Vous êtes sur la page 1sur 6

Solubilidade

Gás-líquido
2

Solubilidade Gás-Líquido
 A solução ideal será a referência (estado de referencia º) quando se
trabalha com a fase condensada.
Nível molecular
 Estados de referência

Substância pura Substância diluída

fi ideal
= fi l
fi ideal = Hi
Lewis/Randall Henry
fˆi = xi fi
id ideal
3

Estados de referência
 nem todas as misturas binárias podem
ser classificadas com desvio positivo e
negativo da idealidade;
 há casos de misturas que apresentam
tanto desvios positivos quanto
negativos da idealidade.

fˆi id = xi g i fi 0
fˆi id = xi fi 0
fˆi id = xi g iH H i

Fugacidade da acetona em duas misturas líquidas


binárias a 50 oC. Com metanol e com clorofórmio.
(Smith, van Ness e Abott (2007)).
4

Lei de Henry
Constante de Henry (H) para diferentes
gases em água 25 ºC.
Gás Hi (bar)
 H está relacionado com interações i-j;
Ar 35987,9
 Depende da natureza do solvente;
Br2 74686,8
 Quanto mais forte a atração entre i-j,
H2 70381,1 menor a tendência da molécula a
N2 87365,0 escapar, logo menor será H
O2 44253,9
H2 S 54991,8 H (bar) em diferentes líquidos a 25 ºC.
CO 58487,0 C6H6 CS2 CH3OH C3H6O
CO2 1651,9 H2 3657,4 10865,9 6425,0 4373,4
CH4 41675,8 N2 2386,6 6961,9 4293,2 2288,0
C2H6 1342,2 O2 1554,9 3179,4 1478,9
C2H4 11522,0
CO 1620,6 4907,3 3106,7 1502,1
C2H6 30525,9
CO2 114,1 469,0 158,3 53,1
5

Diferentes formas da Lei de Henry


Restrições de
Denominação Expressão
Aplicação


𝑃
𝑉2∞
Lei de Henry completa 𝑦2 𝜑2 𝑃 = 𝑥2 𝛾 2 ℋ2,1 𝑒𝑥𝑝 𝑑𝑃 nenhuma
𝑃 𝑠𝑎𝑡 𝑅𝑇
𝑖

Lei de Henry estendida 𝑦2 𝜑2 𝑃 = 𝑥2 𝛾 2ℋ ℋ2,1 P < 1000 kPa


𝑉2∞ 𝑃 − 𝑃𝑖𝑠𝑎𝑡
Lei de Krichevsky-Henry 𝑦2 𝜑2 𝑃 = 𝑥2 𝛾 ℋ2,1 𝑒𝑥𝑝
2 𝑅𝑇 x2<0,01

𝑓2𝑣 𝑉2∞ 𝑃 − 𝑃𝑖𝑠𝑎𝑡


Krichevsky-Kasarnovsky 𝑙𝑛 = 𝑙𝑛ℋ2,1 𝑒𝑥𝑝
𝑥2 𝑅𝑇 x2<0,01

Krichevsky-Ilinskaya (com 𝑓2𝑣 𝐴 𝑥12 − 1 𝑉2∞ 𝑃 − 𝑃𝑖𝑠𝑎𝑡


Margules 2-sufixos) 𝑙𝑛 = 𝑙𝑛ℋ2,1 + + x2<0,10
𝑥2 𝑅𝑇 𝑅𝑇

𝑦2 𝑃 = 𝑥2 ℋ2,1 x2<0,01
Lei de Henry tradicional
P<200 kPa
x2<0,01; y1≅0
Lei de Henry Simplificada 𝑃 = 𝑥2 ℋ2,1
P<200 kPa