Vous êtes sur la page 1sur 2

Legislação em vigor relativa a Plataformas elevatórias

e respectivos sistemas de segurança


(nomeadeamente as relativas às por nós designadas “Protecções de piso”)

- em primeiro lugar, a DIRECTIVA MÁQUINAS 89/392/CEE, alterada posteriormente


pelas directivas 91/368/CEE (máquinas móveis e equipamentos de elevação) e 93/44/CEE
(Componentes de segurança e máquinas para elevação e deslocação de pessoas) e novamente
actualizada pela DIRECTIVA 98/37/CE;

- resultante da transposição para a ordem jurídica interna da acima referida Directiva


Máquinas, é importante (essencialmente para os fabricantes de equipamentos) a leitura do
Decreto lei nº320/2001 (de 12/12/2001) que estabelece as regras relativas à colocação
no mercado e entrada em serviço das máquinas e dos componentes de segurança;

NOTA IMPORTANTE - o Decreto lei nº320/2002 (de 28/12/2002) que estabelece o


regime de manutenção e inspecção de ascensores, monta cargas, escadas mecânicas e
tapetes rolantes, após a sua entrada em serviço, bem como as condições de acesso às
actividades de manutenção e inspecção, assim como os documentos normativos NP-EN 81-
1 e 81-2 aplicam-se a ELEVADORES e não a monta cargas usados exlusivamente para
transporte de cargas.

-de seguida, recomendamos a leitura NORMAS PORTUGUESAS NP EN 294/1996


(Segurança de máquinas. Distâncias de segurança para impedir que os membros superiores
alcancem zonas perigosas) e NP EN 349/1996 (Segurança de máquinas. Distâncias minimas
para evitar o esmagamento de partes do corpo humano);

- no caso específico do Projecto e fabrico das Mesas elevatórias de tesoura, a ACL teve em
conta os requesitos de segurança estipulados na NP EN 1570, que por exemplo especifica
que “todas as mesas elevatórias com um curso vertical de mais de 2,0m, devem ser
equipadas com protecções para evitar que pessoas ou argas possam cair da plataforma”
(ponto 5.2.13).

- deve ainda ser feita referência importante ao Decreto lei nº 50/2005, recentemente
publicado em Diário da República, que transpõe para o direito Português a Directiva
2001/45/CE relativa às prescrições mínimas de segurança e de saúde para a utilização
pelos trabalhadores de equipamentos de trabalho e que revoga o anterior Decreto-Lei nº
82/99; embora seja um documento de âmbito generalista (apenas especificamente aplicado
aos equipamentos de elevação de cargas nos artigos 27º e 28º) define obrigações gerais do
empregador, requisitos minimos de segurança e regras de utilização, verificações e
operações de manutenção dos equipamentos de trabalho.

Ver ainda Despacho n.º 23 505/2006 do Ministério da Economia e da Inovação - II


Série Parte C n.º 222, de 17/11 que publica a lista das normas harmonizadas adoptadas
no âmbito da aplicação da Directiva n.º 98/37/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de
22 de Junho, relativa às máquinas.

Elaborado por Paulo Ferreira / Dep. Comercial ACL Página 1 / 2


Actualizado em 2019-02-26
Relembramos aqui uma informação muitas vezes transmitida pela ACL (propostas, facturas,
documentação técnica,…) - as plataformas elevatórias ACL são instrumentos de
trabalho para utilização exclusiva de cargas e nunca para transporte de pessoas.

Acrescento ainda informação que pode ser considerada útil, elementos constantes de uma
Notificação emitida em 2003 pela Inspecção Geral de trabalho, para tomada de medidas,
após a ocorrência de um acidente mortal com a utilização indevida de uma plataforma
elevatória por um trabalhador:
1) “proceder à verificação das condições de segurança da Plataforma hidráulica por
pessoa competente…”
2) “afixar na Plataforma Hidráulica, em local bem visível, uma placa com a indicação da
carga nominal admitida e outra com a sinalização de proibição de transporte de
trabalhadores”, e ainda
3) “proteger de forma adequada todo o perímetro por onde sobe e desce a
plataforma, zona de risco de contacto mecânico.”

Elaborado por Paulo Ferreira / Dep. Comercial ACL Página 2 / 2


Actualizado em 2019-02-26