Vous êtes sur la page 1sur 12

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PIAUÍ - CEFET/PI

EXAME CLASSIFICATÓRIO 2009

CADERNO DE PROVA
CURSOS TÉCNICOS CONCOMITANTES/SUBSEQÜENTES
Administração, Contabilidade, Mecânica, Eletrotécnica, Eletrônica,
Refrigeração, Informática, Artes Visuais, Segurança do Trabalho e
Música.

PORTUGUÊS 30 QUESTÕES
MATEMÁTICA 30 QUESTÕES

Data: 07/12/2008 (domingo – Tarde)


Tempo: 4 horas.

LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO

1. Este caderno é constituído da prova objetiva de PORTUGUÊS e MATEMÁTICA.


2. Cada uma das questões da prova, apresenta um enunciado seguido de 5 (cinco) alternativas,
designadas pelas letras A, B, C, D e E, das quais somente uma é correta.
3. Caso o caderno esteja incompleto ou tenha qualquer defeito, solicite ao fiscal da sala que
tome as providências cabíveis.
4. Decorrido o tempo determinado pela Comissão Encarregada Para Realização do Exame
Classificatório, será distribuído o CARTÃO RESPOSTA, o qual será o único documento
válido para a correção da prova.
5. Ao receber o CARTÃO RESPOSTA, verifique se seu nome e número de inscrição estão
corretos. Reclame imediatamente se houver discordância.
6. Para cada uma das questões, você deve marcar UMA e somente UMA das alternativas.
7. Assine o CARTÃO RESPOSTA no espaço reservado no cabeçalho. Não haverá
substituição do CARTÃO RESPOSTA.
8. Não amasse nem dobre o CARTÃO RESPOSTA, para que não seja rejeitado pelo
computador no momento da leitura.
9. Será anulada a resposta que contiver emenda, rasura ou que apresentar mais de uma
alternativa assinalada.
10. É vedado o uso de qualquer material, além de caneta para marcação das respostas; qualquer
forma de comunicação entre os candidatos também implicará sua eliminação.
11. O candidato ao sair da sala, deverá entregar, definitivamente, seu CARTÃO RESPOSTA,
e este CADERNO DE PROVA, devendo ainda assinar a folha de presença.

Nome do candidato

Nº de Inscrição
PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA Enquanto isso, os que tinham se tornado
ricos pegaram o costume, eles também, de ir de
noite até a ponte, par ver a água que passava
TEXTO 1 embaixo. Isso aumentou a confusão, pois muitos
A OVELHA NEGRA outros ficaram ricos e muitos outros ficaram
(Ítalo Calvino) pobres.
Ora, os ricos perceberam que, indo de
Havia um país onde todos eram ladrões.
noite até a ponte, mais tarde ficariam pobres. E
À noite, cada habitante saía, com a gazua
pensaram: “Paguemos aos pobres para ir roubar
e a lanterna, e ia arrombar a casa de um vizinho.
para nós”. Fizeram-se os contratos,
Voltava de madrugada, carregado e encontrava a
estabeleceram-se os salários, as percentagens:
sua casa roubada.
naturalmente, continuavam a ser ladrões e
E assim todos viviam em paz e sem
procuravam enganar uns aos outros. Mas, como
prejuízo, pois um roubava o outro, e este, um
acontece, os ricos tornavam-se cada vez mais
terceiro, e assim por diante, até que se chegava
ricos e os pobres cada vez mais pobres.
ao último que roubava o primeiro. O comércio
Havia ricos tão ricos que não precisavam
naquele país só era praticado como trapaça, tanto
mais roubar e que mandavam roubar para
por quem vendia como por quem comprava. O
continuarem a ser ricos. Mas, se paravam de
governo era uma associação de delinqüentes
roubar, ficavam pobres porque os pobres os
vivendo à custa dos súditos, e os súditos por sua
roubavam. Então pagaram aos mais pobres dos
vez só se preocupavam em fraudar o governo.
pobres para defenderem as suas coisas contra os
Assim a vida prosseguia sem tropeços, e não
outros pobres, e assim instituíram a polícia e
havia ricos nem pobres.
constituíram as prisões.
Ora, não se sabe como, ocorre que no
Dessa forma, já poucos anos depois do
país apareceu um homem honesto. À noite, em vez
episódio do homem honesto, não se falava mais
de sair com o saco e a lanterna, ficava em casa
de roubar ou de ser roubado, mas só de ricos ou
fumando e lendo romances.
de pobres; e no entanto todos continuavam a ser
Vinham os ladrões, viam a luz acesa e
pobres.
não subiam.
Honesto só tinha havido aquele sujeito, e
Essa situação durou algum tempo: depois
morrera logo, de fome.
foi preciso fazê-lo compreender que, se quisesse
viver sem fazer nada, não era essa uma boa razão
para não deixar os outros fazerem. Cada noite
que ele passava em casa era uma família que não
Responda às questões de 1 a 11 de acordo com
comia no dia seguinte.
o texto acima
Diante desses argumentos, o homem
honesto não tinha o que objetar. Também
começou a sair de noite para voltar de
madrugada, mas não ia roubar. Era honesto, não
01. Marque a opção que melhor justifica o título
havia nada a fazer. Andava até a ponte e ficava
do texto:
vendo a água passar embaixo. Voltava para casa,
e a encontrava roubada.
Em menos de uma semana o homem
a) ( ) Apresenta um sentido denotativo, pois
honesto ficou sem um tostão, sem o que comer,
“ovelha negra” era o nome que se
com a casa vazia. Mas até aí tudo bem, porque
dava a todos os ladrões, porque eles
era culpa sua; o problema era que seu
só roubavam à noite;
comportamento criava uma grande confusão. Ele
b) ( ) “Ovelha negra” era o apelido do
deixava que lhe roubassem tudo e, ao mesmo
governo daquele país, porque ele
tempo, não roubava ninguém; assim sempre havia
roubava e não dividia com os pobres;
alguém que, voltando para casa de madrugada,
c) ( ) Apresenta um sentido conotativo:
achava a casa intacta: a casa que o homem
“ovelha negra” diz respeito ao homem
honesto devia ter roubado. O fato é que, pouco
honesto, pelo fato de ele ser diferente
depois, os que não eram roubados acabaram
dos outros homens daquele país;
ficando mais ricos que os outros e passaram a
não querer mais roubar. E, além disso, os que
vinham para roubar a casa do homem honesto
sempre a encontravam vazia; assim iam ficando
pobres.
d) ( ) A expressão “ovelha negra” diz a) ( ) O texto quer dizer que as pessoas são
respeito ao homem honesto, porque pobres materialmente, mas são ricas
ele roubava dos ricos e dava aos da graça de Deus;
pobres; b) ( ) Na verdade, o autor quer dizer que,
e) ( ) Na verdade há uma grande dúvida em sendo ricos ou pobres materialmente,
saber quem é a “ovelha negra”, visto todos eram pobres de espírito, pobres
que ninguém sabia quem era o ladrão de qualidades morais;
misterioso que atacava as casas c) ( ) Ele quer dizer que o pobre um dia terá
vizinhas à noite. a chance de ficar rico;
d) ( ) A explicação correta (o texto deixa
02. Pelo entendimento geral que se faz do texto, isso bem claro) está no fato de que
podemos inferir que: todos os ricos, um dia, serão pobres;
e) ( ) A expressão “no entanto” deixa claro
a) ( ) Há uma ironia no texto, visto que há que naquele país, sendo honesto ou
uma inversão de valores: o único desonesto, todos têm qualidades
homem honesto daquele país morreu morais salutares.
de fome enquanto os ladrões só
progrediram; 05. Percebe-se no texto a predominância de
b) ( ) O texto tem um caráter atual; a verbos de ação, por exemplo: saía, voltava,
diferença é que, no texto, todos os roubava, chegava, vendia, comprava, encontrava,
ladrões daquele país pagam pelos seus portanto verbos empregados no:
crimes na cadeia;
c) ( ) Não se pode dizer que o texto tenha a) ( )
Pretérito perfeito do indicativo;
algum teor satírico, porque trata de b) ( )
Presente do indicativo;
um país fictício; c) ( )
Pretérito imperfeito do indicativo;
d) ( ) Dentre outros aspectos, o texto deixa d) ( )
Pretérito mais-que-perfeito do
claro que o crime não compensa; indicativo;
e) ( ) Há uma caracterização muito e) ( ) Futuro do pretérito.
espiritual no texto; o autor usa a
função emotiva da linguagem para 06. A expressão “Dessa forma”, destacada no
comover o leitor com a situação de penúltimo parágrafo, representa para a redação do
pobreza por que passa o homem texto um indicativo de:
honesto.
a) ( ) Refutação;
03. Marque a opção que não traz nenhuma relação b) ( ) Contradição;
com o texto: c) ( ) Coesão;
d) ( ) Digressão;
a) ( ) Círculo vicioso; e) ( ) Descrição.
b) ( ) Riqueza material versus pobreza
espiritual; 07. A oração destacada no parágrafo 11 pode ser
c) ( ) Narrativa ficcional; classificada como:
d) ( ) Metalinguagem;
e) ( ) Teor político. a) ( ) Adverbial concessiva;
b) ( ) Adverbial condicional;
c) ( ) Substantiva completiva nominal;
04. No penúltimo parágrafo do texto aparece um d) ( ) Adjetiva restritiva;
fato curioso: e) ( ) Adverbial consecutiva.

“[...] não se falava mais de roubar ou de ser 08. Sobre a ocorrência do verbo “haver” (primeira
roubado, mas só de ricos ou de pobres; e no linha do texto e primeira linha do parágrafo 11),
entanto todos continuavam a ser pobres”. marque a opção correta:

Repare que o autor cita os ricos e os a) ( ) No primeiro caso, o sujeito é “país” e


pobres e diz que, “no entanto todos continuavam a no segundo caso, o sujeito é “ricos”;
ser pobres”. Como se explica essa contradição? b) ( ) Nos dois casos, o sujeito está
indeterminado;
c) ( ) No primeiro caso, o verbo haver é TEXTO 2
pessoal e no segundo caso é
impessoal; 1. Quando cheios de gosto, e de alegria
d) ( ) Nos dois casos há oração sem sujeito; 2. Estes campos diviso florescentes,
e) ( ) No segundo caso, trocando o verbo 3. Então me vêm as lágrimas ardentes
haver pelo verbo “existir”, a oração 4. Com mais ânsia, mais dor, mais agonia.
ficaria correta assim: “Existe ricos tão
ricos que não precisavam mais roubar 5. Aquele mesmo objeto, que desvia
[...].” 6. Do humano peito as mágoas inclementes,
7. Esse mesmo em imagens diferentes
09. Podemos perceber que predomina no texto: 8. Toda a minha tristeza desafia.

a) ( ) O discurso direto; 9. Se das flores a bela contextura


b) ( ) O discurso indireto; 10. Esmalta o campo na melhor fragrância,
c) ( ) O discurso indireto livre; 11. Para dar uma idéia de ventura;
d) ( ) O discurso descritivo;
e) ( ) O discurso direto sem travessão. 12. Como, ó Céus, para os ver terei constância,
13. Se cada flor me lembra a formosura
10. Observe a ocorrência da palavra “pois” nas 14. Da bela causadora de minha ânsia?
orações abaixo: (Cláudio Manuel da Costa)

“E assim todos viviam em paz e sem prejuízo, pois


um roubava o outro, [...] (terceiro parágrafo) Responda às questões de 12 a 30 de acordo com
o texto acima
“Isso aumentou a confusão, pois muitos outros
ficaram ricos e muitos outros ficaram pobres. 12. Levando em consideração o autor e as
(nono parágrafo) características literárias do texto, podemos dizer
que ele se enquadra no Arcadismo. Nessa
De acordo com a norma gramatical culta, a oração perspectiva, marque a opção que apresenta o verso
ficaria correta substituindo, respectivamente, a que melhor evidencia essa constatação:
palavra destacada por:
a) ( ) Estes campos diviso florescentes,
a) ( ) Porque / porquê; (v 2);
b) ( ) Por que / porque; b) ( ) Com mais ânsia, mais dor, mais agonia
c) ( ) Porque / porque; (v 4);
d) ( ) Por quê / porque; c) ( ) Do humano peito as mágoas
e) ( ) Por que / por que. inclementes (v 6);
d) ( ) Toda a minha tristeza desafia (v 8);
11. Repare na colocação do pronome “se” na e) ( ) Da bela causadora de minha ânsia?
seguinte oração: (v 14).

“Fizeram-se os contratos, estabeleceram-se os


salários” (décimo parágrafo). 13. Diante das características que marcam a escola
árcade e do entendimento do poema em estudo,
Assim, de acordo com a norma culta, marque a opção correta.
marque a opção em que a colocação do pronome
oblíquo está correta: a) ( ) Percebe-se que os textos árcades
buscam uma certa complexidade nos
a) ( ) Aqui vive-se bem; relacionamentos amorosos, que
b) ( ) Talvez se tenha êxito na campanha; geralmente leva o poeta ao suicídio;
c) ( ) Aquilo deixa-me muito triste; b) ( ) Os poemas árcades, como o texto
d) ( ) Atenderei-te o pedido; acima, apresentam contextualização
e) ( ) É preciso que levem-no ao médico. voltada, normalmente, para o
ambiente bucólico;
c) ( ) Assim como os poemas barrocos, o 16. De acordo com as evidências do texto,
texto acima revela uma angústia podemos entender que:
existencial, porque o poeta deixa
claro que pecou e agora está a) ( ) O poeta se mostra alegre pelo fato de
arrependido; os campos estarem florescentes e
d) ( ) Percebe-se que, sendo um poema fragrantes, mas ao mesmo tempo se
árcade o texto acima, é natural que o apresenta triste e magoado,
poeta se mostre um “chorador” supostamente, pela ausência da
melancólico, como demonstra o mulher amada;
terceiro verso, visto que no b) ( ) O poeta se mostra apaixonado pelo
Arcadismo a característica principal é campo e despreza a mulher amada,
o pieguismo; porque ela quer viver com ele na
e) ( ) Assim como nos textos românticos, cidade;
os poemas árcades, como ilustra o c) ( ) A temática principal do poema gira
texto acima, apresentam uma dose em torno do pedido de perdão que o
marcante de sensualismo. poeta faz à mulher amada, que o
ignora;
14. Comparando o Arcadismo com o Barroco, d) ( ) Todo o poema demonstra a paixão
podemos marcar como correta a opção: que o poeta nutre por uma mulher rica
e luxuosa, que, por isso, o ignora e faz
a) ( ) Ambos buscam a harmonia, a vida pouco caso dele;
simples no campo; e) ( ) O poema revela claramente o desejo
b) ( ) O Arcadismo trabalha muito em suas do poeta fugir do campo para a
poesias duas características cidade, porque ele está amargurado e
marcantes: cultismo e conceptismo; sofrendo muito pelo desprezo que
c) ( ) Gregório de Matos foi o maior poeta recebe da mulher amada.
barroco do Brasil, mas nunca deixou
de escrever poesias campestres como 17. Pelas características do texto, é correto afirmar
manda o Arcadismo; que ele se enquadra no gênero literário chamado:
d) ( ) Apesar das críticas literárias dizerem
o contrário, não se pode negar que o a) ( ) Épico;
Barroco e o Arcadismo têm uma b) ( ) Dramático;
aproximação muito grande, tanto no c) ( ) Narrativo;
conteúdo, como na linguagem; d) ( ) Lírico;
e) ( ) O Barroco realiza uma poesia e) ( ) Dramático e lírico ao mesmo tempo.
conflituosa, diferentemente do
Arcadismo, que faz um tipo de poesia 18. No início do verso 9 e do verso 13 aparece a
mais pastoril. palavra “Se”. Analisando as duas ocorrências da
referida palavra, está correta a opção:
15. Analisando o aspecto rímico e métrico do
poema em estudo, marque a opção correta: a) ( ) Nos dois casos, temos conjunção
condicional;
a) ( ) Os versos são hendecassílabos e as b) ( ) Nos dois casos, temos pronome
rimas são opostas nos quartetos; oblíquo;
b) ( ) Os versos são decassílabos e as rimas c) ( ) No verso 9, temos um caso de
são cruzadas nos quartetos; pronome oblíquo e no verso 13,
c) ( ) Os versos são decassílabos e as rimas conjunção condicional;
são opostas nos quartetos; d) ( ) No verso 9, temos um caso de
d) ( ) Os versos são dodecassílabos e as conjunção condicional e no verso 13,
rimas são cruzadas nos quartetos; pronome oblíquo;
e) ( ) Os versos são livres e as rimas são e) ( ) No verso 9, temos uma caso de
continuadas no texto todo. conjunção condicional e no verso 13,
temos conjunção integrante.
19. A expressão “ó Céus” (verso 12) pode ser 24. No verso 3, a palavra “vêm” foi grafada
classificada sintaticamente como: corretamente, porque concorda com “as lágrimas
ardentes” (sujeito). Levando em consideração o
a) ( ) Aposto; verbo “ver” e o verbo “vir”, está correta a opção:
b) ( ) Vocativo;
c) ( ) Sujeito; a) ( ) Os alunos vêm o Cefet-PI como uma
d) ( ) Adjunto adverbial; grande escola;
e) ( ) Adjunto adnominal. b) ( ) Todo aquele que vêm ao Cefet-PI é
porque quer ser um grande
20. No verso 10, temos a palavra “fragrância”. profissional;
Seguindo esse contexto, se comparamos a palavra c) ( ) Os professores vêm fazendo o
“fragrante” com “flagrante”, temos um caso de: possível para satisfazer aqueles que
vêem estudar no Cefet-PI;
a) ( ) Homônimos homófonos; d) ( ) Aqueles que vêem estudar no Cefet-
b) ( ) Homônimos homógrafos; PI vêem nele uma grande escola;
c) ( ) Sinônimos; e) ( ) Os professores vêem um grande
d) ( ) Parônimos; potencial naqueles que vêm estudar
e) ( ) Formas variantes. no Cefet-PI.

21. Marque a opção que apresenta uma oração 25. Marque a opção que apresenta,
subordinada adjetiva: respectivamente, a justificativa gramatical para o
acento da palavra “idéia” (verso 11) e da palavra
a) ( ) Quando cheios de gosto, e de alegria “ânsia” (verso 4):
(v 1); a) ( ) Paroxítona terminada em ditongo
b) ( ) Aquele mesmo objeto, que desvia crescente e paroxítona terminada em
(v 5); ditongo crescente;
c) ( ) Se das flores a bela contextura (v 9); b) ( ) Paroxítona terminada em ditongo
d) ( ) Como, ó Céus, para os ver terei crescente e regra do hiato;
constância (v 12); c) ( ) Regra do ditongo aberto e paroxítona
e) ( ) Se cada flor me lembra a formosura terminada em ditongo crescente;
(v 13). d) ( ) Regra do ditongo aberto e regra do
hiato;
22. A palavra “os”, grifada no verso 12, classifica- e) ( ) Regra do hiato e regra do hiato.
se morfologicamente como:
26. A palavra “ventura” (v 11) no contexto do
a) ( ) Pronome demonstrativo; poema significa:
b) ( ) Artigo definido;
c) ( ) Artigo indefinido; a) ( ) Sorte, felicidade;
d) ( ) Preposição; b) ( ) Firmeza, ânimo;
e) ( ) Pronome oblíquo. c) ( ) Aventura, heroísmo;
d) ( ) Dureza, aspereza;
23. A palavra “para” (início do verso 11) e) ( ) Solidão, angústia
expressa uma circunstância de:
27. Sobre a forma verbal “diviso” (v 2), marque a
a) ( ) Finalidade; opção correta:
b) ( ) Proporcionalidade;
c) ( ) Comparação; a) ( ) Apresenta sujeito indeterminado;
d) ( ) Concessão; b) ( ) Tem um sujeito determinado e
e) ( ) Tempo. explícito;
c) ( ) Tem um sujeito simples: “campos”
d) ( ) Apresenta um sujeito implícito;
e) ( ) É um típico caso de oração sem
sujeito.
28. Temos, respectivamente, nas palavras “mais” PROVA DE MATEMÁTICA
(v 4), “agonia” (v 4), “constância” (v 12) e “Céus”
(v 12):
31.  Numa  escola  com  250  alunos,  60  estudam 
a) ( ) Ditongo, hiato, ditongo, ditongo; Matemática,  70  estudam  Física,  80  estudam 
b) ( ) Hiato, hiato, ditongo, ditongo; Química,  15  estudam  Matemática  e  Física,  25 
c) ( ) Ditongo, ditongo, ditongo, ditongo; Física  e  Química,  30  Matemática  e  Química  e  10 
d) ( ) Hiato, ditongo, hiato, ditongo; estudam  as  três  matérias.  O  número  de  alunos 
e) ( ) Ditongo, hiato, ditongo, hiato. que estudam somente matemática é: 
 
29. Levando em consideração a oposição entre a
palavra “alegria” (v 1) e a palavra “tristeza” ( v 8),
a) (   ) 35 
podemos dizer que representa uma figura de b) (   ) 30 
linguagem chamada: c) (   ) 25 
d) (   ) 40 
a) ( ) Sinestesia; e) (   ) 45 
b) ( ) Prosopopéia;   
c) ( ) Onomatopéia;  
d) ( ) Antítese; 32.  Um  comerciante  contraiu  de  um  amigo  um 
e) ( ) Aliteração. empréstimo  de  R$  600,00,  comprometendo‐se  a 
pagar a dívida ao final de 3 meses, à taxa de juros 
30. Analisando o verso “Do humano peito as
simples  de  5%  ao  mês.  Ao  final  deste  período  o 
mágoas inclementes” (v 6) e sua relação sintática
comerciante deverá pagar: 
com o verso anterior, podemos evidenciar um
processo lingüístico denominado:  
a) (   ) R$ 690,00 
a) ( ) Ironia; b) (   ) R$ 670,00 
b) ( ) Pleonasmo; c) (   ) R$ 650,00 
c) ( ) Redundância; d) (   ) R$ 645,00 
d) ( ) Antítese; e) (   ) R$ 630,00 
e) ( ) Inversão.  
 
33.  Uma  bolsa  é  vendida  por  R$  32,00.  Se  seu 
preço fosse aumentado em 20% quanto passaria 
a custar? 
 
a) (   ) R$ 38,40 
b) (   ) R$ 39,40 
c) (   ) R$ 38,30 
d) (   ) R$ 39,30 
e) (   ) R$ 37,00 
 
 
34.  Na  bula  de  um  remédio  pediátrico 
recomenda‐se  a  seguinte  dosagem:  5  gotas  para 
cada 2kg do “peso” da criança. 
           Se  foram  ministradas  20  gotas  a  uma 
criança, podemos concluir que seu “peso” é: 
 
a) (   ) 13  kg 
b) (   ) 12 kg 
c) (   ) 8 kg 
d) (   ) 7kg 
e) (   ) 6kg 
 
35.  Todas  as  alternativas  sobre  números  inteiros  38.Sejam  Q,  I,  R,  respectivamente,  os  conjuntos 
estão corretas, exceto:  dos números Racionais, Irracionais e Reais. Então, 
  tem‐se: 
a) (   ) Nem todo primo é ímpar.   
b) (   ) Todo    inteiro  par  pode  ser  escrito  na  a) (   )     
forma  ,  .  b) (   )  
c) (   ) A  soma  de  dois  inteiros  ímpares  é  c) (   )   
sempre um inteiro par.  d) (   )  
d) (   ) Todo inteiro ímpar pode ser escrito na  e) (   )  
forma  ,  .   
e) (   ) Se    é  um  inteiro  ímpar,  então     
também é ímpar.   
   
36. Dados os conjuntos A={2, 3, 4} e B={1, 2, 3, 4,   
5},  e  a  relação  R  de  A  em  B  definida  por  39.  Se A = { x ∈ R/ 0 < x <2}  e   
R= ,  R  é  representada               B = { x ∈ R/ ‐3 ≤ x ≤ 1}, podemos afirmar 
por;  que o conjunto (A∪B) – (A ∩B) é: 
   
a) (   ) R={(2,1), (3,3),(4,5)}  a) (   ) [ ‐3,0] ∪ ]1,2[ 
b) (   ) R={(1,3), (2,5),(3,3)}   b) (   ) [ ‐3,0[ ∪ [1,2[ 
c) (   ) R={(1,2), (3,3),(5,4)}   c) (   ) ] ‐∞,‐3[ ∪ [2,∞[ 
d) (   ) R={(1,3), (2,4),(3,5)}  d) (   ) ]0,1] 
e) (   ) R={(2,1), (2,1),(3,3)}  e) (   ) [‐3,2[ 
   
37.  Considere  a  relação  f  de  M  em  N,   
representada no diagrama abaixo:   
   
 
40. A solução da inequação     é: 
 
a) (   )  
b) (   )  
c) (   )  
d) (   )  
e) (   )  
   
 
 
 
 
Para que f seja uma função de M em N, basta: 
 
 
a) (   ) Apagar a seta (1) e retirar o elemento 
s. 
b) (   ) Apagar  as  setas  (1)  e  (4)  e  retirar  o 
elemento k. 
c) (   ) Retirar os elementos k e s. 
d) (   ) Apagar a seta (4) e retirar o elemento 
k. 
e) (   ) Apagar a seta (2) e retirar o elemento 
k. 
 
 
 
41.  O  gráfico  esboçado,  da  função  ,  44. O valor máximo da função 
representa o custo unitário de produção de uma     é: 
peça em função da quantidade mensal produzida.   
  a) (   ) 2 
 
y
b) (   ) 3 
  c) (   ) 4 
Custo unitário

  d) (   ) 5 
  10 e) (   ) 6 
   
  5  
      
   
  0 720 1020  
  x
Quantidade produzida  
  45.  Sendo  A  o  conjunto  solução  da  inequação 
 Para  que  esse  custo  unitário  seja  R$6,00,  a  ,  assinale  a 
produção mensal deve ser igual a:  alternativa correta: 
   
a) (   ) 960 peças  a) (   ) ‐1 A 
b) (   ) 930 peças 
b) (   )  
c) (   ) 910 peças 
d) (   ) 905 peças  c) (   )  ⊂ A 
e) (   ) 900 peças  d) (   )  
  e) (   ) 5,5  
   
42. Qual é a função do 2º grau cuja única raiz é ‐3   
e cujo gráfico passa pelo ponto A(‐2;5)?   
   
a) (   )    
46.  Sejam    funções  tais  que 
b) (   )  
 e   para  . 
c) (   )    Então o valor de   em zero é: 
d) (   )    
e) (   )   a) (   ) ‐1 
  b) (   ) 0 
  c) (   ) 3 
43. O valor mínimo do polinômio  d) (   ) 2 
  ,  cujo  gráfico  é  mostrado  na  e) (   ) 1 
figura, é:   
   
   
   
  47.Das funções a seguir, indique qual representa 
  uma função ímpar. 
   
a) (   ) ‐1  a) (   )  
b) (   ) ‐2  b) (   )  
c) (   )  
c) (   )   d) (   )  
e) (   )  
d) (   )  
 
 
e) (   )  
 
48. A afirmação falsa é:  51.  O  valor  de  x  que  satisfaz  a  equação 
 
  é: 
a) (   ) A  função    definida  por 
 é injetora.   
b) (   ) A  função    definida  por   a) (   ) 2 
  é bijetora.  b) (   ) 1 
c) (   ) A  função      definida  por           c) (   ) 3 
y = x + 1 é bijetora.                d) (   ) 0 
d) (   )  A  função  definida  e) (   ) ‐2 
por    não é sobrejetora.   
e) (   ) A  função  definida   
por     é injetora.  52. Das figuras abaixo, a que melhor representa o 
  gráfico  da  função    de  R  em  R  definida  por 
   é: 
 
 
49.  Consideremos  a  função  inversível    cujo 
 
gráfico é visto abaixo. A lei que define   é; 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
a) (   )    
b) (   )    
 
c) (   )    
d) (   )    
e) (   )    
 
   
50.  O  conjunto  verdade  da  inequação             

é:   
 
   
a) (   )    
b) (   )    
c) (   )    
d) (   )    
e) (   )    
   
   
   
   
   
   
   
   
53.  Sejam    e      funções  reais  de  variável  real  57.  O  domínio  de  definição  da  função 
 é: 
definida  por          e 
 
. O valor mínimo de    a) (   ) x<2 ou x>3 
é:  b) (   ) 2<x<3 
  c) (   ) 1<x<2 ou x>3 
a) (   )     d) (   ) x<1 ou x>3 
e) (   ) 1<x<3 
b) (   )     
 
c) (   )  
 
d) (   ) 1   
 
e) (   ) 2   
   
  58.  Na  figura  LMNP  é  um  quadrado  inscrito  no 
  triângulo ABC. O valor de  x em função de a e h, 
54.  O  conjunto  solução  da  inequação        é: 
 
 é:   
   
a) (   )    
b) (   )    
c) (   )    
d) (   )    
e) (   ) N.D.A 
 
  a) (   )  
55. Sabendo que   = 6, 
b) (   )  
determine o valor de  a.b. 
 
a) (   ) 16  c) (   )  
b) (   ) 32 
c) (   ) 28  d) (   )  
d) (   ) 64 
e) (   ) 72  e) (   )  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
56.  Em  R,  o  conjunto  verdade  da  equação: 
 
 é:   
 
   
a) (   )    
b) (   )    
c) (   )    
d) (   )  
e) (   )  
 
59.  Determine  a  área  do  triângulo  ABC  abaixo, 
sendo AE=10, AD=8m e EB=5m. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
a) (   ) 54 m² 
b) (   ) 51 m² 
c) (   ) 56 m² 
d) (   ) 53 m² 
e) (   ) 50 m² 
 
 
60.  Uma  estação  E,  de  produção  de  energia 
elétrica,  e  uma  fábrica  F  estão  situadas  nas 
margens  opostas  de  um  rio  de  largura  . 
Para  fornecer  energia  a  F,  dois  fios  elétricos  a 
ligam  a  E,  um  por  terra  e  outro  por  água, 
conforme a figura.       

 
Supondo‐se  que  o  preço  do  metro  do  fio  de 
ligação por terra é R$ 12,00  e que o metro do fio 
de ligação pela água é R$ 30,00, o custo total, em 
reais, dos fios utilizados é: 
 
a) (   ) 28000 
b) (   ) 24000 
c) (   ) 15800 
d) (   ) 18600 
e) (   ) 25000