Vous êtes sur la page 1sur 16

CURSO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS

E ESCRITÓRIOS

MÓDULO 01
CURSO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS
E ESCRITÓRIOS
Autora: Amanda Marques

MÓDULO 01
01. Introdução
02. Legislação e Órgãos de Classe
03. Etapas de um projeto de interiores

Atenção: O material está disponível apenas para este curso. É proibida cópia total ou parcial,
apresentação ou qualquer forma de comercialização de seu conteúdo. São respeitados os
Direitos Autorais de toda a bibliografia consultada, com a respectiva indicação dos créditos.

EAD
Ensino à Distância
amcursosonline.com.br
01. Introdução

Olá aluno, seja bem vindo ao curso de Gestão de Projetos e


Escritórios de Design de Interiores. Desenvolver um projeto de decoração
requer habilidade e conhecimento técnico que você deve ter adquirido em
sua formação técnica ou acadêmica, estágios, prática diária em sua vida
profissional, ou até mesmo com os cursos realizados na AM Cursos Online.
Não é fácil ser um designer, mas depois que adquire a habilidade, trabalhar
na área passa a ser algo simples, tranquilo e rotineiro. O objetivo deste curso
é oferecer embasamento para organizar e dirigir seus projetos e escritório,
facilitando o bom andamento e execução de diversas tarefas do seu dia a dia.
Os Designers de Interiores são qualificados a resolver com criatividade
e ousadia os problemas relativos à funcionalidade de ambientes residenciais,
comerciais ou públicos, para isso é fundamental estarem sempre atualizados.
São especialistas em pesquisar, pois sua curiosidade em conhecer novas
tendências e tecnologias faz com que registre tudo o que vê e ouve para
aplicar em algum projeto. Seu conceito estético aliado à interpretação dos
desejos e expectativas do cliente é que determinará o estilo utilizado em cada
novo trabalho. Algumas destas ideias surgem durante o estudo que antecede
um projeto. A partir do momento em que se conhece um pouco da vida social
e familiar do cliente, sua personalidade, seus hábitos e costumes passam a
fazer parte da construção e idealização do objeto de estudo (o projeto).
Devido a isso o planejamento é de estrema importância para que as etapas
fluam em concordância.
O trabalho de um profissional deste setor representa um fator de
economia na escolha de tantas opções oferecidas pelo mercado. Evita o
gasto desnecessário e é fundamental na produção de um ambiente
adequado, bem iluminado e planejado. Nas empresas, sua importância é
ainda maior, provocando impactos significativos sobre a melhoria da
produtividade através do correto planejamento do ambiente.
Sendo assim, podemos concluir que existe uma grande
responsabilidade quando se projeta ambientes, pois impõe uma maior ordem
ao exercício profissional. O cliente tem todo o direito
de exigir e pode distinguir um serviço adequado quando se contrata um
Designer de Interior.
Durante o curso analise as situações apresentadas e questione
quando necessário.

Bons estudos!

02. Legislação/ Órgãos de classe

Para compreender melhor as aplicações que serão apresentadas,


vamos iniciar nosso curso entendendo quais são os órgãos de classe e como
funciona o trabalho junto a eles.
O profissional pode ser contratado para uma simples consultoria, para
o desenvolvimento de um projeto ou também para uma assessoria,
fiscalização, acompanhamento, gerenciamento, direção e administração da
execução da obra. O projeto em si, é frequentemente, apenas uma das
etapas a serem desenvolvidas. Portanto, ao longo do processo o designer de
interiores ou arquiteto deverá entrar em contato com outros profissionais da
área e especialistas, tais como: estrutura, elétrica, hidráulica entre outros.
A atuação de cada profissional dependerá de suas funções e formação
conforme as competências listadas abaixo:

02.01. Técnico ou Tecnólogo em Design de Interiores

Competências segundo:
 CONFEA: Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia
 CREA: Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia

Arts. 3º e 4º do Decreto nº 90.922, de 6 fev 1985 - dispõe sobre o e exercício


da profissão de técnicos de nível médio ou de 2º grau.
Anexo II da resolução nº 1010 de 22 de agosto de 2005

Decreto nº 90.922
Arts. 3º e 4º - Os técnicos poderão:
 Conduzir a execução técnica dos trabalhos de sua especialidade;
 Prestar assistência técnica no estudo e desenvolvimento de projetos e
pesquisas tecnológicas;
 Orientar e coordenar a execução dos serviços de manutenção de
equipamentos e instalações;
 Dar assistência técnica na compra, venda e utilização de produtos e
equipamentos especializados;

Arts. 3º e 4º - Os técnicos poderão:


 Responsabilizar-se pela elaboração e execução de projetos
compatíveis com a respectiva formação profissional;
 Elaboração de orçamento de materiais e equipamentos, instalações e
mão de obra;
 Executar, fiscalizar, orientar e coordenar diretamente serviços de
manutenção e reparo de equipamentos, instalações.

Anexo II da resolução nº 1010 de 22 de agosto de 2005


 Descreve as atividades e as competências no campo de atuação
profissional no setor de arquitetura de interiores.

Arquitetura de Interiores (resolução nº 1010)


 Ambientes Internos
 Organização
 Intervenção
 Revitalização
 Reabilitação
 Reestruturação
 Reconstrução
 Equipamentos
 Objetos Mobiliários
 Arquitetura de Obras Efêmeras
 Luminotécnica
 Compatibilização de Atividades Multidisciplinares
 Sistemas, Métodos, Processos, Tecnologia e Industrialização

Dica: Mas afinal, onde o profissional poderá trabalhar?

 Em escritórios de arquitetura:
 No desenvolvimento de projetos de:
interiores, paisagísticos, mobiliário;
 Desenvolvimento de: Orçamentos, cronogramas, execução, etc.
 Lojas:
 Moveis, decoração, etc.
 Outros:
 Marcenarias, Representações, Autônomo;

02.02. Graduação em Arquitetura

O profissional formado é responsável pelo desenvolvimento do projeto,


supervisão e até mesmo execução de obras ligadas a arquitetura. Embora o
projeto seja sua principal atividade, o campo de atuação de um arquiteto é
bastante amplo e envolve todas as áreas relacionadas ao controle e desenho
do espaço habitado, como o urbanismo, o paisagismo, e as mais variadas
formas de design.
A legislação exige que para ser considerado um arquiteto, O
profissional deve possuir diploma de nível superior, graduação.

Competências de um arquiteto segundo:


CAU: Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil
IAB: Instituto de Arquitetos do Brasil

O arquiteto pode atuar em diversas áreas. Esta habilitação é expressa pela


Lei Federal 12.378 de 31/12/2010, conforme transcrito abaixo:
“ Art. 2° As atividades e atribuições do arquiteto e urbanista consistem em:
I - supervisão;
II - coleta de dados, estudo, planejamento, projeto e especificação;
III - estudo de viabilidade coordenação, gestão e orientação técnica e
ambiental;
IV - assistência técnica, assessoria e consultoria;
V - direção de obras e de serviço técnico;
VI - vistoria, perícia, avaliação, monitoramento, laudo, parecer técnico,
auditoria e arbitragem;
VII - desempenho de cargo e função técnica;
VIII - treinamento, ensino, pesquisa e extensão universitária;
IX - desenvolvimento, análise, experimentação, ensaio, padronização,
mensuração e controle de qualidade;
X - elaboração de orçamento;
XI - produção e divulgação técnica especializada; e
XII - execução, fiscalização e condução de obra, instalação e serviço técnico.

Parágrafo único. As atividades de que trata este artigo aplicam-se aos


seguintes campos de atuação no setor:

I - da Arquitetura e Urbanismo, concepção e execução de projetos;


II - da Arquitetura de Interiores, concepção e execução de projetos de
ambientes;
III - da Arquitetura Paisagística, concepção e execução de projetos para
espaços externos, livres e abertos, privados ou públicos, como parques e
praças, considerados isoladamente ou em sistemas, dentro de várias
escalas, inclusive a territorial;
IV - do Patrimônio Histórico Cultural e Artístico, arquitetônico, urbanístico,
paisagístico, monumentos, restauro, práticas de projeto e soluções
tecnológicas para reutilização, reabilitação, reconstrução, preservação,
conservação, restauro e valorização de edificações, conjuntos e cidades;
V - do Planejamento Urbano e Regional, planejamento físico-territorial, planos
de intervenção no espaço urbano, metropolitano e regional fundamentados
nos sistemas de infraestrutura, saneamento básico e ambiental, sistema
viário, sinalização, tráfego e trânsito urbano e rural, acessibilidade, gestão
territorial e ambiental, parcelamento do solo,
loteamento, desmembramento, remembramento, arruamento, planejamento
urbano, plano diretor, traçado de cidades, desenho urbano, sistema viário,
tráfego e trânsito urbano e rural, inventário urbano e regional, assentamentos
humanos e requalificação em áreas urbanas e rurais;
VI - da Topografia, elaboração e interpretação de levantamentos topográficos
cadastrais para a realização de projetos de arquitetura, de urbanismo e de
paisagismo, foto-interpretação, leitura, interpretação e análise de dados e
informações topográficas e sensoriamento remoto;
VII - da Tecnologia e resistência dos materiais, dos elementos e produtos de
construção, patologias e recuperações;
VIII - dos sistemas construtivos e estruturais, estruturas, desenvolvimento de
estruturas e aplicação tecnológica de estruturas;
IX - de instalações e equipamentos referentes à arquitetura e urbanismo;
X - do Conforto Ambiental, técnicas referentes ao estabelecimento de
condições climáticas, acústicas, lumínotécnicas e ergonômicas, para a
concepção, organização e construção dos espaços;
XI - do Meio Ambiente, Estudo e Avaliação dos Impactos Ambientais,
Licenciamento Ambiental, Utilização Racional dos Recursos Disponíveis e
Desenvolvimento Sustentável.”

Saiba mais: consulte os sites listados e saiba mais sobre as profissões:


 http://www.iabsp.org.br/oquearquitetofaz.asp
 http://www.caubr.gov.br/anexos/resolucao/RES-
21_CAUBR_16_2012.pdf
 http://www.abd.org.br/abd/codigo-etica-responsabilidade.aspx

2.3. Diferenças: Técnico, Tecnólogo e Superior

O curso técnico possui uma carga horária menor podendo ser de 800
a 1.200 horas, sendo realizado de 1 a 2 anos. O principal objetivo é capacitar
o aluno para uma atividade específica do setor produtivo, de forma rápida e
objetiva. Já o tecnólogo, é considerado um curso superior e deve ter no
mínimo 1.600 horas com duração média 2 a 3 anos.
Tem como objetivo oferecer conhecimentos técnicos e científicos necessários
para a formação de profissionais para atender campos específicos do
mercado de trabalho. Basicamente, os objetivos são os mesmos entre cursos
técnicos e tecnólogos, a diferença está na quantidade de horas que facilita
que o aluno de cursos tecnólogos desenvolvam maiores habilidades e
informações e recebem um diploma de Graduação. Com isso, tem a
possibilidade em avançar nos estudos, como por exemplo, pós-graduações e
candidatar-se a cargos públicos e privados que exigem nível superior. O
curso de graduação tradicional contempla carga horária mínima de 2.400
horas, com duração de 4 a 5 anos, sendo indispensável para formações mais
completas, em que a carga horária dos cursos mencionados anteriormente
seria insuficiente para abordar todos os conteúdos necessários.
Agora que você já aprendeu sobre as competências de cada
profissional, ficará fácil entender qual a sequência lógica do seu trabalho.
Vamos para o próximo tópico aprender sobre o perfil do cliente e entender
como tratar cada situação.

03. Etapas de um Projeto de Interiores

Como devo iniciar o meu trabalho de decoração ou design de


interiores? Qual a ordem dos trabalhos, e o que acontece primeiro? Muitos
profissionais têm dúvidas sobre isso e acabam se sentindo inseguros ao
iniciar um projeto justamente por não saber como se desenrola a relação de
trabalho nesta área.
Nesta módulo iniciaremos com alguns tópicos já trabalhados, mas será
importante a abordagem de tal maneira para que você consiga entender o
todo. De maneira geral, será ensinado como se desenvolve cada etapa da
sequencia de um projeto. Assim você aprenderá cada passo que precisa ser
dado para que tudo aconteça de forma correta e precisa.
A iniciativa do primeiro contato pode ocorrer através do profissional ou
do cliente. Mas o cliente é quem manifesta o interesse pelo trabalho do
profissional. É muito importante que todo trabalho, desde o início, seja
formalizado e documentado, e para isto existem
documentos específicos: propostas, contratos, memoriais e, no caso da
decoração e design de interiores, projetos gráficos (os desenhos).
Iniciamos primeiramente com a descrição de cada etapa, uma a uma. Do
contato com o cliente até à aprovação da proposta e contrato de trabalho. Em
seguida, do início do projeto até a conclusão e entrega do Projeto Final com
material gráfico e textualização final. Aqui abordaremos de maneira mais
geral, na sequencia será abordada em tópicos separados para sua melhor
compreensão.

Dica: Crie metas claras que deseja alcançar. Isto agregará


valor a sua qualidade de vida pessoal e rendimento
profissional. Isto é mensure quanto vale o seu trabalho,
quanto vale a sua hora. Assim conseguirá aplicar valores
corretos a seus projetos. Mas atenção avalie seu conhecimento ao aplicar
tais valores.

Cada vez que você desenvolver um trabalho com valores


correspondentes as suas expectativas ou metas se sentirá orgulhoso e feliz
por si próprio, sua autoestima se eleva e se sentirá ainda mais motivado para
desenvolver outros trabalhos.

03.01. Do primeiro contato com o cliente à aprovação da proposta e


contrato

O primeiro contato do cliente com o profissional e o agendamento de


primeira reunião é fundamental para todo o desenrolar do trabalho.

 Primeiro contato: Esta primeira reunião tem por objetivo a apresentação


mútua e levantamento de informações básicas para a elaboração de uma
proposta de trabalho.

É importante avaliar a complexidade do projeto que se tem pela frente. Por


isso, deve-se realizar alguns questionamentos, tais como:
 Serão necessárias viagens ou grandes deslocamentos?
 O trabalho envolve riscos?
 Será necessário realizar pesquisas longas sobre novas tecnologias?
 Haverá muitas intervenções e detalhamentos no projeto ou é algo mais
simples?

As respostas para estas questões serão determinantes para a avaliação dos


honorários e prazo de entrega do projeto.

Lembrete: Apresentação da primeira proposta de


trabalho será uma entrega formal, de preferência que
seja realizada pessoalmente pelo profissional ao
cliente. Desta maneira, você conseguirá reforçar sua
postura profissional e transmitirá confiança ao cliente
explicando item por item do projeto proposto demonstrando ser o profissional
perfeito para este trabalho.

 Apresentação do Orçamento: Apresenta-se uma proposta de


trabalho com os valores e serviços a serem realizados o qual
chamaremos de orçamento. Com este seu cliente avalia e toma sua
decisão:

 “SIM aceito a proposta” – neste caso, será desenvolvido o o “Contrato


de Prestação de Serviços”.
 “NÃO aceito a proposta” – nem sempre conseguimos logo de início
atender a necessidade do cliente, então realizamos os ajustes e
apresentamos novamente a proposta. Se a resposta aos ajustes for SIM,
segue ao processo mencionado acima. Em caso de recusa serão realizados
novos ajustes e uma nova apresentação ou encerra-se a consulta ao
trabalho.

03.02. Da entrevista junto ao cliente à entrega final do projeto

 Assinatura do Contrato e Entrevista com o Cliente: No ato da


assinatura do contrato poderá ser realizada a entrevista com o cliente.
Nesta deve conter detalhes minuciosos de preferências estéticas,
necessidades do cliente e do ambiente que será projetado, entre
outras informações.

Dica: Tudo o que for apresentado para o cliente a partir


de agora deverá ser assinado sempre que ele aprovar
algum trabalho. Todas as etapas, alterações e
aprovações.

 Conceituação estética do projeto: A partir dos dados coletados na


entrevista podemos criar um mapa mental do cliente e concluir quais
as necessidades reais e estéticas para o projeto. Definimos quais os
estilos serão adotados, desenvolvemos um programa de necessidades
com parâmetros básicos de referência estética e dos elementos
visuais que nortearam o projeto. Isto é, uma conceituação, a ideia que
se quer transmitir.
 Identificação e reconhecimento de materiais: É importante
pesquisar e conhecer a maior gama possível de materiais que
representem o conceito a ser adotado no projeto. Analisar suas
características técnicas e estéticas para o bom desempenho da
profissão.
Dica: Para um bom desenvolvimento de seu trabalho é
fundamental desenvolver pesquisas em lojas, internet,
revistas de decoração e tecnologia. Assim conseguirá
utilizar materiais adequados ao seu projeto bem como
defender o conceito adotado no projeto. Para manter-se
atualizado, crie uma pasta catálogo com exemplos, modelos e características
técnicas dos produtos catalogadas por ordem alfabética ou tipo de
tecnologia. Mantenha também uma agenda com o contato destes
fornecedores, entre em contato e faça parcerias. Quando utilizar o serviço de
um fornecedor atualize seu catálogo sobre a qualidade do produto e
atendimento, assim terá base para os próximos trabalhos.

 Iniciando o Projeto (estudo preliminar): O primeiro contato do


cliente com o projeto são os desenhos em 3D, que podem ser
representados em desenhos a mão o que chamamos de croquis
(desenho livre) ou perspectivas (desenho tridimensional técnico) ou
por computador (em softwares de desenho em 3D). A intenção dos
primeiros desenhos é apresentar a ideia conceitual do projeto ao
cliente e visualizar se ambos estão visualizando a mesma linha de
raciocínio. Esta primeira apresentação é chamada de estudo
preliminar. Nesta fase trabalhamos com as medidas padrões dos
móveis e objetos para que possamos definir um layout adequado que
atenda as necessidades ergonômicas do espaço e do cliente.

Estudo Preliminar
Fonte:http://carolinanunes.arq.br/wp-content/uploads/2012/08/04-Estudo-
Preliminar-Perspectiva-da-Sala.jpg data: 12/02/2014 08:15
Dica: É importante apresentar ao menos três ideias de concepção de
projetos diferentes. Com isso, além do cliente poder
escolher a ideia que mais lhe agradou passará segurança
porque agora já sabe o que irá ser projetado, mesmo com
algumas modificações. Descreva e relacione o que irá
compor o projeto, tipos revestimentos, materiais, móveis e
objetos. Estes dados serão relevantes no desenvolvimento do memorial
descritivo.

 Elaboração do Anteprojeto: Após o cliente definir junto com o


profissional qual dos Layouts está coerente às necessidades do
projeto, inicia o trabalho de expressão gráfica com desenhos técnicos
e adaptações necessárias das medidas padrões para as específicas
ao projeto do cliente. O trabalho finalizado deve permitir a completa
compreensão do projeto mantendo-se na mesma linha adotada no
estudo preliminar.
 Apresentação do Anteprojeto ao cliente: Nesta etapa o profissional
deverá apresentar ao cliente os desenhos técnicos, podendo utilizar
diversos recursos visuais para facilitar a visualização do trabalho e
beleza estética na entrega do material. Sendo um facilitador,
auxiliando na argumentação e defesa de sua ideia. No Anteprojeto
deve conter as definições e explicação do conceito com a
apresentação verbal auxiliada por imagens associativas e até mesmo
vídeos, os desenho técnicos (planta baixa, fluxogramas e elevações),
os desenhos em perspectivas (a mão ou por computador), e as
amostras de materiais ou imagens.

Dica: O profissional deve passar segurança ao apresentar


o projeto. Isto será determinante para que o do cliente
confie no trabalho e solicite o mínimo de ajustes facilitando
a aprovação do anteprojeto. Esta segurança se conquista
a cada encontro, desde o início do
projeto. Cada argumentação deve ser embasada com critérios técnicos e
estéticos.
O cliente avaliará o trabalho e poderá solicitar ou não a alteração de alguns
detalhes do projeto.

 Sem alterações: Quando você consegue transmitir confiança e


mostrar todo o potencial de seu trabalho possivelmente o cliente aprove sem
alterações. Neste caso, o cliente gostou de tudo e não deseja nenhuma
modificação em relação ao que foi apresentado. Perfeito, siga para a
elaboração do Projeto Executivo e do Memorial Descritivo, mas não se
esqueça de solicitar a assinatura de aprovação do projeto.
 Com alteração: Neste caso, o cliente solicita alguns ajustes no projeto
que não estão de acordo com seu critério. O profissional deve registrar tudo
que será modificado minuciosamente e faz as devidas modificações, para na
sequencia reapresentar o projeto.

 Elaboração do Projeto Executivo: Após a aprovação total do projeto,


será desenvolvido o detalhamento de todos os elementos construtivos
e estéticos, com desenhos gráficos necessários para expressar a
perfeita execução do projeto. Neste deve conter: plantas baixas, todos
os cortes e vistas necessárias para uma perfeita compreensão do
todo, detalhamentos de elementos decorativos, mobiliários,
paginações, e tudo que for importante, plantas de instalações elétricas
e hidráulica, o Memorial Descritivo, com todas as especificações do
projeto e o Cronograma de Obra. Observe sempre os critérios que
foram estabelecidos no contrato para não entregar nada a menos ou a
mais.

Dica: Importante imprimir duas cópias dos desenhos,


entregar uma via ao cliente e outra ficar com o
profissional. É indispensável à assinatura do cliente em
todas páginas/pranchas do projeto, pois esta serve como
protocolo de entrega.
amcursosonline.com.br
facebook.com/amcursosonline