Vous êtes sur la page 1sur 4

« post anterior | home

SEXTA-FEIRA, 19 DE OUTUBRO DE 2007

7 passos para criar a empresa


O processo de criação de uma empresa envolve um método, procedimentos e burocracias embora com a
actual empresa na hora já não seja necessário passar por estes procedimentos.
Após a Ideia, deve-se identificar as oportunidades de negócio e analisar o mercado. Depois deve responder
à questão: O mercado oferece condições para crescer? Se a resposta for não, desista ou repense a ideia; se
for sim, deve analisar a legislação e fiscalidade do sector e elaborar o plano de investimento. Se o
montante a investir for aceitável elabora-se o plano de negócios e estrutura de financiamento e a abertura
do negócio, se não for deve desistir o repensar a ideia. Se tem uma boa ideia e deseja criar a sua empresa
tenha em conta os passos que o passaremos a descrever e explicar.

1º Passo - A Ideia
2º Passo - Análise de Mercado
3º Passo - Constituição Formal da Empresa - Legislação e Fiscalidade
4º Passo - Orçamento
5º Passo - Plano de Negócios
6º Passo - Financiamento
7º Passo - Abertura do Negócio

1º Passo - A Ideia

A iniciativa de criar uma empresa depende das ideias de negócio ou da intenção de investimento e do
espírito empreendedor da pessoa que decide criar uma empresa. Contudo também deve ter em atenção os
seguintes aspectos: a experiência profissional, o perfil do consumidor, as oportunidades, a existência de
negócios semelhantes. Compense as suas insuficiências complementando a sua formação, eliminando
possíveis desvios e procurando parceiros
estratégicos.

A Concepção da Ideia deve ter em conta o estágio de desenvolvimento do produto, a situação de mercado,
a oportunidade do negócio, a concorrência a enfrentar, as matérias-primas, os recursos humanos, os
processos e meios tecnológicos, tipo de instalações, força de vendas, preços dos produtos ou serviços,
dimensão do investimento e os recursos financeiros necessários.
Algumas ideias quer pela originalidade, quer pelo grau de inovação devem ser protegidas legalmente
através da propriedade industrial. Para que se possa solicitar o registo para efeitos de protecção deve
fazer-se corresponder a ideia a suportes materiais como indicação das reivindicações, memória descritiva
do intento e apresentação de desenhos (se existirem).
O registo da propriedade industrial envolve custos, materializados no pagamento de taxas periódicas, nos
prazos legais, para que os direitos não percam a validade. Em Portugal compete ao INPI - Instituto Nacional
de Propriedade Industrial atribuir o registo dos direitos.

2º Passo - Análise de Mercado

Após a definição da Ideia, e da certeza do aspirante a empresário no que quer oferecer ao mercado, segue-
se a fase de estudar e analisar as condicionantes do próprio mercado.
Assim tem de se reflectir sobre algumas questões como: O produto ou serviço é único?, Qual o perfil dos
potenciais clientes?, Qual a dimensão do mercado?, Quem é a concorrência e suas quotas de mercado?, O
negócio tem potencialidades de crescimento?.

3º Passo - Constituição Formal da Empresa - Legislação e Fiscalidade

Na intenção de criação de uma empresa dependem também formalidades legais afectas à legalização da
actividade, na forma e conteúdo.

1. Escolha da Forma Jurídica


. Sociedades por quotas
. Sociedades unipessoais por quotas
. Sociedades Anónimas
. Sociedades em Comandita
. Sociedades em Nome Colectivo
. Cooperativas

2. Dirigir-se a um Centro de Formalidades de Empresas e seguir as seguintes fases:

Documentos necessários:
· Impresso Modelo 11 em duplicado;
· Impresso Modelo 10;
· Guia de depósito dos respectivos emolumentos - 70 euros: certificado de admissibilidade 56 euros e cartão
provisório 14 euros.

Prazo de validade do certificado: 180 dias para efeitos de registo: válido por 1 ano após a celebração da
escritura.

B) Marcação da Escritura Pública - Entidade competente no CFE: Cartório Notarial

Documentos necessários:
· Certificado de Admissibilidade da firma;
. Cartão Provisório de Identificação de Pessoa Colectiva;
· Fotocópia dos documentos de identificação dos outorgantes (pessoas singulares: B.I. e N.I.F.- pessoas
colectivas: Certidão da Conservatória do Registo Comercial, Cartão Pessoa Colectiva, Escritura Pública
inicial, B.I. e cartão de contribuinte de quem obriga ou representa a sociedade);
· Relatório do Revisor Oficial de Contas para as entradas em bens diferentes de dinheiro;
· Documento comprovativo do pagamento da sisa, quando há entradas em bens imóveis para a realização do
capital social, salvo se estiver isento

C) Celebração da Escritura Pública - Entidade competente no CFE: Cartório Notarial

Necessários os documentos de identificação dos outorgantes (pessoas singulares: B.I. e N.I.F)

D) Declaração de Início de Actividade - Entidade competente no CFE: Gabinete da DGCI (Direcção


Geral dos Impostos)

Documentos necessários:
· Modelo 1698 INCM - em triplicado, com os dados relativos ao técnico oficial de contas, devidamente
certificado.
· Cartão Provisório de Identificação de Pessoa Colectiva.
· Fotocópia da escritura pública.
· Fotocópia do B.I. e dos N.I.F. dos sócios e dos técnicos de contas.

E) Requisição do Registo Comercial, Publicação no DR e Inscrição no RNPC - Entidade competente no


CFE: Gabinete de Apoio ao Registo Comercial. Este Gabinete encarregar-se-á de enviar toda a
documentação à Conservatória do Registo Comercial competente (da área da sede da sociedade).

Documentos necessários:
· Escritura Pública da constituição da sociedade;
. Certificado de Admissibilidade da Firma;
· Declaração de Início de Actividade;

Publicação:
· Diário da República: sociedades por quotas, anónimas ou comandita por acções
· Jornal da localidade da sede ou da respectiva região: sociedades por quotas ou anónimas (opcional).

No Gabinete de Apoio ao Registo Comercial serão cobradas as quantias destinadas às publicações


obrigatórias, que posteriormente
serão remetidas, com o preparo, à Conservatória competente, que promoverá a publicação.
Prazo: 90 dias após a celebração da escritura pública.

F) Inscrição na Segurança Social - Entidade competente no CFE: CRSS (Centro Regional da Segurança
Social)

Documentos necessários:
· Boletim de Identificação do Contribuinte
· Escritura Pública de constituição da sociedade
· Cartão de identificação de Pessoa Colectiva
· Acta da nomeação dos membros dos órgãos estatutários e sua situação quanto à forma de remuneração
· Fotocópia do cartão de contribuinte dos membros dos órgãos estatutários da sociedade.
· Documento fiscal de início de actividade

Prazo: A inscrição na Segurança Social deverá ser efectuada no prazo de 30 dias, a contar da data do início
da actividade.

G) Pedido de inscrição no Cadastro Comercial ou Industrial

Entidade competente:
Deverá dirigir-se à Direcção Geral do Comércio e Concorrência, ou à Delegação Regional do Ministério da
Economia da área do estabelecimento.

Documentos necessários:
· Impresso da Direcção Geral do Comércio e Concorrência, em duplicado ou Impresso da Delegação Regional
do
Ministério da Economia, em duplicado - Modelo nº 387 INCM.
Prazo: A inscrição no Cadastro Comercial ou Industrial deverá ser efectuada no prazo de 30 dias a contar da
abertura do estabelecimento comercial ou do início da laboração.

4º Passo - Orçamento

A iniciativa de criar uma empresa e o sucesso da implementação dos seus objectivos depende dos
orçamentos efectuados e do seu cumprimento. A estimativa de custos é um passo muito importante, por
isso mesmo deve ter-se em conta todos os custos e deve ter-se a certeza que se consegue assegurar o
capital suficiente e necessário para fazer face a todas as despesas e imprevistos.
As estimativas financeiras devem ser efectuadas com um período de três a quatro anos, tendo em conta a
evolução do mercado, os custos inerentes à empresa e ao seu arranque.
Os resultados - relação entre proveitos e custos ocorridos durante um período de tempo específico. O
Balanço – evidencia as dívidas, os activos e o capital durante um período de tempo específico. Os Fluxos de
Tesouraria ou de Caixa - é o dinheiro que entra e sai da empresa.

5º Passo - Plano de Negócios

O plano de negócios permite analisar a viabilidade do projecto da empresa, através da exposição de


resultados, e constitui um instrumento de apresentação do próprio negócio para possíveis financiamentos
externos que se possam requerer.
O Plano de Negócios deve conter a seguinte estrutura: Análise de Mercado, Plano de Investimento, Fontes
de Financiamento, Plano de Tesouraria, Rentabilidade do Projecto.

6º Passo - Financiamento

O Financiamento é importante para que se possa avaliar onde se pode ir pedir financiamento e de que
forma para concretizar o projecto. Os tipos de Financiamento são: Capital Próprio, Crédito Bancário ou
Capital de Risco. E a escolha destes deve ser bastante ponderada, pois implicam grandes responsabilidades.

7º Passo - Abertura do Negócio

Depois de percorrer todas estas fases há que ter em conta três pontos fundamentais na abertura
efectiva da actividade da empresa:
. Iniciar o processo de promoção da empresa - apostar em mailings, press releases, publicidade.
. Recrutamento e Selecção de Recursos Humanos - apostar na escolha e formação da equipa
. Estabelecer os principais sistemas de gestão - definir áreas de contabilidade, logística, controlo de
qualidade entre outras.