Vous êtes sur la page 1sur 13

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

ANA PAULA LIMA BARBOSA


DALTON RODRIGUES SILVEIRA
DANIEL CALDEIRA SILVEIRA
JAIRO SOARES SOBRINHO

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO

Mato Verde/MG
2014
ANA PAULA LIMA BARBOSA
DALTON RODRIGUES SILVEIRA
DANIEL CALDEIRA SILVEIRA
JAIRO SOARES SOBRINHO

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO

Trabalho apresentado ao Curso Administração da


UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a
obtenção de nota 2º semestre ADM.

Profs. Mônica Maria Silva, Wilson Sanches, Sebastião


Oliveira, Karen Manganotti, Márcia Bastos.

Mato Verde/MG
2014

2
DESENVOLVIMENTO

PLANEJAMENTO DO EVENTO

A ideia de realizar a pesquisa no Banco do Nordeste do Brasil surgiu


pelo fato de uma das acadêmicas trabalhar na instituição, no setor do Crediamigo,
sendo portanto um local propício para as fundamentações e indagações propostas
no presente estudo acadêmico, por se tratar de um trabalho relativamente extenso e
complexo buscou-se a distribuição de tarefas, sendo que dois dos integrantes
ficaram com a pesquisa, um com a análise da empresa e o outro com a formatação
do presente estudo.
O planejamento do evento foi satisfatório, uma vez que se buscou
seguir todas as etapas propostas de forma abrangente e condizente com os
objetivos das disciplinas do semestre.

CARACTERÍSTICAS DO MERCADO LOCAL

CARACTERIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO

A – NOME DA EMPRESA: Banco do Nordeste do Brasil

B – LOCALIZAÇÃO - RUA DOS FERNANDES - 15 ED.CLOVIS LOURENCO -


CENTRO 39500000 - MONTE AZUL – MG
Tel.: (038 ) 3811.1116 , Fax: (038 ) 38111515
Horário de Atendimento: das 10:00 às 15:00

C – HISTÓRICO DA EMPRESA

O Banco do Nordeste do Brasil S.A. (BNB) é uma instituição


financeira múltipla criada pela Lei Federal nº 1649, de 19.07.1952 , e organizada sob
a forma de sociedade de economia mista, de capital aberto, tendo mais de 90% de
seu capital sob o controle do Governo Federal. Com sede na cidade de Fortaleza,
Estado do Ceará, o Banco atua em cerca de 2 mil municípios, abrangendo os nove

3
Estados da Região Nordeste (Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte,
Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia), o norte de Minas Gerais (incluindo
os Vales do Mucuri e do Jequitinhonha) e o norte do Espírito Santo.
Maior instituição da América Latina voltada para o desenvolvimento
regional, o BNB opera como órgão executor de políticas públicas, cabendo-lhe a
operacionalização de programas como o Programa Nacional de Fortalecimento da
Agricultura Familiar (Pronaf) e a administração do Fundo Constitucional de
Financiamento do Nordeste (FNE), principal fonte de recursos operacionalizada pela
Empresa. Além dos recursos federais, o Banco tem acesso a outras fontes de
financiamento nos mercados interno e externo, por meio de parcerias e alianças com
instituições nacionais e internacionais, incluindo instituições multilaterais, como o
Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
O BNB é responsável pelo maior programa de microcrédito da
América do Sul e o segundo da América Latina, o CREDIAMIGO, por meio do qual o
Banco já emprestou mais de R$ 3,5 bilhões a microempreendedores. O BNB
também opera o Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste
(Prodetur/NE), criado para estruturar o turismo da Região com recursos da ordem de
US$ 800 milhões.
São clientes do Banco os agentes econômicos e institucionais e as
pessoas físicas. Os agentes econômicos compreendem as empresas (micro,
pequena, média e grande empresa), as associações e cooperativas. Os agentes
institucionais englobam as entidades governamentais (federal, estadual e municipal)
e não-governamentais. As pessoas físicas compreendem os produtores rurais
(agricultor familiar, mini, pequeno, médio e grande produtor) e o empreendedor
informal.
O BNB exerce trabalho de atração de investimentos, apoia a
realização de estudos e pesquisas com recursos não-reembolsáveis e estrutura o
desenvolvimento por meio de projetos de grande impacto. Mais que um agente de
intermediação financeira, o BNB se propõe a prestar atendimento integrado a quem
decide investir em sua área de atuação, disponibilizando uma base de
conhecimentos sobre o Nordeste e as melhores oportunidades de investimento na
Região.
Sua preocupação básica é executar uma política de
desenvolvimento ágil e seletiva, capaz de contribuir de forma decisiva para a

4
superação dos desafios e para a construção de um padrão de vida compatível com
os recursos, potencialidades e oportunidades da Região.
Na cidade de Monte Azul o banco iniciou em 1955, até então a
empresa realiza trabalhos no sentido de promover o desenvolvimento da região
através de PRONAF, Crediamigo, Agricultura Irrigada, dentre muitos outros.
Nos últimos anos a empresa tem alcançado grande espaço na
região através de parceria com a EMATER (Empresa de Assistência Técnica e
Extensão Rural), onde os empréstimos e financiamentos têm crescido abruptamente
em praticamente todas as cidades da região. Nota-se ainda que em algumas
cidades onde não tem o Banco do Nordeste estão sendo implantados postos do
Instituto Nordeste de Cidadania, promovendo a realização da expansão dos clientes
do Crediamigo.
O Programa atua de maneira rápida e sem burocracia na concessão
de créditos em grupo solidário ou individual. Grupo solidário consiste na união
voluntária e espontânea de pessoas interessadas em obter o crédito, assumindo a
responsabilidade conjunta no pagamento das prestações. A metodologia do aval
solidário consolidou o Crediamigo como o maior programa de microcrédito do país,
possibilitando o acesso ao crédito a empreendedores que não tinham acesso ao
sistema financeiro.
Associado ao crédito, o Crediamigo oferece aos empreendedores
acompanhamento e orientação para melhor aplicação do recurso, a fim de integrá-
los de maneira competitiva ao mercado. Além disso, o Programa de Microcrédito do
Banco do Nordeste abre conta corrente para seus clientes, sem cobrar taxa de
abertura e manutenção de conta, com o objetivo de facilitar o recebimento e
movimentação do crédito.
Em 2005 Com a continuidade da diretriz estratégica de contratação
integral dos recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE),
o Banco do Nordeste registrou o melhor desempenho anual, desde a criação do
Fundo em 1989, em volume de contratação do FNE, com um total de R$ 4,2 bilhões
em financiamentos.
O compromisso do Banco com a responsabilidade social por meio
do desenvolvimento socioeconômico sustentado de sua área de atuação, desde o
início de suas atividades, foi reafirmado com a criação de projeto específico para

5
gerir a responsabilidade social na Empresa, o Projeto de Responsabilidade Social
Empresarial do Banco do Nordeste (RSE).
Com o intuito de orientar suas operações de financiamento, o Banco
elaborou a Política Produtiva para o Nordeste (PPN) composta de um conjunto de
objetivos, estratégias e diretrizes que visam a reduzir a disparidade regional de
desenvolvimento socioeconômico do Nordeste em relação ao país. O Banco parte
do pressuposto de que a redução das desigualdades regionais deve resultar de um
esforço objetivo da política econômica envolvendo investimentos estruturantes em
capacidade produtiva, tecnologia, infraestrutura e logística, além de arcabouços
normativos e institucionais.
Designação de uma diretoria específica (Diretoria de Controle e
Risco) para as atividades de controle e risco com as funções de Controles Internos e
Segurança Corporativa, com os seguintes benefícios: melhor supervisão das
atividades de Controles Internos e melhor sinergia entre o Controle Interno e a
Segurança Corporativa.
Em 2006 houve a consolidação da trajetória de crescimento das
operações de empréstimos e financiamentos iniciada em 2003, com a contratação
de operações globais que somaram R$ 7,3 bilhões, sendo de R$ 4,6 bilhões do
Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). Como consequência, o
Banco inicia a estruturação de novos programas com fontes alternativas para o
financiamento do desenvolvimento da Região, utilizando fontes como o Fundo de
Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), o Fundo da Marinha Mercante (FMM) e o
Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).
O Banco mantém estreita sintonia de suas ações com as políticas
públicas do Governo Federal, no apoio à agricultura familiar e microcrédito, por meio
dos financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar
(PRONAF) e de seu Programa de Microcrédito Produtivo Orientado, CrediAmigo.
O Banco ampliou o apoio às pesquisas tecnológicas por meio de
empréstimos não-reembolsáveis de fundos mantidos com essa finalidade. O Fundo
de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNDECI) apoiou 121 projetos de
pesquisas tecnológicas alocando R$ 6,1 milhões contemplando diversas áreas e
cadeias produtivas importantes para o desenvolvimento da Região. O Fundo de
Apoio às Atividades Socioeconômicas do Nordeste (FASE) e o Fundo de
Desenvolvimento Regional (FDR) têm priorizado o financiamento de projetos de

6
pesquisa, estudos e eventos relacionados à temática da economia solidária. No ano
de 2006, foram apoiados 58 projetos no total de R$ 2,5 milhões com recursos do
FASE e 36 projetos no valor total de R$ 2,3 milhões com recursos do FDR.
O Banco do Nordeste do Brasil como as outras instituições
financeiras pertencem ao grupo terciário da economia. Neste sentido Silva (2012)
aborda que este é o setor econômico relacionado aos serviços. Os serviços são
produtos não materiais em que pessoas ou empresas prestam a terceiros para
satisfazer determinadas necessidades. Como atividades econômicas deste setor
econômicos, podemos citar: comércio, educação, saúde, telecomunicações, serviços
de informática, seguros, transporte, serviços de limpeza, serviços de alimentação,
turismo, serviços bancários e administrativos, transportes, etc.
Ainda segundo o autor este setor é marcante nos países de alto grau
de desenvolvimento econômico. Quanto mais rica é uma região, maior é a presença
de atividades do setor terciário. Com o processo de globalização, iniciado no século
XX, o terciário foi o setor da economia que mais se desenvolveu no mundo.
Observa-se através do organograma abaixo a organização da
empresa:

ORGANOGRAMA DO BANCO DO NORDESTE DE MONTE AZUL

GERENTE

AGENTE DE
TÉCNICO DE CAMPO
DESENVOLVIMENTO

GERENTE DE NEGÓCIOS
(ATENDIMENTO

GERENTE GERENTE GERENTE DE GERENTE PRONAF


ADMINISTRATIVO EXECUTIVO NEGÓCIOS M.P.E

ASSISTENTE DE ANALISTA
CAIXA CAIXA RECUPERAÇÃO DE
CRÉDITO GERENTE

ANALISTA
BANCÁRIO
ANALISTA BANCÁRIO

7
O Banco do Nordeste de Monte Azul é administrado pelo gerente,
que delibera suas ideias e procedimentos através do gerente de negócios, agente de
desenvolvimento e técnico de campo. Temos ainda o gerente administrativo,
executivo, de negócios M.PE e o gerente PRONAF, que delimitam através do
gerente, analista, assistente de recuperação de crédito, analistas bancários, analista
e caixas.
O Banco do Nordeste do Brasil S.A. é uma instituição
financeira, estatal, constituída na forma de sociedade de economia mista cuja
98,63% das suas ações estão sob o controle do Governo Federal. É um banco
múltiplo com características de um banco de desenvolvimento e tem por finalidade
promover o desenvolvimento sustentável da região Nordeste do Brasil através do
apoio financeiro aos agentes produtivos regionais. No caso do Banco do Nordeste
de Monte Azul trabalham 13 funcionários, o que gera certa dúvida por se tratar de
uma empresa estatal.

FUNDAMENTOS E TEORIA ORGANIZACIONAL DA EMPRESA

Ainda abordando os níveis hierárquicos da empresa, conforme


delimitado acima pelo organograma, percebe-se que o nível estratégico é delimitado
pelo gerente geral do Banco do Nordeste de Monte Azul, sendo que o nível tático
engloba o técnico de campo, agente de desenvolvimento e gerente de negócios,
gerente executivo, gerente administrativo, gerente de negócios MPE e gerente
Pronaf, enquanto os outros cargos observados no organograma fazem parte do nível
operacional.
A área da organização escolhida para o desenvolvimento do PODC
foi, a do Crediamigo onde o processo de planejamento é feito em conjunto e são
definidos os objetivos, atividades e recursos. Essa função do gestor é estratégica e
deve ser elaborada com cuidado, pois irá orientar as atividades e recursos a serem
administrados para alcançar o objetivo. O planejamento das atividades é feito com
base nos resultados obtidos e perspectivas a serem alcançadas.
A organização das atividades é feita sempre pela gerência do
programa, analisando principalmente a clientela a ser atendida, uma vez que sempre
se busca manter os grupos. A organização é o processo de definir o trabalho a ser

8
realizado e as responsabilidades pela organização; é também o processo de
distribuir os recursos disponíveis segundo algum critério.
Com respeito á direção os recursos a serem utilizados pelo
programa seguem sempre o panorama dos grupos e da adesão de novos grupos,
uma vez que há uma meta pré-estabelecida e um processo de enquadramento para
receber o empréstimo, além logicamente de analisar qual o destino do empréstimo e
a possibilidade de arcar com o mesmo por parte do contratante. Por ser um
programa de microcrédito produtivo orientado o Crediamigo busca sempre nortear o
cliente para que ele possa utilizar o crédito da melhor forma possível.
O Programa atua de maneira rápida e sem burocracia na concessão
de créditos em grupo solidário ou individual. Grupo solidário consiste na união
voluntária e espontânea de pessoas interessadas em obter o crédito, assumindo a
responsabilidade conjunta no pagamento das prestações. A metodologia do aval
solidário consolidou o Crediamigo como o maior programa de microcrédito do país,
possibilitando o acesso ao crédito a empreendedores que não tinham acesso ao
sistema financeiro.
As principais ferramentas de gestão da organização são: a missão,
visão e valores.
A teoria da administração que tem as características mais próximas
da empresa é a Teoria Estruturalista, uma vez que assim como a Teoria da
Burocracia, faz parte também da abordagem estruturalista. O enfoque da teoria
estruturalista é a estrutura e o ambiente, assim, de acordo com Chiavenato (2003),
essa teoria trouxe uma importante ruptura com relação às anteriores. Ela mostra a
organização como sendo um sistema aberto que se relaciona com o ambiente e com
outras organizações. A Teoria Estruturalista baseia-se no conceito de estrutura, que
é um todo composto por partes que se inter-relacionam. Portanto, o todo é maior do
que a simples soma das partes. O que significa que os sistemas organizacionais não
são a mera justaposição das partes.
De acordo com Chiavenato (2003), essa teoria caracteriza-se por
sua múltipla abordagem, englobando em sua análise a organização formal e
informal, recompensas materiais e sociais e, entre outros, reconhece os conflitos
organizacionais, ditos como inevitáveis. Por fim, os estruturalistas fazem uma análise
comparativa entre as organizações, propondo tipologias, como a de Etzione (1980),

9
que se baseia no conceito de obediência, e a de Blau e Scott (1970), que se baseia
no conceito de beneficiário principal.

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL

A motivação na empresa é feita através de participação nos lucros,


auxílios alimentação, transporte creche, além de busca efetiva por análise do
ambiente para observar a possibilidade de melhorias no ambiente e possíveis
mudanças.
Com respeito ao estresse observa-se que não há prevalência
considerável do mesmo, uma vez que o ambiente de trabalho é bastante amigável
com bastante cordialidade, além logicamente de todos trabalharem de forma
unidade, um respeitando o espaço do outro.
A empresa ainda não realizou uma pesquisa de clima
organizacional, porém percebe-se que a mesma encontra boas evidências de um
bom ambiente de trabalho.

HOMEM, CULTURA E SOCIEDADE

O Banco do Nordeste tem por visão, ser referência como agente


indutor do desenvolvimento sustentável da Região Nordeste. Os seus valores são:
justiça, honestidade, democracia, cooperação, disciplina, governança,
sustentabilidade, compromisso, confiança, civilidade, transparência, igualdade e
respeito. Que estão coerentes com as ações exigidas e praticadas no cotidiano, uma
vez que se prega no dia a dia da empresa uma ação justa, igualitária e
principalmente sustentável, onde o cliente possa se sentir a vontade e ter plenos
direitos de buscar o seu desenvolvimento pessoal com o auxilio do banco.
Na empresa há implicitamente uma cultura de disseminação dos
valores propostos pelo banco de comportamento ético e busca pela disciplina,
organização e cooperação dos seus funcionários; visando assim que todos se
adequem ao bem comum da empresa.

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM

10
O diálogo é o principal norteador do processo de comunicação
formal dentro da empresa, uma vez que todos buscam se inteirar do assunto da
melhor forma possível seja com um colega mais próximo, ou mesmo recorrendo ao
chefe imediato, sendo que em primeiro lugar todo vivem em harmonia e não há
entraves para a comunicação, sendo também devido a pouca quantidade de
funcionários. As lideranças exercem autoridade através da postura no falar e do tom
mais firme, quando querem exercer liderança no processo comunicativo.
Há com certeza a comunicação assertiva, uma vez que as
lideranças utilizam uma comunicação direta para que os objetivos sejam alcançados
da melhor forma possível. Os aspectos de objetividade e clareza na informação são
definidos nas reuniões e treinamentos onde os funcionários são instituídos a sempre
terem clareza e objetividade, evitando deixar os clientes e colegas de trabalho
desnorteados frente a uma informação que seria repassada.

11
CONCLUSÃO

O Banco do Nordeste do Brasil é uma das maiores instituições


financeiras do país, trabalhando principalmente no desenvolvimento do setor agrário
do Nordeste e Norte de Minas, a instituição tem prestígio e grande relevância,
graças ao excelente papel que vem desempenhando na atualidade.
A pesquisa demonstrou que a empresa na cidade de Monte Azul já
apresenta algum tempo em funcionamento e auxilia não somente a cidade, como
também as áreas circunvizinhas, abrangendo uma extensa área por sinal.
Realizando principalmente empréstimos do PRONAF e Crediamigo que oportunizam
aos agricultores familiares, pequenos comerciantes ou famílias em geral que
realizam alguma atividade abrangida nos programas obter recursos para
desenvolver e melhorar sua qualidade de vida.
Observa-se que os aspectos organizacionais, culturais e de
comunicação da empresa são relevantes tendo um bom clima organizacional e
expansão dos valores defendidos pelo Banco, além de estar buscando uma
comunicação clara e eficiente com voz de comando e interação constante.
Enfim, observa-se que toda empresa deve seguir preceitos básicos
administrativos com vistas a oportunizar condições de crescimento e um bom
ambiente de trabalho, assim sendo é preciso sempre buscar um bom clima
organizacional, perseverança e efetivação dos valores, missão e visão da empresa
além de uma comunicação formal e consistente.

12
REFERÊNCIAS

BANCO DO NORDESTE DO BRASIL. Demonstrações Contábeis – Banco e FNE:


Relatório da Administração, Ceará. 2011.

__________________________. Crediamigo. Disponível em <


http://www.banconordeste.gov.br/crediamigo/> Acesso em 28/05/2014.

__________________________. Histórico – A empresa. Disponível em <


http://www.bnb.gov.br/content/aplicacao/O_Banco/Historico/gerados/hist_principal.asp>
Acesso em 25/05/2014.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão


abrangente da moderna administração das organizações. Revisada e atualizada. Rio de
Janeiro: Elsevier, 2003.

13