Vous êtes sur la page 1sur 7

1

SEXO FEMININO NO MUNDO TECNOLÓGICO¹

KAIROM DANTAS²
Orientador: IDEIR COTO³
“A sorte favorece a mente bem preparada. ”
Louis Pasteur

Resumo:

Este artigo citará mulheres que tiveram um grande papel no mundo tecnológico,
representando que mesmo com uma diferença existente no passado entre o
sexo masculino e o sexo feminino, onde a mulher não conseguia exercer
diversos papeis no mercado de trabalho, algumas mulheres tiveram uma
participação de extrema importância para a sociedade.

Palavras-chave: Mulher, Informática, Sociedade

1 INTRODUÇÃO

Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive, na indústria da tecnologia.


Seja programando, desenvolvendo produtos ou criando inovações, elas sempre
estiveram por aí, por mais que nem sempre sejam reconhecidas por seus feitos
ou tenham histórias que se confundam ou são ofuscadas pelas dos homens. Elas
podem até ser pouco lembradas, mas jamais esquecidas.
As mulheres e a Informática são bens preciosos que quando são
colocados lado a lado acabam tendo uma grande barreira entre elas, pois a
mulheres sempre foi vista como dona do lar e com menos inteligência, mas esse
modelo foi mudando pouco a pouco e elas foram ganhando espaço no mercado
tecnológico e se adaptando a outras funções, há também mulheres pioneiras que
enfrentaram a sociedade para inventar coisas maravilhosas para a informática e
tecnologia em geral.
O desenvolvimento da informática e da computação não é obra exclusiva
de homens, mas, sim com ajuda das mulheres, alguns exemplos de mulheres
envolvidas na pesquisa e desenvolvimento da tecnologia.

¹ Título de artigo cientifico, apresentado a UNESC a Coordenação de Pós-Graduação, com a


finalidade de aprimorar meus conhecimentos e obter o título de Segurança da Informação e
Administrador de TI.
² Graduado em Sistemas de Informações e Tecnologia da Informação na faculdade UNESC.
³ Graduado em Análise de Sistemas pela Uninove, Pós-Graduado em metodologia do ensino
superior pela Unesc, pós graduado em educação profissional e tecnológica pela Cetiqt-RJ.
2

2 DESENVOLVIMENTO

Antes de linguagens de programação e sistemas computadorizados para


cálculos matemáticos como os que já citamos aqui, entretanto, os primeiros
computadores dependiam da influência humana e de aparatos mecânicos para
funcionarem, e dependiam bastante dos nossos cérebros. Quando se falava em
trajetórias de mísseis e bombas, então, a coisa se tornava ainda mais
complicada. Foi aí que entraram as ‘garotas do ENIAC’, um grupo de seis
mulheres que foram as primeiras ‘computors’ da história da informática.

Figura 1: Garotas do ENIAC

Mais do que operar o maquinário, elas foram responsáveis por dar o


pontapé inicial em muitos protocolos usados até hoje. São elas, Betty Snyder,
Marlyn Wescoff, Fran Bilas, Kay McNulty, Ruth Lichterman e Adele Goldstine.
Todas elas foram responsáveis por fazer a configuração do ENIAC.

Entre essas pioneiras na construção do ENIAC, temos uma que foi de


extrema importância, Adele Goldstine, ela é cientista da computação, autora e
coautora de livros sobre linguagem de programação. Na década de 1970 chegou
a trabalhar no Xerox Parc, com o desenvolvimento do Xerox Alto. Recusou a
levar Steve Kobs para conhecer as instalações do laboratório, até que recebeu
ordens de superiores para permitir sua entrada, as quais acabou acatando com
o profundo desgosto (esta pequena visita ao Xerox Parc foi o suficiente para que
Steve Jobs e sua equipe desenvolvessem, alguns anos depois, o computador
Macintosh). Em 1946 reformulou o famoso computador ENIAC, permitindo ao
computador executar uma nova tarefa sem a necessidade de reconfigurar todo
3

o sistema, ela também foi a autora do manual para utilização do ENIAC.

Outra mulher que teve um papel muito importante foi BETTY


HOLBERTON, como dito anteriormente, ela foi uma das 6 programadoras
originais do ENIAC, nascida na Filadélfia em 1917, seu trabalho no ENIAC deu
a cada uma delas um lugar de honra no Hall Internacional da Fama de Mulheres
na Tecnologia. No início, como o ENIAC era confidencial, elas tinham permissão
para tabalhar apenas com diagramas e esquemas para programa-lo, ele então
foi revelado ao público em 15 de fevereiro de 1946, na Universidade da
Pensilvânia. em 1953, supervisionou a programação avançada do Laboratório
de Matemática Avançada da Marinha, em Maryland, onde permaneceu até 1966,
ela também teve um papel no desenvolvimento de padrões iniciais das
linguagens COBOL e FORTRAN.

Figura 2: BETTY HOLBERTON

A Irmã Mary Kenneth Keller foi considerada a primeira mulher a receber


um doutorado em ciências da computação, Keller se formou na Universidade
Washington, na cidade de St. Louis, nos Estados Unidos. O diploma veio em
1965, mas desde 1958, ela já trabalhava em oficinais de informática enquanto a
indústria ainda era menos do que incipiente. Sua contribuição, entretanto, foi
fundamental na criação da linguagem de programação BASIC, criada com fins
didáticos e utilizada por décadas, até ser substituída pelo Pascal, mais arrojado,
seguro e seguir de melhores práticas.

Mary Kenneth Keller escreveu quatro livros sobre computação e


4

programação, e as obras são, até hoje, uma referência. Ela também foi uma das
primeiras vozes pela inclusão das mulheres no ramo da informática. Ela
enxergou desde cedo o potencial dos computadores como uma ferramenta
educacional e voltada para o desenvolvimento humano, seja por meio de um
maior acesso à informação ou simplesmente como suporte na sala de aula.
Tanto que sempre trabalhou na área do ensino, fundando um departamento de
ciências da computação na Universidade Clarke, no estado americano do Iowa,
o qual permaneceu dirigindo até seu falecimento, em janeiro de 1985.

Figura 3: Irmã Mary Kenneth Keller

Quando se fala em pioneirismo, Grace Hopper tem diversos títulos para


chamar de seus. Ela foi a primeira mulher a se formar na prestigiosa
Universidade de Yale, nos Estados Unidos, com um PhD em matemática, além
de ter sido a primeiro almirante da marinha dos EUA. No campo da tecnologia,
ela foi uma das criadoras do COBOL uma linguagem de programação para
bancos de dados comerciais, entretanto, sua história mais famosa é a que
remonta à popularização do termo ‘bug’ para indicar problemas em software.

Uma de suas principais frases se tornou não apenas um bastião feminista,


mas também o principal mote para as mulheres que lutam por representatividade
na indústria da tecnologia: ‘é mais fácil pedir perdão do que permissão’. Além do
COBOL, Hopper também criou linguagens de programação para o UNIVAC, o
primeiro computador comercial fabricado nos Estados Unidos.
5

Figura 4: Grace Hopper

Susan Woljcicki teve um grande papel no desenvolvimento tecnológico,


apesar de seu dom com a tecnologia, Susan fui dos padrões: formada em história
e literatura por Harvard, ela se apaixonou por tecnologia especialmente depois
de conhecer os coo fundadores da Google, Larry Page e Sergey Brin. Os dois
montaram o primeiro escritório da Google na garagem dela, 1998. Logo após,
Susan virou gerente de marketing e ajudou em projetos como, por exemplo,
Google Imagens, Google Livros, AdWords, adSense e Google Analytics. Ela é a
atual CEO do YouTube.

Figura 5: Susan Woljcick


6

3 CONCLUSÃO

Após o decorrer do tempo, ficou claramente apontado a importância do


sexo feminino no meio tecnológico, desde uma pequena participação até por
serem pioneiras em algo grandioso, apesar disso, a fração de mulheres
presentes neste meio ainda é bem baixa. A ciência da computação é uma ciência
exata, sendo de extrema importância resgatar a história das mulheres até os dias
de hoje, estas histórias das pioneiras dão um grande avanço para a mulher
dentro da informática, pois o crescimento delas no meio tecnológico é muito
significativo, o enfoque principal tem sido na área dos softwares, cuja as
mulheres que inventaram o ENIAC, cujo as principais funções eram a lógica
matemática, algoritmo e a principal conseguir desenvolver um software.
Entretanto, mesmo em número reduzido, as mulheres que se dedicaram
à informática, marcaram o desenvolvimento dessa área do conhecimento e da
sociedade como um topo, caso a sociedade incentivasse as meninas e mulheres
a ingressar em carreiras científicas, em um futuro próximo essa situação possa
ser revertida e a participação feminina nas carreiras científicas em geral e na
informática especificamente aumente significativamente.
7

4 REFERÊNCIAS

Dermartini, F. (2016). As dez mulheres mais importantes da história da tecnologia,


de https://canaltech.com.br/internet/as-dez-mulheres-mais-importantes-da-
historia-da-tecnologia-59485/
Silveira, Evanildo (2018). Como as mulheres passaram de maioria a raridade nos
cursos de informática, de https://www.bbc.com/portuguese/geral-43592581
Gpjinformatica (2018). As Mulheres Na História Da Computação, de
https://gpjinformatica.wordpress.com/2018/04/12/as-mulheres-na-historia-
da-computacao/
Sousa, Vaneska (2017). A importância das mulheres para a informática, de,
https://blog.totalcross.com/pt/a-importancia-das-mulheres/
Josino, Josimar Oliveira (2018), A importância das mulheres na informática, de
https://www.webartigos.com/artigos/a-importancia-das-mulheres-na-
informatica/160276