Vous êtes sur la page 1sur 8

2º TESTE DE AVALIAÇÃO | 2º PERÍODO | PORTUGUÊS – 5º ANO

Grupo I

Lê o texto informativo abaixo sobre o Rouxinol-comum.

Rouxinol-comum
Luscinia megarhynchos

Nas noites de primavera, o canto interminável do


rouxinol faz-se ouvir durante toda a noite.

Identificação:
Castanho e algo incaracterístico, o rouxinol-comum
não é uma ave muito fácil de identificar visualmente. A
longa cauda arruivada, visível sobretudo em voo,
contrasta com os tons acastanhados do dorso.
É sobretudo pelo canto que o rouxinol-comum se faz notar e pode ser identificado. Este canto
é muito variado, contendo diferentes sequências de notas.

Abundância e calendário:
O rouxinol-comum é bastante frequente em Portugal, mas a sua abundância apresenta
importantes variações a nível regional. Assim, no litoral norte e centro é escasso, mas no interior
norte e centro é muito abundante, tal como no litoral sul e em certas zonas do Algarve.
Esta espécie esconde-se geralmente no meio de vegetação densa e raramente pousa à vista.
No Norte frequenta todo o tipo de matagais, ao passo que no Alentejo ocorre principalmente ao
longo de rios e ribeiras, onde a vegetação é mais densa.
O rouxinol-comum é estival, fazendo ouvir o seu canto a partir de finais de março ou
princípios de abril. Em junho começa a calar-se e em agosto parte para África.

http://www.avesdeportugal.info/lusmeg.html
(texto adaptado e com supressões)

1. Assinala com X as afirmações verdadeiras (V) e as falsas (F), de acordo com o sentido do
texto.
V F
a. O canto do rouxinol evidencia-se durante as noites de primavera.

b. Esta espécie revela alguma timidez ao esconder-se na vegetação.

c. Esta ave tem características que facilmente a distinguem.

d. A melodia do canto do rouxinol é monocórdica.

Português – Ensino Básico


2º TESTE DE AVALIAÇÃO | 2º PERÍODO | PORTUGUÊS – 5º ANO

2. Completa o quadro que se segue com informação do texto.


O Rouxinol-comum

a) Localização dos habitats

b) Hábitos e comportamentos

c) Características do canto

d) Características da plumagem

B
Lê, com atenção, o texto seguinte.

Metidos numa velha arca, desde que o António Seareiro os guardara para semente,
os bagos de trigo tinham acabado por adormecer naquela escuridão de muitos meses,
julgando talvez que estavam esquecidos e ali ficariam a apodrecer o resto da vida.
Ignoravam, pois, que o Doirado, um boi amarelo todo paciência e poder, já lavrava
5 com a charrua1, no outono, a parte da leiva destinada à semeadura e que o António
preparava a grade com que desfaria os torrões do alqueive2, na esperança de uma boa
colheita, tanto mais que já comprara um saco de adubo para revigorar a terra cansada.
Só quem vivesse a apatia dorminhoca dos bagos resignados poderia entender
depois o entusiasmo e a alegria que rebentaram na velha arca mal a Maria Rita lhes
10 levantou a tampa e a luz do dia os sacudiu. Até o Serrano – vejam lá! -, um bago anafado3
e sempre resmungão, se pôs a saltitar de contentamento, como se percebesse, o maroto, o
destino que lhe reservavam.
E não se enganava, o espertalhão!
Toda desembaraços, que a vida no campo é sempre de labuta4, a Maria Rita tirou-
os, às punhadas, para um grande tabuleiro; e, vai daí, foi sentar-se à porta do casebre para
os escolher, mesmo à chapa de um solzinho que era um consolo de brandura.

Português – Ensino Básico


2º TESTE DE AVALIAÇÃO | 2º PERÍODO | PORTUGUÊS – 5º ANO

15 Logo as sementes, ainda aturdidas, se puseram a gritar:


- Viva, amigo! Viva! Bom dia!...
- Olá! – respondeu-lhe o Sol Soalheiro. – Estiveram a dormir este tempo todo, não?
Boa vida, não há dúvida!
- Sempre tens cada uma! – disse o Amarelo de Barba Preta, um velho grão de trigo
20 muito sabido. – Boa vida numa escuridão daquelas?...
A tocar uma campainha tagarela, que levava pendurada ao pescoço, já o Doirado
arrastava a grade pela leiva5, animado por uma cantiga do António Seareiro e pelo bico
do aguilhão6, mal o boi parava a olhar a passarada vadia.
Os bagos de trigo perderam a cabeça com aquele espetáculo. Só a Sementinha
25 estava distraída e indignada, pois metera conversa com a Despedida-de-Verão, uma flor
amarela com pintinhas vermelhas, que lhe dizia, muito ancha7 da sua beleza:
- Já viste como sou bonita?... Olha para estes braços todos e para o meu corpo
verde. Que tal? Repara na minha carapuça vermelha…. É linda, não é? Só tu és tão feia,
Sementinha!...
30 - O que hei de fazer? Nasci assim – respondeu a Sementinha muito contristada, a
choramingar de desgosto.
Logo o Amarelo de Barba Preta, todo ternuras, correu, aflito, para junto dela.
- O que foi, minha pequerrucha?...
A Sementinha nem podia falar com tantos soluços.
35 - Tem pena de não ser linda como eu – disse, muito orgulhosa, a Despedida-de-
Verão.
- Bonita como tu? – respondeu o Amarelo de Barba Preta. – Pois claro que é… e
mais bonita ainda porque não é vaidosa.
- Vê-se logo que tens inveja da minha beleza – disse, um nadinha amuada, a
40 Despedida-de-Verão.
- Inveja de quê? Qualquer dia murchas… E depois?...
Ferida no seu orgulho, a flor voltou costas ao grão de trigo, enquanto este
continuava a animar a Sementinha.
- Deixa lá falar aquela toleirona. Sem a nossa ajuda os homens viveriam pior,
45 calcula tu! Queres coisa mais bela?
- Mas estamos sempre quietos – lamentou o Serrano gorducho.
- Quietos é como quem diz…. Temos andado por todos os caminhos do mundo.
Foi neste momento preciso que um passarico, aproveitando a ausência da Maria
Rita, passou pelo tabuleiro, num voo raso, e roubou a Sementinha com o bico guloso.
50
Alves Redol, A Vida Mágica da Sementinha, uma breve história do trigo, Lisboa, Caminho, 2016

Vocabulário:
1. charrua – utensílio puxado por um animal que rasga a terra.
2. alqueive – terra lavrada que se deixou descansar.
3. anafado – gordo.
4. labuta – trabalho difícil.
5. leiva – elevação de terra entre sulcos.
6. aguilhão – ponta de ferro fixada na extremidade de um pau para picar animais.
7. ancha – orgulhosa.

Português – Ensino Básico


2º TESTE DE AVALIAÇÃO | 2º PERÍODO | PORTUGUÊS – 5º ANO

1. Assinala com X, de 1.1. a 1.3., a opção que completa cada frase de acordo com o sentido do
texto.

1.1. A frase “E não se enganava, o espertalhão!” (linha 13), evidencia


a) a opinião do narrador.
b) a inteligência do Serrano.
c) a agitação da pequena semente.

1.2. A expressão “Toda desembaraços” (linha 14), no contexto em que ocorre, destaca
a) o trabalho duro do campo.
b) a prontidão da personagem.
c) a agilidade de Maria Rita.

1.3. No segmento textual “Ferida no seu orgulho, a flor voltou costas ao grão de trigo,
enquanto este continuava a animar a Sementinha.” (linhas 44 e 45), o conector destacado tem
valor de
a) causa.
b) tempo.
c) contraste.

2. Relê o primeiro parágrafo do texto e refere onde estavam guardados os bagos de trigo e o que
pensavam sobre o seu futuro.
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________

3. Indica as tarefas de António Seareiro de modo a obter uma boa semeadura.


_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________

4. Apresenta os sentimentos dos bagos de trigo ao ver a luz do dia, quando Maria Rita levantou a
tampa da arca. Transcreve elementos textuais que comprovem a tua resposta.
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________

Português – Ensino Básico


2º TESTE DE AVALIAÇÃO | 2º PERÍODO | PORTUGUÊS – 5º ANO

_______________________________________________________________________________

5. “Os bagos de trigo perderam a cabeça com aquele espetáculo.” (linha 26)
5.1. Refere a que “espetáculo” se refere o narrador.
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

6. A partir da conversa da Sementinha com a Despedida-de-Verão, caracteriza a flor, física e


psicologicamente.
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________

6.1. Transcreve do texto a frase dita pela flor que causa tristeza na Sementinha.
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
6.2. O Amarelo de Barba Preta discorda da flor, por considerar que a Sementinha é mais bonita do
que a Despedida-de-Verão.
Apresenta o motivo que o leva a ter essa opinião.
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________

Português – Ensino Básico


2º TESTE DE AVALIAÇÃO | 2º PERÍODO | PORTUGUÊS – 5º ANO

Grupo II

1. Lê atentamente o seguinte excerto: “Metidos numa velha arca, desde que o António Seareiro
os guardara para semente, os bagos de trigo tinham acabado por adormecer naquela
escuridão de muitos meses.”

1.1. Indica a classe e a subclasse das palavras sublinhadas.

Palavra
Classe e subclasse
velha

para

tinham

escuridão

2. Considera a frase: Um pássaro roubou a Sementinha com o bico guloso.

Reescreve-a, usando o verbo nos seguintes tempos do modo indicativo.

a. Pretérito imperfeito simples do indicativo: ________________________________________

b. Futuro simples do indicativo: __________________________________________________

c. Pretérito mais-que-perfeito simples: ___________________________________________

3. Nas frases que se seguem, sublinha e classifica, quanto à subclasse, os quantificadores


presentes:
Metade das sementes já estava na terra. No fundo da arca, restavam duas sementinhas, o
Serrano e o Amarelo de Barba Preta.
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

Português – Ensino Básico


2º TESTE DE AVALIAÇÃO | 2º PERÍODO | PORTUGUÊS – 5º ANO

4. Identifica a função sintática dos elementos sublinhados em cada frase, colocando um X no


quadrado respetivo.

Sujeito Predicado Complemento Complemento Vocativo


direto indireto

1. Um passarico raptou a Sementinha.


2. A flor maltratou a Sementinha.
3. Maria Rita deu liberdade aos grãos.
4. Elas deram os bons-dias ao Sol.
5. Maria Rita, abre a arca.

5. Reescreve a frase, substituindo as expressões sublinhadas por pronomes pessoais.

António Seareiro vendeu as sementes.

____________________________________________________________________________

6. Assinala as afirmações verdadeiras e falsas com X.


V F
a. A palavra passarico é uma palavra derivada por prefixação.
b. A palavra Sementinha é uma palavra derivada por sufixação.
c. A palavra impacientemente é uma palavra derivada por prefixação e
sufixação.
d. A palavra dorminhoca é uma palavra simples.

6.1. Corrige as afirmações falsas.


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

7. Forma famílias de palavras, completando o quadro.

Nome Adjetivo Verbo


a. semeado
b. escurecer
c. entusiasmo

Português – Ensino Básico


2º TESTE DE AVALIAÇÃO | 2º PERÍODO | PORTUGUÊS – 5º ANO

Grupo III
A Vida Mágica da Sementinha dá-nos conta do percurso de vida de uma semente. A história
é contada pela voz de um narrador não participante. Inspirado nesta situação, escreve um texto
narrativo onde narres um acontecimento da tua vida que gostarias de partilhar.

O teu texto deve respeitar os seguintes aspetos:


- introduzir um dos recursos expressivos estudados;
- conter um momento de diálogo;
- descrever sentimentois vividos por ti;
- ter entre 140 a 200 palavras;
- estar devidamente estruturado, com introdução, desenvolvimento e conclusão;
- apresentar rigor na ortografia e na caligrafia.
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

Português – Ensino Básico

Centres d'intérêt liés