores. A produção
bibliográfica e técnica é baixa, com indicadores que variam de Insuficiente a Regular. Os pontos totais em produtos
educacionais contribuem com 36%, o que é considerado Bom pela Área. 2.4. Não há registro da atuação dos
docentes em disciplinas ou orientações de qualquer natureza na graduação, com exceção das atividades de uma
docente no ano de 2014. Relata-se que a integração com a graduação acontece por meio de discussões em dois

21/02/2019 21:29:49 2
Ficha de Avaliação

grupos de pesquisa, dos seminários temáticos e participação dos discentes do Programa nos cursos de graduação.
Os aspectos elencados levam a Comissão a atribuir o conceito Bom nesse quesito.

3 – Corpo Discente e Trabalho de Conclusão

Itens de Avaliação Peso Avaliação


3.1. Quantidade de trabalhos de conclusão (MP) aprovados no período e sua distribuição 35.0 Regular
em relação ao corpo discente titulado e ao corpo docente do programa.
3.2. Qualidade dos trabalhos de conclusão produzidos por discentes e egressos. 40.0 Bom
3.3. Aplicabilidade dos trabalhos produzidos. 25.0 Bom

Conceito da Comissão: Bom


Apreciação: 3.1. Dezesseis dissertações foram defendidas no ano de 2016, com uma média de 0,9 dissertações por
docente permanente, o que corresponde ao conceito Fraco. Nesse item, deve-se considerar o início efetivo do Curso
em 2014. Doze docentes têm orientações em andamento ou concluídas. A média de titulação foi de 25,8 meses, o
que é considerado Muito Bom pela Área. 3.2. Pelo que se pode depreender dos títulos e resumos das dissertações,
há coerência entre a produção intelectual e a área de concentração e linhas de pesquisa do Programa. Não há
registro de produção bibliográfica e técnica por parte dos discentes. 3.3. As pesquisas desenvolvidas no Curso
propõem o desenvolvimento de produtos educacionais para serem aplicados no contexto amazônico, indicando que
tais produtos apresentam condições de aplicabilidade. O trabalho de divulgação se dá por meio da apresentação dos
produtos em eventos e no site do Programa (http://www.ufac.br/mpecim). Diante do exposto, a Comissão atribui o
conceito Regular para o quesito 3.

4 – Produção Intelectual

Itens de Avaliação Peso Avaliação


4.1. Publicações qualificadas do Programa por docente permanente. 20.0 Insuficiente
4.2. Produção artística, técnica, patentes, inovações e outras produções consideradas 40.0 Regular
relevantes.
4.3. Distribuição da produção científica e técnica ou artística em relação ao corpo docente 20.0 Regular
permanente do programa.
4.4. Articulação da produção artística, técnica e científica entre si e com a proposta do 20.0 Regular
programa.

Conceito da Comissão: Regular


Apreciação: 4.1. A produção docente não pode ser avaliada em sua totalidade no quadriênio, uma vez que os inícios
das atividades se deram no ano de 2014. O corpo docente alcançou 1.820 pontos totais no período e a produção por
docente permanente(DP)/ano no Programa é igual a 34 pontos, considerado Insuficiente pela Área. 4.2. A produção
técnica é baixa, no entanto, os produtos educacionais contribuem com 36% dos pontos totais, o que é conceituado
Bom na Área. 4.3. A distribuição da produção científica e técnica entre os docentes permanentes é equitativa. Há
concentração de trabalhos em anais em relação a periódicos. Percebe-se progressão no aumento da produção

21/02/2019 21:29:49 3
Ficha de Avaliação

docente ao longo do quadriênio. 4.4. A produção do corpo docente, a julgar pelos títulos dos trabalhos, apresenta
articulação com a área de concentração e com as linhas de pesquisa do Programa. Há pouca articulação entre a
produção científica e a técnica, com predominância da primeira. Diante do exposto, a Comissão atribui o conceito
Regular a este quesito.

5 – Inserção Social

Itens de Avaliação Peso Avaliação


5.1. Impacto do Programa. 40.0 Muito Bom
5.2. Integração e cooperação com outros Cursos/Programas com vistas ao 20.0 Bom
desenvolvimento da pós-graduação.
5.3. Integração e cooperação com organizações e/ou instituições setoriais relacionados à
área de conhecimento do Programa, com vistas ao desenvolvimento de novas soluções, 20.0 Regular
práticas, produtos ou serviços nos ambientes profissional e/ou acadêmico.
5.4. Divulgação e transparência das atividades e da atuação do Programa. 20.0 Bom

Conceito da Comissão: Bom


Apreciação: 5.1. O Programa pauta-se pelo propósito de produzir mudanças no campo da ação profissional dos
professores das Áreas de Ciências e de Matemática da região de abrangência do estado do Acre, principalmente nas
redes públicas municipais e estadual de ensino. Este propósito pode refletir nos Cursos de licenciatura,
progressivamente, mais adequados às necessidades atuais da formação inicial de professores, além de favorecer as
relações da Universidade com as escolas públicas da região e a criação de campos de estágio mais favoráveis para
os licenciandos da instituição. O Programa recebe alunos de vários municípios do Acre e dos estados de Rondônia e
Amazonas, possuindo também um aluno da Colômbia, por convênio. A inserção se dá à medida que os mestrandos
atuam em diversos espaços. Assim, ao desenvolverem suas pesquisas, estabelecem interfaces tanto ao nível da
prática pedagógica em suas salas de aula, como contribuem nos processos de formação inicial ou continuada. 5.2. O
Programa tem dialogado com diversos setores da sociedade e participado de reuniões envolvendo direta, ou
indiretamente, as Secretarias de Educação. Há iniciativas de acordo de cooperação e intercâmbio com outras
instituições, como universidades e escolas, e divulgação dos trabalhos em eventos da área de Ensino de Ciências.
5.3. Percebe-se que ainda existe pouca integração, cooperação e nucleação do Programa, por meio de mecanismos
formais (parcerias, convênios) explicitados no relatório. 5.4. Informações sobre o Programa estão disponíveis na
página do Programa no site da UFAC. Relata-se que essas informações também são divulgadas em eventos e redes
sociais. Diante do exposto, a Comissão atribui o conceito Bom a este quesito.

Qualidade dos Dados

Quesitos de Avaliação Peso Avaliação


1 – Proposta do Programa - Muito Bom
2 – Corpo Docente 15.0 Bom
3 – Corpo Discente e Trabalho de Conclusão 30.0 Bom
4 – Produção Intelectual 30.0 Bom

21/02/2019 21:29:49 4
Ficha de Avaliação

Quesitos de Avaliação Peso Avaliação


5 – Inserção Social 25.0 Bom

Conceito da Comissão: Bom

Apreciação: A qualidade dos dados é suficiente para a análise. Sugere-se a máxima atenção no preenchimento dos
dados na Plataforma Sucupira a fim de garantir que todas as informações importantes para a avaliação qualitativa e
quantitativa do Programa estejam claras, coerentes e disponíveis nos campos adequados de preenchimento. O
conceito da Comissão para a qualidade dos dados disponíveis para a avaliação é Bom.

Parecer da comissão de área sobre o mérito do programa

Quesitos de Avaliação Peso Avaliação


1 – Proposta do Programa 0.0 Muito Bom
2 – Corpo Docente 15.0 Bom
3 – Corpo Discente e Trabalho de Conclusão 30.0 Bom
4 – Produção Intelectual 30.0 Regular
5 – Inserção Social 25.0 Bom

Nota: 3
Apreciação
O Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal do
Acre (UFAC), Campus Rio Branco, iniciou suas atividades em janeiro de 2014. O Programa possui uma
área de concentração, intitulada “Ensino de Ciências e Matemática”, com duas linhas de pesquisa: “Ensino
e Aprendizagem em Ciências e Matemática” e “Recursos e Tecnologias no Ensino de Ciências e
Matemática”. As linhas de pesquisa são abrangentes e comportam três projetos relevantes e atuais. A
proposta curricular apresenta um conjunto de 16 disciplinas, entre obrigatórias e optativas, cujas ementas
e referências bibliográficas estão atualizadas. Relata-se o estabelecimento de parcerias com instituições
de ensino superior. O Programa apresenta infraestrutura adequada ao pleno funcionamento do curso.
Relata-se também ações de planejamento para: captação de recursos para pesquisas e bolsas;
organização e participação em eventos; cooperação e parcerias com instituições de ensino superior e
educação básica; melhorias na infraestrutura; aumento da produção científica e técnica qualificada do
Programa. O corpo docente é composto por dezoito permanentes e dois colaboradores, configurando uma
equipe multidisciplinar. Os pontos totais em produtos educacionais contribuem com 36%, o que é
considerado Bom para a Área. Foram defendidas dezesseis dissertações no ano de 2016 e a média de
titulação foi de 25,8 meses, o que é considerado Muito Bom pela Área. Há incentivo para que as pesquisas
desenvolvam produtos educacionais no contexto amazônico. O corpo docente alcançou 1.820 pontos
totais no período e a produção por docente permanente/ano no Programa é igual a 34 pontos, considerado
Insuficiente pela Área. A produção técnica é baixa, no entanto, os produtos educacionais contribuem com

21/02/2019 21:29:49 5
Ficha de Avaliação

36% dos pontos totais, o que é conceituado Bom na Área. Percebe-se progressão no aumento da
produção docente ao longo do quadriênio. O Programa recebe alunos de vários municípios do Acre,
estados de Rondônia e Amazonas, além de um aluno da Colômbia, por convênio. Há iniciativas de acordo
de cooperação e intercâmbio com outras instituições, como universidades e escolas, e divulgação dos
trabalhos em eventos da Área. A partir das informações acima, a comissão recomenda a manutenção da
nota 3 para o Programa.

Membros da Comissão de Avaliação


Nome Instituição
GERSON DE SOUZA MOL UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
ELIANE SCHEID GAZIRE PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS
IVANISE MARIA RIZZATTI (Coordenador Adjunto de UNIVERSIDADE ESTADUAL DE RORAIMA
Programas Profissionais)
FRANCISCO ROBERTO PINTO MATTOS UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
CLÁUDIA HERNANDEZ BARREIROS SONCO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
JOSE JOELSON PIMENTEL DE ALMEIDA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAIBA
TEREZINHA VALIM OLIVER GONCALVES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
IVANISE CORTEZ DE SOUSA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
HILDA HELENA SOVIERZOSKI (Coordenador Adjunto de UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS
Programas Profissionais)
MARCUS VINICIUS DE AZEVEDO BASSO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
IVES SOLANO ARAUJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
MIRLEY LUCIENE DOS SANTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
MARTA FEIJO BARROSO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO
SANI DE CARVALHO RUTZ DA SILVA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
ROSANA APARECIDA SALVADOR ROSSIT UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
ANA CRISTINA FERREIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO
ANDRE LUIS ANDREJEW FERREIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
TANIA CREMONINI DE ARAUJO-JORGE (Coordenador de FUNDACAO OSWALDO CRUZ (FIOCRUZ)
Área)
CLEIDILENE RAMOS MAGALHAES FUNDAÇÃO UNIV. FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE
PORTO ALEGRE
GISELLE ROCAS DE SOUZA FONSECA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCACAO, CIENCIA E
TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO
RONY CLAUDIO DE OLIVEIRA FREITAS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito
Santo
LUCIENE LIMA DE ASSIS PIRES INSTIT FEDERAL DE EDUCACÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
DE GOIÁS
MARCELO DE CARVALHO BORBA (Coordenador de Área) UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA
FILHO ( RIO CLARO )
MARIA APARECIDA DE OLIVEIRA LOPES UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA

Complementos
Apreciações ou sugestões complementares sobre a situação ou desempenho do programa.

Recomendações da Comissão ao Programa.

21/02/2019 21:29:49 6
Ficha de Avaliação

A CAPES deve promover visita de consultores ao Programa?


Não
A Comissão recomenda mudança de área de avaliação?
Não
A Comissão recomenda a mudança de modalidade do programa?
Não

Parecer do CTC sobre o mérito da proposta


Parecer Final
Nota: 3

Apreciação
O CTC ampliado, em sua 173ª reunião, destinada a avaliar os programas analisados durante a Quadrienal
2017, aprova as deliberações e recomendações elaboradas pela Comissão de Área ratificando a nota por
ela atribuída.
Recomenda-se visita.

21/02/2019 21:29:49 7